A gênese social do garanhão e o mito da buceta-troféu

Leitora Anônima

por
em às | Artigos e ensaios, Ladies Room, Melhor do PdH, Relações, Sexo


Outro dia confidenciei a uma amiga estar chateada porque um carinha com quem saí desapareceu logo depois, sem deixar rastro. Imediatamente após saber que eu fui para a cama com ele no primeiro encontro, ela foi taxativa:

“Ah, tá explicado. Ele sumiu porque você não se valorizou o suficiente, foi logo entregando o ouro”.

Essa acusação me remeteu imediatamente a uma outra fala, ainda mais crassa, que tive o desgosto de ouvir há alguns meses.

Uma colega de trabalho tem uma filha de 18 anos que recentemente arrumou um namorado com quem está cogitando fazer sexo. A mãe me relatou ter pedido à filha que pense muito bem antes de “se entregar” ao rapaz, pois, segundo ela, a moça ainda virgem possui um bem muito precioso que lhe permitirá escolher o melhor dos homens: o hímen.

Tratam-se de duas versões – uma hard e outra soft, uma contemporânea e outra antiga – do mesmo discurso machista. Sim, o machismo tem expressões agudas, como a violência contra a mulher, o estupro, a criminalização do aborto, a mutilação genital feminina, o feminicídio, mas também está entranhado nas nossas relações cotidianas. E cria um abismo emocional entre homens e mulheres que leva a muitos desentendimentos, frustrações e brochadas épicas.

Permitam-me agora algumas generalizações. Obviamente não são todas as pessoas que pensam e agem assim, mas esse breve exercício deve servir para elucidar o que está por trás da fala da minha amiga e minha colega.

Uma enorme proporção de mulheres e homens sobrevalorizam o sexo e tratam a vagina como um troféu. À mulher, cabe regular o acesso masculino à buceta, estabelecendo condições, elaborando testes, submetendo os homens a rituais malucos retirados de comédias românticas. Ao homem, cabe o papel de vencer a resistência feminina sem, contudo, se deixar aprisionar pelas suas exigências de compromisso e estabilidade. Ele deve seguir diligentemente todos os protocolos até chegar ao santo graal machista: a xoxota inacessível. E, depois de saborear a vitória, deve partir para outros desafios.

É evidente que quanto mais se prorroga o enlevo sexual aumentam as chances de que o ato seja mais intenso. A espera frequentemente funciona como um jogo erótico que eleva a potência do encontro dos corpos.

Mas daí a concluir que o sexo é uma moeda de troca, um trunfo feminino, um elemento de barganha pela afeição do homem é absurdo. Ou a partir disso inferir que o meu peguete poderia ter sido fisgado caso eu tivesse colocado mais obstáculos à sua corrida pela minha racha é uma estupidez.

A buceta-troféu: razões históricas

Até a invenção da pílula anticoncepcional, o sexo esteve associado a um ciclo de gravidez, dor e morte potencial para a mulher e seus filhos. Por isso, é difícil dimensionar o tamanho da revolução representada pelo controle eficaz de natalidade. A pílula dissociou sexo de procriação e, ao fazê-lo, pavimentou o caminho para a igualdade sexual entre homens e mulheres.

Ora, até então quem carregava o fardo das consequências potenciais do sexo era a mulher. Era, portanto, mais do que natural que ela regulasse o acesso masculino ao seu corpo. Sexo deveria implicar compromisso, responsabilidade mútua. Caso contrário, a mulher teria que arcar sozinha com os resultados potenciais.

É evidente que essa é uma explicação parcial e demasiadamente generosa para com os homens. Poderíamos mencionar que a exclusividade sexual foi uma imposição sobre a mulher ligada historicamente à instituição da propriedade privada e ao desejo do homem de transmitir seus bens a herdeiros “legítimos”, o que acabou por separar socialmente as mulheres “de família” das “perdidas”.

Poderíamos explorar as características econômicas da instituição do casamento ligadas ao patriarcado ou ainda dissecar as formas de economia afetiva e sexual instauradas pelo mito do amor romântico no ocidente. Para tais propósitos, recomendo a leitura instigante de livros como “A origem da família, da propriedade privada e do Estado”, de Friedrich Engels, “Casamento indissolúvel ou relação sexual duradoura”, de Wilhem Reich e ainda “O amor e o Ocidente”, de Denis de Rougemont.

Mas para os propósitos desse texto, acredito que essa explicação basta: tudo aquilo que esteve em jogo no sexo até o advento da pílula contribuiu para que a buceta fosse encarada como uma moeda a ser trocada por compromisso. E também podemos identificar aí a gênese social do garanhão.

Casanovas diante da oferta sexual abundante: e agora?

O garanhão, o predador sexual, o Casanova é um subproduto desse jogo perverso que vem sendo praticado por homens e mulheres há séculos. Obter prazer sexual sem que isso se convertesse em um encargo ou obrigação parecia ser algo extremamente transgressor e, por isso mesmo, emocionante para muitos homens.

Perverter, desencaminhar, despojar a mulher da sua virtude e, mais do que isso, vencer sua resistência aos avanços sexuais masculinos foi, durante muito tempo, visto como uma atividade de estrategista, de artista, cujo prêmio era a amplificação da potência da experiência sexual em si e a construção de uma reputação de macho-alfa.

Mas o que fazer quando essa atividade se torna obsoleta? Como proceder quando a conquista perde o seu sentido diante de uma disponibilidade sexual crescente das mulheres? O que acontece com o Casanova quando as mulheres estão tão ávidas por fazer sexo quanto ele?

A minha humilde sugestão é que homens e mulheres comecem a deslocar a sua energia desses enfadonhos rituais de conquista para as relações sexuais – e também afetivas – em si. As mulheres devem parar de tratar a xana como seu bem mais valioso e fazer sexo quando estiverem a fim. Se o sexo for bom e se converter em algo mais, ótimo. Mas fazer sexo de qualidade, que não resulte em compromisso não deve ser encarado como um fracasso, perda de tempo ou uma entrega indevida.

Afinal, não é porque você foi a Paris no ano passado e não tem grana para ir de novo que a experiência foi uma desgraça. Ou foi?

Nota da autora: Enquanto finalizava esse texto, o tal carinha reapareceu e estamos saindo juntos. Não considero que o julguei mal porque em nenhum momento fiz qualquer suposição sobre os motivos que teriam levado ao seu afastamento temporário. Procurei refutar as teses malucas de que caso eu tivesse feito jogo duro as coisas seriam diferentes. Quando responsabilizada pelo sumiço do rapaz por causa da minha licenciosidade, respondi que não me arrependia de termos transado. Foi bom e eu faria tudo de novo. E foi justamente por não poder fazer isso que estava chateada. Leia-se: chateada, não derrotada ou humilhada. O fato de estarmos juntos só confirma a tese de que é possível e necessário refundar as nossas relações em bases mais igualitárias.

Leitora Anônima

Perfil coringa para textos enviados anonimamente por nossas leitoras.


Outros artigos escritos por


SEPARAMOS MAIS TEXTOS PARA VOCÊ CONTINUAR LENDO




O texto acima não representa a opinião do PapodeHomem. Conheça a visão e a essência por trás do que fazemos. Queremos uma discussão de alto nível. Antes de comentar, leia nossas boas práticas. Caso deseje enviar um texto e se tornar um autor, venha por aqui.


  • http://donluidi.wordpress.com/ don luidi

    Gostei muito do texto, principalmente da ‘desmistificação’ das relações sexuais casuais. Temos que ter valor e estima próprios, mas, isto não está intrinsecamente ligado aos nossos órgãos sexuais.

    Viva o bom sexo, com segurança é óbvio!!!

  • http://www.facebook.com/people/Wagner-Cesar/100001816840572 Wagner Cesar

    Esse é o grande paradoxo do feminismo. Lutam por direitos iguais mas não abrem mão de manter sua imagem de santa imaculada, reprimindo seus desejos. Claro, muito por conta do que o carinha vai pensar dela no dia seguinte e das merdas que ele vai comentar pros amigos(machismo mode on). Mas aí se sobressaem as mulheres de verdade, que não ligam para o que pensam ou que podem pensar. Eu particularmente adoro mulher com atitude, mostra personalidade, coisa que muito me atrai(com uma dessas eu com certeza casaria rs).
    Diferente daquelas que ficam no pedestal esperando que o cara cumpra todos os requisitos do padrão de qualidade dela, cabendo simplesmente a ela dizer sim ou não.

    • http://donluidi.wordpress.com/ don luidi

      Um salve para as mulheres com atitude, apesar de que, tem ‘muitos machões’ que se borram de medo de uma mulher deste naipe…

      • Lari

        Ah isso é verdade, eu já sai com um cara que ficava o tempo inteiro dizendo que não queria um relacionamento serio. Quando eu falei “cara relaxa entre nós dois só vai rolar sexo e mais nada pq eu tambem não estou interesada em um relacionamento sério”… O cara me deu o pé na bunda e ficou pagando de coitado dizendo que foi USADO por mim rsrsrssrsrsr Agora vai entender…

      • Priscila

        HAHAHAHAHA, que ótimo… no fundo, o que ele queria mesmo era te ver morrendo de amores por ele, implorando para ele namorar você. Que patético. :D

      • Tam

        KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
        Adorei!!!

      • Tam

        Ô! E como tem! Digo por experiência própria! Um dos meus defeitos é ser impulsiva, então te digo que muitas vezes tive a iniciativa e atitude com relação a tentar iniciar uma conversa que daria em algo futuramente.. queres saber quantas vezes fugiram? TODAS. E não foi pq sou feia não, viu (sempre fui considerada bem bonita! =P)! kkkkkkkkk Paradoxalmente, os caras já paqueravam comigo antes, se mostravam afim.. foi só eu tomar as rédeas, que os danados correram! Depois somos nós mulheres as difíceis de entender!

      • http://donluidi.wordpress.com/ don luidi

        Adoro uma mulher com iniciativa!

      • Adriana

        sei como é isso. aff!!

      • Adriana

        ser mulher de atitude ou ser decidida a ponto de saber o que quer é assustador, fora que sou rotulada de “machinho” por saber o que quero, meninos tem medo de meninas fortes e independentes.
        leia-se independente no quesito quero sexo hoje, amanhã é outro dia!!

    • Priscila

      Wagner, apesar de concordar com você, eu não sei se chamaria isso de “paradoxo do feminismo”. Uma das maiores bandeiras do feminismo é justamente o combate ao slut-shaming. E não pense que feministas estão 100% livres de ter pensamentos/atitudes machistas. Ser feminista é um questionamento constante não só das atitudes dos outros, mas das nossas próprias.

      • http://www.facebook.com/people/Wagner-Cesar/100001816840572 Wagner Cesar

        Bom, na teoria o discurso é excelente. Plena igualdade de direitos, de se vestir e expressar livremente. Mas na PRATICA a história muda muito. Vejo bem mais o medo do julgamento suplantando a atitude em si e minha critica reside nisso. Eu realmente ainda quero conhecer uma mulher de ‘chegada’, que abra mão de sua condição de ‘dama a ser cortejada e conquistada’. Com certeza eu não pensaria duas vezes em querer namora-la.

      • Vanessa

        prazer, Vanessa.

      • Iara

        prazer, Iara hahah

        Concordo com a Priscila! pra mim o feminismo é mais uma questão de auto-reflexão do que de movimento. não adianta cobrar dos outros, tenho que refletir sobre minhas atitudes e sentimentos. Fui criada numa sociedade machista, logo tenho atitudes machistas. Mas eu conseguindo olhar para as minhas atitudes “de fora”, analisar o que me levou aquilo e o que pode estar me influenciando, consigo tomar uma postura mais consciente

        é um habito e força de vontade de não ser submissa a sociedade e seu veneno

      • Adriana

        oi?? estamos aqui!!

    • http://www.facebook.com/people/João-Felipe-Silva-Ouriques/100001209577254 João Felipe Silva Ouriques

      A meu ver, há uma má escolha em colocar machismo como sendo um pensamento anti-vontade das mulheres e do mesmo modo, colocar o feminismo como um pensamento anti-vontade dos homens.

      Esse artifício só funciona por, biologicamente, termos apenas dois sexos e, mais uma vez, pelo princípio do terceiro excluído (vejam na wikipedia, por favor: http://pt.wikipedia.org/wiki/Lei_do_terceiro_exclu%C3%ADdo) quando não é Masculino é Feminino e vice-versa. Ou seja, se uma ideia favorece (de alguma forma) a mulher, ela é vista automaticamente como desfavorecendo o homem e, a meu ver, isto é uma falácia lógica das maiores já inventadas.

      Não sei se o Maniqueísmo entre mulher/homem é proveniente da cultura religiosa antiga, mas o fato de que uma mulher pense “não vou liberar meu corpo para ser usado logo em um primeiro encontro” não é necessariamente um ponto negativo; é apenas um comportamento aceitável, e como tal, tem suas consequências.

      Num tempo de liberdade fisico-socio-psicológica que vivemos, as pessoas mais adaptadas são as que não se impõem tais restrições: nem a mulher que se põe como prêmio e nem o homem que as tratam como objeto/objetivo. Estes serão esmagados pela teoria da evolução das espécies e não terão seus comportamentos passados adiante e fatalmente cessarão!

      • Liliana

        O problema é você acreditar que comportamentos são transmitidos geneticamente. Comportamento é da ordem da cultura e socialização. Além disso, colocar a questão como “liberar o corpo para ser usado” é ver a mulher como um ser passivo, que não obtém o mesmo prazer e benefícios do ato sexual que o homem.

      • http://www.facebook.com/people/João-Felipe-Silva-Ouriques/100001209577254 João Felipe Silva Ouriques

        Concordo contigo! Quando eu coloquei “liberar o corpo para ser usado” foi olhando para o texto,e não é a forma que eu vejo o processo decisório feminino!
        Mas discordo com a questão da transmissão de comportamentos que você falou que era um erro! Eu falei seleção natural e não genes!

        A seleção natural versa que a espécie se perpetua pela ação do mais adaptado ao ambiente! E pronto! No nosso caso, as mudanças estão sendo mais no ambiente do que na própria espécie! Novo ambiente, significa novo conceito de adaptabilidade.

        A meu ver, esses comportamentos extremistas, tanto feministas quanto machistas, estão fadados a desaparecer por este motivo!

      • Marina Lima

        Perfeito!

  • jcgjunio

    Parabéns pelo texto, muitas mulheres continuam com o pensamento de que sexo é um prêmio e acabam colocando obstáculos, tornando algo prazeroso em uma batalha, infelizmente esse comportamento parte de ensinamentos que não cabem mais aos dias atuais. Após tantas lutas por igualdade é estranho as mulheres se comportarem assim, é interessante também olharmos a questão de sermos em sua maioria homens que foram criados por mulheres e mesmo assim esse pensamento machista continua fundamentado na maioria dos homens.

  • Leandro

    Gostei muito da reflexão mas acho que o buraco é bem mais embaixo. A mulher não é vista somente como propriedade familiar do homem (capaz de gerar seus filhos), mas propriedade sentimental, intelectual, social.

    Mesmo que as chances da mulher engravidar de outro homem sejam mínimas, ainda há a preocupação em monopolizar a devoção, a paixão, o tesão e o intelecto da parceira. No melhor sertanejo dos anos 1990: “pense em mim, chore por mim, liga pra mim, não, não liga pra ele”.

    A partir disso, a mulher desembaraçada, experiente (ou no pejorativo: “fácil”, “rodada”), é preterida em relação às mais conservadoras porque é extremamente difícil para um homem ignorar a presença marcante de outros no universo psicológico da sua parceira. Por mais esclarecidos, sorridentes, bem intencionados que somos (ou tentamos ser), não escapamos de comparações, ciúmes e inseguranças.

    O homem se cobra muito em relação a sexo e mulheres, primeiro pela quantidade, depois pela qualidade da performance, e a partir disso é improvável que seus pensamentos sejam tranquilos e tolerantes ao se relacionar. Boto fé no advento do feminismo como ferramenta de libertação para mulheres E homens, mas algumas mudanças serão muito lentas e provavelmente não alcançarão essa geração.

    • Frannyglass

      Os homens têm que enfrentar essas inseguranças e, principalmente, deixar de encarar a mulher como propriedade sua. As mulheres também sentem insegurança, estabelecem comparações e sentem ciúmes. A diferença é que a elas é dito que durmam com um barulho desses! Já os homens podem tentar encontrar refúgio desses sentimentos buscando uma mulher “pura”, “virtuosa”, ou seja, inexperiente e com poucos homens no currículo.

      • Igor

        É verdade, agora estamos tendo neuroses que ainda são só associadas às mulheres, por nos depararmos com parceiras vivenciadas, com esse passado sentimental e sexual.
        Mas ainda é extremamente “desmasculinizador” demonstrar essa fraqueza, e o pior é quando isso se converte na falta de libido, o que não dá pra esconder.
        É compllicado. “Amor, hoje não to a fim” vai demorar muito pra ser coisa de machão. E as mesmas mulheres ditas independentes e desencanadas repudiam isso, querem enxergar o homem como um comedor mesmo.
        Acho incríveis as mulheres lindas, extrovertidas e seguras que já me querem no primeiro encontro, mas seriam perfeitas aquelas pra quem eu poderia dizer que não, não vai rolar, mas que a gente poderia só dormir junto, ou dar a certeza de que sairemos outro dia, sem que ela se sinta mal ou indesejada, ou que pense imediatamente “viado!”, por conta das suas inseguranças.
        Existe um novo cenário de inseguranças, nos homens e nas mulheres.

      • Raquel

        Achei bem interessante seu comentário, Igor. De fato, estamos só no início do problema. Nós mulheres ainda temos que desconstruir essa imagem do homem sempre varão, protetor, que deve ser seguro todo o tempo. Que jamais recusaria uma transa ou insinuação, apenas pelo fato de não estar a fim. Muitas vezes, se um cara se mostra inseguro ou confuso, o primeiro pensamento que passa pelas nossas cabeças é: “porra, ele está agindo como uma…” E aí, cadê o discurso de igualdade nesse momento?? Somos também machistas, sim. Só discordo de você em enfocar que as mulheres independentes são as que fazem isso. Claro que muitas fazem. Mas o primeiro passo para desconstruir essa imagem e pensar no homem como um igual, é ser independente… Ainda chegaremos lá, tenho certeza! :)

      • Um

        Concordei muito com os comentários aqui, só passei pra retificar que mulheres não podem ser consideradas machistas assim como negros não podem ser considerados racistas. Não se acusa o oprimido e sim o opressor, elas não geram o sistema e sim o propagam com a tentativa falha de se encaixar no mesmo.

      • Tarciano Gonçalves Dias

        Aqui mesmo no site tem um artigo que trata muito bem disso: http://papodehomem.com.br/a-ditadura-da-erecao .

      • deco

        Me desculpa Franncyglass, é completamente natural que o homem faça comparações assim como deveria ser natural para a mulher! Os humanos fazem suas escolhas na vida baseado nas Expectativas Adaptativas(forma as expectativas sobre o futuro com base naquilo que aconteceu no passado). O motivo de um homem não querer ter uma relação monogamica com a tal da mulher rodada é o mesmo motivo de o homem não confiar em um político que foi corrupto no passado ou alguém que tenha puxado o seu tapete! Seria perfeitamente normal que a mulher fizesse esse julgamento de forma igual, porque, como seres humanos, sabemos como é difícil uma mudança radical em nossos hábitos! Se isso é ser machista, me desculpe!

      • Hilma

        Vc está comparando uma mulher que transou com outros caras antes de vc com um político corrupto? Eu entendi basicamente o que vc quis dizer, mas vc usou uma comparação lamentável. É um pensamento machista a partir do momento que desfavorece o gênero feminino que deveria “se guardar” pra pessoa “certa” apesar de suas vontades, tudo isso por causa desse pensamento de que mulher que é pra casar deve ser “pura” e “virtuosa” como Frannyglass falou. Claro que existe essa expectativa baseada no passado da pessoa, por exemplo: um cara ta me paquerando, mas eu sei que ele traía as namoradas anteriores dele, então é claro que ficaria com um pé atrás em começar um namoro com essa pessoa, apesar de saber que as pessoas mudam e que cada caso é um caso. No entanto está se falando de uma mulher que transou com outros caras antes de você. Acho que o medo que poderia existir é se ela contraiu uma DST, mas sempre existe proteção neh?

    • Carolina

      Muito bem, Leandro. Com certeza é mais embaixo o buraco. Muitas vezes mulheres que gostam de prazer como eu não pode entregar o jogo de prima pois é encarada como fácil e o homem não valoriza. A autora pecou em não enfatizar a latente necessidade do homem mudar sua conduta e pensamento também. Afinal, somos “obrigadas” a dançar conforme a música deles e da sociedade. Se entregar não é tão difícil. Difícil seria eu enfretar o julgamento consequente disso. No interior é impossível vc levar a cabo todos os seus desejos. Essa regra sugerida não é aplicável nessas cidade pequena onde moro.

    • Cris

      Esse tipo de comportamento masculino E feminino (a insegurança, ciúmes e comparações, etc) que vc fala é muito comum no Brasil pois aqui a cultura é muito Patriarcal (ou machista) ainda.
      Já em outros países a evolução humana anda a passos largos (UFA!!!) como por exemplo nos da Europa onde os homens e as mulheres têm relacionamentos mais estáveis, abertos e sinceros, onde o flerte é bem visto pelo casal, homem e mulher, como uma coisa saudável e normal. Afinal de contas todos nascemos livres, e se por exemplo, eu acho um homem bonito é claro que vou olhar, porque o que é bonito é para ser admirado. O que não quer dizer que vou sair com ele, ou que vou transar com ele. E isso faz com que a relação seja algo leve, afinal ninguém está amarrado a ninguém, e sim CURTINDO a vida AO LADO DE alguém…não é mesmo?

    • Tarciano Gonçalves Dias

      E como o Leandro disse, hj parece que insegurança é algo que só pode
      ser exclusivo da mulher, o rapaz sabendo que o currículo da parceira é
      meio extenso se torna prisioneiro dos próprios pensamentos justamente por buscar a devoção da garota frente aos outros. ótimo comentário.

    • Um

      Como você disse é um processo pelo qual devemos passar. Do mesmo jeito que mulheres precisam se libertar não levando tão em conta a possível opressão da sociedade tachando ela de “fácil” o homem precisa fazer o mesmo sem levar tão em conta o medo de ser tachado de “viado” ou “brocha”.

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100003883621177 Leonardo Oliveira

    Muito bom o texto. O fato da buceta ser considerada uma “moeda” para ser trocada por afeição masculina, é muito comum. A mulher está praticamente “programada” para agir dessa forma, e é esse tipo de mentalidade que deve acabar. É claro que, os homens tem uma boa parcela de culpa (eu diria 50% ou até mais) ao chamarem a Fulaninha de “fácil” porque deu na primeira noite. Porra, se ela é “fácil”, e você pegou, é porque não consegue pegar uma “difícil” então, suponho??? Francamente… Acho que, conheceu o cara, deu vontade, dê a buceta ora!!! É ridículo um homem que sai falando mal da mulher por isso, pois isso gera aquelas mulheres frescurentas, que sai com o cara, vai pra casa dele, ele “dá uns pega violento” nela, ela tá com a calcinha PINGANDO, e não faz nada com medo que ele vá pensar que ela é “fácil” ou “vagaba”(e com razão em muitas das vezes, infelizmente). Resultado, uma buceta mal comida e molhada, um pau inchado e dolorido, uma mulher neurótica, um homem frustrado e possivelmente dois orgasmos desperdiçados no frio dos azulejos de um banheiro. em vez de investidos no calor de um corpo humano.

    • http://donluidi.wordpress.com/ don luidi

      Fora que quem muito fala, pouco faz!!!

    • http://www.facebook.com/profile.php?id=100003736155299 João Paulo Machado

      clap! clap! clap! clap! clap!

    • Sheila

      Muito bem colocado !

    • Est.Virtual

      Parabéns pelo texto Leitora Anômima, e muito boa análise Leonardo

    • Jotadê

      Até o próprio uso da frase “dar a buceta” é por si só reflexo de como ela historicamente se configurou num troféu. Oras, não fosse assim, o homem também escolheria “dar” seu pau pra uma mulher. Na verdade, não é nem uma coisa nem outra: o fenômeno deveria ser encarado como uma comunhão, um aceite mútuo, um acordo que por aquele momento ambos colaboram (não dando) buscando algo ótimo tanto para um quanto para outro…

      • Y.

        Jotadê, obrigada por existir! Pouquíssimos homens pensam como você. Por favor, influencie todos ao seu redor. Grata.

      • http://twitter.com/edegar EDEGAR NEUMANN

        Pensei a mesma coisa quando li “deu vontade, dê a buceta”. De resto, concordo com os dois comentários!

      • http://www.facebook.com/profile.php?id=100003883621177 Leonardo Oliveira

        É, não tinha pensado por esse lado. Usei como recurso de transmissão de idéia, mas realmente é uma das expressões mais usadas por aí.

      • Ana

        Carcaca, chorei de emoção agora! Ninguém dá e ninguém come, é uma aceitação mútua…

      • Michel Macena

        Gosto da ideia do texto e concordo com seu comentário, mas esta alteração de conduta de ambos os sexos acho muito rara mesmo. Os instintos ainda possuem muito poder sobre as pessoas.

      • JuAranha

        A gente não tem instintos, tem cultura, a gente age assim pq alguém ensina…

      • http://www.facebook.com/profile.php?id=100000785303571 Wanderson Silva

        Já eu diria que,sim nós temos instintos,manipulados pelo preconceito travestido de cultura.

      • Eu

        Não se nasce mulher/homem, se torna.

      • quae 40 dedo molhado

        Ó !

      • hakka

        nossa….. serio que vc pensa assim ?

      • JuAranha

        seríssimo

      • Thel Martins

        Até porque, quando um não quer dois não brincam!

    • Beto D.

      Depois de ter gostado tanto do texto, me deparo com um comentário à altura.
      Gostei muito, parabéns à ambos! =)

    • Junior

      putaquepariu, já valeu um texto para o site seu comentário,rs!

    • http://www.facebook.com/natali.leite1 Nátali Leite

      Gostei mais do seu comentário do que do texto HAHAHAHA.

    • http://twitter.com/Mik_lela Mikaela

      Achei fantástico o comentário! Leve pra mesa do bar enquanto assiste as rodadas do Campeonato brasileiro. Farei o msm! rs Bjos

      • http://www.facebook.com/profile.php?id=100003883621177 Leonardo Oliveira

        Podemos tentar, mas não será fácil hahaha. Quem lê, quer ler. Nem sempre quem ouve, quer ouvir e muito menos ouvir, refletir e mudar seus conceitos. Experiência própria de desperdiçar palavras em cabeças “não-elásticas”.

    • Rosa

      tomara que a mentalidade masculina mude , assim como você está propondo…as femininas também irão mudar, por consequência.

  • verossimil

    Vai levar bastante tempo pra cair geral a ficha de que sexo envolve, mais do que genitais, pessoas.

    • Rafael

      Sensacional!
      Adoro o PDH, mas independente de dar ou não, de quem dá é o homem o a mulher, se é uma comunhão mútua… enfim, do meu ponto de vista, talvez julgado como atrasado, conservador por alguns, é de que tanto o homem, quanto a mulher, devem curtir (e muito) tudo que leva ao sexo.
      Essa sociedade de jovens que querem tudo na hora (sou um deles). É bom demais quando esse ‘momentanismo’ sai de cena, e deixa espaço para a conquista, o papo, o olhar nos olhos além do sexo, e que lá na frente, no sexo, inevitavelmente acaba levando a um momento de entrega verdadeira, de sexo além de apenas sexo, por mais selvagem que o seja, uma entrega mental.
      Só um ponto de vista.

  • Raquel

    As coisas se tornam mais simples para nós mulheres quando se percebe que um cara que te julga pela quantidade de parceiros que teve não deve ter nenhum pensamento crítico mais elaborado para ser levado a sério. Algo que nunca me fez sentido é: qual é a lógica de menosprezar uma mulher que não resistiu a você?

    • http://www.facebook.com/profile.php?id=100003883621177 Leonardo Oliveira

      É disso que tô falando Raquel!!! Nenhuma lógica!!!

    • http://www.facebook.com/profile.php?id=100001516544153 Rafael Ribeiro Rocha

      Outra coisa que não faz sentido: O “garanhão” que quer comer todas de primeira, mas só namora com uma santinha. Pela lógica, ele prefere a santinha. No mundo perfeito dele, todas seriam santinhas, então quem ele iria comer?

      • Carolina

        E o pior é que eu tenho uma amiga super santinha, que mal sabe ela, devido à educação super-religiosa que a mãe lhe deu. E essa menina namora um outro amigo meu super hipócrita que adora uma menina”safada” como ele diz. Mas ficou meses tentando conquistar minha amiga. Agora que eles namoram, eu penso se ele realmente gosta disso. Como eles se divertem? Será que essa vida é realmente gostosa como o sexo pode ser?

      • Raquel

        Carolina, leve sua amiga para o caminho da luz! :)

      • aí tbm já é arrogância

      • Raquel

        Pois é… trate uma mulher como santinha na cama, e ela irá morrer de tédio.

      • http://www.facebook.com/profile.php?id=100002242361944 Matheus Ayrton Francez

        o dia que essa guria achar um cara que não tá nem aí se ela é santinha ou não, ela casa. anota isso! :)

      • http://www.facebook.com/bauermariana Mariana Bauer

        Hhahaha

      • Carla

        Rafael, normalmente homens considerados como “garanhões” possuem uma lógica dupla ao se relacionar: aquela que se refere à “matriz” e às “filiais”. Ou seja, normalmente são homens inseguros que só namoram as “santinhas”, mas que a-do-ram se divertir com as “perdidas”.

    • HenriqueM

      Gostei do seu comentário Raquel, ótima análise!

  • verossimil

    Já achei que fosse o caso de a mulherada exercer devida “seleção natural” nos cabras, simplesmente deixando de trepar com espécimes escrotos dotados de escroto que (A) dizem “essa é pra casar” pr’aquelas que não liberam no primeiro encontro, (B) marcam na coronha cada exemplar abatido, (C) dão tanto valor à conquista quanto ao relato (público, se possível em horário nobre) da conquista e (D) acham que mãe, irmã, filha e avó são assexuadas.

    Não acho mais. Não existe isso de “a mulherada” enquanto grupo, classe, agremiação, e não há como exigir psicotécnico e/ou atestado de antecedentes durante as preliminares. Ridículo também de minha parte querer dizer com quem cada um deve colocar aquilo n’aquilo, mas, até por ser pai de uma menina, de uma coisa não abro mão: valorizar-se é imprescindível, e essa atitude passa longe do famigerado hímen…

    • Leandro

      Esse tipo “escroto” que você descreveu tem todas as chances de habitar qualquer um de nós. O arquétipo do “garanhão cretino” não passa disso: um arquétipo. Achar que eles realmente andam por aí ameaçando as nossas preciosas conquistas só alimenta esse pesadelo de insegurança entre homem e mulher.

      Sugerir que uma mulher “selecione” os não-machistas me remete a duas coisas:

      - Ingenuidade: por que a mulher deve se “valorizar” o que está em jogo é o direito da de gozar em paz? Se o objetivo é o sexo casual, o caráter dos parceiros que ela vai levar pra cama é secundário, desde que eles façam uma boa foda acontecer. Ponham-se no lugar delas: a gostosa fútil (outro arquétipo) do escritório não deixa de ser gostosa por ser fútil.

      - Orgulho: “olhem para mim! eu me eduquei! eu não sou machista! eu mereço admiração, eu mereço xoxotas!”

      • Liliana

        Pessoal, a idéia de que a mulher se “desvaloriza” ao fazer sexo é profundamente machista. Já se perguntaram por que enquanto fazer sexo aumenta a auto-estima e reputação do homem, para a mulher isso é sinônimo de auto-depreciação? Machismo.

      • Leandro

        Sim, já me perguntei.

        Fico com a impressão que o sexo é um jogo masculino, onde a mulher é uma coadjuvante. Por exemplo, por que homens se masturbam desde os 10-12 anos e as mulheres chegam a 19-25 sem nunca ter conseguido gozar usando os dedos?

        “A libido feminina é complexa”, “ponto g”, “precisa de muita prática para fazer uma mulher gozar com a língua”. Será mesmo? Mulheres mais velhas gozam com uma facilidade tão grande, não tem nada de complicado.

        “Ladies first” precisava existir como um aviso?

        Então pra quem a cultura sexual é dirigida? Qual prazer está sendo priorizado? Não é que vocês estão sendo depreciadas, vocês mal estão sendo consideradas.

      • Anomina

        Sei não, mas eu e mais algumas amigas temos relatos de exploração do órgão sexual com 6, 7 anos e orgasmos clitorianos a partir dos 10, 11 anos. A diferença é que não há pontuação na quantidade de vezes que nos masturbamos, pelo contrário – é melhor que nem se fale no assunto.

      • Andressa

        Exatamente! Mulheres também cedem aos seus impulsos sexuais desde muito cedo, mas isso é um assunto velado. (infelismente)

  • http://www.facebook.com/people/Isa-Belli/1584206490 Isa Belli

    É mais fácil desqualificar os outros homens ou parceiras que exigem mais por saber o que querem, do que se propor a crescer. Triste isso. Ótima reflexão! Parabéns!!

  • André Vinícius

    A mulher é uma invenção do homem. Tudo que dizemos que as mulheres são ou deixam de ser é para benefício masculino exclusivamente. Por exemplo, dizemos que homens fazem sexo e mulheres fazem amor para justificar o porque os homens pulam a cerca e sai fazendo sexo com qualquer coisa que se mexe em volta dele, enquanto se as mulheres querem envolvimento sentimental então elas devem esperar o príncipe encantado para desfrutar os prazeres do sexo. Uma vez vi um discurso que é aceitável o homem trair porque ele transa com a pessoa e vai embora e esquece tudo, enquanto a mulher se apaixona e põe o casamento a perder.
    Mas também é a insegurança masculina, pois a prática leva a perfeição e quanto mais livre a mulher sexualmente mais boa de cama ela deve ser e para um homem é um ultraje ser ensinado por uma mulher na cama, ver que outros pastos são mais verdejantes do que o dele, que ela aprendeu coisas que ele nem sonhava que as pessoas faziam na cama. Isso para ele é um golpe em sua masculinidade.
    O que faz um escravo não são os grilhões nos braços dele e sim sua mentalidade de escravo, você pode tirar os grilhões que ele continuará agindo como um, a liberdade para ele será vista sempre com uma prisão maior, mas mesmo assim uma prisão. E esses sofrimentos femininos sobre sexo e sentimento mostra que o machismo triunfou porque quando conseguimos fazer as vítimas agirem conforme nossos valores sem precisar obrigar explicitamente, mostra que a mente delas foi moldada.

    • Leandro

      “A mulher é uma invenção do homem”. As vezes penso isso de forma radical, e imagino até que o feminismo é uma ferramenta masculina (mulheres trabalhando = economia patriarcal reforçada, mulheres livres sexualmente = mais variedade e abundância de prazer sexual para o homem, etc.).

      • aquiles.marchel

        exato uhahusa

      • http://www.facebook.com/Feolips Felipe Souza Vieira

        Não, é que tudo tem dois lados mesmo.

      • Leandro

        Contraprodutividade?

        Trabalho é bom. Mas trabalhamos tanto que criamos a pobreza.

        Espiritualidade é bom. Mas rezamos tanto que nos tornamos fanáticos.

        Feminismo é bom. Mas femininamos tanto que… ?

      • Silvia

        Caetaneou!

      • http://www.facebook.com/santannaleticia Letícia Santanna

        Leandro, seu lindo!

      • André Vinícius

        Se o poder é patriarcal já exclui a participação feminina. Só seria reforço se elas fossem mantida exclusivamente em serviços subalternos, que acontece isso atualmente e já tem propostas para integrar as mulheres nas profissões e cargos de maior prestígio como o alto escalão. Numa sociedade onde os valores de mercado infiltrou em todos os aspectos da vida em sociedade deixar a mulher longe do mercado do trabalho é perpetuar a submissão delas.

        Mulher mais livre sexualmente é mulher mais ativa exigindo direitos sexuais iguais aos dos homens, pular a cerca e ser vista com naturalidade igual as puladas dos homens, ménage com dois caras, etc. Isso longe de ser mais prazer e variedade para o homem não passa de um ultraje para eles. Sua análise foi tão profunda quanto um pires.

      • Guilherme

        André, não acho que pular a cerca, ou um ménage com duas mulheres, ou ser o “fodão” e “pegar” várias mulheres seja um direito sexual do homem para que a mulher possa querer se igualar. Se as coisas rumarem desse jeito, vira zona meu chapa. Defendo o direito da mulheres se igualarem sexualmente aos homens, e condeno qualquer homem que venha a cometer alguma filhadaputagem como traição ou querer dar uma de “fodão”. Não acho que a análise do Leandro tenha sido rasa, foi um ponto de vista a ser visto.

        Concordo com você apenas no primeiro item, sobre a participação feminina no mercado de trabalho. Correto..

      • André Vinícius

        No quesito traição concordo que todos deveriam se afastar dele, quem não quer assumir uma relação monogâmica que parta para uma relação aberta.
        Mas a igualdade de direitos se dá no mesmo tratamento que se dispensa para um deve-se dispensar para o outro. Não dá para continuar esses discursos que homem que pega todo mundo é o garanhão e a mulher que faz o mesmo é a vagabunda. Não dá para tolerar que quando uma traição é descoberta a probabilidade de morrer ou sair gravemente machucado seja muito maior para a mulher do que para o homem. Claro que neste caso não estou dizendo para começarmos a matar homens que traem, mas para os homens abandonarem essa violência e esse sentimento de posse sobre as pessoas, traiu acaba o relacionamento e parte para outra.
        A liberdade sexual que o homem tem ele não quer estender para as mulheres, pois ele quer fazer sexo anal, mas não quer nem que a parceira coloque a mão na bunda dele. Ele quer realizar fantasias onde participem duas, três, dez mulheres, mas não quer nem pensar em outro homem na cama junto com a mulher dele. Quer ver a mulher dele se pegando com outra, mas quando se levanta a hipótese dele se pegar com outrO ele se sente ultrajado. Que liberdade sexual que as mulheres tem direito? De realizar todas as fantasias masculinas enquanto as fantasias dela ficam a ver navios?

      • Guilherme

        Tranquilo André, vi seu ponto. Concordo com ele. Alguns homens(maioria) são egoistas. É uma pena, é uma ignorancia.

        Ah, relaxa, isso já virou força de expressão mesmo haha.

        Abraço.

      • Alice Kane

        Foda a sua lucidez, André Vinícius.
        Sempre tive esse pensamento, mas é raríssimo ver um homem que pense dessa forma.
        Pra eu conquistar o direito igualitário de realizar minhas fantasias dentro do meu último relacionamento, foram inúmeras conversas, debates feministas, sociológicos e filosóficos,… e isso porque o cara tinha uma das mentes mais abertas entre os homens que eu conheci.
        Sério, parabéns. Mais homens com essa clareza e pensamento questionador na nossa sociedade, prfvr.

      • Leandro

        Não foi um análise, aqui não é fórum para isso. Foi uma embaixadinha free style.

        Mulher em alto cargo não significa nada. Existem executivas, políticas e líderes religiosas conservadoras e machistas.

        Promiscuidade não é bem aceita por questões de saúde (HPV, por exemplo, se pega até com camisinha) e emocionais (quando falamos de machismo parece que só os homens são possessivos), e não somente por questões morais/ dogmas religiosos (que aliás, servem a outros propósitos).

      • André Vinícius

        “Mulher em alto cargo não significa nada. Existem executivas, políticas e líderes religiosas conservadoras e machistas.”

        Claro que significa. É poder, prestígio, evidência, se não significasse nada a representação delas estaria equilibrada com a dos homens, já que são mais da metade da população mundial. O fato de existirem mulheres machistas são por dois motivos: um é pela raridade delas nesses cargos, ou seja, elas tentam reproduzir os valores associados a figura masculina. Mulher é considerada o sexo frágil, e para esses cargos é exigido pessoas fracas ou fortes? Então elas tentam se aproximar daquela imagem masculina para não ficarem muito deslocadas e receber maior aceitação. E o segundo motivo é o fato do machismo ainda ser forte, quando as próprias vítimas reproduzem e validam o discursos dos opressores isso é a prova do poder que o preconceito alcançou numa sociedade, pois até as vítimas conseguiu cooptar. Vejo muito esse argumento na internet querendo invalidar a causa das minorias dizendo que existem negros racistas com os próprios negros, gays homofóbicos, mulheres machistas e misóginas, etc., tentando associar a opressão do grupo a eles mesmos. Mas isso não é verdade, a psicologia mostra que a função do preconceito é fazer as vítimas acreditarem nele assim fica mais fácil subjugá-las. O que faz o escravo não são os grilhões e sim a mentalidade.

        Promiscuidade não é aceita para a mulher. Aliás, a palavra promiscuidade na verdade é usada para difamar os “inimigos” o homem que transa com todas é o “pegador, garanhão” a mulher ou o gay que transa com todos é o “promíscuo, a vagabunda”. Até porque sabemos que mesmo que a promiscuidade aumente a probabilidade de contrair doenças, a camisinha diminui esses riscos.
        E sim, os homens que são possessivos em sua maioria. Quem geralmente mata o parceiro no fim do relacionamento? Quem mata o parceiro quando descobre a traição? Quem tem mais chance de morrer ou sair com graves ferimentos quando a pulada de cerca é descoberta?
        Para as respostas acima sabemos que a maioria dos agressores são os homens e das vítimas as mulheres.

      • Leandro

        É, você está certo.

      • JuAranha

        Essa discussão foi uma das mais bonitas que eu já vi, é tão raro ver duas pessoas inteligentes argumentando, sem se ofender pessoalmente, vcs são dois lindos…

      • Tatiana

        Eu achei sensacional!!!!!! De uma clareza de idéias absurda!!!! Coerente, coeso, muito bom mesmo. O melhor também foram os comentários. Certeza de estarmos vivenciando uma nova era.

      • Aff…

        HPV não se pega com camisinha.

      • Diego 4100

        Vai estudar antes de postar baboseira.

      • Guilherme

        Concordo com você Leandro. Principalmente no ultimo ponto. Se formor pensar, mulheres livres sexualmente seria um vantagem nossa. Não estou colocando isso como fato. Apenas gesticulando. Bem colocado isso cara.

      • Leandro

        Não vejo isso como uma guerra entre sexos, onde vantagem pra um é desvantagem para o outro. O que observo é que a forma das mulheres se vestirem, de deixar seus cabelos crescerem, de moldar o corpo e de assumir certas posturas na cama são todas invenções masculinas. Fico curioso a respeito de como seriam os hábitos sexuais da humanidade se as mulheres dominassem a cultura desde sempre, ou pelo menos há uns 500 anos.

      • Iara

        fico pensando o mesmo! ahahhaha
        é dificil pensar em sexo sem qualquer influencia machista. A pornografia está aí, voltada somente para o homem, e ela é cultuada desde cedo por meninos de 8 anos que crescem achando que aquilo é sexo. Resultado: as mulheres também começam a achar que aquilo é sexo, e tentam ter atitudes que lembrem os filmes, ou tentam fazer parecido pra poder ser “boa de cama”.

      • Iara

        uma coisa que me fez ver seu ponto de vista como considerável é o fato de que, principalmente na classe média baixa, o fato das mulheres trabalharem vira quase uma escravidão. Digo isso por ver minha måe, as amigas dela, minha sogra e as amigas dela passando por isso. A maior parte do dinheiro da mulher vai pra casa e pros filhos, enquanto do homem são pra coisas como banco de couro no carro, video game ou algum eletronico novo. A mulher da classe media baixa PRECISA trabalhar pra ter o que comer, obviamente, mas chega em casa e ainda tem uma casa pra cuidar, comida pra fazer, roupa pra lavar e filhos pra cuidar. Onde trabalhar virou um direito da mulher neste caso? Tomo como exemplo minha måe e minha sogra, que são as familias que conheço melhor. Trabalham pra se sustentar, e enquanto ta lavando a cueca do marido, ele ta coçando (literalmente!) na frente da TV… claro que isso tudo são exemplos que vejo, e que a mulher pode se impor sim, pedir respeito e consideração, mas existem tantas mulheres oprimidas, que aceitam isso como destino, que isso é considerado normal.
        Felizmente isso vem mudando aos poucos, apesar da mulher ainda ser relacionada ao bem estar da casa. Vejo casais novos que dividem as tarefas domesticas, educam os filhOs para aprender a cozinhar e cuidarem de si mesmo sozinhos, e as filhAs a terem opção e estarem cientes de seu papel na sociedade como pessoa e não como mulher-feminina-a-dispor-dos-homens.
        Vale nós mulheres sempre ler blogs como esses também, abre nossos olhos pra coisas tão pequenas que a gente considera normal, e ne se da conta do teor machista que está por tras

      • Lidiane

        Muito bem colocado e lúcido seu comentário Iara! O cenário muda aos poucos mesmo e, sim, é de grande valia estarmos abertos e atentos às discussões.

      • Alice Kane

        Leandro, o feminismo não é uma ferramenta masculina não, mas o patriarcalismo realmente se beneficia de algumas conquistas feministas.
        Muitas das conquistas feministas foram ‘concessões’ do patriarcalismo em benefício próprio. O que não diminui o valor dessas conquistas, mas demonstra que o patriarcalismo cede espaço quando existe alguma vantagem na reivindicação das mulheres.
        Esse é o caso, por exemplo, da difusão da pílula anticoncepcional que foi anunciada como uma ‘liberdade sexual’- já que desatrelou a relação sexual da reprodução, mas ao mesmo tempo passou pra mulher a responsabilidade total do controle da gravidez e anticoncepção.

      • Uma

        É só você parar pra pensar na vida das mulheres há 100 anos e na de agora. Te garanto que vai perceber que o feminismo é um ferramenta e feminina, e que mudou a vida e a liberdade de muitas mulheres. Esse tipo de pensamento como o seu só serve para desmerecer algo completamente legitimo e que no fundo independe da sua opinião de homem. E eu sou tenho a liberdade de pensar como eu penso e de escrever isso aqui porque o feminismo me deu isso.

  • Guest

    “Uma enorme proporção de mulheres e homens sobrevalorizam o sexo e tratam a vagina como um troféu. À mulher, cabe regular o acesso masculino à buceta, estabelecendo condições, elaborando testes, submetendo os homens a rituais malucos retirados de comédias românticas. Ao homem, cabe o papel de vencer a resistência feminina sem, contudo, se deixar aprisionar pelas suas exigências de compromisso e estabilidade. Ele deve seguir diligentemente todos os protocolos até chegar ao santo graal machista: a xoxota inacessível. E, depois de saborear a vitória, deve partir para outros desafios.

  • http://www.facebook.com/rodrigo.lourenco.12 Rodrigo Lourenço

    “Uma enorme proporção de mulheres e homens sobrevalorizam o sexo e tratam a vagina como um troféu. À mulher, cabe regular o acesso masculino à buceta, estabelecendo condições, elaborando testes, submetendo os homens a rituais malucos retirados de comédias românticas. Ao homem, cabe o papel de vencer a resistência feminina sem, contudo, se deixar aprisionar pelas suas exigências de compromisso e estabilidade. Ele deve seguir diligentemente todos os protocolos até chegar ao santo graal machista: a xoxota inacessível. E, depois de saborear a vitória, deve partir para outros desafios.”

    Na boa, uma verdade muito foda dita em poucas palavras!

  • Fernanda Melo

    Excelente texto. É exatamente o que eu penso e por isso carrego comigo a seguinte conclusão: Se um cara para quem dei de primeira some exatamente porque não segui o ritual de preservação e negação ao sexo que eu tanto desejava, ele não é o cara com quem quero ter um relacionamento. Se ele tem esse pensamento machista, não divide dos mesmos valores que eu, será machista em diversos outros aspectos e eu jamais estaria satisfeita na relação.

    • Aninha

      Verdade! Orgasmo e pré-seleção de um parceiro para um relacionamento, só vantagem.

      • Rafael

        Pq eu nunca esbarro com mulheres que pensam assim?

      • Leandro

        Essa é fácil: porque a internet é um local de experimentação intelectual que tem sua fertilidade multiplicada pelo anonimato. Vamos discutir e rediscutir esses assuntos mil vezes antes de darmos qualquer passo adiante na vida prática e cotidiana.

      • Aninha

        Nada disso. Existem mulheres assim sim, no meu círculo de amigas todas pensamos exatamente desta maneira. Respeitamos a nossa vontade. A mulher já conquistou segurança para agir academica e profissionalmente. O próximo passo é o respeito e segurança sexual, caminha-se devagar, mas é o próximo passo da liberdade feminina, é a atual luta do feminismo. E claro, as primeiras a aceitarem devem ser nós mesmas.

      • Leandro

        Que bom. :)

      • http://www.facebook.com/Dado.Mansur Eduardo Mansur

        Eu já vivo assim minha vida, e boto a cara para bater na internet!
        Acho que vc esta certo, acredito que pelo menos 70% das pessoas mais intelectualizadas e que querem testar e experimentar seus pensamentos estão aqui na rede mundial de computadores.
        Só fico triste com essa questão de anonimato, pois isso dificulta muito trazer nossos pensamentos para a realidade.
        Mas vamos seguir em frente e que os corajosos deem o primeiro passo! UHUUUUUUUU
        Nem discuto mais, EU FAÇO! :D que venha o futuro amigos!

      • JuAranha

        Olá! XD

    • Marina Lima

      Você mesma está colocando que ele não te procurou porque você deu pra ele, e então ele é um machista. Você rotula, ele rotula. Até quando nós tentamos ser feministas, esbarramos no machismo!

      • Priscila

        Não vi machismo algum no comentário dela.

      • Fernanda Melo

        Não disse isso. Eu disse que SE ele não me procurou porque transamos na primeira vez, não é o tipo de pessoa que quero pra minha vida, pois esse tipo de pensamento é extremamente machista.
        É claro que o sexo não tem regra, pode ser na primeira, na quinta ou depois do casamento, só depende da minha vontade. E é claro que posso ficar chateada se ele não ligar, mas será por me decepcionar com alguém que eu tinha imaginado que poderia dar certo, não por ter sido honesta comigo mesma e feito sexo de cara.

      • medusa_byron

        Eis a grande questão aqui: rotular. è de um sexismo absurdo sair dizendo que “os homens tê direito a pular a cerca, nós tb devemos ter”. Primeiro, pq exclui os homens fieis (e eles são muitos) tornando-os “menos homens”, o que é a melhor maneira de forçá-los a serem cada vez mais machistas. Segundo, esse lógica do “tá tudo liberado” só é intressante pro machão, que passa a poder fazer a luz do dia o que fazia as escuras.

    • medusa_byron

      Cara, se vc “deu” no primeiro encontro, com certeza não foi por causa do “bom papo” dele. Não tem como construir um relacionamento sério baseado só em atração física. E vamos ser coerentes: se o cara no dia seguinte vier todo meloso a tendencia das mulheres é tomarem-no por um “fraco” e indigno de se relacionar ;)

  • Flávio

    Curto, claro, direto, e poderoso. Um texto pra ser divulgado ao mundo.

    Por que a melhor foda é aquela que se dá quando se tem vontade.

    • Derico

      O jogo de sedução que adia a foda de certa forma não aumenta a vontade de dar essa foda “dificultada”?
      Dê um doce pra uma criança. Estique o braço com um doce e faça outra criança pular, puxar seu braço e ir atrás do outro doce. Quem, de certa forma, se delicia mais com o mesmo doce?

      • Flávio

        Se você pensar no jogo de conquista/recompensa, sim, a segunda criança FATALMENTE mais gostar mais do doce do que a primeira, isso é certeza.

        Mas não é isso que o texto está indo contra?

      • Débora

        Dério, então começa você a fazer docinho, que eu quero mais é conhecer homens interessantes e disponíveis, pra ter uma noite interessante também.

      • Flávio

        Digo o mesmo! (com mulheres, claro)
        Na verdade, meus melhores relacionamentos foram com as mulheres com quem rolou assim, de primeira. E foi bom. E durou.

      • Iara

        isso não significa que é o papel da mulher “fazer doce” por aí

      • Guest

        Se você pensar na relação conquista/recompensa, é claro que a segunda criança vai se sentir mais deliciada com o doce.

        Mas não é exatamente isso que o texto está indo contra?

  • Breno Tiki

    Muito bom!Tem um livro muito legal que vai por um vies biológico/comportamental e se chama Mito da Monogamia! Recomendo

  • Guest

    Desculpe-me, se não concordar, mas…. as pessoas não são objeto (porr*!!!!), para serem usadas assim… são mais do que objetos!!! Tem psicológico (o que nunca se apaga), lembranças, medos, projetos, sonhos,…

    Uma vez que uma pessoa foi tocada por um homem, não importa se os outros não sabem ou não, e se ela esqueceu ou não, mas quando um outro tocá-la, estará fazendo isto em um corpo que já foi “usado”, “aproveitado”, “comido” (meu, odeio esta palavra!!) por outro… assim, nem um, nem o outro estão se importando com seu valor, nem um, nem o outro estão se valorizando…

    Ainda acredito que é muito mais bonito você pertencer à uma pessoa só…

    “Um príncipe que ame unicamente a sua princesa, e que esta princesa ame unicamente a este seu príncipe…”

    Por mais infantil que pareça.. se você pensar bem, vai perceber que este tipo de relação, “um príncipe só para sua princesa, e esta princesa só para este seu príncipe” é o tipo de relação, de história, de família, das mais exemplares, lindas, felizes, purasm, …, das quais, em qualquer ângulo que você queira ver, verá apenas coisas boas!!!!

    • Priscila

      “Uma vez que uma pessoa foi tocada por um homem”

      Quer dizer que se a “pessoa” em questão for um homem heterossexual, a regra não se aplica?

    • Gabrielle

      Já eu acho muito mais romântico saber que meu parceiro já experimentou várias mulheres e que, entre todas elas, me escolheu para estar com ele agora.

      • Tam

        Pense num pensamento lindo, esse que você compartilhou conosco!

        É isso aí, graças a Deus que existem milhões e milhões de pessoas legais nesse mundo que podem entrar na nossa vida, nos encantar e nos provar que nem todo mundo é como aquela pessoa que um dia nos machucou (e esse pensamento serve tanto pra homem quanto para mulher!). Que triste seria esse mundo se a gente não pudesse ter a capacidade de superar o passado e tocar a bola pra frente!

    • Leandro

      Guest, você habita o mundo dos suicidas em potencial: só topam viver se tudo transcorrer bem, perfeito.

      Conhecemos milhares de pessoas ao longo da vida. Várias nos encantam. Várias. Com que maturidade vamos conseguir identificar a chegada daquela única que será o par perfeito? Tentamos e erramos. Depois disso, acabou? Fomos “usados” e não servimos pra mais nada, pra mais ninguém?

      Amar um parceiro ideal é fácil. Como pessoas ideais não existem, vamos nos proibir de amar?

      • Milena

        “Guest, você habita o mundo dos suicidas em potencial:”
        hahahhahahah!

      • Por que só assim?!

        Não necessariamente, leandro. A diferença está na desvalorização das relações, pois a vontade é apenas de trocar prazeres. Diferente do que é falado por elx. Como é especificado no próprio comentário, é por um ideal. Ter um ideal não quer dizer que não haverão erros até chegar nele, pelo contrário! Interessante é achar que, seja lá como for, é melhor tentar do que ficar sem o prazer no fim de semana. Não levando as outras opiniões na análise.

        Entender as motivações do sexo como “amor” é mais do que isso que foi falado. Se eu discordo do posicionamento da autora? Depende. Ela está buscando somente o objeto que dá prazer, não é nada mais do que isso. Assim, nada mais normal do que encontrar alguém com o mesmo objetivo e ainda continuar na amizade, como ela disse.
        Entretanto, dizer que a menina que se guarda visando ao encontro de um rapaz que realmente goste, esperando algo num modelo de “Bem-estar” futuro como ‘Mina que guarda o troféu’… Não dá pra aceitar. É claro que existem casos como esse, são muitos, porém a generalização é suicídio.

        Levando em consideração os livros que ela pegou, a época que foram utilizados para provocar revolta na França, pois os casais queriam se pegar dentro dos dormitórios sem que a universidade se opusesse… Pois bem, continuam sendo modos superficiais (sim, pois mesmo tendo sexo, não há relação mais profunda nesse seu início) e que querem ao estímulo do corpo somente.

        Há pessoas que querem algo mais relevante para o relacionamento, curtem joguinhos psicológicos como método de conhecer o parceiro, se entregando os dois mutuamente em felicitação de um relacionamento que pode seguir adiante imaginando uma vida juntos. São várias pessoas que existem no mundo, o erro é colocar o machismo no centro de tudo e culpar todos os tipos de homens que existem e existiram. Tanto homens quanto mulheres podem escolher a forma que seguirão a vida sexual, sem que venham uns dizer que isso é como deve ser. Então, levando em consideração cada indivíduo e suas respectivas vontades, colocar-se no lugar da pessoa e ver-se na sua ideologia é mais interessante do que julgar atos simplesmente de maneira errada por serem contrários aos seus, pois mulheres e homens devem decidir quando e com quem querem fazer.

        É tão natural ver mulheres falando sobre homens “galinhas” e homens falando de mulheres “galinhas” que eu não entendo a intenção, senão de vitimar-se, da autora. Novamente, colocando a culpa nos homens, esquecendo-se de várias estradas sexuais que existem.

        “Querer uma raça que só pensa da mesma forma? Isso é o que?”

  • Anônimo

    (daniele)

    Desculpe-me, se não concordar, mas…. as pessoas não são objeto (porr*!!!!), para serem usadas assim… são mais do que objetos!!! Tem psicológico (o que nunca se apaga), lembranças, medos, projetos, sonhos,…

    Uma vez que uma pessoa foi tocada por um homem, não importa se os outros não sabem ou não, e se ela esqueceu ou não, mas quando um outro tocá-la, estará fazendo isto em um corpo que já foi “usado”, “aproveitado”, “comido” (meu, odeio esta palavra!!) por outro… assim, nem um, nem o outro estão se importando com seu valor, nem um, nem o outro estão se valorizando…

    Ainda acredito que é muito mais bonito você pertencer à uma pessoa só…

    “Um príncipe que ame unicamente a sua princesa, e que esta princesa ame unicamente a este seu príncipe…”

    Por mais infantil que pareça.. se você pensar bem, vai perceber que este tipo de relação, “um príncipe só para sua princesa, e esta princesa só para este seu príncipe” é o tipo de relação, de história, de família, das mais exemplares, lindas, felizes, purasm, …, das quais, em qualquer ângulo que você queira ver, verá apenas coisas boas!!!!

    • Fernando

      O problema é que as pessoas se enganam e as pessoas também mudam…

      Hoje vc acha seu principe, amanha descobre que ele não era tão encantado assim. Ou então hoje realmente ele é um príncipe, mas amanha ele muda e não é mais (não muda nescessariamente porque se torna ruim, mas muda, porque as pessoas mudam… não para algo pior, mas para algo diferente do que vc buscava).

      Vc também muda, deixa de gostar das mesmas coisas.

      Em diferentes momentos da vida, podemos ser bons filhos, bons amigos, bons colegas de trabalho, bons maridos e bons objetos sim! Qual o problema disso? (não estou dizendo só da mulher, estou dizendo dos dois) Se ninguém estiver sendo enganado, qual o problema disso?

      Claro que há quem prefira fazer sexo só com quem tenha uma afinidade maior (ou mesmo amor), mas acho temerário dizer que vc é obrigada a amar uma única pessoa a vida inteira… É como dizer, na vida vc terá uma única chance, escolha bem… oque para mim não é verdade…podemos sim recomeçar.

  • Janaina

    Pensem tem pessoas que demoram 3,4 meses pra dar dai quando libera a perseguida ate poque a mulher já ta com a cara igual a um choquito finalmente o cara ou ela some !!!! adiantou ? (ou porque não gostou ,ou porque esta usando de psicologia ou porque finalmente conseguiu oque queria e volta pra farra!!!) Sou suspeita pra falar até porque tive poucos relacionamentos(por serem eles duradouros) nem gosto de encontros se eu já não conheço (e gosto) pelo menos um pouco da pessoa !!! TODOS e digo isso com a absoluta certeza todos meus relacionamentos já começam no primeiro encontro “caliente” ou porque o pouco que eu conheci do individuo já me deu tesão ou porque é principalmente isso que eu busco num relacionamento creio que sou a pessoa mais apaixonada que conheço, sempre que estou num relacionamento com uma pessoa é pra “isso” mesmo ate porque adoro sexo mas se for trepar por trepar eu tenho uma imaginação fértil (se é que vocês me entendem) procuro me relacionar com pessoas que tem ou fingem que tem a mesma linha de pensamento que o meu… pensem SENTIMENTO não é certeza de RELACIONAMENTO por isso bucetinhas premiadas de plantão (se deu vontade) deem de primeira e parem de neura mas procurem conhecer com quem voce vai se encontrar pelo menos o minimo pra não haver tantos constrangimentos!!! admito ja usei sexo como moeda de troca de muitas coisas em meu relacionamento menos de comprometimento com laços afetivos (isso acontece naturalmente)!!!

  • http://www.facebook.com/estelaarocha Estela Rocha

    Achei o texto sensacional.

    Para nós que não nascemos em nenhum país nórdico, super desenvolvido e berço do feminismo (palavra que não gosto pela conotação atual), é complicadíssimo.

    Acredito que até mesmo para mulheres que vem de famílias “bem resolvidas” e plurais (culturalmente falando) há um certo desconforto em relação ao sexo e decisões.

    Nossa sociedade atual, even though, esteja se abrindo para um sistema mais équo – e digo pois vi há algumas semanas atrás um artigo sobre mulheres do interior do Brasil (locais sem tecnologia e sem acesso à informação) que estariam se libertando de certas amarras machistas por causa do Bolsa Família e outro exemplo são os filmes e desenhos hollywoodianos com representações de “mocinhas” (protagonistas) independentes, guerreiras, etc.

    Tudo isso me alegra – porém, INFELIZMENTE, ainda há um enorme canyon entre homens e mulheres quando se trata de liberdade sexual. E esse buraco está na tortura, na masturbação mental que fazemos, nos cobrando diariamente posições que a sociedade entenda como “adequada”. Nos meninos de azul e as meninas de rosa…

    Em tornar tão terrível o fato do “sexo” para a mulher (pois somos amedrontadas 24h com questões infindáveis, criadas por nós mesmas..)…

    Que revolução seja feita…
    E que o troféu seja, na verdade, o prazer do momento de ambos. Não um órgão.

  • http://mulhercervejafutebol.com/ Daniel Bender

    Achei tudo 100%, apenas não concordo em usar “macho-alfa” neste contexto, pois o termo não é usado para animais que desprezam as fêmeas. Ao contrário, o macho-alfa se mantém ao lado de 1 ou mais fêmeas protegendo-as da selva e ajudando com a criação da prole.

  • http://www.facebook.com/people/Júlivan-Arantes-da-Silva/100001032282778 Júlivan Arantes da Silva

    Concordo com a autora em partes. Penso que a pílula anticoncepcional diminuiu a distância que havia antes, mas não a eliminou por completo. A mulher de hoje é geneticamente a mesma mulher (ou quase) do tempo das cavernas. Acho que tal liberdade deve ser aproveitada, mas não chutando o balde. Observe uma cadela no cio e veja se ela age igual aos machos encantados atrás dela. Ela não tem as mesmas “questões” sociais. Não sabe das conseqüências dos seus atos. Ela nunca deixará de cruzar, mas é natural que seja mais seletiva que seu garanhão.

  • Yuri Sabaoth

    O
    que me impressiona é ainda ver mulheres que acham que certas pessoas
    gostam delas porque “está difícil”. “Se fosse mais fácil fulano não tava
    querendo”. Quer dizer então que essa mulher não tem qualidades o
    suficiente pra ser desejada pura e simplesmente pelo que é, e depende de
    artifícios psicológicos pra interessar alguém? Parabéns pela falta de
    sal.

  • Assis Frello

    Sei não, Vi que esse texto foi escrito a partir de uma frustração sua, sendo consequentemente tendencioso. O rapaz com quem vc se relacionou só queria o sexo, tinha isso como objetivo, se vc fizesse o sexo depois de 30 dias daria o mesmo resultado, pois alcançou seu objetivo. Portanto, sendo o sexo feito na primeira vez ou na trigésima seria igual. A respeito do troféu concordo com vc, o sexo deveria ser feito quando da vontade, sem estabelecer prazos para isso acontecer, tiro isto por experiência própria, minha atual namorada foi na primeira vez, enquanto a anterior foi depois de três meses e o namoro durou apenas um mês após a relação sexual.

    • A autora

      Assis, se você ler o texto até o final, incluindo a nota que adicionei, verá que hoje estou saindo, fazendo sexo e me envolvendo com esse rapaz. É mútuo, recíproco, feliz. Minha frustração não foi com ele, mas com os discursos que ouvi de outras mulheres sobre a necessidade de a mulher se privar de sexo, mesmo quando está com vontade, como estratégia para “prender” alguém. Não entendi muito bem a sua crítica, já que você concorda com o meu argumento.

  • Marina Lima

    Não acho que a mulher tenha que deixar de “dar” na primeira, segunda ou terceira vez, porque o cara vai pensar alguma coisa, ou porque vai deixar ou não de sair com ela novamente. Simplesmente, acho que homens ou mulheres que busquem mais do que sexo numa relação a dois não vão querer sair por aí transando com uma pessoa que mal conhecem. Porque se for assim, minha gente, as mulheres podem dar todos os dias, se quiserem, e todo dia pra um cara diferente. Se quiserem isso, ótimo, não vejo nada de errado. Isso é de cada um. Depende do que cada um está buscando numa troca afetiva. Se é certo ou se é errado, hoje temos a liberdade de escolher se vamos dar ou receber alguma coisa, alguém falando ou não, alguém querendo sair novamente ou não. O que importa, de verdade, no fim das contas, é a paz de espírito. No final, quando você deu sua “nota da autora” você considerou positivo o fato de que ele voltou a te procurar, e usou isso como “troféu” para o seu ponto de vista. Então, era isso mesmo que você queria, sair com ele novamente. O que você vai considerar realmente positivo, é se ele te procurar e se isso evoluir, você dando ou não pra ele. O que acontece é que as mulheres (não todas) realmente têm buscado muito mais uma relação estável do que os homens. Isso é fato e é notório. Os homens (e não todos), por outro lado, adoram a zona de conforto de poder sair e transar com quem quiser, sem assumir qualquer compromisso. Por que é que em vez de a gente pensar se o tal carinha pra quem a gente deu ou não vai querer alguma coisa com a gente, a gente não começa a pensar de a gente quer alguma coisa com aquele carinha? Aí é que tá! Acho que fazer sexo ou não, não é o que vai determinar o que cada um está buscando nessa troca de carinhos. Mas, principalmente, acho que se preservar em não sair transando toda vez que ficar com um carinha na noite, independente do que se busca e do que se pense, tem seu lado positivo também. O que importa é ser feliz, com a consciência tranquila.

    • http://www.facebook.com/profile.php?id=100003883621177 Leonardo Oliveira

      Bem observado Mariana. Realmente, a preservação é interessante e importante quando a pessoa se sente bem com isso. Mas o que acontece é que, a mulher saí e TEM VONTADE de dar pro cara, e se segura dessa vontade achando que isso vai garantir uma relação estável. E convenhamos, se o cara for do estilo “cafajeste” mesmo, vai ver que ela “não libera” e vai caçar outra e não tentar uma “relação estável”. Sobre o que você disse de pensar se quer mesmo alguma coisa com o carinha, tem uma outro fator na equação que é “O que eu quero com ele?”. Uma coisa que vejo faltar hoje em boa parte das mulheres é o “Eu quero ter uma boa noite de sexo, e depois vejo no que vai dar”. Acho que tem uma expectativa muito grande por parte de muitas mulheres, de que toda e qualquer relação sexual tem potencial e deve ter uma chance de virar algo afetivo. E não é bem por aí. Por que não só transar para se divertir??? Se rolar um papo legal depois, e se verem, podem tentar umas “ficadas”, vai ver vira até casamento. Mas não é porque PODE, que TEM que virar. Caso não role mais nada, ele nunca mais apareça ou ela ache-o “gostoso, mas não é pra casar”, pelo menos ela teve uma noite proveitosa com um bom orgasmo poxa. A não ser que você teve a infelicidade de escolher um cara com “problemas de sintonia entre a mente e um certo músculo do corpo” ( http://papodehomem.com.br/broxei-por-que-id-2/ ) que ainda não achou a raiz do problema.

      • Marina Lima

        Concordo com você, Leonardo, foi justamente isso que eu quis dizer. O problema é que toda vez que se fala nesse assunto de que a mulher deu pro cara ou não, vem a pergunta: ele vai querer alguma coisa depois disso? Tem até um filme sobre isso, “Ele não está tão afim de você”, em que tudo gira exatamente em torno disso. Se ELE ligar, se ELE falar, se ELE fizer. Sempre essa atitude, essa resposta, essa vontade de querer algo além de uma primeira vez, vem do homem. A mulher sempre se coloca nessa posição de esperar pra ver se ELE quer. Mas ELA quer? Vai ver o cara não tinha nem nada a ver com ela, e se ela conhecesse um pouquinho mais, teria visto isso. Não vejo nada demais, quer dar pro cara, dê. Contanto que todos estejam felizes com isso, ótimo! Não condeno quem quer ou não fazer sexo numa primeira, ou numa décima vez. Acho uma besteira ficar discutindo isso. Mas é fato, Leonardo, as mulheres realmente consideram positivo quando o carinha liga no dia seguinte, marca um novo encontro, e etc. E o homem, em geral, tá cagando pra isso. Acho que não tem a ver com ser feminista ou machista, tem a ver com o que fazer com essa sua liberdade. E não se trata só de orgasmo, se trata de estar bem. Eu, particularmente, não me sinto bem de sair transando com todo mundo por aí. Acho que se eu estou buscando uma relação estável, isso seria até bem incoerente. Mas isso é meu. Se eu der pra um cara, pra quem eu nem sei se eu quero mesmo dar, porque simplesmente não tenho envolvimento emocional com ele, independente de ele querer algo comigo depois ou não, isso não vai me fazer bem, não vai me fazer feliz. Eu não quero sair transando todo dia com alguém diferente, pra ter um orgasmo momentâneo, que não vai me trazer felicidade alguma. Acho que cada um deve fazer o que lhe faz bem, e respeitar as opiniões e vontades dos outros. Respeitar as diferenças. Hoje, temos liberdade pra fazer o que quisermos, e podemos simplesmente escolher como, quando, e o que vamos fazer. E o que os outros pensam, não interessa. O que importa, repito, é ser feliz! =)

      • Liliana

        Gente, por favor, vamos ser generosos com a autora. Pelo que entendi, mesmo que ela não voltasse a sair com ele, ela disse não estar arrependida, porque a experiência foi boa. Vamos deixar de lado o moralismo. Ninguém está pregando que se transe ou não transe, mas que se faça o que se tem vontade. O mais importante, aliás, é avaliar o argumento e não tentar desqualificar a autora do texto com base em julgamentos pessoais.

      • Marina Lima

        Não houve intenção alguma em desqualificar a autora, Liliana, só dar um outro ponto de vista.

      • http://www.facebook.com/profile.php?id=100003883621177 Leonardo Oliveira

        Ponto de vista que achei interessante e também necessário para fins de entendimento. Agora que você falou sobre isso da mulher em filmes fazer papel de “esperar por ele” eu vejo que você tem razão. E só pra constar, não estou tentando “rebater” seu comentário não viu? Só complementá-lo. Se a leitura deu algum tom de censura, ou algo do tipo, não foi intencional. Mas o tipo de mulher que eu explicitei, não é o seu caso. Você aparentemente (me perdoe se estiver errado) é do tipo que, não sai “molhando a calcinha”, se não rolar algo além do físico. Então você tem razão, e mais importante que isso, o DIREITO de procurar algo mais sério e não sair “tendo orgasmos momentâneos” por aí. Mas, boa parte das mulheres, diferentemente de você (ou o que eu supus ser uma característica sua, novamente perdoe-me se errei), QUER ir pra cama com o cara, mas fica se segurando, sem nem saber se iria querer o cara pra algo mais do que sexo (um dos pontos do seu comentário). Usando uma metáfora,:é como se ela tivesse uma roupa-de-banho e estivesse morrendo de vontade de ir para a piscina mas, não vai ao clube, porque quer “estrear” a roupa na viagem para Mykonos que vai bancar quando ganhar na loteria. Não vejo lógica nenhuma nesse caso, em segurar a vontade. A não ser é claro que tenha algum outro fator em questão.

      • Marina Lima

        Hahahaahah Adorei, Leonardo! E entendi, sim, o que você quis dizer. E concordo totalmente. Acho que se a mulher quer dar, e o único motivo que faz ela não dar é o que o carinha vai pensar ou vai querer depois, realmente é triste! Acho que nós temos que fazer nossas escolhas baseados no que nós queremos, achamos e iremos sentir com isso. O resto, é besteira! Obrigada pelo seu comentário!

  • Zé Juninho

    As pessoas não entendem o valor da virgindade…tem menina vendendo a virgindade pelo valor de mais de 1 milhão de reais e virando capa da playboy, por exemplo. E, claro, tem nego comprando por esses preços. Isso é valorizar a virgindade.

  • Favas

    Excelente texto. Parabens!

  • http://facebook.com/chcnlxd Chacon Alexandre

    Penso que mulheres valorizam excessivamente o sexo mais que o homem tendo em vista que a barganha pelo sexo ainda prevalece para determinados fins. Me parece que o que existe é um jogo implícito de troca. O homem finge-se romântico e sentimental para o ato sexual e quando não atende tanto às expectativas a mulher culpa-o de cafageste e de todos outros nomes pejorativos possíveis.

    “Os homens enfrentam a necessidade de lidar com a rejeição frequente ou indiferença aparente (e as mulheres não), a sobrevivência da espécie exige que o homem adopte uma atitude de insensibilidade à aparente rejeição[...] As mulheres podem sentir-se recusadas algumas vezes no sentido em que não recebem a atenção do homem que andam a tentar atrair. Mas isto é muito suave em comparação com a experiência frequente do homem em fazer uma proposta clara a uma mulher que o rejeita de forma cruel e humilhante. Não se conhece nenhum provérbio do tipo nem o diabo têm a fúria de um homem recusado pela simples razão de que ser recusado por mulher é experiência comum à maioria dos homens, que não poderiam fazer a sua vida normal se tivessem ataques de raiva cada vez que isso acontece.” (ZOHRAB, Peter; Sexo, Mentiras e Feminismo)

    Pode ser uma explicação quase satisfatória pra isso. Concordo que as mulheres devem fazer sexo quando estiverem a fim. Mesmo assim não existe um consenso e pode até ser polêmico e parece haver um fundo dos resquícios ainda fortes do patriarcalismo. Se existe algo negativo na sociedade patriarcal, tenho que admitir que os descompassos da relação é um exemplo perfeito. Quando que as mulheres vão deixar de fazer seu hímen como a única coisa que têm de melhor? Um passo revolucionário à frente seria deixar o eufemismo do ‘fazer amor’ de lado e ambos, homens e mulheres, assumirem que tudo de que precisam muitas vezes é de uma boa trepada.

  • Maria

    Adorei o texto. Mas vale lembrar que essa situacao esta contextualizada num determinado universo. Diferentes paises possem diferencas culturais altissimas. Por exemplo na suica e muito comum casais possuirem relacoes “abertas” onde ambos podem se relacionar sexualmente com outros parceiros, e nem por isso perderao as caracteristicas da relacao que ja possuem. Na Alemanha adolescentes podem trazer namorados(as) pra dormir em casa em seus quartos sem que os pais tenham problemas com isso. Outros paises da europa tem o “one night stand” que seria o nosso “so por uma noite” e a mulher nao e questionada a respeito dos seus valores em momento algum.

    Entao a questao de igualdade sexual referida aqui e cultural. Essas insegurancas que tanto o homem quanto a mulher possuem sao programadas nas nossas cabecas desde a infancia. Tudo que nos cerca na nossa cultura enfatiza esses valores onde a mulher deve ser isso ou aquilo e o homem pode tudo. A mulher sofre por falta de liberdade fisica e psicologica e o homem sofre porque nao pode valorizar nada mais em si alem do seu penis. Quem enxerga isso tem duas unicas maneiras de trabalhar a favor da melhoria: 1 – mude seu jeito de agir pra si a para os outros. 2 – Quando tiver seus filhos crie os com liberdade de expressao sexual e enfatize neles responsabilidades familiares e sociais.

  • Pedro

    acho um saco esses textinhos feministas em um site PARA HOMENS, cada um no seu quadrado poxa.

    desculpe aí a galera do politicamente correto mas eu não gosto de mulher que dá pra qualquer um, até porque eu não como qualquer uma, não achei meu pau no lixo nem vou enfiá-lo em uma latrina.

    mulher tem sim que se dar valor, e homens também, não pegando qualquer uma que olha de soslaio pra ele na “balada” mesmo que você volte pra casa no zero a zero. E se pegar, pelo amor de Deus usa camisinha, tá cheio de golpista por aí.

    • Priscila

      “cada um no seu quadrado” => “feministas, não se atrevam a incomodar”

      ¬¬

    • http://www.facebook.com/people/Rodrigo-Oliveira/100001730693040 Rodrigo Oliveira

      “desculpe aí a galera do politicamente correto”

      Interessante como geralmente vem uma merda homérica depois que alguém fala isso.

  • Maggie

    Interessante a opinião e a leitora escreve muito bem. A questão é: as diferenças entre homens e mulheres trazem inúmeros benefícios. Não dá mais pra ficar vendo por aí um monte de mulheres tentando fazer papel de homem. Homem é homem. Mulher é mulher. Com suas diferenças, formas de pensar, excesso de instinto de preservação ou falta dele. E é exatamente aí que reside a questão: o equilíbrio entre os dois dá a mistura boa. Sexo demais, com qualquer pessoa da rua, seja o que for, a qualquer hora? A ausência de limites tem consequências. Sexo de menos, proteger a “buceta-troféu” achando que é isso que faz uma mulher santa?.. Ahh, me ajuda! Esse pudor excessivo também tem consequências, porque ele pode não ser natural. Então, uma boa coisa seria essa troca entre homem e mulher. 1/2 pudor, 1/2 sacanagem e aí vamos encontrando a fórmula do sexo que forma afinidade, que amplia o respeito e que constrói relações saudáveis.

    • Davi

      O que o texto está discutindo é sobre o direito das mulheres de se relacionarem sexualmente com quem quiser na hora que sentir vontade (e seu parceiro/parceira também) sem serem desvalorizadas e isso não quer dizer de forma alguma que as mulheres devem se relacionar com qualquer um a qualquer hora. Em relação ao equilíbrio de pudor/sexo acredito que dependa de cada um, afinal de contas, se alguma mulher gostar de transar com qualquer um a qualquer hora que ela seja feliz do jeito dela xD

    • Iara

      Creio que o problema maior Maggie, é o que exatamente é o homem e a mulher. Voce deve pensar que tudo o que temos como principio de diferenciação entre sexos parte de uma visão cultural e social. O que a gente acredita que seja “papel de homem” ou “papel de mulher” foi o que a sociedade ensinou, e não nosso “in natura”. O problema de se criar papéis, não é o “papel” em si, mas sim alguém nessa historia sair prejudicado

  • Paulo

    Nunca tive uma namorada que não usasse a buceta em algum momento como moeda de troca, como prêmio. Infelizmente! E olha que já to bem rodado, hein.

  • Anderson Porto

    Eu só gosto de dar prazer para uma mulher quando ela faz por merecer
    esse prazer. Se ficar me aporrinhando ou criando joguinhos, se rolar sexo, é pau
    dentro, pau fora, gozei, vou embora. Ah, e não estou interessado em
    mulheres descartáveis (mulher que sai pra noite só para arrumar um pau).
    Para mim, uma mulher que já deu pra todos os meus amigos só serve para
    dar umazinha, mesmo assim como última opção, e olhe lá.

    • Silvia

      Sexo é troca. Mesmo que aconteça só uma vez, o bom sexo é aquele em que há empatia. Não fosse o caso, bastaria cada um usar a respectiva mão. Por isso, meu caro, um pré-requisito é reconhecer a humanidade e o desejo no outro. O egoísmo na cama é uma praga que acomete muitos homens e a motivação maior para isso é o machismo, ou seja, a ausência de reconhecimento da mulher como uma igual, a misoginia. Se uma mulher está disposta a te dar prazer, seja ela quem for, o mínimo que vc deve fazer é oferecer o mesmo a ela.

      • Anderson Porto

        Sexo é uma troca energética muito maior do que se tem consciência. Reconhecer o desejo no outro é fácil, o problema é fazer só o que o outro quer. Matar a vontade do outro. Por isso que existem tantas desculpas e mentiras para não fazer sexo. A mulher não aguenta mais o cara, e o cara quer fazer sexo? A mulher passa o dia inteiro aporrinhando a paciência, e depois quer fazer sexo? Não dá… Da mesma forma, acharia muito estranho uma mulher querer ter uma relação comigo, tendo eu feito sexo com todas as amigas dela. E sobre a mulher estar disposta a dar prazer, se ela quiser, depois de me encher o saco com joguinhos e brigas, eu não vou querer sexo MESMO!!

      • Abdala

        Vem cá, mas se vc está fazendo sexo casual com uma mulher que também está, como vc pode se achar moralmente superior a ela? Uma coisa é vc dizer q nao transaria com ela (é uma opcao sua) outra é dizer q faria só para se aliviar e ainda agiria de forma escrota (gozando na cara dela). Cara, se OS DOIS só estao transando por transar, pq vc se acha melhor? Só pq é homem? Fala serio.

      • Anderson Porto

        Ué… Meus escritos foram editados !!! Alguém alterou o que eu tinha escrito !!! Não dá pra confiar nisso aqui não… Vou tirar um print screen para provar… O que eu quis dizer é, sabe quando a parada já começou e você sente que tá uma merda? Pois é… É melhor parar sim, claro, mas … se não der para interromper (existem situações assim), se vou disperdiçar minha energia com alguém, melhor agilizar para acabar a parada logo… Não me acho melhor que ninguém, mas quando a mulher é FDP (tipo, começa a arranhar, morder, começa numas de querer machucar) aí acho válido sim, dar uma sacaneada. Aí sim, no final, depois que ela começa de doideira, dar uma gozada na cara – E SIM, gozada na cara só homem que pode fazer.

      • Anderson Porto

        E sexo casual é isso mesmo: é pau dentro, pau fora, gozou, vai embora. A real é essa. Raras são as vezes que rola uma sintonia. Raras! Sexo casual é cada um pensando em si, usando o corpo do outro para obter prazer. Não é uma relação que você sente prazer em dar prazer… Não! Sexo casual é o que tem de mais ralo nas relações humanas. Em geral, com camisinha e sem ter que ligar depois.

      • LillyM.

        Meu senhor, você deve trepar muito mal hein!!! Quem pensa que sexo casual é só pau dentro, pau fora, realmente não sabe o valor do bom sexo. Sinto pena de você e de quem tiver relações contigo, desperdiçando uma oportunidade de sentir prazer e dar prazer, mesmo que não seja o amor da sua vida e não tenha uma promessa de sintonia de alma ou sei lá o que. Sexo é sexo e é bom quando feito com gosto, curtindo o prazer do outro!

      • Anderson Porto

        No momento que o debate sai do mundo das ideias e começa-se a discutir se o outro trepa bem ou não, isto é, julgamentos a nivel pessoal (sem nem ao menos me conhecer) aí eu me retiro do debate. Ao contrário, eu não “trepo”. Quem trepa é cavalo, galo, macaco… Você não entendeu… O que eu disse é que estou fora dessas relações ralas, com camisinha, sem nenhum valor, prazer pelo prazer. Sexo casual só pela pulsão sexual é coisa de animal, cachorro quando cvê a cadela no cio. Esse lirismo, essa fantasia de “sexo casual curtindo o prazer do outro” aí só rola na cabeça de adolescentes que ainda não sabem NADA do mundo.

      • Priscila

        Falou, falou e não respondeu a pergunta…

      • Anderson Porto

        E não, não vou responder para fazer cena, ser politicamente correto, responder aquilo que imagino que a maioria iria achar legal… Vou escrever somente aquilo que EU penso. Por isso repito: para mim, uma mulher que já deu pra todos os meus amigos só serve para dar umazinha, talvez uma esporrada na cara, e mesmo assim como última opção.

  • Gabriela

    Certo. As pessoas falam muito da mulher conquistando sua liberdade sexual, mas e a liberdade digamos “sentimental” dos homens? Li a muuuuiiitooo tempo atrás que os indices de depressão e suicidio em maiores números são masculinos e eu associe esses números com a idéia do homem ser cultualmente e culturalmente educado a ser “reprimido”. Não acho bacana a idéia das pessoas carregarem a assimilação de: homem que chora, ama, sente insegurança, tem dúvidas = fraco (e não digo apenas nos quesitos amorosos porque várias coisas mechem com o nosso emocional ao longo da vida, como, por exemplo: morte, trabalho, relacionamentos familiares). Enfim, eram textos muito antigos!lol Não faço idéia de como os dados atuais estejam! Mas, eu acho o tema bem curioso! o/

    • Iara

      o machismo não é algo ruim ou opressor somente para as mulheres, mas para os homens também,
      como vc citou, levamos muito em consideração a mulher oprimida, sem levar em conta o homem oprimido.
      a diferença é que as mulheres notaram isso agora e estão reinvidincando, ta na hora dos homens lutarem pelos proprios direitos com bom senso tbm, pra liberdade de expressão, e não esse “tem-que-ser-assim-ou-assado” que vivemos

    • medusa_byron

      Comcordo muito contigo, mas acho bomfrisar que gfrande parte da opressão sexual dos homens se deve ao desprezo por parte de suas parceiras, que são ensinadas à exigir “macheza” (leia-se “machismo”) dos homens.

  • Louise M.

    Eu acho que o problema está na supervalorização do sexo. Sexo é uma coisa natural e deve ser encarado assim. Se tanto o homem quanto a mulher estiverem afim, se os dois estiverem com tesão, porque não podem se divertir? Por que o sexo tem que ser encarado como auto-desvalorização? Por que o ato tem que ser sempre uma coisa mística/transcendental? É claro que muitas vezes é bem melhor quando é assim, quando é com mais intimidade, mais afinidade(com amor). Porém, não vejo problema algum em gozar por gozar, no prazer momentâneo. Cada um tem seus princípios e age da forma que lhe faz bem. Mas, meninas se estiverem afim de “gozar”, “gozem”! Sem neuras, sem auto-repressão! Sexo e prazer são naturais e para serem desfrutados!

    • Harley

      Eu acho que o problema está na supervalorização do sexo. Sem mais.

  • Guilherme

    Eu concordo com o fato do homem tratar a mulher como objeto. De ver em sua virgindade um prêmio a ser tomado. Mas desculpa, agora vem meu contra… Posso estar sendo um completo babaca aqui, só que você voltou a sair com o cara que te largou logo após o sexo? O cara não teve consideração de dormir com você? Se você não fizesse questão, tranquilo. Agora, você se importou, não gostou. E ainda sim voltou a sair com ele? Poxa…

  • Lichia

    Eu saio com um cara que diz que nao quer ter nada sério.Mas não deixa de me querer.O tempo que passamos juntos é muito bom,não é só sexo,é papo,é carinho,é companheirismo,é compartilhar os problemas,saber ouvir.Mas passa dias sem me ligar e quando está com” saudades”.liga.Mas eu gostaria que fosse melhor,eu concordo com Fernanda.

  • Bruno

    “O fato de estarmos juntos só confirma a tese de que é possível e
    necessário refundar as nossas relações em bases mais igualitárias.” ou que eles só quer te comer de novo shashasaushsuhuahasuas

    • A autora

      Ótimo! E eu quero comê-lo de novo também!

      • Lucas Alcardi

        E todos ficam felizes.

        Ele te faz de depositário de esperma.

        E vc… e vc… bem não sei o que vc ganha com isso, mas parece que tá feliz com a situação.
        E bola pra frente.

      • Anomina

        E ela faz dele um vibrador-humano!

        Simples! Prazer para todos!

        (e o esperma fica no depósito da camisinha, sabe? sexo seguro sempre!)

      • Lucas Alcardi

        Perfeito, não diria melhor.

        Obrigado por complementar meu comentário!

      • Silvia

        As pessoas ainda acreditam que mulher não obtém nada do sexo. Fala sério. É mútuo, é uma troca, gente. A coisa mais sexy que um cara já me disse foi que amava quando a gente se comia. Homem feminista é um tesão.

      • Vicky Rose

        Ela terá muuuitos orgasmos, pele saudável, bom humor, disposição e lindas aventuras! E, caso ela seja tão babaca quanto os caras que
        dividem as mulheres entre “promíscuas” e “não promíscuas”, poderá, no
        meio tempo, encontrar um idiota para se fingir de moça recatada, sem ‘comportamentos promíscuos’ e casar com ele! Com um pequeno detalhe: ela poderá ter, hun, em média, uns três orgasmos a cada relação. Ou você não sabe que mulher também tem orgasmo?

  • Funnyface

    Olha…aos homens que reclamam que não podem dizer que não estão afim de sexo ou que querem só dormir junto pelo medo da mulher achar que vocês são gays…um segredo para vocês: uma mulher assim é tola e, provavelmente, insegura, por que aposta mais na certeza de que sexo, que todo mundo gosta, ´poderá prender sua atenção e carinho, do que em minutos abraçada mantendo uma conversa inteligente e gostosa. Ela não tem que ser tratada como tola, mas quando cada vez mais os homens naturalizarem que tem vontade e que o cérebro comanda e não seu pênis como a maioria gosta de pensar, eles serão menos animalizados também como seres somente sexuais. Libertem-se! Sim, vocês podem! hhehe

  • Lucas Alcardi

    Graças a Deus, hoje temos liberdade para escolher.

    A mulher tem liberdade para dar, ou não, quando quiser, na hora que quiser, para quantos quiser.

    O homem, de igual maneira, tem liberdade para escolher a mulher que quiser, para a finalidade que quiser.

    E sorte existirem muitas pessoas, de todas as características.

    Para mim funciona bem.

    Com quem sairíamos só para dar aquela aliviada, se não existissem as mulheres mais liberais, que liberam sem exigir grandes esforços?

    E pior, com que quem namoraríamos e casaríamos, se todas as mulheres tivessem um comportamento mais promíscuo, que não nos despertasse admiração?

    E assim o mundo vai, pelo menos nesse ponto, bom pra todo mundo…

    • Maggie

      Maravilhoso quando vem um bonito e exemplifica tudo o que é dito num texto!

    • Vicky Rose

      É, gato… Tem muita santa (ou, moça de família, mulher de valor, como você preferir…) que pensa igualziiiinho a você… Seja feliz em sua hipocrisia e troca de chifres. ;)

  • http://facebook.com/chcnlxd Chacon Alexandre

    Alguém aí não se perguntou se este texto foi mesmo escrito por uma leitorA ? Porque tenho certeza de que as reações das comentaristas seriam diferente se o texto fosse escrito por um homem. Embora o texto não deixasse de ser menos interessante, as moças teriam menos concordância com o assunto ou acusá-lo de ‘machismo’ ou algo do tipo. Essa troca de gênero da autoria pode ter sido estratégico.

    • Priscila

      Sério mesmo que você pensa que o machismo está no gênero de quem escreve? ¬¬

      • http://facebook.com/chcnlxd Chacon Alexandre

        Não necessariamente o machismo está no gênero de quem escreve mas a forma de escrever em si propriamente está no gênero. Da mesma maneira que podemos identificar se um texto foi escrito por uma criança ou por um adulto, podemos também fazer a identificação pelo gênero. Claro que não é regra mas em nome de um feminismo muitas mulheres querem parecer com os homens em tudo incluindo algumas idéias à custo de sua sinceridade.

      • Priscila

        Olha, eu não teria tanta certeza, já vi tanto adulto escrever de forma mais infantil que uma criança… :D

        Mas não é nem esse o ponto. O que seria “parecer-se com os homens”?

      • http://facebook.com/chcnlxd Chacon Alexandre

        Olá.
        Claro que o que eu levei em conta não foi a idade mental
        de quem escreve quando fiz a comparação.
        -=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=–=-=-=-=-=-=-=-=-=-
        Mas as mulheres, as feministas querem parecer com os homens nas atitudes e até nos vícios. Existe até a piada que lembra que antigamente as moças cozinhavam como as mães e hoje bebem como os pais. É uma piada mas também uma lastimável isso.

        Está adquirindo o vício do cigarro que antes era tipicamente um modelo de masculinidade. As mulheres estão competindo também na corrida do infarto com o homem proveniente desta vida desregrada. São só alguns exemplos do lado negativo mas uma efetiva igualdade, eixo central do discurso feminista, talvez nunca seja alcançada uma vez que limitações psicológicas e principalmente físicas impõe este obstáculo.

        Quantas moças que fazem um discurso moderninho nos sites e blogs por exemplo têm coragem de mostrar o rosto ou colocar seu nome completo mesmo que seja pouco provável de serem identificadas por algum conhecido real mais próximo ? Já falaram aqui nos comentários que a internet é um lugar de experimentação intelectual. Ou seja, um campo para as idéias. E é isso mesmo. Penso que o que vale no discurso feminista é o discurso em si e o custo da não sinceridade é só um detalhe menos importante.

      • Priscila

        Chacon, a luta feminista não trata de uma suposta igualdade física ou psicológica entre os gêneros, mas da igualdade entre os gêneros enquanto CIDADÃOS. Isso inclui o questionamento dos estereótipos atribuídos pela sociedade a cada gênero. Se você estiver disposto a se informar, eu recomendo o artigo do Alex Castro aqui no PdH sobre feminismo: http://papodehomem.com.br/feminismo/

        Recomendo especialmente as seções 3,10 e 11, já que você mencionou essa questão de “se parecer com os homens”.

        Não usar o nome completo verdadeiro e/ou uma foto real nada tem a ver com feminismo. Há feministas que usam o nome completo e uma foto, há não-feministas que não o fazem.

      • http://facebook.com/chcnlxd Chacon Alexandre

        Olá priscila.

        Não vou comentar uma barafunda de quase 1760 comentários e nem vou ler. Muito longo e não vai me acrescentar em nada.

        Mais do colocar ou não uma fotinha ou seu nome de batismo ou algo assim para defender o feminismo, uma atitude bem simples como essa tem uma força simbólica . O que eu quis dizer é que deve haver a assunção das idéias expondo a cara seja no feminismo ou outro discurso no qual não caiba a hipocrisia. Idéias sem ações caminham juntas… caminham para a nulidade.

        O que eu respeito em algumas idéias feministas é esta busca pela igualdade no exercício pleno da cidadania. Feminismo, femismo, machismo ou masculinismo vejo como malabarismos semânticos para se poder lidar com a mesma natureza de um discurso que gira em torno das diferenças (ou não) entre os gêneros daí, a existência do sexismo.

        Chega. Os comentários a este tópico já ficaram longos e pela minha posição nos comentários difícil de achar até os meus. Encerro meus comentários por aqui. Até uma próxima ! ;-]

      • http://facebook.com/chcnlxd Chacon Alexandre

        Olá priscila.

        Mais do colocar ou não uma fotinha ou seu nome de batismo ou algo assim para defender o feminismo, uma atitude bem simples como essa tem uma força simbólica . O que eu quis dizer é que deve haver a assunção das idéias expondo a cara seja no feminismo ou outro discurso no qual não caiba a hipocrisia. Idéias sem ações caminham juntas… caminham para a nulidade.

        O que eu respeito em algumas idéias feministas é esta busca pela igualdade no exercício pleno da cidadania. Feminismo, femismo, machismo ou masculinismo vejo como malabarismos semânticos para se poder lidar com a mesma natureza de um discurso que gira em torno das diferenças (ou não) entre os gêneros daí, a existência do sexismo.
        -=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-
        Sobre a sugestão: não vou comentar uma barafunda de quase 1760 comentários e nem vou ler. Muito longo e não vai me acrescentar em nada.

        Chega. Os comentários a este tópico já ficaram longos e pela minha posição nos comentários difícil de achar até os meus. Encerro meus comentários por aqui. Até uma próxima ! ;-]

      • Priscila

        Ué, mas eu não indiquei os 1760 comentários, indiquei o texto. Enfim, não posso te forçar a nada. Até a próxima.

  • Leandro

    Concordo. Esses joguinhos são ridículos. Procuro as que queiram e em qualquer lugar: net, balada, puteiro etc. Se vc quer eu tb quero, se vc não quer, tchau e até nunca. Não perco tempo com palhaçada. E outra: quando é bom repito com a mesma trocentas vezes.

  • Maggie

    Dou mesmo quando tenho vontade e não tô nem aí. E, por sorte, a maioria com quem trepei virou amigo e/ou transa eventual, de baixar tesão. Acho que é isso que dói: reclamam TANTO que mulher dá fora que, ela adquirindo mais experiência, a chance desse povo trepar seria negativa.

    Se buceta laceasse, pau também afinaria. Exercito tanto a minha que tá mais forte que muito franguinho machista por aí!

    • Flávio

      Oi, tudo bem?! prazer! (desculpa ai, atitude atrai hahaha)

  • aquiles.marchel

    buceta move o mundo!

  • Lichia

    Não tem nada melhor que transar com sentimento.Sou romântica e me entrego mesmo no ato.Se o cara desistir de mim,é porque ele não se afina com ninguém ou acho que esta inseguro.Acontece muito isso.Eu não quero compromisso mas um pouco de sentimento é sempre bem vindo.

  • Lu

    Enquanto a sociedade não enxergar a mulher e o próprio sexo de outra maneira as pessoas reagirão dessa forma. Hoje em dia as mulheres podem escolher o que querem e o que acham que é o melhor para si. Eu adorei o texto e acredito que a mentalidade tem que mudar, inclusive partindo das próprias mulheres. A valorização vem de si própria, com atitudes. Não é com uma transa. Cada um faz faz o que gosta em busca do seu próprio prazer.

  • Libertário Vultur gryphus

    Li um texto sobre algo parecido o ano passado, que, embora os argumentos do autor se apresentem como hipóteses meramente intuitivas e sem embasamento científico algum, qualquer um concordaria. Acho que o título era algo do tipo “O sistema a favor das mulheres” e falava de algo como um “cartel de buceta”. Não tenho a mínima ideia de onde li, mas o OPRESSOR e o OPRIMIDOS na “história” do referido artigo estavam em posições invertidos desse texto aqui.

  • http://www.facebook.com/rfsoficial Rodrigo F. Silveira

    Um dos problemas disso, de existir “a buceta-troféu”, é essa necessidade que muitos homens tem de sair se gabando que “comeram” a fulana e a ciclana, como se realmente tivessem conquistado um prêmio, e por sua vez, conquistado uma melhor “posição” entre os outros homens, ou mais respeito, que ridículo.

  • CRISTIANO CALVELHE

    Vou dizer uma coisa sem muita pompa. A mulher pode dar o quanto e pra quem ela quiser, a unica responsabilidade que ela deveria ter são com as doenças sexualmente transmissíveis. Homem não gosta de camisinha e mulher não faz questão nenhuma. Quinze anos atrás, o maior responsável pelo câncer de garganta no homem, era o cigarro, seguido do álcool. Hoje, o HPV é o maior responsável por isso, se não me engano, 32 vezes mais que o tabaco. As mulheres aumentaram o número de parceiros sexuais consideravelmente devido a toda essa igualdade de direitos, inclusive os sexuais. Ouso dizer que a mulher nesse aspecto já superou o homem. Exemplo: o cara sai a noite com a pretensão de transar. Talvez ele consiga, mas as chances de sucesso são bem menores do que a de uma mulher que pensou o mesmo.Se vc mulher, quer usar sua buceta e se relaciona seriamente com alguém, seja consciente e use proteção, apenas isso, afinal, a trepada é um direito de todos e o dever de cada um cuidar para que o sexo casual não comprometa a saúde das outras pessoas. Abraços.

    • Iara

      lembrando que HPV se pega mesmo usando camisinha, mesmo não tendo relaçao sexual com alguem infectado

  • Apenas um Jogador

    Cara, KD ESSAS MULHERES TÃO ÁVIDAS POR SEXO? KKKKKKKKKKKK

  • Carol

    Conheci meu namorado na balada, levei ele pra casa na mesma noite e transei bastante (dps de uma seca de 4 meses), sem restrições!!! Qual diferença faria se ele não me ligasse dps? A perda tbm seria dele!! Estamos juntos há 1 ano e meio, muito felizes, ainda apaixonados e ainda transando bastante!!! Boa sorte com seu novo gatinho! *-*

  • http://www.facebook.com/santannaleticia Letícia Santanna

    Onde estão estes homens que comentam no papo de homem e não aparecem na minha vida real? Todo mundo tão maduro aqui… Fico até achando que é uma estratégia maquiavélica pra fazer a gente repensar e dar – ou trocar desejos – de primeira e eles tomarem a mesma atitude secular de nos banalizar depois…

    PS: Achei o texto ótimo, mas temo seu tom otimista seja resultante da volta do carinha… O que raramente acontece.

  • B.

    Tem muta coisa pra ser analisada do motivo do cara querer comer o maior numero de xoxotas que conseguir. Antropologicamente, quando o homem percebeu sua participação na geração de um filho, ele passou a fecundar o maior numero de mulheres para garantir uma linhagem com sua genética, independente da obrigação de ofertar segurança para aquela mulher. Nós mulheres, por outro lado, percebemos que nossos filhos vingavam mais se houvesse uma presença masculina, que provia melhor alimentação e segurança contra qlq adversidade.. A lógica então se estabeleceu nesse momento: homens buscam inumeras mulheres para garantir suas geracões e com variabilidade genetica; mulheres buscam homens mais “caseiros” para garantir a melhor sobrevida da cria. É claro que esse é um comportamento que não se justifica por si só nos dias de hoje, mas isto não deixa de ser uma analise para a situação, uma influência genética comportamental.

    • Iara

      é dificil usar esse argumento como um fator que realmente existe, depois de tantos anos de evolução e de sociedade complexa

  • henriquebg

    O sexo é uma moeda por compromisso e, sinceramente, não acho que isso seja ruim. Um romance sem sexo vira amizade – e ninguém vive só de amigos.

    É essencial para um relaciomento e tem que começar de alguma forma e dificilmente uma pessoa consegue corresponder às expectativas do outro logo de primeira.

    • Priscila

      “Um romance sem sexo vira amizade?”

      vc nunca ouviu falar em assexualidade, né?

      • henriquebg

        Você quer falar sobre exceções ou sobre o que é comum?

      • Priscila

        Assexualidade é mais comum do que você pensa… ;-)

  • carlos

    Então… ultimamente me encomoda certos absurdos que postam sobre os homens e certos clichês colocados pelas mulheres. “O homem não tem compromisso”, “não tem sentimento”, “é acomodado” enfim…. final de relacionamento a gente sempre houve as mesmas coisas. A cobrança é sempre feita ao homem. Vejam bem, cobrança… cobram pelo quê… normalmente estes clichês disfarçam outras coisas “acomodado” é um cara sem grana, sem ambição… estudos revelam que as mulheres sãoi responsáveis pela maior parte dos fins de relacionamente. Um doutor falou que isto é porque a mulher não é acomodada. Mais uma vez a culpa é do homem. Quem tem pau tem medo, pois as exigências para com um homem aumentam cada vez mais. Ele deve satisfazer sua mulher, ser bem sucedido e assim vai. Ora! acomodar-se a um relacionamento é uma forma de coompreender o dia-adia deste, na maioria dos casos o primeiro encontro é sempre bom, depois entra os altos e baixos… Seja como for, me parece que a mulher não está preparada a trocar, mas sempre a exigir em troca…

  • http://www.facebook.com/fetosoni Fernanda Tosoni

    Parabéns pelo texto, sério! Eu sou completamente descomplexada com meu sexo, tive uma ótima educação sexual vinda dos meus pais, e mesmo assim quando escuto comentários do tipo “é claro, deu na primeira vez, como quer que ele se apegue?” tenho um sentimento estranho de ter errado em algum ponto – mas que logo minha lógica responde com “ele também me deu na primeira noite e eu to aqui, querendo mais”. Engraçado é ver a hipocrisia nessa sociedade onde o sexo está explícito em todos meios de comunicação, e se uma mulher resolve ter sexo a hora que quiser é apontada como vadia.

  • Libertário Vultur gryphus

    Bem:

    “Mas daí a concluir que o sexo é uma moeda de troca, um trunfo feminino, um elemento de barganha pela afeição do homem é absurdo.”

    Concordo que é absurdo utilizar sexo como uma moeda de troca, todavia, a idéia de ser um trunfo feminino é percepção de ambos os sexos, acho que até mais por parte das mulheres, que acham que a buceta delas é “o que há”. Muitas pensam: “não nada melhor para ‘prender’ um homem do que uma boa chave de buceta, mas só quando ele merecer”.

    “Tratam-se de duas versões – uma hard e outra soft, uma contemporânea e outra antiga – do mesmo discurso machista.”

    É muito fácil culpar o machismo. Machismo que, hoje então, põe-se quase que algo herdado “geneticamente (entre aspas)”, uma metade do pai e outra da mãe. Parte de nosso pai, que nos ensinou a ser macho ou nos tratou com todo o mimo de princesa; e parte de nossa mãe, que nos ensinou que meninos se vestem de azul e meninas de rosa. Mas onde está a origem do machismo?

    “Ora, até então quem carregava o fardo das consequências potenciais do sexo era a mulher. Era, portanto, mais do que natural que ela regulasse o acesso masculino ao seu corpo”.

    O que possibilitou a mulher regular o acesso masculino a seu corpo foi à rasa civilidade que o bicho homem adquiriu ao logo de sua socialização, pois em outros tempos, provavelmente seria estuprada com horrenda naturalidade. Eu digo rasa civilidade, pois estupros estão longe de serem abolidos de nossa sociedade dita civilizada (a Índia está aí para não nos fazer esquecer de o quão trogloditas ainda podemos ser).

    O fato de, no sexo, o homem fazer papel de violador e a mulher de violada tem um peso muito pequeno nessa equação. Penso que a atribuição desses papéis (violador/violada), se dar mais por questões meramente física-morfológica (o pênis é fálico, externo e ameaçador e a buceta é uma invaginação adentro do corpo feminino, “bainha de rola”) ou geométricas (hein?!), muito embora contribua, mesmo que pouco, para que a mulher tenha um instinto protetor em relação a seu membro.

    Creio que o fator maior para a origem da buceta-troféu tenha origens em aspectos culturais, principalmente no puritanismo das religiões abraâmicas (judaísmo, cristianismo e islamismo), que vêem no sexo algo sujo e pecaminoso, ao contrário de outras religiões que viam o sexo como algo sagrado. Afinal, todos já ouviram falar do cama sultra. Kama representa o amor e o prazer e é uma das três bases da religião hindu, juntamente com o Dharma e Artha. Nas religiões abraâmicas é que nasce o “pensamento” que todos atribuem como “machismo”. As famosas bacantes gregas praticadas antes da idade média me fornecem melhor prova disso. Na idade média, quem ousaria a praticar ato que o cristianismo julgava tão sórdido?

    Acho que minha tese é tão válida que, com a crescente perda de poder por parte da igreja (salve a Revolução Francesa!), por volta do século XVIII (eu acho…), as surubas e bordeis ressurgem novamente pelo velho continente, principalmente na França. Viva a sacanagem!

    Por último, se existe uma parte do corpo feminino que trato como troféu, essa parte é o cu. É difícil de consegui… Brincadeirinha (será?).

  • zu206

    O mais decepcionante nesses textos feministas é que as autoras, por alguma razão se mostram escrachadas, como se tivessem que adotar esse estilo para serem respeitadas. É possível construir um excelente artigo de opinião sem precisar adotar esse tipo de postura. Sei lá, toda vez tem que ter palavras de baixo calão, por exemplo. Tudo muito clichê.

    • Priscila

      Escreve “nesses textos feministas” (quais? os do PdH? os da internet? os anônimos?) e vem falar de clichê… ¬¬

      Não tem problema em não gostar de palavrões – várias feministas também não gostam -, mas tem problema em formar pré-julgamentos por causa deles.

      Se você quer conhecer uma feminista que escreva sem palavrões, recomendo a Lola – escrevalolaescreva.blogspot.com

  • Nany

    Texto perfeito.. Na primeira vez que saí com meu namorado o lance era pra ser só sexo e estava bem explicita essa condição, pois ambos não tinham a menor intenção de ficar sério. Continuamos saindo apenas por prazer e depois começou a pintar sentimento, não que eu transasse com todo mundo na primeira vez, mas se dá vontade é só pegar uma camisinha e porque não fazer? Sexo é tão bom, ainda não entendo as pessoas que se dizem tão a frente do seu tempo julgarem as Mulheres por apenas quererem sentir prazer. Pra mim essa sua amiga nunca teve um orgasmo e por isso falou essa bobagem pra você. Penso que, antes de comprar um carro é necessário fazer um test drive, afinal, aquele cara maravilhoso que te leva pra jantar, te trata como uma princesa no fim das contas vai querer meter, sem preliminar, gozar, te dar dois tapinhas nas costas e dizer: Valeu ae!

  • adriano

    Não gostei da nota da autora. A autora não precisava “se explicar”.

  • Marcelo Nicolau

    O velho papo doido do psiquiatra q te ensina como viver alegremente, conformado, calado e sem jamais se aborrecer.

  • Pingback: Sweetlinks: Os links mais quentes encontrados na web #013

  • Pingback: Sweetlinks: Os links mais quentes encontrados na web #013 | Cabeça Xata

  • Pingback: Sweetlinks: Os links mais quentes encontrados na web #013 « Cabeça Xata

  • Raissa

    Meu deus, acho que fomos nos, humanos, que inventamos essa coisa de joguinhos e esperar o homem mais ”preparado” para lidarmos. Isso eh a natureza, querida! Animais tem que competir o tempo todo pelo o tal trofeu. Bufalos lutam ate a morte. Eh mais do que justo que eles se provem para a gente. E cabe a nos, escolher bem. Homens falam para todas as mulheres que querem pegar que nao se importam, nem julgam, aquelas que liberam da primeira vez… tudo lindo, nao? AGora vai se enfiar numa rodinha de homens. Por favor, tenha essa experiencia. Eles destroem toooooodas, dizem que so comeram e nunca mais, que foi facil demais, que ja provou e nao quer mais. Desculpe, mas a verdade eh essa. Alias foi por esse motivo que o texto comceou, nao eh?

    R.

    • Flávio

      Beleza! Então da próxima vez que um cara te conquistar, gastar contigo e apresentar força física, deixa ele te comer da maneira que ELE quiser e depois te largar. E detalhe, você não tem escolha, se ele te ganhou, você VAI dar. Um viva à mãe natureza!

  • http://www.facebook.com/ASODM Anderson Oliveira

    Perfeito. Contanto que não haja a banalização e vulgarização por ambas as partes.

  • Luana

    Fantástico, brilhante. Nunca antes havia lido um texto tão bem pautado, e com um embasamento tão imparcial e coerente. É uma pena o anonimato!

  • Lulu

    Ótimo. Não só os homens, mas as mulheres precisam parar de ser machistas. Esse negócio de sair e transar de primeira vc não se valoriza, pelo amor, né? E o pior é q vários pensam isso e vários correm antes mesmo de rolar a primeira. É um saco sempre ter q dar o primeiro passo, viu? Se para os homens mulher q faz cú-doce é um saco, imagina homem fazendo isso. Não que ele deva sair só pq a mulher quer, mas se ele está com vontade e a mulher já quer partir p o q interessa, pronto, já era. Vai entender!

  • http://www.facebook.com/people/Tati-Serain/100002024913701 Tati Serain

    Texto otimo e inteligente que reflete exatamente o que eu penso… Mas ainda vai demorar séculos para a sociedade compreender e absorver esse comportamento…. Mas um cara que pensa diferente provavelmente nao vale a pena!!!!

  • medusa_byron

    Que horror, quanta falta de atualização. A terceira onda feminista, com JUdith Butler e sua Teoria da Performancxe já veio desde os anos 90 para solapar a tese machista do Sr. Engels, que liga o machismo á propriedade privada e não a “macheza” e a virilidade masculina (por mais incrivel que possa parecer). Não á toa, partidos e instituições de esquerda estão tomadas por barbudões machistas.

  • Paloma

    Belíssimo texto. Se o ‘mundo’ aderisse a esse pensamento, existiriam (com certeza) menos mulheres frustradas e homens com a ilusão de que são seres superiores e intocáveis.
    Meu povo, vamos acordar pra vida. Sexo é bom e deve ser, sim, feito. RESPONSABILIDADE resume tudo, fazer e saber fazer! O resto é orgasmo puro! :D

  • Rafael

    Curti a visão da autora do post, tenho uma opinião sobre o assunto que acredito ser o motivo dessa supervalorização da buceta troféu. O Macho Alfa não foi criado pelos homens, e sim pelas mulheres, e a santa enrustida, aquela que quer dar mas não da pra se fazer de difícil imaginando que isso assegurará com mais facilidade um compromisso não foi criada pelas mulheres e sim pelos homens, vamos aos fatos, eu homem, quanto mais mulheres eu pego, mais mulheres irei pegar, mulheres se interessam pelo cafajeste pelo sarado, pelo bonito, pelo rico (ou que se passe por isso), pelo homem em evidência, sem generalizações, mas a maioria devastadora, isso faz com que homens com comportamento diferente desse macho alfa acabem ficando para trás, seja no sexo com ou sem compromisso a vida desse homem acaba ficando mais difícil sexualmente, tenho vários amigos com o comportamento alfa, se dão muito bem, pegam muito e pegam bem, e do contrário, caras legais, inteligente, cheios de qualidade e nem sempre feios, mas não tem esse comportamento alfa, acabam ficando deprimidos por serem rejeitados, então para se dar bem o homem necessita ser assim, para ser aceito entre os homens e entre as mulheres, independentemente de querer compromisso ou não, do lado feminino, as mulheres que vivem a vida despreocupadamente em relação ao sexo, que tem uma vivência sexual invejável, que desfruta de sexo com e sem compromisso sem as encanações da sociedade, acabam sendo taxadas pelos homens como mulheres não confiáveis, e pelas mulheres (invejosas por não terem a mesma coragem mas com a mesma vontade) como vadias, mulheres com esse tipo de pensamento geralmente não fingem orgasmo, afinal não precisam, não ficam sozinhas, pois tem diversos partidos aos seus pés, mas em algum momento podem sofre um prejuízo por alguém muito atrasado que poderia sim ter uma excelente experiencia com essa pessoa. Então não há para onde fugir, e sim siga seu instinto e foda-se a opinião do resto, (hoje estou a 6 anos fora do mercado, já namorei sério a vadia [e sinto muitas saudades], hoje namoro a santa por ironia do destino, e ainda luto para livrá-la das garras dos tabus da sociedade).

  • antonio

    Podem me criticar, mas eu acho que quem disser o contrário está sendo hipócrita. É óbvio que se vc for considerar ter um relacionamento sério com uma mulher, tipo namoro ou até casamento, qualquer homem vai preferir uma mulher mais recatada, mais comportada, do que uma mulher que vc sabe que já deu pra galera, que muita gente já pegou, que vai pra balada e dá pra desconhecidos. Putz…. infelizmente ou felizmente, nada me fará pensar diferente disso. Algum homem preferiria a mulher rodada?? Se alguém disser que sim.. .pra mim é hipócrita.

  • V.M.

    O texto é muito bom.Dá um panorama geral e abre portas para reflexões do que realmente vale a pena ou seja uma relação mais igualitária e consequentemente mais colaborativa entre homens e mulheres. Abraços

  • Carla

    O fato mais triste disso tudo é que a vida é muito curta para relações tão mentirosas, pra tanto jogo, pra tanto teatro… O ser humano insiste em ser um infeliz, mesmo quando tem algo tão prazeroso como o encontro sexual à sua disposição. Não pude deixar de me lembrar de uma tela do pintor René Magritte chamada “O Beijo dos Amantes”, onde um casal se beija ao mesmo tempo em que escondem mutuamente seus rostos. Ou de lembrar do exemplo que Sartre usa para tratar do conceito de “má-fé” (apesar de má-fé ter outro significado), quando apresenta a clássica situação na qual uma mulher “se deixa conquistar” por um homem apenas para não ter de assumir a intensidade do próprio desejo: ela se entregou apenas porque foi seduzida. Isso ainda é absolutamente comum. E assim seguimos em nossos fingimentos contemporâneos, ignorando a possibilidade de relações mais autênticas… Sempre brincando de fingir que a morte não existe.

  • charlenejb

    Tenho orgulho de dizer que nao passei esses valores absurdos para minhas filhas,apesar de ter sido criada dentro desse conceito idiota. O texto e maravilhoso.
    Ate pq a mulher nao da, empresta..

  • Maria

    aaadorei ;)

  • http://www.facebook.com/meelqsz Melq Rodrigues

    Excelente texto. Mas será que só eu que acho que tratar o sexo como se fosse uma coisa banal, algo como puro envolvimento carnal é uma coisa ruim? Se tudo na sociedade se resume definidamente a sexo, em que ponto nos diferenciamos de animais? Vivemos única e exclusivamente a busca de um prazer maior ? Acho que o texto foi realmente genial e que mais texto como esse deveriam ser escritos, mas ainda acho também que isso é uma parte tão pequena da questão que chega a ser irrisória (não menos importante, só pequena) esse é um assunto extremante complexo, pode parecer que não, mas toda uma sociedade e seus conceitos, dogmas e paradigmas são afirmados a partir de tal preceito (mulheres são objetos a serem conquistados). por isso digo que mais que uma mudança de hábitos é necessária, é necessária uma real reestruturação da sociedade como um todo, algo que sem dúvida não verei nessa vida ;)

    Ótimos Cometários, perdi horas lendo quase todos e realmente seria “divertido” colocar esse “combate” de ideias e diferentes pontos de vista em uma “arena” para realmente chegarmos à uma conclusão ou a um ponto de partida <3

  • http://www.facebook.com/lia.rodrigues Lia Rodrigues

    É disso que eu estou falando!

  • denise medeiros

    perfeito, realista, foi a fundo do q realmente acontece nos relacionamentos, na minha opinião falidos, se continuarem a se basear nesses modelos ultrapassados e q não servem a mais ninguem….

  • Tonibill

    Tem um fator que serve para varias situacoes semelhantes , e o da idelaizacao que fazemos de nos e por tanto fazemos das outras pessoas , sobre a questao nos relacionamentos homem -mulher e comum , a experiencia nao se limita a primeira relacao ou ao modo como se reage a respeito de interesses particulares , o problema e de todos que sao imaturos , que conseguem se passar por maduros simulando uma coisa e depois agindo de outra forma surpreendendo o outro que se idelaizou e acabou se enganando sobre com quem se deitou realmente , e do que se passou pelo que nao e e depois que levou o trofeu vai ter que ficar com a consciencia que de repente nao curtiu a realidade boa e profunda que deveria enquanto o outro pode ate te-lo feito!!!

  • Órus

    Quando o assunto é sexo, todo mundo sempre tem alguma coisa na ponta da língua pra dizer…

  • Ricardo

    Eu só desapareço quando o cheiro da “querida” é forte. O que ocorre em 70% dos casos. As mulheres deveriam ir com mais frequencia ao gineco.

  • Jerônimo Rubim

    Bravo, bravíssimo.

  • gabas

    concordo com tudo isso ai que essa mulher falou.

  • Guest

    Mas vc pode demorar para dar pois quer que o momento seja mais intenso.

  • Pingback: Ninguém resolve nada antes do carnaval | Janeiro foi foda | PapodeHomem

  • Jr

    Ser taxativamente contra o aborto (o mais hediondo dos crimes) agora é ser machista?
    Mas quem foi a anta que escreveu isto?
    E ainda fui perder meu tempo lendo as idéias de uma idiota!
    PQP!

  • http://www.facebook.com/people/Daniella-Carelli/1486523849 Daniella Carelli

    Ri muuuitooooo. :) Mas só tem verdades aí.
    Pena que ainda tem muito homem atrasado e mulheres ainda piores – muito mais preconceituosas com a própria “classe”.

  • Bilu

    Gente, é muito mais simples. Se trepou comigo no primeiro dia, é porque ela faz isso frequentemente. Ninguém quer andar no shopping com uma mulher que todo mundo comeu. Melhor tentar a próxima do que depois ter que lidar com o conflito de ter se apaixonado pela vadia da cidade.

    • Lady McBeth

      E você aceitou trepar. Então sinal de que você também é “rodado”. Se as mulheres rejeitassem todos os caras que querem transar no primeiro encontro, a humanidade provavelmente pereceria.

  • Marina

    Eu acho que a escolha das mulheres em geral em fazer ou não depende muito do que ela realmente espera depois disso, que tipo de relacionamento ela iria manter depois deste fato. Muitas ja se dizem ”bem resolvidas” e não passam vontade, sem se preocupar com o que os outros vão dizer. Eu não concordo com este comportamento e admito ficar indignada, pois anceio constituir família e fica cada vez mais difícil algum homem desejar isso hoje em dia, ja que o sexo se banalizou e a mulherada se encontra cada vez mais ápta em praticá-lo sem nenhum compromisso. Pra que casar não é mesmo? e se ha casamento com certeza haverá traição, pois qual homem irá resistir a tanta oferta e disponibilidade? Até essas mulheres que se dizem bem resolvidas são sentimentais, por mais que falem não se importar, sempre vão lamentar o fato de o cara não ter ligado, de não terem sido mais valorizadas, sempre vão querer se sentir especiais e capazes de atrair uma atenção exclusiva. Mas que homem vai valorizar essa atitude? pois se foi fácil pra ele, será fácil pra qualquer um outro… Podem até dizer que não ligam, mas esse pensamento sempre predomina, é fato.

  • po, eu discordo de alguns detalhes. Eu acho q o sexo deve ser, sim, resultado de um relacionamento sério. É claro que não adianta nada ficar se arrependendo da transa sem compromisso ou que não resultou num relacionamento.
    Mas isso não muda o fato de que o sexo é uma entrega, tanto do homem quanto da mulher, e que envolve muito da intimidade. Sexo é algo q mexe direto com o inconsciente. Acho que há um sem número de pessoas, homens e mulheres, que preferem viver o sexo dentro de um relacionamento firme ou próximo de um ideal romântico.

    Nada disso tem relação necessária com machismo.

  • Delano

    Adorei cada letra do texto!

  • PauloJunior

    Achei o texto interessante e concordo com ele em partes, mas me diz não seria trocar eles por elas? O feminismo para mim é só um subproduto do machismo, não acrescenta algo maduro, tenta ridicularizar uma ideia e impor outra, não seria natural que algo evoluído simplesmente fizesse uma critica apontasse seu ponto de vista e deixassem as pessoas escolherem?
    Por que então sempre que vejo uma critica feminista ela sempre é carrega da msm estratégia parecida com aquilo que eles atacam. “Isso é errado, isso é certo, vc tem que fazer assim para ser X”. Enfim creio que bastar vc apontar a sua opinião, mas para mim esse texto só é uma versão feminina do machismo. Mas tbm já estou cansado da mulher troféu e do pseudo garanhão, que na maioria das vezes é um desocupado sem perspectiva de vida.

  • Wlad

    Homem que dispensa mulher só porque ela transou logo de cara tá perdendo uma mulher sexualmente madura, segura e que, na minha opinião, só traz vantagem à ele!

  • Edu

    olha a autora foi um pouco emotiva e não conseguiu dissociar a argumentação do caso dela…não é justo nem adequado que a moeda de troca e santo graal continuem , pq apresentam retrocessos para ambos os sexos, porém, não deve ser buscada uma banalização do sexo. No caso em que o sexo seja tão banal quanto um aperto de mão, é provável que será quase tão prazeroso quanto…

  • Hugo Teixeira

    Identificar que todos problemas do relacionamento (inclusive o sexo) entre homem e mulher (ou até mesmo entre casais do mesmo sexo) é resultado de uma ideologia ou um conjunto de valores, como o “machismo”, é inútil e não sanará o problema. Independentemente do machismo, o problema não tem solução. O principio básico do “prazer” é a sua privação. A liberdade (inclusive a sexual) tem um preço, e a necessidade de “transgredir” talvez seja inerente ao homem (e às mulheres)…

  • Petrus Silva Costa

    Publicaremos este post hoje na comunidade “queremos ética” do FB, como tema para discussão. Dados os devidos créditos. Abraços.

    PS.: Caso deseje que não o façamos, fique à vontade para pedir que o tiraremos.

  • Ricardo

    Um ditado explica isso melhor do que todo esse texto, e a tentativa de dar uma “gênese social”: “Peitos custam caro, já pênis são de graça” – isto é, o órgão masculino é a coisa mais fácil de se conseguir. Por isso mesmo, não valem nada, a não ser que venham acompanhados de algum outro troféu: dinheiro, uma beleza extraordinária etc. Já o órgão feminino é como VISA: é aceito em todo lugar. Mesmo uma anã ou uma mulher muito feia consegue sexo muito fácil, mas, por isso mesmo, não há mérito. Por outro lado, conseguir sexo fácil para um homem é sinal de que ele tem um diferencial muito grande: ou é famoso, ou super interessante, ou rico, etc. O mito do garanhão, portanto, tem fundamento. A mulher que usa de seus atributos para se dar bem é amaldiçoada, mesmo – e talvez mais ainda – pelas outras mulheres, porque está simplesmente se aproveitando de uma facilidade.

  • Roberto Farias

    Eu acho que quando o sexo rola logo na entrada, a questão pega mais. Muitos não querem uma mulher que provavelmente já tá com a quilometragem alta. Sim, é puro machismo. Mas eu conheço muito, que como eu, não se importam se a mulher é virgem ou não. Mas se ela se entregar pra você no primeiro encontro, provavelmente já se deu a outros também no primeiro encontro. E geralmente os caras que conheço não querem nada sério com uma mulher fácil.

  • Immer Sonnen

    Simples e perfeito. Como tudo deve ser, até o sexo. Parabéns leitora anônima.

  • Frederico

    Demais!! Excelente texto!!!

  • Tárcio

    Uma
    vez eu comentei com um amigo e disse que tinha orgulho da mulher pelas
    conquistas sociais mas temia que a mulher cometesse os mesmos erros que
    os homens principalmente no que diz respeito a relacionamento afetivo,
    torcia para que não houvesse uma “mecanização” das relações afetuosas,
    erro que a grande maioria dos homens comete. Numa sociedade cada vez
    mais liberal é de se esperar que textos como este surjam, afinal “se ele
    pode, porque eu também não posso?” nada mais justo, eu sempre critiquei
    homens que se vangloriavam de suas conquistas sexuais, partindo do
    pressuposto que as pessoas possuem sentimentos e não acho justo brincar
    com eles. No meu caso eu sou old school, cafonão e antiquado acredito no
    amor em sua essência, o texto exorta as mulheres a serem tão liberais
    quanto os homens em nome da igualdade, quando na verdade gostaria que
    ambos tantos homens quanto mulheres não vissem o sexo simplesmente como
    uma necessidade fisiológica.

    • V.

      Não me parece que o texto quis dizer isso. O texto me parece ser contra uma espécie de Sacralização do sexo, o que não necessariamente quer dizer apoio a vanglorização das conquistas sexuais.

  • R C

    É coisa de cultura religiosa e moralista, tipo a nossa.

    Se as pessoas se preocupassem em valorizar a propria Auto-Estima, de maneira saudável, mantendo a mente, o corpo e o circulo social saudaveis não precisariam se preocupar em ser garanhão, ou menina de familia.

    E fazer o que quiser, quando quiser sem ter que dar satisfação, sobre onde e em quem botou o pau, ou o que entrou na buceta e de quem era.

    Homens querem gozar(assim como as mulheres), isso de ser garanhão, Casanova…acho meio conversa fiada.

  • Diego 4100

    Apoio as mulheres praticantes do sexo casual, já que são um ótimo passatempo . Para compromisso sério passo longe desse tipo de vagabunda. Pra quem acha que existe ex vagabunda, vai uma dica: compre um carro com teto solar, vai precisar.

  • Nestor Oliveira

    Porque as mulheres possuem hímen, ou porque as mulheres ficam “marcadas” na primeira relação?????

    • V.

      Porque homens possuem mamilos? Nem tudo no corpo da pessoa tem uma função ou é útil para alguma coisa.

  • Gustavo

    Muito interessante o texto! Gostaria somente de pontuar, em favor dos homens que não se incomodam com a iniciativa e o prazer feminino em relação ao sexo, que às vezes quando o cara some, é somente porque tem algumas mulheres que são ruins de cama, e isso é uma coisa muito difícil de se explicar sem ofender alguém!

  • Thel Martins

    Ah questão é evolutiva. Já viu nas cadelas? Quanto mais para elas melhor… Mas para as femeas humanas, o que importa é a qualidade do parceiro, o homem está sempre em busca de várias parceiras para disseminar seus genes e procriar a espécie, e a mulher está em busca do melhor parceiro para propiciar um filho forte e voraz… Não fui eu quem fiz as regras, foi a evolução :/

  • bruca

    Vai pra Austrália, lá as mulheres transam sem miséria.

  • Natasha Adams

    Transei com meu namorado no primeiro encontro, ele diz que se apaixonou por mim no primeiro beijo, e no terceiro estava me pedindo em namoro…
    Também já saí com um cara que enrolei por mais de um mês sem transar com ele e não transei porque simplesmente não tive vontade… quando saio com um cara faço o que me da vontade e na hora que me da vontade, se o cara acha que sou isso ou aquilo por não fazer esses joguinhos aos quais não tenho a mínima paciência, então simplesmente constato que ele não era o cara certo para mim.

    • Eduardo-k

      Até que enfim eu encontrei uma mulher que realmente tem personalidade, e trata o sexo com naturalidade e espontaneidade que este deve ser tratado, meus comprimentos por isso.

  • Bruno De Oliveira Moreira

    Muito ruim. A menina deu porque teve vontade, o cara demorou pra reaparecer. Então vem a conversa sobre como os homens são culpados, e quão vítimas são as mulheres. Deu porque quis, o cara sumir ou não é consequência. Só não vale sair do papel de protagonista e se vitimizar.

  • quase quarenta dedo molhado

    tive preguiça de ler tudo …..isso prá mim é ser prática …assim como o sexo pra mim deve sim ser natural ,,,tanto quanto as tarjas que seguem pós coito SEMPRE …mesmo que em silêncio .
    desde criança nunca fui chegada a jogos e qdo jovem nunca fui da jogatina …mas sempre me joguei e ser virgem foi resolvido com praticidade em um favor atendido por um amigo .
    hj beeeeemmmm mais velha , ainda me vejo com PREGUi ça desta mesmisse comportamental tto dos homens qto das mulheres ….
    but … set la vie …
    amo sexo amo namorar amo viver .tem caras que somem , tem caras que grudam , e isso é banal e corriqueiro nos bares e igrejas da vida .

  • No One Knows

    Leio o texto, OK, vou inventar de ler os comentários puff lascou, nó na mente. Mas uma coisa que sempre me pergunto é, porque é tão fácil pra uma mulher “dar” e tão difícil para o homem “comer”? isso é resultado da buceta troféu? afinal isso foi criado por nós mesmo (homens), ou seja dificultamos nosso acesso a uma das nossas necessidades básicas ? que dor de cabeça;

  • Thiago Di Rosato

    Eu chamo isso tudo de “sofreguidão olímpica”.

  • inacio pinto

    eu acho que vc é traumatizada demais, minha filha. vc deve ter sofrido demais. com certeza existe muito homem safado, mas com certeza na mesma proporcao que homem safado também existe mulher safada que se aproveita de homem do mesmo jeito, mas com outros tipos de atitudes. seja um pouco mais cabeça aberta, e deixe seu trauma de lado quando for falar de questões claramente controversas. bastou vc atribuir uma relação do seu trauma com as ditas “atitudes machistas”. isso é simplesmente biológico, teoria da evolução de Darwin.
    Satisfações minha cara!

  • merit

    é simples: existem homens e moleques e existem mulheres e menininhas.
    agora é só descobrir quem é quem!

  • Fernando

    É o que eu penso já há algum tempo. Digo o seguinte: se a mulher, ao dar a buceta, entregou o ouro, deu tudo de si, então a conclusão é uma só: a única coisa que presta na mulher é a buceta. Deu ela, acabou, não tem mais nada que preste, hora de partir pra outra. Companheirismo, inteligência, simpatia, não contam então.
    Eu já penso diferente: se a mulher me dá logo a buceta dela, é só uma das várias coisas que ela tem. Ela pode ter muito mais coisas que eu queira. Ou não. Pode ser que eu só queira a buceta dela. Pode ser que eu desapareça depois. Mas, pelo menos, ela gozou e eu também.

  • Geici Costa

    O que me deixa mais triste é saber que as próprias mulheres são machistas… Hoje mesmo, vi um vídeo, um desses canais do you tube muito assistido por aí, que a moça, uma escrota, que fala muitas gírias, comenta sobre sexo no primeiro encontro. Ela se diz totalmente contra…Cheia de moralismo, dizendo que toda mulher gosta de romantismo e que depois de transar com o cara, vai ficar pensando em ter filhos, em casar… PQP! Existem muitas mulheres que tem um comportamento sexual libertino e não ficam pensando essas idiotices e nem ficam se sentindo ” culpadas” no dia seguinte e muito menos ” esperando a ligação”, mas isso infelizmente é o que a maioria da sociedade pensa…
    Agora me diz, qual a lógica de não transar no primeiro encontro, se estiver afim, se o cara só quer transar vai sair com a mulher até que ” consiga”!
    E se o cara pensar que a mulher é uma ” vadia fácil”, por quê querer namorar alguém com pensamentos estagnados em 1950?
    o Cara tem que ver que a mulher se posiciona e não fica reprimindo as próprias vontades, simplesmente porque o cara ” gosta de conquistar” , foda-se o sentimento de conquista dos idiotas que pensam assim. Se está a fim de transar no primeiro encontro, Transe!, com camisinha, claro. Lavou? Está limpo! Não sacrifique sua buceta por causa de um idiota….

  • Gustavo

    Passo por uma situação estúpida como essa, mas do lado da mulher. Nós já nos conhecíamos, ela era muito bonita e gostosa, depois de um longo tempo resolvi investir. No ano novo eu liguei pra ela disse que gostava dela e queria sair com ela. Ela perguntou porque eu nunca disse nada, pois ela também sentia atração por mim e nós tivemos várias chances de ter ficado. Convenci ela de que foi melhor assim, e depois de uma semana conversando por telefone e trocando SMS, na sexta-feira ela me convidou para ir a casa dela, já por volta de 23:00, eu, lógico, fui. Dormimos juntos, tivemos uma noite bacana.
    Continuamos nos falando, eu ligo pra ela pra gente poder se ver de novo, ela me liga ou manda SMS na madrugada dizendo que tá com saudade de mim, até perguntando se eu já havia pensado em ficar sério com ela. Todavia, ela sempre tem a mesma desculpa. que apesar disso tudo, ela tem vergonha de mim, pois ela nunca tinha ficado com um cara na primeira vez, que fomos até irresponsáveis por não usarmos preservativos, e que por isso ela não se sente bem. Ou seja, eu que deveria ter pulado fora por ela ter transado comigo logo de cara, fiquei a ver navios por que ela acha que eu violei um os princípios dela.

Papo de homem recomenda

Assine o Papo de homem

Curta o PdH no Facebook
  • 5408 artigos
  • 655709 comentários
  • leitores online