Talvez seja difícil de acreditar, mas o seu cachorro não é um ser humano

Rodrigo Cambiaghi

por
em às | Listas


Muita gente observa o Clint, nosso golden retriever aqui do QG, e fica surpresa com o bom comportamento dele.

O Clint anda na rua ao meu lado sem coleira. Quando vou à padaria, ele me espera sentado na porta enquanto compro pão. Não faz manha alguma. Eu nem preciso amarrá-lo no “estacionamento de cachorro”. Ele também sabe que banheiro é o gramado do quintal, e nunca dentro de casa. O máximo permitido dentro da cozinha são as duas patas dianteiras, regra esta seguida mesmo quando não tem ninguém por perto. E quando eu digo os comandos “parou”, “vem cá” e “pra fora”, a resposta é imediata.

Ao contrário do que muita gente pensa, o Clint nunca foi adestrado. Como isso tudo foi aconteceu então? Simples: o Clint é tratado como um cachorro e não como um ser humano.

Parece óbvio, mas não é.

Repare na quantidade de pessoas que falam com os cachorros com voz de bebê e referem a si mesmos como papai ou mamãe do animal. Eles acreditam, do fundo do coração, que seu bicho de estimação nada mais é do que um ser humano quadrúpede com pelos. Gastam fortunas em pet shops comprando mimos que, na verdade, servem mais para agradar o próprio dono do que o animal. Ou você realmente acha que os cães gostam de usar lacinhos, enfeites? Será que eles realmente se importam com um xampu importado, com refrigerante de cães e sei-lá-quantas-outras-frescuras existem por aí?

Não, Clint, você não é gente

O que realmente importa para um cachorro, afinal?

Não sou treinador, adestrador, muito menos expert em cães. Sou apenas um cara que tem um cão saudável, disciplinado e que é questionado o tempo todo:

“Por que seu cachorro é comportado e obediente, e o meu não?”

Vou tentar responder à pergunta explicando o meu mindset com os cães. Foram coisas que eu aprendi conversando com adestradores, lendo, testando na prática e, acima de tudo, observando como os cachorros interagem entre si.

Se você não controla o seu cachorro, então, ele é quem controla você.

Numa matilha, existe sempre um líder. Um que comanda o grupo todo. Da mesma maneira, para o animal, não existe igualdade na relação humano-cachorro. Ou ele é líder ou é liderado. Como essa hierarquia não é estática, o seu cachorro constantemente testará sua autoridade.

A situação clássica de demonstração de superioridade é o cachorro macho que “trepa” na perna dos outros. Todo mundo acha que é um sinal de que o cão está precisando cruzar, mas, na verdade, é só uma das maneiras que o cão tem de demonstrar autoridade sobre outro animal. Um macho que não demonstra superioridade nunca vai conseguir copular.

Outra típica situação: pessoas que deixam o cachorro fazer tudo e principalmente dão comida quando ele pede. E dizem:

“Ah, tadinho, né? Olha a carinha que ele faz.”

As primeiras vezes em que comecei a passear com o Clint solto, sempre levava comigo um pedaço de alguma comida que ele gostava. Conforme ele se comportava ficando ao meu lado, ganhava um pedacinho. Deu certo algumas vezes, outras não. Bastava ele avistar uma cadela do outro lado da rua para desviar o foco de mim e correr em direção ao outro animal. Isso me custou alguns xingamentos de dondocas histéricas e um quase atropelamento que me deixou pálido. Achei que era simplesmente uma questão de instinto animal e que eu nunca ia conseguir controlar aquilo, mas não era.

Um dia, depois de ter uma dermatite brava que criou feridas bem feias na pele, tivemos que suspender qualquer tipo de comida que não fosse a ração especial receitada pelo veterinário. Isso incluía petiscos que eu dava como recompensa por obediência. Depois deste episódio, comecei a perceber que o Clint estava menos obediente comigo, não respondia aos chamados, entrava na cozinha sem cerimônia, e tampouco andava do meu lado na rua. Foi quando caiu a ficha:

Ele não me obedece; eu que obedeço ele.

Nem precisa ganhar comida para ficar ao meu lado

O Clint, se pudesse raciocinar, pensaria:

“Olha como meu humano é obediente! É só eu dar a patinha para ganhar um biscoito.”

Comecei a realmente perceber a relação de líder-liderado e prestar atenção na minha postura e na minha autoridade com meu cão. E aí as coisas mudaram, começaram a fazer sentido pra mim.

Seja firme e não tenha dó

Quando você passa em frente ao portão de uma casa que é guardada por um rottweiler, qualquer animal, de qualquer raça consegue entender que aquele lugar é território dele, e ai de quem ultrapassar a fronteira. O latido é ameaçador, a expressão e os movimentos são para botar medo. Até um surdo consegue entender o recado.

O rottweiler não tem nenhuma dificuldade em transmitir para qualquer animal a mensagem dele, mas a gente tem. Existe uma frase excelente que diz:

“Não consigo entender suas palavras; suas ações falam mais alto.”

Muitas vezes damos uma bronca nos cachorros e parece que não adiantou nada, porque lá no fundo não estamos realmente bravos. Afinal, eles são tão bonitinhos! Quando damos um comando a um cachorro, se não estamos projetando firmeza nas nossas ações e na nossa voz, eles percebem isso na hora e não nos obedecem.

É como dar uma ordem gaguejando ou chegar numa mulher falando pra dentro e sem brilho nos olhos.

Duas patas quando ninguém está comendo, pode; as quatro, nunca

Um caso que sempre conto foi como educar o Clint a não entrar na cozinha do QG. Não queremos pelos na comida, nem correr o risco de ter os bifes do almoço roubados ou carimbados com umas lambidas. Então, sempre que ele entrasse na cozinha, a gente dizia “pra fora” com um tom de voz imponente e apontando para a saída. É importante mostrar que ali não era território dele. Se ele tentasse uma segunda vez, era pego pela coleira e levado para fora. Na terceira tentativa, era empurrado na marra. ”Mas você bate no seu cachorro?”, vão perguntar alguns leitores. A resposta: eu dou um empurrão com o pé para derrubá-lo e assustá-lo. Perto de uma mordida de rottweiler (afinal, se um cachorro entra na cozinha, por que não entraria na casa que tem um rottweiler?), meu empurrão é sussa.

Firmeza na voz e empurrões quando necessários deram certo.

Só amor não basta

O cachorro vai amar seu dono, seja ele um dono frio ou um sujeito amoroso. Cães amam incondicionalmente. Todo mundo sabe disso. O que eu mais vejo são pessoas que se aproveitam deste amor incondicional dos cães para suprir suas carências emocionais. Ou, em alguns casos, até a necessidade de ser pai ou mãe.

Eu acho ótimo que as pessoas amem os animais, deem carinho e atenção a eles, mas, sinceramente, amor não supre as necessidades de um animal e não mostra liderança. Não importa o quanto você demonstre carinho a um cão, ele não vai te obedecer só porque você o ama.

É muito comum as pessoas ficarem frustradas quando estão fazendo carinho num cão e ele simplesmente sai do colo delas ao ouvir a voz do dono chamar. A verdade é: amor não gera obediência.

Deixe seu cachorro ser um cachorro

Assim como não é saudável um humano viver trancado num apartamento com cinco cachorros, não pode ser saudável para um cachorro viver trancado num apartamento com cinco humanos. Cães precisam conviver com outros cães, por maior que seja o seu quintal, sua casa ou sua cobertura pentaplex de R$ 20 milhões. Correr, morder, pular, rolar na grama e brincar com outros animais suprem uma necessidade básica do animal: sentir-se um cachorro.

Eu não estou me referindo a deixá-lo cheirar o cu do cachorro que está cruzando a rua. Me refiro a ir a um parque, a lugares abertos onde ele possa conviver e brincar com outros cachorros por horas.


Link YouTube | Clint brincando com uma mastim no parque. Igualzinho a brincar com seu cachorro no apartamento

O Clint vai ao parque no mínimo uma vez por semana. Imagino que as pessoas podem achar impossível fazer isso na prática, dando a velha desculpa do “não tenho tempo”. Porra! É um baita incentivo pra você acordar cedo, tomar sol e caminhar. Experimente trocar o barzinho de domingo à tarde por um passeio no parque com o cachorro. As chances de você conhecer gente nova com um cão no parque são infinitamente maiores do que sentado num bar bebendo ou numa balada com o som alto. E o melhor de tudo: não paga nada pra entrar no parque.

Gaste energia

Os cães são naturalmente predadores e, como tais, eles têm muita energia para caçar, mesmo o menor dos chiuauas tem no seu DNA um instinto de caçador. Um cachorro que passa o dia inteiro num apartamento não gasta essa energia e engorda, ou então procura gastá-la de outras formas: roendo seu sofá, destruindo seu tênis, pulando nas pessoas ou, no casos de algumas raças, sendo agressivo. Não é à toa que ter filhote em apartamento é um caos.

É muito mais difícil ter autoridade sobre um cão que está agitado e cheio de energia. É como tentar argumentar como uma pessoa que está ansiosa e inquieta.

Cachorros de porte pequeno gastam energia mais facilmente. Já os grandes dão um pouco mais de trabalho. A maneira mais rápida e divertida que eu encontrei de dar uma canseira no Clint foi andando de bicicleta. Demorou um pouco até nós dois pegarmos o jeito e a sincronia, mas o resultado foi gratificante para ambos: eu ganhei um parceiro para andar de bike comigo a qualquer hora do dia e o Clint ganhou um companheiro que corre na mesma velocidade.

Depois da pedalada, a recompensa

Vinte minutos pedalando forte é tempo suficiente para dar uma ótima canseira nele. Vinte minutos não é nem metade do tempo que você gasta por dia vendo bobagem na internet.

“Como falar com ele de uma maneira não-verbal?”

Quando tenho dúvidas sobre como agir e fazê-lo obedecer, faço um exercício comigo mesmo. Me pergunto:

“Como dizer isso pra ele de uma maneira não-verbal?”

Para ensiná-lo a andar do meu lado, colocava a perna na frente dele toda vez que tentasse me ultrapassar. Foram três dias fazendo esse exercício na hora do passeio. Ele aprendeu. Treinamento requer muita prática, paciência e repetições.

Aposto que muitos dos leitores têm cães e são apaixonados por eles. Por isso, vamos dialogar, trocar experiências. Como vocês fazem para ensinar coisas a seus cães? O que dá certo? O que não dá? Continuamos a conversa nos comentários. Adestradores e especialistas em comportamento estão intimados a comentar.

Rodrigo Cambiaghi

Gerente de atendimento e curador do Apimentadas – Resolve problemas e acalma pessoas surtadas. Se acha diferente por não acompanhar futebol e gostar mais de mostarda do que de ketchup, é apaixonado por comida latino-americana e ceviche. Para mais informações consulte seu terapeuta.


Outros artigos escritos por

Somos entusiastas do embate saudável

O texto acima não representa a opinião do PapodeHomem. Somos um espaço plural, aberto a visões contraditórias. Conheça nossa visão e a essência do que fazemos. Você pode comentar abaixo ou ainda nos enviar um artigo para publicação.


EXPLODA SEU EMAIL

Enviamos um único email por dia, com nossos textos. Cuidado, ele é radioativo.


TEXTOS RELACIONADOS

Queremos uma discussão de alto nível, sem frescuras e bem humorada. Portanto, leia nossa Política de Comentários.


  • http://www.thiagoazza.me Thiago Andreazza

    Muito legal cara. 
    Só acho que tu devia ter feito uma pequena referencia ao Cesar Millan, que é o criador de toda essa teoria sobre Liderança/Cão e que foi de onde tu provavelmente aprendeu todo esse conceito…
    De qualquer forma, é ótimo existir esse reforço porque muita gente não tem noção do que fazer.

    • Rodrigo Cambiaghi

      Fala Thiago,

      De fato o Cesar Milan fala sobre liderança sim e diversos adestradores e caras que trabalham com psicologia canina.

      A primeira vez que ouvi sobre liderança foi de um adestrador, era um leitor do PdH que foi nos visitar e ter um papo sobre o Clint que estava numa fase bem desobediente.  

      Abs

      • Luciana

        rodrigo, eu tenho um blog sobre animais de companhia. eu sou bióloga e estudo bastante sobre comportamento animal. gostaria de fazer um post resposta para esse seu post! topa?

      • Rodrigo Cambiaghi

        Claro Luciana! manda pro novosautores@papodehomem.com.br

  • Jean Lucas Monteiro Lima

    E que isso ensine a muita gente como cuidar de seus cachorros. Afinal, cachorro é tudo de bom.

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100000263625120 Otávio Caetano

    Tenho uma filhote de vira-lata de porte médio aqui no meu apartamento… Teu artigo me fez pensar sobre várias coisas no meu modo de tratar a cadela, muito bom.

  • http://www.facebook.com/people/Temístocles-dAnunciação/100000697172255 Temístocles d’Anunciação

    Bem, aqui na minha cidade não me lembro de nenhum parque que dê pra deixar um cachorro solto sem assustar meio mundo de gente besta e arranjar uma bronca com o “guardinha”. Nem mesmo como andar de bicicleta com o cachorro ao lado, solto, sem correr sérios riscos de atropelamento (dos dois). É em SP que você mora?

    • Rodrigo Cambiaghi

      Moro sim Temístocles.
      Eu ando com o Clint na coleira de bike, só deixo ele solto se for em local seguro onde não passa carro, aqui em sampa faço isso no elevado costa e silva (minhocão) quando ele fecha aos domingos ou depois das 21:30 nos dias de semana.

      De fato é um porre esses parques que não tem local pra deixar o cachorro solto.
      Tenta em pracinhas menores.

    • http://tenholaminhasduvidas.blogspot.com/ Marcelle Gália

      ow, vc mora em Recife, certo? sempre pude passear com cachorro lá no Parque da Jaqueira.

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100001582825858 Gabriel Queiroz

    Gostei muito da frase “Não consigo entender suas palavras; suas ações falam mais alto.”. Agora tenho mais um motivo pra querer ter um cachorro: praticar essa firmeza e liderança não-verbal tão importante para a vida de um homem. Ótimo texto!

  • http://twitter.com/natimax Natimax

    Verdade verdadeira tudo que você disse. Foi assim com meu Boxer também. A tentativa de assumir a liderança é permanente, e ai do dono que não se impõe na hora certa.

    Mas não tem jeito.. cachorro a gente só tolera o nosso.

  • https://www.facebook.com/Andre.R.Tamura André Tamura

    Muito legal texto! Cesar Milan PdH! O video é irado deles brincando no parque!

    Eu não tenho cachorro, mas essa frase do texto pode ser usada pra humanos também.

    “Não consigo entender suas palavras; suas ações falam mais alto.”

    • Rodrigo Cambiaghi

      Eu ouvi ela a primeira vez do Guilherme, fundador do PdH. 

      E foi dita num contexto que envolvia humanos, não cães ;)

  • http://www.alexcastro.com.br Alex Castro

    Oi Cambi. Leio bastante sobre cães, mas sempre procuro ler livros escritos por cientistas que estudam e testam em laboratorios as reações e cognição dos cachorros, e não tenho tv, então nunca vi esses caras tipo Cesar Milan, dog whisperer, etc, mas queria te dizer que você está na contramão de quase toda a ciência canina. Especialmente na conexão com lobos. Os cachorros não tem nada a ver com lobos, esse é um “senso comum” leigo, repetido por muita gente, inclusive leigos e diletantes como o Cesar Milan, mas que é desprovado por praticamente toda a ciência canina, todas os teste e observações de comportamentos de cães e de lobos. Enfim, não tenho como escrever muito aqui, mas se você tem interesse mesmo nesse assunto, te recomendo o último livro que li, Dog Sense: How the New Science of Dog Behavior Can Make You A Better Friend to Your Pet. abração, alex

     

    • Rodrigo Cambiaghi

      Legal a referência Alex,
       Vou dar uma olhada sim, é um belíssimo contra-ponto.
      O Cesar é incrível e super respeitado por ter “recuperado” vários cães. É difícil ler alguma crítica dizendo que a linha de raciocínio dele está “errada”.

      Inclusive no próprio livro do Cesar ele cita algumas fontes de pesquisa indicando que os cães são sim, muito parecidos com os lobos no DNA e comportamento. 

      • http://www.alexcastro.com.br Alex Castro

        cambi,
        todos os cientista que já li malham essa turma do cesar. dá uma olhada nesse livro. eu baixei e li no kindle em um dia. :)

      • Rodrigo Cambiaghi

        Sim! fiquei curioso pelo conteúdo do livro!

      • Marcus

        Alex, o que, exatamente, criticam no Cesar Millan? Fiquei curioso, poderia explicar melhor?

      • http://twitter.com/natimax Natimax

        Não é só porque uns criticam, ou por que não tem embasamento científico que não funcione. E muito bem aliás.. 

      • https://www.facebook.com/Andre.R.Tamura André Tamura

         Esses assuntos meio darwinistas da linha de evolução são legais. O Richard Dawkins tem bastante coisa interessante.

        Mas entre os cientistas e o Cesar Milani (certo ou errado) eu gostei mais do texto e do video do Rodrigo, pois é a realidade que ele percebeu, baseando-se claro, em referências anteriores. Mas o Clint parece ser bem real e não ligar se ele é o não parecido com um lobo.

  • Vmarxx

    se trocar seu “seu cachorro”  por “sua mulher” o texto faz o mesmo sentido sem alterar nenhuma virgula..  

    • Adele Maria

      “Talvez seja difícil de acreditar, mas ‘a sua mulher’ não é um ser humano”
      Lógico, porque se fosse humana não se relacionaria com um ogro como você.

  • http://www.facebook.com/people/Leonardo-Werlang/1298794174 Leonardo Werlang

    sem falar que um cachorro que é “líder da matilha” sofre muito de insegurança pelo “dono” humano, ja que aqueles que estão sob a sua responsabilidade em geral passam o dia fora do seu controle e da sua proteção

  • http://www.facebook.com/rafaelusn Rafael Carvalho

    Cara, você resumiu bem: pulso. Minha ex-namorada tem um labrador, que é o capeta em 4 patas. Sempre mimado, “filhotinho bonitinho fofinho tchu tchu tchu”, o cachorro é um aprontão de mão cheia. Adestramento melhorou, mas o bicho é de lua, obedece quando quer. Já eu tenho uma rottweiler, criei desde miúda. Sempre firme, pulso mesmo. A cadela é um doce. Não apronta, não pula em ninguém, anda na rua tranquilamente sem ficar puxando (não ando com ela sem coleira, pois os transeuntes não curtiriam muito a ideia). E nunca foi adestrada. 

    • Rodrigo Cambiaghi

      É isso mesmo Rafael, 

      Adestramento não resolve o problema se o dono não ter pulso firme.
      Cara, e não ande com Rottweiler solto não, você pode ter problemas com polícia.

  • http://alakarte.com.br Rogério

    Excelente texto! É ridículo ver pessoas que falam com seus cachorros frases como: “Vem com a mamãe!” ou “Vem cá no papai”… Cachorro é cachorro (ponto), não é gente e não deve ser tratado como tal.

  • http://tenholaminhasduvidas.blogspot.com/ Marcelle Gália

    Lá vou eu passar atestado de louca…ahahahaha puta merda, eu sou o manual de “como não fazer”! Mas poxa, eu tenho 5 yorkshires e 1 poodle. É muita chantagem emocional pra lidar. Volta e meia dou lar temporário a, no máximo, 2 cães resgatados. Faço parte de um grupo de ajuda. 
    Converso com eles como se me respondessem. Comum me ver falando pra algum deles “ah, para…como assim?! claro q é verdade!”. Pode durar horas ahahaha parei de me incomodar com expressões de estranhamento das outras pessoas.Vivo dizendo que o mais apegado a mim deve comentar com outros cachorros no pet shop (é, gente, abstraiam):”Tem que ver a Celle q eu tenho em casa! Metade da cama dela é minha, ela não me nega comida e eu cumprimento primeiro todas as visitas”.Realmente. Os meus cães não se importam se eu comprei para eles pasta de dente sabor carne (believe me). Mas quem disse q eu consigo parar? Eles ganham até panetone no natal. Estarei longe nesta páscoa, mas já providenciei ovos de chocolate próprios para cães.
    Não sei se mudar esses hábitos me faria mais feliz. Sinceramente, nada me incomoda de verdade.

    • Rodrigo Cambiaghi

      Marcelle, 

      É como eu disse, você não compra os presentes para agradar seus cachorros, você compra para  agradar você mesma. Nenhum deles vai gostar mais ou deixar de gostar de você por causa dos mimos ou da falta deles. 

      Minha opinião sobre adotar cachorro de rua.
      O fato de sair da ruas não necessariamente melhora a qualidade de vida de um cachorro.
      Tomar a liberdade em nome da “segurança” é algo que só os humanos fazem.

      Mas essa discussão da um post inteiro.

      • http://tenholaminhasduvidas.blogspot.com/ Marcelle Gália

        Ah, eu sei. Eu aplico muito do meu “amor materno” a eles. O fato é que “ninguém sai ferido” pq deu ou recebeu presentes. Estou feliz na situação. Não me sinto fora do controle rs, eles não fazem nada q eu não permita. Tenho autoridade, mas não sinto necessidade que isso ocorra o tempo inteiro. É como querer em casa a criança do comercial do Sustagem, viciada em dever de casa e comedora de brócolis. Gosto das suas travessuras :)

        Sobre animais de rua…cara, realmente, há muito o que se discutir. Não se limita a fornecer um teto e fazer frufru.

      • Rodrigo Cambiaghi

        me manda um email contando o que vocês fazem com os animais de rua Marcelle?
        Eu to realmente pensando em escrever um post sobre isso. 

      • http://tenholaminhasduvidas.blogspot.com/ Marcelle Gália

        Ok! Até amanhã à noite eu envio. Hoje estou de mudança :)

  • http://www.facebook.com/people/Graziela-Grazieadio/100000160322021 Graziela Grazieadio

    eu trato minha cã por “filha” sim, mas acho que, mais que tratá-la como se fosse “gente” lido com ela como um filho realmente deve ser tratado: dou amor, bastante amor, mas impondo sempre que necessário disciplina e respeito à minha autoridade. Recompensa no bom comportamento, repreensão no mau (cada vez mais raro). Brincadeira, brinquedinhos (nada de maluquices: alguma coisa para morder e “caçar” pela casa ou enquanto brinca pelo quintal). Convivência pacífica com os outros cães e também com gatos, desestímulo a comportamentos violentos. Higiene, proteção (coleira antipulgas, vacinas, banho… nada de frufrus que a deixem irritada). Pronto, tenho um bichinho saudável e companheiro.
    E eu sei que, como qualquer “filho”, vez ou outra ela vai me frustrar, mas nem por isso vou descartá-la, já que pra mim ela significa mais que um “semovente” comerciável.

    O problema em “tratar cachorro como gente” reside, na verdade, em quem acha que também “gente” deve ser tratada tipo “bicho solto”, isto é, pode fazer o que quer sem qualquer limite e tá tudo certo. Daí vem tantos cães (e pessoas) doentes, infelizes e mimados.

     

    • Cristiane

      Graziela, concordo com vc!!!! Minha cachorrinha é tratada como minha segunda filha! AMO DEMAIS MINHA CACHORRA E CONTINUAREI TRATANDO-A COMO UM BEBEZINHO LINDOOOO!!! Ela é super bem educada, só faz as necessidades no lugar certo é super tranquila. Descordo dessa pessoa que diz que não devemos tratá-los como se fossem nossos filhos. Eu digo que sou sua mãe, meu marido diz que é seu pai e minha filha diz que é sua irmã…e vivemos todos EM PLENA PAZ, AMOR E FELICIDADE!!!!! É muito bom amar uma criaturinha dessas desse jeito!!!!!!!!!!!!!!

      • Edmilson

        Cristiane e Graziela; para tudo na vida existem limites. Acho que pessoas que tratam cães feito gente não tem habilidade para lidar com pessoas e ou crianças por isso preferem cães. São pessoas que não aceitam um não, um choro de criança, não sabem lidar com a ingratidão do ser humano e muitas sentem dificuldade em sentir-se amadas, e problemas de relacionamento diversos. Eu chego a chorar quando vejo uma reportagem sobre pessoas que se sacrificam para ajudar desconhecidos, que se dão inteiramente sem esperar nada em troca e conseguem arrancar sorrisos de moribundos. Pessoas que se sentem radiantemente felizes em ajudar o próximo. Além disso existem tantas outras coisas na vida pra se viver de forma saudavel que não consigo entender essa devoção-escravidão-submissão que existe por parte de algumas pessoas para com um quadrúpede, um animal que existe sim para servir ao seu dono, cuidar da casa, servir de alerta e até para nos divertir mas nunca para ser um membro da familia. Porque pessoas como voces tem que estragar tudo ? Porque então não trazemos também vacas, porcos, elefantes, gambás para dentro de nossas casas e dormimos todos juntos ou então porque não desmanchamos nossas casas e vamos dormir na selva junto com nossos animais. Este mundo está realmente declinando em todos os setores. Tantos seres humanos precisando do nosso amor e preferimos dá-lo para os cães……………..

      • Marcia Nakao

        Nao gostei e nao concordo com nada do que voce postou aqui pra mim voce e um babaca um debil mental e ponto.

    • Walter Knight Templar

      Nota zero para você!

  • http://www.facebook.com/people/Reysi-Pegorini/1398276764 Reysi Pegorini

    Tenho uma pit bull linda, que sempre foi o terror lá em casa, não tinha jeito, meus amigos diziam que sua personalidade era por causa do nome Kyra (lutadora de JJ) Louise (Eloise no Plaza) Grinch (monstro verde do Natal), mas era porque eu mimava muito a cachorra. Fiquei um ano fora, e quando voltei, estava outra cadela, contente por me ver e talz, mas num fez a festa que eu esperava, pular em mim, puxar a minha roupa pra brincar com ela, morder sapatos ou destruir minhas plantas, confesso que fiquei triste pelo tratamento controlado dela comigo, mas ela está bem mais educada, conclui que eu era o problema e minha mãe diz que sou um péssimo exemplo,rs

  • http://twitter.com/KdChikleti Hydrocodone

    O comportamento de um cão denuncia o quão babaca o seu dono pode ser. 

    • Marina

      O mesmo pra crianças.

    • Mariana

      eu cliquei nessa seta para cima achando que teria alguns comentários para ler, creio que a maioria pensou o mesmo……BABACA é vc seu animal…..

    • Walfredo de Sá

      No mínimo você cria um um jabuti!

  • http://diariosproibidos.blogspot.com/ Samyta Nunes

    O Clint é meu sonho de cachorro! Adorei o vídeo!!! =)

  • Leila

    Matéria bacana! Posso divulgá-la no meu face usando a foto do Clint e inserindo o link do conteúdo da matéria? Obrigada :) Leila

    • Rodrigo Cambiaghi

      Deve Leila!

      Só não pode publicar o conteúdo na íntegra senão o Google deixa de nos indexar e é ruim para nós.

      Beijos

  • brumiranda

    São dicas muito boas e eu vou tentar usar essa do passeio com a minha cadela. Eu tenho uma Sharpei de 1 ano e 10 meses e ela é o cão chupando manga (eu na verdade tenho uma foto dela comendo uma manga). Eu deveria ter imposto mais limites pra ela desde quando era filhote e agora ela é meio difícil de adestrar, mas hoje em dia ela sabe alguns truques e é uma raça bem inteligente. Ela sabe a diferença do telefone normal para o interfone – quando o telefone toca, ela nem se mexe, mas quando é o interfone ela se levanta, vai até a porta e volta direto esperando que a visita chegue porque sabe que alguém vem aí.
    Muito esperta! ehuaheuhaeuh :)

    • http://twitter.com/ninaaubasi Nina Aubasi .

      Realmente, Bruna. Todos as informações de shar pei dizem que é um cão calmo, mas sinceramente, não sei onde. haha

  • http://twitter.com/ninaaubasi Nina Aubasi .

    Acho que é mal de mulher mesmo. Mimam os cachorrinhos pra caramba e depois ficam loucas quando eles comem aquele sapato de salto novo.
    Já mimei sim, mas depois que ganhei um shar pei do namorado, percebi que um cachorro pequeno desobediente é ruim, mas um médio/grande é impossível, assim comecei a mudar a postura. 
    O post ajudou muito! Excelente.

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=1066327634 Dani Stark

    Que lindo o Clint! Meu bebê (pra mim é como se fosse um filho mesmo) tá com 6 anos já, super carinhoso e comportado. Vem é vem, fora é fora, senta é senta. A gente dá muito amor pro Pretinho, mas trata ele que nem cachorro. Não pode subir nas camas ou sofás, tem de ficar longe da mesa, não pode chegar perto das plantas. Até hoje não deu trabalho nenhum. 

  • Adrianot_silva

    O que vocês acham do cão guarda vidas: http://www.youtube.com/watch?v=wt2Wti2BKno

    Quando tem alguém se afogando ele é o primeiro a entrar…

  • brenorb

    Bem, eu tenho uma Jack Russel Terrier que, como talvez saiba e como as da raça dela são, tem muita energia. Realmente eu não tenho lá muito saco pra ir no parque com ela e tal porque, na verdade, ela nem é minha, minha irmã que comprou. O fato é que eu sou o único que expressa autoridade com ela, talvez minha mãe também, então é meio complicado. É como um filho com um pai rigoroso e uma mãe relaxada e sempre se esconde atrás da mãe depois de fazer algo. Ainda assim ela tem uma personalidade muito forte, está sempre me desafiando.

    Mas o que queria perguntar mesmo, é que ela já está mais velha, será que mostrando isso pra minha família e tentando treiná-la, consigo adestrar ainda ela já velha?

  • Rodrigosmc_

    clint wood ?

  • Lilla

    Gente, qualquer semelhança entre cães e crianças não é mera coincidência não. Quem lê Içami Tiba que o diga!  Olha os tópicos que servem para ambos:

    - Fazem carinhas lindas para quebrarem regras (e ocasionalmente, com mulheres, eles conseguem);
    - A todo momento testam a autoridade;
    - Necessitam de passeio no parque para terem um desenvolvimento saudável;
    - A despeito de aparentemente terem resistência, a disciplina e a rotina faz com que se sintam protegidos;
    - Percebem a diferença da voz numa situação de ordem;
    - Sempre faz-se necessário procurar o equilíbrio entre proteção (disciplina) e liberdade;
    - “Treinamento (educação de filhos) requer muita prática, paciência e repetições”.

    • Rodrigo Cambiaghi

      Não tinha pensado nisso Lilla.
      Faz muito sentido.

      Quando eu for pai vou voltar aqui nesse texto e tentar adapta-lo abordando a educação dos meus filhos. 

      • Lilla

            Certeza que você vai estar mais preparado para ser pai. Alguns “detalhes” a mais na criançada, você vai descobrir com a convivência.

            Percebeste nos comentários, a diferença sutil, enquanto as mulheres em sua maioria comentaram demonstrando a vulnerabilidade diante das “carinhas”, os homens, por sua vez, se identificaram mais com essa postura firme/carinhosa de conduzir os cãezinhos?

            Apesar de ser muito reticente (antes de ser mãe), na prática, tive que dar mão à palmatória: as funções de pai e mãe têm essa diferença de papéis no desenvolvimento saudável da criança. As características biológicas e psíquicas se diferem justamente para proporcionar um aspecto mais amplo na educação, equacionadas a “n” variáveis , obviamente. E, em se tratando de crianças ou cães, educação é a estrutura fundamental, não apenas para que um indivíduo saiba conviver em sociedade, sobretudo, na construção de uma personalidade dinâmica, equilibrada e saudável (grande desafio!).

  • http://www.facebook.com/antonio.t.filho Antonio Teixeira Filho

    Fantástico cara, parabéns!

  • LuisPauloLohmann

    Bom artigo, é bom lembrar os donos que seus cachorros são…cachorros! É preciso tratá-los com carinho, mas também com autoridade. Para isso é necessário perseverança.

    Entretanto, tenho uma ressalva a fazer: é fácil falar quando se tem um golden retriever, um cão notoriamente fácil de adestrar. Eu tenho uma beagle e, embora ela me respeite e tenha aprendido a se comportar melhor, algumas coisas são praticamente impossíveis! Cada raça tem seu temperamento e é preciso levar isso em conta.

    • Rodrigo Cambiaghi

      Pois é Paulo, 

      O Golden é um cão naturalmente dócil e companheiro, é adestramento e liderança no easy mode.
      Talvez esse post não existiria se fosse um Rottweiler.

      Abraço!

  • http://twitter.com/pedroygoor Pedro Assunção

    Total acordo!

  • http://www.facebook.com/people/Fernando-Gouveia/1770199954 Fernando Gouveia

    Na minha casa tem 2 cachorros, um viralatas pequeno e um Pitbull.
    O pequeno é mais velho, quando o Pitbull ficou maior que ele começou a disputa pelo território.
    A familía inteira trata o assunto com energia, basta uma rosnada que a bronca é imediata, mesmo depois que cada um vai para a sua casinha ainda confirmamos a reprovação.
    Enquanto tiramos o carro da garagem eles não fogem e mesmo se passar outro cachorro na rua eles latem do muro.
    Isso com o Pitbull foi muito facil, acredito que seja pq ele nunca viu o mais velho sair.

  • Carlos Araujo

    Rodrigo,
    Muito verdadeiro o seu texto, gostei.
    Reflete sobre isto. Tenho 54 anos.
    Aos 15 um pastor correu atras de mim.
    Meu pai foi mordido por um cachorro “mansinho” no Arpoador no Rio.
    Ano passado, tinha um salsicha solto na garagem. Quando abri a porta, ele veio latindo para cima da minha filha. Eu berrei e me preparei para dar um bico. O dono nunca mais anda de cachorro comigo no elevador.
    …e adoro cachorro..especialmente o golden. Meu pai teve um dos primeiros no Rio, decada de 90.
    Para mim, andar de cachorro com coleira é um sinal de respeito pelo outro. Imagino uma mãe com um criança novinha num carro de bebe. Ela não sabe que o cliente é manso, e provavelmente, vai ficar assustada. E outras situações de calçada estreita etc..
    Forte abraço
    Carlos

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=1679867499 Vicenzo Abichequer

    Nossa, refleti muito depois de terminar o texto. Tive um Daschund (linguicinha) que era o capeta, cara. Muito bom o texto.

  • Rodrigo Cambiaghi

    Oi Talita,

    Não sou especialista no assunto pra te responder com exatidão.

    Mas pelo que eu li e vi, apesar de ser mais difícil e mais trabalhoso, da sim pra adestrar cães mais velhos, apesar da máxima “you can’t teach an old dog a trick”. 

    O Clint é novinho, tem 1 ano e meio. 
    A gente disciplina ele desde filhote.

  • Dado Teles

    Adoro cachorros, mas por morar em apartamento, me privo de criar um. Quero um dia morar numa casa, e com certeza, a primeira aquisicação será um cachorro!

  • Prisvianna

    Eu sei de tudo isso, mas não consigo praticar. Lá em casa, NÓS nos adaptamos ao temperamento errático do Elvis (Hellvis para as visitas que sempre tem medo dele, apesar de ser um cocker). Tentei utilizar todas essas técnicas, mas acho que o meu problema é que a postura não corresponde ao comando, e ele percebe que eu sou coração de manteiga toda vida. Esse lance de ‘dar a patinha’ e ‘obediência’ é muito verdade, tanto que ele só dá se tiver um petisco do lado.  Vou tentar praticar mais minha autoridade…

  • http://www.facebook.com/luizahsr Luiza Helena

    Ahhh o Clint me lembra muito o meu Ying,tbm é um golden *-*
    poxa super legal vc conseguir ensinar ele,eu tenho um golden (Ying) e um labrador preto (Yang)
    ,tenho eles desde os 8 anos (hoje to com 20),faziamos bagunça juntos,eles so tem comandos basicos pra não pular na visitas,nem entra na cozinha tbm
    Hoje eles estão velhinhos,são bem mais tranquilos,so brincam cmg quando chego em casa
    Assim eu acho que ter um tenis destruido,uma comida roubada pelo menos uma vez faz parte da experiencia de se ter cachorro,ainda mais se for dessas raças o bichinhos com tendencia para o caos rs

    adorei o texto !

  • ronie

    fantástico artigo! muita gente precisa de um dono assim!

  • http://www.facebook.com/people/José-Guilherme-Pessoa-Trindade/100002064904942 José Guilherme Pessoa Trindade

    Putz cara, esse artigo vai ser de grande ajuda.

    Meu cachorro não para quieto, pula em tudo e em todos, quando to longe ele chora não obedece quando falo pra sair, tenho que aumentar bem o tom de voz.

    Mas descobri o problema, eu não sou muito “exigente” como dono e tmb não sou muito presente, acredito que não seja exigente justamente por não ser presente, fico com um pouco de remorso, mas eu e ele vamos ter que nos adaptar. 

  • http://www.facebook.com/people/Mauro-Reis-de-Aguilar/100000439014363 Mauro Reis de Aguilar

    Como sempre os textos na maioria das vezes são muito interessantes. Muito bom!
    Não gosto muito de ler, mais sempre que entro no blog fico um bom tempo dedicando aos assuntos postados que acho diversificados e prendem a atenção.

  • Pingback: Rato de Biblioteca » Blog Archive » Semana do Rato

  • Vibalduino

    Sou veterinária e adorei seu texto….tdos os dias tento passar isso pros proprietários… cães tratados como cães são mais felizes, e mta gente não quer acreditar nisso. O problema é o vazio na vida delas q é suprido com a cia de um pet e realmente não precisa de mto pra compensar esta cia…!!!!!! 

  • Cleberson Pertile

    Só pra confirmar, Rodrigo, seu cão é um Golden Retriever?

    O poodle da minha mãe é o cachorro mais mimado e mandão que existe. Fica ganindo toda hora porque não tem alguém do lado dele, não deixa a gente em paz quando comemos, e se minha mãe não tá em casa ele mija em tudo quanto é canto. Foi MUITO, MUITO mal educado, pois era presente pra minha irmã e ela tratava como bebê. O bicho vai fazer 12 anos e ainda parece um filhote recém-chegado, só dá trabalho.

    Quando eu tiver minha casa terei um Golden Retriever, adoro essa raça. Gosto de cachorro de médio/grande porte, e gosto da companhia que eles proporcionam. Tem um cachorro pequeno, não sei a raça, que sempre passa na frente da minha empresa no fim da tarde, cansado, com a língua de fora. Parece ser vira-lata pois ele passa longe de mim, com o rabo entre as pernas (medo de ser enxotado, pelo jeito), mas um dia consegui a confiança dele com um copo de água. Agora ele passa e vem perto de mim, dou água pra ele, ele “agradece” (aquele olhar de cachorro que a gente sabe que significa alguma coisa) e segue o caminho dele. Cachorro é muito legal.

  • luis_moc

    Aqui em casa é assim: Tenho um Yorkshire que vive dentro de casa, eu “mando” nele e ele “manda” na minha mãe. Sou o único da casa que ele respeita, que tem voz ativa nos comandos. Se não estou em casa, quem comanda aqui é o cachorro.

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100001237721686 Fernanda Soares

    Rodrigo,

    Adorei seu texto, muito inteligente e esclarecedor.
    Às vezes perdemos a mão pelo amor que sentimos por eles e esquecemos destas coisas importantes.
    Ler seu texto foi bom para me chamar na realidade de alguns erros que cometo com meus dogs.

  • http://www.thiagoazza.me Thiago Andreazza

    Ok, eu não quis dizer que ele CRIOU o conceito e o estudo. Me expressei mal. Mas foi ele que trouxe isso para o ambiente comum. De ensinar as pessoas a aplicar isso não só dentro de um segmento, mas abrangendo pessoas comuns mesmo… Começando lá pelo fim dos anos 70/inicio de 80.

  • http://www.facebook.com/juliane.knopik Juliane Knópik

    MUITO BOM.

  • http://www.facebook.com/glauci.alves.90 Glauci Alves

    verdade, adorei, vou tentar fazer certo.

  • André Neto

    Perfeito o texto, compartilho com a mesma ideia ! aposto que um animal independente de sua especie e raça não gostaria de ser tratado como ser um mano, como um ser humano não gosta de ser tratado com um Cachorro ! a parte na qual menciona que se o cachorro pensasse e falasse, falaria : ” Nossa como o meu dono é obediente!” tratar um cachorro como uma pessoa é atropelar a ordem das coisas, o Amor ao um animal tao fiel é obrigatório ! mas você tem que ter o comando sobre ele, afinal, quem pensa racionalmente é você !…Cachorro é cachorro, Humano é Humano, Papagaio é Papagaio ! … tao obvio …!

  • Flavia Rau

    Perfeito! Parabéns! É exatamente td isso que vc falou que eu penso, as pessoas muitas vezes (sempre, alias) acham que eu não gosto de cachorro! Não é isso, só acho que eles tem o lugar deles, que, obviamente não é lambendo as suas partes intimas, e depois lambendo a boca do meu bebe, ou dormindo na minha cama comigo, deitando no meu sofá! Quando será que as pessoas vão acordar? Eu adoro cachorro, mas ele precisa ter a casinha DELE e nós a nossa!

  • Pedro

    Gostei muito do seu texto.

    Só acho errado você sair na rua com ele sem coleira. Por mais que ele te obedeça. Acontece que tem gente que tem medo de cachorro, e só de ver um sem coleira já fica com assustado.

    No geral, eu não crio animal nenhum justamente porque não tenho saco de cuidar. Eu sou totalmente contra crueldade com animais, mas é foda aguentar cachorro mal educado latindo a noite toda, tudo culpa do dono que não educa.

  • Guilherme

    O seu cachorro é o mesmo Clint que passeia pelas ruas da Pompeia? Se for o mesmo, uma coleira nele não é nenhum desrespeito à sua natureza animal a qual, aliás, há muito tempo vem sendo mitigada pelo próprio bicho para conviver com seres humanos. Se não for o mesmo cão, esquece…

  • Fabio Arauca

    Olá Rodrigo!
    conheci o Clint domingo, enquanto estava passeando com a minha golden Roghi. Conversei com a senhora que estava com ele e acabei pegando o contato pra um possível coito no final do ano quando ela entra novamente no cio! Achei ele super bonito!

    A mulher que estava com ele disse que era de vcs daqui do site e daí entrei hoje pra ver algum post e achei esse! achei super legal seu texto e tento ter a mesma prática com minha cadela! me identifiquei com o site tbm e com o perfil de vcs aí! penso e vivo parecido!
    Valeu pelas reportagens.

  • Mane Diaz

    Adorei!! Agora entendi pq meu cachorro não da a minima pra mim… eu trato ele como se fosse criança. Minha mãe tem uma cachorrinha tão obediente e é q ela sempre foi tratada como o q é, uma cachorrinha. Por exemplo cuando eu e meu marido vamos na casa da minha mãe e a gente fica na minha cama vendo tv, por mais q meu marido insista em chamá-la pra subir na cama se eu não chamar ela não sobe e só fica me olhando mechendo o rabinho louca pra subir… ela é muito obediente. Vou tentar mudar com o meu peludin pra ver se aprende a me respeitar.

  • Walter Knight Templar

    Tratar cachorros como gente é doença grave!

  • Cenira de Mello

    Muito obrigada pelas informações objetivas e eficazes! Vou fazer isso com minha cachorra Golden de dois anos que está pesada e com dermatite. Quando ganhei ela ela havia passados seus dois anos de vida num apartamento, numa área de serviço presa, somente comendo e deitada, saidno de manhã e a tardinha para fazer as necessidades. Eu moro em casa na praia com quintal grama e areia. tem espaço para ela correr e brincar. Tenho mais dois cachorros, um cooker e outro que não é pedigri. Ela so come ração Club Performase adult. Dois copos por dia. è obesa (penso pelo sedentarismo) Ela está muito ofegante mesmo sem fazer exercícios. Tenho procurado dar duas ou tres voltas em todo pátio e jogar bolinha com ela. mas ela fica mais deitada. terei um investimento de dedicação e paciencia seguindo suas experiências. Vou insistir. Ah! Ela come arbustos e raízes, Já fiz uma limpa no quintal, mas fica mastigando tudo que é galho de árvore. Ela é castrada.
    Abraços Cenira

  • kauane

    seus cachorros sao lindos bem treinados eu amo cachorro

  • luiz

    cachorros com dono depressivos….

  • luiz

    Cachorros com dono depressivos…..

  • luiz

    Cachorros com donos depressivos

Papo de homem recomenda

Assine o Papo de homem

Curta o PdH no Facebook
  • 5138 artigos
  • 647359 comentários
  • leitores online