Quando o estresse bate forte, você sabe o que fazer?

Por que contratar um arquiteto? | Dicas para ter a casa dos sonhos

O arquiteto é o cara que vai te fazer morar no melhor lugar que você puder

  • Nossos atuais Mecenas:
  • 130x50 jpg

Você trabalha boa parte da vida até chegar a um salário satisfatório, sai da casa dos pais ou de algum apartamento alugado para comprar o seu e com essa felicidade no coração, claro, resolve deixar a nova morada com a sua cara.

“Chamei o seu Zé, indicado do Google, ele disse que o cara fazia super barato, mas tinha que pagar à vista”.

Seu Zé era daqueles safados, que chegava no primeiro dia, fazia algumas coisinhas, esperava receber e depois aparecia de vez em quando.

“Deu bosta na minha reforma, paguei tudo e o cara sumiu”.

É aí que o arquiteto entra, para não deixar isso acontecer.

Agora, vamos às coisas importantes que tenho a ressaltar.

Pra que serve um arquiteto?

Eu sei que não é todo mundo, mas muitas pessoas não sabem exatamente pra que serve um arquiteto.

Muitos acham que “dar ideias” deve ser feito de graça, pois o palpite é uma coisa que muitos dão na vida dos outros sem cobrar.

Portanto, para que cobrar por um “palpite” sobre um revestimento, mobiliário ou projeto?

Não faça isso. É desrespeitoso.

O profissional de arquitetura não dá palpite. A pessoa que palpita sobre um determinado assunto normalmente é um leigo e não passou cinco anos da vida ouvindo gracinhas, tomando litros de café e dormindo três a quatro horas por noite para aprender seu ofício.

Pare!

Outra coisa que alguns falam é:

“Posso contratar um engenheiro, ele é mais qualificado que um arquiteto.”

Não, não é. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

O engenheiro trabalha com exatas, ele calcula perfeitamente o seu edifício para ficar de pé por mais de 100 anos. Ele é habilitado para fazer projetos, sim, mas os arquitetos estudam a vivência humana num sentido muito mais amplo. Arquitetos levam em consideração o aspecto urbano, como o ser humano se relaciona com os edifícios e os locais por onde transita.

Não é fácil fazer um projeto que leve em conta o cliente, o orçamento e a vivência humana dentro e fora de um local. Não adianta projetar um edifício no qual o apartamento seja mal dimensionado ou faça com que você tenha que passar pela sala no caminho entre o único banheiro e o quarto – coisa que se vê muito por ai.

E, deixe-me frisar isso: 90% das vezes, quando um edifício possui um projeto ruim, a culpa não é do arquiteto e sim do construtor, que gostaria muito de ter 10 apartamentos por andar em vez de 6.

Por fim, o arquiteto serve para trazer qualidade de vida. Ele tenta fazer um ambiente pensando na qualidade da construção e na quantidade de pessoas que ele vai conseguir deixar felizes e confortáveis.

Faltou dinheiro para contratar o arquiteto

O arquiteto não é sinônimo de “coisa cara”. A presença dele significa “uma casa bem feita pra eu não ficar puto porque meu móvel é uma merda”, sacou?

O arquiteto faz diversos serviços. Ele pode fazer um projeto completo que inclui uma planta do seu apartamento, trabalhar com o design de interiores, ajudando você a comprar os móveis comuns ou planejados, auxiliar na compra de materiais para a obra, além de dizer o que fica bom ou não em todos os casos. Ou pode atuar dentro de qualquer uma das outras etapas da obra.

Um designer de interiores também poderia trabalhar da mesma forma que um arquiteto, mas somente dentro de um ambiente. O arquiteto projeta e o designer complementa o projeto do arquiteto.

Como da mesma forma que o engenheiro complementa o trabalho do arquiteto, o mesmo pode ser dito do Designer de Interiores. Sejamos prudentes e respeitosos, todos tem espaço no mercado de trabalho.

Isso é o exemplo de uma planta que citei acima, ou como chamam por aí, “planta baixa”

Voltando um pouco ao tema do dinheiro, citei acima uma infinidade de coisas que o arquiteto ou designer de interiores pode fazer dentro de um ambiente, o que não falei é que esse profissional pode prestar para você uma consultoria, que é basicamente a maneira correta e respeitosa de se pedir ideias.

Ou seja, sem projeto, o que ele está oferecendo são ideias, algumas escolhas de material, indicações de lojas para compra de materiais e mobiliários. Coisas simples que levam somente algumas horas e podem ser resolvidas em um ou dois dias.

Esse tipo de contribuição é bem mais simples e tem um valor mais baixo, mas ajuda de forma fantástica na composição do seu imóvel.

Ok, você me convenceu, contratei um arquiteto… Cadê minha casa dos sonhos?

Agora, a coisa mais importante que você deve fazer é ouvi-lo.

Muitos contratam profissionais e ficam o tempo todo modificando o que o profissional fez, dizendo que não deve ser assim ou assado.

Converse com seu arquiteto e tente chegar em um meio termo, não existe arquiteto que lê mentes. Além disso, você com certeza não será um cliente perfeito, tem suas vontades e anseios que devem dialogar com a proposta acordada no projeto. Converse, mas não queira mudar tudo sem que haja um consenso.

O seu arquiteto ou designer é o profissional que você pagou, com seu dinheiro suado, para te dizer o que fazer e como fazer. Portanto, não desvalorize seu próprio dinheiro, ouça aquele que estudou cinco anos e tem pelo menos mais uns cinco ou dez de experiência.

Afinal, se um médico receita um remédio para o estômago, você não vai comprar um para dores musculares, certo?

Ou seja, quando o arquiteto fala que aquela parede rosa vai ficar horrível, pense muito bem. Ele já está imaginando você daqui a três anos, reclamando daquela negócio colorido pra cacete cansando sua vista.

O caminho para uma “casa dos sonhos” é ouvir o seu arquiteto e, mais importante, fazer ele entender o que você quer, conversando tranquilamente.

Agora que já sabe… ligue para um.


publicado em 18 de Fevereiro de 2016, 12:49
Pdhfoto nova

Walter Barroso

Arquiteto, Urbanista e Designer, fez primeiro engenharia, depois se formou em gastronomia e finalmente se encontrou como Arquiteto. Ama tudo que é minimalista. Mais sobre ele você pode ver no seu website, Instagram ou Facebook.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: