Como preparar e tomar chimarrão

Luiz Minduim

por
em às | Bebida, Listas


Vamos apertar um mate, tchê?

Vim para o Sul nos fim dos anos 70, mas o gosto pelo chimarrão se deu aos poucos. Aprendi a apreciar o mate com o sogrão velho de guerra, que era chegado. Lembro que não gostava de rodas grandes de mate, onde um não ronca, o outro mexe na bomba e a outra se esquece da vida com a cuia na mão. Dizia “Mate eu tomo de manhãzinha, solito, com meu pala e boina, e ainda meio emburrado!”.

Particularmente não sou daqueles que toma chimarrão o dia todo. Aprecio com moderação, também não sou de rodas de assuntos cruzados. E nada de chimarrão de uruguaio: curto como coice de porco.

O chimarrão se transformou em um costume comunitário. Apesar de que alguns aficionados o tomarem durante todo o dia, o comum é um mate na manhã e outro no fim do dia, inicio da noite. Embora seja cotidiano o consumo doméstico, é figura destacada quando a família se reúne, e é quase obrigatório quando chegam visitas ou a parceria. Mas é comum se ver gente tomando mate caminhando, passeando, na praia e outros locais diversos.

Numa roda de chimarrão a figura principal é a do mateador. Além de preparar, é o primeiro a beber, em sinal de educação, já que o primeiro chimarrão é o mais amargo. Também é de praxe o que fica com a chaleira ou a térmica, para encher e passar para as mãos de outra pessoa, iniciando a roda. Ele também alerta aos iniciantes que devem tomar o chimarrão totalmente, fazendo a “cuia roncar”, pois assim toda a água é sorvida e o próximo vivente pode tomar um mate zerado.

O chimarrão é feito com erva-mate, servido quente com água quase fervida: chiada. Tem gosto que mistura doce e amargo, dependendo da qualidade da erva-mate.

Cuia grande, bomba que não entope

Um aparato fundamental para o chimarrão é a cuia, vasilha feita de porongo, que pode ser simples ou lavrada e ornada em ouro, prata e outros metais, com a largura de uma boa caneca e a altura de um copo fundo e, mais importante, com o formato de um seio moreno de mulher. Chimarrão em cuia de alumínio com escudo do clube, canecas e outros que tais, nem pensar!

Importante a bomba, um canudo de cerca de meio centímetro de diâmetro, normalmente feito em prata lavrada, que dizem ter propriedades esterilizantes, acabamento de ouro, um palmo de comprimento e na extremidade inferior há uma pequena peneira do tamanho de uma moeda. Assim como a cuia, deve ser lavada só com água quente e deixada a secar no sol.

Gosto de cuia grande, bomba que não entope e erva forte, sem jujo e gostos estranhos de chás e ervas outras. Roda pequena e sem muita altercação, pois um bom chimarrão costuma botar os neurônios em seu devido lugar e fazer o relógio do peito bater no ritmo de uma milonga.

Tradição dos nossos pais índios

Interessante saber que o chimarrão ou mate é uma bebida característica da cultura do sul da América do Sul, um hábito legado pelas culturas quíchua, aymará e guarany.

Os índios da tribo guarany, lá pras bandas do Paraguay, tomavam o chá de ervas em copos feito de taquara, assim como a bomba, mais fina e com furos embaixo. Os desbravadores, nômades por natureza, e os soldados espanhóis que andaram por aqui e acolá, nos idos 1500, saudosos do lar e das patroas, tomavam homéricas borracheiras. E observaram que, tomando o estranho chá de ervas utilizado pelos índios, o dia seguinte ficava bem melhor e a ressaca sumia por completo. Deu-se a chamada aculturação.

Tem ainda o causo do primeiro mate. Conta a lenda que os jesuítas, achando que o mate era afrodisíaco, para evitar que os índios passassem a maior parte do dia mateando, criaram o mito entre os silvícolas cristianizados que o diabólico Anhangá Pitã estava dentro do mate. Mas os padres não se deram bem nessa tentativa. O hábito salutar sobrepujou o temor que lhes fora impingido. Por isso, toda vez que o índio ia tomar mate com outros, tomava o primeiro como demonstração que Anhangá Pitã não se encontrava no mate.

Lembrando que o chimarrão tem propriedades desintoxicantes e eficazes numa alimentação rica em carnes, fico com este singelo versinho:

“Ceve o mate da felicidade com uma chinoca recatada e dona de si, e mate é como sabugueiro do campo: bom pra tudo.”

Como preparar o chimarrão

1. Coloque erva mate verde em 2/3 da cuia.

2. Tape com a mão ou boca da cuia, inclinando-a para ajeitar a erva, que deve ficar assentada de um lado só, deixando um espaço vazio.

3. Bata suavemente, com a ponta dos dedos, na superfície externa da cuia, no lado em que a erva mate está assentada, para que o pó mais fino se desloque para o fundo do porongo.

4. Coloque novamente a cuia na posição vertical, com suavidade, para que a erva mate não caia para o lado.

5. Despeje um pouco de água morna ou para umedecer e inchar a erva, e aguarde até água ser absorvida.

6. Coloque a água quente, tendo o cuidado de não deixá-la ferver. O melhor é respeitar o aviso da chaleira, que começa a chiar aos 80º.

7. Introduza a bomba no fundo da cuia, enterrada na erva, mantendo o bocal fechado com o dedo polegar, até assentá-la bem.

8. Quando a infusão acabar, deve-se acrescentar mais água. A operação pode ser repetida até que o chimarrão deixe de espumar, sinal de que a erva já enfraqueceu.

* Ilustrações do próprio Minduim.

Luiz Minduim

Luiz Minduim é artista gráfico, professor, cozinheiro, assador bagual e balaqueiro dos bons! Mora em Pelotas, região do grande Pampa há mais de 30 anos, gaúcho por opção e coração.


Outros artigos escritos por


SEPARAMOS MAIS TEXTOS PARA VOCÊ CONTINUAR LENDO




O texto acima não representa a opinião do PapodeHomem. Conheça a visão e a essência por trás do que fazemos. Queremos uma discussão de alto nível. Antes de comentar, leia nossas boas práticas. Caso deseje enviar um texto e se tornar um autor, venha por aqui.


  • Pingback: Tweets that mention Como preparar e tomar chimarrão | Papo de Homem – Lifestyle Magazine -- Topsy.com

  • http://twitter.com/TabaCruzFilho Tabaquara Cruz Filho

    Belo post!
    Realmente, mate bem servido tem de ser em uma cúia mais funda, nada de “martelinho” de chimarrão. E chimarrão é diurético, aquece o sangue no alto do inverno e é a melhor maneira de começar amizades inusitadas, feito que ninguém se mixa de sentar em uma roda de chimarrão despretensiosa.
    Ah, e mate é bom amargo. Com chás ou erva doce não. E por último, por favor, não ficar mexendo na bomba!

  • Tibolla

    Geralmente faço o mate com 'montinho', pra ir derrubando erva nova quando o mate vai enfraquecendo =D

  • Sirioboaz

    Ótimo o comentário, fico feliz em saber que aprendeu a apreciar o bom e velho chimarrão. Não é apenas tomar chimarrão, e sim, é o momento de reflexão, momento de pensar, e se tiver a companhia da mulher amada melhor fica a hora do chimarrão… Parabéns pelo comentário. disse tudo em poucas palavras

  • Sheila Mantovani

    baita post, hein!
    eu, como boa gaúcha que sou, adoro um chimarrão. Geralmente não sou eu quem faço, mas quando precisa eu me garanto..
    É a segunda tradição mais difundida no RS, ganha até do CTG, mas nada supera o churrasco.
    Aliás, poderia ensinar a fazer um churrasco daqueles bagual hahaah
    abraço

    • Anônimo

      Ola Sheila
      Já publiquei vários posts sobre churrasco aqui no papo de homem!

  • http://twitter.com/dscorzoni Danilo Scorzoni Ré

    Sou paulista e fiquei um mês e meio no Rio Grande do Sul fazendo estágio em uma empresa. Lá, todos os dias, o pessoal tomava o mate pela manhã… acabei adquirindo o hábito. Realmente, tomar chimarrão é uma cultura que se adquire! Parabéns pelo post.

  • Guilherme

    Ótimo post! Nada como um bom mate nesses dias de frio.

  • Rafa Aun

    Eu gosto de chimarrão sem muito badulaque.

    Por aqui tem gente que sai enfeitando a cúia como se fosse levá-la para um casamento ou arruma um jeito de botar em uma mochilinha toda enfeitada quando vai matear na praça.

    Acho legal fazer a roda, mas sem excessos e adereços como chás e ervas adocicadas.

    No inverno ajuda muito a espantar o frio e tambem como dizem os hermanos “hacer el desajuno”.

    Como disse em outro post do churrasco, o gaúcgo é cheio de frescura e outro dia tomei ele improvisado em uma caneca de alumínio, ficou bom igual…

  • http://twitter.com/matbur81 Matthew Burgess

    Oi!

    Nao fala portugues desculpe, eu sou gales.

    About two years ago, I was sent a cuia, bomba and some erva mate from RS and taught myself to make it by speaking online to Gaucho's and watching youtube!

    Now, I drink it everyday and have mate sent to me from Porto Alegre every few months! It is something very unique and it is unheard of here in the UK.

    I'd love to hear from any other English speaking chimarrao lovers!!

    Abracos!!!

    Matt

  • http://twitter.com/chicovmagic Francisco Valandro

    Che desculpa me entrometer aqui, mas como tradicionalista que soy, me tenteei a dar umas dicas aqui.
    Pra aproveitar todo o gosto da erva, o mate pode ser cevado da seguinte forma:
    Coloca água chiada na cuia, até um dedo antes da curva;
    Tapa de erva até em cima da cuia, e passa um pouco, pra ficar bem topetudo;
    Com a bomba tampada no bocal, empurra a erva um pouquito e despacito vai carcando a bomba pra baixo da erva, vai ficar um buraco tampado de erva, ali tu vai colocando água e mechendo a bomba pra descer;
    Entoces é só ir abastecendo e derrubando erva do topete pro buraco.

    Vais ver que o gosto da erva fica bem mais delgado e dura um eito a mais.
    A e se o friozito pegar mesmo, como nos inverno daqui por exemplo, pode experimentá o mate cevado a canha. è só colocar canha (cachaça) pra cevar o mate e depois ir abastecendo com água.

  • http://twitter.com/chicovmagic Francisco Valandro

    Ah e esqueci do essencial: nunca servir o mate pra alguem com a mão esquerda, por falta de respeito. Diz-se que está mandando o outro embora.
    E saludos pelo post!

  • http://twitter.com/honesko Fernando Honesko

    Muito bom texto!
    Há algum tempo também coloquei minha ode ao mate online.
    http://www.alhoeoleo.com/2009/01/chimarro_23.html
    Abs,
    F.Honesko
    http://www.alhoeoleo.com

  • Wschuch

    Na verdade tem algumas coisas erradas, como a quantidade de erva. Se pôr 2/3 o mate ficara muito curto e fica intediante e um saco ficar enchendo a cuia de 2 em 2 minutos.

  • bizareli

    Animal o texto. Uma aula de cultura sulriograndense. E mais uma experiência pra colocar na to-do list.

  • Eleovan

    Luiz, ao falar de seu sogrão velho de guerra e o que ele dizia, você me lembrou “del mio nonno” que hoje mora no céu. Ele adorava café com pinga, e se a “danada” faltava, ele dizia mais ou menos assim.
    “il caffé senza grappa, sarebbe come bacciare una donna per telefono”.

  • Zarpelon

    Na verdade a danada que ele tomava é a graspa, isso sim é deixa o vivente aquecido durante boas horas ao longo do dia.

  • http://papodehomem.com.br/ Gus Fune

    Fodástico!
    Aprendi a tomar chimarrão dia desses aqui no QG, na companhia do grande Junior (Dr. Drinks) e do Felipe. Desde então, dias frios o chimas ganhou um lugar especial do lado da xícara de café.

    Como diriam meus amigos gaúchos: “bahhhh! Tri bom!”

  • Valdomiro Ribeiro

    Como disse o Gus Fune, Tri Bom, mesmo!!!!
    Sou aqui do RS e o chimarrão está presente em todos os lugares por aqui!
    Fim de semana quando estamos meio de bobeira ligamos para os amigos e convidamos para um chimarrão.
    Deixa alerta e é bom para a digestão!

    Fantástico post.

    Abraço

  • Valeriabarrosnunes

    Taí, já tenho a teoria, agora vou ter q consultar dicas de como escolher uma boa erva (é pelo cheiro?) e como contrabandeá-la para o cerrado …

    • Hcassarotti

      Tche! Tu deves escolher a erva mais verdinha, um verde mais vivo. Ervas embaladas a vácuo como a Barão de Cotegipe e a Tertúlia, são garantias de ervas da melhor qualidade com cor, aroma e sabor. Perfeito para o teu caso, que tens de comprar uma boa quantidade em uma loja na internet e pagar um frete. Faça o seguinte: entra no sita da Erva-mate Barão de Cotegipe ou no site da Erva-mate tertúlia, onde é possível comprar diretamente da fábrica. Lembre-se, peça erva embalada a vácuo, pois se conserva melhor e chegará novinha aí. Que tal tche?

      • Valeriabarrosnunes

        beleza!! mas esse chimarrão dá muito trablaho, né? estou me propondo a dotar o hobby.
        valeu!

  • http://twitter.com/cesar_leao Cesar Leão #VPOLIT

    Tchê, muito bom esse post!

    O mate faz parte do dia-a-dia do gaúcho, aqui no trabalho chega a ter 3 cuias passando de mão em mão!!!

    Do meu ponto de vista tá tudo certo, 2/3 da cuia pra poder derrubar o topete e manter o mae amargo.

    Eu prefiro mate bem amargo, tanto que uso erva pura folha, e pra evitar que entupa uso erva do tipo moída grossa, porque camisinha não é pra colocar na bomba!! (essa “camisinha” é um filtro, um tipo de saquinho de pano, que o pessoal coloca na ponta da bomba pra erva não entrar).

    Um amigo meu coloca um prego no meio da erva, e quando algum vivente vai mexer na bomba ele avisa: Mexe no prego mas larga a bomba!

    Abraços a todos!

  • Cecilia

    Legal Minduim,
    Fora as referências ao Papai, gosto dos teus textos principalmente quando vem com as tuas ilustrações que é marca registrada. Ainda tenho lá em casa na parede o da preparação do chimarrão. Mas ainda estou esperando a tua mão tão competente, desenhar o nome das minhas filhotas!!
    bjs
    Ciça

  • Pingback: Tweets that mention Como preparar e tomar chimarrão | Papo de Homem – Lifestyle Magazine -- Topsy.com

  • http://twitter.com/wsegatto Wilian Segatto

    Translating for you!
    Vou traduzir o post do amigo!

    “Há dois anos, enviaram-me uma cuia, uma bomba e erva-mate do RS e eu aprendi sozinho a preparar (o chimarrão) falando online com gaúchos e vendo vídeos no Youtube.

    Agora, eu tomo (chimarrão) todos os dias e compro erva-mate de Porto Alegre algumas vezes por ano! É algo muito único e desconhecido aqui no Reino Unido.

    Eu adoraria ouvir a opinião de algum amante de chimarrão que fale Inglês!!”

  • http://twitter.com/wsegatto Wilian Segatto

    Dear Matt.

    It's very nice to hear from you here.
    I am a Gaucho. I live near Porto Alegre.

    It's wonderful too see how far our culture can go. Feel free to share more of your experiences concerning our beloved chimarrão.

    Keep practicing! And change the erva brand from time to time. You might get to know some great other ervas that you didn't know!
    Feel free to contact me! segatto.w@gmail.com

    Have a nice day! And a nice chimarrão!
    Word of advice: keep the brazilians informed that “bomba” should be translated as “pump”, otherwise some might get arrested for carrying a “bomb” and a cuia in the plane :)

  • http://twitter.com/wsegatto Wilian Segatto

    Adorei esse post!

    Continue assim! Valorizando nossa cultura riograndense.
    São aspectos que demonstram o quanto nosso Estado é único e insubstituível.

    Will

  • Koutchin

    Olha só que loco… vc ensinou a tomar chimarão igual meus pais e meus avós tomavam, meu avô era russo viajo pra kramba o mundo na época da 2° guerra, até que ele chegou no uruguai, ficou um tempo lá depois foi para o sul do Brasil, nesses lugares ele deve ter aprendido a tomar, e levou a tradição para o MS. É uma tradição Sul-Americana agreda a vida de pessoas de outras regiões da Terra,
    Abraço parabéns pela publicação!

  • Roberta

    Opa, adorei este post!
    Obrigada pelas dicas! Vou incrementar o meu chimas. Estava fazendo tudo à moda louca, hehehe…
    Abraços!

  • Rafael Arnoni

    O brabo do passo 6 é que pra quem tem que esquentar água com essas jarras elétricas. Quando chia já está pelando de quente.
    Abração

  • Felipemagnodoamaral

    Buenas baita post
    mas o fato do mateador tomar o primeiro nao é porque o primeiro é o mais amargo, deve-se ao fato dos indios guaranis deveriam provar para os jesuitas que o chimarrão não era veneno

  • Julio Lena

    Se a água tá muito quente, de um tempo para ela esfriar ou acrescente um pouco de água fria (mas bem pouco), apenas para temperar.

    Respondendo ao outro amigo, cada um tem o seu gosto para erva. Algumas pessoas preferem as adocicadas, outras a com chá, mas as melhores de todas, para mim, são as mais fortes, com moagem mais grossas e com um verdinho bem vivo.

    Abraço gurizada.

  • Hermes José Strehl

    Muito bom, realmente o chimarrão é o chá milagroso, e se souber prepará-lo então… Os pensamentos voarão tanto quanto os ventos embalados pela música do chiar da chaleira, quando esquentada bem devagar na chapa de um fogão à lenha…
    O difícil e desafiador é encontrar uma erva mate feito “à moda antiga” sem ingredientes(açúcar), sem conservantes, sem capim e outros arbustos que andam adicionando por ai.
    Se alguém se interessar no endereço http://saudeeprazer.com.br/blog/2010/06/21/depo…, sobre “Por que nutricionista”, há um comentário sobre o chimarrão e seus benefícios.

  • Gabriel Estevam

    Muito boas dicas, me amarrei no site…. isso que é papo de homem! Tá adicionado aos favoritos!

  • Pingback: Aprendendo a fazer o Chimarrão « CakosBlog

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100001721906863 Bruna Alves

    Buenas, gostaria de cumprimentá-lo pelo post, pois como fui criada achando toda essa questão do chimarrão normal, é no mínimo “curiosa” essa explicação, e nos faz ter uma noção de como os outros cantos do Brasil enxergam nossa tão amada cultura… Mas não tem como explicar todos os benefícios do amargo, só quem mateia sabe!

  • http://www.facebook.com/vivoverde Daiane Santana

    Muito bom o texto! Aprendi a tomar chimarrão por motivos médicos, é estranho falar, mas foi. Sou uma goiana, que mora no TO e há uns quase 6 anos tomo chimarrão, pois dei cólica de rins por não beber água e acabei aprendendo em GO com uma prima de minha mãe. 
    Estou aqui, apreciando um bom mate e lendo matérias sobre o chimarrão, pois gostaria de apresentar uma matéria sobre ele… e nada melhor do que ler gaúchos ou pelo menos moradores dos pampas falarem desta, que tanto amamos! 

  • Pingback: Como escolher uma cuia de chimarrão | Papo de Homem

  • Pingback: Como escolher uma boa cuia?

  • Lourival J Melo

    eu não sou gaucho . sou um manezinho de Fpolis sc mais tomo chimarrão a trinta e dois anos . e ja ecinei muita gente a seguir esse bom abto. adoro não fico sem ele o chimarrão sou um viciado . muito bom !!!Lourival J Melo

Papo de homem recomenda

Assine o Papo de homem

Curta o PdH no Facebook
  • 5359 artigos
  • 654284 comentários
  • leitores online