Celebridades gays saem do armário. Seria o "efeito Barack Obama"?

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Advertisement
    130x250 1 jpg

O presidente americano e candidato a reeleição, Barack Obama, declarou em maio desse ano ser a favor do casamento gay.

"É importante para mim evoluir minhas opiniões e afirmo que eu penso que os casais de mesmo sexo devem ser capazes de se casar"

Foi uma afirmação importante, dada em uma entrevista à rede de televisão ABC. Um desejo de ver o mundo melhor e menos odioso ou apenas manobra de campanha para ficar mais quatro aninhos à frente do país mais poderoso do mundo? Eu não saberia dizer.

A capa é feita, tendenciosa, mas mostra bem os ânimos dos dias de hoje

O que dá pra constar é que, depois do apoio do presidente, diversas celebridades americanas começaram a sair do armário e declarar a sua opção sexual, sem medo de represálias. Mentira minha. Tal atitude já vem ocorrendo há mais tempo:

Ricky Martin já havia se declarado gay. Ainda no mundo da música, o ex-N'Sync James Lance Bass também falou que o lance dele era com outros homens. Seguindo para o mundo da atuação, foram muitos. Da série Glee, foram dois: o jovem Chris Colfer (que faz justamente um papel gay na série) e a Sue Sylvester (que chegou a fazer um papel de psiquiatra em Two and a Half Men). Neil Patrick Harris, o comedor de How I Met Your Mother, vive junto com outro homem e, recentemente, adoratam duas crianças lindas.

A lista ainda inclui Jesse Tyler Ferguson (Modern Family), Jim Parsons (o Sheldon Cooper de The Big Bang Theory), Wanda Sykes (The New Adventures of Old Christine), Andy Cohen (produtor de tv muito conhecido nos EUA). A bola da vez foi o jornalista da CNN Anderson Cooper, que declarou de modo enfático:

"O fato é: sou gay, sempre fui e sempre serei e não poderia estar mais feliz, confortável comigo mesmo e orgulhoso"

E deveria estar mesmo, Cooper. Viver preso em um estereótipo diferente do que se é deve ser bem complicado, pra não dizer completamente desnecessário. Eu não sei porque, ainda nos dias de hoje, pessoas precisem viver sob outro aspecto qualquer que não o seu, que precise se afirmar macho ou mulher sedutora para que não haja dedos apontando, sussurros que julgam, enfim, pra dizer o mínimo.

Esse tipo de situação não deveria ser notícia, não deveria chamar a atenção de ninguém. Falar que se é gay deveria ter o mesmo impacto de "acho que estou com fome". O que há de errado ou de surpresa em tal fato? E mais: o que há de fascinante para heterossexuais tenham curiosidade em saber, comentar e até julgar? Os sexos já estão bagunçados, não somos zero e um.

Taí, o amplo panorama da sexualidade | Fonte: genderqueer.tumblr.com

Certo estava o Clint Eastwood quando disse que estamos preocupados demais com o que os outros estão fazendo e que está pouco se fodendo pra quem quer casar com quem.

O Barack Obama, esse sim deve se importar com isso, já que um esforço dele pode mudar toda a configuração do planeta num futuro próximo. Sendo o líder de um dos países mais influentes do mundo, diversos outros Estados começariam a segui-lo e o processo de casamento gay viraria uma realidade a curto prazo, fazendo com que, em menos de 10 anos, esse procedimento seja a coisa mais banal de todas, assim como sair de casa pra comprar frutas ou uma cerveja.

Oa gays devem se importar bastante com isso, afinal, é a luta da vida deles, algo que pode firmá-los, de uma vez por todas, como uma família, coisa que muitos já são há mais tempo que nós estamos por aqui, na Terra. Agora, ficar se espantando e imaginando na cabeça a força que deve ter sido para alguém famoso assumir sua sexualidade é algo do mais atrasado e do maior desperdício de tempo.

"A nova arte de sair do armário". E naquele dia, nenhuma revista foi vendida

Feliz será o dia em que uma revista não venderá um exemplar sequer porque a notícia estampada da capa, de que algum famoso "saiu do armário", será a manchete mais desinteressante de todos os tempos.

 


publicado em 14 de Julho de 2012, 07:00
13350456 1045223532179521 7682935491994185264 o

Jader Pires

É escritor e editor do Papo de Homem. Seu livro de contos é o Ela Prefere as Uvas Verdes. Está no Facebook, no Instagram e escreve semanalmente sua newsletter, a Meio-Fio, com contos/crônicas e uma curadoria cultural todas às sextas, direto no seu e-mail.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: