Quer dar um tapa no visual mas não sabe por onde começar? Fizemos um curso online de estilo pra isso, o “Mas você vai de chinelo?”. Inscreva-se agora! É gratuito!

Como lidar com a falta de libido da minha parceira sem ser babaca? | Mentoria PdH #40

"Até que ponto eu estou sendo machista/escroto de ficar cobrando sexo dela? Como eu realmente a amo, isso deveria importar tanto?"

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Logo havaianas 130x50 png
  • 47 nh 1 png

"Olá,

Meu nome é Greg e tenho 25 anos, e entro em contato para sugerir uma pauta para mentoria. Estou namorando a 3 anos e meio e, atualmente, nossa vida sexual está longe de me satisfazer. A maior parte dos meses transamos 3 ou 4 vezes, e mesmo intimidades menores como beijar não tem acontecido tanto. É até estranho essa parte de beijar, minha namorada fala que não gosta de beijo. Quando eu tento beijá-la e ela não quer ter qualquer atividade sexual (maioria da vezes) a gente acaba dando aquelas bitoquinhas totalmente sem graça. E não é apenas que a gente não transa, a gente não tem qualquer forma de intimidade maior, às vezes eu peço pra chupá-la e deixo claro que só eu vou chupá-la e mais nada. Mas mesmo assim, ela não deixa. Diversas vezes ela diz que tem prequiça de tomar outro banho, mesmo quando é fim de semana. 

Eu acho a minha namorada bonita, inteligente, dedicada e uma pessoa com um coração incrível. Ela é muito parceira e me ajuda sempre que pode, realmente compartilhando a minha vida e eu a dela. Eu não gostaria de terminar, mas não estou conseguindo lidar com a falta de libido dela. Quando eu tento conversar sobre o assunto, ela fala que o anticoncepcional tira a libido, que ela anda muito estressada e que ela simplesmente não tem vontade, que 1 vez por semana (quando isso) é mais que suficiente pra ela. 

Além de ela nunca tomar a iniciativa, quando ela topa transar eu tenho que fazer massagem, carinho e etc. Ela programa pra gente transar de noite, ou "amanhã a gente transa" o que deixa tudo menos espontâneo e excitante.

Fico me questionando de muitas coisas: 

  • Até que ponto eu estou sendo machista/escroto de ficar cobrando sexo dela? 
  • Como eu realmente a amo, isso deveria importar tanto?
  • Vamos ter cada vez menos sexo no relacionamento?
  • O fato dela não demonstrar nenhuma mudança de comportamento mesmo depois de conversar com ela significa o que?
  • Ela está transando com outras pessoas e por isso não sente vontade? Apesar de que eu realmente ache que não seja isso.

Agora, pra complicar mais um pouco, uma menina linda que trabalha comigo está dando em cima, e isso tá comendo a minha mente. Eu não sou do tipo que acha legal trair mas a menina fica me provocando e encontrando maneiras de estarmos só nós dois. E, honestamente, na minha cabeça já pensei em pegar ela várias vezes.

Mas eu e minha namorada nos damos muito bem e ela até fala de morar junto, fico pensando como seria lidar com mais rejeição. Porque quando ela não dorme em casa ou eu na dela, sexo não é uma possibilidade, se dormirmos sempre juntos será e as constantes rejeições devem me deixar mais frustrado ainda.

Gostaria de ouvir conselhos sobre como lidar com a falta de libido da minha parceira sem ser babaca e sem abrir mão do que eu sinto e desejo. É normal uma mulher de 27 anos ter tão pouca libido assim? As vezes ela diz que o problema é com ela, que não está se sentindo bem ou sexy. Mas a cabeça que fica a milhão é a minha, entrando em parafuso.

Gostaria de contar com o apoio da comunidade.

Grato,

G."

Complemento sobre o assunto:

Tenzin Palmo em "Amor romântico e amor genuíno".

Link Youtube

Vídeo do Frederico Mattos: Como resgatar a libido

Link Youtube

Como responder e ajudar no Mentoria PdH (leia para evitar ter seu comentário apagado):

  • comentem sempre em primeira pessoa, contando da sua experiência direta com o tema — e não só dizendo o que a pessoa tem que fazer, como um professor distante da situação
  • não ridicularizem, humilhem ou façam piada com o outro
  • sejam específicos ao contar do que funcionou ou não para vocês
  • estamos cultivando relações de parceria de acordo com a perspectiva proposta aqui, que vai além das amizades usuais (vale a leitura desse link)
  • comentários grosseiros, rudes, agressivos ou que fujam do foco, serão deletados

Como enviar minha pergunta?

Você pode mandar sua pergunta para posts@papodehomem.com.br .

O assunto do email deve ter o seguinte formato: "PERGUNTA | Mentoria PdH" — assim conseguimos filtrar e encontrar as mensagens com facilidade.

Posso fazer perguntas simples e práticas, na linha "Como planejo minha mudança de cidade sem quebrar? Como organizar melhor o tempo pra cuidar de meu filho? Como lidar com o diagnóstico de uma doença grave?" ?

Queremos tratar também de dificuldades práticas enfrentadas por nós no dia-a-dia.

Então, quem tiver questões nessa linha, envie pra nós. Assim vamos construindo um mosaico mais amplo de assuntos com a Mentoria.

Essa Mentoria é incrível. Onde encontro as perguntas anteriores?

Basta entrar na coleção Mentoria PdH.

G., um presente pra você:

Vamos te enviar por email o ebook "As 25 maiores crises dos homens — e como superá-las", produzido pelo PdH.

Se deseja adquirir ou presentear alguém que possa se beneficiar, compre a sua edição aqui.

 

Para conhecer mais sobre o conteúdo do livro e tudo que vai encontrar lá dentro, leia esse texto.

Ao comprar o livro, você também ajuda a manter o PapodeHomem vivo.

Nosso rendimento com anúncios caiu drasticamente nos últimos dois anos, assim como aconteceu com toda a indústria jornalística, no Brasil e no mundo (a verba agora se concentra no Facebook e no Google). Como o que fazemos é para vocês e não para gerar o maior número de clicks com textos vazios, essa ajuda é essencial para nossa sustentabilidade.


publicado em 15 de Abril de 2019, 16:03
File

Guilherme Nascimento Valadares

Editor-chefe do PapodeHomem, co-fundador d'o lugar. Membro do Comitê #ElesporElas, da ONU Mulheres. Professor do programa CEB (Cultivating Emotional Balance). Oferece cursos de equilíbrio emocional e escreve pequenas ficções no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: