Como testar o QI de uma pessoa com apenas uma pergunta?

Fabio Bracht

por
em às | Artigos e ensaios, Ciência e tecnologia, Mente e atitude


O QI é apenas uma característica de avaliação humana. Ele demonstra o Quociente de Inteligência geral, associada principalmente com capacidade de comunicação verbal e desenvoltura na execução de certos tipos de tarefa. Não mede alguns outros valores que podem ser desejáveis em uma pessoa, como paciência, ética, inteligência emocional, criatividade e habilidade social.

Mesmo assim, às vezes é bastante útil termos uma ideia do grau de inteligência de alguém. Seja em um processo de seleção para emprego ou mesmo, quem sabe, por que não, em uma festa – você valoriza a inteligência da pessoa com quem possivelmente irá para a cama daqui a pouco, não?

A boa notícia é que dá pra fazer isso bastante bem usando apenas uma pergunta:

“Você poderia me explicar, em 5 minutos, algo complicado e que você conheça bem?”

Existe um sistema de medição de inteligência reconhecido e utilizado no mundo inteiro, chamado WAIS – Wechsler Adult Intelligence Scale. Essa escala é tão confiável que serve como critério de admissão em boa parte das sociedades de indivíduos de inteligência extrema, como a Mensa e a Triple Nine (onde só entram pessoas que fazem parte do 1% de pessoas de maior QI do mundo).

O WAIS é dividido em vários subtestes, cada um medindo a capacidade humana em um aspecto diferente. A soma de todos esses subtestes é, atualmente, a maneira mais precisa de medir a inteligência geral de uma pessoa.

Mas é impossível para uma única pergunta abordar todos os aspectos do WAIS – eles cobrem de concentração aritmética a percepção espacial. Por isso a pergunta foca naquele que, entre todos os subtestes, tem peso ligeiramente maior: o de vocabulário.

Peso de cada subteste referente à avaliação de inteligência geral

O “grau em que uma pessoa aprendeu e consegue compreender e se expressar com palavras” é a definição de vocabulário do WAIS, e o aspecto de maior importância na medição de inteligência geral. Por pouco, quase empatado com alguns outros, mas ainda assim.

A pergunta acima é capaz de medir exatamente isso, e ainda tem ao menos duas vantagens:

  • O tempo estipulado de cinco minutos força a pessoa a realmente entrar em detalhes naquilo que está explicando, em vez de pegar a explicação mais curta e direta.
  • A própria natureza da pergunta faz com que a pessoa queira explicar algum assunto emocionalmente próximo. Algo pelo qual ela seja apaixonada. E a capacidade de ser apaixonado por algum assunto, ao menos na minha opinião pessoal, é praticamente tão importante em uma pessoa quanto a inteligência.

Sabe quem é fã dessa pergunta e a usa em suas entrevistas de emprego? Sergey Brin, um dos fundadores do Google. Se você fosse entrevistado por ele, provavelmente teria que respondê-la.

Cérebro

Vem cá que eu vou te explicar em cinco minutos como dominar o mundo

Falando nisso…

Como você responderia?

Agora que você conhece a pergunta, pode tentar fazê-la para algumas pessoas e observar as respostas. Ou, melhor ainda, pode tentar respondê-la.

Em clima de desafio entre amigos, sugiro: grave um vídeo de 5 minutos com você explicando alguma coisa, absolutamente qualquer coisa. Use sua webcam. Suba no YouTube e poste o link aqui nos comentários. O que será que você tem para nos explicar?

Ou então guarde para quando você for entrevistado por alguém que leu esse texto. ;)

Saiba mais (em inglês):
The most revealing job interview question
If you could only ask one question to determine the IQ (g) of a person, what would it be?
Relato do Brand Manager do Google sobre como foi a sua entrevista com Sergey Brin

Fabio Bracht

Toca guitarra e bateria, respira música, já mochilou pela Europa, conhece todos os memes, idolatra Jack White. Segue sendo um aprendiz de cara legal. [Facebook | Twitter]


Outros artigos escritos por


SEPARAMOS MAIS TEXTOS PARA VOCÊ CONTINUAR LENDO




O texto acima não representa a opinião do PapodeHomem. Conheça a visão e a essência por trás do que fazemos. Queremos uma discussão de alto nível. Antes de comentar, leia nossas boas práticas. Caso deseje enviar um texto e se tornar um autor, venha por aqui.


  • Luciana_Marques

    Caramba Fábio, muito bom!!!

    É um exercício fantástico de articulação, seleção de argumentos e concisão.Vou aplicar em meus alunos – kkk. Levarei esse texto como base! Claro, agora eu vou pensar em umas 3 coisas diferentes que caberiam nessa pergunta. Não posto aqui por 2 motivos: 1) timidez gigante; 2) não quero que seja usado “contra” mim. kkkk
    Poxa, ninguém aí do PdH animou, não? kkkk

    Abraços e obrigada ;)

  • Hudson Martins

    Não sou dos maiores fãs dos testes de QI, admito. Depois que passei a ler com mais afinco a Teoria das Inteligências Múltiplas, do Howard Gardner, fiquei definitivamente interessado por outras formas de demonstração de inteligência, que não apenas a lógica ou a linguística.

    Certamente há empresas relevantes que levam em conta diversas demonstrações de inteligência para contratar seus funcionários, mas confesso que não conheço nenhuma. Aceito sugestões abaixo!

    • Victor

      Faz tempo também que tenho me interessado nesse assunto de Inteligências Múltiplasmas não sei por onde começar. O livro original do Gardner com essa idéia de IM é dos anos 80 se não me engano. O que você recomendaria dele? Já leu algo além do Gardner sobre o assunto?

      • Hudson Martins

        Fala Victor!

        Cara, o livro mais indicado para o seu caso é o “Estruturas da mente: a teoria das inteligências múltiplas”, do próprio Howard Gardner. Li parte desse livro para o meu TCC, e fiquei muito bem impressionado.

        Outra leitura bacana é o “Inteligência Emocional: a teoria revolucionária que redefine o que é ser Inteligente”, do Daniel Goleman, que mostra outro aspecto da inteligência que é pouco explorado na nossa sociedade. Há caras conceituados que utilizam bastante o material do Goleman. José Mourinho é um exemplo.

        Esses dois livros já vão ampliar bastante o seu campo de visão sobre o assunto, cara.

        Abraços!

      • http://www.facebook.com/rodrigo.freire.75286 Rodrigo Freire

        Cara, mais esse livro é de nível universitário?

      • http://www.facebook.com/hudson.martins.54 Hudson Martins

        Sim, os dois são! Dificilmente você não os encontrará em uma boa biblioteca universitária, cara. O segundo ainda é facilmente encontrável em qualquer boa livraria, inclusive numa nova edição.

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100000955183378 Luís Cláudio Gouveia Rocha

    Acima de tudo, é uma boa forma de desenvolver conversas e conhecer a personalidade do seu interlocutor. Usarei essa pergunta algumas vezes.
    Por que não tentamos aqui nos comentários explicar algo complicado e que conheçamos bem em dez linhas? haeuhasuehauhs.

  • Breno Tiki

    Eu sempre usei como puxa papo algo parecido com isso… eu pego o cronometro e pergunto “Você tem um minuto para dizer quem é você”

  • Matheus Gomes

    Engraçado, o teste de proeficiência em inglês IELTS, faz uma pergunta parecida com essa. Eles te dão 2 minutos para falar sobre algum tema. Muito difícil não por ser no outro idioma, e sim pelo tempo. 5 minutos então deve ser uma eternidade.

  • Fred Tafuri

    Aqui explico como uma inversão de fase no áudio pode ser útil em uma mixagem ,muita gente tem horror ao fato de fases invertidas e stal ,mas existe utilidade .. sempre faço meu vídeos curtos mas indo ao assunto… e ainda tem uma Intro .. grande matéria ,parabéns !! http://www.youtube.com/watch?v=jNtEpPvZ5JQ

    • Sorry

      Fred, seu QI é certamente abaixo da média (100). Me desculpe pela sinceridade. No video postado o uso do vocabulário é baixíssimo, assista ele você mesmo de forma crítica.
      A demonstração de um procedimento, não é a explicação do mesmo. Você não foi capaz de explicar o procedimento, apenas operacionalo. Tal como um pedreiro não é capaz de explicar uma viga, mas pode te descrever em detalhes.

      • Fred

        hahaha ,para um cara como vc que não tem coragem nem de ” colocar a cara “até que vc diz belas palavras ,não ? O caso é : Esse vídeo foi feito de primeira , dá pra notar ? Geralmente em meus vídeos não fico me programando para parecer inteligente ou coisa do tipo. Apenas ligo a cam e faço um vídeo explicando algum procedimento e da forma que sair ,saiu . Até então não há um vídeo explicando o mesmo procedimento e com certeza se você não está no meio musical ,não conseguiu entender o suficiente da linguagem do “pedreiro”.

      • Jacinto

        Não interessa a discussão, mas de uma vez por todas: colocar a cara e o nome verdadeiro não faz um comentário mais válido. Sempre comentei como anônimo ou com nomes inventados e vou continuar a fazê-lo.

      • Renata

        Tá na cara que esse “Sorry”, “Jacinto” e “Fabiano” são a mesma pessoa, nota-se pelo modo de escrever e a divisão dos parágrafos que ele faz….só colocou nomes diferentes para dar ênfase aos seus argumentos, como se fossem pessoas diferentes com a mesma opinião.

      • Fabiano

        Mas a ideia é justamente esse, Fred. Explicar a alguém que não entenda do assunto, de forma que essa pessoa ao menos consiga formar uma ideia sobre o explicado. Explicar para quem já conhece é fácil, você pode usar jargões técnicos da própria “coisa explicada”.
        O que o “Sorry” disse tem tudo a ver. Com bom vocabulário você consegue se fazer entender por um universo maior de pessoas, sejam elas conhecedoras do assunto explanado ou não.
        Bem, mas não se sinta mal, rs. Eu mesmo tenho alguma dificuldade em explicar informática aos meus clientes. No dia-a-dia a gente fica “bitolado” demais com o próprio trabalho e não consegue sair daquele “mundo”. É como o Airton Senna que só sabia falar de Fórmula 1 e isso quem diz são amigos próximos. O cara era gênio nesse assunto, mas só.

      • Fred Tafuri

        Não tem como me sentir mal na verdade ,o vídeo foi feito bem antes desse post aqui e foi mais direcionado a usuários de uma comunidade que temos no face ( de programas de áudio ..coisas do tipo),foi feito bem rápido e sem pretensão na época ,não foi exclusivo para essa ocasião .Seria muito mais fácil ter programado um assunto e descrito em 5 minutos e com certeza com um resultado muito melhor,só quis pegar um vídeo pronto e colocá-lo (um com 5 minutos).. Quem quiser me julgar,que me julgue por meu trabalho também ,pelos outros vídeos ,por minhas músicas ,minhas produções com certeza meu QI está me ajudando a atuar em toda essa parte =D. Logicamente a pessoa que fez a crítica do Qi baseado em 1 vídeo ,com certeza aproveitou-se dessa exposição aqui para atacar ou atingir ..mas na verdade não conseguiu,mas aceito a crítica e de repente nos próximos vídeos eu pare um pouco para elaborar melhor o que dizer antes de gravar ,não é ? =D

      • Amigo Anônimo

        Fredão meu amigo, não fique chateado nem na defensiva com os comentários. Ninguém é perfeito e estamos sempre aprendendo. Parabéns pela iniciativa e boa sorte! ABS

    • Heberth Souza

      Meu amigo Marcelo Claret fez isso na forma de um artigo, para a AES, em 2000.
      http://www.iav.com.br/pt/artigos/Como%20equalizar%20sem%20equalizador.pdf

    • Fred Tafuri
    • Bia

      E a bíblia já dizia algo aplicável aqui: Critique um sábio e ele ficará mais sábio, critique um tolo e ele ficará bravo.

  • http://www.facebook.com/rafaeloureiro Rafael Loureiro

    Não sei se entendi direito, mas, como algo pode ser complicado, se eu o conheço bem?

    • http://www.facebook.com/tassoevan Tasso Evangelista

      Acho que o que você considera como complicado para as outras pessoas também faz parte da avaliação da resposta.

    • Juice

      A questão não é nem ser complicado “para as outras pessoas”. Se você “conhece bem um assunto” e ele não parece complicado, mesmo para você. Deve ser porque realmente você não conhece bem o assunto, ou ficou na superficialidade. Quanto mais estudamos determinada área, mais descobrimos que na verdade não sabemos nada. Ou como diria Sócrates: “Só sei que nada sei.”

  • http://www.facebook.com/nicolepereira0 Nicole Pereira de Lima

    Isso é relativamente comum no meio acadêmico. Nós temos de 5 á 7 minutos para explicarmos nossa pesquisa para os avaliadores na maioria dos congressos. Apesar de comum é bem complicado. Excelente post.

  • Lucas Gardezani Abduch

    provavelmente eu explicaria siteswaps, ou alguma outra coisa malabarística.

    http://www.youtube.com/watch?v=VZ48v43zo_E

  • lasciva

    vale dar aula de sexo anal? (incluindo informações de anatomia) ahahahah

    • http://www.facebook.com/rodrigohloureiro Rodrigo Halushuk Loureiro

      o.O se aqui nao puder me manda o link kkkk

    • http://danillonunes.net/ Danillo Nunes

      “[...] absolutamente qualquer coisa. Use sua webcam. Suba no YouTube e poste o link aqui nos comentários.”

      - Fabio Bracht,
      Ênfase minha :P

      • Nélio Oliveira

        Amigo, explica pra gente em cinco minutos como usar esses quotes, como negritar, enfim, como formatar nossos comentários aqui no disqus. Por favor.

      • vai testando que uma hora sai

        é só usar tag html. texto sai negrito

        o quote deve ser blockquote

        kkkkkkk

      • vai testando que uma hora sai

        pronto… em menos de 5 minutos te expliquei! kkkkkkkkkkk

        sou gênio?

        M

        kkk

        é só tirar os espaços das tags!

      • http://danillonunes.net/ Danillo Nunes

        Hehehe, não vou fazer um video porque não é algo tão complicado.. Como já disseram aí em cima, é só usar o formato HTML, que é a linguagem usada em toda a Web. Esses são alguns dos códigos suportados pelo Disqus:

        <strong>Deixa o texto em negrito</strong> (alternativamente <b>)
        <em>Deixa o texto em itálico</em> (alternativamente <i>)
        <strike>Deixa o texto riscado</strike> (alternativamente <s>)
        <u>Deixa o texto com sublinhado</u>

        <blockquote>Faz um bloco de citação</blockquote>

        <q>Faz uma citação em linha</q>

        <a href="http://papodehomem.com.br>Faz um link</a> (note que você tem que usar o endereço absoluto, incluindo o http://)

        Ah, mais uma coisa legal, apesar de não muito útil: Se você for um pouco mais atencioso, deve ter pensado “Como ele conseguiu escreveu esses códigos e eles apareceram, ao invés de terem apenas formatado o text?” – bem, para isso eu usei os códigos para gerar os sinais de “menor que” e “maior que” literais – isto é, para eles saírem no meu comentário, ao invés de serem interpretados como códigos. Eles são chamados entidades HTML e são &lt; para gerar um < e &gt; para um >. E, claro, nessa última explicação eu tive que usar um código para gerar um & literal: &amp;.

      • http://www.facebook.com/fabiobracht Fabio Bracht

        Hahahah, muito bom! Valeu por isso.

        Não foi uma explicação fácil para leigos entenderem, mas explicou.

      • Tahta Machado

        Foi fácil sim! Sou pior que noobs e entendi :)

      • Nélio Oliveira

        Amigo, muito obrigado. Já estou usando loucamente… rs…

      • Junior

        Aprender tudo isso só pra comentar aqui? Caramba! Eu fico no comentário escrito e deu.

      • http://danillonunes.net/ Danillo Nunes

        @630214282ab9217b6d33dc7380231581:disqus geralmente só o comentário em texto já basta mesmo. Não precisa decorar isso.

        Só que o caso da @lasciva merecia um comentário caprichado.

        Aliás, @lasciva:disqus, cadê o vídeo? :P

      • lasciva

        aguarde mais um pouquinho, rapaz. preparei algo mais caprichado que um vídeo ;D

      • vai testando que uma hora sai

        [b]testa[/b]

    • http://twitter.com/edegar EDEGAR NEUMANN

      Alguém me explica por que 11 pessoas (até o momento) negativaram este comentário?!?! Em cinco minutos, por favor!

  • http://www.facebook.com/emilio.norbert Emílio Norbert

    Putz!
    Acabei de perceber que não tenho conhecimento aprofundado em algo complicado.

    • http://www.facebook.com/people/Lucas-Da-Silva-Maria/1643357132 Lucas Da Silva Maria

      Quase ninguém tem, mermão. A gente sabe só comer, cagar, trabalhar e (malemal) foder. Não se sinta mal.

      • Bidoof Racer

        E há muitos que nem isso sabem fazer bem, principalmente a 4!

      • Jorge Sant Anna

        Eu também sei dormir, é o que normalmente acontece quando tento fazer o 4º item…

      • Rafael Reis

        Haha. Morrendo de rir com a sua resposta cara!

    • http://profile.yahoo.com/IZ7UNZYZQTQLAHRE42MU3TGZVI Leona

      Veja:

      O Melhor Do Xunning: http://migre.me/bczml

      Seleção de imagens legais : http://migre.me/bczC3

      Conheça o canal 4 coisas: http://migre.me/bczFR

      Se Gostou Compartilhe :http://migre.me/bczHg

    • Cezar Maxwell

      que isso meu todos conheçem algo muito bem pois todos tem trabalho a fazer,e voçê conheçe muito bem a area de seu trabalho,a pessoa pode ser criança ou adolescente,se tiver conheçimento em algo que conheçe bem ja era,por exemplo eu conheço a Capoeira,Capoeira não é apenas história,Capoeira voçê deve pratica-la para entende-la com vários tipos de ritimos e histórias diferentes,quem acha que é uma dança não,é luta muito mais que dança,a capoeira só vira dança na hora do samba de roda e quando os negros das senzalas fingiam dançar para não serem descobertos que estavam treinando,após 1 ano faziam um motim e uns conseguiam fugir pelo menos a maioria por que treinava sua defesa para se libertar.voçê que acha que não sabe nada complicado eu tenho certeza que algo voçê conheçe como ninguém.

      • Caio Amaral Nakao

        bela explicação, mas comece a trabalhar mais sua escrita.
        Não se usa Ç antes de E, I.

    • Davi Azevedo

      É um teste totalmente parcial, fruto da paranóia americana em criar “vencedores” e superdotados. É uma aberração ética,mede se você é uma calculadora ambulante e se sabe expressá-la em palavras (as centenas de Sheldon Coopers por aí se mataram). Não mede se você é um Machado de Assis,Mozart,DaVinci ou Pelé.

      • Halyson Guerra

        Machado tiraria nota máxima na área de vocabulário. Mozart poderia descrever profundamente a criação de uma sinfonia, DaVinci a criação de uma tela e Pelé a paixão pelo Futebol. Acho que todos teriam uma ótima nota no WAIS…

      • Erickson Nerka

        Se o Pelé conseguisse uma ótima nota no WAIS, então teríamos a prova definitiva que esse teste não é confiável.

  • http://www.facebook.com/rodrigohloureiro Rodrigo Halushuk Loureiro

    Ja dizia Eisten,” vc so entende bem de algo se puder explicar de forma simples”. Parabens pelo otimo post.

    • Victor

      Cara, tem umas pesquisas fantásticas hoje em dia (não domino o assunto, sou um generalista, arranho a superfície de vários temas, mas me aprofundo um pouco mais em pouquíssimos) que falam sobre as células espelho. São pesquisas em neurociência mesmo, coisa seguindo todo o formalismo de uma pesquisa convencional, não é pseudo-ciência não. Bem, então, esses caras estão dizendo que para você conseguir entender bem algum conceito você tem que fazer esse conceito “acontecer” dentro da sua cabeça, essas células/neurônios conseguem, de alguma forma, recriar o conceito, de forma abstrata, dentro da sua cabeça. Dai veio a expressão “célula espelho”, já que ela conseguiria reproduzir o conceito (usando algum tipo de abstração). E isso vale pra tudo, desde conceitos matemáticos até visão espacial, de sutilezas da linguagem até o poder de persuasão… Se não me engano estão conseguindo estabelecer alguma relação entre autismo e “pouca quantidade” de células espelho. Li a reportagem na “Scientific American” há muito tempo, pra quem se interessar pelo assunto, acho que vale dar uma procurada…

  • Felipe Cardoso

    hehe, 5 minutos? Isto me deu uma ideia de tema complicado: o tempo!

    O tempo é um termo usado de maneira comum e quase natural por todas as pessoas para se referir algo claramente perceptível, embora “complicado” de definir sem confundi-lo com suas métricas.
    O tempo é noção da mudança!
    Poderia-se dizer inclusive que o tempo é em si a mudança… o que empurraria para frente o problema de definir “mudança”. Entretanto com o eixo “noção” fixa-se o tempo como algo não absoluto, mas sempre atrelado ao contexto da percepção.

  • Jardel

    Muito bom!

  • Pingback: Como testar o QI de uma pessoa com apenas uma pergunta? | Mugango

  • Valerie

    Os professores tem como principal caracteristica saber explicar bem, assuntos muitas vezes complexos, que tem perfeito dominio. Bons professores sao portanto extremamente inteligentes!

    Pena serem tao subvalorizados – no Brasil.

  • Andre

    pode explicar sobre a regra do impedimento?

    • http://www.facebook.com/people/Mineirinhojp-Mineirinho/100000703002251 Mineirinhojp Mineirinho

      Melhor seria explicar o perigo de gol !!!

  • Sabrina
  • http://www.facebook.com/people/Anderson-Dos-Santos/100001105823750 Anderson Dos Santos

    Eu não explicaria nada… Ja tenho de pensar no trabalho pra responder a perguntas… ter que formular um conteudo xD Não consigo me localizar (cabeça ja começa a doer tentando se lembrar de algo que seja complicado). O que acho complicado são os assuntos que não domino =S

  • http://www.facebook.com/lilindamor Lílian Moreira

    Eu explicaria como ler uma partitura. Mas não sei se é complicado o suficiente para o propósito da questão.

    • http://www.facebook.com/fabiobracht Fabio Bracht

      É sim. Pouquíssimas pessoas têm ideia do que está escrito em uma partitura.

      E eu, pessoalmente, duvido alguém conseguir explicar em 5 minutos de modo que realmente um leigo entenda. Me parece bem difícil e abstrato.

      • Luisa

        É uma ideia muito boa. E acho que dá pra ser explicado em 5 minutos sim… gostei. Estava tentando pensar aqui algo que eu pudesse explicar, gostei dessa.

      • http://www.facebook.com/rafael.bretas.90 Rafael Bretas

        Dá pra explicar o básico da leitura de partitura em 5 minutos, lembremos que não é destrinchar o assunto, é iniciar uma conversa e descobrir se a pessoa é inteligente. Excelente idéia! Eu quero explicar o futebol americano.

    • Eu

      Com certeza é, inclusive eu gostaria de saber como se lê uma partitura

  • aquiles

    dificil comentar aqui e ver seu comentario
    como se usa esses disqus ae rs

  • Dr.dHenri

    Sei lá, serviria dar uma boa ideia sobre Números Complexos? Claro, com o rigor matemático necessário à explicação, mas não necessário a um livro superior.

  • http://www.facebook.com/pedravellar Pedro Avellar Costa

    Acho que o mais difícil pra mim é decidir o que explicar.

  • Anita

    Eu tentaria explicar Os Lusíadas, apesar de duvidar da possibilidade de abarcar toda a genialidade da obra. Ou então falaria sobre algumas técnicas de expressão vocal…

  • Bernardo Moreira Fernandes

    Senhores,

    A capacidade de compreender a explicação de determinado assunto complexo de forma mais rápida do que a pessoa que está explicando espera, de maneira que com as primeiras informações adquiridas se possa deduzir boa parte do resto a ser dito, tudo isso sem ter ouvido nada sobre aquele assunto antes, significa ter um QI mais alto do que a média ?

    o que vocês acham ?

    • http://www.facebook.com/gui.limachaves Guilherme Lima

      Isso. Na minha opinião, mais inteligente do que qualquer outro, é o que aprende. O que ensina, é sábio.

      Já diz um ditado:

      “Inteligência é saber que o tomate é uma fruta. Sabedoria é não usá-lo em uma salada de frutas.”

  • http://www.facebook.com/ric4rdo.pinheiro Ricardo Pinheiro

    Mulheres, a baliza.. brincadeira! haha
    Sou Analista de Negócios/Programador. É fácil alguém que sabe o mínimo de informática ou já utilizou algum sistema ERP em uma empresa saber o que eu faço. Mas sempre que tento explicar o que eu faço para alguém um pouco mais velho, que não utiliza um computador, logo me desanimo com a cara de “não tô entendendo porra nenhuma”.. rs. Minha mãe até hoje diz para as amigas dela que eu faço programa!

  • http://www.facebook.com/gilciani.cordeiro Gilciani Banchetti Cordeiro

    Nossa, achei esse tema sensacional, sem brincadeira, pois me identifiquei muito ao ler: “Por isso a pergunta foca naquele que, entre todos os subtestes, tem peso ligeiramente maior: o de vocabulário.”. Eu sempre me achei (e me acho) muito burra, apesar de estudar bastante, fazer uma boa faculdade, ter facilidade com cálculos e blá blá blá. Mas eu sempre me achei muito burra porque, mesmo sabendo muitas coisas, principalmente das que sou apaixonada, tenho uma dificuldade IMENSA em explicar para os outros. Nessas situações em que eu preciso explicar algo, tenho essa sensação de faltar vocabulário.
    A minha pontuação no WAIS provavelmente deve ser baixa por conta disso, rsrs.

    • http://www.facebook.com/fabiobracht Fabio Bracht

      Teu vocabulário está ótimo nesse comentário.

  • http://www.facebook.com/viniciusmarcall Vinícius Marçall

    Eu falaria de geoquímica de elementos terras raras (tema do meu TCC) ou de blues! Sim, blues. Do Mississipi, de Chicago, Jump blues, sei lá! Qualquer blues! hehehe

  • Juliana Honorato

    Frequento o PdH bastante, embora nunca tenha comentado…mais eis um dos melhores exercícios que incorporarei em minha vida. Na verdade, é algo que pratico quase que diariamente, mas nunca me atentei para a importância de pensar sobre isso, de aprimorar a pratica. Sou médica, e considero a capacidade de fazer a pessoa entender de forma simples o complexo mecanismo que a esta fazendo sofrer a grande arte da medicina. Arte essa que se torna mais importante que qualquer ciência, visto que meu trabalho é cuidar de pessoas, e não curar doenças. De quebra, logo que li a pergunta, me veio na cabeça sobre o que responderia.. e quando li a palavra apaixonada, qualificando o assunto escolhido por cada um, confirmei que estou no caminho certo quanto a area de especialização. Belo texto, bela idéia para escrever, mais minutos produtivissimos que o PdH me proporciona.

  • Spy vs Spy

    Eu sou um bosta! hahahahah
    Explicar “moral” de um filme vale? Série? hahahaha (Matrix ou Lost)
    Tô rindo pra cassete aqui!
    Era pra chorar?

  • Thiago Di Rosato

    Acho que eu poderia explicar sobre aquisição de linguagem, a teoria dos orbitais, conformação espacial de moléculas, formação de compostos organometálicos, cálculo estequiométrico, Logaritmos, e um pouco do pensamento de Arthur Schopenhauer…rsrsrs Acho que seria interessante!

  • Mirian

    Tentaria explicar em 5 minutos o que é a Liberdade, que vai muito alem de ser Livre…
    vou tentar gravar o video. Mas a meteria é interessante pq te da dicas do que falar. e a dica de falar do que gosta ou do que entende ou do que tem paixão, é a melhor das dicas para uma boa resposta.

  • Guilherme

    Bem… Ficaria na dúvida entre explicar a teoria M, sistema bioenergético ou a teoria do universo holográfico… Acho que me sairia melhor no sistema bioenergético, mas pra criar uma melhor “pose” na entrevista ou seja lá o que fosse, explicaria a teoria M mesmo.

  • pedro silva

    A dificuldade de compreender qualquer assunto é a dificuldade de entender a linguagem do assunto como uma equação matemática que um código, ou os vários termos técnicos de qualquer areá aplicada como biologia, astronomia e o direito (interferons, citocinas, parsec, astreinte) então se vc possui um extenso vocabulário quer dizer que domina uma variedade grande de conhecimentos, não posso dizer que vc é inteligente (o que é ser inteligente?) mas sábio com certeza é. Eu falaria do câncer dos mecanismos genéticos que precedem a transformação de uma célula saudável em cancerosa, meios de combates endógenos e externos até a morte do individuo, tenho tantas duvidas sobre o assunto e varias delas ainda não podem ser respondida, uma pena que tenho péssima dicção e dificuldades de comunicação.

  • Jennie

    Eu explicaria a Internet! Incrível como as pessoas acham que seu funcionamento é complicado!

  • AnimeCG

    Vamos lá… Não quero sair da média, só quero ser normal, então, vamos ver se consigo explicar algo que é complicado em cinco minutos e que eu conheço bem…

    A língua portuguesa é uma das mais complicadas do mundo, visto seu vasto vocabulário e, principalmente, seu amplo repertório de conjugações verbais. Um exemplo é o verbo “ser”, que no passado pode surgir como “era” ou “foi”. Outro exemplo são as regras de acentuação, principalmente após o Acordo Ortográfico. Um exemplo prático: ideia, que, conforme o texto aprovado por Brasil, Portugal, São Tomé e Príncipe e demais países lusófonos, não mais receberá o acento por ser uma paroxítona com ditongo aberto.

    Aprofundando mais ainda, podemos entrar na linguística, o que colocaria Brasil e Portugal – que possuem, cada uma, seu próprio modo de se falar o mesmo idioma – em situações bastante distintas e, para provar isso, podemos citar o caso de “rapariga”, que em algumas regiões do nordeste brasileiro é utilizado como sinônimo para prostituta, enquanto que na terra de Camões utiliza-se como um “substituto” para moça.

    xD bom, espero estar dentro da média após essa explicação. Até mais e bom artigo.

  • http://www.facebook.com/JehCaramelo Jessica Caramelo

    Eu falaria sobre o nazismo, que é um assunto que eu leio pra caramba, sei mais da vida de Hitler do que da minha kkk

  • http://twitter.com/pertodomar marcia

    o que é complicado é relativo…

  • Pablo

    Sei que consigo, mas acho que o resultado sería extremamente subjetivo. Tem que lembrar que quando explicamos alguma coisa do nosso conhecimento dependerá do nosso interlocutor. Eu posso encher a conversa de termos técnicos para alguém que é da mesma área, mas farei uma definição mais light e com exemplos do cotidiano se a pessoa e um leigo. Sería difícil avaliar sem ter 2 ou 3 versões do discurso.

  • ricardo

    a 4 dimençao : pra min te explicar a 4 dimençao imagine um mundo

    • http://www.facebook.com/fabiobracht Fabio Bracht

      Imaginei, e agora?

  • Gabriel Miranda

    A mulher. Creio que a maioria dos homens, nunca sabem o que elas querem de verdade, e o que passam em suas cabeças. É algo muito misterioso. Pelo menos para mim.

  • Pedro

    Lasciva vc realmente de ser boa nisso =)

  • http://www.facebook.com/tiagosoma Tiago Soma

    Dizia meu sabio avô ” INTELIGENCIA: Elemento subjetivo medido por idiotas.”

  • Julia

    Eu posso explicar, em 5 minutos, porque a avaliação de inteligência não é necessariamente a prova de que uma pessoa é inteligente. Posso explicar em 3 minutos, também, porque o WAIS não é um sistema de medição conhecido e utilizado no mundo inteiro. E, principalmente, levando em conta que eu digito devagar, consegui dizer, em 2 minutos, que esse texto é bem escrito e interessante, mas inválido em termos de avaliação psicológica.
    Mas levando a brincadeira a frente, em posso explicar, em 5 minutos, a Teoria de Resposta ao Item, que está por trás de provas como o Enem e como os concursos da UNB E aumentar a probabilidade de que você obtenha mais pontos nesses testes, sem colar ou ganhar as respostas de presente de alguém. :)

    • http://twitter.com/edegar EDEGAR NEUMANN

      Julia, por favor, Teoria da Resposta pra nós! Seria ótimo!

    • http://nicolasfrancax.github.io/ Nicolas França

      Melhor. Por que não fazer um post e submeter para a administração do Papo de Homem?

  • juliana

    ginástica rítmica e síndrome de ehlers-danlos mas não tenho certeza se 5 min seriam suficientes… isso faz de mim uma pessoa esquisita?? rs

  • cibulska

    Isso me lembra de Gerenciamento de Projetos.
    Mais precisamente o 5MinutesPMPodecast do Ricardo Vargas.

    http://www.ricardo-vargas.com/pt/podcasts/planning_for_2012_1/

    Muito bom, diga-se de passagem. Fica a dica.

  • Pingback: Meditamos, testamos QI, melhoramos a performance e a Disney não comprou o PdH: Outubro foi foda | PapodeHomem

  • MULTIFUSSION

    cria uma pergunda e comenta ela ae

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100001454348248 Mateus Garcia

    Vou começar a fazer essa pergunta para geral para ver se vivo com gente que tenha algum QI, pois acho que vivo num meio de idiotas. Será que funciona?

  • Guest

    a questão é: porque eu escolhi explicar sobre matemática: teoria da relatividade… se nem é o meu maior conhecimento.. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk a explicação do Fabio Bracht é que o tema escolhido era aquele que a pessoa mais se identificava, “…assunto emocionalmente próximo. Algo pelo qual ela seja apaixonada.”… acabei de descobrir que sou apaixonada por MATEMÁTICA ??? kkkkkkkkkkkkkkkkk nem eu sabia desse meu segredo então :P legal, curti o post.

  • Guest

    a questão é: porque eu escolhi explicar sobre matemática: “TEORIA DA RELATIVIDADE”… se nem é o meu maior conhecimento.. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk a explicação do Fabio Bracht é que o tema escolhido era aquele tema que a pessoa mais se identificava, “…assunto emocionalmente próximo. Algo pelo qual ela seja apaixonada.”… acabei de descobrir que sou apaixonada por MATEMÁTICA ??? kkkkkkkkkkkkkkkkk nem eu sabia desse meu segredo então :P legal, curti o post.

  • Íse Neves

    a questão é: porque eu escolhi explicar sobre matemática: “TEORIA DA RELATIVIDADE”… se nem é o meu maior conhecimento.. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk a explicação do Fabio Bracht é que o tema escolhido era aquele tema que a pessoa mais se identificava, “…assunto emocionalmente próximo. Algo pelo qual ela seja apaixonada.”… acabei de descobrir que sou apaixonada por MATEMÁTICA ??? kkkkkkkkkkkkkkkkk nem eu sabia desse meu segredo então :P
    legal, curti o post. :)

  • http://www.facebook.com/rodrigo.freire.75286 Rodrigo Freire

    Na minha opinião, não existem pessoas mais inteligentes e sim pessoas que foram estimuladas desde pequena.

  • Jacqueline Luna

    Acho que sei de tudo um pouco ou pelo menos tento saber. O que não quer dizer que eu não seja inteligente. Bom… para começo de história, acho que determinados profissionais têm conhecimento mais aprofundado em relação à suas profissões. Eu, por exemplo, faço faculdade de direito e pretendo me especializar na área criminal, ser delegada. Mas por outro lado eu penso ” Se eu for advogar terei mais “liberdade” de ir e vir e se eu souber um pouco ( o suficiente para fazer um bom trabalho) de tudo conseguirei mais clientes.” Enfim, acho que o ser humano deve sempre buscar o conhecimento. Um profissional de engenharia poderia explicar muito bem coisas relacionadas aos números o que parece ser complicado pra mim.

    O conceito de complicado estar na concepção de quem pergunta e não no da população em geral. Vamos supor que eu vá à uma entrevista de emprego de vendedora, por exemplo. O entrevistador que é contador, mas eu não sei desse detalhe, me faz essa pergunta, e eu respondo falando sobre números e tal, dessa forma não seria algo complicado porque ele tbm tem esse conhecimento.

  • Lucas de Sousa

    Explico em cinco minutos a estória completa do meu desenho favorito.

  • não.interesa

    Não ‘-’

  • Pedro Henrique Ribeiro

    Sinto-me amargamente mediano agora…

    We’ve all been raised on television to believe that one day we’d all
    be millionaires, and movie gods, and rock stars, but we won’t. And we’re slowly learning that fact. And we’re very, very pissed off.

  • Jana Nascimento

    A maioria das pessoas tem preguiça de raciocionar, ler, interpretar, etc. Talvez seja por isso que tal façanha seja conseguida por poucos

Papo de homem recomenda

Assine o Papo de homem

Curta o PdH no Facebook
  • 5533 artigos
  • 661565 comentários
  • leitores online