Vamos oferecer um curso de equilíbrio emocional para homens. Começa quinta que vem e ainda há vagas.

Direita vs Esquerda: a política não é mais tão simples assim

  • Nossos atuais Mecenas:
  • 130x50 jpg

Venho muito comentar no Papo de Homem sobre temas políticos, de sociedade e governo, e gosto muito de discutir, conhecer e debater. Acho ótima essa oportunidade que o PapodeHomem nos dá de conhecer, compartilhar e trocar idéias. Gosto também do incentivo à discussão, e do incentivo aos autores de se engajarem na discussão, ao contrário de outros veículos aonde o autor fica inalcançável para te responder.

Estava comentando o post do Guilherme “We are legion”, sobre como a internet mudou as relações e como certas burocracias e necessidades do processo democrático ficam datadas em vista de como estamos conectados.

Durante a discussão, lembrei de um site que um amigo meu me apresentou há alguns dias, o Political Compass. Um site no qual a premissa é determinar seus alinhamentos políticos através de algumas perguntas e plotar num gráfico sua posição.

bothaxes

Apesar de parecer banal, isso é muito interessante, pois ele ajuda a quebrar alguns conceitos que temos sobre a política, e sobre a visão de nossos posicionamentos.

O site é bem simples, sem muito pensamento em design ou estética. Ele está ali apenas para cumprir seu objetivo. Infelizmente está disponível apenas em inglês, mas acredito que alguém com um domínio intermediário já consiga responder às perguntas.

Fiz uma tradução livre de um trecho da introdução do site:

O velho e unidimensional gráfico de 'direita' e 'esquerda', estabelecido na época da assembléia nacional francesa de 1789, se mostra muito simplista em vista do cenário complexo da politica atual. Por exemplo, quem são os ''conservadores" na política moderna da Rússia? São eles os Stalinistas reconstruídos ou os reformistas que adotaram as visões de direita dos conservadores como Margaret Thatcher?
No antigo padrão de esquerda-direita, como você distingue esquerdistas como Stalin e Gandhi? Não basta dizer que Stalin é mais esquerdista que Gandhi. Existem diferenças politicas fundamentais entre eles que as velhas categorias sozinhas não podem explicar. Igualmente, se classifica os reacionários sociais, como os integrantes do "Tea Party" americano, a direita, mas como podemos classificar os reacionários de esquerda, como Robert Mugabe e Pol Pot corretamente?
O site então lhe pede para responder um questionário, com várias perguntas, sobre alguns temas, e sendo algumas polêmicas, como "Pessoas como deficiências severas não deveriam ter permissão de se reproduzirem?", aonde você pode escolher uma das quatro opções: Concordo Fortemente, Concordo, Discordo, Discordo Fortemente.

Depois de responder ao questionário vem a outra parte interessante, pois a página começa explicando como o gráfico do Compasso Social funciona. Importante aqui é a explicação dos eixos do gráfico.

Link Youtube | Como funciona esse eixo esquerda-direita?

Na explicação ele expõe como num eixo, que ele chama agora de esquerda-direita econômica, Stalin, Mao Tse Tung e Pol Pot, com seu compromisso pelo controle estatal pleno sobre a economia, ficariam na ponta esquerda do eixo, enquanto Gandhi e Robert Mugabe ocupariam uma posição menos extrema a esquerda. Margaret Thatcher ficaria bem à direita, mas mais à direita ainda ficaria um grande defensor do livre mercado, Augusto Pinochet.

Mas esse eixo deixa de mostrar o aspecto social da política, por isso eles adicionaram um eixo vertical que vai do extremamente autoritário, ao extremamente libertário. Ambas as dimensões – a econômica e a social – são importantes em qualquer análise política.

Link Youtube | E a ditadura militar brasileira, era de esquerda ou de direita? Tem certeza?

Ao adicionar a dimensão social você pode, por exemplo, mostrar que Stalin era um autoritário esquerdista (o Estado é mais importante que o indivíduo) enquanto Gandhi, acreditando no valor supremo de cada individuo, foi um liberal esquerdista.

Enquanto no canto superior esquerdo temos o coletivismo sendo arbitrariamente imposto pelo Estado, no canto inferior esquerdo temos o coletivismo voluntário em um nível regional, sem envolvimento estatal. Centenas dessas pequenas comunidades anárquicas existiram na Espanha durante a guerra civil.

Você pode colocar Pinochet, que estava preparado para aprovar o assassinato em massa em nome do livre mercado, bem à direita e também numa posição bem autoritária. No lado não-socialista, você pode distinguir alguém como Milton Friedman, que era anti-Estado mais por razões fiscais do que sociais de Hitler – que queria fazer o estado cada vez mais forte, mesmo que ele eliminasse metade da humanidade no processo.

Link Youtube | E o FHC?

O gráfico ainda deixa claro, que a despeito da percepção popular, o oposto do fascismo não é o comunismo, mas sim o anarquismo (isto é, Socialismo Liberal), e que o oposto de comunismo (uma economia totalmente planejada pelo Estado) é o neo-liberalismo (uma economia extremamente desregulada).

E no fim ele mostra nossa posição num gráfico. Eu, por exemplo, fiquei como levemente libertário (-2.41) e praticamente de centro (0.25). Sempre me considerei de direita, mas dentro das normas e análises do gráfico, agora percebi que devo me considerar bem de centro e levemente libertário.

Esse teste é bom pra mostrar como nossos conceitos políticos podem estar defasados, precisando de um revisão. E, como tudo na humanidade, dá cada vez menos pra usar as mesmas regras do século 18 para definir nossas visões modernas.

Agora é com você.

Se puder, faça o teste  e posta a imagem pra gente ver. É rapidinho.

E aí, o que achou dos resultados apresentados? Concorda? Discorda?

Continuamos o papo nos comentários.


publicado em 22 de Julho de 2013, 10:38
97efef4376a688da5ef9c142058e68f4?s=130

João Beno

Uma pessoa simples. Tenta sempre ter opiniões bem embasadas, mas sabe que nem sempre está certo. Se interessa por política, assuntos polêmicos e adora discutir e conhecer novas ideias. Gosta de fazer amizade com pessoas que discordam de suas opiniões.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: