Mais de 15.000 homens estão fazendo nosso curso online de estilo, para cultivar uma relação de mais confiança e liberdade com suas roupas. Inscreva-se também, é gratuito.

Os estágios mais lindos dos jogos de luta em 2D para matar a saudade e encher os olhos

A gente sabe que você sentava a porrada nesses games, mas já parou pra olhar os cenários?

Quando Street Fighter II deu as caras ao mundo em 1991, os jogos de luta ganharam uma proporção jamais vista até então. Além da jogabilidade (que a princípio afastaram alguns jogadores por conta das novas mecânicas), a produção do jogo contou com profissionais de primeiríssima qualidade.

Cada personagem era único, não só por conta do seu estilo de luta, mas pelo conjunto desta direção artística primorosa. Os lutadores tinham seu estágio e uma trilha sonora que ficou eternizada em nossos ouvidos pelo trabalho da compositora Yoko Shimomura.

Falar de algum personagem e não ligar ele diretamente com seu tema e estágio é algo impossível. Com o sucesso desta sequência (poucos jogaram o primeiro Street Fighter) era evidente que outros títulos aparecessem no mercado para pegar (ou tentar) o sucesso do arrasa quarteirão da Capcom. Alguns foram esquecidos, outros competiram de igual para igual. Foi uma luta e tanto.

Deste combate eu seleciono o que ele deixou de mais bonito -  seus estágios. Não foi nada fácil chegar nesses 15 cenários que foram palco de confrontos inimagináveis. Capcom e SNK estavam em suas melhores fases criativas que ditaram as regras do confronto mano a mano na década de 1990.

Vamos deixar um pouco de lado o diálogo e visualizar a beleza desses fantásticos trabalhos produzidos com o bom e velho pixel. Diria que alguns podem ser tranquilamente moldurados para ser apreciados na parede de nossos lares, mas eu só dou a ideia. Quem decide se pendura ou não é você. ;)

A lista não segue uma ordem de preferência. Apreciem sem moderação.

The Last Blade

Empresa: SNK

Ano: 1997

Estágio: Kaede's Stage

O jogo inteiro é de uma beleza raramente vista neste gênero. Eu poderia muito bem pegar todos os estágios e colocar aqui. Mas isto seria injusto com outros jogos que também possuem fases incríveis. Depois de pensar um bocado (até joguei o game novamente para ajudar na decisão), acabei escolhendo o cenário do personagem Kaede. O charme dele fica por conta da perspectiva que contribui e muito para dar profundidade. As folhas caindo no chão são poesia pura. Aliás, poesia é a melhor forma para definir não só este cenário, mas um dos últimos trabalhos de qualidade da SNK no final da década de 1990.

Street Fighter II

Empresa: Capcom

Ano: 1991

Estágio: China

Este cenário vem de brinde a trilha sonora da mulher mais forte do mundo. Impossível não associar a imagem com o tema como já falado há pouco. Desde as bicicletas até as galinhas presas nas gaiolas, as características da China foram bem portadas ao mundo dos pixels. Tem seus clichês, é verdade, mas isto contribui ainda mais com a excentricidade deste estágio que é um dos mais carismáticos da franquia.

Darkstalkers -  The Night Warriors

Empresa: Capcom

Ano: 1994

Estágio: Brazil

Eu acho o cúmulo do absurdo a Capcom deixar este título de lado ainda mais com a cena competitiva atual. Produzido na placa CP2 – Darkstalkers possui cenários incríveis e sprites maravilhosos com uma animação incrível. Em sua mecânica temos a adição dos combos com golpes normais, que ficou muito comum posteriormente na série de jogos Versus da Capcom (Marvel vs Capcom). Até aqui temos um personagem Brazuka! O homem peixe Rikuo recebe a luta na terra do samba em estágio pra lá de colorida e cheio de detalhes animados.

Samurai Shodown II

Empresa: SNK

Ano: 1994

Estágio: Versalles

Mas essa SNK tava danada mesmo nos anos 90 né? Ouso dizer que Samurai Shodown II não é só o melhor jogo da franquia, como um dos melhores jogos de luta de todos os tempos. Infelizmente ele tem alguns probleminhas de colisão (bugs), mas perto do primor artístico, eu relevo. Gráficos, trilha sonora, personagens, enredo... Tudo bem feitinho e no seu devido lugar. Temos vários cenários incríveis aqui, mas o meu preferido é o Paris: the Versailles Palace da minha crush Charlotte.

The King of Fighters '96

Empresa: SNK

Ano: 1996

Estágio: Chizuru Kagura

Não é minha versão favorita da franquia, confesso. Mas é um dos melhores trabalhos da SNK em matéria de trilha sonora (versão Arranged é incrível) e direção de arte. Todos os cenários transmitem uma sensação de torneio, algo que eu não sentia nas versões anteriores. E o destaque tanto para a trilha quanto para cenário são da personagem Chizuru Kagura. O tema Fairy e o seu estágio são estupidamente geniais, dignos de uma grande final de torneio. Pena que o torneio...bem, vocês sabem né? KOF sempre tem uma zica no final do campeonato. Rs

Street Fighter Alpha 2

Empresa: Capcom

Ano: 1996

Estágio: Ken Masters

Acho a série Alpha/Zero ótima. Diria que até mais carismática do que a série III. Ok, o terceiro jogo da franquia é pra lá de técnico, mas sempre achei uma saga sem carisma. Já a série Alpha tem carisma de sobra em sua trilogia. Gosto muito da segunda versão que conta com a adição da personagem Sakura. Em matéria de cenário, gosto da palheta de cores e do design mais clean dos estágios. Tudo muito suave e belo. Destaco o divertido cenário do Ken no iate onde está sendo celebrado o aniversário da sua esposa. De quebra, temos vários convidados de outros jogos da Capcom para deixar a festa ainda mais divertida. Quem tem dinheiro pode né?

Fatal Fury 2

Empresa: SNK

Ano: 1992

Estágio: Mai Shiranui

O segundo jogo da franquia veio para bater de frente (ao menos tentar) com o sucesso chamado Street Fighter II. Quanto a mecânica, posso dizer que a Capcom saiu vitoriosa nessa. No visual, eu diria que por pouco, a SNK leva. Street Fighter II é incrível, mas Fatal Fury 2 ousou mais neste aspecto principalmente nos estágios. Aqui temos variações de tempo (dia, tarde e noite) de um round para outro sem contar que a maioria são em movimento, como o clássico estágio do Terry Borgard do trem, mas o destaque vai para o estágio da personagem Mai Shiranui, que na época fazia sua estreia e se tornaria uma das musas da SNK. Assim como a fase do seu “cunhado”, temos movimentação em cima de uma jangada com belas estátuas ao fundo. Até as bandeiras que estão fincadas na jangada são utilizadas em alguns movimentos da personagem, deixando o visual do palco do combate ainda mais incrível.

Street Fighter III 2nd Impact

Empresa: Capcom

Ano: 1997

Estágio: Alex

Poucos jogos foram feitos na placa CPS-III da Capcom. Mas os poucos títulos que utilizaram do hardware são um deleite aos olhos. Apesar de lindo, sprites com uma movimentação absurda e uma jogabilidade extremamente técnica, acho a série III sem carisma. Não sei... falta um tempero para deixar a receita mais saborosa, já que ela não é ruim. Mas isto não tira o mérito de algumas fases que o jogo apresenta.

Assim como em The Last Blade da SNK, alguns cenários brincam com a perspectiva, criando profundidade dando assim mais detalhes. E o cenário do personagem Alex, um dos novatos que fizeram sua estreia na saga III é um exemplo de trabalho primoroso com pixel como podemos ver acima.

Art of Fighting 3

Empresa: SNK

Ano: 1996

Estágio: Train Yard Stage 1

A terceira versão desta famosa franquia que serviu de base pra estabelecer o sucesso The King of Fighters, inelizmente não encerra a série como deveria. O jogo apesar de bonito, tem uma mecânica bem aquém comparada com as duas primeiras versões. Ao menos o jogo é muito, mas muito bonito mesmo. Saca só a beleza do estágio Train Yard Stage. Rivaliza com The Last Blade tranquilamente.

Super Street Fighter II 

Empresa: Capcom

Ano: 1993 

Estágio: Mexico

Super Street Fighter II foi o jogo que mostrou aos jogadores o que a placa CP2 da Capcom era capaz. E mostrou muito bem diga-se de passagem. Todas as ilustrações foram refeitas e os novos estágios dos estreantes ficaram incríveis. Destaco o cenário do índio mexicano T. Hawk. Colorido e com vários sprites em movimento, este cenário mostra bem o resultado da dupla boas ideias mais hardware.

Garou - Mark of Wolves

Empresa: SNK

Ano: 1999

Estágio: Terry

Há quem diga que foi o trabalho com um gameplay mais técnico da era de ouro da SNK. Concordo. Garou foi ousado ao retirar itens fundamentais da franquia Fatal Fury para apostar em uma jogabilidade mais técnica, nos moldes de SF III. E a escolha não poderia ser sido melhor. Garou possui um gameplay simples de aprender, mas difícil de dominar, como acontece mais ou menos em SFV hoje.

A equipe botou a MVS (placa arcade da SNK) para trabalhar e muito já que a placa na época de lançamento do jogo era um tanto quanto antiga. Na época era difícil acreditar que um tudo aquilo estava rodando na MVS. Os cenários são bem detalhados e com uma paleta de cores incrível. O destaque fica para a releitura do clássico cenário do lobo lendário Terry Bogard. No terceiro round o cenário fica com um efeito de movimentação ao fundo do estágio incrível.

Savage Reign

Empresa: SNK

Ano: 1995

Estágio: China Boomtown

No meio de suas várias séries de sucesso como KOF, Fatal Fury e Samurai Shodown, a SNK tentou emplacar mais um título na sua biblioteca de pancadaria nos anos 90. O resultado visual está longe de ser ruim, exceto por alguns personagens bregas. Quanto a mecânica, a SNK utilizou os planos de Fatal Fury e acrescentou um pouco de interatividade nos estágios. A ideia é boa, mas faltou um capricho na hora da excecução. Aos menos o cenário como era de praxé naquele época, é bonito e cheio de vida.

Marvel Super Heroes

Empresa: Capcom

Ano: 1995

Estágio: Wolverine

Antes do suceso da Marvel Studios no cinema com sua saga das jóias do infinito, em 1995 a Capcom em parceria com a casa das ideias fez um ótimo arcade de luta após a boa receptividade de X-Men Children of the Atom. O destaque da jogabilidade é a utilização das jóias do infinito. Cada jóia concede uma habilidade específicia para cada personagem. Visual lindíssimo com sprites e cenários que pularam das páginas das HQ’s para a tela do arcade. O estágio do Wolverine é um belo exemplo onde o simples as vezes é mais. Beleza sem exageros.

 

The Last Blade II

Empresa: SNK

Ano: 1998

Estágio: Graveyard Stage

Eu disse que não ía colocar todos os estágio de The Last Blade, mas em nenhum momento eu disse que não iria colocar somente mais um. ;)

Desta vez escolhi um dos melhores quadros (sim, isso deveria ser um quadro) da segunda versão que consegue ser ainda mais bonita do que a primeira. Apenas comtemplem.

Street Fighter III: Second Impact

Empresa: Capcom

Ano: 1997

Estágio: São Paulo?

Nada de floresta desta vez! O cenário do Sean na segunda versão da série SF III é na terra da garoa! Bem, aos menos é o que sugere com o “Seaza” escrito na caminhonete tombada no meio da rua. Eu acho maneiro esse cenário justamente por sair dos clichês dos jogos da Capcom quando retrata o Brasil. Mesmo com os macaquinhos no meio da rua.

* * *

A lista está longe de representar em sua totalidade os vários estágios dos jogos de luta.

Esta listagem só foi um pequeno apanhado para mostrar um pouco do que vivenciei nesses butecos da vida. Aposto que vocês também tem lembranças de outros estágios 2D dos jogos de luta para dividir conoso.

Vamos relembrar outros nos comentários? Solta mais uma ficha aí então!


publicado em 07 de Setembro de 2018, 00:05
Manoel roberto soares jpg

Mano Beto

Acha que falar de videogames é tão divertido quanto falar de futebol, música ou cinema em uma mesa de bar. Talvez com pouca cerveja na mesa, mas ainda é uma mesa, né?


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura