Vacinação contra a gripe H1N1: tudo o que precisamos saber pra não repassar SPAMs paranóicos

Atila Iamarino

por
em às | Ciência e tecnologia, Corpo são, Listas


O Ministério da Saúde está começando a campanha nacional de vacinação contra a gripe e estabeleceu uma lista de prioridades de quem deve receber a vacina.

Entenda por que a vacina não é perigosa, saiba o que responder quando receber um email com teorias conspiratórias e veja no calendário oficial quando (ou se) você deverá tomá-la.


Tradução: “Se estiver perto de uma morena dessas, saiba que espirrar não é um bom xaveco!”

1 – A vacina é segura? Como ela é feita?

Antes de tudo: sim, a vacina é segura! São mais de 60 milhões de pessoas já vacinadas, com toda segurança.

O processo de produção da vacina da gripe é bastante lento e trabalhoso. Para que a vacina esteja disponível meses antes do inverno – período necessário para a distribuição e aplicação das doses, bem como a produção da resposta imune pelo corpo – são necessárias reuniões bianuais organizadas pela OMS que determinam quais serão os tipos de Influenza presentes na vacina. No caso desta campanha de vacinação, é o Influenza A H1N1 de origem suína.

Uma vez decidido o vírus, ele é coletado e transformado. A maneira atual de cultivar o influenza para se obter quantidades necessárias para as doses de vacina é inocular o vírus em ovos de galinha embrionados, que são estéreis e permitem que o vírus cresça bem. Assim, a transformação envolve misturar o influenza escolhido com uma linhagem que cresce bem em ovos para aumentar o rendimento. Em todas as etapas, o vírus é isolado e testado para garantir que não há perigo para nossa saúde e a vacina será eficiente.

Depois de crescer o vírus em ovos, ele é purificado e completamente destruído. A vacina é composta apenas de um pedaço do vírus, a proteína Hemaglutinina, que é a parte reconhecida e atacada por nosso sistema imune. Não existe vírus ativo na vacina, por isso ela não pode causar gripe.

Existem, sim, versões de vacina baseadas no vírus atenuado, que inclusive podem proporcionar uma resposta imune melhor, mas são de manipulação muito mais complicada e cara, e não são usadas em campanhas de larga escala.


Link YouTube | Pronunciamento do Ministro da Saúde, José Gomes Temporão

2. Mas e o esqualeno e o mercúrio da vacina? E a síndrome de Guillain-Barré?

Infelizmente, o Influenza A H1N1 não cresce muito bem em ovos, e a produção das doses de vacina foi bem comprometida. Uma maneira de compensar este fato é usar um adjuvante. O adjuvante é um composto que ajuda o corpo a encontrar e reconhecer as proteínas da vacina e produzir uma resposta imune melhor. Usando adjuvantes, apenas uma dose de vacina pode ser suficiente, ao invés das duas normalmente usadas.

O esqualeno contido na vacina é um auxiliar do adjuvante. Ele é um óleo naturalmente presente em nosso corpo, que inclusive faz parte da marca da impressão digital. Em alguns SPAMs anti-vacina, ele aparece como causador de problemas de paralisia em veteranos da Guerra do Golfo, que haviam sido vacinados contra antrax e possuíam anticorpos anti-esqualeno. Hoje em dia, se sabe que não havia esqualeno na vacina que eles receberam, como a própria OMS explica.

Já o mercúrio é utilizado como conservante. Ele está presente na vacina como timerosal, que contém metade do seu peso em mercúrio, o que dá a quantidade 1,25 a 25 μg por dose, menos do que a dose diária máxima permitida. O mercúrio presente na vacina é o etil mercúrio, que não se acumula no corpo e é rapidamente metabolizado e retirado, ao contrário da forma nociva, o metil mercúrio. E nenhum dos dois está associado ao autismo.

Guillain-Barré é uma doença auto-imune de diagnóstico bem complicado, que recebeu uma enorme atenção depois da campanha de vacinação dos Estados Unidos em 1976, e muitos dos casos diagnosticados podiam estar despercebidos antes da cobertura que a mídia deu. Considerando que todos os casos foram diagnosticados corretamente, e causados pela vacina (o que não foi comprovado até hoje, nem refutado), foram 10 casos por milhão de vacinados, 25 deles fatais. A gripe mata cerca de 1 pessoa em mil contaminados, algo muito mais preocupante. A ideia de histeria coletiva é reforçada pela vacinação da Holanda, que distribuiu 1,5 milhão de doses da mesma vacina e não registrou nenhum caso de Guillain-Barré.

3. Quando eu devo receber a vacina? Por que as prioridades?


Fonte | Se você está em algum grupo acima, procure um posto de vacinação no período de convocação.

A lista de prioridades é necessária por causa de como o Influenza se espalha. A gripe é transmitida pelo ar e por contato, principalmente durante o inverno, e quem é infectado fica gripado e transmite o vírus durante cerca de uma semana. Para evitar o espalhamento da gripe, não é necessário que todos estejam imunes contra ela, basta que uma parcela da população esteja. De preferência, os mais importantes na transmissão.

Como o mundo inteiro quer doses de vacina, a produção é insuficiente. Mesmo que o Influenza A H1N1 crescesse bem em ovos e rendesse muitas doses, não existe estrutura capaz de produzir bilhões de doses. Mas, como já vimos, não é preciso vacinar todas as pessoas, apenas alguns grupos.

Por isso o governo está vacinando apenas as pessoas mais suscetíveis e que podem transmitir mais o vírus. É uma questão de conseguir os melhores efeitos com um estoque limitado de vacinas. Assim, ao se vacinar, você se protege e protege os outros.

Daí a importância de começar a vacinação com agentes de saúde, que entram e contato constante com doentes infectados pelo Influenza – e pacientes que se forem infectados podem sofrer muito mais severamente.

As prioridades depois são pessoas com o sistema imune comprometido, crianças bem novas, grávidas, doentes crônicos e idosos. E também as pessoas mais ativas e que transmitem o vírus para mais potenciais alvos. Crianças mais velhas do que 2 anos, por exemplo, desenvolvem sintomas muito menos severos, embora transmitam bastante a doença, por isso foi dada a prioridade aos mais novos.

O motivo de pessoas com mais de 65 anos terem prioridade de receber a vacina contra a gripe comum e não esta se deve à imunidade que eles já possuem. O Influenza humano e o Influenza suíno vêm de uma mesma linhagem que infectou ambos por volta de 1918, e desde então temos trocado vírus algumas vezes. Provavelmente um evento deste ocorreu por volta de 1944, e quem foi infectado pelo vírus suíno naquela época é imune até hoje.

4. Quais são os efeitos colaterais?


Compulsão por milk-shake e calor excessivo no peito é um dos efeitos nas mulheres, Atila?

Os efeitos colaterais da vacina acontecem por conta da nossa resposta imune, já que ela não contém o vírus em si, apenas um pedaço dele. Como muitos dos sintomas da gripe, nossa própria resposta contra o vírus desencadeia mudanças no corpo, e, de certa forma, senti-los é um sinal de que nossa resposta imune está sendo formada.

De acordo com a OMS, os efeitos colaterais mais comuns são febre, dores no corpo e nas juntas e dores de cabeça. Todos com duração de poucos dias. Como são milhões de pessoas vacinadas, alguns casos mais raros como diarreia podem ocorrer.

Grávidas e crianças não apresentaram sintomas além dos normais e não foi vista razão para não vaciná-los. Ainda mais se considerarmos que eles são os mais atingidos pelos sintomas da gripe e, portanto, os mais beneficiados pela proteção da vacina.

5. Eu devo tomar a vacina? O que fazer se não estou na lista?

Se você se encaixa em um dos grupos a ser vacinado, sim. Por mais que você não costume ficar gripado. Ser vacinado não protege apenas você, protege também as pessoas com as quais você tem contato. Afinal, como já vimos, as vacinas foram distribuídas visando atingir o grupo da população mais importante na contenção da doença.

Com tantos casos de vacinas bem sucedidas e tão poucos e toscos motivos para não se vacinar, não vacile. Proteja-se, proteja quem está a sua volta e vacine-se. E não repasse aqueles malditos SPAMs contra a vacinação.

Se você deseja se vacinar ou vacinar alguém, e não está na lista de prioridades, procure um clínica particular. Ou aguarde, é possível que após a campanha, o governo distribua as doses restantes para a população toda.

Para saber mais:

Atila Iamarino

Doutorando pela USP, biólogo viciado em informação e ciência. Autor do excelente blog Rainha Vermelha e editor do Science Blogs Brasil, o primeiro condomínio de blogs de ciência brasileiro. Vá lá expandir seus horizontes!


Outros artigos escritos por


SEPARAMOS MAIS TEXTOS PARA VOCÊ CONTINUAR LENDO




O texto acima não representa a opinião do PapodeHomem. Conheça a visão e a essência por trás do que fazemos. Queremos uma discussão de alto nível. Antes de comentar, leia nossas boas práticas. Caso deseje enviar um texto e se tornar um autor, venha por aqui.


  • http://www.oversense.yolasite.com/ Filipe

    Eu tô achando bom por não ter que vacinar. Acho meio estranho todo esse alarde que foi e ainda está sendo feito sobre a epidemia.
    Vamos ver no que dá…

  • http://www.facebook.com/people/Cauby-Andrade/609232676 Cauby Andrade

    Não faço parte de nenhum dos grupos a serem vacinados até o dia 21 de maio, será que eu não vou ser vacinado?

  • MauTk

    Meu, eu recebi esse spam várias vezes, e mesmo sem conhecer os detalhes que vc explicou sobre a aplicação do esqualeno e do mercúrio, tava na cara que era balela. Vou salvar seu artigo aqui, e enviar em resposta aos próximos palhaços que me passarem esse spam.
    Parabéns pelo compromisso de esclarecer isso pra galera do PdH!

  • Pingback: Tweets that mention Vacinação contra a gripe H1N1: tudo o que precisamos saber pra não repassar SPAMs paranóicos | Papo de Homem – Lifestyle Magazine -- Topsy.com

  • http://www.facebook.com/people/Claudio-Pedroso/1799344240 Cláudio Pedroso

    Milk-Shake… ahm, quer dizer, Papo de Homem tbm é cultura!
    Já enviei o link pra minha lista de contatos…

  • http://www.twitter.com/fbergamo Dr Fitness

    Muito bom o PdH ter textos esclarecedores como este.
    Boa Átila, mais um ótimo texto.

  • http://twitter.com/isabellaianelli Isabella Ianelli

    Acho que estou com os sintomas da gripe… Milk-shake e o que mais mesmo? hahaha.

    Uau, até que enfim um esclarecimento!

    Agradecemos.

  • http://www.papodehomem.com.br/ Guilherme Nascimento Valadares

    Excelente conscientização, Átila.

    Colocando luz sobre um assunto delicado. Vou encaminhar para meus familiares.

  • Mauricio

    Isabella,

    Se vc fizer como a mocinha da foto, certamente haverá uma fila de marmanjos querendo lhe pagar um milk-shake…rsrsrs…

  • http://twitter.com/pedradaafu Cassiano Santos

    Caramba!
    Que beleza de matéria…
    Não consigo entender pessoas que criam e divulgam estes e-mails com informações absurdas sobre esta vacinação e outros assuntos tb. Por incrível que pareca, muitos acreditam nestas informações, e com certeza deixarão de fazer a vacina por conta disto. Eu cheguei a receber um e-mail falando que esta vacina seria mais uma forma de controle da mente, imposta pelos governos. Eu até tentei controlar a mente da minha esposa, que fez a vacina, mas não funcionou. Hehehehe
    Grande abraço e parabéns pela matéria.

  • MATEUS RODRIGUES

    Não, obrigado! Não pretendo me vacinar porque achei estranho toda essa historinha de gripe suína…Assim como acho mentira que em 2012 o mundo irá acabar.

    quem sabe na gripe equina não me vacino?

  • Juca

    Não vou vacinar.
    E o texto não comentou sobre o fiasco da vacinação na Europa, principalmente apos a descoberta de um esquema para favorecer laboratórios.

    E como foi lembrado num dos comentários, a imprensa brasileira semeou o pânico, desnecessariamente.

  • Lucas Kobayashi Wilson

    Lembrando que essa vacinação é tudo um plano malévolo dos governos mundiais para matar pessoas que deixam de pagar seus impostos!
    Mas eles resolveram matar alguns que pagam também só pra não ficar muito na cara que esse é o plano…

  • Rômulo

    Corrigir erro ortográfico, último parágrafo da parte 2 (Guillain-Barré).

    “DesApercebido” significa “desprovido”, o correto nesse caso é “despercebido” que significa sem ser notado.

    Muito útil o texto. Existe um sem número de pessoas ignorantes a ponto de repassarem emails retardados sem sequer pesquisar a veracidade da informação.

  • pablofernandes

    Erro corrigido. ;)

    Valeu pelo aviso.

  • firmino

    olha, nosso governo pode ser corrupto e sem noção, mais quando se fala em vacinação e prevenção de doenças graves como a aids é referencia mundial!

  • pablofernandes

    Faça isso bro.

    O que eu recebo de spam sobre esse assunto não é mole. Agora quando chegar mais um já solto o artigo como resposta. ;D

  • pablofernandes

    Também tento entender o que leva alguém a criar e-mails desse tipo. Falta do que fazer é a primeira coisa que imagino.

    Controle da mente, imposta pelo governo? hahaha.

    Esse eu nunca recebi.

  • http://www.facebook.com/people/Lucas-Kobayashi-Wilson/526092378 Lucas Kobayashi Wilson

    Eu tenho 19 anos, e meus irmãos têm 20 e 21, mas vou vacinar também.
    A vacinação não serve apenas para nos imunizar, mas também para evitar a disseminação do vírus. O que acredito que algumas pessoas que comentaram não entenderam.

    Imagina se esse vírus sofre uma mutação e cria zumbis

  • http://www.mundeiro.com/ Sparky

    Alguns questionamentos que, na boa, nem parei para pesquisar a fundo se é realmente verdade, até porque não me interessa (não estou entre as faixas etárias que irão receber a vacina), mas que são curiosos:

    1. Verdade que em 1918, foram as pessoas vacinadas que morreram de gripe espanhola, e não as não vacinadas? (Fonte: http://www.whale.to/vaccine/sf1.html)

    2. Como é possível que a patente da vacina contra a gripe suína (H1N1) tenha sido apresentada em 2008 (muito antes da aparição do vírus desaparecido desde da famosa epidemia da gripe espanhola, em 1918)? (Fonte: http://appft.uspto.gov/netacgi/nph-Parser?Sect1…)

    3. Porquê 50% dos médicos ingleses recusaram-se a tomar a vacina contra o H1N1? (Fontes: http://www.healthcarerepublic.com/news/935745/E
    http://www.pulsetoday.co.uk/story.asp?sectionco…)

    4. Verdade que a gripe normal mata a cada ano entre 250.000 e 500.000 pessoas, ou seja, mais de 1.000 mortes por dia (e que isso são os números oficiais da OMS)? (Fonte: http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs211…)

    ———–

    Já que o tema tá sendo debatido, bem que podiam responder isso por mim, me poupa de pesquisar depois nos momentos de ócio. =)

  • Bruno Koyama

    Eu jah tomei essa vacina sexta-feira 19/03 que era p/ o pessoal que trabalha na area da saúde. Não passei mal, não aconteceu nada comigo, alias nem tive ressaca hahahaha.

  • http://www.julianamarlim.blogspot.com/ Ana

    Sou uma das paranoicas então.
    Nao vejo a menor necessidade de tomar essa vacina, há muito mais coisas por trás disso do que está sendo divulgado pela mídia (Grande Mídia, Ministérios da Saúde, OMS e etc).
    Quem tiver o mínimo de bom senso e a mente não contaminada com a manipulação do PIG é só pesquisar e chegar a conclusões óbvias.

  • Atila

    Você pode me passar um link pra essa notícia da Europa, por favor?

  • Atila

    1. Não, não sabiam o que era vírus em 1918, nem existia vacina. A primeira vacina para a gripe foi desenvolvida em 1945, pelo exército americano. E o vírus só foi isolado em 1931:
    Gerdil, Catherine. “The annual production cycle for influenza vaccine.” Vaccine 21, no. 16 (Maio 1, 2003): 1776-1779. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12686093.

    Hampson, Alan W. “Vaccines for pandemic influenza. The history of our current vaccines, their limitations and the requirements to deal with a pandemic threat.” Annals of the Academy of Medicine, Singapore 37, no. 6 (Junho 2008): 510-517. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18618064.

    2. A patente que você passou é de alguma peça mecânica. Mas mesmo se fosse de algo relacionado com a produção de vacinas, imagino que a patente seja do processo de produção de vacinas da gripe comuns, e não do vírus Influenza A H1N1 que circula agora. A vacina da gripe precisa ser desenvolvida de acordo com o vírus circulante, foi feita com o vírus de 2009, que não poderia ser patenteado, muito menos em 2009.

    3. Se realmente fizeram isso, são idiotas.

    4. Verdade, a gripe normal mata muita gente. Inclusive foi o argumento que usei pra falar que as pessoas não precisavam achar que o vírus suíno seria o apocalipse. A diferença é que, por não circular normalmente, ele tem potencial pra infectar muito mais gente, já que só quem tem mais de 65 anos tem imunidade prévia.

  • Atila

    Oi Ana, me passa esssas fontes de coisas escondidas então, pra podermos olhar com calma.

  • Atila

    *ser patenteado, muito menos em 2008.

  • http://www.mundeiro.com/ Sparky

    Valeu, informações muito úteis! =)

  • alzjr

    Pessoal esquece qe geralmente nós somos cobaias das vacinas, o pessoal do 1o mundo manda pra cá pra testar depois se não der nada eles fazem neles.
    Essa foi a 1a vacina que o contrário ocorreu, como o inverno deles veio antes, eles foram vacinados 1o e depois a vacina veio para o Brasil.

  • http://www.facebook.com/people/Mauricio-Pereira-Dal-Pont/1839178432 Mauricio Pereira Dal Pont

    Nem acredito que nos dias de hoje tem gente que acredita que vacina é perigosa. Talvez seja falta do que fazer… aí fica pensando em conspirações super bem forjadas pra diminuir a população mundial. Magina! Vacina foi feita pra causar mal às pessoas! Por isso ainda existe e muita gente toma, porque gostamos de sofrer.

    Ok, na última vacina que tomei implantaram um chip pra controlar minha mente.

    :(

  • Fye

    Eu sei, eu sei, já foi dito na TV desses e-mails que enviam para as pessoas alertando sobre a vacina da gripe H1N1 e eles disseram que é mentira, um “Hoax”, e que vocês podem tomar a vacina tranquilamente. Mas, como alguns já devem saber, a mídia mente. Isso é um fato indiscutível. Se você acredita em cada palavra que a Globo diz, melhor repensar suas atitudes e se tratar.

    A vacina da H1N1 é mortal. A troco de que os Estados Unidos iam dar proteção jurídica pra empresa que desenvolveu a vacina? Isso quer dizer que se a vacina causar algum dano à saúde de alguém, não haverá nenhuma compensação pelos danos. Se lembram da gripe de 1976 nos EUA? Fizeram uma vacinação em massa pra essa gripe. E adivinhem: várias pessoas morreram por causa da vacina, e tiveram que pagar para os parentes dessas pessoas pra compensar os danos. É, agora pelo menos o governo se preparou melhor.

    Vejam o vídeo sobre a farsa da gripe suína: http://www.youtube.com/watch?v=or4m69bcnxw&feat

    Vejam o vídeo da ex-ministra da saúde da Finlândia, falando sobre a vacina da H1N1: http://www.youtube.com/watch?v=RLGry2pVBcE&feat

    Se vocês ainda acreditam que a gripe suína existe, e que essa vacina realmente é pro bme da população, sinto pena de vocês que acreditam na mídia e no que os governos dizem.

  • Marcelo

    Vamos lá,

    todo medicamento e vacinas precisam passar por uma série de testes para que se prove seguro. Vacinas de emergência, como as gripes suinás e avícolas, não passam por essa bateria de testes, já que os mesmo durma muito tempo. considerando o fato e importante frisar que apesar da vacina não ser perigosa também não e tão segura. na época do lançamento da mesma estava nos EUA fazendo estágio e não fui o único a me recusar a tomar a vacina que era fornecida gratuitamente pela faculdade.

  • Atila

    Claro, é muito mais confiável um par de vídeos do Youtube do que a Organização Mundial da Saúde e a comunidade científica. Ótima maneira de tomar decisões sobre saúde.

  • http://www.oversense.yolasite.com/ Filipe

    A vacina continua eficiente contra mutação, jovem. Pelo menos na teoria. Por isso mesmo colocam adjuvantes nas doses. Além do mais, acho “doideira” argumentar que visam evitar a disseminação; pois não sei por que motivo um adulto de 20 anos é mais suscetível à gripe do que um de 18, 19 anos.

  • http://www.oversense.yolasite.com/ Filipe

    Concordo discordando de você. Por mim a gripe existe, mas muito menos perigosa do que nos foi apresentado. É como fazer tempestade em copo d`água; o copo tá lá, agora a tempestade só deus sabe…

  • http://www.oversense.yolasite.com/ Filipe

    Essa ex-ministra é considerada “doida” pelo mundo afora. Ela defende à garras a existência de ETs e até mesmo de transplantes cerebrais bem sucedidos, entre outros.
    Retornando à vacina; depende muito da opinião de cada um decidir tomar ou não a vacina. Eu vou ficar na minha; comendo frutas, correndo e nadando…

  • http://twitter.com/zeinmaciel Lourenço Zein Maciel

    Tem sempre alguém na internet para acreditar em algo.

    Eu tive H1N1 em junho do ano passado na Argentina, e foi bem mais forte do que qualquer gripe normal que eu já tenha tido.

    Vale a pena tomar a vacina.

  • pablofernandes

    Pois é Lucas. A preocupação não pode ficar só com o que vamos pegar ou não, é importante saber que precisamos evitar a disseminação do vírus.

    Indo vacinar e convocando amigos, parentes, já é um bom começo pra isso.

  • tabrahao

    Não pretendo me vacinar, estou no grupo de risco porém deixei de tomar vacinas há 11 anos depois que quase morri de pneumonia por causa de uma vacina contra meningite. Desde então não confio em nenhum remédio muito menos em vacinas.

    Não peguei essa gripe no ano passado quando me expunha muito mais do que atualmente… não vejo necessidade real de tomá-la agora.

    Ainda continuo achando que o alarde é maior do que os fatos. E pode ter certeza de que quem morreu de H1N1 foi porque tinha a imunidade baixa por N fatores que vão de condições precárias de vida a doenças crônicas. Eu graças a Deus tenho a imunidade forte mesmo não sendo vacinado.

    Também não duvido que exista uma grande busca de interesses por detrás de toda essa “pandemia”.

  • Atila

    A questão não é só se você tem saúde boa. Mesmo que seu sistema imune dê conta do vírus, você pode transmitir pra uma criança ou um idoso que não terá a mesma sorte.

  • Pingback: O que você precisa saber sobre a Gripe H1N1 | Me Tire Deste Ócio!!!

  • Giovanna

    Achei os grupos de vacinação muito mal pensados. Estudantes e professores que passam horas por dia praticamente cuspindo um na cara do outro, ou seja, espalhando doenças, não serão vacinados. Por que vão vacinar pessoal de 20~29 anos ANTES dos idosos? Muito mal feito.

  • Giovanna

    Fora isso, meu avô contraiu a síndrome de Guillain-Barré depois de tomar uma vacina de gripe, há anos atrás. Depois de centenas de sessões de fisioterapia, hoje ele até dirige, mas não tem muito bom controle das mãos ou pés, chegou a ficar tetraplégico. Desde então ele não pode tomar a vacina, e não tomará essa da gripe pois a síndrome pioraria. Ela acontece sim, não é invenção da mídia, pelo menos essa parte.

  • http://twitter.com/cbraghini Carlos Braghini

    Concordo que não devemos repassar SPAMs paranóicos, mas tenho minhas dúvidas sobre alguns aspectos da vacina, Átila. O primeiro deles: a segurança dela não foi determinada. Não há estudos clínicos que apoiem sua segurança. Quem diz que ela é segura é o fabricante. Se possível, me aponte em quais estudos de segurança esta vacinação está estabelecida. Pelo que li, a segurança está sendo estabelecida ao vacinar 60 milhões de pessoas?

  • http://twitter.com/cbraghini Carlos Braghini

    Ainda sobre segurança. Você, que é um estudioso sobre vacinas, pode fazer algum comentário sobre este artigo do Russel Blaylock: http://web.mac.com/rblaylock/Russell_Blaylock_M
    Dá para fazer algum comentário sem desqualificar o autor?

  • MauTk

    Meu, até é bacana o cara ter dúvidas e querer esclarecer, mas custa alguma coisa pesquisar na internet?
    Essa patente é de uma chave mista (chave inglesa em uma ponta e soquete articulado na outra). Meu, era só ter clicado no link e ver o que tava escrito!

  • tabrahao

    Quanto a segurança também concordo que a vacina não é segura, a vacina com a qual eu contraí pneumonia também era uma vacina de emergência devido a um surto de meningite em São Paulo, eu teria ficado muito melhor se não tivesse tomado a vacina. Era uma vacina de 2 doses, o meu médico aconselhou minha mãe não dar a segunda dose, já que a primeira me fez ficar doente.

    A vacina não mata o vírus, a vacina “imuniza” o corpo de quem toma, se meu sistema imunológico for bom e me imunizar contra o vírus mas assim mesmo existir o risco de passar o vírus pra outros, então uma pessoa vacinada também pode passar o vírus tanto quanto uma não vacinada.

  • Perdido

    “Compulsão por milk-shake e calor excessivo no peito é um dos efeitos nas mulheres[...]“

    Se esses são os efeitos colaterais nas mulheres… imaginem os benéficos….

  • Briza

    Eu já me vacinei, as pessoas da área da saúde foram os primeiros. Acredito que os comentários acima estão equivocados com excesso de informações e, informações confusas. Nunca deixei de tomar nenhuma vacina desde a infância sempre o fiz e, com êxito. Acho que estão assistindo ou,
    lendo, muitos filmes de ficção com armas químicas. Provável mente tbm não tomaram a vacina da
    hepatite.
    Agora me digam uma coisa…vcs usam preservativo(camisinha), ou também acham que é bobagem
    sem fundamento, selecionam as pessoas com quem se relacionam e os locais que frequentam?
    O MARCÃO macho alfa tem razão tem gente que acredita na internet cegamente. As pessoas tem que ter um pouco mais de responsabilidade se não por suas vidas, mas respeitar a dos outros, em não se tornar um transmissor ambulante.

  • Pingback: Entrelinks 24 – Os melhores posts dos melhores blogs

  • Atila

    Deu documento inválido seu link, me manda de novo. Quanto à segurança da vacina, ela está estabelecida há anos, já que o método que usamos pra produzir as doses agora são os mesmos de pelo menos uma década de vacinação. O que mudou foi o vírus contido na vacina, e não a composição.

    E o único jeito de saber a eficiência de uma vacina é vacinando, considerando que o que ela tem de novo é só o tipo de vírus. E ainda temos que correr contra o tempo, pensa que foram milhões de doses de vacina produzidas em menos de um ano, antes do inverno seguinte.

  • fpimenta

    Atila, você saberia me explicar como ocorre esse lance de sermos portadores do vírus, mesmo sem o mesmo se manifestar? Em alguma parte você falou que um idoso ou uma criança podem não ter a mesma sorte. Como acontece isso? Como a vacina vai evitar que isso ocorra?

  • Eudu

    Acho muito válida a discussão, mas a maioria dos argumentos contra não me parecem bem fundamentados.

    Mas teve uma menina ali que disse que o avô teve a tal da síndrome.

    Pretendo me vacinar mesmo assim e seja o que Deus quiser. Eu ando pelo RJ todo dia, minhas chances de morrer já são grandes mesmo….

  • Atila

    Cerca de 1/3 dos infectados pelo vírus não desenvolvem sintomas, e metade deles consegue transmitir mesmo assim.
    O que se imagina é que isso acontece por conta de uma resposta imune boa, mas insuficiente. Boa a ponto de não deixar o vírus ir além do trecho de pulmão que ele infectou, e não dar tempo da infecção causar sintomas, mas incompleta a ponto do vírus conseguir replicar localmente e poder se espalhar. Idosos e crianças mais novas não têm um sistema imune tão preparado, então normalmente eles desenvolvem os sintomas, inclusive os mais graves.
    O que a vacina faz é apresentar um pedaço do vírus destruído para que o corpo tenha contato com ele e produza os anticorpos que protegem completamente, sem que haja infecção. A vacina dá condições para nosso corpo treinar a resposta sem correr riscos.

  • Atila

    Uma pessoa com o sistema imune “bom” pode conter a infecção antes de o vírus se espalhar pelo corpo, mas dá tempo para ele ser transmitido. Já a vacina permite que o sistema imune tenha anticorpos com o vírus que vão atacá-lo assim que ele entra no corpo, não dando tempo de ele se espalhar.

    A vacinação de pessoas que não idosos e crianças muito novas é justamente para isso, impedir que eles transmitam o vírus.

  • Atila

    Giovanna, ainda não foi confirmada a relação entre a vacina e a síndrome. E, mesmo que haja, ainda é mais arriscado morrer por conta da gripe do que por Guillain-Barré.

    A quimioterapia pode ser muito agressiva em alguns casos, mas mesmo assim ela é usada, pois o risco de morte sem ela é muito maior. Da mesma forma, as primeiras vacinas de varíola podiam causar a doença em quem recebesse, mas ainda sim a proteção de quem não desenvolvia a doença mas ficava imune compensava.

  • nuno

    tú é biologo, faculdade particular né?

  • Pingback: Calendário da vacinação contra a gripe H1N1

  • Rodrigo

    Atila, considerar médicos ingleses e demais europeus como “idiotas” é no mínimo presunçoso de sua parte, não?

    Por favor, olhe estes dois links:
    http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/duas-cr

    http://www.equipocesca.org/ (site espanhol)

    Sem questionar a necessidade ou não da vacina, algo marca sem dúvida os dois aspectos: Lucro das industrias farmaceuticas, em especial o laboratório que desenvolveu a vacina. Que gostoso é vender milhares de unidades para governos, é dinheiro garantido. Ô delicia… A vacina não é de graça galera, nossos impostos pagam por ela, e diga-se de passagem: Não são baratas!

  • thiagoperez

    Este artigo é muito bom para gerar desinformação. Os senhores acham verídicas as informações que a ANVISA geralmente atribui a seus relatórios? segue o link do relatório relatando possíveis colaterais que a vacina da H1N1 pode trazer

    http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/con … OD=AJPERES

    separei alguns que achei mais interessante neste relatório, que como foi bem esclarecido, é da ANVISA.

    * Síndrome de Guillain-Barré (SGB) (página 23)

    O documento descreve as características da SGB, além de critérios diagnósticos. Informa, por exemplo, que a gravidade máxima da SGB poderá ser atingida em quatro semanas,

    * Encefalites, encefalomielites e mielites

    Basicamente são processos inflamatórios no sistema nervoso central. A principal manifestação clínica na encefalite é representada por alteração do comportamento ou do estado de consciência do paciente, o qual varia desde irritabilidade, agitação, delírio, desorientação até sonolência, embotamento e coma.

    * Neurite óptica

    É uma inflamação do nervo óptico que pode causar perda parcial súbita da visão do
    olho afetado.

    * Anafilaxia

    Também conhecida por reação de sensibilidade imediata tipo I de Gel e Coombs é uma emergência médica de instalação súbita e inesperada, com manifestações clínicas iniciando em segundos ou minutos após a exposição à substâncias ou alérgenos (vacina)
    administrados.

    * Morte súbita e inesperada

    A morte súbita, quando se excluem todas as causas violentas de óbito (homicídio,
    suicídio, envenenamento, traumas, acidentes, etc.) é definida como morte instantânea ou
    dentro de 24 horas após o início dos sinais e sintomas que não se pode explicar. Morte
    súbita é aquela que se produz rapidamente em um indivíduo aparentemente em boa saúde
    até então.

    Vemos então que estas informações não estão sendo devidamente divulgadas. Existem chances reais de estes efeitos adversos já estarem acontecendo. Vejamos por exemplo o caso da criança de menos de 2 anos que morreu no Pará. Não houve nenhuma divulgação do caso.

    Neste documento existe uma grande lista de órgãos responsáveis pela coleta das informações de reações adversas. Estou entrando em contato com eles para tentar conseguir alguns dados. No entanto, eu duvido muito que irão liberar tais informações. Eu lhes manterei informados.

    Fontes:

    Protocolo de Vigilância Epidemiológica de Eventos Adversos Pós-Vacinação (26 de março de 2010)
    ANVISA

  • Pingback: Bééé’Link’s 5 « Sheeperdida bé bé bé bé bé

  • Beatrix

    Pergunta: minha mãe tem 64 anos e tomou a vacina contra a gripe comum. Ela deve tomar a vacina contra a H1N1?

  • cbraghini

    Átila, você precisa entrar no site e procurar em Articles. Acho que vale a pena ler o que ele tem a dizer: http://web.mac.com/rblaylock/Russell_Blaylock_M

    Mais acima, você falou sobre a segurança da vacina e que não foi comprovada sua ligação com o autismo. Veja isto aqui: http://www.iaomt.org/news/archive.asp?intReleas

    Um abraço.

  • Atila

    Sim, os vírus da vacina comum são diferentes do Influenza A H1N1 de 2009. Tomar uma das vacinas não acaba com a necessidade de tomar a outra.

  • Atila

    Essa estatística de que metade dos médicos não quis tomar a vacina é exagerada, mas existem sim os que não tomaram. Assim como existem profissionais que discordam de uma opinião em qualquer área. E o autor do comentário neste blog que vc linkou está equivocado, coloco mais abaixo o comentário do Roberto Takata, que explica muito bem o porquê.

    Quanto ao lucro das farmacêuticas, é claro! Ninguém está fazendo remédio ou vacina de graça. Mas é muito mais barato pagar uma dose de vacina do que a pessoa perder dias de trabalho ou ser internada. A mesma coisa vale para qualquer outra doença, é muito mais barato pagar a vacina do sarampo do que a internação de milhares de crianças, bem como a morte de uma fração delas (que, diga-se de passagem, não tem preço).

    Aplicando esse raciocínio, não deveríamos comer. É dinheiro certo para os fabricantes, que só querem lucrar conosco. Ou um sorvete é item necessário da nossa dieta?

    O Senhor Celso Pimenta, apesar de médico, está absurdamente desinformado.

    Apesar da cepa da gripe suína ser chamada de A(H1N1), ele é um vírus *novo*. Deve-se atentar que as linhagens de vírus recebem o nome principal pela combinação entre o tipo de duas proteínas: a hemaglutinina (que dá a numeração H) e a neuraminidase (que dá a numeração 1). Mas ter a mesma numeração, indica apenas que os genes correspondentes a essas duas proteínas são partilhadas, não que se trate do mesmo vírus. A cepa da gripe suína atual, aparentemente, é resultado da combinação de três outras cepas: http://scienceblogs.com.br/rainha/2009/05/a_orige

    Isso confere características distintas em relação a outra cepas do mesmo subtipo geral.

    A letalidade geral realmente não é muito maior do que as das gripes sazonais quando se considera os dados globais, mas, no Brasil, a letalidade foi de cerca de 0,82%: (54 mortes em 6.592 casos confirmados até outubro de 2009, bem maior do que o valor de 0,03% mencionado pelo médico). Mas a letalidade não é o único critério de gravidade de uma doença. A atual gripe suína, segundo os dados disponíveis nas mesmas fontes que o Sr. Pimenta pesquisou, atinge com mais gravidade, no inverno passado, foi o responsável por cerca de 60-70% dos casos de SRAGs – Síndrome Respiratória Aguda Grave. http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/in

    Inacreditável que um médico diga que a vacina seja desnecessária porque na vacinação contra gripe sazonal haja já uma cepa do mesmo subtipo. Vamos supor que não houvesse essa diferença de origem a que mencionei de passagem mais acima – que torna as diferenças grandes o bastante para explicar as diferenças nos perfis de etários entre a gripe pandêmica e a sazonal (a sazonal causa mais mortes e complicações entre os mais velhos, a pandêmica entre os mais novos): nem na própria gripe sazonal ocorre a imunização cruzada – tanto é que a cada ano é preciso aplicar uma nova vacina.

  • Atila

    O dono do site de cima afirma uma série de coisas com pouquíssimos artigos decentes suportando as afirmações (e só algumas delas), ao mesmo tempo em que vende um remédio que cura muito do que ele mesmo aponta. E esse é o ponto, não existem artigos sérios, em revistas científicas, que dão fundamento para o que ele fala, é muito fácil colocar a opinião sem provar algo.

    Veja, por exemplo, o que dizem no segundo link que vc me mandou. Eles estão denunciando um autor de um artigo que refuta que vacinas causam autismo. Não faço idéia se a denúncia é válida, mas imagino que ela não refuta os resultados que ele teve.
    E mesmo que refutassem, temos milhares de artigos científicos mostrando que vacinas não causam autismo, com muito mais crianças do que as 12 do único artigo que propõe a relação. Sendo que o artigo foi retratado pela revista, pois descobriram que parte das crianças já tinha autismo antes de ser vacinada. E se formos considerar o caráter do autor, deixo um trecho do excelente post sobre vacinação do Ceticismo Aberto:
    http://www.ceticismoaberto.com/ciencia/3437/a-h
    “Finalmente, em 2 de fevereiro de 2010 este estudo foi “descartado” pela mídia, depois que se descobriu que o autor do estudo, Andrew Wakefield, havia se comportado de forma anti-ética. Especificamente, Wakefield foi considerado culpado de tão ter agido de acordo com as melhores práticas da medicina com as crianças alvo de sua pesquisa (uma das crianças foi severamente machucada). Além disso ele não havia revelado seu prévio envolvimento em grupos anti-vacinação antes de realizar o estudo e antes deste tornar-se notícia.”

  • cbraghini

    Bem, Átila. Eu não sou um adepto ferrenho à questão de responder as críticas com trabalhos científicos. Este é o discurso padrão. Se estivéssemos tendo está discussão em 1963 e eu lhe questionasse sobre o risco do ato de fumar, você me responderia da mesma maneira, uma vez que só em 1964 o epidemiologista inglês Richard Doll demonstrou a relação entre fumo e câncer de pulmão. Para os fumantes, aguardar o aval da ciência não foi uma atitude das mais sensatas.

    Sou médico clínico, e tenho o péssimo hábito de avaliar minhas decisões terapêuticas baseadas em minha observação, e não em trabalhos científicos, muitos patrocinados pela indústria que fabrica os medicamentos. Aliás, parece que vender um suplemento fez você abandonar a ideia de descobrir algo mais sobre o Blaylock. E lembre-se que eu apenas sugeri que você lesse suas ideias e as contrapusesse.

    De qualquer maneira, seu artigo e suas respostas ainda não me convenceram a mudar de opinião.

    Acho temerário advogar segurança num produto que contém mercúrio (mesmo na forma usada nas vacinas), que atravessa a barreira hematoencefálica ee a barreira placentária. Aliás, antes de ser alterada, a lei sobre a vacinação contra o H1N1 no Estado de Washington exigia que as grávidas e as crianças fossem avisadas que o produto continha mercúrio. Isto é ser alarmista ou precaução?

    E mesmo que a discussão se mantenha aquecida devido ao mercúrio, acho o mais grave a presença de alumínio na vacina. Apesar de poucos conhecerem o significado do conceito de Potencial Zeta aplicado ao organismo humano, basta o reconhecimento de que o alumínio é um cátion trivalente com alto poder de agregação plaquetária.Posso até inferir que as mortes e sequelas da vacinação tenham mais a ver com o alumínio do que com o mercúrio, mas isso é discussão para outro fórum.

    Assim, não posso indicar aos meus pacientes que usem – por via injetável – algo que contenha mercúrio e alumínio.

    Acho temerário proclamar sua segurança. Mas é uma opinião pessoal.

    No caso da vacinação, advogo que a sua tomada é uma opção pessoal. Descrevo os prós e contras e oriento o paciente a tomar a decisão.

    Vou continuar acompanhando o debate.

    Forte abraço.

  • Atila

    Chegamos ao ponto, cbraghini. Talvez por arrogância ou inexperiência, costumo avaliar as coisas levando em conta o argumento científico com o maior peso de todos. Acho que por mais que ele esteja enganado, é o melhor que temos.

    Pode ser que amanhã ou depois alguém publique um estudo mostrando que mercúrio não é o melhor conservante da vacina, e vou ter que rever o que acho. Não vejo problema nisso. Mas acho que a observação pessoal é muito mais sujeita a erros e enganos do que o método científico, que inclusive embasa toda a medicina.

    Sei que a indústria farmacêutica tem interesse nas vacinas, mas os cientistas que pesquisam sobre isso não são TODOS envolvidos. Só para exemplificar, acabaram de mostrar que a vacina contra rotavírus da Glaxo-Smidth está contaminada com um vírus suíno, que está presente na cultura de células do processo de produção. A FDA acaba de suspender a vacina nos EUA, por mais que ela mesmo contaminada tenha sido testada e aprovada antes, quando não se sabia. Devo blogar sobre isso no Rainha assim que sair o artigo sobre isso, inclusive.

    Como clínico, o que vc acha mais perigoso, a doença ou a vacina? Levando-se em consideração o número de vacinados que temos nos EUA e Europa desta vez.

  • Rodrigo

    Lembrando que vários países europeus suspenderam remessas desta “vacina”, pois viram que a coisa não era tão feia assim. Só pesquisar que vocês acham sobre isso.
    Os europeus são todos doidos… né?

  • Atila

    Sugiro que você leia com calma a bula da Aspirina e veja os efeitos colaterais, e em seguida imagine o que acontece quando 60 milhões de pessoas são vacinadas, e alguns sintomas atingem apenas alguns em 1 milhão. Quanta gente não vai desenvolver sintomas estranhos, ou mesmo ter algo que teria sem tomar a vacina, mas por tê-la tomado relaciona com o evento.

  • thiagoperez

    não , sou Cientista Político, pós graduado em filosofia e estou fazendo meu mestrado agora em Ciência política. Acho engraçado como diria schumpeter, estava certo – “a opnião das pessoas não é genuína, é manufaturada”, ou como diria Durkheim, – “as pessoas estão adormecidas em meio a massa amorfa escravas de uma consciência coletiva.

    Como diria Bourdie, os aparelhos ideológicos do estado são muito eficientes, acreditem em quem quiser, os senhores creem que seu governo está preocupado contigo ? se estivesse então pq ele continua a praticar politica monetária, gerar superavit e condenar a população a pobreza em nome dos grandes grupos financistas internacionais ? estamos falando aqui de interesses da industria farmacêutica, não do povo. mas acreditem no que quiserem, é claro que eu gostaria que o povo brasileiro fosse diferente, menos apático a politica, como aconteceu na França, onde menos de 10% da população aderiu a vacina, ainda assim as pessoas desinformadas dos interiores. mas analisem a legitimidade destes órgãos, como a OMS, os senhores acreditam que este órgão unilateral sustentado pela elite bancaria e pela industria farmacêutica esta preocupado com a saúde dos senhores ? sem mais , que Deus esteja com todos

  • Renato

    http://www.midiasemmascara.org/artigos/globalis

    Gostaria que você lesse este artigo Átila e comentasse.
    O risco de pandemia (muito mal calculado) ao meu ver não é maior que os danos que a vacina pode vir a causar, e é através da observância pessoal de cientistas ou pessoas capacitadas sobre o assunto que erros fatais podem ser evitados e pessoas inocentes venham a ser prejudicadas. Mesmo que em imensa minoria e sejam acusados de serem “criadores de teorias conspiratórias”, “loucos”, “idiotas”. No mínimo, não há consenso geral sobre a eficácia da vacinação ou sobre a forma como a OMS conduziu e conciliou interesses de grandes farmacêuticas e verbas governamentais. Peça a esta mesma industria responsável pela vacina da H1N1 se interessar a produzir uma para a doença de Chagas…E veja o real interesse, puro mercadológico.

  • Liajfmg

    Algum sabe tudo pode me responde??????
    No ano passado quando se noticiavam os casos de gripe pelo mundo afora, por várias vezes vi e ouvi dizerem que não deveríamos entrar em pânico pois essa nova gripe não era mais mortal do que a sazonal. Ora, se ela não é mais mortal do que a sazonal, por que vacinar tantas pessoas no mundo todo???? O procedimento não deveria ser o mesmo da gripe comum????? Pode me informar que vacina não apresenta riscos???? Até que me provem o contrário, qualquer vacina é um risco à saúde! Trabalho com médico infectologista e ele não deixa vacinar os próprios filhos… Acho que se fosse bom e seguro, ele não agiria dessa forma…. E isso não é só em relação a vacina h1n1… Sei de casos de pacientes que morreram vitimas de vacinas….

  • Calvin

    Por um momento achei que você fosse citar aquelas teorias conspiratórias de que o governo envenanaria lentamente a população com doses de vacina!
    rsrs

  • Atila

    A nova gripe A H1N1 mata a mesma porcentagem de pessoas que a gripe sazonal comum, por isso a mortalidade dela não é maior. A diferença é que, como as pessoas com menos de 65 anos não entraram em contato com um vírus parecido, ninguém possui imunidade prévia contra ele. Assim, este vírus pode contaminar uma quantidade maior de pessoas, e matar mais no total. Seria mais ou menos assim:

    Gripe normal matando 0,8% de 1 milhão de infectados: 8 mil pessoas
    Gripe suína matando 0,8% (mesma letalidade) de 200 milhões de infectados: 1,6 milhão de pessoas

    Qualquer vacina é um risco à saúde sim, mas usamos as vacinas porque os riscos à saúde causados pelas doenças que elas combatem são maiores.

  • Alinysinhaa

    Eu posso ta tomando a vacina pra doentes crônicos, mesmo depois de já te passado a data, que foi até 02 de abril ..?

  • cbraghini

    Átila, eu continuo achando que estatísticas não devem basear minha conduta profissional. Vamos imaginar uma situação hipotética: o que você prefere? uma vacina que reduz o risco de adquirir a gripe H1N1 (para mim continua sendo suína) em 50% ou uma que impede que a gripe se desenvolva em 1 a cada 100 pessoas? A maioria das pessoas escolheria a primeira, mas o fato que ambas se referem à mesma vacina.

    Como você sabe, isto é a diferença entre risco absoluto e risco relativo.

    Para quem não sabe, vamos imaginar que nesta situação hipotética, num estudo envolvendo 100 pessoas, esperaríamos que, estatisticamente, 2 desenvolveriam a gripe suína, mas quando 100 tomam a vacina, somente uma desenvolve a doença, o que significa a redução da gripe de uma pessoa em cem.

    Assim, um resultado “estonteante” de 50% é apresentado à população (afinal, causa mais impacto do que dizer que salva 1 pessoa em 100).

    Aonde quero chegar? Que para salvar uma pessoa, 99 que não desenvolveriam a gripe recebem a vacina sem necessidade e ainda estão sujeitas aos seus efeitos colaterais.

    Por isso, como clínico, minha opção é explicar os prós e contras, não sugerir a vacinação e deixar claro que se vacinar ou não é uma decisão pessoal.

    Eu continuo achando temerário dizer ou escrever a meus pacientes e àqueles que seguem meus textos que devem tomar a vacina. Estamos em posições opostas, mas respeito seu trabalho.

    É isso!

    É uma ótima discussão esta nossa. Um abraço.

  • http://twitter.com/olibertario O Libertário.org

    Sinceramente Átila, não é porque a notícia não foi divulgada que iremos acreditar nessa balela de teoria da conspiração. Se você realmente gosta de se informar posso indicar-lhe dois grandes filmes do cineasta Michael Moore, A Corporação e Capitalismo, uma história de amor. Quanto ao link da matéria do fiasco da vacinação na Europa, segue: http://www.midiasemmascara.org/artigos/ciencia/

    “Dietas, injeções, e injunções se combinarão, desde a mais tenra idade, para produzir o tipo de caráter e o tipo de crença que as autoridades consideram desejáveis, e qualquer crítica séria a esses poderes tornar-se-á psicologicamente impossível. Mesmo se todos forem miseráveis, todos se acreditarão felizes porque os governos assim lhes dizem que são”.
    Bertrand Russel, O Impacto da Ciência Sobre a Sociedade, pg 50, 1953

    Já chegamos a este ponto?

  • Pedro Prates

    haja paciencia pra tanta contradição…

  • Atila

    Sim! Doentes crônicos foram listados como prioritários apenas para garantir o acesso mais cedo à vacina, ainda podem e devem ser vacinados.

  • Atila

    Atualização:

    Fui vacinado ontem, no posto do Instituto Pasteur da Paulista. Nenhum inchaço, dor ou incômodo no braço. Nem sinais da dominação mental ainda.

  • Kamila

    Eu quero saber se essa vacina contra a gripe mata as pessoas?
    Por quer ouvir dizer q quem tomou ela vai morrer!

  • João

    Atila, as suas fontes são só o Ministério da Saúde e OMS, e outras fontes atreladas com as companhias farmacêuticas? Tu é biólogo e quer saber mais sobre os efeitos colaterais dessa vacina não testada, do que o NEUROCIRURGIÃO Dr. Russell Blaylock???? Qual é a Universidade que você se formou? Você vai se responsabilizar em induzir as pessoas em serem cobaias? Tecnologia da Vacina H1N1 igual a da vacina sazonal????? Então já que você só confia nas elites, leia este trecho do Protocolo de Vigilância Epidemiológica de Eventos Adversos Pós-Vacinação H1N1:
    “Frente à introdução de novas vacinas ou em situações de pandemia a exemplo da atual influenza pandêmica (H1N1) para a qual se está produzindo vacinas, de forma acelerada, usando novas tecnologias de produção e adjuvantes e que serão administradas em milhões de indivíduos, incluindo grupos anteriormente não vacinados como as gestantes, pode ocorrer um aumento no número de notificações de EAPV.” (pág6)
    O mundo é movido pelas perguntas e não pelas respostas. Filosofar é questionar e duvidar! Só me chega informações que devo ser vacinado e que a vacina é segura. Mas se eu pesquisar um pouquinho e ir atrás das informações, ao invés de deixar as informações chegarem a mim, descobrirei muita coisa que não querem que nós saibamos. Por isso pesquise não só as fontes da elites, e jamais se limite com notícias e fontes em português. Pesquise!!!! A não ser que você já saiba de tudo e queira induzir as pessoas assim mesmo.

    • Ninja_muscle

      Nossa,,,detonou véio…gostei do teu post…..é bem isso mesmo,,,,só nao entende quem nao quer,,,

  • João

    Olá cbraghini! Como você é médico vejo que suas colocações são bem sensatas e embasadas. Talvez estejamos vendo neste blog mais um caso do Chicken Little, desenho de Walt Disney da década de 40. As minhas principais fontes sobre esse tema é o Dr. Russell Blaylock, Dr. Mercola, Dra. Rebecca Carley, entre outros médicos de renome internacional, que estão dando seus pareceres em relação a toxidade desta vacina não testada, principalmente do Adjuvante Esqualeno MF59 (Novartis) e AS03 (Glaxo). Já estou sabendo de tudo, e acordei da grande manipulação que vivemos, não só na área médica (pandemia fabricada), mas também econômica, meteorológica e terrorista. Minha filha tem 1 ano e seis meses e sua caderneta de vacinação está completa, inclusive das vacinas pagas em clínicas particulares. Mas obviamente que essa vacina pandêmica, feita as pressas e cheia de substância tóxicas, como Timerosal (neurotoxina), formaldeído (cancerígeno), Polisorbato 80 (esterilizante), adjuvante esqualeno (reação autoimune), entre outras (http://www.preventdisease.com/news/pdf/H1N1_Vaccine_In...), que jamais darei para ela, e absolutamente ninguém da minha família será cobaia e tomará esta vacina tóxica e não testada.
    Agora você falou do Hidróxido de Alumínio. Peguei a embalagem da vacina para meningite e esta contém o Hidróxido de Alumínio como adjuvante. Você poderia me falar um pouco mais sobre, ou então deixar algumas fontes para eu pesquisar? É melhor as coisas serem devidamente esclarecidas, senão a credibilidade de um século irá por água abaixo depois desse epsódio da vacina H1N1 e futuramente da H5N1 (aviária).

  • cbraghini

    João, vou tomar a liberdade de escrever aqui, mas este é um artigo do Átila. As opiniões escritas por mim são de minha inteira responsabilidade. Se você tiver alguma outra questão sobre o tema, teremos de escolher outro fórum, ok? Não vacinar é sempre uma questão individual. Minha filha mais nova, tem 12 anos, nunca tomou nenhuma vacina, nem pólio. Sei dos riscos e os assumo. A questão do alumínio é que ele é um poderoso agregante plaquetário. Muitas das reações atribuídas às vacinas são devido à isquemia cerebral produzida por ele. Procure por zeta potencial e/ou aluminum toxicity. Você vai achar muita coisa. Abraço.

  • João

    Obrigado! Já estou pesquisando! Há cerca de 8 meses, nunca dei tanto valor aos 11 anos estudando cursinho de inglês. Mesmo ainda não tendo viajado para um país de língua nativa, o inglês instrumental através da internet me propiciou um independência muito grande para pesquisar. Um abraço.

  • Elias210

    eu vi essa reportagen da frança, com certeza estou na lista das pessoas que nao sao idiotas a receber esta vacina letal, puro interece do governo bem sei que eles nunca se preocuparia com a populaçao mas a grande maioria da populaçao estao se cuidando melhor buscando as academias se nutrindo equilibrando os alimentos para se manterem mais saldaveis reforçando ainda mais o organismo, com isto a industria farmaceltica perdem com os pacientes que demoram ficarem doentes dae tem que fazerem alguma coisa ou cairam na falencia ai entra a famosa indutria dos laboratorios que criam vacinas para remover essa nossa imunidades so troxa vai se vacinar e os mais desavisados puxa saco do governo.

  • Thiago Perez

    tomara! para sua própria saúde o ideal é que não fosse vacinado, essa vacina traz graves riscos á saúde em médio e longo prazo e além disso, se mostra ineficiente no combate a gripe. Claro que existem alguns casos que os colaterais graves se manifestam a curto prazo, por exemplo como alguns casos que já ocorreram de morte súbita, bem como, síndrome de giulian barré, pesquise um pouco sobre o assunto, converse com aparentes e amigos, vamos mudar o estigma que está enraizado a nossa imagem, brasileiro não precisa ser burro e nem cordeiro do governo e muito menos da indústria farmacêutica, okey?! ajude a preservar vidas, passe para frente essa mensagem, vamos combater a vacina

  • Thiago Perez

    Meu caro Atila, o senhor confia no governo ? confia na Organização Mundial de Saúde ? O senhor sabia que o vírus H1n1 é um vírus de laboratório ?! Meu caro, não estou falando de pequenos colaterais, estou falando de colaterais gravíssimos que acontecem a longo e médio prazo. Por conta da toxidade da vacina, ela foi proibida na Austrália, na Polônia e em outros países, bem como, a população Europeia praticamente em preso recusou a vacinação. em vez de virarmos meros reprodutores dos interesses da elite farmacêutica, reproduzindo informações desinformativas como essas transmitidas pelo ministério da saúde (alias, ministério esse que é grande alvo de Lobby da industria farmacêutica, alguém discorda disso ? se discorda posso apresentar longas provas sobre o assunto para quem tiver interessado). Temos que lutar para salvar vidas e isso é imediato. infelizmente no Brasil, onde a população tem um baixo discernimento e uma grande apatia as questões publicas, essa vacinação está acontecendo em massa e são poucos os que lutam para informar a população sobre esse risco eminente que deve ser evitado.

  • Thiago Perez

    Então o documento da FUNASA pede sigilo a todos! Pois os servidores se alarmassem a população quanto a estes efeitos poderiam ser punidos administrativamente e penalmente!
    Encontrado documento da Funasa!!
    http://www.funasa.gov.br/internet/desai … o_H1N1.pdf …

    Atenção especial deve ser dada à notificação dos seguintes
    eventos adversos graves:
    • Síndrome de Guillain-Barré (SGB);
    • Anafilaxia;
    • Óbitos súbitos inesperados;
    • Outros EAPV graves2 ou inusitados; e
    • Erros programáticos ou operacionais.

    Tem até sódio!

    http://www.associatedcontent.com/articl … html?cat=5

  • tata34

    Thiago acredito exatamente como voce, só que muito triste ver as pessoas sendo engandas e ainda por cima te olhar como se voce fosse louco, ou que nao sabe o que fala, quando tenta passar a verdade para elas.

  • Ministério da Saúde

    Cauby Andrade
    Os grupos a serem vacinados foram definidas após extensas pesquisas e discussões entre profissionais da epidemiologia em saúde, sociedades cientificas e de classe, afim de identificar, dentre toda a população brasileira, aquelas pessoas com mais chances de adoecer e morrer devido ao contágio pela Influenza H1N1.

    Att,
    Ministério da Saúde
    comunicacao@saude.gov.br
    http://www.formspring.me/minsaude

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=645901670 Luciano Prado

     Já é o segundo ano que tomo a vacina, nunca tive efeitos colaterais nem outro problema qualquer. Muito bom passar o ano sem gripe, oque acontece é as vezes um resfriado leve, nada que afete o dia a dia

Papo de homem recomenda

Assine o Papo de homem

Curta o PdH no Facebook
  • 5348 artigos
  • 653725 comentários
  • leitores online