Quando o estresse bate forte, você sabe o que fazer?

As dicas sobre viajar com bebê VS o que vivi na realidade | Vida de Pai #7

Quando os manuais da internet não são o suficiente.

  • Nossos atuais Mecenas:
  • 130x50 jpg

Acabei de voltar de uma mini férias com a minha família. Foi a primeira vez que viajamos para curtir só nós três: Eu, minha esposa e a Clara, nossa filha que hoje tem 1 ano e 3 meses.

Ganhamos um convite do Royal Palm Plaza para conhecer o Resort e relaxar por quatro dias em Campinas, interior de São Paulo.

Antes da viagem, eu e minha esposa demos uma olhada na internet em busca de algumas dicas para aproveitar melhor as nossas merecidas férias em família. Resolvemos fazer um apanhado do que encontramos nessa pesquisa e complementar com o que acontece na realidade. Foi bem divertido!

1. Arrume a mala com antecedência, é importante fazê-la com tranquilidade para garantir que você não vai esquecer nada.

Dez dias antes de você sair de férias, o pau vai comer no seu emprego, você vai precisar trabalhar o dobro do tempo para compensar os dias que vai se ausentar e, se Murphy é seu amigo, alguma bucha vai estourar dias antes só pra foder mais ainda com o rolê.

Você, espertão, vai deixar para organizar a mala de última hora, achando que vai ser sussa como naquela viagem que você fez com seus broders. O que você esqueceu é que agora tem um filho e precisa levar um monte de tralha junto.

Achava ruim quando sua namorada levava um secador de cabelo e um monte de sapato na mala? Se achava o fodão porque sua mala de viagens sempre foi pequena?

Agora você vai ter que levar: fraldas,  brinquedos, roupa de frio, roupa de calor, roupa de piscina, pijama, remédios, pacote de lenço umedecido, xampu e sabonete de bebê. Ah,  e não se esqueça do carrinho de bebê que, mesmo desmontado, provavelmente vai ocupar o porta-malas inteiro.

Vai vendo…

2. Programe a sua viagem para ser de madrugada ou num horário que o seu bebê costuma dormir.

Você vai viajar na hora que der e no horário que conseguir.

O seu cronograma já vai estar atrasado por conta do trabalho que te ferrou durante toda semana e da mala que você fez em cima da hora (e no triplo do tempo que imaginou levar).

Quando você estiver pronto para sair, o bebê vai acordar berrando querendo mamar, sua esposa vai precisar parar de fazer o que está fazendo para dar tetê… e lá se vai o seu planejamento.

Aliás, por falar em planejamento, aqui tem outra dica que tem tudo para não dar certo:

3. Umas duas semanas antes da viagem, no máximo: cheque os tamanhos de roupas e sapatos!  É sempre importante ver o que levar pras crianças com uma certa antecedência por um motivo muito simples: elas crescem rápido, e o que você achou que ia levar pode não caber mais no seu filho perto da viagem.

Risos.

4. Faça um check-up na saúde do bebê, ficar doente no meio da viagem pode ser um pesadelo.

Nada no mundo garante que seu bebê não possa ficar doente chegando no lugar. El@ vai estranhar o ambiente, as pessoas, a cama, a comida, a rotina e dependendo de onde vocês estiverem, até o clima.

El@ vai dormir mal nas primeiras noites e por consequência você e sua esposa também.

Mesmo doente, a Clara ficou encantada com os peixinhos do lago do hotel.

5. Esqueçam os tablets, celulares e notebooks. Curtam o programa em família.

A pessoa que escreveu essa dica: ou  viajou com a babá ou com a mãe / sogra ajudando ou é daquelas que ganharam na loteria do bebê que não dá trabalho.

Baixe sim a Galinha Pintadinha,  Mundo Bita e seja lá qual for o desenho favorito do seu filh@ no seu celular, de preferência num modo que dê pra assistir offline.

Você vai me agradecer.

6. Trégua: A viagem deve ser um momento de lazer em família. O stress do dia a dia – dos prazos, engarrafamentos, confusão na hora das refeições – deve ficar em casa.

Pra mim, férias sempre foram sinônimo de liberdade: acordar a hora que eu quiser, dormir a hora que eu quiser, com ninguém me dizendo o que fazer.

Férias com filho não é bem assim.

Pra Clara, não importa se eu fui assistir um baita show de blues na noite anterior e tomei umas a mais, ela vai acordar as 8h da manhã querendo brincar comigo, exatamente como em todos os dias.

8h da noite e eu estava sem fome? Azar, esse é o horário que a Clara janta, então vou ter que comer junto.

Esse choque de não poder fazer o que eu quiser e na hora que eu quiser, justamente nas férias depois do ano mais puxado da minha vida, trabalhando e cuidando de filho acabou gerando umas trocas de farpas com a esposa.

Mas por mais frustrado que eu possa ter ficado com isso, a hora que me dei conta que estava de férias, num resort e com as pessoas que eu amo, passou o mau humor.

7. Atenção na piscina! Apesar das crianças gostarem, ela oferece uma série de riscos.

Pode deixar, tá anotado.

8. Comer deve ser um programa legal. Vá a restaurantes com cardápio variados para todos os gostos. Buffets são uma boa pedida.

Vá a um restaurante onde os garçons e as pessoas em volta não façam  cara feia para a bagunça que as crianças fazem na hora de comer.

Vocês precisam ver como estava o chão embaixo do cadeirão.

Deixo aqui um enorme agradecimento ao resort Royal Palm Plaza pela estadia e galhos quebrados durante os 4 dias. Por mais mal preparado que eu possa ter ido para as minhas primeiras férias com esposa e filha, o fato de ter comido muito bem em todas as refeições que fiz, ter o quarto arrumado, a hospitalidade de todos os funcionários e ter contado com uma baita infra-estrutura para adultos e crianças do hotel, ajudou demais na hora de compensar essa falta de experiência.

Se você tiver interesse em conhecer algumas opções de pacotes para aproveitar com sua família, dá uma olhada aqui.


publicado em 11 de Outubro de 2016, 14:39
Fa6216a91d207a00d48a0f1c69f44eb9?s=130

Rodrigo Cambiaghi

Gerente de atendimento do PapodeHomem, reveza o tempo entre filha, esposa, cão, trabalho, banda, games, horta de casa, cozinha e aulas de canto. No instagram posta fotos da filha, do cachorro, da coleção de games antigos, nerdices e coisas aleatórias.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: