Quer ser anfitrião de uma sessão independente de nosso novo doc "O silêncio dos homens" em sua comunidade? Se cadastre aqui! Já são mais de 665 pessoas voluntárias em todo o país.

Como conversar com quem pensa muito diferente de nós? [pesquisa original]

Em pesquisa inédita, mapeamos as principais emoções e obstáculos envolvidas em diálogos com quem pensa muito diferente de nós sobre temas de gênero

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Logo havaianas 130x50 png
  • 47 nh 1 png

Nota editorial:

O estudo será apresentado hoje (29/03) às 17h30 no Fórum Fale Sem Medo, com transmissão ao vivo, à partir das 13h, pela UniversaUOL. Veja aqui a programação completa.

Essa é uma pesquisa realizada por nós junto ao Instituto Avon, com grande alegria. É resultado da imensa colaboração de toda a comunidade PdH, pois graças a vocês obtivemos mais de 9.000 respostas, quando fizemos o chamado lá atrás. Como prometido, estamos de volta com:

  • o resultado da pesquisa (dados absolutamente originais)
  • um guia de como dialogar com os diferentes
  • um guia de boas práticas jornalísticas
Capa maravilhosa do livro com todo o estudo (7.000 cópias foram impressas), feita pelo Estudio Nono

Publicar todo esse conteúdo, 100% público, é nosso muito obrigado a todos e todas que participaram. Aproveitem e tornem esse trabalho ferramenta de transformação!

* * *

Quando reclamamos que está cada vez pior conversar no Facebook, nos grupos de Whatsapp, nos almoços de família ou mesmo nas rodas de amigos, somos confrontados com uma realidade que nós mesmos ajudamos a criar e sustentar.

A reação natural é dizer que o problema está, claro, no outro.

Ficamos abismados com a capacidade das “outras” pessoas em expressar ódio, a indescritível preguiça que parecem ter de ler e-mails e a incapacidade de apreciar a superioridade auto-evidente de nossos argumentos. Ninguém mais presta atenção em nada, não à toa está essa bagunça toda.

Reconhecer que tudo isso também está em nós é um excelente começo.

Somos um emaranhado de contradições, vontades, medos, hábitos e crenças, em constante fluxo. Acolher a confusão de nosso mundo interno facilita julgar menos e nos conectar com a outra pessoa de modo mais aberto.

O desafio não é convencer todo mundo do "lado de lá" a vir para onde estamos, é deixar nossas bolhas e construir outras mais favoráveis, coletivamente. E para isso, empatia e boa intenções não bastam.

Não é fácil cruzar essa ponte

Conversar com quem pensa muito diferente de nós exige treino. Continuidade, paciência, tempo, respiro.

Mas confie. O músculo necessário para esses diálogos logo toma forma. Convide os amigos para praticar junto. Aspiramos que usem o material a seguir como ferramenta e cultivem uma rede nutrida pela motivação compartilhada de construir pontes com quem jamais pensaram em trocar mais do que duas palavras.

É tempo de mais pessoas construtoras de pontes.

Livro com resultado completo da pesquisa "Derrubando muros & construindo pontes"

Baixe aqui as versões para desktop e para whatsapp.

O material contém ainda um "Guia para conversar com quem pensa muito diferente" e um "Guia de boas práticas jornalísticas para construirmos mais e melhores pontes".

Apresentação com 200 slides com todos os cruzamentos possíveis de dados (o livro contém só os mais relevantes)

Baixe aqui.

E aqui pode você pode acessar e baixar a base de dados das 9.000 respostas (sem nenhum dado que pessoalize as respostas), para rodar suas próprias análises.

Minidocumentário completo, baseado na pesquisa

Link Youtube

* * *

Nosso imenso obrigado, Instituto Avon, El Toro Filmes, Estudio Nono, Espaço Udjain. Mafoane, Daniela, Gabrielle, Felipe, Luciano, Guima (todo time El Toro), Inara, Jorge, Renata, Carol Nalon, Hermes, Gabriela, Yann, Paulo. Esse é um filho de muitos pais e mães.

* * *

Esse artigo será atualizado ao longo dos próximos dias. 

E vocês, têm conversado com quem pensa muito diferente de vocês? Quais têm sido os aprendizados e obstáculos nesses diálogos? Seguimos, como sempre, nos comentários. 

Um grande abraço!


publicado em 29 de Março de 2019, 00:27
File

Guilherme Nascimento Valadares

Editor-chefe do PapodeHomem, co-fundador d'o lugar. Membro do Comitê #ElesporElas, da ONU Mulheres. Professor do programa CEB (Cultivating Emotional Balance). Oferece cursos de equilíbrio emocional e escreve pequenas ficções no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: