Pague primeiro a si mesmo

Fabricio Stefani Peruzzo

por
em às | Dr. Money, Trabalho e negócios


Você certamente já leu ou ouviu falar isso diversas vezes: pague primeiro a si mesmo é o mantra da educação financeira. Não há um livro que não cite isto como a primeira ação a tomar para assumir o controle financeiro de sua vida ou mesmo como a atitude necessária para enriquecer. E mesmo assim, você não segue essa regra essencial. Ou acha que segue, sem saber que está fazendo algo errado.

O que NÃO É pagar a si mesmo primeiro

  • Juntar dinheiro para trocar de carro não é pagar a si mesmo primeiro;
  • Comprar um notebook não é pagar a si mesmo primeiro;
  • Separar uma parte do que ganha todo mês e guardar debaixo do colchão não é pagar a si mesmo primeiro;
  • Comprar aquela bolsa maravilhosa a vista não é pagar a si mesmo primeiro;
  • Dar-se qualquer coisa de presente, antes de pagar suas contas não é pagar a si mesmo primeiro…

Fui claro?

O que É pagar a si mesmo primeiro

Pagar primeiro a si mesmo é simples, mas para ser efetivo tem que ser automático, um hábito, algo que nunca deixe de ser feito. Pagar primeiro a si mesmo é o ato de separar uma parte pré-determinada de tudo o que você ganha e fazer esse dinheiro trabalhar para você.

Vamos analisar esta definição de maneira mais profunda.

Separar uma parte pré-determinada significa que você mesmo define quanto do que ganhar será separado. Uma definição comum costuma ser separar 10% do que você ganha. Se você ganhar realmente muito pouco talvez seja necssário começar separando um pouco menos, 5% ou até mesmo 3% e aos poucos ir aumentando este percentual. Mas para a grande maioria das pessoas, 10% é um bom valor, então vamos fixar isso como nosso objetivo.

De tudo o que você ganha já diz tudo. Tudo é realmente tudo. Salário, bônus, bicos, 13º, férias, trabalho autônomo, consultoria nas horas vagas, publicidade em seu blog, tudo. Sobre o ganho bruto, antes de descontar taxas e impostos. Antes de descontar INSS e vale transporte, para quem recebe salário.

E fazer esse dinheiro trabalhar para você simplesmente descarta a possibilidade de gastar esse dinheiro em qualquer coisa que não traga rendimentos para fazê-lo crescer. Trocar de carro não pode. Comprar um novo telefone celular? Fala sério! Enquanto esse valor é baixo, no início, simplesmente joga o dinheiro em uma caderneta de poupança. Quando for um pouco maior, um fundo de renda fixa ajuda a ganhar um pouco mais. Outras aplicações que rendem mais? Esquece. Não é para este dinheiro. Não neste momento, pelo menos.

Quem nunca quis uma dessas? Então presta atenção no artigo, Dr. Money te mostra o caminho.

Quem nunca quis uma dessas? Então presta atenção no artigo, Dr. Money te mostra o caminho.

Tomar conta do seu dinheiro é um processo vital

Seu dinheiro e sua habilidade em fazê-lo crescer são como um bebê. No início, tudo parece difícil. Levantar a cabecinha, engatinhar, falar as primeiras palavras. Tudo é novidade. O bebê vê os adultos caminhando e tenta imitar, caindo diversas vezes antes de conseguir andar sozinho.

Com seu dinheiro é a mesma coisa, com uma sutil diferença. Você pode fazer seu dinheiro aprender a caminhar sem deixar ele se machucar ou correr grandes riscos. Você pode treinar com valores menores, valores extras, além daqueles 10% que definimos para pagar a si mesmo. Seria como ensinar seu bebê a andar sem que ele corresse o risco de cair, mostrando a ele um boneco caindo no seu lugar.

Vamos imaginar que ao longo de dois anos você tenha juntado R$ 5000 na caderneta de poupança. O valor não interessa, o prazo sim. O valor depende da capacidade de ganhar dinheiro de cada pessoa, isso é assunto para outra hora. Já o tempo, é algo necessário para o aprendizado, para a observação.

Continuando nosso exercício, imagine que você começou a pagar a si mesmo no mês em que receberia o 13º salário. Separou os 10% para colocar na poupança e com o restante, que decidiu não gastar, dividiu para aplicar em dois fundos, um de renda fixa pré-fixada e um DI pós-fixado. Você ouviu falar que ambos eram seguros e que renderiam mais do que a poupança e resolveu aprender sobre ambos na prática. Aquele 13º salário foi bem utilizado.

Ao longo dos meses seguintes você continuou separando 10% de tudo o que ganhava para colocar na poupança. Mas acompanhava mensalmente suas duas outras aplicações e eventualmente lia um ou outro artigo que explicavam uma dessas aplicações. Nestes dois anos você aprendeu na teoria (lendo os artigos) e na prática (através de seus investimentos) que os fundos pré-fixados tendem a render mais quando os juros estão caindo. E que os fundos pós-fixados tendem a render mais quando os juros sobem. Mais que isso, você aprendeu que o risco de perda em um destes fundos é extremamente baixo, é o risco do próprio país quebrar, já que estes fundos investem principalmente em títulos do governo. E aprendeu na prática que esses fundos rendem mais que a poupança. Você aprendeu. Sabe o que faz. Viveu o processo. E transfere todo o dinheiro da poupança para um destes fundos, o que deve render mais de acordo com a tendência da taxa de juros ou o que for mais adequado aos seus objetivos. Como no caso você pensa no longo prazo, esse dinheiro está lá para render para seu futuro, você opta pelo fundo DI. Seu dinheiro está trabalhando para você. E está trabalhando melhor do que quando estava na poupança.

O aprendizado é continuo, aprendemos todos os dias

Certo dia você ouve falar no Tesouro Direto. Vai no site, pesquisa artigos e descobre que você pode comprar diretamente os títulos do governo que seu fundo de investimentos adquire com suas aplicações. E melhor, pode fazer isso sem precisar pagar a taxa de administração que o banco cobra para gerenciar sua aplicação.

Você nota que há um pequeno inconveniente, você não pode dispor de seu dinheiro sempre que quiser. O governo garante a recompra dos títulos mas somente as quartas-feiras. Você pensa um pouco e decide que está tudo bem, já que este é o dinheiro que trabalha para você. Não há ainda previsão de quando você irá utilizar ele. E então, na nova aplicação, seu dinheiro trabalha melhor, rende mais, paga menos taxas, cresce mais rápido.

Amigos, TV, jornais, até o taxista…

Nada contra os taxistas, muito pelo contrário, em um artigo futuro vou mostrar como é muito mais barato andar de táxi com regularidade do que possuir um carro. Mas há um ditado que diz que quando até os taxistas estão falando de determinado investimento, é hora de tirar seu dinheiro de lá.

Meados de outubro de 2008, nosso amigo taxista achava uma boa idéia investir na bolsa.

Meados de outubro de 2008, nosso amigo taxista achava uma boa idéia investir na bolsa.

Você fica curioso com a aplicação em ações e resolve aprender como funciona. É complicado, muitos termos novos, análise gráfica, análise fundamentalista, dividendos, opções, suporte, resistência, operações a termo, …

Resolve aplicar na prática enquanto aprende, lendo mais sobre o assunto. Escolhe um fundo de ações recomendado por seu gerente do banco, até porque não sabe ainda como adquirir diretamente as ações individuais de cada empresa, e mesmo que soubesse, não saberia quais escolher.

Claro que o valor investido é baixo, afinal, você ainda está aprendendo. E é um valor que sobrou este mês, nada de sua aplicação no Tesouro Direto foi tocada.

No primeiro mês seu dinheiro rende 8%. Muitas vezes mais que o Tesouro Direto. Mas você não faz idéia dos motivos de ter conseguido este rendimento excepcional, então não pode chamar isso de investimento, mas sim, de sorte. Os meses passam, seus investimentos crescem. Então passam alguns meses e você descobre que tem menos do que havia investido originalmente, muitos meses antes. O que aconteceu? Você se descuidou. Deixou de acompanhar seu investimento quando tudo ia bem. Quando o valor das ações começou a cair você não deu atenção, achou que era temporário, apenas um mês ruim. Mas você ainda não sabia como este investimento funcionava, então passou a jogar. Você achava que iria ter um resultado, mas não sabia o porquê, era apenas “achar”. As quedas continuaram e você alí, vendo seu dinheiro minguar. Então assumiu o prejuízo e tirou o dinheiro do fundo de ações. Dois meses depois calculava que se tivesse deixado seu dinheiro aplicado, teria o dobro do que conseguiu recuperar ao tirar seu dinheiro antecipadamente.

Analisando o que fez, descobriu que não estava investindo. Estava, isto sim, em um grande casino a céu aberto. Não sabia o que estava fazendo, não sabia onde seu dinheiro estava investido, não conhecia nem as empresas nem os setores onde elas atuam. Jogo, puro e simples jogo. Bem diferente de investir, quando você protege o valor principal, pode calcular os riscos de perda e estimar quanto irá ganhar.

Onde está o perigo?

Então investir na bolsa é um jogo perigoso onde posso perder todo meu dinheiro? NÃO, não é isto que estou dizendo. O que é um jogo perigoso onde você pode perder todo o seu dinheiro é investir no que você ainda não conhece.

Imagine que você seja um engenheiro que trabalha há vinte anos projetando e construindo prédios residenciais em São Paulo. Um dia você recebe um panfleto na sinaleira falando do lançamento de um novo prédio na região onde você já acompanhou a venda de outros tantos prédios semelhantes. Investir neste lançamento, comprando um apartamento na planta para vender quando o prédio estiver concluído é um bom investimento ou não? Se eu fosse tal engenheiro, saberia a resposta e poderia investir nisto com segurança, ou dizer que o investimento é ruim, sabendo porque. Minha experiência, meu conhecimento da região, me dariam subsídios para decidir se é ou não um bom investimento. Como sou de Porto Alegre e só conheço São Paulo a passeio ou a trabalho, mas não como investidor imobiliário, não tenho os conhecimentos necessários para tomar uma decisão segura.

Isso não quer dizer que não podemos investir no que ainda não conhecemos, apenas que precisamos fazer o dever de casa e aprender o que precisamos saber para tomar a melhor decisão. No caso acima, bastaria pesquisar os prédios semelhantes construídos nos anos anteriores, ver o valor de lançamento deles e analisar os valores de venda após a conclusão, verificando se a lucratividade obtida foi alta o suficiente para valer os riscos.

Conhecer os resultados reais de outras pessoas, de nossos amigos, também nos permite analisar um investimento como se estivessemos dentro dele. Toda minha empresa de investimento em consórcios está baseada nisso. Só vendo cartas de consórcio para investimento hoje em dia, porque tenho sete anos de histórico de lucros pessoais neste investimento. Quem adquire hoje um consórcio comigo, o faz porque conhece meus resultados pessoais e também os resultados de dezenas de clientes e amigos que resolveram compartilhar suas experiências. A grande maioria dos novos investidores em consórcios comigo faz isso por indicação de algum amigo que já lucrou na prática e mostrou a eles seus resultados pessoais.

"Não levei o Dr. Money a sério. Hoje tudo que tenho é esse chapéu feio..."

"Não levei o Dr. Money a sério. Hoje tudo que tenho é esse chapéu feio..."

Resumindo o que aprendemos até agora:

  • Pague primeiro a si mesmo, fazendo seu dinheiro trabalhar para você.
  • Tomar conta de seu dinheiro é um processo que dura toda a vida.
  • Não podemos seguir cegamente as multidões. Precisamos assumir nossa tarefa de aprender o que fazer com nosso dinheiro.

No próximo artigo vou comentar sobre motivos nobres que insistem em nos separar do dinheirinho que suamos para guardar e como nos proteger disso.

Aproveitem os comentários para contar se vocês pagam a si mesmos primeiro, que percentual separam, como investem esse dinheiro para fazer ele crescer, porque fazem dessa forma e que resultados estão obtendo.

Grande abraço, sucesso e muitos rendimentos.

Fabricio Stefani Peruzzo

Fabricio Stefani Peruzzo é empresário e investidor. Financeiramente independente desde os 35 anos, ajuda as pessoas na trilha da independência financeira e construção de patrimônio. Saiba mais em http://www.peruzzo.org e http://www.investimentoemimovel.com.br


Outros artigos escritos por

Somos entusiastas do embate saudável

O texto acima não representa a opinião do PapodeHomem. Somos um espaço plural, aberto a visões contraditórias. Conheça nossa visão e a essência do que fazemos. Você pode comentar abaixo ou ainda nos enviar um artigo para publicação.


EXPLODA SEU EMAIL

Enviamos um único email por dia, com nossos textos. Cuidado, ele é radioativo.


TEXTOS RELACIONADOS

Queremos uma discussão de alto nível, sem frescuras e bem humorada. Portanto, leia nossa Política de Comentários.


  • Klein

    Eu como estudante não tenho renda fixa.

    Nos primeiros meses da faculdade recebi muito mais do que precisava e sempre gastei com bobagem, como comer sempre fora.

    Hoje, não faço como você diz no artigo, boto o dinheiro pra trabalhar em poupança, até porque a quantia que separo acho muito pouca pra isso.

    Mais com essa grana, depois de alguns meses sempre compro algo para mim.

    Acho que deve esperar me formar e ter a minha própria renda como engenheiro, ai sim pensar em investir esses 5% / 10%.

    Mais valeu pelo artigo foi muito bem escrito, vou indicar para meus pais.

  • Klein

    Eu como estudante não tenho renda fixa.

    Nos primeiros meses da faculdade recebi muito mais do que precisava e sempre gastei com bobagem, como comer sempre fora.

    Hoje, não faço como você diz no artigo, boto o dinheiro pra trabalhar em poupança, até porque a quantia que separo acho muito pouca pra isso.

    Mais com essa grana, depois de alguns meses sempre compro algo para mim.

    Acho que deve esperar me formar e ter a minha própria renda como engenheiro, ai sim pensar em investir esses 5% / 10%.

    Mais valeu pelo artigo foi muito bem escrito, vou indicar para meus pais.

  • Klein

    Eu como estudante não tenho renda fixa.

    Nos primeiros meses da faculdade recebi muito mais do que precisava e sempre gastei com bobagem, como comer sempre fora.

    Hoje, não faço como você diz no artigo, boto o dinheiro pra trabalhar em poupança, até porque a quantia que separo acho muito pouca pra isso.

    Mais com essa grana, depois de alguns meses sempre compro algo para mim.

    Acho que deve esperar me formar e ter a minha própria renda como engenheiro, ai sim pensar em investir esses 5% / 10%.

    Mais valeu pelo artigo foi muito bem escrito, vou indicar para meus pais.

  • Klein

    Eu como estudante não tenho renda fixa.

    Nos primeiros meses da faculdade recebi muito mais do que precisava e sempre gastei com bobagem, como comer sempre fora.

    Hoje, não faço como você diz no artigo, boto o dinheiro pra trabalhar em poupança, até porque a quantia que separo acho muito pouca pra isso.

    Mais com essa grana, depois de alguns meses sempre compro algo para mim.

    Acho que deve esperar me formar e ter a minha própria renda como engenheiro, ai sim pensar em investir esses 5% / 10%.

    Mais valeu pelo artigo foi muito bem escrito, vou indicar para meus pais.

  • Klein

    Eu como estudante não tenho renda fixa.

    Nos primeiros meses da faculdade recebi muito mais do que precisava e sempre gastei com bobagem, como comer sempre fora.

    Hoje, não faço como você diz no artigo, boto o dinheiro pra trabalhar em poupança, até porque a quantia que separo acho muito pouca pra isso.

    Mais com essa grana, depois de alguns meses sempre compro algo para mim.

    Acho que deve esperar me formar e ter a minha própria renda como engenheiro, ai sim pensar em investir esses 5% / 10%.

    Mais valeu pelo artigo foi muito bem escrito, vou indicar para meus pais.

  • Klein

    Eu como estudante não tenho renda fixa.

    Nos primeiros meses da faculdade recebi muito mais do que precisava e sempre gastei com bobagem, como comer sempre fora.

    Hoje, não faço como você diz no artigo, boto o dinheiro pra trabalhar em poupança, até porque a quantia que separo acho muito pouca pra isso.

    Mais com essa grana, depois de alguns meses sempre compro algo para mim.

    Acho que deve esperar me formar e ter a minha própria renda como engenheiro, ai sim pensar em investir esses 5% / 10%.

    Mais valeu pelo artigo foi muito bem escrito, vou indicar para meus pais.

  • Klein

    Eu como estudante não tenho renda fixa.

    Nos primeiros meses da faculdade recebi muito mais do que precisava e sempre gastei com bobagem, como comer sempre fora.

    Hoje, não faço como você diz no artigo, boto o dinheiro pra trabalhar em poupança, até porque a quantia que separo acho muito pouca pra isso.

    Mais com essa grana, depois de alguns meses sempre compro algo para mim.

    Acho que deve esperar me formar e ter a minha própria renda como engenheiro, ai sim pensar em investir esses 5% / 10%.

    Mais valeu pelo artigo foi muito bem escrito, vou indicar para meus pais.

  • Klein

    Eu como estudante não tenho renda fixa.

    Nos primeiros meses da faculdade recebi muito mais do que precisava e sempre gastei com bobagem, como comer sempre fora.

    Hoje, não faço como você diz no artigo, boto o dinheiro pra trabalhar em poupança, até porque a quantia que separo acho muito pouca pra isso.

    Mais com essa grana, depois de alguns meses sempre compro algo para mim.

    Acho que deve esperar me formar e ter a minha própria renda como engenheiro, ai sim pensar em investir esses 5% / 10%.

    Mais valeu pelo artigo foi muito bem escrito, vou indicar para meus pais.

  • Klein

    Eu como estudante não tenho renda fixa.

    Nos primeiros meses da faculdade recebi muito mais do que precisava e sempre gastei com bobagem, como comer sempre fora.

    Hoje, não faço como você diz no artigo, boto o dinheiro pra trabalhar em poupança, até porque a quantia que separo acho muito pouca pra isso.

    Mais com essa grana, depois de alguns meses sempre compro algo para mim.

    Acho que deve esperar me formar e ter a minha própria renda como engenheiro, ai sim pensar em investir esses 5% / 10%.

    Mais valeu pelo artigo foi muito bem escrito, vou indicar para meus pais.

  • Christian

    Muito bom artigo Fabricio, muitas pessoas nao fazem o dever de casa e acabam entrando em investimentos que
    nao conhecem pelo efeito manada.

  • Christian

    Muito bom artigo Fabricio, muitas pessoas nao fazem o dever de casa e acabam entrando em investimentos que
    nao conhecem pelo efeito manada.

  • Christian

    Muito bom artigo Fabricio, muitas pessoas nao fazem o dever de casa e acabam entrando em investimentos que
    nao conhecem pelo efeito manada.

  • Christian

    Muito bom artigo Fabricio, muitas pessoas nao fazem o dever de casa e acabam entrando em investimentos que
    nao conhecem pelo efeito manada.

  • Christian

    Muito bom artigo Fabricio, muitas pessoas nao fazem o dever de casa e acabam entrando em investimentos que
    nao conhecem pelo efeito manada.

  • Christian

    Muito bom artigo Fabricio, muitas pessoas nao fazem o dever de casa e acabam entrando em investimentos que
    nao conhecem pelo efeito manada.

  • Christian

    Muito bom artigo Fabricio, muitas pessoas nao fazem o dever de casa e acabam entrando em investimentos que
    nao conhecem pelo efeito manada.

  • Christian

    Muito bom artigo Fabricio, muitas pessoas nao fazem o dever de casa e acabam entrando em investimentos que
    nao conhecem pelo efeito manada.

  • Jeremias

    Sou leigo no assunto, podem criticar a vontade. Coloco o $ na poupança pois acho que a diferença que ganharia a mais em outros fundos (DI, renda fixa) acaba indo pelo ralo pois tenho que pagar mais taxas no banco e claro, os rendimentos levam uma baita mordida no leão.

    No final das contas pode até dar um pouco a mais, porém acho que por causa de alguns reais a mais não vale a pena o risco, já que a poupança sempre foi mais segura.

    Mas posso estar errado, tenho que estudar mais esse assunto. Se alguém quiser comentar, fique a vontade :)

  • Jeremias

    Sou leigo no assunto, podem criticar a vontade. Coloco o $ na poupança pois acho que a diferença que ganharia a mais em outros fundos (DI, renda fixa) acaba indo pelo ralo pois tenho que pagar mais taxas no banco e claro, os rendimentos levam uma baita mordida no leão.

    No final das contas pode até dar um pouco a mais, porém acho que por causa de alguns reais a mais não vale a pena o risco, já que a poupança sempre foi mais segura.

    Mas posso estar errado, tenho que estudar mais esse assunto. Se alguém quiser comentar, fique a vontade :)

  • Jeremias

    Sou leigo no assunto, podem criticar a vontade. Coloco o $ na poupança pois acho que a diferença que ganharia a mais em outros fundos (DI, renda fixa) acaba indo pelo ralo pois tenho que pagar mais taxas no banco e claro, os rendimentos levam uma baita mordida no leão.

    No final das contas pode até dar um pouco a mais, porém acho que por causa de alguns reais a mais não vale a pena o risco, já que a poupança sempre foi mais segura.

    Mas posso estar errado, tenho que estudar mais esse assunto. Se alguém quiser comentar, fique a vontade :)

  • Jeremias

    Sou leigo no assunto, podem criticar a vontade. Coloco o $ na poupança pois acho que a diferença que ganharia a mais em outros fundos (DI, renda fixa) acaba indo pelo ralo pois tenho que pagar mais taxas no banco e claro, os rendimentos levam uma baita mordida no leão.

    No final das contas pode até dar um pouco a mais, porém acho que por causa de alguns reais a mais não vale a pena o risco, já que a poupança sempre foi mais segura.

    Mas posso estar errado, tenho que estudar mais esse assunto. Se alguém quiser comentar, fique a vontade :)

  • Jeremias

    Sou leigo no assunto, podem criticar a vontade. Coloco o $ na poupança pois acho que a diferença que ganharia a mais em outros fundos (DI, renda fixa) acaba indo pelo ralo pois tenho que pagar mais taxas no banco e claro, os rendimentos levam uma baita mordida no leão.

    No final das contas pode até dar um pouco a mais, porém acho que por causa de alguns reais a mais não vale a pena o risco, já que a poupança sempre foi mais segura.

    Mas posso estar errado, tenho que estudar mais esse assunto. Se alguém quiser comentar, fique a vontade :)

  • Jeremias

    Sou leigo no assunto, podem criticar a vontade. Coloco o $ na poupança pois acho que a diferença que ganharia a mais em outros fundos (DI, renda fixa) acaba indo pelo ralo pois tenho que pagar mais taxas no banco e claro, os rendimentos levam uma baita mordida no leão.

    No final das contas pode até dar um pouco a mais, porém acho que por causa de alguns reais a mais não vale a pena o risco, já que a poupança sempre foi mais segura.

    Mas posso estar errado, tenho que estudar mais esse assunto. Se alguém quiser comentar, fique a vontade :)

  • Jeremias

    Sou leigo no assunto, podem criticar a vontade. Coloco o $ na poupança pois acho que a diferença que ganharia a mais em outros fundos (DI, renda fixa) acaba indo pelo ralo pois tenho que pagar mais taxas no banco e claro, os rendimentos levam uma baita mordida no leão.

    No final das contas pode até dar um pouco a mais, porém acho que por causa de alguns reais a mais não vale a pena o risco, já que a poupança sempre foi mais segura.

    Mas posso estar errado, tenho que estudar mais esse assunto. Se alguém quiser comentar, fique a vontade :)

  • Jeremias

    Sou leigo no assunto, podem criticar a vontade. Coloco o $ na poupança pois acho que a diferença que ganharia a mais em outros fundos (DI, renda fixa) acaba indo pelo ralo pois tenho que pagar mais taxas no banco e claro, os rendimentos levam uma baita mordida no leão.

    No final das contas pode até dar um pouco a mais, porém acho que por causa de alguns reais a mais não vale a pena o risco, já que a poupança sempre foi mais segura.

    Mas posso estar errado, tenho que estudar mais esse assunto. Se alguém quiser comentar, fique a vontade :)

  • Jeremias

    Sou leigo no assunto, podem criticar a vontade. Coloco o $ na poupança pois acho que a diferença que ganharia a mais em outros fundos (DI, renda fixa) acaba indo pelo ralo pois tenho que pagar mais taxas no banco e claro, os rendimentos levam uma baita mordida no leão.

    No final das contas pode até dar um pouco a mais, porém acho que por causa de alguns reais a mais não vale a pena o risco, já que a poupança sempre foi mais segura.

    Mas posso estar errado, tenho que estudar mais esse assunto. Se alguém quiser comentar, fique a vontade :)

  • André

    Pelo que li acho que vou bem encaminhado. Como menor, ainda não tenho grandes despesas nem impostos, mas como também não tenho grandes conhecimentos de finanças, ponho todo o dinheiro de prendas e bolsas em contas poupança.
    Plano: isso irá ajudar-me a pagar a faculdade, o que fará possivel concentrar-me nos estudos e obter boas notas e qualificações. Como quero seguir física (a minha paixão!), boas qualificações permitem trabalhar em centros de investigação, e assim ter um bom conhecimento da área científica e das tecnologias que irão ter sucesso, o que tornará mais fácil bons investimentos em empresas que as usem. E assim poderá vir também o dinheiro…
    E aí Dr. Money, algo que eu deva de ter em conta e/ou corrigir no meu plano? ;)

  • André

    Pelo que li acho que vou bem encaminhado. Como menor, ainda não tenho grandes despesas nem impostos, mas como também não tenho grandes conhecimentos de finanças, ponho todo o dinheiro de prendas e bolsas em contas poupança.
    Plano: isso irá ajudar-me a pagar a faculdade, o que fará possivel concentrar-me nos estudos e obter boas notas e qualificações. Como quero seguir física (a minha paixão!), boas qualificações permitem trabalhar em centros de investigação, e assim ter um bom conhecimento da área científica e das tecnologias que irão ter sucesso, o que tornará mais fácil bons investimentos em empresas que as usem. E assim poderá vir também o dinheiro…
    E aí Dr. Money, algo que eu deva de ter em conta e/ou corrigir no meu plano? ;)

  • André

    Pelo que li acho que vou bem encaminhado. Como menor, ainda não tenho grandes despesas nem impostos, mas como também não tenho grandes conhecimentos de finanças, ponho todo o dinheiro de prendas e bolsas em contas poupança.
    Plano: isso irá ajudar-me a pagar a faculdade, o que fará possivel concentrar-me nos estudos e obter boas notas e qualificações. Como quero seguir física (a minha paixão!), boas qualificações permitem trabalhar em centros de investigação, e assim ter um bom conhecimento da área científica e das tecnologias que irão ter sucesso, o que tornará mais fácil bons investimentos em empresas que as usem. E assim poderá vir também o dinheiro…
    E aí Dr. Money, algo que eu deva de ter em conta e/ou corrigir no meu plano? ;)

  • André

    Pelo que li acho que vou bem encaminhado. Como menor, ainda não tenho grandes despesas nem impostos, mas como também não tenho grandes conhecimentos de finanças, ponho todo o dinheiro de prendas e bolsas em contas poupança.
    Plano: isso irá ajudar-me a pagar a faculdade, o que fará possivel concentrar-me nos estudos e obter boas notas e qualificações. Como quero seguir física (a minha paixão!), boas qualificações permitem trabalhar em centros de investigação, e assim ter um bom conhecimento da área científica e das tecnologias que irão ter sucesso, o que tornará mais fácil bons investimentos em empresas que as usem. E assim poderá vir também o dinheiro…
    E aí Dr. Money, algo que eu deva de ter em conta e/ou corrigir no meu plano? ;)

  • André

    Pelo que li acho que vou bem encaminhado. Como menor, ainda não tenho grandes despesas nem impostos, mas como também não tenho grandes conhecimentos de finanças, ponho todo o dinheiro de prendas e bolsas em contas poupança.
    Plano: isso irá ajudar-me a pagar a faculdade, o que fará possivel concentrar-me nos estudos e obter boas notas e qualificações. Como quero seguir física (a minha paixão!), boas qualificações permitem trabalhar em centros de investigação, e assim ter um bom conhecimento da área científica e das tecnologias que irão ter sucesso, o que tornará mais fácil bons investimentos em empresas que as usem. E assim poderá vir também o dinheiro…
    E aí Dr. Money, algo que eu deva de ter em conta e/ou corrigir no meu plano? ;)

  • André

    Pelo que li acho que vou bem encaminhado. Como menor, ainda não tenho grandes despesas nem impostos, mas como também não tenho grandes conhecimentos de finanças, ponho todo o dinheiro de prendas e bolsas em contas poupança.
    Plano: isso irá ajudar-me a pagar a faculdade, o que fará possivel concentrar-me nos estudos e obter boas notas e qualificações. Como quero seguir física (a minha paixão!), boas qualificações permitem trabalhar em centros de investigação, e assim ter um bom conhecimento da área científica e das tecnologias que irão ter sucesso, o que tornará mais fácil bons investimentos em empresas que as usem. E assim poderá vir também o dinheiro…
    E aí Dr. Money, algo que eu deva de ter em conta e/ou corrigir no meu plano? ;)

  • André

    Pelo que li acho que vou bem encaminhado. Como menor, ainda não tenho grandes despesas nem impostos, mas como também não tenho grandes conhecimentos de finanças, ponho todo o dinheiro de prendas e bolsas em contas poupança.
    Plano: isso irá ajudar-me a pagar a faculdade, o que fará possivel concentrar-me nos estudos e obter boas notas e qualificações. Como quero seguir física (a minha paixão!), boas qualificações permitem trabalhar em centros de investigação, e assim ter um bom conhecimento da área científica e das tecnologias que irão ter sucesso, o que tornará mais fácil bons investimentos em empresas que as usem. E assim poderá vir também o dinheiro…
    E aí Dr. Money, algo que eu deva de ter em conta e/ou corrigir no meu plano? ;)

  • André

    Pelo que li acho que vou bem encaminhado. Como menor, ainda não tenho grandes despesas nem impostos, mas como também não tenho grandes conhecimentos de finanças, ponho todo o dinheiro de prendas e bolsas em contas poupança.
    Plano: isso irá ajudar-me a pagar a faculdade, o que fará possivel concentrar-me nos estudos e obter boas notas e qualificações. Como quero seguir física (a minha paixão!), boas qualificações permitem trabalhar em centros de investigação, e assim ter um bom conhecimento da área científica e das tecnologias que irão ter sucesso, o que tornará mais fácil bons investimentos em empresas que as usem. E assim poderá vir também o dinheiro…
    E aí Dr. Money, algo que eu deva de ter em conta e/ou corrigir no meu plano? ;)

  • André

    Pelo que li acho que vou bem encaminhado. Como menor, ainda não tenho grandes despesas nem impostos, mas como também não tenho grandes conhecimentos de finanças, ponho todo o dinheiro de prendas e bolsas em contas poupança.
    Plano: isso irá ajudar-me a pagar a faculdade, o que fará possivel concentrar-me nos estudos e obter boas notas e qualificações. Como quero seguir física (a minha paixão!), boas qualificações permitem trabalhar em centros de investigação, e assim ter um bom conhecimento da área científica e das tecnologias que irão ter sucesso, o que tornará mais fácil bons investimentos em empresas que as usem. E assim poderá vir também o dinheiro…
    E aí Dr. Money, algo que eu deva de ter em conta e/ou corrigir no meu plano? ;)

  • Célio Bomfim

    show o artigo, eu jah tinha lido algumas coisas sobre o “pagar a si mesmo” mas nunca tinha entendi direito, adorei a explicação.

    vida longa a PdH ^^

  • Célio Bomfim

    show o artigo, eu jah tinha lido algumas coisas sobre o “pagar a si mesmo” mas nunca tinha entendi direito, adorei a explicação.

    vida longa a PdH ^^

  • Célio Bomfim

    show o artigo, eu jah tinha lido algumas coisas sobre o “pagar a si mesmo” mas nunca tinha entendi direito, adorei a explicação.

    vida longa a PdH ^^

  • Célio Bomfim

    show o artigo, eu jah tinha lido algumas coisas sobre o “pagar a si mesmo” mas nunca tinha entendi direito, adorei a explicação.

    vida longa a PdH ^^

  • Célio Bomfim

    show o artigo, eu jah tinha lido algumas coisas sobre o “pagar a si mesmo” mas nunca tinha entendi direito, adorei a explicação.

    vida longa a PdH ^^

  • Célio Bomfim

    show o artigo, eu jah tinha lido algumas coisas sobre o “pagar a si mesmo” mas nunca tinha entendi direito, adorei a explicação.

    vida longa a PdH ^^

  • Célio Bomfim

    show o artigo, eu jah tinha lido algumas coisas sobre o “pagar a si mesmo” mas nunca tinha entendi direito, adorei a explicação.

    vida longa a PdH ^^

  • http://www.cuecasnacozinha.com/ Alessander Guerra

    Fabricio, fundamental essa contribuição que tem dado a todos os leitores. Ainda mais nesses tempos de crise.

    abs
    Alessander Guerra (Dr. Cook)
    http://www.cuecasnacozinha.com

  • http://www.cuecasnacozinha.com/ Alessander Guerra

    Fabricio, fundamental essa contribuição que tem dado a todos os leitores. Ainda mais nesses tempos de crise.

    abs
    Alessander Guerra (Dr. Cook)
    http://www.cuecasnacozinha.com

  • http://www.cuecasnacozinha.com/ Alessander Guerra

    Fabricio, fundamental essa contribuição que tem dado a todos os leitores. Ainda mais nesses tempos de crise.

    abs
    Alessander Guerra (Dr. Cook)
    http://www.cuecasnacozinha.com

  • http://www.cuecasnacozinha.com/ Alessander Guerra

    Fabricio, fundamental essa contribuição que tem dado a todos os leitores. Ainda mais nesses tempos de crise.

    abs
    Alessander Guerra (Dr. Cook)
    http://www.cuecasnacozinha.com

  • http://www.cuecasnacozinha.com/ Alessander Guerra

    Fabricio, fundamental essa contribuição que tem dado a todos os leitores. Ainda mais nesses tempos de crise.

    abs
    Alessander Guerra (Dr. Cook)
    http://www.cuecasnacozinha.com

  • http://www.cuecasnacozinha.com/ Alessander Guerra

    Fabricio, fundamental essa contribuição que tem dado a todos os leitores. Ainda mais nesses tempos de crise.

    abs
    Alessander Guerra (Dr. Cook)
    http://www.cuecasnacozinha.com

  • http://www.cuecasnacozinha.com/ Alessander Guerra

    Fabricio, fundamental essa contribuição que tem dado a todos os leitores. Ainda mais nesses tempos de crise.

    abs
    Alessander Guerra (Dr. Cook)
    http://www.cuecasnacozinha.com

  • http://www.cuecasnacozinha.com/ Alessander Guerra

    Fabricio, fundamental essa contribuição que tem dado a todos os leitores. Ainda mais nesses tempos de crise.

    abs
    Alessander Guerra (Dr. Cook)
    http://www.cuecasnacozinha.com

  • http://www.cuecasnacozinha.com Alessander Guerra

    Fabricio, fundamental essa contribuição que tem dado a todos os leitores. Ainda mais nesses tempos de crise.

    abs
    Alessander Guerra (Dr. Cook)
    http://www.cuecasnacozinha.com

  • http://www.mobral.com/ Maldito

    Só acho que deviam mudar o nome da coluna de Dr. Money para Dr. Megacombo ou Coluna Megacombo ou qualquer coisa assim…

    Já é o terceiro post consecutivo que fala da empresa.

  • http://www.mobral.com/ Maldito

    Só acho que deviam mudar o nome da coluna de Dr. Money para Dr. Megacombo ou Coluna Megacombo ou qualquer coisa assim…

    Já é o terceiro post consecutivo que fala da empresa.

  • http://www.mobral.com/ Maldito

    Só acho que deviam mudar o nome da coluna de Dr. Money para Dr. Megacombo ou Coluna Megacombo ou qualquer coisa assim…

    Já é o terceiro post consecutivo que fala da empresa.

  • http://www.mobral.com/ Maldito

    Só acho que deviam mudar o nome da coluna de Dr. Money para Dr. Megacombo ou Coluna Megacombo ou qualquer coisa assim…

    Já é o terceiro post consecutivo que fala da empresa.

  • http://www.mobral.com/ Maldito

    Só acho que deviam mudar o nome da coluna de Dr. Money para Dr. Megacombo ou Coluna Megacombo ou qualquer coisa assim…

    Já é o terceiro post consecutivo que fala da empresa.

  • http://www.mobral.com/ Maldito

    Só acho que deviam mudar o nome da coluna de Dr. Money para Dr. Megacombo ou Coluna Megacombo ou qualquer coisa assim…

    Já é o terceiro post consecutivo que fala da empresa.

  • http://www.mobral.com/ Maldito

    Só acho que deviam mudar o nome da coluna de Dr. Money para Dr. Megacombo ou Coluna Megacombo ou qualquer coisa assim…

    Já é o terceiro post consecutivo que fala da empresa.

  • http://www.mobral.com/ Maldito

    Só acho que deviam mudar o nome da coluna de Dr. Money para Dr. Megacombo ou Coluna Megacombo ou qualquer coisa assim…

    Já é o terceiro post consecutivo que fala da empresa.

  • http://www.mobral.com Maldito

    Só acho que deviam mudar o nome da coluna de Dr. Money para Dr. Megacombo ou Coluna Megacombo ou qualquer coisa assim…

    Já é o terceiro post consecutivo que fala da empresa.

  • Juliano Fontes

    Grande Fabrício.

    Vc considera previdência privada como “pagar primeiro a si mesmo”? O q considera dessa modalidade?
    Qual prazo/idade vc considera ideal pra começar a investir e retirar dinheiro dessa modalidade?

    Abç

  • Juliano Fontes

    Grande Fabrício.

    Vc considera previdência privada como “pagar primeiro a si mesmo”? O q considera dessa modalidade?
    Qual prazo/idade vc considera ideal pra começar a investir e retirar dinheiro dessa modalidade?

    Abç

  • D.

    Ótimo artigo!! Fez-me abrir os olhos.
    Minhas amigas me chamam de “ninja” das finanças pq quando tenho uma meta consigo economizar muito mesmo. Ponho na poupança sempre 15, 16% do meu salário. Mas o problema é que quando tenho uma quantia razoável viajo, compro câmera digital cara, notebook, headphone wireless e outros aparelhos que pintam por aí e eu acho que preciso muito. Mas, tá certo. Vc vê o dinheiro ali na poupança, acha que ele tá dando sopa e deixa a coitada zerada de novo… Quer dizer, é um ciclo vicioso. Tenho de ter um dinheiro INTOCÁVEL. E não ficar achando que a poupança tá ali pra ser gasta… Valeu pelo artigo! Acho que tá na hora de partir para uma renda fixa… =)

  • D.

    Ótimo artigo!! Fez-me abrir os olhos.
    Minhas amigas me chamam de “ninja” das finanças pq quando tenho uma meta consigo economizar muito mesmo. Ponho na poupança sempre 15, 16% do meu salário. Mas o problema é que quando tenho uma quantia razoável viajo, compro câmera digital cara, notebook, headphone wireless e outros aparelhos que pintam por aí e eu acho que preciso muito. Mas, tá certo. Vc vê o dinheiro ali na poupança, acha que ele tá dando sopa e deixa a coitada zerada de novo… Quer dizer, é um ciclo vicioso. Tenho de ter um dinheiro INTOCÁVEL. E não ficar achando que a poupança tá ali pra ser gasta… Valeu pelo artigo! Acho que tá na hora de partir para uma renda fixa… =)

  • Rodolfo

    Olá Fabrício,

    bom artigo.

    A propósito, fiquei bem interessado no post sobre TAXI vs CARRO PRÓPRIO!

  • Rodolfo

    Olá Fabrício,

    bom artigo.

    A propósito, fiquei bem interessado no post sobre TAXI vs CARRO PRÓPRIO!

  • Guh

    O link da imagem de chamada do artigo está quebrado.
    Ele aponta para: http://papodehomem.com.br/pague-primeiro-a-si-mesmo/chamada4-2/ o que leva a um Nothing found.

    abraços.

  • Guh

    O link da imagem de chamada do artigo está quebrado.
    Ele aponta para: http://papodehomem.com.br/pague-primeiro-a-si-mesmo/chamada4-2/ o que leva a um Nothing found.

    abraços.

  • Vinícius

    Parabéns pelo artigo Fabrício, realmente as pessoas não têm o hábito de poupar, muito menos de fazer reservas e investimentos de longo prazo.

    Só me parece curioso que, abaixo de seu nome, tenha a expressão “tem por hobby ajudar as pessoas a descobrir os caminhos da independência financeira e construção de patrimônio”. Digo isso pq descobri este portal há pouco, e nos poucos textos que li de sua autoria, fica evidente o apelo para as pessoas comprarem consórcios, e serem ricos e felizes como vc e seus amigos. Casualmente, boa parte de seus rendimentos devem ser provenientes do comissionamento e ágio da venda de consórcios. Curioso não? Mais me parece autopromoção do que preocupação com a saúde financeira dos outros.

    De qualquer forma, apesar de seus interesses por trás dos textos, a dica de economizar é válida aos que ainda não se tocaram da importâcia de reservar parte de seus rendimentos para um futuro tranquilo.

  • Vinícius

    Parabéns pelo artigo Fabrício, realmente as pessoas não têm o hábito de poupar, muito menos de fazer reservas e investimentos de longo prazo.

    Só me parece curioso que, abaixo de seu nome, tenha a expressão “tem por hobby ajudar as pessoas a descobrir os caminhos da independência financeira e construção de patrimônio”. Digo isso pq descobri este portal há pouco, e nos poucos textos que li de sua autoria, fica evidente o apelo para as pessoas comprarem consórcios, e serem ricos e felizes como vc e seus amigos. Casualmente, boa parte de seus rendimentos devem ser provenientes do comissionamento e ágio da venda de consórcios. Curioso não? Mais me parece autopromoção do que preocupação com a saúde financeira dos outros.

    De qualquer forma, apesar de seus interesses por trás dos textos, a dica de economizar é válida aos que ainda não se tocaram da importâcia de reservar parte de seus rendimentos para um futuro tranquilo.

  • Vinícius

    Parabéns pelo artigo Fabrício, realmente as pessoas não têm o hábito de poupar, muito menos de fazer reservas e investimentos de longo prazo.

    Só me parece curioso que, abaixo de seu nome, tenha a expressão “tem por hobby ajudar as pessoas a descobrir os caminhos da independência financeira e construção de patrimônio”. Digo isso pq descobri este portal há pouco, e nos poucos textos que li de sua autoria, fica evidente o apelo para as pessoas comprarem consórcios, e serem ricos e felizes como vc e seus amigos. Casualmente, boa parte de seus rendimentos devem ser provenientes do comissionamento e ágio da venda de consórcios. Curioso não? Mais me parece autopromoção do que preocupação com a saúde financeira dos outros.

    De qualquer forma, apesar de seus interesses por trás dos textos, a dica de economizar é válida aos que ainda não se tocaram da importâcia de reservar parte de seus rendimentos para um futuro tranquilo.

  • Aureo Vilas Boas

    Bom dia Fabricio, excelente post como sempre! Se puder evitar, sempre relacionar seu nome, à empresa que representa…

  • Aureo Vilas Boas

    Bom dia Fabricio, excelente post como sempre! Se puder evitar, sempre relacionar seu nome, à empresa que representa…

  • Aureo Vilas Boas

    Bom dia Fabricio, excelente post como sempre! Se puder evitar, sempre relacionar seu nome, à empresa que representa…

  • Pingback: Nem dáNada! - >> Links Recomendados (19)

  • http://poucaspalavras.wordpress.com/ JAzz

    definitivamente este é o melhor autor deste blog, em disparado!

    tudo anotado.

    beijo, bom partido.

  • http://poucaspalavras.wordpress.com/ JAzz

    definitivamente este é o melhor autor deste blog, em disparado!

    tudo anotado.

    beijo, bom partido.

  • http://poucaspalavras.wordpress.com JAzz

    definitivamente este é o melhor autor deste blog, em disparado!

    tudo anotado.

    beijo, bom partido.

  • http://pani.brogui.com Rhuan Victor

    A primeira vez que li falando sobre isso foi no livro: Pai rico, pai pobre.

    Nunca paguei a mim mesmo, mas tenho que comecar a fazer isso.
    Como diria minha mãe: “Você tem que ser um pal que da sombra…”

    Tenho 18 anos, ganho somente uma reles mesada, mas é melhor comecar agora do que deixar para depois.

    Bom artigo, amo assuntos sobre dinheiro.

  • http://pani.brogui.com/ Rhuan Victor

    A primeira vez que li falando sobre isso foi no livro: Pai rico, pai pobre.

    Nunca paguei a mim mesmo, mas tenho que comecar a fazer isso.
    Como diria minha mãe: “Você tem que ser um pal que da sombra…”

    Tenho 18 anos, ganho somente uma reles mesada, mas é melhor comecar agora do que deixar para depois.

    Bom artigo, amo assuntos sobre dinheiro.

  • http://pani.brogui.com/ Rhuan Victor

    A primeira vez que li falando sobre isso foi no livro: Pai rico, pai pobre.

    Nunca paguei a mim mesmo, mas tenho que comecar a fazer isso.
    Como diria minha mãe: “Você tem que ser um pal que da sombra…”

    Tenho 18 anos, ganho somente uma reles mesada, mas é melhor comecar agora do que deixar para depois.

    Bom artigo, amo assuntos sobre dinheiro.

  • Kleiner

    Parabéns pelo post Fabrício, gostaria que falasse um pouco a respeito de previdência privada, é vantagem fazer uma ou é melhor juntar o dinheiro e administrar por conta própria como relatou há pouco? Abraços e obrigado.

  • Kleiner

    Parabéns pelo post Fabrício, gostaria que falasse um pouco a respeito de previdência privada, é vantagem fazer uma ou é melhor juntar o dinheiro e administrar por conta própria como relatou há pouco? Abraços e obrigado.

  • Kleiner

    Parabéns pelo post Fabrício, gostaria que falasse um pouco a respeito de previdência privada, é vantagem fazer uma ou é melhor juntar o dinheiro e administrar por conta própria como relatou há pouco? Abraços e obrigado.

  • Kleiner

    Parabéns pelo post Fabrício, gostaria que falasse um pouco a respeito de previdência privada, é vantagem fazer uma ou é melhor juntar o dinheiro e administrar por conta própria como relatou há pouco? Abraços e obrigado.

  • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Klein: cuidar do teu futuro não tem idade nem valor para começar. Nem precisa de valores fixos todo mês. Nota que se tu separar 10% de tudo o que ganha, dá para continuar gastando todos os 90% restantes no que tu desejar.

  • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Klein: cuidar do teu futuro não tem idade nem valor para começar. Nem precisa de valores fixos todo mês. Nota que se tu separar 10% de tudo o que ganha, dá para continuar gastando todos os 90% restantes no que tu desejar.

  • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Klein: cuidar do teu futuro não tem idade nem valor para começar. Nem precisa de valores fixos todo mês. Nota que se tu separar 10% de tudo o que ganha, dá para continuar gastando todos os 90% restantes no que tu desejar.

  • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Christian: legal teu comentário, esse é um dos pontos importantes do artigo, conhecer o investimento onde tu estás colocando teu dinheiro.
    —–

    Jeremias: não há problema algum em colocar teu dinheiro na poupança. Se tu ainda não conheces os fundos de renda fixa e não sabe como eles funcionam ou em que papéis investem, não há porque mudar só porque algumas pessoas dizem que renderia mais.

    O que tu podes mudar, isso sim, é de atitude em relação ao dinheiro. Deixar de achar que não vale a pena ganhar um pouco mais, por exemplo. Um pouco mais pode parecer quase nada hoje, mas compondo ao longo dos anos pode fazer uma diferença imensa.
    —–

    André: o dinheiro que tu guardas para trabalhar por ti não precisa necessariamente ficar trancado intocável. Teu plano é ótimo, juntar o suficiente para pagar a faculdade e permitir que tu se concentre nela sem precisar trabalhar ao mesmo tempo.

    O caminho de cada um é bastante pessoal. Que bom que tens tuas paixões e estás seguindo na busca delas. Trabalhar com o que se gosta é a melhor decisão que podemos tomar, pois assim o trabalho se mistura com o prazer e se torna tudo uma coisa só. Não tem como não alcançar o sucesso fazendo isso.
    —–

    Dr. Cook: legal tua presença por aqui. Estava lendo teus posts sobre o Vale dos Vinhedos e me deu uma grande vontade de visitar. Devo ir ainda este mês, aproveitando que estão a menos de 2h de distância.

    Acredito que educação financeira é a matéria básica que devemos saber para não cair nas arapucas que estão armadas ao nosso redor. São lojas oferecendo tudo em dezenas de prestações com juros altíssimos e as pessoas caindo no conto e vivendo muito abaixo do que poderiam por se manter constantemente endividadas. Soma a isso a falta de responsabilidade dos pais dando este tipo de exemplo aos filhos e tudo o que vemos é a situação piorar.

    Tento fazer a minha parte divulgando o pouco que vou aprendendo com a vida e com os livros. Filtrando o que não funciona do que dá certo e escrevendo, escrevendo. Depois, basta ler teus textos para aproveitar gastronomicamente a tranquilidade que não ter dívidas nos proporciona :-)
    —–

    Maldito: tu realmente acha que um parágrafo falando da minha empresa causa tanto estrago assim? Ok, é tua opinião e todo direito teu em tê-la. Por favor ignora este parágrafo. Meu aprendizado se dá com a vida, no dia a dia. Eu aprendo lendo, escutando outras pessoas, trocando idéias com quem lê as minhas e tem algo interessante a acrescentar, mas principalmente aprendo fazendo. Aprendo colocando minhas mãos onde estão minhas palavras. E se falo tanto nos consórcios é porque há uma série de razões que os tornam uma excelente opção para muitas pessoas aprenderem a começar a cuidar do seu dinheiro.

    Eu invisto pessoalmente em consórcios e os indico como investimento desde muitos anos antes de abrir a Megacombo, quando não ganhava nada fazendo isso, fora o fato de ajudar mais gente a conseguir os resultados que eu obtenho. Falo dela neste artigo, por ser relevante ao tema. Não falo da minha empresa de cursos de inglês, não falo do meu provedor de hospedagem de sites, não falo dos meus cursos de finanças pessoais ou da feira de educação financeira que estou organizando para outubro deste ano, nem do fato de estar me preparando para ser agente autônomo de investimentos para poder ajudar as pessoas que desejam investir em ações, coisa que só farei quando eu mesmo estiver colocando lá as minhas fichas. Mas pode deixar que falarei de cada um destes quando for pertinente, relevante, ou útil para quem estiver lendo o artigo.

    Só indico o que eu mesmo faço. Isso me dá total tranquilidade de falar dessas coisas. Não tenho nenhum problema em dizer o que faço, pois faço com amor. Mas respeito totalmente teu direito em pensar diferente.
    —–

    Juliano: previdência privada é uma opção disponível. A pergunta não é se eu considero isso “pagar a si mesmo primeiro”. O veículo de investimento é irrelevante. O que interessa é saber porque usar um ou outro tipo de investimento em cada caso particular. Por exemplo, não indicaria os consórcios para quem tem mais de 70 anos de idade, pois os resultados, apesar de excelentes, são de construção de patrimônio e de longo prazo, exigindo um fluxo de caixa constante. E com 70 anos e um fluxo de caixa constante a pessoa tem mais é que aproveitar sua aposentadoria, não se preocupar com o que irá deixar de herança.

    Então investe em um plano de previdência se as características dele tornarem o investimento melhor para ti. Se tu puderes se beneficiar das vantagens fiscais, por exemplo. Eu não posso, recebo meu dinheiro tudo já isento de imposto de renda por serem distribuição de lucros das diversas empresas. Então para mim, não há vantagem fiscal e uma previdência privada, com as altas taxas de carregamento, seria jogar dinheiro fora.

    A idade ideal para começar é quando tu nasce. Meus filhos terão este cuidado, assim como eu e minhas irmãs tivemos. Tu acha que dar um carro para o filho depois da faculdade é difícil? Se tiver que comprar esse carro com dinheiro atual, fazendo dívida, é difícil. Mas se desde o nascimento do teu filho tu tivesse guardado R$ 20 por mês em um fundo de investimento qualquer, ou mesmo na poupança? Aos 18 anos ele poderia ter o carro sem gerar nenhuma tragédia financeira na familia.

    Um apartamento para começar a vida com um pouco mais de tranquilidade, podendo se dedicar ao trabalho que dá mais prazer e como consequencia tem as melhores chances de te dar mais dinheiro ao longo prazo também é a mesma situação. Se tu não tens isso, pode ter que aceitar um trabalho pior e com menos chances de crescimento apenas porque ele paga um pouco a mais e permite que tu pagues um aluguel.

    Quando começar a usar o dinheiro que pagaste primeiro para ti? Essa é fácil. Quando os rendimentos dele, livres da inflação, se tornarem suficientes para manter teu custo de vida. Um cálculo simples para isso é usar 0,3% do montante ao mês, naturalmente estando ele rendendo mais que isso bruto. Um outro cálculo é ter 20 vezes o valor dos teus gastos anuais. Se tu precisa de R$ 3000 por mês para viver, são 36.000 por ano ou uma reserva patrimonial de R$ 720.000 para se aposentar e viver apenas das rendas disso. Claro que tu pode começar a gastar o dinheiro antes de alcançar este montante, mas aí é preciso calcular para o dinheiro não acabar antes da vida :-)
    —–

    D.: sei bem como é gastar nesse monte de maravilhas que o mundo nos oferece e tanto precisamos. Vai por mim, isso não melhora com a idade, o que acontece é que o preço dos “brinquedos” vai ficando cada vez mais caro. Que o diga as duas Harley-Davidson que já tive. O negócio é separar o que é economia de curto prazo, para realmente gastar em algo mais caro que tu deseja e o que é o “pagar primeiro para ti”.
    —–

    Vinícius: a tua é uma primeira impressão comum, mas que não me preocupa. Ela se desfaz logo depois de tu me conhecer melhor, no caso de se tornar um amigo, conhecido ou mesmo investidor junto do meu grupo de amigos.

    E para os que não se preocupam em me conhecer melhor, seja por desinteresse, seja por acharem essa primeira impressão muito negativa, essa abordagem serve como filtro, pois geralmente são pessoas do contra ou pessoas que gostam de “procurar cabelo em ovo”, ou seja, o tipo de pessoa com quem não faço questão de me relacionar.

    Sei que não é o teu caso, pois teu email é do tipo “me parece curioso”, ou seja, te deixou com um pé atrás mas tu estás aberto a uma exploração sobre o assunto, a entender porque. Ou simplesmente a aceitar que todos temos que comer e pagar nossas contas e que uma divulgaçãozinha não é tão ruim assim se o que é ensinado de graça realmente ajuda as pessoas.

    Então escrevo rapidamente o que talvez tu já estejas sabendo por provavelmente ter tido a curiosidade de ler outros sites e textos meus. Escrevo sobre independência financeira com o objetivo de ajudar as pessoas desde 2002, quando estava começando a minha caminhada ao ler os primeiros livros sobre o assunto. Só abri a Megacombo em 2005 e mesmo assim, vendendo consórcios para uns poucos amigos. O que me sustentava sempre foram minhas empresas de internet, um provedor de acesso discado e depois um de hospedagem de sites. Somente agora, em 2008 é que vendi minha parte nas empresas de internet e passei a me dedicar realmente a vender consórcios. Foi um processo longo onde eu troquei algo que me sustentava por algo que me permite ganhar dinheiro ajudando as pessoas a realizar sonhos, seja o da casa própria, seja o da independência financeira. Sonhos que eu mesmo já realizei usando exatamente as técnicas que ensino. Se além de ajudar eu ainda posso me sustentar dessa forma, que mal há?

    O melhor trabalho que existe é aquele que faríamos mesmo sem receber por ele. Ajudar as pessoas a realizar seus sonhos é o meu trabalho. E recebo por ele sem cobrar nada diretamente das pessoas, fazendo os consórcios comigo e contando com minha orientação, ninguém paga nada a mais. E me expondo em público como me exponho, as pessoas ficam me conhecendo de verdade. E sabem que se o consórcio não for a melhor opção para o caso delas, eu serei o primeiro a falar isso.
    —–

    Aureo: Eu sou a empresa que represento. Ela é resultado da minha história pessoal de vida. Meus sucessos financeiros estão atrelados as minhas ações e minhas ações é que me levaram a abrir a empresa. Não tenho funcionários, quem liga para a Megacombo vai falar diretamente comigo ou com minha esposa. Meu celular está disponível no site. Não há como não relacionar meu nome a empresa, somos um só.
    —–

    Jazz: assim eu fico acanhado :-)

    Mas pode continuar quando quiser, é ótima a sensação do sorriso no meu rosto ao ler teu comentário.
    —–

    Rhuan: se não leste ainda, compra correndo O Homem Mais Rico da Babilônia. Para quem adora assuntos de dinheiro é um prato cheio.

  • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Christian: legal teu comentário, esse é um dos pontos importantes do artigo, conhecer o investimento onde tu estás colocando teu dinheiro.
    —–

    Jeremias: não há problema algum em colocar teu dinheiro na poupança. Se tu ainda não conheces os fundos de renda fixa e não sabe como eles funcionam ou em que papéis investem, não há porque mudar só porque algumas pessoas dizem que renderia mais.

    O que tu podes mudar, isso sim, é de atitude em relação ao dinheiro. Deixar de achar que não vale a pena ganhar um pouco mais, por exemplo. Um pouco mais pode parecer quase nada hoje, mas compondo ao longo dos anos pode fazer uma diferença imensa.
    —–

    André: o dinheiro que tu guardas para trabalhar por ti não precisa necessariamente ficar trancado intocável. Teu plano é ótimo, juntar o suficiente para pagar a faculdade e permitir que tu se concentre nela sem precisar trabalhar ao mesmo tempo.

    O caminho de cada um é bastante pessoal. Que bom que tens tuas paixões e estás seguindo na busca delas. Trabalhar com o que se gosta é a melhor decisão que podemos tomar, pois assim o trabalho se mistura com o prazer e se torna tudo uma coisa só. Não tem como não alcançar o sucesso fazendo isso.
    —–

    Dr. Cook: legal tua presença por aqui. Estava lendo teus posts sobre o Vale dos Vinhedos e me deu uma grande vontade de visitar. Devo ir ainda este mês, aproveitando que estão a menos de 2h de distância.

    Acredito que educação financeira é a matéria básica que devemos saber para não cair nas arapucas que estão armadas ao nosso redor. São lojas oferecendo tudo em dezenas de prestações com juros altíssimos e as pessoas caindo no conto e vivendo muito abaixo do que poderiam por se manter constantemente endividadas. Soma a isso a falta de responsabilidade dos pais dando este tipo de exemplo aos filhos e tudo o que vemos é a situação piorar.

    Tento fazer a minha parte divulgando o pouco que vou aprendendo com a vida e com os livros. Filtrando o que não funciona do que dá certo e escrevendo, escrevendo. Depois, basta ler teus textos para aproveitar gastronomicamente a tranquilidade que não ter dívidas nos proporciona :-)
    —–

    Maldito: tu realmente acha que um parágrafo falando da minha empresa causa tanto estrago assim? Ok, é tua opinião e todo direito teu em tê-la. Por favor ignora este parágrafo. Meu aprendizado se dá com a vida, no dia a dia. Eu aprendo lendo, escutando outras pessoas, trocando idéias com quem lê as minhas e tem algo interessante a acrescentar, mas principalmente aprendo fazendo. Aprendo colocando minhas mãos onde estão minhas palavras. E se falo tanto nos consórcios é porque há uma série de razões que os tornam uma excelente opção para muitas pessoas aprenderem a começar a cuidar do seu dinheiro.

    Eu invisto pessoalmente em consórcios e os indico como investimento desde muitos anos antes de abrir a Megacombo, quando não ganhava nada fazendo isso, fora o fato de ajudar mais gente a conseguir os resultados que eu obtenho. Falo dela neste artigo, por ser relevante ao tema. Não falo da minha empresa de cursos de inglês, não falo do meu provedor de hospedagem de sites, não falo dos meus cursos de finanças pessoais ou da feira de educação financeira que estou organizando para outubro deste ano, nem do fato de estar me preparando para ser agente autônomo de investimentos para poder ajudar as pessoas que desejam investir em ações, coisa que só farei quando eu mesmo estiver colocando lá as minhas fichas. Mas pode deixar que falarei de cada um destes quando for pertinente, relevante, ou útil para quem estiver lendo o artigo.

    Só indico o que eu mesmo faço. Isso me dá total tranquilidade de falar dessas coisas. Não tenho nenhum problema em dizer o que faço, pois faço com amor. Mas respeito totalmente teu direito em pensar diferente.
    —–

    Juliano: previdência privada é uma opção disponível. A pergunta não é se eu considero isso “pagar a si mesmo primeiro”. O veículo de investimento é irrelevante. O que interessa é saber porque usar um ou outro tipo de investimento em cada caso particular. Por exemplo, não indicaria os consórcios para quem tem mais de 70 anos de idade, pois os resultados, apesar de excelentes, são de construção de patrimônio e de longo prazo, exigindo um fluxo de caixa constante. E com 70 anos e um fluxo de caixa constante a pessoa tem mais é que aproveitar sua aposentadoria, não se preocupar com o que irá deixar de herança.

    Então investe em um plano de previdência se as características dele tornarem o investimento melhor para ti. Se tu puderes se beneficiar das vantagens fiscais, por exemplo. Eu não posso, recebo meu dinheiro tudo já isento de imposto de renda por serem distribuição de lucros das diversas empresas. Então para mim, não há vantagem fiscal e uma previdência privada, com as altas taxas de carregamento, seria jogar dinheiro fora.

    A idade ideal para começar é quando tu nasce. Meus filhos terão este cuidado, assim como eu e minhas irmãs tivemos. Tu acha que dar um carro para o filho depois da faculdade é difícil? Se tiver que comprar esse carro com dinheiro atual, fazendo dívida, é difícil. Mas se desde o nascimento do teu filho tu tivesse guardado R$ 20 por mês em um fundo de investimento qualquer, ou mesmo na poupança? Aos 18 anos ele poderia ter o carro sem gerar nenhuma tragédia financeira na familia.

    Um apartamento para começar a vida com um pouco mais de tranquilidade, podendo se dedicar ao trabalho que dá mais prazer e como consequencia tem as melhores chances de te dar mais dinheiro ao longo prazo também é a mesma situação. Se tu não tens isso, pode ter que aceitar um trabalho pior e com menos chances de crescimento apenas porque ele paga um pouco a mais e permite que tu pagues um aluguel.

    Quando começar a usar o dinheiro que pagaste primeiro para ti? Essa é fácil. Quando os rendimentos dele, livres da inflação, se tornarem suficientes para manter teu custo de vida. Um cálculo simples para isso é usar 0,3% do montante ao mês, naturalmente estando ele rendendo mais que isso bruto. Um outro cálculo é ter 20 vezes o valor dos teus gastos anuais. Se tu precisa de R$ 3000 por mês para viver, são 36.000 por ano ou uma reserva patrimonial de R$ 720.000 para se aposentar e viver apenas das rendas disso. Claro que tu pode começar a gastar o dinheiro antes de alcançar este montante, mas aí é preciso calcular para o dinheiro não acabar antes da vida :-)
    —–

    D.: sei bem como é gastar nesse monte de maravilhas que o mundo nos oferece e tanto precisamos. Vai por mim, isso não melhora com a idade, o que acontece é que o preço dos “brinquedos” vai ficando cada vez mais caro. Que o diga as duas Harley-Davidson que já tive. O negócio é separar o que é economia de curto prazo, para realmente gastar em algo mais caro que tu deseja e o que é o “pagar primeiro para ti”.
    —–

    Vinícius: a tua é uma primeira impressão comum, mas que não me preocupa. Ela se desfaz logo depois de tu me conhecer melhor, no caso de se tornar um amigo, conhecido ou mesmo investidor junto do meu grupo de amigos.

    E para os que não se preocupam em me conhecer melhor, seja por desinteresse, seja por acharem essa primeira impressão muito negativa, essa abordagem serve como filtro, pois geralmente são pessoas do contra ou pessoas que gostam de “procurar cabelo em ovo”, ou seja, o tipo de pessoa com quem não faço questão de me relacionar.

    Sei que não é o teu caso, pois teu email é do tipo “me parece curioso”, ou seja, te deixou com um pé atrás mas tu estás aberto a uma exploração sobre o assunto, a entender porque. Ou simplesmente a aceitar que todos temos que comer e pagar nossas contas e que uma divulgaçãozinha não é tão ruim assim se o que é ensinado de graça realmente ajuda as pessoas.

    Então escrevo rapidamente o que talvez tu já estejas sabendo por provavelmente ter tido a curiosidade de ler outros sites e textos meus. Escrevo sobre independência financeira com o objetivo de ajudar as pessoas desde 2002, quando estava começando a minha caminhada ao ler os primeiros livros sobre o assunto. Só abri a Megacombo em 2005 e mesmo assim, vendendo consórcios para uns poucos amigos. O que me sustentava sempre foram minhas empresas de internet, um provedor de acesso discado e depois um de hospedagem de sites. Somente agora, em 2008 é que vendi minha parte nas empresas de internet e passei a me dedicar realmente a vender consórcios. Foi um processo longo onde eu troquei algo que me sustentava por algo que me permite ganhar dinheiro ajudando as pessoas a realizar sonhos, seja o da casa própria, seja o da independência financeira. Sonhos que eu mesmo já realizei usando exatamente as técnicas que ensino. Se além de ajudar eu ainda posso me sustentar dessa forma, que mal há?

    O melhor trabalho que existe é aquele que faríamos mesmo sem receber por ele. Ajudar as pessoas a realizar seus sonhos é o meu trabalho. E recebo por ele sem cobrar nada diretamente das pessoas, fazendo os consórcios comigo e contando com minha orientação, ninguém paga nada a mais. E me expondo em público como me exponho, as pessoas ficam me conhecendo de verdade. E sabem que se o consórcio não for a melhor opção para o caso delas, eu serei o primeiro a falar isso.
    —–

    Aureo: Eu sou a empresa que represento. Ela é resultado da minha história pessoal de vida. Meus sucessos financeiros estão atrelados as minhas ações e minhas ações é que me levaram a abrir a empresa. Não tenho funcionários, quem liga para a Megacombo vai falar diretamente comigo ou com minha esposa. Meu celular está disponível no site. Não há como não relacionar meu nome a empresa, somos um só.
    —–

    Jazz: assim eu fico acanhado :-)

    Mas pode continuar quando quiser, é ótima a sensação do sorriso no meu rosto ao ler teu comentário.
    —–

    Rhuan: se não leste ainda, compra correndo O Homem Mais Rico da Babilônia. Para quem adora assuntos de dinheiro é um prato cheio.

  • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Christian: legal teu comentário, esse é um dos pontos importantes do artigo, conhecer o investimento onde tu estás colocando teu dinheiro.
    —–

    Jeremias: não há problema algum em colocar teu dinheiro na poupança. Se tu ainda não conheces os fundos de renda fixa e não sabe como eles funcionam ou em que papéis investem, não há porque mudar só porque algumas pessoas dizem que renderia mais.

    O que tu podes mudar, isso sim, é de atitude em relação ao dinheiro. Deixar de achar que não vale a pena ganhar um pouco mais, por exemplo. Um pouco mais pode parecer quase nada hoje, mas compondo ao longo dos anos pode fazer uma diferença imensa.
    —–

    André: o dinheiro que tu guardas para trabalhar por ti não precisa necessariamente ficar trancado intocável. Teu plano é ótimo, juntar o suficiente para pagar a faculdade e permitir que tu se concentre nela sem precisar trabalhar ao mesmo tempo.

    O caminho de cada um é bastante pessoal. Que bom que tens tuas paixões e estás seguindo na busca delas. Trabalhar com o que se gosta é a melhor decisão que podemos tomar, pois assim o trabalho se mistura com o prazer e se torna tudo uma coisa só. Não tem como não alcançar o sucesso fazendo isso.
    —–

    Dr. Cook: legal tua presença por aqui. Estava lendo teus posts sobre o Vale dos Vinhedos e me deu uma grande vontade de visitar. Devo ir ainda este mês, aproveitando que estão a menos de 2h de distância.

    Acredito que educação financeira é a matéria básica que devemos saber para não cair nas arapucas que estão armadas ao nosso redor. São lojas oferecendo tudo em dezenas de prestações com juros altíssimos e as pessoas caindo no conto e vivendo muito abaixo do que poderiam por se manter constantemente endividadas. Soma a isso a falta de responsabilidade dos pais dando este tipo de exemplo aos filhos e tudo o que vemos é a situação piorar.

    Tento fazer a minha parte divulgando o pouco que vou aprendendo com a vida e com os livros. Filtrando o que não funciona do que dá certo e escrevendo, escrevendo. Depois, basta ler teus textos para aproveitar gastronomicamente a tranquilidade que não ter dívidas nos proporciona :-)
    —–

    Maldito: tu realmente acha que um parágrafo falando da minha empresa causa tanto estrago assim? Ok, é tua opinião e todo direito teu em tê-la. Por favor ignora este parágrafo. Meu aprendizado se dá com a vida, no dia a dia. Eu aprendo lendo, escutando outras pessoas, trocando idéias com quem lê as minhas e tem algo interessante a acrescentar, mas principalmente aprendo fazendo. Aprendo colocando minhas mãos onde estão minhas palavras. E se falo tanto nos consórcios é porque há uma série de razões que os tornam uma excelente opção para muitas pessoas aprenderem a começar a cuidar do seu dinheiro.

    Eu invisto pessoalmente em consórcios e os indico como investimento desde muitos anos antes de abrir a Megacombo, quando não ganhava nada fazendo isso, fora o fato de ajudar mais gente a conseguir os resultados que eu obtenho. Falo dela neste artigo, por ser relevante ao tema. Não falo da minha empresa de cursos de inglês, não falo do meu provedor de hospedagem de sites, não falo dos meus cursos de finanças pessoais ou da feira de educação financeira que estou organizando para outubro deste ano, nem do fato de estar me preparando para ser agente autônomo de investimentos para poder ajudar as pessoas que desejam investir em ações, coisa que só farei quando eu mesmo estiver colocando lá as minhas fichas. Mas pode deixar que falarei de cada um destes quando for pertinente, relevante, ou útil para quem estiver lendo o artigo.

    Só indico o que eu mesmo faço. Isso me dá total tranquilidade de falar dessas coisas. Não tenho nenhum problema em dizer o que faço, pois faço com amor. Mas respeito totalmente teu direito em pensar diferente.
    —–

    Juliano: previdência privada é uma opção disponível. A pergunta não é se eu considero isso “pagar a si mesmo primeiro”. O veículo de investimento é irrelevante. O que interessa é saber porque usar um ou outro tipo de investimento em cada caso particular. Por exemplo, não indicaria os consórcios para quem tem mais de 70 anos de idade, pois os resultados, apesar de excelentes, são de construção de patrimônio e de longo prazo, exigindo um fluxo de caixa constante. E com 70 anos e um fluxo de caixa constante a pessoa tem mais é que aproveitar sua aposentadoria, não se preocupar com o que irá deixar de herança.

    Então investe em um plano de previdência se as características dele tornarem o investimento melhor para ti. Se tu puderes se beneficiar das vantagens fiscais, por exemplo. Eu não posso, recebo meu dinheiro tudo já isento de imposto de renda por serem distribuição de lucros das diversas empresas. Então para mim, não há vantagem fiscal e uma previdência privada, com as altas taxas de carregamento, seria jogar dinheiro fora.

    A idade ideal para começar é quando tu nasce. Meus filhos terão este cuidado, assim como eu e minhas irmãs tivemos. Tu acha que dar um carro para o filho depois da faculdade é difícil? Se tiver que comprar esse carro com dinheiro atual, fazendo dívida, é difícil. Mas se desde o nascimento do teu filho tu tivesse guardado R$ 20 por mês em um fundo de investimento qualquer, ou mesmo na poupança? Aos 18 anos ele poderia ter o carro sem gerar nenhuma tragédia financeira na familia.

    Um apartamento para começar a vida com um pouco mais de tranquilidade, podendo se dedicar ao trabalho que dá mais prazer e como consequencia tem as melhores chances de te dar mais dinheiro ao longo prazo também é a mesma situação. Se tu não tens isso, pode ter que aceitar um trabalho pior e com menos chances de crescimento apenas porque ele paga um pouco a mais e permite que tu pagues um aluguel.

    Quando começar a usar o dinheiro que pagaste primeiro para ti? Essa é fácil. Quando os rendimentos dele, livres da inflação, se tornarem suficientes para manter teu custo de vida. Um cálculo simples para isso é usar 0,3% do montante ao mês, naturalmente estando ele rendendo mais que isso bruto. Um outro cálculo é ter 20 vezes o valor dos teus gastos anuais. Se tu precisa de R$ 3000 por mês para viver, são 36.000 por ano ou uma reserva patrimonial de R$ 720.000 para se aposentar e viver apenas das rendas disso. Claro que tu pode começar a gastar o dinheiro antes de alcançar este montante, mas aí é preciso calcular para o dinheiro não acabar antes da vida :-)
    —–

    D.: sei bem como é gastar nesse monte de maravilhas que o mundo nos oferece e tanto precisamos. Vai por mim, isso não melhora com a idade, o que acontece é que o preço dos “brinquedos” vai ficando cada vez mais caro. Que o diga as duas Harley-Davidson que já tive. O negócio é separar o que é economia de curto prazo, para realmente gastar em algo mais caro que tu deseja e o que é o “pagar primeiro para ti”.
    —–

    Vinícius: a tua é uma primeira impressão comum, mas que não me preocupa. Ela se desfaz logo depois de tu me conhecer melhor, no caso de se tornar um amigo, conhecido ou mesmo investidor junto do meu grupo de amigos.

    E para os que não se preocupam em me conhecer melhor, seja por desinteresse, seja por acharem essa primeira impressão muito negativa, essa abordagem serve como filtro, pois geralmente são pessoas do contra ou pessoas que gostam de “procurar cabelo em ovo”, ou seja, o tipo de pessoa com quem não faço questão de me relacionar.

    Sei que não é o teu caso, pois teu email é do tipo “me parece curioso”, ou seja, te deixou com um pé atrás mas tu estás aberto a uma exploração sobre o assunto, a entender porque. Ou simplesmente a aceitar que todos temos que comer e pagar nossas contas e que uma divulgaçãozinha não é tão ruim assim se o que é ensinado de graça realmente ajuda as pessoas.

    Então escrevo rapidamente o que talvez tu já estejas sabendo por provavelmente ter tido a curiosidade de ler outros sites e textos meus. Escrevo sobre independência financeira com o objetivo de ajudar as pessoas desde 2002, quando estava começando a minha caminhada ao ler os primeiros livros sobre o assunto. Só abri a Megacombo em 2005 e mesmo assim, vendendo consórcios para uns poucos amigos. O que me sustentava sempre foram minhas empresas de internet, um provedor de acesso discado e depois um de hospedagem de sites. Somente agora, em 2008 é que vendi minha parte nas empresas de internet e passei a me dedicar realmente a vender consórcios. Foi um processo longo onde eu troquei algo que me sustentava por algo que me permite ganhar dinheiro ajudando as pessoas a realizar sonhos, seja o da casa própria, seja o da independência financeira. Sonhos que eu mesmo já realizei usando exatamente as técnicas que ensino. Se além de ajudar eu ainda posso me sustentar dessa forma, que mal há?

    O melhor trabalho que existe é aquele que faríamos mesmo sem receber por ele. Ajudar as pessoas a realizar seus sonhos é o meu trabalho. E recebo por ele sem cobrar nada diretamente das pessoas, fazendo os consórcios comigo e contando com minha orientação, ninguém paga nada a mais. E me expondo em público como me exponho, as pessoas ficam me conhecendo de verdade. E sabem que se o consórcio não for a melhor opção para o caso delas, eu serei o primeiro a falar isso.
    —–

    Aureo: Eu sou a empresa que represento. Ela é resultado da minha história pessoal de vida. Meus sucessos financeiros estão atrelados as minhas ações e minhas ações é que me levaram a abrir a empresa. Não tenho funcionários, quem liga para a Megacombo vai falar diretamente comigo ou com minha esposa. Meu celular está disponível no site. Não há como não relacionar meu nome a empresa, somos um só.
    —–

    Jazz: assim eu fico acanhado :-)

    Mas pode continuar quando quiser, é ótima a sensação do sorriso no meu rosto ao ler teu comentário.
    —–

    Rhuan: se não leste ainda, compra correndo O Homem Mais Rico da Babilônia. Para quem adora assuntos de dinheiro é um prato cheio.

  • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Christian: legal teu comentário, esse é um dos pontos importantes do artigo, conhecer o investimento onde tu estás colocando teu dinheiro.
    —–

    Jeremias: não há problema algum em colocar teu dinheiro na poupança. Se tu ainda não conheces os fundos de renda fixa e não sabe como eles funcionam ou em que papéis investem, não há porque mudar só porque algumas pessoas dizem que renderia mais.

    O que tu podes mudar, isso sim, é de atitude em relação ao dinheiro. Deixar de achar que não vale a pena ganhar um pouco mais, por exemplo. Um pouco mais pode parecer quase nada hoje, mas compondo ao longo dos anos pode fazer uma diferença imensa.
    —–

    André: o dinheiro que tu guardas para trabalhar por ti não precisa necessariamente ficar trancado intocável. Teu plano é ótimo, juntar o suficiente para pagar a faculdade e permitir que tu se concentre nela sem precisar trabalhar ao mesmo tempo.

    O caminho de cada um é bastante pessoal. Que bom que tens tuas paixões e estás seguindo na busca delas. Trabalhar com o que se gosta é a melhor decisão que podemos tomar, pois assim o trabalho se mistura com o prazer e se torna tudo uma coisa só. Não tem como não alcançar o sucesso fazendo isso.
    —–

    Dr. Cook: legal tua presença por aqui. Estava lendo teus posts sobre o Vale dos Vinhedos e me deu uma grande vontade de visitar. Devo ir ainda este mês, aproveitando que estão a menos de 2h de distância.

    Acredito que educação financeira é a matéria básica que devemos saber para não cair nas arapucas que estão armadas ao nosso redor. São lojas oferecendo tudo em dezenas de prestações com juros altíssimos e as pessoas caindo no conto e vivendo muito abaixo do que poderiam por se manter constantemente endividadas. Soma a isso a falta de responsabilidade dos pais dando este tipo de exemplo aos filhos e tudo o que vemos é a situação piorar.

    Tento fazer a minha parte divulgando o pouco que vou aprendendo com a vida e com os livros. Filtrando o que não funciona do que dá certo e escrevendo, escrevendo. Depois, basta ler teus textos para aproveitar gastronomicamente a tranquilidade que não ter dívidas nos proporciona :-)
    —–

    Maldito: tu realmente acha que um parágrafo falando da minha empresa causa tanto estrago assim? Ok, é tua opinião e todo direito teu em tê-la. Por favor ignora este parágrafo. Meu aprendizado se dá com a vida, no dia a dia. Eu aprendo lendo, escutando outras pessoas, trocando idéias com quem lê as minhas e tem algo interessante a acrescentar, mas principalmente aprendo fazendo. Aprendo colocando minhas mãos onde estão minhas palavras. E se falo tanto nos consórcios é porque há uma série de razões que os tornam uma excelente opção para muitas pessoas aprenderem a começar a cuidar do seu dinheiro.

    Eu invisto pessoalmente em consórcios e os indico como investimento desde muitos anos antes de abrir a Megacombo, quando não ganhava nada fazendo isso, fora o fato de ajudar mais gente a conseguir os resultados que eu obtenho. Falo dela neste artigo, por ser relevante ao tema. Não falo da minha empresa de cursos de inglês, não falo do meu provedor de hospedagem de sites, não falo dos meus cursos de finanças pessoais ou da feira de educação financeira que estou organizando para outubro deste ano, nem do fato de estar me preparando para ser agente autônomo de investimentos para poder ajudar as pessoas que desejam investir em ações, coisa que só farei quando eu mesmo estiver colocando lá as minhas fichas. Mas pode deixar que falarei de cada um destes quando for pertinente, relevante, ou útil para quem estiver lendo o artigo.

    Só indico o que eu mesmo faço. Isso me dá total tranquilidade de falar dessas coisas. Não tenho nenhum problema em dizer o que faço, pois faço com amor. Mas respeito totalmente teu direito em pensar diferente.
    —–

    Juliano: previdência privada é uma opção disponível. A pergunta não é se eu considero isso “pagar a si mesmo primeiro”. O veículo de investimento é irrelevante. O que interessa é saber porque usar um ou outro tipo de investimento em cada caso particular. Por exemplo, não indicaria os consórcios para quem tem mais de 70 anos de idade, pois os resultados, apesar de excelentes, são de construção de patrimônio e de longo prazo, exigindo um fluxo de caixa constante. E com 70 anos e um fluxo de caixa constante a pessoa tem mais é que aproveitar sua aposentadoria, não se preocupar com o que irá deixar de herança.

    Então investe em um plano de previdência se as características dele tornarem o investimento melhor para ti. Se tu puderes se beneficiar das vantagens fiscais, por exemplo. Eu não posso, recebo meu dinheiro tudo já isento de imposto de renda por serem distribuição de lucros das diversas empresas. Então para mim, não há vantagem fiscal e uma previdência privada, com as altas taxas de carregamento, seria jogar dinheiro fora.

    A idade ideal para começar é quando tu nasce. Meus filhos terão este cuidado, assim como eu e minhas irmãs tivemos. Tu acha que dar um carro para o filho depois da faculdade é difícil? Se tiver que comprar esse carro com dinheiro atual, fazendo dívida, é difícil. Mas se desde o nascimento do teu filho tu tivesse guardado R$ 20 por mês em um fundo de investimento qualquer, ou mesmo na poupança? Aos 18 anos ele poderia ter o carro sem gerar nenhuma tragédia financeira na familia.

    Um apartamento para começar a vida com um pouco mais de tranquilidade, podendo se dedicar ao trabalho que dá mais prazer e como consequencia tem as melhores chances de te dar mais dinheiro ao longo prazo também é a mesma situação. Se tu não tens isso, pode ter que aceitar um trabalho pior e com menos chances de crescimento apenas porque ele paga um pouco a mais e permite que tu pagues um aluguel.

    Quando começar a usar o dinheiro que pagaste primeiro para ti? Essa é fácil. Quando os rendimentos dele, livres da inflação, se tornarem suficientes para manter teu custo de vida. Um cálculo simples para isso é usar 0,3% do montante ao mês, naturalmente estando ele rendendo mais que isso bruto. Um outro cálculo é ter 20 vezes o valor dos teus gastos anuais. Se tu precisa de R$ 3000 por mês para viver, são 36.000 por ano ou uma reserva patrimonial de R$ 720.000 para se aposentar e viver apenas das rendas disso. Claro que tu pode começar a gastar o dinheiro antes de alcançar este montante, mas aí é preciso calcular para o dinheiro não acabar antes da vida :-)
    —–

    D.: sei bem como é gastar nesse monte de maravilhas que o mundo nos oferece e tanto precisamos. Vai por mim, isso não melhora com a idade, o que acontece é que o preço dos “brinquedos” vai ficando cada vez mais caro. Que o diga as duas Harley-Davidson que já tive. O negócio é separar o que é economia de curto prazo, para realmente gastar em algo mais caro que tu deseja e o que é o “pagar primeiro para ti”.
    —–

    Vinícius: a tua é uma primeira impressão comum, mas que não me preocupa. Ela se desfaz logo depois de tu me conhecer melhor, no caso de se tornar um amigo, conhecido ou mesmo investidor junto do meu grupo de amigos.

    E para os que não se preocupam em me conhecer melhor, seja por desinteresse, seja por acharem essa primeira impressão muito negativa, essa abordagem serve como filtro, pois geralmente são pessoas do contra ou pessoas que gostam de “procurar cabelo em ovo”, ou seja, o tipo de pessoa com quem não faço questão de me relacionar.

    Sei que não é o teu caso, pois teu email é do tipo “me parece curioso”, ou seja, te deixou com um pé atrás mas tu estás aberto a uma exploração sobre o assunto, a entender porque. Ou simplesmente a aceitar que todos temos que comer e pagar nossas contas e que uma divulgaçãozinha não é tão ruim assim se o que é ensinado de graça realmente ajuda as pessoas.

    Então escrevo rapidamente o que talvez tu já estejas sabendo por provavelmente ter tido a curiosidade de ler outros sites e textos meus. Escrevo sobre independência financeira com o objetivo de ajudar as pessoas desde 2002, quando estava começando a minha caminhada ao ler os primeiros livros sobre o assunto. Só abri a Megacombo em 2005 e mesmo assim, vendendo consórcios para uns poucos amigos. O que me sustentava sempre foram minhas empresas de internet, um provedor de acesso discado e depois um de hospedagem de sites. Somente agora, em 2008 é que vendi minha parte nas empresas de internet e passei a me dedicar realmente a vender consórcios. Foi um processo longo onde eu troquei algo que me sustentava por algo que me permite ganhar dinheiro ajudando as pessoas a realizar sonhos, seja o da casa própria, seja o da independência financeira. Sonhos que eu mesmo já realizei usando exatamente as técnicas que ensino. Se além de ajudar eu ainda posso me sustentar dessa forma, que mal há?

    O melhor trabalho que existe é aquele que faríamos mesmo sem receber por ele. Ajudar as pessoas a realizar seus sonhos é o meu trabalho. E recebo por ele sem cobrar nada diretamente das pessoas, fazendo os consórcios comigo e contando com minha orientação, ninguém paga nada a mais. E me expondo em público como me exponho, as pessoas ficam me conhecendo de verdade. E sabem que se o consórcio não for a melhor opção para o caso delas, eu serei o primeiro a falar isso.
    —–

    Aureo: Eu sou a empresa que represento. Ela é resultado da minha história pessoal de vida. Meus sucessos financeiros estão atrelados as minhas ações e minhas ações é que me levaram a abrir a empresa. Não tenho funcionários, quem liga para a Megacombo vai falar diretamente comigo ou com minha esposa. Meu celular está disponível no site. Não há como não relacionar meu nome a empresa, somos um só.
    —–

    Jazz: assim eu fico acanhado :-)

    Mas pode continuar quando quiser, é ótima a sensação do sorriso no meu rosto ao ler teu comentário.
    —–

    Rhuan: se não leste ainda, compra correndo O Homem Mais Rico da Babilônia. Para quem adora assuntos de dinheiro é um prato cheio.

  • http://www.mobral.com/ Cassiano

    Sugestão de livro:
    “Os axiomas de Zurique”….

    Muito bom, e abre bem a cabeça…

  • http://www.mobral.com/ Cassiano

    Sugestão de livro:
    “Os axiomas de Zurique”….

    Muito bom, e abre bem a cabeça…

  • http://www.mobral.com Cassiano

    Sugestão de livro:
    “Os axiomas de Zurique”….

    Muito bom, e abre bem a cabeça…

  • http://papodehomem.com.br/ Guilherme Nascimento Valadares

    Maldito, Vinícius, Peruzzo, sem briga. Esse bate-boca por aqui tá completamente deslocado.

  • http://papodehomem.com.br/ Guilherme Nascimento Valadares

    Maldito, Vinícius, Peruzzo, sem briga. Esse bate-boca por aqui tá completamente deslocado.

  • http://papodehomem.com.br/ Guilherme Nascimento Valadares

    Maldito, Vinícius, Peruzzo, sem briga. Esse bate-boca por aqui tá completamente deslocado.

  • http://papodehomem.com.br Guilherme Nascimento Valadares

    Maldito, Vinícius, Peruzzo, sem briga. Esse bate-boca por aqui tá completamente deslocado.

  • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Cassiano: Realmente muito bom Os Axiomas de Zurique. No mesmo tom, tem ainda o Memórias de Um Especulador na Bolsa.

    —–

    Guilherme: tens razão. O objetivo é sempre a discussão sadia, para crescimento de todos. Reeditei meu comentário anterior tirando um parágrafo desnecessário.

    Até porque a Jazz me deixou de ótimo humor :-)

  • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Cassiano: Realmente muito bom Os Axiomas de Zurique. No mesmo tom, tem ainda o Memórias de Um Especulador na Bolsa.

    —–

    Guilherme: tens razão. O objetivo é sempre a discussão sadia, para crescimento de todos. Reeditei meu comentário anterior tirando um parágrafo desnecessário.

    Até porque a Jazz me deixou de ótimo humor :-)

  • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Cassiano: Realmente muito bom Os Axiomas de Zurique. No mesmo tom, tem ainda o Memórias de Um Especulador na Bolsa.

    —–

    Guilherme: tens razão. O objetivo é sempre a discussão sadia, para crescimento de todos. Reeditei meu comentário anterior tirando um parágrafo desnecessário.

    Até porque a Jazz me deixou de ótimo humor :-)

  • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Cassiano: Realmente muito bom Os Axiomas de Zurique. No mesmo tom, tem ainda o Memórias de Um Especulador na Bolsa.

    —–

    Guilherme: tens razão. O objetivo é sempre a discussão sadia, para crescimento de todos. Reeditei meu comentário anterior tirando um parágrafo desnecessário.

    Até porque a Jazz me deixou de ótimo humor :-)

  • Ígor

    Caro Fabrício,

    Enviei um e-mail pra ti em 28/01/09 e até hoje não obtive resposta. Reconheço que tu deves ter várias atividades, contudo só segui uma recomendação de um post, que dizia, quaisquer dúvidas encaminhar mail para fabricio@megacombo.com.br, gostaria apenas de uma resposta, nem que seja pra dizer que só faz isso profissionalmente(cobrando consulta).

    Abraço.

  • Ígor

    Caro Fabrício,

    Enviei um e-mail pra ti em 28/01/09 e até hoje não obtive resposta. Reconheço que tu deves ter várias atividades, contudo só segui uma recomendação de um post, que dizia, quaisquer dúvidas encaminhar mail para fabricio@megacombo.com.br, gostaria apenas de uma resposta, nem que seja pra dizer que só faz isso profissionalmente(cobrando consulta).

    Abraço.

  • Ígor

    Caro Fabrício,

    Enviei um e-mail pra ti em 28/01/09 e até hoje não obtive resposta. Reconheço que tu deves ter várias atividades, contudo só segui uma recomendação de um post, que dizia, quaisquer dúvidas encaminhar mail para fabricio@megacombo.com.br, gostaria apenas de uma resposta, nem que seja pra dizer que só faz isso profissionalmente(cobrando consulta).

    Abraço.

  • Ígor

    Caro Fabrício,

    Enviei um e-mail pra ti em 28/01/09 e até hoje não obtive resposta. Reconheço que tu deves ter várias atividades, contudo só segui uma recomendação de um post, que dizia, quaisquer dúvidas encaminhar mail para fabricio@megacombo.com.br, gostaria apenas de uma resposta, nem que seja pra dizer que só faz isso profissionalmente(cobrando consulta).

    Abraço.

  • Augusto Vilarim

    Opa fabricio…

    Bom, to tentando fazer o dinheiro trabalhar pra mim.

    Como to planejando comprar um ap, e tenho uma necessidade um tanto quanto urgente, gostaria de saber o que voce acha da minha ideia:
    Lendo sobre seus post, vi que uma otima ideia hoje em dia, eh fazer um consorcio imobiliario(inclusive, to vendo pra fazer isso na rodobens ate). Gostaria de saber se seria, pela sua experiencia algo inteligente a se fazer, fazer um consorcio em paralelo com um financiamento, para, conseguir dinheiro de imediato e adquirir meu imovel(meu maior problema agora) e a carta para tentar reduzir as perdas que eu vou ter com juros do financiamento.

    To pensando assim, faz algum sentido?

  • Augusto Vilarim

    Opa fabricio…

    Bom, to tentando fazer o dinheiro trabalhar pra mim.

    Como to planejando comprar um ap, e tenho uma necessidade um tanto quanto urgente, gostaria de saber o que voce acha da minha ideia:
    Lendo sobre seus post, vi que uma otima ideia hoje em dia, eh fazer um consorcio imobiliario(inclusive, to vendo pra fazer isso na rodobens ate). Gostaria de saber se seria, pela sua experiencia algo inteligente a se fazer, fazer um consorcio em paralelo com um financiamento, para, conseguir dinheiro de imediato e adquirir meu imovel(meu maior problema agora) e a carta para tentar reduzir as perdas que eu vou ter com juros do financiamento.

    To pensando assim, faz algum sentido?

  • Augusto Vilarim

    Opa fabricio…

    Bom, to tentando fazer o dinheiro trabalhar pra mim.

    Como to planejando comprar um ap, e tenho uma necessidade um tanto quanto urgente, gostaria de saber o que voce acha da minha ideia:
    Lendo sobre seus post, vi que uma otima ideia hoje em dia, eh fazer um consorcio imobiliario(inclusive, to vendo pra fazer isso na rodobens ate). Gostaria de saber se seria, pela sua experiencia algo inteligente a se fazer, fazer um consorcio em paralelo com um financiamento, para, conseguir dinheiro de imediato e adquirir meu imovel(meu maior problema agora) e a carta para tentar reduzir as perdas que eu vou ter com juros do financiamento.

    To pensando assim, faz algum sentido?

  • Augusto Vilarim

    Opa fabricio…

    Bom, to tentando fazer o dinheiro trabalhar pra mim.

    Como to planejando comprar um ap, e tenho uma necessidade um tanto quanto urgente, gostaria de saber o que voce acha da minha ideia:
    Lendo sobre seus post, vi que uma otima ideia hoje em dia, eh fazer um consorcio imobiliario(inclusive, to vendo pra fazer isso na rodobens ate). Gostaria de saber se seria, pela sua experiencia algo inteligente a se fazer, fazer um consorcio em paralelo com um financiamento, para, conseguir dinheiro de imediato e adquirir meu imovel(meu maior problema agora) e a carta para tentar reduzir as perdas que eu vou ter com juros do financiamento.

    To pensando assim, faz algum sentido?

  • Stéfano Santos

    Uma das muitas chaves para alcançar o que desejamos é fazer o $ trabalhar e muito …rs…

    O texto é muito bom para as pessoas criarem a coragem e superarem a miopia financeira ;)

    Comecei em 1997, e alcancei a possibilidade de pagar meu cursinho, me sustentar na época da faculdade e depois de formado, seguindo a mesma filosofia, cheguei a comprar meu carro e pagar meu MBA (td de forma independente)…..e ainda mantive uma poupança e minha previdência privada….fazendo o $ trabalhar, demora (muito por sinal), mas uma hora chega o resultado…hj tenho 26 e meu único arrependimento é que e acho que comecei a fazer isso muito tarde…mas antes tarde do que nunca eheheh :P

    Já apliquei em muita coisa: Poupança, fundos DI, futuros, opções, ações, tesouro direto….e sempre aprendendo (em renda variável é segunda crise financeira mundial que enfrento..rs…e vamos aprendendo).

    Agora estou abrindo duas frentes: Juntando para um apartamento próprio e futura renda na aposentaria, com matemagica estou conseguindo reservar 30% do bruto por mês + 13º (o 14º ficou reservado para o carnaval /o/)……e uma poupança para assuntos emergências ([DICA] assim não comprometo o plano)…..vai demorar, mas o esforço compensa….

    []’s

  • Stéfano Santos

    Uma das muitas chaves para alcançar o que desejamos é fazer o $ trabalhar e muito …rs…

    O texto é muito bom para as pessoas criarem a coragem e superarem a miopia financeira ;)

    Comecei em 1997, e alcancei a possibilidade de pagar meu cursinho, me sustentar na época da faculdade e depois de formado, seguindo a mesma filosofia, cheguei a comprar meu carro e pagar meu MBA (td de forma independente)…..e ainda mantive uma poupança e minha previdência privada….fazendo o $ trabalhar, demora (muito por sinal), mas uma hora chega o resultado…hj tenho 26 e meu único arrependimento é que e acho que comecei a fazer isso muito tarde…mas antes tarde do que nunca eheheh :P

    Já apliquei em muita coisa: Poupança, fundos DI, futuros, opções, ações, tesouro direto….e sempre aprendendo (em renda variável é segunda crise financeira mundial que enfrento..rs…e vamos aprendendo).

    Agora estou abrindo duas frentes: Juntando para um apartamento próprio e futura renda na aposentaria, com matemagica estou conseguindo reservar 30% do bruto por mês + 13º (o 14º ficou reservado para o carnaval /o/)……e uma poupança para assuntos emergências ([DICA] assim não comprometo o plano)…..vai demorar, mas o esforço compensa….

    []’s

  • Stéfano Santos

    Uma das muitas chaves para alcançar o que desejamos é fazer o $ trabalhar e muito …rs…

    O texto é muito bom para as pessoas criarem a coragem e superarem a miopia financeira ;)

    Comecei em 1997, e alcancei a possibilidade de pagar meu cursinho, me sustentar na época da faculdade e depois de formado, seguindo a mesma filosofia, cheguei a comprar meu carro e pagar meu MBA (td de forma independente)…..e ainda mantive uma poupança e minha previdência privada….fazendo o $ trabalhar, demora (muito por sinal), mas uma hora chega o resultado…hj tenho 26 e meu único arrependimento é que e acho que comecei a fazer isso muito tarde…mas antes tarde do que nunca eheheh :P

    Já apliquei em muita coisa: Poupança, fundos DI, futuros, opções, ações, tesouro direto….e sempre aprendendo (em renda variável é segunda crise financeira mundial que enfrento..rs…e vamos aprendendo).

    Agora estou abrindo duas frentes: Juntando para um apartamento próprio e futura renda na aposentaria, com matemagica estou conseguindo reservar 30% do bruto por mês + 13º (o 14º ficou reservado para o carnaval /o/)……e uma poupança para assuntos emergências ([DICA] assim não comprometo o plano)…..vai demorar, mas o esforço compensa….

    []’s

  • Stéfano Santos

    Uma das muitas chaves para alcançar o que desejamos é fazer o $ trabalhar e muito …rs…

    O texto é muito bom para as pessoas criarem a coragem e superarem a miopia financeira ;)

    Comecei em 1997, e alcancei a possibilidade de pagar meu cursinho, me sustentar na época da faculdade e depois de formado, seguindo a mesma filosofia, cheguei a comprar meu carro e pagar meu MBA (td de forma independente)…..e ainda mantive uma poupança e minha previdência privada….fazendo o $ trabalhar, demora (muito por sinal), mas uma hora chega o resultado…hj tenho 26 e meu único arrependimento é que e acho que comecei a fazer isso muito tarde…mas antes tarde do que nunca eheheh :P

    Já apliquei em muita coisa: Poupança, fundos DI, futuros, opções, ações, tesouro direto….e sempre aprendendo (em renda variável é segunda crise financeira mundial que enfrento..rs…e vamos aprendendo).

    Agora estou abrindo duas frentes: Juntando para um apartamento próprio e futura renda na aposentaria, com matemagica estou conseguindo reservar 30% do bruto por mês + 13º (o 14º ficou reservado para o carnaval /o/)……e uma poupança para assuntos emergências ([DICA] assim não comprometo o plano)…..vai demorar, mas o esforço compensa….

    []’s

  • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Ígor: teu email não chegou para mim. Sempre respondo todos os emails. E não cobro nada para fazer isso :-)

    Pode ter sido pego pelo meu antispam, que é relativamente agressivo. Por favor me reencaminha o email.

    —–

    Augusto: tua idéia faz sentido, principalmente agora, com a nova lei dos consórcios que entra em vigor hoje. Mas há alguns detalhes a serem observados para tudo sair da melhor maneira possível. Tem que ter cuidados com as escolhas específicas para buscar a melhor forma de contemplação rápida para evitar ao máximo os juros do financiamento e ao mesmo tempo definir os valores de cada um para permitir que tu consiga pagar ambas as prestações ao mesmo tempo, até conseguir a contemplação.

    Me manda um email com os detalhes do que tu estás pensando que te ajudo a desenhar a melhor solução. Meus dados de contato estão disponíveis na página http://www.megacombo.com.br/contato/

    —–

    Stéfano: excelente teu depoimento. Obrigado por ajudar contando tua história pessoal. É com exemplos assim que vamos convertendo cada dias mais pessoas em cidadãos responsáveis perante seu próprio futuro.

  • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Ígor: teu email não chegou para mim. Sempre respondo todos os emails. E não cobro nada para fazer isso :-)

    Pode ter sido pego pelo meu antispam, que é relativamente agressivo. Por favor me reencaminha o email.

    —–

    Augusto: tua idéia faz sentido, principalmente agora, com a nova lei dos consórcios que entra em vigor hoje. Mas há alguns detalhes a serem observados para tudo sair da melhor maneira possível. Tem que ter cuidados com as escolhas específicas para buscar a melhor forma de contemplação rápida para evitar ao máximo os juros do financiamento e ao mesmo tempo definir os valores de cada um para permitir que tu consiga pagar ambas as prestações ao mesmo tempo, até conseguir a contemplação.

    Me manda um email com os detalhes do que tu estás pensando que te ajudo a desenhar a melhor solução. Meus dados de contato estão disponíveis na página http://www.megacombo.com.br/contato/

    —–

    Stéfano: excelente teu depoimento. Obrigado por ajudar contando tua história pessoal. É com exemplos assim que vamos convertendo cada dias mais pessoas em cidadãos responsáveis perante seu próprio futuro.

  • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Ígor: teu email não chegou para mim. Sempre respondo todos os emails. E não cobro nada para fazer isso :-)

    Pode ter sido pego pelo meu antispam, que é relativamente agressivo. Por favor me reencaminha o email.

    —–

    Augusto: tua idéia faz sentido, principalmente agora, com a nova lei dos consórcios que entra em vigor hoje. Mas há alguns detalhes a serem observados para tudo sair da melhor maneira possível. Tem que ter cuidados com as escolhas específicas para buscar a melhor forma de contemplação rápida para evitar ao máximo os juros do financiamento e ao mesmo tempo definir os valores de cada um para permitir que tu consiga pagar ambas as prestações ao mesmo tempo, até conseguir a contemplação.

    Me manda um email com os detalhes do que tu estás pensando que te ajudo a desenhar a melhor solução. Meus dados de contato estão disponíveis na página http://www.megacombo.com.br/contato/

    —–

    Stéfano: excelente teu depoimento. Obrigado por ajudar contando tua história pessoal. É com exemplos assim que vamos convertendo cada dias mais pessoas em cidadãos responsáveis perante seu próprio futuro.

  • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Ígor: teu email não chegou para mim. Sempre respondo todos os emails. E não cobro nada para fazer isso :-)

    Pode ter sido pego pelo meu antispam, que é relativamente agressivo. Por favor me reencaminha o email.

    —–

    Augusto: tua idéia faz sentido, principalmente agora, com a nova lei dos consórcios que entra em vigor hoje. Mas há alguns detalhes a serem observados para tudo sair da melhor maneira possível. Tem que ter cuidados com as escolhas específicas para buscar a melhor forma de contemplação rápida para evitar ao máximo os juros do financiamento e ao mesmo tempo definir os valores de cada um para permitir que tu consiga pagar ambas as prestações ao mesmo tempo, até conseguir a contemplação.

    Me manda um email com os detalhes do que tu estás pensando que te ajudo a desenhar a melhor solução. Meus dados de contato estão disponíveis na página http://www.megacombo.com.br/contato/

    —–

    Stéfano: excelente teu depoimento. Obrigado por ajudar contando tua história pessoal. É com exemplos assim que vamos convertendo cada dias mais pessoas em cidadãos responsáveis perante seu próprio futuro.

  • edujanu

    Fabricio, eu quero entender o seguinte, suponhamos que vou adquirir uma carta no valor de 35.000,00, a mensalidade que vou pagar é de 300,31 , no caso a carta é sorteada e posso comprar a o imóvel nesse valor, alugo a casa, mas os alugueis giram em torno de 0,5% do valor do imóvel, então com a grana do aluguel que irei receber eu não consigo pagar as mensalidades que faltam e ainda ter um lucro com isso, posso estar errado , se sim, vc pode explicar melhor como esse processo funciona?
    te enviei um e-mail tb hj,
    t+ e valeu pelas explicações.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Edujanu: o segredo está em comprar o imóvel correto. Eu nunca compraria um imóvel que me rendesse apenas 0,5% do valor dele como aluguel. Simples assim.

      Quer um exemplo: um box de estacionamento no centro de Porto Alegre custa R$ 20.000. Tu consegue alugar ele por R$ 180 mensais. Tens aí 0,9%. Se tiver que pagar ainda o IR, desconta o valor da alíquota em que tu te enquadra ou se esta for a maior, abre uma empresa para colocar estes imóveis e pagar menos imposto.

      Outro exemplo: que tal um flat de R$ 160.000 que paga R$ 1500 mensais? E que tal uma sala comercial de 18.000 que paga mensalmente R$ 200 mensais? E uma loja de 800.000 que paga R$ 10.000 mensais? Tudo exemplos de amigos meus, exemplos reais que vi com meus próprios olhos.

      Mas pode apostar que eles não entraram numa imobiliária, pegaram uma listinha de imóveis e escolheram um alí, na hora. Exige pesquisa, paciência para encontrar o vendedor certo, fazer a oferta que valha a pena a estar disposto a procurar outro imóvel se o vendedor não aceitar tuas condições. Porque se cair na asneira de se apaixonar pelo imóvel, aí se paga o que o vendedor pedir.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Edujanu: o segredo está em comprar o imóvel correto. Eu nunca compraria um imóvel que me rendesse apenas 0,5% do valor dele como aluguel. Simples assim.

      Quer um exemplo: um box de estacionamento no centro de Porto Alegre custa R$ 20.000. Tu consegue alugar ele por R$ 180 mensais. Tens aí 0,9%. Se tiver que pagar ainda o IR, desconta o valor da alíquota em que tu te enquadra ou se esta for a maior, abre uma empresa para colocar estes imóveis e pagar menos imposto.

      Outro exemplo: que tal um flat de R$ 160.000 que paga R$ 1500 mensais? E que tal uma sala comercial de 18.000 que paga mensalmente R$ 200 mensais? E uma loja de 800.000 que paga R$ 10.000 mensais? Tudo exemplos de amigos meus, exemplos reais que vi com meus próprios olhos.

      Mas pode apostar que eles não entraram numa imobiliária, pegaram uma listinha de imóveis e escolheram um alí, na hora. Exige pesquisa, paciência para encontrar o vendedor certo, fazer a oferta que valha a pena a estar disposto a procurar outro imóvel se o vendedor não aceitar tuas condições. Porque se cair na asneira de se apaixonar pelo imóvel, aí se paga o que o vendedor pedir.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Edujanu: o segredo está em comprar o imóvel correto. Eu nunca compraria um imóvel que me rendesse apenas 0,5% do valor dele como aluguel. Simples assim.

      Quer um exemplo: um box de estacionamento no centro de Porto Alegre custa R$ 20.000. Tu consegue alugar ele por R$ 180 mensais. Tens aí 0,9%. Se tiver que pagar ainda o IR, desconta o valor da alíquota em que tu te enquadra ou se esta for a maior, abre uma empresa para colocar estes imóveis e pagar menos imposto.

      Outro exemplo: que tal um flat de R$ 160.000 que paga R$ 1500 mensais? E que tal uma sala comercial de 18.000 que paga mensalmente R$ 200 mensais? E uma loja de 800.000 que paga R$ 10.000 mensais? Tudo exemplos de amigos meus, exemplos reais que vi com meus próprios olhos.

      Mas pode apostar que eles não entraram numa imobiliária, pegaram uma listinha de imóveis e escolheram um alí, na hora. Exige pesquisa, paciência para encontrar o vendedor certo, fazer a oferta que valha a pena a estar disposto a procurar outro imóvel se o vendedor não aceitar tuas condições. Porque se cair na asneira de se apaixonar pelo imóvel, aí se paga o que o vendedor pedir.

  • edujanu

    Fabricio, eu quero entender o seguinte, suponhamos que vou adquirir uma carta no valor de 35.000,00, a mensalidade que vou pagar é de 300,31 , no caso a carta é sorteada e posso comprar a o imóvel nesse valor, alugo a casa, mas os alugueis giram em torno de 0,5% do valor do imóvel, então com a grana do aluguel que irei receber eu não consigo pagar as mensalidades que faltam e ainda ter um lucro com isso, posso estar errado , se sim, vc pode explicar melhor como esse processo funciona?
    te enviei um e-mail tb hj,
    t+ e valeu pelas explicações.

  • edujanu

    Fabricio, eu quero entender o seguinte, suponhamos que vou adquirir uma carta no valor de 35.000,00, a mensalidade que vou pagar é de 300,31 , no caso a carta é sorteada e posso comprar a o imóvel nesse valor, alugo a casa, mas os alugueis giram em torno de 0,5% do valor do imóvel, então com a grana do aluguel que irei receber eu não consigo pagar as mensalidades que faltam e ainda ter um lucro com isso, posso estar errado , se sim, vc pode explicar melhor como esse processo funciona?
    te enviei um e-mail tb hj,
    t+ e valeu pelas explicações.

  • edujanu

    Fabricio, eu quero entender o seguinte, suponhamos que vou adquirir uma carta no valor de 35.000,00, a mensalidade que vou pagar é de 300,31 , no caso a carta é sorteada e posso comprar a o imóvel nesse valor, alugo a casa, mas os alugueis giram em torno de 0,5% do valor do imóvel, então com a grana do aluguel que irei receber eu não consigo pagar as mensalidades que faltam e ainda ter um lucro com isso, posso estar errado , se sim, vc pode explicar melhor como esse processo funciona?
    te enviei um e-mail tb hj,
    t+ e valeu pelas explicações.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Edujanu: o segredo está em comprar o imóvel correto. Eu nunca compraria um imóvel que me rendesse apenas 0,5% do valor dele como aluguel. Simples assim.

      Quer um exemplo: um box de estacionamento no centro de Porto Alegre custa R$ 20.000. Tu consegue alugar ele por R$ 180 mensais. Tens aí 0,9%. Se tiver que pagar ainda o IR, desconta o valor da alíquota em que tu te enquadra ou se esta for a maior, abre uma empresa para colocar estes imóveis e pagar menos imposto.

      Outro exemplo: que tal um flat de R$ 160.000 que paga R$ 1500 mensais? E que tal uma sala comercial de 18.000 que paga mensalmente R$ 200 mensais? E uma loja de 800.000 que paga R$ 10.000 mensais? Tudo exemplos de amigos meus, exemplos reais que vi com meus próprios olhos.

      Mas pode apostar que eles não entraram numa imobiliária, pegaram uma listinha de imóveis e escolheram um alí, na hora. Exige pesquisa, paciência para encontrar o vendedor certo, fazer a oferta que valha a pena a estar disposto a procurar outro imóvel se o vendedor não aceitar tuas condições. Porque se cair na asneira de se apaixonar pelo imóvel, aí se paga o que o vendedor pedir.

  • Welder

    Oi Fabrício! Parabéns pelo ótimo artigo, aliás parabéns à todos do PdH quem sempre nos trazem textos de alto nível. Gostaria de deixar uma sugestão aos que querem conhecer o mercado de ações: Simuladores de investimento em ações. Tenho um portfolio de ações simulado no valor de 84 mil reais, e graças a ele não perdi quase metade de meu dinheiro real, caso tivesse investido num momento impróprio. Me interessei porque em meados de agosto do ano passado estava estudando a finco sobre o mercado de ações e análise gráfica, estava quase investindo cerca de 50% do meu capital nesta modalidade quando áconheci o serviço e resolvi utilizá-lo para praticar. Resultado: Em duas semanas “perdi” 26% do que tinha investido virtualmente, e hoje já passam de 42% de perda. Através do simulador é possível acompanhar o mercado de ações e através dele ter uma noção de como anda o mercado, sem comprometer seu dinheiro real. Fica aí a dica a todos os leitores!
    Abraços

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Welder: parabéns pelo comentário.

      Normalmente quando vemos as pessoas falando de simuladores de investimento em ações, vemos o exemplo contrário ao teu, de gente que ganha rios de dinheiro nos simuladores e depois quebram a cara nos investimentos reais. Isso acontece porque é muito mais fácil vender uma ação fictícia e assumir um prejuízo que não dói no bolso do que fazer o mesmo com o dinheiro que suamos para ganhar.

      É legal ver um exemplo diferente. Um exemplo que te ajudou a investir melhor e conhecer melhor este mercado.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Welder: parabéns pelo comentário.

      Normalmente quando vemos as pessoas falando de simuladores de investimento em ações, vemos o exemplo contrário ao teu, de gente que ganha rios de dinheiro nos simuladores e depois quebram a cara nos investimentos reais. Isso acontece porque é muito mais fácil vender uma ação fictícia e assumir um prejuízo que não dói no bolso do que fazer o mesmo com o dinheiro que suamos para ganhar.

      É legal ver um exemplo diferente. Um exemplo que te ajudou a investir melhor e conhecer melhor este mercado.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Welder: parabéns pelo comentário.

      Normalmente quando vemos as pessoas falando de simuladores de investimento em ações, vemos o exemplo contrário ao teu, de gente que ganha rios de dinheiro nos simuladores e depois quebram a cara nos investimentos reais. Isso acontece porque é muito mais fácil vender uma ação fictícia e assumir um prejuízo que não dói no bolso do que fazer o mesmo com o dinheiro que suamos para ganhar.

      É legal ver um exemplo diferente. Um exemplo que te ajudou a investir melhor e conhecer melhor este mercado.

  • Welder

    Oi Fabrício! Parabéns pelo ótimo artigo, aliás parabéns à todos do PdH quem sempre nos trazem textos de alto nível. Gostaria de deixar uma sugestão aos que querem conhecer o mercado de ações: Simuladores de investimento em ações. Tenho um portfolio de ações simulado no valor de 84 mil reais, e graças a ele não perdi quase metade de meu dinheiro real, caso tivesse investido num momento impróprio. Me interessei porque em meados de agosto do ano passado estava estudando a finco sobre o mercado de ações e análise gráfica, estava quase investindo cerca de 50% do meu capital nesta modalidade quando áconheci o serviço e resolvi utilizá-lo para praticar. Resultado: Em duas semanas “perdi” 26% do que tinha investido virtualmente, e hoje já passam de 42% de perda. Através do simulador é possível acompanhar o mercado de ações e através dele ter uma noção de como anda o mercado, sem comprometer seu dinheiro real. Fica aí a dica a todos os leitores!
    Abraços

  • Welder

    Oi Fabrício! Parabéns pelo ótimo artigo, aliás parabéns à todos do PdH quem sempre nos trazem textos de alto nível. Gostaria de deixar uma sugestão aos que querem conhecer o mercado de ações: Simuladores de investimento em ações. Tenho um portfolio de ações simulado no valor de 84 mil reais, e graças a ele não perdi quase metade de meu dinheiro real, caso tivesse investido num momento impróprio. Me interessei porque em meados de agosto do ano passado estava estudando a finco sobre o mercado de ações e análise gráfica, estava quase investindo cerca de 50% do meu capital nesta modalidade quando áconheci o serviço e resolvi utilizá-lo para praticar. Resultado: Em duas semanas “perdi” 26% do que tinha investido virtualmente, e hoje já passam de 42% de perda. Através do simulador é possível acompanhar o mercado de ações e através dele ter uma noção de como anda o mercado, sem comprometer seu dinheiro real. Fica aí a dica a todos os leitores!
    Abraços

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Welder: parabéns pelo comentário.

      Normalmente quando vemos as pessoas falando de simuladores de investimento em ações, vemos o exemplo contrário ao teu, de gente que ganha rios de dinheiro nos simuladores e depois quebram a cara nos investimentos reais. Isso acontece porque é muito mais fácil vender uma ação fictícia e assumir um prejuízo que não dói no bolso do que fazer o mesmo com o dinheiro que suamos para ganhar.

      É legal ver um exemplo diferente. Um exemplo que te ajudou a investir melhor e conhecer melhor este mercado.

  • http://www.cafealmocoejantar.blogspot.com/ Bia Amorim

    Querido, adorei seu texto!!!!
    Parabéns, ter como uma meta fazer com que outras pessoas cresçam com a nossa ajuda é fantástico, e uma meta minha também, repassar o conhecimento do que temos. No meu caso, tenho 26 anos, empresária a pouco mais de 6 meses no ramo de representação na área de gastronomia, antes de me pagar algo e me divertir aprendendo sobre como fazer o dinheiro trabalhar para mim, primeiro preciso arcar com os meus gastos fixos e continhas!Mas assim que der, vou seguir seus ótimos conselhos!!!Parabéns!!
    beijo

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Bia: obrigado por tantos elogios. Esse tipo de retorno é o maior motivo para eu continuar escrevendo mesmo quando as críticas aparecem junto.

      Parabéns por ter dado o passo do empreendedorismo. Te sugiro a leitura do livro Empreendedor Rico, do Robert Kiyosaki. Muito útil para antecipar algumas armadilhas que os empreendedores enfrentarão e evitar cair nelas quando aparecerem na tua frente. Eu, como não tive esse livro para ler quando comecei, me senti lendo minha própria biografia :-)

      E uma última dica: passa a separar 10% do que tu ganha desde já. Ou separa apenas 5%. O importante é criar o hábito desde o início, senão, sempre aparecerão emergências para “deixar para o mês que vem”.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Bia: obrigado por tantos elogios. Esse tipo de retorno é o maior motivo para eu continuar escrevendo mesmo quando as críticas aparecem junto.

      Parabéns por ter dado o passo do empreendedorismo. Te sugiro a leitura do livro Empreendedor Rico, do Robert Kiyosaki. Muito útil para antecipar algumas armadilhas que os empreendedores enfrentarão e evitar cair nelas quando aparecerem na tua frente. Eu, como não tive esse livro para ler quando comecei, me senti lendo minha própria biografia :-)

      E uma última dica: passa a separar 10% do que tu ganha desde já. Ou separa apenas 5%. O importante é criar o hábito desde o início, senão, sempre aparecerão emergências para “deixar para o mês que vem”.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Bia: obrigado por tantos elogios. Esse tipo de retorno é o maior motivo para eu continuar escrevendo mesmo quando as críticas aparecem junto.

      Parabéns por ter dado o passo do empreendedorismo. Te sugiro a leitura do livro Empreendedor Rico, do Robert Kiyosaki. Muito útil para antecipar algumas armadilhas que os empreendedores enfrentarão e evitar cair nelas quando aparecerem na tua frente. Eu, como não tive esse livro para ler quando comecei, me senti lendo minha própria biografia :-)

      E uma última dica: passa a separar 10% do que tu ganha desde já. Ou separa apenas 5%. O importante é criar o hábito desde o início, senão, sempre aparecerão emergências para “deixar para o mês que vem”.

  • http://www.cafealmocoejantar.blogspot.com/ Bia Amorim

    Querido, adorei seu texto!!!!
    Parabéns, ter como uma meta fazer com que outras pessoas cresçam com a nossa ajuda é fantástico, e uma meta minha também, repassar o conhecimento do que temos. No meu caso, tenho 26 anos, empresária a pouco mais de 6 meses no ramo de representação na área de gastronomia, antes de me pagar algo e me divertir aprendendo sobre como fazer o dinheiro trabalhar para mim, primeiro preciso arcar com os meus gastos fixos e continhas!Mas assim que der, vou seguir seus ótimos conselhos!!!Parabéns!!
    beijo

  • http://www.cafealmocoejantar.blogspot.com/ Bia Amorim

    Querido, adorei seu texto!!!!
    Parabéns, ter como uma meta fazer com que outras pessoas cresçam com a nossa ajuda é fantástico, e uma meta minha também, repassar o conhecimento do que temos. No meu caso, tenho 26 anos, empresária a pouco mais de 6 meses no ramo de representação na área de gastronomia, antes de me pagar algo e me divertir aprendendo sobre como fazer o dinheiro trabalhar para mim, primeiro preciso arcar com os meus gastos fixos e continhas!Mas assim que der, vou seguir seus ótimos conselhos!!!Parabéns!!
    beijo

  • http://www.cafealmocoejantar.blogspot.com Bia Amorim

    Querido, adorei seu texto!!!!
    Parabéns, ter como uma meta fazer com que outras pessoas cresçam com a nossa ajuda é fantástico, e uma meta minha também, repassar o conhecimento do que temos. No meu caso, tenho 26 anos, empresária a pouco mais de 6 meses no ramo de representação na área de gastronomia, antes de me pagar algo e me divertir aprendendo sobre como fazer o dinheiro trabalhar para mim, primeiro preciso arcar com os meus gastos fixos e continhas!Mas assim que der, vou seguir seus ótimos conselhos!!!Parabéns!!
    beijo

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Bia: obrigado por tantos elogios. Esse tipo de retorno é o maior motivo para eu continuar escrevendo mesmo quando as críticas aparecem junto.

      Parabéns por ter dado o passo do empreendedorismo. Te sugiro a leitura do livro Empreendedor Rico, do Robert Kiyosaki. Muito útil para antecipar algumas armadilhas que os empreendedores enfrentarão e evitar cair nelas quando aparecerem na tua frente. Eu, como não tive esse livro para ler quando comecei, me senti lendo minha própria biografia :-)

      E uma última dica: passa a separar 10% do que tu ganha desde já. Ou separa apenas 5%. O importante é criar o hábito desde o início, senão, sempre aparecerão emergências para “deixar para o mês que vem”.

  • Léo

    Muito útil e principalmente neste momento de crise financeira que estamos passando.
    O blog está de parabéns.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Léo: dizem que nos momentos de crise é quando devemos voltar aos bancos escolares.

      De minha parte, estou fazendo o que posso para ajudar. Acabo de abrir uma empresa para ministrar cursos de finanças pessoais, investimentos e construção de patrimônio. Quem quiser conhecer: http://www.moneysul.com.br/

      Naturalmente vou continuar escrevendo e fornecendo o mesmo tipo de informação de graça, tanto aqui no PdH, onde achei leitores maravilhosos quanto no meu site particular do Informativo Moeda Corrente.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Léo: dizem que nos momentos de crise é quando devemos voltar aos bancos escolares.

      De minha parte, estou fazendo o que posso para ajudar. Acabo de abrir uma empresa para ministrar cursos de finanças pessoais, investimentos e construção de patrimônio. Quem quiser conhecer: http://www.moneysul.com.br/

      Naturalmente vou continuar escrevendo e fornecendo o mesmo tipo de informação de graça, tanto aqui no PdH, onde achei leitores maravilhosos quanto no meu site particular do Informativo Moeda Corrente.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Léo: dizem que nos momentos de crise é quando devemos voltar aos bancos escolares.

      De minha parte, estou fazendo o que posso para ajudar. Acabo de abrir uma empresa para ministrar cursos de finanças pessoais, investimentos e construção de patrimônio. Quem quiser conhecer: http://www.moneysul.com.br/

      Naturalmente vou continuar escrevendo e fornecendo o mesmo tipo de informação de graça, tanto aqui no PdH, onde achei leitores maravilhosos quanto no meu site particular do Informativo Moeda Corrente.

  • Léo

    Muito útil e principalmente neste momento de crise financeira que estamos passando.
    O blog está de parabéns.

  • Léo

    Muito útil e principalmente neste momento de crise financeira que estamos passando.
    O blog está de parabéns.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Léo: dizem que nos momentos de crise é quando devemos voltar aos bancos escolares.

      De minha parte, estou fazendo o que posso para ajudar. Acabo de abrir uma empresa para ministrar cursos de finanças pessoais, investimentos e construção de patrimônio. Quem quiser conhecer: http://www.moneysul.com.br/

      Naturalmente vou continuar escrevendo e fornecendo o mesmo tipo de informação de graça, tanto aqui no PdH, onde achei leitores maravilhosos quanto no meu site particular do Informativo Moeda Corrente.

  • Ígor

    Fabrício,

    Encaminhei o e-mail hoje. Aguardo a resposta. Muito obrigado, de antemão.

  • Ígor

    Fabrício,

    Encaminhei o e-mail hoje. Aguardo a resposta. Muito obrigado, de antemão.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Ígor: desta vez chegou teu email :-)

      Já respondi.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Ígor: desta vez chegou teu email :-)

      Já respondi.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Ígor: desta vez chegou teu email :-)

      Já respondi.

  • Ígor

    Fabrício,

    Encaminhei o e-mail hoje. Aguardo a resposta. Muito obrigado, de antemão.

  • Ígor

    Fabrício,

    Encaminhei o e-mail hoje. Aguardo a resposta. Muito obrigado, de antemão.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Ígor: desta vez chegou teu email :-)

      Já respondi.

  • http://www.hsw.com.br/ Clarissa

    Oi, Fabricio
    Como você diz, cuidar das finanças pessoais é algo mesmo que deve ser levado pela vida. Neste caso, alguns conceitos básicos de economia doméstica são úteis. Conhecer todos os gastos da casa e restringir-se somente ao necessário farão com que o dinheiro sobre no fim do mês.
    Abraços a todos

  • http://www.hsw.com.br/ Clarissa

    Oi, Fabricio
    Como você diz, cuidar das finanças pessoais é algo mesmo que deve ser levado pela vida. Neste caso, alguns conceitos básicos de economia doméstica são úteis. Conhecer todos os gastos da casa e restringir-se somente ao necessário farão com que o dinheiro sobre no fim do mês.
    Abraços a todos

  • http://www.hsw.com.br/ Clarissa

    Oi, Fabricio
    Como você diz, cuidar das finanças pessoais é algo mesmo que deve ser levado pela vida. Neste caso, alguns conceitos básicos de economia doméstica são úteis. Conhecer todos os gastos da casa e restringir-se somente ao necessário farão com que o dinheiro sobre no fim do mês.
    Abraços a todos

  • http://www.hsw.com.br Clarissa

    Oi, Fabricio
    Como você diz, cuidar das finanças pessoais é algo mesmo que deve ser levado pela vida. Neste caso, alguns conceitos básicos de economia doméstica são úteis. Conhecer todos os gastos da casa e restringir-se somente ao necessário farão com que o dinheiro sobre no fim do mês.
    Abraços a todos

  • Eduardo

    Caro Fabrício:

    Em primeiro lugar, quero dar os parabéns por divulgar o conceito de “pagar a si mesmo em primeiro lugar”. Eu e minha esposa decidimos aplicar juntos esse conceito hà vários anos, no início foi muito difícil pois havia muitas tentações de consumo fácil às quais tivemos que aprender a resistir, mas hoje a nossa situação financeira tem uma diferença nítida.

    Agora, eu fui me informar melhor sobre o uso de consórcios para investimentos. Respeitosamente, quero questionar o seu benefício. Será uma explicação meio longa. Mas corrija-me se eu estiver errado.

    Dados típicos de um consórcio de imóveis, entre vários que olhei no mercado:
    Prazo: 12 anos, ou seja, 144 meses.
    Mensalidade: R$ 350,00
    Valor do bem: R$ 40.000,00

    Ou seja, eu faço um consórcio, pago R$ 350,00 por mês, e quando for contemplado eu recebo uma carta de crédito no valor de R$ 40.000,00.

    Conforme você mesmo explicou em outro post (http://papodehomem.com.br/como-ganhar-de-trs-a-cem-vezes-o-rendimento-da-renda-fixa-de-forma-segura-estvel-e-dentro-da-lei/ ), quando eu sou contemplado o valor da minha carta de crédito será depositado em um fundo, recebendo rendimentos enquanto eu não usar. Só que esse rendimento será sobre o valor TOTAL do consórcio, não sobre o que eu já paguei. Ou seja, se eu for sorteado no segundo mês, eu paguei R$ 700,00, mas começarei a receber rendimentos sobre R$ 40.000,00. Eu posso usar a carta de crédito quando quiser, ou receber o valor total mais rendimentos no final do consórcio.

    Quando li isso, pensei comigo: “Se isso for verdade, então consórcio de imóveis é a melhor renda fixa do mundo”.

    Só que existe um pequeno detalhe: o rendimento é diluído pela alta taxa de administração.

    Se você parcela R$ 40.000,00 em 144 prestações, você tem, em valores constantes, 40.000 / 144 = 277,77. Ou seja, dos R$ 350,00 que você paga, apenas R$ 277,77 vão formar o seu montante. Os outros R$ 72,22 (ou seja, mais de 20% do valor) são a taxa de administração do consórcio.

    O consórcio pede para você pagar 144 parcelas de R$ 350,00. Ele pede que você pague, a valores constantes, 144 x R$ 350,00 = R$ 50.400,00 – ou seja, você deve pagar mais de R$ 50.000 para receber uma carta de crédito de R$ 40.000. Dúvidas começam a aparecer.

    Se você depositar R$ 350,00 por mês em um fundo que renda 0,6% ao mês acima da inflação, você terá, ao final de 144 meses, R$ 79.700,00. Você pode simular esse cálculo no Excel digitando “350” na célula A1, “=(A1 * 1,006) + 350” na célula A2, e copiando a célula A2 em sequencia de A3 até A144.

    Isso quer dizer que um consórcio deve proporcionar um rendimento maio do que esse para valer a pena.

    Só que, se você for contemplado com a carta de crédito de R$ 40.000,00e deixar ela rendendo 0,6% ao mês acima da inflação (que é o que você recomendou no link acima), aí a sua carta de crédito levará 117 meses para igualar o rendimento de um simples depósito na renda fixa. Você pode simular isso também no Excel, digitando “40000” na célula B1, “=B1*1,006” na célula B2, e copiando a célula B2 em sequência de B3 até B144. No cálculo acima, observe que os valores da coluna B só irão superar o valor de R$ 79.700 ( rendimento do simples depósito na renda fixa) na linha 117.

    De acordo com o meu raciocínio, o consórcio só vale a pena, nesse caso, se você tiver pelo menos 117 meses de rendimento. Em um plano de 144 meses, então ele só vale a pena se você for contemplado nos primeiros 27 meses – ou seja, nos primeiros dois anos. Se você não for contemplado nesse período, o que você vai obter de rendimento em um consórcio é MENOS do que obteria de rendimento se fizesse um simples depósito,todos os meses, na renda fixa.

    Eu iria um passo além, e diria que o consórcio só vale mesmo a pena como investimento se você for contemplado no PRIMEIRO ano. Se você for contemplado no segundo ano, o que você ganharia a mais é tão pouco que não compensa a perda de liquidez (lembre que a renda fixa está sempre disponível, e o consórcio você só pode retirar em dinheiro no final do plano).

    E se você pretende entrar em um consórcio não como investimento, mas para sair do aluguel, ainda assim não me parece o melhor negócio. Se você depositar R$ 350,00 na renda fixa, e supondo novamente umrendimento de 0,6% ao mês acima da inflação, você terá R$ 14.000,00 ao final de3 anos, ou ou R$ 19.400,00 ao final de 4 anos (coluna A do Excel, acima). Aí você pega esse valor, da como entrada para o imóvel,financia o restante, e paga o financiamento com o valor que economizar do aluguel. Você tem data certa para se mudar e, dependendo do financiamento que fizer, ainda é capaz de pagar menos.

    Minha conclusão: o consórcio de imóveis vale a pena em 3 situações:
    1) Se você tiver a felicidade de ser contemplado bem no início
    2) Se você tiver um valor considerável no FGTS, e puder usá-lo para fazer o lance
    3) Se você não tem a disciplina de poupar todos os meses, ou se não irá resistir a tentação de torrar o dinheiro assim que ele se tornar mais volumoso.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Oi Eduardo,

      Excelentes explicações e conclusões. Realmente fico feliz de argumentar com alguém que realmente fez o tema de casa, calculou, pensou, analisou e finalmente resolveu escrever em detalhes toda a linha de raciocínio que seguiu. Crescemos todos com isso.

      Vamos a alguns comentários então:

      Concordo totalmente com as três situações em que tu comentas ser vantajoso investir em consórcios no final do teu comentário.

      O investimento em consórcios não funciona como aplicar em um fundo de renda fixa. A principal diferença é a falta de liquidez enquanto não contemplamos e pelo que notei, isso é tão importante para ti como é para mim. Ambos parecemos saber que dinheiro na mão significa poder aproveitar boas oportunidades pontuais.

      Então vemos que o investimento em consórcios, por conta desta falta de liquidez até a contemplação, tem que gerar lucros suficientes para compensar as oportunidades que podem ser perdidas. Isso é válido para mim, é válido para ti e é válido para mais uma meia dúzia de pessoas. Porque a grande maioria simplesmente não busca e consequentemente não encontra oportunidades pontuais de lucro rápido. Para ilustrar poderíamos usar a compra de um lote de 100 notebooks por 30% do que valem, em um leilão da polícia federal. Quantas pessoas vão realmente atrás desse tipo de oportunidade? Mas não vamos descartar, porque eu vou e mesmo assim invisto nos consórcios.

      Se tu tiveres a felicidade de contemplar pelo sorteio no início, vender a carta com ágio é a melhor alternativa. Lucro enorme em poucos dias. Exemplo: um amigo contemplou uma carta no segundo mês. Vendeu por R$ 10.600, com R$ 10.000 de lucro sobre os R$ 600 que pagou em apenas dois meses. Outro exemplo, uma carta minha onde havia pago R$ 5.200 ao longo de 15 meses. Vendi por R$ 12.200 obtendo um lucro de R$ 7.200 sobre os R$ 5.200 que investi em pequenas prestações mensais, mais do que dobrando meu capital. Então nota que no início não necessariamente é tão início assim. Poderia dobrar o capital em três anos e ainda assim seria muitas vezes mais rentável que a renda fixa.

      Se fosse descartar essa possibilidade de vender a carta contemplada, então optaria por adquirir um imóvel cujo aluguel pagasse as prestações restantes do consórcio. Dessa maneira, o lucro seria exatamente a diferença entre o valor do crédito contemplado e o valor pago até a contemplação. Um crédito de 40.000 que tivesse sido contemplado após pagarmos R$ 5.000 em prestações teria nos gerado a propriedade de um imóvel R$ 35.000 mais valioso do que o nosso dinheiro. Mesmo se calculássemos os rendimentos que não teríamos com esses 5.000 até que o imóvel estivesse quitado nos 10 anos seguintes, o rendimento “perdido” seria muitas vezes menor do que o lucro de R$ 35.000 obtido em patrimônio que gera renda.

      E finalmente a última opção seria permanecer com o dinheiro rendendo na aplicação do consórcio. Escrevi aquele artigo mostrando uma opção. Mas sempre deixando claro que há outras, mais lucrativas.

      E na prática, que é o que me interessa pessoalmente, os últimos sete anos me deram retorno infinito sobre os investimentos, porque com o lucro obtido nas vendas das minhas cartas contempladas consegui retornar todo o meu investimento inicial nos primeiros quatro anos. Hoje, lucro somente com o giro dos lucros do investimento inicial. Usei meu dinheiro para fazer a “máquina girar” e assim que ela atingiu a velocidade de cruzeiro, recuperei meu investimento inicial e mantive tudo girando com o lucro.

      Finalmente uma palavrinha sobre a questão da disciplina, seja para poupar todos os meses, seja para não torrar o dinheiro quando ele atinge um valor razoável. A grande maioria das pessoas simplesmente NÃO POSSUI ESTA DISCIPLINA. Precisam pagar por isso. E o consórcio é um pagamento barato que na melhor da hipóteses gera lucros impossíveis de obter de outras formas e na pior das hipóteses gera um patrimônio semelhante ao que a pessoa conseguiria se fosse naturalmente disciplinada.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Oi Eduardo,

      Excelentes explicações e conclusões. Realmente fico feliz de argumentar com alguém que realmente fez o tema de casa, calculou, pensou, analisou e finalmente resolveu escrever em detalhes toda a linha de raciocínio que seguiu. Crescemos todos com isso.

      Vamos a alguns comentários então:

      Concordo totalmente com as três situações em que tu comentas ser vantajoso investir em consórcios no final do teu comentário.

      O investimento em consórcios não funciona como aplicar em um fundo de renda fixa. A principal diferença é a falta de liquidez enquanto não contemplamos e pelo que notei, isso é tão importante para ti como é para mim. Ambos parecemos saber que dinheiro na mão significa poder aproveitar boas oportunidades pontuais.

      Então vemos que o investimento em consórcios, por conta desta falta de liquidez até a contemplação, tem que gerar lucros suficientes para compensar as oportunidades que podem ser perdidas. Isso é válido para mim, é válido para ti e é válido para mais uma meia dúzia de pessoas. Porque a grande maioria simplesmente não busca e consequentemente não encontra oportunidades pontuais de lucro rápido. Para ilustrar poderíamos usar a compra de um lote de 100 notebooks por 30% do que valem, em um leilão da polícia federal. Quantas pessoas vão realmente atrás desse tipo de oportunidade? Mas não vamos descartar, porque eu vou e mesmo assim invisto nos consórcios.

      Se tu tiveres a felicidade de contemplar pelo sorteio no início, vender a carta com ágio é a melhor alternativa. Lucro enorme em poucos dias. Exemplo: um amigo contemplou uma carta no segundo mês. Vendeu por R$ 10.600, com R$ 10.000 de lucro sobre os R$ 600 que pagou em apenas dois meses. Outro exemplo, uma carta minha onde havia pago R$ 5.200 ao longo de 15 meses. Vendi por R$ 12.200 obtendo um lucro de R$ 7.200 sobre os R$ 5.200 que investi em pequenas prestações mensais, mais do que dobrando meu capital. Então nota que no início não necessariamente é tão início assim. Poderia dobrar o capital em três anos e ainda assim seria muitas vezes mais rentável que a renda fixa.

      Se fosse descartar essa possibilidade de vender a carta contemplada, então optaria por adquirir um imóvel cujo aluguel pagasse as prestações restantes do consórcio. Dessa maneira, o lucro seria exatamente a diferença entre o valor do crédito contemplado e o valor pago até a contemplação. Um crédito de 40.000 que tivesse sido contemplado após pagarmos R$ 5.000 em prestações teria nos gerado a propriedade de um imóvel R$ 35.000 mais valioso do que o nosso dinheiro. Mesmo se calculássemos os rendimentos que não teríamos com esses 5.000 até que o imóvel estivesse quitado nos 10 anos seguintes, o rendimento “perdido” seria muitas vezes menor do que o lucro de R$ 35.000 obtido em patrimônio que gera renda.

      E finalmente a última opção seria permanecer com o dinheiro rendendo na aplicação do consórcio. Escrevi aquele artigo mostrando uma opção. Mas sempre deixando claro que há outras, mais lucrativas.

      E na prática, que é o que me interessa pessoalmente, os últimos sete anos me deram retorno infinito sobre os investimentos, porque com o lucro obtido nas vendas das minhas cartas contempladas consegui retornar todo o meu investimento inicial nos primeiros quatro anos. Hoje, lucro somente com o giro dos lucros do investimento inicial. Usei meu dinheiro para fazer a “máquina girar” e assim que ela atingiu a velocidade de cruzeiro, recuperei meu investimento inicial e mantive tudo girando com o lucro.

      Finalmente uma palavrinha sobre a questão da disciplina, seja para poupar todos os meses, seja para não torrar o dinheiro quando ele atinge um valor razoável. A grande maioria das pessoas simplesmente NÃO POSSUI ESTA DISCIPLINA. Precisam pagar por isso. E o consórcio é um pagamento barato que na melhor da hipóteses gera lucros impossíveis de obter de outras formas e na pior das hipóteses gera um patrimônio semelhante ao que a pessoa conseguiria se fosse naturalmente disciplinada.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Oi Eduardo,

      Excelentes explicações e conclusões. Realmente fico feliz de argumentar com alguém que realmente fez o tema de casa, calculou, pensou, analisou e finalmente resolveu escrever em detalhes toda a linha de raciocínio que seguiu. Crescemos todos com isso.

      Vamos a alguns comentários então:

      Concordo totalmente com as três situações em que tu comentas ser vantajoso investir em consórcios no final do teu comentário.

      O investimento em consórcios não funciona como aplicar em um fundo de renda fixa. A principal diferença é a falta de liquidez enquanto não contemplamos e pelo que notei, isso é tão importante para ti como é para mim. Ambos parecemos saber que dinheiro na mão significa poder aproveitar boas oportunidades pontuais.

      Então vemos que o investimento em consórcios, por conta desta falta de liquidez até a contemplação, tem que gerar lucros suficientes para compensar as oportunidades que podem ser perdidas. Isso é válido para mim, é válido para ti e é válido para mais uma meia dúzia de pessoas. Porque a grande maioria simplesmente não busca e consequentemente não encontra oportunidades pontuais de lucro rápido. Para ilustrar poderíamos usar a compra de um lote de 100 notebooks por 30% do que valem, em um leilão da polícia federal. Quantas pessoas vão realmente atrás desse tipo de oportunidade? Mas não vamos descartar, porque eu vou e mesmo assim invisto nos consórcios.

      Se tu tiveres a felicidade de contemplar pelo sorteio no início, vender a carta com ágio é a melhor alternativa. Lucro enorme em poucos dias. Exemplo: um amigo contemplou uma carta no segundo mês. Vendeu por R$ 10.600, com R$ 10.000 de lucro sobre os R$ 600 que pagou em apenas dois meses. Outro exemplo, uma carta minha onde havia pago R$ 5.200 ao longo de 15 meses. Vendi por R$ 12.200 obtendo um lucro de R$ 7.200 sobre os R$ 5.200 que investi em pequenas prestações mensais, mais do que dobrando meu capital. Então nota que no início não necessariamente é tão início assim. Poderia dobrar o capital em três anos e ainda assim seria muitas vezes mais rentável que a renda fixa.

      Se fosse descartar essa possibilidade de vender a carta contemplada, então optaria por adquirir um imóvel cujo aluguel pagasse as prestações restantes do consórcio. Dessa maneira, o lucro seria exatamente a diferença entre o valor do crédito contemplado e o valor pago até a contemplação. Um crédito de 40.000 que tivesse sido contemplado após pagarmos R$ 5.000 em prestações teria nos gerado a propriedade de um imóvel R$ 35.000 mais valioso do que o nosso dinheiro. Mesmo se calculássemos os rendimentos que não teríamos com esses 5.000 até que o imóvel estivesse quitado nos 10 anos seguintes, o rendimento “perdido” seria muitas vezes menor do que o lucro de R$ 35.000 obtido em patrimônio que gera renda.

      E finalmente a última opção seria permanecer com o dinheiro rendendo na aplicação do consórcio. Escrevi aquele artigo mostrando uma opção. Mas sempre deixando claro que há outras, mais lucrativas.

      E na prática, que é o que me interessa pessoalmente, os últimos sete anos me deram retorno infinito sobre os investimentos, porque com o lucro obtido nas vendas das minhas cartas contempladas consegui retornar todo o meu investimento inicial nos primeiros quatro anos. Hoje, lucro somente com o giro dos lucros do investimento inicial. Usei meu dinheiro para fazer a “máquina girar” e assim que ela atingiu a velocidade de cruzeiro, recuperei meu investimento inicial e mantive tudo girando com o lucro.

      Finalmente uma palavrinha sobre a questão da disciplina, seja para poupar todos os meses, seja para não torrar o dinheiro quando ele atinge um valor razoável. A grande maioria das pessoas simplesmente NÃO POSSUI ESTA DISCIPLINA. Precisam pagar por isso. E o consórcio é um pagamento barato que na melhor da hipóteses gera lucros impossíveis de obter de outras formas e na pior das hipóteses gera um patrimônio semelhante ao que a pessoa conseguiria se fosse naturalmente disciplinada.

  • Eduardo

    Caro Fabrício:

    Em primeiro lugar, quero dar os parabéns por divulgar o conceito de “pagar a si mesmo em primeiro lugar”. Eu e minha esposa decidimos aplicar juntos esse conceito hà vários anos, no início foi muito difícil pois havia muitas tentações de consumo fácil às quais tivemos que aprender a resistir, mas hoje a nossa situação financeira tem uma diferença nítida.

    Agora, eu fui me informar melhor sobre o uso de consórcios para investimentos. Respeitosamente, quero questionar o seu benefício. Será uma explicação meio longa. Mas corrija-me se eu estiver errado.

    Dados típicos de um consórcio de imóveis, entre vários que olhei no mercado:
    Prazo: 12 anos, ou seja, 144 meses.
    Mensalidade: R$ 350,00
    Valor do bem: R$ 40.000,00

    Ou seja, eu faço um consórcio, pago R$ 350,00 por mês, e quando for contemplado eu recebo uma carta de crédito no valor de R$ 40.000,00.

    Conforme você mesmo explicou em outro post (http://papodehomem.com.br/como-ganhar-de-trs-a-cem-vezes-o-rendimento-da-renda-fixa-de-forma-segura-estvel-e-dentro-da-lei/ ), quando eu sou contemplado o valor da minha carta de crédito será depositado em um fundo, recebendo rendimentos enquanto eu não usar. Só que esse rendimento será sobre o valor TOTAL do consórcio, não sobre o que eu já paguei. Ou seja, se eu for sorteado no segundo mês, eu paguei R$ 700,00, mas começarei a receber rendimentos sobre R$ 40.000,00. Eu posso usar a carta de crédito quando quiser, ou receber o valor total mais rendimentos no final do consórcio.

    Quando li isso, pensei comigo: “Se isso for verdade, então consórcio de imóveis é a melhor renda fixa do mundo”.

    Só que existe um pequeno detalhe: o rendimento é diluído pela alta taxa de administração.

    Se você parcela R$ 40.000,00 em 144 prestações, você tem, em valores constantes, 40.000 / 144 = 277,77. Ou seja, dos R$ 350,00 que você paga, apenas R$ 277,77 vão formar o seu montante. Os outros R$ 72,22 (ou seja, mais de 20% do valor) são a taxa de administração do consórcio.

    O consórcio pede para você pagar 144 parcelas de R$ 350,00. Ele pede que você pague, a valores constantes, 144 x R$ 350,00 = R$ 50.400,00 – ou seja, você deve pagar mais de R$ 50.000 para receber uma carta de crédito de R$ 40.000. Dúvidas começam a aparecer.

    Se você depositar R$ 350,00 por mês em um fundo que renda 0,6% ao mês acima da inflação, você terá, ao final de 144 meses, R$ 79.700,00. Você pode simular esse cálculo no Excel digitando “350” na célula A1, “=(A1 * 1,006) + 350” na célula A2, e copiando a célula A2 em sequencia de A3 até A144.

    Isso quer dizer que um consórcio deve proporcionar um rendimento maio do que esse para valer a pena.

    Só que, se você for contemplado com a carta de crédito de R$ 40.000,00e deixar ela rendendo 0,6% ao mês acima da inflação (que é o que você recomendou no link acima), aí a sua carta de crédito levará 117 meses para igualar o rendimento de um simples depósito na renda fixa. Você pode simular isso também no Excel, digitando “40000” na célula B1, “=B1*1,006” na célula B2, e copiando a célula B2 em sequência de B3 até B144. No cálculo acima, observe que os valores da coluna B só irão superar o valor de R$ 79.700 ( rendimento do simples depósito na renda fixa) na linha 117.

    De acordo com o meu raciocínio, o consórcio só vale a pena, nesse caso, se você tiver pelo menos 117 meses de rendimento. Em um plano de 144 meses, então ele só vale a pena se você for contemplado nos primeiros 27 meses – ou seja, nos primeiros dois anos. Se você não for contemplado nesse período, o que você vai obter de rendimento em um consórcio é MENOS do que obteria de rendimento se fizesse um simples depósito,todos os meses, na renda fixa.

    Eu iria um passo além, e diria que o consórcio só vale mesmo a pena como investimento se você for contemplado no PRIMEIRO ano. Se você for contemplado no segundo ano, o que você ganharia a mais é tão pouco que não compensa a perda de liquidez (lembre que a renda fixa está sempre disponível, e o consórcio você só pode retirar em dinheiro no final do plano).

    E se você pretende entrar em um consórcio não como investimento, mas para sair do aluguel, ainda assim não me parece o melhor negócio. Se você depositar R$ 350,00 na renda fixa, e supondo novamente umrendimento de 0,6% ao mês acima da inflação, você terá R$ 14.000,00 ao final de3 anos, ou ou R$ 19.400,00 ao final de 4 anos (coluna A do Excel, acima). Aí você pega esse valor, da como entrada para o imóvel,financia o restante, e paga o financiamento com o valor que economizar do aluguel. Você tem data certa para se mudar e, dependendo do financiamento que fizer, ainda é capaz de pagar menos.

    Minha conclusão: o consórcio de imóveis vale a pena em 3 situações:
    1) Se você tiver a felicidade de ser contemplado bem no início
    2) Se você tiver um valor considerável no FGTS, e puder usá-lo para fazer o lance
    3) Se você não tem a disciplina de poupar todos os meses, ou se não irá resistir a tentação de torrar o dinheiro assim que ele se tornar mais volumoso.

  • Eduardo

    Caro Fabrício:

    Em primeiro lugar, quero dar os parabéns por divulgar o conceito de “pagar a si mesmo em primeiro lugar”. Eu e minha esposa decidimos aplicar juntos esse conceito hà vários anos, no início foi muito difícil pois havia muitas tentações de consumo fácil às quais tivemos que aprender a resistir, mas hoje a nossa situação financeira tem uma diferença nítida.

    Agora, eu fui me informar melhor sobre o uso de consórcios para investimentos. Respeitosamente, quero questionar o seu benefício. Será uma explicação meio longa. Mas corrija-me se eu estiver errado.

    Dados típicos de um consórcio de imóveis, entre vários que olhei no mercado:
    Prazo: 12 anos, ou seja, 144 meses.
    Mensalidade: R$ 350,00
    Valor do bem: R$ 40.000,00

    Ou seja, eu faço um consórcio, pago R$ 350,00 por mês, e quando for contemplado eu recebo uma carta de crédito no valor de R$ 40.000,00.

    Conforme você mesmo explicou em outro post (http://papodehomem.com.br/como-ganhar-de-trs-a-cem-vezes-o-rendimento-da-renda-fixa-de-forma-segura-estvel-e-dentro-da-lei/ ), quando eu sou contemplado o valor da minha carta de crédito será depositado em um fundo, recebendo rendimentos enquanto eu não usar. Só que esse rendimento será sobre o valor TOTAL do consórcio, não sobre o que eu já paguei. Ou seja, se eu for sorteado no segundo mês, eu paguei R$ 700,00, mas começarei a receber rendimentos sobre R$ 40.000,00. Eu posso usar a carta de crédito quando quiser, ou receber o valor total mais rendimentos no final do consórcio.

    Quando li isso, pensei comigo: “Se isso for verdade, então consórcio de imóveis é a melhor renda fixa do mundo”.

    Só que existe um pequeno detalhe: o rendimento é diluído pela alta taxa de administração.

    Se você parcela R$ 40.000,00 em 144 prestações, você tem, em valores constantes, 40.000 / 144 = 277,77. Ou seja, dos R$ 350,00 que você paga, apenas R$ 277,77 vão formar o seu montante. Os outros R$ 72,22 (ou seja, mais de 20% do valor) são a taxa de administração do consórcio.

    O consórcio pede para você pagar 144 parcelas de R$ 350,00. Ele pede que você pague, a valores constantes, 144 x R$ 350,00 = R$ 50.400,00 – ou seja, você deve pagar mais de R$ 50.000 para receber uma carta de crédito de R$ 40.000. Dúvidas começam a aparecer.

    Se você depositar R$ 350,00 por mês em um fundo que renda 0,6% ao mês acima da inflação, você terá, ao final de 144 meses, R$ 79.700,00. Você pode simular esse cálculo no Excel digitando “350” na célula A1, “=(A1 * 1,006) + 350” na célula A2, e copiando a célula A2 em sequencia de A3 até A144.

    Isso quer dizer que um consórcio deve proporcionar um rendimento maio do que esse para valer a pena.

    Só que, se você for contemplado com a carta de crédito de R$ 40.000,00e deixar ela rendendo 0,6% ao mês acima da inflação (que é o que você recomendou no link acima), aí a sua carta de crédito levará 117 meses para igualar o rendimento de um simples depósito na renda fixa. Você pode simular isso também no Excel, digitando “40000” na célula B1, “=B1*1,006” na célula B2, e copiando a célula B2 em sequência de B3 até B144. No cálculo acima, observe que os valores da coluna B só irão superar o valor de R$ 79.700 ( rendimento do simples depósito na renda fixa) na linha 117.

    De acordo com o meu raciocínio, o consórcio só vale a pena, nesse caso, se você tiver pelo menos 117 meses de rendimento. Em um plano de 144 meses, então ele só vale a pena se você for contemplado nos primeiros 27 meses – ou seja, nos primeiros dois anos. Se você não for contemplado nesse período, o que você vai obter de rendimento em um consórcio é MENOS do que obteria de rendimento se fizesse um simples depósito,todos os meses, na renda fixa.

    Eu iria um passo além, e diria que o consórcio só vale mesmo a pena como investimento se você for contemplado no PRIMEIRO ano. Se você for contemplado no segundo ano, o que você ganharia a mais é tão pouco que não compensa a perda de liquidez (lembre que a renda fixa está sempre disponível, e o consórcio você só pode retirar em dinheiro no final do plano).

    E se você pretende entrar em um consórcio não como investimento, mas para sair do aluguel, ainda assim não me parece o melhor negócio. Se você depositar R$ 350,00 na renda fixa, e supondo novamente umrendimento de 0,6% ao mês acima da inflação, você terá R$ 14.000,00 ao final de3 anos, ou ou R$ 19.400,00 ao final de 4 anos (coluna A do Excel, acima). Aí você pega esse valor, da como entrada para o imóvel,financia o restante, e paga o financiamento com o valor que economizar do aluguel. Você tem data certa para se mudar e, dependendo do financiamento que fizer, ainda é capaz de pagar menos.

    Minha conclusão: o consórcio de imóveis vale a pena em 3 situações:
    1) Se você tiver a felicidade de ser contemplado bem no início
    2) Se você tiver um valor considerável no FGTS, e puder usá-lo para fazer o lance
    3) Se você não tem a disciplina de poupar todos os meses, ou se não irá resistir a tentação de torrar o dinheiro assim que ele se tornar mais volumoso.

  • Eduardo

    Caro Fabrício:

    Em primeiro lugar, quero dar os parabéns por divulgar o conceito de “pagar a si mesmo em primeiro lugar”. Eu e minha esposa decidimos aplicar juntos esse conceito hà vários anos, no início foi muito difícil pois havia muitas tentações de consumo fácil às quais tivemos que aprender a resistir, mas hoje a nossa situação financeira tem uma diferença nítida.

    Agora, eu fui me informar melhor sobre o uso de consórcios para investimentos. Respeitosamente, quero questionar o seu benefício. Será uma explicação meio longa. Mas corrija-me se eu estiver errado.

    Dados típicos de um consórcio de imóveis, entre vários que olhei no mercado:
    Prazo: 12 anos, ou seja, 144 meses.
    Mensalidade: R$ 350,00
    Valor do bem: R$ 40.000,00

    Ou seja, eu faço um consórcio, pago R$ 350,00 por mês, e quando for contemplado eu recebo uma carta de crédito no valor de R$ 40.000,00.

    Conforme você mesmo explicou em outro post (http://papodehomem.com.br/como-ganhar-de-trs-a-cem-vezes-o-rendimento-da-renda-fixa-de-forma-segura-estvel-e-dentro-da-lei/ ), quando eu sou contemplado o valor da minha carta de crédito será depositado em um fundo, recebendo rendimentos enquanto eu não usar. Só que esse rendimento será sobre o valor TOTAL do consórcio, não sobre o que eu já paguei. Ou seja, se eu for sorteado no segundo mês, eu paguei R$ 700,00, mas começarei a receber rendimentos sobre R$ 40.000,00. Eu posso usar a carta de crédito quando quiser, ou receber o valor total mais rendimentos no final do consórcio.

    Quando li isso, pensei comigo: “Se isso for verdade, então consórcio de imóveis é a melhor renda fixa do mundo”.

    Só que existe um pequeno detalhe: o rendimento é diluído pela alta taxa de administração.

    Se você parcela R$ 40.000,00 em 144 prestações, você tem, em valores constantes, 40.000 / 144 = 277,77. Ou seja, dos R$ 350,00 que você paga, apenas R$ 277,77 vão formar o seu montante. Os outros R$ 72,22 (ou seja, mais de 20% do valor) são a taxa de administração do consórcio.

    O consórcio pede para você pagar 144 parcelas de R$ 350,00. Ele pede que você pague, a valores constantes, 144 x R$ 350,00 = R$ 50.400,00 – ou seja, você deve pagar mais de R$ 50.000 para receber uma carta de crédito de R$ 40.000. Dúvidas começam a aparecer.

    Se você depositar R$ 350,00 por mês em um fundo que renda 0,6% ao mês acima da inflação, você terá, ao final de 144 meses, R$ 79.700,00. Você pode simular esse cálculo no Excel digitando “350” na célula A1, “=(A1 * 1,006) + 350” na célula A2, e copiando a célula A2 em sequencia de A3 até A144.

    Isso quer dizer que um consórcio deve proporcionar um rendimento maio do que esse para valer a pena.

    Só que, se você for contemplado com a carta de crédito de R$ 40.000,00e deixar ela rendendo 0,6% ao mês acima da inflação (que é o que você recomendou no link acima), aí a sua carta de crédito levará 117 meses para igualar o rendimento de um simples depósito na renda fixa. Você pode simular isso também no Excel, digitando “40000” na célula B1, “=B1*1,006” na célula B2, e copiando a célula B2 em sequência de B3 até B144. No cálculo acima, observe que os valores da coluna B só irão superar o valor de R$ 79.700 ( rendimento do simples depósito na renda fixa) na linha 117.

    De acordo com o meu raciocínio, o consórcio só vale a pena, nesse caso, se você tiver pelo menos 117 meses de rendimento. Em um plano de 144 meses, então ele só vale a pena se você for contemplado nos primeiros 27 meses – ou seja, nos primeiros dois anos. Se você não for contemplado nesse período, o que você vai obter de rendimento em um consórcio é MENOS do que obteria de rendimento se fizesse um simples depósito,todos os meses, na renda fixa.

    Eu iria um passo além, e diria que o consórcio só vale mesmo a pena como investimento se você for contemplado no PRIMEIRO ano. Se você for contemplado no segundo ano, o que você ganharia a mais é tão pouco que não compensa a perda de liquidez (lembre que a renda fixa está sempre disponível, e o consórcio você só pode retirar em dinheiro no final do plano).

    E se você pretende entrar em um consórcio não como investimento, mas para sair do aluguel, ainda assim não me parece o melhor negócio. Se você depositar R$ 350,00 na renda fixa, e supondo novamente umrendimento de 0,6% ao mês acima da inflação, você terá R$ 14.000,00 ao final de3 anos, ou ou R$ 19.400,00 ao final de 4 anos (coluna A do Excel, acima). Aí você pega esse valor, da como entrada para o imóvel,financia o restante, e paga o financiamento com o valor que economizar do aluguel. Você tem data certa para se mudar e, dependendo do financiamento que fizer, ainda é capaz de pagar menos.

    Minha conclusão: o consórcio de imóveis vale a pena em 3 situações:
    1) Se você tiver a felicidade de ser contemplado bem no início
    2) Se você tiver um valor considerável no FGTS, e puder usá-lo para fazer o lance
    3) Se você não tem a disciplina de poupar todos os meses, ou se não irá resistir a tentação de torrar o dinheiro assim que ele se tornar mais volumoso.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Oi Eduardo,

      Excelentes explicações e conclusões. Realmente fico feliz de argumentar com alguém que realmente fez o tema de casa, calculou, pensou, analisou e finalmente resolveu escrever em detalhes toda a linha de raciocínio que seguiu. Crescemos todos com isso.

      Vamos a alguns comentários então:

      Concordo totalmente com as três situações em que tu comentas ser vantajoso investir em consórcios no final do teu comentário.

      O investimento em consórcios não funciona como aplicar em um fundo de renda fixa. A principal diferença é a falta de liquidez enquanto não contemplamos e pelo que notei, isso é tão importante para ti como é para mim. Ambos parecemos saber que dinheiro na mão significa poder aproveitar boas oportunidades pontuais.

      Então vemos que o investimento em consórcios, por conta desta falta de liquidez até a contemplação, tem que gerar lucros suficientes para compensar as oportunidades que podem ser perdidas. Isso é válido para mim, é válido para ti e é válido para mais uma meia dúzia de pessoas. Porque a grande maioria simplesmente não busca e consequentemente não encontra oportunidades pontuais de lucro rápido. Para ilustrar poderíamos usar a compra de um lote de 100 notebooks por 30% do que valem, em um leilão da polícia federal. Quantas pessoas vão realmente atrás desse tipo de oportunidade? Mas não vamos descartar, porque eu vou e mesmo assim invisto nos consórcios.

      Se tu tiveres a felicidade de contemplar pelo sorteio no início, vender a carta com ágio é a melhor alternativa. Lucro enorme em poucos dias. Exemplo: um amigo contemplou uma carta no segundo mês. Vendeu por R$ 10.600, com R$ 10.000 de lucro sobre os R$ 600 que pagou em apenas dois meses. Outro exemplo, uma carta minha onde havia pago R$ 5.200 ao longo de 15 meses. Vendi por R$ 12.200 obtendo um lucro de R$ 7.200 sobre os R$ 5.200 que investi em pequenas prestações mensais, mais do que dobrando meu capital. Então nota que no início não necessariamente é tão início assim. Poderia dobrar o capital em três anos e ainda assim seria muitas vezes mais rentável que a renda fixa.

      Se fosse descartar essa possibilidade de vender a carta contemplada, então optaria por adquirir um imóvel cujo aluguel pagasse as prestações restantes do consórcio. Dessa maneira, o lucro seria exatamente a diferença entre o valor do crédito contemplado e o valor pago até a contemplação. Um crédito de 40.000 que tivesse sido contemplado após pagarmos R$ 5.000 em prestações teria nos gerado a propriedade de um imóvel R$ 35.000 mais valioso do que o nosso dinheiro. Mesmo se calculássemos os rendimentos que não teríamos com esses 5.000 até que o imóvel estivesse quitado nos 10 anos seguintes, o rendimento “perdido” seria muitas vezes menor do que o lucro de R$ 35.000 obtido em patrimônio que gera renda.

      E finalmente a última opção seria permanecer com o dinheiro rendendo na aplicação do consórcio. Escrevi aquele artigo mostrando uma opção. Mas sempre deixando claro que há outras, mais lucrativas.

      E na prática, que é o que me interessa pessoalmente, os últimos sete anos me deram retorno infinito sobre os investimentos, porque com o lucro obtido nas vendas das minhas cartas contempladas consegui retornar todo o meu investimento inicial nos primeiros quatro anos. Hoje, lucro somente com o giro dos lucros do investimento inicial. Usei meu dinheiro para fazer a “máquina girar” e assim que ela atingiu a velocidade de cruzeiro, recuperei meu investimento inicial e mantive tudo girando com o lucro.

      Finalmente uma palavrinha sobre a questão da disciplina, seja para poupar todos os meses, seja para não torrar o dinheiro quando ele atinge um valor razoável. A grande maioria das pessoas simplesmente NÃO POSSUI ESTA DISCIPLINA. Precisam pagar por isso. E o consórcio é um pagamento barato que na melhor da hipóteses gera lucros impossíveis de obter de outras formas e na pior das hipóteses gera um patrimônio semelhante ao que a pessoa conseguiria se fosse naturalmente disciplinada.

  • leonardo

    poxa gostaria de saber se posso investir em consorcios com o nome sujo (com restrições)
    expliquei essa ideia para minha mae e ela gostou mas tem essa questao do nome

    otimo poste fabricio
    tu tens me incorajado bastante na minha vida finançeira
    abraços

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Leonardo: pode investir nos consórcios da Rodobens mesmo estando no SPC ou Serasa.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Leonardo: pode investir nos consórcios da Rodobens mesmo estando no SPC ou Serasa.

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Leonardo: pode investir nos consórcios da Rodobens mesmo estando no SPC ou Serasa.

  • leonardo

    poxa gostaria de saber se posso investir em consorcios com o nome sujo (com restrições)
    expliquei essa ideia para minha mae e ela gostou mas tem essa questao do nome

    otimo poste fabricio
    tu tens me incorajado bastante na minha vida finançeira
    abraços

  • leonardo

    poxa gostaria de saber se posso investir em consorcios com o nome sujo (com restrições)
    expliquei essa ideia para minha mae e ela gostou mas tem essa questao do nome

    otimo poste fabricio
    tu tens me incorajado bastante na minha vida finançeira
    abraços

  • leonardo

    poxa gostaria de saber se posso investir em consorcios com o nome sujo (com restrições)
    expliquei essa ideia para minha mae e ela gostou mas tem essa questao do nome

    otimo poste fabricio
    tu tens me incorajado bastante na minha vida finançeira
    abraços

    • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

      Leonardo: pode investir nos consórcios da Rodobens mesmo estando no SPC ou Serasa.

  • http://www.tocaramones.com/ Will

    Corretíssimo.
    Vale muito a pena ler os livros do Gustavo Cerbasi. São livros rápidos e fáceis.

  • http://www.tocaramones.com/ Will

    Corretíssimo.
    Vale muito a pena ler os livros do Gustavo Cerbasi. São livros rápidos e fáceis.

  • http://www.tocaramones.com/ Will

    Corretíssimo.
    Vale muito a pena ler os livros do Gustavo Cerbasi. São livros rápidos e fáceis.

  • http://www.tocaramones.com Will

    Corretíssimo.
    Vale muito a pena ler os livros do Gustavo Cerbasi. São livros rápidos e fáceis.

  • GUSTAVÃO

    VAI UM TÍTULO DE CAPITALIZAÇÀO AEEEEEEEEE!! AHEUAHEUAHEUAHE E OLHA QUE TU AINDA PODE CONCORRER A MILHÕES E TER NO FINAL DO PRAZO DE VIGÊNCIA TEU DINHEIRO POUPADO CORRIGIDO pela gloriosa TR uehauehauehauehuaehaeh

  • GUSTAVÃO

    VAI UM TÍTULO DE CAPITALIZAÇÀO AEEEEEEEEE!! AHEUAHEUAHEUAHE E OLHA QUE TU AINDA PODE CONCORRER A MILHÕES E TER NO FINAL DO PRAZO DE VIGÊNCIA TEU DINHEIRO POUPADO CORRIGIDO pela gloriosa TR uehauehauehauehuaehaeh

  • GUSTAVÃO

    VAI UM TÍTULO DE CAPITALIZAÇÀO AEEEEEEEEE!! AHEUAHEUAHEUAHE E OLHA QUE TU AINDA PODE CONCORRER A MILHÕES E TER NO FINAL DO PRAZO DE VIGÊNCIA TEU DINHEIRO POUPADO CORRIGIDO pela gloriosa TR uehauehauehauehuaehaeh

  • GUSTAVÃO

    VAI UM TÍTULO DE CAPITALIZAÇÀO AEEEEEEEEE!! AHEUAHEUAHEUAHE E OLHA QUE TU AINDA PODE CONCORRER A MILHÕES E TER NO FINAL DO PRAZO DE VIGÊNCIA TEU DINHEIRO POUPADO CORRIGIDO pela gloriosa TR uehauehauehauehuaehaeh

  • GUSTAVÃO

    VAI UM TÍTULO DE CAPITALIZAÇÀO AEEEEEEEEE!! AHEUAHEUAHEUAHE E OLHA QUE TU AINDA PODE CONCORRER A MILHÕES E TER NO FINAL DO PRAZO DE VIGÊNCIA TEU DINHEIRO POUPADO CORRIGIDO pela gloriosa TR uehauehauehauehuaehaeh!!!!!!!

  • GUSTAVÃO

    VAI UM TÍTULO DE CAPITALIZAÇÀO AEEEEEEEEE!! AHEUAHEUAHEUAHE E OLHA QUE TU AINDA PODE CONCORRER A MILHÕES E TER NO FINAL DO PRAZO DE VIGÊNCIA TEU DINHEIRO POUPADO CORRIGIDO pela gloriosa TR uehauehauehauehuaehaeh!!!!!!!

  • GUSTAVÃO

    VAI UM TÍTULO DE CAPITALIZAÇÀO AEEEEEEEEE!! AHEUAHEUAHEUAHE E OLHA QUE TU AINDA PODE CONCORRER A MILHÕES E TER NO FINAL DO PRAZO DE VIGÊNCIA TEU DINHEIRO POUPADO CORRIGIDO pela gloriosa TR uehauehauehauehuaehaeh!!!!!!!

  • GUSTAVÃO

    VAI UM TÍTULO DE CAPITALIZAÇÀO AEEEEEEEEE!! AHEUAHEUAHEUAHE E OLHA QUE TU AINDA PODE CONCORRER A MILHÕES E TER NO FINAL DO PRAZO DE VIGÊNCIA TEU DINHEIRO POUPADO CORRIGIDO pela gloriosa TR uehauehauehauehuaehaeh!!!!!!!

  • Caixeta

    Boa Tarde, depois que descobri este site, sempre que me sobra um tempo estou passando para ler os textos e opiniões sobre dinheiro. Acho muito importante ler para obter um senário de opiniões sobre formação financeira, aliás isso é o que falta na educação brasileira: Educação Financeira. Gostaria de saber também se é possível realizar investimentos nas áreas de consorcios de motocicletas no caso da HONDA. Você já até comentou sobre o assunto mas não encontrei uma resposta de quais tipos de consorcios são os indicados por você, além do imobiliário.

  • Caixeta

    Boa Tarde, depois que descobri este site, sempre que me sobra um tempo estou passando para ler os textos e opiniões sobre dinheiro. Acho muito importante ler para obter um senário de opiniões sobre formação financeira, aliás isso é o que falta na educação brasileira: Educação Financeira. Gostaria de saber também se é possível realizar investimentos nas áreas de consorcios de motocicletas no caso da HONDA. Você já até comentou sobre o assunto mas não encontrei uma resposta de quais tipos de consorcios são os indicados por você, além do imobiliário.

  • Caixeta

    Boa Tarde, depois que descobri este site, sempre que me sobra um tempo estou passando para ler os textos e opiniões sobre dinheiro. Acho muito importante ler para obter um senário de opiniões sobre formação financeira, aliás isso é o que falta na educação brasileira: Educação Financeira. Gostaria de saber também se é possível realizar investimentos nas áreas de consorcios de motocicletas no caso da HONDA. Você já até comentou sobre o assunto mas não encontrei uma resposta de quais tipos de consorcios são os indicados por você, além do imobiliário.

  • Caixeta

    Boa Tarde, depois que descobri este site, sempre que me sobra um tempo estou passando para ler os textos e opiniões sobre dinheiro. Acho muito importante ler para obter um senário de opiniões sobre formação financeira, aliás isso é o que falta na educação brasileira: Educação Financeira. Gostaria de saber também se é possível realizar investimentos nas áreas de consorcios de motocicletas no caso da HONDA. Você já até comentou sobre o assunto mas não encontrei uma resposta de quais tipos de consorcios são os indicados por você, além do imobiliário.

  • Guilherme Vieira

    Olá Fabrício!
    Realmente, pagar a si primeiro é o primeiro passo para o sucesso financeiro. A partir do momento em que for possível perceber que você está a frente das outras despesas, tudo fica mais fácil.

    P.S. Te mandei um email sobre o consórcio de vans. Recebeste? Posso estar sendo considerado spammer? hehehe!

    Abraço!

  • Guilherme Vieira

    Olá Fabrício!
    Realmente, pagar a si primeiro é o primeiro passo para o sucesso financeiro. A partir do momento em que for possível perceber que você está a frente das outras despesas, tudo fica mais fácil.

    P.S. Te mandei um email sobre o consórcio de vans. Recebeste? Posso estar sendo considerado spammer? hehehe!

    Abraço!

  • Guilherme Vieira

    Olá Fabrício!
    Realmente, pagar a si primeiro é o primeiro passo para o sucesso financeiro. A partir do momento em que for possível perceber que você está a frente das outras despesas, tudo fica mais fácil.

    P.S. Te mandei um email sobre o consórcio de vans. Recebeste? Posso estar sendo considerado spammer? hehehe!

    Abraço!

  • Guilherme Vieira

    Olá Fabrício!
    Realmente, pagar a si primeiro é o primeiro passo para o sucesso financeiro. A partir do momento em que for possível perceber que você está a frente das outras despesas, tudo fica mais fácil.

    P.S. Te mandei um email sobre o consórcio de vans. Recebeste? Posso estar sendo considerado spammer? hehehe!

    Abraço!

  • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Caixeta: o investimento só funciona bem com os consórcios imobiliários. Até há a possibilidade de ganhar algum dinheiro com consórcios de veículos ou de motos mas são tantas variáveis e tantas administradoras que os riscos de perda são altos demais para valer a pena, além do lucro ser absurdamente menor. Eu só invisto em consórcios de imóveis.

    —–

    Guilherme: legal tua idéia sobre as vans. Pena que não deu certo esta primiera tentativa de empreender, mas o mais importante, que é pensar nas diversas possibilidades de negócio, já te infectou. Depois daquela nossa conversa em Farroupilha, sinto que criei um monstro :-)

    Abraços,
    Fabricio.

  • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Caixeta: o investimento só funciona bem com os consórcios imobiliários. Até há a possibilidade de ganhar algum dinheiro com consórcios de veículos ou de motos mas são tantas variáveis e tantas administradoras que os riscos de perda são altos demais para valer a pena, além do lucro ser absurdamente menor. Eu só invisto em consórcios de imóveis.

    —–

    Guilherme: legal tua idéia sobre as vans. Pena que não deu certo esta primiera tentativa de empreender, mas o mais importante, que é pensar nas diversas possibilidades de negócio, já te infectou. Depois daquela nossa conversa em Farroupilha, sinto que criei um monstro :-)

    Abraços,
    Fabricio.

  • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Caixeta: o investimento só funciona bem com os consórcios imobiliários. Até há a possibilidade de ganhar algum dinheiro com consórcios de veículos ou de motos mas são tantas variáveis e tantas administradoras que os riscos de perda são altos demais para valer a pena, além do lucro ser absurdamente menor. Eu só invisto em consórcios de imóveis.

    —–

    Guilherme: legal tua idéia sobre as vans. Pena que não deu certo esta primiera tentativa de empreender, mas o mais importante, que é pensar nas diversas possibilidades de negócio, já te infectou. Depois daquela nossa conversa em Farroupilha, sinto que criei um monstro :-)

    Abraços,
    Fabricio.

  • http://www.moedacorrente.com.br/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Caixeta: o investimento só funciona bem com os consórcios imobiliários. Até há a possibilidade de ganhar algum dinheiro com consórcios de veículos ou de motos mas são tantas variáveis e tantas administradoras que os riscos de perda são altos demais para valer a pena, além do lucro ser absurdamente menor. Eu só invisto em consórcios de imóveis.

    —–

    Guilherme: legal tua idéia sobre as vans. Pena que não deu certo esta primiera tentativa de empreender, mas o mais importante, que é pensar nas diversas possibilidades de negócio, já te infectou. Depois daquela nossa conversa em Farroupilha, sinto que criei um monstro :-)

    Abraços,
    Fabricio.

  • Pingback: Como nos proteger dos sentimentos nobres | Revista Papo de Homem - Lifestyle Magazine

  • Pingback: Como de fato controlar seu estilo de vida, real por real | Revista Papo de Homem - Lifestyle Magazine

  • Pingback: Programa Rafa Storch » Blog Archive » Como de fato controlar seu estilo de vida, real por real. (TESTE)

  • Charles

    Olá amigos, tenho 20 anos, estou aqui para mostrar como anda meus primeiros passos rumo a minha independencia.(desculpem meu portugues)
    Muito bem, comecei a trabalhar com 15 anos sendo office-boy de uma empresa Portuária, ganhava 1000 reais no começo e com 18 anos meu salario como “boy” era de quase 2000 com os aumentos e bonificações, confesso que eu não poupava nada mas tambem não fazia dívidas, um belo dia com 17 anos resolvi pagar um cursso de ingles pra mim, ( Brasas ) um dos mais caros, estava investindo em mim, no final dos meus 18 anos a empresa estava precisando de um controlador de tráfego marítimo com 2º grau e ingles, eu era a bola da vez(sorte não ?!), no começo me rejeitaram pela minha idade, mas eu ensisti e apelei para meus 3 anos de boy rapido nas entregas, hoje estou com 20 anos, estou a 1 ano ganhando 5.000, 2.000 mando pra poupança ( atualmente com 45.000 ), 650 aplico em 3 previdencias privadas (incentivo fiscal), o restante é para meus gastos fixos e lazer, com esses 45.000 acabei de começar a pagar as prestações de um imovel(apt.) no valor de 300.000, me considero um cara de sorte, e acho que estou no caminho certo….
    Sucesso a todos!!!

  • Charles

    Olá amigos, tenho 20 anos, estou aqui para mostrar como anda meus primeiros passos rumo a minha independencia.(desculpem meu portugues)
    Muito bem, comecei a trabalhar com 15 anos sendo office-boy de uma empresa Portuária, ganhava 1000 reais no começo e com 18 anos meu salario como “boy” era de quase 2000 com os aumentos e bonificações, confesso que eu não poupava nada mas tambem não fazia dívidas, um belo dia com 17 anos resolvi pagar um cursso de ingles pra mim, ( Brasas ) um dos mais caros, estava investindo em mim, no final dos meus 18 anos a empresa estava precisando de um controlador de tráfego marítimo com 2º grau e ingles, eu era a bola da vez(sorte não ?!), no começo me rejeitaram pela minha idade, mas eu ensisti e apelei para meus 3 anos de boy rapido nas entregas, hoje estou com 20 anos, estou a 1 ano ganhando 5.000, 2.000 mando pra poupança ( atualmente com 45.000 ), 650 aplico em 3 previdencias privadas (incentivo fiscal), o restante é para meus gastos fixos e lazer, com esses 45.000 acabei de começar a pagar as prestações de um imovel(apt.) no valor de 300.000, me considero um cara de sorte, e acho que estou no caminho certo….
    Sucesso a todos!!!

  • Charles

    Olá amigos, tenho 20 anos, estou aqui para mostrar como anda meus primeiros passos rumo a minha independencia.(desculpem meu portugues)
    Muito bem, comecei a trabalhar com 15 anos sendo office-boy de uma empresa Portuária, ganhava 1000 reais no começo e com 18 anos meu salario como “boy” era de quase 2000 com os aumentos e bonificações, confesso que eu não poupava nada mas tambem não fazia dívidas, um belo dia com 17 anos resolvi pagar um cursso de ingles pra mim, ( Brasas ) um dos mais caros, estava investindo em mim, no final dos meus 18 anos a empresa estava precisando de um controlador de tráfego marítimo com 2º grau e ingles, eu era a bola da vez(sorte não ?!), no começo me rejeitaram pela minha idade, mas eu ensisti e apelei para meus 3 anos de boy rapido nas entregas, hoje estou com 20 anos, estou a 1 ano ganhando 5.000, 2.000 mando pra poupança ( atualmente com 45.000 ), 650 aplico em 3 previdencias privadas (incentivo fiscal), o restante é para meus gastos fixos e lazer, com esses 45.000 acabei de começar a pagar as prestações de um imovel(apt.) no valor de 300.000, me considero um cara de sorte, e acho que estou no caminho certo….
    Sucesso a todos!!!

  • Charles

    Olá amigos, tenho 20 anos, estou aqui para mostrar como anda meus primeiros passos rumo a minha independencia.(desculpem meu portugues)
    Muito bem, comecei a trabalhar com 15 anos sendo office-boy de uma empresa Portuária, ganhava 1000 reais no começo e com 18 anos meu salario como “boy” era de quase 2000 com os aumentos e bonificações, confesso que eu não poupava nada mas tambem não fazia dívidas, um belo dia com 17 anos resolvi pagar um cursso de ingles pra mim, ( Brasas ) um dos mais caros, estava investindo em mim, no final dos meus 18 anos a empresa estava precisando de um controlador de tráfego marítimo com 2º grau e ingles, eu era a bola da vez(sorte não ?!), no começo me rejeitaram pela minha idade, mas eu ensisti e apelei para meus 3 anos de boy rapido nas entregas, hoje estou com 20 anos, estou a 1 ano ganhando 5.000, 2.000 mando pra poupança ( atualmente com 45.000 ), 650 aplico em 3 previdencias privadas (incentivo fiscal), o restante é para meus gastos fixos e lazer, com esses 45.000 acabei de começar a pagar as prestações de um imovel(apt.) no valor de 300.000, me considero um cara de sorte, e acho que estou no caminho certo….
    Sucesso a todos!!!

  • Charles

    na caneta,2000 reais durante um ano na poupança seria 25.000, mas eu vendi minhas ferias, poupei 100% 13º, P.L. da empresa, e 14º(14º=uma espécie de 2º P.L.), passando natal comprando lembranças e não dignos presentes, etc…

  • Charles

    na caneta,2000 reais durante um ano na poupança seria 25.000, mas eu vendi minhas ferias, poupei 100% 13º, P.L. da empresa, e 14º(14º=uma espécie de 2º P.L.), passando natal comprando lembranças e não dignos presentes, etc…

  • Charles

    na caneta,2000 reais durante um ano na poupança seria 25.000, mas eu vendi minhas ferias, poupei 100% 13º, P.L. da empresa, e 14º(14º=uma espécie de 2º P.L.), passando natal comprando lembranças e não dignos presentes, etc…

  • Charles

    na caneta,2000 reais durante um ano na poupança seria 25.000, mas eu vendi minhas ferias, poupei 100% 13º, P.L. da empresa, e 14º(14º=uma espécie de 2º P.L.), passando natal comprando lembranças e não dignos presentes, etc…

  • Charles

    Alguma sugestão de melhor investimento ?
    estou aberto a opiniões…
    abraços

  • Charles

    Alguma sugestão de melhor investimento ?
    estou aberto a opiniões…
    abraços

  • Charles

    Alguma sugestão de melhor investimento ?
    estou aberto a opiniões…
    abraços

  • Charles

    Alguma sugestão de melhor investimento ?
    estou aberto a opiniões…
    abraços

  • NILTON LAGES RANGEL

    Adorei as suas aulas sobre finanças, gostaria de receber sempre informes deste nobre professor.
    Parabéns!
    corretorlages@ig.com.br

  • NILTON LAGES RANGEL

    Adorei as suas aulas sobre finanças, gostaria de receber sempre informes deste nobre professor.
    Parabéns!
    corretorlages@ig.com.br

  • NILTON LAGES RANGEL

    Adorei as suas aulas sobre finanças, gostaria de receber sempre informes deste nobre professor.
    Parabéns!
    corretorlages@ig.com.br

  • NILTON LAGES RANGEL

    Adorei as suas aulas sobre finanças, gostaria de receber sempre informes deste nobre professor.
    Parabéns!
    corretorlages@ig.com.br

  • Eduardo

    Salve Dr. Money! Tenho apenas dezenove anos, e desde o ano passado, quando o meu pai faleceu, eu assumi a frente da família , com a ajuda dos parentes, pq minha mãe não trabalha fora. Acontece que eu passei no concurso público aqui na empresa onde eu era estagiário e o salário subiu muito. Eu não sei como administrar melhor este dinheiro, o salário é mais de duas vezes o quanto eu ganhava quando eu entrei. Existem algumas dívidas mas eu não sei se devo pagar tudo de uma vez ou se guardo algum dinheiro, e principalmente, quanto guardo. Tenho muita vontade de ter um carro também, mas eu levaria uns 2 a 3 anos pra comprar um carro usado caso guardasse 500 reais por mês + 1000 do 13º. QUal sua sugestão?? Obrigado!

  • Eduardo

    Salve Dr. Money! Tenho apenas dezenove anos, e desde o ano passado, quando o meu pai faleceu, eu assumi a frente da família , com a ajuda dos parentes, pq minha mãe não trabalha fora. Acontece que eu passei no concurso público aqui na empresa onde eu era estagiário e o salário subiu muito. Eu não sei como administrar melhor este dinheiro, o salário é mais de duas vezes o quanto eu ganhava quando eu entrei. Existem algumas dívidas mas eu não sei se devo pagar tudo de uma vez ou se guardo algum dinheiro, e principalmente, quanto guardo. Tenho muita vontade de ter um carro também, mas eu levaria uns 2 a 3 anos pra comprar um carro usado caso guardasse 500 reais por mês + 1000 do 13º. QUal sua sugestão?? Obrigado!

  • Eduardo

    Salve Dr. Money! Tenho apenas dezenove anos, e desde o ano passado, quando o meu pai faleceu, eu assumi a frente da família , com a ajuda dos parentes, pq minha mãe não trabalha fora. Acontece que eu passei no concurso público aqui na empresa onde eu era estagiário e o salário subiu muito. Eu não sei como administrar melhor este dinheiro, o salário é mais de duas vezes o quanto eu ganhava quando eu entrei. Existem algumas dívidas mas eu não sei se devo pagar tudo de uma vez ou se guardo algum dinheiro, e principalmente, quanto guardo. Tenho muita vontade de ter um carro também, mas eu levaria uns 2 a 3 anos pra comprar um carro usado caso guardasse 500 reais por mês + 1000 do 13º. QUal sua sugestão?? Obrigado!

  • Eduardo

    Salve Dr. Money! Tenho apenas dezenove anos, e desde o ano passado, quando o meu pai faleceu, eu assumi a frente da família , com a ajuda dos parentes, pq minha mãe não trabalha fora. Acontece que eu passei no concurso público aqui na empresa onde eu era estagiário e o salário subiu muito. Eu não sei como administrar melhor este dinheiro, o salário é mais de duas vezes o quanto eu ganhava quando eu entrei. Existem algumas dívidas mas eu não sei se devo pagar tudo de uma vez ou se guardo algum dinheiro, e principalmente, quanto guardo. Tenho muita vontade de ter um carro também, mas eu levaria uns 2 a 3 anos pra comprar um carro usado caso guardasse 500 reais por mês + 1000 do 13º. QUal sua sugestão?? Obrigado!

  • Eduardo

    Nossa, eu me achando com sorte porque dobrei o meu salário em menos de um ano o cara alí ( Charles) começou com 1 barão como boy(generosa essa empresa Oo) e foi pra 5000 em cinco anos. Pqp, eu fiz curso técnico em análise de sistemas, fiz cursos de idiomas, especializações, o cara só com ingles e nível médio… Parabéms pela proeza… kkk boa sorte a todos

  • Eduardo

    Nossa, eu me achando com sorte porque dobrei o meu salário em menos de um ano o cara alí ( Charles) começou com 1 barão como boy(generosa essa empresa Oo) e foi pra 5000 em cinco anos. Pqp, eu fiz curso técnico em análise de sistemas, fiz cursos de idiomas, especializações, o cara só com ingles e nível médio… Parabéms pela proeza… kkk boa sorte a todos

  • Eduardo

    Nossa, eu me achando com sorte porque dobrei o meu salário em menos de um ano o cara alí ( Charles) começou com 1 barão como boy(generosa essa empresa Oo) e foi pra 5000 em cinco anos. Pqp, eu fiz curso técnico em análise de sistemas, fiz cursos de idiomas, especializações, o cara só com ingles e nível médio… Parabéms pela proeza… kkk boa sorte a todos

  • Eduardo

    Nossa, eu me achando com sorte porque dobrei o meu salário em menos de um ano o cara alí ( Charles) começou com 1 barão como boy(generosa essa empresa Oo) e foi pra 5000 em cinco anos. Pqp, eu fiz curso técnico em análise de sistemas, fiz cursos de idiomas, especializações, o cara só com ingles e nível médio… Parabéms pela proeza… kkk boa sorte a todos

  • Jeremias

    Eu na realidade estou investindo na POUPANÇA, da filha da minha vizinha de 21 aninhos, fico muito contente em saber que me da prazer em investir na poupança dela, fora o fundo de investimento que é muito bom também

  • Jeremias

    Eu na realidade estou investindo na POUPANÇA, da filha da minha vizinha de 21 aninhos, fico muito contente em saber que me da prazer em investir na poupança dela, fora o fundo de investimento que é muito bom também

  • Jeremias

    Eu na realidade estou investindo na POUPANÇA, da filha da minha vizinha de 21 aninhos, fico muito contente em saber que me da prazer em investir na poupança dela, fora o fundo de investimento que é muito bom também

  • Jeremias

    Eu na realidade estou investindo na POUPANÇA, da filha da minha vizinha de 21 aninhos, fico muito contente em saber que me da prazer em investir na poupança dela, fora o fundo de investimento que é muito bom também

  • Pingback: Você se sente confortável tendo dinheiro no bolso? | Revista Papo de Homem - Lifestyle Magazine

  • lucas furtado

    Simplesmente eu tenho que adordar este padrão, é uma ótima ideia separar 10% todo més, além do percentual que eu ja separava antes, mas em tempos modernos e namorada a parte, eu estou em uma situação muito complicada, vou falar o motivo, pois bem, trata se do meu salário do mês e dás tão esperadas férias no meu trabalho, o probllema todo é que eu ja gastei o meu dinheiro antes mesmo de recebelo e outra quando entramos de férias, nós não recebemos no mês seguinte, pois o mesmo é adiantado junto com às benditas folgas prolongadas (alegrias para uns, Inferno para outros)… Eu não tenho um tão sonhado emprego, mas sei que vou trabalhar sem descançar nas férias para poder pagar o cartão de crédito mês que vêm. E vocês perguntão, onde minha namorada se encaixa nessas minhas dividas? Eu respondo… Em tudo hora bolas. Ela foi a bendita cuja para tanto gasto, Mulher e Shopping é tudo igual, só servem para pegar nosso dinheiro…
    Abs…

  • lucas furtado

    Simplesmente eu tenho que adordar este padrão, é uma ótima ideia separar 10% todo més, além do percentual que eu ja separava antes, mas em tempos modernos e namorada a parte, eu estou em uma situação muito complicada, vou falar o motivo, pois bem, trata se do meu salário do mês e dás tão esperadas férias no meu trabalho, o probllema todo é que eu ja gastei o meu dinheiro antes mesmo de recebelo e outra quando entramos de férias, nós não recebemos no mês seguinte, pois o mesmo é adiantado junto com às benditas folgas prolongadas (alegrias para uns, Inferno para outros)… Eu não tenho um tão sonhado emprego, mas sei que vou trabalhar sem descançar nas férias para poder pagar o cartão de crédito mês que vêm. E vocês perguntão, onde minha namorada se encaixa nessas minhas dividas? Eu respondo… Em tudo hora bolas. Ela foi a bendita cuja para tanto gasto, Mulher e Shopping é tudo igual, só servem para pegar nosso dinheiro…
    Abs…

  • lucas furtado

    Simplesmente eu tenho que adordar este padrão, é uma ótima ideia separar 10% todo més, além do percentual que eu ja separava antes, mas em tempos modernos e namorada a parte, eu estou em uma situação muito complicada, vou falar o motivo, pois bem, trata se do meu salário do mês e dás tão esperadas férias no meu trabalho, o probllema todo é que eu ja gastei o meu dinheiro antes mesmo de recebelo e outra quando entramos de férias, nós não recebemos no mês seguinte, pois o mesmo é adiantado junto com às benditas folgas prolongadas (alegrias para uns, Inferno para outros)… Eu não tenho um tão sonhado emprego, mas sei que vou trabalhar sem descançar nas férias para poder pagar o cartão de crédito mês que vêm. E vocês perguntão, onde minha namorada se encaixa nessas minhas dividas? Eu respondo… Em tudo hora bolas. Ela foi a bendita cuja para tanto gasto, Mulher e Shopping é tudo igual, só servem para pegar nosso dinheiro…
    Abs…

  • lucas furtado

    Simplesmente eu tenho que adordar este padrão, é uma ótima ideia separar 10% todo més, além do percentual que eu ja separava antes, mas em tempos modernos e namorada a parte, eu estou em uma situação muito complicada, vou falar o motivo, pois bem, trata se do meu salário do mês e dás tão esperadas férias no meu trabalho, o probllema todo é que eu ja gastei o meu dinheiro antes mesmo de recebelo e outra quando entramos de férias, nós não recebemos no mês seguinte, pois o mesmo é adiantado junto com às benditas folgas prolongadas (alegrias para uns, Inferno para outros)… Eu não tenho um tão sonhado emprego, mas sei que vou trabalhar sem descançar nas férias para poder pagar o cartão de crédito mês que vêm. E vocês perguntão, onde minha namorada se encaixa nessas minhas dividas? Eu respondo… Em tudo hora bolas. Ela foi a bendita cuja para tanto gasto, Mulher e Shopping é tudo igual, só servem para pegar nosso dinheiro…
    Abs…

  • Pingback: Você paga a si mesmo?

  • flávia da silva bernades

    Simplesmente tenho que adotar esse padrão.Já gastei muito dinheiro sem necessidade, comprando, comprando e comprando coisas fúteis.Nós que recebemos salário, fica dificil separar algum, mas lendo esse artigo, vejo que nada é impossivel tirar pelo menos que seja no começo 3% a 5% de nosso salário. A parti de agora vou começar a investir em uma poupança para o meu filho. Gostaria ter mais sugestão sobre investimento.Poderia me dar algumas dicas de como retirar alguma porcentagem em cima do meu salario (600,00) sem me complicar? Qual a sua sugestão?
    Parabéns pelo artigo!

  • flávia da silva bernades

    Simplesmente tenho que adotar esse padrão.Já gastei muito dinheiro sem necessidade, comprando, comprando e comprando coisas fúteis.Nós que recebemos salário, fica dificil separar algum, mas lendo esse artigo, vejo que nada é impossivel tirar pelo menos que seja no começo 3% a 5% de nosso salário. A parti de agora vou começar a investir em uma poupança para o meu filho. Gostaria ter mais sugestão sobre investimento.Poderia me dar algumas dicas de como retirar alguma porcentagem em cima do meu salario (600,00) sem me complicar? Qual a sua sugestão?
    Parabéns pelo artigo!

  • flávia da silva bernades

    Simplesmente tenho que adotar esse padrão.Já gastei muito dinheiro sem necessidade, comprando, comprando e comprando coisas fúteis.Nós que recebemos salário, fica dificil separar algum, mas lendo esse artigo, vejo que nada é impossivel tirar pelo menos que seja no começo 3% a 5% de nosso salário. A parti de agora vou começar a investir em uma poupança para o meu filho. Gostaria ter mais sugestão sobre investimento.Poderia me dar algumas dicas de como retirar alguma porcentagem em cima do meu salario (600,00) sem me complicar? Qual a sua sugestão?
    Parabéns pelo artigo!

  • flávia da silva bernades

    Simplesmente tenho que adotar esse padrão.Já gastei muito dinheiro sem necessidade, comprando, comprando e comprando coisas fúteis.Nós que recebemos salário, fica dificil separar algum, mas lendo esse artigo, vejo que nada é impossivel tirar pelo menos que seja no começo 3% a 5% de nosso salário. A parti de agora vou começar a investir em uma poupança para o meu filho. Gostaria ter mais sugestão sobre investimento.Poderia me dar algumas dicas de como retirar alguma porcentagem em cima do meu salario (600,00) sem me complicar? Qual a sua sugestão?
    Parabéns pelo artigo!

  • Tibério

    Sr. Gilson, achei esse artigo hoje por acaso.

  • Tibério

    Sr. Gilson, achei esse artigo hoje por acaso.

  • Tibério

    Sr. Gilson, achei esse artigo hoje por acaso.

  • Marcela

    Começei minha carreira agora e tenho um dinheiro na poupança, não sei como fazer algum tipo de aplicação… na verdade achava que deixando na poupança seria uma boa alternativa já que em um momento de aperto, como falta de emprego, poderia utiliza-lo.
    Mas vejo que existem boas alternativas para aplica-lo. Teria como me ensinar a fazer… eu realmente não tenho noção de como aumentar meu dinheiro.

  • Marcela

    Começei minha carreira agora e tenho um dinheiro na poupança, não sei como fazer algum tipo de aplicação… na verdade achava que deixando na poupança seria uma boa alternativa já que em um momento de aperto, como falta de emprego, poderia utiliza-lo.
    Mas vejo que existem boas alternativas para aplica-lo. Teria como me ensinar a fazer… eu realmente não tenho noção de como aumentar meu dinheiro.

  • Marcela

    Começei minha carreira agora e tenho um dinheiro na poupança, não sei como fazer algum tipo de aplicação… na verdade achava que deixando na poupança seria uma boa alternativa já que em um momento de aperto, como falta de emprego, poderia utiliza-lo.
    Mas vejo que existem boas alternativas para aplica-lo. Teria como me ensinar a fazer… eu realmente não tenho noção de como aumentar meu dinheiro.

  • Tibério

    Sr. Gilson, achei esse artigo hoje por acaso.

  • Marcela

    Começei minha carreira agora e tenho um dinheiro na poupança, não sei como fazer algum tipo de aplicação… na verdade achava que deixando na poupança seria uma boa alternativa já que em um momento de aperto, como falta de emprego, poderia utiliza-lo.
    Mas vejo que existem boas alternativas para aplica-lo. Teria como me ensinar a fazer… eu realmente não tenho noção de como aumentar meu dinheiro.

  • alessandro.fawkes

    Então. eu consigo investir até 40% do que ganho. Felizmente meus pais me educaram desde cedo em como guardar dinheiro. Mas não pensem que deixo de lado os prazeres da vida, ao menos uma vez por mês vou com minha namorada á pizzaria, frequento cinema, festas, tenho o meu carro (que meu pai ajudou um pouco), enfim.. não gasto em tudo o que vejo, mas não me privo de tudo também.
    Esse dinheiro estou investindo em uma previdência privada, do tipo moderada (rende 1 a 1,5% a.m. na média).
    E digo… não sei se estou satisfeitos, pois para os meus planos futuros esse dinheiro não é o suficiente. costumo ficar bem longe de financiamentos ou qualquer coisa que me faça pensar em uma dívida que precisa ser paga todo mês (seja por pouco tempo ou longo).

  • alessandro.fawkes

    Então. eu consigo investir até 40% do que ganho. Felizmente meus pais me educaram desde cedo em como guardar dinheiro. Mas não pensem que deixo de lado os prazeres da vida, ao menos uma vez por mês vou com minha namorada á pizzaria, frequento cinema, festas, tenho o meu carro (que meu pai ajudou um pouco), enfim.. não gasto em tudo o que vejo, mas não me privo de tudo também.
    Esse dinheiro estou investindo em uma previdência privada, do tipo moderada (rende 1 a 1,5% a.m. na média).
    E digo… não sei se estou satisfeitos, pois para os meus planos futuros esse dinheiro não é o suficiente. costumo ficar bem longe de financiamentos ou qualquer coisa que me faça pensar em uma dívida que precisa ser paga todo mês (seja por pouco tempo ou longo).

  • alessandro.fawkes

    Então. eu consigo investir até 40% do que ganho. Felizmente meus pais me educaram desde cedo em como guardar dinheiro. Mas não pensem que deixo de lado os prazeres da vida, ao menos uma vez por mês vou com minha namorada á pizzaria, frequento cinema, festas, tenho o meu carro (que meu pai ajudou um pouco), enfim.. não gasto em tudo o que vejo, mas não me privo de tudo também.
    Esse dinheiro estou investindo em uma previdência privada, do tipo moderada (rende 1 a 1,5% a.m. na média).
    E digo… não sei se estou satisfeitos, pois para os meus planos futuros esse dinheiro não é o suficiente. costumo ficar bem longe de financiamentos ou qualquer coisa que me faça pensar em uma dívida que precisa ser paga todo mês (seja por pouco tempo ou longo).

  • alessandro.fawkes

    Então. eu consigo investir até 40% do que ganho. Felizmente meus pais me educaram desde cedo em como guardar dinheiro. Mas não pensem que deixo de lado os prazeres da vida, ao menos uma vez por mês vou com minha namorada á pizzaria, frequento cinema, festas, tenho o meu carro (que meu pai ajudou um pouco), enfim.. não gasto em tudo o que vejo, mas não me privo de tudo também.
    Esse dinheiro estou investindo em uma previdência privada, do tipo moderada (rende 1 a 1,5% a.m. na média).
    E digo… não sei se estou satisfeitos, pois para os meus planos futuros esse dinheiro não é o suficiente. costumo ficar bem longe de financiamentos ou qualquer coisa que me faça pensar em uma dívida que precisa ser paga todo mês (seja por pouco tempo ou longo).

  • Pingback: Você se sente confortável tendo dinheiro no bolso? | Sem Legenda

  • Pingback: Pague primeiro a si mesmo

  • Solange

    Fabricio…nunca soube o que é poupar…sempre gastei muito mais do que ganhava…e não consigo sair dessa…estou com 42 anos e acho que to perdida…acho que não tenho mais jeito…e o interessante é que o assunto “dinheiro” sempre me incomoda…nunca tenho grana pra viajar e tudo mais…acho que é o meu aprendizado nesta vida…mas não aprendi nada até agora…rsrsrsrs…..será que vc pode me ajudar nessa ???

  • Solange

    Fabricio…nunca soube o que é poupar…sempre gastei muito mais do que ganhava…e não consigo sair dessa…estou com 42 anos e acho que to perdida…acho que não tenho mais jeito…e o interessante é que o assunto “dinheiro” sempre me incomoda…nunca tenho grana pra viajar e tudo mais…acho que é o meu aprendizado nesta vida…mas não aprendi nada até agora…rsrsrsrs…..será que vc pode me ajudar nessa ???

  • Solange

    Fabricio…nunca soube o que é poupar…sempre gastei muito mais do que ganhava…e não consigo sair dessa…estou com 42 anos e acho que to perdida…acho que não tenho mais jeito…e o interessante é que o assunto “dinheiro” sempre me incomoda…nunca tenho grana pra viajar e tudo mais…acho que é o meu aprendizado nesta vida…mas não aprendi nada até agora…rsrsrsrs…..será que vc pode me ajudar nessa ???

  • http://www.peruzzo.org/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Solange,

    Corta tuas alternativas de crédito, vai ao banco e manda tirarem o limite da tua conta, DECIDE que vais viver dentro dos limites do que tu ganha.

    Depois, abre uma caderneta de poupança, sem cartão, e todo mês deposita lá 10% de tudo que ganhar, no momento em que receber. E não sonha em tocar neste dinheiro por 10 anos. Ele não é para viajar, não é para gastar, é para ficar lá.

    Fazer ou não fazer é questão de QUERER. Ninguém pode ensinar o que não queremos aprender.

    Abraço.

  • http://www.peruzzo.org/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Solange,

    Corta tuas alternativas de crédito, vai ao banco e manda tirarem o limite da tua conta, DECIDE que vais viver dentro dos limites do que tu ganha.

    Depois, abre uma caderneta de poupança, sem cartão, e todo mês deposita lá 10% de tudo que ganhar, no momento em que receber. E não sonha em tocar neste dinheiro por 10 anos. Ele não é para viajar, não é para gastar, é para ficar lá.

    Fazer ou não fazer é questão de QUERER. Ninguém pode ensinar o que não queremos aprender.

    Abraço.

  • http://www.peruzzo.org/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Solange,

    Corta tuas alternativas de crédito, vai ao banco e manda tirarem o limite da tua conta, DECIDE que vais viver dentro dos limites do que tu ganha.

    Depois, abre uma caderneta de poupança, sem cartão, e todo mês deposita lá 10% de tudo que ganhar, no momento em que receber. E não sonha em tocar neste dinheiro por 10 anos. Ele não é para viajar, não é para gastar, é para ficar lá.

    Fazer ou não fazer é questão de QUERER. Ninguém pode ensinar o que não queremos aprender.

    Abraço.

  • http://www.peruzzo.org/ Fabricio Stefani Peruzzo

    Solange,

    Corta tuas alternativas de crédito, vai ao banco e manda tirarem o limite da tua conta, DECIDE que vais viver dentro dos limites do que tu ganha.

    Depois, abre uma caderneta de poupança, sem cartão, e todo mês deposita lá 10% de tudo que ganhar, no momento em que receber. E não sonha em tocar neste dinheiro por 10 anos. Ele não é para viajar, não é para gastar, é para ficar lá.

    Fazer ou não fazer é questão de QUERER. Ninguém pode ensinar o que não queremos aprender.

    Abraço.

  • http://www.blogjjean.wordpress.com/ Jean Jacques

    Pelo artigo estou indo no caminho certo, pois estou separando 12% de tudo que eu ganho para investimento, tentando formar uma carteira de investimentos variáveis, onde 50% de meus investimentos estão na poupança, outra metade espelhada em fundos de renda fixa e fundos de ações.

    Com isso, consegui obter uma renda somente em investimentos de R$52,00 que aparentemente é pouco mas ao menos quem trabalha para bancar minha conta de água e a mensalidade do meu provedor de acesso não sou mais eu e sim meus investimentos.

  • http://www.blogjjean.wordpress.com/ Jean Jacques

    Pelo artigo estou indo no caminho certo, pois estou separando 12% de tudo que eu ganho para investimento, tentando formar uma carteira de investimentos variáveis, onde 50% de meus investimentos estão na poupança, outra metade espelhada em fundos de renda fixa e fundos de ações.

    Com isso, consegui obter uma renda somente em investimentos de R$52,00 que aparentemente é pouco mas ao menos quem trabalha para bancar minha conta de água e a mensalidade do meu provedor de acesso não sou mais eu e sim meus investimentos.

  • http://www.blogjjean.wordpress.com/ Jean Jacques

    Pelo artigo estou indo no caminho certo, pois estou separando 12% de tudo que eu ganho para investimento, tentando formar uma carteira de investimentos variáveis, onde 50% de meus investimentos estão na poupança, outra metade espelhada em fundos de renda fixa e fundos de ações.

    Com isso, consegui obter uma renda somente em investimentos de R$52,00 que aparentemente é pouco mas ao menos quem trabalha para bancar minha conta de água e a mensalidade do meu provedor de acesso não sou mais eu e sim meus investimentos.

  • http://www.blogjjean.wordpress.com Jean Jacques

    Pelo artigo estou indo no caminho certo, pois estou separando 12% de tudo que eu ganho para investimento, tentando formar uma carteira de investimentos variáveis, onde 50% de meus investimentos estão na poupança, outra metade espelhada em fundos de renda fixa e fundos de ações.

    Com isso, consegui obter uma renda somente em investimentos de R$52,00 que aparentemente é pouco mas ao menos quem trabalha para bancar minha conta de água e a mensalidade do meu provedor de acesso não sou mais eu e sim meus investimentos.

  • jesse

    como posso guardar 10% do meu salario se a receita que estou gerando e menor que minhas dividas

  • jesse

    como posso guardar 10% do meu salario se a receita que estou gerando e menor que minhas dividas

  • jesse

    como posso guardar 10% do meu salario se a receita que estou gerando e menor que minhas dividas

  • jesse

    como posso guardar 10% do meu salario se a receita que estou gerando e menor que minhas dividas

  • http://twitter.com/yakolev Marko

    Olá Fabrício,

    Parabéns pelo site hein

    Como típico brasileiro e consequentemente Palpitólogo e Achólogo rs, baseado em minha experiência e leituras sugiro aos q já estejam no momento d pular da poupança pra renda fixa – já q a responsabilidade pelo dinheiro d cada um, no final é sempre d cada um – q, ao invés d entregar seu suado dinheiro na mãos dos Fundos d renda fixa, ir direto ao Tesouro direto (http://simuladortesourodireto.cblc.com.br/) assim como aos q ainda estão começando a estudar o tema pra desde já a pessoa ir se educando p/qdo chegar o momento eliminar os intermediários c/suas taxas d administração etc etc

    D minha parte ref. à livros indicaria “Iludido pelo Acaso” d Nassim N.Taleb; “Dinheiro e Vida” d Joe Dominguez & Vicki Robin e da série Pai Rico: “Quem mexeu no meu dinheiro” e “Conspiracy of the Rich”

  • http://twitter.com/yakolev Marko

    Olá Fabrício,

    Parabéns pelo site hein

    Como típico brasileiro e consequentemente Palpitólogo e Achólogo rs, baseado em minha experiência e leituras sugiro aos q já estejam no momento d pular da poupança pra renda fixa – já q a responsabilidade pelo dinheiro d cada um, no final é sempre d cada um – q, ao invés d entregar seu suado dinheiro na mãos dos Fundos d renda fixa, ir direto ao Tesouro direto (http://simuladortesourodireto.cblc.com.br/) assim como aos q ainda estão começando a estudar o tema pra desde já a pessoa ir se educando p/qdo chegar o momento eliminar os intermediários c/suas taxas d administração etc etc

    D minha parte ref. à livros indicaria “Iludido pelo Acaso” d Nassim N.Taleb; “Dinheiro e Vida” d Joe Dominguez & Vicki Robin e da série Pai Rico: “Quem mexeu no meu dinheiro” e “Conspiracy of the Rich”

  • http://twitter.com/yakolev Marko

    Olá Fabrício,

    Parabéns pelo site hein

    Como típico brasileiro e consequentemente Palpitólogo e Achólogo rs, baseado em minha experiência e leituras sugiro aos q já estejam no momento d pular da poupança pra renda fixa – já q a responsabilidade pelo dinheiro d cada um, no final é sempre d cada um – q, ao invés d entregar seu suado dinheiro na mãos dos Fundos d renda fixa, ir direto ao Tesouro direto (http://simuladortesourodireto.cblc.com.br/) assim como aos q ainda estão começando a estudar o tema pra desde já a pessoa ir se educando p/qdo chegar o momento eliminar os intermediários c/suas taxas d administração etc etc

    D minha parte ref. à livros indicaria “Iludido pelo Acaso” d Nassim N.Taleb; “Dinheiro e Vida” d Joe Dominguez & Vicki Robin e da série Pai Rico: “Quem mexeu no meu dinheiro” e “Conspiracy of the Rich”

  • juca

    essencial!!

  • juca

    essencial!!

  • juca

    essencial!!

  • juca

    essencial!!

  • mqmg77

    Oi Fabrício. O artigo é razoável, só acho que vc deveria dar os créditos aos verdadeiros autores de onde vc tira isso . Citar a bibliografia é no mínimo educado, pois do jeito que você se apoderou dos dizeres parece ser plágio mesmo. É pro seu bem que escrevo isso.

  • http://www.papodehomem.com.br/ Guilherme Nascimento Valadares

    Mas a máxima de “Pague primeiro a si mesmo” é famosa na educação financeira.

    Quem seria o criador dela?

  • http://www.papodehomem.com.br/ Guilherme Nascimento Valadares

    Mas a máxima de “Pague primeiro a si mesmo” é famosa na educação financeira.

    Quem seria o criador dela?

  • http://pulse.yahoo.com/_XVHHMTMLSTSD6SO7XJUF3VHLAE Almir

    Estou lendo o livro “Pai rico, pai pobre” e achei muito bom seu artigo, parabéns.

  • Pingback: O guia definitivo para montar o orçamento mensal da sua empresa – Saia do Lugar

  • Pingback: BT Design - Soluções Digitais

Papo de homem recomenda

Assine o Papo de homem

Curta o PdH no Facebook
  • 5138 artigos
  • 647360 comentários
  • leitores online