Tributo à Legião Urbana: a culpa é do Renato Russo

Luciana Bugni

por
em às | Cultura e arte, Ladies Room, PdH Shots


Não podia dar certo. Eu já disse há algum tempo, mas agora, no meio dessa febre Legião Urbana/Dado/Bonfá/Wagner Moura, só confirmei ainda mais todas as teorias sobre tanto tempo perdido. Não podia dar certo. Uma geração que foi educada sentimentalmente pelo Renato Russo não ia crescer direitinho. E deu no que deu: tudo acabou no Rivotril.

Tributo à Legião Urbana

Se pá, um pouco de uísque também. Vodka talvez.

Um amigo disse: “pros fãs de Camisa, tinha a piranha da Sílvia; quem gostava de Ultraje, tinha sexo pelado. A gente não. A gente estava ali, pirando em Acrilic on Canvas com nossos LPs na mão. E o que nos sobrou?”

Saudade então, e mais uma vez. Que escolha foi essa? E…

Pra que mesmo?

Quando escutei sobre o show com Wagner, não entendi a proposta. Alguém ainda quer gritar, sofrendo na frente de um palco, frases sobre um suicídio e dizer que a culpa é dos nossos pais?

Quer.

Depois, com olhos mais pacientes, assisti aos ensaios da banda com o ator, num making of bem editado pela MTV. Wagner Moura me conquistou pela verdade com que interpretou “A Via Láctea“, música que os fãs conheceram depois da morte de Renato, no lançamento de A Tempestade, em 1997. Ele é um fã. Se nessa faixa, um compositor agonizante se esforça para dizer que “queria ser como os outros e rir das desgraças da vida”, a versão de Wagner é uma interpretação cheia de ternura de uma das músicas mais depressivas do rock brasileiro. E quem é que sabe por que se sente assim? Nem o Rivotril explica.


Link YouTube | Sai dessa que é cilada do Renato Russo, Wagner!

Somos quase tão jovens

Enquanto as novas gerações estão por aí querendo tchu, querendo tcha (parece simples, não parece?), a gente está querendo alguém com quem conversar. E não é só isso. Precisa ser alguém que não use o que eu disser contra mim. Diz aí: tá fácil?

Não é culpa nossa. A culpa é do Renato Russo. E dos nossos pais, claro, que deixaram a gente trancado nos quartos por horas com aqueles disquinhos e a desculpa: “deixa as crianças, é só rock”. Nem rock era. Eu não queria me ver assim (onde já se viu sorriso ferir?).

Não fosse o Renato, eu, barco a motor que sou, não estaria aqui insistindo em usar os remos. Há muito estou alheia (precisa ser tão cafona?) e quem entende? Ninguém, lógico. Nem você, que chegou até aqui com paciência em meio a tanta poesia de parachoque de caminhão – na época da faculdade eu briguei com alguém que usou essa definição ofensiva, mas guardei achando que um dia serviria.

Só terminou pra você? Como assim?

Não fosse essa educação sentimental equivocada, não estaríamos discutindo em nossas intermináveis DRs se é dor ou vaidade – muito menos argumentando que o relacionamento terminou só pra uma das partes. Desculpe, Renato, não tem como. Fim é fim e pronto, cara.

Olha o tempo que você tá fazendo a gente perder com tanta dor. Só porque você não vê o tempo que passou todo dia quando acorda, não quer dizer que a gente vai fazer o mesmo. Ou vai. A gente precisou do líder sentimental na adolescência. E agora, precisamos mesmo é de culpados. Sinto muito.


Link YouTube | Lembra que o plano era ficarmos bem, Renato? Pois é. Não estamos. Culpa tua.

Foi você que ensinou que era normal sermos animais sentimentais que se apegam facilmente ao que desperta o desejo. Pô, podia ter pegado mais leve nessa. E agora? Estamos há 20 anos cortejando a insanidade e o equilíbrio que é bom, ninguém viu. Tá, já passou, quem sabe outro dia.

Ficamos aqui sozinhos com Dado e Bonfá – cujas fotos mostram que o tempo passou sim – e, agora, veio o Wagner Moura, solidário à nossa causa. O mundo não anda tão complicado. Quem ficou complicado foi a gente mesmo. E a culpa é sua.

Nós não temos nenhuma resposta (não que tenha alguém esperando) e o caos tá aí, seguindo em frente com essa calma toda. E o único alento que você deixou foi uma condenação: é só a gente quem tem que decidir o que fazer para tentar ser feliz. Aí sim, nada mais vai nos ferir.

***

No fim do making of, quando alguém afirma que Wagner estava solto no ensaio, o ator explica com um substantivo simples e velho conhecido nosso: “é a cachaça. Cachacinha…”

A gente entende, Wagner. Sem ela, não seria possível. Você é uma vítima, como nós. Poucos se salvaram.


Link YouTube | Nós não vencemos, Renato. Só você

Urbana Legio Rivotril Vincit.

Obs: Esse texto é um mea culpa. Comprei o ingresso e vou ao show hoje. Ontem fui correndo pra casa, ver na tv.

Luciana Bugni

Luciana Bugni só fez jornalismo para entrevistar seus amigos quando eles virarem rock stars. Pode ser encontrada no Twitter.


Outros artigos escritos por


SEPARAMOS MAIS TEXTOS PARA VOCÊ CONTINUAR LENDO




O texto acima não representa a opinião do PapodeHomem. Conheça a visão e a essência por trás do que fazemos. Queremos uma discussão de alto nível. Antes de comentar, leia nossas boas práticas. Caso deseje enviar um texto e se tornar um autor, venha por aqui.


  • Edson Neto

    Eu não fui salvo, e não queria mesmo….

    • http://profiles.google.com/lipemelo.lassombra Fellipe Melo

      Pô Edson, sai dessa! Achei o texto foda, e fui salvo, por pouco, mas fui! 

    • Fabi

      Engraçado tanta gente falar mal do Renato Russo, criticar o fato de suas letras serem depressivas, mas ninguém se atenta ao fato de que ele era um cara super culto, antenado com os problemas políticos e sociais brasileiros da época e extremamente revoltado com toda a ignorância e cegueira da população com relação a isso, que ainda hoje persiste, e durante toda sua jornada poética tentou retratar não só os problemas políticos, mas também sentimentais entre tantos outros, escrevendo verdadeiros tesouros poéticos, como a letra de “perfeição”… é muito fácil fechar os olhos e ouvidos a toda a podridão existente e viver num mundinho consumista e superficial onde a vaidade e prepotência e facebooks onde todos vivem num mundo cor de rosa e são super-educados uns com os outros (pura hipocrisia) parecem criar o mundo ideal… agora ouvir as músicas da legião e ser forçado a perceber toda a miséria das pessoas realmente pode ser muito pesado para muitos… ler Fernando Pessoa idem… comprar jornais sensacionalistas idem… é questão de escolha… vc pode escolher o que ler e o que ouvir… pode filtrar o que é bom ou ruim para si mesmo… Na minha opinião o Renato Russo foi o maior compositor para jovens da geração anos 80 e 90… e quem diria! Ele não era de todo amargura e ironia… tinha seus momentos de ternura, que demonstrava em várias composições e para com sua família e amigos. Enfim, um cara que faz falta, pelo menos para mim. Obrigada por tudo Renato!

      • Samuel Santos

         esse não entendeu a ironia do texto… heheh

  • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

    quando estava aprendendo a tocar violão, adorava Legião Urbana! deve ser porque era (ridiculamente) fácil de tocar…

    tempos depois, o caos: acho Legião uma banda extremamente superestimada no cenário nacional. Já havia rock antes deles, continuou havendo rock depois. E sempre em alto nível. Das bandas com RG de Brasília, apenas Paralamas e Raimundos me cativam. As outras acho bunda-mole demais, “quero morrer” demais, “que mundo chato” demais. Pais dos emos, por assim dizer.

    Acabei assistindo uma parte do show ontem na MTV e pelo pouco que vi: Wagner é um excelente ator e  cantor sofrível, o som estava parecendo um Joy Division tupiniquim e se alguém traficava rivotril na porta está milionário!

    • Lucas Carvalho

      Amigão, Legião Urbana não tem como seu forte o instrumental e nunca teve, como até o Renato falou no MTV Ao Vivo(acho que foi nesse album). Agora nenhum outro compositor fez rock como Renato Russo e dificilmente fará. As letras são algo além de foda.

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        “Agora nenhum outro compositor fez rock como Renato Russo e dificilmente fará. As letras são algo além de foda.”

        Meu caro, eu consigo fazer uma lista de compositores de rock brasileiros de qualidade. Renato Russo não foi o messias do rock tupiniquim. Não que eu ache que precisemos de um messias, mas se havia/houver algum, com certeza não foi ele…

        E quanto a Legião Urbana nunca ter instrumental como forte: se propuseram a ser músicos. Em diversos shows os instrumentos nem afinados estavam. Se não queriam trabalhar o instrumental, por mais simples que fosse (em tempo, simples e tosco NÃO são sinônimos), deveriam ter tentado poesia ou qualquer outro tipo de intervenção artística. Música NÃO!

        (editei porque tinha comido umas quebras de linha. deve ser a proximidade com a hora do rango)

      • Edryk_hwm

        ah cara na moral mesmo, já ouviu falar de misfits ?! ramones ?! danzing ?! já parou para se perguntar pq essas bandas e cantores fizeram sucesso ?! pq era som popular cara ! som de rua !! som que qualquer barzinho de esquina alguém sabe cantar e qualquer cara na viola toca !! 3 “nota” e let’s go !

        a comparação que o instrumental é ruim ou bom é fraca demais !! e isso me soa um “eu sou ouço satriani e sou foda!” música tem dessas amigão pra vc é bom mas para outro não é ! acho que vc brisou um pouco !!

        não curto legião mas respeito e acho que não tem como não respeitar pq marcaram uma época !!

        ps : não queria ser grosso mas seu comentário me pareceu mto prepotente !

      • Lucas Carvalho

        Faça a lista então, estou no aguardo. 
        Porque não música? Música é poesia, o instrumental de legião não é complexo, mas as letras são de outro mundo. 

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        @Edryk_hwm : não comparei em momento algum a estética ou o fato de ser simples. E conforme disse lá embaixo, ser simples é diferente de ser tosco. Acho Satriani um saco (e sou guitarrista), mas respeito.
        Marcar época não é um bom indicativo muito seguro. Que o diga a transição 80′s/90′s no Brasil, a Era da Lambada.

        O meu maior problema com Legião Urbana são:
        1 – não é, não foi  e não será a maior banda de nenhum estilo no Brasil
        2 – Já existiam e continuarão existindo compositores maiores, mais completos (e que sabia de fato tocar algum instrumento) que Renato Russo
        3 – o argumento de “o instrumental não precisa ser legal, eu tô preocupado com a poesia”. Vai ler uma antologia poética então, poxa! pelo menos na poesia não corre o risco de a guitarra estar desafinada ou a caixa da bateria cheia de reverb (novamente: simples é diferente de tosco. assim como complexo é diferente de requintado. podem coincidir ou não)

        respondi aqui porque não tem a opção de responder seu comentário no próprio!

        (e por fim, mas não menos importante: se você escuta Dado, você escuta o Villa-Lobos errado! hahaha)

      • Anony.

        A pessoa para ser lembrada e foda não tem que ser A. MELHOR. de todas. Existir compositores melhores não significa que o Renato não era bom. Os Beatles, no final da carreira, tem músicas muito, mas muito, legais. O instrumental deles era super limitado (principalmente a coitada da bateria do Ringo) e com certeza existem melhores compositores do que o John e o Paul. Mas, ainda, eles não são bons por que existem melhores? Esse tipo de raciocínio não faz sentido.

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        “A coitada da bateria do Ringo” era um metrônomo vivo. Coisa raríssima de se ver. Todos os demais Beatles falam que já tocaram com bilhões de bateristas depois, mas nunca mais com um que gravasse e tocasse exatamente igual, no mesmíssimo tempo!

      • VicenteGomesFilho

        Raul Seixas?

      • http://www.facebook.com/duka.palacio Duka Palacio

        “Agora nenhum outro compositor fez rock como Renato Russo e dificilmente fará. As letras são algo além de foda.”
        Questão de gosto. (Será?)

        Então, dois exemplos de compositores, que realmente não fizeram “rock” como Renato Russo, fizeram melhor: Raul Seixas e Cazuza, onde as letras vão muito além do estilo recorrente nas letras do Renato, de sofrimento, rebeldia adolescente e crise existenciais.  Isso para ficar só na questão de composição. 

        Gosto de Legião Urbana, mas longe de achar que foi o maior acontecimento da música brasileira de todos os tempos ou que Renato Russo é o melhor compositor do Brasil. 

      • http://www.facebook.com/duka.palacio Duka Palacio

        “Agora nenhum outro compositor fez rock como Renato Russo e dificilmente fará. As letras são algo além de foda.”
        Questão de gosto. (Será?)

        Então, dois exemplos de compositores, que realmente não fizeram “rock” como Renato Russo, fizeram melhor: Raul Seixas e Cazuza, onde as letras vão muito além do estilo recorrente nas letras do Renato, de sofrimento, rebeldia adolescente e crise existenciais.  Isso para ficar só na questão de composição. 

        Gosto de Legião Urbana, mas longe de achar que foi o maior acontecimento da música brasileira de todos os tempos ou que Renato Russo é o melhor compositor do Brasil. 

      • http://www.facebook.com/people/Renan-Junqueira/100002632243996 Renan Junqueira

        infelizmente tenho que descordar! odeio entrar nessas guerinhas de comentarios mas lá vou eu!

        Adoro Cazuza e tambem Adoro Raul Seixas, acho os dois FODASTICOS!!
        No entanto ainda acho que as letras feitas e cantadas por Renato são melhores do que as deles.
        A verdade é que eu acho que tudo vai do gosto da pessoa, poderiamos ficar falando por horas e horas e horas mas voce continuaria gostando mais de Raul e de Cazuza e eu continuaria gostando mais de Renato.

        No entanto, a maioria das letras de Renato continuam contemporaneas, é dificil voce conseguir um compositor que consiga tal façanha. (volto a falar, QUESTÃO DE GOSTO)

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        Contemporâneos -> 
        http://www.youtube.com/watch?v=pTL0jmvOmas
        (prefiro a voz do Frejat à do Cazuza, mas isso é questão de gosto)

      • Dado Teles

        “(prefiro a voz do Frejat à do Cazuza, mas isso é questão de gosto)” + 1.

      • Leonardo

        Cara qem diz que instrumental é fraco é leigo, são guitarristas de apartamento que acham que música boa tem que ter riffs e solos(não estou te chamando disso, até eu já fui assim). A harmonia e melodia do legião são muito boas, e as letras sem comentários. É bom notar que o som deles é algo pós punk, mais simples, não quer dizer fácil. Agora tem nego que toca que nem o Adriano Ferreira do cifra club e diz que toca legião de olho fechado, aí não né.

    • http://twitter.com/luizagcn Luiza

      Legião Urbana realmente não tem uma musicalidade boa, eles não tocam bem. Mas nem por isso deixa de ser arte, nem por isso deixa de tocar as pessoas. Acho que o grande barato é esse, a Legião conseguiu cativar uma geração inteira, gente que se reunia, se conhecia, se amava por causa da banda. Além disso eu gosto do estilo cru, música ‘ruim’ da Legião, são como quadros de arte moderna, por exemplo. Se você comparar os quadros da Tarsila com os do Da Vinci vai achar os delas inferiores, com pouca técnica, mas eu não colocaria uma réplica do Da Vinci na minha sala e colocaria uma réplica de quadro dela na minha parede. São mais atuais, combinam mais com meu estilo e gosto. Arte é assim, nem sempre tem que ser a mais difícil, mais elaborada pra te tocar, ela só tem que traduzir sensações e sentimentos.

      Achei o texto lindo, mas acho que faltou falar um pouquinho da critica social e política que as letras abordavam. Mas é aquilo, arte toca cada um de um jeito.

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        Luiza, comentei isso mais adiante (não lembro onde) e re-comento: eu não tenho problema algum com o simples e fácil. Gosto demais disso e realmente enxergo beleza em obras simples e sem técnicas rebuscadas. Tarsila é mais simples, com figuras menos realísticas que o Da Vinci.

        O cru também rende bons frutos. Que o digam Neil Young & Crazy Horse, Bob Dylan em começo de carreira, Casa das Máquinas ou Barão Vermelho.

        O meu problema é com o tosco. Se eles se propuseram a tocar música, PELO MENOS AFINEM AS PORRAS DOS INSTRUMENTOS DIREITO, CACILDA! hahahaha
        =*

      • Vanessa

        o show de ontem foi um desastre em váriossss sentidos. 
        legião é tosco sim, mas me diz uma coisa: qual o problema com o tosco?ja ouviu Ramones, ja ouviu Sex Pistols?? Pistols é a coisa mais tosca do mundo e é ducaralho!cumpriu o seu papel na época, fez sua crítica e mostrou e falou o que mta gente queria dizer e o que mta gente precisava saber.Legião é fruto da sua época, do seu contexto histórico e foi e é importante no cenário cultural do país. milhões de vezes a tosqueira do legião, desafinados do que essas porcarias que andam tocando no Brasil , se rotulando de rock e fazendo nada mais nada menos do que contribuir para a alienação dessa nação saturada de merda…vc quer ouvir uma guitarra afinada: escuta os coloridos que eu esqueci o nome…com certeza eles devem estar preocupados com a afinação dos instrumentos já que o q eles tem pra dizer vale menos do que o q eu faço no banheiro…

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        @bc098c61686802ba4c6ba071d7405eb6:disqus : vou te responder por aqui porque não aparece a opção de eu responder diretamente seu comentário, ok? Havia MUITA banda contemporânea ao Legião Urbana, que também fazia a crítica e “falava o que o povo precisava saber”: Titãs, Barão Vermelho, Ira!, Ultraje a Rigor (apesar das toneladas de ironia), RPM (tem coisas que salvam, vá lá), Camisa de Vênus… Com uma grande diferença: sabiam afinar os instrumentos! hahaha

        Eu tenho um problema com o tosco justamente por ser tosco! Nunca gostei de Ramones ou Sex Pistols, mas gosto de algumas poucas bandas de punk.

        E quanto ao “milhões de vezes a tosqueira do legião, desafinados do que essas porcarias que andam tocando no Brasil , se rotulando de rock e fazendo nada mais nada menos do que contribuir para a alienação dessa nação saturada de merda…”: internet tá aí, você não é mais refém de rádio ou TV para descobrir coisas novas. Tem muita coisa boa rolando por aí, tocando bem a beça e com boas letras. Culpar os coloridos pelo que acontece com o rock é fácil e cômodo demais, mas e procurar algo que realmente valha a pena ouvir?

        vou fazer o merchan de uns amigos, hardcore nervoso, dedo na ferida de problemas e… PASME! guitarras muito bem afinadas: http://www.myspace.com/severabh

      • http://twitter.com/awilliansd Alessandro Willian

        Vinicius, manda ver nos comentários aí, que também odeio com toda a minha força legião urbana, e quase pedi meu tempo de volta lendo esse texto… ninguém pode ser contra o gosto da galera que caem matando

      • Jeffersonsmth

        voce é um lixo, e deve ser guitarrista de fundo de lata de lixo, porque fundo de quintal ainda é muito pra voce!!!!!! seja melhor ou igual para falar mal!!!!!  voce não é ninguem e nunca será!!!!!!! guitarrista!

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        @f6162084ee3e05da2a697363c8ea38fb:disqus cara, me atacar quanto aos meus atributos guitarristicos me deixou tão puto que eu vou dormir! beijos. sonhe com o Dado Villa-Lobos!

      • http://www.facebook.com/people/Renan-Junqueira/100002632243996 Renan Junqueira

        bom.. suponho que voce seja um musico NATO! coisa que eu não sou.

        Mas se a Legiao Urbana conquista gerações ATÉ HOJE com seus instrumentos desafinados.. sinto muito, mas não sou eu e nem voce que vai pedir para eles afinarem os violões!

    • http://www.facebook.com/profile.php?id=100001781035344 Gabriel Aquino

      Acho que o forte do Legião Urbana não é instrumental, melodia, é poesia! 

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        acho que o tio avô do Dado mataria ele a pauladas se ouvisse um disco da Legião Urbana… rsrs

      • http://www.facebook.com/marcelo.delphi Marcelo R. Rodrigues

        Não curto Legião Urbana mass….

        Não entendo por que essa cobrança em cima do instrumental deles, por que eles deveriam serem bons instrumentais?

        Essa cobrança faria sentido se tivessemos dando opinião sobre uma filarmônica ou coisa parecida.

        Se é por causa que eles tocam rock, ai que a coisa piora, nenhum dos “antigões” deixaram testamento dizendo que o rock só pode ser tocado por caras do nivel de um Dream Theather.

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        minha maior cobrança por eles terem bons instrumentais é: eles eram (MUITO BEM) pagos para ser músicos. E isso inclui saber tocar/afinar!

        ou tecendo um paralelo rápido: você iria a um cirurgião que não manuseasse bem um bisturi? é o instrumento de trabalho dele, assim como Legião Urbana tem seus instrumentos de trabalho!
        (e Dream Theater é muito chato! hahaha)

    • Diego Yaji

       Detectado mais um músico frustrado !!

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        não desejei em momento algum ser músico profissional, sou geólogo! música é hobby. e frustrado eu seria se fosse sobrinho de Heitor e não soubesse afinar um instrumento (sendo extremamente bem pago para isso)…

        já cogitou a hipótese de eu não querer ganhar dinheiro com música e tratar apenas como diversão?

        e gostei muito do seu contra argumento. qual será o próximo: inveja, eles são famosos e você não ou me mostra uma música sua então?

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        e de acordo com o dicionário frustrado é “que não sucedeu como se esperava, que falhou”. 

    • Artur

      Renato Russo é uma copia escancarada de The smits com Joy Division , como naquele tempo não havia internet , todo mundo achou que ele era gênio ,  não vejo genialidade em uma cópia.

      Ele teve seus meritos em tentar transcrever e popularizar para o Brasil a obra dessas bandas , mas a mim nunca fui comovido por essa arte politicamente correta e que não sabe transgredir, não sabe chocar a plateia , faze-la pensar , e agir , são musicas que podem até emocionar os mais sensiveis e manipulaveis , mas eles continuam na mesma: alienados e se considerando pseudo intelectuais.

       ha 30 anos cantam que pais é esse , e a 30 anos essa musica não mudou em nada o cenário politico ,  banda de rock de verdade são aquelas que transgridem , que fazem as pessoas pensarem , que fazem elas desafiarem os limites impostos pela alienação , não qualquer homem sensivel cantando suas frustrações em letrinahs poeticas e politicamente corretas.

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        a maior mudança que “Que País É Esse” causou na minha vida foi… foi… foi qual mesmo?

      • http://www.facebook.com/marcelo.delphi Marcelo R. Rodrigues

        banda de rock de verdade são aquelas que transgridem , que fazem as
        pessoas pensarem , que fazem elas desafiarem os limites impostos pela
        alienação

         .
        Putzzzzzz, então Rolling Stones não é rock de verdade?

      • artur

        Rolling Stone é uma banda transgressora da sua época , não são cópia de ninguém , e sem dúvidas influenciaram várias gerações, é diferente de legião urbana, se você perguntar qual banda a legião urbana influenciou vai achar só Catedral banda gospel péssima. Só alguém bem conservador pra gostar das letras do renato russo como os evangélicos.

      • http://www.facebook.com/luane.souza Luane Souza

         Quais bandas de ”rock de verdade” fez isso?

    • artur

      banda de rock com rg de Brasilia só existe Raimundos , não é porque algumas bandas usam esse rotulo de banda de brasilia que representam de fato a cultura local .

      O raimundos sim representa as misturas e o linguajar popular da cidade , renato russo nem nasceu aqui , era só mais um dos que tomavam drogas e ficavam morgando na UNB .

      Tanto que a musica Faroeste caboclo tem várias inverdades sobre a cidade pra quem conhece realmente , o objetivo do Renatinho era alienar e ganhar grana , não necessáriamente fazer arte.

    • Jos_El

      As pessoas lembram da depressão e esquecem de Eduardo e Mônica, de O Mundo Anda tão Complicado e de outras.

    • http://www.facebook.com/jonnatan.alvesmarinho Jonnatan Alves Marinho

      Esse pensamento de que bandas melhores existem não pode ser visto como se o Legião fosse uma banda superestimada; acontece que vamos mudando e nossa visão de música vai se aprimorando (isso é natural). Independente de um ou de outro gostar ou não, o Legião é e sempre será a melhor banda que aconteceu no Brasil. Se fosse julgar somente parâmetros técnicos quase não existiria música por aqui. Acontece que o Legião era muito mais que falsetes, distorções ou conhecimentos de escola; Renato tinha muita voz; muita presença de palco; tinha tudo sobrando.
      Se você quer ser músico, qualquer escolinha te cobra 200 pila por mês pra aprender algum instrumento; mas para ser uma banda de verdade não há lugar no mundo que ensine.
      E criticar o Wagner pela performance no palco é bem próprio de quem não entendeu o espírito da coisa.

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        “Legião é e sempre será a melhor banda que aconteceu no Brasil” – vou parafrasear Raul depois dessa: pare o mundo que eu quero descer!

      • Victor

        Cara, eu não sei o que as pessoas veem na porra do Raul Seixas, você fala de um cara que foi fortemente influenciado pela cultura americana.Tudo bem que aqui a questão é gosto, mas po, dai você falar: ”
        a maior mudança que “Que País É Esse” causou na minha vida foi… foi… foi qual mesmo?”, porque pra mim, a porra da mosca ainda tá na sopa e nada vai mudar isso.Você foi influenciado por um tipo musical especifico(no seu caso raul e outras bandas), e as outras pessoas pelo Renato, não existe comparação nisso, é questão de gosto. Cara, o mundo inteiro tá puto com essa alienação que está sendo feita pela mídia, sinceramente esse não é o melhor momento pra ficar comparando Raul com Renato, eles e outras bandas fizeram do rock o que ele era até uns tempos atrás. Hoje em dia a mídia só dá abertura pras Valescas popozudas e a casa do caralho. Se você fosse rockeiro que nem você mostra sutilmente, você aceitaria o fato de que Raul, Renato, Jimmi Hendrix, Freddie Mercury, Eric Clapton e tantos outros, não tão ligando se “os instrumentos estão afinados ou desafinados” ou se você prefere um deles só, e única coisa que eu vejo que esses grandes músicos tinham em mente, era mostrar pra geração deles e a futura que você pode ser uma pessoa melhor, que você pode se apaixonar, e ter fé nas coisas.
        Gosto musical é que nem cu, cada um tem o seu.

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        “você fala de um cara que foi fortemente influenciado pela cultura americana” – Joy Division e afins mandam um beijo pro Renato!

  • http://www.facebook.com/vanessachristalina Vanessa Christallina

    Afff, começou fazendo uma critica até com nexo, depois virou uma rasgação de seda chata pra caramba!

  • http://www.facebook.com/anderson.ramos.carneiro Anderson Carneiro

    Legiao é uma banda de musicas simples, pegajosas e de sucesso. Assim como os Beatles.

    Mas o que mais me irrita é que TODO MUNDO canta… qualquer rodinha ja aparecem todos aqueles fãs cantando aquelas musicas enjoadas.

    Mas vem ca, a galera que curtia legiao seriam os emos daqueles tempos?

    • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

      NUNCA, repito novamente – NUNCA, diga que Legião é como Beatles. Sério. Quase chorei em posição fetal quando li isso! =P

      Beatles é simples. Legião é tosco.

      • Fsnfjkds

        e vc eh um idiota q se acha alguma coisa.
        nao sou fã mas ver um cara falar uma idiotice dessas… nao aguentei.

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        grato pelo idiota. emoldurei e pus em um quadro!

      • http://www.facebook.com/jcnaweb Júlio César

        Meu Deus. Geová perdoa esta alma.
        Beatles era simples no começo da carreira, e como o colega falou, não tosco.
        (Se bem que Obladiobladá…pela ponte que te pariu…)
        Mas vai pegar os álbums seguintes e me diz onde tá o simples.

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        Beatles é simples, @facebook-536129009:disqus ! Extremamente bem arranjado, executado e composto, mas bem simples.

        E Obladi Oblada pode ser ridículo, não tosco! hahaha

      • http://www.facebook.com/joaoantonio.guerra João Antonio Guerra

        simples não é simplório, senhor. há poucas coisas mais simples e sagradas que blackbird.

      • http://www.facebook.com/anderson.ramos.carneiro Anderson Carneiro

         Continuo afirmando que beatles é simples e por isso fez tanto sucesso. Isso não é demérito, é a causa do fenomeno. Nao se ofenda.

      • Carlosmaia

        Ok Ludwig  Van Beethoven, onde podemos ouvir sua obra prima  musical?

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        breve em um algum pub de BH! e por favor, não me compare com Beethoven: há gênios e há mortais. se um dia na vida eu sonhasse compor um compasso da 10ª Sinfonia, morreria feliz por demais!

      • http://www.facebook.com/people/Lucas-Fonseca-Lage/1076838765 Lucas Fonseca Lage

        Comparando com a fase do yeah yeah yeah dos Beatles, nem Justin BIeber e Restart ficam devendo pra eles, por favor é

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        ok! então ponha Justin Bieber e Restart pra gravar EM MONO COM UM ÚNICO MICROFONE NO ESTÚDIO. depois, compare os resultados… sem pro-tools esses caras ficam devendo (e MUITO) aos Beatles! temos que lembrar que quando os Beatles lançaram o Abbey Road em oito canais, algo inédito até então…

        hoje você pode gravar em oito canais em casa (Restart e Justin Bieber então, tem incontáveis canais a disposição)!

      • Felipe Cardoso


         Quase chorei em posição fetal quando li isso! =P ”

        E o legião que é Emo né? aham senta lá Claudia…

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        entre chorar em posição fetal e compor “Será” e ser intitulado poeta universal de todos os tempos amém, achei a primeira opção bem mais digna! rá! ;)

      • http://www.facebook.com/anderson.ramos.carneiro Anderson Carneiro

        Volto a repetir: Beatles e Legiao são semelhantes no que citei, fizeram
        sucesso, sao musicas pegajosas e SIMPLES DEMAIS. Uma música ou outra vai
        destoar, mas na média é isso aí. E pode chorar em posição fetal, nao
        sei pq se ofender com isso.

        Beatles é simples, legião também, e tosquice é o que vc acha.

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        Beatles é simples, nunca disse o contrário. E sendo tosquice, de acordo com o dicionário, algo malfeito, malacabado, Legião Urbana é tosco SIM! Ou uma música com guitarras desafinadas é bem feita? Acho que não!

      • http://www.facebook.com/people/Lucas-Fonseca-Lage/1076838765 Lucas Fonseca Lage

        Não interessa isso, cada um com a tecnologia de sua época.
        Não disse que os Beatles são ruins, mas a fase Yeah Yeah Yeah não é diferente de nada que se vê hoje, Beatles foi o primeiro grupo com um marketing nos moldes do de hoje, só que chegaram em um ponto, mais ou menos no lançamento do Revolver, que decidiram mandar tudo pra puta que pariu e começaram a criar eles mesmos, sem todas a produção da época….

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        Eu sou fã confesso dos Beatles, gosto pra caralho mesmo, mas dificilmente ouço os álbuns pré Rubber Soul. Incoerência, mas acho Jovem Guarda demais (mesmo sabendo que foram os Beatles os traduzidos)…

    • #biareis

      Gosto do Legião e dos Beatles.
      Gosto do Legião sabendo que é MÚSICA RUIM.
      Eu também quase chorei em posição fetal quando li isso.
      Estudei violão clássico num Conservatório, e terapeuticamente vai ser bom pra você escutar o Sargent Peppers.

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        sensacional! primeiro pelo comentário em si. mas mais ainda por saber diferenciar o “o que eu gosto” de bom/ruim!!

      • http://www.facebook.com/anderson.ramos.carneiro Anderson Carneiro

        Caraca… Beatles e Legiao são semelhantes no que citei, fizeram sucesso, sao musicas pegajosas e SIMPLES DEMAIS. Uma música ou outra vai destoar, mas na média é isso aí. E pode chorar em posição fetal, nao sei pq se ofender com isso.

      • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

        ah, em tempo: simples demais é extremamente relativo. tem muita coisa muito cabeluda dos Beatles (muita coisa mesmo), mas que a fluência que é tocado faz parecer bem simplório.

  • Marcelballoni

    Renato Russo não era só isso. Não era so tristeza e solidão, era um rebelde que soube, em poucas palavras, atacar a corrupção e o mundo capitalista desde aqueles tempos. Infelizmente alguns desenvolvem fraquesas por uma simples musica por interpreta-las diferente do compositor.
    Renato falava o que a juventude na época queria dizer e não sabia como.
    As bandas de hj, digamos que da mesma vertente, não trás mensagem alguma.
    Isso sim é um problema futuro.

    • Spy vs Spy

      Cara, concordo em 100% do que vc disse!

    • http://www.facebook.com/yasmin.scofield.5 Yasmin Scofield

      Falou tudo.

      • Beatriz Lelis Pacheco

        Foi exatamente o que ela disse. Com a sutileza da sua ironia. Foi um texto completo de elogios. Ele educou uma geração com o coração,.

  • Giliotijunior

    Interessante visão e concordo…haja Rivotril rsrsrs… mas vou levar este tributo na boa, como uma homenagem de um fã para a banda, para Renato Russo… E daí que ele não era um tenor…era um fã representando milhares, cantando com paixão…
    Agora, se duvido que Renato Russo se contorceu no túmulo devido à voz de Wagner Moura,a mesma certeza não tenho se ele convulsionou ao escutar os gritos da platéia de “capitão, capitão…” fazendo referência ao personagem que consolidou Wagner Moura como nome de destaque no cinema nacional e internacional: o Capitão Nascimento. Os “não moradores” de morros cariocas enalteceram seu herói nacional…menos na minha visão…e na de Renato Russo também…

  • http://www.facebook.com/people/Johan-Peter-Kilpp/1310660443 Johan Peter Kilpp

    De todo esse bla bla bla da Luciana, a unica coisa q tirei de boa desse texto foi o comentário do Vinícius

    “Renato Russo = Pai dos Emos” hahaha

  • Faby Siqueira

    Curto a maioria dos textos do PDH porém esse foi froids ;x Comentário de nada com coisa nenhuma que resultou em qualquer coisa tem significado.

    • http://www.facebook.com/luane.souza Luane Souza

       Acho que, assim como Wagner (péssimo cantor) fez um show (ruim) como um fã reverenciando seus ídolos, o texto foi pela mesma vertente.

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100000104077969 Guilherme Casimiro

    Eu estava lá e aplaudo o Wagner pelo o que ele fez lá em cima.
    Que se foda que ele desafinou, que deu merda com o microfone ou o que seja.

    Ele estava lá naquele palco de corpo, mente e alma.
    Do caralho, sério.

  • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

    palhaçadas (de minha parte) a sério: eu até tentei assistir. Mas na boa, guitarra desafinada é falta de respeito com o público… E isso foi o menor dos problemas!

  • http://www.facebook.com/onedreh André Santos

    eu assisti o making off tb, ficou massa.

  • LuizZamboni

    Não entendi ao que veio o artigo, Renato foi o autor de músicas belíssimas de ternura,  ”Quem inventou o amor” , Monte Castelo, Pais e Filhos, 

    Aliás, em Pais e Filhos, o eu-lírico não coloca as culpas nos pais, pelo contrário ele diz, “vc, culpa seus pais por tudo, isso é um absurdo, eles são crianças como você”…rs

    • http://www.facebook.com/people/Renan-Junqueira/100002632243996 Renan Junqueira

      exaaaaatamente!!! a culpa é do “eu” por culpar os pais!!! (uffa alguem disse isso antes que eu o fizesse)

    • Anony.

      Pois é! “Você diz que seus pais não lhe entendem, mas você não entende seus pais”.

  • http://www.facebook.com/people/Edson-Maruyama-Diniz/100000197168023 Edson Maruyama Diniz

    Luciana, acho que você não vai gostar do show (faço votos que goste demais).
    Não estava presente, assim como você, também assisti pela TV.
    A princípio fiquei empolgadaço com a proposta; assisti o making off e a programação da MTV, mas logo na primeira música do show, me decepcionei.  Pior, pensei que eu, Edson, que só cantou no chuveiro, karaokê e Rock Band, poderia fazer melhor.
    Andrea Doria é uma das melhores músicas, mas com Wagner Moura foi dispensável. Quase sem querer foi outro exemplo.
    Creio que alimentei o monstro da expectativa. Talvez a Legião seja algo que não possa ser mexido, algo que devamos revisitar constantemente e sempre com a mesma nostalgia e idolatria. O show em si foi um tributo, nada mais. Não culpo o Wagner Moura, ele não estava  lá para substituir o Renato Russo, estava apenas para prestar uma homenagem a um dos melhores músicos brasileiros.
    De volta às músicas antigas no Ipod.

    • http://www.facebook.com/people/Renan-Junqueira/100002632243996 Renan Junqueira

      realmente, a verdade é que Wagner Moura é MUITO BOM.. ator!!
      mas admiro MUITO o que ele fez!
      é uma coisa que passou em um dos comerciais da MTV,
      “daí o cara te liga e te diz, oi aqui é da MTV, voce aceita fazer um show com a legião urbana?” que fã(como wagner moura é) não aceitaria??
      eu vi o show da seguinte forma: pegaram um fã e colocaram pra cantar junto com os caras, PONTO.
      Subtituir.. ninguem NUNCA vai substituir.. 

  • http://www.facebook.com/people/Rafael-Batalha/100000884425083 Rafael Batalha

    Coisa linda!!!

    wagner caminha pra se tornar o artista brasileiro do século!!

  • http://www.facebook.com/schulte.joaovitor João Vitor Schulte

    Excelente, das memórias mais distantes que eu tenho da minha vida, uma delas era ficar sentado no chão de frente para o aparelho de som com fones maiores que minha cabeça ouvindo os cd’s da Legião que meu pai tinha na época, isso com meus 3, 4 anos de idade. Além da Legião, ouvia Queem, Information Society e Eric Calpton também, mas Legião tinha músicas com partes que eu não podia cantar,  mesmo sem entender o motivo não podia falar do general de 10 estrelas que fica atrás da mesa com o cu na mão e não podia xingar o Jeremias de filho da puta sem vergonha. Quando o Renato morreu eu me lembro de ter chorado bastante depois que descobri que minha mãe não estava me sacaneando quando me contou, a primeira coleção que eu tive na vida foram os todos os álbuns da legião originais, claro, a maioria remasterizado, mas eu tinha. Hoje o Renato deixa muitas saudades, Sobre o Wagner Moura, o cara é um fã, vi muitos idiotas postando que ele cantava mal, que era desafinado ou errava as letras, Pra mim ele desempenhou muito bem seu papel, fez sua parte, imagino o quanto ele não estava nervoso, por estar ali no lugar de uma pessoa que ele admira muito tendo que substituí-lo para uma legião de fãs com a expectativa  lá em cima para saber como aquilo tudo seria, uma Legião esperando pra saber se poderiam matar um pouco que fosse da saudade deixada pelo seu líder.  Viva Renato, Viva Legião, e Viva Wagner Moura que nos proporcionou um belíssimo show onde por muitas vezes dava pra sentir sua voz embargada pela emoção.

  • Marcos Augusto Nunes

    Legião Urbana é existencialismo pueril, crítica social juvenil, música infantil e autoajuda senil. Tudo de bom.

    • http://www.facebook.com/joaoantonio.guerra João Antonio Guerra

      porra, perfeito. hahahhaah

  • http://12mesesdeleitura.wordpress.com/ Patrícia Bedin

    Calma Luciana, tudo está perdido mais existem possibilidades, exceto pra afinação do Wagner Moura…

  • http://www.facebook.com/people/Mari-Dias/100001311764887 Mari Dias

    Não achei justo o preço cobrado pelos fãs em relação ao Wagner. Achei apenas a homenagem válida. Já sobre o texto, acho que todos somos vítimas e vilões do nosso tempo. Vivemos uma eterna nostalgia do passado melhor.

    ” Viveremos entre monstros da nossa própria criação “

  • Paiva Maria

    Luciana, parabéns pelo texto…achei criativo e não liga para essa galera de hoje que tem como “profissão” reclamar, reclamar, reclamar…tudo é ruim, tudo é chato, ninguém presta. Engraça que é bem difícil ver o nome de algum desses estampado por ai como manchete de algo bom, considerável!

    Não sou uma fã de Legião fanática, mas achei muito válido o tributo. Era a união de fãs com alguns integrantes da banda. Foi o Wagner Moura cantando, mas poderia ser qq um. O importante era cantar com todo o tesão aquelas letras que algum dia foram muito mais que letras para alguns, significaram explicações, desabafos e declarações de amor. E eu que há muito não ouvia Legião, assisti pela TV, cantei todas as músicas e procurei meu CD para ouvir hoje no carro…e sem Rivotril!kkkk

  • Maiagaby

    Me emocionei do começo ao fim!!! Me arrepiei e cantei em alto e bom som,tdas aquelas musicas q fizeram parte da minha infancia-adolescencia e ainda tive o prazer de fazer isso ao lado do meu pai ,q foi quem me presentou TDOS os LPs do legião.
    Wagner Moura não estava ali para ser o Grande sucessor do Renato, ele nunca teve essa pretensão e dividiu isso com tdo mundo ,ele tava ali como um fã q recebeu o presente de representar tdos os fãs. e eu como tal fiquei muito felizzzz de viver aquele momento junto dele.

  • Fillipe-carvalho

    Obrigado Renato por eu ser o que sou hoje!

  • Ademir V. Caetano Junior

    Prefiro Cazuza!

    Música tem que ser pra cima, tem que fazer você gritar, sorrir e não te enterrar numa depressão!
    Lógico que uma ou outra, tudo bem, más todas? rs.
    Gosto do Legião, mas não passa no teste dos 14, 17 anos.

    E chega de saudosismo, Bandas acabam.
    Existe bandas novas que são ótimas e que devemos da valor(não falo de tchu ou tcha), só assim para nascer novas bandas comparável a Barão, Paralamas, titans, etc, pois se continuarmos deixando para os adolescentes escolher as bandas que se devem estar estampadas em revistas, jornais, MTVs, etc. continuaremos a não ter mais que Restarts da vida.

  • Breno Tiki

    Não entendo esse odiozinho com a Legião… Legião tá longe de ser uma banda que eu gosto ,mas quem faz tempo que não tem uma banda-ressaca de qualidade no cenário nacional.
    E se a geração da Legião vive a base de Rivotril a nossa vive a base de Ritalina

  • Zugrillo

    Há 20 anos cortejando a insanidade. Concordo, não é mole. Gente chata, é claro que é apenas um lado da coisa, o lado que sangra, o que em mim também gritou ontem, o lado gritado e pouco afinado de Wagner Moura, que pra mim foi lindo, um fã pra quem deram um microfone, eramos nós e não o Renato. Corajosamente lindo. Assim como o texto dessa doida aí, que admite ter as rédeas de um cavalo manco nas mãos, a própria vida. Dentre tantas outras coisas, Renato nos ensinou a sangrar pra ser franco, o problema é fazer parar ,… e ele soube? Nossas referencias não tem finais felizes, mas ao menos não maquiaram a vida … rabiscaram o horizonte.

  • http://www.flickr.com/llsalive Leonardo Soares

    Renato era uma pessoa que queria expôr seus sentimentos, sejam eles felizes ou tristes. Muito se identificaram, e muitos odiaram. E a música foi a forma escolhida por ele e pelos demais. Se pra qualquer pessoa aqui “música” só pode ser feita com de maneira complexa ou com técnica e execução impecáveis, é uma pena que esta pessoa se limite tanto. Música pode ser feita de muitas maneiras, inclusive de “qualquer jeito”. Mas, detalhes à parte, qualquer pessoa que cante (ou declame ou escreva ou fotografe ou mesmo pense) sobre o que sente de maneira tão franca merece, no mínimo, meu respeito. Acho uma pena que a banda tenha acabado tão cedo, seria interessante ver como evoluiriam musicalmente com tanta mudança que teve no mundo de 20 anos pra cá.

    Sobre o tributo, não fiquei muito curioso, mas também não vejo problemas. Seja com o Wagner Moura, seja com o Zé da esquina. Tributo é pra isso mesmo, pra relembrar e celebrar. 

  • http://profile.yahoo.com/YLPTAJ3QXEIAFHI2VTQ3SICYN4 Renata

    Alguns erros aí no texto. “A Via Láctea” foi single de lançamento do “A Tempestade” EM 2006, dias antes da morte do Renato. O hit, porém, estava estourado nas rádios antes do lançamento do disco.

  • Marcosstavaress

    Não vejo tanta importância em debater mais um marketing cata-níquel do cinema tupiniquim, até porque isso não vai dar em nada. Muitos fãs, certamente irão aos cinemas em busca de algo que ainda não sabem ou porque o estoque de revotril está baixo. O cinema vai agradecer quando filmes deste quilate, estiverem apenas no NETFLIX, mas como toda forma de amar é poesia, tem o lado que toca e emociona quando ouvimos os lamentos de Renato Russo. Que venha o próximo , porque eu quero tchu, eu quero tcha….    

  • Marcosstavaress

    Não vejo tanta importância em debater mais um marketing cata-níquel do cinema tupiniquim, até porque isso não vai dar em nada. Muitos fãs, certamente irão aos cinemas em busca de algo que ainda não sabem ou porque o estoque de revotril está baixo. O cinema vai agradecer quando filmes deste quilate, estiverem apenas no NETFLIX, mas como toda forma de amar é poesia, tem o lado que toca e emociona quando ouvimos os lamentos de Renato Russo. Que venha o próximo , porque eu quero tchu, eu quero tcha….    

  • Marcosstavaress

    Não vejo tanta importância em debater mais um marketing cata-níquel do cinema tupiniquim, até porque isso não vai dar em nada. Muitos fãs, certamente irão aos cinemas em busca de algo que ainda não sabem ou porque o estoque de revotril está baixo. O cinema vai agradecer quando filmes deste quilate, estiverem apenas no NETFLIX, mas como toda forma de amar é poesia, tem o lado que toca e emociona quando ouvimos os lamentos de Renato Russo. Que venha o próximo , porque eu quero tchu, eu quero tcha….    

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=1519735204 Kalil Fagundes

    Renato Russo mostrou sua arte, mesmo que tenha como principal assunto a tristeza, e, como poucos podem ver, a esperança. Kurt Cobain mostrou sua arte, que também tinha como assunto de muitas músicas tristeza. Joy Division nem se fala. Se a gente esperasse das pessoas só felicidade, boas bandas e grandes albums deixariam de existir.
    Além disso, deixo claro: a única obrigação de qualquer artista é mostrar sua arte. Absorver essa arte, ou não, é uma escolha pessoal e que vai de cada pessoa que a aprecia. Se Renato Russo falou sobre depressão, pessoas se cortando, desesperança, é porque isso existia. É porque ele vivia isso e/ou sentia isso. As pessoas tem problemas. Ou alguém realmente acha que todo mundo vive em um mundo cor-de-rosa? 
    Mas, enquanto isso não muda, a gente continua vivendo essa ditadura da felicidade na arte (que já deveria ter acabado faz tempo).
    p.s. Colocar Renato Russo como personificação da tristeza é esquecer do passado dele no Aborto Elétrico, uma das únicas bandas punks boas que o Brasil teve. 

  • http://twitter.com/gui_barreiro Guilherme Barreiro

    Cara, eu tenho uma confissão a fazer: Também achoo Legião superestimado.

    Também acho o Rock Nacional dos anos 80 também superestimado. Legião, Capital Inicial, Titãs, Cazuza, Paralamas do Sucesso, todas bandas cujos integrantes eram filhos de uma elite política e econômica, ficavam gritando suas “injustiças” depois de um bom leite com Pêra e docingos caramelados da vovó.

    Quer um exemplo? Cazuza, apesar de gênio e poeta, era insuportável e arrogante. Dinho Ouro Preto, sim aquele que gritou “Fora Sarney” em um festival, é filho de um amigão do próprio Rei do Maranhão!

    Pra mim a era mais madura do Rock Nacional são os anos 90. Raimundos, Skank, Pato Fu e Sepultura são bons exponenciais dessa época.

  • Juliana

    Não conhecia. Disse tudo. Adorei e voltarei muitas vezes. Bjo

  • Spy vs Spy

    Vinícius Marçall Muito fácil pegar algo que vc n gosta e bater doído como vc tá fazendo. Diz ae o que tú curte que vou cair de pau também com fortes argumentos. Questão de gosto cara.
    Legião não é só depressão e rivotril. Marcelballoni resumiu isso de forma interessante.
    Mesma coisa pedir pra alguém que curte Restart hj fazer um texto sobre eles, vc vai morrer ao ler.Grande parte de fãs e pessoas daquela época não se importavam ou não se importam com afinação de guitarra e sim com o que a letra traduzia.Eu por exemplo não vejo graça em Beatles…Agora vc vai morrer com o que vou dizer: Beatles e Restart pra mim são a mesma merda! Só vejo uns afrescalhados com guitarra na mão e penteado escroto deixando um monte de doentes mentais de calcinha molhada. Mais nada!Quando se quer instrumento bem afinado, guitarra bem tocada e etc, podemos parar pra ver Yamandu Costa, Eric Clapton e etc.Gosto é igual nariz. Cada um tem o seu mano! Vc deve ser músico. Por isso suas duras críticas aos instrumentos não afinados como vc gostaria.Respeito sua opinião mas n concordo com ela. Paciência né? rsE viva a Legião Urbana!Abraço

    • Dado Teles

      Bitous, a primeira banda Emo da história!

    • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

      Não, meu caro! Eu também consigo bater (e muito) em coisas que gosto: Nirvana ou até mesmo Beatles que o digam. E sei péssimas coisas a respeito deles! hahaha

      Sim, sou músico. Inclusive, peguei o fim de Legião Urbana vivo (sou de 1988), não sou tão posterior à geração assim. Tem muita coisa que eu gosto bastante vindos dos “tenebrosos” anos 80. Além de achar ruim, eu acho desrespeitoso com o público o nível de apresentação deles (assim como também acho das apresentações do Nirvana).

      e NÃO viva Legião Urbana! hahaha
      Abração

    • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

      ps.: choro desesperadamente em posição fetal pela comparação Beatles / Restart! auhahuahuahuahua

  • http://www.facebook.com/people/Carla-Rodrigues/1014618676 Carla Rodrigues

    Eu me arrepiei ao ler esse texto!!!!

    Me sinto musicalmente orfã…. Nunca mais encontrei ninguém que falasse tão bem sobre mim alheio a minha vida!!!!

    Lindo texto. Parabéns!

  • http://www.facebook.com/pedromiotto Pedro Miotto Federico

    Luciana, não acompanhei de tão perto assim Renato e a Legião – dessa vez, culpa dos anos que demoraram pra me deixar vir ao mundo e fizeram não dar tempo. Mas sei lá, cara. Deu vontade de chorar com esse texto. Vai se foder. :)

    Lindo.

    • Luciana Bugni

       hahaha, obrigada.

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100001683998983 Ana Ribeiro

    Pra quem conhece as músicas, em cada frase tocou uma música (:

  • Luciana Bugni

    Pois então. Arte é assim mesmo, é do jeito que bate em cada um. Tem gente que quer tchu, tem gente que quer tcha, tem gente que deixou que esses três acordes ditassem regras e enchessem as nossas adolescências de ternura. Eu deixei e foi assim que o texto saiu. Eu acho bonito se deixar enternecer. A interpretação do Wagner ontem foi sofrível, o som daquela casa de shows é muito ruim  e mesmo assim ele fez tudo aquilo com uma dignidade e tanta verdade que me comoveu. Ele é um fã. Quando a gente fala do que nos toca, a qualidade realmente fica pra segundo plano. Assim é. Não é bacana? PS: Piuí, teu comentário é adorável, vou emoldurar. 

  • Gabriel_oliveiraking

    Um pequeno erro: A Tempestade foi lançado em 1996 com Renato Russo ainda vivo, de fato alguns meses antes de morrer. 

  • http://www.facebook.com/pauloroberto.elias Paulo Roberto Elias

    Bem escrito o texto e sempre sou a favor de opiniões diversas, o debate é saudável…mas como também tenho direito de expor a minha, achei de extremo mal gosto, apelativo e invejoso

  • Isaac Aubert

    Muito bom Luciana! Gostei dessa sua criatividade misturada com sentimentalismo – texto cheio de feeling esse!

  • Aldo

    Luciana, se der. depois conta pra gente como foi o show. ?

    Eu ouvi muito renato e legião, mas passei a ouvir bem menos com a passar dos anos (e da idade), comecei a ouvir outras coisas e hoje em dia me interessa pouco.

    Sinceramente, acho esses tributos saudosistas ao renato muito chato, ” meio demodê”. Porque ninguém faz  tributo ao cazuza ou á cássia eller? E as músicas do cazuza são bem mais atuais.

  • http://www.facebook.com/cinthiarcos Cinthia Arcos Leite

    Luciana, Parabéns pelo texto!

  • http://twitter.com/brmarcioleite Márcio Leite

    Legião Urbana é uma banda de extremos: ou é adorada ou é odiada. Raramente alguém diz: “ah tá, ouço”. Independente de gostar ou não, se o tributo é um caça-níquéis ou não, o lance é que um tributo é para quem realmente é fã e quer celebrar o que curte.

    E mesmo se estivesse o Bono Vox com um português fluente ou o Jerry Adriani cantando com o mesmo timbre do Renato Russo (ou será que é o contrário ?), haveriam reclamações e adorações.

  • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

    tô dando risada dos comentários. daqui a pouco vão me chamar de bobo, feio e chato! beijos pra vocês todos que argumentam como quem está no pré-primário! eu vos amo!

  • http://www.facebook.com/marcelo.delphi Marcelo R. Rodrigues

    Quem não viu isso aqui tá perdendo:
    .
    http://renatoerachato.tumblr.com/

  • Maicon Sobczak

    Belo texto. Principalmente esta parte: ” A gente precisou do líder sentimental na adolescência. E agora, precisamos mesmo é de culpados. Sinto muito.”

  • Fernando

    Cara.. a lógica é muito simples.

    Renato Russo transformou uma geração em futuros deprimidos.
    E aqueles que o odiavam ou não o suportavam, conseguem ser ainda mais infelizes, apenas pelo fato de não conseguirem expressar seus sentimentos. Dá medo né?

    Quem sabe eles precisem ouvir “não se reprima.. não se reprima…”

    • http://www.facebook.com/marcelo.delphi Marcelo R. Rodrigues

       Só uma geração? heheheheh

  • Fernando

    Aliás.. o show foi do caralho.
    Eles podiam estar desafinados, sem ritmo, o Wagner Moura como cantor é um ótimo capitão Nascimento, mas não teve nenhuma máscara.

    E querendo ou não.. hoje em dia isso é minoria.

  • Cassio Ruggeri Cons

    Uma das maiores culpas do Renato foi ter escrito que “o ‘pra sempre’ sempre acaba”, dando brecha e frase clichê pra todo mundo se sentir bem ao terminar um relacionamento 2 minutos depois de dizer “esse amor é pra sempre”.

  • Alex Cinotti

    merda por merda é melhor q tchu e tcha e michel teló………só

  • http://www.cafecomamigos.com.br Cristiano Vieira

    Essa briga de comadres aqui me deixou tonto. Vou escutar Raul e volto depois, se eu ficar Maluco sem Beleza.

  • Caio Lins

    legião é um lixo mas essa mina tem uma cara de safada

  • Smoothvtc

    que lindo seu texto

    to emocionado

  • http://www.facebook.com/people/Álvaro-Ferreira/100001626649544 Álvaro Ferreira

    Há coisas que te marcam…quase sem querer.

  • http://www.facebook.com/renan.aryel Renan Aryel

    de onde você tirou texto??

    que coisa mais nada ver, Renato Russo é um ídolo eterno do Rock Nacional,vai procurar um psicologo se ta difícil a sua vida.

  • Buffa

    Legião foi, ainda que não tivesse esta pretensão, o porta voz de uma juventude bem diferente da de hoje. Seu som conseguia ser cru sem ser seco, ser poético sem ser MPB, manter-se na mídia sem ser apelativo e, o que é o melhor: falar de amor sem ser piegas, falar de protesto sem ser panfletário. Dessa combinação agridoce, é óbvio que tinhamos desde o ska alegrinho de “Depois do começo” à inquieta e angustiante “Tempo perdido”, passando pela bem humorada e bem sacada “Eduardo e Mônica”. Hoje, nesse fast food cultural onde quem não é apelativo quer ser modernete ou culturete, faltam Renatos Russos em todos os lugares  desses anos 10 chatíssimos.

  • Leonardo

    Gênia

  • Brunowjr

    Achei sacanagem com o Renato Russo essa “homenagem” que fizeram.
    O Wagner Moura queimou o filme, não se preocupou minimamente em tomar uma aulinha de canto para disfarçar a desafinação em todas as músicas.
    Achou que só na base da empolgação ia conseguir segurar a peteca…
    Se queriam fazer uma homenagem ao Legião, deveriam ter colocado pelo menos um cantor de verdade, não um ator. E se era para botar um ator, pelo menos ele deveria ter ido caracterizado como Renato Russo.
    É, o capitão nascimento assassinou o Renato Russo.

  • Eduardoalmieda_01

    Eu parabenizo o Wagner por enfrentar uma platéia cheia de fanáticos de Legião. Mas não gostei de um ator fazer uma homenagem de um porte sobre tributo. Se vai fazer um tributo, que chame um cantor de verdade pra fazer jus à banda que marcou na história do rock brasileiro.

    Legião Urbana merecia mais…

  • Claudio

    Não me importa saber se o legião salvou ou não a geração que o acompanhou. Legião não faz pate da minha epoca, não me interresso por suas musica e tão pouco tenho gosto por rock ou pop nacional. Me desculpa mas acho esssa discussão um tanto sem logica. é como querer dizer é a geração de hoje é pior daquela que cantou e curtiu o legião quando na verdade não é bem assim, pode ser que hoje não tenha tanta gente como naquela epoca que curte rock, pop e essas musicas de legião, cazuza. barão vermelho, etc… mas nem por isso pode ser dizer que hoje é a geração é pior do que a anterior.

  • Samuel Santos

    Claro que entendo e respeito quem não gosta de Legião, mas acredito que no país e na época pobre de espírito em que vivemos, há que se exaltar quem nos fornece um pouco de inteligência, sensibilidade, conteúdo, significado.

    Só por isso Renato Russo já é melhor que 99,99% dos músicos nacionais.

  • Sheila Benjamin

    Parabéns pelo belo texto! 

  • Pingback: Blog do Marcone » Legião Urbana & Wagner Moura, tudo a ver ou tempo perdido?

  • http://www.facebook.com/SanttosDiego Diego C. Santos

    Tudo o que sei é que nada sei, além de saber que o fato de não ouvirem Legião não mudou nada, apenas maquiou. ;D

  • Gabriel Lima

    Há um equívoco muito grande no início do texto, o albúm A Tempestade não foi lançado em 97 e sim em 96, com Renato Russo ainda vivo. Em 97 foi lançado o póstmo Uma Outra Estação. Mas de qualquer modo, a música A Via Láctea estava em A Tempestade, no livro “Renato Russo de A a Z” e no album Renato Russo Presente existem entrevistas onde o cantor fala sobre o álbum. 

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100003162080726 Renan Gonçalves de Souza

    Acho que meu cu só diz respeito a mim, embora o marketing possa ser interessante, principalmente depois do Rock in Rio de 1985. Penso que legião é algo meio demoníaco e que não se restringe, nem nunca se restringiu, a renato, dado, negreti ou bonfá. Sempre foi, e é, a galera. A massa, nunca antes tão bem trabalhada numa encruzilhada tupiniquim. Daí quando a turba partiu pro faroeste, possuiu o fã cantor, o outro falou: dadinho é o caralho, eu sou é o xerife. Interrompeu o coro e mandou todo mundo pro teorema que os pariu.

    1º Dado, sai daí meu querido.
    2º Adorei seu texto Luciana.

  • http://www.facebook.com/kysken Jota Kysken

    Perfeito, simplesmente perfeito.
    Só quem é realmente fã de Renato e sua Legião entende o que é sentir falta de alguém que nunca se conheceu.
    Eu e meus apenas 20 anos…

  • http://www.facebook.com/luane.souza Luane Souza

     E o que Dinho têm haver com as escolhas de amizades do pai? Você gosta, concorda e apoia todos os amigos de seus familiares? É você que os escolhe? Ser filho de político o descredencia a ser crítico por quê? Ele têm que sofrer na miséria pra ser do contra?

  • http://www.facebook.com/luane.souza Luane Souza

     O som, a afinação, o cantor, o palco (tamanho e posição em relação a platéia)… um tosco, e brega e tranparente, e emocionante… tão Legião que mais era impossível! (Não sou fã de Legião, apenas curto!)

  • Eduardo

    Gente, o texto já está pronto e assinado. Vão pregar pra parede porra!

  • http://www.facebook.com/people/Fernando-Bahia-Portela/100000718453789 Fernando Bahia Portela

    Renato mesmo disse em um de seus shows: “Aprendam esses 3 acordes e saberá tocar todas as músicas do Legião.” A questão não é a instrumentalidade da banda, mas sim o material musical que produziu. Renato, na minha opinião, foi um dos melhores letristas desse país. Soube abordar sobre os mais diversos âmbitos, sabendo, ao mesmo tempo, falar sobre o amor, sobre a política (ou melhor, politicagem), sobre a vida… Quanto aos que disseram algo em relação a sua melancolia, sua tristeza, depressão, eu entendo o lado de Renato. É difícil ter tanto embasamento, cultura, intelecto e criticidade e mostrar-se tácito, indiferente a tudo que estava em vigor no país. Renato compunha, cantava e sentia o que reproduzia. Não criava para vender, não se vendia para a mídia.Ele falava  o que queria falar, e não o que os outros queriam ouvir. O que aconteceu é que o que ele quis falar, fora também o que muita gente queria ouvir. E isso é tão verdade que, se não fosse, não estaríamos falando disso nesse momento.

  • Rafael

    Nossa, compararam Legião a Sex Pistols, Ramones, até BEATLES?

    Legião é sim, uma banda muito boa, melhor que a maioria de lixo que ouvimos hoje em dia, mas realmente é endeusada, colocada em um posto de intocável, praticamente o Chico Buarque do rock nacional.
    Mas convenhamos, se for questão de letra qualquer MPB é melhor Legião, instrumental então, nem se fala.
    Como músicos revoltosos só um disco do Titãs já é muito acima do que qualquer coisa que o Legião tenha feito: Cabeça de Dinossauro.
    Como letras de música de amor Engenheiros por exemplo segue uma linha bem parecida, e a crítica atualmente massacra os Engenheiros (apesar de eu não concordar e adorar Engenheiros, acho melhor que Legião inclusive).
    Se a proposta for fazer um Rock simples estilo Ramones (o que não é a proposta do Legião!) temos Ultraje: rock simples, inteligente e muito bem feito.
    Uma banda que segue a mesma proposta que Legião e é melhor em praticamente todos os aspectos é o Barão Vermelho.
    Portanto, ouçamos o Tributo e relembremos com saudosismo da adolescência, mas lembremos que já foi feito Rock nacional tão bom quanto.

  • Pingback: Tributo à Legião Urbana: a culpa é do Renato Russo | Mugango

  • Chriss

    Sinceramente… Acho que cada um tem a sua opinião. Mas achei o texto um pouco desrespeitoso com quem curte de verdade Legião. Renato Russo tinha uma excelente voz, e discordo de um comentário aqui, no qual disseram que Legião Não tinha musicalidade. (COMO ASSIM, NÃO TINHA MUSICALIDADE?????????) Fale sobre o que você conhece. Eu conheço Legião. GOSTO. ESCUTO. ADMIRO. Renato Russo era um rebelde sim, um rebelde que fazia lindas músicas, letras perfeitas, que ninguém, NINGUÉM nunca vai fazer algo parecido. Claro, gosto é gosto. Mas achei sinceramente desnecessário certos comentários e partes do artigo. Quer musicalidade maior e mais bonita que a da canção “longe do meu lado”???? Que classicismo perfeito o dessa música! Até mesmo o da canção “A via láctea”. O álbum “A Tempestade” foi o mais bonito na minha opinião. Lindo, apesar de triste. Então, fale apenas sobre o que você conhece. :)

  • adenilson

    renato foi um mito, ele só veio trazer coisas boas, as letras do cara é como a biblia sempre atualizadas, para seu governo tenta ouvir perfeiçao e reflete sobre ela tu vai entender oq ele quis dizer em todas as musicas q ele fez.. abçs.

  • Aristela

    Postagem de cinco meses atrás, li por curiosidade. Gostei, vim ler os comentários e me deu vontade de fechar a página nos primeiros 5 segundos…
    Eu acho que todos vocês que chegaram aqui com seus entendimentos sobre guitarras afinadas, músicas boas ou ruins de Brasília, a chatisse e esperteza do Renato ao se basear em bandas americanas e outros argumentos citados pelos senhores entendedores de música, devem perceber antes de tudo que o post foi para fãs da Legião e sobre isso. E também saber que educação geralmente se aprende antes de saber sequer falar o nome de qualquer cantor/banda que vocês gostam.
    Eu gosto de Legião Ubana, Beatles, Raul Seixas, Barão Vermelho e mais uma porção de bandas que vocês citaram aí, mas sabe o que é? Sábias pessoas que comentaram aqui dizendo “É QUESTÃO DE GOSTO!”, eu concordo plenamente com vocês, parabéns! Como o POLÊMICO Renato disse: O bom do rock é que não se aprende na escola! hahaha…

    É isso.

  • jonas

    acho que vc deve ser traumatizada com renato russo.como tirar alguém que já está no trono?vc quer jogar a culpa atual do uso do rivotril em cima dele(em alguém que já está morto) como se ele tivesse obrigado alguém a usar ou feito propaganda pra alguém usar.E só existia ele que usava drogas nos anos 80?a droga já existia antes dele fazer sucesso.se as ultimas canções dele foram tristes foram devido ao HIV que além de uma doença fisíca complica o psicológico.se isso ainda hoje é problema imagina nos anos 90,

  • Ulisses Ferreira

    Ironia e sarcasmo é pra quem entende. Só entende bem quem sabe ler…

  • Beatriz Lelis Pacheco

    Renato Russo era realmente O romântico incorrigível, um poeta carente, não como interpretaram erroneamente nos comentários abaixo: Tristeza e depressão.
    O artigo inteiro baseou-se nas letras de Renato, até para descrever seu cotidiano: ” E dos nossos pais, claro, que deixaram a gente trancado nos quartos por horas com aqueles disquinhos e a desculpa: “deixa as crianças, é só rock”. Nem rock era.” Tornou-se a personagem principal de “Pais e Filhos”, perfeito, realmente um artigo bem planejado. E as críticas, desculpem-me, mas o erro está na interpretação de vocês, não nas palavras desse texto.

  • Maycon Jhonatas

    Essa jornalista está com dor de cotovelo! O Renato era Poeta,
    Filósofo, Culto, Letrista, Cantor, Compositor, Pintor, Escritor,
    Arranjador,
    Músico de 6 Instrumentos: Piano/Violão/Teclado/Baixo/Gaita/Guitarra,

    Intérprete, Dançarino, Desenhista, Professor Poliglota em 4 idiomas,
    Produtor musical e até mesmo (jornalista aos 18 anos de idade) como essa
    mulher que sente dor nas entranhas feridas. Vá se foder mulher, o
    Renato sempre será o foda em tudo! Ele era completo e isso é
    indiscutível à sua genialidade artística, musical, e talento pessoal!

  • Maycon Jhonatas

    Essa jornalista que possa se dizer: ‘Luciana’ está com dor de cotovelo!

    O Renato era Poeta, Filósofo, Culto, Letrista, Cantor, Compositor,

    Pintor, Escritor, Arranjador, Músico de 6 Instrumentos:

    Piano/Violão/Teclado/Baixo/Gaita/Guitarra, Intérprete, Dançarino,

    Desenhista, Professor Poliglota em 4 idiomas,
    Produtor musical e até mesmo (jornalista aos 18 anos de idade) como essa
    mulher que sente dor nas entranhas feridas. Vá se foder mulher, o
    Renato sempre será o foda em tudo! Ele era completo e isso é
    indiscutível à sua genialidade artística, musical, e talento pessoal!

    O Renato Russo era um artista extremamente genial desde a infância.
    E
    não é radicalismo dizer que em parâmetros artísticos musicais e
    intelectuais ele não se compara com Michael Jackson – Já que os dois
    gênios eram completos musicalmente e artisticamente.

Papo de homem recomenda

Assine o Papo de homem

Curta o PdH no Facebook
  • 5552 artigos
  • 662640 comentários
  • leitores online