[PdH Porn] Um distante mundo com menos pornografia. 20 anos atrás.

Victor Lee

por
em às | Mundo


O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei

Foram 11 estatuetas no Oscar. Inclusive de Melhor Filme.
Frodo, Gandalf, Sam, Aragorn, Legolas, Gimli, Pippin e Merry estão te esperando.
Cinemax. Te dá o que você busca.
Acompanhe em cinemax.tv a programação completa.

Imagine um feiticeiro-hacker conservador que soltasse um encanto ortodoxo, excomungando de vez toda a pornografia dessa terra. Ou pelo menos do seu computador, que é onde a maior parte está armazenada. Bem-vindo à janeiro de 1990.

Como meu foco é em mulheres e viagens, eu recebo emails bastante criativos* vindos dos nossos leitores espalhados por todo o mundo (outro campeão em receber mensagens bizarras é o Dr. Health).

Um deles anônimo me mandou um email anônimo perguntando se eu tinha dicas sobre como virar produtor de filmes pornôs em Budapeste, visto que a Hungria, junto com a República Tcheca, é um dos países europeus que exporta talentos na área. Olha, fazer os filmes é relativamente fácil. Qualquer um com uma câmera na mão e uma ideia na cabeça pode usar um YouPorn da vida para distribuir seus filmes. O complicado é tornar essa atividade rentável.

E para responder essa pergunta, a melhor maneira é contar um pouco sobre o contexto do surgimento da pornografia digital e como ela tem sido monetizada pelos profissionais que fizeram fortuna.

Vamos então ao nosso túnel do tempo para mostrar aos leitores impúberes que antes da Internet, a pornografia era muito mais compartimentada.

revistas-sexo-porno
Antes da Internet, passear na banca era pura diversão…

A reconstrução de um mundo midiático de pornografia escassa

Janeiro de 1990. Vinte anos atrás. Era uma raridade, para um pimpolho de espinhas na cara, encontrar vestígios de mulher pelada. Geralmente, elas se escondiam no armário do irmão mais velho, em posteres dobráveis de três páginas. Tudo bem que algumas vezes os posteres ficavam colados e não abriam mais depois de certo uso…

Outra dica serelepe era deixar o videocassete gravando os filmes que passavam depois da meia-noite na rede Globo e TV Manchete para assistir no dia seguinte, ao voltar da escola. A Globo exibia obras americanas como A Vingança dos Nerds (1984) e Porky’s (1982), enquanto a Manchete (já falecida) rodava o melhor da pornochanchada, com direito ao famoso nu frontal da Sonia Braga. Acho que minha miopia aumentou um grau ao ver aquela cena cabeluda. Ou foi culpa da Cláudia Ohana? Melhor não relembrar essas memórias.


Link YouTube | Como é que uma tosquice como Porky’s teve sucesso de audiência na telinha? Numa época de escassez de pornografia, é fácil ganhar o jogo usando três segundos de peitinhos.

A outra opção de minha doce infância era o SBT. O melhor de tudo era assistir ao Miele com seu programa Cocktail (1991) e as Garotas Tim Tim. Se não me falha a memória as minhas favoritas eram a Garota Pêssego (Silvia Rivera) pelo seu moderno corte no cabelo loiro platinado e a Garota Morango (Cláudia Barone), que superava em pelo menos dez centímetros de altura qualquer uma das outras.


Link YouTube | Cocktail, o show favorito da garotada no SBT. A beleza das mulheres anulava o efeito corta-tesão da barba do Miele, e o programa durou apenas um ano, mas será eterno para muitos de nós.

Para a molecada que viveu nessa época, havia mais duas fontes de fácil que mostrava um pouco de pele feminina: a científica enciclopédia Barsa e os catálogos de lingerie das Casas Pernambucanas, publicados aos domingos no Estadão e Folha.

Haja criatividade para fazer bom uso desse material!

Certa vez, tive de abstrair o ato de fazer justiça com as próprias mãos usando o sorridente rosto da Gina – aquela da caixa de palitos de dentes.

gina
Material de primeira qualidade para a “punheta-arte”, descrita com perfeição pelo Mr. Manson.

O hit da época era um misterioso Amor, Estranho Amor, no qual a Xuxa aparecia pelada transando com um menininho de doze anos de idade. O vídeo era o verdadeiro ET de Varginha: ninguém tinha visto a fita, mas todos ouviam falar de algum fulano que jurava ter visto. Tipo o vídeo da Cicarelli, com a diferença que esse todo mundo baixou.

Não bastasse a dificuldade de compartilhamento do saber da época, a Rainha dos Baixinhos arrumou uma liminar para recolher todas as fitas VHS de locadoras. Sem comentários.

Escassez de mercado = Oportunidade

Aos jovens infantes da Geração Y, meus caros nativos digitais, eu pergunto: em uma realidade longínqua como essa que vos descrevo, parece ser um ótimo negócio ser dono de uma revista que publica pornografia, suprindo a demanda, certo?

Exato. Foi assim que grandes empresas foram criadas do nada. A partir de uma idéia, e obviamente muito trabalho e força de vontade.

Pensando nesse ponto de convergência entre escassez de mercado e oportunidades, convidei o Dr. Money para trocar uma idéia conosco. Ele confirma: a necessidade não suprida por pornografia gerava diversas possibilidades de empreendimento.

“Nos anos 80 tinha uma locadora no meu bairro que possuía a maior coleção de fitas pornô da cidade. E o dono da mesma era um cara grandão que deixava envelopes pardos em cima da bancada, junto com canetas e as instruções: escolha a fita que deseja alugar, preencha o código no envelope e apresente na saída para registro. Era a festa da gurizada menor de idade.

No início dos 90 já estava na Internet, então começou a ficar mais fácil encontrar fotos – na época, principalmente das modelos famosas em poses sensuais. Claudia Schiffer e Cindy Crawford, apenas para ficar com as tops, circulavam em disquetes e transferências lentas em modems de 1200 bps.

Nesta época já estava ligado em negócios, tinha uma impressora colorida, uma Citizen 200GX se não me engano, matricial, barulhenta, mas que funcionava bem para iniciar um dos meus primeiros empreendimentos. Imprimia as fotos das modelos em várias folhas que depois eram montadas como um quebra cabeças. O resultado: um poster para colar atrás da porta do quarto dos adolescentes cheios de espinhas na cara :-)”

(Trecho de conversa entre Fabricio Peruzzo e Victor Lee)

Não vou entrar no mérito da questão sobre se o sujeito que alugava as fitas para a criançada está certo ou errado. Isso dá muito pano pra manga – descarregue suas opiniões nos comentários e vamos ver o que a galera pensa. O ponto é que em todos os cantos tinha gente que via uma maneira de aproveitar a oportunidade existente. E claro que os grandes players, como a Playboy, não deixavam nada escapar.

O negócio é tão complexo que o grupo Playboy divide suas atividades em três grandes segmentos: entretenimento, publicações e licenciamento, e existem empresas e equipes enormes dedicados a diferentes projetos dentro de cada um desses segmentos.

Exemplos? Playboy TV, Playboy Cyber Club, PlayboyStore.com, Playboy Radio, licenciamento da marca “Playboy” em roupas e acessórios, eventos na Playboy Mansion e mais, isso tudo sem contar a própria revista Playboy. É trampo bagarai.

hefner
Acha que a profissão do Hugh Hefner é fácil? Quem topa assumir os negócios e salvar a Playboy da crise financeira?

A Penthouse Media Group Inc. é outra que viveu seus dias de glória e, hoje sofre para pagar as próprias contas. Para buscar um lugar ao sol, a marca Penthouse está sob o comando de um grupo de mídia eletrônica, a FriendFinder.

Aqui temos um caso típico de um inovador superando a empresa velha (quem gosta do assunto pode procurar o livro Crossing the Chasm, do Geoffrey Moore). A velha geração da Playboy e Penthouse alavancou resultados principalmente com base na criação de uma marca sólida ao fincarem bandeira como pioneiros em um mundo de escassez de pornografia.

Sim, eles foram saco-roxo ao arriscar, desafiando os costumes de sua época. Mas passada a luta inicial, o espírito inovador dá lugar a um instinto reativo e protetor do status quo. A empresa deixa de inovar, o que não é grande problema quando todos os demais fatores continuam iguais. Mas quando existe uma grande mudança nas regras, isso é fatal. Na popularização da Internet, faltou às grandes empresas estabelecidas uma pegada firme e dinamismo que permitisse a sobrevivência e aumento de lucros com uso da nova mídia.

Era óbvio que uma empresa de nova mídia como a FriendFinder chegasse dando voadora de dois pés, adquirindo marcas como a Penthouse a preço de banana e reinventando o negócio.

Em vez de escrever nesse artigo o que é que a turma da nova mídia está aprontando, vou retornar à pergunta do leitor que pretende se aventurar na produção de filmes pornográficos em Budapeste. Existe como prosperar na indústria pornográfica ainda hoje, depois da explosão da Internet? A resposta é positiva.

Da mesma maneira que Playboy e Penthouse exploraram uma necessidade de mercado décadas atrás, existem outras necessidades ainda não supridas hoje. E vamos falar mais sobre elas na continuação da série “PdH Porn”, que vai detalhar os modelos de negócio na história do pornô no mundo digital.

* Um importante esclarecimento sobre os “emails criativos”: não estou reclamando – ao contrário, digo que os leitores de espírito não convencional são muito bem vindos para me escrever com perguntas e sugestões. Basta enviar pelo formulário de contato e deixar claro que sua mensagem deve ser encaminhada para mim que a equipe PdH dá conta do recado.

Victor Lee

É o embaixador europeu da PapodeHomem e está sempre de malas prontas para ir onde tem mulher bonita. É autor do "From Victor With Love - Diário".


Outros artigos escritos por


SEPARAMOS MAIS TEXTOS PARA VOCÊ CONTINUAR LENDO




O texto acima não representa a opinião do PapodeHomem. Conheça a visão e a essência por trás do que fazemos. Queremos uma discussão de alto nível. Antes de comentar, leia nossas boas práticas. Caso deseje enviar um texto e se tornar um autor, venha por aqui.


  • http://estou-sem.blogspot.com/ Andarilho

    No caso dos palitos de dentes, na hora da esporrada, vc não gritou: “vai gina, vai gina”? ;)

  • http://estou-sem.blogspot.com Andarilho

    No caso dos palitos de dentes, na hora da esporrada, vc não gritou: “vai gina, vai gina”? ;)

  • Fernando

    Pobre Gina
    ahUAHuhaUHAuhaUHAUh

  • Fernando

    Pobre Gina
    ahUAHuhaUHAuhaUHAUh

  • Fabio

    A verdade pra mim é que a pornografia é parte fundamental na formação de um adolescente, assim como a sua proibição.

    Metaforicamente a guerra desenvolve a tecnologia que depois é usada para outros fins. Ou seja, essa constante luta pra conseguir material pornografico ajuda no desenvolvimento do senso de “esperteza” do adolescente.

    Essa é só minha opinião.

    Do mais, excelente texto. Aguardo ansioso a segunda parte…rs

  • Fabio

    A verdade pra mim é que a pornografia é parte fundamental na formação de um adolescente, assim como a sua proibição.

    Metaforicamente a guerra desenvolve a tecnologia que depois é usada para outros fins. Ou seja, essa constante luta pra conseguir material pornografico ajuda no desenvolvimento do senso de “esperteza” do adolescente.

    Essa é só minha opinião.

    Do mais, excelente texto. Aguardo ansioso a segunda parte…rs

  • Fabio

    A verdade pra mim é que a pornografia é parte fundamental na formação de um adolescente, assim como a sua proibição.

    Metaforicamente a guerra desenvolve a tecnologia que depois é usada para outros fins. Ou seja, essa constante luta pra conseguir material pornografico ajuda no desenvolvimento do senso de “esperteza” do adolescente.

    Essa é só minha opinião.

    Do mais, excelente texto. Aguardo ansioso a segunda parte…rs

  • Diogo

    Belíssimo artigo, Steve Jobs e Hugh Hefner são meus ídolos, mas sério, quanto ao cara da locadora, ele só estava ganhando o pão de cada dia, olhe as crianças de hoje, qualquer menino de 11 anos já viu pornô.

  • Diogo

    Belíssimo artigo, Steve Jobs e Hugh Hefner são meus ídolos, mas sério, quanto ao cara da locadora, ele só estava ganhando o pão de cada dia, olhe as crianças de hoje, qualquer menino de 11 anos já viu pornô.

  • Diogo

    Belíssimo artigo, Steve Jobs e Hugh Hefner são meus ídolos, mas sério, quanto ao cara da locadora, ele só estava ganhando o pão de cada dia, olhe as crianças de hoje, qualquer menino de 11 anos já viu pornô.

  • Diogo

    Ah propósito, a Gina do palito de dentes? Man!!!!!Aí é apelação!

  • Diogo

    Ah propósito, a Gina do palito de dentes? Man!!!!!Aí é apelação!

  • Diogo

    Ah propósito, a Gina do palito de dentes? Man!!!!!Aí é apelação!

  • Bruno

    ok eu n sou o fera em prnografia ou negocios… mas hj…

    para fazer dinheiro com pornografia, aó tendo muita qualidade e eu acho q isso n é oq as grandes preferem (por isso procuram +inovar -melhorar, é uma questão de custo com + chance de beneficio), é igual informação… apenas + velhos assinam o ZeroHora (pricipal jornal de RS), eu q tenho 16 até meus amigos de 14~27 q ja se interessam pela leitura.. buscam informações na internet….

    a friendfinger se n me engano é para relacionar pessoas, certo ?
    eles simplemente criaram um revista playboy q alem das fotos, há o numero das mulheres e homens ali “catalogados” para possiveis contatos…

    do papel pro real…

  • Bruno

    ok eu n sou o fera em prnografia ou negocios… mas hj…

    para fazer dinheiro com pornografia, aó tendo muita qualidade e eu acho q isso n é oq as grandes preferem (por isso procuram +inovar -melhorar, é uma questão de custo com + chance de beneficio), é igual informação… apenas + velhos assinam o ZeroHora (pricipal jornal de RS), eu q tenho 16 até meus amigos de 14~27 q ja se interessam pela leitura.. buscam informações na internet….

    a friendfinger se n me engano é para relacionar pessoas, certo ?
    eles simplemente criaram um revista playboy q alem das fotos, há o numero das mulheres e homens ali “catalogados” para possiveis contatos…

    do papel pro real…

  • Bruno

    ok eu n sou o fera em prnografia ou negocios… mas hj…

    para fazer dinheiro com pornografia, aó tendo muita qualidade e eu acho q isso n é oq as grandes preferem (por isso procuram +inovar -melhorar, é uma questão de custo com + chance de beneficio), é igual informação… apenas + velhos assinam o ZeroHora (pricipal jornal de RS), eu q tenho 16 até meus amigos de 14~27 q ja se interessam pela leitura.. buscam informações na internet….

    a friendfinger se n me engano é para relacionar pessoas, certo ?
    eles simplemente criaram um revista playboy q alem das fotos, há o numero das mulheres e homens ali “catalogados” para possiveis contatos…

    do papel pro real…

  • http://www.meadiciona.com/king_vithor kingvithor

    Deixava o computador o dia inteiro ligado, torcendo para que sua mãe não ligue o monitor, para baixar uma foto.

  • http://www.meadiciona.com/king_vithor kingvithor

    Deixava o computador o dia inteiro ligado, torcendo para que sua mãe não ligue o monitor, para baixar uma foto.

  • http://www.meadiciona.com/king_vithor kingvithor

    Deixava o computador o dia inteiro ligado, torcendo para que sua mãe não ligue o monitor, para baixar uma foto.

  • Pingback: Tweets that mention [PdH Porn] Um distante mundo com menos pornografia. 20 anos atrás. | Papo de Homem – Lifestyle Magazine -- Topsy.com

  • http://www.twitter.com/gabrielvinicius Gabriel Vinicius

    Artigo muito foda…

    Parabéns Victor

  • http://www.twitter.com/gabrielvinicius Gabriel Vinicius

    Artigo muito foda…

    Parabéns Victor

  • http://www.twitter.com/gabrielvinicius Gabriel Vinicius

    Artigo muito foda…

    Parabéns Victor

  • http://noitardear.blogspot.com/ Patrícia

    Concordo plenamente :D
    P*** destesto concordar plenamente, ou não ter o que acrescentar. É o fim da picada para uma tagarela de plantão como eu :(

    vocês querem que a Gina vá em bora?
    vá Gina!
    vá Gina!

  • http://noitardear.blogspot.com/ Patrícia

    Concordo plenamente :D
    P*** destesto concordar plenamente, ou não ter o que acrescentar. É o fim da picada para uma tagarela de plantão como eu :(

    vocês querem que a Gina vá em bora?
    vá Gina!
    vá Gina!

  • http://noitardear.blogspot.com/ Patrícia

    Concordo plenamente :D
    P*** destesto concordar plenamente, ou não ter o que acrescentar. É o fim da picada para uma tagarela de plantão como eu :(

    vocês querem que a Gina vá em bora?
    vá Gina!
    vá Gina!

  • Hugo

    Gordinhas na Playboy já! Podem zoar à vontade, mas adoraria ver aquela tal de Elenita do BBB nua na Playboy.

  • Hugo

    Gordinhas na Playboy já! Podem zoar à vontade, mas adoraria ver aquela tal de Elenita do BBB nua na Playboy.

  • Hugo

    Gordinhas na Playboy já! Podem zoar à vontade, mas adoraria ver aquela tal de Elenita do BBB nua na Playboy.

  • Cigano

    Engraçado, nos tempos de hoje tá muito mais facil achar estimulos visuais pra punheta.

    …qualquer garoto de 10 11 anos liga o pc e faz a festa.

    Mas na minha opinião, se esses sites estão crescendo cada vez mais é porque tem mais gente vendo (muita gente).

    isso não seria um problema??

  • Cigano

    Engraçado, nos tempos de hoje tá muito mais facil achar estimulos visuais pra punheta.

    …qualquer garoto de 10 11 anos liga o pc e faz a festa.

    Mas na minha opinião, se esses sites estão crescendo cada vez mais é porque tem mais gente vendo (muita gente).

    isso não seria um problema??

  • Cigano

    Engraçado, nos tempos de hoje tá muito mais facil achar estimulos visuais pra punheta.

    …qualquer garoto de 10 11 anos liga o pc e faz a festa.

    Mas na minha opinião, se esses sites estão crescendo cada vez mais é porque tem mais gente vendo (muita gente).

    isso não seria um problema??

  • felipe

    Putz, pra Gina foi foda…ahahauahahuah

    E concordo com o Hugo, aquele Elenita é muito gostosa…..mas a playboy é muito sem graça, ela poderia sair em outras revistas que exploram melhor o corpo da mulher. Playboy anda uma chatice total.

  • felipe

    Putz, pra Gina foi foda…ahahauahahuah

    E concordo com o Hugo, aquele Elenita é muito gostosa…..mas a playboy é muito sem graça, ela poderia sair em outras revistas que exploram melhor o corpo da mulher. Playboy anda uma chatice total.

  • felipe

    Putz, pra Gina foi foda…ahahauahahuah

    E concordo com o Hugo, aquele Elenita é muito gostosa…..mas a playboy é muito sem graça, ela poderia sair em outras revistas que exploram melhor o corpo da mulher. Playboy anda uma chatice total.

  • Dude

    puta que pariu

    bater punheta pra gina foi o AUGE do artigo!!! AHAHUAUHAUHAUHHAUUHAUHAUHAUHAUHA

    graças a deus eu ja nasci numa epoca de abundancia pornografica!

  • Dude

    puta que pariu

    bater punheta pra gina foi o AUGE do artigo!!! AHAHUAUHAUHAUHHAUUHAUHAUHAUHAUHA

    graças a deus eu ja nasci numa epoca de abundancia pornografica!

  • Dude

    puta que pariu

    bater punheta pra gina foi o AUGE do artigo!!! AHAHUAUHAUHAUHHAUUHAUHAUHAUHAUHA

    graças a deus eu ja nasci numa epoca de abundancia pornografica!

  • João carlos

    mulheres no bbb =
    Se for gostosa pra caralho sai na playboy fazendo nu artistico
    Se for só gostosa sai toda ginecologica na sexy
    e se for feia sai toda excapraxada na brazil xxx

  • João carlos

    mulheres no bbb =
    Se for gostosa pra caralho sai na playboy fazendo nu artistico
    Se for só gostosa sai toda ginecologica na sexy
    e se for feia sai toda excapraxada na brazil xxx

  • João carlos

    mulheres no bbb =
    Se for gostosa pra caralho sai na playboy fazendo nu artistico
    Se for só gostosa sai toda ginecologica na sexy
    e se for feia sai toda excapraxada na brazil xxx

  • daniel caliari

    que saudades das revistinhas …. de ir na banca comprar … sem ninguem saber essas não tem como apaga do historico da vida otima materia

  • daniel caliari

    que saudades das revistinhas …. de ir na banca comprar … sem ninguem saber essas não tem como apaga do historico da vida otima materia

  • daniel caliari

    que saudades das revistinhas …. de ir na banca comprar … sem ninguem saber essas não tem como apaga do historico da vida otima materia

  • Ricardo

    Hahahaha… fazer o cinco contra um usando a Gina, coitada, é coisa de muuuuuito tesão acumulado.
    E sobre reinventar negócios no ramo da pornografia, acho que não deve ser tão difícil, basta ter uma mente aberta e boa criatividade. Já vi filmes porno com o plano de fundo de zumbis, filmes porno que fazem paródia com filme e séries famosas, o céu é o limite nesse ramo. Hahaha, mas eu não pretendo seguir isso. :D

  • Ricardo

    Hahahaha… fazer o cinco contra um usando a Gina, coitada, é coisa de muuuuuito tesão acumulado.
    E sobre reinventar negócios no ramo da pornografia, acho que não deve ser tão difícil, basta ter uma mente aberta e boa criatividade. Já vi filmes porno com o plano de fundo de zumbis, filmes porno que fazem paródia com filme e séries famosas, o céu é o limite nesse ramo. Hahaha, mas eu não pretendo seguir isso. :D

  • Ricardo

    Hahahaha… fazer o cinco contra um usando a Gina, coitada, é coisa de muuuuuito tesão acumulado.
    E sobre reinventar negócios no ramo da pornografia, acho que não deve ser tão difícil, basta ter uma mente aberta e boa criatividade. Já vi filmes porno com o plano de fundo de zumbis, filmes porno que fazem paródia com filme e séries famosas, o céu é o limite nesse ramo. Hahaha, mas eu não pretendo seguir isso. :D

  • Capone

    Com certeza a masturbação faz parte da formação de todo adolescente não só do sexo masculino. É necessário.O cara da loja dos vídeos em teoria estava errado pois isso não é permitido mas na prática não estava fazendo nada de mais. Proibir os pré-adolescentes (odeio essa palavra) de usar de material pornográfico é a mesma coisa do que proibir música. É impossível.

  • Capone

    Com certeza a masturbação faz parte da formação de todo adolescente não só do sexo masculino. É necessário.O cara da loja dos vídeos em teoria estava errado pois isso não é permitido mas na prática não estava fazendo nada de mais. Proibir os pré-adolescentes (odeio essa palavra) de usar de material pornográfico é a mesma coisa do que proibir música. É impossível.

  • Capone

    Com certeza a masturbação faz parte da formação de todo adolescente não só do sexo masculino. É necessário.O cara da loja dos vídeos em teoria estava errado pois isso não é permitido mas na prática não estava fazendo nada de mais. Proibir os pré-adolescentes (odeio essa palavra) de usar de material pornográfico é a mesma coisa do que proibir música. É impossível.

  • Nick Storani

    Já assisti um documentário que informou ser a pornografia uma midia ‘informal’ (que não é exibida com muita publicidade) que ultrapassa em expectadores qqer outra mídia forma (aquelas mais expostas ao público) l… ou seja , a audiência do porn é muito superior a qqer outra audiência (Programas de qqer espécie)já inventada…mesmo assim fico com a impressão que não dá pra inventar mais nada….rsssss

  • Nick Storani

    Já assisti um documentário que informou ser a pornografia uma midia ‘informal’ (que não é exibida com muita publicidade) que ultrapassa em expectadores qqer outra mídia forma (aquelas mais expostas ao público) l… ou seja , a audiência do porn é muito superior a qqer outra audiência (Programas de qqer espécie)já inventada…mesmo assim fico com a impressão que não dá pra inventar mais nada….rsssss

  • Nick Storani

    Já assisti um documentário que informou ser a pornografia uma midia ‘informal’ (que não é exibida com muita publicidade) que ultrapassa em expectadores qqer outra mídia forma (aquelas mais expostas ao público) l… ou seja , a audiência do porn é muito superior a qqer outra audiência (Programas de qqer espécie)já inventada…mesmo assim fico com a impressão que não dá pra inventar mais nada….rsssss

  • Aryadne

    só pra registrar q meu domingo passa leve lendo seus ótimos posts
    será q o oposto da sorridente oxigenada gina paliteira, podería ser o sr. hf65?
    não para mim que tenho meus fictícios senhorers dos anéis……mas daria um belo casal ………..beijinhos

  • Aryadne

    só pra registrar q meu domingo passa leve lendo seus ótimos posts
    será q o oposto da sorridente oxigenada gina paliteira, podería ser o sr. hf65?
    não para mim que tenho meus fictícios senhorers dos anéis……mas daria um belo casal ………..beijinhos

  • Aryadne

    só pra registrar q meu domingo passa leve lendo seus ótimos posts
    será q o oposto da sorridente oxigenada gina paliteira, podería ser o sr. hf65?
    não para mim que tenho meus fictícios senhorers dos anéis……mas daria um belo casal ………..beijinhos

  • http://www.abralhos.blogspot.com/ Doug.

    A gina foi também. Rs

    Lembrei do post no churrasco de hoje e resolvi comentar.

    Muito bom.

    ;)

  • http://www.abralhos.blogspot.com/ Doug.

    A gina foi também. Rs

    Lembrei do post no churrasco de hoje e resolvi comentar.

    Muito bom.

    ;)

  • http://www.abralhos.blogspot.com Doug.

    A gina foi também. Rs

    Lembrei do post no churrasco de hoje e resolvi comentar.

    Muito bom.

    ;)

  • http://formspring.me/lucasgas Lucas

    Opaa… se pah qualquer dia tento tocar uma com a Gina… deve ser tenso, mas blz… aqushaushaushaushau

  • http://formspring.me/lucasgas Lucas

    Opaa… se pah qualquer dia tento tocar uma com a Gina… deve ser tenso, mas blz… aqushaushaushaushau

  • http://formspring.me/lucasgas Lucas

    Opaa… se pah qualquer dia tento tocar uma com a Gina… deve ser tenso, mas blz… aqushaushaushaushau

  • Truthspeaker

    Acho que não tem nada de mais alugar porno para as crianças. Errado é o pai não da bola para a vida sexual dos seus filhos, isso sim!

    _________________

    Fugindo um pouco do assunto… talvez até peguem no meu pé por esse comentário, mas:

    Há um tempão atrás, qualquer revista com mulheres de calcinha (aquelas da marisa, por exemplo) já era mais do que suficiente para me ajudar a fazer justiça com as próprias mãos.

    Hoje, depois da tv a cabo, internet, e mais toda essa pornografia de fácil acesso, essa mesma mulher de calcinha da revista me excita cada vez menos. Só me satisfaço com sexo hardcore, e com as mulheres mais gostosas o possível… e isso quando não é necessário mais de um pornô para tanto.

    Não sei muito bem o que acontece comigo, mas decidi nunca mais ver outro porno na vida!

  • Truthspeaker

    Acho que não tem nada de mais alugar porno para as crianças. Errado é o pai não da bola para a vida sexual dos seus filhos, isso sim!

    _________________

    Fugindo um pouco do assunto… talvez até peguem no meu pé por esse comentário, mas:

    Há um tempão atrás, qualquer revista com mulheres de calcinha (aquelas da marisa, por exemplo) já era mais do que suficiente para me ajudar a fazer justiça com as próprias mãos.

    Hoje, depois da tv a cabo, internet, e mais toda essa pornografia de fácil acesso, essa mesma mulher de calcinha da revista me excita cada vez menos. Só me satisfaço com sexo hardcore, e com as mulheres mais gostosas o possível… e isso quando não é necessário mais de um pornô para tanto.

    Não sei muito bem o que acontece comigo, mas decidi nunca mais ver outro porno na vida!

  • Truthspeaker

    Acho que não tem nada de mais alugar porno para as crianças. Errado é o pai não da bola para a vida sexual dos seus filhos, isso sim!

    _________________

    Fugindo um pouco do assunto… talvez até peguem no meu pé por esse comentário, mas:

    Há um tempão atrás, qualquer revista com mulheres de calcinha (aquelas da marisa, por exemplo) já era mais do que suficiente para me ajudar a fazer justiça com as próprias mãos.

    Hoje, depois da tv a cabo, internet, e mais toda essa pornografia de fácil acesso, essa mesma mulher de calcinha da revista me excita cada vez menos. Só me satisfaço com sexo hardcore, e com as mulheres mais gostosas o possível… e isso quando não é necessário mais de um pornô para tanto.

    Não sei muito bem o que acontece comigo, mas decidi nunca mais ver outro porno na vida!

  • Rodrigo

    Cara, era uma LUTA pra conseguir assistir ao Cocktail… tinha que fingir que ia dormir e depois ligar a TV da sala bem devagar, e com o fone de ouvido (sim, a TV lá de casa tinha saída pra fone de ouvido). Daí era um fone só em um ouvido, porque eu precisava escutar se minha mãe abrisse a porta do quarto dela.

    Era praticamente uma operação de guerra. Mas quer saber? Era EMOCIONANTE. Hoje em dia o guri se tranca no quarto e baixa o que quer da internet. Qual a graça?

  • Rodrigo

    Cara, era uma LUTA pra conseguir assistir ao Cocktail… tinha que fingir que ia dormir e depois ligar a TV da sala bem devagar, e com o fone de ouvido (sim, a TV lá de casa tinha saída pra fone de ouvido). Daí era um fone só em um ouvido, porque eu precisava escutar se minha mãe abrisse a porta do quarto dela.

    Era praticamente uma operação de guerra. Mas quer saber? Era EMOCIONANTE. Hoje em dia o guri se tranca no quarto e baixa o que quer da internet. Qual a graça?

  • Rodrigo

    Cara, era uma LUTA pra conseguir assistir ao Cocktail… tinha que fingir que ia dormir e depois ligar a TV da sala bem devagar, e com o fone de ouvido (sim, a TV lá de casa tinha saída pra fone de ouvido). Daí era um fone só em um ouvido, porque eu precisava escutar se minha mãe abrisse a porta do quarto dela.

    Era praticamente uma operação de guerra. Mas quer saber? Era EMOCIONANTE. Hoje em dia o guri se tranca no quarto e baixa o que quer da internet. Qual a graça?

  • http://papodehomem.com.br/ Pablo Fernandes

    Victor, essa série está cada vez melhor. Leio os textos quando manda pra edição e volto pra ler quando estão prontos, é o tipo de leitura que não cansa. Vale cada palavra.

    Aguardo a continução que muito me interessa saber mais.

    Confesso que me senti meio perdido em algumas coisas que citou: Porky’s, Cocktail, catálogos de lingerie das Casas Pernambucanas, nada disso fez parte da minha infância.

    Na minha época já era possível assistir na “Emanuelle” na Bandeirantes.

    Cada ano temos novidades no mundo da pornografia que acompanha aceleradamente o progresso da tecnologia. Por isso, ainda guardo uma boa parte da coleção de revistas que tenho, pra um dia, mostrar pros meus filhos como eram as coisas anos e anos atras.

    Abraços bro.

  • http://papodehomem.com.br/ Pablo Fernandes

    Victor, essa série está cada vez melhor. Leio os textos quando manda pra edição e volto pra ler quando estão prontos, é o tipo de leitura que não cansa. Vale cada palavra.

    Aguardo a continução que muito me interessa saber mais.

    Confesso que me senti meio perdido em algumas coisas que citou: Porky’s, Cocktail, catálogos de lingerie das Casas Pernambucanas, nada disso fez parte da minha infância.

    Na minha época já era possível assistir na “Emanuelle” na Bandeirantes.

    Cada ano temos novidades no mundo da pornografia que acompanha aceleradamente o progresso da tecnologia. Por isso, ainda guardo uma boa parte da coleção de revistas que tenho, pra um dia, mostrar pros meus filhos como eram as coisas anos e anos atras.

    Abraços bro.

  • http://papodehomem.com.br Pablo Fernandes

    Victor, essa série está cada vez melhor. Leio os textos quando manda pra edição e volto pra ler quando estão prontos, é o tipo de leitura que não cansa. Vale cada palavra.

    Aguardo a continução que muito me interessa saber mais.

    Confesso que me senti meio perdido em algumas coisas que citou: Porky’s, Cocktail, catálogos de lingerie das Casas Pernambucanas, nada disso fez parte da minha infância.

    Na minha época já era possível assistir na “Emanuelle” na Bandeirantes.

    Cada ano temos novidades no mundo da pornografia que acompanha aceleradamente o progresso da tecnologia. Por isso, ainda guardo uma boa parte da coleção de revistas que tenho, pra um dia, mostrar pros meus filhos como eram as coisas anos e anos atras.

    Abraços bro.

  • stenio

    vai gina vai gina kkk foi boa…rs

  • stenio

    vai gina vai gina kkk foi boa…rs

  • stenio

    vai gina vai gina kkk foi boa…rs

  • Thales Inácio

    Depois da história da Gina, não há o que comentar…
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Thales Inácio

    Depois da história da Gina, não há o que comentar…
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Thales Inácio

    Depois da história da Gina, não há o que comentar…
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Julio

    Eu digo que a pornografia de 20 anos atrás era bem mais saudável. Achar fotos de mulheres nuas, ver uma playboy, fitas de vídeo, ver filmes tarde da noite na globo ou na band. Tinha tudo um certo tom de mistério, uma magia mesmo. Era algo bem característico da adolescência. Hoje não, hoje tudo é fácil, tem todo tipo de coisa pela internet, chega a ser doentio. Não tem mais a mesma graça de antes, e parece que corrói a cabeça dos moleques. Com 16 anos hoje, qualquer garoto pode ter visto todas as bizarrices da internet, de certo modo isso tira algo do processo de crescimento.

    Digo isso tudo porquê estive nos dois lados: Me lembro de quando via Emmanuelle de madrugada na band e achava o máximo (triste agora, mas antes era a nata das noites), me lembro de quando lutava pra conseguir revista pornô na banca de revista, com medo do cara não vender. Mas com a internet começaram a aparecer os vídeos e fotos de todo lado, de várias pocilgas obscuras da internet, nomeadas tradicionalmente com nomes de mulheres no diminutivo…enfim. Fácil de conseguir, todo mundo tinha uma pasta de pornografia escondida no computador.

    Eu deletei grande parte do que eu tinha guardado. Aquela pornografia “pesada” é uma merda, chega a ser uma deturpação, anormalidade. É um beco sem saída, ficar punhetando na frente de uma computador. Vão viver, putaria de computador dá futuro não.

  • Julio

    Eu digo que a pornografia de 20 anos atrás era bem mais saudável. Achar fotos de mulheres nuas, ver uma playboy, fitas de vídeo, ver filmes tarde da noite na globo ou na band. Tinha tudo um certo tom de mistério, uma magia mesmo. Era algo bem característico da adolescência. Hoje não, hoje tudo é fácil, tem todo tipo de coisa pela internet, chega a ser doentio. Não tem mais a mesma graça de antes, e parece que corrói a cabeça dos moleques. Com 16 anos hoje, qualquer garoto pode ter visto todas as bizarrices da internet, de certo modo isso tira algo do processo de crescimento.

    Digo isso tudo porquê estive nos dois lados: Me lembro de quando via Emmanuelle de madrugada na band e achava o máximo (triste agora, mas antes era a nata das noites), me lembro de quando lutava pra conseguir revista pornô na banca de revista, com medo do cara não vender. Mas com a internet começaram a aparecer os vídeos e fotos de todo lado, de várias pocilgas obscuras da internet, nomeadas tradicionalmente com nomes de mulheres no diminutivo…enfim. Fácil de conseguir, todo mundo tinha uma pasta de pornografia escondida no computador.

    Eu deletei grande parte do que eu tinha guardado. Aquela pornografia “pesada” é uma merda, chega a ser uma deturpação, anormalidade. É um beco sem saída, ficar punhetando na frente de uma computador. Vão viver, putaria de computador dá futuro não.

  • Julio

    Eu digo que a pornografia de 20 anos atrás era bem mais saudável. Achar fotos de mulheres nuas, ver uma playboy, fitas de vídeo, ver filmes tarde da noite na globo ou na band. Tinha tudo um certo tom de mistério, uma magia mesmo. Era algo bem característico da adolescência. Hoje não, hoje tudo é fácil, tem todo tipo de coisa pela internet, chega a ser doentio. Não tem mais a mesma graça de antes, e parece que corrói a cabeça dos moleques. Com 16 anos hoje, qualquer garoto pode ter visto todas as bizarrices da internet, de certo modo isso tira algo do processo de crescimento.

    Digo isso tudo porquê estive nos dois lados: Me lembro de quando via Emmanuelle de madrugada na band e achava o máximo (triste agora, mas antes era a nata das noites), me lembro de quando lutava pra conseguir revista pornô na banca de revista, com medo do cara não vender. Mas com a internet começaram a aparecer os vídeos e fotos de todo lado, de várias pocilgas obscuras da internet, nomeadas tradicionalmente com nomes de mulheres no diminutivo…enfim. Fácil de conseguir, todo mundo tinha uma pasta de pornografia escondida no computador.

    Eu deletei grande parte do que eu tinha guardado. Aquela pornografia “pesada” é uma merda, chega a ser uma deturpação, anormalidade. É um beco sem saída, ficar punhetando na frente de uma computador. Vão viver, putaria de computador dá futuro não.

  • Mars

    Cara, esse negócio de “pureza” antiga, não cola.

    Meu pai, que teve a adolescência nas décadas de 50 e 60, foi para a zona pela primeira vez com 12 anos, fumou pela primeira vez aos 13, dirigia diariamente por trabalho aos 15 anos, e começou a trabalhar aos 10 anos.

    E essa era a grande realidade da molecada dessas décadas em cidades do interior e no campo.

    Nada disso fez ele uma pessoa uma má pessoa, corrupta, sem integridade. Pelo contrário, o cara é um Lord que eu nunca vou, e nem quero, chegar no nível. Duvidei muito dele até tios, amigos e vizinhos confirmarem as façanhas dele e adicionarem as deles próprios.

    Moleque de hoje seria tachado de pó de arroz e bicha décadas atrás. Sério, sem páreo.

    Sem zona, com ECA, e mães com menos filhos, ficou completamente difícil a vida dos adolescentes.

    A internet ta ai com tudo de bom que tem na pornografia, mas ela só forma punheteiros que se sentem bem acolhidos nas asas da mamãe e protegidos nos muros de casa. Não a toa a mulherada tá caindo matando em cima dos homens, compromissados ou não, e namorando outras mulheres: homens de verdade que sabem pelo menos conversar com uma mulher são cada dia mais raros.

    Sem essa de pureza, o mundo sempre foi uma bela putaria, só que escondida e reprimida!

  • Mars

    Cara, esse negócio de “pureza” antiga, não cola.

    Meu pai, que teve a adolescência nas décadas de 50 e 60, foi para a zona pela primeira vez com 12 anos, fumou pela primeira vez aos 13, dirigia diariamente por trabalho aos 15 anos, e começou a trabalhar aos 10 anos.

    E essa era a grande realidade da molecada dessas décadas em cidades do interior e no campo.

    Nada disso fez ele uma pessoa uma má pessoa, corrupta, sem integridade. Pelo contrário, o cara é um Lord que eu nunca vou, e nem quero, chegar no nível. Duvidei muito dele até tios, amigos e vizinhos confirmarem as façanhas dele e adicionarem as deles próprios.

    Moleque de hoje seria tachado de pó de arroz e bicha décadas atrás. Sério, sem páreo.

    Sem zona, com ECA, e mães com menos filhos, ficou completamente difícil a vida dos adolescentes.

    A internet ta ai com tudo de bom que tem na pornografia, mas ela só forma punheteiros que se sentem bem acolhidos nas asas da mamãe e protegidos nos muros de casa. Não a toa a mulherada tá caindo matando em cima dos homens, compromissados ou não, e namorando outras mulheres: homens de verdade que sabem pelo menos conversar com uma mulher são cada dia mais raros.

    Sem essa de pureza, o mundo sempre foi uma bela putaria, só que escondida e reprimida!

  • Mars

    Cara, esse negócio de “pureza” antiga, não cola.

    Meu pai, que teve a adolescência nas décadas de 50 e 60, foi para a zona pela primeira vez com 12 anos, fumou pela primeira vez aos 13, dirigia diariamente por trabalho aos 15 anos, e começou a trabalhar aos 10 anos.

    E essa era a grande realidade da molecada dessas décadas em cidades do interior e no campo.

    Nada disso fez ele uma pessoa uma má pessoa, corrupta, sem integridade. Pelo contrário, o cara é um Lord que eu nunca vou, e nem quero, chegar no nível. Duvidei muito dele até tios, amigos e vizinhos confirmarem as façanhas dele e adicionarem as deles próprios.

    Moleque de hoje seria tachado de pó de arroz e bicha décadas atrás. Sério, sem páreo.

    Sem zona, com ECA, e mães com menos filhos, ficou completamente difícil a vida dos adolescentes.

    A internet ta ai com tudo de bom que tem na pornografia, mas ela só forma punheteiros que se sentem bem acolhidos nas asas da mamãe e protegidos nos muros de casa. Não a toa a mulherada tá caindo matando em cima dos homens, compromissados ou não, e namorando outras mulheres: homens de verdade que sabem pelo menos conversar com uma mulher são cada dia mais raros.

    Sem essa de pureza, o mundo sempre foi uma bela putaria, só que escondida e reprimida!

  • Julio

    Falei de algo que se perdeu, mas não é pureza. Se perdeu exatamente a vivência, se perdeu a autenticidade. Enquanto seu pai, o meu e de muitos outros aqui estavam crescendo com essas coisas hoje os garotos crescem vendo a internet, e é tudo o que eles querem.

    Seu pai foi na zona com 12 anos. Com 12 anos os moleques hoje estão vendo vídeos de mulheres com cavalos, e outros do naipe de 2 girls 1 cup. O que você acha que contribui mais pra formação de alguém? Não estou dizendo pra levar os adolescentes todos pros puteiros, mas pelo menos isso ajudava mais a formar o caráter de alguém há 50 anos do que a internet com sua vasta coleção de putaria.

  • Julio

    Falei de algo que se perdeu, mas não é pureza. Se perdeu exatamente a vivência, se perdeu a autenticidade. Enquanto seu pai, o meu e de muitos outros aqui estavam crescendo com essas coisas hoje os garotos crescem vendo a internet, e é tudo o que eles querem.

    Seu pai foi na zona com 12 anos. Com 12 anos os moleques hoje estão vendo vídeos de mulheres com cavalos, e outros do naipe de 2 girls 1 cup. O que você acha que contribui mais pra formação de alguém? Não estou dizendo pra levar os adolescentes todos pros puteiros, mas pelo menos isso ajudava mais a formar o caráter de alguém há 50 anos do que a internet com sua vasta coleção de putaria.

  • Julio

    Falei de algo que se perdeu, mas não é pureza. Se perdeu exatamente a vivência, se perdeu a autenticidade. Enquanto seu pai, o meu e de muitos outros aqui estavam crescendo com essas coisas hoje os garotos crescem vendo a internet, e é tudo o que eles querem.

    Seu pai foi na zona com 12 anos. Com 12 anos os moleques hoje estão vendo vídeos de mulheres com cavalos, e outros do naipe de 2 girls 1 cup. O que você acha que contribui mais pra formação de alguém? Não estou dizendo pra levar os adolescentes todos pros puteiros, mas pelo menos isso ajudava mais a formar o caráter de alguém há 50 anos do que a internet com sua vasta coleção de putaria.

  • Patrick Martins

    Show o post!

    nota 10 o comentário acima.

    Quanto ao colega que comentou que pouco bastava, e agora precisa de ‘mais’, vejo como normal do tempo.

  • Patrick Martins

    Show o post!

    nota 10 o comentário acima.

    Quanto ao colega que comentou que pouco bastava, e agora precisa de ‘mais’, vejo como normal do tempo.

  • Patrick Martins

    Show o post!

    nota 10 o comentário acima.

    Quanto ao colega que comentou que pouco bastava, e agora precisa de ‘mais’, vejo como normal do tempo.

  • http://fromvictorwithlove.com/diario Victor

    Muito bacanas esses comentários!

    Diferente do que costumo fazer, não vou me dirigir a nenhum comentário específico, apenas me juntar à conversa com os pontos que achei que posso contrbuir com algo.

    De fato, muita coisa que falei não vai conectar com a realidade dos mais novos. E essa era a idéia: de mostrar como o mundo informacional era diferente duas décadas atrás.

    E isso significa que muito provavelmente a realidade que temos hoje pode mudar. Já houve tentativas de segmentar o conteúdo pornográfico com técnicas de nome de domínio (o .xxx), além de outras ferramentas que agora não vêm ao caso.

    Pessoalmente, eu sou da corrente da turma que acha que a experiência sexual de descobertas para o moleque que cresceu algumas décadas atrás era muito mais interessante.

    Eu tenho um amigo que costuma dizer que pornografia é igual droga. Começa de leve… e daí o estímulo tem que ser sempre crescente… Primeiro você se excita olhando uma foto de catálogo de lingerie… até que aquilo não dá mais tesão e você quer um nu completo estilo Playboy. Depois, é a fase de fotos mais ginecológicas como da Penthouse ou Hustler. Mais tarde tem que ser com penetração. E em alguns casos precisa de vir com elementos bizarros na fase final (que ainda bem que não é a minha praia… ainda)

    Abraços e em breve vem a continuação!

  • http://fromvictorwithlove.com/diario Victor

    Muito bacanas esses comentários!

    Diferente do que costumo fazer, não vou me dirigir a nenhum comentário específico, apenas me juntar à conversa com os pontos que achei que posso contrbuir com algo.

    De fato, muita coisa que falei não vai conectar com a realidade dos mais novos. E essa era a idéia: de mostrar como o mundo informacional era diferente duas décadas atrás.

    E isso significa que muito provavelmente a realidade que temos hoje pode mudar. Já houve tentativas de segmentar o conteúdo pornográfico com técnicas de nome de domínio (o .xxx), além de outras ferramentas que agora não vêm ao caso.

    Pessoalmente, eu sou da corrente da turma que acha que a experiência sexual de descobertas para o moleque que cresceu algumas décadas atrás era muito mais interessante.

    Eu tenho um amigo que costuma dizer que pornografia é igual droga. Começa de leve… e daí o estímulo tem que ser sempre crescente… Primeiro você se excita olhando uma foto de catálogo de lingerie… até que aquilo não dá mais tesão e você quer um nu completo estilo Playboy. Depois, é a fase de fotos mais ginecológicas como da Penthouse ou Hustler. Mais tarde tem que ser com penetração. E em alguns casos precisa de vir com elementos bizarros na fase final (que ainda bem que não é a minha praia… ainda)

    Abraços e em breve vem a continuação!

  • http://fromvictorwithlove.com/diario Victor

    Muito bacanas esses comentários!

    Diferente do que costumo fazer, não vou me dirigir a nenhum comentário específico, apenas me juntar à conversa com os pontos que achei que posso contrbuir com algo.

    De fato, muita coisa que falei não vai conectar com a realidade dos mais novos. E essa era a idéia: de mostrar como o mundo informacional era diferente duas décadas atrás.

    E isso significa que muito provavelmente a realidade que temos hoje pode mudar. Já houve tentativas de segmentar o conteúdo pornográfico com técnicas de nome de domínio (o .xxx), além de outras ferramentas que agora não vêm ao caso.

    Pessoalmente, eu sou da corrente da turma que acha que a experiência sexual de descobertas para o moleque que cresceu algumas décadas atrás era muito mais interessante.

    Eu tenho um amigo que costuma dizer que pornografia é igual droga. Começa de leve… e daí o estímulo tem que ser sempre crescente… Primeiro você se excita olhando uma foto de catálogo de lingerie… até que aquilo não dá mais tesão e você quer um nu completo estilo Playboy. Depois, é a fase de fotos mais ginecológicas como da Penthouse ou Hustler. Mais tarde tem que ser com penetração. E em alguns casos precisa de vir com elementos bizarros na fase final (que ainda bem que não é a minha praia… ainda)

    Abraços e em breve vem a continuação!

  • http://migre.me/fTE3 Agatha Ottoni

    membro roliço de carne em osso na vagina, isso sim meu amor!

  • http://migre.me/fTE3 Agatha Ottoni

    membro roliço de carne em osso na vagina, isso sim meu amor!

  • http://migre.me/fTE3 Agatha Ottoni

    membro roliço de carne em osso na vagina, isso sim meu amor!

  • Marte

    Julio,

    Mas eu concordo contigo. Não me expressei muito bem, aliás, tentei expressar tudo e saiu conteúdo fora do contexto, falha minha, desculpe-me.

    Vou abordar o caso sem lição de moral: O fato de um adolescente se dirigir à zona, seja de bicicleta ou cavalo, frequentar um ambiente adulto, procurar e ter uma relação sexual, e paga-la, forma um adulto muito mais completo doque qualquer super-educação atual regada à internet e “sob os olhos da mãe” dentro de casa.

    No mínimo o cara aprendia: a se defender (já que o ambiente era forrado de bêbados, bandidos, policiais, policiais-bandidos, e afins!); a conversar com uma mulher, porque puta dá por dinheiro mas é metida (de todos os modos possíveis da palavra); a cuidar, poupar e lidar com dinheiro, senão a prostituta morde a grana feio e não mostra nem um mamilo; e sei lá, a se locomover com segurança pela cidade.

    Eu me expressei mal, oque quis dizer é que em décadas passadas o encontro com a pornografia era muito mais real e palpável, literalmente, do que hoje, mas sem prejuízo para sociedade.

    Mas o Jânio Quadros quis acabar com a festa e conseguiu. Se unissem a organização das zonas do passado com a liberdade e autonomia feminina de hoje (porque era puta sacanagem a mulher dar uma vez e ser taxada de puta, e empurrada para essa vida!), todos sairiam ganhando.

    PS: Digo que era organizado porque é o que me diziam. Tinha policiamento na área, da zona, e fiscalização da saúde das mulheres. Se alguma mulher estivesse “doente” (sei lá, sífilis, gonorréia, aquelas coisas nojentas que “slideavam” na escola!) e não se afastasse, a polícia fechava a “casa”. Isso é o que os mais antigos me contaram, não tenho documentos que provem mas vou dar uma pesquisada.

  • Marte

    Julio,

    Mas eu concordo contigo. Não me expressei muito bem, aliás, tentei expressar tudo e saiu conteúdo fora do contexto, falha minha, desculpe-me.

    Vou abordar o caso sem lição de moral: O fato de um adolescente se dirigir à zona, seja de bicicleta ou cavalo, frequentar um ambiente adulto, procurar e ter uma relação sexual, e paga-la, forma um adulto muito mais completo doque qualquer super-educação atual regada à internet e “sob os olhos da mãe” dentro de casa.

    No mínimo o cara aprendia: a se defender (já que o ambiente era forrado de bêbados, bandidos, policiais, policiais-bandidos, e afins!); a conversar com uma mulher, porque puta dá por dinheiro mas é metida (de todos os modos possíveis da palavra); a cuidar, poupar e lidar com dinheiro, senão a prostituta morde a grana feio e não mostra nem um mamilo; e sei lá, a se locomover com segurança pela cidade.

    Eu me expressei mal, oque quis dizer é que em décadas passadas o encontro com a pornografia era muito mais real e palpável, literalmente, do que hoje, mas sem prejuízo para sociedade.

    Mas o Jânio Quadros quis acabar com a festa e conseguiu. Se unissem a organização das zonas do passado com a liberdade e autonomia feminina de hoje (porque era puta sacanagem a mulher dar uma vez e ser taxada de puta, e empurrada para essa vida!), todos sairiam ganhando.

    PS: Digo que era organizado porque é o que me diziam. Tinha policiamento na área, da zona, e fiscalização da saúde das mulheres. Se alguma mulher estivesse “doente” (sei lá, sífilis, gonorréia, aquelas coisas nojentas que “slideavam” na escola!) e não se afastasse, a polícia fechava a “casa”. Isso é o que os mais antigos me contaram, não tenho documentos que provem mas vou dar uma pesquisada.

  • Marte

    Julio,

    Mas eu concordo contigo. Não me expressei muito bem, aliás, tentei expressar tudo e saiu conteúdo fora do contexto, falha minha, desculpe-me.

    Vou abordar o caso sem lição de moral: O fato de um adolescente se dirigir à zona, seja de bicicleta ou cavalo, frequentar um ambiente adulto, procurar e ter uma relação sexual, e paga-la, forma um adulto muito mais completo doque qualquer super-educação atual regada à internet e “sob os olhos da mãe” dentro de casa.

    No mínimo o cara aprendia: a se defender (já que o ambiente era forrado de bêbados, bandidos, policiais, policiais-bandidos, e afins!); a conversar com uma mulher, porque puta dá por dinheiro mas é metida (de todos os modos possíveis da palavra); a cuidar, poupar e lidar com dinheiro, senão a prostituta morde a grana feio e não mostra nem um mamilo; e sei lá, a se locomover com segurança pela cidade.

    Eu me expressei mal, oque quis dizer é que em décadas passadas o encontro com a pornografia era muito mais real e palpável, literalmente, do que hoje, mas sem prejuízo para sociedade.

    Mas o Jânio Quadros quis acabar com a festa e conseguiu. Se unissem a organização das zonas do passado com a liberdade e autonomia feminina de hoje (porque era puta sacanagem a mulher dar uma vez e ser taxada de puta, e empurrada para essa vida!), todos sairiam ganhando.

    PS: Digo que era organizado porque é o que me diziam. Tinha policiamento na área, da zona, e fiscalização da saúde das mulheres. Se alguma mulher estivesse “doente” (sei lá, sífilis, gonorréia, aquelas coisas nojentas que “slideavam” na escola!) e não se afastasse, a polícia fechava a “casa”. Isso é o que os mais antigos me contaram, não tenho documentos que provem mas vou dar uma pesquisada.

  • Pingback: [PdH Porn] Especial Campus Party 2010 | Papo de Homem – Lifestyle Magazine

  • Pingback: Links Interessantes… | Sedentário & Hiperativo

  • Pingback: [PdH Porn] Onde está o dinheiro? Breve história da pornografia digital | Papo de Homem – Lifestyle Magazine

  • senam

    Coitada da Gina não bastasse viver cheia de pau dentro ainda tinha de levar esporrada na cara. Quanto a pornografia esqueceram do Cordel aquelas revistinhas do Carlos Zefiro desenhos em P&B que eram dificeis de comprar mas eram uma delicia de ler.Depois mais tarde vieram as de fotos e depois as de fotos a cores. Eram o melhor sexo explicito da época. CONTAVA-SE que um pai chamou o filho, quando fez doze anos, lhe deu um dinheiro e o mandou ir na zona, pois estava na hora dele conhecer o que era sexo. O garoto foi e quando voltou o pai quis saber o que ele tinha achado. E aí filho, foi na zona? Fui respondeu ao pai. Gostou? Gostei pai. Quando você vai de novo? Ah pai, agora só quando a bundinha parar de doer.

  • Espinhento

    Cara vc esqueceu de mencionar aquelas caixinhas de plástico (tipo chaveirinho) que vc olhava dentro pela pequena lente e via uma foto de 50 polegadas. Dava pra bater bronha até doer a glande.

    Quanto aos catálogos, meu favorito era a seção de langerie da Hermes.

    Tinha também os caras que eram bons de desenho e faziam desenhos de sacanagem que rodavam de mão em mão.

    Nas locadoras eu nunca consegui alugar filme de sexo, os caras não deixavam. Mas nas bancas eu conhecia um brother que vendia discretamente as revistas pra turma do bairro.

    Por falar em revistas, até final dos anos 80, era comum uma tarja preta na embalagem da revista onde so aparecia o rosto da mulher fingindo que tava gozando e o nome da revista. Só de ver uma capa destas já dava pra correr pro banheiro pra se acabar.

    Tinha o Chacrinha com aquelas coroas pernudas rebolando de maiô. Putz, eu era criança 6 anos, sequer sabia o que era sexo, e já ficava tarado de tesão, ficava tentando enteder porque meu pintinho ficava duro olhando pra aquelas coroas mostrando quase nada.

    Tinha o “Documento Reporter” que sempre mostrava um pouquinho de sacanagem nas madrugadas (TV Manchete), o ruim era aguentar o sono pra poder assistir, no dia seguinte tinha sempre um metidão que tinha visto tudo e nem sentiu sono.

    Na falta de material pornografico, a opção da hora era prestar atenção nas meninas gatinhas do bairro que passavam pra lá e pra cá ou nas lindinhas da escola, e memorizar os rostinhos pra depois fantasiar com essas lindinhas fazendo tudo que eu queria na hora da bronha.

    Hoje com a WEB eu tenho tanto material e me masturbo tanto, mas tanto, que encontrar este artigo foi um achado pra me lembrar como era mais divertido quando eu era criança e adolescente.

    Valeu.

  • Espinhento

    Cara vc esqueceu de mencionar aquelas caixinhas de plástico (tipo chaveirinho) que vc olhava dentro pela pequena lente e via uma foto de 50 polegadas. Dava pra bater bronha até doer a glande.

    Quanto aos catálogos, meu favorito era a seção de langerie da Hermes.

    Tinha também os caras que eram bons de desenho e faziam desenhos de sacanagem que rodavam de mão em mão.

    Nas locadoras eu nunca consegui alugar filme de sexo, os caras não deixavam. Mas nas bancas eu conhecia um brother que vendia discretamente as revistas pra turma do bairro.

    Por falar em revistas, até final dos anos 80, era comum uma tarja preta na embalagem da revista onde so aparecia o rosto da mulher fingindo que tava gozando e o nome da revista. Só de ver uma capa destas já dava pra correr pro banheiro pra se acabar.

    Tinha o Chacrinha com aquelas coroas pernudas rebolando de maiô. Putz, eu era criança 6 anos, sequer sabia o que era sexo, e já ficava tarado de tesão, ficava tentando enteder porque meu pintinho ficava duro olhando pra aquelas coroas mostrando quase nada.

    Tinha o “Documento Reporter” que sempre mostrava um pouquinho de sacanagem nas madrugadas (TV Manchete), o ruim era aguentar o sono pra poder assistir, no dia seguinte tinha sempre um metidão que tinha visto tudo e nem sentiu sono.

    Na falta de material pornografico, a opção da hora era prestar atenção nas meninas gatinhas do bairro que passavam pra lá e pra cá ou nas lindinhas da escola, e memorizar os rostinhos pra depois fantasiar com essas lindinhas fazendo tudo que eu queria na hora da bronha.

    Hoje com a WEB eu tenho tanto material e me masturbo tanto, mas tanto, que encontrar este artigo foi um achado pra me lembrar como era mais divertido quando eu era criança e adolescente.

    Valeu.

Papo de homem recomenda

Assine o Papo de homem

Curta o PdH no Facebook
  • 5523 artigos
  • 660998 comentários
  • leitores online