Wikileaks: o maior e mais inútil vazamento de informações da história

Thiago Rocha Kiwi

por
em às | Debates, Mundo


Quando entrei na faculdade de Jornalismo, eu queria fazer minha própria revolução. Queria ser um prestador de serviços para a sociedade. Queria informar mais e melhor.

O que me fez voltar a refletir sobre minhas primeiras intenções com o jornalismo foi a polêmica em volta das tais informações ultrassecretas reveladas pelo Wikileaks, em um conjunto de documentos pretenciosamente chamado Cablegate – fazendo uma referência ao Watergate, um caso clássico do jornalismo investigativo que culminou com a queda do presidente americano Richard Nixon, na década de 1970.

De acordo com o Wikileaks, no total, são 250 mil documentos enviados de 274 embaixadas e consulados americanos ao redor do mundo à Casa Branca. Os papéis datam de 1966 até fevereiro de 2010 e devem ser divulgados progressivamente nos próximos meses. É o maior vazamento de informações secretas da história.

Logo na segunda-feira, um dia depois dos documentos irem a público, me interessei pelo caso. Àquela altura a imprensa britânica já fazia um oba-oba por aqui. Acredito que, como eu, grande parte dos leitores do PdH não resistiu a dar uma olhada nos tais documentos e acabou sem paciência de ler aqueles longos telegramas que, na real, não traziam informações suficientemente relevantes para serem considerados bombásticos.

"Era melhor no nosso tempo, meu caro Watson, quando apenas uma informação mudava tudo."

O Wikileaks se apresenta como um órgão formado por jornalistas de diversos países. Por conta disso, esperava-se que os documentos revelassem crimes de guerra, manobras diplomáticas questionáveis ou qualquer outro fato que trouxesse alguma coisa nova, alguma informação que realmente abalasse a estrutura política americana. Contudo, o que se vê no Cablagate – salvo poucas exceções – são relatos, opiniões e fofocas contadas pelos diplomatas americanos. Nada muito além disso.

Com isso, o tiro do Wikileaks acabou saindo pela culatra. Toda a exposição que a organização teve durante a semana acabou fazendo com que o processo por crimes sexuais a que seu fundador, Julian Assange, responde viesse à tona. O grupo ainda diz que tem sofrido ameaças de morte.

Conteúdo

Obviamente, não dá pra falar que tudo o que foi divulgado até agora é inútil. Alguns dos textos revelam informações que permitem que algumas situações da política mundial sejam melhor compreendidas. Alguns exemplos disso seguem abaixo.

• Segundo o embaixador americano em Tegucigalpa, o golpe de Estado que tirou o ex-presidente hondurenho Manuel Zelaya do poder no ano passado foi ilegítimo. O texto serve como um cala-boca para aqueles que argumentavam que Zelaya estava tentando dar uma de Hugo Chávez e mudar a constituição do país.

• Em 2008, foi relatado que o governo da Arábia Saudita pedia frequentemente para que os Estados Unidos atacassem o Irã a fim de evitar que a influência de Ahmadinejad crescesse no Iraque.

• Segundo o embaixador americano em Londres, nos últimos anos, o governo britânico tem armazenado bombas de fragmentação para os Estados Unidos, mesmo depois de o Reino Unido ter banido esse tipo de arma em seu território.

• Até o fim da semana passada, a informação mais quente foi a suspeita de que os diplomatas Estados Unidos estejam em meio a uma campanha de espionagem na ONU. Tudo isso sob ordem da secretária de Estado, Hillary Clinton.

• Ontem foi revelado o documento que mais surpreendeu até agora. O Wikileaks publicou uma lista secreta de instalações em diversos países que os Estados Unidos consideram vitais para a segurança nacional. Washington e o governo britânico condenaram o vazamento, afirmando que as informações podem ajudar grupos terroristas. Não duvido.

Sobre o Brasil, muito pouco foi divulgado até agora. Suspeitas de terrorismo e desentendimentos entre a embaixada e o Ministério das Relações Exteriores são os assuntos mais abordados. O resto é rubbish. Pessoalmente, espero que nos próximos meses algo interessante seja divulgado sobre a relação Brasil/EUA nos anos da ditadura.

Mas, apesar de tudo o que foi publicado, o que deve ter enfurecido as autoridades internacionais e, principalmente as americanas, não foi o conteúdo revelado, mas, sim, o fato de que o Cablegate não passa de uma mega operação de violação de correspondência.

Wikileaks e o jornalismo declaratório

O Cablegate está longe de ser um caso de jornalismo investigativo, como foi o inspirador Watergate, que contou com a participação do lendário Garganta Profunda como fonte. Não duvido da dedicação dos jornalistas que participaram do projeto, mas uma pergunta deve ser feita nessa história. Qual é o interesse por trás de tudo isso?

Não consigo entender jornalistas que fazem de tudo para criar uma polêmica. Gente que, no melhor estilo Nelson Rubens, querem ver declarações sem importância como “[Dimitri] Medvedev é Robin e [Vladmir] Putin, Batman” sendo manchetes na imprensa mundial.

Assim que os documentos foram ao ar, a imprensa mundial começou uma busca inútil por “furos”, mesmo sabendo que, agora, qualquer zé mané pode acessar as mesmas informações do computador de casa.

Uhh, Bomba: diplomata americano diz que Angela Merkel é "sem criatividade".

Nos últimos anos, principalmente depois que a internet se tornou um dos principais meios de se conseguir informação, os grandes portais de notícias usam o jornalismo declaratório como uma forma rápida e eficaz para se publicar informações. Explico: se ocorreu um homicídio em um bairro de classe média e a polícia suspeita que o marido foi quem matou a mulher, a maior parte das manchetes terão um título com o padrão “Homem mata esposa em bairro nobre de SP, diz polícia”. O “diz polícia” é a carta na manga do editor. Com ele, cria-se um ar de autoridade que, ao mesmo tempo que livra o veículo de cometer erros, garante que uma fonte foi consultada. Se, posteriormente descobre-se que quem matou a mulher foi um assaltante, é fácil reeditar e falar que “quem disse aquilo foi a polícia”.

Nesse tipo de jornalismo, o que vale é o que se fala e não o que aconteceu. A palavra acaba sendo mais importante do que o fato em si. Tudo isso é uma forma que ganhou espaço na Internet, onde é necessário que as manchetes mudem de hora em hora. Se não existe fato novo, existe, pelo menos, uma declaração nova para subir na capa.

Tudo isso é o que, aos poucos, mata a tradicional investigação do bom e velho jornalismo. Com as assessorias de imprensa, os redatores não precisam nem sair da redação pra poderem escrever 10, 15 matérias por dia. Um telefonema – às vezes nem isso – já garante uma manchete. Quantas vezes você já viu matéria usando o Twitter como fonte?

A impressão que tenho é que é justamente isso que o Wikileaks quer fazer. Criar polêmica, ver o circo pegar fogo, baseado em declarações de opinião. Opinião não é notícia. Fatos são notícias. Anúncios e declarações públicas são notícias. Conteúdo de cartas escritas por diplomatas, a não ser que revele dados social e informativamente úteis, não é notícia.

Como jornalista, venho me perguntando se o que o Wikileaks fez foi prestação de serviço. Ainda não sei responder, mas não consigo discordar do que o Secretário de Estado assistente dos EUA afirmou ao Financial Times depois que os novos vazamentos vieram à tona:

“Julian Assange pode estar direcionando seus esforços aos Estados Unidos, mas ele está colocando os interesses de muitos países e regiões em risco. Isso é irresponsabilidade.”

Serviço ou desserviço?

Gostaria de compartilhar a questão com nossos leitores.

Serviço ou desserviço (“WikiLeaks just made the world more repressive”)? Acham que o Wikileaks tem alguma utilidade além de causar polêmica? O que têm achado da cobertura da imprensa sobre o assunto? Quais são as intenções da entidade por trás de tudo isso?

Thiago Rocha Kiwi

É nosso correspondente em Londres. Jornalista, nascido e criado na selva paulistana, gosta das oportunidades desafiadoras. Apaixonado por informação e conhecimento, enxerga o trabalho como uma forma de evolução e a internet como revolução. No Twitter, @thiagokiwi.


Outros artigos escritos por


SEPARAMOS MAIS TEXTOS PARA VOCÊ CONTINUAR LENDO




O texto acima não representa a opinião do PapodeHomem. Conheça a visão e a essência por trás do que fazemos. Queremos uma discussão de alto nível. Antes de comentar, leia nossas boas práticas. Caso deseje enviar um texto e se tornar um autor, venha por aqui.


  • http://www.porramitologia.tumblr.com/ Phreddie

    ” o que vale é o que se fala e não o que aconteceu”

    Isso é um GRANDE fato. Ultimamente têm se tornado comuns as reportagens em que se lê “fulano de tal teria dito/teria feito”. Porra, ou fez ou não fez. Ou falou ou não falou! Que raio de jornalista é esse que publica algo que não tem certeza? É o que você falou da necessidade de informação nova que faz isso. Que bosta, cara.

    100+ 8)

  • http://www.noitesdepoker.com Mathias

    Acho irresponsável a divulgação das localizações de instalações “vitais”.

    • http://twitter.com/thiagokiwi Thiago Kiwi

      Pois é, Mathias. Esse é justamente o tipo de informação que não presta serviço a ninguém. Por conta de um suposto ódio contra os EUA, o interesse de outros países e pessoas inocentes podem ficar em risco.

      • Nadia_nagm

        Thiago, sou jornalista formada, e tem alguns pontos a descordar de Você.
        Considero que este site prestou serviços de divulgação de informação a população mundial.Relevantes sim! Pois elas buscam mostrar que o interesse americano está acima de todos e tudo, deferentemente do que se propaga em seus discursos.Como maior potência mundial econômica e capitalista do séculoXXI. Sempre controlando a ONU e efetuando incursões militares em todas as partes do mundo, segundo seus interesses, não considero que o leitor sejá um zé mamé, como você se refere a ele. A população tem o direito de ter todas as informações possiveis relacionadas a conduta de outros paises em relação ao Brasil ou qualquer outro que seja.
        Se são informação inuteis, como você se refere, porque a site foi tirado do ar e porque esta persseguissão com o seu criador. Chegando a condená-lo por abuso sexual, Não será mais uma mentira bem contada para calar a impressa e transformá-lo em um monstro diante do mundo, assim perder a credibilidade das informações divulgadas por ele. Aqui fica claro que eu não concordo com a sua comparação com Nelson Rubens.
        Quanto ao jornalismo investigativo, eu trabalho com isso, e considero o site relevante até para coletar de informação para serem investigadas no futuro, se são relevantes ou não cada jornalista irá dar o seu ponto de vista a cada caso. O site não deixa de ser uma fonte, e fontes são elementos que não podemos ignorar.
        Outro ponto é quando você compara o site com delegado de polícia, ” cria-se um ar de autoridade”, SE o Delegado não é uma autoridade polícial com competência para fazer uma declaração, então eu n ão mais quem é autoridade. Sei que você estava fazendo uma comparação, mas foi infeliz.
        Vamos para o outro, Qual a função da imprensa? Não é criar polêmica com notícias que envolvem políticos. Vamos a um exemplo! Quando um simples motorista declarou a impressa que o presidente Fernando Collor Havia recebido um carro de presente, teve início um processo de investigação, sindicância e um relatório final do congresso, que levou ao impeachment do presidente.se todos pensassem como você, ele estaria até o final do mandato e toda a corrupção ficaria de baixo do pano.
        Enfim, este site proporciona serviço a sociedade. Está é minha opinão.
        Infelizmente não posso corncordar com você, mas lhe desejo sorte nas próximas publicações.
        Nadia Nagm

      • Abc

        deferente… ai doi “us uvidos” como diria o mestre mussum! hahaha

  • Marco Antônio

    Bom texto kiwi, confesso que eu estava alienado quanto a isso.

    Mas, de fato, parece que estas informações ficaram um pouco megalomaniacas.
    Apesar, dos casos isolados de informações relevantes que você citou.

    O que eu estranho é a aparente postura passiva dos EUA em relação a isso tudo, ou não ne?!

  • Fishrop

    O vazamento de informações é tão “inútil” que o governo providenciou o fechamento da conta do site no Paypal (espécie de bando da internet), retirando assim toda e qualquer ajuda que o mesmo possa ter do público. Iniciativas já foram tomadas por parte do The Pirate Bay (maior site de torrents do mundo) em prol do WikiLeaks.

  • http://twitter.com/elilyan elilyan

    “Opinião não é notícia. Fatos são notícias”. Ótimo texto discutindo sobre o Wikileaks e o jornalismo relevante.

  • André Abou

    Quem lê o jornalismo assessoria de imprensa há algum tempo, e quem tem alguns neurônios ainda funcionais, sabe que as revelações do WikiLeaks não são nenhuma surpresa. “O Brasil teve conversas com os EUA quando o governo militar assumiu o poder”. Claro que teve. E ainda tem. Uma das declarações da presidente eleita Dilma dá conta de que o primeiro encontro oficial dela deverá ser com Obama. Por que? Porque eles são muito amigos!

    O WikiLeaks só funciona para a parcela “poliana” da população. Para o jornalismo, são matérias grátis. Trabalho zero.

  • http://gmourao.myopenid.com/ gui

    meu amigo, para mim quanto menos jornalista mexe na noticia, melhor. sabe qual o problema de voces? nao entende porra de merda nenhuma. escutar opiniao economica de jornalista…meu deus do ceu! vcs conseguem estragar qualquer informacao.
    e depois vao pedir conselho estatistico pro matematico oswald de sei la oq.
    nao sabem nem quem entrevistar. sinceramente, por isso nao é profissao no brasil.
    voces sao é fofoqueiros profissionais, nao tem um pingo de comprometimento com a verdade, com o público, com a informacao… só com “o ibope”.
    Acredito que muitos nao gostem do wikileaks exatamente por isso, estamos descobrindo que nao precisamos de voces pra chegarmos na informacao. e que conseguimos informacao de muito mais qualidade assim.
    o wikileaks é um marco, é a descoberta do que existe por detras das falsas declaracoes americanas. falsas nao só com o mundo, onde eles procuram seguranca mundial no catar. digo politica interna mesmo, politica podre e ilegal por detras de um governo legitimo. a mesma politica que se desdobra para arrumar um subterfugio para influenciar governos a prender assange, e que tenta influenciar amazon, banco da suica, e todos esses agentes que estao boicotando o wikileaks.
    AGORA< se voce acha que é tudo besteira, parabens, é so mais um, influenciado pela imprensa parcial e comprometida com os governos, principalmente americano e britanico. boa jornalista.

    • http://twitter.com/VitorGrando Vitor Grando

      Quanta bobagem! Todo mundo que discorda dessa gente é alguém “influenciado pelo Grande Satã”. Essa gente não sabe lidar com a divergência.

  • Bob Mussini

    O fato de o embaixador americano chamar “golpe” o que se deu em Honduras não transforma em golpe a deposição de Manuel Zelaya. E basta ler a Constituição — coisa que Llorens talvez não tivesse feito à época e que Eremildo certamente não fez até hoje — para que se constate que a ação foi constitucional. Gaspari está entre aqueles que apostaram que Obama “restauraria a democracia” em Honduras, reinstalando aquele maluco no poder. Errou mais uma vez! E decide agora bater no presidente americano.

  • Gabriel Paulino

    Concordo com você. Eu li algumas “opiniões” dos embaixadores, e realmente, é ridiculo.

    “Jobim confidenciou que Evo morales tem um tumor no nariz”

    E o que isso mudou a minha vida!rs

    Entre as opiniões dos embaixadores, sobre a visão do EUA aos demais paises, só na realidade fez carimbar o que todo mundo já sabia.

    Agora Thiago, seria interessantissimo termos informações na epoca da Ditadura, apesar de que, na epoca, viviamos na guerra fria, informações confidenciais eram informações confidenciais.

    Ou seja, o Wikileaks é uma frustração, que pode se tornar um perigo ou revolucionario.

    Por mais que opiniões não sejam fatos, opiniões geram problemas.

    Então acho bom também ficar um pouco atento em relação ao Wikileaks.

  • Henrique Grolli

    Acredito que o desserviço aqui é feito aos governos, não aos países. É obvio que o lobbie sempre aconteceu, e tudo que está no wikileaks não é novidade pra ninguém. A diferença é que agora há provas documentais de tudo isso. Acredito que o real serviço do wikileaks é a transparência que trás para as relações internacionais. Hipocrisia, troca de favores, corrupção, tudo jogado no ventilador. Acredito que o que fica do wikileaks para o futuro é exatamente o que está acontecendo agora. Contas sendo fechadas, perseguições internacionais arbitrárias, ataques a servidores a mando governamental. Mentiras deslavadas do governo em declarações que são desmentidas pelos telegramas. Obviamente o sensasionalismo da imprensa não vai morrer. Mas isso era o minimo a se esperar.

  • http://murdock-brasil.blogspot.com Murdock

    Parece que isso vai mexer mais no ego de alguns líderes do que na política exatamente. Até que surja a prova de alguma ação concreta, como os civis metralhados por um helicóptero Apache, não vai ter muito peso. O medo dos EUA talvez seja no que mais pode vir a vazar.

  • http://www.facebook.com/gguerini Guillermo Guerini

    Ah cara, concordo em termos com você. Não acho que foi inútil e em vão. Acho que existem muitas informações importantes e acredito que você não tenha lido as centenas de milhares de documentos que estão lá. Porém concordo que a grande maioria é pura fofoca das embaixadas e afim. Mas o grande valor disso tudo é mostrar um pouco (para quem quer ver, ou melhor, ler) a grande manipulação que rola por trás de tudo. Novidade aqui? Não, nenhuma, mas é bom sentir o gostinho da verdade de vez em quando. É bom saber (ou confirmar) o que realmente tem rolado por trás das guerras recentes, troca de poderes e favores entre países aliados ou não, alguns problemas do Oriente Médio e a lista não termina aqui. Em relação a “irresponsabilidade” do Assange, pode até ser que seja mesmo, mas acho muito mais válido mostrar as notícias como elas são e não como os governos querem que elas sejam. Portanto, apesar de todo o lado negativo, a gente tem mais a ganhar com todos esses leaks.

  • Fernando

    Aos idiotas que pensam que uma informação só é relevante se ela mudar a SUA própria vida.. ahh tenha paciência. A tua vida, que relevância tem?
    O Wikileaks é um marco sim, não só por essas informações diplomáticas, mas por tudo o que já fez, ou agora vocês já esqueceram do ataque aos jornalistas da Reuters? É um marco na medida que expõe essa ridícula paranóia americana em saber os que estão a favor ou que estão contra, é sempre preto ou branco. Óbvio que todos sabem que os EUA querem mandar no mundo, mas agora nós temos fatos, documentos comprovando as prisões ilegais e as torturas em guantanamo.
    Fosse o Assange tão irrelevante haveria tamanha comoção americana por sua detenção? Acho que não.

  • Fernando

    Aos idiotas que pensam que uma informação só é relevante se ela mudar a SUA própria vida.. ahh tenha paciência. A tua vida, que relevância tem?
    O Wikileaks é um marco sim, não só por essas informações diplomáticas, mas por tudo o que já fez, ou agora vocês já esqueceram do ataque aos jornalistas da Reuters? É um marco na medida que expõe essa ridícula paranóia americana em saber os que estão a favor ou que estão contra, é sempre preto ou branco. Óbvio que todos sabem que os EUA querem mandar no mundo, mas agora nós temos fatos, documentos comprovando as prisões ilegais e as torturas em guantanamo.
    Fosse o Assange tão irrelevante haveria tamanha comoção americana por sua detenção? Acho que não.

  • http://twitter.com/nilsonmorais Nilson

    ótima colocação Guillermo, assino embaixo.

  • http://twitter.com/nilsonmorais Nilson

    ótima colocação Guillermo, assino embaixo.

  • http://twitter.com/lucasscharf Aleatório

    Só uma possível correção, quem está apoiando muito o wikileaks é o Partido Pirata Sueco (o mesmo que apóia o TPB).
    Caso esteja confirmado que o TPB está ajudando o wikielaks, desconsidere esse comentário.

  • http://twitter.com/lucasscharf Aleatório

    Só uma possível correção, quem está apoiando muito o wikileaks é o Partido Pirata Sueco (o mesmo que apóia o TPB).
    Caso esteja confirmado que o TPB está ajudando o wikielaks, desconsidere esse comentário.

  • http://twitter.com/lucasscharf Aleatório

    Eu não sou jornalista. Contudo, eles tendem a escrever textos claros e dentro dos padrões que uma outra pessoa consiga ler. Coisa que eles levam melhor do que você.

    Concordo que existam jornalistas ruins, que cometem absurdos, mudam os textos e acabam criando notícias tão boas quanto aquela que disse que o Grande Colisor de Hádrons poderia acabar com o mundo, ou àquela “entrevista” que a veja fez apenas pegando os textos que um cara escreveu em conferências e artigos (se quiserem eu posso pegar os links). Mas, colocar todos os jornalistas no mesmo balaio é algo ruim, existem bons jornalistas como Hunter Tompson entre outros.

    Também vejo esse caso como algo muito interessante, mas pela minha vontade de ver o circo pegar fogo no mundo com um todo. Acho que o texto falhou ao deixar de mencionar as retalhações que o site sofreu, como as 3 vezes que eles foram tirados do ar, o caso do paypal e o da mastercard.

    E fica a dica: “O Wikileaks se apresenta como um órgão formado por jornalistas de diversos países.” Se você acha que não precisa de jornalistas e que pode acessar os dados do wikileaks, eu acho que você precisa de uma forte revisão de crenças.

    • http://twitter.com/johnnyschulte João Vitor Schulte

      É com esse tipo de comentários, caímos sempre naquele velho clichê “existem bons e maus profissionais em qualquer área.” Por mais que seja velho sempre vai ser real!

  • http://twitter.com/lucasscharf Aleatório

    Eu não sou jornalista. Contudo, eles tendem a escrever textos claros e dentro dos padrões que uma outra pessoa consiga ler. Coisa que eles levam melhor do que você.

    Concordo que existam jornalistas ruins, que cometem absurdos, mudam os textos e acabam criando notícias tão boas quanto aquela que disse que o Grande Colisor de Hádrons poderia acabar com o mundo, ou àquela “entrevista” que a veja fez apenas pegando os textos que um cara escreveu em conferências e artigos (se quiserem eu posso pegar os links). Mas, colocar todos os jornalistas no mesmo balaio é algo ruim, existem bons jornalistas como Hunter Tompson entre outros.

    Também vejo esse caso como algo muito interessante, mas pela minha vontade de ver o circo pegar fogo no mundo com um todo. Acho que o texto falhou ao deixar de mencionar as retalhações que o site sofreu, como as 3 vezes que eles foram tirados do ar, o caso do paypal e o da mastercard.

    E fica a dica: “O Wikileaks se apresenta como um órgão formado por jornalistas de diversos países.” Se você acha que não precisa de jornalistas e que pode acessar os dados do wikileaks, eu acho que você precisa de uma forte revisão de crenças.

  • Pedro

    Não saberemos até que tudo seja revelado.

    Ou alguém aqui, que desse mão de 250.000 documentos, de 274 embaixadas e consulados, revelaria o melhor deles por primeiro?

    Tem muita informação pra ser analisada ainda.

  • Pedro

    Não saberemos até que tudo seja revelado.

    Ou alguém aqui, que desse mão de 250.000 documentos, de 274 embaixadas e consulados, revelaria o melhor deles por primeiro?

    Tem muita informação pra ser analisada ainda.

  • Guilherme

    Não só o paypal, mas a amazon tirou na hora o wikileaks de seu servidores, já que eles fazem serviço de hospedagem.

  • Jão

    Me pergunto: Qual o problema de ser inútil?
    Se formos pensar em inutilidade por inutilidade, eu prefiro ter um Wikileaks do que qualquer outra bobagem que insistem em escrever pelo mundo afora. Na maioria dos documentos, tinhamos certa presunção sobre o assunto, faltava a confirmação. E acho que tem um fundo de importância as notícias do Wikileaks: AS REAÇÕES QUE ELAS CAUSAM.
    Não digo a reação sobre como tentaram vender tais notícias (no caso, como um grande furo) ou o conteúdo delas em si, mas a reação em relação a um dos cidadãos que resolveu publicar tais informações. Já li que a CIA ou sei lá o quê considera como ilícito tais publicações, estão procurando um dos envolvidos por estupro (já está sendo acusado sem nem mesmo haver condenação), bloquearam sua conta no banco. Da noite para o dia, “O ENVOLVIDO”, Julian Assange, virou o Osama Bin Laden de tempos atrás. Cara, por um conteúdo “tão inútil”, nos deparamos com a privada mundial em que vivemos. O que tem demais naqueles documentos? Só porque falam sobre o poder? E isso ainda não é o mais importante, vivemos no Estado Democrático de Direito, ou seja, o povo tem a prerrogativa de comandar, através do voto, seu próprio destino, e um dos alicerces mais importante pra que isso aconteça, é a transparência. Coisa que quando aparece é expurgada como uma entidade maléfica (como nesse vazamento, por exemplo). Afinal de contas, ainda acreditamos que transparência afeta a segurança nacional e é neste momento em que desconfio do real objetivo desse Estado Democrático de Direito, este que tem seus objetivos tão puritanos que deve se enconder no silêncio da diplomacia e de outros altos escalões do governo, porque se escavarmos demais, o cheiro fica insuportável.

  • Jão

    Quero falar agora sobre jornalismo já que o autor toca no ponto. Bom, não sou da área jornalística, mas não vejo como o jornalismo investigativo ser melhor do que isso. A informação vazou de onde não tinhamos acesso, não interessa se vale muito ou nada aquilo que vazou, mas, pelo menos pra mim, não descaracteriza o mérito da investigação feita. Esse é o segundo artigo que vejo uma certa antipatia sobre o conteúdo das informações vazadas, o que concordo em partes.Eu ri quando li alguns desses vazamentos e acho que valeram meu tempo e curiosidade. Prefiro focar nas reações sobre essas informações, e é o que me causa certa estranheza, pois já estamos envoltos em um mundo cheio de bobagens e tenho sempre a mania de achar que uma bobagem nova é melhor do que a ladainha de sempre e que tudo o que envolve esse caso não merece tanta ostentação negativa.

    • http://twitter.com/thiagokiwi Thiago Kiwi

      Jão, não sei o que vc entende por jornalismo investigativo. Não sei o quanto o Wikileaks trabalhou para conseguir os vazamentos, mas não diria que o Cablegate pode ser um caso de jornalismo investigativo, que, na prática envolve falar com fontes, realmente investigar o que tem por tras de uma informação. Em seu passado, Assange foi um hacker. Não duvido que ele ainda tenha um jeitinho pra conseguir informação confidencial.

      O Wikileaks é realmente, como alguns falaram aqui, um marco. Se não fosse um caso importante, o PdH não o teria abordado. Mas o que eu questiono aqui é a intenção por trás de toda essa história. O banco de dados está lá agora, a questão é como ele deve ser usado.

  • http://twitter.com/francisconetovw Francisco Neto

    Sem ser hipócrita, acredito que toda essa confusão pode ter (tem?) algo de bom a ser extraído, não me pergunte o que, mas pode ter.

    E a parte chata é saber que essa foi uma maneira totalmente errada e irresponsável de dar visibilidade ao website. Não estou dizendo que só contra a exposição de informações valiosas sobre as políticas internacionais de países desenvolvodos, oriente médio e outros.

    Digo apenas que se tivesse alguma ordem, ele poderia jogar tudo no ventilador em doses homeopáticas ao invés de despejar um caiminhão de informações num ventilador industrial.

  • Ale

    A notícia mais relevante que eu vi a respeito dos dados do Wikileaks, foi o caso de um Alemão que tem nome parecido com o de um terrorista, e por isso foi capturado, levado pra uma base militar e torturado. Quando perceberam o erro, abandonaram ele em um país qualquer como se nada tivesse acontecido, e pressionaram a Alemanha a não investigar o caso.
    Esse tipo de coisa é completamente inaceitável, e se não fosse um vazamento desses, ninguém ia acreditar no cara, que passaria como mais um maluco.

    http://harpers.org/archive/2010/11/hbc-90007831

  • http://twitter.com/johnnyschulte João Vitor Schulte

    Ótimo texto Kiwi! acredito que esses caras ainda tem muito o que mostrarem por ai!!! Mas o que eles querem com essas “noticias inúteis”? acho que servirão simplesmente como porta de entrada, só pra chamar atenção, ganhar espaço na mídia pra quando chegar a hora de soltar as informações mais importantes a maioria da população já conheça e esteja bem familiarizada com o serviço e assim mais pessoas ficarão sabendo do que eles tem pra expor ao Mundo.

  • http://twitter.com/MuitoMorgadoLol MuitoMorgadoNowAgain

    Parei de ler seu texto no início. Vá refletir sobre diplomacia, modelos de guerra política, perda de força mundial e outros assuntos, para compreender a razão de tal ataque aos EUA.

  • http://twitter.com/thiagokiwi Thiago Kiwi

    Não sei se está tão passiva assim, Marco. O governo americano está agindo com bastante discrição, mas acredito que a prisão de Assange, que aconteceu hoje pela manhã pode ter sido orquestrada pelos EUA. A acusação é por crimes sexuais, mas, pra mim, não há dúvidas de que foi uma estratégia pra manter o cara inativo por alguns dias.

    • http://twitter.com/saviski Marcelo Saviski

      Tem dúvidas? Prenderam ele por não ter usado camisinha, justamente agora…

  • http://twitter.com/MuitoMorgadoLol MuitoMorgadoNowAgain

    Parei de ler seu texto no título. Inútil é muito relativo, meu caro. talvez pense precise refletir mais sobre perda de influência política, egos feridos e desfazimento de crédito perante as autoridades ofendidas pelos diplomatas. talvez não saiba, isso é tão importante que o ato de um diplomata ser reconhecido no país em que atuará cham-se “creditar”. E tais informações ferem a boa relação que deve haver entre os EUA e os países que eles ofenderam. APARENTEMENTE, todos dizem que não “foi nada”, mas, a verdade é que os EUA, se quiserem manter o resto de alguma verdadeira influência, precisarão no mínimo trocar boa parte de seu corpo diplomático e isso é uma derrota, um prejuízo, e outras coisas “inúteis” a mais. :) tá? :D

  • http://twitter.com/thiagokiwi Thiago Kiwi

    gui,
    Não tenho comprometimento algum com nenhum governo, muito menos americano e britânico. Pra mim, as informações não são besteiras, mas a divulgação dessas informações é. Imagine se ocorresse um Wikileaks com informações trocadas entre autoridades brasileiras. Imagine se isso colocasse a cidade onde vc mora sob risco de um atentado.
    Disse e reafirmo aqui: pode até servir para matar curiosidade ou revelar “bombas” mas, por enquanto, as informações reveladas não foram benéficas a ninguém.

    • Joao277

      Amigo, fica aqui a dica de um ótimo blog sobre politica:

      http://www.advivo.com.br/luisnassif/

      Lá voce se informa um pouco mais sobre a situação internacional, e por que nao o Wikileaks. O seu texto esta alienadissimo caro, de forma alguma o Wikileaks surgiu para criar ´´bombas´´, onde leu isso ? wikileaks cunhou o termo jornalismo cientifico. eles escrevem uma matéria jornalistica e divulgam o documento junto provando a matéria. e já divulgaram crimes de guerra sim senhor heim, inclusive videos chocantes meu rapaz:

      http://www.youtube.com/watch?v=5rXPrfnU3G0&has_verified=1

      Não informe mal o público sobre questões tão importantes ! O wikileaks é um movimento interessantissimo.

    • Paulgabriel

      Atentado?

      Faço uma pequena observaçao…”Atentado” tem se transformado só naquela “explosao” feita por uma pessoa ou grupo terrorista… Esse tipo de fixaçao foi criado em parte pelo jornalismo funcional ao estado. Cade os atentados diarios contra a integridade humana, seja verbal ou visual, nos programas de televisao, revistas, jornais? Na forma de violencia contra criança, mulher e adulto em geral?

      Pessoalmente, acho que aqui existe uma coisa muito benéfica no wikileaks para todos, é uma forte mensagem que diz aos governos do mundo, que os segredos nao mais existem e é melhor começar a fazer bem as coisas, porque em qualquer momento tudo se acaba sabendo, queiram ou nao. Fazer bem as coisas, sem segundas ou terceiras intençoes é ser responsável, nao somente para os Estados Unidos, mas básicamente para todos aqueles que vivem do poder público e privado ao redor do mundo e que influenciam economías e sociedades!

      • Joao277

        Psé, isso que temos que deixar claro para esse rapaz. Aconselharia o papodehomem á rever essa matéria. Fica a dica !
        Só hoje os sites da mastercard de todo o mundo foram derubados por hackers em favor á assange.
        Um movimento desses acontecendo, e essa é a visão do papodehomem ? Vamos ler mais gente.

      • http://www.facebook.com/pdcgomes Pedro De Carvalho Gomes

        Postei uma mensagem anterior concordando com sua opinião.

        Por mais inútil que sejam os documentos, dá uma clara mensagem pros governantes que não aceitamos mais joguetes, conspirações na calada da noite ou espionagem gratuita. Tudo isso travestido de “interesses nacionais”.

        Ora, termo semelhante deve ser usado pelo Kim Jong-il ou Fidel Castro pra justificar as prisões políticas e demais desmandos.

        Eu estou achando lindo o circo pegar fogo. A população mundial está se unindo pra apoiar o Wikileaks, a prisão arbitrária do Assange e pra censurar socialmente os líderes mundiais boçais que se acham donos do mundo (vide o canhão da Hillary). Finalmente eles perceberam que eles é que precisam de nós, e não nós deles.

        Mal comparando, o fenômeno é similar à população apoiando o Dunga contra a Rede Globo.

    • http://www.facebook.com/pdcgomes Pedro De Carvalho Gomes

      As informações, por mais “insignificantes” que pareçam, foram TOTALMENTE benéficas pra população.

      Pra começo de conversa, elas mostram que não há transparência nas relações diplomáticas com o governo americano. Os caras espionam a todos e manipulam países ao seu gosto, sejam países amigos ou não. Fazendo um paralelo, é mais ou menos como você na antiga Alemanha Oriental descobrir que aqueles vizinhos que cordialmente te dão bom dia todos os dias estão te espionando e fazendo relatórios pro serviço secreto.

      Além disso, o Wikileaks dá transparência ao jornalismo. Isso mesmo. Dá a chance pro leitor interpretar a informação, e não engoli-la diretamente do nosso “fornecedor”, o sr. jornalista, que repassa a informação como bem entender (ou for orientado). E não como a comprou. Ele tira esse intermediário da jogada, o que parece incomodar a muitos profissionais da área.

      Quanto à questão de ataques terroristas, pode ter certeza que caso aconteçam não foi porque alguma informação vazou no Wikileaks. A motivação pra estes ataques já é antiga e terroristas que saibam digitar no Google já tem seus alvos escolhidos.

  • Bruno Cavalcanti

    Sim, é verdade que a maioria dos textos publicados não passaram de fofocas de diplomatas americanos e coisas que não eram nenhum mistério para a comunidade internacional. O problema é que FOI LEVADO À TONA opiniões pessoais de pessoas e chefes-de-estado – e isso sim, pode gerar crises diplomáticas no decorrer do tempo.

    Não se preocupe Kiwi: são cerca de 250 mil documentos. Isso aí é só o começo…

  • Daniel Guichard

    Pelo que li a respeito dos vazamentos até agora, o que há de mais considerável é a quebra do sigilo norte-americano em si. Reafirma-se, também, a visão imperialista norte-americana, como no vazamento mais recente, sobre pontos estratégicos ao redor do mundo, como certas minas de extração, inclusive no Brasil.

    No entanto, a relação imperialismo e EUA não conferem novidade alguma. O interessante, ao meu ver, é a exposição de quais são, de fato, os locais no exterior que têm a atenção de olhos estadunidenses.

  • http://twitter.com/chikletinho Paulo Santana

    Vcs estão falando do WikiLeaks e agora eu vi q o Fundador do mesmo foi detido em Londres por estupro e assédio sexual >> http://tinyurl.com/2gy2n6p

  • http://politicaspublicasecidadania.wordpress.com/ Wagner Menke

    O mais engraçado é que, na época, nego defendeu com unhas e dentes em um artigo aqui no PdH que o “golpe” em Honduras era legítimo e constitucional. Puramente por ter incorporado a visão midiática de que Zelaya era aliado de Hugo Chaves e que queria implantar um governo “bolivariano” ou qualquer merda que o valha.
    É isso que dá ficar assistindo Rede Globo demais. O ser humano deixa de pensar pelos fatos e passa a ser um zumbi do Ali Kamel.
    Lamentável…

  • http://twitter.com/al0021 Al Mota

    Dizer que o vazamento é inútil, tendencioso e prejudica a política americana é cair exatamente no papo daqueles que foram prejudicados pelo vazamento e agora querem desqualificá-lo. É assinar embaixo o atestado de otário e acreditar que isso não tem importância.

    Claro que tem. como tiveram os documentos vazados do iraque e afenganistão, como tiveram os milhares de outros documentos vazados pelo wikileaks em sua história, sobre governos, empresas e ONGs. O wikileaks em nenhum momento assumiiu uma postura política, ele só divulga documentos que chegam até lá através de pessoas que acham que há alguma coisa errada demais nas empresas e órgãos onde trabalham, e por isso chutam o balde.

    Esperar que toda informação seja “bombástica” é uma expectativa mesquinha, de gente que gosta de ver barraco. Notícia não é bomba, notícia é informação de interesse geral. E saber que os EUA espionam a ONU, saber que a retórica diplomática divulgada nas mídias pelos governos (em que tanta gente ainda acredita) não vale de porra nenhuma, saber que 13,000 pessoas morreram no Iraque sem que ninguém soubesse, tudo isso é importante. Se o circo está pegando fogo não é por escândalo do wikileaks, é pela demanda ao redor do mundo de gente que quer saber a verdade por trás das coisas. E os documentos vazados não são opinião, são fatos. Opinião é o que você escreveu em sua reportagem.

  • http://www.facebook.com/ypbrgo Yuri Pessoa

    Se o wikileaks vai no final contribuir ou não para a humanidade,eu não sei.Cabe a nós aguardar a conclusão dos fatos.O que sei é que fofocas a parte,o vídeo divulgado pelo wikileaks “Collateral Murders” poderá resultar em mais sigilo ou precaução nas ações do exército americano.Com certeza o exército americano pensará duas ou mais vezes andes de ordenar um ataque,depois deste fato.O papel do wikileaks é só um:Disseminar a informação sem pensar nas consequências.Se estão certos ou errados vai depender da reação a informação divulgada e sendo assim,deveremos aguarda-lá.Mas particularmente gostei de saber que temos o wikileaks como ferramenta de veiculação global de informações consideradas verídicas com proteção da fonte.Em uma visão positiva a respeito das reações ao wikileaks,acredito que os governos terão mais cuidado antes de fazer alguma “merda”, ou até mesmo evitar que essa “merda” ocorra temendo que o wikileaks fique sabendo e divulgue para todos.Agora entre nós,o Assange deveria pelo menos dar uma editada de leve nos documentos e divulgar somente o que deve ser divulgado.Com certeza o Bin Laden deve ter ficado alegre em saber dos alvos temidos pelos Estados Unidos.Nota:Assange já esta preso.

  • http://www.papodehomem.com.br/ Guilherme Nascimento Valadares

    Fala, Kiwi!

    Como é bom ter o prazer de ler opiniões distintas das minhas e discutir isso por aqui.

    Concordo contigo quando fala dos abusos cometidos pela imprensa de hoje ao fazer uso do jornalismo declaratório. Na disputa por audiência, factóides levianos são proclamados aos quatro ventos, tornando o conteúdo de muitos veículos algo bastante questionável.

    No entanto, discordo completamente da avaliação do WikiLeaks como inútil. Por alguns motivos:

    1. não temos como saber o que realmente ali é aproveitável. sabemos o que a imprensa avaliou como tal. órgãos de inteligência internacionais certamente estão analisando as informações com outro nível de detalhamento, que não podemo supor, e eles nem sonham confessar. portanto, avaliar as informações como úteis ou inúteis em relação a acrescentar novos fatos me parece pura especulação, não importa o viés escolhido.

    2. indo além da utilidade/inutilidade das informações, o vazamento representa um ataque direto aos EUA – do ponto de vista de segurança da informação tão neuroticamente garantido por eles. eles perdem credibilidade, seus diplomatas perdem credibilidade, ficam expostos. todo o esforço diplomático conduzido por eles mundialmente se torna consideravelmente mais delicado. esteja certo de que planos de contenção e milhões de dólares estão sendo gastos por conta do WikiLeaks.

    Logo, termos ali informações mais ou menos úteis não é tão importante quanto a representatividade do WikiLeaks como um todo.

    O que me leva ao terceiro e mais importante ponto.

    Acredito que o WikiLeaks está prestando um serviço para a democracia global, em especial para a norte americana. Uma imprensa verdadeiramente livre não deveria ser problema para seu governo. Entendo ser uma percepção praticamente utópica. Mas a busca pela transparência não é fácil. Julian Assange colocou em foco o debate sobre corrupção governamental/corporativa em todo o mundo. E merece *muito crédito* por isso.

    No entanto, vão tentar destruí-lo de todas as maneiras. Seja atacando sua reputação, sua organização ou seus aliados.

    Para finalizar, deixo um belíssimo texto do editor-chefe da Wired sobre o tema:

    http://www.wired.com/threatlevel/2010/12/wikileaks-editorial/

    • http://twitter.com/thiagokiwi Thiago Kiwi

      Pô, chefe, feliz fico eu em ver mais uma vez o PdH abrindo espaço para a divergência de opiniões. Também estou bem satisfeito com o debate que está rolando por aqui. Quando escrevi o texto, sabia que ia tocar num ponto que não agradaria a todos.

      Como jornalista, não consigo expressar o quão importante a imprensa livre é importante pra mim, mas, não vejo o Wikileaks como um trabalho jornalístico. Vejo-o como um banco de dados que, para o bem ou para o mal, acabou indo a domínio público que, agora, pode ser usado da forma que seu possuidor bem entender. E o que mais questiono é a forma com que as informações foram conseguidas. Invasão dos computadores? Quebra de sigilo de correspondência? Tudo isso não é crime?

      Os dados serviram para apontar prováveis erros de conduta na Casa Branca mas acho ingênio pensar que a informação foi dada por algum justiceiro da paz que acha que há alguma coisa errada. Imagino que os interesses por trás sejam bem maiores.

      Sobre a imprensa, ainda não a vi usando o Wikileaks com inteligência. Mas, como falei em alguns comentários acima, o Cablegate pode acabar sendo de muita utilidade se usado como ponto de partida ou como uma das fontes para a produção de material jornalístico de qualidade.

      • http://twitter.com/MuitoMorgadoLol MuitoMorgadoNowAgain

        “E o que mais questiono é a forma com que as informações foram conseguidas. Invasão dos computadores? Quebra de sigilo de correspondência? Tudo isso não é crime? ”

        É crime :D Cara, o mundo vive uma guerra silenciosa para destruir o imperialismo dos EUA. Esta claro isso e eu concordo com essa guerra. Eu defendo que o Irã tenha bomba atômica cara, e sabe por quê? Porque não somos nós os inimigos do Irã, mas Israel e EUA. Essa guerra não é nossa. E, se eu tivesse um inimigo armado (Israel e Iran) eu também iria querer ter as mesmas armas que eles: isso se chama “paz armada”.

        Você acha que a Córeia, China, Japão, Irã, Rússia, não financiam hackers para ferrar os EUA? Nós crescemos assistindo filmes de agentes dos EUA/Britânico invadindo países, matando pessoas, roubando dados: isso não é crime? Ou você acredita realmente que os EUA são os mocinhos? Na boa, sugiro que passe a assistir p.ex. Charlie Rose Show, às vezes algumas celebridades de negócios/política dos EUA vão lá e dizem verdades… P.ex., sabe o que um dos donos de várias emissoras dos EUA disse nesse programa? Charlie Rose questionou: “o que o Senhor acha do Vietnã?” O cara respondeu (esqueci o nome dele agora :/ ): “É um bom mercado” Charlie Rose disse: “É um mega mercado!!” O cara disse: “Pois é, NÓS MATAMOS NOSSOS CLIENTES”…

        É preciso SIM destruir a onipotência dos EUA, e a atitude desse site fere sim os EUA.

        Os EUA querem globalizar ( > americanizar) o mundo, mas constróem muros contra os mexicanos. Ilegalidade? Não! Eles não querem imigrantes, legais ou não, auferindo os benefícios que a presença onipotente (globalização?) dos EUA no mundo trouxe: riqueza, altos empregos, etc.

        Ou seja, é preciso sim enfraquecer os EUA; quanto mais isso for feito, mais democrático o mundo se tornará.

      • http://twitter.com/thiagokiwi Thiago Kiwi

        Nossa, fazia tempo que não via alguém com um discurso tão antiamericano assim. Discordo de vc, cara. Acho que roubar informação secreta é pior do que falar mal de qualquer pessoa.

        Minha opinião sobre toda essa história é que, se mesmo os outros países estão ajudando os EUA a combaterem o Wikileaks, é porque seus líderes não se importam mesmo com os conteúdos das cartas. Falar mal dos outros, fofoca, todos os chefes de estados devem ter a consciencia de que todo mundo faz isso.

        Na realidade, ninguém vai querer ferir seu relacionamento ou até começar uma guerra contra os Estados Unidos por conta de coisas que foram escritas por diplomatas.

      • http://www.papodehomem.com.br/ Guilherme Nascimento Valadares

        Cara, também estou gostando muito da qualidade do debate aqui, boas visões do tema.

        Como se conseguiram as informações não saberia dizer. Li que o WikiLeaks possui uma rede de colaboradores internacional, e o vazamento tb deve ser um tipo de crime, suponho.

        O caso todo é complexo, análises que passam por certo x errado, bom x mau, vão acabar sendo rasas.

        Estou procurando ler mais sobre o assunto, aqui tem um artigo interessante:

        http://blog.kanitz.com.br/2010/12/entenda-o-caso-wikileaks.html?utm_source=feedburner&utm_medium=twitter&utm_campaign=Feed:+stephen_kanitz+(Stephen+Kanitz+the+blog)

  • http://twitter.com/thiagokiwi Thiago Kiwi

    Pois é,
    Vi alguém no twitter dizendo que, agora, quando a editoria de Mundo estiver parada, é só abrir o Wikileaks que tem manchete.
    Não acho errado alguém usar o Wikileaks como fonte. O problema é se ele for a única fonte, se o jornalista abrir o site e só reproduzir um dos documentos.
    Se houver uma investigação, uma pesquisa com consulta de fontes e um debate por trás do que foi falado no telegrama, acho bem válido.

  • http://justwrapped.interbarney.com/ João Baldi Jr.

    Eu ainda não consegui formar uma opinião muito clara sobre essa questão do Wikileaks por conta de todos os filtros que envolvem a questão. Não li os arquivos e tive notícias um tanto quanto desencontradas sobre toda a história: de um lado existe a imprensa declaratória que, como o Wiki falou muito bem, está aproveitando ao máximo todas essas pautas que caíram no colo dela e tratando isso com proporções que parece não ter. De outro estão várias fontes que analisam os dados e dizem que bem, é mais fofoca de vestiário do que dados relevantes. É, como o Guilherme falou, muito cedo pra especular o valor desses dados.

    Já quanto ao papel do jornalista, eu acho que a internet ou o acesso maior à informação não torna o jornalista inútil ou faz com que o leitor deixe de ser “refém” da grande mídia. Pra mim ela apenas exige mais do jornalista, o coloca mais exposto, pede dele um trabalho melhor, mais apurado. E hoje em dia, ainda que todo mundo tenha acesso a uma gama imensa de fontes de informação, aquelas que são realmente influentes ainda são poucas e várias delas são as mesmas de anos atrás. Ou seja, não estamos num lugar totalmente diferente, estamos apenas dando passos em direção a um rumo que pode ser ou não o mesmo pra onde sempre estivemos indo.

  • http://www.facebook.com/people/Gabriel-Pombo/100001212494141 Gabriel Pombo

    Sinceramente:

    Sobre esse assunto o que eu tenho a dizer é o que o foi dito num artigo anterior. Isso NÃO É INFORMAÇÃO RELEVANTE PARA MIM.

    Foda-se.

    Acabamos de falar sobre buscar e reter apenas informações sobre as quais temos alguma influencia ou interesse pessoal… pra que me ligar nisso?

    Pqp, parece que são raros os que se prendem apenas no que interessa. Dispersão é o padrão.

  • http://twitter.com/hcalves Henrique C. Alves

    Pra mim uma vergonha foi do nada o cara ser indiciado a DOIS assédios sexuais, logo depois do site divulgar as informações.

    É um atentado contra as liberdades individuais, e mostra como os governos sabem mexer os pauzinhos de modo bem sujo para caçar qualquer um, em qualquer lugar.

    Agora imagina um cidadão de DENTRO dos EUA tentando revelar os podres que acontecem por lá? O cara provavelmente estaria morto e o site fora do ar até do cache do Google uma hora dessas.

  • Anônimo

    Nossa artiguinho fraco.

    Não pelo tema, não pela dúvida. Eu mesmo acho que devemos focar informações que façam parte da nossa vida, mas não estarmos alienados. Buscar o equilíbrio.

    Mas a forma como foi exposto o tema me faz sentir falta dos antigos colunistas, devido a isso me retiro do PdH como leitor, fiquei saudoso demais e já vi que o tempo de ouro não voltará.

    Último comentário.

  • Cesar Nic

    Como o site mostrou, são 250 mil documentos, com uma quantidade tão grande assim de documentos, pode ter certeza que vai ter muita informação irrelevante ali, mas para mim esse argumento não serve, desde que tenha informação boa ali no meio. A visão que eu tenho desse projeto não é de sua utilidade imediata, como se ele está certo ou errado, até porque imagine se ele tivesse que comprovar a validade de cada documento, iria ter que se transformar na scotland yard, e iria se transformar em algo totalmente diferente do proposto; vejo esse projeto como uma pressão para transparência, o que acredito ser essencial para a democracia, para a sociedade modernal. Muito interessa para os países, principalmente os “imperialistas”, controlar a informação, e você como jornalista sabe o quão valiosa pode ser uma informação. Creio que esse projeto veio para ignorar a famosa frase “this is classified” ou “isso é confidencial” e procurar pela verdade, não importando qual seja ela, fornecendo material para terceiros poderem pesquisar. E acredito que é isso o que mais incomoda os países, principalmente aqueles que tem muito a esconder, ter alguém os pesquisando.
    Para o pessoal que está interessado no assunto e queira ver uma entrevista com o Julian Assange no TED, ta ae o link:
    http://www.ted.com/talks/julian_assange_why_the_world_needs_wikileaks.html
    Eu encontrei esse outro documento pela internet, fornecido pelo wikileaks, falando das relações EUA x Brasil, para quem se interessar: http://www.ted.com/talks/julian_assange_why_the_world_needs_wikileaks.html

  • Nando Zapelini

    Finalmente encontrei uma matéria que pudesse me colocar à par da situação, ainda que não completamente. Não tenho uma opinião formada e confesso que não me interessei pelo assunto. Mas concordo com o Guilherme quando ele diz que é cedo para julgar a utilidade das informações do Wikileaks, pois a imprensa “selecionou” algumas mais chamativas, que pudessem causar justamente o que está causando, tumulto.

    Partindo do ponto jornalístico, acredito que com a internet o jornalista tem que ser mais valorizado, o que não acontece. Com milhares de caminhos para se acessar uma informação, diversas formas de abordagem e marketing que se faz dos fatos, cabe ao jornalista se diferenciar, destacar-se entre os demais, provar seu valor – não porque precisa, mas por honra à profissão. Claro, podemos encontrar jornalistas bons, que passam longe do citado “declaratório”. Mas está ficando escasso. Eu, como amante do jornalismo e pobre sonhador, acho que os profissionais que se juntaram ao Wiki apenas aceitaram e afirmaram que estão sendo devorados pelos verdadeiros e bons jornalistas!

    Parabéns e obrigado pela matéria!
    Abç.

  • Leandrodvd

    Gente pera. O WikiLeaks não nasceu ontem, essa fama exagerada sim, surgiu depois que esse volume imenso começou a ser liberado.

    Como o volume de material é imenso, o trabalho de encontrar algo importante é uma verdadeira garimpagem.

    Concordo que as manchetes dos jornais ficaram um pouco chatas mas…

    Quando lançaram o video dos assassinatos inaceitáveis do exército americano no iraq, ninguém questionou a importancia do WikiLeaks em denunciar crimes de guerra desumanos sendo praticados pelo exército americano(veja colateral murder in iraq no google).

    E se amanhã descobrirem uma destas correspondências com informação importante sobre a ditadura??

    A questão e qu e, no meio de tanta coisa, é bem provável que se encontrem algumas poucas coisas muito importantes. Bastante coisa interessante mas não exatamente útil e um monte de lixo.

    Na minha opinião, o papel dos jornalistas, nesse momento, é fazer essa garimpagem e filtrar o que é interessante e imporante. Com certeza o veículo jornalistico que for mais rápido em encontrar algo bombástico ou então conseguir fazer uma análise e cruzamento de informações mais inteligente ganha mais visitas no seu site ou mais vendas de sua revista.

    Eu não tenho tempo nem interesse em ficar vasculhando os milhares de arquivos da WikiLeaks, mas com certeza os jornalistas têm. Esse é o papel deles. Filtrar e sintetizar esse volume imenso de informação.

  • Leandrodvd

    A grande pergunta que o wiki leaks deixa, na verdade é: Será que os governos democráticos têm o direito de tramitar um volume de informações tão grande de forma secreta ??

    Pensem na idéia de que, em um paí democrático, quem manda é o povo e o governo é o “funcionário” do povo (lembra, somos nós que pagamos o salário dos ministros, certo?). Se você fosse acionista majortário de uma empresa, você gostaria que os diretores trocassem um volume imenso de inmformações estratégicas de forma sigilosa, sem que você pudesse saber daquilo ?

    Perceba que o WikiLeaks só lança o problema. Não diz como resolver isso. E não é uma questão simples.

    Estamos na era da informação. Tudo que se relaciona à informação deve ser repensado e não há respostas prontas para muitas das questões. O que não se pode fazer é ignorar as dúvidas que surgirem ou calar aqueles que as levantam ( q é o que os EUA estão fazendo, não sabem responder a pergunta, calam a boca de quem perguntou)

    • http://twitter.com/LucasMalto Lucas Freitas Malto

      Pensar que na democracia não deve haver sigilo de informação é muito ingênuo.

      O governo democrático pode e deve mantêr sigilo sobre algumas informações SE estiverem
      REPRESENTANDO o interesse de QUEM OS ELEGEU.

      Entre as poucas informações do wikileaks que estão circulando pela mídia, acredito não haver nenhuma que não satisfaça este critério. Seja para defesa contra o terrorismo ou manter uma política de boa vizinhança.

  • Johnny

    Exclentes post, concordo contigo.
    Mas de qualquer forma esse cara conseguiu o que queria fama e holofotes, o ruim é que isto está se alastrando na internet com site copias, ele não ajudou em nada mostrando os pontos vulneraveis no mundo, isto pode trazer consequencias graves. É como disse – ele quer ver o circo pegar fogo.

  • Cesar Nic

    obs: passei duas vezes o mesmo link.
    Corrigindo:
    Eu encontrei esse outro documento pela internet, fornecido pelo wikileaks, falando das relações EUA x Brasil, para quem se interessar:
    http://www.advivo.com.br/sites/default/files/documentos/RL33456.pdf

  • http://www.facebook.com/people/Diego-Froes/1401156007 Diego Froes

    Eu perfiro não opinar(já opinando) sobre a classe dos jornalistas. Acredito que ainda exista alguns que sejam sérios…

  • Victor

    Bem, sendo um “pouquinho” ríspido, não entra na minha cabeça um JORNALISTA duvidar da validade dos dados divulgados recentemente pelo Wikileaks! Será que não é importante o mundo saber que os americanos estão espionando os altos membros da ONU que sejam de outros países? Será que não é importante o mundo inteiro perceber todas as tramóias sendo feitas para silenciar o Julian Assange? Talvez não seja nada tão relevante assim saber que os americanos foram capazes de criar várias acusações de cunho sexual contra o seu detrator. É, não acho isso muito importante não, assim como acho umas bobonas as pessoas que contam pros adolescentes de 15 anos que Papai Noel não existe, que gente mais chata!

    Talvez um jornalista defender que tais dados não têm utilidade seja o sintoma mais perturbador de falta de preparo intelectual das pessoas que são reponsáveis por informar a massa. Se nossos jornalistas pensam assim, o que esperar das pessoas informadas por eles? Pobre admirável mundo novo, pobre…

  • Victor

    Galera, está começando uma GUERRA CIBERNÉTICA em apoio ao Assange!!! Que foda!!! O Paypal ficou fora do ar por oito horas e várias instituições já foram atacadas!

    Segue o link…
    http://tecnologia.terra.com.br/noticias/0,,OI4832121-EI12884,00-Ativistas+online+atacam+companhias+em+defesa+de+Assange.html

    Que notícia foda essa, simplesmente me amarrei! Parece a materialização do sonho de todo geek, alguma coisa parecida com o filme “Jogos de Guerra”. É, sou um geek meio velhinho, tenho que confessar… hauhauahuha

  • http://www.facebook.com/people/Leandro-Klem/651400990 Leandro Klem

    Exclentes post, mas não concordo contigo. Acho que o fundador da Wkileaks esta sim tentando se promover usando o site.
    Porém o site, por mais documentos sem o menor valor que tenha, é valido, afinal onde mais se encontrariam documentos em quantidade e liberdade, que fossem, ou sejem, de fácil acesso??
    Esse é o papel da internet também, universalizar, disponibilizar para todos, mesmo que você não precise daquilo.

  • Freedom

    Gostei muito do que aconteceu, os EUA vive fazendo conspirações. Ele esta armado para atacar qualquer um que vá de encontro aos interesses dele. Espero que alguem tire proveito de alguma coisa dessas informações vazada, e mostre aos Americanos que eles não mandar no globo.

  • http://www.facebook.com/rpevangelista Rafael Evangelista

    “O texto serve como um cala-boca para aqueles que argumentavam que Zelaya estava tentando dar uma de Hugo Chávez e mudar a constituição do país.”

    Não pra mim. Ele quis rasgar a Constituição e a última guarda da Constituição, o Exército, veio de lá e cumpriu seu papel. Seria assim em qualquer país democrático do mundo. Apesar do Chefe-de-Estado ser chefe das Forças Armadas, elas devem se subordinar somente à Constituição.

    Quanto ao vazamento, o volume de material é imenso. Por isso eles devem demorar meses pra soltar tudo. Não dá pra dizer se é só barulho nesse momento. O que me incomoda aí é se é ilegal o trabalho feito no WikiLeaks.

    • lia

      Perfeito, também notei o tom tendendioso em destacar tal trecho, até porque o fato de ser embaixador ‘americano’ não o credencia a ser especialista em constituições, certamente não leu a de Honduras, coisa que se pode provar fazendo poucas perguntas, as quais duvido muito ele consiga acertar. Se bobear, ao ser indagado qual a capital do Brasil vai dizer “Buenos Aires’.
      Não é segredo e nem precisa de ‘vazamento’ a notória insuficiência acadêmica dos diplomatas americanos. A maioria só faz o social, deixando o serviço mesmo pra CIA, que leva a fama justificada de fazer os serviços sujos, dos quais se alimentam os diplomatas de forma parasitária. O que me chama a atenção no caso do WL nem é dar publicidade aos tais documentos, nem duvido que com os modernos recursos de hoje em dia muita coisa seja ‘editada’ parecendo original, mas o detalhe de a fonte ter sido um fedelho militar que entrou aos 18 anos e aos 22 já estava num com tanto acesso e liberdade de ação na lide de dados que seriam, em tese, de alta relevância e por isso tarjados como secretos.Desconfio que o tal soldadinho seja ‘laranja’ pra encobrir nomes de alto coturno, daí jogarem as luzes só sobre o Assenge e deixando o militar quase esquecido…Também é estranho não mostrar nada, ou nada que valha a pena,de lugares santos como China,Coreia do Norte,Sudão,Cuba,Venezuela,Bolívia,Rússia, etc.
      O maior descrédito do WL, até agora, é a parcialidade dos vazamentos, escolhidos a dedo para atingir somente um alvo: os EEUU. Com muitos bocós entrando em nirvana com isso, pois vem a calhar com seus alinhamentos idelógicos questionáveis, pra dizer o mínimo.
      Falam do muro na fronteira com o México, mas ainda não caiu a ficha de que o de Berlim já foi ao chão por fracasso de apenas um lado do muro, lado este que deixou muitas viúvas chorosas, pelo que nota em alguns comentários antericanos(só), como se os EEUU fossem o único satã do planeta. Parecem aiatolás falando… Se investigar bem, batem em mulheres em fez como o Assange,hehehe, mas usando camisinhas, claro…

  • Cilaqroo

    Dizer que o vazamento é inútil, tendencioso e prejudica a política americana é cair exatamente no papo daqueles que foram prejudicados pelo vazamento e agora querem desqualificá-lo. É assinar embaixo o atestado de otário e acreditar que isso não tem importância.( 2)

    Acredito que o WikiLeaks está prestando um serviço para a democracia global (2)

    Ora bolas Thiago ,seu texto parece ser nao um dos maiores mas o mais inútil texto que já li no PdH.
    Desde quando você sabe da existencia do Wikileaks ?
    Você considera bobagem a “conversa” entre um diplomata americano e Ali Abdulah deixando claro de quem sao as bombas que explodem no Yemen ?
    http://www.huffingtonpost.com/johann-hari/julian-assange-has-made-u_b_793504.html

  • http://www.facebook.com/cariocaf3 Felipe Fragoso Fernandes

    As Relações Internacionais, sejam elas performadas por estados, empresas, organizações internacionais, ONGs etc… são algo parecido como um campo minado.

    O ambiente é tenso e a linha entre a cooperação e o conflito é sempre tênue e instável, justamente pela falta de clareza, interesses conflitantes, e desconfiança mútua.

    As relações, sejam elas estatais, privadas, não-governamentais quer queira, quer não são baseadas em relações humanas e por ser algo parecido como andar em cacos de vidro, a diplomacia é algo que requer um protocolo, etiqueta, discrição, em níveis elevadíssimos.

    Falar mal, todos sabem que todos falam. Tentar saber o que o outro sabe, todos fazem e todos querem saber. Mas saber do discurso por trás do discursos (Teorias Pós-Modernas), o verdadeiro significado das ações, a motivação, as intensões do player principal do cenário internacional é algo almejado por todas as embaixadas do mundo.

    Do ponto de vista do senso comum, as declarações que foram, e que ainda vão ser divulgadas pelo WikiLeaks podem não ter valor nenhum, e não passar de mero ataque (irresponsável) an estabilidade mundial, ou algo parecido com isso.

    Mas para quem está envolvido nesse ambiente, para quem qualquer tipo de informação é importante para decisões de políticas externas, decisões comerciais, e qualquer outro tipo de relação possível entre dois estados e seus representantes as informações vazadas pelo WikiLeaks são de suma importância, e com um valor icomensurável.

    Imagine vocês representantes dos interesses de um estado, ou empresa, prestes a fechar um acordo com o governo “x”. Você gostaria ou não de saber o que realmente motiva a outra parte nessa situação, quais são os verdadeiros interesses por trás do discursso.

    O que quero expor aqui, é que respeito a opinião do autor do texto e não considero que seja certo, nem tampouco errado. É apenas um ponto de vista. Mas para as relações internacionais, para a diplomacia, eu parafrasearei o chanceler Franco Frattini: “É um 11 de setembro para a diplomacia mundial”.

    A maneira como os governos estão lidando com as informações, muito embora discreta e sem muitas declarações escondem a “polvoroza” criada pelos documentos. E a maior prova disse é a prisão do fundador do site. Me expliquem como alguém que não matou ninguém, não traficou, não roubou e é apenas SUSPEITO de assédio/estupro pode ser uma das pessoas mais procuradas pela InterPol?

    E vocês já pararam pra pensar como é fácil forjar um crime como esses? Paga-se tanto para uma mulher, e ela afirma que foi assediada pelo cara.

    Não estou dizendo que foi isso que aconteceu, mas seria de bom grado levar em consideração outras hipóteses, tentar enxergar por outro ponto de vista, saber, ler, entender o que é divulgado, tentar saber quais são os interesses por trás da notícia, e por fim aventar hipóteses.

    Enfim, WikiLeaks está longe de ser inútil, e nunca foi tão relevante no cenário internacional. E os EEUU sabem disso muito bem.

  • http://www.facebook.com/cariocaf3 Felipe Fragoso Fernandes

    As Relações Internacionais, sejam elas performadas por estados, empresas, organizações internacionais, ONGs etc… são algo parecido como um campo minado.

    O ambiente é tenso e a linha entre a cooperação e o conflito é sempre tênue e instável, justamente pela falta de clareza, interesses conflitantes, e desconfiança mútua.

    As relações, sejam elas estatais, privadas, não-governamentais quer queira, quer não são baseadas em relações humanas e por ser algo parecido como andar em cacos de vidro, a diplomacia é algo que requer um protocolo, etiqueta, discrição, em níveis elevadíssimos.

    Falar mal, todos sabem que todos falam. Tentar saber o que o outro sabe, todos fazem e todos querem saber. Mas saber do discurso por trás do discursos (Teorias Pós-Modernas), o verdadeiro significado das ações, a motivação, as intensões do player principal do cenário internacional é algo almejado por todas as embaixadas do mundo.

    Do ponto de vista do senso comum, as declarações que foram, e que ainda vão ser divulgadas pelo WikiLeaks podem não ter valor nenhum, e não passar de mero ataque (irresponsável) an estabilidade mundial, ou algo parecido com isso.

    Mas para quem está envolvido nesse ambiente, para quem qualquer tipo de informação é importante para decisões de políticas externas, decisões comerciais, e qualquer outro tipo de relação possível entre dois estados e seus representantes as informações vazadas pelo WikiLeaks são de suma importância, e com um valor icomensurável.

    Imagine vocês representantes dos interesses de um estado, ou empresa, prestes a fechar um acordo com o governo “x”. Você gostaria ou não de saber o que realmente motiva a outra parte nessa situação, quais são os verdadeiros interesses por trás do discursso.

    O que quero expor aqui, é que respeito a opinião do autor do texto e não considero que seja certo, nem tampouco errado. É apenas um ponto de vista. Mas para as relações internacionais, para a diplomacia, eu parafrasearei o chanceler Franco Frattini: “É um 11 de setembro para a diplomacia mundial”.

    A maneira como os governos estão lidando com as informações, muito embora discreta e sem muitas declarações escondem a “polvoroza” criada pelos documentos. E a maior prova disse é a prisão do fundador do site. Me expliquem como alguém que não matou ninguém, não traficou, não roubou e é apenas SUSPEITO de assédio/estupro pode ser uma das pessoas mais procuradas pela InterPol?

    E vocês já pararam pra pensar como é fácil forjar um crime como esses? Paga-se tanto para uma mulher, e ela afirma que foi assediada pelo cara.

    Não estou dizendo que foi isso que aconteceu, mas seria de bom grado levar em consideração outras hipóteses, tentar enxergar por outro ponto de vista, saber, ler, entender o que é divulgado, tentar saber quais são os interesses por trás da notícia, e por fim aventar hipóteses.

    Enfim, WikiLeaks está longe de ser inútil, e nunca foi tão relevante no cenário internacional. E os EEUU sabem disso muito bem.

  • http://twitter.com/saviski Marcelo Saviski

    Se fosse inútil não estavam tão desesperados para acobertar os dados.
    E foi a primeira coisa que pensei quando ouvi a notícia, “vão usar os terroristas para justificar que os documentos não podem ser exibidos”
    Sempre são os terroristas que justificam os atos do governo deles, tcs tcs.

  • http://twitter.com/Raphael_Gans Raphael Gans

    O que pude absorver do artigo foi praticamente isso:
    “Ainda não vi ninguém que se disponha a cavocar fundo naquele grande conjunto de documentos. As pessoas estão preferindo decorar algumas frases de efeito pra impressionar na rodinha de amigos. Graças a isso, o wikileaks é inutil.”

    Percebes o despropósito de qualificar a iniciativa desta forma?
    Obviamente, há muito material de qualidade, que foi obtido das mais diversar formas. Só não pode-se esperar que ele venha mastigado e digerido, pra qualquer analfabeto funcional se gabar de saber os podres americanos.

  • http://twitter.com/TabaCruzFilho Tabaquara Cruz Filho

    Acho que no momento em que tu divulga informações que geram ira de uma superpotência, é porque as tais informações não são irrelevantes.
    No caso todo, acho que tem mais sujeira debaixo dos panos, e que essa perseguição a um jornalista esconde mais do que os próprios documentos da Wikileaks revelam, logo, tenho que discordar do teu texto como um todo.
    Bom, essa é só minha humilde opinião.

  • Anônimo

    Prezado Thiago Kiwi,
    Você já pensou em enviar seu curriculum para trabalhar na FOX News?
    Acredito que você teria chance lá, cara! Seu perfil de jornalista é bem o que eles gostam!

    • Joao277

      kkkkkkkkkkkkkkkk….bobo demais esse texto dele né ? rs, o papo de homem poderia se limitar á falar sobre sexo, por que de politica, deus do céu !

    • Victor

      “Você já pensou em enviar seu curriculum para trabalhar na FOX News?”

      Caraca, conseguiu sintetizar em uma única perguntar tudo o que estava engasgado aqui. Porra, como o maluco consegue escrever umas asneiras dessas??? Mandou bem caro Artemides, valeu….

  • http://twitter.com/gabrielvinicius Gabriel Alves

    Tudo isso não passa de um anti – americanismo enrustido. O foda é esse Julian Assenge revelar segredos vitais do Estados Unidos colocando outros países em risco…

  • Paulgabriel

    21 é bom número.

    E se a demanda ao redor do mundo está crescendo pra saber a verdade, é muito graças a internet, pois a midia “normal” tem se esforçado muito para manter as populaçoes exatamente nesse estagio de “normalidade”.

    A internet pode ser usado de muitas maneiras, inclusive para criar confusao, e é ai que entra o discernimento, a intuiçao e a inteligencia do leitor. Nao é somente notícia pela notícia, para muitos é notícia na procura da verdade, aquela verdade submissa, muitas vezes trocada pelo embuste, para gerar dúvidas com relaçao a verdadeira verdade. E muitos para chegar ao poder, sejam de onde forem, tem empregado e empregam esses meios. O que estamos vendo, independente das especulaçoes que estao sendo geradas ao redor do seu fundador e do vazamento, é um escalao do progresso para chegar na completa transparencia nos assuntos públicos, nas políticas nacionais e internacionais e alem. Agora, essas forças sempre querem restringir essa transparencia, neste caso vao falar de “terrorismo” informatico para Fazer. Crer como diz o slogan da Sony make. believe. e assim querer colocar leis internacionais na Defesa Internacional contra o Vazamento.

    Este ano foi o ano do vazamento, ouve o grande vazamento de petroleo do golfo de Mexico e agora da informaçao, sem contar o grande vazamento sulamericano e ate internacional da fumaça e dos incendios… Vazamentos incendiários, cozinhando tudo junto. Tivemos tambem bons números como o 33 dos mineiros resgatados no Chile! E esse vazamento ate a superficie fala muito bem da nossa especie humana, que quando quer, pode concertar muito bem as coisas. Acho que muita gente está ja nesse caminho de querer e trabalhar pra concertar muita coisa!

  • Paulgabriel

    21 é bom número.

    E se a demanda ao redor do mundo está crescendo pra saber a verdade, é muito graças a internet, pois a midia “normal” tem se esforçado muito para manter as populaçoes exatamente nesse estagio de “normalidade”.

    A internet pode ser usado de muitas maneiras, inclusive para criar confusao, e é ai que entra o discernimento, a intuiçao e a inteligencia do leitor. Nao é somente notícia pela notícia, para muitos é notícia na procura da verdade, aquela verdade submissa, muitas vezes trocada pelo embuste, para gerar dúvidas com relaçao a verdadeira verdade. E muitos para chegar ao poder, sejam de onde forem, tem empregado e empregam esses meios. O que estamos vendo, independente das especulaçoes que estao sendo geradas ao redor do seu fundador e do vazamento, é um escalao do progresso para chegar na completa transparencia nos assuntos públicos, nas políticas nacionais e internacionais e alem. Agora, essas forças sempre querem restringir essa transparencia, neste caso vao falar de “terrorismo” informatico para Fazer. Crer como diz o slogan da Sony make. believe. e assim querer colocar leis internacionais na Defesa Internacional contra o Vazamento.

    Este ano foi o ano do vazamento, ouve o grande vazamento de petroleo do golfo de Mexico e agora da informaçao, sem contar o grande vazamento sulamericano e ate internacional da fumaça e dos incendios… Vazamentos incendiários, cozinhando tudo junto. Tivemos tambem bons números como o 33 dos mineiros resgatados no Chile! E esse vazamento ate a superficie fala muito bem da nossa especie humana, que quando quer, pode concertar muito bem as coisas. Acho que muita gente está ja nesse caminho de querer e trabalhar pra concertar muita coisa!

  • Pedrinho Pasquale

    Que vergonha uma jornalista que não sabe português… “descordar” é terrível!

  • Joao277

    Amigo, fica aqui a dica de um ótimo blog sobre politica:

    http://www.advivo.com.br/luisn…/

    Lá voce se informa um pouco mais sobre a situação internacional, e por que nao o Wikileaks. O seu texto esta alienadissimo caro, de forma alguma o Wikileaks surgiu para criar ´´bombas´´, onde leu isso ? wikileaks cunhou o termo jornalismo cientifico. eles escrevem uma matéria jornalistica e divulgam o documento junto provando a matéria. e já divulgaram crimes de guerra sim senhor heim, inclusive videos chocantes meu rapaz:

    http://www.youtube.com/watch?v

    Não informe mal o público sobre questões tão importantes ! O wikileaks é um movimento interessantissimo. O seu texto está totalmente fora da realidade, que opinião mal fundamentada, deus !

  • Anônimo

    O caso é ainda mais embaixo, filho. O autor dessa peça mora na Inglaterra.
    Já fui um habitante daquele país e posso te dizer que a imprensa que vale a pena acompanhar é de tão fácil acesso quanto são os famigerados tablóides (No Brasil, vc sabe que a proporção não é bem essa). A escolha varia basicamente de acordo com o bom senso e a cultura da pessoa (como em qualquer lugar…)


    Mas você pode estar certo! Daqui a pouco o autor, Thiago Kiwi, tem por costume assistir a Globo Internacional…. ou a Record Internacional (valei-me!)… Nunca se sabe.

  • http://www.reflexoesmasculinas.com.br/ Shâmtia Ayômide

    Eu gosto do quem joga merda no ventilador e o cara do WikiLeaks tem minha simpatia apesar dele ser mais um que gosta de dar a bunda para os sarracenos, orientais e toda a sorte de gente estranha ao ocidente.

    E concordo com o Kiwi, é inútil, Afeganistão e Iraq

    Como dizia São Bernardo de Clairvaux, falar palavrões é feio, mas chamar os sarracenos de macacos e palavras parecidas é algo tolerável.

  • http://www.reflexoesmasculinas.com.br/ Shâmtia Ayômide

    *Apertei o botão “comentar” sem querer e meu comentário anterior sai despedaçado.

    Só terminando:

    Concordo com o Kiwi, é inútil, O Iraque e Afeganistão já cairam e não tem mais volta, olhem no mapa e vejam o que está no meio dos 2. Logo será a vez do Irã. Os conservadores americanos tiveram uma boa vitória no senado, e acho que em menos de uma década o trabalho contra os sarracenos no Oriente Médio estará terminado.

  • http://www.papodehomem.com.br/ Guilherme Nascimento Valadares

    Entrevista completa de Julian Assange pra TIME:

    http://www.time.com/time/world/article/0,8599,2034040,00.html

    E artigo da TIME explicando porque o WikiLeaks está vencendo essa guerra:

    http://www.time.com/time/nation/article/0,8599,2035817,00.html

  • Robson

    Pra quem ainda não percebeu a real utilidade da Wikileaks, mais um vazamento recente, envolvendo a Pfizer…
    http://www.guardian.co.uk/business/2010/dec/09/wikileaks-cables-pfizer-nigeria?CMP=twt_gu

  • Robson

    Pra quem ainda não percebeu a real utilidade da Wikileaks, mais um vazamento recente, envolvendo a Pfizer…
    http://www.guardian.co.uk/business/2010/dec/09/wikileaks-cables-pfizer-nigeria?CMP=twt_gu

  • http://twitter.com/chikletinho Paulo Santana

    Sim galera.. Resolvi me alistar a favor do wikileaks, entrei no grupo anonymous agente está se comunicando pelo IRC, no início eu fiquei responsável pelo redirecionamento da ações, tendo 45 pessoas conectadas ao meu PC, o site amazon.com, fechou as portas tcp no número 58687, mas os hackers q estão por cima do anonymous conseguiram acesso a 4984 porta, agora se a amazon tentar abrir o servidor, ela vai ser sobrecarregada. // Estamos trabalhando com um sistema q tenta conectar diretamente com o servidor, se estivéssemos trabalhando individualmente, seria impossível sobrecarregar o sistema, até agora (01:26) somos 33.584 conhecidos o IRC [Sem contar os q estão por fora..] pela velocidade de nossos ataquem estima-se q por fora tem mais de 30.000 Pessoas, com uma conexão com latência de no mínimo 5.. E o grupo só está aumentando.. [Se alguém aki participa o meu codigo é #slash66]

    • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

      Bom saber, Paulo. Depois, se der, conta pra nós o andamento da coisa.

    • Victor

      Pena que já estou no trabalho e vou viajar daqui, do contrário deixaria meu desktop ligado pra poder ajudá-los, com alguma coisa…

      Putz, gente se comunicando por IRC e fazendo ataques por retaliação, parece que estou vendo um filme geek! Este movimento está sendo histórico, nada como vê-la sendo escrita…

  • http://twitter.com/LucasMalto Lucas Freitas Malto

    Estamos todos ainda receosos sobre o impacto que o wikileaks trará para a política, se é algo realmente notável ou se são pequenas “fofocas” trazidas a tona que só “magoará a vizinhança”.

    Estamos receosos se Julian assange é um líder revolucionário que se destacará em nossa história (pelo menos eu estou) ou se é apenas mais uma figura política comum, realizando algo ordinário.

    Isso só descobriremos com o tempo, na medida que as vazamentos forem avaliados e popularizados conforme o grau de importância.

    Minha opinião é que o trabalho do wikileaks revolucionará a forma como praticamos a democracia, a curto prazo ( o suficiente para ser destacado como um grande feito). Evidenciará conflitos já conhecidos porém facilmente e hipocritamente ignorados, Abalará a política diplomatica entre alguns países culminando em eventuais pequenos conflitos e também abalará a confiança do povo (pelo menos aqueles mais esclarecidos) em seus governantes.

    Posso estar enganado, mas acredito que tudos isto é algo grande, que trará além de consequências a curto prazo, consequências a longo prazo bastante expressivas.
    Errado? Certo? isso ainda não existe. É esperar para ver. Afinal… Quem sabe o fim da história?

    • http://twitter.com/thiagokiwi Thiago Kiwi

      Acho que todas essas fofocas nem a vizinhaça magoarão. Não li e não me interesso em ler as cartas pq acho que se fossem tão relevantes assim como todo mundo aqui está falando, todos os países “ofendidos” estariam contra os EUA. Mas o que a gente ta vendo é que todo mundo apoia os EUA. Ninguém é bobo de sacrificar seu relacionamento com a maior economia mundial por conta de opinião de meros diplomatas.
      Claro que para internautas anticapitalistas isso pode doer, mas o Wikileaks não tem o poder de abalar nada (se fosse tao poderoso assim, isso ja teria acontecido), principalmente pq a maior parte das cartas foram escritas muito antes do Obama.

      • http://twitter.com/thiagokiwi Thiago Kiwi

        Galera, esse comentário logo acima não foi escrito por mim. Essa é a opinião do meu amigo André, que estava usando meu computador enquanto ele estava logado na minha conta.

        Diferente dele, eu ainda me interesso (e muito) em ler os Wikileaks. Acho que, como forma de pesquisa, pode ser uma ótima ferramenta. Mas, como já falei antes, a informação que está lá precisa ser trabalhada e analisada a fundo para que seja realmente uma prestação de serviço à sociedade.

  • Nobody

    “Não consigo entender jornalistas que fazem de tudo para criar uma polêmica.”

    Qual é o título do post mesmo?

    – “Wikileaks: o maior e mais inútil vazamento de informações da história”

    Ah, entendi…

    • Joao Navarro

      O post desse cara foi útil, pra fazer raiva e pesquisarmos sobre o wikileakes.. essa merda toda aí embaixo pode ser vista e comprovada no site, uma pena não ter uma filial do wikileakes no Brasil com o resumo das revelaçães em português. Mas como o Sr. do post mora na inglaterra não terá problemas.

      http://www.youtube.com/watch?v=2lcrowOfwDs

      “E olha que o Wiki já existe desde 2007 e revelou documentos importantes sobre a máfia russa, o governo chinês, a política de extermínio no Quênia, corrupções de ONGs, envio de lixo tóxico pelo Reino Unido até a Costa do Marfim… (clique aqui para ver uma lista do que já foi publicado)”

      http://cartacapitalwikileaks.wordpress.com/page/2/

      O problema do Papo de Homem é que ele tem tanta credibilidade que mesmo quando alguém fala um monte de merda os leitores saem espalhando, twiter, blog, etc.

  • Manel

    Discordo com o texto, as informações do Wikileaks são uma forma de analisar de como um pais que no caso o EUA analisa, ou requere informações de seus embaixadores, acredito ser viável a analise dos fatos e opiniões de embaixadores, já que para um governo essas opiniões são bastante consideráveis na tomada de uma decisão, alguns documentos ou a maioria são possivelmente respostas de uma solicitação, acredito que os embaixadores não tiraram de trás da orelha e enviaram os documentos

  • http://www.facebook.com/people/Guilherme-Cardozo-Pinto/100001680789037 Guilherme Cardozo Pinto

    Para ir além recomendo:

    http://www.tiagodoria.ig.com.br/2010/12/10/wikileaks-escancara-perenidade-do-conteudo-na-web/

    Googar: “Jornalismo de base de dados”

  • http://twitter.com/thiagokiwi Thiago Kiwi

    Vou ter que discordar do que a maioria aqui disse. Acho que o que o Tiago quis dizer é que a forma com que as informações foram divulgadas não fazem com que ninguem seja beneficiado. O trabalho do Wikileaks é muito bom quando conseguiram os videos do Iraque, mas, nesse caso, acho que as informações realmente não são muito úteis a ninguem.

    O direito a sigilo de informação também faz parte da democracia. Se diplomatas não tem o direito de se comunicar sigilosamente com as autoridades de seus países, qual seria a razão deles existirem, então?
    Falam de liberdade de imprensa, mas até que ponto essa “imprensa” tem o direito de roubar informações?
    Otima discussão. Parabens mais uma vez, PdH.

    • Paulgabriel

      “Se diplomatas não tem o direito de se comunicar sigilosamente com as autoridades de seus países, qual seria a razão deles existirem, então?”

      Eu me pergunto entao, em qué se baseia essa “democracia”, em segredos e sigilo? Só para dar emprego as tais autoridades?

      As autoridades foram criadas para cumprir com um serviço com o coletivo, só que quando essa confiança com o coletivo é quebrada, acho que é a hora de rescrever o jogo. O sigilo lamentavelmente está sendo usando por uma grande parte do poder público e corporativo só para encobrir corrupçao e esconder conexoes com forças públicas e privadas em muitas areas da segurança e insegurança… Muitos usam esse sigilo como tática do poder… Acho que desses exemplos temos muitos ao longo da nossa história humana… É a hora de tentar fazer as coisas de outra maneira, tal vez que essas tais autoridades comecem a confiar no cidadao comum, pois esse cidadao também é inteligente, tem a sua própria experiencia de vida e é muito provável que ele possa solucionar muitos dos problemas nacionais e internacionais que muitas tais autidades tem criado ao longo do tempo. A palavra aquí é confiança.

    • Joao277

      A democracia é uma construção. Agora nós, o povo, queremos transparencia do governo, exigencia nossa ! E tambem não queremos guerras ! Exigencia nossa ! Não sou anticapitalista, acredito no livre mercado para a elevação da alma humana ! O Wikileaks é uma pequena parte de um movimento que esta começando…vai fazer 1969 ficar no passado…graças á internet…graças ao ´´povão´´ que anda elegendo lideres mais interessados em questões nacionais…lula é o exemplo. O que está havendo é uma transição de poder, o mundo dá voltas, o poder tem que passar pela mão de todos…
      Por acaso você sabe o que foi a revolução francesa ? Pesquise, leia mais….

  • DNM

    Então faça o favor de mudar o título da notícia. Já que essas “inutilidades” podem ser as responsáveis por uma mudança (quem sabe, positiva) de paradigma nas relações mundiais dos próximos X anos.

  • Cilaqroo

    Manifestacoes que já começam , a nivel mundial , a favor de FREE WIKILEAKS :
    http://freewikileaks.eu/manifestacion-sabado-11-de-diciembre-2010/

  • http://twitter.com/MuitoMorgadoLol MuitoMorgadoNowAgain

    Eu tenho discurso antiamericano sim, e não entra em minha cabeça como apoiam um país desse. E não vou fazer um post gigante para explicar isso, creio que qualquer um pode refletir e ver quem realmente é o inimigo da humanidade e planeta. dicas: bombas atômicas no Japão (se eu fosse japonês, teria lançado 4 nos EUA!); Vietnãn; Iraque; Afeganistão; “globalização” (= americanização); CIA; espionagem e manipulação de ordem em outros países, inclusive no Brasil… Cara, na boa, vc está muito alienado pelo cinema americano (sim, aqueles filmes em que o personagem de outros países são mostrados como vilões e o americano como salvador do mundo)…

    Eu defendo que Irã tenha bomba nuclear, que Japão tenha bomba nuclear, que a Rússia tenha milhares de bombas nucleares, e por quê? Porque não é o Brasil que são seus inimigos. Ou seja, essa guerra não é nossa e, na boa, não me importo se amanhã o EUA sumir do mapa por bombas atômicas: servirá de exemplo para humanidade que a consequência de se invadir países e lançar bombas atômicas é receber outras bombas atômicas.

  • Murilo

    “descordar”. Parei de ler aqui.

  • Ph Nascimento13

    É claro… Wikileaks é um desserviço aos heróis americanos que espionam clandestinamente países ao redor do mundo “a la guerra fria”.

    Somente pelo fato de mostrar crua e nua a maneira como é feita a diplomacia americana já é um ato valoroso prestado a comunidade internacional.

    E ainda dói pensar que alguém que se diz a favor do estado democrático dizer que publicação de informação pública é nociva.

    É por essa e outras que cada vez mais a imprensa brasileira abaixa a cabeça pra censura ilegítima que lhes é imposta: ninguém quer ouvir e ainda há aqueles que acham que liberdade de expressão demais faz mal.

  • Ph Nascimento13

    É claro… Wikileaks é um desserviço aos heróis americanos que espionam clandestinamente países ao redor do mundo “a la guerra fria”.

    Somente pelo fato de mostrar crua e nua a maneira como é feita a diplomacia americana já é um ato valoroso prestado a comunidade internacional.

    E ainda dói pensar que alguém que se diz a favor do estado democrático dizer que publicação de informação pública é nociva.

    É por essa e outras que cada vez mais a imprensa brasileira abaixa a cabeça pra censura ilegítima que lhes é imposta: ninguém quer ouvir e ainda há aqueles que acham que liberdade de expressão demais faz mal.

  • http://porramanolofodeo.tumblr.com/ Maicon Henrique

    Se foi ou não benéfico essas informações mexeu com os diplomatas dos EUA. Não gosto do EUA por ser um país que se intromete em qualquer assunto de outros países, enfim, acredito e espero que venha muito mais por aí, talvez algo relacionado com a ditadura do Brasil, como você cita no texto.

  • http://porramanolofodeo.tumblr.com/ Maicon Henrique

    Se foi ou não benéfico essas informações mexeu com os diplomatas dos EUA. Não gosto do EUA por ser um país que se intromete em qualquer assunto de outros países, enfim, acredito e espero que venha muito mais por aí, talvez algo relacionado com a ditadura do Brasil, como você cita no texto.

  • Joao Navarro

    O criador do post assistiu a este video revelado pelo wikileakes? creio que não

    http://www.youtube.com/watch?v=H0dReT6uMI0&feature=related

  • Claudio Julio

    Concordo com alguns pontos. Alguns documentos de fofocas poderiam não serem publicados. Mas foram publicadas informações que mostram a forma de se trabalhar dos governos. Se os documentos sobre atentados terroristas antes de 11 de setembro chegassem a público com certeza essa catastrofe não teria acontecido.

  • Caio Rocha Pereira

    Na minha opinião, o site ajuda bastante sim a divulgação de informações…e por mais que tenha muita coisa inútil, tem muita que é tem certa utilidade.

    E em relação à ter aparecido uma “acusação de crime sexual” para Julian Assange, isso é no mínimo extremamente estranho, pois veio em uma hora ótima para o governo dos EUA essa acusação.

    Quanto ao fato de alguns acharem que o criador do site está apenas tentando se promover, é meio estranho alguém que tenha tal acusação tentar isso, pois ficando conhecido mundialmente, tal processo(caso ele já existisse antes) só iria fazer com que ele ficasse mal visto no mundo, não concordam?

  • mr. right

    aaaaaaaahhhh sim, olha como os governantes estão MORRENDO de medo do WikiLeaks pffff

Papo de homem recomenda

Assine o Papo de homem

Curta o PdH no Facebook
  • 5580 artigos
  • 664557 comentários
  • leitores online