Vamos oferecer um curso de equilíbrio emocional para homens. Começa quinta que vem e ainda há vagas.

Eu queria, mas sou casado

  • Nossos atuais Mecenas:
  • 130x50 jpg

Estava eu ontem na laje da Galeria Ouro Fino, com alguns amigos recém-feitos, discutindo olhares sociológicos sobre Recife, rum, whiskey e Macapá. Lá pelas tantas, quase meia-noite, decide-se zarpar rumo ao Studio SP, por conta de algumas entradas gratuitas.

Eis que um dos integrantes do grupo, outro Guilherme, nos lança o petardo:

 

"Eu queria ir, mas sou casado..."

Putaqueopariu, baita resposta emblemática. Vou me deleitar em interpretações dessa pérola:

 

"Eu queria

...mas nosso relacionamento pressupõe um código silencioso de posse e presença nos horários combinados como símbolos de fidelidade e atenção - mesmo que o sentimento de posse, exacerbado, seja uma das principais raízes do processo de aversão e, eventualmente, infidelidade.

Casamento é isso, oras: rotina, cersear, amar."

 

"Eu não queria

...mas no lugar de simplesmente dizer isso meu ato reflexo é muletear verbalmente com um argumento mais gasto do que a sola do meu sapato. Reforça a ideia de virilidade festeira, podada apenas por força de motivo maior.

Ou talvez, nem quando solteiro me interessaria tanto por essas festas. A namorada até deixaria, mas prefiro pensar que ficaria puta e usar isso como instrumento para, a longo prazo, culpá-la pela minha infelicidade. Assim a reciprocidade nociva do ciúme tem todo o espaço de que precisa pra se instalar, sem pressa.

Auto-engano cremoso, daqueles com cereja por cima. Coisa linda."

 

"Eu nem sei se queria

...sendo bem sincero. O casamento acabou se transformando num encosto padrão pra tantas pequenas respostas constituintes de minha identidade que já esqueci de meus reais desejos. Às vezes faço sem vontade, às vezes faço para demonstrar algo, às vezes nem sei o que estou fazendo.

Me perdi de mim mesmo faz tempo. Casamento é isso, não?"

C'est l'amour!


publicado em 29 de Junho de 2012, 08:50
File

Guilherme Nascimento Valadares

Editor-chefe do PapodeHomem, co-fundador d'o lugar. Professor do programa CEB (Cultivating Emotional Balance). Oferece o curso "Círculos de confiança: como cultivar comunidades digitais benéficas" e escreve pequenas ficções no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: