Terceiro episódio da Caixa-Preta no ar! Ian Black conversou conosco sobre auto-estima e beleza do homem negro. Vem ver.

Os acessórios masculinos que fizeram história no cinema, na TV e na música

O que Hollywood pode nos ensinar sobre pulseiras, colares, anéis e relógios? Quais foram os mais icônicos e porque eles são legais?

  • Nossos atuais Mecenas:
  • 130x50 jpg

Sou daqueles que, inconscientemente (mas nem tanto) me inspiro muito no que vejo, principalmente na ficção, para me vestir.

No dia a dia, vale a calça jeans combinada com uma camisa ou camiseta, dependendo da situação. Mas para uma festinha maneira, confesso que gosto de dar algum toque especial e discreto ao figurino.

No último casamento em que estive (do meu primo, ano passado), insistiram para que eu alugasse um terno básico. Recusei-me, claro. Meti um blazer de corte mais alongado, uma calça de veludo ajustada, um tênis com “cara” de Vulcabras e uma camisa branca de bolinhas pretas. Quando senti que faltava algo, recorri às minhas memórias afetivas de Mad Men e, como quem não queria nada, arrumei um lenço florido no bolso.

A real vontade era fazer o lenço de gravata, no melhor estilo Harry Crane.

Harry Crane era puro estilão nos anos 60 de Mad Men

Aos que, como eu, não se limitam ao básico, acessórios são uma ótima alternativa para dar aquele toque a mais no visual. E não precisa ser aficionado por moda pra se valer de um, basta buscar referências em alguns personagens das telonas. Eles sempre têm boas dicas.

1. Chapéus

Sou meio cabeça grande, então passo vontade de incrementar o estilo com um chapéu, mas aos que a indústria favorece, há diversos estilos que combinam com as mais diferentes situações.

Quem não se lembra do modelo fedora de Indiana Jones?

É um chapéu clássico que, na cabeça de Harrison Ford ganhou, claro, um ar mais aventureiro. Mas isso não impede de complementar um visual mais despojado para uma festinha “black tie”, onde você não quer ir necessariamente à caráter.

Tem ainda aquela situação em que você quer combinar alguns estilos. Um sambinha na praça à tarde ou até mesmo aquela reunião de fim de ano com amigos no parque. Amigão, não se reprima. Você vai se olhar no espelho e vai saber se está brega ou não. E mesmo se tiver, a escolha é sua. Ou seja, combinando com alfaiataria ou camiseta e bermuda, se você achar que está valendo, está valendo! 

Chaplin também nos apresentou o chapéu coco, hoje muito usado por Pharrel Williams, Bruno Mars e Justin Timberlake. Pelos menos, já dá pra saber que a combinação é variada. Seja para um VMA ou para um acústico na praia (façamos os links com as situações dos nossos cotidianos), o estilo coco está valendo.

O quepe de Marlon Brando, em O Selvagem, também tem toda uma versatilidade ao combinar com um figurino absolutamente estiloso.

2. Óculos

O Papo de Homem já fez uma lista foda dos óculos do cinema, então não vou me aprofundar tanto nesse tema, mas tem alguns que historicamente me chamam atenção.

Voltando ao meu gosto particular, não sou daqueles que usa óculos necessariamente para me proteger do sol, mas sim para dar um toque despojado ao visual. Já cheguei a mandar colocar lente sem grau em uma armação que achei lindona, só pra poder adotar o estilo.

Vamos à lista de dicas do Danilo para óculos históricos.

Em O Grande Lebowski, deram a Jeffrey Bridges a missão de usar uns óculos grande, que esconde a maior parte da região dos olhos. Gosto bastante, apesar de nunca ter usado um. O uso constante de canabis do personagem provavelmente ditou a necessidade desse tamanho dos óculos!

Outros que gosto muito são os aviadores do Stallone, em Cobra, do Tom Cruise na pele de Maverick, em Top Gun, Tony Montana, em Scarface, e os de lente colorida de Johnny Depp, em Medo e Delírio em Las Vegas.

Ainda tem espaço para o Persol 649, de Marcello Mastroianni em Divórcio à Italiana? Ou para quem gosta tem também o Navigation do Will Smith, em Hancock.

3. Relógios

Não sou dos maiores fãs de relógios. A hora, acabo vendo no celular mesmo, mas tem quem goste do acessório pra dar aquele charme ao visual.

Na história do cinema, não nos faltam referências. Quem não conhece o Hamilton Ventura do Agente J de MIB, interpretado por Will Smith?

Pra quem curte, tem os de bolso também pra quando alguém te perguntar “que horas são?”, no maior estilo, você tirar o objeto do bolso, como fez o personagem Butch em “Pulp Fiction”.

Aos mais aventureiros, o filme 127 horas, com James Franco, literalmente vendeu o Suunto Vector, um relógio cheio de funções para quem vai fazer trilhas por aí. Nem é tão estiloso assim, mas pode ser um belo companheiro naquelas fotos em clima de aventura.

Outra dica estilosa aos aventureiros é o TAG Heuer Monaco usado por Steve McQueen em As 24 Horas de Le Mans.

4. As miudezas: anéis, colares, pulseiras, brincos…

Não há necessidade de focarmos em discursos de desconstrução e dizer que homem também usa brinco, pulseira, colar e, melhor, o que quiser, certo? No cinema não é diferente e há dicas destes acessórios também vindas das telonas.

Não me lembro se nas cenas mais clássicas (as de dança e musical) de Os Embalos de Sábado à Noite o personagem de John Travolta aparece com os itens. Mas em algumas partes do filme, sim, ele aparece com um colar de ouro no meio da camisa aberta. Já usei crucifixo, só corrente e não tenho dúvidas que dão um toque ao visual pra quem gosta.

Mas use com parcimônia, para não ficar parecendo um personagem da pornochanchada.

Outra grande referência de estilo, nesse caso não apenas em filmes, mas no dia a dia, é Johnny Depp. E não estou nem falando de Piratas do Caribe, hein.

A pegada do cara é ir na outra direção e abusar de anéis em mais de um dedo, pulseiras de couro, colares de ouro e por aí vai.

Bônus: Não-acessórios também estilosos

Convenhamos que não são só os acessórios que dão aquele toque no estilo.

Muitas vezes uma peça dá conta do recado. Pensemos nas jaquetas de couro. Toda esse paixão das pessoas do agasalho (para além do agasalho), como um item estiloso começou com o James Jim no histórico Juventude Transviada. Curto muito jaquetas de couro! Ainda mais se fugirem do preto e marrom.

É o caso também de Brad Pitt, em Clube da Luta, que além da jaqueta avermelhada, aparece em boa parte do filme com camisetas ou camisas despojadas, coloridas e com um toque extravagante na medida.

Isso sem falar nos smokings de 007, a mistura de cores de Gene Wilder em A Fantástica Fábrica de Chocolate, os colares de Bruce Willis em Velozes e Furiosos ou ainda, para os fãs de boas séries, os relógios e camisas estampadas de ouro de Toni Soprano, em Família Soprano.

Ah, não posso encerrar sem falar nos ternos bem recortados de Toni Servillo em A Grande Beleza.

Legenda

E vocês, quais combinações matadoras fazem que destacam bem o visual? Vamos encher aqui os comentários de dicas, vale as convencionais e as não tão convencionais assim. Valendo!

 

Mecenas: Vivara Lifestyle for Men

Suas roupas dizem um bocado sobre você e ajudam a traduzir a mensagem que quer passar. Cada vez mais os homens têm percebido a importância de ter um look coerente com seu estilo e de usar acessórios que ajudam a compor essa mensagem.

A nova linha “Lifestyle for Men” da Vivara foi pensada e criada para homens que gostam de se vestir bem e são reconhecidos por seu estilo. A nova linha, tem conceitos ligados à força, ao intelecto, ao espírito livre e aventureiro e à espiritualidade do homem contemporâneo.

A coleção é composta por pulseiras de couro ou prata e diversos pingentes colecionáveis os quais traduzem esse conceito étnico em linhas gráficas e texturas que exibem um contraste entre o preto e prata, formando símbolos do universo masculino.

As joias da nova coleção poderão ser encontradas em todas as lojas Vivara, quiosques e no e-commerce da marca.


publicado em 23 de Dezembro de 2016, 12:42
File

Danilo Gonçalves

Um cara alegre e gosta de ser lembrado assim. Jornalista de formação, com um pé na publicidade, gosta de Novos Baianos, Doces Bárbaros e Beatles. Já gostou de Calypso e como todo gay que se preze, é fã da Beyonce.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: