Voto nulo e voto em branco: o que realmente é verdade?

Henrique Fabretti Moraes

por
em às | Artigos e ensaios, Mundo


Durante as eleições dá pra perder a conta da quantidade de emails recebidos incitando a população a votar nulo por ser a única salvação da humanidade ou trazendo em primeira mão aquela informação bombástica que a imprensa oculta, certamente por ter pacto com o Belzebu, sobre a “verdade do voto em branco”.

As leis eleitorais são pouco conhecidas até mesmo por advogados e estudantes de Direito, já que direito eleitoral não entra na grade curricular da maioria das faculdades, facilitando ainda mais a propagação de correntes que só confundem os eleitores.

Pra piorar, depois de tanto tempo repetindo as mesmas mentiras, as pessoas passaram a acreditar nelas. É só falar sobre voto em branco ou voto nulo que já aparece alguém repetindo o conteúdo das malogradas correntes.

“Voto em branco vai para quem estiver ganhando…”

A brincadeira esconde um ótimo conselho.

Quem nunca recebeu um email ou ouviu alguém lhe dizendo para não votar em branco, por que esse voto iria para quem estivesse ganhando as eleições?

Essa é uma informação proveniente da época em que o voto ainda era feito pela cédula de papel. Naquela época, era possível deixar a cédula de votação em branco. Com a cédula em branco, na hora da contagem de votos, era muito fácil alguém marcar um voto para um candidato qualquer, sem que o dono da cédula sequer tivesse conhecimento do fato.

Para evitar então que fosse inserido um voto qualquer em sua cédula, os eleitores rabiscavam ou escreviam qualquer coisa – geralmente xingando o candidato – na cédula, anulando seu voto. Desta forma, não seria possível que alguém inserisse um voto aleatório naquela cédula de votação. Daí surgiu a ideia de que era melhor anular o voto do que deixar a cédula em branco, para não correr o risco de seu voto ser utilizado indevidamente.

Hoje em dia, com a urna eletrônica, não há mais essa possibilidade de adulterar o voto em branco (não vou entrar aqui na discussão sobre a segurança da urna eletrônica). Portanto, votar em branco ou votar nulo é praticamente a mesma coisa, ambas atitudes resultam na invalidação do voto.

O voto em branco não vai para nenhum candidato, ele é considerado inválido. Simples assim.

“Votar nulo: a solução para nossos problemas!”

A ironia é que votar nulo só contribui para a palhaçada...

Outra informação muito divulgada nos períodos eleitorais é a de que, havendo a metade mais um dos eleitores votando nulo, o pleito é anulado e todos os candidatos daquela eleição devem ser substituídos.

Esse mito provavelmente tem fruto em alguma confusão na hora de interpretar o art. 224 do Código Eleitoral:

“Se a nulidade atingir a mais de metade dos votos (…) o Tribunal marcará dia para nova eleição (…)”

Lendo este artigo sem levar em consideração todo o conjunto, a impressão que se tem é de que, realmente, havendo a maioria de votos nulos haverá nova eleição.

Mas este não é o caso. A nulidade deste artigo tem relação com as causas de nulidade da votação (arts. 220 e 221 respectivamente), como, por exemplo, cédula falsa, votação feita fora do horário ou dia estipulado etc. Tal nulidade (do art. 224) não tem nenhuma relação com os votos nulos ou brancos por manifestação apolítica do eleitor – leia-se aqui apertar a tecla “branco” ou colocar números de candidatos que não existam, na urna eletrônica. Não existe qualquer previsão de que havendo a maioria de votos nulos/brancos a eleição será refeita.

Portanto, por mais que aquelas campanhas mirabolantes repassadas por email atingissem seus objetivos, não haveria novas eleições ou substituição dos candidatos.


Link YouTube | Campanha para estimular votos nulos

Atenção: votos brancos e nulos ajudam o candidato mais popular!

Uma informação importante, e que deveria ser de conhecimento de todos, é a influência dos votos nulos e brancos nas eleições para Presidente, Governador e Prefeito.

Para aqueles que não sabem, o segundo turno das eleições acontece quando um candidato não obtém metade mais um de todos os votos válidos. Ocorre que os votos em branco e os votos nulos são considerados inválidos; portanto, não são computados para o cálculo da maioria nas eleições dos cargos que citei acima.

Por exemplo, se eu tenho 100 eleitores e todos eles votam em algum candidato, ou seja, não há votos nulos/brancos, o candidato que obter 51 votos (50% + 1) ganhará logo no primeiro turno. Agora, se dos 100 eleitores, 10 votaram nulo ou em branco, temos apenas 90 votos válidos, ou seja, o mesmo candidato precisará de apenas 46 votos para ganhar e não haver segundo turno.

Por isso, quando você for votar, lembre-se que ao votar nulo ou em branco no primeiro turno você aumentará a chance do candidato preferido vencer logo no primeiro turno. Independentemente do candidato para quem votar, propiciar a existência de um segundo turno é de interesse de todos, já que há maior tempo para amadurecimento do processo eleitoral e para os candidatos exporem seus respectivos planos de governo.

Agora copie esse texto, cole em um PowerPoint, adicione uns GIFs de ursinhos pulando ao som de Justin Bieber e repasse pra todos aqueles seus amigos chatos que não param de mandar correntes por email. Só não se esqueça de colocar a fonte e um link para o PdH!

Bases jurídicas para os advogados de plantão:

Henrique Fabretti Moraes

É estudante de Direito e pretende abrir seu próprio negócio em breve. Nas (poucas) horas vagas gosta de escrever, jogar rugby e apreciar uma boa cerveja. No Twitter, @hfabretti.


Outros artigos escritos por


SEPARAMOS MAIS TEXTOS PARA VOCÊ CONTINUAR LENDO




O texto acima não representa a opinião do PapodeHomem. Conheça a visão e a essência por trás do que fazemos. Queremos uma discussão de alto nível. Antes de comentar, leia nossas boas práticas. Caso deseje enviar um texto e se tornar um autor, venha por aqui.


  • http://papodehomem.com.br/ Gus Fune

    Esse artigo deveria ser impresso e distribuido em todos os locais de votação agora no dia 2.

    Confesso que tinha as mesmas visões erradas sobre votos em branco e nulo. Excelente artigo, muito esclarecedor.

    • Pablo Fernandes

      Ele tem que ser distribuído antes também, Gus.

      O povo precisa escolher um candidato, não deixando que as eleições sejam vencidas no primeiro turno só porque tivemos uma leva de votos em branco ou nulo.

      Excelente artigo. Agora já sei o que mandar como resposta pras correntes enjoadas que recebo.

      • Jerry Sama

        99% das pessoas não vão ler, se ler não vão entender.

    • Miiih

      Tem concordo com o Gus,isso deveria sair nos jornais,na midia,para poder deixar todos informados sobre esse assunto que uma responsabilidade de todos nós cidadãos.

      • PH

        antes de aceitar tudo como verdade absoluta, melhor é pesquisar, quem foi que disse que ele está realmente falando em nome da Democracia, será que ele não tem interesse de mudar esta opinião por causa própria? Pesquise sobre o assunto!

      • Hfabretti

        Meu amigo, eu pesquisei bastante. Se quer falar o contrário mostre seus fundamentos como eu o fiz.

    • http://profile.yahoo.com/7A7FTKN74LGVSXMFDIES75BK2Y Lucas

      E que te falou que o que esse cara disse é verdade?

      Acabei de ler justamente o contrario em outro bolg, algum dos dois está tentando nos confundir e pode sim ser esse engomadinho ai de cima…

      • Rafael Beserra

        Se o nulo ganhar o STF decide. Segue artigo da Superinteressante:

        “A Constituição, de 1988, reza que valem só os votos válidos. Mas o Código Eleitoral, de 1965, prevê a anulação em caso de mais de 50% de votos nulos numa eleição majoritária. Se isso ocorrer, o impasse deve seguir para julgamento do TSE e depois do Supremo Tribunal Federal (STF), que decidiria ao sabor da pressão política”.

  • Freelancer

    A democracia para ser democracia precisa da participação da população, e é meio idiota ver o pessoal se rebelando logo dessa forma tão anti-democrática. (E pior redistribuindo conhecimento errado). Afinal se sobrou apenas palhaços entre os políticos, a culpa também é nossa como povo.
    Com relação ao mérito da segurança da urna, duvido que a nossa seja insegura, são tantas as formas de “cabresto” que basta uma boa publicidade e já sabemos quem vai ganhar!

    Excelente texto…

    • http://www.facebook.com/people/Henrique-Fabretti/1296304088 Henrique Fabretti

      Ocorre que o velho problema do Brasil é a falta de informação, cultura e educação. O resultado disso é o Tiririca estar ganhando disparado nas pesquisas.
      Nós todos aqui temos a oportunidade de estudar e se informar pelos mais diversos meios, mas infelizmente somos minoria.

    • http://www.facebook.com/people/Henrique-Fabretti/1296304088 Henrique Fabretti

      Quanto a segurança da urna, também acredito que ela seja segura, mas não tenho o mínimo de formação técnica para opinar sobre o assunto.
      No próprio site do TSE tem um estudo da Unicamp sobre a segurança da Urna http://www.tse.gov.br/internet/eleicoes/relatorio_unicamp/rel_final.pdf

      • Nane

        Já fizeram alguns “eventos” para barrar a segurança da urna, nenhum dos participantes conseguiu livre acesso, já que ela tem muitos dispositivos de segurança encadeados.
        De acordo com o TSE, super segura

    • http://twitter.com/Buritti Vinicius Buriti

      Eu confesso que sou um tanto anti-democrata. Eu vi as propostas apresentadas ao TSE de quase todos os candidatos a presidente até mesmo dos mais revolucionários socialistas como do Zé Maria. Eu, nos fins de semana, acompanho o horário politico (unico dia da semana que posso assistir), acompanhei um debate. E acabo ficando indignado sabendo que o meu voto vai valer o mesmo de uma pessoa que não está nem ai pra politica mal sabe os nomes dos candidatos e que na hora do horário politico, tá por ai bebendo cachaça ou se drogando. Acho isso uma injustiça sem tamanho, por isso sou a favor do voto facultativo, só vota quem quer, pelo menos um pouco amenizaria essa situação.

      • Anônimo

        Também sou totalmente a favor do voto facultativo!! Acho que nada mais democrático que votar quem quiser!!

        O post foi realmente excelente!! Eu também acreditava na lenda do 50%+1 de votos nulos novas eleições com novos candidatos!

      • Henrique

        Olha, teoricamente ter voto facultativo e nulo é basicamente a mesma coisa. A diferença é que você tem que ir e votar nulo, obviamente dá trabalho. (Estou falando baseado no texto acima, se o voto nulo anula o seu voto, ou seja, é como se você não tivesse votado então diminui o número de eleitor em 1.) Claro que eu não mencionei o fato: “ah se é pra votar, então vou votar no mané que me deu uma pinga”

      • Anônimo

        Também sou totalmente a favor do voto facultativo!! Acho que nada mais democrático que votar quem quiser!!

        O post foi realmente excelente!! Eu também acreditava na lenda do 50%+1 de votos nulos novas eleições com novos candidatos!

      • Armando

        Caro Vinícius:

        Eu entendo esse seu sentimento — que é o mesmo de todos aqueles entre nós que se preocupam com a seriedade do voto, infelizmente uma minoria —, mas o caráter potencialmente transformador de que ele se reveste vem justamente do fato de ser o instrumento por excelência da democracia; o que torna esse sentimento contraditório, portanto.

        Beber cachaça e se drogar não está necessáriamente associado à falta de consciência ou irresponsabilidade política, conheço usuários de drogas que votam muito lucidamente, inclusive. Muito pior, na minha opinião, são aquêles que instrumentalizam o próprio voto — ou votam em notórios canalhas e oportunistas — conscientemente. E ainda constroem um discurso muito bonito pra justificar a sua opção escrota.

      • Marcus V.

        Concordo contigo e não acho que isso seja anti-democracia. Pelo contrário, é mais democracia ainda. A pessoa tem o direito até de não votar.

    • PH

      Numa Democracia de verdade o povo não é obrigado a votar, então pergunto a você, por que será que somos obrigados? O obvio é que os políticos do nosso país não tem credibilidade, nosso país está mergulhado em corrupção. E o brasileiro sem pudor e respeito moral, é como uma prostituta que se vende por qualquer coisa. Veja o ranking da corrupção em qual posição o Brasil se encontra. Votar nulo é demonstrar insatisfação com os políticos e com a politica atual do nosso país.

  • http://twitter.com/avilarf Ronan Felipe Avila

    “Para aqueles que não sabem, o segundo turno das eleições acontece quando um candidato obtém metade mais um de todos os votos válidos.”

    Trocar por:

    Para aqueles que não sabem, o segundo turno das eleições acontece quando um candidato NÃO obtém metade mais um de todos os votos válidos.

    Discutindo com uns amigos chegamos a conclusão que:
    Voto nulo: quer dizer que você não concorda com nenhum candidato;
    Voto branco: quer dizer que, para você, tanto faz quem irá ganhar.

    Isso não muda em nada o fato de ambos serem inválidos… Mas é bom ter idéia do que se está fazendo ao votar um ou outro!

    • Pablo Fernandes

      Ronan,

      Valeu toque. Já inseri o “não” na frase. ;)

    • Artur Átila Moraes

      Artigo muito bom, esclarecedor!

      Mas ao contrário do que o Ronan Felipe Avila comentou:
      - Atualmente, com a urna eletrônica, Voto nulo e Voto branco são EXATAMENTE o mesmo RESULTADO, só se diferem no modo de fazê-los, um aperta em branco e confirma, o outro digita um número inexistente e confirma.

      O importante, os dois não alteram a eleição, ela não irá ser anulada, porque anulidade e voto branco são coisas distintas, e só irão DIMINUIR a chance de segundo turno.

  • http://twitter.com/benicioernesto Benício Ernesto

    Bom texto, informa muito bem.
    Não votarei porque estarei em outra cidade nos dias das eleições.
    Mas mesmo assim, mesmo sabendo de todas essas informações, anularia meu voto porque não acredito em nenhum dos candidatos que estão no pleito.
    Uma pena para mim e para o Brasil.

  • Juliano Vovo

    Pequena correção: Não é correto falar em 50% + 1 pra atingir a maioria simples. A expressão certa seria “o primeiro inteiro após a metade”.

    • Anônimo

      hahuahuhuahuha mentira?!
      “O primeiro inteiro depois a metade”, pra um povo que não pensa no futuro, não procura saber quais as propostas dos candidatos, se eles tem alguma experiência válida, se tem uma boa reputação, comparar as propostas de benefícios e criação de leis…. vc realmente acha, que usar essa frase, seria tão direto e auto explicativo quanto o “50% + 1″?
      Vc acha que se algum de nós chegar pro nosso querido presidente Lula e disser: “Sr. Presidente, ouvi dizer, que em uma eleição, aquele que, no fim da contagem dos votos válidos, obtiver o primeiro inteiro após a metade, será eleito? A questão é falsa ou verdadeira?” Obviamente ele vai caguejar, mudar de assunto e pensar que vc é um retardado… principalmente depois de ele te perguntar o que exatamente você quer dizer com isso e vc apresentar o sinônimo simples e direto: Estou falando dos 50% + 1! Ou seja, mais da metade dos eleitores!!!!!
      Aff…. forçou muito de intelectual você! Mas é uma frase que deve ser passada adiante, tautologia é uma coisa bela… falar bonito é legal!!!! hauhauhahauha

  • Juliano Vovo

    Pequena correção: Não é correto falar em 50% + 1 pra atingir a maioria simples. A expressão certa seria “o primeiro inteiro após a metade”.

  • http://twitter.com/fanfa Lucio Fanfa

    Taí. Só existe “voto de protesto” quando se vota em alguem.

    PdH, tornando o mundo um lugar mais bacana desde 2006.

  • http://twitter.com/osmarcatelan Osmar Luis Catelan

    Texto muito bom! Só faltou falar que o botão verde é “confirma” e não “foda-se”
    muita gente confunde

  • http://twitter.com/osmarcatelan Osmar Luis Catelan

    Texto muito bom! Só faltou falar que o botão verde é “confirma” e não “foda-se”
    muita gente confunde

  • Gigante

    Simples, direto e explicativo. Texto impecável e informação muito válida.

    Parabéns!

  • Gigante

    Simples, direto e explicativo. Texto impecável e informação muito válida.

    Parabéns!

  • http://twitter.com/_lzmaciel Lourenço Zein Maciel

    Bom texto. É fato que votos inválidos hoje em dia são praticamente votar na Dilma.

    Em 2006 ajudei a coordenar uma campanha pelo voto nulo, inclusive dei entrevista pra folha e istoé falando sobre o assunto na época.

    Apesar de não fazer campanha, ou mesmo votar nulo nessas eleições, ali foi o começo dessas campanhas organizadas sobre o assunto (tinhamos reuniões, planos de ação, e a porra toda, rs), e acho válido explicar as premissas dessa história.

    A idéia não era votar nulo para anular as eleições e trocar os candidatos, mesmo naquela época já divulgávamos que isso era mentira. A idéia da campanha pelo voto nulo partia da premissa de que não havia qualquer tipo de protesto que pudesse ser feito, que fosse realmente criar vontade política para que certas reformas políticas essenciais fossem realizadas.

    E por isso veio a idéia de que uma alta adesão aos votos nulos, junto à uma organização ideológica democrática por trás, criaria o “clima” de não representatividade perfeito para que a viesse o medo da perca do poder, e a sociedade civil pudesse impor as reformas políticas necessárias à esse país que que nunca seriam feitas de outra forma (o começo da organização da campanha de deu com um manifesto que explicava essa impossibilidade intitulado “baratas não patrocinam o baygon”).

    Mas de fato, concordo com o autor do texto. Sem um sinal de uma grande adesão aos votos nulos, ou uma proposta concreta por trás dos mesmos, votar nulo é só votar no candidato que está na frente.

  • Wesley Rosa

    Excelente artigo, eu mesmo não sabia disso.. Ou traduzindo para fins praticos: ” Serra na cabeça”.

    Valeu.

  • Wesley Rosa

    Excelente artigo, eu mesmo não sabia disso.. Ou traduzindo para fins praticos: ” Serra na cabeça”.

    Valeu.

  • Kiwi

    Num sistema de voto obrigatório, votar no melhor candidato possível é o único jeito de fazer um real protesto

    • http://www.facebook.com/people/Henrique-Fabretti/1296304088 Henrique Fabretti

      Não acredito que o voto em si deva ser utilizado como forma de protesto. O voto é para ser dado a quem você acredite que possa cumprir as propostas que melhor atendem a seus interesses, da forma mais transparente e honesta possível.
      O protesto tem que ser feito na rua, antes das eleições, sempre em àquelas atitudes que consideramos dignas de reprovação.
      Mas o povo brasileiro não tem essa consciência (ainda).

      • ADEMIR RODRIGUES

        no brasil não existe politico que mereça voto, são todos uns vagabundos que so querem roubar a população esta é a verdade ,mas isso não quer dizer nada. nos ultimos quatro anos só se viu escândalos fraudes por todos os lados .
        Agora ninguem fala nada.È o ditado (o bom carneiro não berra) aguenta calado. VALEU…………

      • Jfc_ap

        Só abrindo um parêntese ( acredito que você queria dizer interesses coletivos)….

    • Maria Angélica Guimarães Gomes

      Mas, e quando não temos opção de candidato?

  • http://www.facebook.com/rodrigo.cambiaghi Rodrigo DAvola Cambiaghi

    Muito bom o artigo.. eu também já votei nulo acreditando na história do 50%+1

  • http://twitter.com/hatus_cordeiro Hatus Cordeiro

    Muito bacana o artigo, confesso também que não tinha bem claro o real conceito sobre votar em branco ou nulo, tinha pra mim que votando em branco, o voto ia ser computado para primeiro da corrida.

    Mas o pior mesmo é a merda de democracia que insistem em dizem que existe no Brasil, se eu sou OBRIGADO a votar, onde está à democracia nisso?

    Eu aposto que se não fosse obrigatório o voto, não teríamos esse bando de merda em Brasília, em nossos estados e cidades. A grande massa dos eleitores do nosso pais não está nem um pouco interessado em política, mas por serem obrigados a votar, vendem seu voto por comida, oportunidade,etc.

    Não culpo eles por venderem seu voto, a culpa são dos safados que aproveitam a situação para continuarem roubando.

  • DKxt

    Voto obrigatorio X Democracia ??? Eu voto nulo pois nao queria nem votar. So voto pq sou obrigada. Nao gosto de nenhum candidato. Se o Tiririca se candidatasse a presidente, dai eu votaria pq ele e um verdadeiro palhaco e eu prefiro candidatos transparentes.

    • Bruno

      Ao mesmo tempo que concordo que o voto facultativo é o cenário ideal para se exercer a democracia, acredito que esta opção ainda não deveria ser válida no Brasil.

      Digo isto porque uma quantidade significativa de brasileiros não utiliza critérios “justos” para definir o seu voto. Seja a falta de informação e fiscalização ao candidato, ou a venda do voto para candidatos com interesses totalmente sujos faria prevalecer nas urnas estes tipos de eleitores.

      Ou seja, os descrentes na política partidária (que são muitos) não exerceriam seu direito de escolher seus representantes, e estes que dão pouco valor ao voto iriam as urnas não por interesses republicanos.

      Minha opinião está crua, mas não acho impossível isto acontecer.

  • DiGGu

    Pow Muito Bom mesmo, tem muito gente que não vai votar nulo em todos os quesitos, como forma de “Protesto”.

  • Anônimo

    Cara, muito bom o post!! Querom indicar aqui um podcast, até antigo, mas que diz tudo o que está no texto. É mais uma fonte de informação para os leitores!! Nerdcast 130 http://goo.gl/Re4a
    abs

  • Lucas Vilella

    Parabéns pelo post.
    Recebo milhares de e-mails sobre isso no estagio.
    É bom ter alguma informação a mais sobre o tema.

    Mas Henrique.
    Quando é que vamos ter um post sobre o rugby?

    • Dr Health
    • http://www.facebook.com/people/Henrique-Fabretti/1296304088 Henrique Fabretti

      Pretendo em breve escrever um artigo sobre o esporte. Deixa só me sobrar um tempinho! ;)

      • Bruno

        Rugby e Papo de Homem tem tudo haver :-) Henrique, aonde você joga rugby? Abraço!

      • http://www.facebook.com/people/Henrique-Fabretti/1296304088 Henrique Fabretti

        Jogo no ABC Rugby em Santo André (Região metropolitana de São Paulo).

      • Lucas Vilella

        Dr Health,

        Não sabia que já tínhamos textos sobre rugby no PdH.
        Gostei da explicação do Haka e suas variações.
        Eu não conhecia toda a história.

        Henrique F,
        Você participou do CiaSeven em Cianorte?
        Eu jogo no Urutau Rugby UFPR nós nos enfrentamos lá.

    • http://www.facebook.com/people/Henrique-Fabretti/1296304088 Henrique Fabretti

      Pretendo em breve escrever um artigo sobre o esporte. Deixa só me sobrar um tempinho! ;)

  • Anônimo

    Até que enfim alguém explicou de verdade! Muito obrigado por esclarer essa questão onde todo mundo só fazia papagaiar o que tinha ouvido, sem ter nenhum argumento concreto.

  • Priti

    Pode uma mulher postar aqui ?

    Então, texto muito bom, a questão é que esse site não é acessado por maioria, deveriamos divulgar essa informação. Não podemos continuar nessa situação de crime e impunidade.

    Essa informação, sempre me foi passada de maneira erronea. Bom saber que algumas pessoas ainda lutam por um povo informado e contestador. Esse tipo de gente, que deveria ser candidato.

  • Marcio Goulart Silveira

    Excelente, me abriu a mente! Estava pensando em votar nulo, mas depois dessa vi que é importante o voto. O menos pior considero a Dilma, então meu voto vai pra ela =)

  • http://discordando-do-mundo.blogspot.com Leonardo Xavier

    Henrique, algumas vezes eu tenho a impressão que o eleitor que anteriormente adotava a postura anárquica de anular o seu voto, passou a votar em certos candidatos que supostamente não se deveria levar a sério, tal qual o Tiririca… Sinceramente eu não sei qual a pior postura…

    • http://www.facebook.com/people/Henrique-Fabretti/1296304088 Henrique Fabretti

      Como eu já comentei anteriormente, não acho que o voto seja o meio hábil para se realizar algum tipo de protesto, muito menos da forma como o estão fazendo, que é votando em um candidato palhaço e que está lá apenas para angariar votos para sua legenda.

      Se quiser votar nulo, vote, mas pelo menos tenha consciência de qual será a conseqüência.

    • http://www.facebook.com/people/Henrique-Fabretti/1296304088 Henrique Fabretti

      Como eu já comentei anteriormente, não acho que o voto seja o meio hábil para se realizar algum tipo de protesto, muito menos da forma como o estão fazendo, que é votando em um candidato palhaço e que está lá apenas para angariar votos para sua legenda.

      Se quiser votar nulo, vote, mas pelo menos tenha consciência de qual será a conseqüência.

  • Eleovan

    Henrique, colei grau em Direito em 1995 quando as urnas eletronicas estavam começando a ser desenvolvidas e já nas aulas alguns professores arriscavam uma comparação entre a modalidade de voto da época e a maneira como as futuras eleições se realizariam.
    Naquela época eles já nos elucidavam a este respeito, sobre o voto nulo e branco.
    Eu, sempre que tive oportunidade, procurei esclarecer um pouco esta questão com àqueles mais próximos a mim.
    Você mandou bem em compartilhar informação tão importante.
    Parabéns.

  • http://twitter.com/Vinigalaverna Vinicius Galaverna

    O Problema é que é muito mais fácil votar nulo “em protesto” do que procurar um candidato sério!!Por enquanto só tenho dois – @pliniodearruda e @aleyoussef

  • Tonnni1

    “Voto em branco vai para quem estiver ganhando…”

    Ele todo não, mas como diminuirá o total de votos válidos, cada voto nulo/branco diminui 0,5 voto necessário para se eleger… acaba beneficiando o candidato mais votado.

  • http://twitter.com/isabellaianelli Isabella Ianelli

    Muito bom, esclarecedor…!

    Eu ainda tinha dúvidas sobre o voto em branco… Nem imaginava!

    Deu vontade mesmo de colocar seu texto no PowerPoint pra atingir a galera das correntes dos emails! hehehe.

  • Mary

    Hum, muito bom!
    Quando recebia alguma destas correntes (especialmente aquela sobre a suposta nova votação decorrente de votos nulos), eu respondia algo muito semelhante ao seu texto.
    Finalmente leio algo sobre o assunto que não seja asneira. E que dispensa qualquer comentário da minha parte no sentido de esclarecer/corrigir/complementar.
    abçs

  • Mary

    Hum, muito bom!
    Quando recebia alguma destas correntes (especialmente aquela sobre a suposta nova votação decorrente de votos nulos), eu respondia algo muito semelhante ao seu texto.
    Finalmente leio algo sobre o assunto que não seja asneira. E que dispensa qualquer comentário da minha parte no sentido de esclarecer/corrigir/complementar.
    abçs

  • Mandaki

    Muito boa postagem também fizemos o mesmo alguns dias atras como disse nosso amigo se existe democracia pq eu sou obrigado a votar…eu gostria de votar somente quando eu achar que eu devo dar meu voto a alguém… não ter que ir perder meu tempo até a escola lotada e votar nulo ou em branco…pq eu sou obrigado a isso…para eles terem estatisticas de quantas pessoas não querem nada com nada…só para vcs verem estamos no mesmo caminho…shausuahsuahsuahsauhshua…

    http://wwwmandaki.blogspot.com/2010/07/leiam-e-interessantissimo-vamos.html

    http://wwwmandaki.blogspot.com/2010/08/eleicoes-2010-vote-nulo.html

    http://wwwmandaki.blogspot.com/2010/07/eleicao.html

  • Mandaki

    Muito boa postagem também fizemos o mesmo alguns dias atras como disse nosso amigo se existe democracia pq eu sou obrigado a votar…eu gostria de votar somente quando eu achar que eu devo dar meu voto a alguém… não ter que ir perder meu tempo até a escola lotada e votar nulo ou em branco…pq eu sou obrigado a isso…para eles terem estatisticas de quantas pessoas não querem nada com nada…só para vcs verem estamos no mesmo caminho…shausuahsuahsuahsauhshua…

    http://wwwmandaki.blogspot.com/2010/07/leiam-e-interessantissimo-vamos.html

    http://wwwmandaki.blogspot.com/2010/08/eleicoes-2010-vote-nulo.html

    http://wwwmandaki.blogspot.com/2010/07/eleicao.html

  • Gaby Rodrigues

    Muito bom o texto.

    Direito Eleitoral, de fato, não consta na minha grade mínima.
    Triste, cara.

  • Gaby Rodrigues

    Muito bom o texto.

    Direito Eleitoral, de fato, não consta na minha grade mínima.
    Triste, cara.

  • http://twitter.com/000ikan Kan

    Justificar o voto teria o mesmo resultado? Em relação a segurança do equipamento, bastaria o sujeito implantar um rootkit.

  • http://www.facebook.com/people/Maximo-Leopoldo-Arruez-Pereira/100001488710285 Maximo Leopoldo Arruez Pereira

    ok, já havia visto um artigo similar em outro blog, mas analizando todo o contexto, o que aconteceria se os eletores deixassen de votar, quero dizer, realmente não ir, ficar em casa, isso já não seria o suficiente para alguma mudança?
    Desta forma algumas mudanças teriam que ocorrer….

    Pensen nisso

  • Dinei Jr.

    mas deixar de votar é ilegal. Protestos não precisam ser fora da lei, não ir votar apenas traria dores de cabeça.

    Adorei o texto cara, estou no primeiro ano no curso de Direito e é justamente o que estou tendo de matéria. Parabéns a Papo de Homem

  • Dinei Jr.

    mas deixar de votar é ilegal. Protestos não precisam ser fora da lei, não ir votar apenas traria dores de cabeça.

    Adorei o texto cara, estou no primeiro ano no curso de Direito e é justamente o que estou tendo de matéria. Parabéns a Papo de Homem

  • Dinei Jr.

    mas deixar de votar é ilegal. Protestos não precisam ser fora da lei, não ir votar apenas traria dores de cabeça.

    Adorei o texto cara, estou no primeiro ano no curso de Direito e é justamente o que estou tendo de matéria. Parabéns a Papo de Homem

  • http://www.facebook.com/people/Andre-Coelho/1565253382 André Coelho

    Muito bom artigo, são coisas que não se vê todo dia na imprensa, e muito importantes.

    Vc podia fazer um também sobre o quociente eleitoral nas eleições proporcionais, ou “Por que quem vota no tiririca está ajudando a eleger mensaleiros?”

  • Anônimo

    mandou bem. é ótimo ver a juventude engajada na política e buscando uma forma de melhorar o futuro da nação pela via da ética e da honestidade. abraço.

  • Anônimo

    mandou bem. é ótimo ver a juventude engajada na política e buscando uma forma de melhorar o futuro da nação pela via da ética e da honestidade. abraço.

  • Anônimo

    mandou bem. é ótimo ver a juventude engajada na política e buscando uma forma de melhorar o futuro da nação pela via da ética e da honestidade. abraço.

  • http://www.facebook.com/VitorBustamante Vitor Nunes Bustamante Reis

    Obrigado.

  • Anônimo

    já disse pra vc o que acho mas vou reforçar … otimo artigo… totalmente esclarecedor e como disse vc poderia ter ficado só no politico mas deu aquela escapadinha par ao direito né (que eu sempre amo) por isso ficou completissimo parabens;;

  • http://www.rafael-olah.info/ Rafael Olah

    Da para deixar comoresposta automatica em todos os meus e-mais, recebo 1 milhão de e-mais depolitica todos os dias e tem chegado no meu e-mail principal também.

    Flw muito bom uma pena que tanto faz quem assuma a presidencia não é verdade, NOVA ORDEM MUNDIAL que comanda o mundo mesmo.

  • Anônimo

    acho que a maior polêmica é a falta de fontes confiáveis sobre o assunto.
    pq hj em dia acredita-se em power points recebidos por e-mail e tem gente que muda hábitos por causa disso e pior, gente que fundamenta suas opniões nisso.
    eu confesso que não tinha uma opnião formada sobre voto nulo ou em branco por não confiar nas minhas fontes (amigos, sites duvidosos, ursinhos saltitantes em power point) mas agora me sinto mais segura.
    obrigada pelo esclarecimento!!!!

  • Vinicius

    Muito bom..
    eu realmente vou mandar pra uma galera por email….

  • http://www.facebook.com/people/Rafael-Targino/1554431722 Rafael Targino

    Não sei quantas vezes já ouvi falar que o Brasil é um país de extremos…e realmente, a geração dos nossos pais lutou para se poder votar, enquanto agora discutimos se o voto deve ser obrigatório ou não. Dois extremos, nenhum dos dois corretos. Ainda temos muito o que aprender.
    Mas uma coisa eu venho pensando ultimamente em algo que li um tempo atrás (infelizmente não me lembro a fonte): a maior parte da população brasileira pertence a classe média. Qual a real influência de um governante na vida da classe média?
    Vocês realmente acham que sendo Dilma ou Serra o futuro presidente, teremos real impacto em nossas vidas? Acho que essa mentalidade de votar “no que melhor atenda aos seus interesses” é um tanto furada. Eu realmente não tenho a menor confiança na classe política, acredito que todos que chegam ao poder tem suas amarras e interesses. A Marina por exemplo, que dizem ser a candidata diferenciada, tem que atender a sua bancada religiosa. A mesma candidata já disse ser contra a pesquisa usando células tronco por ser contra as leis da igreja.
    Por isso acredito ser importante a possibilidade de votar branco ou nulo.
    Por fim, proponho ao Papo de Homem no ano que vem acompanhar as ações do candidato mais votado do Brasil, e mostrar aos imbecis que votarem no Tiririca só por pirraça a besteira que fizeram.

  • Anônimo

    Diante do atual Cenário Político, cercado por mentiras e escandalos, leva muitos eleitores a acreditarem que anulando seu voto…
    Vou Confessar…
    Eu pensava assim e iria anular meu voto…rs
    Mas agora vou fazer o seguinte, vou analisar cuidadosamente as propostas nao apenas dos principais cargos como Presidente ou Governador, afinal nestas eleiçoes voteremos em Seis cargos publicos, portanto…
    Pra você, que assim como eu, pensa em votar nulo ou em branco uma dica, analise muito bem as propostas dos candidatos e valide seu voto, pois so desta forma você tera a chance de mudar este cenário, e se mesmo assim, depois que ler este artigo você ainda pensa em anular seu voto, fique sabendo que tomando esta atitude você pode ajudar a eleger candidatos que continuarão o que o governo antecessor vem fazendo e os escandalos, robalheiras e mentiras continuarão…
    #ficadica
    @paulophtm

  • Mat Roland

    Não é relevante que a atitude de votar nulo ,de determinada pessoa, influencie no resultado de uma eleição.

    O que VERDADEIRAMENTE importa é o MOTIVO/RAZÃO/CIRCUNSTÂNCIA que esta mesma pessoa está votando NULO.

    Se vai influenciar ou não nos resultados, pouco importa.
    Votar NULO é a liberdade pra dizer que todo o cenário político é uma farsa.

    • http://www.facebook.com/RmnCarneiro Ramon Carneiro Rodrigues

      Claro que importa! Votar nulo é como se você não tivesse votado. Os políticos não estão nem aí para o motivo que você está votando nulo, eles querem ser eleitos.

    • Nilson Gomes de Oliveira

      com certeza eu vou votar NULO !!!!!!

  • http://www.reflexoesmasculinas.com.br/ Shâmtia Ayômide

    Por mim eu nem votava. Por mim tanto faz eu estar na China de 1500 anos atrás, na Espanha, na Galiléia ou na Pérsia. O homem de verdade é ele mesmo em qualquer lugar, independente da situação política, como Marco Polo. Não é o tempo político e econômico que me define, talvez esse tempo defina a cabeça-ôca de marxistas, que só conseguem raciocinar de acordo com a economia.

    O Brasil não é uma democracia primeiramente por que o voto é obrigatório, segundo boa parte da população é analfabeta funcional, é como colocar capim para eleger as vacas que vão comê-lo.

    Para vingar uma democracia aqui, primeiramente deve-se mandar a elite intelectual(universitários, sociólogos ou resumindo: os comunistas) pastarem com suas opiniões e desobrigarem o voto. Não é de hoje que a população é tratada como um Gado a ser guiado pelos “iluminados” e “messias”: vacinações obrigatórias e medicações compulsivas sempre existiram na história desse pais.

    O discurso dos candidatos é homogenio: todos se pautam pela social-democracia, regime que afundou a Europa e está transformando ela aos poucos num califado islâmico. Os esquerdistas europeus parecem que gostam de serem enrabados por barbudos.

    Ah é, comprei um Jack Daniels algumas semanas atrás, e ainda tem mais de meia garrafa, já sabem o que vou tomar no dia das eleições. O teor de Álcool dessa bebida é de cerca de 40%.

    • Armando

      Caro Shâmtia:

      Esse Jack Daniels deve ser paraguaio, tá fazendo mal pros seus neurônios, deixando vc de miolo mole. Vc faz uma generalização descabida em relação aos marxistas, classificação por si mesma discutível. Aliás, vc costuma fazer uma geléia geral nas suas argumentações que beira o surrealismo. Como penso que Marx trouxe uma contribuição importante para o pensamento filosófico — e social e político — , visto a carapuça e faço algumas ponderações:

      - O próprio Marx, no seu leito de morte, ao ser visitado por um grupo que se autodenominava “marxista” questiona: “O que é isso, marxista? … Só sei que marxista EU não sou … ” Deixando claro que sua intenção nunca foi fundar uma doutrina, corrente, ou uma seita.

      - Essa postura é totalmente contra os postulados de Marx, que têm um conteúdo de crítica permanente pela Dialética. A grosso modo: toda tese encerra em si mesma a sua própria negação, e esse confronto entre tese e antítese produz uma síntese. Que se traduz em uma nova tese, e numa superação qualitativa. Esse ‘devir’ conduziria a realidade a um movimento de permanente transformação.

      - Como vc pode ver, isso é Filosofia pura. Na qual está contida a noção de avanço, de mudança social. O próprio Marx criticava o “materialismo vulgar”, que reduzia a questão social a uma visão puramente economicista.

      - Os “marxistas” ortodoxos, dogmáticos, fundamentalistas e sectários — que existem, de fato, são muitos e fáceis de se identificar —, são, em última análise, antimarxistas, portanto. Como acontece em geral com as ideias de liberdade e emancipação social, instrumentalizam Marx nas relações de poder, em prol dos seus interesses políticos imediatos, e meramente táticos:

      “O oportunismo taticista de Stálin, exigindo da teoria justificação direta de cada virada tática imediata na atividade do partido, criou condições extremamente hostis à elaboração teórica em profundidade: a teoria marxista, perdendo a capacidade de ‘criticar’ a prática deixou de se desenvolver. E os esforços no sentido de desenvolvê-la à margem de uma prática real produziram resultados altamente problemáticos” (André Piettre).

      - Esse “marxismo” reacionário é a contraface, o outro pólo de um mesmo fenômeno: o conservadorismo neoliberal. Este sim a verdadeira causa da derrocada, não só do capitalismo europeu, mas internacional, que desembocou na atual crise a partir do estouro dos ‘subprime’ americanos.

      - Faço aqui uma digressão: um dos maiores elogios já feitos ao capitalismo foi do próprio Marx, ao dizer que nele “tudo que é sólido se desmancha no ar”, chamando a atenção para a velocidade com que produzia mudanças; o considerava uma etapa importante no processo histórico do progresso humano. A social-democracia representou esse avanço, ao incorporar garantias aos trabalhadores e instituir o estado de bem-estar social.

      - O neoliberalismo reage contra a social-democracia justamente porque reconhece isso. No seu conservadorismo, propõe um retorno a um capitalismo primitivo, selvagem, de todos contra todos. Onde tudo que gera comércio, dinheiro e circulação de capital, inclusive a prostituição, o tráfico de drogas, contrabando, e toda a sorte de falcatruas, deve ser considerado atividade economicamente lícita. Mostrando quem, de fato, só consegue raciocinar de acordo com a economia.

      - Que mal pergunte: “homogenio” seria o quê … ? … Um gênio gay, talvez … ?

      • Armando

        Em Tempo:

        Quando menciono a existência de marxistas dogmáticos, fundamentalistas, etc., não me refiro à organizações, mas a indivíduos. Tanto nos partidos (não necessariamente de esquerda, inclusive) quanto nas universidades — e outras instâncias produtoras de pensamento e formadoras de opinião — há os que se inspiram em Marx de forma coerente com ele mesmo, ou seja: através de uma leitura crítica.

  • http://www.reflexoesmasculinas.com.br/ Shâmtia Ayômide

    Post-Script: Nessa brincadeira de social-democracia, na Ucrânia, para compensar a queda do número da população(e ao mesmo tempo frear importações de turcos barbudos), estão tentando criar um imposto para homens com mais de 25anos que ainda não tiveram um filho. Na Alemanha a falta de mão de obra, fez com que os analistas calculassem que seja necessário cerca de 300mil Turcos para cobrir essas vagas.

    Está na hora do homem-heterossexual pensar no seu futuro, ou terminará sendo enrabado pela coligação “feministas;social democratas;relativistas culturais”.

    Para quem quiser ler a noticia sobre a Ucrânia(usem o Google Tradutor): Тернопольский горсовет предлагает брать деньги с бездетных мужчин старше 25 лет

    • Armando

      Parafraseando Millôr Fernandes, eu sou homem e heterossexual convicto, e também sou bastante crítico ao relativismo. Mas essa afirmação — juntando coisas completamente díspares num bolo amorfo, disforme, como é hábito seu — é de um relativismo quase absoluto: “Por mim tanto faz eu estar na China de 1500 anos atrás, na Espanha, na Galiléia ou na Pérsia.”

      O oposto do relativismo pós-moderno é a ‘razão crítica’ vigente na modernidade. E ser crítico é justamente separar, diferenciar, definir, dar nome às coisas, classificá-las racionalmente. Para não me estender muito, recomendo a quem quiser ter uma noção mais clara do que vem a ser relativismo:

      http://antoniocicero.blogspot.com/search/label/Relativismo

      De fato, os chamados movimentos das minorias caem muitas vêzes num equívoco relativista. Para usar a imagem de um grande professor de Filosofia que tive, falta a linha para unir as pérolas e fazer um colar. Nesse campo, chama a atenção as posições da ensaísta e escritora Camille Paglia, que é mulher e gay: ao mesmo tempo em que atesta a validade desses movimentos, é bastante crítica em relação a algumas de suas posturas.

  • Anônimo

    Li esses dias um e-mail com essa corrente sobre o voto nulo! Quase…. quaaaaaaaase, acreditei! Ainda bem que sou leitora do PdH () e me livrei do encosto da ignorância que estava pairando sobre mim… Imagine, daqui a pouco, eu compartilhando uma idéia errônea com outras pessoas, pensando que estava abalando… What a shame!!!

  • http://twitter.com/lucmagium Lucas Prado

    A questão é que se os votos nulos chegassem a 50% de inválidos se criaria um clima tão tenso internamente, seria praticamente um escândalo político, e mesmo que não esteja na constituição se algum dia os votos nulos chegarem a esse ponto, tenho certeza de se criará uma revolta interna dentro do país e o presidente que foi eleito será deposto, por mais que isso não seja constitucional, aconteceria.

    Se por algum motivo conseguissem 50% de brancos, a eleição seria anulada por pressão interna e não pela lei brasileira. É nisso que eu acredito, mas não vou votar branco.

    • http://www.reflexoesmasculinas.com.br/ Shâmtia Ayômide

      Não é bem assim, voto nulo teoricamente não tem a intenção de invalidar a eleição.

      Voto nulo não é um instrumento para mudança de regime político.

      Em países de democracia genuína, geralmente tem altas taxas de não-votantes(oscilantes entre 40% e 60%), e ninguém está nem ai. Participa da merda da política só quem quer.

      O que vejo é que a desilusão dos brasileiros com a política faz eles verem o voto nulo como o único e último instrumento para expressarem seu descontentamento, friso que acho justo que o povo mostre seu descontentamento, mas por outro lado ele não percebe o quanto está encurralado, e o único meio de mostrar que não gosta de algo só surge de 4 em 4 anos!!!

      Se faz necessário que tenhamos visão para buscar solução além das alternativas medíocres e ridículas que os políticos nos oferecem, essas eleições de 4 em 4 anos são verdadeiras esmolas para a população, em termos de participação política.

      O cara me ferra durante 4 anos e tudo que posso fazer é esperar as próximas eleições e quem sabe talvez ele não seja eleito?

      Partindo desse principio algumas iniciativas como a do Wagner Menke(na questão de fiscalização de recursos) são bem mais eficientes que esperar as eleições, pois independente de quem esteja lá no poder, a população terá meios de manter o básico nos trilhos.

      • http://twitter.com/lucmagium Lucas Prado

        Teoricamente não existe nenhum outro motivo para pregar o voto nulo, se não for para mostrar descontentamento por que dizer: “EU NÃO GOSTO DE NINGUÉM DAI!”, o voto branco é isso.

        Em países de democracia genuína, não são votos nulos, eles só não vão por que não gostam. Mas aqui temos o voto obrigatório, uma escolha Brasileira.

        Não é a desilusão com a política, e sim a idéia que o Brasil é uma merda mesmo e sempre vai ser. É essa idéia que não nos leva pra frente. As pessoas hoje acreditam que não tem mais solução para o Brasil. Não sei se existem muitos outros métodos de uma população mostrar descontentamento, sair as ruas, greve geral? O problema é que acreditam que qualquer um que suba no governo não vai fazer porra nenhuma mesmo.

        O problema do Brasil sempre foi não se importar o sulficiente com a educação, quando chegarmos a 95% de alfabetização (se isso ocorrer), aí sim poderemos pensar em um Brasil desenvolvido, mas isso cria outro problema… Se nós quisermos crescer, ao meu ver, temos que acabar com o povo que é muito rico, e criar uma sociedade em que as pessoas possam pensar, não sobreviver. Só aí vamos conseguir reduzir a violência, melhorar a educação, melhorar a política e o brasil.

        Nosso progresso está ligado com o nosso povo, mas não investimos o bastante nele, não estamos preparados para viver melhor, preferimos alugar o Brasil.

      • Leon P.G.

        “Se nós quisermos crescer, ao meu ver, temos que acabar com o povo que é muito rico, e criar uma sociedade em que as pessoas possam pensar, não sobreviver.”

        Como seria isso?

      • P

        Os ricos são o problema? Os pobres são pobres porque o governo tem que chupar 50% do salário deles e os ricos têm muitos recursos por causa das oportunidades que tiveram.
        O Brasil tem jeito. Quando pararmos de encarar o próximo como o pobre, o rico, o branco, o negro, o índio, o católico, o crente, o asiático, o favelado; assim que nos vermos como BRASILEIROS, apenas.

      • Leon P.G.

        “Se nós quisermos crescer, ao meu ver, temos que acabar com o povo que é muito rico, e criar uma sociedade em que as pessoas possam pensar, não sobreviver.”

        Como seria isso?

      • Leon P.G.

        “Se nós quisermos crescer, ao meu ver, temos que acabar com o povo que é muito rico, e criar uma sociedade em que as pessoas possam pensar, não sobreviver.”

        Como seria isso?

  • Luiz Augusto

    E você ainda acredita em “plano de governo”?

  • Thomas Ostrowski

    Iria votar nulo, mas depois deste texto com certeza votarei para o Serra. Logicamente iria votar em nulo pq não tenho NENHUM candidato preferido, só sei que o Dilmão não pode ganhar, já que ela é preferida bora votar pro Serra pra tentar um segundo turno nessa merda…

  • Leandro Bispo Veras

    Olá,

    Sempre “achei” (achismo é sempre uma coisa deprimente!!!) que os votos nulos fossem vazios de qualquer conotação política, uma vez que a partir dele não é possível concluir se houve de fato uma intenção do eleitor de manifestar seu descontentamento com a política, com os candidatos, com as eleições, enfim, ou se simplesmente ele errou na hora de digitar (sou da geração das Urnas Eletrônicas). Por outro lado, sempre considerei o voto em branco uma forma de manifestação política deliberadamente clara e objetiva, ou seja, ele significa que o eleitor não quer, ou não gostou, ou não aprovou nenhum dos candidatos e/ou programas de governo que lhe foram apresentados. Mas esse é um assunto irritante, quanto mais leio a respeito, mais vejo que existe uma tendência a torná-los, o voto branco e nulo, equivalentes. Para mim, isso é péssimo, pois a maioria das pessoas que conheço está sempre votando no “menos pior”, segundo elas, e o voto em branco poderia surgir justamente como uma forma de o eleitor dizer que não está satisfeito com os candidatos (geralmente os mesmos – a reeleição mereceria ser revista para determinados cargos, como pode o sujeito ficar 4,5,6 mandatos como Deputado, Vereador?) que aí estão. Certamente não seria o meio mais eficiente (afinal, acompanhar de perto os políticos sempre será melhor forma de selecioná-los), mas de qualquer forma seria uma ferramenta a mais. Em várias eleições optei pelo voto em branco justamente para não ter que dar meu voto ao “menos pior”. Se de repente essa forma de pensar se espalhasse, talvez tivessemos uma renovação no nosso quadro político e não teríamos que aturar certos palarmentares que se perpetuam em seus “cargos” (o mandato acaba se tornando um cargo mesmo em muitos casos) eleição após eleição. Mas e legislação parece não ir nesse sentido. Enfim, nessas discussões surgem dois temas que merecem nossa atenção: a questão reeleição, como mencionei anteriormente, e a questão do voto obrigatório, que certamente está relacionado com a qualidade das eleições e, consequentemente, da nossa política.

  • ana mayara

    O texto está muito bom, de fato, há todos esses mitos percorrendo o imaginário coletivo e infelizmente ele é repassado a cada eleição, em conversas informais, e de tanto ouvirem, as pessoas acabam por acreditar nessas inverdades. Como já elogiei o texto devo apenas fazer uma ressalva a respeito do link do vídeo, esse video foi editado, digo isso porque a animação foi feita para uma campanha da cnbb que alertava sobre a compra de votos ou algo parecido. Percebe como no vídeo não há nenhuma referência a quem faz a campanha? Ele foi editado.

  • Anônimo

    Sua interpretação do Artigo 224 do Código Eleitoral é estranha pra mim.Onde está escrito que a “nulidade” mencionada só diz respeito aos casos mencionados nos artigos 220 e 221? Você consultou algum juiz ou advogado?

    Por exemplo: http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI1033586-EI306,00.html

    “Mauro Modesto Britto (PFL), ocuparia o cargo de prefeito, interinamente, até que o juiz eleitoral determinasse a realização de novas eleições, uma vez que a soma dos votos nulos com os 42,02% de sufrágios dados ao prefeito afastado (agora também anulados) é maior que 50%, conforme determina o artigo 224 do Código Eleitoral.”

    Para anulação das eleições, não importou se foram os votos anulados porque era “voto nulo” ou porque foram anulados porque o prefeito foi afastado.

    • http://www.facebook.com/people/Henrique-Fabretti/1296304088 Henrique Fabretti

      Ocorre que no art. 224 não está escrito que ele se refere aos artigos 220 e 221. Daí que surgem as confusões. O problema é que você nunca pode interpretar um artigo isoladamente.

      O art. 224 está inserido no capítulo “Das nulidades da votação”. Portanto, todos os artigos dentro deste capítulo dizem respeito a essas nulidades. Essas nulidades são trazidas no art. 220 – votação é nula – e o 221 – votação anulável. Não vou me ater a detalhes das diferenças entre nulidade e anulabilidade.
      O art. 224, inserido no mesmo capítulo, refere-se a essas nulidades (art. 220 e 221).

      Não sei se consegui explicar, mas ao interpretar uma lei você deve se utilizar de um sistema de interpretação. Existe uma matéria no primeiro ano de Direito apenas para ensinar a interpretar as normas jurídicas. Não é muito fácil explicar isso em um comentário.

      E não, eu não consultei um advogado ou juiz, mas fiz uma boa pesquisa tanto na lei como em doutrinas e códigos comentados.

      Inclusive, hoje ,via twitter, um ex-Procurador da República (espécie de “advogado do Presidente”) elogiou o artigo e indicou ele a seus seguidores. Não acredito que ele iria indicar e elogiar algo que contivesse algum erro grosseiro.

      • http://www.facebook.com/people/Marina-Meyer/100000161707933 Marina Meyer

        Calma lá… Vc realmente mandou mto bem no artigo (sou a Mary do comentário acima).
        Mas comparar um Procurador da República com uma “espécie de advogado do Presidente” é, sim, um erro grosseiro.

        Quero acreditar que tenha sido uma distração da sua parte, que a pessoa a qual vc estaria se referindo seja um Advogado da União ou o próprio AGU. Aí sim seria coerente.

        Procurador da República é membro do MPF, ou seja, não chega nem perto de “espécie de advogado do Presidente”.

      • http://www.facebook.com/people/Marina-Meyer/100000161707933 Marina Meyer

        Putz. Acabei de constatar que vc tava falando do Pedro Taques, que era Procurador Regional da República. Acredito que ele já não tenha ficado muito feliz com a sua resposta no twitter que ignorou a palavra “regional” (pesquise depois a diferença entre PR e PRR, vc é inteligente), de qualquer forma, torça para que ele não leia o comentário acima acerca das supostas atribuições de um PRR! abçs!

      • http://www.facebook.com/people/Henrique-Fabretti/1296304088 Henrique Fabretti

        Realmente foi um erro da minha parte.
        Devia ter pesquisado melhor.

      • http://www.facebook.com/people/Henrique-Fabretti/1296304088 Henrique Fabretti

        Quanto em chamá-lo de Procurador da República em vez de Procurador Regional da República foi por ter tomado como base o twitter dele que na bio diz apenas “ex-Procurador da República”. Somente depois que fui ver a biografia dele.

      • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

        Henrique, me passa por email as alterações necessários no texto, ok?

      • Anônimo

        Certo, depois de fuçar encontrei declarações oficiais do TSE dizendo que é essa a interpretação do Tribunal. Era essa a informação que faltava pra mim: algo que realmente comprove que é essa a interpretação atual dos artigos.

        A interpretação (e a explicação pra ela) ainda é confusa pra mim, mas se é isso que o TSE decidiu, não há muito o que discutir mesmo. Na minha opinião, essa era a informação importantíssima que faltou no post: a intepretação é essa porque é assim que o TSE resolveu interpretar. Nesse caso, mesmo que o TSE tenha sido incoerente, ilógico ou algo parecido, azar de quem discordar. :)

        Por exemplo, algo que ainda me confunde: as “nulidades” do artigo 224 se aplicam a esse caso?

        “Art. 175. § 3º Serão nulos, para todos os efeitos, os votos dados a candidatos inelegíveis ou não registrados”

        Segundo a lógica de “as nulidades só dizem respeito aos artigos 220 e 221, não seriam. Mas me parece ser um dos principais casos onde os votos anulados são considerados na contagem para aplicação do artigo 224.

        O caso de Seropédica – RJ também é confuso pra mim: o TSE diz que os votos “nulos” (não os anulados por fraude, perda da candidatura, e etc.) não importam, mas naquele caso eles foram contabilizados para justificar a aplicação do artigo 224.

      • P

        Também fiquei confuso quanto a isso. Achou alguma resposta?

  • Arilton Freitas

    Obrigado Henrique, artigo fantástico e super esclarecedor. Parabéns. Vamos tentar disseminar essa tão importante informação.

  • Moacir

    Numa sociedade democrática de direito, como cidadão eu me reservo no total direito de anular o meu voto. Não existe candidato, seja ele qual for, que seja merecedor do voto de um cidadão trabalhador. A implicação, no meu ponto de vista, dada a imbecilização dos candidatos, seja nos âmbitos municipal, estadual ou federal, é ao meu ver, isso sim, a degeneração do processo democrático. Srs, acho que precisamos de um “impácto profundo” na estrutura política, e no meu entender este impácto dá-se através de um quantidade significativa de votos nulos. Muito embora eu concorde com você, o voto nulo, elege a besta maior, mas para mim a menor e a maior é só uma questão de estar ou não no poder!

  • Moacir

    Numa sociedade democrática de direito, como cidadão eu me reservo no total direito de anular o meu voto. Não existe candidato, seja ele qual for, que seja merecedor do voto de um cidadão trabalhador. A implicação, no meu ponto de vista, dada a imbecilização dos candidatos, seja nos âmbitos municipal, estadual ou federal, é ao meu ver, isso sim, a degeneração do processo democrático. Srs, acho que precisamos de um “impácto profundo” na estrutura política, e no meu entender este impácto dá-se através de um quantidade significativa de votos nulos. Muito embora eu concorde com você, o voto nulo, elege a besta maior, mas para mim a menor e a maior é só uma questão de estar ou não no poder!

    • http://www.facebook.com/people/Henrique-Fabretti/1296304088 Henrique Fabretti

      Volto a repetir, o voto não é forma de protesto.
      Quer protestar contra o sistema, ajude a disseminar informações verdadeiras sobre os candidatos, vá às ruas brigar pelo fim do voto obrigatório ou pelo fim da reeleição.
      Mas não venha até as urnas pra protestar, pra mim isso é comodismo.
      O povo brasileiro protesta perante as urnas porque é obrigado a dirigir-se a ela.
      Se não fosse obrigado, nem esse tipo de protesto existiria.

  • Mariana

    jogador de rugby? Gostei…

  • Bizareli

    Ótimo texto, Henrique.
    De qualquer forma, creio que seria muito melhor que o voto não fosse obrigatório.

  • Eu

    Não confundam voto válido com voto consciente, nem voto branco/nulo com voto ignorante. São coisas diferentes.

    Henrique, se você acha que voto nulo não é protesto, é a sua opinião. No entanto, vivemos numa democracia, e na minha visão voto pode ser sim manifestação de descontentamento com a situação vigente. Posso votar nulo para defender a não obrigatoriedade do voto, para expressar discordância com as plataformas de governo apresentadas pelos candidatos, etc. Com o cenário político brasileiro atual, motivos é que não faltam para isso…

    Segundo o ordenamento jurídico em vigor, só sou obrigado a fazer ou a deixar de fazer algo em virtude de expressa previsão legal. E, pelo o que me consta, a legislação (ainda) não me proíbe de anular o voto. E não vai ser o seu texto que vai me coagir a votar em alguém.

    Se queremos consolidar a democracia como regime político no Brasil, precisamos, acima de tudo, permitir que as pessoas possam fazer escolhas reais. Ser obrigado a ir em uma urna e votar em qualquer candidato não é uma escolha real se não houver a possibilidade de não votar em ninguém, caso essa seja a decisão tomada pelo indivíduo. Ponto.

    A tentativa de desqualificar ou cercear essa possibilidade (atitude que o próprio TSE faz com frequência, por sinal) cria um paradoxo no próprio conceito de democracia, pois se atinge frontalmente a liberdade do cidadão no exercício de um direito.

    • http://www.facebook.com/people/Henrique-Fabretti/1296304088 Henrique Fabretti

      No artigo não tive a intenção de coagir ninguém, muito menos de fazer as pessoas deixarem de votar nulo.
      A intenção foi que, se quiserem votar nulo, pelo menos que tenham consciência de quais são as reais conseqüências.

  • Eu

    Ok, Henrique, coloquei a palavra “coagir” apenas para provocar…

    Entendo a sua crítica quanto aos tais efeitos jurídicos que uma expressiva votação em massa de brancos e nulos poderia causar numa eleição divulgados por aí na internet. Com certeza devemos analisar com cuidado as informações que nos chegam por esse canal, pois há muita coisa imprecisa e incorreta que anda circulando na rede. Mas não se esqueça que podem haver outros efeitos nesse caso, para além do aspecto jurídico, que não podemos precisar bem ao certo quais seriam, já que “nunca antes na história desse país” isso aconteceu. Dessa forma, apenas podemos elocubrar quais seriam as tais “reais consequências” que você cita… A realidade social é muito mais complexa do que nossos modelos de reflexão sobre ela…

    No entanto, quis apenas ressaltar no meu post que, independentemente dos efeitos que se queiram atribuir ao voto nulo, ele é uma possibilidade que o próprio estado democrático me proporciona, tão legítimo quanto o voto válido.

    Abraço!

    • http://www.facebook.com/people/Henrique-Fabretti/1296304088 Henrique Fabretti

      Concordo com você que o voto nulo é uma possibilidade legítima.
      E também concordo que não sabemos o que aconteceria caso houvesse uma adesão em massa ao voto nulo. Talvez houvesse uma grande reviravolta no cenário político, mas haveria também a possibilidade de nada mudar e um candidato com 20% de votos da população ganhar em primeiro turno – hipótese que eu acho mais provável.

  • Chongli

    Não existe nada ne lei eleitoral contra disseminação de informações falsas sobre o processo eleitoral?

    Parece-me fazer sentido essa omissão perante outra. O horário eleitoral tem 50 minutos de duração, sendo que certos partidos tem muito mais tempo do que outros, e mesmo assim não se tem tempo para educativos do processo eleitoral.

    Ora, se “formação acadêmica” não é requisito para direito ao voto, é minha opinião que a justiça eleitoral deveria veicular muitos informativos sobre o processo eleitoral, tanto dentro e fora do horário eleitoral.

    Todos têm “acesso” à letra da lei, mas poucos ao conhecimento delas

  • Richardson

    Excelente texto, bastante claro. Como seria possível cancelar uma eleição, se for possível?

  • André Carvalho

    Bom texto, meu caro. Infelizmente, (ou felizmente) terei que contrapô-lo.

    A dois anos atrás, após as eleições municipais, publiquei em meu blog o seguinte post: http://jornalismocomcerveja.wordpress.com/2008/11/10/o-voto-nulo-e-a-sua-credibilidade/

    Lá tu poderás encontrar os links para a seguinte notícia: http://eleicoes.uol.com.br/2008/ultnot/2008/10/26/ult6008u466.jhtm

    Que mostra que o voto nulo faz SIM a diferença!

    Como explicar este fenomeno?

  • http://twitter.com/MCF_SA MCF S/A

    Há alguns anos os 2 principais candidatos a prefeito de Novo Hamburgo foram cassados. Mas a cassação só ocorreu DEPOIS das eleições. Com isso, 80% dos votos foi considerado nulo e a justiça eleitoral marcou uma nova eleição alguns meses depois.

    Só que ambos candidatos poderiam ter se recandidatado. De fato, apenas o vencedor se recandidatou e ganharia com 70% dos votos, com o apoio simbólico do rival na primeira eleição que também discordava da anulação. Detalhe, era PT X PSDB.

    4 anos depois, o rival foi eleito prefeito.

  • Lucas Vieira

    Parabéns pelo artigo!
    Muito bem escrito e esclarecedor! Me ajudou a entender uma dúvida muito antiga.

  • Armando

    Penso que o debate nos comentários, surpreendentemente rico, superaram o conteúdo do texto, que é oportuno pela tema que aborda, esclarecedor em muitos aspectos, mas contém algumas lacunas. Talvez por tentar simplificar alguns pontos, já que o tema é, de fato, complexo.

    A que mais me chama a atenção é quando atribui a origem da crença de que o voto em branco beneficia o mais votado à votação em cédula, que poderia ser preenchida à revelia do eleitor, portanto era preciso ser anulada. Fui fiscal de apuração antes da urna eletrônica, essa possibilidade realmente existia, mas o texto não menciona o principal, na verdade: os votos em branco eram considerados válidos, nas eleições proporcionais (para o Legislativo), para o cálculo do Quociente Eleitoral — número de votos válidos dividido pelo número de cadeiras —, que determinava quantas cadeiras caberiam a cada partido. Isso beneficiava os partidos mais votados na medida que aumentava esse Quociente Eleitoral.

    Teria sido interessante também estabelecer a diferença de caráter entre as eleições majoritárias e proporcionais. E, como demonstra o debate nos comentários, a diferença, tanto no plano simbólico quanto no material, dos votos nulos e em branco. Que existem sim, e são importantes, como mostra o artigo do jurista Orlando Isaac Kalil Filho, A Representatividade do Voto em Branco (para acessar, digitar no Google).

    Embora seja contra, aprendi a respeitar e considero legítimo quem vota nulo ou em branco, por razões de consciência. Gostaria de lembrar que votar na Marina (voto válido) também é uma forma de tentar garantir um segundo turno, condição para que haja um mínimo de debate, já que Dilma e Serra são muito parecidos (economistas, perfil técnico, origens de esquerda, alianças com a direita, etc.).

    A democracia — como diz Luís Fernando Veríssimo — é como andar de bicicleta: se parar de pedalar, cai. Não se esgota, portanto, no processo eleitoral. Mas o voto é a sua principal ferramenta, até numa eleição de condomínio. Nesse sentido, um grande avanço seria, na minha opinião, a criação do instituto do Recall, ou Referendo Revogatório: a possibilidade dos eleitores cassarem o parlamentar durante a vigência do mandato — com o devido quórum e dentro de parâmetros legais democráticos — quando este não esteja cumprindo com os anseios do eleitorado, cometa deslizes éticos ou se envolva em corrupção.

    Esse instituto já vigeu no Brasil nas primeiras constituições republicanas em vários estados, como no Rio Grande do Sul, no período castilhista, com o inconveniente de estar vinculado ao voto distrital. Tramita no Congresso um projeto encampado pela OAB nesse sentido. O senador Jefferson Peres, já falecido, deixou protocolada uma proposta interessante, apesar da sua complexidade, que prevê um plebiscito de confirmação dos mandatos majoritários, parece que foi arquivada.

    Nos links que seguem há duas matérias interessantes sobre o Recall:

    http://www.paranaeleitoral.gov.br/artigo_impresso.php?cod_texto=159

    http://www.midiaindependente.org/pt/red/2010/01/463512.shtml

    Aqui há um abaixo assinado em favor da medida:

    http://www.cezarliper.com.br/RecallBrasil.asp

  • http://www.facebook.com/people/Felippe-Alencar/100001141622064 Felippe Alencar

    Ow, de verdade, obrigado.

    Eu tava precisando bastante de algo do tipo.

    • Wagner

      Texto e comentários excelentes. Realmente, tirei muitas das dúvidas que eu ainda tinha. Mas gostaria de colocar aqui dois pontos: se o voto branco e nulo hoje são iguais, porque eles ainda existem? Com a urna eletrônica seria muito simples trocar o botão de ‘Branco’ para ‘Inválido’ e impedir o eleitor de digitar e confirmar números inexistentes (isso nos leva também à discussão da obrigatoriedade do voto, uma vez que o voto inválido não é contabilizado, porque obrigar o eleitor a comparecer às urnas em primeiro lugar?) O outro ponto seria o significado desse voto inválido. Apesar de todas as críticas ao voto nulo, na minha opinião votar no candidato A porque ele é o “menos pior” ou votar no candidato B para o A não ganhar é muito pior. O voto inválido representa que, na opinião do eleitor, nenhum daqueles candidatos, com suas respectivas propostas de governo, o representa de maneira adequada. Isso deve ser possível, afinal não é uma democracia? Eu tenho que ter uma maneira de falar que nenhum dos candidatos irá me representar da forma como eu quero. No caso de uma eleição ser ganha por votos inválidos, mesmo o candidato com maior número de votos válidos sendo eleito, ele não representaria a vontade da maioria da população, o que fere o princípio básico da democracia. Portanto, ele pode até continuar no cargo, mas com certeza não terá nenhum poder político.

  • http://www.facebook.com/people/Gil-Guido/100000635430713 Gil Guido

    Concordo com aqueles que utilizam o voto nulo com mais uma forma de protesto. Continuar votando no canditado menos pior já provou que não muda nada. Não há como negar a enorme repercussão que causaria a votação em massa de votos nulos.
    Quanto ao voto facultativo independente de qualquer ponto negativo, ele é sem sombra de dúvida melhor do que o sistema atual. Prova disto é que é utilizado em mais de duzentos países de todos os níveis ao passo que o sistema atual é minoria.

  • Moacir

    Olá Henrique, muito embora haja divergência em nossa opnião, parabenizo a você pela iniciativa, e percebo que ainda há muito a ser discutido sobre esta questão tão polêmica, encontrei opniões opostas colocadas com clareza e inteligência, isto ainda me faz crer numa sociedade democrática. Parabéns por disponibilizar um espaço para esta discução!!!

  • Bernardo

    Bem esclarecedor, valeu pela informação.

  • oitodois.org

    Tá, então me fala uma coisa: E SE EU NÃO ACHO NENHUM CANDIDATO ÁPITO AO CARGO?
    O que eu faço sr. Henrique?

    Quando se vota em branco, é como dizer que você está indeciso e não sabe quem é o melhor candidato. O simbolismo do voto nulo é dizer que você não concorda com nenhum candidato! Pior acho, votar no menos pior!

    Confesso que não sei se há alguma diferença entre nulo e branco no processo eleitoral, mas ao digitar um número e ver que na urna aparece ERRADO, é gratificante apertar CONFIRMA!

    http://porqueeuvotonulo.blogspot.com

    http://www.oitodois.org

    OITODOIS

  • Brother

    Digamos que aqui no Pdh houvesse uma votação para mudança do conteúdo do portal, e que tivessemos 3 candidatos com as mesmas propostas, uma delas seria retirar a participação das mulheres.
    E se colocasse em votação, e nós internautas homens e mulheres discordássemos dessa postura, votaríamos em um dos 3 ? mesmo sabendo que eles não estão sendo sensatos ? ou simplesmente não votaríamos em nenhum, fazendo-os repensarem nas propostas, ou melhor mudando os 3 candidatos para algum que compreendesse as nossas vontades da permanência.
    Ou abandonaríamos o portal caso persistissem com a ideia nefasta?!!!
    Acontece caros leitores que um político tem que no mínimo ter caráter e virtude, isso está longe dos conchavos que são feitos, além de não sabermos mas nada sobre que ideologias seguem, só existe situação e oposição.
    Então votar e não poder cobrar, nos torna simplesmente marionetes de um jogo de interesses, e é esse o cerne da questão.
    Quanto ao voto obrigatório, creio que existe um equívoco, não somos obrigados a votar, somos sim obrigados a comparecer ao local de votação, e existe uma distância absurda entre comparecer e ser obrigado a votar.
    Então não me importo em ser por enquanto minoria, mas jamais votarei em alguém que eu não possa cobrá-lo de forma pública até para poder olhar no rosto de um ser medíocre que se locupleta com o nosso suor, através do nosso trabalho como se fossem seres ” superiores “.

    Obrigado pelo espaço.

  • Jaleco

    Gostei, bastante esclarecedor, só não sei se vou votar Branco ou Nulo, exceto pra Presidente, pois sou Marina, e uma pena não termos o tiririca aqui no RJ, seria uma ótima opção.

  • http://pulse.yahoo.com/_BQUCFVD2C7JUYF5UD4ZQWWNPWE Juarez Antonio

    Vlw pelo esclarecimento… já recebi uma pancada de correntes me incentivando a votar NULO p/ser feita nova eleição… tstststss Tá BRABO!

  • Francisco

    Deixa eu ver se entendi.
    Voce está querendo me dizer que não devo demonstrar meu descontentamento com os políticos atuais e que devo votar no menos pior? Mesmo que ele não represente o que eu considero adequado para governar?
    O engraçado é que voce se esqueceu de mencionar (muito convenientemente diga-se “En passant”) que os candidatos com menor votação terão um desempenho melhor pela diminuição dos votos válidos. Uma vez que os candidatos menos conhecidos terão sempre eleitores fiéis.

    Estou começando a pensar em : Copiar esse texto, colar em um PowerPoint, adicionar uns GIFs de ursinhos pulando ao som de Justin Bieber e repassar pra todos aqueles meus amigos chatos que não param de me mandar correntes com esse mesmo discurso retrógrado da época da ditadura por email. E não se preocupe. Não me esquecerei de colocar a fonte e um link para os que são inteligente ridicularizarem PdH e Henrique Fabretti Moraes.

  • Armando

    Para atualizar meu último comentário: como estava quebrado o link que eu tinha para o texto do projeto do senador Jefferson Peres, aliás, exemplo de político sério e digno — já que estamos muito críticos é bom ressaltar o outro lado —, que prevê plebiscito de confirmação dos mandatos majoritários, este que segue está dando acesso:

    - http://legis.senado.gov.br/mate-pdf/862.pdf

    Tramita no congresso um texto alternativo que cria novos instrumentos de democracia participativa, na mesma linha do Recall, juntando o melhor de outras três propostas de emenda constitucional — inclusive a do senador Peres —, apresentado pelo senador Pedro Simon, como informa esta matéria:

    - http://vgnoticias.com.br/noticia.php?codigo=7440

    Ainda quanto ao voto nulo ou em branco, seria interessante registrar que no ensaio acima citado, A Representatividade do Voto em Branco — considerando que nas eleições proporcionais são em muito maior número que nas majoritárias, e expressam uma rejeição do eleitor a todos os candidatos, já que não se sente representado por nenhum deles —, o autor propõe que sejam suprimidas um número de cadeiras proporcional aos votos em branco.

    Seria a forma mais rigorosamente democrática de manter uma correspondência entre a vontade desse eleitor e a representação no parlamento. Penso que com isso aquêles que anulam o voto como protesto passariam a votar em branco. Associada à não-obrigatoriedade e a validade dos votos em branco nas majoritárias estaríamos mais próximos da expressão de uma democracia plena.

    Quando li esse post pela primeira vez fiquei, cá com meus botões, imaginando uma grande campanha do PdH — com a sua audiência e capacidade de mobilização, e fazendo jus ao seu perfil ‘saco-roxo’ — em prol da aprovação do instituto do Recall no Brasil …

  • Caiorodro

    Poxa vida, um voto em branco ou nulo deveria servir para não aceitar nenhuma das opções de voto, e não para favorecer um candidato popular nas pesquisas.

    Que injusto!

  • Fabio Araújo Grajaú-MA

    Com certeza não sou tão intelectual quanto vocês, nem estudei tanto para isso porque aqui nem tem mesmo. Mas fiz o q pude, lendo muitas literaturas. Mas me preocupo muito com a dignidade do meu povo(maranhão) ,com o futuro do meu estado querido que tem tantos problemas mas que é lindo por natureza,que tem uma população em mais 40% são analfabetos e outros 10% que só querem se beneficiar desses 40% analfabetos,’os políticos no caso’(irônico não?).Sofremos ha meio século no comando de uma família que atualmente é nossa carrasco(SARNEY). Infelizmente me sinto de mãos atadas. Espero um dia poder mudar de certa forma a realidade deste estado que é cheio de belezas naturais, povo honesto e trabalhador. Emociono-me quando penso no meu povo, que é tão carente de informação, educação, infra-estrutura, saúde, segurança..etc. Indgno-me mais ainda, quando penso que existe pessoas capazes de mudar tudo isso e não fazem nada.(os políticos).Fábio Araújo dos Santos.fabioattila@hotmail.com

  • Fabio Araújo

    Com certeza não sou tão intelectual quanto vocês, nem estudei tanto para isso porque aqui nem tem mesmo. Mas fiz o q pude, lendo muitas literaturas. Ma ds me preocupo muito com a dignidade do meu povo(maranhão) ,com o futuro do meu estado querido que tem tantos problemas mas que é lindo por natureza,que tem uma população em mais 40% são analfabetos e outros 10% que só querem se beneficiar desses 40% analfabetos,’os políticos no caso’(irônico não?).Sofremos ha meio século no comando de uma família que atualmente é nossa carrasco(SARNEY). Infelizmente me sinto de mãos atadas. Espero um dia poder mudar de certa forma a realidade deste estado que é cheio de belezas naturais, povo honesto e trabalhador. Emociono-me quando penso no meu povo, que é tão carente de informação, educação, infra-estrutura, saúde, segurança..etc. Indgno-me mais ainda, quando penso que existe pessoas capazes de mudar tudo isso e não fazem nada.(os políticos)

  • Fefedj

    eu diria isso aos candidatos http://www.fefedj.hpg.com.br/fefe_p_vc.jpg tambem pouco me lixo pra esse lixo todo…

  • http://cerberus1746.site90.com/ Leandro Benedet Garcia

    É, realmente, eu não sabia dessa informações, como sou ainda de menor meu voto é facultativo, eu sempre pensei que quando eu fizesse 18 eu sempre votaria em nulo ou branco, mas pelo visto eu estou certo ao começar a ver debates e saber um pouco dos planos de cada politico.

    Mas enfim, não importa qual politico se eleja, o povo tem o direito e dever de cobrar. Politico se elegeu e não cumpriu nenhuma das promessas? Vamos cobrar minha gente!

  • Hbonafini

    em primeiro lugar,gostaria de parabeniza-lo por essa informação eu que iria anular meu voto ja no primeiro turno,parabéns vc esclareceu varias coisas para mim,é de pessoas assim que nosso pais realmente precisa,vc sera sem duvida um dos melhores advogados desse pais,parabéns….rosi

  • http://eduardofarias.myopenid.com/ Eduardo

    Interessante é que tu explica o “voto em branco vai pra quem tá ganhando” e não se deu conta! =D
    Primeiro, quem fazia as contagens das cédulas não podia escrever nelas, não haviam canetas e sim uma porrada de fiscais, as urnas, lacradas, eram abertas só nos locais de contagem, mas tudo bem, eu explico usando a matemática:

    Num universo de 100 votos:
    Se o candidado A possui 49 votos e possuímos 0 votos em branco, matematicamente ele não está eleito
    Agora, se há 3 votos (pra facilitar a conta) em branco sim. Ou seja, a partir do momento que tu vota em branco a quantidade de votos que o primeiro colocado precisa para se eleger é menor.

    • http://www.facebook.com/marcotuliopires Marco Túlio Pires

      Por que ele não seria eleito? Se o total de votos válidos é 49 e o candidato recebeu todos, ele é eleito. Ou isso soa incoerente?

      Digamos que numa votação de 100 pessoas, 99 não compareçam para votar e o candidato A receba 1 voto. Nesse caso, o total de votos válidos é 1, e ele seria eleito.

      Agora, se 98 pessoas justificam o voto, o candidato A recebe um voto e o B outro, eles estão empatados. Nesse caso, elege-se o mais idoso. Parece razoável com o que está escrito na lei… não acha?

  • Brunokbc

    Internet é uma boa ferramenta de divulgação, pena que não tenha como escolher as informações boas para serem divulgadas, ou seja, qualquer um idiota escreve um monte de merda para tentar arrastar um monte de abestados eleitores de TIRIRICA e não existe um filtro que consiga restringir isso… Mas não vamos desistir nunca e um dia faremos uma verdadeira revolução política!!!! VOTO NULO SEMPRE, POIS TENHO O DIREITO DE NÃO ESCOLHER CANDIDATOS QUE NÃO POSSUEM SEQUER CAMPANHA DE GOVERNO!!!!

  • http://www.facebook.com/people/Luciano-Piccoli/100000318162886 Luciano Piccoli

    Sei que a eleição já passou, mas tô meio atrasado na leitura dos posts (são muitos agora por dia hehe).
    Esse vídeo explica de forma bem didática o que o Henrique escreveu. Vale pra conhecimento futuro.
    Abs.
    http://www.youtube.com/watch?v=F96ulSBA7Hc

  • http://twitter.com/SicaRegadas Sicilia Regadas

    Muito bom e esclarecedor tanto o artigo quanto as várias opiniões a respeito. Li todas.
    Mas isso nao muda minha opiniao quanto a meu voto nulo. O que acontece é que agora sei como funciona exatamente mas isso não faz com que eu aceite o candidato “menos mal” com medo do pior se eleger. Pra mim, os dois estao exatamente no mesmo patamar e, diferente da maioria e de acordo com uma pequena minoria, acho que o Nulo pode ser sim a melhor forma de protesto se conseguirmos fazer em massa. E para isso, deve começar de algum lugar nao é mesmo? Só que repassando as informações corretamente.
    ah, sou mulher mas vou acompanhar o “papo de homem”..rs
    Obrigada pelos esclarecimentos.
    Abraço

  • Carolmaiochi

    Então…seu texto é bacana e tal….mas está incorreto.
    Se a nulidade atingir a mais de metade dos votos do País nas eleições presidenciais (exemplo), os candidatos que causaram essa nulidade ficam impedidos de se candidatar novamente, vejam:

    Ac.-TSE, de 20.10.2009, no REspe no
    35.796; de 10.10.2006, no REspe no
    26.018; de 12.6.2007, no REspe no 26.140
    e, de 2.8.2007, no REspe no 28.116:
    impossibilidade de participação, na
    renovação do pleito, do candidato que
    deu causa à nulidade da eleição anterior.

    Pra quem tiver dúvidas…

    http://www.tse.gov.br/internet/CatalogoPublicacoes/pdf/codigo_eleitoral_anotado_9_edicao/codigo_eleitoral_anotado_9_edicao.pdf

    E voto NULO, isso sim pe voto de protesto!

    • http://www.facebook.com/marcotuliopires Marco Túlio Pires

      Eu gostaria de saber em quais casos um candidato pode provocar a nulidade de uma eleição. Poderia exemplificar?

      Se o candidato é legítimo, ou seja, não possui nenhum impedimento legal para se candidatar, não há como ele anular a eleição. O sistema é justo: se a eleição ocorre dentro da conformidade e os candidatos são legítimos, a eleição segue adiante, mesmo que todos votem nulo/branco.

      Se esse cenário absurdo/hipotético ocorrer, todos os candidatos terão o mesmo número de votos válidos, ou seja… zero. Nesse caso, a lei prevê que o mais idoso é eleito.

  • Henrique

    Excelente texto; muito bom mesmo, e extremamente esclarecedor. Pessoalmente, sou um seguidor do voto nulo, simplesmente porque ambos os candidatos me soam como idiotas e também porque não encaro o Brasil como um país pronto para a democracia, ressalvando que o próprio sistema democrático parece-me, a cada dia que reflito acerca dele, mais defeituoso: logo, meu voto nulo é um protesto não somente à patetice dos candidatos, mas também à democracia.
    O grande aprendizado que tiro daqui é, indubitavelmente, o fato de que não mais votarei nulo no primeiro turno!

  • Emir_Roosevelt

    Votarei em branco
    com a intenção de 50%+1 for em branco
    seja feita uma nova eleição
    pois nenhum dos candidatos me agradam agora no 2º turno
    estou certo pensando assim?

  • http://twitter.com/Emir_Roosevelt Emir Roosevelt

    Votarei em branco
    com a intenção de 50%+1 for em branco
    seja feita uma nova eleição
    pois nenhum dos candidatos me agradam agora no 2º turno
    estou certo pensando assim?

  • http://www.facebook.com/people/Mykaelle-Honorato/100000976196467 Mykaelle Honorato

    realmente, concordo com todos! Dúvida tirada…

    mas qe pena qe permanecerei com uma dúvida bem pior, ” a de quem votar” …
    pois os candidatos a presidência de nosso pais não mostram nada qe nos dê confiança em um pais melhor, pelo contrario… !

    (Politica sem opção)

  • http://www.facebook.com/marcotuliopires Marco Túlio Pires

    Excelente. Outro dia estávamos discutindo isso entre familiares. A conclusão que chegamos é que o voto nulo é um tiro no nosso pé e no da democracia. Essa atitude é egoísta (apesar de legítima) e não significa absolutamente nada para o país. Pode significar um protesto pessoal, mas a Lei brasileira é clara quanto a isso.

    Se a eleição ocorre dentro da legalidade, não temos o poder para anulá-la. Isso é coerente com o fato de que todos “assinamos” um contrato social com o sistema democrático que nos organiza. Se todos se negarem a votar, ou seja, negar escolher seus representantes, seria necessário repensar nosso sistema de governo… A história nos ensina que a escolha de representantes é mais edificante do que ditaduras ou monarquias cegas.

    Lutamos tanto para termos esse poder de escolha… Seria um erro infantil abrir mão dele anulando a oportunidade que temos para darmos a nossa contribuição. A verdadeira luta não ocorre nas urnas, no protesto abafado e sem valor do voto nulo. A luta é dentro de casa, no trabalho, com nossos amigos, na nossa vivência, nos nossos pensamentos. A luta é lenta. Mas é nela que formaremos uma consciência mais madura que proporcionará o aparecimento de candidatos cada vez melhores.

    Os candidatos são o reflexo do posicionamento geral de uma população, das suas famílias, das suas relações pessoais. Temos os candidatos que merecemos. Devemos cumprir nosso papel na esfera pessoal e principalmente na esfera civil, mesmo considerando os candidatos inferiores àquilo que acreditamos ser.

    Por mais corruptos que sejam os políticos para os quais apontamos os dedos todos os dias, essas pessoas estão lá, fazendo alguma coisa, pondo a cara à tapa. Faríamos diferente? Faríamos melhor? O que podemos fazer? Até que ponto nossas ações — a falta de cordialidade, o senso torto de honestidade, os abusos que cometemos — não descrevem exatamente os políticos que temos e os políticos que seríamos?

    É mais difícil se debruçar sobre o passado e o projeto político de cada candidato para formar uma opinião sobre qual é o merecedor do nosso voto, do que simplesmente assumir que todos são ruins. Votar em um candidato é difícil, fácil é anular.

  • http://profiles.google.com/johele Leandro J. Ramos

    Olá Henrique.
    Segue uma reportagem recentíssima a respeito da nulidade dos votos:

    http://www.gazetadopovo.com.br/vidapublica/conteudo.phtml?tl=1&id=1112554&tit=Itaperucu-continua-sem-prefeito-eleito-75-dos-votos-foram-nulos

    Em miúdos… sim, e possível termos novas eleições.
    Mas claro, num pensamento utópico, pois moramos onde?… entendeu né.

    Abraços.

  • http://www.facebook.com/people/Juliana-Maia-Soutelo/100001780006417 Juliana Maia Soutelo

    Não li nenhum comentário acima, portanto, posso ser repetitiva…Eu não voto nulo como tentativa de sabotar as eleições, mas sim porque me recuso a escolher uma destas opções…Não há ideologia partidária, há um conluio de bandidos lutando em benefício próprio…O que tem que mudar é o pensamento, a forma de votar, a forma de cobrar…Entrar o candidato mais popular, ou o azarão, é irrelevante neste momento político…(vide o líder do pc do b no aniversário do Maluf)…Voto nulo, porque não quero participar desta palhaçada, voto nulo porque não concordo com o que está aí…Voto nulo é uma escolha também, e quando há escolha não se deve falar em desrespeito a democracia, estou exercendo o meu direito. Pode parecer clichê, mas o meu voto é a minha arma e eu não dou a minha arma para fdp nenhum. E como qualquer outra cidadã, que paga imposto para kct, aliás, eu pago mais imposto por ano do que eu bebo (e bebo…), tenho direito de reclamar, pois é o meu dinheiro que está sendo mal administrado…O voto nulo é a solução? Não estou dizendo isso…Estou dizendo que ele é a minha opção e opção segundo a minha verdade…e como toda escolha deve ser respeitada democraticamente…

  • Ke_mila2

    Muito esclaredor! No entanto, gostaria de saber se as leis eleitorais também servem como base para eleições internas em repartições públicas? Neste caso, quando há uma única “chapa” ou candidato, o único jeito efetivo de demonstrar insatisfação seria montando uma segunda “chapa” ou se candidatando ao cargo? Na sua opinião, com excessão das eleições que envolvem a possibilidade de 2º turno, o voto em branco pode significar descontentamento para com os candidatos?

  • rodrigo carlos da silva

    meu o negocio é ficar em casa votar é fria cidadania é dinheiro no bolso
    ve os caras não ta nem ai pra essa porra de cidadania e democracia é coisa 
    de vacilão vamos fazer que nem Raul seixas o dia Q a terra parou ficar todos 
    em casa ja que não sabermos oque fazer nulo é palhaçada e em branco vai pra
    quem esta ganhando ou seja eles você nada nos samos muitos burros 

  • Ediemagal

    Penso que vivemos numa pseudo-democracia, é dito que temos o direito de votar, isto é uma inverdade, ficção, pois temos o dever de votar, o voto é obrigatório, salvo para parcelas ínfimas da população(vellhos e crianças). Pensem que caso não votem ou justifiquem este fato, o cidadão fica cerceado 
    (certidão negativa com a Justiça Eleitoral)  de uma série de direitos e acesso a serviços (financiamentos de bancos governamentais, pagamento de salários a funcionários públicos…). Isto é uma arbitrariedade, vejam o modelo americano, voto facultativo com pequena participação (direito do cidadão), apesar disso, é essencialmente democrático, participa quem quer, conforme o grau de engajamento, “consciência política” ou qualquer interesse que seja. Eu particularmente acho que por melhor que seja o candidato a cargo eletivo no Brasil, ele provavelmente sucumbirá ao sistema macabro que regula as relações neste meio. Eu acho que todos nós que estamos do lado de cá da urna devemos estar sendo vistos com o nariz de palhaço pelos que comandam este processo (diga-se Justiça Eleitoral, Congresso Nacional, Partidos Políticos…), seja financiando facínoras traficantes, seja ocultando as falcatruas de nossos candidatos. Como podemos acreditar na política, quando nossos representantes são o cúmulo do descaramento quanto a falta de decência, dignidade e compromisso com o bem comum. Em vez de corroborar com este processo prefiro me abster e não interferir nesta maracutaia chamada política, por isto, voto nulo, voto no protesto quanto ao que está estabelecido, e não me venham os moralistas apregoarem que não estou sendo cidadão, claro que estou, acho  que a mudança passa por um maior poder de indignação dos brasileiros,   quantos corruptos de carteirinha, condenados retornam a Brasília depois de alguns anos, com o poder de controlar a vida de todos nós, cidadãos, o CURRAL ELEITORAL, literalmente!!!!!

  • J.Vidal

     

     

    VOTO NULO É PROTESTO SIM!

     

    A Constituição Federal de 1988 diz em seu art. 7º IV: ”
    salário mínimo , fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a
    suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação,
    educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social,
    com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo, sendo vedada sua
    vinculação para qualquer fim.”

     

    Portanto, segundo a própria CF/88 o salário mínimo é
    inconstitucional, uma vez, que não atende as necessidades explícitas em sua
    redação. Pois bem, a partir daí presume-se que se pode entrar com uma Ação
    Direta de Inconstitucionalidade, as chamadas ADINs. Para nossa surpresa os
    legisladores redatores da Magna Carta, que são os políticos eleitos, criaram O
    Princípio da Reserva do Possível. Trata-se de um Princípio que diz: o governo
    só pode gastar o possível e o possível só permite um salário mínimo de R$
    622,00 no exercício de 2012.

     

    Perceba que a tecnologia progride,outras ciências também, as
    industrias e tudo mais que seja um meio de captação capitalista. Mas o discurso
    dos políticos continua sendo filosoficamente pautado em uma frase de Bertold
    Brecht: “o pior analfabeto é o analfabeto político”.

     

    Esquecem-se que Brecht 
    também se referiu a Ética na Política. “a Inteligência Ética nega o
    cinismo e a indiferença social, pois precisamos ler o mundo com a clareza da
    responsabilidade. Busca-se lutar contra a reclusão social derivada do medo e da
    paralisia diante da negação de si e do Outro. Entende-se que é preciso
    denunciar o Mal do analfabetismo ético e político” (Bertolt Brecht).

     

    A única arma popular viável no momento é o voto e aquele que
    comparece às urnas está legitimado pela CF/88, portanto, não é irresponsável.
    Com o seu direito de voto pode votar em qualquer uma das alternativas
    possíveis:  – voto válido; nulo ou em
    branco.

     

    No momento não se dispõe de nenhum político candidato ao
    legislativo que mereça ser votado. Algumas saem em defesa de certos políticos
    alegando ser estes honestos. Mas, diz o adágio popular que “quem com porco
    vive, farelo come!”.

     

    Com certeza se não houvesse tanto dinheiro envolvido os
    políticos que se dizem probos com 
    certeza diriam: ” vou retirar-me deste ambiente de corruptos”
    , entretanto como jorra muita grana com a corrupção estes que se dizem íntegros
    se não lesam os cofres, fazem vistas grossas para aqueles que lesam.

     

    Nosso Código Penal prevê duas formas de se cometer um crime,
    uma comissiva e outra omissiva. Claro está que aquele que não denuncia a
    prática de um crime também o comete por omissão.

     

    Agora vejamos na prática com anda a infraestrutura. Como
    estão as ruas, as calçadas, as praças públicas, as escolas, as estradas, as
    viaturas públicas etc.

     

    Por outro lado, como anda a educação, a saúde, a habitação,
    a segurança, o meio ambiente, a distribuição de renda, a igualdade social etc.

     

    Façamos uma analogia. O Japão em menos de dois anos já
    recuperou 95% do que foi destruído pelo Tsunami. Em contrapartida aqui no
    Brasil os políticos passam dois, três, quatro mandatos e sequer constroem uma
    calçada ou uma escola. Legislam em causa própria e em benefício da classe que
    financia suas campanhas.

     

    Devemos votar sim, naquele político que seus familiares se
    utilizam do SUS e das escolas públicas. Se tudo está funcionando tão bem porque
    eles e seus familiares não se utilizam destes serviços?

     

    A situação obriga a população usar sua única arma
    disponível, o voto.

     

    O voto nulo é um voto de protesto de insatisfação e não de
    irresponsabilidade como muitos pregam.  Quanto
    menos votos válidos houver, mais eles perceberam o número de insatisfeitos.
    Embora na prática isso não aconteça, os políticos se  sentirão sem legitimidade e consequentemente irão
    ser forçados a trabalharem, ou correm o risco de nunca mais retornarem ao poder
    legislativo  ou ao  executivo. Isso para eles seria a penalidade
    máxima.

     

    O voto nulo no momento é a bola da vez!

     

    J.Vidal

    • Ediemagal

      Texto claro e com ótimos argumentos, parabéns!!!! A política brasileira necessita de uma faxina ética! Voto nulo por não querer comprar este peixe podre, exerçamos o nosso poder de escolha, não somos obrigado a comer peixe(políticos em geral), variemos o nosso cardápio!

  • http://twitter.com/tiagomx Tiago.Mx

    eu prefiro ficar em casa. os políticos que resolvam seus problemas. minha solução faço com as mãos. fodam-se todos!

  • Brasil

    E nos casos que existe apenas um candidato, é possível de alguma forma anular a eleição, pois se a pessoa não votar naquele candidato ela só tem uma opção, anular…

  • Bekian

    Como voce me explica isso ?

    26/10/2008 – 07h27No Rio, eleições de Bom Jesus e Santo Antônio são anuladasThyago Mathias
    Especial para o UOL
    Do Rio de Janeiro
    Durante visita a Campos dos Goytacazes, neste sábado (25), o presidente do TRE-RJ, Tribunal Regional Eleitoral do Rio, desembargador Alberto Motta Moraes, informou que as eleições de primeiro turno em Bom Jesus do Itabapoana e Santo Antônio de Pádua foram anuladas. Os dois municípios do Noroeste Fluminense terão novas eleições, em data ainda a ser definida pelo tribunal, porque a presença de irregularidades eleitorais nas principais candidaturas levou a que a de votos nulos e anuláveis fosse superior a metade do total.

    “Em Bom Jesus do Itabapoana, já está definido que haverá eleição suplementar. Em Santo Antônio de Pádua, dependemos de definição do TSE, mas tudo indica que vai haver nova eleição. Em Bom Jesus, os votos nulos e os anuláveis foram de 80%. Se os votos anuláveis somarem mais de 50%, tenho de fazer nova eleição”, declarou o desembargador, à imprensa.

    • Nanda

      Os dois municípios do Noroeste Fluminense terão novas eleições, em data ainda a ser definida pelo tribunal, PORQUE A PRESENÇA DE IRREGULARIDADES ELEITORAIS NAS PRINCIPAIS CANDIDATURAS levou a que a de votos nulos e anuláveis fosse superior a metade do total.

    • Nanda

      continuando a matéria:

      Dentre os 26,8 mil eleitores registrados em Bom Jesus, o candidato João José Pimentel (PTB) recebeu apenas 1.492 votos, mas foi declarado vencedor do primeiro turno. Isso, porque os votos dados a Branca (PMDB) e Paulo Sérgio Cyrillo (PSB), que tiveram problemas com seus registros de candidatura, FORAM COMPUTADOS ENTRE OS NULOS, que chegaram ao total de 89% dos votos.

      Já em Santo Antônio de Pádua, 60% dos votos foram contabilizados como nulos. Neles FORAM INCLUÍDOS OS RESULTADOS DE José Renato Padilha (PMDB) e Zequinha do Sebrae (PT), que também tiveram as candidaturas impugnadas. O município tem 31,2 mil eleitores registrados, mas a candidata Maria dib Mansur (PP) foi considerada eleita, com 10.074 votos válidos.

      http://eleicoes.uol.com.br/2008/ultnot/2008/10/26/ult6008u466.jhtm
      Tem que ler a matéria toda com atenção!

  • Rick

    Muito bom artigo, soube desenvolver um excelente texto, com ideias objetivas e com ótima coesão das palavras. Acessem também http://estful.com.

  • Zé Peixoto

    Análise:
    (a) não dá pra votar em candidato nenhum, porque nenhum presta.
    (b) não dá pra não ir votar porque a gente é obrigado.
    (c) quem presta não quer se candidatar para não entrar na sujeira.
    Conclusão:
    Parágrafo único: Tamo fudido!

  • http://www.facebook.com/valdelice.cunhagarcia Valdelice Cunha Garcia

    Esclareceu mas não convenceu! Qual a opção que nos resta? Onde fica o direito do eleitor se não confiar em nem um dos candidatos? Que porcaria de lei é está que só beneficia um dos lados? E se todos os candidatos forem corruptos? A culpa de te-los elegido não é do eleitor? Se estes políticos corruptos revelassem na íntegra quem são de verdade, alguém confiaria seu voto? Em véspera de eleição todos são santos. Simplificando os artigos: SE CORRER O BICHO PEGA, SE FICAR O BICHO COME! Então se é realmente assim que funciona, teremos que lutar com unhas e dentes para mudar esta lei que só beneficia, injustos, … . A cada dia que passa, aumenta minha indignação!

  • http://www.facebook.com/valdelice.cunhagarcia Valdelice Cunha Garcia

    Esclareceu
    mas não convenceu! Qual a opção que nos resta? Onde fica o direito do
    eleitor se não confiar em nem um dos candidatos? Que porcaria de lei é
    está que só beneficia um dos lados? E se todos os candidatos forem
    corruptos? A culpa de te-los elegido não é do eleitor? Se estes
    políticos corruptos revelassem na íntegra quem são de verdade, alguém
    confiaria seu voto? Em véspera de eleição todos são santos.
    Simplificando os artigos: SE CORRER O BICHO PEGA, SE FICAR O BICHO COME!
    Então se é realmente assim que funciona, teremos que lutar com unhas e
    dentes para mudar esta lei que só beneficia, injustos, … . A cada dia
    que passa, aumenta minha indignação!

  • http://www.facebook.com/Thiago.Kobe Thiago Kobe Freixo

    Maravilhoso texto!
    Já compartilhei.

  • Maria Luiza

    Estou fora do Brasil, mas quero que meu filho saiba que atitude tomar diante desta imoralidade que ocorre em nosso país, qual é a informação verdadeira sobre como votar? Eu acreditava que o nulo seria a melhor opção e agora?

  • cindyaz

    Adorei a parte do PowerPoint com os ursinhos!!! Hilario!

  • Sócrates

    é preciso abrir precedente para mudar a lei.
    agora pensa se 51 % da populaçao vota nulo, voce acha que a legitimidade do candidato nao vai ser questionada?

    http://tre-pe.jusbrasil.com.br/noticias/1460915/tse-esclarece-sobre-municipios-com-votos-nulos-acima-de-50

  • Ivaldo Gomes

    Deixem a gente votar nulo!
    Será que nem pra isso essa liberdade que dizem que a gente tem não vale?
    Vocês deviam gastar esse tempo de vocês, tentando convencer a gente em
    votar nesses candidatos a corruptos que estão ai, mostrando claramente
    como é que a gente controla quem a gente elege. Como não podem fazer
    isso, ficam aqui nos pedindo o impossível. Votamos nulo por convicção de
    que isso que está ai só vai se degradar até o dia que criarem coragem
    pra mudar as coisas por aqui. O problema é o comodismo da maioria dos
    brasileiros, a sua ignorância e claro, os vendidos ao sistema. Os que
    tiram proveito de tudo isso com cargos e benesses. Vamos continuar a
    nossa campanha e vamos votar nulo nessa e nas próximas eleições. Se
    estão incomodados com nossa campanha é porque está funcionando. http://candidatoninguem.blogspot.com.br/

  • Alceu

    Grato pela informação útil.

  • http://www.facebook.com/duvogt José Vogt

    Prezado Henrique. Acho que você matou uma aula muito importante na faculdade. É a vontade do povo que confere legitimidade à norma, à lei. Nada é mais soberano do que a vontade popular. Não importa a nova lei ou o parecer do TSE ou qualquer outro órgão. Qualquer eleição onde a maioria absoluta votar em branco ou nulo, terá sua legitimidade democrática seriamente comprometida. O resto é papo pra boi dormir!!!

  • http://www.facebook.com/duvogt José Vogt

    Prezado Henrique. Acho que você matou um aula importante na faculdade. É a vontade do povo que confere legitimidade à norma, à lei. Se a maioria absoluta votar em branco ou nulo, a legitimidade democrática desse pleito estará seriamente comprometida. Não importa o que o TSE ou qualquer outro órgão possa determinar. O resto é ” papo pra boi dormir “.

  • http://www.facebook.com/yalle.paixao.1 Yalle Paixão

    O Voto Nulo não resolve e votar no sistema atual Eleitoral não funciona também, você tem um Candidato supostamente “bom” porém ele é de uma coligação X, Eu voto nesse possivel “bom” candidato, ele perde por que tem pouco tempo na TV e pouco dinheiro para campanha porque não faz parte do esquema. Então meu voto vai ajudar a eleger o bandido da coligação dele que eu não tenho nenhuma afinidade. Então votar também não resolve. Ou muda a leia ou votar é só para eleger os mesmos.

  • spl

    spl ~ Votar em candidato analfabeto, como protesto não resolve, a unica forma de mostrar que não estamos satisfeitos é votar em branco ou anular

  • Macaco John

    Excelente Video.
    Este também é muito bom
    http://www.youtube.com/watch?v=uVToWuMEGDQ

  • Dilson

    O negócio é começar uma campanha pra que algum candidato assuma a responsabilidade de acabar com a lei do voto obrigatório.

  • João Brasileiro de jesus

    Claro que se houvesse mais votos nulos, brancos, errados do que a metade dos eleitores aptos a votar, isso repercutiria internacionalmente….seria manchete no mundo inteiro..e mostraria a insatisfação do povo brasileiro com o sistema atual…daí a pressão popular se tornaria forte para até mesmo um bate lata, panela e o caralho.. para formar uma nova constituinte, com pessoas idoneas de fora do sistema atual..Daí o medo de que o voto nulo se propague… bagunçaria o sistema atual.! Imagine se 60% dos eleitores votarem propositalmente no nº – 00 – Ora bolas…. estaria registrado nas urnas que o numero – 00 – teria 60% dos votos dos eleitores e demonstraria sem sombra de dúvida que o povo não quer ninguém deste sistema atual…..Conclusão: Vote – 00 – candidato NULO, para alterar o sistema.

  • http://www.facebook.com/chamadetavares Fellipe Tavares

    Pois é.

  • ALEXANDRE ATAÍDE NETO

    AS RAZÕES DO VOTO NULO

    O Voto Nulo existe. É constitucional, mas não tem a conotação que deveria ter, por entender-se que ele é apenas um voto de protesto. Em sendo, deveria ser formalizado, e dado as razões que motivam o eleitor a optar por ele, bem como dar a ele o devido valor, considerando que ele reflete uma inquietação e uma insatisfação com o sistema eleitoral no seu todo, a começar pelas normas que regem a criação dos partidos, os órgãos aos quais são inscritos e fiscalizados (TRE e TSE), e os partidos e seus estatutos omissos e restritos nos quesitos quanto a honrabilidade dos seus membros e filiados, no cumprimento moral com a democracia A Lei da Ficha Limpa é um exemplo apenas amenizante dessa insatisfação, mas não o bastante para coibir as improbidades políticas, e a famigerada corrupção saída dos partidos através de seus filiados e candidatos, bem como, estendida por eles, no cumprimento do mandato, aos órgãos públicos. Não obstante a esses motivos, temos a conivência partidária com a demagogia e a hipocrisia, advindas das malfadadas e comprometedoras alianças. Poderemos somar a esses motivos a falta de conhecimento mais abrangente da politização, ou seja, não basta gostar, entender e fazer política, mas combater com mais propriedades as suas malesas e impropriedades. Se o voto nulo fosse divulgado com essas conotações expressas, bem como, valorizado, teríamos um maior número de adeptos dessa manifestação por uma eleição mais correta e politizada. Para que o voto nulo influenciasse no resultado das eleições, um candidato não poderia elegersse com uma minoria de votos (o seu, dos familiares e amigos), quanto mais pelo absurdo e contraproducente voto unitário. Dentro dessa premissa o voto nulo seria um voto de sabedoria, o voto racional, advindo da razão. Mais democrático e substancial do que o voto da emoção (voto da maioria). Portanto o voto nulo, com essa conotação, tem que ser divulgado por quem compete fazê-lo. Não podemos ser jogados no lixo, não somos lixos, somos partidários, apenas, por uma Democracia e Estado de Direito Pleno. Reivindicamos respeito e reconhecimento pelo que pensamos politicamente.

  • http://www.facebook.com/joselauro.strapasson José Lauro Strapasson

    Eu acho que ninguém mais acredita nessas correntes. Não há mais necessidade de explicar que elas não funcionam. Mas eu voto nulo assim mesmo. Voto nulo contribuiu para não ter 2º turno? Então ótimo! Mais um motivo para votar nulo. Isso é melhor do que votar diretamente para quem está em primeiro.

  • Acrilato

    Obrigar a votar quem não quer fazê-lo não seria uma forma de autoritarismo? Não será disparatado supor que desse ato compulsório possa brotar algo que mereça ser chamado de consciência política?

  • Acrilato

    Ademais, se a obrigatoriedade do voto fosse um instrumento de essência democrática, os nossos governantes autoritários a repeliriam, fato jamais ocorrido na nossa História. O voto compulsório, portanto, não conduz à via da democracia.

  • Acrilato

    Desse modo, o que interessa efetivamente num pleito eleitoral é a mobilização da opinião pública, e esta é a que efetivamente exprime a substância da atuação política do eleitorado. Aquele que vota apenas para evitar complicações legais e burocráticas não está imbuído de nenhum propósito específico quanto aos negócios da polis no original sentido grego e não há lei que o faça se interessar por um assunto que lhe parece não dizer respeito.

  • Acrilato

    O voto facultativo insere o cidadão no campo da plena e livre escolha, tornando o sufrágio mais compatível com os ideais democráticos; e, por ser voluntário, constitui um passo à frente na direção do aperfeiçoamento das nossas instituições democráticas.

    Alguns defendem o argumento de que o voto nulo, ou em branco, reflete muito mais a incapacidade de preencher corretamente a cédula, ou operar a máquina de votar, do que a insatisfação do eleitor. Caberia, neste caso, perguntar: por que obrigar a votar quem não é capaz de fazê-lo?

    A ocorrência de elevado número de votos brancos e nulos registrada nas nossas eleições evidencia o distanciamento cada vez maior entre os brasileiros e as instituições políticas do País, pois esses dois tipos de voto traduzem, freqüentemente, a inconformidade dos eleitores com os candidatos, com os partidos e com a própria política.

    Não se justifica mais uma preocupação tão grande com o absenteísmo eleitoral, pois esse parece seguir as condições conjunturais da disputa política. A abstenção eleitoral é, hoje, um fenômeno comum nas sociedades do Primeiro Mundo. Em países democraticamente estáveis como os Estados Unidos, a França, a Alemanha, a Grã-Bretanha, e tantos outros, é grande a falta de participação dos eleitores, mas nem por isso se questiona a representatividade dos eleitos.

  • Pingback: Por que anular o voto? | PapodeHomem

  • Wellington Pires

    Dr. só uma observação. O artigo 224, CE não se refere aos artigos 221 e 222 do mesmo diploma conforme informou. Se fizermos uma interpretação sistemática, veremos que o art. 224 fala em “nulidade”, portanto diferente de anulabilidade, que é o caso dos artigos que o senhor mencionou. Logo a correlação exata do art. 224 é com o artigo 220 e por se tratar de norma de exceção, não cabe analogia, por conseguinte inaplicável o art. 224 aos artigos 221 e 222.
    Um forte abraço.

  • prao

    então estamos sendo obrigados a eleger bandidos?

  • Antonio Tom

    Excelente, esclarecedor, tem que ser divulgado…

  • milton de assis

    temos que votar em branco e acabar com esses ladrões que roubam, e roubam muita gente morrendo na fila de hospitais , e pessoas doentes e invalidas não consegue afastar ou aposentar devido a corrupção e desperdício dos políticos com dinheiro que era pra ser do povo enquanto eles tem duas, treis ou mais aposentadoria .
    vergonha brasileira terra sem leis. só para os
    políticos

  • Andreza Castro

    Muito bom seu artigo. Parabéns!!!

  • Lucas Natan

    Muito esclarecedor o texto.
    Mas Henrique, uma dúvida, se o voto nulo/branco não conta como voto válido, e acaba influenciando na quantidade de votos que um candidato tem que receber pra se eleger no 1º turno, ele não acaba, no fim das contas, ajudando quem tá ganhando?

  • Lucas Lima

    “Por exemplo, se eu tenho 100 eleitores e todos eles votam em algum candidato, ou seja, não há votos nulos/brancos, o candidato que obter 51 votos (50% + 1) ganhará logo no primeiro turno. Agora, se dos 100 eleitores, 10 votaram nulo ou em branco, temos apenas 90 votos válidos, ou seja, o mesmo candidato precisará de apenas 46 votos para ganhar e não haver segundo turno.”

    Isso tá errado! Se fosse assim, para eleger o candidato mais popular bastaria exterminar uma boa parte da população, não? E tbm seria normal dizer que em país com pouca população é mais difícil de alguem ser eleito, o que nao tem nada a ver! Quem vota em branco não interfere em NADA na eleição. Só joga no lixo o seu voto.

    Ah, e na ILUSÃO dos 46 votos para ser eleito ainda está contabilizada a idéia de 50% + 1, ou seja, é como se só existissem 90 eleitores no lugar DESDE O COMEÇO.

    • http://paulopilotti.github.io/ Paulo Pilotti Duarte

      Não entendi o raciocínio da parte em que você fala de ser mais díficil se eleger se tivermos menos eleitores, mas, explico mesmo assim o erro do seu segundo raciocínio.

      Existem tem 100 eleitores numa cidade (100 votos que equivalem a 100% doe eleitores). O primeiro caso imagina que todos os eleitores votam em algum candidato, qualquer um que seja, teremos 100% dos votos válidos, ou seja, 100 votos válidos. Nessa situação para o candidato A vencer no primeiro turno ele deverá fazer 50% + 1 voto válido, i.e., 51 votos (dos 100 válidos).

      O segundo caso imagina que dos 100 eleitores apenas 90 votaram em algum candidato enquanto 10 votaram em branco ou nulo. Assim temos 90 votos válido (nesse caso, 90 unidades de voto é igual 100% dos votos válidos) e 10 invalidados (brancos e nulos, totalizando 10% de votos inválidos). Como a eleição brasileira considera apenas votos válidos no pleito, o candidato A, para vencer no primeiro turno, precisa de 50% dos 90 votos válidos (45 votos) mais um voto válido, totalizando 46 votos (50% + 1 voto VÁLIDO).

      Ou seja, tudo certo com o raciocínio do autor.
      Beleza?

Papo de homem recomenda

Assine o Papo de homem

Curta o PdH no Facebook
  • 5480 artigos
  • 658574 comentários
  • leitores online