Onde homens que aspiram crescer se encontram? No "Homens Possíveis 2017". Vem ver a programação e garantir seu ingresso. É 09/12, sábado.

As 25 maiores crises do homem (e como superá-las)

O que nos faz surtar e por quê? É essencial a gente entender.

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Advertisement
    130x50 jpg

O PapodeHomem foi fundado em 2006. Lá se vão dez anos de estrada, 7600 artigos, milhões de pessoas impactadas de alguma forma.

Todos os dias chegam e-mails de pessoas agradecendo, querendo nossa participação em TCC’s, tentando contato com algum de nossos autores, falando sobre suas vidas e o impacto que o PdH teve, mas principalmente, pedindo ajuda.

Em todo esse tempo de atividade, se teve algo que pudemos notar é que muitos homens nos acham enquanto passam pelas mais diversas crises.

Já ouvimos muito sobre brochada, traição, ejaculação precoce, gravidez inesperada, falta de grana, solidão, depressão, insatisfação com o corpo, falências empresariais, burnout, divórcio, luto, trabalho, família... todo tipo de história que vocês puderem imaginar. Algumas deixam o roteiro das novelas da Globo no chinelo.

Na medida do possível, nos dedicamos a responder e ajudar essas pessoas, uma a uma.

Nesses e-mails, às vezes, falamos sobre como reduzir os efeitos da crise em específico, em outros, oferecemos medidas mais amplas que podem ser úteis de maneira pervasiva.

Com a prática e a experiência adquirida ao ouvir tantos homens, foi-se formando, para nós, um mapa mental sobre as crises dos homens durante a vida.

Enfim, pudemos notar algo: nossas respostas se repetiam. Algumas delas, viravam textos. Muitas ficaram nas caixas de e-mails mesmo.

Agora decidimos empacotar isso em uma resposta mais coesa. Vamos lançar um livro condensando nossos aprendizados e sugestões que têm se mostrado mais eficientes para ajudar as pessoas ao longo dos anos.

Mas antes de dar mais detalhes, resolvemos já consolidar nesse artigo um mini passo-a-passo de emergência, pra ajudar quem não tem tempo algum a perder.

O que é uma crise?

“Evento crítico ou ponto de decisão que, se não gerenciado tempo e de maneira apropriada, pode vir a tornar-se um desastre ou uma catástrofe.” -Definição de crise aqui.

Pode parecer uma pergunta besta, afinal, a resposta fácil é “quando tudo vai mal”. Mas faz sentido olhar melhor pra isso. Afinal, o que nos faz surtar e por quê? É essencial a gente entender.

Grosseiramente, surtamos quando uma esperança ou crença muito enraizada, se quebra. Quando o que eu acredito ser ou ter, internamente, não encontra mais validação lá fora.

Por exemplo, se acredito no amor romântico e em promessas de fidelidade eterna, uma traição pode se tornar uma grande crise. Se eu acho que preciso ser um garanhão e ter uma performance sexual de ator pornô, brochar ou ter ejaculação precoce pode ser um problema ainda maior do que já é. Se eu me considero um grande líder, um profissional exemplar, estagnar na carreira ou não receber um aumento pode instaurar insatisfação no trabalho e, por consequência, uma crise. A simples não-aceitação da morte e da impermanência tem um grande potencial de gerar crises, seja quando algum familiar morre ou quando a sua empresa vai à falência.

Os homens, especialmente impactados que são pela mitologia do herói, têm uma série de frases prontas cravejadas na mente que os tornam alvos fáceis para quando sua autoimagem não ganha fruição.

Você está em uma crise? Antes de qualquer coisa, pare. Agora evite as 7 reações mais comuns, que listamos abaixo.

John Hamm lidou com crises de alcoolismo, estresse e depressão após a morte dos pais e durante as filmagens de Mad Men

Esses momentos são especialmente intensos.

Como em todo momento de dor, é usual que a gente sinta uma coisa: urgência. A gente quer, a todo custo, sair daquele espaço, parar de sentir aquela emoção perturbadora, mudar alguma coisa, seja ela qual for, pra que aquilo cesse.

Operamos de forma muito parecida com um rato que não consegue encontrar a saída de um lugar.

Aceleramos, ficamos obsessivos. Com isso, passamos por cima de quem e do que for. Transformamos amigos em inimigos, gritamos, nos debatemos.

Não vemos quem está ao nosso redor, nem o que está ao nosso alcance e poderia perfeitamente ser usado como escada para a tal saída que tanto procuramos.

É bastante comum que em toda essa ansiedade pioremos ainda mais as coisas.

Portanto, se tudo estiver mal, tente respirar por um segundo e apenas pare. Acalme-se. Respire.

Aqui uma pequena lista de algumas reações a momentos de crise que só pioram as coisas e é melhor evitar:

Reclamar: quando reclama, muitas vezes você se coloca em uma posição de fragilidade e apenas piora o problema. Você acaba só reforçando e prolongando um problema. Temos um texto sobre isso.

Brigar: emocionalmente instável, raivoso, não é raro o homem apoiar-se em estratégias de ataque. Mas a verdade é que batendo, brigando, gritando em todas as direções, os problemas não se resolvem. Pelo contrário, é mais provável que se agravem. Em especial por ser comum brigar justamente com quem está mais próximo e quer nos ajudar.

Fugir: outra estratégia é nem olhar, evitar, fazer vista grossa, enfim, fugir.

Acusar: quando você acusa fatores externos pelas crises, as chances são grandes de que só esteja fugindo da verdadeira responsabilidade sobre o que está acontecendo. Sim, as coisas têm causas e consequências, talvez algo realmente tenha ocorrido em decorrência da ação de uma outra pessoa, mas prender-se a esse diagnóstico e esperar, chorando, por ações dos outros também não vai levar você muito longe.

Justificar: o bom e velho “dar desculpas”. Em uma tentativa de manter-se por cima, é comum haver justificativas, “boas” razões para que tudo esteja errado. Congelar-se nessa postura também é uma forma de não dar o passo seguinte, assumir que a realidade é trabalhável e há soluções possíveis para o problema.

Fechar-se: fazer cara feia, bico, não dialogar. Quando você se fecha e impede as pessoas de te acessarem justamente quando elas querem ajudar é pedir para ficar isolado na pior hora possível.

Negar: não adianta agir como se o problema não existisse, tentando relativizar ou minimizar e torcer os acontecimentos pra se esquivar da responsabilidade. Não vai ter milagre. É preciso aceitar o fato e partir para a ação.

Esses são só alguns exemplos de posturas com potencial nocivo em situações comuns, mas que podem ser bem piores quando se insiste nelas nas horas difíceis.

Então, se você se flagrar caindo nesses padrões, vale parar, respirar, tentar mudar a paisagem mental, se distanciar brevemente, recobrar o mínimo de estabilidade e então partir para a ação.

Ações úteis para minimizar ou evitar crises

Brad Pitt assumiu passar por problemas com álcool durante seu divórcio

Não basta falar pra uma pessoa em crise que ela precisa fazer X e Y. Pra quem olha de fora, todo problema parece muito simples. Mas é preciso considerar o mundo onde aquela pessoa está, qual o contexto mais amplo, as emoções envolvidas e qual o tipo de cegueira desenvolvida até aquilo desembocar no colapso daquele modo de vida.

Por isso, em geral, as soluções realmente efetivas vão passar também por medidas que parecem não ter nada a ver com o problema em questão.

Nas nossas respostas a emails sugerimos alguns caminhos:

1. Cultive uma rede: batemos bastante nessa tecla. Já falamos sobre cultivar relações de parceria em outros momentos e vale reforçar que quando você tem amigos, familiares, enfim, pessoas interessadas no seu florescimento humano, essas dificuldades diminuem.

2. Procure ajuda profissional: nem todo mundo tem esse acesso a psicólogos, médicos, especialistas, mas é sempre bom reforçar (principalmente para homens, que tem um histórico de não procurar essas ajudas). Isso não é jogar dinheiro fora, é um dos melhores investimentos que você pode fazer e não há nada de errado nisso. As pessoas buscam ajuda quando precisam, por que você seria diferente?

3. Procure por quem já passou pela situação: nem sempre a pessoa vai ter um caminho que vai funcionar pra você, então, vale o senso crítico. Mas às vezes, vai ter algo que só quem sentiu na pele o seu problema vai poder auxiliar.

4. Cultive estabilidade, sabedoria e compaixão: você não precisa passar por todos os problemas do mundo para ter uma vida mais lúcida e estável. Há a sabedoria humana acumulada em milênios de história. De fato, a maioria das nossas questões e problemas pessoais são muito comuns, não têm nada de especial. Logo, podemos nos ancorar nisso, entender a fundo como nossas emoções se dão, de que forma construímos nossa identidade, como nos aprisionamos nela e, paralelamente, como ajudar os outros.

Essas ações podem ser cumulativas. Na verdade, é melhor que sejam, já que elas ajudam umas às outras. Com uma rede forte, vai ser mais fácil chegar a um especialista. Estando mais estável, você vai atuar com mais clareza e chegar a boas soluções.

Mas há também um quinto ponto que não pode ser ignorado.

Atue no problema de modo específico. Uma crise financeira vai ter, sim, especificidades que uma crise afetiva não vai ter. Uma crise profissional também vai ter seu caminho das pedras, até que se resolva. É importante ter uma boa rede, base emocional, algum nível de estabilidade de atenção e lucidez, afinal, é isso que vai sedimentar seus esforços, torná-los possíveis. Mas estudar e compreender com clareza o que precisa ser feito em cada situação também é essencial.

E o nosso livro vai ajudar vocês exatamente nessa etapa.

Quais são as crises dos homens?

Os sofrimentos dos homens são muitos, assim como os de qualquer pessoa.

Listamos aqui 25 crises que se repetem bastante. 25 gatilhos, prisões, amarras, tabus. São motivos que fazem muitos homens tremerem, perderem a direção. Com certeza há muitas além dessas, mas decidimos trabalhar com as que mais escutamos ao longo desses dez anos.

Formulamos cada uma delas em frases em primeira pessoa, assim, fica fácil identificar a questão específica.

São elas*:

  1. "Fui traído"

  2. "Traí minha parceira e me sinto culpado"

  3. "Tenho medo de me aproximar de mulheres"

  4. "Estou me divorciando"

  5. "Não consigo esquecer minha ex"

  6. "Tenho pinto pequeno"

  7. "Tenho ejaculação precoce"

  8. "Sou virgem"

  9. "Estou ficando brocha"

  10. "Não sei fazer minha namorada gozar (sou ruim de cama)"

  11. "Vou ter um filho não-planejado"

  12. "Não tenho amigos"

  13. "Sou tímido"

  14. "Sou feio"

  15. "Estou ficando velho (crise de meia idade)"

  16. "Será que sou gay?"

  17. "Não sou hétero e sofro preconceito"

  18. "Meus pais morreram"

  19. "Não consigo largar o vício (álcool, pornografia, games)"

  20. "Odeio meu trabalho"

  21. "Perdi o emprego"

  22. "Estou endividado"

  23. "Não consigo me dedicar a nada"

  24. "Não consigo parar de procrastinar"

  25. "Não estou satisfeito com o meu corpo (quero emagrecer ou ganhar massa muscular)"

*Os títulos podem variar até o lançamento do livro

Você provavelmente não passou por todas. Algumas têm mais chances de acontecer em certos momentos da vida, mais cedo ou mais tarde. Estão atreladas a crenças ou condições que podem variar de pessoa pra pessoa. É possível até que algumas pareçam bobas.

Mas, certamente, você vai passar ou conhecer alguém que passou por alguma delas em um certo ponto da sua trajetória e acabou se debatendo por muito tempo nisso.

Uma das dificuldades nessas fases complicadas é a perda da visão e da lucidez, como falamos ali em cima, mas em parte esse desespero também surge por falta de noção a respeito dos próximos passos a serem dados. Aliás, a própria crise é uma falta de reconhecimento de que as situações são trabalháveis.

Assim, por notar essas necessidades e por termos a prática, auxiliando homens por mais de dez anos, resolvemos dar um passo além na maneira como oferecemos esse suporte.

Vamos lançar o livro: "As 25 maiores crises do homem (e como superá-las)"!

Cultivamos, de 2008 a 2013, a Cabana PapodeHomem, um espaço no qual ouvíamos esses relatos e eles se tornavam insumo para desenvolvermos práticas que auxiliavam na transformação dos homens ali envolvidos. Pela Cabana fizemos encontros nacionais, eventos de artes marciais, palestras e cursos.

Em 2015 publicamos um percurso chamado "23 dias para um homem melhor", que contava com um artigo por dia com práticas para melhorar diversos aspectos da vida de um homem e finalizou com um encontro presencial, no qual trouxemos 35 leitores para conversar sobre seus avanços naquele período.

Em 2016, lançamos o documentário "Precisamos falar com os homens?", que contou com uma pesquisa que rodou o país, também ouvindo histórias de homens das mais diferentes origens, sobre suas vidas e trajetórias. Ouvimos muito sobre as dores, mas também sobre os anseios e ambições.

Sem contar os mais de 7600 artigos, inúmeros comentários, mensagens e emails.

São dez anos como parceiros dos homens, ouvindo e participando de inúmeras histórias.

Por isso, agora, decidimos compilar o que aprendemos e ouvimos durante todo esse tempo em um grande apanhado de soluções para as crises mais comuns que nós atravessamos ao longo da vida.

O resultado é o ebook “As 25 maiores crises do homem (e como superá-las)”.

No ebook oferecemos o detalhamento do que falamos nesse post e mais 25 capítulos feitos por 9 dos melhores autores do PapodeHomem.

Cadastrando seu email aqui você vai receber um capítulo grátis do ebook + um link com uma oferta exclusiva, disponível só para quem vier por esse formulário.

Assine a lista para receber uma amostra grátis e o link de compra

* indicates required

Caso não consiga cadastrar, clique aqui.

Esse é o primeiro de vários livros que pretendemos lançar. Ao comprar você ajuda o PapodeHomem a se manter vivo. Ajuda também a construirmos nosso sonho de não mais depender financeiramente das marcas para nos sustentar.

Assim podemos focar em quem mais precisa de nós: vocês.

Todas as críticas e sugestões serão muito bem-vindas, como de praxe. Seguimos nos comentários.

Um grande abraço!


publicado em 05 de Junho de 2017, 18:17
Avatar01

Luciano Andolini

Cantor, guitarrista, compositor e editor do PapodeHomem nas horas vagas. Você pode ouvir no Spotify. Também escreve no Medium e em seu blog pessoal. Quer ser seu amigo no Facebook e Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: