Qwiki: um exemplo de apresentação que dispensa (muito) texto

Alexandre Franzolim

por
em às | Ciência e tecnologia, MonkeyBusiness, PdH Shots


Quem viu Wall-E lembra das cenas finais: uma pessoa em frente ao computador – há anos enclausurada junto com diversas outras em uma nave no espaço, esperando o planeta Terra tornar-se habitável demais – começa a pesquisar e lembrar o significado de “Terra”. Em vez de usar o Google e abrir diversos sites, assiste a uma compilação audiovisual com imagens, vídeos e uma locução que a conduz pelo conteúdo.

A tecnologia chegou. Agora só falta virarmos obesos a ponto de não mais conseguir andar.

Qwiki é uma startup que se mostrou ao mundo pela primeira vez no segundo semestre de 2010, durante um evento em San Francisco, cuja proposta é transformar a informação em uma experiência. Acreditam que não é porque as informações estão armazenadas em máquinas que elas precisam ser apresentadas como uma lista automática compatível à máquina.

O desafio foi construir uma ferramenta que reúne as informações na hora sem ter nenhum material pronto: ele busca na internet, monta, e conta para você, automaticamente.

A forma de apresentarmos as informações influencia na maneira como cada um absorverá. Certamente o recurso visual é uma das maiores vantagens que estamos conquistando com o passar dos anos. Promete ser algo tão revolucionário que um dos fundadores do Facebook, o brasileiro Eduardo Saverin, investiu 8 milhões de dólares no projeto.


Link Vimeo | Qwiki em ação

Projetos assim me deixam muito animado, não apenas por eu ser um eterno entusiasta de novidades digitais e tecnológicas, mas principalmente por este projeto ter uma relação conveniente com apresentações. Temos um desafio diário de trabalhar a informação de cada apresentação da melhor forma possível, principalmente pela apresentação representar um momento decisivo do profissional, que precisa conquistar, compartilhar, emocionar, entreter e, principalmente, independente de seus objetivos, ele precisa, sempre, ter o público com ele.

Jon Rosenfeld, diretor de criação da Boom Chicago, em passagem pelo Picnic 2010, disse uma frase que certamente teve grande repercussão:

“Fenômenos como o Twitter e o Facebook mudaram a forma como as pessoas ignoram os palestrantes.

Quando uma apresentação está chata, temos nossos gadgets para nos levar a qualquer lugar: a famosa pangeia digital que nos permite estar em todos os lugares sem mover a bunda.

A forma como passamos uma informação é relevante. Entre buscas no Qwiki e apresentações, temos uma certeza: se uma imagem vale mais que mil palavras, imagine várias.

Alexandre Franzolim

Diretor de Criação da MonkeyBusiness, outrora ilusionista, lutador, arqueiro, taciturno agitão que deseja convencer a todos a fazer uma (boa) apresentação.


Outros artigos escritos por

Somos entusiastas do embate saudável

O texto acima não representa a opinião do PapodeHomem. Somos um espaço plural, aberto a visões contraditórias. Conheça nossa visão e a essência do que fazemos. Você pode comentar abaixo ou ainda nos enviar um artigo para publicação.


EXPLODA SEU EMAIL

Enviamos um único email por dia, com nossos textos. Cuidado, ele é radioativo.


TEXTOS RELACIONADOS

Queremos uma discussão de alto nível, sem frescuras e bem humorada. Portanto, leia nossa Política de Comentários.


  • http://www.facebook.com/people/Dam-Barba/1723981239 Dam Barba

    …e em breve esta experiência será contemplada diretamente a partir de frequências definidas enviadas aos nossos lóbulos cerebrais, sem a necessidade de telas e dispositivos…e elas estarão em todo o ambiente, projetadas por um hipercomputador. Talvez até percebermos a irrelevância entre realidades?

  • Anônimo

    isso é um site?
    como ele é alimentado?

    • http://www.facebook.com/afranzolim Alexandre Franzolim

      É um site, kkohyeah, não lembro onde vi na internet que ele usa como fonte de dado alguns sites (como Wikipedia e FlickR, por exemplo), e que toda aquela narração é construída na hora. Bizarro, né? O bacana da narração é que não se percebe que é automático/robotizado, é muito bem feito (dadas as devidas proporções tecnológicas).

  • Anônimo

    Esse site é bem legal, mas tem uma aplicação meio restrita, algo parecido com o Wolfram Alpha.
    Um erro grave é quando você procura o Brasil ele(a) não fala do penta, mas pra um começo tá legal.

    Ele recebeu um investimento de 8 milhões de dólares do cara que tomou um chapéu do Mark Zuckerberg

    • http://www.facebook.com/afranzolim Alexandre Franzolim

      Como projeto ainda no começo de vida, está realmente bem legal. Imagine a proporção que ele vai tomar quando sair do beta para o oficial? E pensar que o Gmail ficou anos com o selinho do beta no seu logo…

  • http://www.facebook.com/marcoslopesm Marcos Lopes Moreira

    Fantástico, olha o Google oferecendo Bi/Milhões por essa nova tecnologia, mas muito interessante mesmo.

  • Victor Domingues

    Impressionante. Essa é a palavra que resume bem esse site, se é que podemos chamar de site, acho que cabe muito bem até como um aplicativo. me surpreendi com o tamanho conteudo que o site oferece(pouco, porem para um começo está ótimo).

  • http://twitter.com/ussnostromo Rafael

    “Ok You win.. Now something more obscure… ”
    – Brazil!..
    – Brazil?

    hahaha.. é de cagar de “croque”

  • Roni Gomes

    Caramba, muito legal mesmo!!
    Uma idéia muito boa!
    Seria legal se você pudesse baixar como um vídeo (tendo os devidos créditos, lógico). Seria bacana, não pra substituir sua apresentação, mas pra acrescentar!!

  • Victor

    WTF!!! Simplesmente fantástico! Sou da área de TI e não me canso de ficar impressionado com os avanços da informática. Este sistema é uma evolução de um outro que tb me impressionava, chamado Wolfran Alpha. Muito provavelmente eles cruzaram o banco de dados que o WA tinha com uma apresentação mais humana. O WA apresentava os dados só com imagens estáticas e textos. Acho que os dois tem o seu lugar, mas este tipo de metodologia é do caralho! Dá pra se passar horas e horas navegando entre os temas…

  • http://www.facebook.com/people/Lucas-Barbalho/100000256329537 Lucas Barbalho

    Sensacional. Aliás, conheci o QWiki através do PdH, com um post do Thiago Kiwi acho.

    Ainda tem muito pra melhorar, mas é uma tecnologia que vem pra revolucionar a forma como nos informamos. Apenas temo que as pessoas fiquem mais preguiçosas ainda e parem definitivamente de ler, só assistam, qualquer informação!

  • Victor Cavalcanti

    Ducaraleo!

  • http://twitter.com/johnnyschulte João Vitor Schulte

    É realmente um serviço fascinante, eu já usei pra fazer dois trabalhos na faculdade. é uma pena não ter como copiar as informações para uma área de transferência!

    Qwiki é o futuro!

  • Guilherme

    achei demais esse qwiki, com certeza vai revolucionar a area tecnologica

  • Daniel

    Brasil? hahhahaha

  • Daniel

    Brasil? hahhahaha

  • http://www.facebook.com/afranzolim Alexandre Franzolim

    Concordo contigo, Roni. Inclusive eu tentei achar maneiras de fazer isso, mas por enquanto não é possível. Fiquei pensando, depois, que o Qwiki pode até se tornar uma ferramenta de apresentação, não concorrendo diretamente com o Prezi (que é outro sistema, outra linha/dinâmica), mas uma opção bacana. Dispensaria o apresentador, talvez, mas ainda assim bacana.

    • Roni Gomes

      Cara, acho que ainda não está no nível a ponto de dispensar o apresentador! Ficaria uma coisa muito fria, metódica! Acredito que a interação palestrante>publico ficaria muito engessada! Quer dizer, a não interação né, só o sistema!

      • http://www.facebook.com/afranzolim Alexandre Franzolim

        Certamente não substitui o apresentador, mas creio que a solução é apenas mais uma opção dentre tantas. A questão de conflitar com o apresentador, neste caso específico, é do material já possuir narrador, então precisa ser uma palestra muito bem sincronizada para não ter sobreposição de falas e, principalmente, confundir seu público.

        Ontem mesmo palestrei na ESPM e um dos pontos que levantei é que o palestrante é o elo emocional entre o publico e a informação, estabelecendo uma conexão que estimula e dá a diretriz.

  • http://www.facebook.com/afranzolim Alexandre Franzolim

    Concordo contigo, Roni. Inclusive eu tentei achar maneiras de fazer isso, mas por enquanto não é possível. Fiquei pensando, depois, que o Qwiki pode até se tornar uma ferramenta de apresentação, não concorrendo diretamente com o Prezi (que é outro sistema, outra linha/dinâmica), mas uma opção bacana. Dispensaria o apresentador, talvez, mas ainda assim bacana.

  • Cesar Bulzico

    Logo logo o google compra

  • Aubert

    Brasil = Seleção Brasileira de Futebol???

  • Aubert

    Brasil = Seleção Brasileira de Futebol???

  • http://www.facebook.com/hiroshi84 Hiroshi Matsuyama

    Cara esse Qwiki é mto bacana !!! Fui la testar !!!! Se na versão alpha ja ta bom !!! Imagina qdo tive full !!!! Espero que eles nw desistam da idéia!!! Agora quem não vai gostar e a wikipedia !!! Que alias ja ta indo p buraco !!!! rsrs

  • Alexandre Vaz

    Prefiro ler. Juro.

  • http://www.facebook.com/hiroshi84 Hiroshi Matsuyama
  • http://www.batuq.com.br Gian Carlo

    é, bacana o site, ideia show… mas, por incrível que pareça, nada de impressionante por baixo de todo o visual! :D
    “Hacker shows it doesn’t take 8 million to clone QWiki”
    olhem só o que esse cara fez: http://newsgrange.com/hacker-shows-it-doesnt-take-8-million-to-clone-qwiki-just-321-lines-of-html-will-do-the-trick/

Papo de homem recomenda

Assine o Papo de homem

Curta o PdH no Facebook
  • 5138 artigos
  • 647384 comentários
  • leitores online