Quando o estresse bate forte, você sabe o que fazer?

Vale a pena ficar rico?

  • Nossos atuais Mecenas:
  • 130x50 jpg

Muita gente dá o sangue, o suor e as lágrimas em busca do objetivo de vida de ser rico. Rico. Com R maiúsculo.

Ter um monte de grana. Poder entrar no restaurante que quiser e mandar vir o vinho mais caro, sem nem olhar o preço. Ir da casa da cidade à casa de campo de helicóptero. E da casa de campo à casa de praia de iate.

Dizer "foda-se, tá aqui o meu dinheiro" para todos os problemas. Se tiver que sofrer, que seja numa Ferrari ou a caminho de Paris. Ou Dubai. Eu acho que prefiro Dubai.

Mas o lance é: raramente vemos alguém que chegou nesse ponto falando abertamente, sem ostentação, sobre como é a sua vida. É tão boa quanto nos parece? Está tudo tão bacana quanto você achava que seria? O sangue, o suor e as lágrimas valeram a pena?

Dá pra reclamar?

Há um site chamado Quora, que é basicamente um Yahoo!Respostas frequentado apenas por pessoas inteligentes. Diversas perguntas interessantíssimas são postadas lá todos os dias, e frequentemente com respostas ainda melhores. A pergunta do título deste texto foi feita recentemente, e o teor das respostas foi esse:

“Ser rico é melhor que não ser rico, mas definitivamente não é tão bom quanto você imagina”

A resposta mais votada pelos usuários foi essa:

Eu enriqueci $15M [milhões de dólares] quando tinha 20 e poucos anos, depois de vender uma empresa de internet. Conversei com muitas pessoas sobre essa pergunta, e pensei muito sobre como permanecer a mesma pessoa que eu era depois de ganhar tanto dinheiro.
A resposta é um pouco complicada.
Primeiro, uma das únicas coisas realmente boas de ser rico é que você não precisa mais se preocupar com dinheiro tanto quanto antes. Ainda há algumas coisas que você não pode comprar (e você gostaria de poder), mas a maior parte das despesas pode ser feita sem se preocupar com o preço. Isso é definitivamente ótimo, sem dúvida.
Mas ser rico tem lá os seus problemas. Você deve estar pensando que eu estou reclamando de barriga cheia, e esse é exatamente um dos problemas. Você não pode mais reclamar de nada, nunca. A maioria das pessoas imagina que ser rico é atingir o nirvana, por isso você não pode mais ter nenhuma necessidade humana ou frustrações ao olhos públicos. Você ainda é apenas um ser humano como qualquer outro, mas as pessoas não te tratam mais assim.
Outro problema: a maioria das pessoas quer algo de você, e pode ser bem difícil sacar se alguém está sendo bacana contigo porque gosta de você ou porque está atrás do seu dinheiro. Se você ainda não for casado, boa sorte tentando descobrir (ou vivendo com a dúvida) se a outra pessoa te ama ou ama o seu dinheiro.
Isso sem falar dos amigos e família. Talvez a sua relação com eles não azede de uma vez, mas provavelmente ficará mais difícil. Eles podem começar a ficar estranhos e te tratar diferente. Podem pedir dinheiro emprestado (má ideia: se for para ajudar, que seja como um presente). No Natal, eles passam a não gostar dos seus presentes como antes. Eles pensam que só porque você é rico, vai dar algo caríssimo, depois se decepcionam. Você começa a precisar decidir o que é caro demais ou de menos em se tratando dos seus pais, e, numa boa, é bem chato.
Some tudo isso, e o resultado é um certo senso de isolamento.
(...)
A próxima coisa que você precisa entender sobre dinheiro é o seguinte: todas as coisas que você se imagina comprando só têm valor para você porque você não pode tê-las (ao menos não sem trabalhar muito duro). Talvez você sonhe com um Audi topo de linha – quando você puder comprar um numa boa, não vai significar tanto.
Tudo é relativo, e não há muito que você possa fazer a esse respeito. Sim, no primeiro mês em que você estiver dirigindo um Audi, ou comendo em restaurantes caros, você vai adorar. Mas aí você se acostuma. E então você começa a querer o que está lá na frente. Você redefine suas expectativas, e tudo abaixo daquele nível se torna desinteressante de novo.
Isso acontece com todo mundo. Boas pessoas conseguem manter uma certa perspectiva, lutar contra isso e manter os pés no chão. As piores, reclamam e cometem atos aleatórios de babaquice. Mas lembre-se disso: aconteceria com você também, mesmo que você talvez ache que não. Confie em mim.
A maior parte das pessoas têm a ilusão de que, se tivessem mais dinheiro, as suas vidas seriam melhores, e elas seriam mais felizes. Aí elas ficam ricas, isso não acontece, e elas entram em crises sérias.
Se você está ao menos na classe média, tem todas as oportunidades de fazer da sua vida o que quiser. Se você não está feliz agora, não vai ser o dinheiro que vai te fazer ficar.
Rico ou não, vá fazer da sua vida o que quiser que ela seja, sem usar dinheiro (ou falta dele) como desculpa. Saia, se envolva, seja ativo, corra atrás da sua paixão e faça uma diferença.

Se você entende inglês (e deveria), recomendo fortemente que clique aqui e veja todas as respostas. Há várias, uma mais interessante que a outra, variando de “me tornei mais infeliz por causa do dinheiro” a “claro que vale a pena. Eu nunca vi um rico querendo voltar a ser pobre”.

E você, o que acha? Seria incrível se algum leitor do PdH em próspera situação financeira pudesse dar um relato sincero e sem bullshit sobre a sua experiência de ter todo o dinheiro que precisa.


publicado em 27 de Outubro de 2012, 16:04
File

Fabio Bracht

Toca guitarra e bateria, respira música, já mochilou pela Europa, conhece todos os memes, idolatra Jack White. Segue sendo um aprendiz de cara legal.\r\n\r\n[Facebook | Twitter]


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: