“Preço justo” não faz sentido

Raphael Gaudio

por
em às | Debates, Mundo


Jogar videogame no Brasil custa caro. Dói no bolso pagar R$ 100,00 num só jogo ou R$ 2.000,00 num console. Um pessoal que já estava cansado de pagar essa grana violenta foi em busca do real motivo do estupro de preços e acharam uma resposta: videogame tem o mesmo tratamento que os jogos de azar.

Isso mesmo! Aquele Xbox 360 que você tanto quer é encarado pela legislação brasileira da mesma maneira que uma máquina de jogos de boteco ou jackpot de bingo – todo tipo de máquina em que você perde dinheiro eternamente. Então criaram o movimento Jogo Justo, em busca de uma criação de lei que separe o joio do trigo e amenize os impostos taxados em cima dos gamers (jogos e aparelhos são taxados em 161,75% sobre os seus valores quando entram no Brasil).

Mais recentemente veio a campanha Preço Justo, promovida pelo Felipe Neto. A ideia é básica: por que não reduzir os impostos de importação para todos os produtos que queremos consumir do exterior?


Link YouTube

A redução de impostos não é o melhor caminho

O movimento é bom, mas o foco está errado. A função do imposto importação é justamente evitar evasão de divisas. O que deve ser exigido do governo é incentivo para que as empresas estrangeiras criem fábricas no Brasil.

Comprar iPad e Xbox importados só gera dinheiro para a China e EUA. Por que não ajudar uma Foxconn a instalar uma fábrica de iPads aqui no nosso país e gerar empregos diretos e indiretos, ao invés de só recolher impostos de importação?

Pedir para baixar os impostos de importação é a mesma coisa que pedir aumento de mesada para comprar o que você quer.

Criar estruturas para que as empresas estrangeiras venham para o Brasil, dar suporte para as empresas nacionais e aumentar os investimentos em pesquisa e desenvolvimento, esse é o caminho. Quer um exemplo? Coréia do Sul. Investiram em educação, P&D e em questão de décadas viraram exportadores de tecnologia. Por que aqui não pode ser igual? Por que só podemos exportar café, açúcar e minério de ferro?

Existe uma coisa que o governo faz e pouca gente sabe. Empresas podem solicitar ao governo uma redução de Imposto de Importação para comprar máquinas e equipamentos do exterior que não existem no mercado nacional. Isso se chama Ex-Tarifário.

Mas pera lá, você vai dizer. Como assim, o governo concede redução de impostos para os empresários, mas não reduz para gente comprar videogame?

Em primeiro lugar, o governo avalia o efeito multiplicativo que essa máquina produzirá. Veja só, o governo concede a redução do imposto na entrada, mas ele sabe que lá na frente ele vai receber em dobro ou triplo de impostos, pelo fato daquela máquina produzir mais e melhor.

Em segundo lugar, não pode existir similar nacional. Se alguém produz essa máquina aqui no Brasil, não há sentido em trazer lá de fora, correto? Percebeu a diferença? O governo dá a redução, mas quer algo em troca. Sem individualismos, sempre pensando na sociedade como um todo.

O que a gente tem que parar pra pensar é: qual é o retorno que o nosso país terá ao baixar os impostos de importação? E não baixar só porque eu quero um PS3.

Poderíamos, sim, fazer uma campanha de #votojusto pelo uso consciente do voto em políticos que mereçam a nossa confiança (em parceria com sites como o Vote na web e outros para votar melhor). Se fizéssemos isso, aposto que daqui uns dez anos essas e outras campanhas deixariam de existir.

O que pensam os leitores e leitoras PdH?

Raphael Gaudio

Analista de Importação e Bacharelando em Administração com ênfase em Comércio Exterior. Já ajudou a importar de tudo, é são-paulino fanático, ávido consumidor de junk food e coca-cola. Escrevo em seu blog e no Twitter @gaudio.


Outros artigos escritos por

Somos entusiastas do embate saudável

O texto acima não representa a opinião do PapodeHomem. Somos um espaço plural, aberto a visões contraditórias. Conheça nossa visão e a essência do que fazemos. Você pode comentar abaixo ou ainda nos enviar um artigo para publicação.


EXPLODA SEU EMAIL

Enviamos um único email por dia, com nossos textos. Cuidado, ele é radioativo.


TEXTOS RELACIONADOS

Queremos uma discussão de alto nível, sem frescuras e bem humorada. Portanto, leia nossa Política de Comentários.


  • @andrefilho

    Acho que agir de supetão é um tanto adolescente demais. Falar “baixa os impostos” é tão eficaz quanto “parem de roubar”

    • Mickey

      Texto muito bonito e tudo mais, mas como explicar o aumento do preço do PS3 depois de começar a ser produzido por aqui?

    • Willian

      Se você não argumentar discutir ou criticar um assunto ou uma ação indevida dos governos nunc avai mudar … rídiculo seu comentário cara sinto muito

    • Ze sd

      Concordo!

      Gostei tb desse site: http://www.bobalhao.com.br

    • Felipe Basso

       Nao tinha o costume de ler papo de homem. Pq sempre achei esse negocio de papo de algo… um tanto feminino. Agora mais do que nunca percebo um padrão tosco nas reações.
      Enquanto os enciumados malham pau em um muleque perdido na internet. Cerca de 8 empresas grandes aderiram por dois dias a um projeto de nome. Preço Justo.
      Claro intalar as empresas eh muito melhor. Mas essa idéia era defendida desde o tempo do Barão de Mauá. Sem efeito algum.
      Se gritar baixar impostos eh o mesmo que parem de roubar. Acabo de perceber que por dois dias algumas empresas EFETIVAMENTE baixaram impostos,  portanto só posso concluir uma coisa, criticar e falar algo apenas para desvalorizar uma iniciativa de outro cidadão indignado eh tão util quanto pedir para o governo que incentivem alguma coisa.
      Aprendam com o primeiro mundo. Querem algo bom, bem feito? Faça você mesmo, ou conte com serviços de outros cidadãos. Recalcados!

    • Gláucius Mariano

       
      Cara na verdade o comentário não é pra vc… mas como não achei o botão de “COMENTAR” cliquei em responder mesmo… o comentario vai para a matéria acima.

      Matéria RIDÍCULA…… sinceramente… papo demagógico e sem nexo. Criar estruturas para que empresas estrangeiras venham para o BRASIL…. a vá se FUDER…. larga de ser medíocre… empresas “ESTRANGEIRAS JÁ EXISTEM NO BRASIL” seu juma….oq vc entende por ZONA FRANCA DE MANAUS??? você acha que tudo é importado?? Você acha que o jogo que tá lá no submarino é importado?? É tudo produzido aqui mesmo, seu bosta…. O imposto absurdo que existe é sobre o preço daqui de produtos daqui mesmo, é CLARO que existe o imposto que incide sobre os produtos importados QUE TAMBÉM É UM ABSURDO.

      ” O governo dá a redução, mas quer algo em troca. Sem individualismos, sempre pensando na sociedade como um todo” VAI TOMAR NO SEU CU’ . Você é algum deputado ou filho de senador?? Em qual plano existencial você ACHA que isso que você falou é verdade??? Esse governo NUNCA pensou em sociedade como um todo… Eu não sei de onde vc tirou essas conclusões malucas…. “ANALISTA DE IMPORTAÇÂO” meu deos… como tem gente burra nessa país. Criando uma matéria babaca atrapalhando um movimento inicial, que pode vir a ajudar a levantar outros.

      “O que a gente tem que parar pra pensar é: qual é o retorno que o nosso
      país terá ao baixar os impostos de importação? E não baixar só porque eu
      quero um PS3.” MEU PAÍS QUE SE FODA!!!! Eu não quero saber é de “MEU PAÍS” eu não vivo um socialismo mto menos um comunismo. AQUI MEU IRMÃO vivemos um capitalismo selvagem, onde cada um defende seus interesses e essa poha só melhora se todos tiverem um interesse comum de “ajeitar suas vidas”. MEUS PAÍS que não faz nada pra me ajudar só me atrapalha, me suga, me sacaneia, então eu tenho é que DEFENDER meus interesses pra depois QUEM SABE em ALGUM dia PENSAR COMO UM TODO. Voto Consciente é o caralho tmb… vai SE FUDER…. não tem dessa… o negócio é investir em educação pois essa nossa geração está perdida. A esperança está na próxima, das crianças, conscientizar do que fazer e oq não fazer… Chega de demagogia e teorias fracas o negócio agora tem que ser extremismo para mudar em pouco tempo. E tenho dito!

      • André Chagas Braga de Menezes

        Acrescento: 
        Os impostos NÃO são altos somente porque os produtos não são produzidos aqui.
        Nosso iPad é o mais caro do mundo.
        Os carros aqui são os mais caros do mundo.
        Alguém é capaz de achar que o Brasil é o único país do mundo que não fabrica todos esses caríssimos produtos? Até a Nova Zelândia vende iPads MUITO mais baratos que aqui!

      • http://profile.yahoo.com/TXWYYDUEOOWBFQD3SUYSE2W4EU André

        Acrescento: 
        Os impostos NÃO são altos somente porque os produtos não são produzidos aqui.
        Nosso iPad é o mais caro do mundo.
        Os carros aqui são os mais caros do mundo.
        Alguém é capaz de achar que o Brasil é o único país do mundo que não fabrica esses caríssimos produtos? Até a Nova Zelândia vende iPads e notebooks MUITO mais barato do que aqui!

    • Joaoseila

      Eletronicos? maquina? connectado? a vão carpi um lote!

  • Joaoliveira

    Especialistas falam, falam, falam, falam…

    Mas no final a pergunta permanece:

    COMO DEFENDER A MAIS ALTA TAXA DE IMPOSTOS DE IMPORTAÇÃO DO MUNDO???

    tem que diminuir e ponto final

  • Danilo Freire

    Reclamar de redução de imposto é coisa da esquerda e de (pseudo)direitistas com dor de cotovelo (pois queriam que a redução ocorresse em relação a interesses próprios).

    Resumo:

    O que está em jogo NÃO é a redução de imposto propriamente dita, mas algo anterior e mais profundo: conceito, finalidade e função do Estado. É uma discussão sobre fundamentos políticos.

    • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

      Bela indicação, Danilo! Tinha lido ontem. Aliás, o Flavio está preparando mais um texto para o PdH.

      • Loló

        Nunca vi texto mais EQUIVOCADOdo que esse que o Freire indicou.

      • http://www.papodehomem.com.br/ Guilherme Nascimento Valadares

        Loló, explique pra nós então.

      • http://www.papodehomem.com.br/ Guilherme Nascimento Valadares

        Loló, explique pra nós então.

    • 1bertorc

      Falou mal de Marx, vai ser queimado em praça pública…
      O único problema do texto é a separação que ele fez de classe média e proletário, fez sentido por que ele foi coerente dentro do texto, mas vai dificultar o debate.
      Em geral a classe média é proletária, precisa vender sua força
      de trabalho, alguns são capitalistas (pequenos empresários) e mesmo
      investidores ou rentistas (geralmente se usa o termo para quem tem
      muito dinheiro mas é um equívoco, uma pessoa que tenha 2, 3 aluguéis
      não é rica e pode levar uma vida média com eles).
      Mais complicado ainda o caso dos funcionários públicos: Há alguns
      ‘executivos’ de estatais que recebem bastante dinheiro e outros que
      recebem praticamente o salário mínimo (professores da rede básica por
      exemplo). Para cada pessoa que ler os termos significarão uma coisa
      diferente.

    • 1bertorc

      Falou mal de Marx, vai ser queimado em praça pública…
      O único problema do texto é a separação que ele fez de classe média e proletário, fez sentido por que ele foi coerente dentro do texto, mas vai dificultar o debate.
      Em geral a classe média é proletária, precisa vender sua força
      de trabalho, alguns são capitalistas (pequenos empresários) e mesmo
      investidores ou rentistas (geralmente se usa o termo para quem tem
      muito dinheiro mas é um equívoco, uma pessoa que tenha 2, 3 aluguéis
      não é rica e pode levar uma vida média com eles).
      Mais complicado ainda o caso dos funcionários públicos: Há alguns
      ‘executivos’ de estatais que recebem bastante dinheiro e outros que
      recebem praticamente o salário mínimo (professores da rede básica por
      exemplo). Para cada pessoa que ler os termos significarão uma coisa
      diferente.

  • vitor

    Acho que o Brasil tem leis ambientais e trabalhistas justas demais para valer a pena a criação de fábricas como a foxconn por aqui.

    • http://www.facebook.com/people/Gabriel-Cerdeira/100000860445054 Gabriel Cerdeira

      concordando com Vitor.:

      Criar incentivos para trazer fábricas pra cá?

      China não tem restrição ambiental nenhuma.
      China tem uma das mãos de obras mais baratas do mundo. Para se ter um exemplo, um trabalhador da construção civil (pedreiro/peão de obra) ganha somente comida e bebida durante toda a duração da obra. não tem direito à dia de folga. E no final de tudo ganha uma remuneração de algo próximo de 200 dólares. Por isso que em um tempo atrás se comparava o custo do estádio do Engenhão ser 3 vezes o do Ninho de Pássaro.

      Na China, não há final de semana. Há 3 dias de férias no ano todo, que um trabalhador normal tem direito a ter.

      se há alguma viabilidade de se oferecer condições legais melhores que as Chinesas por parte de nós, por favor, me avisem.

  • http://www.facebook.com/andrecbg André Castelo

    Mas em curto-médio prazo, acho que a diminuição dos impostos iria até CONTRIBUIR pra evitar a evasão de divisas: muita gente que pede pra nego trazer dos Estados Unidos iria pagar imposto.

    Acho que a idéia é boa e talvez deva realmente seguir em frente. E enquanto isso deve haver um trabalho pra que essas indústrias venham pra o Brasil.

  • Anônimo

    Em termos eu até concordo, mas não é só num PS3 que o imposto pesa né!? Poxa, somos o maior país em importações agrícolas e porque pagamos tão caro num pacote de arroz por exemplo??? Porque a taxação de impostos do Brasil tem q ser a maior do mundo??? ¬¬”

  • Anônimo

    Em termos eu até concordo, mas não é só num PS3 que o imposto pesa né!? Poxa, somos o maior país em importações agrícolas e porque pagamos tão caro num pacote de arroz por exemplo??? Porque a taxação de impostos do Brasil tem q ser a maior do mundo??? ¬¬”

  • http://twitter.com/oEdy Edmilson

    Trabalhei na FoxConn Indaiatuba, e entendo um pouco sobre o assunto. Não é tão facil fazer uma empresa como a Apple fabricar seus produtos aqui, não compensa para ela financeiramente falando, um funcionario FoxConn ganha em torno de R$ 1.000/mes no Brasil, na China esse valor cai para uns R$ 430 , Compensa muito para a FoxConn fabricar os Ipads, Ipods, Iphones … lá na China, como concorrer com o custo beneficio da China?

  • Carol

    Raphael, parabéns pelo texto.
    Também acho que Felipe Neto produz vídeos interessantes e que, ao menos, contribuem pra galera pensar e refletir sobre aspectos pouco discutido entre jovens pela internet.
    Mas há outra questão em ser abordada e foi discutido no vídeo: pra onde vai esse imposto arrecadado?Assim como o governo quer o retorno do investimento, nós também gostaríamos de ver isso, mesmo com todos esses impostos. E por que o Brasil é o país com maiores impostos? Como isso é cobrado em outros países com economia similar a nossa?

    Ah, primeira vez que posto por aqui depois de ler há algum tempo os tópicos do Dr Love!rs
    Adoro esse blog ;)

  • http://twitter.com/verossimil verossimil

    Felipe Neto é agente duplo infiltrado, colaborando com “o sistema”, só pode.

    Aquele biquinho, aquela indignação ensaiada à exaustão, “xingando muito no Twitter”, fácil demais julgar a campanha toda como tiro no pé, mimimi internético padrão Vejinha-classe-mérdia, quase um “cansei” mirim. Bolsa-iPad? Auxílio-videogame? Coisa de quem não tem mais do que reclamar.

    Fora que o camarada (lembrem-se, é HUMORISTA) falou tantas vezes “PORRA” no videozim que eu quase achei tratar-se de uma manifestação pró-BUKKAKE.

    • Danilo Freire

      Seu comunista! rs

      • http://twitter.com/verossimil verossimil

        Cazzo, meu pai me XINGAVA (é sério!) de comunista. Em 1990. Ele tinha quase 70 anos.

      • http://www.facebook.com/soutoemanuel Emanuel Souto

        Essa foi boa, risos…

      • http://www.facebook.com/soutoemanuel Emanuel Souto

        Essa foi boa, risos…

    • http://twitter.com/luquetucho Lucas Abreu

      Eu também achei a campanha boa, mas mal executada. Dê a Felipe Neto um milhão de assinaturas. Ele saberá o que fazer com elas? Até escrevi a respeito.

    • Elltoon

      O cara pode ser humorista, mendigo, brincalhão, filha da puta… Mas isso não exime o fato de o Governo nos impor Cento e poucos % de Reajuste na compra de Produtos de fora… Vc é burro? Você tá contra a Idéia ou contra o Idealizador? Você recebe o que em troca desses altos impostos que nós pagamos a rodo nesse País?

      Ah e os palavrões “Porra” do video, não fazem uma gota num mar de ESTUPRO que os Politicos promovem neste País, como mesmo disse o Felipe Neto no video!!!

      E quanto ao Texto, é muito bom mesmo. É um novo olhar sobre a situação, mas ao mesmo tempo não gera um manifesto, e um inicio. Talvez amanhã, lutemos por essas empresas no Brasil, mas hoje nossa realidade é diminuição dessas taxas abusivas mesmo.

    • Marcel

      Hummm… isso é uma democracia, né? Ele tá questionando e se movimentando por algo que acha justo e necessário. Não é uma necessidade que está na base da pirâmide de Maslow, mas isso não importa muito…

    • Willian

      O Felipe Neto mostrou ser um cara muito inteligente e conhecedor de fatos de que 80 % dos jovens hoje nem sequer ouviu falar … ele escolheu o tema video – games e eletrônicos por que esses 80% dos jovens são o publico alvo de seus videos … não adiantaria falar de inflação, política governamental , econômia avançada e etc… ninguem se interessaria em assinar alguma coisa que não é de interesse da grande maioria … pense antes de julgar a iniciativa de uma pessoa inteligante e com muita coragem

  • http://www.facebook.com/people/Ciro-Rafael/100001201514651 Ciro Rafael

    Não creio que precise acrescentar algo!

  • http://www.facebook.com/people/Rodolfo-Godoy-Marques/1528677209 Rodolfo Godoy Marques

    Excelente texto, Raphael, mas tenho que discordar em parte. A campanha proposta pelo Felipe Neto é sim válida. A tributação brasileira é extremamente exagerada quando levamos em consideração o retorno recebido pela população. Se “pedir para baixar os impostos de importação é a mesma coisa que pedir aumento de mesada.. ” como você diz, eu complemento e digo que o que o Governo faz, então, é não aumentar nossa mesada e ainda gastar o dinheiro em pinga e no truco do bar.
    Pelo que pude entender da motivação central da campanha (e fato que eu concordo inteiramente), é que estamos discutindo a tributação sobre material CULTURAL. Nosso país torna inviável o uso de ferramentas que só tenderiam a melhorar o nível cultural brasileiro. E não me venham com essa de “impostos para proteger a indústria brasileira”, porque simplesmente não existem tais indústrias no Brasil (e é aí que entra seu comentário, claro). Só que, infelizmente, na maioria dos casos, para o nosso Governo oferecer incentivos fiscais quem precisa de um incentivo é ele, se é que me entendem.

    • http://twitter.com/adkormann Adilson Kormann

      Achei bem valido o comentário do Rodolfo. Na minha opinião o problema não está na alta carga tributária do país, mais com o que é realmente feito com o dinheiro arrecadado com os impostos. Agora me diz, quem é que olha por este lado? Por que todo mundo fica preocupado em diminuir os impostos e não em cobrar um serviço decente do governo?

    • Marcel

      Fato, como se entretenimento e fontes de informação não fossem importantes…

      O jeito que ele falou pode ter sido mal-educado, meio mimado, mas é o estilo dele, mesmo que seja forçado.

      E também não ter focado no que você disse – iPads, mídias óticas, etc. como fonte de cultura informação – apesar de estar implícito né? Foi por isso que ele perdeu um pouco de credibilidade, mas não invalida a iniciativa mesmo assim…

      Adorei a analogia da pinga e truco do bar, é bem nessas mesmo…

  • Anônimo

    Não é isso que está sendo discutido. O Felipe Neto quer comprar joguinho e iPad mais barato, só isso. Discutir a Reforma Tributária ninguém quer.

    • Andre

      mas q reforma tributaria… Esse não é o assunto. O assunto é q agente sofre um estupro em relação aos impostos cobrados. Tanto no produto q vem la da asia quanto a gasolina ou o pacote de feijão q agente compra. Mas o lance é q o imposto no produto importado é fora do comum. Fora da realidade mundial. Então ninguem quer só comprar joguinho barato. O que nós queremos é só pagar o preço q a mercadoria vale. Tem gente hipócrita q fala isso, mas tenho ctz q essas pessoas adorariam ter um celular foda, um ipad ou mesmo um ps3. Não quis tirar sua razão nem apoiar como o Felipe Neto aborda tudo isso, é só um pouco mais de coerencia do governo brasileiro na hora de taxar um produto importado. Ou quem sabe ate um bom senso na hora de colocar o imposto de mais de 30% em cima de um carro q é feito no brasil.

  • http://tiagoperes.wordpress.com Tiago Peres
  • http://profiles.google.com/michaelsen.diego Diego Michaelsen

    Quanto a não redução de impostos e trazer as empresas que fazem os produtos que querem ser consumidos concordo plenamente.

    Mas vi esses dias em midia informativa que a tão famigerada gasolina é produzida inteiramente em território nacional e aqui em nosso proprio território custa em média R$ 3,00, enquanto nos paises vizinhos custa algo em torno de R$ 2,30, paises esses que não produzem o seu proprio combustivel.

    Então concluo que, de pouco adianta produzirmos os bens em nosso proprio solo sabendo-se que o governo irá taxa-los de varias maneiras para obter um lucro absurdo sobre tal.

    • http://profiles.google.com/lebowskiwashere Paulo Gameiro

      E desde quando a gasolina é produzida aqui? A gente tira gasolina do chão e manda para outros países, e depois compra de volta.

  • Joaoliveira

    O curioso é que os intelectuais verborrágicos que comentam por aqui são os mesmos que não acrescentam em rigorosamente nada para o avanço do país.

    É tanta cultura, tanto cigarrinho fumado com piteira, sentados em suas pernas cruzadas e fazendo biquinho como se fossem grandes entendedores, mas provavelmente tratados como ratos na vida fora da Internet.

    Vocês têm 99,9% da população brasileira que não faz NADA para criticar… Então um cara decide fazer um manifesto e entrar no 0,01% de gente que tenta fazer algo… E é assim que vocês tratam o sujeito.

    Os comentaristas deste blog/site são o reflexo notório da população brasileira. Estão cagando, só querem sua banda larga, sua inteligência rasa e sua possibilidade de comentar em blogs da internet.

    Parabéns, galera!

    • http://www.facebook.com/people/Douglas-Henrique/100000196772990 Douglas Henrique

      Perfeito!

    • Joao

      Assim como você, atacando quem está debatendo aqui, não está fazendo nada… Por que não começa uma campanha também, ao invés de ficar jogando lenha na fogueira? ;D

    • http://profiles.google.com/jac.souza.lg Jacqueline Gonçalves

      Concordo 100%. Temos que fazer algo para mudar o rumo que as coisas estão tomando. Tem gente que se concentra em falar do Felipe Neto. Porem, temos que nos concentrar no manifesto, na ação e não em quem começou ela. Temos que começar a nos mexer. Se ganharmos essa batalha, poderemos lutar por outros assuntos importantes, como o alto preço do combustível, da carne, do café, enfim, de tantas coisas que o imposto nos priva.

      Vamos adiante! Vamos apoiar todo e qualquer manifesto que seja para o bem geral. Somos nós que mandamos nesse país, mas não é o que vem acontecendo de uns anos para cá. Estamos deixando que políticos que escondem nosso dinheiro na cueca determinar o que é o melhor para o Brasil. Isso é um absurdo!!! Temos que tomar as rédias da situação. Vamos agir galera!!!

  • Ogro

    SEUS ERRADOS. Não tão nem aí pros videogames, né? Seus metrossexuaizinhos frescos. Se fosse gelzinho de cabelo e creme pra pele vocês tavam todos ouriçados protestando, né?

    Incentivo à abertura de FUCKING FABRICAS aqui no Brasil é uma dificuldade 1000x maior. Antes de querer que empresas venham fabricar o produto aqui, temos que regulamentar de forma justa o comércio internacional! Como acha que a Sony se sente com o Estado Brasil lucrar 160% em cima dos jogos deles?

    Eles NUNCA vão vir pro BR com esse tipo de mentalidade vindo do governo. E esse governo escroto NUNCA vai dar incentivo à inserção de fábricas no território nacional, enquanto não forçarmos a vontade do povo sobre eles.

    Um passo de cada vez. Antes de reformar o chão da sua casa, você precisa tirar os móveis sobressalentes de cima dele.

  • http://www.facebook.com/tiago.m.torres Tiago M. Torres

    Fora que é um tanto o quanto estranho o Felipe Neto fazendo uma campanha para redução de impostos, dizendo que todo brasileiro gostaria de comprar originais, sendo que o próprio era o dono e fundador do maior site de divulgação de links para downloads de seriados, o Portal IsFree.tv (na época, ele tinha sua alcunha como Cap_Sparrow).

    Ironia, agente vê por aqui.

    • Xyz

      Mas, se você prestou atenção no vídeo, ele menciona que se o governo está interessado no bel prazer deles e a população está (alienadamente) interessada no dela. Se reduzissem as taxas, o brasileiro poderia recorrer a produtos originais, porém, inviável diante dos preços altos e inconcebíveis.
      Para mim, foi completamente coerente, nada irônico.
      Beijinho

  • Dr Health

    A menção à Coréia do Sul me lembrou justamente uma tecla que o Eike Batista bate direto. Que o modelo a ser copiado é justamente o coreano.

    (Menos o de torcer, vide aqueles gritos chatos da Copa de 2002, eca!!)

  • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

    Valeu, Tiago!

    Estou lendo agora esse aqui: http://oopinioso.wordpress.com/2011/04/28/porque-felipe-neto-esta-errado/

    Convidamos o próprio Felipe Neto para escrever sobre a campanha no PdH também.

    Abraço.

    • http://tiagoperes.wordpress.com Tiago Peres

      Já li “O opinoso” também. A maioria das pessoas que veem o vídeo, só apoiam por impulso, não param pra ler mais e analisar, tentar enxergar as duas faces da moeda. Quando analiso estatisticamente não vejo como o manifesto pode ir pra frente. No primeiro dia chegou a quase 300 mil pessoas apoiando, no segundo dia pouco mais de 50 mil apoiaram. Não parecem pessoas motivadas a defenderem seus ideais.

      • http://www.facebook.com/people/Max-William-Bueno/593510196 Max William Bueno

        beleza tiago, agora me mostra a sua proposta..
        o que vc vai fazer pra mudar o país!?

      • Henrique

        É claro que o numero de pessoas apoiando diminuirá dia após dia. Porquê uma vez assinado não se pode assinar de novo…

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100002099644480 Dario Lima

    Então dá um video-game para um garoto de rua… Ele vai ficar super feliz, pena que vai morrer de fome.
    Tem que diminuir impostos na comida, investir em educação, infraestrutura e saúde.
    Harry Potter?! ‘Puta que o pariu!’

  • Fabio Gimenez Eleuterio

    Penso que a campanha é valida principalmente para abrir discussões como essa que você iniciou. Concordo em partes com a campanha promovida pelo Felipe Neto e em partes com a sua expansão da idéia.
    Por causa de impostos altos, os revendedores abusam na margem de lucro, pois sabem que a culpa cairá sobre o governo.
    O investimento em pesquisas e educação é muito mais difícil de se alcançar através de um manifesto do que uma redução de impostos, logo, se começarmos pela redução de impostos e der certo, teremos mais ânimo e força para promover uma nova campanha, exigindo do governo ações sustentáveis e de maior impacto, como o investimento em pesquisa e educação.
    O objetivo da campanha Preço Justo Já não é acabar com a tributação sobre produtos importados, e sim reduzi-la a um patamar JUSTO, pois temos que concordar que os 161,75% que você citou são bem acima de “justo”.
    A campanha é válida e o sucesso dela representa, além da redução de preços, uma vitória popular e uma motivação para novas manifestações pelo que achamos ser certo, aumenta nossa força.

  • http://profiles.google.com/bstorquato beneth santana torquato

    Pode ser que você esteja certo, mas vamos concordar que os impostos aqui no Brasil são um pouco exagerados não acha? Ou você acha justo o preço dos produtos aqui? Acredito que não.

    Concordo SIM em incentivar a produção nacional, MAS se for uma produção de produtos de qualidade e com preço acessível.

    Pegue como exemplo o equipamento usado por nossas forças armadas. As armas usadas são produzidas no Brasil, e a utilização de qualquer outro equipamento que não é produzido aqui é praticamente proibida.

    Até ai tudo bem, por que usar importados se produzimos aqui? Show de bola!
    A questão é que a qualidade desses equipamentos é medíocre. Soldado/Policial morre em ação por que sua vangloriada pistola de fabricação brasileira travou no meio do tiroteio.

    Recentemente foi lançado um tablet produzido aqui no brasil, legal né? Temos um concorrente do iPad!
    É ai que você se engana, o tablet brasileiro custa R$ 800,00 em sua versão simples, contra os R$ 1.200,00 do seu principal concorrente.

    Beleza, vou economizar R$ 400,00! Uhul!

    Ta então pega os dois e faça um comparativo. E ai? Qual é melhor? Poisé…

    Uma fabrica da Foxconn ja foi confirmada aqui no Brasil, e aparentemente vai produzir iPads. Quero só ver em quanto vai ficar o valor final. Vamos ver se o valor vai ficar realmente acessível ou o governo não vai acabar criando mais um imposto alegando o mesmo monte de besteiras de sempre.

    Com o valor que JA é arrecadado com essa bomba de impostos que pagamos o Brasil JA deveria investir em educação, saúde, etc…

    E investe? Infelizmente não.

    Vivemos em um círculo vicioso, em qual o governo não investe em educação e forma uma população alienada e acomodada. Que fica feliz podendo assistir a sua novelinha e time do coração jogar no domingo, e assim sendo facilmente manipulada por uma política corrupta e egoísta.

    • http://www.facebook.com/bernardodiasdacruz Bernardo Dias da Cruz

      É isso aí. Estamos inertes e incrédulos. A todo momento surgem entrantes na sociedade consumistas, que são nossas crianças. Se trabalharmos evoluindo/adequanto a educação para o tempo modernos, amanha viveremos o resultado, um resultado positivo. Não basta produzir aqui, isso não resolve, temos que aprender a fazer tão bom ou melhor. Fazer além do que é feito lá fora.

      Quando falamos de impostos, há muita coisa em questão, muita coisa mesmo. Incluindo o salário do trabalhador, que tem um valor altíssimo para o empresário, e isso é algo que fode tudo.

      Queremos bons salários para consumir bons produtos, o nosso bom salário aumenta a carga do empresário que relfete os valores nos produtos, que acabam por ficar caros demais… É uma verdadeira espiral… Tudo cada vez piora mais.

  • Danilo Freire

    Exato. Fim.

    • Alexandre

      Não só a mais alta taxa de imposto de importação…
      A mais alta taxa de impostos em geral! Afinal, alguém tem que pagar a conta da corrupção!

      • Anônimo

        Preço justo ao combustível então, aqui no centro da minha cidade está de 3,00 á 3,10 R$ o litro da gasolina enquanto por uns 20 km da cidade agente acha o mesmo combustível na faixa de 2,85 R$ !!!!

        Isso sim é um absurdo, absurdo é não ver esse retorno em investimento nas estradas que muitas vezes por precariedade causam muito mais acidentes do que a imprudência dos ‘otários’.

        Me disseram que o preço do combustível é alto por que senão muitas pessoas usariam e teriam carro, o que aumentaria ainda mais o caos/trânsito, mas não vejo sentido ‘embolsar’ tanto dinheiro sem o retorno e agora: Cadê a campanha pra isso?

      • Murilo Machado

        Andrew_Felipe, bem fresquinho o vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=dIDUMGmWePU

      • Rockandrounds

        Então, Alexandre, concordo com você que os impostos no Brasil são bem altos, mas não são o mais alto do mundo não.
        Segue o link de uma tabela que comprova o que eu digo:

        http://4.bp.blogspot.com/-I-cuzuoQlQY/TbdEe5LTvmI/AAAAAAAAFvo/pm0q3uxyr_k/s1600/01%2BApr.%2B26%2B19.12.jpg

        Sim, a tabela é de 2009, mas acredite, o Brasil não passou a liderá-la de dois anos para cá, até pq, se isso ocorresse, o país realmente estaria em maus lençóis.

      • http://profiles.google.com/oangmedia02 Vincent Valentine

        caro Alexandre, não temos impostos tão altos assim, a Dinamarca, os impostos representam quase 50% do pib; enquanto aqui é em média 35%; e olha que a dinamarca é um dito pais desenvolvido.

        a Taxa de imposto alto para importação tem de existir, para valorizar o produto interno, nada de ficar deslocando dinheiro brasileiro para o exterior.

        sobre corrupção; estamos num pais democrático, é o povo brasileiro quem escolhe quem são seus representantes, não adianta falar de corrupção e reeleger Maluf, genoíno, bispos e pastores em geral etc; aliás, tem muita gente que vota em corrupto falando que ele rouba; mas faz; daí fica difícil.

        os EUA tem uma carga tributaria menor, de 25% sobre o pib; isso é bom? nem tanto, lá não existe saúde publica, nem o direito à escola publica que temos aqui no brasil.

      • http://www.facebook.com/IqueSouza Isaque de Souza

        Mas amigo, Dinamarca é outro patamar,
        Oque eles fazem com o dinheiro que eles arrecadam lá, investem na população, e quase não se vê corrupção.

        Já aqui no Brasil, oque existe é uma falsa ideia de democracia, onde os votos podem sim, de certa forma, serem manipulados.

    • http://www.facebook.com/people/Edegar-Neumann/100000367644831 Edegar Neumann

      Não é fim, e ponto. Vou defender meu ponto de vista mais abaixo, pois tem mais coisas pra falar sobre vários aspectos.

      • Danilo Freire

        Na verdade eu parto de outras premissas, Edegar.

        É consequência das minhas convicções filosóficas e políticas sobre a natureza e a função do Estado.

        Sou um libertariano minarquista, acho a própria tributação imoral.

      • aquiles

        véi na boa véi

      • http://twitter.com/edegar EDEGAR NEUMANN

        ‘Libertariano minarquista’ o_O
        Na boa.

  • http://www.facebook.com/people/Raduan-Meira/100001717398389 Raduan Meira

    Pelo o que eu conheço do assunto, me parece que apresenta uma visão ultrapassada da realidade econômica brasileira. Primeiro que não tem problema nenhum exportar café, açúcar e minério de ferro. As idéias do Prebisch sobre o problema de uma economia nacional baseada em produtos primário. Além disso, o texto dá a entender que exportar esse tipo de coisa não envolve um processo de inovação, como se o mercado de produtos agrícolas tivesse estagnado.

    Segundo que a China a produzindo produtos eletrônicos não é necessariamente prejudicial para o Brasil, muito menos para o brasileiro. É fundamental a idéia de vantagem comparativa. Se continuarmos só produzindo produtos agrícolas e a china só IPAD pode na verdade torna a economia mais eficiente e permitindo uma melhoria de bem estar para todos.

  • http://www.facebook.com/people/Raduan-Meira/100001717398389 Raduan Meira

    Pelo o que eu conheço do assunto, me parece que apresenta uma visão ultrapassada da realidade econômica brasileira. Primeiro que não tem problema nenhum exportar café, açúcar e minério de ferro. As idéias do Prebisch sobre o problema de uma economia nacional baseada em produtos primário. Além disso, o texto dá a entender que exportar esse tipo de coisa não envolve um processo de inovação, como se o mercado de produtos agrícolas tivesse estagnado.

    Segundo que a China a produzindo produtos eletrônicos não é necessariamente prejudicial para o Brasil, muito menos para o brasileiro. É fundamental a idéia de vantagem comparativa. Se continuarmos só produzindo produtos agrícolas e a china só IPAD pode na verdade torna a economia mais eficiente e permitindo uma melhoria de bem estar para todos.

  • http://www.facebook.com/people/Raduan-Meira/100001717398389 Raduan Meira

    Pelo o que eu conheço do assunto, me parece que apresenta uma visão ultrapassada da realidade econômica brasileira. Primeiro que não tem problema nenhum exportar café, açúcar e minério de ferro. As idéias do Prebisch sobre o problema de uma economia nacional baseada em produtos primário. Além disso, o texto dá a entender que exportar esse tipo de coisa não envolve um processo de inovação, como se o mercado de produtos agrícolas tivesse estagnado.

    Segundo que a China a produzindo produtos eletrônicos não é necessariamente prejudicial para o Brasil, muito menos para o brasileiro. É fundamental a idéia de vantagem comparativa. Se continuarmos só produzindo produtos agrícolas e a china só IPAD pode na verdade torna a economia mais eficiente e permitindo uma melhoria de bem estar para todos.

    • http://twitter.com/teresa3a Teresa Augusto

      nossa, a idéia está ultrapassada diante de um conceito de… david ricardo, de 1800? as “vantagens comparativas” são um grande bullshit, pros países subdesenvolvidos acreditarem q podem ser felizes exportando banana. já ouviu falar em deterioração dos termos de intercâmbio?

      • http://www.facebook.com/people/Raduan-Meira/100001717398389 Raduan Meira

        O conceito de deterioração dos meios de troca, que surge com o Prebisch como citei, na verdade demonstra-se falso por todas as análises estatísitcas que já tive a possibilidade de ver. Na verdade a tendência nos últimos anos foi de uma valorização do valor dos produtos primários no mercado internacional. A grande questão da vantagem comparativa é ver que ganhar 50 milhões vendendo potatoes chips é a mesma coisa que ganhar 50 milhões vendendo de chip de computador e isso as pessoas tem dificuldade de ver como algo verdadeiro.

      • http://www.facebook.com/bernardodiasdacruz Bernardo Dias da Cruz

        50 milhões de uma coisa e de outra não parece verdadeiro mesmo. não entendi direito qual o ponto, mas creio que haja uma infinidade de coisas a mais para comparar, não apenas o valor final. teríamos que por tudo na balança, como por exemplo, oferta de trabalho, infraestrutura, capacitação, materia prima, sazonalidade e tecnologia disponível, impacto ambiental, impacto cultural e muito mais coisas, diretas e indiretas… Raduan, explique mais seu ponto de vista, por gentileza.

      • http://www.facebook.com/people/Raduan-Meira/100001717398389 Raduan Meira

        Bernado,
        O que eu quis dizer é que ter sucesso econômico pode ser através de diversas práticas produtivas como, por exemplo, fazer batata frita (potatoes chip) e chip de computador. Isso tanto é verdade que, muito provavelmente, eu e você fazemos no meio profissional são coisas bem diferentes, mas não temos uma realidade sócio-economica tão diferente (somos, mais ou menos, da classe média brasileira). Os fatores que você coloca, apesar de serem de fato importantes, não entram no mérito do que eu argumentei. Quero mostrar que o Brasil pode ser rico sem necessariamente produzir IPAD e coisas semelhantes. Podemos produzir só potatoes chips e termos tanto bem estar quanto um país que produza chip de computador.

        Falei tudo isso para tentar desmitificar a idéia de vantagem comparativa. A ação mais lógica, economicamente falando, é colocarmos todo o nosso tempo e esforço no que sabemos fazer melhor e não pulverizar-lo em diversas atividades e ser medíocre nelas…

    • 1bertorc

      Raduan o que você aponta está correto, mas o fato é que no setor básico brasileiro o governo só precisa atrapalhar menos, mesmo coisas que o governo pode fazer por exemplo infra-estrutura vão servir para praticamente todos os setores.
      Embora eu ache que o Brasil vai ganhar muito dinheiro com agro e commodities um país grande precisa de uma economia mais diversificada para poder gerar riqueza para toda população.
      Mas concordo contigo que agricultura e commodities não são patinhos feios da economia, neles estamos menos pior, agora precisamos fazer mais em outros setores.

  • http://twitter.com/ReverendoBreno Breno Zaccaro

    O foda é por o Cofins e o Pis como parte da tributação…
    Fato: muitas empresas como a Apple, não constroem fabricas aqui pois as vendas no Brasil são baixíssimas estatísticamente (devido a pirataria, comprar nos free shops e nos países estrangeiros), alías a Sony não vê o país como rentavel para videogames justamente por isso… se eu não me engano a única empresa que apostou no Brasil fora a Nintendo com o Wii porém não sei como se saiu financeiramente…

    Então senhores que sustém o argumento das divisas, como reverter esse quadro quando claramente as empresas em questão não fazem a mínima para o mercado brasuca?

    • http://www.facebook.com/bernardodiasdacruz Bernardo Dias da Cruz

      Acho que começando por capacitação de mão de obra, e então incentivos tributários (redução de taxas trabalhistas, entre outros)…

  • http://twitter.com/gbpgabriel Gabriel B. Picanço

    Acho que devem diminuir sim…Só quem ganha uns 10 mil por mês acha uma coisa dessas lógicas. Sou a favor!

    • Rosebud

      Olha só: um pai de família ganha 8.000 e paga 2.000 de imposto descontado na folha.
      São apenas 6.000 pra sustentar mulher, 2 filhos e ele mesmo, além das demais constribuições diversas.
      Não parece pouco, mas é irrisório pra quem deseja dar uma educação de qualidade pros filhos, condições de tratamento de saúde pra família e ainda tem que pagar aluguel e/ou condomínio, supermercado, plano de telefonia, parcela de carro e mais impostos.

    • Rosebud

      Olha só: um pai de família ganha 8.000 e paga 2.000 de imposto descontado na folha.
      São apenas 6.000 pra sustentar mulher, 2 filhos e ele mesmo, além das demais constribuições diversas.
      Não parece pouco, mas é irrisório pra quem deseja dar uma educação de qualidade pros filhos, condições de tratamento de saúde pra família e ainda tem que pagar aluguel e/ou condomínio, supermercado, plano de telefonia, parcela de carro e mais impostos.

  • http://twitter.com/ivanquirino Ivan Quirino

    O problema é que o quanto se paga de imposto para abrir e manter uma empresa no Brasil também é absurdo. Pergunta pro Morroida que ele diz.

  • http://www.facebook.com/people/Graziela-Grazieadio/100000160322021 Graziela Grazieadio

    Gostei do texto. ;)

    Eu acho que o único motivo pelo qual eu poderia aderir à campanha do Felipe Neto, bem, seria porque tive de pegar uns bicos por aqui pra conseguir comprar um playstation move, senão jamais poderia jogar o joguinho do Michael Jackson… hehehe
    Uma boa causa, pra ser boa de verdade, não pode ser egoística, né?

    Ano passado meu professor de Tributário discutia muito sobre isso, e no final das contas a gente sempre chegava à mesma conclusão… o problema é estrutural, pra resolver teríamos de começar a mexer nas bases, e quem tá curtindo a cobertura não está preocupado se a piscina vaza água e tem infiltração no andar de baixo…

    • http://www.facebook.com/bernardodiasdacruz Bernardo Dias da Cruz

      Interessante complementação. Pelo que entendo, as bases são a educação, começando pelas nossas crianças.

      Conversando com um Professor, ele me disse o quanto acha ridículo e ultrapassado a grade curriculas no ensino médio. Mas disse também que não há escolha, o conteúdo é passado pelo MEC e as escolas e professores são obrigados a trabalhar naquilo. Se tem algo muito doente no país, meu palpite é que o cancêr está na educação.

  • http://www.facebook.com/people/Graziela-Grazieadio/100000160322021 Graziela Grazieadio

    Gostei do texto. ;)

    Eu acho que o único motivo pelo qual eu poderia aderir à campanha do Felipe Neto, bem, seria porque tive de pegar uns bicos por aqui pra conseguir comprar um playstation move, senão jamais poderia jogar o joguinho do Michael Jackson… hehehe
    Uma boa causa, pra ser boa de verdade, não pode ser egoística, né?

    Ano passado meu professor de Tributário discutia muito sobre isso, e no final das contas a gente sempre chegava à mesma conclusão… o problema é estrutural, pra resolver teríamos de começar a mexer nas bases, e quem tá curtindo a cobertura não está preocupado se a piscina vaza água e tem infiltração no andar de baixo…

  • http://www.facebook.com/people/Graziela-Grazieadio/100000160322021 Graziela Grazieadio

    Gostei do texto. ;)

    Eu acho que o único motivo pelo qual eu poderia aderir à campanha do Felipe Neto, bem, seria porque tive de pegar uns bicos por aqui pra conseguir comprar um playstation move, senão jamais poderia jogar o joguinho do Michael Jackson… hehehe
    Uma boa causa, pra ser boa de verdade, não pode ser egoística, né?

    Ano passado meu professor de Tributário discutia muito sobre isso, e no final das contas a gente sempre chegava à mesma conclusão… o problema é estrutural, pra resolver teríamos de começar a mexer nas bases, e quem tá curtindo a cobertura não está preocupado se a piscina vaza água e tem infiltração no andar de baixo…

  • http://twitter.com/oEdy Edmilson

    Existem 3 FoxConn no Brasil, uma em Manaus, uma em Jundiai e uma em Indaiatuba, Provavelmente esse investimento que será feito, não vai ser para montar uma nova unidade, e sim aumentar ou capacitar as outras unidades já existentes!

    • http://papodehomem.com.br/ Gus Fune

      Parte do acordo inclui a produção de produtos da Apple nessa nova unidade da FoxConn.

      Tem já uma negociação de meses rolando pra isso acontecer. Ganhou destaque quando o Eike Batista falou que queria comprar iphone e ipad mais baratos no Brasil. Acompanhei pouco, mas vi que ele foi até a China, juntou investidores, etc. Tem dedo dele nessa história.

      E muito melhor ver alguem investindo no país, gerando emprego e aquecendo a economia, do que apenas pedir pra baixar os impostos.

      Baixar os impostos pode quebrar as pernas dos cofres públicos. Preço Justo? Talvez. A questão é mais embaixo, temos que eleger candidados que façam reformas e ajustes que gerem empregos, aumente a capacidade de consumo do cidadão e não só baixar os impostos. O povo com condições de consumir, seja lá qual for a taxação, tem um resultado muito melhor do que só “baixar impostos” sem sentido nisso.

      Exemplo disso: quando cortaram a CPMF, alguém olhou o déficit que foi causado nos cofres públicos? Foi bom pro cidadão, mas demorou pros governos estaduais e municipais se adequarem com o baque.

      • http://www.facebook.com/bernardodiasdacruz Bernardo Dias da Cruz

        Não falo com profundidade de conhecimento, mas há um enorme desperdício de recurso no governo. E falo sim de corrupção e superfaturação. A reforma deve ocorrer em diversos pontos do ciclo vicioso, reduzindo desperdícios de recursos e preparando a população para se alinhar com o “mundo moderno” (não me refiro a tecnologia, e sim a qualidade de vida).

      • 1bertorc

        É relativo, as vezes o governo abaixando o imposto acaba arrecadando mais. Estimular os setores importadores acaba estimulando também os exportadores (precisamos de dólares para comprar). Na verdade a situação atuação de déficit do governo é insustentável, cortes terão que ser feitos, mas sua insinuação de que é necessária uma reforma mais profunda é pertinente.

  • http://twitter.com/oEdy Edmilson

    Existem 3 FoxConn no Brasil, uma em Manaus, uma em Jundiai e uma em Indaiatuba, Provavelmente esse investimento que será feito, não vai ser para montar uma nova unidade, e sim aumentar ou capacitar as outras unidades já existentes!

  • http://twitter.com/oEdy Edmilson

    Existem 3 FoxConn no Brasil, uma em Manaus, uma em Jundiai e uma em Indaiatuba, Provavelmente esse investimento que será feito, não vai ser para montar uma nova unidade, e sim aumentar ou capacitar as outras unidades já existentes!

  • Alexandre

    Esse monimento #preçojusto eu concordo que é bem vazio… sem conteúdo algum.. nem explica a incidência de impostos, os impostos cobrados em cima de impostos, etc.
    Já o Jogo Justo é um projeto um pouco mais complexo. A idéia não é só baixar o imposto sobro os videogames. É colocar a classificação do imposto corretamente (porque videogame não é jogo de azar, e jogo de azar é proibido e não deveria ter imposto, deveria dar cadeia) e além disso promover palestras e discussões sobre o mercado de jogos e sobre a criação de cursos e empresas para o desenvolvimento de jogos.
    Se vai dar certo ou não eu não sei. Mas é um movimento que quer freiar a bola de neve que é ter impostos altos em todas as pontas e que atrasa a criação de empresas nacionais, a massificação do produto (ninguém investe alto em um produto de nicho), a criação de cursos específicos (porque não tem mercado de trabalho já que ninguém investe), e assim por diante.
    Mas de qualquer maneira, reserva de mercado (aumentar imposto de importação) é a maneira mais burra de tentar incentivar a criação de empresas nacionais.

  • A2055624

    Redução tributaria sim, está implícito na campanha a má administração pública do dinheiro, também conhecida como roubalheira. Aliás, a tributação TAMBÉM inibe a criação de empresas fabricantes desses produtos em território nacional, já se esqueceram que cerca de metade do seu salário escoa em impostos já na fonte?

    Uma vez que uma mobilização obtém resultados reais, as pessoas se tornam mais atraídas a contribuir com manifestos futuros. Como o próprio Felipe Neto disse, “tem que começar de algum lugar”..

    Colunista de site meia boca de bunda de mulher e carro importado dando opinião política é foda. Vai futucar tabloide inglês pra copiar alguma coisa vai, estagica da uol.

    • http://www.facebook.com/bernardodiasdacruz Bernardo Dias da Cruz

      Tirando o último parágrafo que nada acrescentou para a causa, você falou muito bem nos 2 primeiros. Concordo plenamente.

  • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

    Pois é, Ivan. Eu acompanhei dois processos de abertura e fiquei impressionado com a lentidão e com a caralhada de impostos que uma empresa paga. Parece que o governo diz: “Seguinte, nada de novas empresas, não! Nada de gente empregando gente, porra!”.

    • http://www.facebook.com/bernardodiasdacruz Bernardo Dias da Cruz

      Isso é bem verdade. A parada é bem ridícula e injusta.

  • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

    Pois é, Ivan. Eu acompanhei dois processos de abertura e fiquei impressionado com a lentidão e com a caralhada de impostos que uma empresa paga. Parece que o governo diz: “Seguinte, nada de novas empresas, não! Nada de gente empregando gente, porra!”.

  • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

    Pois é, Ivan. Eu acompanhei dois processos de abertura e fiquei impressionado com a lentidão e com a caralhada de impostos que uma empresa paga. Parece que o governo diz: “Seguinte, nada de novas empresas, não! Nada de gente empregando gente, porra!”.

  • http://twitter.com/chapolaaa Fábio Oliveira

    O argumento por trás disso tudo é incentivo a cultura? Ok, vamos pedir isenção/redução de impostos para Audis e BMW’s como incentivo a todos termos o carro próprio.

    • Danilo Freire

      Por que não?

      • http://www.facebook.com/people/Rodolfo-Godoy-Marques/1528677209 Rodolfo Godoy Marques

        Porque (in)felizmente o Brasil tem uma grande indústria de automóveis. E não adianta chorar ou espernear, a proteção econômica PRECISA existir em casos como esse, ou tudo que teríamos seria um grande monopólio. Imagina quem compraria um gol se um subaru impreza custasse o mesmo? Quem compraria um civic com uma bmw ou mercedez de mesmo valor?
        Mas que seria bom, ah isso seria hahaha

      • http://www.facebook.com/bernardodiasdacruz Bernardo Dias da Cruz

        Isso seria ótimo. A sociedade iria evoluir e alcançar níveis maiores de qualidade. As coisas se adaptam naturalmente, mas é preciso forçar a mudanças as vezes.

      • http://twitter.com/chapolaaa Fábio Oliveira

        Você teria unicórnios de estimação? Vamos trabalhar com a realidade, mestre. A discussão me parece ser sobre a necessidade da discussão, fui claro? Uma coisa é brigar por acesso a cultura e a informação, pedindo redução dos preços de cd’s, livros, dvd’s, gadgets, redução das tarifas de conexão 3G, outra coisa é brigar por cultura coxinha achando que faz sentido pedir ‘bolsa’ iPad, bolsa XBox. De que adianta nosso iPad ser vendido a R$1.000,00 se ainda temos uma tarifação absurda do 3G no Brasil?
        Vocês querem passar KY com a calça jeans ainda socada no popô. Primeiro morde a coxa da morena, tira a calça dela, puxa a calcinha pro lado, aí vc passa o KY.

      • http://twitter.com/verossimil verossimil

        Tranqüilo, metáfora melhor que essa do Fábio só em 2012.

      • http://twitter.com/verossimil verossimil

        Tranqüilo, metáfora melhor que essa do Fábio só em 2012.

      • Anônimo

        Mestre Oliveira,
        Ontem mesmo eu respondi a um e-mail de meu velho, que reclamava das tarifas das chamadas interurbanas Salvador – São Paulo. Fui cruel. Mandei a descrição dos preços praticados na telefonia fixa aqui da França, onde moro atualmente:

        Com um pacote de serviços que custa €31,90/mês, o cidadão tem direito a ligações ilimitadas para fixos dentro do território Francês e 50% dos paises do mundo (incluindo o Brasil), mais TV por assinatura e internet ADSL de 20Mbps. Isso no caso de plano residencial.
        O plano pra empresas é ainda mais escroto. Pagando-se €44,90 por mês, a empresa tem os mesmo serviços acima além de contar com uma segunda linha telefônica e 3 horas de ligação por mês para celulares de qualquer operadora. O link abaixo dá mais detalhes:
        http://www.pro.bbox.bouyguestelecom.fr/pid338/offres-bbox-adsl.html

        Você descascou o 3G. Pois te darei detalhes da situação tenebrosa desse país:
        Eu pago mensalmente €36 em meu plano de telefonía móvel (sairía por €32 com fidelidade de 24 meses). Este inclui: 120 minutos + Ligações Ilimitadas para 3 numeros de qualquer operadora + SMS e MMS ilimitados + Internet Ilimitada [2Gb/mês em HSDPA(3G), caindo pra velocidade EDGE(2,5G) após ultrapassada a franquia 3G].

        A título informativo, o imposto que incide sobre os serviços de telefonia aqui (IVA ou TVA – Taxa sobre Valor Adicionado) é de 15%.

        Eu não sei você, mas eu teria imensa dificuldade em dormir com esse barulho.

      • Anônimo

        Mestre Oliveira,
        Ontem mesmo eu respondi a um e-mail de meu velho, que reclamava das tarifas das chamadas interurbanas Salvador – São Paulo. Fui cruel. Mandei a descrição dos preços praticados na telefonia fixa aqui da França, onde moro atualmente:

        Com um pacote de serviços que custa €31,90/mês, o cidadão tem direito a ligações ilimitadas para fixos dentro do território Francês e 50% dos paises do mundo (incluindo o Brasil), mais TV por assinatura e internet ADSL de 20Mbps. Isso no caso de plano residencial.
        O plano pra empresas é ainda mais escroto. Pagando-se €44,90 por mês, a empresa tem os mesmo serviços acima além de contar com uma segunda linha telefônica e 3 horas de ligação por mês para celulares de qualquer operadora. O link abaixo dá mais detalhes:
        http://www.pro.bbox.bouyguestelecom.fr/pid338/offres-bbox-adsl.html

        Você descascou o 3G. Pois te darei detalhes da situação tenebrosa desse país:
        Eu pago mensalmente €36 em meu plano de telefonía móvel (sairía por €32 com fidelidade de 24 meses). Este inclui: 120 minutos + Ligações Ilimitadas para 3 numeros de qualquer operadora + SMS e MMS ilimitados + Internet Ilimitada [2Gb/mês em HSDPA(3G), caindo pra velocidade EDGE(2,5G) após ultrapassada a franquia 3G].

        A título informativo, o imposto que incide sobre os serviços de telefonia aqui (IVA ou TVA – Taxa sobre Valor Adicionado) é de 15%.

        Eu não sei você, mas eu teria imensa dificuldade em dormir com esse barulho.

      • Danilo Freire

        Unicórnio de estimação? Só se for allmighty U.R.I.

        Compañero, você acha mesmo que eu estou preocupado com essa coisa toda de preço justo aí do Felipe Neto? Tô nem aí pra isso, Fábio.

        Mas de fato, entre todos esses (excelentes, diga-se de passagem) artifícios puramente retóricos que você desfiou, fica a “realidade”, eu não gosto dela. Veja bem, sou contra a tributação, não essa que o FN brada contra e nem a dos carros, mas a tributação mesma, acho-a imoral. No meu mundo ideal a privatização seria levada às últimas consequências.

    • http://www.facebook.com/bernardodiasdacruz Bernardo Dias da Cruz

      E por que não? [2]

  • http://twitter.com/christianoapr Christiano Rodrigues

    como alguém vai querer instalar fábricas em um país onde tudo é pirateado, onde ninguém “quer” comprar original? “ahhh, mas se essas indústrias fizerem um estudo vão saber que não compram original porque é muito caro, que se elas viessem pra cá seria diferente” e elas com isso, elas tão ganhando mt bem lá fora, e com alguns “poucos” que ainda compram aqui, tem que começar de algum lugar a iniciativa de baixar os preços, seja privada ou pública, e pode ter certeza que se for esperar pela privada, vai da merda. Apoio sim a iniciativa #preçojusto, impostos abusivos, é coisa de louco é, mas tem mt idéia maluca que acaba dando certo.

  • http://www.facebook.com/people/Ricardo-Correia-Lima-Loureiro/100000754543792 Ricardo Correia Lima Loureiro

    Gostei do texto e não gostei do vídeo de felipe neto.

    Primeiro achei o vídeo com cara de adolescentisinho com raiva porque não pode ter todos os brinquedinhos que quer.
    Em se tratando do tema em questão, impostos, devemos primeiro olhar o quanto nós pagamos de impostos em produtos básicos e produzidos no Brasil. Ai é que está o absurdo. Vivemos num país onde a maioria compra produtos básicos e estes sim devem ter taxas baixas.

    Produtos importados devem ter taxas altas mesmo por vários motivos. Um deles é para proteger nossas indústrias. Coisa que outros países fazem e com taxas mais elevadas que o Brasil. Vai vender um produto eletrônico nos EUA, Europa ou Japão para ver as taxas deles.

    Outra coisa, trazer fábricas para o Brasil acredito que seja a melhor opção. O governo pode subsidiar a abertura de novas fábricas como já vem acontecendo desde o começo da década de 90. Porém, devemos imitar o modelo que os chineses vêm fazendo. Quando uma indústria se instala na China, ela é obrigada a transferir sua tecnologia para outras empresas chinesas, a partir daí, são instaladas empresas genuinamente chinesas que vão concorrer com as estrangeiras criando mais empregos, mais competitividade, etc.

    Acho justo lutar por menores taxas de emprego, porém a prioridade não é importações, muito menos videogames.

  • http://twitter.com/amtozza Marco Tozzatto

    Ironia A GENTE VE MESMO!!

    Quem disse que ele fazia algo ilegal?
    O mais engraçado é que ele fazia isso porque não tinha dinheiro para comprar original… SÓ POR ISSO! :)

  • Diego Santos

    Então você acha justo que os jogos sejam taxados dessa forma, taxados como maquinas caça-niqueis que, se não me engano, são proibidas no Brasil.
    Acha isso justo? (20% de imposto de importação e 50% de IPI? Sério?)

    Bom mesmo é deixar rolar a pirataria, não caindo um centavo no bolso do governo. Ou comprar em sites extrangeiros esperando que não passe pela alfândega.

    Nesse artigo você insunua que a iniciativa é infantil, e ainda justifica com um falso moralismo. “Vocês deviam votar melhor”. Ou melhor ainda “pensar no todo e deixar o ego de lado”.

    Seria tão invalido assim, a redução do valor de um imposto, sobre um produto que não é produzido no comercio nacional, sem ter que recorrer a ex-tárifario e toda burocrácia envolvida?

    • http://www.reflexoesmasculinas.com.br/ Shâmtia Ayômide

      O mais hilário é que autor fala em votar melhor, se esquecendo que todos os grandes partidos são sociais-democratas(PT e PSDB), ou seja não temos opção. Qualquer partido que entre no poder vai depender de altos impostos alegando gastos sociais.

      • http://profiles.google.com/markinhobianchni Marco Bianchini

        Objetivismo já!

      • 1bertorc

        Shâmtia Ayômide – É curioso que o ecossistema político ao contrário do que muitos afirmam reflete o imaginário popular.. partidos liberais e sociais democratas sobrevivem lembrando seus povos de dois pontos a se pesar em um projeto de nação: 1) Os benefícios que o estado pode trazer; 2) Os custos deste estado. Respectivamente um ou outro chega ao poder quando é mais ‘convincente’ ao seu eleitorado. Aqui no Brasil as únicas idéias que sobrevivem são as promessas de benefícios, somos especialistas em esquecer o quanto estes (supostos) benefícios nos custam.

    • http://www.reflexoesmasculinas.com.br/ Shâmtia Ayômide

      O mais hilário é que autor fala em votar melhor, se esquecendo que todos os grandes partidos são sociais-democratas(PT e PSDB), ou seja não temos opção. Qualquer partido que entre no poder vai depender de altos impostos alegando gastos sociais.

  • http://www.facebook.com/people/Eduardo-Assis/1470012239 Eduardo Assis

    excelente.

  • Leofaza

    E esse dinheiro dos importos vai pra onde?
    Será que é para a cueca dos deputados??

    Tem mais é que diminuir essa porra mesmo!

  • Anônimo

    É compreensível que um governo estabeleça esse obstáculo (a.k.a. Imposto de Importação) para produtos que possam vir a competir com homólogos fabricados no Brasil. Protege-se a indústria nacional, evita-se a evasão de divisas e, em teoria, aumentaria-se a arrecadação de impostos que poderiam ser revertidos para a melhoria da infraestrutura de energia e transportes do país, assim criando melhores condições para o desenvolvimento de novas indústrias, ou mesmo das que já existem.

    Mas no Brasil praticamente todas as regras para o desenvolvimento de um modelo indústrial sólido e respeitável são desobedecidas. Em 2001 ou 2002 (não me lembro bem…), a AMD deixou de instalar uma fábrica no Brasil, indo pra Alemanha que apresentava custos mais altos. Por que será?
    Ao que parece as condições estão um pouco melhores agora, e a Foxconn está aí com seus planos. Mas apoiar a entrada de uma empresa que instalou redes de proteção entre seus prédios, com o objetivo – talvez não claro, mas que faz todo o sentido – de evitar que seus funcionários se atirem pela janela na China? É sério que o senhor, meu caro Raphael, um colega de Administração, apóia isso?

    Meu pai, que é fotógrafo, requisitou um orçamento para um case Pelican para carregar suas máquinas. O Grupo Racco, representante exclusiva da Pelican no Brasil, respondeu que vende o ‘Case Pelican 1520′ por R$ 1.330,00. Nos Estados Unidos, o mesmo case custa menos de US$ 150, Street Price(!). Como você poderia me explicar essa questão?
    A bota que eu uso para o dia-a-dia, uma Salomon Quest 4D GTX, que na Inglaterra é vendida Street Price por cerca de £130,00, (algo em torno de R$340,00), no Brasil custa mais de R$ 750,00. Até onde sei, não existe bota fabricada nacionalmente que possa competir com esta Salomon, nem em termos de preço nem em termos de estrutura. Você pessoalmente acha esse preço justo?

    • http://twitter.com/oEdy Edmilson

      Para quem não sabe ou não conhece a FOXCONN é a maior fabricante de eletronicos do mundo, e a 2º no Brasil, perdendo para a FLEXTRONICS. Funcionarios da unidade de Xangai na China se suicidaram por depressão, isso aconteceu em 2009 ou 2010 não tenho certeza.
      As 3 unidades da FoxConn no Brasil já fabricam produtos para a Sony, SonyEricson, Sony Vaio, Motorola, entre outras marcas…
      A unidade de Xangai tem 150 mil funcionarios, só um pouco à mais que as do Brasil, que tem em média 2 mil funcionarios.

    • http://gaudio.wordpress.com Raphael Gaudio

      Olá Artemides! Respondendo a sua pergunta, claro que não apoio empresas que põe grades para evitar que seus funcionários se atirem das janelas. Mas comparar políticas trabalhistas na China com dificulades de implantação de fábricas no Brasil é um salto grande, não acha? Descaracterizar o exemplo da Foxconn não leva a nada. Você entendeu que o ponto básico é quebrar esse engessamento que o Brasil possui para que possamos começar a melhorar as coisas.

      Sobre a camera e a bota, é simples. São produtos de pouca demanda, importados em pouca quantidade. Custo da Mercadoria + Frete + Despesas de Desembaraço + Cambio do dólar + Lucro da revendedora + Impostos de entrada e saída da mercadoria = Valor alto por produto.

      Não existe almoço grátis, muito menos importação de graça. Ou você acha que a importar não dá trabalho?

      Uma coisa é trazer uma caixa de produtos para revender na loja, outra coisa é trazer containeres e mais containeres de 40 pés do mesmo produto. O custo do desembaraço cai drasticamente.

      Espero ter respondido as suas perguntas!

  • Jean Davino.

    PREÇO JUSTO JÁ!

  • CesarPoss

    Amigo Raphael Gaudio, sinto informar, mas seu texto foi falho.

    Defender a tributação brasileira é beirar o ridículo… Condenar a ação do cara e taxá-la de infantil, pra em seguida falar que deveríamos “votar melhor”? Quantos anos tens? 18?

    Vejo na campanha do Felipe um pouco da zona que o povo precisa. Diversas campanhas já tentaram fazer algo pelas vias “certas”, praticamente ninguém conseguiu porra alguma. Veja o FichaLimpa, projeto estraçalhado pelos políticos… O que vejo é uma ação rebelde de Felipe, simplesmente para mostrar: “estamos indignados”, sem mais que isso. E já é mais do que todos aqui nessa caixa de comentários fizeram somados ao longo da vida.

    O cara promete entregar o manifesto nas mãos da presidente. Pela influência que tem, não duvido. O moleque está fazendo o certo, mostrando indignação… E ao invés de apoiá-lo, meia dúzia de pseudo-intelectuais metidos a sabe-tudo tentam derrubá-lo, chegando ao ponto patético de denfeder a maior tributação de produtos importados do mundo, a brasileira.

    Triste esse texto.
    Triste o PDH tê-lo publicado.
    Triste ver que ainda tem um pequeno gado que consegue concordar com o autor.
    Simplesmente triste.

  • http://www.facebook.com/brunocasarini Bruno Casarini Grillo

    Muito menos os políticos que se esbaldam com os impostos que nós pagamos.

  • http://www.facebook.com/brunocasarini Bruno Casarini Grillo

    Muito menos os políticos que se esbaldam com os impostos que nós pagamos.

  • http://twitter.com/du_caldato eduardo caldato

    A questão do imposto, taxado sobre importados no país, realmente é um absurdo,mas um ponto importante que não está sendo abordado, é o ganho líquido que empresas tais como, Apple, GM, Microsoft, Ford, entre outras, têm no mercado nacional. O problema não é só em relação ao consumo de eletrônicos, mas também de automóveis e roupas. Tome-se como exemplo, o Celta, um carro da GM, produzido no Brasil, com direito a todo o imposto nacional, é vendido a um preço mais baixo na Argentina( R$ 19.350,00), enquanto no aqui ele não sai por menos de R$ 26mil. Porém, antes de começarem a gritar contra o governo ( não q eu goste dele!! ), temos que olhar o quanto a GM, ganha por carro vendido, o lucro líquido, enquanto na Argentina o Celta, por esse preço, tem motor 1.4(92cv), ar-condicionado, travas elétricas e sistema de áudio com MP3 e entrada USB como itens de série, no nosso amado país, o celta básico, com motor 1.0, e mais nada sai por R$ 26mil. Agora, o preço final do produto, é somente culpa do governo?? Não devemos somente lutar, por impostos mais baixos, mas sim por um melhor tratamento ofertado pelas grandes empresas, que elas tirem de nós, brasileiros, o mesmo que tiram de outros países. O valor do Ipad nacional, não será tão mais baixo que o importado, por uma unica razão. Por mais que ele seja caro, tem um bando de babaca comprando.

  • http://www.facebook.com/people/Sig-Meurer/799955928 Sig Meurer

    Os impostos para importação no Brasil são um absurdo! Todo mundo fala de PS3′s e iPad’s e blablabla mas estão falando muito pouco sobre outras coisas importadas como por exemplo roupa.
    Roupas de boa qualidade aqui no Brasil tem um preço elevadissimo (importadas) e isso prejudica a economia porque deixa um vão para venderem roupas de média qualidade por um preço ainda alto. Isso faz com o que o mercado nao progrida e nao melhore em qualidade.
    Outro exemplo disso são os carros! Nos EUA com US$20.000 voce compra um carro que aqui no brasil custa aproximadamente R$70.000.
    Isso afeta seriamente a economia já que pagamos MUITO em POUCA coisa.

  • http://www.facebook.com/people/Sig-Meurer/799955928 Sig Meurer

    Os impostos para importação no Brasil são um absurdo! Todo mundo fala de PS3′s e iPad’s e blablabla mas estão falando muito pouco sobre outras coisas importadas como por exemplo roupa.
    Roupas de boa qualidade aqui no Brasil tem um preço elevadissimo (importadas) e isso prejudica a economia porque deixa um vão para venderem roupas de média qualidade por um preço ainda alto. Isso faz com o que o mercado nao progrida e nao melhore em qualidade.
    Outro exemplo disso são os carros! Nos EUA com US$20.000 voce compra um carro que aqui no brasil custa aproximadamente R$70.000.
    Isso afeta seriamente a economia já que pagamos MUITO em POUCA coisa.

  • http://www.facebook.com/brunocasarini Bruno Casarini Grillo

    Falou-se muito em eletrônicos, mas e outros produtos? Carros, por exemplo, cujos preços são compostos de no mínimo 50% de impostos? Um Honda City feito aqui e exportado para o México custa a METADE do que pagamos aqui. E os livros, então?

    Achar que toda empresa deve instalar fábrica aqui é protecionismo (e sonho delirante). Querem proteger uma indústria nacional que nem sequer existe (como a de videogames). A Apple produz na China, leva tudo de volta para os EUA, e nem por isso os americanos pagam 3 vezes o valor original do produto.

  • http://www.facebook.com/people/Arthur-Magno-Souza/1801804566 Arthur Magno Souza

    A questão da burocracia e dos impostos é muito mais ampla do que um videozinho do Felipe Neto pode aparentar (nada contra o humorista) pois se por um lado o aumento de impostos inviabiliza a criação de novos empregos, por outro ela serve de “tapa buraco” para manter uma economia que se fixa sobre a magnificência do nada….

    O FATO É QUE: O Brasil não oferece e nunca ofereceu um suporte para que nossa economia crescesse de fato e se os números por acaso te iludem…como quando alguém vem lhe dizer que o nunca na história desse país houve tanta exportação (também nada contra nosso ex presidente da família dos moluscos) e etc etc etc… Saiba que o crescimento do país poderia ser muito maior se houvesse condições para se investir nisso, acontece que se o Governo cedesse as pressões diminuisse os juros e facilitasse a criação de empresas e etc, o Brasil não seria capaz de manter essa indústria por falta de condições energéticas (vide o recente apagão) além de uma possibilidade gigantesca de a inflação fugir ao controle…….

    SE O GOVERNO SE MOBILIZA A CADA CAPRICHO DE MEIA DÚZIAS DE INSATISFEITOS… AMANHÃ ESSES MESMOS INSATISFEITOS ESTARÃO CONDENANDO AS MEDIDAS TOMADAS POR ELE!!!

  • http://lucasmiro.tumblr.com Lucas Miró Horn

    Você focou muito no PS3 em vez de ver o problema como um todo, e Ipad como se fosse inútil, esses impsotos abusivos na importação é andar pra trás, qualquer acéfalo enxerga isso… Não jogo mais videogame e nem sou um acompanhador do Felipe Neto, mas se atingir a questão a ser discutida e repercutir em mídias de massa ou ter direito de resposta dos diretamentes responsáveis pelos impostos já é um grande feito. A iniciativa é boa e ponto final.

  • http://lucasmiro.tumblr.com Lucas Miró Horn

    Você focou muito no PS3 em vez de ver o problema como um todo, e Ipad como se fosse inútil, esses impsotos abusivos na importação é andar pra trás, qualquer acéfalo enxerga isso… Não jogo mais videogame e nem sou um acompanhador do Felipe Neto, mas se atingir a questão a ser discutida e repercutir em mídias de massa ou ter direito de resposta dos diretamentes responsáveis pelos impostos já é um grande feito. A iniciativa é boa e ponto final.

  • Emerson

    Eu penso que sua fala é carregada pelo ranço ideológico do governo. E também penso que você se esqueceu de citar “petista” em seu perfil.

    O problema são sim os impostos, mas problema maior ainda é o RETORNO destes impostos que NÃO temos!

    O Canadá, por exemplo, tem uma alta taxa de impostos, mas os cidadãos pagam sem reclamar pelo retorno INCONTESTÁVEL que quem quanto a saúde, educação, segurança…

    Bom, eu acho que, a única saida para este “país” é de fato o aeroporto…ou não! Pq estão no limite tb…

    Vergonha!

  • Emerson

    Engraçado mesmo é ver a rede petralhinha também infiltrada aqui nos comentários…rsrs

  • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

    Fala Cesar!

    Antes mesmo de publicar o texto do Gaudio, já fizemos um convite ao Felipe Neto para escrever sobre a campanha aqui no PdH.

    “E ao invés de apoiá-lo, meia dúzia de pseudo-intelectuais metidos a sabe-tudo tentam derrubá-lo”

    Ninguém está derrubando ninguém. Veja, estamos todos no mesmo barco. Você não acha saudável discutir, conversar, analisar? Olha só o debate que está surgindo aqui. É impressionante contar com essa inteligência coletiva. Você não acha isso saudável? Não acha que boas ideias e movimentos só crescem quando são criticadas e relativizadas e complementadas?

    O que mesmo é triste? Uma crítica? Um debate saudável? Espaço aberto para todas as visões em uma revista digital?

    Abração!

  • http://twitter.com/Carol_CDC_ Caroline Duarte

    Acho q o pessoal nao entendeu o proposito do preçojusto, a questão não é o preço do ps3 ser um absurdo ou do ipad, a questão é eu estar pagando 3 reais na gasolina/alcool, é eu estar pagando 20 reais o kg da carne moida sendo q o Brasil é o segundo produtor de carne bovina no mundo perdendo apenas para a India. O problema são as taxas de TODOS OS IMPOSTOS que o governo cobra. E realmente se num país eu posso pagar 20 reais q seja num filme e aqui estarei pagando 80 é pq tem algo de errado né? Blza o imposto vai para a saúde… cri cri cri… Pobres daqueles que tem esse unico recurso a utilizar pq se depender disso vai acabar morrendo, todo dia eu vejo no noticiario dizendo que nao sei quem morreu por falta de atendimento medico no sus e aquela coisa q todo mundo esta cansado de saber. O dinheiro desses absurdos de impostos não tem reversão para nós no final das contas essa grana toda ai esta parando em bolso de politico safado, antes reduzir essa merda de imposto e eu poder comer carne mais de uma vez por semana a preçojusto doque esse fdp usarem o MEU dinheiro o SEU e de TODOS pra comer caviar pq o fim desse dinheiro é só esse.

  • Danilo Freire

    Perfeito. Muito comunista enrustido dando as caras aqui hoje. hahaha

    • Anônimo

      É triste mesmo. Sou só eu que acho que o Brasil é um pais comunista disfarçado?

  • Thiago

    Alguns pontos

    - Não é tudo que vai ser fabricado no Brasil, por não existir mercado suficiente. Nem na França, nem no Japão, nem nos EUA este videogame é fabricado localmente. Porque seria aqui? Dica, o governo desses países não esfola seus cidadãos. Vamos copiar Bangladesh então com seus impostos absurdos (se bem que até em Bangladesh deve ser mais barato) Temos o iPad mais caro DO MUNDO.

    -Falar que o governo concede isenção é fácil. Vai numa universidade e pergunta quanto tempo e quanto trabalho dá (isso sem falar em outras coisas) pra trazer algum produto do exterior sem impostos para fins de pesquisa. Falar é muito fácil, o governo pagar de bonzinho também é muito fácil.

    -O que aumenta o preço não é só o Imposto de importação, mas o ICMS que é cumulativo.

    -Sinceramente se você acha justo o preço beleza, mas não compre no PY ou trazer dos EUA, pague o preço que cobram na loja. Também não baixe os jogos no torrent.

    • David

      icms não é cumulativo

      • Thiago

        Vá estudar. ICMS incide em cascata sim senhor

  • http://profiles.google.com/rafaelribeirorocha Rafael Ribeiro Rocha

    Dessa vez tenho que discordar! Gostar ou não do Felipe Neto é uma coisa, agora “gostar” da tributação brasileiro beira o ridículo… Que é injusto não tem como discordar. Não interessa se o Felipe Neto quer aparecer, a intenção dele é boa, isso que conta. A maioria desses produtos realmente não valeria a pena de fabricar no Brasil, na China vai ser 99% das vezes mais baratos. E também não tem lógica o seu argumento, porque se o imposto fosse menor, mais produtos seriam importados e o governo acabaria arrecadando mais em impostos numericamente do que com essa taxa absurda. Espero que o PDH abra espaço para uma opinião contrária.

    • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

      “Espero que o PDH abra espaço para uma opinião contrária.”

      Acabamos de abrir. Para você. ;-)

      E, como disse, convidamos o próprio Felipe Neto, lembrando que qualquer pessoa pode enviar seu texto também (http://papodehomem.com.br/diretrizes-para-novos-autores/ | http://papodehomem.com.br/downloads/autores-papodehomem-orientacoes.pdf).

    • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

      “Espero que o PDH abra espaço para uma opinião contrária.”

      Acabamos de abrir. Para você. ;-)

      E, como disse, convidamos o próprio Felipe Neto, lembrando que qualquer pessoa pode enviar seu texto também (http://papodehomem.com.br/diretrizes-para-novos-autores/ | http://papodehomem.com.br/downloads/autores-papodehomem-orientacoes.pdf).

    • http://www.reflexoesmasculinas.com.br/ Shâmtia Ayômide

      o Brasil precisa é de um novo Collor.

      • Rosebud

        Sério?????
        Essa é nova!
        Por favor, desenvolva mais…
        Por quê?

      • http://www.reflexoesmasculinas.com.br/ Shâmtia Ayômide

        Simples.

        o Windows foi criado cerca de 1982, mas só viemos a conhecê-lo(nós pobres) depois 1990(Collor)
        antes de 1990 só se vendia bicicletas “Calloy”(não se escreve isso), depois de 1990, tivemos acesso a outras marcas melhores, graças a Color.

        O que Collor fez?

        Ele Diminuiu obstáculos(impostos) a importação. Foi a chamada abertura da economia brasileira.

        Economia “protegida” é um modelo econômico velho, fracassado e tipico de ditaduras onde se cria altos dificuldades para importação. O resultado bem conhecido é o atraso tecnológico.

        Tomando nota: esse tipo de discussão não é nova, está nas raízes da Guerra Civil Americana.

        Uma elite latifundiária/escravocrata se beneficiava do protecionismo contra importações. A indústria local não se desenvolvia e as pessoas não tinham acesso a bens importados, exceto os únicos beneficiados de tal os sistema: os latifundiários.

      • http://www.reflexoesmasculinas.com.br/ Shâmtia Ayômide

        Olha só doutora, para você ver como o Brasil era um tipo de país feudal não muito diferente dos quintais africanos.

        A importação de automóveis no Brasil ganhou mais espaço no início dos anos 90, quando o então presidente Fernando Collor de Mello chamou os carros nacionais de “carroças”. Foi exatamente no governo Collor que teve início a abertura da economia para as importações, com o fim de reservas de mercado.

        Collor prometia varrer das ruas brasileiras as “carroças”, facilitando a entrada no País de modelos modernos. A primeira leva de carros importados, porém, foi de autênticas “carroças” russas, da fábrica Lada. Tecnologicamente tão antiquados quanto as “carroças” brasileiras, os Ladas viraram símbolo do início dessa era.

        Após anos e anos de restrição às importações, a indústria nacional em geral, e a automobilística, em particular, teve de acordar para a necessidade de melhoria da qualidade de seus produtos, com redução de custos e de preço. Ainda em 1990, a General Motors, por exemplo, negociou com fornecedores a redução em 15% do preço das autopeças. O recorde de importação de veículos ocorreu em 1995, primeiro ano cheio do Plano Real, quando foram importados 321 mil veículos, enquanto as exportações ficaram em 263 mil unidades.

        retirado de Compra do exterior subiu após abertura comercial

      • Lorena

        [meu Deus, me explica o porquê de eu ainda me chocar com isso, me explica?]

  • http://profiles.google.com/rafaelribeirorocha Rafael Ribeiro Rocha

    Dessa vez tenho que discordar! Gostar ou não do Felipe Neto é uma coisa, agora “gostar” da tributação brasileiro beira o ridículo… Que é injusto não tem como discordar. Não interessa se o Felipe Neto quer aparecer, a intenção dele é boa, isso que conta. A maioria desses produtos realmente não valeria a pena de fabricar no Brasil, na China vai ser 99% das vezes mais baratos. E também não tem lógica o seu argumento, porque se o imposto fosse menor, mais produtos seriam importados e o governo acabaria arrecadando mais em impostos numericamente do que com essa taxa absurda. Espero que o PDH abra espaço para uma opinião contrária.

  • David

    É amigos, fazemos parte de uma bagunça chamada Brasil, onde o governo estupra os empresários, os empresários e o governo estupram o cidadão comum (NÓS)!

    Me dá muita tristeza qdo vejo notícias de carros lá fora. A última foi do Civic 2012 com preço a partir de 15mil $.

    Façam as contas…

  • David

    É amigos, fazemos parte de uma bagunça chamada Brasil, onde o governo estupra os empresários, os empresários e o governo estupram o cidadão comum (NÓS)!

    Me dá muita tristeza qdo vejo notícias de carros lá fora. A última foi do Civic 2012 com preço a partir de 15mil $.

    Façam as contas…

  • http://twitter.com/LucasMalto Lucas Freitas Malto

    Gladio

  • Rosebud

    Boa noite gente.

    Primeiramente, gostaria de ressaltar que acredito que o Felipe Neto ressaltou produtos como videogames e lançamentos de jogos e filmes por se tratarem de produtos que são objetos de desejo e consumo para o público que ele mais critica: os jovens (ele cita no início que desde Sarney os jovens se calam – o que prova que ele pesquisou muito sobre tributação e nada sobre história, relembrando que antes de 64 o brasileiro já se comportava como um pacato cidadão), ou seja, para atingir o público que ele quer.
    O vídeo tem uma pegada apelativa, mas acho válida.
    O cidadão tem o direito de apresentar projetos para o governo. O cidadão tem o direito de participar diretamente dos rumos que a política toma, mas o cidadão esquece disto. Ou talvez esteja acomodado. Felipe Neto nos convida a sair da zona de conforto e está dentro do direito dele, e dos nossos.

    Sobre o texto acima, particularmente gostei muito, entretanto a idéia central também está um pouquinho deturpada: produzimos muita matéria prima aqui, nas terras da nossa pátria amada salve-salve, e infelizmente, mandamos pra fora, eles embalam (quando é manufaturado) ou aplicam no produto uma tecnologia que nosso país nao possui (quando minerio por ex), e revendem pra gente e então o governo recheia de impostos e a gente consome. E foi plantado, garimpado, criado logo ali ó.
    Então, produzir eletrônicos na zona franca de Manaus é fachada e sempre haverá um motivo para aumentar os preços. Sempre haverá uma justificativa babaca para uma arrecadação incisiva.
    Por exemplo: os carros produzidos aqui, das industrias automobilisticas de fora (solução apresentada no texto) são mais caros OU possuem menos itens de segurança.
    Mas quero deixar claro que concordo totalmente com a última parte do texto:
    “Poderíamos, sim, fazer uma campanha de #votojusto pelo uso consciente do voto em políticos que mereçam a nossa confiança”, para isso necessitamos estudar o histórico do político, a história e ideologia dos partidões, enfim, acumular conhecimento para que formemos uma opinião particular firme.”

    Felipe Neto, uma dica pro segundo passo para uma mudança significativa:
    se ler esta mensagem, favor, considere fazer um vídeo engraçado e impessoal sobre a historia dos partidos, ajude a incutir na galera uma sementinha de curiosidade em relação a nossa história política.

    Um beijo pros meninos e um pras meninas também!

    • http://twitter.com/ReverendoBreno Breno Zaccaro

      Pior que já exitem sites que colocam o histórico dos candidatos na web e mesmo assim não mudou muita coisa, né?

      Mesmo não concordando com o Felipe Neto eu acho válido sua posição, ele viu algo que não gosta e protestpou. Isso é ótimo! Por mim seria ótimo que existissem n Felipe Netos bravos por n leis e que queiram fazer algo a respeito…

      Estranho é ver um monte de gente criticando e que não é engajada nas críticas as quais faz…

      O problema é os impostos nos bens básicos, é a corrupção, o todos os motivos citados acima? Pode ser mas até agora o único hashtag é o do preçojusto que está sendo debatido

      E quem sabe se esse abaixo assinado der certo, não gera um precedente para outras mudanças tributárias?

      Eu me incluo no pacote de não faz nada (na verdade quase nada mas deixa para lá…)

      Pior é quem usa argumendo ad hominem para o Felipe Neto, sem comentários

  • Anônimo

    Muito bem, Sr. Edmilson,
    Conheço o perfil da Foxconn bem o suficiente sobre para saber sobre esses dados informados em seu comentário (e alimento considerável repulsa pela empresa, por sinal). Já fui técnico em informática e hoje estou para concluir um mestrado em Comércio Exterior. De todo modo, nunca é demais informar aos demais.

    O que me interessa, realmente, são as resposta às minhas perguntas. Fiquei intrigado com o desenvolvimento do artigo e queria saber mais sobre opiniões do autor em questões correlatas. Ao meu ver, ele ainda está muito preso à lógica perfeita cartesiana dos livros e pouco ligado à complexa imperfeição da realidade dos mercados.

  • Waltinhoo

    Porra, mas é foda falar que é trazer fabrica para o Brasil para pagar menos impostos… É o caralho isso ai… Mentira… Porque mesmo as empresas estrangeiras que vem fabricar no Brasil o preço é a mesma porra… E isso não vai mudar, a mão de obra na china é barata, vir para o Brasil não é lucrativo.
    Tem baixar sim essa taxa… Não tem outra solução.

  • http://www.facebook.com/people/Alexandre-Nery/100001320614171 Alexandre Nery

    Sou economista formado e vou comentar. Mentira, nao sou merda nenhuma. O que eu penso é o seguinte: se a solução é abrir empresa aqui, abaixar imposto ou dar a bunda, façam oq acharem melhor (nao contem comigo pra última opção). Mas tomem iniciativa pra alguma merda, vcs entendidos do assunto.

    Hipocrisia do caralho reclamar do kra que ta reclamando do ipad, iphone e ps3. Tem mil artigos aqui do PdH chupando o pinto do steve jobs, falando de jogos “irados” ou de carros foda. Atribuímos preço alto aos impostos. Tão tentando mudar isso. Se não for isso, então expliquem e movimentem-se. Não to dizendo pro PdH em si, mas pro público que acessa. Agora tao reclamando do burgues que quer comprar joguinho mas na hora que lança Mortal Kombat novo todo mundo quer jogar neh?

    Outra coisa, eu particularmente não gosto do Felipe Neto, mas sei quem ele é. Acho imbecil ficar falando “ah, nem sabia quem era o felipe neto até agora” pra parecer mais culto. Puta merda, neh?

    • Rosebud

      Legal Alexandre!
      Já vi que você, como eu, aliás, como todos, detesta hipocrisia.

      Já que você odeia hipocrisia mas gosta de iniciativas e de saber quais iniciativas devem ser tomadas, gostaria de saber qual a sua sugestão.
      Aderir ao movimento do Felipe Neto?
      Promover um encontro entre todos os injuriados?
      Convidar a galera toda pra mudar de país?

      Beijos

      • http://www.facebook.com/people/Alexandre-Nery/100001320614171 Alexandre Nery

        Em minha defesa, eu tomei iniciativa de falar pros outros tomarem iniciativa.

        Qual o problema em aderir ao movimento do Felipe Neto? Se não der certo, fique tranquilo, ninguem vai te culpar. O próprio Felipe vai ser o kra que vão mais zuar por causa do fracasso, se houver.

        Não vou arriscar dar sugestões milaborantes de economia porque não sou da área. O que sugeri foi que os detentores desse conhecimento que estão criticando o movimento do precojusto façam alguma coisa, um contra-movimento, que seja, com as propostas corretas (contra-movimento soa estranho, porque no final é tudo a favor do povo/brasil). E não falo isso com nenhum tom de hostilidade nem ironia. Realmente juntar o maior número de idéias/sugestões possíveis é saudável e muito válido. Que usem isso para construírem ótimas novas propostas , os próximos Felipe Neto’s.

      • Rosebud

        Não precisa se defender, não estava te atacando…só quis te entender melhor!

        Agora entendi e achei sua resposta bem justa, concordo plenamente.
        Já aderi ao movimento do Felipe Neto há um tempo.

        Um beijo

    • Rosebud

      Legal Alexandre!
      Já vi que você, como eu, aliás, como todos, detesta hipocrisia.

      Já que você odeia hipocrisia mas gosta de iniciativas e de saber quais iniciativas devem ser tomadas, gostaria de saber qual a sua sugestão.
      Aderir ao movimento do Felipe Neto?
      Promover um encontro entre todos os injuriados?
      Convidar a galera toda pra mudar de país?

      Beijos

  • http://www.facebook.com/ricardoesteves Ricardo Esteves

    Sigo na mesma linha do que tu disse. É muito engraçado ver a pessoa vulgarizando o comprar “iPad”, quando a nossa cultura gira em torno justamente disso. Consumo. A postura do nosso país é ridículo, quer promover um estado de bem-estar social com ipostos altíssimos mas não devolve um serviço público do mesmo nível. Então sim, eu quero uma redução de impostos.

    Eu quero um iPad e não ter que pagar o triplo do valor dele, pra dar dois terços para um SUS que não funciona, um sistema de transporte que o preço só sobe e a qualidade não e escolas cada vez mais sucateadas. Qual é o sentido do imposto do produto então nessa situação?

    Que vire várzea então, fodam-se as divisas o nosso problema econômico é muito super explicado e discutido pelos grandes bambams culturais. Mas ninguém responde o básico. Porque eu pago TANTO pra um governo que não me devolve em quase nada? Falar que ele tá compensando as disigualdades regionais é piada porquê o problema fica nas superfaturações de obras, salários e viagens.

    O problema não é o preço dos eletrônicos, isso é só uma das frentes e eu acho do caralho o Felipe Neto fazer isso já que ele o alcance. Mas nosso sistema de taxas é uma piada de mal gosto com todo mundo.

  • http://www.reflexoesmasculinas.com.br/ Shâmtia Ayômide

    Eu trabalhei 3 anos com contabilidade pública, e hoje desenvolvo softwares para área comercial/contábil.

    A única coisa que posso dizer é que, quem defende impostos no Brasil, devia ser internado. Ou melhor devia pagar impostos!

    • Rosebud

      Caro colega, eu não sei o motivo, mas não consigo mais responder a você nas respostas que você me deu abaixo.
      Sem dúvidas, ele abriu a nossa economia e aquele protecionismo arcaico caiu.
      A medida que Collor tomou para salvar o país da hiperinflação poderia funcionar se não confiscasse os depósitos acima de 50.000 (com a promessa de devolução em 18 meses), mantendo a hiperinflação de uma forma estag
      O plano foi mal projetado e culminou com uma manifestação dos estudantes (olha os jovens aí), apadrinhados por interesses da oposição.

      • http://www.reflexoesmasculinas.com.br/ Shâmtia Ayômide

        grato, é isso ai mesmo.

        Não sou pró-Collor, só enfatizei a importância de não se dificultar tanto as importações.

        grande abraço.

      • Rosebud

        arrasou!

    • Rosebud

      Caro colega, eu não sei o motivo, mas não consigo mais responder a você nas respostas que você me deu abaixo.
      Sem dúvidas, ele abriu a nossa economia e aquele protecionismo arcaico caiu.
      A medida que Collor tomou para salvar o país da hiperinflação poderia funcionar se não confiscasse os depósitos acima de 50.000 (com a promessa de devolução em 18 meses), mantendo a hiperinflação de uma forma estag
      O plano foi mal projetado e culminou com uma manifestação dos estudantes (olha os jovens aí), apadrinhados por interesses da oposição.

  • http://www.facebook.com/people/Tiago-Xavier/100001465290255 Tiago Xavier

    IMENSA preguiça desse debate, sério. Estou no trabalho e só tenho os dados (e o tempo necessário para expô-los) em casa, mas vou ter que lançar meus pitacos:

    - Vendo a questão pela ótica do movimento estudantil, sinto uma grande vergonha alheia. A geração da ditadura não merecia a comparação feita pelo Felipe Melo no início do vídeo. E dá mais vergonha ainda ver os jovens – aqueles que deveria trazer novas demandas – lutando pra poder queimar combustível fóssil e comprar produtos industrializados vindos de fora. A próxima geração pelo jeito vai gritar pelo direito de trocar espelhinhos por pau-brasil.

    - O argumento da proteção da indústria nacional como justificativa para os impostos é ingênuo. Grandes empresas internacionais não conseguem competir com sony, apple e microsoft. A Tectoy e a gradiente vão conseguir?

    - Como disse, não tenho os dados aqui, mas afirmo que dizer que a nossa carga tributária é alta é repetir sem refletir. Nossa carga é alta, mas o PIB é baixo. Isso acaba resultando em um efeito curioso: cobra-se 6 vezes mais impostos per capita/ano na Noruega do que no Brasil. Abaixar impostos então é codnenar nossa nação à inanição (cacofonia rules!). A solução me parece óbvia: aumentar o PIB. Agora, sabem o que é engraçado sobre o PIB? o “i” significa INTERNO! O dinheiro tem que ficar no país e não ir pra fora.

  • Marcos

    A intenção do protesto “PREÇO JUSTO” é que o governo baixe os impostos, agora como eles iram fazer isso problema é deles, nossa função quanto a esse problema é meter o pau no governo mesmo, até que esse seja resolvido. Nosso incentivo foi quando confiamos e votamos neles, agora é vez deles fazerem alguma coisa.

  • http://twitter.com/johnnyschulte João Vitor Schulte

    Ótimo texto, mas eu concordo com uma boa parte dos comentários, abaixar os impostos é totalmente necessário, claro que colocar fábricas aqui ajudaria e muito, mas é um absurdo na maioria das vezes nós pagarmos quatro vezes a mais pelo mesmo produto que o pessoal lá de fora. Os impostos aqui deveriam vir descriminados como acontece nos Estados Unidos por exemplo pra termos pelo menos uma noção de quanto realmente é o produto.

  • Anônimo

    Essa discussão está ótima!

    Eu discordo do autor do texto e acho que apoiar a causa que o Felipe Neto lançou muito válido. Tem gente implicando porque não gosta dele como humorista, outros porque acham que é mimimi de classe média preocupada com seu próprio umbigo. E todos esses são de classe média também, portanto, dúvido que ficariam infelizes e deixariam de comprar os produtos com preço justo caso esse manifesto seja bem sucedido. Se acompanharem as matérias de business e marketing, verão que as classes C, D e E também consomem esse tipo de produto (ainda que em menores proporções, por motivos óbvios) e se beneficiariam, não só a A e B.
    Em outras palavras, não está sendo defendido o apoio cego a causa, mas só que não importa quantos especialistas em comércio exterior ou administração apareçam, nada muda o fato de que os impostos são injustos e poderíamos fazer mais quanto a isso.

    Tem outras pessoas acrescentando que o imposto dos eletrônicos não é o principal, mas o das roupas, carros e alimentos. Concordo, até porque todos esses são produzidos aqui e continuamos a pagar caro. Mas por que eletrônico ainda é visto como supérfluo? Essa comunicação e produção de conteúdo aqui não está sendo possível por meio de um notebook, tablet ou celular? Pra mim, por exemplo, é mais essencial do que carro até. E se a princípio está sendo defendido a redução de impostos sobre um tipo de produto, não é porque os outros são menos importantes. Uma conquista de cada vez. ;D

  • Luiz Fernando

    Concordo que o Imposto de Importação deveria diminuir, e muito!
    Mas, há outras prioridades, não?
    Diminuir os impostos que incidem na comida, na bebida, por exemplo, já seria o início de uma nova era brasileira. Além disso, aumentaria o poder aquisitivo do povo. Também, é importante ressaltar que nem todo mundo importa produtos estrangeiros. Ou seja, diminuir os impostos de produtos brasileiros seria mais vantojoso, e atingiria maior número de pessoas, visto que só importam pessoas com um mesmo perfil social e financeiro.

    Vale comentar, também, que acho o Felipe Neto um chato, embora concorde com POUCOS discursos dele? Hehehe

    • Anônimo

      Você podia ter lido o que escrevi logo acima de você. Responderia suas perguntas. =D

      • Luiz Fernando

        Desculpa Louise, não li mesmo.
        Acabei de ler.

        Mas, pegando o seu texto, acho que eletrônico é importante, mas não como roupas e alimentos. O carro até concordo… Mas roupas e alimentos poderiam ser bem mais baratos. E iria impactar todas as classes, independente de níveis. Seria mais vantajoso e teria resultados mais rápidos. Ao contrário dos eletrônicos citados (note, iPad, etc), que mesmo tendo as classes C, D, E, K e Y como consumidoras, atingiria poucos em comparação com o primeiro exemplo.

        ;P

      • Anônimo

        Pelo número de pessoas atingidas, você está coberto de razão! =D Mas só continuo não achando ruim começar pelos eletrônicos, porque vestuário e alimentos englobam variáveis muito mais profundas de mercado, precificação, taxação etc que não dá pra botar no mesmo saco. Tenho a impressão de nesse caso precisaríamos de algum especialista com conhecimento melhor desse mercado, porque tem um movimento de matéria-prima e produto final que deixa o quadro mais delicado. O que não impede de uma próxima ação ser em prol disso, afinal, temos o fato de que boa parte da nossa alimentação e vestuário é produzida em território nacional a nosso favor. =D

      • Anônimo

        Pelo número de pessoas atingidas, você está coberto de razão! =D Mas só continuo não achando ruim começar pelos eletrônicos, porque vestuário e alimentos englobam variáveis muito mais profundas de mercado, precificação, taxação etc que não dá pra botar no mesmo saco. Tenho a impressão de nesse caso precisaríamos de algum especialista com conhecimento melhor desse mercado, porque tem um movimento de matéria-prima e produto final que deixa o quadro mais delicado. O que não impede de uma próxima ação ser em prol disso, afinal, temos o fato de que boa parte da nossa alimentação e vestuário é produzida em território nacional a nosso favor. =D

    • http://gaudio.wordpress.com Raphael Gaudio

      Perfeito Luiz! Você pegou o ponto chave do texto: não é questão de diminuição de impostos e sim de prioridades.

  • Luiz Fernando

    Concordo que o Imposto de Importação deveria diminuir, e muito!
    Mas, há outras prioridades, não?
    Diminuir os impostos que incidem na comida, na bebida, por exemplo, já seria o início de uma nova era brasileira. Além disso, aumentaria o poder aquisitivo do povo. Também, é importante ressaltar que nem todo mundo importa produtos estrangeiros. Ou seja, diminuir os impostos de produtos brasileiros seria mais vantojoso, e atingiria maior número de pessoas, visto que só importam pessoas com um mesmo perfil social e financeiro.

    Vale comentar, também, que acho o Felipe Neto um chato, embora concorde com POUCOS discursos dele? Hehehe

  • Luiz Fernando

    Só pra não deixar passar em branco: nem consegui assistir o vídeo inteiro. Felipe Neto cansa né!?

    E outra coisa: é moda falar “porra” e eu não sei, porra?! E que indignado? Aff, cansa cansa… :P

    • http://twitter.com/verossimil verossimil

      Felipe Neto cansa. MUITO.

      Tenho pra mim que, pior que ver o cara defendendo o direito do brazuca-classe-MÉRDIA a comprar iPad e PS3 a um “preço justo” (seja lá que PORRA isso queira dizer), só se o porta-voz do movimento fosse o Luciano Huck, que certa vez protestou (bradando “eu pago meus impostos”) por lhe terem roubado um Rolex no farol.

      • Luiz Fernando

        Cada qual com sua causa! E eu aqui reclamando de terem roubado meu status no MSN… pobreza para os pobres! Hahaha

      • CesarPoss

        Gente que gasta tempo discutindo gostos pessoais de “felipe neto é um chato” consegue ser tão vazio e superficial quanto as fãzinhas alucinadas que berram que “felipe neto é lindo”.

        Que fucking diferença faz? Se o cara é chato, não assista. A discussão aqui é sobre o manifesto #PrecoJusto

        Eu, particularmente, se não gosto de algo, ignoro. E pro cara ter, sei lá, acho que quase 100 milhões de visualizações, é sinal de que a opinião sobre o “ser chato” não muda radicalmente nada, a maioria esmagadora, pelo visto, discorda.

      • Luiz Fernando

        Resposta ao CesarPoss:

        Vixi… me desse uma canseira agora… até tinha uma resposta pra dar, um texto pra argumentar… mas to muito cansado pra responder isso.

        A discussão tá boa! :]

      • Luiz Fernando

        Resposta ao CesarPoss:

        Vixi… me desse uma canseira agora… até tinha uma resposta pra dar, um texto pra argumentar… mas to muito cansado pra responder isso.

        A discussão tá boa! :]

  • http://gaudio.wordpress.com Raphael Gaudio

    Galera do Papo de Homem muito obrigado pelo espaço que vocês me deram aqui no site! Show essa repercussão ter sido gerada a partir de alguns tweets que eu dei e principalmente por ter criado todo esse debate de ideias!

    Só deixar bem claro que eu também acho um absurdo o Brasil ter uma carga tributária tão grande!

    Mas o meu foco, no texto, foi abordar mais sobre os impostos de importação e que só baixá-los é uma visão simplista demais.

    Eu trabalho com importação há 7 anos e é essa a visão que eu tenho sobre o assunto e justamente por saber que eu tenho muito a aprender sobre importação é que eu aceito a opinião de quem é a favor do #preçojusto como primeira medida.

    Não tomo minhas ideias como a única verdade sobre esse assunto.

    A galera do jogo justo tem mais é que ir em frente com essa campanha e do preço justo também! Defendam suas causas, sejam ouvidos!

    Críticas existirão em toda parte, e se alguém entender que o problema é mais estrutural do que simplesmente ato de baixar os impostos, estarei contente.

    Guilherme e Gustavo, parabéns pelo site e novamente, muito obrigado!

  • http://www.facebook.com/raffael.silvado Raffael Silvado

    Deixando a politica de lado, o cara só quer ir numa loja ou num site qualquer e comprar um videogame por um preço aceitavel e fez um protesto por isso.

    E você? não quer as mesmas coisas que ele? ou vai me falar que a industria Brasileira tem tudo o que você deseja?

    Muita gente ainda põe a culpa de tudo no “sistema”, muita gente não sabe que se você procurar direito existe uma lista não muito extensa com o nome das pessoas responsáveis pelo fato de você ainda não ter um BlackBerry, ou por aquele dia que você ficou 3 horas no banco do SUS.

    E neste exato momento estou me achando um besta aqui na minha internet meia boca de 100kbps, discutindo sobre o que vale e o que não vale a pena pagar, refletindo sobre o significado da palavra ‘justo’ e esperando sair uma porcaria de promoção no submarino pra comprar os livros que eu quero, e me lembrando que hoje paguei 70 reais numa imitação porcaria de um brinquedo do Ben 10 pro meu irmão de 7 anos.
    Feliz é ele que não sabe diferenciar a porcaria que é empurrada pra ele, feliz está ele agora, ali, brincando com um bonecão de borracha barata enquanto eu to aqui, pensando se quero ou nao sair por ai gritando que o governo fode o meu cú todos os dias.

  • http://blog.paulovelho.com Paulo Henrique Martins

    Ei!
    A Foxconn já tem fábricas no Brasil, sabia?

    Ué? Então porque a Apple não produz aqui, afinal?
    Vou deixar o tio Steve Jobs responder:

    “Não podemos nem exportar os nossos produtos com a política maluca de taxação superalta do Brasil. Isso faz com que seja muito pouco atraente investir no país.”

    ponto.
    http://www.gizmodo.com.br/conteudo/made-brazil-apple-teria-recusado-oferta-para-abrir-loja-em-lugar-privilegiado-do-rio/

    • http://www.facebook.com/people/Renato-Siqueira/100000981729741 Renato Siqueira

      E ainda tem gente que defende a cobrança dos impostos abusivos. rs

    • http://gaudio.wordpress.com Raphael Gaudio

      Claro que sei Paulo! Se você clicar na palavra Foxconn do texto, você vai perceber que a matéria do Estadão que eu linkei trata justamente de mais uma fábrica da Foxconn, só que desta vez uma que produziria iPads.
      No caso, esta fábrica viria para cá se o governo incluisse iPads no mesmo contexto do Computador para Todos, se beneficiando de redução de Impostos pela Lei do Bem.
      Este é só um exemplo de como o governo pode ajudar um segmento de mercado (e não só uma fábrica) a vir para o Brasil. http://www.computadorparatodos.gov.br/noticias/mercado-de-pcs-continua-crescendo-apos-incentivos-do-governo

  • Vagner

    Concordo em praticamente tudo que o Felipe Neto disse.

  • Xxx

    Muito bom…
    Alguém que tem uma visão “macro” da situação… é triste ver as pessoas criticarem o II como se ele fosse o vilão de toda a história… haja paciência…

  • http://twitter.com/brunosanches brunosanches

    2 coisas:
    - as tarifas alfedegarias sao sim necessarias e ta certissimo o preço de um produto importado ser altissimo aqui no brasil
    - a campanha que deverias ser feita é para que o governo atraia industria para o pais.

    exemplo: a foxcom que vai instala uma produçao de ipads em jundiai, vai gerar 100 mil empregos diretos, transferencia de tecnologia, e diminuiçao do preço do ipad para 1000R$.

    contudo para atrair essas empresas para o brasil é preciso que haja uma consideravel diminuiçao na burocracia, aumento da infra estrutura nacional e oferecimento de mao de obra qualificada. o preço final do produto brasileiro nao é caro somente por causa da tributaçao, é caro porqque a infra estrutura é ridicula, a burocracia é gigantesca e demorada, e a mao de obra tem que vim do exterior.portanto acho justo cobra o governo pela diminuiçao dos produtos que queremos consumir, porem é preciso pensar em como fazer isso. como já foi dito no texto: reduçao de impostos alfandegarios nao é o melhor caminho

    • http://gaudio.wordpress.com Raphael Gaudio

      Perfeito Bruno! É esse o raciocínio que eu tentei mostrar no texto. Mexer com as estruturas da base e não remendar um problema simplesmente baixando os impostos.

  • Clavatown
  • Victor

    Só pra jogar lenha na fogueira…

    A Sky cobrava os olhos da cara por seus pacotes de tv à cabo. Claro que todo mundo queria ter acesso aos canais pagos mas nem todo mundo tinha bala na agulha pra isso, então surgiu a oportunidade pra um negócio: o gatoNet. Uma pessoa pagava pelo pacotes caros pra caralho e revendia o sinal por uma fração do preço, só que revendiam pro bairro todo!
    A realidade economica do país mudou muito em pouco tempo e um monte de empresas percebeu a oportunidade em investir em tv por assinatura e assim um monte de cias passou a oferecer o serviço, por um preço muito mais razoável. Aqui no Rio dá pra se comprar um pacote bem interessante por mais ou menos R$60,00, o mesmo pacote que custava uns trezentos reais na Sky há alguns anos atrás. Ai agora, vem a Sky, fazendo uma merdinha de propaganda, pedindo pros infiéis voltarem a ter a tv deles… Porra nenhuma, vão tomar no olho do cú!!! Ganharam dinheiro pra caralho porque não tinha concorrência, agora que perderam boa parte do mercado abaixaram os preçoes e me querem de novo como cliente? Então me devolvam parte da fortuna que eu pagava de assinatura…

    Um dos grandes dilemas que o país enfrenta é a falta de concorrência, só isso já tornaria as coisas muito mais dinâmicas. O foda é que as empresas combinam preço entre elas e o governo caga pra isso, desde que o dinheiro dos impostos continue jorrando pro bolso deles…

    Só uma informaçãozinha boba, pros adolescentes que culpam o barbudo malvado do Lula pela montanha dos impostos: quando o FHC entrou a carga tributária era (em relação ao PIB) de 28%, quando ele saiu era de 36% (uma das fontes onde se pode ver isso: http://impostos.portaleconomia.com.br/). No governo do Lula este valor ficou estável. O impressionante é que nossa imprensa ficou absolutamente calada enquanto o FHC arregaçava a população com os impostos, ai vem depois botar a boca no mundo no governo do Lula, como se fosse ele o culpado. Cambada de filhos da puta, Veja e Isto é compradas, imprensa marrom do caralho!

  • Victor

    Só pra jogar lenha na fogueira…

    A Sky cobrava os olhos da cara por seus pacotes de tv à cabo. Claro que todo mundo queria ter acesso aos canais pagos mas nem todo mundo tinha bala na agulha pra isso, então surgiu a oportunidade pra um negócio: o gatoNet. Uma pessoa pagava pelo pacotes caros pra caralho e revendia o sinal por uma fração do preço, só que revendiam pro bairro todo!
    A realidade economica do país mudou muito em pouco tempo e um monte de empresas percebeu a oportunidade em investir em tv por assinatura e assim um monte de cias passou a oferecer o serviço, por um preço muito mais razoável. Aqui no Rio dá pra se comprar um pacote bem interessante por mais ou menos R$60,00, o mesmo pacote que custava uns trezentos reais na Sky há alguns anos atrás. Ai agora, vem a Sky, fazendo uma merdinha de propaganda, pedindo pros infiéis voltarem a ter a tv deles… Porra nenhuma, vão tomar no olho do cú!!! Ganharam dinheiro pra caralho porque não tinha concorrência, agora que perderam boa parte do mercado abaixaram os preçoes e me querem de novo como cliente? Então me devolvam parte da fortuna que eu pagava de assinatura…

    Um dos grandes dilemas que o país enfrenta é a falta de concorrência, só isso já tornaria as coisas muito mais dinâmicas. O foda é que as empresas combinam preço entre elas e o governo caga pra isso, desde que o dinheiro dos impostos continue jorrando pro bolso deles…

    Só uma informaçãozinha boba, pros adolescentes que culpam o barbudo malvado do Lula pela montanha dos impostos: quando o FHC entrou a carga tributária era (em relação ao PIB) de 28%, quando ele saiu era de 36% (uma das fontes onde se pode ver isso: http://impostos.portaleconomia.com.br/). No governo do Lula este valor ficou estável. O impressionante é que nossa imprensa ficou absolutamente calada enquanto o FHC arregaçava a população com os impostos, ai vem depois botar a boca no mundo no governo do Lula, como se fosse ele o culpado. Cambada de filhos da puta, Veja e Isto é compradas, imprensa marrom do caralho!

  • http://www.facebook.com/people/Renato-Siqueira/100000981729741 Renato Siqueira

    Sobre o artigo, li e reli porém continuo achando totalmente adverso o fato de que se bateu tanto na tecla de redução de impostos pra pessoas jurídicas. Grande coisa, o foco aqui é pessoas físicas, principalmente. Logo até a parte do ”A redução de impostos não é o melhor caminho” a leitura tinha algum nexo. Agora vamos falar sobre o adolescente que só se expressa xingando furiosamente.
    Confesso que não vou muito com a cara do Felipe Neto, mas ele é o único jovem que tem força suficiente pra iniciar alguma revolução atualmente, devido ao seu sucesso nas redes sociais. Fato, e não existe questionamentos quanto a isso. Talvez ele devesse ter maior postura diante a causa, concordo, mas é desse tipo de ato que precisamos pra fazer alguma mudança num país onde o Brasil absorve pouquíssimo do que realmente arrecada (estrupo político).
    O que vejo nos membros #anti-preçojusto são pessoas de extrema inteligência mas que realmente não entenderam o porque das ações do F.N, que é exclusivamente tomar o “primeiro passo” contra o roubo que o governo faz com a população,e a forma mais direta seria falar sobre impostos (pode-se dizer aliás que é algo que interessa a todos e que faz o político pagar prostitutas caras por aí com o seu dinheiro.
    Em suma, ele quer apenas desenvolver uma reação pra população (sobretudo juventude de hoje) se indignar e agir de forma ativa na sociedade,
    Inclusive acho que até ignorância falar que ele quer comprar iPad ou um videogame pra ele jogar, até porque ele não precisa, ele tem grana pra isso se não comprou é porque não quis.
    Impostos NÃO se aplicam a somente estes produtos, foi apenas um meio de chamar atenção (coisa que ele vive pra fazer, isso é fato XD) citar eletrônicos que são desejados por todos nós (sobretudo nós internautas).
    Então, estou no movimento porque acredito que é esse tipo de ato que precisamos tomar (principalmente os jovens). E mesmo que não dê certo, já despertou a consciência de quem assistiu o vídeo afim de prestar atenção no que acontece na sociedade.
    Tenham um bom final de semana.

    • Anônimo

      Concordo com você. Você não precisa amar o Felipe para aderir à campanha.
      É fácil criticar o cara dizendo “não é assim que vai mudar as coisas” e mesmo assim não fazer porra nenhuma. Pelo menos ele fez. Quanto ao modelo do vídeo? É igual a todos os outros dele. Ele ficou famoso justamente por fazer vídeos assim. O que ele está fazedo agora, é aproveitar a sua influencia nas mídias sociais (não vai me dizer que ele não é influente) para, na pior das hipoteses, abrir os olhos da nossa juventude. Por que isso não é válido?

      Vi nos comentários (ou em algum link que postaram nos comentarios) gente dizendo que é “ironico” ele fazer um video protestando contra o preço do iPad e aparecer com um iPad no vídeo. Caralho, o cara pode comprar a porra do iPad e mesmoa assim ta reclamando, o que mais vocês querem?

  • http://www.facebook.com/people/Renato-Siqueira/100000981729741 Renato Siqueira

    Sobre o artigo, li e reli porém continuo achando totalmente adverso o fato de que se bateu tanto na tecla de redução de impostos pra pessoas jurídicas. Grande coisa, o foco aqui é pessoas físicas, principalmente. Logo até a parte do ”A redução de impostos não é o melhor caminho” a leitura tinha algum nexo. Agora vamos falar sobre o adolescente que só se expressa xingando furiosamente.
    Confesso que não vou muito com a cara do Felipe Neto, mas ele é o único jovem que tem força suficiente pra iniciar alguma revolução atualmente, devido ao seu sucesso nas redes sociais. Fato, e não existe questionamentos quanto a isso. Talvez ele devesse ter maior postura diante a causa, concordo, mas é desse tipo de ato que precisamos pra fazer alguma mudança num país onde o Brasil absorve pouquíssimo do que realmente arrecada (estrupo político).
    O que vejo nos membros #anti-preçojusto são pessoas de extrema inteligência mas que realmente não entenderam o porque das ações do F.N, que é exclusivamente tomar o “primeiro passo” contra o roubo que o governo faz com a população,e a forma mais direta seria falar sobre impostos (pode-se dizer aliás que é algo que interessa a todos e que faz o político pagar prostitutas caras por aí com o seu dinheiro.
    Em suma, ele quer apenas desenvolver uma reação pra população (sobretudo juventude de hoje) se indignar e agir de forma ativa na sociedade,
    Inclusive acho que até ignorância falar que ele quer comprar iPad ou um videogame pra ele jogar, até porque ele não precisa, ele tem grana pra isso se não comprou é porque não quis.
    Impostos NÃO se aplicam a somente estes produtos, foi apenas um meio de chamar atenção (coisa que ele vive pra fazer, isso é fato XD) citar eletrônicos que são desejados por todos nós (sobretudo nós internautas).
    Então, estou no movimento porque acredito que é esse tipo de ato que precisamos tomar (principalmente os jovens). E mesmo que não dê certo, já despertou a consciência de quem assistiu o vídeo afim de prestar atenção no que acontece na sociedade.
    Tenham um bom final de semana.

  • http://www.facebook.com/people/Humberto-Henrique-Campos-Pinheiro/100000001699908 Humberto Henrique Campos Pinhe

    Isso de aumentar imposto para diminuir a evasão de divisas é a coisa mais retrógada que se pode falar, isso é do tempo em que D. João fechou os portos do Brasil. As autoridades têm que parar de safadeza e passar a cobrar impostos razoáveis como qualquer país civilizado, não dá para trazer todas as fábricas de todas as marcas do mundo para cá. Imposto no Brasil é alto e isto é um fato, a gente paga muito e recebe poucos serviços em troca, já chega desta palhaçada, temos que radicalizar porque é assim que o negócio funciona por aqui.

  • http://twitter.com/fabricio_ca Fabricio C Andriani

    É tratado no texto sobre incentivo a empresas que precisam de máquinas para produzir seus projetos. Eu penso se isso não se aplica a desenvolvedores de Software Mac e iOS, já que essas plataformas necessitam de Hardware Apple (Que não é fabricado no Brasil). Ou então a desenvolvedores de Jogos que precisam de PlayStations 3 e Xbox360 para testar suas criações.
    Mas não acho que esse processo seja tão simples.

    Trago agora um aspecto positivo que essa redução de preços traria: mais desenvolvedores produzindo para a plataforma no Brasil estimulando essa industria. A própria industria de entretimento também se beneficiaria do aumento no consumo de produtos de entretenimento. Infelizmente isso não é uma questão só dos impostos brasileiros mas também da indústria em geral.

  • CesarPoss

    O Renato Siqueira colocou outro ponto fundamental na mesa para os que criticam o próprio Felipe como se ele fosse apenas um playboy querendo comprar videogame.

    O moleque tem contrato com a Globo, com o Multishow, recebe milhares de dólares por mês do Youtube, é garoto propaganda da Wise Up (que é o que mais dá dinheiro nisso tudo) e ainda faz vídeos patrocinados, além de ganhar grana no Twitter também. Ele tem mais do que suficiente pra comprar quantos jogos quiser… A campanha não é pra ELE comprar, é para o público alvo dos vídeos dele, é uma ação pensando muito mais no social dentro desse segmento que puramente nele, isso é notório.

  • http://twitter.com/rlssantiago Renato

    Sou a favor sim #preçojusto, pagamos muito caro em tudo, São Paulo é uma das cidades mais caras do mundo, apesar de empresas externas serem positivas para nós, um monte de impostos deixa nossos produtos em uma briga desigual no mercado lá fora. Mas com certeza entraria na campanha #votojusto.
    Muito bom
    abraxx

  • http://www.umpapolivre.com Paulo Roberto

    A quantidade de pessoas que traz compras de fora é muito menor do que a quantidade de pessoas que iriam começar a comprar caso diminuíssem os impostos.

    Não vejo como isso iria se equilibrar.

    • http://www.facebook.com/killersandro Sandro Guedes de Souza

      Não equilibrar, mas iria aquecer o mercado de eletrônicos e isso, por sua vez, seria um bom ponto de partida para despertar interesse em instalar fábricas no Brasil. O problema é que político brasileiro só pensa a curto prazo, mas as vezes é necessário se endividar para colher no futuro.

    • http://www.facebook.com/killersandro Sandro Guedes de Souza

      Não equilibrar, mas iria aquecer o mercado de eletrônicos e isso, por sua vez, seria um bom ponto de partida para despertar interesse em instalar fábricas no Brasil. O problema é que político brasileiro só pensa a curto prazo, mas as vezes é necessário se endividar para colher no futuro.

      • http://www.facebook.com/profile.php?id=1758390154 Lucas Ono

        Quatro anos de mandato é curto prazo.

      • http://www.facebook.com/profile.php?id=1758390154 Lucas Ono

        Quatro anos de mandato é curto prazo.

    • Notrevelp

      Suponhamos que com os impostos da maneira que estão sejam vendidos X unidades/mês.. abaixe os impostos pela metade e verá que a vendas muito possívelmente irão dobrar.. se não aumentar mais ainda, o governo ganha menos por unidade, porém com o aumento das vendas pela baixa no preço ele no fim pode até acabar recebendo mais, pela maior quantidade vendida. É algo como a diferença no lucro entre Atacado x Varejo.

  • Chrpike

    Concordo em parte com este artigo. De fato, seria um tiro no pé para o Brasil a fim do imposto de importação, já que iria prejudicar a indústria nacional e tudo o mais ligado a ela, MAS, por que não reduzir a ZERO o impsto de importação para produtos que não tenham similat no mercado nacional???

    Quantas produtoras de jogos de console criam seus produtos no Brasil??? Nenhuma…

    O governo poderia dar uma isenção temporária, por, digamos, 2 anos, e, ao mesmo tempo criar incnentivos para trazer essa indústria para cá. A isenção temporária por si só, já amadureceria o mercado enquanto as indústrias se estabeleceriam.

    É bonito falar da Coréia, mas levou 30 anos de investimento contínuo e sério em educação para eles chegarem onde estão.

    E vejam os políticos de lá. Os que são pegos vem corrupção se suicidam devtanta vergonha, já os do Brasil… Tsc tsc tsc…. não têm vergonha na cara…

  • http://www.umpapolivre.com Paulo Roberto

    O autor do texto não está defendendo.
    Ele está EXPLICANDO.

    Dá uma lida de novo e tenta entender.

  • Rafael K

    Olha… eu não li todos os posts, mas pelo que eu vi ninguém realmente percebeu o real motivo por trás do #preçojusto.
    O Felipe Neto está fazendo exatamente o que os políticos fazem: Manipular a massa. Ele está tentando criar um movimento que atinja exatamente seu maior público. No vídeo o cara simplesmente não tá nem ai sobre COMO reduzir esses impostos, já que esse é exatamente o trabalho do governo.
    Se ele realmente entrar em detalhes, no caso, os que os críticos em vários blogs estão falando, o manifesto não vai chegar nem a mil pessoas… simplesmente porque o povo brasileiro não tem conhecimento sobre política ou economia… e obviamente não há incentivos do governo, pq seria a mesma coisa que dar um tiro no próprio pé, eles vão perder eleitorado.
    O que o governo faz hj em dia é “dar o peixe” em vez de “ensinar a pescar”…. e o brasileiro aceita.
    A idéia do vídeo e do protesto, pelo meu ver, é exatamente usar essa mesma “arma” que os políticos usam para ganhar votos manipulando a massa. Gerar um protesto para mostrar pra massa que ela tem VOZ, e fazer perceber que os kras que colocamos no governo são NOSSOS EMPREGADOS, e com sorte, criar, pelo menos, uma conscientização básica para que incentive o estudo do assunto e a mostrar que sua voz TEM que ser ouvida quando descontente com algo.

    E por favor, não me venha falar de movimentos corretos de conscientização e válidos. Por mais boa que seja a ação, o POVO não lê (ou não entende) esse tipo de assunto, e, literalmente falando, ignora. Gera frutos, mas do jeito que tá, resultado mesmo só vai aparecer daqui pelo menos 20 anos.

    E um comentário rápido sobre o que vc falou de retorno para o país com redução (na minha visão, simplificadando os pontos positivos, os negativos já foram citados várias vezes aqui): A arrecadação em impostos seria maior com o aumento das vendas… geraria um incentivo para as pessoas comprarem produtos originais e, consequentemente, geraria uma diminuição das vendas do comércio pirata, que, além das mtas vantagens geradas e que não estão relacionadas diretamente com o assunto em questão, aumentaria também a arrecadação do governo, já que o comércio pirata NÃO gera renda.
    Exemplo básico do vídeo: O kra vai comprar Call of Duty por 200 reais na finac? Acho que não. Há uns 90% de chance de ele optar pelo “genérico” do jogo que, acredito eu, não passe do 20 reais na pior das hipóteses.

  • http://www.facebook.com/pdcgomes Pedro De Carvalho Gomes

    Você acabou de fazer o mesmo que o autor do texto: misturou tudo num balaio de gato, e não vai resolver nada.

    O Felipe Neto está mais que certo em querer que videogames sejam tributados como… entreterimento, só isso! Nada mais democrático e legítimo que lutar pelos próprios interesses. Mas o autor do texto conseguiu deturpar a ideia com a analogia da mesada. Ele inventou a ideia idiota que, se queremo videogames, temos que fabricá-los!

    O texto é infeliz ao extremo. Primeiro, que diferente do que o autor pensa, manufaturar tecnologia é tão “valioso” quanto produzir café. Obviamente temos que incentivar a industria nacional. Mas tem áreas que NAO VALE A PENA INVESTIR. Já tem uma China, com mão de obra quase-gratuita, e não queremos isso aqui. Certo? Que tal investir onde o dinheiro realmente está, que são nas ideais?

    • http://www.facebook.com/bernardodiasdacruz Bernardo Dias da Cruz

      Nós não precisamos ser um país operário. Podemos investir em educação e capacitação para pesquisa e desenvolvimento e quem sabe contratar os próprios chineses para produzir os nossos produtos. Claro que há aquela cultura ultrapassada de que o que vem de fora é sempre melhor, mas até quando isso vai ser verdade? Será que somos mesmo um país burro que nada tem de bom a oferecer para o mundo?

      Me refiro a uma mudança cultura e educacional de vários anos adiante. Nosso povo está inerte, corrigir a rota é fundamental. Somos um país jovem e disposto.

  • http://www.facebook.com/pdcgomes Pedro De Carvalho Gomes

    Você acabou de fazer o mesmo que o autor do texto: misturou tudo num balaio de gato, e não vai resolver nada.

    O Felipe Neto está mais que certo em querer que videogames sejam tributados como… entreterimento, só isso! Nada mais democrático e legítimo que lutar pelos próprios interesses. Mas o autor do texto conseguiu deturpar a ideia com a analogia da mesada. Ele inventou a ideia idiota que, se queremo videogames, temos que fabricá-los!

    O texto é infeliz ao extremo. Primeiro, que diferente do que o autor pensa, manufaturar tecnologia é tão “valioso” quanto produzir café. Obviamente temos que incentivar a industria nacional. Mas tem áreas que NAO VALE A PENA INVESTIR. Já tem uma China, com mão de obra quase-gratuita, e não queremos isso aqui. Certo? Que tal investir onde o dinheiro realmente está, que são nas ideais?

  • Francisco de Assis

    Bom, sou novato aqui no PdH, tô curtindo muito o Site/Blog.
    Bom qnto ao assunto…
    É inegável que precisamos de uma reforma tributária urgente. É revoltante vc pegar alguns balancetes de grandes empresas e no fim contatar q o governo, sem participar de nada, no fim leva mais dinheiro que a própria empresa. Mais revoltante ainda saber que o dinheiro é tão mau gasto.
    Mas é um processo muito maior que só a reforma tributária. É preciso um mudança de cultura geral no brasileiro. É preciso que a grande massa entenda que tirar do grande pra dar para o pequeno é burrice. Que a luta não deve ser pra tirar do grande, mas que o grande cresça contratando bem e e dando condição de trabalho aos seus colaboradores.

    Enquanto projetos como bolsas família, moradia, escola e outros forem prioridade dos eleitos e eleitores, vai ser impossível reduzir as tarifas, pois o dinheiro pra tais projetos tem de vir de algum lugar.

    Os benefícios de um redução drástica de impostos seria fantástico. A começar de que o mínimo valeria mais. não por subir, mas por ter ter um poder de compra maior, uma vez q os preços caem junto com os impostos. com menos impostos há mais expanções, consequentemente mais empregos. há mais empresas legalizadas.

    Mas a mente atual da maioria brasileira ainda pensa que é melhor o governo ter uma empresa como a Vale que dê prejuizo, do que ela passar para mão da iniciativa privada e passe a dar lucro. o “orgulho nacional” cega de tal maneira que quase combate a iniciativa privada.

  • http://www.facebook.com/niemeyer.igor Igor Niemeyer

    Achei muito massa a atitude do Felipe Neto, e fiz questão de assinar o manifesto.
    Detalhe: odeio Vlogs e devo ter visto só aquele video do crepusculo dele até a metade pq a voz dele me irrita. Entretanto antes isso do que nada. kkkk

    Por mais egoista que seja essa atitude, pensando em impostos só de importação, vai dar uma nova cara para os protestos, talvez a internet apareça com mais força em debates etc.
    Sei lá, não custa nada tentar; literalmente :p

  • Edson

    Affffffff q matéria mais xucra.. perdeu playboy, seu site acabou de sair dos meus favoritos..

  • Alexandre

    BULLSHIT. Blog querendo pegar carona na popularidade do FP

  • http://profiles.google.com/alexandrefda Alexandre Ferreira

    Cada vez me impressiono com o PdH. Sobra elogios.

    Assim como na matéria do “Carro: a invenção mais ultrapassada do mundo” vocês explicaram muito bem como funciona os meandros do processo. Nada é simples. Infelizmente a web é cheia de replicador de notícia e “papagaio de pirata”, grupos que colocam a emoção em primeiro lugar, nunca a razão. Culpa da escassez de Informação – com “i” maiúsculo para diferenciar a qualidade.

    Ao procurar certos produtos no TaoBao (ora ora, também importo) vi que certos produtos saem mais caro na China que no país de origem do produto, claro, mas não como no Brasil, devido ao percentual menor de lucro do revendedor. Veja só, poderia ser a pauta da próxima matéria , e que me deu uma idéia: vamos apoiar o #lucrojusto! rsrs

  • http://twitter.com/_rafa_monteiro_ Rafa Monteiro

    O Felipe Neto presta um grande serviço com o seu vídeo, polemizando e instigando as pessoas a debater. O vídeo vale a pena só por isso, IMO.

    Ainda assim, eu discordo do posicionamento dele, mesmo que este posicionamento me beneficie enquanto gamer viciado da porra.

    O vídeo vai muito bem até 1:45 mais ou menos, porque depois ele só fala dos impostos em cima de jogo. Aí que tá a armadilha, e tem muito nerd caindo nela.

    Me parece leviano e burro se mexer pra brigar por joguinho mais barato.

    Leviano porque existe coisa mais importante com o que gastar tempo e energia. Desde que eu me entendo por gente, nunca vi ninguém se mobilizado por educação ou saúde de qualidade, e agora uma massa de nerds tá brigando com unhas e dentes por jogo mais barato. Se não é leviandade, é falta de capacidade de se estabelecer prioridades.

    Burro porque revela total desconhecimento da maneira como as coisas são tributadas no Brasil. Nego luta por isenção fiscal pra jogo, quando faria muito mais sentido uma reforma tributaria que, por si só, já reduziria os preços dos bens e serviços como um todo, em função da redução dos custos de produção e comercialização. E por tabela, os jogos ficariam mais baratos.

    Das duas, uma: ou o governo continua tributando alto, mas gasta o dinheiro de forma eficiente, justificando os impostos, ou abre mão de cobrar tão caro e deixa que a gente se vire com o nosso dinheiro. Da forma como o pessoal do #jogojusto se posiciona, o governo ficaria livre pra continuar arrecadando muito e gastando mal.

    Meu medo é que, daqui a pouco, algum político resolva querer voto e invente o “Bolsa Joguinho” pra calar a boca dos nerds. Aí fudeu grandão.

    • CesarPoss

      Rafa, a questão é: primeiro manifesto… começar pedindo inteiramente a reforma tributária, algo que assola o legislativo há vários anos? O que vejo é que o intuito do manifesto foi tentar mexer em algo pequeno, pra tentar ter resultado de fato, para quem sabe atingir algo maior mais pra frente.

      Se for pra reduzir tudo, vamos taxar o Felipe de playboy se ele fizer qualquer outro manifesto que não seja pra acabar com a fome do mundo.

    • http://www.reflexoesmasculinas.com.br/ Shâmtia Ayômide

      Eu acho a estratégia dele muito boa por que trouxe os “jovens” para um debate sobre um assunto que era só comum a quem tinha certo contato com o mundo empresarial.

      E ele finalmente mostrou ao consumidor o óbvio(que muitos não enxergam): o consumidor é afetado pelos impostos.

      Eu vejo isso como o pontapé inicial para algo maior, quando as pessoas depois verem o quanto as coisas ficam caras por causa do ICMS hehe.

  • RafaMESQS

    Eu só queria saber porque a Argentina tem a gasolina mas barata que a do Brasil se somos NOS QUE IMPORTAMOS PETRÓLEO PRA ELES ???????

    E vc vem me dizer que “abaixar os impostos ” não é a melhor solução

    kkkkkkkkkkkkkkkk

    faz me rir vc’s que acreditam nisso

  • http://www.facebook.com/people/Max-William-Bueno/593510196 Max William Bueno

    exato, vc falou exatamente o que eu estava querendo “ouvir”
    assim, na hora de criticar, td mundo fala mal e talz mas, se for parar pra pensar, cade a atitude que todos cobram?!
    uma coisa é vc ter a atitude que o felipe neto teve, coisa que NINGUÉM fez!
    outra, na hora de jogar merda no ventilador e falar o que pensa, TODO MUNDO faz! um monte de gente reclama no facebook, twitters da vida que os impostos altos acabam com a vida de todo mundo e bláblablá, mas outra é a atitude!!
    temos o exemplo de pco tempo atras do ditador do oriente médio que caiu.. a iniciativa começou no facebook, por exemplo. mas depois, o povo teve a atitude de ir as ruas, lutar por aquilo que td mundo queria.. e aí sim, veio o resultado!
    aqui td mundo fala o que pensa, não faz e ainda reclama dos outros que tem, pelo menos, iniciativa..

    • http://www.facebook.com/fpaiva1 Fernando Paiva

      Disse tudo! Atitude!

    • http://www.facebook.com/people/Edwin-Luisi-Veloso-Alves/100000449274681 Edwin Luisi Veloso Alves

      De acordo com o Elltoon e o Max William Bueno!

      A gente precisa é de atitude e de estimular mentes a pensar no assunto. A atitude o Felipe Neto deve e a repercussão está indo muito bem.
      Agora é a hora de a gente usar isso pra estimular mais pessoas e finalmente batermos de frente com o nosso porco e larápio poder público.
      Não importa se o assunto abordado pelo Felipe Neto é de itens até irrelevantes a gente. Mas vejo como um grande começo.

      Como já citaram, inclusive as coisas fábricadas aqui TEM IMPOSTOS DE IMPORTAÇÃO!
      Como me explicar isso?
      A minha ex-Yamaha Fazer que é projeto tupiniquim e fabricada aqui, é exportada pra américa latina e Ásia, e adivinhem onde ela é mais cara? Aqui no Brasil!
      Sem contar a nossa gasolina e etc que já cansaram de comentar.

      Vamos lá. Cada dia eu fico mais indignado com a nossa situação no Brasil e cada dia que vejo mais e mais pessoas estão começando a se mexer.
      Acho que já já a nossa hora do confronto vai chegar!

      Abraços,
      Edwin Veloso

  • http://www.facebook.com/people/Max-William-Bueno/593510196 Max William Bueno

    tá bom cara, vc fala de reforma tributária, mas vc sabe o que é isso ou é pq td mundo fala que o Brasil precisa disso!?

  • http://www.facebook.com/people/Max-William-Bueno/593510196 Max William Bueno

    atentando ao fato que a moeda argentina, no caso, é mto mais fraca que o Real..

  • Anônimo

    Mas aí que está, Mestre Gaudio.
    Eu não comparei as duas coisas. Perguntei sua opinião à respeito dos métodos – diga-se de passagem, escrotos – da empresa em território extrangeiro pois estava aqui querendo traçar seu perfil de Administrador. Nada que enriquecesse muito a discussão, realmente, mas não deixa de ser importante. (Se você já cursou Técnicas de Negociação, sabe do que estou dizendo. Se não tem na sua grade, fale com seu coordenador de curso já!)
    Tivesse você respondido simplesmente “China é China, Brasil é Brasil”, eu te consideraria um escroto e nosso papo morreria aqui. Entretanto e felizmente não foi esse o caso! o/

    Com relação ao Case Pelican e à Bota Salomon, agradeço pelas respostas, mas me confesso insatisfeito. Digo isso pelo seguinte:
    - No caso do primeiro, estamos falando de um distribuidor exclusivo da marca no país. Pressuponho que quando ele trazem contâineres de 20 ou 40 pés dos E.U.A., estes venham preenchido com outros produtos (modelos diferentes de Case, outros produtos Pelican e mesmo produtos de outras marcas) além da dita mala, assim dissipando os custos de transporte. Apresente a equação que você quiser para justificar o preço do produto no Brasil mas, à partir do momento que o valor final dessa equação for mais de DUAS VEZES E MEIA superior ao valor da importação direta, a coisa perderá o sentido [OK. Importando diretamente você não usufrui da garantia do produto no país, o que é sempre um risco]. O problema vai além dos custos de importação e entra no terreno do MERCENARISMO do próprio distribuidor/vendedor, que é outro fator importante quando se fala de preços de produtos importados no Brasil.

    - O mesmo vale pra Bota Salmon, que é fabricada na China e é vendida por £130 nas lojas de Londres, ou seja, é ainda mais barata na origem. A Adidas/Salomon não traz seus produtos ao Brasil um à um. Trás contâineres. Bote despesas de desembaraço, seguro, Imposto sobre o valor CIF, lucro de revendedora, proprina, custos de distribuição e o escambau. Continua sendo um valor final de revenda MUITO alto. Não compensa.

    Claro que não existe almoço grátis! Importar dá trabalho, eu tenho ciência disso. Em Janeiro agora tive de apresentar um projeto para importar alimentos congelados da China para a França. Eu fiquei responsável pela logística e penei por dois meses para concluí-lo. É foda, campeão!

    Reduzir impostos simplemente, ceteris paribus, não ia ajudar muito. Isso é fato.
    Meu velho pai sempre fala que o Brasil é uma terra de milionários. Tudo custa caro e o consumo ainda sim é alto. O dólar cai 25% e um ano depois o valor de produtos importados cai menos de 10%. Claro que tem coisa errada aí. Os impostos são apenas a ponta de um colossal ICEBERG.

    Grande Abraço

    • Raphael Gaudio

      Fala Artemides! Obrigado pela resposta! Cara, realmente fica difícil especular sobre do porque o preço aumentar tanto assim, se eu não sei realmente a quantidade importada. Mas eu posso ajudar numa coisa: o quanto o governo faz parte nessa conta.

      Para trazer a mercadoria para o Brasil o importador deve saber qual é a classificação tarifária para poder aplicar os impostos. Todo produto tem um código que representa sua classificação. No caso do case da câmera o NCM é 4202.12.10. (Imposto de Importação 20%, IPI 10%, PIS 1,65%, COFINS 7,6%, ICMS 18%) Fazendo umas contas (não tão simples, infelizmente) a soma dos impostos na entrada da mercadoria são de 77%.

      Pra você ver que eu estou falando a verdade, entre no site da própria Receita Federal http://www4.receita.fazenda.gov.br/simulador/ e veja com os seus próprios olhos.

      USD 150,00 X 1,70 (taxa do dólar) + 77% de impostos na entrada = R$ 451,00 “Preço de custo pra trazer a mercadoria”. Não coloquei o frete internacional que deveria entrar nessa conta porque eu não sei a quantidade trazida.

      De R$ 451,00 pra R$ 1.330,00 provavelmente teve despesas de desembaraço, lucro do importador e custos que ele agregou na mercadoria. Para não ser hipócrita e “falar tá vendo? o governo é santinho nessa parte!” eu tenho consciência que esse salto de R$ 451,00 pra R$ 1.330,00 se chama “CUSTO BRASIL”. Nossa ineficiência de estruturas portuárias e políticas levam os preços nas alturas. Mais um motivo para dizer que por mais que se reduza os impostos, não adianta nada ter um porto de Santos atolado de containeres, dependermos de frete rodoviário (um dos mais caros modais) e armazéns que cobram preços lá nas alturas por falta de concorrência e cartel de preços.

      Garanto que se o Felipe Neto conseguisse baixar os impostos, a próxima reinvidicação seria #fretejusto, #custosjustos e assim vai, sendo que na verdade deveria ser o processo reverso.

      Um grande abraço e espero ajudado!

      • Anônimo

        Poís é, Campeão.
        É o tal do ICEBERG que eu havia citado.
        Imagino as dores de cabeça que você – obviamente um guerreiro – deve ter por trabalhar nessa área!
        Esta série de deficiências e ineficiências que compõe o “Custo Brasil” foi justamente o que fez a AMD desconsiderar a implantação de uma fábrica de microprocessadores no país em 2001(!).

        Você deve se lembrar da época em que a Ford instalou linhas de montagem na Bahia, produzindo o EcoSport e o Fiesta (não tenho certeza do segundo). O Governo do Estado, como parte das medidas de incentivo, construiu um porto exclusivamente para o escoamento da produção deles. Olha aí o menino: http://maps.google.com/maps?q=Porto+de+aratu&ie=UTF8&hl=en&hq=Porto+de+aratu&hnear=&ll=-12.786734,-38.486996&spn=0.005734,0.010568&t=h&z=17
        (Embora isolado, integra o Porto de Aratu. Note a ausência de transporte ferroviário, apesar da presença de um monstruoso polo petroquímico nas proximidades).
        Pra você ver como são as coisas…

        Te agradeço mais uma vez pelas respostas e aguardo por novas oportunidades de tratar desses assuntos contigo. Muito boa sorte em seus futuros artigos!

        Grande Abraço

      • Anônimo

        Poís é, Campeão.
        É o tal do ICEBERG que eu havia citado.
        Imagino as dores de cabeça que você – obviamente um guerreiro – deve ter por trabalhar nessa área!
        Esta série de deficiências e ineficiências que compõe o “Custo Brasil” foi justamente o que fez a AMD desconsiderar a implantação de uma fábrica de microprocessadores no país em 2001(!).

        Você deve se lembrar da época em que a Ford instalou linhas de montagem na Bahia, produzindo o EcoSport e o Fiesta (não tenho certeza do segundo). O Governo do Estado, como parte das medidas de incentivo, construiu um porto exclusivamente para o escoamento da produção deles. Olha aí o menino: http://maps.google.com/maps?q=Porto+de+aratu&ie=UTF8&hl=en&hq=Porto+de+aratu&hnear=&ll=-12.786734,-38.486996&spn=0.005734,0.010568&t=h&z=17
        (Embora isolado, integra o Porto de Aratu. Note a ausência de transporte ferroviário, apesar da presença de um monstruoso polo petroquímico nas proximidades).
        Pra você ver como são as coisas…

        Te agradeço mais uma vez pelas respostas e aguardo por novas oportunidades de tratar desses assuntos contigo. Muito boa sorte em seus futuros artigos!

        Grande Abraço

    • Raphael Gaudio

      Fala Artemides! Obrigado pela resposta! Cara, realmente fica difícil especular sobre do porque o preço aumentar tanto assim, se eu não sei realmente a quantidade importada. Mas eu posso ajudar numa coisa: o quanto o governo faz parte nessa conta.

      Para trazer a mercadoria para o Brasil o importador deve saber qual é a classificação tarifária para poder aplicar os impostos. Todo produto tem um código que representa sua classificação. No caso do case da câmera o NCM é 4202.12.10. (Imposto de Importação 20%, IPI 10%, PIS 1,65%, COFINS 7,6%, ICMS 18%) Fazendo umas contas (não tão simples, infelizmente) a soma dos impostos na entrada da mercadoria são de 77%.

      Pra você ver que eu estou falando a verdade, entre no site da própria Receita Federal http://www4.receita.fazenda.gov.br/simulador/ e veja com os seus próprios olhos.

      USD 150,00 X 1,70 (taxa do dólar) + 77% de impostos na entrada = R$ 451,00 “Preço de custo pra trazer a mercadoria”. Não coloquei o frete internacional que deveria entrar nessa conta porque eu não sei a quantidade trazida.

      De R$ 451,00 pra R$ 1.330,00 provavelmente teve despesas de desembaraço, lucro do importador e custos que ele agregou na mercadoria. Para não ser hipócrita e “falar tá vendo? o governo é santinho nessa parte!” eu tenho consciência que esse salto de R$ 451,00 pra R$ 1.330,00 se chama “CUSTO BRASIL”. Nossa ineficiência de estruturas portuárias e políticas levam os preços nas alturas. Mais um motivo para dizer que por mais que se reduza os impostos, não adianta nada ter um porto de Santos atolado de containeres, dependermos de frete rodoviário (um dos mais caros modais) e armazéns que cobram preços lá nas alturas por falta de concorrência e cartel de preços.

      Garanto que se o Felipe Neto conseguisse baixar os impostos, a próxima reinvidicação seria #fretejusto, #custosjustos e assim vai, sendo que na verdade deveria ser o processo reverso.

      Um grande abraço e espero ajudado!

  • Dr Health

    Cara, vc é da comunidade do Flamengo no Orkut??

    Acho que já te vi por lá.

    • http://www.facebook.com/people/Francisco-De-Assis-Rosa/568548135 Francisco De Assis Rosa

      Sou eu msm ^^
      aqui comecei a frequentar a pouco tempo, mas já te vi lá algumas vezes tbm

  • http://www.facebook.com/people/Douglas-Henrique/100000196772990 Douglas Henrique

    Max, ele não tem. É um troll comum que não faz a diferença, tenta ganhar fama nas custas dos outros. :)

    Edit: Não dá pra responder uma tréplica.

    • Tiago Peres

      Que tal olhar mais um pouquinho para o lado, para o próximo? Fazer algo pra ver um sorriso, de gratidão no rosto de alguém, ao invés de ficar xingando e gritando pedindo pra reduzir impostos pra ter iPad mais barato? Estou fazendo minha parte, e não vou parar.
      Todo domingo os amigos do “Abraço de Águia” fazem um café beneficente em praças e bairros carentes da cidade:
      http://www.45graus.com.br/abraco-de-aguia-2010-mais-1-ano-de-solidariedade,blog-do-jex,75189.html
      “Projeto Amigo Especial” mais uma iniciativa do grupo. Realizamos o desejo das crianças da APAE (Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais) de presentes que queriam ganhar no dia das crianças. Através de um site criado para o projeto você poderia “adotar” amigos especiais e presenteá-las. Presentiei dois “amigos especiais”, minha namorada mais duas: http://www.vooz.com.br/noticias/abraco-de-aguia-na-apae-teresina-no-dia-das-criancas-47431.html
      “Nesse Natal é você que presenteia o Bom velhinho”. Campanha que criei com o apoio de alguns parceiros. Criada na época do natal com objetivo de arrecadar doações para a Vila do Ancião, uma instituição que acolhe pessoas idosas. Com ajuda de alguns amigos/parceiros que acreditaram na causa conseguimos arrecadar quase meia tonelada de alimentos, roupas e materiais de higiene e limpeza: http://tiagoperes.files.wordpress.com/2011/04/crbst_20.jpg
      Sempre ajudo quando posso. Ajude também!
      Para seguir o grupo no twitter: @abracodeaguia
      Seja amigo do Abraço de Águia Teresina no facebook: (Abraço de Águia Teresina)
      Não custa nada :)

  • Anônimo

    O texto faz todo sentido, se nossas tarifas não fosse gigantescas. Felipe Neto é um agitador ( no bom sentido) conseguiu atrair diversas pessoas para uma causa, com boas intenções, mas de compreensão incompleta. Obvio que baixar tarifas de importação é tiro no pé, melhor é possibilitar a instalação das fábricas aqui, pois irá gerar receita. Que tal pensarmos no tipo de desenvolvimento que queremos.

    Como citado a Foxxcon, será que é o tipo de empresa que queremos aqui (fabrica e monta um aparelho inventado e aperfeiçoado nos EUA)? Não será melhor facilitar o acesso ao equipamento (tablet’s, e eletrônicos em geral) e investir numa indústria de softwares, menos poluente e gera mais receita. Uma pessoa compra um Ipad, mas quanto programas ela irá comprar? Quantas novas tecnologias poderemos desenvolver tendo facilidade aos recursos de hardware?

    Competir com as fábricas chinesas significa abrir mão de leis ambientais e trabalhistas. É uma sociedade que queremos viver?

  • http://www.facebook.com/people/Douglas-Henrique/100000196772990 Douglas Henrique

    Se um classe média apóia um movimento é hipócrita. Se é um pobre, não vai surtir efeito. Decidam-se.

    Além disso, acho que você e o Luiz comentaram no texto errado. Esse aqui, como o Cesar disse, é sobre o #PrecoJusto.

  • http://www.facebook.com/gprista Gustavo Prista

    Vendo esse movimento todo, mais que a contradição entre aqueles que defendem a diminuição dos impostos e aqueles que a combatem, fico preocupado com como a internet “padroniza opiniões”.

    Enquanto poucos se envolvem em um debate mais interessante, como os vistos por aqui, a maioria prefere dar RT, repassar hashtags e ficar convidando os outros pros eventos do facebook sem nem questionar o que há.

    Entendo que sempre ouve uma certa preguiça, na maior parte da humanidade, de entender como as coisas funcionam. Mas a internet permite essa padronização de uma forma que muita gente pensa ainda menos.

    Sobre os impostos, também discordo da campanha. Nossa carga de impostos é pesada para o pouco ganho que temos, mas não é das mais altas do mundo (ainda!). E nem apenas os impostos encarecem o produto importado: as margens de comércio e transporte também são abusivas no Brasil. Um país que é exportador líquido de várias commodities e, ainda assim, vê o preço desses bens variar de acordo com o mercado internacional sem nenhuma tentativa de intervenção do governo (que diz amar os pobres) é, no mínimo, contraditório.
    Também penso que o correto é lutar para que os impostos sejam bem utilizados, e não “cortados pela metade”.

  • http://www.facebook.com/gprista Gustavo Prista

    E vale lembrar que o dolar baixo já causa uma “desindustrialização” dos setores mais tecnológicos. O Brasil não tem escala pra competir com as grandes empresas estrangeiras… Alguns estudos da FIESP já tentavam demonstrar isso antes do dolar romper a barreira do 1,70, imagino o desespero deles agora.

    Se você facilitar ainda mais para os produtos importados, a nossa indústria de alta tecnologia (que já não recebeu apoio ao longo dos governos Lula – não quero critica-lo, apenas informo algo que os próprios estudos da FIESP comprovaram) tenderá a minguar ainda mais. (vale lembrar que o PT criticava, e critica, as privatizações por “venderem o país ao Tio Sam” – o mesmo acontece com o real forte e com a falta de cuidado com setores estratégicos da indústria de transformação nacional)

    Não é a hora certa de mexer com isso. Mas, ok… Felipe Neto é um estudante de comunicação, não entende nada de economia, percebeu que pagar de rebelde faz um auê danado e existem milhares de pessoas sem capacidade analítica/crítica que adoram dar um RT em assunto polêmico (mamilos!) ou pagar de “sou politicamente engajado”.

  • http://profiles.google.com/maurohenriquesneto Mauro Henriques

    Sempre quando vem alguma pessoa com ideias bacanas sempre vem pessoas pra falar mal, impressionante.

  • http://profiles.google.com/maurohenriquesneto Mauro Henriques

    Sempre quando vem alguma pessoa com ideias bacanas sempre vem pessoas pra falar mal, impressionante.

  • http://profiles.google.com/julio.gamedesign Julio Cascalles

    Uma frase interessante do vídeo “Qual indústria nacional o governo quer proteger?”
    .
    Alguém se lembra da Lei de informática ? (Talvez não pq faz mto tempo: Foi na época em que tornou-se possível ter um PC doméstico a um preço acessível – os XT´s e 286´s, de tela verde…)

    Ela (a tal Lei) não deixou entrar computadores no Brasil durante alguns anos, impedindo desenvolvimento de sistemas informatizados.
    O que eles queriam proteger?? A indústria de máquinas de escrever?!?!!

    • http://profiles.google.com/julio.gamedesign Julio Cascalles

      Sobre a geração de empregos, aconteceu justamente o contrário: Os empregos começaram a surgir quando os computadores chegaram: Surgiram vagas e cursos para Digitador, Operador, Programador, Analista etc.)

  • http://profiles.google.com/julio.gamedesign Julio Cascalles

    Uma frase interessante do vídeo “Qual indústria nacional o governo quer proteger?”
    .
    Alguém se lembra da Lei de informática ? (Talvez não pq faz mto tempo: Foi na época em que tornou-se possível ter um PC doméstico a um preço acessível – os XT´s e 286´s, de tela verde…)

    Ela (a tal Lei) não deixou entrar computadores no Brasil durante alguns anos, impedindo desenvolvimento de sistemas informatizados.
    O que eles queriam proteger?? A indústria de máquinas de escrever?!?!!

  • Wladston

    Penso qie a economia deve ser liberal. Deixa que aconteca a livre troca. Se quiser incentivar a industria nacional, diminui os impostos pra ela, nao cria uma situacao artificial na qual os brasileiros tem que pagar um preco artificial por tudo. Leiam algum livro de economia. Perguntem alguem que faz economia. Nao gosto do estilo do felipe neto mas nessa ele tem razao.

  • Wladston

    Penso qie a economia deve ser liberal. Deixa que aconteca a livre troca. Se quiser incentivar a industria nacional, diminui os impostos pra ela, nao cria uma situacao artificial na qual os brasileiros tem que pagar um preco artificial por tudo. Leiam algum livro de economia. Perguntem alguem que faz economia. Nao gosto do estilo do felipe neto mas nessa ele tem razao.

  • http://www.facebook.com/people/Francisco-De-Assis-Rosa/568548135 Francisco De Assis Rosa

    hahahaha

    O próprio. sou eu msm. sabia que eu conhecia seu avatar de algum lugar

  • http://www.facebook.com/people/Francisco-De-Assis-Rosa/568548135 Francisco De Assis Rosa

    hahahaha

    O próprio. sou eu msm. sabia que eu conhecia seu avatar de algum lugar

  • Daniel

    Texto mal articulado e de fundamentação pobre. Tão infantil quando o protesto #preçojustoja (ainda que eu apoie esse segundo pois traz um benefício para a sociedade – o de questionar a matemática fiscal irracional imposta pelo governo).

  • Daniel

    Texto mal articulado e de fundamentação pobre. Tão infantil quando o protesto #preçojustoja (ainda que eu apoie esse segundo pois traz um benefício para a sociedade – o de questionar a matemática fiscal irracional imposta pelo governo).

  • Rapha.

    Admito que de acordo com o texto, pode haver outras opções para preços mais “justos” (se é que isso existe). Mas faço parte do coro que concorda que as taxas impostas sobre os produtos importados no nosso País são extremamente abusivas. Se existe um movimento que se determina a reduzi-los, farei a minha pequena parte e os ajudarei mesmo sem vislumbrar um resultado. Não por questões simplesmente egoístas já que obviamente me incluo no todo, mas porque também acredito que essa redução em comparativo com outros mercados internacionais melhorará o nosso próprio mercado e o nosso bem-estar como cidadãos que vivem em um sistema capitalista. Se ainda essas altas taxas fossem revertidas apropriadamente, “talvez” tivéssemos uma justificativa para “a mais alta taxa de impostos sobre importação do mundo”. Mas o que acontece, é uma subestimo de nossa inteligência e um desrespeito absoluto sobre o nosso poder aquisitivo com uma falsa justificativa de protecionismo.

    Talvez começar esse movimento por causa de “videogames” soe como reclamação burguesa da classe média e por isso exista certo ceticismo e pouca credibilidade perante a tudo isso por parte das pessoas, mas na boa? Independente de onde isso tenha começado se vier a trazer algum resultado benéfico para todos que atravesse a ineficiência, indiferença, e iniquidade de vários representantes de nosso governo, para mim já está valendo.

  • http://twitter.com/nortonlimajr nortonlimajr

    1) @gaudio sua hermenêutica contra @felipeneto utiliza uma lógica que caducou.
    2) A campanha #precojusto pegou a veia, está correta.
    3) Há setores da nova economia que são universais, o entretenimento é universal. Imagine você como sofrem os músicos para comprar equipamentos musicais de qualidade.
    4) Barreiras tarifárias só funcionam quando protegem um setor de concorrência desleal, como é o caso da concorrência da China.
    5) Barreiras tarifárias, impostos, crédito etc são instrumentos de governo para orientação produtiva, para corrigir uma desorganização, é um instrumento virtuoso que deve ser usado como fertilizante no planejamento para consertar vícios e não ser o próprio vicio, aliás, esse é o papel de um governo, fundar ciclos, apoiar ciclos, dinamizar ciclos. deve fertilizar, não ser erva daninha.
    6) Se não há setor correlato nacional não tarifar até mesmo beneficia a economia por dinamizar outros setores. Por vezes proteger/reservar mercado apenas desprotege/desatualiza uma economia. Sabe quantos anos de informatização o Brasil perdeu devido as barreiras tarifárias? Foram duas décadas de reserva de mercado na informática, funcionou? Não funcionou..
    7) Contra uma carga tributária de 20% rebelaram-se os inconfidentes, hoje são absurdos 40% em média..

  • Jefferson

    Como morador da fronteira Brasil – Paraguay posso te garantir que evasão de dinheiro já existe, e muito. Sabe quantos dólares custa um PS3 lá? Só de 340, dá em torno de 580 reais. O wii? Só 210 dólares, perto de 360 reais. E um jogo original, em blu-ray, sem qualquer proibição pela PSN Network do PS3 que você comprou? Algo como 40 dólares/jogo. A Receita, só aqui em Foz, apreende cerca de 300 milhões em mercadorias por ano, e com certeza não retiram 5% de tudo.

  • Jefferson

    Como morador da fronteira Brasil – Paraguay posso te garantir que evasão de dinheiro já existe, e muito. Sabe quantos dólares custa um PS3 lá? Só de 340, dá em torno de 580 reais. O wii? Só 210 dólares, perto de 360 reais. E um jogo original, em blu-ray, sem qualquer proibição pela PSN Network do PS3 que você comprou? Algo como 40 dólares/jogo. A Receita, só aqui em Foz, apreende cerca de 300 milhões em mercadorias por ano, e com certeza não retiram 5% de tudo.

  • Jefferson

    Como morador da fronteira Brasil – Paraguay posso te garantir que evasão de dinheiro já existe, e muito. Sabe quantos dólares custa um PS3 lá? Só de 340, dá em torno de 580 reais. O wii? Só 210 dólares, perto de 360 reais. E um jogo original, em blu-ray, sem qualquer proibição pela PSN Network do PS3 que você comprou? Algo como 40 dólares/jogo. A Receita, só aqui em Foz, apreende cerca de 300 milhões em mercadorias por ano, e com certeza não retiram 5% de tudo.

  • Luiz Fernando

    Pois é Raphael,

    Vide exemplo da baixa do IPI ano passado, nos “bens brancos” (acho que é isso).
    Atingiu uma parcela enorme da população, que puderam comprar seus eletros deixados de lado, por não terem grana suficiente. Eletros, aliás, que fazem falta no dia-a-dia. Só de universitários, foi uma avalanche. Houve até lojas da minha cidade que fizeram um pacote com super desconto aos universitários, porque muitos viram a oportunidade de comprar o microondas e a máquina de lavar roupas, que na vida de um estudante, são tão importantes como os livros… hehe

    Não seria nada mal se baixassem o ICMS, por exemplo, de certos produtos. Produtos importantes claro.

    Acho válido o protesto. Isso prova que o Felipe Neto (representando toda uma juventudade) não está acomodado e não reclama apenas de filmes, artistas e comportamentos no YouTube. Mas, seria mais interessante um protesto voltado aos bens de consumo de primeira prioridade.

    Abç.

  • Anônimo

    Meu caro Marcelo,
    Esse artigo (requentado) chegou a passar pelos seus olhos?
    http://carros.ig.com.br/noticias/carro+popular+nacional+vale+o+mesmo+que+esportivo+nos+eua/2316.html

    Quando a Indústria se acomoda e o consumidor se acostuma…

  • http://profiles.google.com/julio.gamedesign Julio Cascalles

    É claro que o governo vai dizer que o imposto é justo: São eles que recebem!

    Seria justo se o dinheiro do imposto fosse bem utilizado, mas não é.

    Não podemos ser individualistas, mas infelizmente nossos governantes são e não abrirão mão de suas mordomias para baratear eletrônicos, tecnologia, remédio ou qualquer coisa para o povo.

  • http://twitter.com/_rafa_monteiro_ Rafa Monteiro

    Essa história do #jogojusto tem um outro pequeno detalhe que pouca gente tá falando: pirataria.

    Além da tributação alta e maluca, a pirataria de jogos é um grande impecilho pra consolidação de um comércio de jogos DE VERDADE aqui no nosso país. Não é negócio abrir fábrica (do verbo “gerar emprego/receita/whatever”) por aqui.

    E só tem um jeito de se combater pirataria, IMO: vendendo mais barato e de forma mais eficiente. Recai novamente no problema da tributação.

  • http://twitter.com/_rafa_monteiro_ Rafa Monteiro

    Essa história do #jogojusto tem um outro pequeno detalhe que pouca gente tá falando: pirataria.

    Além da tributação alta e maluca, a pirataria de jogos é um grande impecilho pra consolidação de um comércio de jogos DE VERDADE aqui no nosso país. Não é negócio abrir fábrica (do verbo “gerar emprego/receita/whatever”) por aqui.

    E só tem um jeito de se combater pirataria, IMO: vendendo mais barato e de forma mais eficiente. Recai novamente no problema da tributação.

  • Freelancer

    O comentário nem é tão pertinente ao texto, mas acho que vale para a discussão toda.
    Também porque eu “sou um rapaz latino-americano que quer reclamar” rsrs
    Por onde quer que eu olhe o que vejo é apenas BRASIL um país com potencial gigantesco que age como se não fosse chegar a lugar nenhum. Porra! parece um gosto compartilhado por 99% da população (independente de qualquer fator classificante) “VAMOS EMPURRAR ESSA PORRA COM A BARRIGA”. É uma merda para comprar, é uma merda para vender, importar, para abrir empresa, para adiquirir uma casa ou mesmo para alugar uma … tudo isso para o Estado não dar retorno satisfatório em quase porra nenhuma, ta existe, mas não funciona de verdade. Partindo para uma visão funcionalista, somos um país ORGANISMO Brasil, em que os próprios orgãos do corpo agem em desfavor ou descaso entre si. Ta ai somos um País moribundo, febril que não da a minima para tudo o que pode ajudar a curar seus problemas. Baixar os impostos pode facilitar a vida de quem quer um IPAD ou um PS3, mas não resolve TODO o problema. O BURACO É MAIS EMBAIXO…
    Porém a discussão promovida pela atitude do Felipe é interessante, e quanto mais barulho melhor, serve para lembrar que democracia so funciona se todo mundo tiver voz, e também vontade de falar… senão acabaremos mesmo numa ditatura neo-comunista de Estado autoritário fingindo que tudo o que faz é o para o nosso bem… conta outra….

  • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

    Pessoal,

    Publicamos um texto do Felipe Neto sobre o Preço Justo:

    http://papodehomem.com.br/o-precojusto-e-um-manifesto/

    Abraço.

  • http://www.papodehomem.com.br/ Guilherme Nascimento Valadares

    Será mesmo?

    A audiência do Felipe tem uma faixa ENORME de estudantes e, consequentemente, de professores. Esse vídeo dele usou como gancho algo que afeta diretamente seu público para entrar em um debate político de excelente potencial.

    Como exemplo inicial, me coloco no front. Minha primeira reação ao ver o vídeo do Felipe sobre o Preço Justo foi achar uma boa sacada, em especial por ter sido feita com apoio do Brasil 247 e infraestrutura para crescer muito além do YouTube.

    Na sequência, vejo o texto do Raphael Gaudio, que compartilhou informações e cenários que eu nem havia cogitado.

    Nos comentários do texto, a discussão está fervendo. O Danilo Freire entrou em outro ponto, “estamos discutindo mais fundo ainda, é o papel do Estado!”.

    Literalmente milhões, de adolescentes, adultos, professores e políticos (sim, eles já devem estar vendo o vídeo do Felipe) estão debatendo uma questão política. Todos engajados em torno de um debate com implicações políticas, econômicas e tantas outras em nossa sociedade.

    Em uma terra de “política não se discute”, a política está tomando o palco justamente para muitas pessoas que tinham asco do tema, isso é foda. Essa movimentação é muito benéfica.

    Estou aprendendo junto e vou acompanhar atento os desdobramentos.

    • http://twitter.com/paulotiagoef Paulo Tiago Oliveira

      boas colocaçoes guilherme!
      Eu acredito qe fora as escolha de que quais produtos devem ter impostos reduzidos, considero muito bom, pois isso abre um vies de possibilidade das pessoas discutirem sobre que tipo de “politica” está sendo feita no brasil, e por quem!!! Já que vivemos numa pseudo-democracia, logo em tese as decisoes trarao beneficios para a maioria!
      e realmente vejo que está trazendo beneficios, porem somente para a maioria dos politicos-partidarios governantes que sao um grupinho minimo comparado aos 190 milhoes que em tese sao por eles representados!!!

      esse regime de “democracia” indireta que impera por enquanto no Pais está notavelmente errado! haja vista que os “representantes” nao representam quem os elegeu! considero que a metade da populaçao + 1
      assista mais a TV senado, e TV camara, que concordo qe é chatissima, todavia busqemos saber,entender,discutir,analisar, e Escolhermos e alterarmos esse mar de lama e de Dalitis de capital Federal!
      P.S: como diria platao vc pode nao gostar de politica, mas vc será governado por aqeles que gostam.

      • http://oopinioso.wordpress.com Opinioso

        Curti muito o texto do Gaudio, trouxe um pouco de sobriedade a uma discussão que estava apaixonada demais para um assunto tão sério. Ademais, peço desculpas para fazer uma leve propaganda dos posts que tenho sobre o assunto, principalmente minha análise do artigo do Felipe Neto em defesa do movimento postado aqui no site. Ele infelizmente não aceitou sequer ler meu post – e me classificou de doente, o que não chega a configurar um argumento, mas relevo. Se houver algum problema em deixar o link, peço que o comentário seja moderado e posteriormente volto para tentar sintetizar ao máximo as ideias. O link é: http://bit.ly/iMqKij

        Abraços, e parabéns pelo site.

      • Ricardo

        Graças a Deus o Rafael ainda é estudante, desta forma ainda terá tempo para se dar conta do mal que a alta taxa tributária faz ao país.

        Rafael, você esquece que num mundo em rede, conectado, tecnológico, o video-game é a porta de entrada das crianças no mundo das máquinas. É jogando que elas entendem como elas funcionam e se comunicam. É através dos games que amanhã essa mesma criança achará normal se comunicar em rede, trabalhar em rede com pessoas de todo mundo, tal qual ele fez a vida toda enquanto jogava.

        O mesma lei que taxa os PS3 taxam também os notebooks e todo tipo de eletrônicos, que são ferramentas fundamentais para nosso dia a dia. Enquanto o uso deles não for massificados, acessíveis a todos, não teremos pessoas profissionalmente adequadas para essa era que vivemos onde tudo gira e funciona através da informática.

        Notebook para estudantes, e-readers, tablets….itens como esses para estudantes deveriam ter taxa 0% pois aprender a utilizá-los plenamente é tão importante quanto aprender a falar e fazer cálculo.

        Esse pensamento medíocre e protecionista que você tem nós já tivemos nos anos 80, década que o Brasil se fechou ao mundo, taxando tudo que pudesse ser importado, pois assim, acreditavam os gênios como você da época, as fábricas se instalariam aqui. 

        Não custa dizer que os anos 80 é conhecida como a década perdida, época que fabricavamos lixo e pagávamos fortunas por eles…tal como estamos fazendo hoje em dia.

        Não preciso dizer que oferecer máquinas e eletrônicos em geral a preços baixas ajudaria, e muito, os empreendedores do Brasil ampliarem e melhorarem a tecnologia de suas empresas, gerando mais empregos e renda.

        Mas isso é pensar no longo prazo, coisa que político no Brasil não faz. Prefere taxar produtos ao extremo e assim pagar o alto custo da máquinas estatal a criar uma política de desenvolvimento economico que só será possivel com uma reforma tributária, mas isso dá trabalho e político não é chegado nisso. 

    • http://twitter.com/paulotiagoef Paulo Tiago Oliveira

      boas colocaçoes guilherme!
      Eu acredito qe fora as escolha de que quais produtos devem ter impostos reduzidos, considero muito bom, pois isso abre um vies de possibilidade das pessoas discutirem sobre que tipo de “politica” está sendo feita no brasil, e por quem!!! Já que vivemos numa pseudo-democracia, logo em tese as decisoes trarao beneficios para a maioria!
      e realmente vejo que está trazendo beneficios, porem somente para a maioria dos politicos-partidarios governantes que sao um grupinho minimo comparado aos 190 milhoes que em tese sao por eles representados!!!

      esse regime de “democracia” indireta que impera por enquanto no Pais está notavelmente errado! haja vista que os “representantes” nao representam quem os elegeu! considero que a metade da populaçao + 1
      assista mais a TV senado, e TV camara, que concordo qe é chatissima, todavia busqemos saber,entender,discutir,analisar, e Escolhermos e alterarmos esse mar de lama e de Dalitis de capital Federal!
      P.S: como diria platao vc pode nao gostar de politica, mas vc será governado por aqeles que gostam.

    • http://twitter.com/paulotiagoef Paulo Tiago Oliveira

      boas colocaçoes guilherme!
      Eu acredito qe fora as escolha de que quais produtos devem ter impostos reduzidos, considero muito bom, pois isso abre um vies de possibilidade das pessoas discutirem sobre que tipo de “politica” está sendo feita no brasil, e por quem!!! Já que vivemos numa pseudo-democracia, logo em tese as decisoes trarao beneficios para a maioria!
      e realmente vejo que está trazendo beneficios, porem somente para a maioria dos politicos-partidarios governantes que sao um grupinho minimo comparado aos 190 milhoes que em tese sao por eles representados!!!

      esse regime de “democracia” indireta que impera por enquanto no Pais está notavelmente errado! haja vista que os “representantes” nao representam quem os elegeu! considero que a metade da populaçao + 1
      assista mais a TV senado, e TV camara, que concordo qe é chatissima, todavia busqemos saber,entender,discutir,analisar, e Escolhermos e alterarmos esse mar de lama e de Dalitis de capital Federal!
      P.S: como diria platao vc pode nao gostar de politica, mas vc será governado por aqeles que gostam.

    • http://www.facebook.com/people/João-Gabriel-Farias-Lima/100001383357794 João Gabriel Farias Lima

      Olha, creio que ficar contextualizando a atitude do garoto felipe neto é um pouco precipitado e fora de utilidade. Só serve pra dogmatizar o menino coitado. Pode parecer viagem mas foi o que platão fez com Sócrates. Será realmente que o debate está realmente tão quente ou engajado como parece ? No meu circulo social aconteceu a mesma coisa que aconteceu com a morte do Osama. Quem é manipulado fala o que acha que aprendeu na TV e esquece. Quem ostenta esse debate é quem já faria isso sem ou com o Felipe Neto… Alias, esse texto, foi o mais inteligente que vi, e apesar do menor estardalhaço é muito mais significativo… paradoxal não ?

    • http://www.facebook.com/people/João-Gabriel-Farias-Lima/100001383357794 João Gabriel Farias Lima

      concordo com muitos pontos do texto. Em suma, criar um movimento “contra” é tão errado quanto o movimento vigente… Esse estilo de negação sustenta uma troca de opiniões bastante efadonhas e geralmente falha na sua conjuntura. Como foi respondido no texto; baixar impostos funciona ? Tratar a república como um banco imobiliário é meio precipitado não ? É muito mais lúcido e eficaz, pensar fora do contexto e deixar de ser reativo, criar uma solução conjuntural.
      O incentivo de empresas aqui no Brasil é uma solução que nunca tinha cogitado, e me parece de extrema inteligência.
      “think outside the box”

  • http://www.papodehomem.com.br/ Guilherme Nascimento Valadares

    Será mesmo?

    A audiência do Felipe tem uma faixa ENORME de estudantes e, consequentemente, de professores. Esse vídeo dele usou como gancho algo que afeta diretamente seu público para entrar em um debate político de excelente potencial.

    Como exemplo inicial, me coloco no front. Minha primeira reação ao ver o vídeo do Felipe sobre o Preço Justo foi achar uma boa sacada, em especial por ter sido feita com apoio do Brasil 247 e infraestrutura para crescer muito além do YouTube.

    Na sequência, vejo o texto do Raphael Gaudio, que compartilhou informações e cenários que eu nem havia cogitado.

    Nos comentários do texto, a discussão está fervendo. O Danilo Freire entrou em outro ponto, “estamos discutindo mais fundo ainda, é o papel do Estado!”.

    Literalmente milhões, de adolescentes, adultos, professores e políticos (sim, eles já devem estar vendo o vídeo do Felipe) estão debatendo uma questão política. Todos engajados em torno de um debate com implicações políticas, econômicas e tantas outras em nossa sociedade.

    Em uma terra de “política não se discute”, a política está tomando o palco justamente para muitas pessoas que tinham asco do tema, isso é foda. Essa movimentação é muito benéfica.

    Estou aprendendo junto e vou acompanhar atento os desdobramentos.

  • Danilo Freire

    Tem uma grande indústria de automóveis, pero no mucho, compañero.

    O Brasil abriga uma grande quantidade de indústrias automobilísticas… estrangeiras.

    O papel do Estado deveria se limitar a garantir a concorrência no mercado, mas não cobrando impostos exorbitantes, até porque imposto é, veja bem… imoral. Leia o art.158 do Código Penal e descubra que exação é sinônimo de extorsão.

  • Danilo Freire

    Tem uma grande indústria de automóveis, pero no mucho, compañero.

    O Brasil abriga uma grande quantidade de indústrias automobilísticas… estrangeiras.

    O papel do Estado deveria se limitar a garantir a concorrência no mercado, mas não cobrando impostos exorbitantes, até porque imposto é, veja bem… imoral. Leia o art.158 do Código Penal e descubra que exação é sinônimo de extorsão.

  • http://www.facebook.com/people/Douglas-Henrique/100000196772990 Douglas Henrique

    É bacana ver tamanha caridade e, acho que posso chamar de amor. Mas não sei porque você é contra e ainda fez um texto para criticar o manisfeto.

    Existe toda uma política econômica a ser analisada antes de pedir algo? Pode até existir meu caro, mas a manifestação que ele fez foi o primeiro passo. Agora surgem novas soluções e argumentos mais coerentes.

    Então deixe de ser invejoso, porque até da loja do cara você falou no seu blog e ajude com o coração aberto. :)

  • http://twitter.com/nas_renan Renan Nascimento

    Faço das minhas palavras as que o Guilherme Nascimento Valadares escreveu no segundo comentário. Ótimo!

  • http://twitter.com/nas_renan Renan Nascimento

    Faço das minhas palavras as que o Guilherme Nascimento Valadares escreveu no segundo comentário. Ótimo!

  • Gustavo Liam

    Você tem que ser ministro da economia de Cuba.

  • http://www.facebook.com/people/Edegar-Neumann/100000367644831 Edegar Neumann

    Excelente a analogia sobre pinga e truco, mas o imposto serve sim para proteger (algumas) indústrias nacionais: Calçados, tecidos, eletroeletrônicos, automóveis etc.
    Mas só isso não é justificativa bastante para o nível em que se encontram os tributos. De fato, a carga tributária tem que diminuir!

  • http://www.facebook.com/people/Edegar-Neumann/100000367644831 Edegar Neumann

    o_O

    • http://profiles.google.com/lebowskiwashere Paulo Gameiro

      pois não?

  • http://www.facebook.com/people/Edegar-Neumann/100000367644831 Edegar Neumann

    Este texto inspira uma discussão importantíssima, ajuda-nos a fugir do estigma de que ‘isso não se discute’. Concordo com o Danilo: a coisa vai mais nos fundamentos!
    O problema não está só nos tributos (tecnicamente é mais correta a palavra tributo, que engloba os impostos, as taxas e contribuições, entre outros), mas na forma como eles são cobrados e na péssima utilização da grana da viúva.
    - Forma de cobrança: a própria constituição do Brasil prega que os impostos devem ter caráter pessoal e ser graduados conforme a capacidade econômica do contribuinte. Einh??? Ok, é mais ou menos dizer que deveria pagar mais quem ganha mais (capacidade econômica), e pra isso seria necessário saber quem ganha mais (caráter pessoal). Tá, isso pode parecer socialista, mas vamos e venhamos, poucos são os que ajudam de vontade própria quem necessita, então, num mundo de diferenças tão absurdas, isso não me parece tão errado. É distribuição de renda mediante a cobrança maior daqueles que têm mais.
    Agora vamos à vida real: a imensa parte dos impostos arrecadados é feita diretamente no preço do produto/serviço. II, IPI, ICMS, Pis/Cofins etc. são todos sobre o preço. O milionário paga a mesma coisa que o pensionista que ganha um mísero salário mínimo. Outros impostos como sobre a venda de imóveis também é igual, não importando o valor do bem. Alguns como o IPVA e IPTU tentam seguir esta receita, taxando mais os bens mais caros. O único imposto que segue realmente essa regra é o sobre a Renda. E piora a situação saber que são só os assalariados que pagam IR. Milionário que se preze quase não paga, pois existem muitos subterfúgios para fugir da tributação. Aí entraria o IGF (Imposto sobre Grandes Fortunas) dos quais os próprios Congressistas fogem como o diabo foge da cruz… me pergunto o porquê?!
    Precisaríamos de uma profunda reforma tributária, que não necessariamente precisaria ser feita ‘de supetão’, muito pelo contrário, sendo feita progressivamente, mas continuamente, só traria benefícios.
    Uma ideia que ouvi na CBN recentemente seria a criação de um comitê como o COPOM, só que ao invés de ficar de olho na inflação, este novo comitê ficaria de olho na carga tributária. Alguém compra a ideia?
    Qual o problema de baixar os impostos ‘e ponto’? O Brasil não está preparado! Simples assim. Hoje, só pelo fato da cotação do dólar estar num patamar tão baixo, está expondo o mercado brasileiro a um processo de ‘desindustrialização’. Nós estamos vendo, cada vez mais, empresas ‘montadoras’. O Pólo Industrial de Manaus (antiga Zona Franca de Manaus) tem uma penca de ‘indústrias’ que só monta os produtos: ar condicionado, players (DVD e BluRay), automóveis (Mahindra), TVs de Plasma, vêm desmontados para serem montados aqui e vendidos como produto nacional. Falo de Manaus pois é a realidade que conheço, mas aposto que em outros pólos ‘industriais’ isso é recorrente. O grau de industrialização é cada vez menor. Com a redução descontrolada de impostos isso pode complicar ainda mais e o feitiço vira contra o feiticeiro. Reduzir tão somente o imposto de importação pode extinguir alguns setores nacionais.
    Por outro lado, não fosse o Collor ter aberto as portas, talvez ainda estivéssemos usando monitores verdes em nossos computadores (alguém é dessa época?), então usar os impostos como proteção indefinidamente e sem cobrança/investimento no parque industrial nacional, cria comodismo e todos ficam numa situação de conforto. Volta a importância de uma redução progressiva, acompanhada e com cobrança.

    - Utilização da grana arrecadada: Confesso que ‘egoísticamente’ falando, eu não ficaria tão puto de pagar impostos, se a educação/saúde/trânsito/portos-e-aeroportos/rodovias/segurança/etc fossem decentes. Se não houvesse tanta corrupção. Dá até um nó na tripa de falar disso ao mesmo tempo em que o Conselho de Ética Fétida do Senado entrou em estágio de decomposição avançada… E nesse ponto volta a ser de suma importância essa discussão. Abre os nossos olhos e nos lembra que, parados, calados, cegos, a situação só tende a piorar, e muito. E acreditem, dá para piorar! E MUITO!

    Parabéns pela discussão, apesar de uns ogros e trolls no caminho…

  • Paulo Shiroh

    “Sem individualismos, sempre pensando na sociedade como um todo.”
    Essa frase foi bem teórica, porque como é dito logo após, o voto aqui no Brasil é visto como brinquedo. O povo gosta de brincar por aqui, então os políticos brincam conosco aumentando o próprio salário em 60%.
    Entendi perfeitamente e apóio o incentivo para transnacionais virem ao Brasil. Só não quero que elas venham trazendo junto todo um corpo administrativo do seu país de origem, afinal de contas também temos vida inteligente aqui, capaz de gerir – e muito bem – grandes empresas.
    Agora, se essa frase fosse realmente levada a bom termo pelos nossos governantes… Teríamos muitos avanços. Fazer o que, isso é histórico e intrínseco; Muitos querem, mas eu acho que meus netos não verão o país mudar… Porque é muito melhor investir em Copa e Olimpíadas do que investir em educação e P&D…

  • http://www.facebook.com/people/Edegar-Neumann/100000367644831 Edegar Neumann

    O ICMS não é cumulativo. Do imposto devido por uma indústria é abatido o valor recolhido na entrada dos insumos. Não é uma matemática perfeita, nem o melhor dos métodos, longe disso, mas não se pode dizer que é cumulativo.

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=1758390154 Lucas Ono

    Obrigado, Raphael por engrandecer minha visão de mundo.

    • http://gaudio.wordpress.com Raphael Gaudio

      Valeu Lucas! Eu que agradeço por ter lido!

    • http://gaudio.wordpress.com Raphael Gaudio

      Valeu Lucas! Eu que agradeço por ter lido!

  • Dr Health

    Meu avatar de orkut é o Cookie monster (um bicho azul), e lá eu sou Mauricio mesmo.

    Abraço e rumo ao título carioca e da Copa do Brasil

  • Dr Health

    Meu avatar de orkut é o Cookie monster (um bicho azul), e lá eu sou Mauricio mesmo.

    Abraço e rumo ao título carioca e da Copa do Brasil

  • http://www.reflexoesmasculinas.com.br/ Shâmtia Ayômide

    Bem lembrado esse lance dos músicos …

    Tive muitos músicos e essa lance dos instrumentos caríssimos é uma realidade deveras triste …

  • http://profiles.google.com/mure.mendonca Mure Farias Mendonça

    “Pedir para baixar os impostos de importação é a mesma coisa que pedir aumento de mesada para comprar o que você quer.”
    Só precisava desse trecho. Mas o resto do texto ajuda aos que não tavam entendendo nada.
    Matou a pau, Raphael!

  • thiago

    vi o vídeo poucos minutos dele ser postado no youtube e ja pensei: isso só pode ser brincadeira
    pq ja estudei economia (pouquissimo tempo), mas imaginei diversos cenários não-favoráveis pra economia brasileira.

    mas essa sacada de usar o dinheiro dos impostos para conseguir incentivos para trazer filiais de grandes empresas para o país é uma sacada boa…. mas seria ainda melhor se o dinheiro dos impostos realmente fossem utilizados pro fins corretos. Educação em nosso país é lamentável (fora o sul do país e alguns, “alguns”, cursos superiores).

    ja imaginou se cada prefeitura apresetasse um Resumo sobre os ganhos e gastos todo mês em um site para os moradores poderem acompanhar !?!?

  • Arthur Sipoli

    A campanha preço justo realmente não trará efeito nenhum! temos é que concientizar a população a eleger qualquer um que prometa 20 reais a mais, e sim alguem que pode lhes trazer um emprego com um renda fixa e boa! Então que as proximas campanhas sejam a favor do voto correto e para o incentivo na educação para termor melhores profissionais e nossa própria tecnologia!

  • Stéphanie

    Acho que todos deveriam assistir o documentário “The corporation”. De excelente qualidade, ele expõe do começo ao fim a verdadeira face das corporações.

  • will

    falam tanto em prioridades,futilidades sobre ipad,jogos,playstation etc. mas quem é vc pra falar sobre as prioridades dos outros??o dinheiro é meu e eu gasto como eu quiser. mas os mesmos que dão essa desculpa mandaram fazer showzinho do Luan Santana com o dinheiro do “contribuinte”.

    o governo tem que servir o povo e não ao contrário,e como eu sou do povo eu não quero saber de desculpa esfarrapada pq o imposto é alto.na impresa em que eu trabalho meu chefe não quer nem saber do pq eu cheguei atrasado,ele ta pouco ligando se eu estou com dor de cabeça,problemas pessoais etc.ele só quer saber eu lá no horário e pronto.

    belo trabalho governo, estão fazendo lavagem cerebral até nos economistinhas.

  • http://www.facebook.com/bernardodiasdacruz Bernardo Dias da Cruz

    Seu argumento é irrelevante. 1 milhão de assinaturas não dizem nada, mas 1 milhão de pessoas pensando no assunto SIM.

  • http://www.facebook.com/bernardodiasdacruz Bernardo Dias da Cruz

    A discução do assunto principal começa quando você quiser, Felipe Neto só o fez pensar nisso. Agora já pode começar a discutir, estudar e propor melhorias no nosso sistema ultrapassado de legislação e tarifação.

  • http://www.facebook.com/bernardodiasdacruz Bernardo Dias da Cruz

    A discução do assunto principal começa quando você quiser, Felipe Neto só o fez pensar nisso. Agora já pode começar a discutir, estudar e propor melhorias no nosso sistema ultrapassado de legislação e tarifação.

  • Rodrigo

    Acho que a ideia do Felipe Neto foi mal trabalhada. Já conhecia o JogoJusto e o movimento deles tem um objetivo claro de “deixar de tratar jogos de video-game como jogos de azar”. Uma mudança simples na lei brasileira mas que já afetaria sensivelmente os envolvidos.

    Já no caso do Felipe Neto, por mais que mobilize tantas pessoas não dá pra chegar falando “Vamos abaixar o preço disso tudo” sem ter um fundamento

  • Rosebud

    Concordo em grau, número e gênero Breno.
    A razão que ele apresenta, a princípio, mostra-se desfasada, mas além de apresentar a alguns leigos um panorâma sobre a putaria que são nossos impostos colossais, ainda atrai o público alvo dele, que são os jovens que consomem videogame, internet, hollywood, ou seja, ele mira e acerta em cheio o alvo.
    O vídeo gerou polêmica, muita gente divulgou pelas redes sociais…acho que tem potencial para criar cada vez mais interesse dos jovens em aspectos dominados por uma classe x.

    Beijos.

  • Rafael

    “O governo dá a redução, mas quer algo em troca. Sem individualismos, sempre pensando na sociedade como um todo.”

    HAUHAUAHUAHAUHAUAHUH Ah queridinho onde foi que você encontrou tanta ingenuidade assim?

    “qual é o retorno que o nosso país terá ao baixar os impostos de importação? E não baixar só porque eu quero um PS3.”

    Se o governo começar a pensar taxar as coisas pensando no beneficio pra sociedade meu deus….posso dizer adeus a minha tv, internet, carro, enfim essas coisas que não trazem ganho pra sociedade em geral. Isso que você disse é basicamente o seguinte:
    O cidadão trabalha, ganha SEU dinheiro e tem que gastar como o governo quer……errr….WTF?

  • http://twitter.com/rcasemiro Leo C

    Não dá pra usar menos palavrões??? Cara mal educado meu.

  • http://twitter.com/rcasemiro Leo C

    Não dá pra usar menos palavrões??? Cara mal educado meu.

  • Anônimo

    Essa campanha tá dando o que falar. mas esse manifesto é mesmo justo? Concordo que reduzir importos é um tiro no pé. Leiam meu texto sobre isso se possível: http://tumblr.com/xf02clr5cg

  • http://twitter.com/shoegase Diego

    Questiono algo (dúvida mesmo): Impostos para importação baixos significam produtos nacionais em vários setores desvalorizados e produtos importados a preço de banana, certo?

  • http://twitter.com/shoegase Diego

    Questiono algo (dúvida mesmo): Impostos para importação baixos significam produtos nacionais em vários setores desvalorizados e produtos importados a preço de banana, certo?

  • http://gaudio.wordpress.com Raphael Gaudio

    Cara, acho que você não entendeu o exemplo. Geralmente eu não faço isso, porque você partiu para ignorância, mas eu vou deixar mais claro pra você. Quem sabe dá certo.

    Primeiro, o governo dá redução de imposto de importação para qualquer empresa, não para uma só, ou um segmento. E o retorno tem que ser benéfico para toda escala produtiva e o que está ao seu redor e não só para aquela indústria.

    Por isso que eu disse “Sem individualismos, sempre pensando na sociedade como um todo”, mas infelizmente você leu o texto correndo e pressupôs ingenuidade.

    Segundo, vocês, fãs do Felipe Neto, não leem o que eu escrevi mesmo. O que vem antes dessa frase que você colocou em aspas? Deixe-me colar aqui: “O que a gente tem que parar pra pensar é:”

    É para a gente pensar, e não o governo… E você é que é ingênuo ao pensar que o governo não pensa em taxar os produtos de importação pensando no benefício da sociedade. Isso sempre aconteceu e sempre vai acontecer. Imposto de importação é uma medida protecionista.

    • Rafael

      Realmente li com pressa, não peguei que quem tinha que pensar éramos nós (foi mal). Mas ainda não sei quem o governo vai proteger taxando abusivamente joguinhos e eletrônicos. Afinal essas empresas não vão abrir fabricas aqui, já que, além de mais impostos abusivos para produção no próprio país, tem os entraves estruturais. Ou você é daqueles que acredita que a foxconn vai investir 12 bilhões no Brasil?

      Ps: Não sou fã do Felipe Neto e não parti para ignorância só fiquei indignado por você querer justificar os impostos no Brasil. Pagamos tanto em impostos quanto a Bélgica, mas o nosso retorno….acho que não precisa nem comentar neh?

  • http://gaudio.wordpress.com Raphael Gaudio

    Cara, acho que você não entendeu o exemplo. Geralmente eu não faço isso, porque você partiu para ignorância, mas eu vou deixar mais claro pra você. Quem sabe dá certo.

    Primeiro, o governo dá redução de imposto de importação para qualquer empresa, não para uma só, ou um segmento. E o retorno tem que ser benéfico para toda escala produtiva e o que está ao seu redor e não só para aquela indústria.

    Por isso que eu disse “Sem individualismos, sempre pensando na sociedade como um todo”, mas infelizmente você leu o texto correndo e pressupôs ingenuidade.

    Segundo, vocês, fãs do Felipe Neto, não leem o que eu escrevi mesmo. O que vem antes dessa frase que você colocou em aspas? Deixe-me colar aqui: “O que a gente tem que parar pra pensar é:”

    É para a gente pensar, e não o governo… E você é que é ingênuo ao pensar que o governo não pensa em taxar os produtos de importação pensando no benefício da sociedade. Isso sempre aconteceu e sempre vai acontecer. Imposto de importação é uma medida protecionista.

  • http://gaudio.wordpress.com Raphael Gaudio

    Valeu Mure! Muito obrigado! Fico feliz que o meu texto tenha ajudado alguém! Abraços!

  • http://gaudio.wordpress.com Raphael Gaudio

    1) Vou ver a sua explicação abaixo.
    2) Não tenho nada contra a campanha. Critiquei o foco.
    3) Alimentação é universal. Emprego nacional é universal. Música é universal. O que isso tem a ver com compra de equipamentos eletrônicos eu não sei. Sobre o seu caso, provavelmente você teve dificuldades para comprar produtos de música no exterior e viu que comprar UM ITEM só é muito caro. Claro. Agora pergunte para uma revendedora de produtos musicais se é mais vantajoso comprar só um item ou um container destes.
    4) Nem sempre. Podem servir para retaliações. Vide o caso do revide que o Brasil deu nos Estados Unidos contra a indústria de algodão. http://www.estadao.com.br/noticias/economia,omc-autoriza-brasil-a-retaliar-os-eua,427224,0.htm
    5) Sim. Consertar o vício é incentivar indústrias a vir para o Brasil, e não quebrá-las ao baixar os impostos de importação.
    6) Estude o Plano Collor e veja se foi bom mesmo isso que você falou: http://www.adur-rj.org.br/5com/pop-up/escancarar_o_mercado_do_brasil.htm
    7) Sem comentários.

  • 1bertorc

    O Brasil precisa crescer, além da desigualdade nossa renda percapita (mesmo em termos de paridade de poder de compra) é reduzida é verdade que há países ricos com cargas altas, mas nenhum país cresce com mais de 40% de imposto (resultado se você somar o déficit do governo). Compare-nos com economias em desenvolvimento que REALMENTE ESTEJAM CAMINHANDO, todas tem impostos mais baixos.
    Ainda assim o ponto chave sobre o seu argumento é outro: O governo só vai melhor qdo o povo for educado, até lá dá-lhe compra de votos.

  • http://gaudio.wordpress.com Raphael Gaudio

    Não defendi, leia melhor. Expliquei.
    Expliquei que a redução de impostos não é o melhor caminho.
    O que eu critiquei foi o erro no foco. Aconselho você a estudar interpretação de textos, pois eu não disse nada disto que você colocou no seu comentário. E afinal qual parte do “o movimento é bom, mas o foco é ruim” você não entendeu?

  • 1bertorc

    Produzir tecnologia no Brasil é quase um termo cômico praticamente tudo é apenas montado aqui. No caso da Apple ela quer desovar a primeira versão do iPad já que vai parar de vendê-la nas economias sérias e encaixá-la no programa do governo que reduz o imposto para micros de baixo custo (Para mim este programa foi a melhor medida economica original do governo Lula).

  • 1bertorc

    Em termos de software faz sentido, nas na venda do produto básico (que também tem software) a questão da garantia pesa, se fosse assim nenhum eletrônico poderia ser produzido aqui (celulares por exemplo) vende-se celular xingue lingue mas também vende-se celular oficial. O problema do videogame e jogos é que os impostos são absurdos por que são taxados de ‘não essenciais’… A Sony mesmo vive implorando para o PS3 ser classificado como player de bluray…
    Tanta gente compra por outras vias por que o imposto é absurdo praticamente mata o mercado, por isso que eu repito se bobear diminuindo o imposto o governo pode acabar até faturando mais. Vamos supor que ninguém compre hoje com uma tarifa de 200% se ela cair para 50% e um milhão de pessoas comprarem (ainda que outro milhão compre por outras vias) já aumentou o faturamento…

  • ktz

    Apesar da pretensão Felipe Neto de ser somente uma criança fazendo birra para ter seus joguinhos.

    Ele conseguiu atingir níveis mais profundos com o uso da fama. Como abrir espaço para discussão – das verdadeiras causas e soluções do velho caso dos impostos. Como incutir nos blogueiros o ânimo para criação de artigos.

    Bom post e os comentários melhores ainda (custou, mas consegui ler todos).

  • Cammy

    Um chimpanzé retardado falaria coisas com maior sentido econômico. Parabéns!

  • http://profiles.google.com/aoliveira83 Anderson Oliveira

    O PS3 não é produzido aqui, na verdade ano passado a Sony começou a importar ele de maneira oficial para o Brasil, antes era importado via terceiros e sabe se lá se pagavam ou não impostos…

  • http://profiles.google.com/aoliveira83 Anderson Oliveira

    O PS3 não é produzido aqui, na verdade ano passado a Sony começou a importar ele de maneira oficial para o Brasil, antes era importado via terceiros e sabe se lá se pagavam ou não impostos…

  • http://profiles.google.com/aoliveira83 Anderson Oliveira

    Li a maioria o texto do PDH, o video do FelipeNeto, outros textos de outros sites, e alguns comentarios aqui. Alguns a favor outros contra. Não gostei do video do FN, acho que ele usa uma retórica falsa e cheia de palavrões, mas isso vai do gosto de cada um. Quanto ele estar defendendo Ipad’s e video games, ele defende o que quiser, e acho que o tema de imposto no Brasil para qualquer produto deve ser discutido por todos.

    E ainda para o autor do texto e alguns comentaristas, quanto mais barreiras criarem no mercado, mas restrições a entrada de produtos, mais impostos menos competitiva fica a indústria do pais e pior para a população em geral. Vejam como era ruim a indústria de carros e informatica do Brasil no decada de 80 (o mercado era fechado para dentre varios itens esses dois), ela somente melhorou com abertura de mercado, isso ai do lado da industria, agora pense no lado da população, o que é melhor pra eles comprar um calçado feito na China ao preço de R$ 10,00 ou fechar o mercado do Brasil e obrigarem eles a comprar um feito aqui por R$ 20,00?

    Então impostos de importação (impostos em geral) para a população e indústria geram mais danos que benefícios.

  • http://www.facebook.com/EdimarEstevam Edimar Pacheco Estevam

    O foco esta correto Sim! Impostos de qualquer tipo são péssimos, tanto para os produtores quanto para os consumidores. Os impostos só são bons, adivinha para quem? Para o governo, é claro. Justificar a carga tributária sobre a importação para evitar a evasão de divisas é um pensamento completamente errôneo. Ao comprar um produto estrangeiro, não estamos sendo roubados, estamos comprando algo que não há no mercado nacional ou que há, mas com péssima qualidade ou preço abusivos. Importar não é ruim. Se você não tem uma fábrica de iPads no Brasil, você vai ter que importar. Se o iPad é mega taxado, só quem vai se beneficiar é o governo. A Apple vai vender menos e você pagará muito mais caro por ele. Exportar não é a 8ª maravilha do mundo. Você vende, você compra. Pouca importa se o que você compra vem da China e o que você exporta vai pra Argentina (pelo menos não importaria se o governo não se achasse o “salvador da moeda’). Ter trilhões de dólares como reserva não é garantia de segurança econômica (alôôôô, Japão!?).
    Impostos são uma espécie de marreta que golpeia todos os dias os testículos de milhares de brasileiros, tanto consumidores, como produtores (exceto os brothers do governo), exportadores (exceto os brothers do governo, again) e importadores. Imposto baixo em todos os setores faria este país crescer a níveis impressionantes em questão de anos. Só que o protecionismo faz é limitar o poder de compra do brasileiro. O autor do artigo diz que o correto seria dar incentivos as empresas estrangeiras para elas se instalarem (obviamente que estes incentivos seriam impostos reduzidos e financiamento facilitado, pra não dizer “camaradas”) no Brasil, mas a pergunta que tem que ser feita é a seguinte: considerando a alta carga tributária do país,a péssima infra-estrutura, mão-de-obra desqualificada para o setor de alta tecnologia, enormes custos trabalhista e uma legislação altamente regulada e centralizada, será que o preço final de um iPhone produzido no Brasil seria menor do que o preço do iPhone importado da China sem a excessiva taxação? Tenho certeza que não.
    Para finalizar, fica a minha afirmação: protecionismo só é bom para o governo e suas empresas amigas; para nós, os consumidores, só resta a fatura e desculpas esfarrapadas que ofendem a inteligência dos poucos seres com capacidade de raciocinar neste país.

  • http://twitter.com/nilsonmorais Nilson

    O que lasca é que quem tem grana pra ir pra Europa, Estados Unidos, e compra por menos da metade do preço não tá nem aí. É como o Felipe Neto diz no vídeo, quem sairá ganhando se esse imposto diminuir não é a classe média que já consome, e sim as classes que hoje não tem como pagar 2000 num PS3.
    Acho a campanha justa, esse artigo já provou isso, fez a gente parar pra discutir (seja filosoficamente, historicamente, etc..) sobre o assunto.

  • BananaJoe

    Protecionismo levou o Brasil onde ele está agora, industrialmente na idade da pedra.De qualquer forma a produção dos aparelhos aqui é utópica devido a uma série de fatores, inclusive economicamente inviável independente de incentivos.A reprodução de jogos já feita é no país, porém poucos titulos devido ao pequeno mercado, coisa que não mudará sem o crescimento do mesmo..

  • luka

    Moço, muito bonito tudo isso, mas carros, muitos, são produzidos aqui e tem uma taxação louca e absurda. E la fora são vendidos mais baratos. Concordo com muita coisa do que você disse, mas bem, o governo brasileiro é bem brasileiro, isto é – sacaneia e da um jeitinho de tirar mais do próprio povo.

  • Matheus Simonato

    Impostos altos restrigem desenvolvimento de tudo, INCLUSIVE da implantação de empresas de tecnologia. O governo não ajuda ninguém (além de si mesmo) com impostos altos. Só fode com o cidadão comum mesmo.

    O Felipe Neto está certo dessa vez.

  • Luciano Ferraz Coelho

    Para todos que discordam do manifesto, abre a mente cassete! É impossível resolver TODOS OS PROBLEMAS desse pais em uma unica atitude,temos que impor nossa vontade de pouco em pouco.Não tem como nosso pais se torna uma super potência mundial de um dia para o outro. O pais não precisa de vídeo games mais baratos,ele precisa de PESSOAS QUE TOMEM ATITUDES CABÍVEIS,que se manifestem para nosso brasil ir pra frente. temos que mostrar pra esses vermes governantes que quem manda nessa pais é agente! É isso aew Felipe!

  • http://www.facebook.com/people/Mariana-Castilho-Martins/100000761774096 Mariana Castilho Martins

    O imposto aqui é um dos maiores do mundo, até aí beleza. Os da Suécia (se não me engano) também estão como uns dos maiores do mundo, mas lá estão também: a melhor educação, serviço de saúde pública, etc e toda a assistência que o contribuinte recebe vem dos impostos enormes que eles pagam (considerando aqui que os salários médios lá também são grandes e, por isso, nem tão afetados pelo pagamento de impostos). Lá ninguém reclama, ou poucos o fazem… por que será?
    Acho que toda a questão dos impostos não é realmente o seu valor, mas o impacto enorme que tem sobre o salário de muitos brasileiros e o pouquíssimo retorno que lhes é dado.
    A campanha é muito válida. Se não vão fazer estrutura nesse país que valha o preço desses impostos, então que eles sejam reduzidos. Coerência é tudo.

  • Rodrigo Rezende

    Dah a entender que o autor assistiu apenas um trecho do video do FN, logo questiono que seu ponto de vista foi mais para atacar o autor do video do que para defender seu ponto de vista. A verdade irrefutavel dele é despolida eu sei, mas não deixa de ser uma verdade… É um direito seu defender sua opinião, que ao meu ver foi tão mais individualista que a dele… Confesso que a unica coisa que pude sentir de seu relato é que pra você não faz diferença nenhuma o valor final, interpreto assim que seu poder aquisitivo seja superior a maioria… Logo, pra você não há necessidade de se fazer mudança alguma. Creio que o foco do FN não seja pessoas de um poder aquisitivo invejavel como o seu e sim a grande maioria da população que mesmo vivendo num pais rico como o Brasil ainda conta moedinhas pra comprar algum bem…

  • Layf

    meu caro troll, se o jogo que eh vendido a U$30 chega aki a R$200 e vc fala que preço justo não faz sentido? axo que eh o PSP (ou outro consele que lanço ano passado, nun lembro o nome) que é vendido a U$166 e aki a R$1200 e vc fala que preço justo não faz sentido? PUTZ MANOLO VÁ SE TRATAR
    imposto é importante, más 300% de imposto é um absurdo.

    adianta discutir não, por mais errado que vc esteja, um troll sempre vai negar a verdade pra defender sua tese.

    [img]http://www.tendocom.com/view/wp-content/uploads/2009/10/Dont-feed-the-Troll-300×300.jpg[/img]

  • Aurélio Arantes

    Raphael,

    Em partes, suas argumentações são corretas. O Brasil precisa estimular não somente a vinda de multinacionais para o Brasil, mas também investir em estudo e capacitação profissional para que, nossas empresas, tenham como competir com as estrangeiras.

    A realidade é que somos diariamente estuprados por impostos altos. Falo isso como empresário. Trabalho o mês inteiro para chegar no final dos 30 dias, o governo leva mais do que eu, mais do que a empresa. Ou seja, estamos acostumados a trabalhar para pagar impostos. Temos os impostos mais altos do mundo e o retorno que temos, é péssimo. Entra Governo e saí Governo e a corrupção continua presente em todas as áreas do sistema público.

    Cada vez é mais frequente pessoas indo para o exterior para fazer suas comprinhas. Não tem condições de pagar R$ 350,00 em uma camisa que lá fora custa menos de U$ 30,00. Isso é abusivo. Temos sim que importar os produtos, o Brasil AINDA não tem capacidade para produzi0los com a mesma qualidade.

  • Cyro Gonçalves

    Galera, eu acho que o maior problema nessa discussão está no fato de que a maioria aqui vê o Brasil como um país corrúpto, incapaz de certas atitudes corretas, e sem remédio.
    O Brasil é um país em crescimento em um mundo em recessão. Se a gente enxergar por esse lado, nós podemos sim fazer a coisa certa do jeito certo, da maneira que esse artigo sugere. Se a gente enxergar pelo outro lado, descrito no primeiro parágrafo, o país é corrupto, os impostos não são revertidos em melhoria para o povo e tudo mais. Mas então qual é o sentido em querer palpitar na lei? É tudo errado e sem conserto mesmo!

  • luka

    Só importação? Espera, e os nossos carros, produzidos aqui?
    Da desgosto comprar os preços de automoveis vendidos aqui e lá fora (se não quiser comparar com América do Norte e Europa, da uma olhada na própria américa do Sul. E na boa, sem essa histórinha de que o povo tem que andar de coletivo. O transporte público é pouco e cacere de rotas alternativas, ou seja, é ruim. Já foi pior um dia, mas ter melhorado não faz dele um bom meio.).

    Não é a taxa de importação, ou melhor, apenas a taxa de importação. E não são apenas os impostos de produção, ou os carros produzidos não seriam vendidos a nossos vizinhos por preçõs inferiores. O preço da gasolina não seria tão alto.

    • Karina Almeida

      Vincent disse que a taxa de imposto na Dinamarca é maior que aqui. Ele está certo, porém, lá não se paga para obter saúde e educação, enquanto aqui se paga muito caro por esses recursos que são públicos , portanto, de direito nosso.Uma campanha para abaixar os impostos pode ser drásticas, mas é justa já que não vemos nada sendo feito com o dinheiro. Eu moro em SP e sei do que estou falando. O transporte é ruim, o trânsito é caótico,e para se ter uma boa formação, você paga caro ou esquece sua vida social para passar na Usp. Isso nãodeveria acontecer em um país que hoje é a sexta maior economia do mundo.

  • Rodolfo Corrêa

    Acho incrível como tem um monte de nego que fala em sociedade alienada e acomodada e que se dizem críticos estando ‘na visão de 3° plano’, dos pensantes ‘não-alienados’, se importam com vídeo-games e ipads.
    Existe um movimento que busca a melhoria de salários para os professores… se querem ajudar em algo, comecem com isso:
    http://www.educanacao.org/

  • http://profiles.google.com/franccastle Francis Castiglione

    O Brasil não pode defender através de taxas abusivas indústrias nacionais que não existem. É visível que, por exemplo, a produção de jogos eletrônicos no país além de escassa é de qualidade infinitamente inferior às importadas; equipamentos eletrônicos então… nem existem. Portanto, taxar de forma exorbitante estes tipos de produtos contribui apenas para dificultar o acesso e não melhora em nada a economia (apenas a arrecadação). A melhor forma de melhorar a indústria de eletrônicos e a da mídia é através do incentivo e da formação de bons profissionais na área, ou seja, está ligado apenas a antigos problemas nacionais: em infraestrutura e educação. Enfim, tornar produtos criados no Brasil competitivos é a grande saída; taxar loucamente produtos importados não ajuda ninguém.

  • http://profiles.google.com/franccastle Francis Castiglione

    Meu, o seu tipo de comentário já foi discutido exaustivamente. Para a sua causa existem outras pessoas e órgãos fazendo movimento, os sindicatos, por exemplo.

  • http://profiles.google.com/franccastle Francis Castiglione

    Meu, o seu tipo de comentário já foi discutido exaustivamente. Para a sua causa existem outras pessoas e órgãos fazendo movimento, os sindicatos, por exemplo.

  • Renato

    Os impostos aqui no Brasil são uns absurdos. O imposto de importação é o de menos, por que tem essa idéia de “proteger a industria nacional”.. mas e quanto aos impostos que pagamos por produtos produzidos no Brasil? São tão altos quanto os de importação.
    Os impostos tem que ser reduzidos e muito, os políticos têm que passar a defender o povo brasileiro.

  • Luciana

    http://pensarfazmalprocerebro.blogspot.com/ #PreçoJusto Não Faz Sentido?

  • Scareclown

    cara, finalmente alguem inteligente pra criticar essa porra de preço justo. não aguentava mais ver esse bando de adolescentes burgueses defendendo esse ideal sem nenhum conhecimento sobre o assunto.

  • Eric

    “Poderíamos, sim, fazer uma campanha de #votojusto pelo uso consciente do voto em políticos que mereçam a nossa confiança (em parceria com sites como o Vote na web e outros para votar melhor). Se fizéssemos isso, aposto que daqui uns dez anos essas e outras campanhas deixariam de existir.”

    pff, tanto tempo passou e as pessoas continuam a acreditar na “democracia”, “liberdade de escolha”, acontece que todos que disputam o seu “voto consciente” são escravos do mesmo chefe, o dinheiro, o sistema monetário, não existe um politico não corruptivel, se alguem é incorruptivel este não é politico, e se mesmo contra toda a maré, e contra toda a estatistica alguem de “bom carater” se elege, ele não dura muito, não pensem num presidente como o mais alto na hierarquia.

    Acontece que o governo tem uma divida externa enorme, logo ele exporta mais barato e importa mais caro, vende empresas publicas e são obrigados a colocar impostos em tudo que existe, são escravos igual nós, só que eles podem roubar, nós não.

  • Azultsc

    Cara vai tomar no cú. Alguem custa a ter uma iniciativa com potencial para discussão e você vem encher o saco com os mesmo argumentos defensores dos empresários, mão de obra nacional e protecionismo. Vai se foder. Só não quer redução de impostos quem tem grana para paga-los e ter tudo que deseja.

    • BrUnO

      o raphael ta certo por um lado.. + muitos desses produtos são produzidos no brasil, esses impostos de + de 100% sobre o preço do produto é feito para que a venda desses produtos seja menor. mas isso vem fazendo com que as pessoas deixem de comprar esses mesmos produtos aki no brasil para esperar pra quando for para fora do país, pois la eles vão comprar pela metade do preço. fazendo com que os impostos não sejam arrecadados. se os impostos fossem menores isso faria os consumidores comprarem os jogos aki no brasil, fazendo com que o governo recolha impostos, e fazendo esse dinheiro rodar aki.

    • http://www.facebook.com/wmnetoo Wilson Maia

      Esse cara é o tipo de público que o Felipe Neto tem. Sem mais.

    • Roberta

      Tipico comentário de adolescente de 15 anos que não ganhou iPad no aniversário e não tem a menor noção de economia, política…. ou o mundo fora do quarto.

  • http://www.facebook.com/people/Felipe-Galdino/1654020954 Felipe Galdino

    mas me responde, como uma empresa pode criar uma fabrica aqui, se eles nem sabem se o produto sera bem aceito, como é a logistica daqui, e toda a parte comercial, trabalho em uma empresa de Tecnoclogia, só não posso falar qual é se não sou mandado embora huahua, como abrir uma fabrica da apple se não sabem se o produto é bem aceito por um numero consideravel de consumidores, isso ocorre pois o preço dos eletronicos realmente é alto para uma importação e certas empresas nao podem avaliar o mercado, exemplo, um fone de ouvido para um motorola é 50 reais, la fora é 20 , e esses produtos também são fabricados aqui no brasil… acho que esqueceram dessa parte, um celular samsung fabricado aqui é 400 reais, e lá fora é 150 o mesmo celular… então me explica por que os mesmos fabricados aqui, são mais caros que la fora?

    legal o texto, mas tem muita lacuna ai,

  • Victor L.

    Sinceramente, é patente que os preços dos impostos são escorchantes… Qual o problema em defender uma redução nos mesmos?
    Estamos numa democracia e é absolutamente legítimo defender as idéias em que se acredita. Ainda mais num tema em que necessariamente algo precisa mudar.
    Uma democracia não serve pra defender apenas interesses dos fracos e oprimidos, ou defender questões de interesse econômico do estado. Um estado democrático deve ser plural e como tal todos tem o direito de tomar um ponto de vista e defendê-lo.
    Mesmo que seja algo fútil ou inútil aos olhos de de muitos, se existe uma parcela grande da sociedade (um milhão de pessoas parece ser algo significativo) que está insatisfeita com uma situação é mais do que legítimo reclamar.
    Quanto a idéia em si, mesmo que não dê em nada, é um início de conversa, serve ao menos para alertar alguns desavisados que estão sendo roubados pelo governo. Que cobra além de inúmeros impostos, uma infinidade de contribuições, taxas, sem que ninguém reclame de nada e sem que isto entre no debate político de forma séria.
    Então, se maioria das pessoas estão quietas quando pagam 20% de icms em seus produtos do dia a dia, fora os impostos que incidem de forma indireta, é problema delas, não podem reclamar caso haja um insurreição de uma questão periférica a isso e que afeta determinado grupo de pessoas.
    Se eu estou insatisfeito com o preço dos produtos eletrônicos e acho que as alíquotas de impostos que incidem sobre eles são injustas tenho todo o direito de reclamar. Se alguém acha fútil ou mesquinho por não me preocupar com os pobres ou com o interesse do estado, que arrume uma causa para defender.
    Até porque hoje no Brasil só se pode defender pobres, movimentos sociais, interesse público, o meio ambiente e coisas politicamente corretas. Não se pode esquecer que a sociedade não é formada apenas por esses interesses.
    Estamos esquecendo das liberdades individuais, tão importante quanto os interesses coletivos, até porque quando se tenta proteger a coletividade a revelia do indivíduo acaba-se por não proteger nem um nem outro…

  • http://www.facebook.com/people/Vitor-Borela/100002014275286 Vitor Borela

    ae galera bem…
    gostaria de dizer que sua ideia nao esta totalmente errada,entretanto, a ideia de felipe neto(manifesto) faz sentido sim, e muito.
    O Br eh(estou sem acento /desc) um dos paises com maior taxa de impostos do mundo, perdendo talvez para Dinamarca e alguns outos porem, a exemplo da dinamarca, sao paises de primeiro mundo em que o salario eh muito maior em relacao ao Br, portanto os impostos nao sao tao problematicos quanto no Br uma vez que se calcula percentual o gasto que teremos por coisas mundanas, exemplo Comidas(q dizemos serem mais baratas no br que no exterior) Sorvete aqui 1 bola 100%-salariomin 540
    x – 1.9(1 bola)

    e em outos paises(onde sao economicamente mais organizados) teriamos algo como
    1 bola 100% – salariomin 2000 ou +
    x – 5.9(1 bola)

    E nos aparelhos eletronicos as diferencas ainda sao mais gritantes
    ate 400%(ate onde eu sei) de aumento de seu valor original em dolares, sendo ou nao games que tem sim um imposto mto elevado(porem percebe-se que a indignacao do felipe eh com o imposto sobre isso, ou seja nao era nem pra ser considerado jogo de azar) assim reduzindo boa parte do imposto.. mas mesmo desconsiderando jogo de azar ou nao temos imposto de importacao (ipi) etc…

    Se voce fez esse topico senhor Raphael peco que pense um pouco melhor antes de falar pequenas asneiras(com todo o respeito, foi a melhor forma que encontrei de dizer isso)

    a menos que voce concorde com os elevados impostos do brasil nesse caso voce provavelmente mora em nos eua ou franca sei la ou num mundinho soh seu… por que eu vivo o hoje e hoje ta uma M…a
    nossa economia soh melhora se o dolar ta em alta…. nos nao temos incentivo bom a companhias , subsidios insegnificantes entao sim , nossa forma de governo eh ruim , talvez as estruturas bancarias sejam melhores, contudo isso deve-se ao fato aos absurdos impostos pelo emprestimos.. exemplo deposite 100 reais no banco, em 10 anos voce tera algo emtorno de 1000 e pocos , agora pega um emprestimo de 100 durante 10 anos, vc devera a bagatela de algo em torno de 10 milhoes se nao estou enganado

    E caso nao tenha percebido o manifesto segundo felipe neto eh soh o comeco para a melhora do pais.
    vc fara parte? Eu garanto que farei grnde abraco

  • http://www.facebook.com/people/Vitor-Borela/100002014275286 Vitor Borela

    ae galera bem…
    gostaria de dizer que sua ideia nao esta totalmente errada,entretanto, a ideia de felipe neto(manifesto) faz sentido sim, e muito.
    O Br eh(estou sem acento /desc) um dos paises com maior taxa de impostos do mundo, perdendo talvez para Dinamarca e alguns outos porem, a exemplo da dinamarca, sao paises de primeiro mundo em que o salario eh muito maior em relacao ao Br, portanto os impostos nao sao tao problematicos quanto no Br uma vez que se calcula percentual o gasto que teremos por coisas mundanas, exemplo Comidas(q dizemos serem mais baratas no br que no exterior) Sorvete aqui 1 bola 100%-salariomin 540
    x – 1.9(1 bola)

    e em outos paises(onde sao economicamente mais organizados) teriamos algo como
    1 bola 100% – salariomin 2000 ou +
    x – 5.9(1 bola)

    E nos aparelhos eletronicos as diferencas ainda sao mais gritantes
    ate 400%(ate onde eu sei) de aumento de seu valor original em dolares, sendo ou nao games que tem sim um imposto mto elevado(porem percebe-se que a indignacao do felipe eh com o imposto sobre isso, ou seja nao era nem pra ser considerado jogo de azar) assim reduzindo boa parte do imposto.. mas mesmo desconsiderando jogo de azar ou nao temos imposto de importacao (ipi) etc…

    Se voce fez esse topico senhor Raphael peco que pense um pouco melhor antes de falar pequenas asneiras(com todo o respeito, foi a melhor forma que encontrei de dizer isso)

    a menos que voce concorde com os elevados impostos do brasil nesse caso voce provavelmente mora em nos eua ou franca sei la ou num mundinho soh seu… por que eu vivo o hoje e hoje ta uma M…a
    nossa economia soh melhora se o dolar ta em alta…. nos nao temos incentivo bom a companhias , subsidios insegnificantes entao sim , nossa forma de governo eh ruim , talvez as estruturas bancarias sejam melhores, contudo isso deve-se ao fato aos absurdos impostos pelo emprestimos.. exemplo deposite 100 reais no banco, em 10 anos voce tera algo emtorno de 1000 e pocos , agora pega um emprestimo de 100 durante 10 anos, vc devera a bagatela de algo em torno de 10 milhoes se nao estou enganado

    E caso nao tenha percebido o manifesto segundo felipe neto eh soh o comeco para a melhora do pais.
    vc fara parte? Eu garanto que farei grnde abraco

  • Maaycon

    Realmente trazer empresas do exterior para terem suas filiais aqui seria uma boa, mais isso nao justifica os altos importos, tendo em vista que, uma empresa como a PETROBRAS que é brasileira, após vender o combustivel e este ter passado por todos os impostos, para mim que moro perto da fronteira, é muito mais vantajoso ir a Argentina, que também compra o combustivel da Petrobras, para encher o tanque! O que honestamente, é o maior absurdo! E este é apenas um exemplo.

  • Maaycon

    Realmente trazer empresas do exterior para terem suas filiais aqui seria uma boa, mais isso nao justifica os altos importos, tendo em vista que, uma empresa como a PETROBRAS que é brasileira, após vender o combustivel e este ter passado por todos os impostos, para mim que moro perto da fronteira, é muito mais vantajoso ir a Argentina, que também compra o combustivel da Petrobras, para encher o tanque! O que honestamente, é o maior absurdo! E este é apenas um exemplo.

  • Atum

    é facil falar que o moleque ta errado. vender produtos que não encontra no brasil pra proteger o produto interno? poh, o produto não existe aqui.
    claro que precisa de um reforma geral. pelo menos ele está ajudando com o primeiro passo.
    http://g1.globo.com/videos/minas-gerais/v/especialistas-consideram-que-ha-impostos-demais-no-brasil/1500980/
    pagar imposto pra tudo e ter pouco retorno é um roubo para o bolso de todos. quem ganha são os politicos enchendo o bolso quase nem trabalhando para fazer compras no exterior e não passar na receita federal pagando os tais impostos daqui do país pq tem carta branca de político.. “é uma puta falta de sacanagem”

  • Atum

    é facil falar que o moleque ta errado. vender produtos que não encontra no brasil pra proteger o produto interno? poh, o produto não existe aqui.
    claro que precisa de um reforma geral. pelo menos ele está ajudando com o primeiro passo.
    http://g1.globo.com/videos/minas-gerais/v/especialistas-consideram-que-ha-impostos-demais-no-brasil/1500980/
    pagar imposto pra tudo e ter pouco retorno é um roubo para o bolso de todos. quem ganha são os politicos enchendo o bolso quase nem trabalhando para fazer compras no exterior e não passar na receita federal pagando os tais impostos daqui do país pq tem carta branca de político.. “é uma puta falta de sacanagem”

  • http://www.facebook.com/people/André-Luis/100000509953289 André Luis

    ele esta fazendo algo pra muda e vc ????

  • Rockandrounds

    Lucas, adoraria ler seu texto acerca do assunto!
    Pode, por gentileza, linká-lo aqui?

    Obrigada!

  • @RodrigoWolski

    Uma coisa não muda a outra!

    preços estúpidos e não falamos só de games, videos e outras coisas que são claro

    coisas de muleque e sim de gasolina, de comida, vestuario e motors.

    Nosso pais esta cheio de ladrões e só nos juntos podemos mudar esse desfecho!

    Sei que sua idéia não é errada, mas precisamos lutar contra eles e não contra nós mesmos!

    Fica a dica!

    Preço Justo não é um pedido ou uma suplica em cima de coisas que queremos ou necessitamos .

    É uma OBRIGAÇÃO!!!

  • Eva Celem

    li quase todos os comentarios, e, me desculpe se tiver equivocada, mas acho que não ouvi nenhum especialista falando. se algum economista falar que é possivel a redução desses impostos, ok. mas agora, o felipe neto, inves de estudar ou se informar sobre o assunto começa a gritar e xingar num video cujo unico proposito claro é a auto promoção dele, é o fim pra mim.
    sério, tantas coisas mais importantes a serem questionadas nesse pais, e o protesto dele é a respeito de uma coisa que atinge a o que? 5% da população brasileira? porque vamos adimitir uma coisa: a maior parte da população brasileira não tem nem um computador decente em casa. nós fazemos parte de uma camada privilegiada! e reclamar que não pode comprar um iPad? boohoo. senta e chora, meu amigo, bem vindo a realidade da maior parte da população do planeta!
    pra completar ainda da dados FALSOS pra um bando de desinformado que gosta de criticar sem mudar porra nenhuma. O brasil está LONGE de ter os maiores impostos do mundo! saibam se expressar: o brasil tem impostos relativamentes altos para pouco retorno.

    uma campanha muito mais válida, na minha humilde opinião, seria a diminuição dos salarios dos parlamentares, que ai sim, os do brasil são os maior do mundo. (isso aqui é só uma fonte aleatoria, ja sabia desse dado http://republicadosbananas.com.br/2010/12/18/3411/ )

  • Felipe Barreto Silva

    “Comprar iPad e Xbox importados só gera dinheiro para a China e EUA.”
    Vem cá vc tá louco…
    Quanto de imposto é cobrado nesses produtos mesmo? 161,75%…
    Quem fica com esse dinheiro sobre os impostos tributados? O Brasil.
    Aí vc vem me dizer que SÓ gera dinheiro para China e EUA?
    Po cara, concordo com quase tudo que vc disse, mas tu só vacilou nessa parte…

  • Luv4live

    Pelo simples fato de alguém se manifestar por livre e espontânea vontade, contra algo que julga (certo ou não), já ha um mérito! Errado está quem julga!

  • Lucas

    Massa ver por esse lado, bom texto, não tinha pensado por esse lado… Mas tipo, tirar os videogames dos jogos de azar é o mesmo que botar um imposto mais justo.. Não seria?

  • Felipe

    Na verdade, o único lugar no mundo que tem tanto feriado igual você ta dizendo que merecem os trabalhadores, é o brasil. por isso lá fora somos chamados de vagabundos.
    de todas as vezes que viajei ao exterior, sempre ouço o mesmo, brasileiros são cansados, não fazem nada, só querem sombra e água fresca.
    Chineses, porem, são opostos. Mesmo os grandes empresários, trabalham sempre, não faltam ao trabalho e dão seu sangue com fervor na empresa.
    Das empresas que trabalhei, sempre, vi funcionários ganhando mais do que mereciam pra fazer algo extremamente ridículo, ainda com várias vantagens dadas pela empresa, e acreditando que estavam sendo mal pagos. já vi funcionário se demitir, conseguir negociar com a empresa a demissão, depois processar a empresa por te-la demitido, alegando que estava grávida. a lei não diz nada sobre não poder demitir uma pessoa grávida nos primeiros meses de gestação, mas o pior não foi isso, foi ELA ter pedido demissão e depois ter processado a empresa, querendo voltar.

    Quanto a restrição ambiental, o Brasil, em relação as outras empresas, tem uma lei rigorosa sobre como cuidar da área onde a empresa estrangeira se instala. e é uma das leis que eu conheço que mais funcionam. a china, como qualquer outra empresa que quiser produzir aqui, deve seguir as nossas leis ambientais, que são rigorosas e muito bem vigiadas, não dizendo que não há furos.

    A idéia não é de todo mal, do jogojusto, mas, é completamente egoísta. Eu, viciadissimo em xbox, tenho em mente que os jogos deveriam sim, ser mais baratos. mas jogos baratos, não roda nossa economia. importação só coloca dinheiro no bolso dos políticos, e donos de grandes empresas traders. não adianta nada o jogo custar pouco e o cidadão receber pouco. temos que aumentar o número de empregos.
    trazer indústrias de fora para produzir aqui, é muito melhor, pois os impostos que geramos com importação, eles pagariam só para estar aqui. fora o quanto pagariam para manter a fabrica, que com certeza seria mantida com material nacional, muito mais parido para ser comprado, já que não precisaria importar.com mais industriais, podemos ter mais empregos. mais empregos, é, basicamente, melhor condição de vida. logo, melhor escola, melhores profissionais, melhor saúde. isso tudo gera uma infra estrutura necessária pra desenvolvimento, que, logicamente, irá formar pessoas mais aptas a eleger melhor seus representantes, e ter uma cultura menos conformista com relação a política.

    Fora tudo isso, eu não gosto mais do felipe neto, acho que ele virou muito estrelinha, e começou a falar muitas bobagens as vezes, embora, o jogo justo seja algo a se pensar.
    No dia do jogo justo que aconteceu alguns meses atrás, fui até as lojas participantes, e me decepcionei. além de só ter titulos antigos, nenhum lançamento, os poucos que tinham, eram ruins.

  • Alexandre

    Eu acho na minha humilde opinião que mesmo tendo fabricantes no brasil nao iria adiantar muita coisa, como exemplo temos fabricas de carros aqui no brasil como a “hyundai” e a diferença de preço do fabricado no brasil como o importado é quase a mesma coisa…

  • Tim_snt

    então…você tá de certa forma defendendo essa forma do governo de nos cobrar esses preços? você realmente acha que isto está sendo feita de maneira certa e justa?

  • http://www.facebook.com/people/Julio-Babilon/100001660540748 Julio Babilon

    Entendo o ponto de vista da explicação do autor do blog, mas vc não levou em consideração o verdadeiro motivo do protesto, não é só por causa de compra de video game ou Ipad e sim pelo NIVEL de imposto cobrado, qualquer um de nós sabe q pagamos impostos absurdos por diverssos produtos aqui no nosso país, pagamos altas taxas por um carro um exemplo, enquanto com US$ 18,3 mil o brasileiro compra um Corsa, o europeu compra um Hyundai i30, que custa US$ 17,7 mil. O similar europeu do Corsa, o Opel Corsa, custa US$ 14,3 mil, fora q carros produzidos aqui saem mais barato para um consumidor europeu, acho q todos concordam que é um absurdo isso não?…fora q pagamos preços exagerados por qualquer eletrônico importado, veja bem …nosso governo cobra impostos para “ajudar a sociedade”, se eles realmente mudassem o Brasil com esse dinheiro arrecadado, não teria do que reclamar, mas o que vemos é…saude precaria, educação precaria, infraestrutura precaria, o nosso país tem 16,2 milhões de pessoas miseráveis esse é o número de brasileiros, de acordo com o Censo 2010, que ganham até R$ 70 mensais, critério estipulado pelo governo para nortear o plano Brasil sem Miséria, então agora eu lhe faço a pergunta é justo cobrar esses impostos por um país nessa situação?
    julgar os atos de alguem que tenta um protesto onde questiona o governo, onde exercemos nosso “poder”, é errado, deveriamos cada vez mais questinar e agir a respeito das desigualdades que temos no nosso país, pq quem faz o Brasil é o brasileiro.

  • Bruno Ramos

    Gaudio,

    Belo post.

    Também, sou adepto a essa ideia da migração de empresas ao Brasil (O que de certa forma também não exclui a possibilidade de que o capital produzido aqui vá em sua maioria para o exterior).
    Na minha opinião essa campanha do Felipe Neto é muito interessante, mas se você reparar tem preceitos capitalistas: É um proposta imediata e pra ser realizada em curto prazo. E o benefício seria mais voltado a posse individual (pra aquisição de bens de consumo, etc e tal). Mas com toda certeza, será benéfica.
    A sua sugestão exposta no post, levaria anos para ser implantada e mais anos pra entrar em vigor. E nessa transição de faixa etária no Brasil (jovem-adulto) denominados geração “Y”. Estão acostumados ao imediatismo, a resultados rápidos. Sem todo esse conceitualismo envolvendo planejamentos muito longos. A proposta do Felipe Neto indiretamente é carregada de valores imediatistas que atinge o público jovem em geral.
    Mas não nego que ficaria feliz em poder comprar um PS3, ou um COD Black Ops por um preço bem reduzido.

    Abraços!

  • Haters gonna hate

    Se o Felipe Neto tivesse o mínimo de noção em ciências políticas ele saberia o tanto de merda que ele falou

  • Monteiro

    Acho que o autor está um pouco equivocado quanto seu ponto de vista. O problema do Brasil é sim SOMENTE os altos impostos.

    O autor diz que se os videogames seriam mais baratos se fossem fabricado no Brasil pelas empresas. Então por que os preços dos carros são tão caros se comparados a outros países já que todas as montadoras possuem fábricas no Brasil?

    Também menciona que o país também deve desenvolver pesquisa e desenvolvimento. Ok, e o que dizer de um país que é pioneiro e líder em pesquisa em biocombustível (etanol) e um dos maiores produtores de petróleo do mundo, referência em prospecção e pesquisa de poços e ainda assim ter combustível mais caro que seus vizinhos?

    Resposta: IMPOSTOS.

  • Everton

    Eu concordo com o tópico principal, e comentei isso faz alguns dias no meu blog: http://projetofujimoto.blogspot.com/2011/04/preco-justo-e-realmente-necessario.html

    O legal é que podemos ver pela linguagem que ele usa, pelos exemplos de preços (distorcidos) e pela quantidade de “assinaturas” que ele pede qual o público alvo da campanha dele. Simplesmente os filhinhos de papai que não paga nada além dos jogos que compra.

  • Nathalia Key

    Ele começou algo que tenho certeza absoluta que ninguém aqui começaria. Ponto final.
    Se vai funcionar ou não, não caberá a ninguém aqui.

    Aposto que se funcionar, todos aqui que postam contra ele irão adorar comprar produtos mais baratos, certo? Então parem de reclamar, porque pelo menos uma pessoa pensou em algo para fazer.

  • Geovani Mazetto

    A questão não é somente o Imposto dos Video games e jogos, mas a carga tributária em geral é abusiva, creio que ele só citou alguns exemplos abusivos. É muito dinheiro arrecadado e muito pouco investimento.
    Isso é assunto para muitas horas, só de pensar já me revolta.

  • Julio Saboia

    Na boa resumindo tudo que o povo precisa: “Reformulação na legislação brasileira”. Fala serio a legislação sofreu pouquissimas (senão quase nulas) mudanças desde de o Brasil Império.
    Nossas taxas de impostos são abusivas e redundantes. Além de mal aplicadas. Profissionais são poucos valorizados, temos idiotas e ladrões como nossos representantes, e a nossa unica esperança são as loterias federais.

    Na minha opnião deveria haver um golpe de estado (no país,rsrs), E recomeçar tudo, valendo o que vivemos hoje e nossas necessidades básicas.
    VOTEM EM MIM! hehe

  • http://profiles.google.com/nessinha2005 Vanessa Araújo

    É muito fácil falar, mas difícil é tomar a iniciativa. O Felipe Neto teve a iniciativa de agir de alguma forma para tentar melhorar algo muito ruim em nosso país.

    Portanto, pq ao invés de falar que ele está errado, não começa um protesto para que as empresas sejam abertas no Brasil?

    Vamos começar a tomar iniciativa e mudar alguma coisa nesse país… Ficar só na internet argumentando não mudará em nada!

  • Bruno

    Boa discussão! Afinal o importante é mesmo o debate, a principal intenção é a polêmica. Por isso precisamos de formadores de opiniões.
    Agora, aos que acreditam no preço justo (eu por exemplo), vamos fazer nossa parte, ajudando, sendo rigorosos e exigentes nas nossas compras e dizer não a esse abuso, seja escolhendo nossos representantes ou nos manifestando, precisamos mostrar que estamos enxergando essa falta de vergonha na cara. O apoio em massa a idéias como esta podem sim resultar em algo. Sei que muitos vão dizer que isso não adianta, mas pensem em vocês que estão fazendo para contribuir.
    Aos que criticam, veja bem o título. Vocês acham que estão comprando as coisas por um preço justo?
    Criticar o cara pelo ato dele, publicidade ou não, ele meteu a cara enquanto muitos não fazem porra nenhuma!

  • http://profiles.google.com/danil18x Danilo Sérgio Vieira

    Acredito na causa do jogo justo,
    pois o governo brasilerio não da insentivos satisfatórios a ninguém a não ser para ele msmo.
    É tanto que a Ubisoft, tentou montar uma filial aki em Porto Alegre e em São Paulo (http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2010/09/em-comunicado-ubisoft-confirma-reducao-das-atividades-no-brasil.html ) para o desenvolvimento de games, porem o custo de um funcionário aki é inviável, já que para cada salário ganho o empregador paga outro ao governo…

    a situação aki é tensa deveriamos tomar uma postura mais realista quanto aos fatos!
    Pois não são poucos os questionamentos com relação aos impostos

  • http://www.facebook.com/people/Ciro-Marcos/100001911480434 Ciro Marcos

    Eu acho que entregar nas mãos dele as assinaturas não vai dar em nada, o problema maior é que muitos que comentaram aqui não querem levantar de suas cadeiras confortáveis para ir para as ruas protestar, veja a juventude francesa por exemplo, la sim eles protestam e sabem conseguir o que querem, a nossa não… fica aqui filosofando em vão, ao invés de criar uma organização para protestar de uma forma que o governo vai ouvir! Esse Felipe ai falou legal e tudo mais, mas, atitude de organização das massas jovens nada… ele quer ter as assinaturas para ELE entregar e ELE vai resolver. A juventude esta apática e o sinal disto são as filosofias e etcs que surgem, reclamam mas não fazem nada efetivo, twittar e mandar as assinaturas la não vai servir pra EXATAMENTE NADA!
    Aliás… alguns aqui no Brasil se preocupam e se engajam mais com a marcha da maconha do que com os impostos e etcs que nós enfrentamos!
    Se for para protestar em Brasília eu to dentro agora esse MIMIMI ai de mandar assinaturas é rídiculo!

    parem de filosofar! Vamos a luta!

    e obs.: Não sou comunista nem nada do gênero.

  • Carol

    Primeiramente,se engana quem acha que a campanha tem um único foco.Muitos se acham tão espertos e chegam cheios de dados e estatísticas e ignoram como um simples vídeo já fez um progresso na mente dos jovens. Apresentam seus dados tão ricos e permanecem de braços cruzados.
    O que Felipe Neto fez foi apresentar o ponto de vista dele e começar a tentar fazer algo que é o contrário do que muitos fazem,como vocês que apresentam suas ideias e permanecem de braços cruzados.
    O movimento Preço Justo além de fazer os jovens se voltarem mais para a questão política e econômica do país,mostra ao Governo nossa insatisfação diante dos preços absurdamente altos,o que de fato é inegável.Seus argumentos de que altos impostos servem como medida protecionista e como alavanca para o crescimento da indústria brasileira esbarram justamente na falha do Governo em aplicar o capital no objetivo dito. Realmente,não basta apenas diminuir os impostos,mas também é necessário a diminuição dos salários astronômicos dos políticos,mais investimentos no campo educacional(o que já devia acontecer e NÃO acontece).O movimento visa mobilizar a população pela luta de seus direitos,inclusive o direito de opinar sobre a economia e política,já que são os fodões do Governo que trabalham pra gente e não o contrário.Os colocamos em seus cargos para exercerem suas devidas funções a favor do país e não para roubarem descaradamente como fazem.Tal movimento é capaz,se for feito certo,de atingir outras questões importantes.Mas,de fato a primeira coisa é realmente criar a mobilização dos jovens,da população diante das questões do país antes já abandonadas e entregues aos ladrões que se encontram no Governo.A insatisfação populacional é capaz sim de gerar um efeito dominó,fazendo um movimento gerar outro e alcançar questões mais sérias e profundas dos problemas do Brasil.

  • Henrique Mattos

    Impostos sobe importação na Alemanha é de 14% se não me engano.. não importa o valor da compra.. e mesmo com um população que tende a consumir menos importados que nós, não vejo Alemão chorando miséria e nem o país com muitas dificuldades financeiras.

    Enfim.. isso ai cobrar impostos que no mínimo são de 60% sobre importação está certíssimo, é assim que o povo brasileiro merece. (irônico)

    PS: O governo está perdendo muito mais com os produtos que entram sem pagar taxa.. do que perderia se coloca-se tipo uns 10~20% de imposto fixo sobre importados.

  • Albeto

    sempre tem um palhaço querendo ser do contra para aparecer.

    eu mereço…

  • http://www.facebook.com/danielcabral84 Daniel Cabral

    Cara…tem uma coisa que não está clara em seu texto. E a respeito do DVD ou Blu-Ray que é fabricado no Brasil é é pesadamente taxado como um importado?

  • Orestes Schrödinger

    Vocês não concordam com o Felipe Neto somente pelo fato dele criticar o Crepúsculo e o BBB.

    Se os senhores tem capital para pagar 2400 reais no IPad, minhas congratulações. O ponto que ele levantou é que os impostos são demasioados e exagerados. Em nenhum momento ele fala que “não tem que ter imposto”, mesmo porque, isso é impossível.

    É difícil de acreditar que existem pessoas que concordam com os impostos deste país…

    Essa foi a atitude que ele tomou, a saída que encontrou, e tem o meu apoio.

  • Vichlima

    O preço justo não fala somente sobre os impostos sobre importação. O preço justo significa uma REDUÇÃO DE TODOS OS IMPOSTOS, maior competitividade no mercado nacional e aumento da qualidade dos produtos aqui fabricados. O mais importante desta campanha não é abaixar os preços de ps3 e xbox. Diminuir os impostos sobre a sua, a nossa renda e sobre os bens, os quais temos direito e sobre a educação, a saúde, a alimentação e ao entretenimento.

    Grande abraço aos que apoiam e aos que não apoiam o preço justo. Espero que possamos conquistar o nosso direito a um país mais justo e com melhor qualidade para todos nós.

  • FAtO

    Vc é um bosta mesmo!!Vai fazer algo ao invés de critica-lo!!!Tira esse traseiro gordo da cadeira e faz um movimento!não faz?Entaum CALA A BOCA PORRA!!!NÃO QUER PARTICIPAR NÃO ATRAPALHE!PS:Continue fazendo o que vc faz,e o brasil continuará sendo a mesma merda nas mãos desse governo sujo e corrupto!Seu trouxa!

  • JURANDAO

    Casualmente olhei o jornal da globo do meio dia, em que os empresários de fábricas de brinquedos estavam reclamando das empresas exteriores que cresciam demais, falindo as empresas nacionais … então o super plano deles foi o que? Aumentar a taxa de importação sobre esses produtos.
    Até entendo que seria uma boa solução, mas o que eles não pensam é que tem pirataria, tem sonegação, tem N fatores que farão com que mais e mais pessoas soneguem … ó claro isso não deveria existir, mas com a falha que é o governo, isso existe, e de monte! Logo se vê que ao invés do governo diminuir os impostos nacionais … eles aumentam os internacionais, e cada vez fica mais difícil, eles perdem nos internacionais (com sonegação e pirataria) e nos nacionais por falirem!!! NUNCA PERDEM e o brasileiro ignorante acha que essa merda está boa, não dou 5 anos pra estourar a economia, essas zilhões de casas com zilhões de empréstimos é uma bomba … (lema do governo: agrade e ignorantes que os pensadores se omitam)

  • Ismar

    1 milhão de pessoas …em Brasília…com tochas, rastelos, pedras…molotov e etc…alguem topa ?

  • diego

    Ipad, XBOXs e afins é só o começo.
    E o preço dos automóveis?
    Da carteira de motorista?
    Do IPVA?
    Do Seguro do Carro?
    Das taxas do Detran?
    As estradas esburacadas?
    Os alagamentos?
    A falta de fiscalização nas estradas e cidades?
    Os corredores de hospitais lotados?
    O baixo salário dos professores?
    O excesso de funcionários públicos?
    O trânsito caótico?
    Os ônibus lotados?
    e etc e etc…..

    Isso tudo não está custando muito caro para a sociedade?

  • http://www.facebook.com/rafael.friederichs Rafael Friederichs

    Magistral seu texto! Parabéns!

  • http://www.facebook.com/mdiegot Diego Teixeira

    A idéia tem que ser reduzir os impostos para os produtores e indústrias locais. Por outro lado, impostos muito altos de importação faz com que as empresas locais não sejam incentivadas a melhorar os seus processos e qualidade de seus produtos, já que diminui a concorrência e estas empresas ficam “acomodadas”, oferecendo serviços de baixa qualidade se comprado com o oferecido em outros países (como exemplo, olhe como é o Opel Astra, VW Golf e Peugeot 207 da Europa e compare com os nossos).

    O ideal realmente é uma reforma tributária para que o nosso “leviatã” emagreça, porém, é muito difícil de ser implantada, pois a máquina pública é muito inchada e seria necessário acabar com vários dos cargos públicos, políticos e pensionista do governo, o que é praticamente impossível e também tirar a mãozinha do governo em diversos setores.

    Abraços!

  • Lauro_MRocha

    Nao faz sentido é a gasolina que é produzida aqui ser vendia por 3,00… 3,10. E nos paises que importam gasolina do Brasil, e tem o litro sendo vendido bem mais barato que aqui?!?!!?!

  • GIOVANI ARRUDA

    É tão fácil ficar falando das ideias de alguém, pelo menos o Felipe Neto deu o primeiro passo, pode ser que tenha sido na direção errada, mas foi um passo. Enquanto todos esses que aí estão falando que a ideia dele esta errada continuam sentados em suas cadeiras apenas criando bunda e com dor de cotovelo!

  • Anonimo

    Sou formado em Economia e faço Filosofia. De imediato afirmo que a ideia do preço-justo não vai dar em nada. Em primeiro lugar, porque diminuir os impostos irá acarretar um aumento de importação, afetando a balança de pagamentos em déficit, pois a exportação continuará constante, enquanto teremos grandes importações. Sou à favor, como disse o empresário desse blog, à criar uma infraestrutura estruturada no Brasil, onde, a criação de jogos, eletrônicos pudesse ser elaborada aqui…

  • http://www.facebook.com/people/Rafael-Viegas/100000193440186 Rafael Viegas

    nem terminei de ler esta matéria idiota sem noção….

    acabei de ver no jornal nacional que o impostômetro chegou á MEIO TRILÃO DE REIS… e o que eles fazem com isso?

    R: deixam pessoas morrerem de fomes, familias desabrigadas, e muita miséria no brasil (escrevi brasil com minuscula pois não sinto orgulho de ser brasileiro) então… PRA QUE ENCHER OS BOLSOS DELES COM IMPOSTOS?

  • Albertguerreiro

    A verdade é!!!! Politicagem no brasil ferra com os brasileiros mesmo. E não é só na hora de comprar ps3 xbox seja lá o que for.

    Pra comprar um carro voce praticamente “dá”um carro de presente p essa cambada de politico.

    O cara “Felipe neto” fez algo em que acredita! Ninguem nunca tentou algo parecido.

    Mas pra criticar o “cara” sempre tem os bam bam bam de plantão!

    Os pseudos intelectuais sai de tudo quanto é buraco para criticar e dizer que tem uma ideia melhor bla bla bla.

    Tenha dó!

  • Balloon Pump

    Certo, lindo, verdade.

    Só que enquanto merda nenhuma é feita pra incentivar essa produção aqui dentro do país eu tenho que ficar sem o PS3? E não é só um PS3, bonitinho, são artigos eletrônicos em geral.

    Então vamos sentar e esperar um milagre, uma solução maravilhosa que tanto nos deixe satisfeitos com nosso acesso aos produtos quanto favoreça o nosso país como um todo? Que lindo! Minhas lágrimas!
    Tenho que matar meu pai de trabalhar pra conseguir um bendito mac, que vai me ajudar na minha profissão, só porque não seria muito heróico reduzir os impostos?

    Fodam-se vocês e esse rebuscamento intelectual de sempre querer rebater qualquer crítica que é feita a qualquer coisa.
    E baixem as merdas dos impostos.

  • Daniel

    Baseado na premissa básica que foi utilizada para questionar a proposta do Felipe Neto, há certos contra-pontos nos argumentos apresentados…

    Em primeiro lugar, nenhuma empresa brasileira perde dinheiro com a importação de um videogame. Dizer que existem “alternativas” nacionais para PS3 ou XBOX por exemplo é no mínimo inocente demais, pra não falar ignorante.

    Os videogames produzidos nacionalmente são inferiores aos importados. Em que nível? Comparativamente poderiamos dizer que são talheres de plástico comparados a talheres de aço inoxidável. Os dois são parecidos, servem pra “mesma coisa”, mas quer ver você numa churrascaria com uma faquinha de plástico. Há!

    Em segundo lugar, quanto ao incentivo para que as empresas estrangeiras venham para o Brasil, só me diz uma coisa: de onde vem o similar mais barato de qualquer produto? EUA? Europa? China?

    Existe um motivo pra isso: mão-de-obra barata! Qual incentivo o governo poderia dar a uma empresa para que ela viesse para o Brasil? ISENÇÃO DE IMPOSTOS! Os gringos vem pra cá numa boa, e a gente paga cada vez mais impostos pra bancar a isenção deles.

    Terceiro lugar, comparar com a Coréia do Sul? Tudo bem, se estivermos falando sobre desenvolvimento, e mesmo assim isso não significa que um país desenvolvido deve se submeter aos impostos cobrados pelo governo. A questão do #precojusto é simplesmente questionar o porquê dos impostos. Se não tem motivo, tira. Porque a gente tem que ficar pagando imposto por uma coisa que nem o governo sabe o que é?

    Quanto ao que “temos que pensar”, vou até citar o texto:

    “O que a gente tem que parar pra pensar é: qual é o retorno que o nosso país terá ao baixar os impostos de importação? E não baixar só porque eu quero um PS3.”

    Sério… você não sabe MESMO? Já foi atrás de ver quanto dinheiro é gasto no combate a pirataria? Pois é… e você paga. Já reparou em QUEM é que opera nas missões de combate a pirataria? A polícia.

    Ou seja, quer saber qual é o retorno? O retorno é: menos impostos, menos pirataria; menos pirataria, menos gastos com cobate a pirataria; menos mobilização de policiais focados no combate a pirataria, mais policiais nas ruas.

    Como foi dito, “Sem individualismos, sempre pensando na sociedade como um todo”.

    Pergunte pra qualquer um: você prefere que tenha mais policiamento nas ruas quando você estiver voltando a pé pra casa depois do dia inteiro trabalhando ou você quer que uma parte desse policiamento esteja direcionada a caçar o camelô que vende dvd pirata na praça?

  • RICARDU


    qual é o retorno que o nosso país terá ao baixar os impostos de importação?”
    R: produtos importados entram aqui mesmo assim, porém sem imposto algum pelas fronteiras, pra quem já foi no paraguai pode ter uma idéia da quantidade de dinheiro brasileiro que é deixado lá, sem falar nos contrabandistas com suas carretas e barcos lotados com produtos eletrônicos PAGANDO PROPINA PARA POLÍTICOS E POLICIAIS. BAIXAR OS IMPOSTOS SERIA SECAR UMA DAS TETAS QUE ELES MAMAM!!!
    #ficaadica

  • Diego Estagioadm

    A maioria dos jovens que assisistiram esse vídeo estão muito revoltadas, o problema é que a única coisa que vão fazer é: twittar #PrecoJusto

  • Jorge Bittar

    preco justo nao faz sentido é o caralho!

    a ideia de incentivar a industria nacional nao vai adiantar nada se os impostos continuarem como estao!

    olha o exemplo q o cara da no video, um blue-ray produzido no polo industrial de manaus custa absurdos 80 reais!

    o problema e que esse estado filho da puta mete a mao onde pode! suga os cidadaos ate nao poder mais! daqui a pouco vao cobrar imposto ate pra morrer e pra nascer!

    CAMPANHA BOA PRA CARALHO A DO FELIPE! to indo botar o meu nome no site agora!

    e como disse um outro internauta, esse felipe faz parte das 0,00001% das pessoas que tomam uma iniciativa e fazem alguma coisa que presta, ao inves de ficar sentado em seu computador assistindo tudo e nao fazendo porra nenhuma, ou pior, fazendo criticas mediocres a atitudes que deveriam ser aplaudidas!

    como disse o felipe no video, NAO QUE AJUDAR NAO ATRAPALHA PORRA!

    ou voce ta ganhando algum nessa cobranca absurda de imposto? so se for! e o unico motivo que eu consigo imaginar!

  • Lavosier

    porra nenhuma o felipe esta certo de agir assim a sociedade brasileira precisa acordar pra esse estrupo do governo… so começa de algum lugar

  • Marcos

    Qualquer pessoa com mais de 16 anos que leve a sério o que o Felipe Neto diz é caso de vergonha alheia.

  • natan

    Nada a ver cara!, nós vamos estar fazendo a nossa parte pedindo pra abaixar os impostos, agora o que a Dilma vai fazer pra que isso aconteça…, bom, ela é presidente pra isso né??!

  • http://www.facebook.com/people/Frank-Castle/100000491476793 Frank Castle

    Não li todos os comentários, mas concordo com o fato de que seja essa campanha válida ou não, ela provoca debate e discussão. Isso para mim, já é um ponto positivo.

    Sou da seguinte opinião: atitudes como essa, mesmo que sejam equivocadas, valem mais do que o conformismo de não fazer nada e deixar tudo como está, engolindo argumentos de protecionismo do mercado nacional e arrecadação de impostos.

    A questão maior é: muita gente justifica e apóia os impostos, mas sempre vai e volta dos States com a mala cheia de eletrônicos… ora, porque não compram no Brasil? = Hipocrisia

  • http://www.facebook.com/people/Frank-Castle/100000491476793 Frank Castle

    Não li todos os comentários, mas concordo com o fato de que seja essa campanha válida ou não, ela provoca debate e discussão. Isso para mim, já é um ponto positivo.

    Sou da seguinte opinião: atitudes como essa, mesmo que sejam equivocadas, valem mais do que o conformismo de não fazer nada e deixar tudo como está, engolindo argumentos de protecionismo do mercado nacional e arrecadação de impostos.

    A questão maior é: muita gente justifica e apóia os impostos, mas sempre vai e volta dos States com a mala cheia de eletrônicos… ora, porque não compram no Brasil? = Hipocrisia

  • Lucas

    esqueceu de comentar, que por exemplo, no site da playstation, tem muitos paises, paises com menor desenvolvimento que o brasil, a sony não se instala no brasil por que? porque em impostos irao roubar a grande fatia que deveria ser da sony.

  • Tiozinh odo bar

    Galerê, Galerê
    É a Geração Coca-Cola, acho que deviamos dar apoio, sim.
    Com toda essa luta, o desdobramento me parece bem agradavel.

  • http://profiles.google.com/airton.netofm Airton Neto

    Axo Que to nem aí se o Governo ou o pais vai perder com isso, me preocupando com meu bem estar ta bom de mais… (Eu sou Reporter e ja fui aki na camara aki no CE quase todos dias, e sempre vjo a mesma coisa) Começa a sessao fulano pergunta se a fazndo de sicrano vai bem.. Entao.. vo pensar do msm jeito dels.. Q se foda o Pais e bem vindo ao meu bem estar

  • Thomazelli

    Proteçao ne? Vai pra p….. Todo mundo que defende esse conceito nesse pais de merda, é td f… que tem dinheiro pra comprar no preço que o governo impõe, ou sao os filhinhos f… desses governantes de mer…, egoistas, detestei esse post, eu acho q nao precisa reduzir totalmente os impostos , mas pelo menos cobrar um e mais acessivel ao bolso dos milhares de brasileiros que ganham um salario minimo que é ridiculo, mas ja que é assim, já que pensam que é melhor deixar os impostos como estao, começar a pedir pra amigo la fora trazer as coisas por preço menor , nao é uma má ideia, vamos dar todo o nosso dinheiro para aqueles f.. capitalistas e deixar esse país aqui na merda como sempre esteve, país que desse jeito nem em mil anos, vai deixar de ser de terceiro mundo.

  • pvtayres

     Estou fora da indústria há algum tempo já, mas acredito que poucas empresas se disponibilizariam/ estariam capacitadas a serem homologadas pela apple e outras citadas acima.

    Para os que não conhecem, temos muitas empresas “EMS” (Electronics Manufacturing Services), onde a 
    empresa é responsável pela terceirização dos serviços, na qual deve passar por uma rigorosa auditoria para atender as demandas do cliente (apple,motorola, etc). Geralmente essas demandas exigem recursos financeiros astrônomicos para melhoria de equipamentos, mão de obra especializada , entre outras. Na teoria , todas empresas gostariam de montar para uma grande marca, mas na prática é muito mais difícil infelizmente.
    A falta de mão de obra capacitada é outro fator limitante, como um colega citou acima, na china temos poucas leis ambientais e a mão de obra é quase escrava. Já aqui no Brasil, um técnico trabalha 8 horas por dia sentado, ganha em torno de 2,000 reais por mês e ainda se queixa por isso (Região Sul).
    Quanto a campanha do rapaz, não custa nada ajudar, eu ajudei, apesar de achar que vai “dar de frente com o sistema” (“Cap. Nascimento”), pois acredito que os parlamentares argumentarão que existem causas muito mais urgentes (todos estão carecas de saber) e não darão atenção a itens tão supérfluos como os eletrônicos citados.Esse é meu ponto de vista, um abraço a todos.

  • Gabrielnory

    Pense melhor. Se o governo diminuir os impostos sobre os produtos, eles consequentemente custarão menos. O Brasil não acaba de fazer um acordo com a China? Nós vamos produzir os iPads aqui, no Brasil. Mas se depender do governo, ainda sim teremos que pagar os altos impostos que se dizem nescessários para cobrir os gastos com a exportação. Mas… pra que exportação se nós produzimos aqui?
    A sua idéia também é aceita, eu também concordo com ela, porém não mudaria nada se nós fizessemos acordos semelhantes com outros países produtores e começássemos a produzir aqui com os mesmos impostos sobre eles.
    A idéia que o Felipe Neto quer transmitir é que o governo cobra impostos MUITO altos. MAS não é só isso. Eles abuzam, e é isso que o Felipe quer nos mostrar. No vídeo ele mostra, que os BluRays PRODUZIDOS NO BRASIL ainda tem os impostos aplicados sobre eles. PRA QUE?!?
    Então a SUA idéia de implantar fábricas que produzam os produtos aqui com a idéia do Felipe Neto, que é reduzir os impostos que pagamos para termos saúde, saneamento, e outras coisas que deveriamos ter de graça, mas nós não temos! As duas Idéias se complementam, pois:

    *Se implantassemos as fábricas para produzirmos aqui, não mudaria nada, pois os impostos ainda seriam cobrados (idéia que o Felipe está lutando contra)

    *Se nós lutassemos contra os impostos, como o Felipe Neto diz, também não mudaria nada, pois o governo vai continuar falando que precisam impostos para a importação.

    Se juntarmos as idéias, teríamos fábricas para produzir aqui, e (praticamente) não teríamos impostos.

    (Se tiver alguma idéia errada, ou algo errado, me manda um e-mail (se tiver tempo x.x’)) ~~> gabrielnory@hotmail.com

  • William Pereira

    Prezados Colegas da classe média,

    Será que ninguem está conseguindo conceber a real importância da atitude deste brasileiro?

    A classe média, através da internet vai conseguir se congregar e conseguir que seus direitos e interesses sejam providênciados pelo governo!

    Vamos apoiar essa iniciativa, pois assim muitas devem vir, com iniciativas até mais interessantes.

    SIM! Existem motivos mais importantes a serem resolvidos, mas a iniciativa esse cara já deu!

    Resta, a nós, não críticar e não tentar aparecer mais que este colaborador, mas entrar de cabeça nesta idéia, pois assim, através da internet, vamos fazer o nosso GOVERNO TRABALHAR pelo POVO, e não pelos seus interesses.

    Como contribuição, fica a criação de uma comunidade para gerenciar essas solicitações, que sirvam para todas as classes desse país, para que essas várias solicitações que devem vir (saúde,reforma política, diminuição do salário dos parlamentares/senadores) sejam encaminhadas corretamente.

    Vamos lá Brasil! Pare de reclamar e faça a sua parte!

  • Deivid Guttierrez

     Tenho de dizer que adorei a discussão, muitos bons comentários, e penso ter ficado um pouco perdido em certos assuntos e textos por não ter uma “inteligência acadêmica ” do mesmo nível que muitos.
    Queria apenas dizer uma coisa que é : se ele é informal, se a campanha vai ou não funcionar, se diminuir os impostos é ou não a solução são coisas que não deveriam gerar tanto conflito se nos vermos o beneficio (escondido atrás dos panos) que este video trouxe, que foi : muitas pessoas começaram a discutir o assunto.

    “a, mas este assunto já vem sido discutido na internet a algum tempo”

    Ótimo, mais lenha na fogueira então. 

  • João Vitor Brunetti

     A questão é sim o preço dos jogos, o Felipe Neto não pensava em carne quando fez o manifesto. O dinheiro não vai todo pra bolso de políticos, a corrupção não é centralizada na política, por que todos insistem nisso? Parece que é repetição do que foi dito em programas de humor da Globo, o problema é muito maior do que políticos ladrões…

  • http://www.facebook.com/people/Vinícius-Daly-Felizardo/1201774835 Vinícius Daly Felizardo

     Raphael Gaudio, discordo fortemente de tudo escrito.
    Esse seu post é um reflexo perfeito da propaganda que o governo usa para justificar os supostos impostos abusivos (Sim, os impostos que pagamos é abusivo). E não estou falando só desses impostos de “videogames” que você generalizou falando que somos adolescentes “querendo mais mesada” (Um conceito bem ultrapassado visto que a industria de games já é muito maior que a do cinema, essa por sua vez recebe um monte de incentivos do governo e a outra é tratada como jogo de azar, mais uma distorção criada pelo estado…). Estou falando imposto de tudo. 40% do PIB do Brasil é imposto, somos o pais com a 2a maior carga tributária no mundo. 

    Quanto que você gasta de gasolina por mês? 40% disso é imposto. Ahhhh, você é pobre, não tem carro! Então provavelmente a proporção de imposto é maior ainda para você, porque o governo taxa fortemente o CONSUMO, o que afeta principalmente os POBRES, já que tudo que esse grupo ganha é gasto em consumo (desde comida a passagem de ônibus, comprou feijão e arroz? Tem imposto). Posso dar mais um milhão de exemplos aqui, como os próprios carros (Um corolla no EUA vale 20 mil reais. Quero ver com esse dinheiro você mal compra um UNO no Brasil, e o corolla? 50 mil!)

    Sem contar com a inflação, que nada mais é o governo ligando a maquininha de fazer dinheiro. Inflação é um termo muito técnico e pouca gente entende, mas é simples, quando você imprime dinheiro os produtos não “surgem” do nada, o que acontece é que todo dinheiro que está em circulação perde um pouco de valor para que esse que você criou tenha algum valor. Ou seja, se existe a inflação de 6% atualmente é porque 6% de todo dinheiro corrente em espécie do Brasil está desvalorizando para valorizar a criação de imposto do governo (uma forma de imposto disfarçado mas não menos abusiva e efetiva).

    Em relação a esses argumentos apontados por seu post, alguns deles até podem ser verdades a curto prazo, e esse é todo o problema do Brasil. Todo o nosso país foi projetado a curto-prazo. Se o nosso país  tivesse uma boa infra-estrutura (Energia elétrica barata, mão-de-obra qualificada, Rodovias, ferrovias, hidrovias a um custo baixo) as industrias não precisariam de nenhum tipo de “incentivo”  do governo, já que simplesmente seriamos mais competitivos que os outros países! E  a proteção do mercado interno só acomoda os empresários que tem menos concorrência e podem sacar seus lucros gordinhos sem se esforçar muito, como teriam se fossem competir de igual para igual com os produtos de outros países.

    ISSO TUDO sem mencionar um outro “mero detalhe”, a utilização dessa infinidade de dinheiro que o governo arrecada! Para onde vai esse dinheiro? Primeiro, o que todo mundo sabe e ninguém pode provar, uma boa parte escapa por buracos da máquina diretamente para o bolso daqueles que administram a mesma, né, Palloci? 
    Mas, supondo um sistema “ideal” sem corrupção, mesmo assim seria um dinheiro mal usado, afinal, vocês acham mesmo que um bando de indicados politicos que chegaram no poder com a labia podem administrar bem um hospital, uma escola, uma refinaria, um aeroporto?!??!?!?! E a concorrencia?
    Qualquer empresa PRIVADA é mais efetiva que qualquer ESTATAL pelo simples fato da concorrência espremer as primeiras para melhorar seus processo, ou elas melhoram ou elas quebram!

    E as estatais? Acho que não preciso nem falar né… Servidores públicos que mal vão à empresa, processos que são os mesmos desde a criação da república. E se o serviço de uma empresa estatal é ruim, como o que acontece hoje com a INFRAERO, o que a gente faz? A gente tem o poder de escolher outra empresa? NÃO.

    Ou seja, quanto mais imposto, mais dinheiro pro governo, quanto mais dinheiro pro governo, mais ineficiência… Ah sim, temos que proteger o nosso mercado, já que somos muito ineficientes e não podemos gerar tecnologia ou produtos tão bom quantos os americanos, europeus e asiáticos!

    ACORDA BRASIL, NÃO EXISTE ALMOÇO GRÁTIS
    There is no free lunch, Friedman

  • Cidadão

    O Felipe falou em importados e mídias, eletro-eletronicos porque é o que interessa ao público que o assiste se ele falasse diretamente em reforma tributária diretamente o manifesto iria ter menos aderentes que tem agora, não criticaria os impostos se eu tivesse vendo o custo benefício de pagar tão caro é como fazer um investimento em uma empresa e ver a lucratividade do investimento isso não ocorre aqui estradas mal feitas, saúde pública um lixo hospitais sem médicos sem equipamentos total falta de respeito com contribuinte, segurança uma bosta deixando a desejar em muitos estados e municipios,educação formando operários não doutores, esses doutores são formados por pais que tem condição de investir em seus filhos,como explicar isso não pagamos altos impostos cadê o  retorno?? Não tem desculpa de proteger a empresa brasileira porque muitas empresas sonegam impostos para continuar ativas e outras que começam sem incentivo e pagando altos impostos acabam indo a falência, e os alimentos então o Brasil não é um país de economia agrícola porque o arroz o feijão a soja milho são tão taxados e porque os melhores grãos e frutos são selecionados para atender a demanda européia e não a brasileira não temos compaixão como nossos próprios conterraneos?? e a gasolina então que é produzida aqui no Brasil pela pétrobras e as safadagens dos postos de gasolina porque o governo demorou pra se pronunciar o governo não faz o melhor pelo Brasil fazem o melhor para os próprios bolsos isso é fato o que é poucos questionado e a corrupção feita nos somos inertes em relação a isso o relátorio do senado feito esse ano em relação ao ano passado 2010 aponta que foram desviados cerca de 69 bilhões de reais com destino a corrupção o que não poderia ser feito com isso ?? muito poderia ser feito porque sobretaxar a população leva se entender que eles aumentam o salário deles deixando ainda mais disparidades entre o salário deles e o salário do trabalhador comum quantos incentivos não dariam para ser feitos com esse dinheiro desviado pela corrupção não me venham com esse falso protecionismo que vocês não me enganam.

  • http://www.facebook.com/people/Flávio-Matos/1626263017 Flávio Matos

    Falta de planejamento do govenro… e fica a dúvida… a 10 anos atrás… como era?

  • brasileiro

    leia a reportagem:
    http://carplace.virgula.uol.com.br/honda-city-brasileiro-e-lancado-no-mexico-com-preco-inicial-de-r-25-800-como-e-possivel/?sms_ss=facebook&at_xt=4ddd2615632a97bc%2C0

    E viva a inclusão digital!!!
    Quem sabe assim poderemos reclamar nossos direitos.
    Porém para um povo  “que não desiste nunca” em que a política do pão e circo vai servindo numa saborosa anedonia, o que ainda permanece são as injustiças, desigualdades e discrepâncias.
    Indignação, raiva enquanto uns e outros detentores de sábio conhecimento e “cultura” falam mal do tal carro de pobre dos EUA, Europa..
    Você que deteve um tempo para ler alguns comentários e chegou ao meu.. reflita pelo menos um pouco, onde a fundo está o erro?
    City que é de pobre e nem deveria existir?
    Honda que é mercenária e está ganhando um lucro imensurável com o mercado brasileiro?
    O México que tem aquele salário mínimo citado?
    O Brasil que tem muito imposto?
    Pense mais a fundo, pesquise (google está aí!) será que é só o carro da Honda? Será que são oS carroS? Ou tem mais algum tipo de produto que fora da nossa “Pátria amada” está com essa discrepância de preços?
    Hmmm.. você vai me dizer então o q? Ah fui em tal país e tive que pagar quase 10 dólares por uma maçã e aqui eu compro uma caixa! Excelente! Muito bom!
    Num país em que os governantes deixam seus governados cada vez mais desprovidos intelectualmente (haja vista não reprovação, analfabetismo na 4ª série.. e os “privilegiados” que chegam a um ensino superior com qualidade duvidosa, apenas para fazer uma melhor estatística), volto à minha indagação: onde está o erro?
    Acha uma falta de respeito quando retratam o Brasil como um país violento (Velozes 5 e tantos outros..) e com macacos pelas ruas (simpsons)? Não fique estressado.. vá comprar seu cacho de bananas e pagar bem baratinho…

  • Leonardo

    Bem-vindos à social-democracia. Todo mundo sabe que em um mundo ideal você deveria poder comprar produtos importados sem o Estado pensar que é seu pai. Esse governo paternalista só consegue deixar o Brasil pra trás em tudo, como se o consumo acabasse no consumidor e não elevasse a auto-estima e o poder aquisitivo de todo o país também.

  • carruda58

    #PRECOJUSTO vai moldar nosso futuro.
    EXEMPLO: Vc querendo comprar um Xbox 360 com Kinect que está avaliado nos USA em mil reais no Amazon e no Brasil avaliado em dois mil e quinhentos e cinquenta reais na Loja da Microsoft. Muita roubada, não acham, mas, também a campanha do Preço Justo não é a coisa mais importante para o Brasil cuidar, pois ainda tem que cuidar da pobreza, da saúde, das creches, da caridade, e inclusive dos impostos. Queria ver Felipe Neto sendo presidente para ele ver como é complicado.

  • http://twitter.com/moykn Denisson

    Cara, se a solução não é reduzir os impostos, e sim incentivar a vinda de indústrias para o Brasil, por que, como foi dito no vídeo, um filme Blue Ray produzido na zona franca de Manaus custa quase 4 vezes mais que um comprado lá fora?

  • Zanoroo

    felipe Neto Presidente!

  • Andre

    Na vdd quem escreveu essa materia tem ate um pouco de razão sobre produzir aqui em vez de importar. Só q o q ele não diz, ou melhor, disse com a maior naturalidade do mundo, é q pagar 161,75% de impostos não tá tão errado assim. O lance é q seria mto bom produzir aqui os objetos de desejo q todos nós queremos ter. Só q produtos importados nunca deixarão de vir e não queremos q retirem todos impostos. Só queremos q cobrem um imposto justo, como em mtos outros paises de 1º mundo. Agente não precisa pagar mais de 150%, ninguem cobra isso de imposto sem dar um retorno para população, pq o governo brasileiro quer cobrar?! Fica ai a duvida e o autor vai ganhar um doce se me disser pq só o brasil pode cobra esse tanto de imposto sem nos dar nenhum retorno bom em saude, transporte, alimentação ou moradia. Mais um detalhe: Neste momento o brasil ja arrecadou mais de 680 BILHÕES DE REAIS. http://www.impostometro.com.br/ . Se alguem ler isso com ctz vai estar mais. Mas tá ai o país de merda q estamos. Só o nosso sócio majoritario ganha. Quem é ele? O governo.
    Tenho dito

  • joao

    Texto é bom, os comentários são bons mas acredito que mesmo que o Brasil tenha ficado em 49º lugar no ranking de impostos isso ainda é muito comparado com o padrão de renda que nós temos.
    Se formos analisar que temos um salário mínimo completamente incostitucional – para uma pessoa alugar uma casa, não digo nem comprar e sim alugar – no meio da favela uma casa de dois comodos está por R$500,00 – o salário é de R$600 e pouco…..Então se for parar para pensar com o que pagamos de impostos x custo de vida x renda, sim, estamos pagando muito a mais do que deveriamos em termos de custo de vida e impostos. Existe um efeito cascata imenso sobre os impostos: Quem extrai a matéria prima paga impostos, quem compra a mesma paga impostos, quem a manufatura paga impostos, quem a revende paga impostos, quem fabrica o produto paga impostos e quem compra o produto paga impostos – é um efeito de imposto sobre imposto para alimentar uma máquina onde o retorno a população é muito pequeno comparado ao quanto é retido.

     É necessário sim uma reforma Tributária  – ou o país reforma a cobrança de impostos e aumenta a renda das pessoas aumentando o poder aquisitivo, ou, mantem o salário de 600 e pouco e reduz todo o custo no país de serviços básicos e até mesmo moradia, educação e etc. Hoje para você financiar uma casa ela deve custar em média 30% do que você ganha x 30 anos de financiamento.Ou seja a casa “TOP de Linha” em SP deveria custar R$600,00 x 30% x 360 meses = R$64.800!! Ai que eu digo que mora a total disconformidade da nossa lei de salário mínimos da constituição. Os impostos influenciam nisto? Claro que sim! Se pensar que cada material que se constroi uma casa pegou a sequencia do imposto cascata o custo desta casa poderia ter sido bem menor caso existisse formas de tributações mais justas e específicas.

    A constituição é nova – fará 24 anos agora em 2012 e o povo ainda não amadureceu as suas idéias ainda – diferentemente de outros países que suas constituições já estão a pelo menos um século, a nossa é muito nova, falta amadurecimento e mudanças nas áreas de interesse social e não político – hoje nossos impostos vão basicamente para pagar os reajustes do Senado – 2010 – 2011 já tiveram reajuste de 60% e agora novamente de 2011-2012 o salário deles sofreu outro reajuste de 60% e quem está pagando a conta? Nós. E com que dinheiro? Com o que arrecadamos daquilo que muitos sofrem para comprar e sobreviver.

  • http://profile.yahoo.com/A3KBP2SWL2TSTVDMYFIC56DJMY Fabiano

    O Raphael Gaudio colocou uma visão crítica e técnica sobre o que vai adiantar ou não com a diminuição dos impostos sobre o preço dos produtos importados , eu vou colocar a minha visão simples e objetiva sobre o assunto , o povo brasileiro gasta em média 4 meses do ano só para pagar os impostos do governo . O que foi feito com o dinheiro da CPMF ? foi pra saúde? . Se o governo não quer que o povo compre produtos piratas, então que de ao povo condições de comprar os mesmos sem desculpa. Com um salário mínimo justo, uma carga tributária justa e bem fiscalizada. Porque depois ao encontrarmos um garoto ou uma criança pobre comprando produtos piratas vamos dizer o que ? vamos trata-los como criminosos?. Ninguém quer fazer apologia a pirataria , mas a coisa tem que ser resolvida de forma democrática , inteligente e Justa , em um país onde a concentração de renda e a desigualdade social é tão grande , devemos ter uma maior empatia e senso de Justiça 

  • http://profile.yahoo.com/TXWYYDUEOOWBFQD3SUYSE2W4EU André

    Isso não fez o menor sentido O_O

  • Gabriel

    O Felipe Neto éu uma criança revoltada com o país, que fez sucesso porquê tem um rostinho bonitinho. Isso é tão verdade que ele aceitou emprego na rede Globo que é puro marketing, ao contrário de tentar se associar a alguma empresa que realmente se preocupa em pensar. Os ideais do garoto são lindos, mas ele peca na forma que quer agir para atingí-los. Ele não é o primeiro a tentar mudar os problemas no Brasil e nem vai ser o último. Mas não estou aqui para falar dele e sim do post. Eu sinceramente não li o post inteiro, coisas muito extensas, em minha opinião (assim como meu comentário), levam à perda de interesse. No entanto, li bem e o começo e fiz uma leitura dinâmica até o final e penso da seguinte forma. Acredito sim, que os impostos devem ser reduzidos em relação à entradas de produtos extrangeiros no Brasil. Deixando de lado a conversa fiada que usam para nos convencer a aceitar esse roubo (de que isso é uma forma de proteger a barreira alfandegária), temos que pensar no nosso bem-estar. Não estou falando de vídeo-games e jogos apenas mas sim de todos os produtos importados. O maior motivo para que a indústria nacional não se desenvolva é justamente o fato de medidas preventivas do governo, para que essas não venham à falência. Vivemos num mundo capitalista onde competição gera a melhoria na qualidade dos serviços e produtos. As taxas contra importados no Bradil fariam todo o sentido do mundo se nós tivéssemos uma indústria nacional decente. Não estou falando de construir montadoras nacionais, estou falando da criação de produtos nacionais. Estou falando de empresas como a Olympikus, que fazem produtos de qualidade a preços acessíveis. Estou falando de desenvolver nossas indústrias à ponto de não termos mais que comprar tudo que tenha qualidade vindo do exterior. Hoje, as medidas tomadas pelo governo são simplesmente uma forma de dizer “Não deixaremos produtos estrangeiros entrar no país com preço baixo pois assim ninguém compraria o produto nacional”. É claro que não compraríamos, não tem qualidade. E pra mudar isso, só criando competição, não subsídios.

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100000903213276 Rafael Lopes

    Sobre a citação de trazer a Foxconn para o Brasil não adiantou nada. continua no mesmo preço.

  • http://twitter.com/Storvs Storvs

    Pois é a FoxxCom veio aqui e não encontrou mão de ora especializada que queira trabalhar 23 hs por dia, ganhando 100 dolares….

  • http://twitter.com/Storvs Storvs

    Eu imagino que dentre os quase 200 milhões de brasileiros, um fdp, tenha a capacidade de inventar um console tão bom quanto um xbox…

  • http://twitter.com/Storvs Storvs

    Mas aí falta um investidor chegar e dizer: Toma aqui 100.000,00 prá começar o teu negocio… é isso que falta…

  • http://twitter.com/Storvs Storvs

    Ou seja fodeu… vamos continuar pagando 2000 !

  • http://twitter.com/Storvs Storvs

    em 1989, o Lula dizia ” Vamo tirá o dinheiro da especulação e colocar na produção”…

  • Hairan

    Você fugiu do foco, a campanha visa separar o joio do trigo, fazer o que é justo, e tributar um vídeo game como jogo de azar é completamente errado e injusto e tem que ser revisto urgentemente.
    É claro que isso não agregara em nada para o Pais, mas o objetivo da campanha não é esse, o objetivo é concertar algo que está errado.
    Não misture as coisas por favor.

  • Lenin Marques Colares

    “Sem individualismos, sempre pensando na sociedade como um todo”
    Sério que eu li isso?

    É por gente como você que o Brasil está essa merda. Aposto que é fã de Keynes.

  • Paulo Tejano

    E há políticos honestos? Há população honesta ou eles são apenas o reflexo natural do povo que os elege? O problema é que o brazil é apenas uma colônia de exploração desde o início e os donos da fazenda não tem o menor interesse em permitir alguma evolução real e independência.

  • gilmar

    vao tomar no olho do cu
    nos todos pagamos a desgraça em impostos e n rebemos nada por isso
    o brasil e governado por um bando de corrupito q domina a arte de desviar verba
    quando a educação e saude chegar otimo a todos ae eu quero ver se vai continuar assim
    isso n começou n foi de hj
    somos todos alienados a nao presta atenção na politica e votar a quem te dizem para votar

  • Léo

    Mas cara, temos a maior taxa de impostos do mundo, cade o retorno? E quanto ao PS3 foi apenas um exemplo, mas os carros também, e vc sabe disso e se não bastasse eles são defasados, sem nenhuma segurança. Não posso ler seu texto e concluir que o Brasil tá no caminho certo e bla bla bla, votem em políticos certo e bla bla bla. O Brasil nunca terá bons políticos pois não temos nem uma eleição justa, ganha o partido mais bem embolsado, com mais filiações com mais tempo na tv, jornais e etcs. Tá tudo errado. Uma coisa é um imposto alto, de … sei lá… 40%…outra coisa é um produto de 400 ser vendido por 2 mil. deixa a gente começar do nosso jeito, não vai ser completamente inútil, vai incomodar alguns.

  • Pingback: Top #Mamilo da Semana: Os assuntos mais polêmicos da Internet #2 - Negão Internauta

  • daniel

    não é só game eletronico
    eletro domestico tambem quando está em lençamento, as vezes tem que espera um certo tempo para abaixa no caso o ps 3 que custava 3 mil conto

  • wellington cardozo

    TINHA QUE SE ESSES FILHA DA PUTA E MEDO E O CARALHO DILMA VAI SE FUDE, PRA MIN POLITICO TODOS, TODOS,TODOS SÃO TUDO FILHA DA PUTA SEUS ARRONBADO DO CARALHO.
    AONDE TA O DINHEIRO EM EM SEUS FILHAS DA PUTA QUE SABE PEGA ESSE DINHEIRO E INFIA NO CÚ

  • http://www.facebook.com/pedravellar Pedro Avellar Costa

    Adoro ler o comentário em que diante do fato que imposto pago não significa retorno estatal, decide-se por defender o fim o imposto.

  • http://www.facebook.com/people/Alex-Cambraia/1549360745 Alex Cambraia

    O que a gente tem que parar pra pensar é: qual é o retorno que o nosso país terá ao baixar os impostos de importação? E não baixar só porque eu quero um PS3.

    Resposta: Desenvolvimento tecnológico e de compartilhamento de informação, além de bem-estar e desenvolvimento econômico!

Papo de homem recomenda

Assine o Papo de homem

Curta o PdH no Facebook
  • 5154 artigos
  • 647795 comentários
  • leitores online