Drift: um novo jeito de fazer curvas

Rodrigo Almeida

por
em às | Dr. Pirelli, Mecenas, Velocidade


A placa de 250 metros indica que a curva abre ali na frente, já posso ver. O prudente seria reduzir para a terceira marcha, beliscar o freio, colocar os pneus de fora em cima da zebra externa e fazer uma tangência bem aberta. Qualquer um faz isso, eu quero mais.

Placa de 200 metros, gás total, freio intocado, o medo aumenta mas o pé não hesita. Placa de 100 metros e a de 50 crescendo muito rápido. Acelerar até o limite do motor é fácil, a arte está em frear. Os melhores pilotos freiam no último momento possível e retomam a aceleração antes que todos os outros.

Frear na última placa exige vigor ao pressionar o pedal. Não queremos sair reto pela tangente ou entrar em uma velocidade que não mais nos permitirá realizar a tomada dessa curva. Pressiono o freio com vigor, sim, mas com muito cuidado para garantir que as pinças não se empolguem abraçando demais os discos. Não é hora para arrastar pneus e me colocar como passageiro aguardando para beijar aqueles pneus velhos ali na frente.


Link YouTube | Se o texto não ficar claro, dê play pra entender (selecione “360p” se estiver lento).

A dianteira mergulha no asfalto, pé esquerdo ao fundo da embreagem, redução de quarta para terceira e punta-taco perfeito com o calcanhar do pé. Foi uma beliscada leve no acelerador para manter o giro em 4000 rpm. Solto a embreagem rapidamente, garanto a redução precisa e sem trancos, esterço forte as rodas para dentro da curva muito antes do ponto ideal de tomada. A transferência de peso é bruta, a dianteira aponta para a entrada da curva e a traseira é arremessada para o outro lado. Pé embaixo, gás total!

Contra-esterço tudo apontando as rodas dianteiras para fora da curva e vou suavemente contornando a zebra, assim mesmo, andando de lado como em um balé automotivo. Os pneus gritam de emoção e a fumaça invade o habitáculo enquanto vou calmamente terminando minha manobra e colocando novamente a quarta marcha diante do retão que surge.

Você sabe o que é dorifuto?

Do japonês dorifuto, surgiu a palavra drift, técnica de direção que consiste em contornar curvas deslizando a traseira e controlando a trajetória apontando as rodas dianteiras para a direção aposta à curva. A derrapagem garante que o carro realize uma curva, literalmente de lado.

É lindo de ver, difícil de fazer e caro para aprender.


Link YouTube | Japonês fazendo punta-taco

Automóveis com tração traseira, em que a força motriz se concentra no eixo de trás, ou com menor peso na dianteira, sempre tenderam a escapar de traseira em curvas cuja velocidade de entrada foi exagerada. Todavia, corredores de rua no Japão descobriram que, com algumas modificações para equilibrar o peso de seus veículos e garantir um esterço ágil do volante, era possível rapidamente contra-esterçar e corrigir essas escapadas, tecnicamente conhecidas como sobre-esterço.

Treinando nas íngremes e perigosas descidas das montanhas japonesas, esses corredores de rua foram ao longo dos anos desenvolvendo uma nova modalidade do automobilismo, o Drift.

Drift como esporte

Andar de lado se tornou um esporte. Do Japão para o mundo surgiram campeonatos em que o piloto é avaliado conforme a velocidade das manobras e sua capacidade de deslizar agressivamente. Em outra modalidade ainda mais divertida, dois pilotos realizam um jogo de gato e rato em que o perseguidor precisa reproduzir com exatidão as manobras de seu adversário guiando seus automóveis tão próximos um do outro quanto possível. Novamente, bonito de assistir, difícil de fazer:

O principal campeonato japonês – e de maior prestígio no mundo – é o D1GP. Versões do D1GP foram exportadas para os quatro cantos do mundo, porém somente agora essa modalidade começa a deslanchar no Brasil.

Há pouco tempo os pilotos japoneses eram imbatíveis no dorifuto. Seu supremo campeão, aquele que nunca era derrotado, era chamado de Dorikin ou em inglês, Drift King. Entretanto, já existem pilotos ocidentais capazes de desafiar e vencer os japoneses. Um deles é o piloto sueco Samuel Hubinette, conhecido como Crazy Sweed e vencedor de duas edições do D1GP em terras nipônicas!


Link YouTube | Dois carros colados fazendo drift. Parece até fácil, né?

Tipos de Drift

Existem várias maneiras de provocar as empolgantes saídas de traseiras. Abaixo, detalharemos algumas delas.

1. Forçando na curva. O Drift mais comum consiste em tomar forte uma curva e entrar acelerando em uma velocidade excedente ao limite de tração de seus pneus traseiros. É importante relembrar que seu automóvel precisa obrigatoriamente possuir tendência ao sobre-esterço, caso contrário sairá de frente e seguirá pela tangência da curva em direção ao fim da pista.

2. No motor. Alguns automóveis podem ser provocados a desprender as rodas traseiras do chão, mesmo em linha reta. Entretanto, você precisa de torque e potência para impulsionar a carroceria. Com pé em baixo, basta realizar movimentos bruscos para direita e esquerda no intuito de desequilibrar a transferência lateral de peso do seu carro. Os árabes são famosos por praticar essa técnica em meio ao trânsito!

3. No freio de mão. Técnica mais usada pelos não iniciados, acionar o freio de mão que atua nas rodas traseiras é garantia de travamento e, consequentemente, de derrapagem. A traseira leve vai embora e, novamente, tudo o que precisamos fazer é contra-esterçar e regular o ângulo de derrapagem pelo pedal do acelerador. É verdade que automóveis com tração dianteira podem se comportar de forma semelhante fazendo uso dessa técnica, porém a prática recebe um nome distinto: Power Slide.

4. Desequilibrando o peso. Uma forma simples e eficaz de colocar as rodas traseiras para escorregar é desequilibrando a distribuição de peso de seu automóvel. Quando o carro entra tracionando em uma curva, basta encostar o freio ou até mesmo na embreagem para que ocorra uma transferência brusca de peso para a dianteira, aliviando assim a traseira. Após constatar que de fato houve uma queda da aderência nos pneus de trás, basta contra-esterçar a regular o ângulo de derrapagem pelo pedal do acelerador.

5. Feint. Técnica perigosa e somente recomendada pra praticantes experientes de drift. Consiste em apontar o carro para o início da curva realizando a tomada mais fechada possível ao invés de tangenciá-la. O movimento é brusco, então logo em seguida é necessário um contra-esterço igualmente agressivo para que seu automóvel se coloque em posição de drift. Se a descrição da manobra ficou clara, você já entendeu que caso não haja destracionamento das rodas traseiras, o excesso de aderência lhe impedirá de sequer iniciar a tomada da curva. Você irá sair da pista pela parte interna da curva antes de sequer chegar nela.

A combinação dessas diversas técnicas resultam em outras mais refinadas que são também diretamente influenciada pela forma que seu conjunto mecânico responde às provocações do piloto.


Link YouTube | Passo a passo para fazer drift (não entende inglês?).

Como preparar seu carro para o Drift

Praticar drift exige um investimento alto. Além de ser necessário um carro com tração traseira, o automóvel precisa ser leve para que a traseira desgarre do chão com maior facilidade. Uma série de modificações são necessárias para que se possa esterçar o volante com maior rapidez e para evitar que o diferencial do carro “corrija” a rotação das rodas, atrapalhando a manobra.

Além de tudo, quando a traseira de seu carro estiver indo embora, para trazê-la de volta você precisará de pé embaixo e muito torque. Sendo assim, considere também um motor com um trabalho de aspiração pesada ou minimamente um turbo-compressor.

A suspensão de um carro preparado para drift não se assemelha em absolutamente nada com a do carro que você guia na rua. Um automóvel de drift profissional possui baixíssima rolagem devido a alta carga de pressão nos amortecedores e rigidez das molas.

Os pneus, que obviamente duram muito pouco, também são especiais. É comum substituir pneus dianteiros por slicks sem sulcos, de alta aderência, enquanto os pneus traseiros são mais duros e suscetíveis a derrapagem.

Acertar o tipo de pneus a ser utilizado em um carro profissional de drift exige um especialista na modalidade. Volta a volta, o carro para e a temperatura dos pneus é medida. Conforme cada pneu vai sendo menos ou mais exigido, sua pressão é diminuída ou aumentada visando equilibrar aderência e desgaste. Quanto menos quente, menos o pneu sofreu, menos pressão recebe no intuito de aumentar a área de contato com o asfalto e, consequentemente, a aderência.

Se você se interessou pela modalidade, poderá acompanhar campeonatos de drifts em canais especializados ou na internet, já que ainda não possuímos muitos praticantes em terras tupiniquins. Entretanto, o esporte desembarcou no Brasil para ficar. Ainda não há campeonatos sendo organizados aqui, mas diversas empresas importam para exibição esportivos japoneses preparados para andarem de lado.

Recentemente, fiquei sabendo que finalmente descobriram o potencial de uma estrada catarinense que creio ser uma das mais prazerosas e divertidas do planeta. A Serra do Rio do Rastro e suas convidativas e sinuosas curvas darão espaço a um evento privado de Drift. Os que conhecem a famosa subida da montanha americana em Pikes Peak sabem que drift também é sinônimo de tempo de pista baixo.

Serra do Rio do Rastro, em Santa Catarina. Ah, se os japoneses descobrirem!

Eu torço para que os futuros drifters brasileiros mostrem ao mundo que nossa serra ali em Santa Catarina é capaz de desbancar em prestígio as melhores competições de drift em montanhas que temos conhecimento.

Mecenas PdH: Você leu um texto apoiado por uma empresa. Conheça nossa política de transparência e conteúdo livre de amarras.
Rodrigo Almeida

Engenheiro, apaixonado pela vida e por qualquer coisa com um motor potente, nostálgico entusiasta de muitas daquelas boas coisas que já não mais se fazem como antigamente.


Outros artigos escritos por


SEPARAMOS MAIS TEXTOS PARA VOCÊ CONTINUAR LENDO




O texto acima não representa a opinião do PapodeHomem. Conheça a visão e a essência por trás do que fazemos. Queremos uma discussão de alto nível. Antes de comentar, leia nossas boas práticas. Caso deseje enviar um texto e se tornar um autor, venha por aqui.


  • Guilherme

    Novo jeito de fazer coisa??? por favor, antes que apareça uma enxurrada de gente aqui falando a mesma coisa mude isso.

    • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

      Guilherme, não sei se entendi. Você acha problemática a expressão do título, é isso?

      Se for, penso que para a maioria das pessoas o drift é um novo jeito de fazer uma curva, estou errado?

      De qualquer modo, estamos abertos a sugestões. Se tiver uma ideia melhor, podemos trocar. Essa é a vantagem de ter uma revista online e colaborativa.

      Abração.

      • Guilherme

        Eu achei Gustavo, drift virou uma coisa conhecida de muitas pessoas quando apareceu em um dos filmes do velozes e furiosos. E muito antes no Japão, já existia carros feitos com o objetivo de fazer drift.

        Abraços, keep up the good work.

    • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

      Guilherme, não sei se entendi. Você acha problemática a expressão do título, é isso?

      Se for, penso que para a maioria das pessoas o drift é um novo jeito de fazer uma curva, estou errado?

      De qualquer modo, estamos abertos a sugestões. Se tiver uma ideia melhor, podemos trocar. Essa é a vantagem de ter uma revista online e colaborativa.

      Abração.

    • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

      Guilherme, não sei se entendi. Você acha problemática a expressão do título, é isso?

      Se for, penso que para a maioria das pessoas o drift é um novo jeito de fazer uma curva, estou errado?

      De qualquer modo, estamos abertos a sugestões. Se tiver uma ideia melhor, podemos trocar. Essa é a vantagem de ter uma revista online e colaborativa.

      Abração.

  • Guilherme

    Novo jeito de fazer coisa??? por favor, antes que apareça uma enxurrada de gente aqui falando a mesma coisa mude isso.

  • Guilherme

    Novo jeito de fazer coisa??? por favor, antes que apareça uma enxurrada de gente aqui falando a mesma coisa mude isso.

  • Illichosky

    Quando eu descobri essa estrada por uma promoção divulgada aqui no PdH, imediatamente pensei no potêncial de diversão das suas curvas. Nessas horas eu queria muito ter alguns patrocinadores, se o PdH estiver disposto.. hahahaha

  • Illichosky

    Quando eu descobri essa estrada por uma promoção divulgada aqui no PdH, imediatamente pensei no potêncial de diversão das suas curvas. Nessas horas eu queria muito ter alguns patrocinadores, se o PdH estiver disposto.. hahahaha

  • Illichosky

    Quando eu descobri essa estrada por uma promoção divulgada aqui no PdH, imediatamente pensei no potêncial de diversão das suas curvas. Nessas horas eu queria muito ter alguns patrocinadores, se o PdH estiver disposto.. hahahaha

  • Max

    Acho drifting muito manero. Não é pra qualquer um, claro.

    Aliás, um drifting involuntário foi responsável por um capotamento seguido de PT, que sofri em 2008, voltando de São Paulo. Foi divertido, mesmo assim. :P

    Gostaria de muito de aprender a fazer do modo certo.

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=1401382313 William Alexandre

    Ja tem video no youtube do Red Bull Drifting Extreme na serra do rio do rastro aconteceu nos dias 11, 12,13 e 14 de novembro.

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=1401382313 William Alexandre

    Ja tem video no youtube do Red Bull Drifting Extreme na serra do rio do rastro aconteceu nos dias 11, 12,13 e 14 de novembro.

  • http://twitter.com/chikletinho Paulo Santana

    Pow.. Texto Muito Legal Sobre Drift.. Tenho uns primos q praticam esse esporte, mas Drift pra mim só no Need For Speed.. rsrsrs

    Vlw ae Rodrigo..

  • http://www.facebook.com/people/Lucas-Scholl-Matter/1041526741 Lucas Scholl Matter

    Tem um neozelandês que fez na serra do rio do castro. http://www.youtube.com/watch?v=N8l_xEpDRyQ

  • Joaopauloishida

    Na verdade a palavra Drifting veio antes. Dorifuto é drift ajaponêisado, Dri – Dori , F – Fu, T – TO

  • Caio
  • Felipe Salum

    Eu fui assistir a prova do D1GP que teve em Miami ano passado, eh simplesmente animal estar la pessoalmente. Eu estava com credencial pra fotografar o evento e tive acesso a uma area que os carros vinham de frente na minha direcao (eu ficava atras de um muro), sem palavras pra descrever.

    Detalhe, soh os tecos de pneus voando em direcao a lente da camera hehehe.

  • http://twitter.com/chikletinho Paulo Santana

    Essas Férias de verão talvez eu faça essas loucuras, nas pistas da Bahia! rsrsrsrs

  • http://www.facebook.com/people/Lucas-Neto/100001393534145 Lucas Neto

    Drift come pneu como eu comeria um pedaço de picanha morrendo de fome.

    Tem que ter muita grana pra bancar.

  • http://twitter.com/Ghinomo Juliano Nascimento

    Video oficial do Red Bull Xtreme Drifting Serra do Rio do Rastro: http://www.youtube.com/watch?v=BZfMp5sDQkQ&feature=related

  • Marco Antônio

    Eu tenho mais de 200 horas no Drift!!!
    (uma pena que seja no Need for speed)

  • http://analisedomercado.wordpress.com/ David Anderson Lino

    Mas e se o cara quer aprender isso, comofaz?

  • Gustavo Camilo

    A Serra do Rio do Rastro já foi descoberta a pouco tempo, por um piloto Norueguês, e pelo time da Red Bull. Simplesmente fenomenal, infelizmente pela pouca divulgação, mesmo morando perto, não fui assistir.

    Mas o video no youtube, já da pra ter uma noção do que o cara fez: http://www.youtube.com/watch?v=bRxTTeah3uc

    Além de descer fazendo drift, ele subiu no estilo grip, para fazer um recorde na serra. Atingiu nada menos que 220km/h, e fazendo o percurso de 9,7 kilometros e com 156 curvas, em apenas 7 minutos e 17 segundos.

    Agora falta os brasileiros quebrarem este recorde, hehe.
    Deveriam aparecer mais drifters ali, o que eu acho que a partir de agora, vai acontecer.

    Drift é algo fenomenal, quando possuir um carro com tração traseira, com certeza, quero aprender, apenas para se divertir de vez em quando… hehe

    Parabéns pelo post, Rodrigo, soube expressar com palavras, o que normalmente só se pode sentir.

  • Marcelo

    Initial D (em japonês: 頭文字D Inisharu Dī, Kashiramoji Dī?) é um mangá feito por Shuichi Shigeno e publicado na Young Magazine da editora Kodansha desde 1995. Recebeu uma adaptação para uma série em anime pela Avex em 1998 e o filme live action pela Avex e Media Asia em 2005.
    O foco da série é o mundo das corridas de rua no Japão, mais especificamente as corridas feitas nas estradas das montanhas (chamadas Touge). Nas corridas, geralmente o drift é muito enfatizado. Keiichi Tsuchiya ajudou como consultor técnico e supervisão editorial. A história é concentrada na província de Gunma, embora comece a mostrar outras províncias. Embora alguns locais tenham tido seus nomes alterados, todos eles são baseados em locais reais do Japão. , http://www.imdb.com/title/tt0385426/ , chamada “Inisharu D” , ou seja “INITIAL D” , este seriado , baixar aqui ( http://planeta-animes.blogspot.com/2010/02/download-initial-d.html ) , o carro usado é um toyota trueno 1986 turbo, que até hoje é considerado um dos melhores carros para a prática do drifting , inclusive este seriado se transformou num filme em 2005 , com a participação da toyota na produção , foram restaurados 3 truenos para o filme , http://www.imdb.com/title/tt0439630/ , o titulo é “Tau man ji D (2005) ” aka “Initial D” – Hong Kong (English title) aka “Racha Velocidade Sem Limite” – Brazil (DVD title) , ( http://rapidezfilmes.blogspot.com/2009/09/initial-d-legendado-dvdrip-avi.html ) . E virou game para pc ( http://www.gamezlinks.net/2008/12/initial-d-street-stage-jap-full-iso-110.html ) .

  • http://www.facebook.com/people/Angelo-Rossini/100000494655155 Angelo Rossini

    Alguem conhece a Serra da Oswlado Cruz em Ubatuba ? Foi toda recapada a pouco tempo e eu não conheço lugar com curvas mais fechadas que aqueles 7km de serra. E olha que todo fds ando de moto em estradas repletas de curvas e tô sempre procurando lugares novos. Sobre o recorde de 7min e 17 segundos da serra do rio castro saiba que tem motos speed que sobem essa serra em finais de semana normais em tempo semelhante ou até menores. Foi no maximo um recorde de drift pq um bom esportivo subindo no modo tradicional , sem fzr drift, consegue fzr melhor. Acho bonito essa modalidade mas não vejo muito o pq já que não é tão eficiente quanto o modo tradicional e gasta bem mais pneu. Sem falar que no Brasil praticamente não existe carros com tração traseira, só caros importados ou antigos.
    Gostaria de ver materias sobre o mundo das duas rodas aqui tbm ! Acho que uma boa motocicleta e uma boa estrada tem td a ver com o universo masculino e a um bom estilo de vida.
    Abraxx

  • http://www.papodehomem.com.br/ Guilherme Nascimento Valadares

    UHAUHAHUAUHAHU

    aí até eu, campeão.

  • http://www.twitter.com/RaptorHawk Hawk

    Acho este vídeo um dos melhores que já vi: http://www.youtube.com/watch?v=FfrRFIzN2pw

  • http://twitter.com/wsegatto Wilian Segatto

    Bah Rodrigo… Agora tu me decepcionou… :)

    Dorifuto (ドリフト) vem do Inglês Drift…
    Da mesma forma que Dorikin (ドリキン) vem do Inglês Drift King…

    Isso que dá querer escrever sozinho e não perguntar pros amigos que fazem japonês… ehehehheeh

    De qualquer forma, segue um vídeo que o pessoal já comentou, do drift na bela Serra do Rio do Rastro. :)
    Vale muito a pena assistir!

    http://www.youtube.com/watch?v=BZfMp5sDQkQ

    Abraço!

  • Alex medeiros

    Po, acredito que o quarto video seja sobre power slide, já que logo no inicio diz Front wheel Drive.

    estou errado ?

  • http://vtrl.tumblr.com Vitor Lima

    apesar de não ser exatamente um drift, esse post me lembrou um episódio do top gear com o mika hakkinen. vale a pena: http://www.youtube.com/watch?v=2bmqdnx5R1U

  • http://twitter.com/gabrielvinicius Gabriel Alves

    Fiquei boquiaberto com o Drift Sincronizado

  • william

    ken block e muito fodaa

  • http://www.facebook.com/deabreu.art Lucas de Abreu

    1- drift não é nada de novo. saiu até em filme dos velozes e furiosos
    2- a palavra em inglês existia ANTES da em janponês. se vocês tivessem feito o mínimo de pesquisa, saberia que DORIFUTO é como se escreve DRIFT em katakana: a fonética japonesa é notável por ser pobre em encontros consonantais.

    lamentável

  • Cido

    Deixa o cara em paz.
    Até pq se vc mesmo tivesse lido os comentários, outras pessoas já alertaram o colunista.
    Eu estudo japonês, o suficiente pra saber que ninguém é obrigado a saber o que é katakana e romanji.

  • Marquito

    Dá pra fazer isso com uma saveiro ?hahaha
    Pq ela sai mto de traseira…
    Outra dica de drift é a serra de Sào Marcos RS, que além de linda paisagem deve ter uns 20 km.

  • Pingback: Para reduzir acidentes e trânsito, ninguém mais vai dirigir | PapodeHomem

Papo de homem recomenda

Assine o Papo de homem

Curta o PdH no Facebook
  • 5523 artigos
  • 660995 comentários
  • leitores online