8 passos para cuidar da sua privacidade digital

Outubro é o mês da segurança cibernética e a privacidade digital é um direito básico e inalienável.

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Logo havaianas 130x50 png
  • 47 nh 1 png

 

Para qualquer coisa que você faça nas redes, você deixa uma impressão digital de si mesmo. Quanto mais ativo você estiver na internet, mais forte será a impressão digital. Essa impressão é altamente valiosa - seus dados são o novo petróleo (guarde esta ideia).

Outubro é o Mês Nacional de Conscientização sobre Segurança Cibernética (NCSAM – National Cyber Security Awareness Month) e na era da informação e das redes, precisamos levar em conta que a privacidade não só protege os nossos valores profundos, mas também garante a profundidade da nossa vida. A privacidade é um direito básico e inalienável do ser humano. Privacidade é empoderamento.

Quando seus dados vazam, acidental ou intencionalmente, eles são compartilhados pessoas e empresas que você não conhece ou não confia.

Foto por Jefferson Santos

Mais uma vez, discutir tecnologia é importante porque é discutir uma questão humanística profunda. Também precisamos, em contrapartida, ter em mente que nada é exatamente confidencial nos dias de hoje. Então confidencialidade é um nível acima de privacidade, mais difícil de se alcançar.

A LGPD (Lei geral de Proteção de dados - de pessoas físicas) deve guiar as empresas para que estas seja mais sócio responsáveis com segurança da informação. Além das garantias que devem partir das empresas, no entanto vamos dar uns toques para você, por si só, possa se proteger e deixar seus dados menos vulnerável.

Inclusive, no mês de conscientização sobre segurança cibernética, foi enfatizado as possibilidades de ações individuais:

”O NCSAM enfatizará o papel que cada indivíduo possui ao  lidar com a segurança online e enfatiza a importância de tomar medidas proativas para melhorar a cibersegurança em casa e no local de trabalho.

O que eu posso fazer para me proteger?

  1. Compartilhar suas  informações pessoais online somente quando você souber:

  • Quem realmente está pedindo?

  • Por que querem esses dados?.

  1. É importante estar ciente de quanta informação você está compartilhando on-line.

Para isso você precisa avaliar quais as informações que você escolhe compartilhar.

Lembre-se que depois da publicação de algo online, você perderá o controle de onde as informações sobre você vão e quem pode usá-las. A LGPD surge como uma promessa de lidar com esse descontrole, a isso chamamos o direito ao esquecimento.

Aqui vão as 8  dicas para você se proteger:

1. Use o software antivírus nos seus dispositivos.

Parece clichê mas não é. O software antivírus é essencial para qualquer computador ou telefone - independentemente de estar ou não conectado à Internet. Eles são uma excelente maneira de ajudar a evitar fraudes ou danos on-line no seu dispositivo.

2. Otimize suas senhas!

Foto por Matthew Brodeur

Use senhas longas, com letras, números e caracteres especiais. Para te ajudar, você pode usar um software de gerenciamento de senhas como, por exemplo, o Lastpass. Também vale ative o fator de dupla autenticação.

Usar senhas longas é de fato complexo, quando usamos um software, ele gera senhas fortes, nos lembra de mudar as senhas e se repetirmos a mesma senha em algum lugar, ele nos avisará. Isso vai evitar que outros serviços sejam comprometidos, caso algum serviço vaze uma determinada senha.

3. Atualize seus cookies, ou apague-os de tempos em tempos.

Os cookies são como os sites coletam e armazenam informações sobre seu histórico de navegação. Isso também significa que os sites podem vender essa análise a terceiros para que eles também tenham as informações sobre você. Se não quiser que isso aconteça, limpe os cookies de tempos em tempos.

4. Use uma VPN para tornar a navegação anônima.

As VPNs são  uma das melhores maneiras de se proteger online e ter sessões de navegação verdadeiramente anônimas.  A conexão criptografada é chamada de túnel e é muito difícil que hackers e spammers se infiltrem para obter dados de uma pessoa enquanto estão online.

5. Use apenas links HTTPS.

O "S" no HTTPS é de seguro, criptografado. Quando você passa seu usuário e senha em site HTTP, ele não é criptografado, os dados passam em texto claro e podem ser interceptados até a chegada no servidor. Os hackers podem obter dados confidenciais sobre os usuários do site.

6. Desative a opção de preenchimento automático do seu web browser.

Os dados de preenchimento automático do seu browser são salvos na sessão que você loga, ou seja esses dados estão na nuvem. Se você salva seu endereço, CPF, Cartão de crédito, eles estão salvos na Nuvem e podem ser acessados se sua conta de e-mail ou icloud for hackeada.

7. Verifique se todas as suas contas de mídia social são privadas.

Existem ferramentas denominadas "crawlers" que fazem a busca de dados públicos na internet. Se seu perfil no Instagram, Facebook, Tumblr, Pinterest está público certamente seus dados já estão em alguma base de dados.

8. Criptografe o disco do seu laptop.

Seu laptop pode ir a assitência técnica, ser roubado ou ter o HD trocado. Criptografe o HD, seja Windows, Imac, Linux existem ferramentas para criptografar e espantar os curiosos de plantão.

Como eu sei se já vazaram meus dados?

Aqui vão duas ferramentas para você verificar como andam seus dados pela rede. 

  1. Para descobrir se você já teve dados de login vazado

https://haveibeenpwned.com/

  1. Para saber quais as informações podem ser acessadas com o seu e-mail pessoal ou corporativo

https://hunter.io/

Embora existam 8  ações, todas são muito simples de executarem uma vez que elas se incorporam na rotina como um hábito.

Tem mais alguma estratégia que você costuma usar para se proteger? Escreva aqui nos comentários. 


publicado em 24 de Outubro de 2019, 05:25
Abian langinestra jpg

Abian Laginestra

Abian Laginestra é especialista em segurança da informação, pai da Valentina, escalador e defensor da bandeira de uma sociedade digital mais segura. Também procura navegar na sociedade não replicando atitudes de masculidade tóxica. Sente na pele o que é ser de minoria e vê que há um lugar para todxs no mundo.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: