Quer dar um tapa no visual mas não sabe por onde começar? Fizemos um curso online de estilo pra isso, o “Mas você vai de chinelo?”. Inscreva-se agora! É gratuito!

[+18] Bom dia, Stephanie Gomes

A Stephanie foi fotografada pela Camila Dal Col

Nota editorial: acreditamos que nudez, sensualidade, desejo e diversidade são discussões essenciais de nosso tempo. E que há espaço para tratar disso sem objetificar e ofender, mas sim valorizando toda a riqueza do masculino e do feminino. Para entender porque publicamos ensaios de homens e mulheres e saber mais sobre o que aspiramos para a série "Bom dia", leia o que escrevemos aqui. E se tem um ensaio que deseja publicar, fale conosco pelo luciano@papodehomem.com.br .

* * *

Me chamo Stéphanie, mas sou conhecida como 'Fada' por ser muito energética (e uns até dizem que pareço uma mesmo). Nascida e criada no interior do Rio de Janeiro, em Conceição de Macabu. Sempre fui muito espírito livre, saí de casa contra a vontade dos meus pais aos 18 anos para cursar Farmácia na UFRJ em Macaé e hoje, com a faculdade trancada, tô indo estudar fora por um tempo. 

No período que morei em Macaé, comecei a posar para uns amigos que estavam começando na fotografia e acabei me descobrindo na área. Conheci o trabalho lindo da Camila Dal Col e passei a acompanhar no Instagram. Para minha surpresa, um dia fui convidada a participar de um de seus projetos de nu. 

Já havia feito alguns trabalhos sensuais, porém nada além disso. A Camila quis as fotos pegando o nascer do sol na praia e assim fizemos. Foi tudo de maneira bem natural, fiquei extremamente confortável. O resultado, pra mim, não poderia ter sido melhor: olhar sutil, cenário de filme, luz linda e edição impecável.

Atualmente tô no meio de uma mudança para a cidade de Brisbane na Austrália, dividindo meu tempo entre fotografia, crochê, café e viagens.

 

 

 


publicado em 13 de Agosto de 2018, 12:15
Avatar stephanie gomes jpg

Stephanie Gomes

22 anos de sonho e de sangue (salve, Belchior!), escorpiana e andarilha. Estou no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura