Como ir além do "tudo bem" num bate papo? Como falar sobre emoções com seus amigos sem parecer estranho? Ensinamos nessa animação de 2 minutos, vem ver. ;-)

9 filmes dos anos 80 para você fugir dos clichês de Natal

Se você está cansado de Esqueceram de Mim, preparamos uma lista divertida de grandes sucessos não-natalinos dos anos 1980.

As festas de fim de ano são uma época nostálgica: voltar para a cidade natal, rever a família, velhos amigos, a casa de infância, reviver velhas tradições... 

Há quem goste de sentar no sofá da sala pra ver, mais uma vez, aqueles velhos filmes de natal — sejam os religiosos que contam a história de Cristo ou os americanos cheios de neve e de papais noéis. Se você é uma dessas pessoas: aqui vai nossa lista de 11 filmes natalinos clássicos.

Mas, se você gostaria, de pelo menos esse ano, variar a programação da TV (ou da tela do seu computador), preparamos uma lista com filmes dos anos 1980 — essa era de ouro do cinema — nostálgicos, divertidos, mas não-natalinos.

1. Ghostbusters - Ivan Reitman (1984)

É bom rever Ghostbusters porque em 2020 vai lançar o Ghostbusters - Mais Além, filme que continua, nos dias atuais, a história original a partir de novos eventos paranormais. Para quem é muito fã de Ghostbusters, uma outra dica é assistir o episódio 3 da série "Filmes que Marcaram Época", que conta muito dos bastidores da produção do longa original.

Sinopse: Em Nova York Peter Venkman (Bill Murray), Ray Stantz (Dan Aykroyd) e Egon Spengler (Harold Ramis) são três cientistas do departamento de psicologia da Columbia University, que se dedicam ao estudo de casos paranormais. Quando a subvenção termina eles são despedidos e Venkman sugere que abram um negócio próprio, a exterminadora de fantasmas "Ghostbusters". Inicialmente eles só têm despesas e nenhum cliente, mas eis que surge Dana Barrett (Sigourney Weaver), uma violoncelista que teve uma experiência assustadora em seu apartamento.

2. Curtindo a vida adoidado - John Huges (1986)

Curtindo a Vida Adoidado é um dos grandes clássicos de século XX e um ótimo filme para se ver em família e pode trazer boas conversas depois. Imagina pais e filhos comparando as dificuldades de se cabular aula na época de cada um?

 

Sinopse: No último semestre do curso do colégio, Ferris Bueller (Matthew Broderick) sente um incontrolável desejo de matar a aula e planeja um grande programa na cidade com sua namorada (Mia Sara), seu melhor amigo (Alan Ruck) e uma Ferrari. Só que para poder realizar seu desejo ele precisa escapar do diretor do colégio (Jeffrey Jones) e de sua irmã (Jennifer Grey)

3. Star Wars Episódio IV:  O Retorno do Jedi - Richard Marquand (1983)

Lembrando da estreia do episódio IX - A Ascenção Skywalker,  vale muito a pena rever não só o episódio IV, mas toda a trilogia original!

Sinopse: O imperador (Ian McDiarmid) está supervisionando a construção de uma nova Estrela da Morte. Enquanto isso Luke Skywalker (Mark Hamill) liberta Han Solo (Harrison Ford) e a Princesa Leia (Carrie Fisher) das mãos de Jaba, o pior bandido das galáxias. Luke só se tornará um cavaleiro jedi quando destruir Darth Vader, que ainda pretende atraí-lo para o lado negro da "Força". No entanto a luta entre os dois vai revelar um inesperado segredo.

4. Dirty Dancing - Emile Ardolino (1987)

Dirty Dancing é um clássico que trata de alguns temas bastante atuais. O filme produzido com baixíssimo orçamento se tornou um dos maiores sucesso de bilheteria. Se você é do tipo que nunca se interessou porque acha que é um filme "para mulheres", está na hora de dar uma chance.

Sinopse: Em 1963, Frances Houseman (Jennifer Grey), ou "Baby", como é chamada pela família, é uma jovem de 17 anos, viajou com seus pais para um resort de classe alta e entendiante. Numa noite Baby descobre a festa no alojamento dos funcionários, onde se dançam ritmos quentes. Baby se encanta pelo gingado de Johnny Castle (Patrick Swayze), um professor de dança que está prestes a ficar sem sua parceira Penny. Baby tenta aprender a dançar para substituir Penny, mas se apaixona por Johnny a contragosto da família endinheirada que não aceita vê-la metida com os funcionários do hotel.

5. Trocando as bolas - John Landis (1983)

Esse é o mais natalino da nossa lista, mas ele não costuma ser tão lembrado na época de natal. De toda forma, uma comédia pastelão com trambique e trocas de papéis sempre vai bem.

Sinopse: Louis Winthorpe III (Dan Aykroyd) é um executivo de sucesso que, assim como o negro marginalizado Billy Ray Valentine (Eddie Murphy), que vive de pequenos golpes, tem sua vida muito mudada quando dois riquíssimos corretores, Randolph Duke (Ralph Bellamy) e Mortimer Duke (Don Ameche), apostam sobre qual o fator preponderante que determina o sucesso de uma pessoa. Mortimer crê que é o genético, enquanto Randolph acredita que seja o meio social. Assim fazem acontecer desgraças com Louis, enquanto Billy Ray tem uma mudança tão brusca de status que inicialmente se desconcerta, sem imaginar que agora tem a casa, o carro e o emprego de Louis.

6. E.T. - O Extraterrestre -  Steven Spielberg (1982)

Que tal mostrar uma das maiores histórias de todos os tempos para as crianças da nova geração?

Sinopse: Um garoto faz amizade com um ser de outro planeta, que ficou sozinho na Terra, protegendo-o de todas as formas para evitar que ele seja capturado e transformado em cobaia. Gradativamente, surge entre os dois uma forte amizade.

7. Blade runner - Ridley Scott (1982)

O bom de rever o Blade Runner original é que a história é situada em 2019. Apesar dos celulares androids, estamos longe dos androides do filme. Quem estiver com disposição pode, inclusive, fazer uma dobradinha e assistir o Blade Runner 2049 (2017).

Sinopse: No início do século XXI, uma grande corporação desenvolve um robô que é mais forte e ágil que o ser humano e se equiparando em inteligência. São conhecidos como replicantes e utilizados como escravos na colonização e exploração de outros planetas. Mas, quando um grupo dos robôs mais evoluídos provoca um motim, em uma colônia fora da Terra, este incidente faz os replicantes serem considerados ilegais na Terra, sob pena de morte. A partir de então, policiais de um esquadrão de elite, conhecidos como Blade Runner, têm ordem de atirar para matar em replicantes encontrados na Terra, mas tal ato não é chamado de execução e sim de remoção. Até que, em novembro de 2019, em Los Angeles, quando cinco replicantes chegam à Terra, um ex-Blade Runner (Harrison Ford) é encarregado de caçá-los.

8. De volta pro Futuro - Robert Zemeckis (1985)

Uma das coisas mais legais de rever De Volta pro Futuro, é que hoje em dia nós já estamos mais no futuro do que o futuro imaginado pelo filme (que era 2015). Lembra quais eram as previsões do filme? Será que se parece com o nosso presente?

Sinopse: Um jovem (Michael J. Fox) aciona acidentalmente uma máquina do tempo construída por um cientista (Christopher Lloyd) em um Delorean, retornando aos anos 50. Lá conhece sua mãe (Lea Thompson), antes ainda do casamento com seu pai, que fica apaixonada por ele. Tal paixão põe em risco sua própria existência, pois alteraria todo o futuro, forçando-o a servir de cupido entre seus pais.   

9.Irmãos cara de pau - John Landis (1981)

Para fechar nossa lista, uma comédia pastelão com ótimos números musicais num clima de roadtrip misturado com perseguição policial!

Sinopse: Após deixar a cadeia Jake (John Belushi) reencontra seu irmão Elwood (Dan Aykroyd) e juntos vão para o orfanato onde foram criados. Lá eles descobrem que o local será fechado se uma dívida de US$ 5 mil com a prefeitura não for paga. Como a freira (Kathleen Freeman) que dirige o orfanato não aceita de forma alguma dinheiro ganho desonestamente, Jake e Elwood decidem por retomar a The Blues Brothers Band, na intenção de realizar um grande show e arrecadar a quantia necessária para pagar a dívida.


publicado em 25 de Dezembro de 2019, 11:45
Logo pdh png

Redação PdH

Mantemos nosso radar ligado para trazer a você notícias, conversas e ponderações que valham o seu tempo. Para mergulhar na toca do coelho e conhecer a visão editorial do PdH, venha por aqui.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura