O pau mole no sexo oral

"Será que ele não tem tesão em me chupar?"

Oi, pessoal!

Hoje vou fazer uma coisa um pouquinho diferente do que costumo fazer na minha coluna.

Vou responder um e-mail que recebemos.

"Bom, o drama é o seguinte: meu namorado diz que gosta de fazer oral em mim, faz com frequência e é ótimo mas, sempre que faz, ele não fica de pau duro. Acontece sempre, ele só fica de pau duro fazendo oral em mim quando partimos pro 69. Eu acredito que ele curte, mas não posso negar que isso me deixa insegura, a sensação é de que ele não tem tesão em me chupar.

Em contrapartida, eu amo fazer oral nele! Amo me dedicar a isso e me dá muito tesão. Não sei como conversar sobre isso, tenho medo de fazer ele se sentir mal, mas minha intenção não é critica-lo e sim entender por que acontece isso se ele diz gostar muito de fazer sexo oral."

Como puderam observar, a A. escreveu pra gente porque está aflita com a seguinte situação: o namorado dela fala que gosta de chupá-la, chupa bem, mas ele não fica de pau duro enquanto está fazendo o oral. Por causa disso, a A. fica preocupada e insegura achando que talvez ele não goste de chupar ela de verdade, já que quando ela faz oral nele, ela fica muito excitada.

Eu queria começar fazendo uma pequena viagem pra gente refletir sobre as diferenças de cada um.

Quando duas pessoas pulam num mesmo mar, no mesmo lugar, no mesmo instante, a sensação que fica gravada na cabeça de cada uma não vai ser a mesma que a da outra. Isso porque as pessoas são únicas e, de acordo com as experiências e as histórias de vida de cada um, a gente tende a experimentar e guardar as sensações de um jeito diferente.

Sempre vai ser diferente de pessoa para pessoa. Sempre. Por mais que às vezes possa ser parecido. Por outro lado, por mais que as sensações nunca sejam as mesmas, quando a gente conversa com o outro, a gente tende a ouvir os relatos dele e comparar com as sensações e sentimentos que a gente tem gravado na nossa cabeça.

Controlem essas carinhas de frustração. Vamos conversar.

Agora, se me permitem, vou falar direto com a A.

Como você contou, A., você gosta de fazer oral e fica super excitada em dar esse prazer por seu namorado, então, quando você escuta que ele também gosta de fazer oral em você, você também espera que esse gostar signifique que ele ficaria super excitado como você e, por ser homem, de pau duro. E como não é isso que acontece, você fica insegura pensando que talvez ele não goste de verdade, não é?

A primeira coisa que você pode fazer é tentar refletir sobre essas diferenças entre como as pessoas se sentem: ele pode adorar mesmo te chupar, e pode ser que as sensações que ele tem fazendo um oral não se traduzam numa ereção física.

Quando você fica excitada, por exemplo, o que isso significa no seu corpo? Pra algumas mulheres é estar bem molhada. Mas é possível e normal que uma mulher esteja excitada e não esteja molhada. Do mesmo jeito, mulheres e homens às vezes ficam molhadas e duros, mesmo sem estar excitados, como algo automático e besta. Seu namorado pode estar excitado de verdade, em muitos sentidos, e não estar de pau duro.

Além disso, você comentou que uma parte do você acredita que ele gosta de verdade, não é? Se você acredita, é porque tem sinais positivos, que faz a situação ser legal, gostosa, proveitosa. Pode ser uma boa  focar nesses sinais e não encanar com o pau.

Um tema que volta e meia aparece por aqui no PdH é sobre como seria bom se a gente tirasse o pênis do centro de toda a sexualidade masculina. Se a gente ficar pensando que o cara sempre precisa estar de pau duro, e que, se ele não estiver, tem alguma coisa errada, então a gente acaba limitando a sensibilidade masculina a uma obrigação.

E, se cada um tem uma forma de sentir que sempre vai ser diferente da do outro, só existe um jeito de tentar compreender como é a forma de experimentar o mundo do outro: conversando.

Então, você pode sim (e eu no seu lugar faria isso) conversar com ele para entender como é ele se sente quando está fazendo oral em você, quais as sensações que ele gosta, o que ele pensa nessa hora, o que motiva e, também,  como ele se sente sobre não manter a ereção nesse momento. A minha única dica em relação a isso é: fale com ele lembrando que a falta da ereção física não é o problema, o que te incomoda é ter dúvidas sobre ele gostar ou não de te chupar. Por que é isso, não é?

Se você for conversar com ele de uma maneira muito tranquila, lembrando que o que te aflige é a dúvida e não a parte física da coisa, acredito que não tem porque ele se sentir criticado. Nessas horas, também, a gente tem que perguntar sabendo ouvir, então, escute o que ele te falar, pergunte tudo o que você quer saber sobre como ele se sente e, depois, acredite de verdade, tente não ficar se questionando mais sobre isso só porque é fora do padrão que a gente tem na cabeça.

Tem coisa que a gente fica um tempão pensando, preocupada, e na hora que a gente senta pra falar é bem mais simples do que parece! Fale com ele e depois conta pra gente como terminou esse episódio.

Sei que vocês também têm experiências pra contar a respeito. A conversa segue nos comentários.


publicado em 15 de Abril de 2018, 00:05
13081812 10207801606336128 979469056 n

Gabriella Feola

Jornalista, viajante, apaixonada por músicas latinas e acredita que sexo deveria ser tão conversado quanto esportes.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura