"Tenho amigos, uma família maravilhosa, uma empresa de sucesso e amo minha minha mulher. Mas não me sinto feliz." | Mentoria PdH #3

A cada semana, uma pergunta. E a comunidade responde e ajuda coletivamente, com base em suas vivências pessoais com o tema. Assim vamos cultivar mais parcerias, na prática.

Nota do editor: não poderíamos estar mais empolgados com essa coluna! As duas primeiras edições tiveram a melhor recepção possível. Muito obrigado a todos e todas que ofereceram seu tempo para responder as perguntas. E aqui o comentário do autor da pergunta no Mentoria PdH #1:

* * *

Pergunta dessa semana:

"Vejo muitos questionamentos quanto a o que se fazer depois de perder a mulher que ama, o emprego dos sonhos, o sentimento de falha ao ter que voltar a casa dos pais... mas e quando tudo parece estar perfeito mas isso não passa de uma capa em que nos vestimos?

Tenho 33 anos e uma empresa há 6. Pequena empresa, mas que vem crescendo e se consolidando, bons clientes, bons orçamentos, venho a cada dia conquistando e tendo realizações pessoais, carro, apartamento, enfim…

Atualmente vivo com a mulher que amo, a que mais até hoje, vivemos no nosso apartamento, que comprei com fruto inteiramente do meu trabalho e esforço. 

Em novembro nos casaremos com uma festa para 250 pessoas, e acredite, se você não casou ainda, é um custo muito alto.

E por que expliquei tudo isso? Pois tenho dormido tarde todos os dias pra que não chegue o outro dia. Mesmo tendo muitos amigos e uma família maravilhosa, me sinto sozinho, não consigo encontrar a felicidade, aquilo que me deixa alegre, de cabeça leve.

"Eu não estou lá", linda pintura de Bruno Passos (sim, é o mesmo que já publicou inúmeros textos conosco) | @brunopassosbr

Qual o preço que pagamos pra todo esse esforço no trabalho? A recompensa financeira vale a pena? E como abrir mão disso, sendo que precisamos dessa parte financeira pra viver?

O processo de evolução é cada dia mais árduo e complicado, e nesse momento, sinto que estou em contrução! Espero obter alguma ajuda."

Alberto, 32 anos

* * *

Como responder e ajudar no Mentoria PdH:

  • comentem sempre em primeira pessoa, contando da sua experiência direta com o tema — e não só dizendo o que a pessoa tem que fazer, como um professor distante da situação
  • não ridicularizem, humilhem ou façam piada com o outro
  • sejam específicos ao contar do que funcionou ou não para vocês
  • estamos cultivando relações de parceria de acordo com a perspectiva proposta aqui, que vai além das amizades usuais (vale a leitura)
  • comentários grosseiros, rudes, agressivos ou que fujam do foco serão deletados

Como enviar minha pergunta?

Você pode mandar sua pergunta para posts@papodehomem.com.br . O assunto do email deve ter o seguinte formato: "PERGUNTA | Mentoria PdH" — assim conseguimos filtrar e encontrar as mensagens com facilidade.

Onde encontro as perguntas anteriores?

Basta entrar na coleção Mentoria PdH.

Um livro recomendado, ligado à pergunta da semana:

"Felicidade, a prática do bem estar", de Matthieu Ricard.

A descrição desse livro específico, que oferece ajuda e conselhos práticos, é direta ao ponto:

"A felicidade não chega automaticamente – não é uma graça que a boa sorte pode derramar sobre nós e que uma virada do destino pode nos tomar. Depende unicamente de nós, de um cultivo de si nos ambientes familiares e sociais.

Esta obra traça um belo panorama da sabedoria milenar dos monges junto às recentes pesquisas científicas e a psicologia contemporânea."

Matthieu é um monge cujo trabalho faz uma maravilhosa ponte entre o ocidente e o oriente. Já o recomendamos outras vezes por aqui e até traduzimos um de seus textos ("Desenvolvimento pessoal: a quem beneficia?").

Arte de autoria desconhecida

Nutrir nosso espírito e nosso coração é mais do que um complemento para uma boa vida. É a própria essência da vida a ser vivida. 

* * *

Mentoria PdH é uma coluna por meio da qual vamos ajudar coletivamente outras pessoas da comunidade, compartilhando relatos de nossas vivências, em primeira pessoa.


publicado em 16 de Abril de 2018, 10:32
File

Guilherme Nascimento Valadares

Editor-chefe do PapodeHomem, co-fundador d'o lugar. Membro do Comitê #ElesporElas, da ONU Mulheres. Professor do programa CEB (Cultivating Emotional Balance). Oferece cursos de equilíbrio emocional e escreve pequenas ficções no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura