Quer dar um tapa no visual mas não sabe por onde começar? Fizemos um curso online de estilo pra isso, o “Mas você vai de chinelo?”. Inscreva-se agora! É gratuito!

7 boas práticas ao volante para evitar acidentes

Aqui vão algumas dicas simples (e que deveriam ser o bê-á-bá de todos) para uma convivência mais segura entre homem, máquina e asfalto.

  • Nossos atuais Mecenas:
  • 47 nh 1 png
  • Logo havaianas 130x50 png

Recentemente o Ministério da Saúde divulgou uma pesquisa apontando que um em cada cinco motoristas admite usar o celular enquanto dirige. Imagine só se somássemos aqueles que também usam porém não admitiram para a pesquisa.

Infelizmente, este é um fenômeno global, cada vez mais o uso de celulares é causa de acidentes.

Mas não é apenas isso que causa acidentes, claro. Há várias (péssimas) práticas que culminam em situações perigosas que podem até mesmo resultar na morte de um pedestre ou mesmo do motorista ou passageiros.

Como vocês vão ver aqui embaixo, o básico bem feito já evita muita dor de cabeça. Por isso, vamos dar algumas dicas simples (e que deveriam ser o bê-á-bá de todos) para uma convivência mais segura entre homem, máquina e asfalto.

1. O básico do básico

Tudo começa assim

Antes de mais nada, vamos do início.

Para poder dirigir um carro, moto ou caminhão é preciso estar com a documentação do veículo em dia – nada de jeitinho, ok?.

Em seguida, é obrigatório ter uma CNH (carteira nacional de habilitação) válida.

E, por último, é preciso estar em condições de dirigir.

Se você estiver sonolento, alcoolizado ou sob influência de qualquer outra substância pegue o seu celular mas somente para chamar um amigo ou outro carro.

Parece básico demais? Ano a ano o número de pessoas que admite dirigir embriagadas aumenta

2. Manutenção do veículo

Pastilhas e discos de freios precisam de manutenção

Sim, é certo que hoje em dia os carros estão infinitamente mais seguros. Seja nos testes de impactos ou nos equipamentos obrigatórios, o mercado está evoluindo.

Atualmente, por exemplo, são obrigatórias as bolsas infláveis dianteiras e os freios ABS. Contudo, de nada adianta os mais modernos sistemas de frenagem se o carro está com os pneus carecas, fluidos vencidos e pastilhas de freio que já passaram da hora de ser trocadas. Assim como qualquer outra máquina o carro requer cuidados básicos.

Para se ter uma noção da importância disso, a falta de manutenção triplica o risco de acidentes.

No próprio manual do condutor é possível ver qual é a periodicidade correta para verificar e trocar cada componente. Calibrar o pneu ajuda não só no desempenho geral como também a economizar combustível, o que é bom pra sua segurança e pro seu bolso. Aqueles dois minutos gastos no posto de combustível vão valer muito na hora de abastecer. E não esqueça, é claro, do alinhamento e balanceamento e verificação de iluminação.

3. Manter uma distância segura

Pra quê andar assim?

Segundo dados de um estudo realizado pelo Ministério dos Transportes, Portos e Aviação sobre Segurança nas Rodovias Federais, 53,7% dos acidentes são causados pela negligência ou imprudência dos motoristas, seja por desrespeito às leis de trânsito (30,3%) ou falta de atenção do condutor (23,4%). É o chamado “fator humano”.

Então, aqui vamos deixar uma dica bem básica. Depois de tudo pronto para começar, é essencial manter uma distância segura do carro que está à sua frente.

Pode parecer bobo, porém, o que eu vejo de carros andando colados não está escrito. Se o carro da frente precisar frear ou desviar repentinamente, o carro de trás não terá tempo hábil para reagir.

Em uma frenagem é preciso levar em conta ainda o tempo de reação (que varia de motorista para motorista). Só aí já não dá tempo de fazer mais nada para evitar o pior.  De certo que em cidades mais cheias, qualquer espaço é disputado, porém, nada justifica andar tão perto assim, simplesmente não vale a pena.

4. Regra da vovó ou vovô

Você xingaria alguém assim no trânsito?

Essa eu aprendi para nunca mais esquecer. Muitas vezes encontramos um veículo lento na nossa frente ou levamos uma fechada daquelas que dá vontade de passar xingando até a próxima geração.

Nesses casos, a regra é muito simples, imagine que no carro da frente está a sua avó - ou seu avô. A sua reação será a mesma? As palavras que sairão da sua boca serão as mesmas? Muitas vezes é um motorista que está perdido ou mesmo alguém que tem pouco tempo de CNH.

Sei que pode acontecer de realmente ser alguém mal intencionado ou agressivo mas de nada adianta discutir no trânsito. Em um país violento como o nosso, é melhor respirar fundo e seguir a sua vida. 

5. Previsão

Prever é a chave

Essa talvez seja a dica mais importante de todas mostradas aqui. O que mais me salvou de acidentes e problemas até hoje. A previsão consiste em olhar para o trânsito à sua frente com atenção e imaginar o que pode acontecer.

Quem nunca passou por uma situação assim? Você está numa estrada com duas faixas na pista da esquerda e lá na frente temos uma subida com carro e um caminhão ambos na faixa da direita. No momento que você se aproxima para ultrapassar ambos, o carro da direita dá seta e entra de uma vez na sua frente.

Caminhões são veículos pesados que perdem velocidade em subidas. O carro que está na faixa da direita poderia muito bem ultrapassar o caminhão antes ou depois de você passar.

Porém, o motorista desligado só percebe que o caminhão perdeu velocidade quando é tarde demais. Na estrada, eu busco sempre manter também o olhar um ou dois veículos à frente. Se o primeiro da fila frear, com certeza os demais também vão diminuir a velocidade.

Portanto, fique atento e olhe além. 

6. Sinalizar

Um movimento aqui ajuda todos no trânsito

Sabe o que ajuda muito na hora de prever um movimento no trânsito? A sinalização. Aquela haste atrás do volante tem um incrível poder – acender as luzes de seta. Um simples ato como este ajuda todos ao seu redor a compreender sua próxima ação.

Chegou ao seu destino e vai estacionar? Liga a seta! Quer virar na próxima esquina? Liga a seta!

Além do carro de trás, a seta ajuda o carro da frente e até mesmo o pedestre. Costumo dizer que o motorista da minha frente pode até estacionar no meio rodovia, desde que ele dê seta antes. Muitas vezes, como pedestre, eu fico na dúvida se o veículo vai dobrar a esquina ou não, uma simples seta resolveria. 

7. Boa educação

Em Gramado-RS o pedestre pode atravessar na faixa sem medo

Por último, algo que deveria ser válido em todos os lugares, a cordialidade. Admito que é raro encontrar alguém com boa educação nas ruas. Porém, quando isso acontece é como se a fé na humanidade fosse restabelecida. Aquele pedestre que ajuda a outro a atravessar, aquela pessoa que faz sinal avisando que você pode entrar na frente dela. Dá vontade de descer do carro e dar um abraço.

Na estrada mesmo, uma vez fui avisado por um carro em outro sentido para diminuir a velocidade. Poucos quilômetros a frente um caminhão havia tombado e espalhado óleo pela pista. Não precisa fazer muito, apenas o mínimo de respeito e um toque de cordialidade. Seja gentil. 

Vale pro trânsito. Vale pra vida.

E vocês aí do outro lado desta janela iluminada? Têm alguma dica para ajudar nosso trânsito do dia a dia? Já passou por alguma situação parecida e gostaria de compartilhar com a gente?

Pensei em fazer no próximo texto sobre o que não fazer no trânsito. O que vocês acham? Quero ouvir dicas e ideias para os próximos textos pra tornar a nossa coluna cada vez mais útil e interessante.

Abraço e até a próxima!


publicado em 09 de Julho de 2019, 10:21
Avatar jpg

Lucas Rizzollo

Jornalista especializado em carros e motos. Nascido com gasolina nas veias e fanático pelo o assunto desde sempre. Quando não está lendo ou escrevendo joga Poker e também Futebol Americano. Você pode seguir no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: