Pornografia no Japão

Daniel Oshiro

por
em às | Artigos e ensaios, PdH Shots, Sexo


Nota do editor: as imagens menos condizentes com o que os brasileiros consideram “estranho” estão linkados no decorrer do artigo. As ilustrações que adornam esse texto são, na verdade, arte erótica antiga japonesa, que servem mais como referência do que como instrumentos para elucidar a indústria pornográfica no Japão.

Todos sabem que Japão é o país de mecha, tentáculos, Internet rápida e vending machines. E, claro, a pornografia consegue juntar tudo isso em um só.

Apesar de, no Japão, ser censurada (desde 1907) qualquer exibição de órgãos sexuais (não, cu não é orgão sexual, pelo menos não pra eles) em imagens e vídeos. Todos os filmes produzidos e distribuídos por lá sofrem de censura, mas alguns distribuídos pela Internet não são censurados, pois tecnicamente não são para o mercado japonês.

A indústria pornográfica lá é imensa. Quão imensa? Bem, aqui vão alguns dados sobre a indústria de JAV (Japan Adult Video):

  • Vídeos pornôs geram em torno de 400bi de Yenes por ano;
  • Estimam que em torno de 1 a cada 200 japonesas já fizeram filme pornô;
  • São lançados em torno de 20 mil vídeos por ano.

A criatividade (pra não dizer bizarrice) da indústria é enorme. Lá você encontra filmes de bukakke, garotas ejaculando em paraquedas, comendo insetos, musculosas, transando com mendigos ou africanos, de cu peludo, 3 peitos ou real dolls com aparência de uma menina do primário.

Mesmo gerando tanto dinheiro, nem todas as atrizes se dão bem. Muitas delas recebem salário em torno de 150 mil Yenes, o que está na média nacional. Algumas que são mais famosas como Maria Ozawa e Sora Aoi fazem, além de filmes adultos, cinema convencional. Isso é interessante porque, no Brasil, geralmente as atrizes em final de carreira saem da indústria comum e “despencam” pro pornô. No Japão, são as atrizes pornôs que ficam famosas e fazem filmes, novelas ou seriados.

Categorias de filmes

Bukkake: é um gênero que homens ejaculam no rosto de uma mulher. Diferente do termo americano “facial”, o bukkake é sempre em grupo. Esse gênero de tornou popular em meados dos anos 80, pelo diretor Kazuhiko Matsumoto. Se tornou muito popular porque, com a censura, os filmes são focados em outras partes do corpo das mulhres.

Gokkun: parecido com o bukkake, o gokkun se refere ao ato de tomar esperma. É basicamente o mesmo, mas ao invés de ejacularem na mulher, eles ejaculam em um recipiente e a mulher bebe.

Kinbaku: semelhante ao “bondage” no ocidente, o kinbaku vem de Hojojutsu, literalmente “arte de amarra”, que era usado para amarrar prisioneiros. O kinbaku tem vários padrões de amarras, modos de suspensão e nós.

Tamakeri: é o “chute nas bolas”. É um gênero sado-maso em que mulheres chutam, pisam ou apertam os órgãos masculinos.

Futanari: esse é o termo usado para definir personagens com os dois sexos. Mas diferente do ocidente, onde normalmente são transexuais (homens com aparência feminina), nesse caso são mulheres que também tem pênis. Muito popular em hentais (pornografia com desenhos, os “mangá pornô”), alguns produtores conseguem explorar isso melhor por conta da censura, em que se aproveitam do mosaico e usam pênis de borracha nas atrizes, como no Futanari Village.

Lotion Play: como no Japão  a prostituição é proíbida, existem muitas casas de massagem erótica. O que acabou popularizando esse tipo de filme em que garotas usam muita loção para massagem.

Pink Film: Pink Eiga é a versão Emmanuelle do Japão. O gênero de tornou popular na década de 60 e até hoje são lançados filmes nesse estilo. É muito comum contratarem atrizes pornôs para fazê-los. Alguns deles conseguiram certo sucesso no ocidente, como o Killer Pussy.

As polêmicas japonesas

No Japão, além da indústria de filmes pornôs, ainda existem as “Idols”. São garotas bonitas que fazem ensaios sensuais para revistas ou até mesmo filmes em que desfilam de biquini. É muito comum que garotas menores de idade façam esses ensaios, são as chamads Junior Idols.

Algumas até ganham certa fama, como a Shinozaki Ai (fez seu primeiro ensaio com 14 anos) e Sakura Aida (que depois dos 18, estreou na indústria pornográfica). Mas além das Junior Idols, existe o gênero U-15 Idols. Que são garotas menores de 15 anos.

Mas isso não é pedofilia?

Bom, tecnicamente não. Essas garotas não posam nuas, apenas com roupas de banho/lingerie e em poses sensuais.

Em 1999, o Japão decretou uma lei contra pornografia e prostituição infantil, revista em 2004. Mas a lei ainda tem suas brechas, que é onde a indústria atua.

Em 2007, a Amazon retirou 600 titulos de Junior Idols de seu catálogo. E já houve um caso (entre vários) de um americano que comprou mangás estilo “lolicon” e pegou 20 anos de cadeia, nos Estados Unidos.

Seriam os japoneses “bem estranhos” quando pensam em sexo?

Há esse eterno choque de cultural entre ocidente e oriente, mas, se pararmos pra pensar melhor, somos mais parecidos com eles do que imaginamos.

Estamos num país onde o Big Brother ainda está no ar, com mais de uma década de “espiadas” em bundas, trocas de roupa, mulheres bêbadas fazendo o que não fariam, não deviam, não queriam. Esse voyerismo é tão insano quanto as taras japonesas, ams disfarçado pelo entretenimento.

Antes disso, ainda molecão, eu assistia a Banheira do Gugu e meus pais não viam problema em ver aquela putaria desvairada em que homens curravam a mocinha de biquini atrás de “sabonetes”. Anos depois do final do quadro, muitas participantes reclamaram de assédio, de enfiadas de mão dentro do biquini. Tudo isso em rede nacional.

Lá ou cá, todo mundo só pensa em sexo e procura, todos os dias, disfarçar suas taras para que possam ser menos recriminadas.

Estamos no mundo pra isso, não?

Daniel Oshiro

Mochileiro, maloqueiro, ga-ga-ga-gago.


Outros artigos escritos por


SEPARAMOS MAIS TEXTOS PARA VOCÊ CONTINUAR LENDO




O texto acima não representa a opinião do PapodeHomem. Conheça a visão e a essência por trás do que fazemos. Queremos uma discussão de alto nível. Antes de comentar, leia nossas boas práticas. Caso deseje enviar um texto e se tornar um autor, venha por aqui.


  • http://www.facebook.com/people/Gustavo-Faria/1132579103 Gustavo Faria

    Faz sentido… ehehehe

  • Hugo

    Bom texto, mas precisa dar uma editada!

  • André Vinícius

    Não entendi esse final tentando justificar a cultura japonesa, por acaso é necessário desculpas? Cada povo tem sua cultura e devemos julgá-las preferencialmente dentro dos valores dela a não ser naqueles casos onde existe um certo consenso internacional sobre o que são direitos humanos básicos (controversos às vezes). E também não vi nada de diferente, a não ser a parte que fala de uma modalidade que nos EUA é considerada pornografia infantil e lá parece que não.
    E também não entendi essa parte onde diz: “A criatividade (pra não dizer bizarrice) da indústria é enorme.” e cita os pornôs com africanos, não seria o equivalente ao sexo inter racial?

    • Ricardo

      Não seria o equivalente, porque a japonesa fez sexo com africanos literalmente, no meio de um tribo indígena.

      • Pastor Carlos

        Pera ai.. Tribo Indígena Africana? Índios Africanos?

    • Rosana M. Solto

      Concordo com vc André!

  • Priscila

    Adoro os mangás eróticos! É pura arte.

    respondendo a sua pergunta: Até os 25 anos eu só pensava em sexo, pegava todos os gostosos que eu conseguia… então no meu modo de ver, sim, até os 25 eu estava no mundo só pra isso mesmo.

    • Leandro

      Vc tem prazo de validade?

      • Gabi

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      • João

        Tum duh bisskkkkkkkkkkkk

  • http://www.facebook.com/emilio.norbert Emílio Norbert

    Acho que faltou informação, não consegui sacar o “estranho” da pornografia japonesa, afinal, o que o texto mostra de diferente é apenas a parte que consideramos pedofilia. Enfim, estranho por estranho, cada um com suas taras. Aqui no Brasil se vê muita coisa fora dos padrões também, principalmente se tratando de fantasias.

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100001516544153 Rafael Ribeiro Rocha

    Estive no Japão em dezembro, sempre ouvi falar nas “bizarrices” japonesas, mas esses DVDs de menininhas de uns 10 anos de biquini é realmente chocante. Pra gente seria pedofilia, sem discussão. Legal compreender melhor como funcionam as coisas por lá. Arigatou Goizamasu!

    • japonescorno

      o tipo fisico das japonesas torna fácil mulheres adultas se passarem por crianças. muito filme com “teenager” a guria ja tem uns 25 anos+ na verdade.

      • http://www.facebook.com/profile.php?id=100001516544153 Rafael Ribeiro Rocha

        Pode até ser cara, mas eu entrei numas lojas e tenho certeza que tem muita menina ali sim que é menor de idade, até pq, como o post coloca, não é proibido pelas leis de japonesas.

      • http://grandecastelo.com/ Daniel GrandeCastelo

        Isso mesmo Rafael. :) Existem casos de atrizes que são maiores e se passam por menores. Mizui Maki ou Murakami Ten são bons exemplos. Mas o mercado de Junior Idol é realmente controversos e já gerou até algumas prisões de diretores e produtores de filmes no Japão.

  • Ricardo

    A estatística de que 1 em cada 200 mulheres já participaram de filme pornô é bem forçada, hein? Ao ler a fonte original, fica evidente a dúvida em relação a veracidade desses números.

  • japones-viado

    Não sou chegado a bizarrices, mas tem hora que o porno japones se confunde com entreternimento e é engraçado de assistir. foi um dos poucos casos em que assisti porno mais pelo humor do que pelo erotismo.

  • Pedro Augusto

    Bem… para ser sincero: minhas emoções a respeito da pornografia japonesa
    varia entre a admiração com o esmero nas artes, asco e até a revolta. Mas ainda
    nesse tema acho que faltou falar de outras 2 taras comuns por lá (sim as vezes
    leio hentais): “estupros” em locais públicos, como metrô ou ônibus, e
    incesto (é sério, é incrível a quantidade de HQs com essa temática).

    Em nossa atual sociedade globalizada não sou um total entusiasta do princípio
    da autodeterminação dos povos, afinal de contas o que a cultura deles determina
    pode acabar por me influenciar hoje. Então sim, considero que posso julgar como
    estranhos (obviamente segundo a minha cultura) os japoneses e seu erotismo com
    ensaios de garotas de 9 anos (e consequentemente tentar impor essa minha visão) e não me venha dizer que o Brasil, por ter programas
    de entretenimento como o BBB se equipara, pois nem é bom entrar no tópico das
    bizarrices cometidas nos programas do Japão.

    Em outros aspectos, como educação do povo ou respeito aos mais velhos, pode ser
    que sejamos totalmente “bizarros”, mas não no aspecto da TV.

    Obs.: penso que essa bizarrice se deve ao controle impostos as pessoas,
    tanto pela sociedade em si quanto pelo estado, fazendo com que as pessoas
    busquem um local onde possam se expressar, seja por meio do pornô, das artes ou
    de jogos (China, Japão e Coreia do Sul são feras nesse aspecto).

  • Eduardo C.

    O japão e suas peculiaridades…
    É cultura, tem que respeitar, mas esses japoneses são bem perturbados hein!

  • Anônimo

    Este artigo me “soou” bastante “pejorativo”…

    Acho que não é certo falar da cultura alheia de uma forma que possa se “soar de modo pejorativo”……

    O Japão, assim como os demais países asiáticos, diferentemente do Brasil (em sua maior parte, se não em sua totalidade – por causa de uma minoria que ainda gera esperança nesta porra de país), é um país de cultura, de sabedoria, país onde crianças de 06 anos sabem mais do que brasileiros e latinos de 60 anos…
    Sem falar na questão de trabalho, provavelmente, quase todos os equipamentos eletrônicos de boa potência e performance que você tenha, devem ter sido inventados por um asiático….. ou talvez americano,….

    Mas para vir e falar “bizarrices” dos mesmos, você perde teu tempo aqui…

    Por quê, ao invés de falar coisas que possam soar como “pejorativas” sobre uma cultura, que tantas qualidades a se admirar tem, não vai aprender coisas que te façam ser também alguém de qualidade…?

    • André Vinícius

      Falar de forma pejorativa da cultura japonesa não pode, mas da cultura brasileira e latina pode?

      “…é um país de cultura, de sabedoria, país onde crianças de 06 anos sabem mais do que brasileiros e latinos de 60 anos..”

      Fale por você e pelos seus. Da mesma forma que existem crianças aqui que saibam muito mais que japoneses de 60 anos.

      • Anônimo

        Cara, pensa, por exemplo agora, você quer comparar os países…

        Tudo bem, então…

        Vocês estão defendendo um artigo que fala sobre “estatísticas e informações duvidosas, e de fontes duvidosas”, o qual ainda está se referindo a algo desrespeitoso, sobre uma outra localidade…. sobre um outro país, sobre uma outra cultura, da qual vocês nem têm informações o bastante para sobre ela debater ou discutir…

        Eu sou de cultura oriental, e sabe de uma coisa? Com a minha família “sempre aprendi que você deve dar valor até para o último grão de arroz do seu prato, porque pode estar faltando para outros”… aprendi que “se você poder fazer algo que ajude você, e principalmente, outra pessoa, ainda que esta pessoa não faça nada por você, faça! Isto é ter caráter.” Aprendi que “se você tem algo que os outros não têm, reparta!” Aprendi que “se tiver que abaixar a cabeça para respeitar alguém que mereça respeito, ainda que não concorde, abaixe..!” “Seja sempre respeitoso!” “Respeite a privacidade alheia, e se, em algum momento ver algo errado, ou, escandaloso, não publique, tente ser o exemplo..”…

        Quando comecei a conhecer as pessoas ao meu redor, ou seja, quando comecei a ir para a escola, e conhecer vizinhos, e falar com “estranhos” no pais onde moro, aprendi: “Se dá lucro, tome!” “Se for vantajoso, não importa as consequências!” “Se você quer, dane-se os outros!” “Não importa se vai ter que mentir, enganar, ou desrespeitar, se for para lucrar, faça”.. entre outras coisas…

        Ah, sem falar que com os programas asiáticos sempre aprendi informações sobre tecnologias, avanços, cultura, medicina, respeito ao próximo, enquanto com os programas brasileiros (novamente não estou criticando o Brasil, estou apenas respondendo ao seu argumento sobre eu estar comparando os dois países…), aprendi que “se deve entrar em uma banheira com homens que não conhece, e os deixar passar a mão em você, pois se não o fizer, não há ibope”, aprendi com novelas da Globo que “ser fiel ao marido quando o “gatão” do trabalho “te quer” é burrice…”, aprendi que enquanto eu dormia para ir à escola no dia seguinte, “na rua de trás haviam sido chacinados 200….”, ah, e quando eu voltava de metrô, e tinha que ouvir a fulana do lado dizendo bem alto “ai menina, na balada de ontem, rodei o cu em 17 pessoas… blá, blá, blá” (e depois não sabe porque tem 10 filhos, sem saber quem é o pai, e sem ter dinheiro para sustentar, tendo que ficar na rua, colocando seus filhos em perigo, destruindo suas vidas (porque deveriam saber o que uma família deve dar em primeiro lugar para os seus, segurança!), e sem estudo.. enfim…..), e eu tendo que ouvir todas estas asneiras na televisão, no metrô, no trabalho, porque infelizmente, em todo lugar vai ter um “ser” falando da “mulher que ficou nua no Big Brother Brasil”, e etc…. sem falar de todas as vezes que fui roubada no Brasil, e sem falar que, até em duas empresas onde trabalhei, sendo que as duas eram multinacionais, de grande porte, com o número de funcionários acima de 6.000,00, alguém teve a coragem de levar a minha comida.. não acredito que uma pessoa que tenha a capacidade de entrar em uma multinacional, não tenha capacidade mental para saber o que é seu e o que não é… Bizarro o que eu escrevi, não é?? Também acho.,. mas aconteceu…

        Mais uma vez, não quero comparar os países, só quero que entenda que foi desrespeitoso o artigo acima…
        Se não considera desrespeitoso, imagine se eu publicar em um site que a sua família adora por o dedão do pé na buceta da fulana… e tralalá….
        (Me perdoe pela palavra utilizada, mas é o tipo de palavra que o autor utilizou para falar da nação acima citada, o que me ofendeu… não se sentiria ofendido se eu dissesse que você enfia o dedo na buceta da sua namorada e depois chupa o que sai de dentro em um site de alcance, claro, internacional?… Pois então, consegue perceber que é assim que me sinto??)

        Consegue entender???

        Não quis fazer uma comparação entre Brasil, ou latinos e demais culturas, apenas justifiquei que ao invés de falar sobre uma cultura alheia, da qual nem autorização legal possui para fazer, visto que a Constituição Federal diz, no no Título II, Capítulo I, Artigo 5º, Inciso X “são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;”, e me desculpa falar, mas, o artigo acima está desrespeitando a “vida privada, a honra e a imagem das pessoas”…

      • André Vinícius

        Primeiro que ele não falou da sua família e sim de uma cultura bem ampla, se for para comparar você deveria ter usado o exemplo de ofender seu povo e não sua família porque é diferente.
        Você acusou ele de uma coisa que você está fazendo agora, selecionar os pontos que você considera ruim numa cultura e generalizando para toda uma população.
        Eu moro no mesmo país que você e nunca sofri assaltos e nem furtos. Não aprendi nada desses valores que você falou. Já ouvi conversas no transporte público vulgares e interessantes. A TV não tem a função de educar ninguém e sim entreter, sim existe vários programas de mau gosto, mas nada muito diferente da programação de outras nações, inclusive japonesas. Você muito provavelmente conhece os programas escrotos que passam no Japão, mas você ignora eles enquanto só ressalta os do Brasil.
        A banheira do Gugu não passa mais porque o ministério público do Brasil (e não do Japão) entrou com ações para tirá-los do ar, ou seja, nem todo mundo concordava como dá a entender.

      • Anônimo

        Você ainda insiste em não entender que isto é ofensivo…
        Quando se fala no Japão, ou algum país asiático, sim, me sinto ofendida… sinto como se estivesse ofendendo a minha família, porque indiretamente, está…!!!!

        E, como vocês ainda não conseguiram entender a sensação que me faz sentir ao ler este artigo, foi que disse “imagine.. sua família..”…. porque assim vai poder sentir, vai entender…..

        Quando fala de um japonês, ou qualquer asiático, sinto como falando da minha vida e da minha família, então coloquei a expressão “sua família”, ao invés de “seu povo”, para ver se consegue assim entender o desrespeito que isto significa para mim………

        Já pensou, seu eu posto em um site de alcance internacional (claro), imagens de pessoas se masturbando, colocando o pênis na boca de crianças (como muitas vezes saiu em jornais nacionais) e dissesse que assim é o seu povo, identificando você, como exemplo??

        Porque quando fala, japonês, ou asiático, sinto como se fosse eu, e realmente é… porque está em meu sangue… porque meu sangue é sangue de asiático!

      • http://danillonunes.net/ Danillo Nunes

        Cara Anônima, se você considerar todo o Japão, ou pior, todos os paises asiáticos, como sua família, e se sentir ofendida sempre que falarem mal de alguém de lá, você vai sofrer muito na vida. E desnecessariamente.

        Só o Japão deve ter uns 100 milhões de habitantes. Muitas dessas pessoas fazem coisas que você acha errado, têm opiniões que você não concorda e serão criticadas por razões que sequer têm alguma relação com você. O único laço entre você e elas é que você ou seus pais e os pais delas nasceram num mesmo pedaço de terra. Então você não acha insano tentar tomar as dores de todas elas?

        Eu até entendo (embora não concorde) que você tenha achado o artigo ofensivo. Mas não leve para o lado pessoal. Ele não é sobre você. Nem sobre seus pais ou seus avós. Ninguém vai ler esse artigo e pensar que ele se refere a vocês. Guarde sua energia para quando alguém ofender seus entes realmente próximos, aí sim você estará defendendo algo que vale a pena.

      • Anônimo

        Ah, e só mais uma vez, sim, com certeza, você é incapaz de entender o que isto significa, mas quando me refiro à asiáticos e, ou orientais, me refiro especificamente à japoneses, coreanos e chineses…. na verdade, não à Ásia ou Oriente em sua totalidade…..

        E, só mais uma vez, você (s) não deveria (am) estar falando sobre o comentário que EU fiz PARA O AUTOR, visto que eu O FIZ PARA O AUTOR, e não para você (s)….

        Ainda mais, porque para pessoas que se acham tão cheias de cultura, ou experiência e conhecimento o bastante, como você (s) para me indagar, ou ainda, ao menos, comentar sobre a minha opinião, sendo que não autorizei ninguém a falar da minha opinião, que foi dirigida AO AUTOR, conforme proteção da Lei, Artigo 5º, Inciso X – “são INVIOLÁVEIS a intimidade, a VIDA PRIVADA [o que denota privacidade, e a minha opinião, dirigida ao autor, no espaço que o site fornece, especificamente para isto, para que se sejam realizadas, indagações, críticas, sugestões AO AUTOR, pelo participante, sem que sua publicação seja utilizada ou comentada por terceiros, a menos que o mesmo o autorize, caso este que não autorizei ninguém a comentar sobre meu pensamento dirigido ao AUTOR, "...é INVIOLÁVEL a liberdade de consciência e de crença ( ou seja, não importa o que você pensa da minha opinião, respeite-a, porque não vim dirigir ofensas à você nem a ninguém, apenas informar ao AUTOR que sua publicação me fez sentir-me ofendida, por tratar em um site, de alcance internacional, claro, sobre assuntos que ferem meus princípios, colocando no texto, imagem e Título, algo que está diretamente relacionado à mim......)" - CF, Artigo 5º, Inciso VI], a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;”

        Então.. por gentileza.. entenda que em nenhum momento foi solicitado a sua opinião com relação a minha publicação, aos meus comentários, às minhas idéias… e que além de não ter sido solicitado a sua opinião, ainda estás FERINDO ao MEU DIREITO de PRIVACIDADE (CF – Art 5º, Inc X)……………………….

        Por gentileza………………………………………….

      • http://danillonunes.net/ Danillo Nunes

        Eu tampouco lhe dei direito a comentar meu comentário, mocinha! Mais respeito às liberdades da minha opinião não-solicitada.

      • Anônimo

        A partir do momento, que você postou algo como resposta para minha pessoa, a lei diz que eu tenho direito de resposta!!

        “V – é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem;”

        (Constituição Federal, Artigo 5º, Inciso V)

        Ok??

      • Guest

        Pintos pequenos não te satisfazem?

      • Anônimo

        Essa pergunta foi para a sua mãe??????? O_o?

        Porque, se não, certamente a mim você não dirige a palavra…

        Olha só o seu nível….

        Eu estou falando com outra pessoa….. ou seja…. com o AUTOR…….. um comentário ao AUTOR do texto………..

        ………..NÃO À IMPERTINENTES INTROMETIDOS QUE SE METEM NA MINHA CONVERSA, QUE, ALIÁS, NEM FORAM CHAMADOS PARA ISTO FAZER, o que demonstra uma total falta de educação…

        E aliás, estou comentando, AO AUTOR DO TEXTO, sobre um pensamento particular meu, do qual não pedi, em nenhum momento, a opinião alheia, nem a TUA, nem a de NINGUÉM… ou será que você é tão retardado a ponto de não perceber que o comentário do texto FOI DIRIGIDO ao SEU AUTOR, e não à você, seu desatarefado….

        Por quê, ao invés de se intrometer nos meus assuntos, ferindo o meu direito constitucionalmente protegido, através do artigo 5º, inciso V e X, do Capítulo I, do Título II da Constituição Federal, o qual declara:

        “V – é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem;”

        …e diz mais….

        “X – são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;”

        Então, por gentileza, antes de querer tratar os outros como criança, ou se achar “o maduro”, ou o psicólogo, ou o quer for.. aprenda que antes de tudo, você deve ter respeito!!!!

      • Anônimo

        Cara, você está falando com quem??? Com a sua imagem no espelho??

        Porque certamente para mim não foi, visto que eu não te dei autorização de me dirigir a palavra…não te conheço, nem faço idéia de se você existe realmente, ou é um retardado que fica lançando mensagens pelo computador à pessoas que desconhece……….. enfim….

        Ah, e se você quiser falar de conteúdo erótico, procure pessoas que trabalham com isso… porque eu não estou afim……

      • Kamila

        eh, o artigo eh ofensivo, seu comentário não, afinal, vc não quer comparar os dois países…. Volta pro Japão, querida, lá que eh bom pra vc.

        E, em tempo, os valores passados pelos seus pais a vc tem mais a ver com a sua família do q com o pais em que eles nasceram. Tive uma educação com bases parecidas, pq meus pais tem caráter., não por serem brasileiros, japoneses, indianos, …, o que for.

      • Anônimo

        Essa comentário foi para a sua mãe??????? O_o?

        Porque, se não, certamente a mim você não dirige a palavra… não sou sua querida……………..

        E como já falei em todos os comentários anteriores (que, só lembrando, nenhum deles foi dirigido à você…”QUERIDA”…..), não estou querendo falar mal do Brasil, porque como também já o disse… “minha intenção aqui não é falar mal do Brasil, porque apesar de tudo, ele tem coisas muito boas a serem exploradas, e exibidas…”, apenas estou respondendo aos comentários de outros intrometidos que não conseguem perceber que eu fiz um comentário ao autor, informando-LHE (o pronome LHE está sendo empregado para denotar o “AUTOR”, não você, novamente,….) qual seria o minha opinião com relação à sua publicação, uma vez que este espaço serve justamente para isto… para dirigir seus comentários, sejam críticas, sugestões, dúvidas, AO AUTOR………

        Olha só o seu nível….

        Eu estou falando com outra pessoa….. ou seja…. com o AUTOR…….. um comentário ao AUTOR do texto………..

        ………..NÃO À IMPERTINENTES INTROMETIDOS QUE SE METEM NA MINHA CONVERSA, QUE, ALIÁS, NEM FORAM CHAMADOS PARA ISTO FAZER, o que demonstra uma total falta de educação…

        E aliás, estou comentando, AO AUTOR DO TEXTO, sobre um pensamento particular meu, do qual não pedi, em nenhum momento, a opinião alheia, nem a TUA, nem a de NINGUÉM… ou será que você é tão retardado a ponto de não perceber que o comentário do texto FOI DIRIGIDO ao SEU AUTOR, e não à você, seu(sua) desatarefado(a)….

        Por quê, ao invés de se intrometer nos meus assuntos, ferindo o meu direito constitucionalmente protegido, através do artigo 5º, inciso V e X, do Capítulo I, do Título II da Constituição Federal, o qual declara:

        “V – é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem;”

        …e diz mais….

        “X – são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;”

        Então, por gentileza, antes de querer tratar os outros como criança, ou se achar “o maduro”, ou o psicólogo, ou o quer for.. aprenda que antes de tudo, você deve ter respeito!!!!

      • Anônimo

        Espera um minutinho…. você está falando com quem?????

        Em primeiro lugar, comigo certamente não é, porque não te dei o direito de me dirigir a palavra……..
        Muito menos de me dizer qual foi a “fuck idéia” que tua cabeça teve sobre eu viajar para lá ou para cá… porque você não tem nem o direito de me dirigir a palavra, quanto menos se intrometer nas decisões que tomo na minha vida…..

        Em segundo lugar, eu dirigi meus comentários AO AUTOR DO TEXTO, não a você, visto que este espaço de comentários não foi idealizado para que desatarefados fiquem atacando a opinião alheia, e sim, para que se sejam dirigidas críticas, sugestões, observações, indagações, AO AUTOR……… e cada comentário à ele feito, INCLUSIVE OS MEUS, devem ser totalmente respeitados, incluindo na questão da INVIOLABILIDADE DE MINHA FORMA DE PENSAR (“é inviolável a liberdade de consciência e de crença” – CF, Artigo 5º, Inciso VI)………..
        Então, por gentileza, vai cuidar da sua vida… e aprenda a respeitar a opinião alheia, ainda mais quando publicada dentro dos termos da Lei, e ainda mais, quando a sua opinião, ou melhor, intromissão, não for solicitada, como neste caso…….

        E só mais uma vez, você (s) não deveria (am) estar falando sobre o comentário que EU fiz PARA O AUTOR, visto que eu O FIZ PARA O AUTOR, e não para você (s)….

        Ainda mais, porque para pessoas que se acham tão cheias de cultura, ou experiência e conhecimento o bastante, como você (s) para me indagar, ou ainda, ao menos, comentar sobre a minha opinião, sendo que não autorizei ninguém a falar da minha opinião, que foi dirigida AO AUTOR, conforme proteção da Lei, Artigo 5º, Inciso X – “são INVIOLÁVEIS a intimidade, a VIDA PRIVADA [o que denota privacidade, e a minha opinião, dirigida ao autor, no espaço que o site fornece, especificamente para isto, para que se sejam realizadas, indagações, críticas, sugestões AO AUTOR, pelo participante, sem que sua publicação seja utilizada ou comentada por terceiros, a menos que o mesmo o autorize, caso este que não autorizei ninguém a comentar sobre meu pensamento dirigido ao AUTOR, "...é INVIOLÁVEL a liberdade de consciência e de crença ( ou seja, não importa o que você pensa da minha opinião, respeite-a, porque não vim dirigir ofensas à você nem a ninguém, apenas informar ao AUTOR que sua publicação me fez sentir-me ofendida, por tratar em um site, de alcance internacional, claro, sobre assuntos que ferem meus princípios, colocando no texto, imagem e Título, algo que está diretamente relacionado à mim......)" - CF, Artigo 5º, Inciso VI], a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;”

        Então.. por gentileza.. entenda que em nenhum momento foi solicitado a sua opinião com relação a minha publicação, aos meus comentários, às minhas idéias… e que além de não ter sido solicitado a sua opinião, ainda estás FERINDO ao MEU DIREITO de PRIVACIDADE (CF – Art 5º, Inc X)……………………….

        Por gentileza………………………………………….

      • Psicologo
    • http://grandecastelo.com/ Daniel GrandeCastelo

      Não se iluda, japoneses não são todos inteligentes, como você falou. Já trabalhei com japoneses que não sabiam ler o endereço em um cartão, pois não sabiam Kanji.

      E porque não falar de coisas que possam soar “pejorativas”? Acho bastante válido iniciar discussões e trocar idéias. Falando bem ou não, assim todos ganhas experiência.

      • Anônimo

        Porque você não os conhece a fundo.. as pessoas só mostram para cada um o que quer… provavelmente, quando você conhece uma pessoa, não fala tudo sobre você… por exemplo, se você tem problema de diarréia (isto não é uma brincadeira, é um exemplo, no qual eu também me coloco), e conhece uma pessoa, talvez você não conte no primeiro encontro que tem diarréia, ou se você tem uma grande quantidade de dinheiro, e conhece um bandido, não vai falar que tem esta quantidade de dinheiro.. por isto, nem sempre as pessoas mostram o que são… as vezes as pessoas se demosntram “burras”, ou que não sabem de alguma coisa, e ficam observando como você faz… eu faço isto o tempo todo, não para enganar ninguém, mas para testar, conhecer as pessoas antes de dar confiança….
        Talvez esta fosse a forma como foi tratado também…

        Enfim, o fato é de que este artigo para mim representou um desrespeito..
        Porque não é fato o que foi acima descrito… enfim….

        Bem, eu me senti mal ao ler isto… ao ver esta postagem… Imagina, se alguém fala da sua família?? Se alguém posta algo sobre sua família, que nem verdade é, ou ainda que seja, que te envergonhe, você gostaria? Acha que mesmo que estejamos em um país onde se protege o direito da liberdade de expressão, protegeria alguém que falasse mal da tua família, porque a interpreta mal? Só por causa do direito de expressão??

        Legislativamente falando, as pessoas tem o direito de liberdade de expressão, mas a CF (Constituição Federal), no mesmo artigo que defende a liberdade de expressão, alerta que o direito é proteido desde que não fira a imagem alheia, ou os direitos alheios…

        Já pensou (com todo respeito, por favor, só quero que entenda como me sinto!!!) se este artigo fosse falando sobre as práticas sexuais da tua família??

        Consegue entender agora???
        Porque estou me sentindo mal com a postagem acima??

        (Mais uma vez, eu falo isto com todo respeito, só quero que entenda porque disse isto…. e depois de pensar em como se sentiria, julgue…)

      • Leandro

        Meu caro Anônimo. Você é hilário.

        “Estou me sentindo mal, estou me sentindo mal, entende??”

        Hahaahahahahahahaha…

      • Anônimo

        Meu caro Leandro… quem está falando não é um homem, um “caro”,… é uma garota, de 22 anos, que sempre respeitou a privacidade e intimidade alheia, e que pensa que deveriam existir princípios nos seres humanos…
        Acredito que falar da vida sexual alheia não é coisa de quem tem princípios.. pois acredito que você não gostaria que dissessem que você se masturba, depois enche um recipiente com o “produto” expelido de dentro do teu pênis, e que depois você bebe aquilo… e talz…

        Pois é um pouco de como me senti ao ler o supracitado artigo….

      • Genaro

        “falar da vida sexual alheia não é coisa de quem tem princípios”. Moça, o autor não falou especificamente que “o sr. Shiro Tanaka, que reside na rua x e pertence à família y gosta da prática sexual z”, somente citou algumas das modalidades que podemos encontrar no Japão e que, pra nós brasileiros, ainda podem ser exóticas, bizarras até. Cadê a “falta de princípios”? Talvez você tenha achado que com essa “exposição” sua “cultura oriental” tenha sido maculada mas, relaxe, todos nós, humanos (japoneses, brasileiros, islandeses, russos, chineses, vietnamitas..) temos bizarrices sexuais pra contar, mais ou menos específicas de cada nação. Normal.

      • Anônimo

        Mas, se estivesse falando da sua família??? Porque o que você não está entendendo, é que, para mim, falar de um asiático, ou de todos, é como se estivesse falando de mim, da minha cultura, da minha família, da minha ascendência, e de todos!!!

      • Genaro

        Bom, ele não falou da minha família, então esse problema podemos excluir. Segundo, se você “toma as dores” de tudo o que é falado de todo e qualquer asiático, sinceramente, você está meio fora de si. Primeiro, porque ‘asiático’ é um termo que engloba pessoas de países com culturas muitíssimo distintas; então me parece que você não compreende corretamente o termo ‘asiático’. Você falou que é de “cultura oriental” e, depois, que “falar de um asiático, ou de todos, é como se estivesse falando de mim”. Acho que está misturando as bolas, ou no mínimo, usa esses termos (oriental/ asiático) de maneira muito, muito reducionista. Se eu falar de um russo, de um chinês ou de alguém dos Emirados Árabes estarei te ofendendo? Não faz sentido.

      • Genaro

        Escrevi outro comentário mas não apareceu. Basicamente, eu disse que acredito que sua noção sobre o que é “asiático” e “oriental” é bastante equivocada, reducionista, pois dizer que “falar de um asiático, ou de todos, é como se estivesse falando de mim, da minha cultura” demonstra desconhecimento do fato de que da Ásia fazem parte países com culturas muitíssimo distintas entre si. Então, você se ofende se eu falar de um russo, de um chinês, de um turco ou de um nativo dos Emirados Árabes? Não faz sentido, é loucura sua.

      • Anônimo

        Ah, e só mais uma vez, sim, com certeza, você é incapaz de entender o que isto significa, mas quando me refiro à asiáticos e, ou orientais, me refiro especificamente à japoneses, coreanos e chineses…. na verdade, não à Ásia ou Oriente em sua totalidade…..

        E, só mais uma vez, você (s) não deveria (am) estar falando sobre o comentário que EU fiz PARA O AUTOR, visto que eu O FIZ PARA O AUTOR, e não para você (s)….

        Ainda mais, porque para pessoas que se acham tão cheias de cultura, ou experiência e conhecimento o bastante, como você (s) para me indagar, ou ainda, ao menos, comentar sobre a minha opinião, sendo que não autorizei ninguém a falar da minha opinião, que foi dirigida AO AUTOR, conforme proteção da Lei, Artigo 5º, Inciso X – “são INVIOLÁVEIS a intimidade, a VIDA PRIVADA [o que denota privacidade, e a minha opinião, dirigida ao autor, no espaço que o site fornece, especificamente para isto, para que se sejam realizadas, indagações, críticas, sugestões AO AUTOR, pelo participante, sem que sua publicação seja utilizada ou comentada por terceiros, a menos que o mesmo o autorize, caso este que não autorizei ninguém a comentar sobre meu pensamento dirigido ao AUTOR, "...é INVIOLÁVEL a liberdade de consciência e de crença ( ou seja, não importa o que você pensa da minha opinião, respeite-a, porque não vim dirigir ofensas à você nem a ninguém, apenas informar ao AUTOR que sua publicação me fez sentir-me ofendida, por tratar em um site, de alcance internacional, claro, sobre assuntos que ferem meus princípios, colocando no texto, imagem e Título, algo que está diretamente relacionado à mim......)" - CF, Artigo 5º, Inciso VI], a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;”

        Então.. por gentileza.. entenda que em nenhum momento foi solicitado a sua opinião com relação a minha publicação, aos meus comentários, às minhas idéias… e que além de não ter sido solicitado a sua opinião, ainda estás FERINDO ao MEU DIREITO de PRIVACIDADE (CF – Art 5º, Inc X)……………………….

        Por gentileza………………………………………….

      • Pitel

        Você está doente! Aqui no site existem psicólogos colaboradores. Consulte-os!

      • Anônimo

        Acha que uma pessoa doente pode responder com argumentos aceitáveis???
        Em primeiro lugar, como outrora dito, eu estou falando com outra pessoa….. ou seja…. com o AUTOR…….. um comentário ao AUTOR do texto………..

        ………..NÃO À IMPERTINENTES INTROMETIDOS QUE SE METEM NA MINHA CONVERSA, QUE, ALIÁS, NEM FORAM CHAMADOS PARA ISTO FAZER, o que demonstra uma total falta de educação…

        E aliás, estou comentando, AO AUTOR DO TEXTO, sobre um pensamento particular meu, do qual não pedi, em nenhum momento, a opinião alheia, nem a TUA, nem a de NINGUÉM… ou será que você é tão retardado a ponto de não perceber que o comentário do texto FOI DIRIGIDO ao SEU AUTOR, e não à você, seu(sua) desatarefado(a)….

        Por quê, ao invés de se intrometer nos meus assuntos não vai procurar como cuidar da seca do Nordeste, dos mendigos da cracolândia, dos bêbados e crianças pobres do Viaduto do Chá, ou dos problemas dos índios???? Estás ferindo o meu direito constitucionalmente protegido, através do artigo 5º, inciso V e X, do Capítulo I, do Título II da Constituição Federal, o qual declara:

        “V – é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem;”

        …e diz mais….

        “X – são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;”

        Então, por gentileza, antes de querer tratar os outros como criança, ou se achar “o maduro”, ou o psicólogo, ou o quer for.. aprenda que antes de tudo, você deve ter respeito!!!!

        E acho que quem precisa de psicólogo aqui, é você, porque ainda nem teve a capacidade de entender o que significa o termo “respeito à privacidade alheia, já que está me ofendendo com um comentário sobre minha opinião dirigida ao autor!! Ah, e caso não saiba, isto também é crime, pois a CF (Constituição Federal) me protege um direito pétreo (que, inclusive, caso não saiba o significado da palavra pétreo, significa que nem uma Emenda Constitucional, e nenhuma autoridade política ou militar, ou da ordem qual for, poderá anular este referido direito pétreo) da privacidade, ou seja, você não tem o direito de se intrometer na minha opinião, a qual fora DIRIGIDA AO AUTOR DO TEXTO….

        Ok criança???

      • Pitel

        Entendi, tu é um personagem!!! Genial!

      • Anônimo

        ????

        não compreendi..

      • Pitel

        Como diria Serginho Groissmann: JapÃO!

      • Carvrodrigo

        Essa anônima é muito divertida hahahaha

      • massa

        Se VC se incomoda e problema seu garota… Ninguem esta falando de sua familia.
        Já esteve no Japão alguma vez ? Acredito q não, vendo esta sua atitude.
        Vá ao Japão um dia, e pegue um japonês nativo para conversar e diga q VC e japonês como ele… Ele vai rir na sua cara.
        Se ofenda quando falarem mal de brasileiros, e não japoneses, pois VC e brasileira, independente se aceita ou não.
        Sou brasileiro descendente de japoneses. Em nenhum momento me ofendi com este texto.
        Ta na chuva e pra se molhar. Nãovenha com essa q VC não deu o direito para as pessoas comentarem seus comentários.

      • Anônimo

        Não, realmente, não dei direito de outras pessoas comentarem meus comentários!!!

        A finalidade do espaço de comentários,é para que sejam dirigidas dúvidas, comentários, críticas, sugestões AO AUTOR………

        Se eu quisesse opinião alheia, eu teria solicitado no final do comentário, ou procurado à profissionais… e não receber comentários de pessoas que nem ao menos conheço, e que nem ao menos tentaram me explicar nada, apenas tomaram a infantil decisão de afrontar meus argumentos (novamente, como se eu tivesse solicitado…)

        Ainda mais quando tudo o que fazem é questionar meu argumento… o que representa detrimento de minha privacidade…. pois, segundo a Lei (CF, Artigo 5º, Inciso V, VI e X), tenho o direito de tê-la… e o meu comentário, dirigido AO AUTOR do texto, que foi “baleado” por comentários não solicitados, por “insultos indiretos”, e por opiniões que feriam meu direito de privacidade, segundo o qual, normal seria que eu fizesse um comentário ÚNICA e EXCLUSIVAMENTE AO AUTOR,e o mesmo me respondesse (CF, Artigo 5º, Inciso V), diretamente à mim, “unica e exclusivamente”, (Isto é Legislação! Respeite!)

        Ah, é… e só mais uma coisa…

        Como já falei por diversas vezes, minha publicação NUNCA TEVE a intenção de pedir comentários alheios, ….., e também, eu apenas escrevi um comentário MEU, AO AUTOR, sobre uma linha de pensamento PARTICULAR MINHA, AO AUTOR…. e, de repente, pessoas que se denotam “tão cultas, e experientes, ….” começam a denegrir minha forma de pensar, a me criticar, e a opinar sobre a minha visão do assunto… o que, novamente informo, representa um detrimento da Lei, segundo a Constituição Federal, Artigo 5º, Incisos V, VI e X, ….

        E só mais uma vez, para ver se desta vez ficará claro…. eu estou comentando AO AUTOR, dentro DA MINHA PRIVACIDADE, …
        E se eu quiser opinião alheia a respeito de minha forma de pensar, eu solicitarei, mas, claro, à profissionais de confiança…..

        (Não quis em nenhum momento ofender-lhe, apesar de novamente ter sentido-me ofendida com seu comentário….. mas, se o fiz, desde já peço que desconsidere…. Grata!)

      • massa

        Bom… Realmente não entendo esse seu ponto de vista.
        Caso desejasse essa privacidade que tanto reivindica, que mandasse um email ao autor, e não em um mural público como esse.
        Como disse, tbm sou descendente de japoneses, mas em momento algum me senti ofendido com este texto.
        Tenho certeza que o autor do texto jamais teve esta intenção de ofender.
        lendo suas msgns entendi a sua preocupação, mas confie em mim! VC esta exagerando!
        Vai por mim… Não esquenta não.
        Abracos

      • Leandro

        Minha cara japinha, então aceite: na sua família tem muito nego esquisito.

      • Anônimo

        Já pensou se eu posto, no país do “Genaro”, (me perdoe, e não veja isto como maldade, é para entender o que eu senti com a postagem acima) onde ele nasceu, povo DO QUAL SUA FAMÍLIA PERTENCE, é normal por a língua no cocô que sai do cú do conjugue, e depois passar a língua na buceta, depois os dois fazem um 69, ….

        Meu, desculpa, não quero usar estes termos, mas foi justamente o que o autor fez, não somente com palavras, como também com imagens…

      • Genaro

        Cara anônima, com todo o respeito, você está levando seu bairrismo e pudícia a níveis insanos. Veja bem, você pode, sim, dizer que no Brasil “é normal por a língua no cocô que sai do cu do cônjugue, e depois passar a língua na buceta, depois os dois fazem um 69″, porque isso realmente acontece aqui, como acontece em todos (ou quase todos) os outros países do mundo.

        Sabe o que me parece (sem ofensas)? Que você acabou de descobrir que pessoas fazem coisas ‘horríveis” assim, e está assustada, querendo “defender a honra de seu povo asiático”. Isso não faz sentido algum, pois os próprios japoneses (obviamente) produzem milhares de sites, livros, filmes com esse conteúdo, não é um segredo de estado! Agora que você descobriu que seus ascendentes também lambem cu, não vá fazer harakiri. Relaxe, bem-vinda ao mundo do sexo! Aproveite.

      • Felipe

        Eu adoro passar a língua no cocô que sai do cú da minha mulher nem por isso sou anormal. O que vem de dentro de quem eu amo não pode ser ruim.

      • Anonimo Também

        hmm tenho maior fetiche por anonimas revoltadas, principalmente se tiver penis também

      • Álisson

        É, olha só que engraçado… não sabia que fantasma tinha direito à alguma coisa não…

        Toda essa sua reclamação perde a validade se você permanecer em anonimato… se quiser que algo seja tirado daí peça HUMILDIMENTE ou procure seus direitos de pretensão à defesa para qualquer que você ache violado!….

      • Anonimo

        Cara, eu não ia mais responder à estas idiotices, porque como já disse, minha intenção era comunicar-me com O AUTOR, e não com você… e quem tem que saber minha identificação, é O AUTOR, e o site de hospedagem, logo, http://www.papodehomem.com.br , e não você, cuja pessoa nem sei se é um “fantasma” como disse….

        Você perde tempo para vir falar mal de uma pessoa que nem conhece…

        Então, se eu permanecer em anonimato ou não, isto é um problema meu e com os proprietários do site, e do AUTOR…

        Sabe que segundo a Lei, você também está ferindo minh privacidade??? (CF , Artigo 5 , Inciso V, VI e X)

        Então, por gentileza, não me importune, e procure algo últil para fazer, ao invés de tentar criticar uma pessoa que sequer você conhece….

      • massa

        RS… Pega leve, ela pode ate estar revoltada, mas em momento algum foi mal educada.
        Respeita a moça.

      • Leandro

        Minha cara Miss Empatia, o artigo é sobre pornografia, logo, são pessoas que além de estarem ok em terem suas intimidades e imagens publicadas, recebem pra isso. O consumidor da pornografia permanece em anonimato, é uma cifra do mercado.

        Como dizem, o “o privado é político”. Os hábitos sexuais de uma nação são muito importantes e reveladores, são sintomas do tempo em que eles vivem.

      • Kamila

        num é?
        (tô morrendo de vergonha alheia…)

      • Anônimo

        pois é… espero que esteja morrendo mesmo… porque deveria….

        Ah, é claaaaaaaaaaaaaaaaaaaaroo que estou me referindo a “morrer de vergonha”………………………………..

      • André Vinícius

        Olha, entendo que você se sentiu ofendido e desconfortável com o post, acho que ele tentou vender a pornografia feita no Japão como algo exótico quando na verdade não é nada diferente da pornografia do ocidente.
        Mas eu também não achei certo essa sua defesa da cultura japonesa como algo perfeito. Na primeira parte do seu comentário deu a entender que você acha que no Japão não existem pessoas “burras” e sim pessoas que se fazem de “burras” para testar os outros, sério que você acha isso? Para você todo mundo no Japão é indistintamente inteligente, que a cultura é de certa forma superior as outras? Se você pensa isso, desculpe, mas você então não deveria achar ruim quando alguém falar mal dela, já que aparentemente você considera as outras inferiores, principalmente na parte que você falou da cultura brasileira e latina.
        E acho que o autor deveria tirar aquela estatística duvidosa de lá ou colocar que é um número controvertido porque parece que aquela informação é segura, quando na verdade não é.

      • http://grandecastelo.com/ Daniel GrandeCastelo

        Entendi seu ponto de vista, mas nesse caso não se aplica ao meu exemplo, pois era um amigo que eu trabalhava junto. E foi só uma informação que eu pedi, não foi algo sobre ele. :)
        E dos 15 anos que eu morei no Japão, conheci muitos japoneses que não sabe ler kanjis, é dificil e eles acabam deixando de lado na escola. Muitos claros, não conseguem bons empregos, etc.
        Isso acontece em qualquer país, infelizmente.

        Mas desculpe, não entendi seu ponto de “se alguém fala da sua familia”. Pois tudo que eu falei é visto em qualquer locadora, em qualquer cidade do Japão. Então se minha familia estivesse exposta, desse jeito, qual direito eu teria de reclamar com as pessoas que falam dela?

    • Mestiço

      Vamos dizer que eu goste dessas modalidades do porno, vc (Anônimo) está fazendo comentarios bastantes pejorativos em relação ao meu gosto! Não gostei e quero que vc pare de demonstrar que o que eu gosto é errado!

      do jeito que vc falou, vc está ferindo meus direitos!
      se o que vc falou até agora fosse verdade, vc estaria presa agora! junto com todos os outros que responderam ao seu comentario…que por sinal se vc tivesse lido o que é dito em relação aos comentarios…verá que diz que eles são voltados a discussao e não para vc enviar sua opiniao ao autor…caso contrario ninguem poderia responder o comentario de outro…

      uma dica: tente ver de outra maneira…o autor nao quis fazer uma imagem pejorativa de nada…essa imagem pejorativa foi vc mesma quem fez…ele mostrou caracteristicas da cultura e vc levou elas como pejorativas…acho que o problema é com vc que não sabe aceitar a opiniao dos que gostam dessas modalidades pornos

  • aquiles.marchel

    poderia falar do poder deles em se reerguer após bombas, após desastres naturais, talvez sobre aquela estrada destruída e reerguida em duas semanas, mas escolheu um tema que não agradou, ao menos a mim

  • Genaro

    Só achei que o autor pecou ao comparar pornografia com B. Brother e Banheira do Gugu. Os dois últimos, baixaria de tv aberta, ao alcance fácil de crianças, disfarçados de entretenimento inofensivo.
    Coisas mais “exóticas”, como essas bonecas, insetos, três peitos e afins não me agradam, mas acho os desenhos (Shunga, não?) lindíssimos.

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100002792597766 Uyran Ribeiro

    Não quis nem ver o link do c* peludo =S

  • Geppeto

    Essa “Anônima” é um caso sério. Primeiro, vamos à uma aula de geografia não-nacionalista-ortodoxa sobre a questão. Considerando que até mesmo o Wikipédia, sim caros amigos, até mesmo lá onde as informações podem ou não ser precisas, dá para ao menos ter uma noção do quão inocente são as afirmações e dores da guria, de 22 anos, japinha. Consideremos a família dela um tanto quanto extensa, pois, ela tem primos no Afeganistão (que por acaso tem cabelos pretos, mas pele morena e narizes grandes), tem tios na Rússia Oriental (alguns podem ter olhos azuis… Acontece), e também primos de segundo grau que são fazendeiros e criam porquinhos da índia na ÍNDIA, ó ceus.
    Bem, não é deboche, é que o conceito é refutável. Eu sou paranaense, filho de paranaenses, neto de italianos, de ambos os lados; e olha só, vejo com diferença o ideal de colônia que os japoneses criam. Como a minha namorada (japonesa) diz: no Brasil, a gente é japonês, no japão, somos brasileiros – ou seja, são apátridas? Considero extremamente importante a preservação e manutenção cultural, principalmente no país onde há uma distribuição de uma cultura que não é a que nossas famílias trouxeram. Mas essa crença ortodoxa de que todo japonës é perfeito e etiquetado, desculpe, é falsa (mas menos falsa do que a ideia de ASIA japonesa). Engraçado, teria medo se os japoneses (tropicais, nascidos em terra de guarani) tivessem criado um império como os Romanos criaram, eles continuariam achando que a coisa está lá.

  • http://www.facebook.com/felipericardo.b Felipe Brito

    É fascinante como a cultura se molda e se adapta de acordo com tudo que envolve o seu meio.

  • Carvrodrigo

    Achei o texto bem fraco, ora validando essa diferença, ora dizendo que todo lugar tem, a título de curiosidade existem várias outras práticas inusitadas no Japão exemplo do Japa que paga para ficar 3 minutos deitado na bunda de uma japa, outros que pagam para receber tapas na cara.

  • Murilo

    Parabéns, mais uma vez vocês conseguiram desvirtuar o assunto nos comentários.

    Em uma discussão (fórum), não se deve buscar a vitória, e sim o progresso.

    Abraço.

  • http://www.papodehomem.com.br/ Guilherme Nascimento Valadares

    Fala, Oshiro!

    Tenho curtido seus posts no PdH, cara. Têm uma vibração meio “superinteressante vs japan vs wtffuckness”.

    Olhando assim, o repertório de pornografia que nos parece estranho/bizarro/grotesco é bem grande.

    Os próprios japoneses consideram sua pornografia estranha ou isso seria apenas o viés de nosso etnocentrismo ocidental em ação?

  • Peter

    Nossa mas que texto util.

  • Isis

    O fato desse aspecto ser bizarro não quer dizer que a brasileira não seja, não entendi pq vc justificou isso.

    Não vejo Big Brother, acho que é uma merda, que emburrece, que um programa de gente fútil e medíocre para pessoas fúteis e medíocres. Além disso, tem resposta feminista aos comportamentos e mídia machista daqui, é só procurar, a marcha das vadias tai pra isso.Tenho certeza que no Japão deve ter gente que tb acha essa cultura de pedofilia muito bizarra

  • Godinho

    É interessante lembrar que essa coisa do esconder os genitais com pixels na pornografia veio por influência da cultura OCIDENTAL. Antigamente o japão era MUITO mais aberto em relação à nudez, mas com a chegada do HOMEM BRANCO os conceitos foram mudados numa tentativa (frustrada) de tentar agradar o resto do mundo.

  • Pingback: Ninguém resolve nada antes do carnaval | Janeiro foi foda | PapodeHomem

  • Flor

    Junio Idols é podre. É só olhar fotos na internet. Pedofilia descarada!

  • Gabriel

    Pow, o cara pegou 20 anos por um mangá!!!!

  • Pingback: Os textos mais lidos no PapodeHomem em 2013 | PapodeHomem

  • Fabio Silva

    Um tema bastante incluso na nossa vida, tenho uma concepção mais casual, considero o sexo como uma coisa normal, no entanto para muitos ainda é um tabu.

    Como dizia meu velho Nelson Rodrigues: “Tarado e toda pessoa normal pega em flagrante.”

Papo de homem recomenda

Assine o Papo de homem

Curta o PdH no Facebook
  • 5363 artigos
  • 654202 comentários
  • leitores online