Quer ser anfitrião de uma sessão independente de nosso novo doc "O silêncio dos homens" em sua comunidade? Se cadastre aqui! Já são mais de 478 pessoas voluntárias em todo o país.

[18+] Bom Dia, Amanda Costa

A Amanda foi fotografada pelo Antonio Dauzaker

Recebi um convite do meu amigo da faculdade para fazer um ensaio boudoir. Eu já tinha pensado em fazer um ensaio sensual antes, claro, com muito medo da reação dos amigos e da família.

Mas por que o medo?

Porque sociedade ainda trata isso como um tabu? Ou como uma coisa que diminui a imagem da mulher?

Acredito, do fundo do coração, que o que diminui a imagem da mulher é a prisão em que ela mesma se coloca. Então decidi sair dessa caixinha de regras e fiz. Aceitei o ensaio para me desafiar e quebrar vários tabus que ainda perturbavam minha mente. Um ensaio que, por sinal, me apaixonei mais por mim mesma.

Vai ser uma coisa que um dia vai me lembrar do tempo em que meu corpo era jovem, era belo, era sensual. Porque isso tudo passa, e o que sobram são as lembranças, não é mesmo? Eu passei e estou passando por um processo de desconstrução da minha mente e do paradigma em que nos encontramos, e se eu quiser posar nua eu vou posar sim, não interessa se alguns dirão que eu sou "oferecida", "puta", ou qualquer outro adjetivo proveniente de uma mente pequena e fechada, porque sempre vão arrumar algo para me criticar, não importa o quão certinha ou não eu seja. Sempre alguém vai falar algo, então como diz a musica, “deixe que digam que pensem, que falem”. 

Isso não afeta mais o jeito com o qual controlo minha vida. E eu super aconselho as meninas tentarem fazer um ensaio sensual pelo menos uma vez na vida, nem que seja apenas por auto admiração e amor próprio, amor ao seu corpo, lindo e singular a sua maneira, e não importa o que os outros vão falar. 

As fotos são do Antonio Dauzaker.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


publicado em 28 de Janeiro de 2019, 00:00
Foto bio jpg

Amanda Costa

Estudante de arquitetura e urbanismo, artista plástica, cosplayer, compositora, e desbravadora do mundo.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura