Paixão e gestão: os ônus — e bônus — de se trabalhar com cerveja | O Papo, com Carol Oda

Especialização, profissionalização e mercado de trabalho estão em pauta na última parte d'O Papo com a sommelière de cerveja Carol Oda

"Trabalhe com o que você ama e você não precisará trabalhar um dia sequer na vida". A frase é antiquíssima, de Confúcio, mas recentemente os Millennials a transformaram em mantra daqueles que você vê espalhado em perfis inspiracionais do Facebook. E por mais que muita gente tenha se dado bem largando trabalhos modorrentos e se dedicando a fazer o que os move, a verdade é que a trajetória até o escritório na praia nem sempre é das mais fáceis — ou, até mesmo, para qualquer um. E com o universo cervejeiro não é diferente. Há muita paixão, claro, mas esse fervor ainda não alcançou excelência em gestão — pelo menos quando falamos do mercado artesanal.

Aos que acham que cerveja é só romantismo, Carol oda é taxativa: "É feliz, divertido, mas não é romântico, não". É preciso ver com clareza, para além do oba-oba: por mais que se trabalhe com paixão, ainda é um ofício como outro qualquer. Tem suas dificuldades, altos e baixos, dias bons, dias medianos e aquele dia em que você não quer sair da cama para enfrentar os perrengues a serem solucionados.

E como é um mercado que ganhou fôlego muito recentemente, não é de todo mal ficar de olho nos números — ainda pouco expressivos.

"O artesanal são 2% do mercado. A parte milionária são os outros 98%, de grandes cervejarias. Do preço da cerveja, 70% é imposto. A menor parte desse valor é que vai realmente para o cervejeiro, para quem está lidando direto com aquilo. Ainda não rola essa grana que todo mundo acha".

Link no YouTube

A ideia não é esmorecer os que querem entrar nessa empreitada, mas fazer com que analisem as possibilidades com mais clareza — e menos clichês. Para isso, duas dicas de ouro da Carol. A primeira: há uma grande diferença entre ter feito um curso sobre cervejas e ser sommelière ou sommelier. É preciso levar a sério a profissão.

E a segunda, mas não menos importante, é reconhecer o universo expandido que há para além da cerveja. Gastronomia e birra, como falamos lá no primeiro vídeo da série (link artigo), têm um relacionamento seríssimo e que, se bem aproveitado, tem tudo para ser duradouro.

Gostou dessa edição d'O Papo? O assunto não tem fim e se ainda ficaram dúvidas por aí não se preocupe! Na próxima semana lançaremos o vídeo da conversa na íntegra.

Enquanto isso, queremos saber: se você é uma das pessoas que entrou no mercado cervejeiro — seja por ofício ou só por paixão de final de semana —, conta pra gente por quais perrengues já passou? Vamos continuar esse bate-papo na caixa de comentários. :)

Mecenas: Consul Cervejeira

Conversas bem pensadas pedem uma cerveja no ponto.

A Cervejeira Consul tem controle eletrônico de temperatura para deixar sua cerveja perfeitamente gelada e sem complicação.

Consul será o Mecenas da segunda temporada d'O Papo.  Vamos trazer convidados que tem ideias bem pensadas para dividirem suas visões, provocar, questionar e porque não, brindar conosco.

Toda semana uma entrevista diferente aqui no canal do Papo.

Mecenas mobileMecenas desktop

publicado em 21 de Dezembro de 2016, 11:31
15156818 1157572800997192 7054685597498848471 o jpg

Gabrielle Estevans

Gabrielle Estevans é jornalista, editora de conteúdo e coordenadora de projetos com propósito. Certa feita, enamorou-se pela palavra inefável. Desde então, também mantém uma lista de pequenas coisinhas indizíveis.

Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há oito anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura