O dia em que o Brasil quase parou – Parte 2

Rodrigo Almeida

por
em às | Mundo


Na primeira parte, vimos a sequência mais do que cinematográfica de tumultos e manifestações pelo Brasil inteiro que aconteceu em maio de 2007. Leia agora a conclusão dessa história.

Uma equipe de reportagem flagrou duas manifestantes contando a colegas como foi a invasão:

“Foi um estrago total. Eu virei as caixas, não tinha força, mas daí consegui”, contou uma delas. “Todas as mulheres assim, ó [cobre o rosto com um lenço], para não aparecer. E eles filmando tudo”.

Segundo o chefe do departamento de engenharia elétrica da Universidade Federal do Pará, ao mexer nos painéis, os manifestantes poderiam ter provocado uma interrupção no fornecimento de luz. “Poderia acontecer até uma catástrofe, um apagão, ou então abrir demais uma comporta e fazer com que um volume de água flua”, afirmou Carlos Tavares.

Em sessão no plenário, senador Arthur Virgílio (PSDB-AM), se disse preocupado com a invasão da hidrelétrica de Tucuruí, no Pará, por integrantes de movimentos de trabalhadores sem-terra lembrando a recente quebra de hierarquia militar ocorrida durante a greve dos controladores de voo e afirmou que o país está diante de uma grande crise institucional.


Link YouTube | Reportagem da época no Jornal da Globo

O que foi feito

Diante da incontestável gravidade da situação e da falência do sistema de segurança brasileiro, o Presidente da República recorre à Constituição Federal e 1988 evoca a “garantia dos poderes constituídos, a lei e a ordem”, uma das atribuições do Exército Brasileiro. A Justiça do Pará expede uma ordem de desocupação da usina.

O Exército mantém constante adestramento de suas tropas em missões de GLO (Garantia da Lei e da Ordem). Inclusive, realizou uma ocupação da Usina de Tucuruí em 2005 durante o emprego do 23o Esquadrão de Cavalaria de Selva da 23ª Brigada de Infantaria de Selva no Pará em ocasião da Operação de GLO Pacajá. Na época, as tropas foram acionadas antes que a Usina viesse a ser invadida e, com sucesso, frustaram a ação de movimentos sociais contra a hidrelétrica.

Ao chegar nas instalações da hidrelétrica, o Exército rapidamente se posicionou entre parte dos manifestantes e os acessos à Usina estabelecendo um cerco ao local e isolando no interior do prédio cerca de 50 homens. Acuados, os invasores concordaram em liberar o funcionário da Eletronorte feito como refém, porém posicionaram vários carros da Eletronorte com o tanque cheio de gasolina na entrada do prédio, ameaçando explodi-los caso os soldados invadissem o local. Eles também formaram uma barreira humana e nas mãos de alguns homens havia bombas de fabricação caseira.

exercito

Diante da escalada das tensões, Conselho Tutelar de Tucuruí enviou à usina assistentes sociais com a finalidade de retirar crianças e adolescentes que estavam entre os manifestantes, temendo que elas fossem vítimas de uma eventual ação militar. O major Curti, da 23ª Brigada de Infantaria e Selva, de Marabá foi enviado para negociar com os criminosos que concordam em se entregarem para as forças federais. O Exército tomou a Usina e reforçou a segurança até o fim da crise institucional.

Movimentos sociais apoiados pelo governo atacando o Estado brasileiro causaram surpresa entre setores no Planalto. Por essa razão, representantes do governo federal que desejam entender as razões da ação aceitam receber em Brasília a liderança dos movimentos que ameaçaram a segurança do Brasil!

“Precisamos saber o que motivou esta ocupação, entender as razões para isso ter acontecido, uma vez que existia um processo de discussão e solução de problemas em andamento, ainda que pudesse existir algum tipo de atraso”, informou o secretário nacional da ação social da Secretaria Geral, Wagner Caetano. “Não há compromisso que não estivesse em execução”, comentou ele.

O General Felix foi chamado pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) a falar sobre a invasão da hidrelétrica de Tucuruí, mas a sociedade brasileira nunca mais recebeu informações sobre a consequência daqueles atos contra o patrimônio público.

Logo após a retomada da hidrelétrica de Tucuruí, Roquevan Alves Silva, o líder da invasão, afirmou que caso as reivindicações do MST não fossem ouvidas, torres de transmissão seriam derrubadas.

“Eu mesmo tomaria a liberdade de derrubar uma torre. É uma sugestão viável para o governo tomar as devidas providências no que diz respeito aos acordos com os movimentos: botar a torre no chão” –Roquevan Alves Silva, líder do Movimento dos Atingidos por Barragens

Logo em seguida, em outubro do mesmo ano, ocorreram sucessivos atentados contra torres de transmissão de eletricidade, em Tocantins e no Maranhão realizados pelos movimentos sociais. Em Tocantins, em quatro ações realizadas nos dias 12, 13, 16 e 28 de outubro, os protestantes derrubaram várias torres de transmissão nos municípios de Paraná e São Salvador, que, dentre outras perturbações, paralisaram as obras da usina hidrelétrica de São Salvador (Grupo Suez).

Mais confusão a seguir


Link YouTube | Opinião de Arnaldo Jabor sobre a co-responsabilidade dos 3 poderes em uma das confusões do MSLT

No dia 18, o MST interrompeu o tráfego na Estrada de Ferro Carajás, como parte da sua “jornada de luta pela reforma agrária”, a despeito de uma determinação da Justiça Federal para que forças policiais assegurassem a proteção da ferrovia contra “atos atentatórios” daquela organização.

Em 24 de outubro, índios guajajaras derrubaram uma das duas torres de transmissão da Eletronorte que passam pelo interior da reserva Cana Brava, no Maranhão, e passaram a ameaçar derrubar a segunda. Em sequência, os índios bloquearam todas as vias de acesso ao local do protesto e impediram a aproximação dos técnicos da empresa.

Um ano antes, em 2006, 497 sem-terra foram presos e 41 pessoas ficaram feridas quando o grupo invadiu, depredou e feriu gravemente um segurança da Câmara dos Deputados Federais. Um dos presos era Bruno Maranhão, então secretário nacional de movimentos populares do partido governante e integrante da Executiva do governo.

A Brigada Militar do Rio Grande do Sul revelou que a organização tem no Estado um grupo armado e encapuzado, que precede as invasões de fazendas que, depois, são atribuídas a “sem-terras” pacíficos. Como revelou à Folha de S. Paulo (28/10/2007) um oficial da Brigada, o grupo tem cerca de dez homens armados, que faz batidas antes das invasões, geralmente, de madrugada, para expulsar caseiros, capatazes ou famílias residentes nas propriedades a serem invadidas.

Em abril de 2009, a polícia do Pará prendeu 18 homens que invadiram o canteiro de obras das eclusas de Tucuruí. Os invasores, de acordo com a PM, tinham bombas caseiras, barras de ferro e pedaços de madeira quando os militares chegaram para a desocupação. Entre os 18 presos está Roquevam Alves Silva, do MAB, que em maio de 2007 foi um dos líderes de invasão à hidrelétrica de Tucuruí, que até agora estava solto.

A conivência do governo brasileiro para com essas organizações criminosas ficou um pouco mais clara após reportagem da revista Veja em abril de 2009. A análise dos dados financeiros das ONGs Associação Nacional de Cooperação Agrícola (Anca), da Confederação das Cooperativas de Reforma Agrária do Brasil (Concrab), do Centro de Formação e Pesquisas Contestado (Cepatec) e do Instituto Técnico de Estudos Agrários e Cooperativismo (Itac) revelaram que o MST montou uma gigantesca rede de abastecimento financeiro que capta recursos estrangeiros e do próprio governo federal.

Entre 2003 e 2007, as ONGs captaram 20 milhões de reais não informados à Receita Federal. As quatro entidades receberam 43 milhões de reais em convênios com o governo federal de 2003 a 2007.

O Brasil está sob ataque. Quando iremos declarar guerra e reagir às investidas dessas organizações criminosas, auto-proclamadas movimentos sociais, que atacam sistematicamente as instituições de nosso país?

Rodrigo Almeida

Engenheiro, apaixonado pela vida e por qualquer coisa com um motor potente, nostálgico entusiasta de muitas daquelas boas coisas que já não mais se fazem como antigamente.


Outros artigos escritos por


SEPARAMOS MAIS TEXTOS PARA VOCÊ CONTINUAR LENDO




O texto acima não representa a opinião do PapodeHomem. Conheça a visão e a essência por trás do que fazemos. Queremos uma discussão de alto nível. Antes de comentar, leia nossas boas práticas. Caso deseje enviar um texto e se tornar um autor, venha por aqui.


  • Rafael Medaglia

    O Brasil está em um estado de coma semi-profundo, estamos em guerra civil e ninguém quer assumir que estamos. Deixe para depois do carnaval tudo é festa, deixe para depois das eleições, deixe para a nova gestão e ficará como está por mais 4 anos.
    Como diria Boris Casoy “Isso é uma Vergonha!”

  • Rafael Medaglia

    O Brasil está em um estado de coma semi-profundo, estamos em guerra civil e ninguém quer assumir que estamos. Deixe para depois do carnaval tudo é festa, deixe para depois das eleições, deixe para a nova gestão e ficará como está por mais 4 anos.
    Como diria Boris Casoy “Isso é uma Vergonha!”

  • Rafael Medaglia

    O Brasil está em um estado de coma semi-profundo, estamos em guerra civil e ninguém quer assumir que estamos. Deixe para depois do carnaval tudo é festa, deixe para depois das eleições, deixe para a nova gestão e ficará como está por mais 4 anos.
    Como diria Boris Casoy “Isso é uma Vergonha!”

  • Rafael Medaglia

    O Brasil está em um estado de coma semi-profundo, estamos em guerra civil e ninguém quer assumir que estamos. Deixe para depois do carnaval tudo é festa, deixe para depois das eleições, deixe para a nova gestão e ficará como está por mais 4 anos.
    Como diria Boris Casoy “Isso é uma Vergonha!”

  • Rafael Medaglia

    O Brasil está em um estado de coma semi-profundo, estamos em guerra civil e ninguém quer assumir que estamos. Deixe para depois do carnaval tudo é festa, deixe para depois das eleições, deixe para a nova gestão e ficará como está por mais 4 anos.
    Como diria Boris Casoy “Isso é uma Vergonha!”

  • Rafael Medaglia

    O Brasil está em um estado de coma semi-profundo, estamos em guerra civil e ninguém quer assumir que estamos. Deixe para depois do carnaval tudo é festa, deixe para depois das eleições, deixe para a nova gestão e ficará como está por mais 4 anos.
    Como diria Boris Casoy “Isso é uma Vergonha!”

  • http://www.voceselembra.com/ Lvcivs

    Bom artigo. Mas perde a credibilidade citando a Veja no final.

  • http://www.voceselembra.com/ Lvcivs

    Bom artigo. Mas perde a credibilidade citando a Veja no final.

  • http://www.voceselembra.com/ Lvcivs

    Bom artigo. Mas perde a credibilidade citando a Veja no final.

  • http://www.voceselembra.com/ Lvcivs

    Bom artigo. Mas perde a credibilidade citando a Veja no final.

  • http://www.voceselembra.com/ Lvcivs

    Bom artigo. Mas perde a credibilidade citando a Veja no final.

  • http://www.voceselembra.com Lvcivs

    Bom artigo. Mas perde a credibilidade citando a Veja no final.

  • Bruno Cavalcanti

    Eles não são movimentos sociais – são muito diferentes disso: São movimentos de criminosos!

  • Bruno Cavalcanti

    Eles não são movimentos sociais – são muito diferentes disso: São movimentos de criminosos!

  • Bruno Cavalcanti

    Eles não são movimentos sociais – são muito diferentes disso: São movimentos de criminosos!

  • Bruno Cavalcanti

    Eles não são movimentos sociais – são muito diferentes disso: São movimentos de criminosos!

  • Bruno Cavalcanti

    Eles não são movimentos sociais – são muito diferentes disso: São movimentos de criminosos!

  • Bruno Cavalcanti

    Eles não são movimentos sociais – são muito diferentes disso: São movimentos de criminosos!

  • Mister M

    ONDE EU ESTAVA???? Excelente artigo!!

  • Mister M

    ONDE EU ESTAVA???? Excelente artigo!!

  • Mister M

    ONDE EU ESTAVA???? Excelente artigo!!

  • Mister M

    ONDE EU ESTAVA???? Excelente artigo!!

  • Mister M

    ONDE EU ESTAVA???? Excelente artigo!!

  • Mister M

    ONDE EU ESTAVA???? Excelente artigo!!

  • Seba

    Caro Rodrigo Almeida, creio que a maioria das suas informações são contundentes e que exista inúmeros calhordas se aproveitando dos movimentos sociais, sejam eles quais forem. Mas, infelizmente, a essência do seu discurso (nos 2 artigos q são 1), não passa de opinião formada por uma mídia fajuta, medíocre e superficial. Opinião esta, que a maioria das pessoas tem sobre a maioria dos assuntos; “Cultura de Massas”.

    ESinto lhe informar, mas você, por ser desinformado, também tem memória curta, pois não recorre a memórias passadas e fatos que lhe mostrarão um oceano cristalino, ao invés de um simplório copo d’água obscuro.

    • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

      Valeu por me lembrar desses eventos, Rodrigo!

      Aos leitores que veem essa situação de modo polarizado (“eles são um banco de vagabundos criminosos”):

      Eu concordo que é ingenuidade interpretar tais confusões apenas como “manifestações sociais de protesto e reivindicação” assim como é errado uma criança quebrar a janela só porque não recebeu a atenção do pai, mas é ingenuidade também ignorar que essa situação é resultado de mil causalidades entre as quais nós mesmos estamos inclusos. Ou seja, se há exclusão, isso é um problema da sociedade como um todo, algo que apenas se radicaliza lá na ponta, em quem mais sofre com a estrutura social atual.

      Ainda que muitos devam ser presos, não há culpados. Todos são responsáveis quando algo dá errado. O problema é como, de fato, criar uma sociedade em que todos estejam dentro, sem que os de fora se revoltem e quebrem tudo. Pois nós mesmos não sabemos nos organizar e sempre ficamos no bla-bla-blá pseudo-humanista.

      Empresários, por exemplo, são infinitamente mais organizados, objetivos e empreendedores do que a grande maioria dos líderes sociais, diretores de ONGs e todos os que se propõe a causar alguma transformação. Se essa galera humanista conseguisse se organizar, muita transformação ocorreria sem necessidade alguma de ficar protestando igual criança.

      Seba,
      Se você puder oferecer sua visão dos fatos, agradecemos.

      Abraços.

    • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

      Valeu por me lembrar desses eventos, Rodrigo!

      Aos leitores que veem essa situação de modo polarizado (“eles são um banco de vagabundos criminosos”):

      Eu concordo que é ingenuidade interpretar tais confusões apenas como “manifestações sociais de protesto e reivindicação” assim como é errado uma criança quebrar a janela só porque não recebeu a atenção do pai, mas é ingenuidade também ignorar que essa situação é resultado de mil causalidades entre as quais nós mesmos estamos inclusos. Ou seja, se há exclusão, isso é um problema da sociedade como um todo, algo que apenas se radicaliza lá na ponta, em quem mais sofre com a estrutura social atual.

      Ainda que muitos devam ser presos, não há culpados. Todos são responsáveis quando algo dá errado. O problema é como, de fato, criar uma sociedade em que todos estejam dentro, sem que os de fora se revoltem e quebrem tudo. Pois nós mesmos não sabemos nos organizar e sempre ficamos no bla-bla-blá pseudo-humanista.

      Empresários, por exemplo, são infinitamente mais organizados, objetivos e empreendedores do que a grande maioria dos líderes sociais, diretores de ONGs e todos os que se propõe a causar alguma transformação. Se essa galera humanista conseguisse se organizar, muita transformação ocorreria sem necessidade alguma de ficar protestando igual criança.

      Seba,
      Se você puder oferecer sua visão dos fatos, agradecemos.

      Abraços.

    • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

      Valeu por me lembrar desses eventos, Rodrigo!

      Aos leitores que veem essa situação de modo polarizado (“eles são um banco de vagabundos criminosos”):

      Eu concordo que é ingenuidade interpretar tais confusões apenas como “manifestações sociais de protesto e reivindicação” assim como é errado uma criança quebrar a janela só porque não recebeu a atenção do pai, mas é ingenuidade também ignorar que essa situação é resultado de mil causalidades entre as quais nós mesmos estamos inclusos. Ou seja, se há exclusão, isso é um problema da sociedade como um todo, algo que apenas se radicaliza lá na ponta, em quem mais sofre com a estrutura social atual.

      Ainda que muitos devam ser presos, não há culpados. Todos são responsáveis quando algo dá errado. O problema é como, de fato, criar uma sociedade em que todos estejam dentro, sem que os de fora se revoltem e quebrem tudo. Pois nós mesmos não sabemos nos organizar e sempre ficamos no bla-bla-blá pseudo-humanista.

      Empresários, por exemplo, são infinitamente mais organizados, objetivos e empreendedores do que a grande maioria dos líderes sociais, diretores de ONGs e todos os que se propõe a causar alguma transformação. Se essa galera humanista conseguisse se organizar, muita transformação ocorreria sem necessidade alguma de ficar protestando igual criança.

      Seba,
      Se você puder oferecer sua visão dos fatos, agradecemos.

      Abraços.

    • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

      Valeu por me lembrar desses eventos, Rodrigo!

      Aos leitores que veem essa situação de modo polarizado (“eles são um banco de vagabundos criminosos”):

      Eu concordo que é ingenuidade interpretar tais confusões apenas como “manifestações sociais de protesto e reivindicação” assim como é errado uma criança quebrar a janela só porque não recebeu a atenção do pai, mas é ingenuidade também ignorar que essa situação é resultado de mil causalidades entre as quais nós mesmos estamos inclusos. Ou seja, se há exclusão, isso é um problema da sociedade como um todo, algo que apenas se radicaliza lá na ponta, em quem mais sofre com a estrutura social atual.

      Ainda que muitos devam ser presos, não há culpados. Todos são responsáveis quando algo dá errado. O problema é como, de fato, criar uma sociedade em que todos estejam dentro, sem que os de fora se revoltem e quebrem tudo. Pois nós mesmos não sabemos nos organizar e sempre ficamos no bla-bla-blá pseudo-humanista.

      Empresários, por exemplo, são infinitamente mais organizados, objetivos e empreendedores do que a grande maioria dos líderes sociais, diretores de ONGs e todos os que se propõe a causar alguma transformação. Se essa galera humanista conseguisse se organizar, muita transformação ocorreria sem necessidade alguma de ficar protestando igual criança.

      Seba,
      Se você puder oferecer sua visão dos fatos, agradecemos.

      Abraços.

    • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

      Valeu por me lembrar desses eventos, Rodrigo!

      Aos leitores que veem essa situação de modo polarizado (“eles são um banco de vagabundos criminosos”):

      Eu concordo que é ingenuidade interpretar tais confusões apenas como “manifestações sociais de protesto e reivindicação” assim como é errado uma criança quebrar a janela só porque não recebeu a atenção do pai, mas é ingenuidade também ignorar que essa situação é resultado de mil causalidades entre as quais nós mesmos estamos inclusos. Ou seja, se há exclusão, isso é um problema da sociedade como um todo, algo que apenas se radicaliza lá na ponta, em quem mais sofre com a estrutura social atual.

      Ainda que muitos devam ser presos, não há culpados. Todos são responsáveis quando algo dá errado. O problema é como, de fato, criar uma sociedade em que todos estejam dentro, sem que os de fora se revoltem e quebrem tudo. Pois nós mesmos não sabemos nos organizar e sempre ficamos no bla-bla-blá pseudo-humanista.

      Empresários, por exemplo, são infinitamente mais organizados, objetivos e empreendedores do que a grande maioria dos líderes sociais, diretores de ONGs e todos os que se propõe a causar alguma transformação. Se essa galera humanista conseguisse se organizar, muita transformação ocorreria sem necessidade alguma de ficar protestando igual criança.

      Seba,
      Se você puder oferecer sua visão dos fatos, agradecemos.

      Abraços.

  • Seba

    Caro Rodrigo Almeida, creio que a maioria das suas informações são contundentes e que exista inúmeros calhordas se aproveitando dos movimentos sociais, sejam eles quais forem. Mas, infelizmente, a essência do seu discurso (nos 2 artigos q são 1), não passa de opinião formada por uma mídia fajuta, medíocre e superficial. Opinião esta, que a maioria das pessoas tem sobre a maioria dos assuntos; “Cultura de Massas”.

    ESinto lhe informar, mas você, por ser desinformado, também tem memória curta, pois não recorre a memórias passadas e fatos que lhe mostrarão um oceano cristalino, ao invés de um simplório copo d’água obscuro.

  • Seba

    Caro Rodrigo Almeida, creio que a maioria das suas informações são contundentes e que exista inúmeros calhordas se aproveitando dos movimentos sociais, sejam eles quais forem. Mas, infelizmente, a essência do seu discurso (nos 2 artigos q são 1), não passa de opinião formada por uma mídia fajuta, medíocre e superficial. Opinião esta, que a maioria das pessoas tem sobre a maioria dos assuntos; “Cultura de Massas”.

    ESinto lhe informar, mas você, por ser desinformado, também tem memória curta, pois não recorre a memórias passadas e fatos que lhe mostrarão um oceano cristalino, ao invés de um simplório copo d’água obscuro.

  • Seba

    Caro Rodrigo Almeida, creio que a maioria das suas informações são contundentes e que exista inúmeros calhordas se aproveitando dos movimentos sociais, sejam eles quais forem. Mas, infelizmente, a essência do seu discurso (nos 2 artigos q são 1), não passa de opinião formada por uma mídia fajuta, medíocre e superficial. Opinião esta, que a maioria das pessoas tem sobre a maioria dos assuntos; “Cultura de Massas”.

    ESinto lhe informar, mas você, por ser desinformado, também tem memória curta, pois não recorre a memórias passadas e fatos que lhe mostrarão um oceano cristalino, ao invés de um simplório copo d’água obscuro.

  • Seba

    Caro Rodrigo Almeida, creio que a maioria das suas informações são contundentes e que exista inúmeros calhordas se aproveitando dos movimentos sociais, sejam eles quais forem. Mas, infelizmente, a essência do seu discurso (nos 2 artigos q são 1), não passa de opinião formada por uma mídia fajuta, medíocre e superficial. Opinião esta, que a maioria das pessoas tem sobre a maioria dos assuntos; “Cultura de Massas”.

    ESinto lhe informar, mas você, por ser desinformado, também tem memória curta, pois não recorre a memórias passadas e fatos que lhe mostrarão um oceano cristalino, ao invés de um simplório copo d’água obscuro.

  • Seba

    Caro Rodrigo Almeida, creio que a maioria das suas informações são contundentes e que exista inúmeros calhordas se aproveitando dos movimentos sociais, sejam eles quais forem. Mas, infelizmente, a essência do seu discurso (nos 2 artigos q são 1), não passa de opinião formada por uma mídia fajuta, medíocre e superficial. Opinião esta, que a maioria das pessoas tem sobre a maioria dos assuntos; “Cultura de Massas”.

    ESinto lhe informar, mas você, por ser desinformado, também tem memória curta, pois não recorre a memórias passadas e fatos que lhe mostrarão um oceano cristalino, ao invés de um simplório copo d’água obscuro.

    • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

      Valeu por me lembrar desses eventos, Rodrigo!

      Aos leitores que veem essa situação de modo polarizado (“eles são um banco de vagabundos criminosos”):

      Eu concordo que é ingenuidade interpretar tais confusões apenas como “manifestações sociais de protesto e reivindicação” assim como é errado uma criança quebrar a janela só porque não recebeu a atenção do pai, mas é ingenuidade também ignorar que essa situação é resultado de mil causalidades entre as quais nós mesmos estamos inclusos. Ou seja, se há exclusão, isso é um problema da sociedade como um todo, algo que apenas se radicaliza lá na ponta, em quem mais sofre com a estrutura social atual.

      Ainda que muitos devam ser presos, não há culpados. Todos são responsáveis quando algo dá errado. O problema é como, de fato, criar uma sociedade em que todos estejam dentro, sem que os de fora se revoltem e quebrem tudo. Pois nós mesmos não sabemos nos organizar e sempre ficamos no bla-bla-blá pseudo-humanista.

      Empresários, por exemplo, são infinitamente mais organizados, objetivos e empreendedores do que a grande maioria dos líderes sociais, diretores de ONGs e todos os que se propõe a causar alguma transformação. Se essa galera humanista conseguisse se organizar, muita transformação ocorreria sem necessidade alguma de ficar protestando igual criança.

      Seba,
      Se você puder oferecer sua visão dos fatos, agradecemos.

      Abraços.

  • WBM

    É meio difícil discutir movimentos sociais com a aristocracia paulista não é mesmo? Ainda mais quando se apíam numa revista semanal que não tem credibilidade alguma e é motivo de piada em cursos de jornalismos.

    Provavelmente o nosso colega engenheiro não deve ter estudado o processo histórico de formação social do Brasil e não sabe que, depois do fim da escravidão muita gente saiu do campo com uma mão na frente e outra atrás.

    Atualmente, cerca de 3% do total das propriedades rurais do país são latifúndios, ou seja, tem mais de mil hectares e ocupam 56,7% das terras agriculturáveis – de acordo com o Atlas Fundiário do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Em outras palavras, a área ocupada pelos estados de São Paulo e Paraná juntos está nas mãos dos 300 maiores proprietários rurais, enquanto 4,8 milhões de famílias estão à espera de chão para plantar (e assim não morrer de fome…)

    Mas o colega do charuto na boca não sabia disso não é mesmo? Aliás ele também se esqueceu de mencionar que a invasão na hidrelétrica foi motivada por conta da falta de indenização para as famílias que foram removidas do local para viabilizar a construção da usina. Porque você não mencionou isso no seu texto em caro colega? É isso que o Papo de Homem considera ser homem? Empurrar uma mensagem da elite preconceituosa para seus leitores sem lhes passar informações suficientes para proporcionar um mínimo de reflexão?

    Parabéns ao PdH. Vocês agora conseguiram adentrar o reservado salão dos empresários paulistas de mídia que se divertem criminalizando movimentos sociais sem a mínima análise de suas causas, que adoram cultivar o ódio a governos como o de Hugo Chaves, que devem achar também que os programas de transferência de renda não passam de Bolsa-Esmola ou Bolsa-Vagabundo, e por aí vai… lamentável. Se isso é ser homem pra vocês, é lamentável.

    • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

      WBM,

      Excelente comentário.

      Lembro que o texto reflete a visão do autor, não do site PapodeHomem como um todo. Eu, por exemplo, como comentei acima, vejo a coisa de um modo diferente e concordo relativamente com o que apontou.

      O objetivo é justamente esse: levantar o tema e trazer comentários ricos como o seu à tona, que não teriam sido possíveis sem o artigo, não é mesmo? Democracia é isso: alguém fala, outro discorda e todos seguem aprendendo.

      Se quisermos avançar juntos, não adianta apenas apontar o dedo. É preciso reconhecer que há todo um grupo de pessoas que veem o mundo de modos restritos e é preciso oferecer uma visão mais ampla que integre as visões conflitantes. Ou seja, é nossa tarefa construir esse mundo mais amplo. Estamos todos no mesmo barco.

      Sinta-se à vontade para escrever outro texto detalhado sobre o tema. Se ele sair com coerência e boa qualidade, não hesitaremos em publicá-lo.

      Abraço.

    • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

      WBM,

      Excelente comentário.

      Lembro que o texto reflete a visão do autor, não do site PapodeHomem como um todo. Eu, por exemplo, como comentei acima, vejo a coisa de um modo diferente e concordo relativamente com o que apontou.

      O objetivo é justamente esse: levantar o tema e trazer comentários ricos como o seu à tona, que não teriam sido possíveis sem o artigo, não é mesmo? Democracia é isso: alguém fala, outro discorda e todos seguem aprendendo.

      Se quisermos avançar juntos, não adianta apenas apontar o dedo. É preciso reconhecer que há todo um grupo de pessoas que veem o mundo de modos restritos e é preciso oferecer uma visão mais ampla que integre as visões conflitantes. Ou seja, é nossa tarefa construir esse mundo mais amplo. Estamos todos no mesmo barco.

      Sinta-se à vontade para escrever outro texto detalhado sobre o tema. Se ele sair com coerência e boa qualidade, não hesitaremos em publicá-lo.

      Abraço.

    • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

      WBM,

      Excelente comentário.

      Lembro que o texto reflete a visão do autor, não do site PapodeHomem como um todo. Eu, por exemplo, como comentei acima, vejo a coisa de um modo diferente e concordo relativamente com o que apontou.

      O objetivo é justamente esse: levantar o tema e trazer comentários ricos como o seu à tona, que não teriam sido possíveis sem o artigo, não é mesmo? Democracia é isso: alguém fala, outro discorda e todos seguem aprendendo.

      Se quisermos avançar juntos, não adianta apenas apontar o dedo. É preciso reconhecer que há todo um grupo de pessoas que veem o mundo de modos restritos e é preciso oferecer uma visão mais ampla que integre as visões conflitantes. Ou seja, é nossa tarefa construir esse mundo mais amplo. Estamos todos no mesmo barco.

      Sinta-se à vontade para escrever outro texto detalhado sobre o tema. Se ele sair com coerência e boa qualidade, não hesitaremos em publicá-lo.

      Abraço.

    • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

      WBM,

      Excelente comentário.

      Lembro que o texto reflete a visão do autor, não do site PapodeHomem como um todo. Eu, por exemplo, como comentei acima, vejo a coisa de um modo diferente e concordo relativamente com o que apontou.

      O objetivo é justamente esse: levantar o tema e trazer comentários ricos como o seu à tona, que não teriam sido possíveis sem o artigo, não é mesmo? Democracia é isso: alguém fala, outro discorda e todos seguem aprendendo.

      Se quisermos avançar juntos, não adianta apenas apontar o dedo. É preciso reconhecer que há todo um grupo de pessoas que veem o mundo de modos restritos e é preciso oferecer uma visão mais ampla que integre as visões conflitantes. Ou seja, é nossa tarefa construir esse mundo mais amplo. Estamos todos no mesmo barco.

      Sinta-se à vontade para escrever outro texto detalhado sobre o tema. Se ele sair com coerência e boa qualidade, não hesitaremos em publicá-lo.

      Abraço.

    • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

      WBM,

      Excelente comentário.

      Lembro que o texto reflete a visão do autor, não do site PapodeHomem como um todo. Eu, por exemplo, como comentei acima, vejo a coisa de um modo diferente e concordo relativamente com o que apontou.

      O objetivo é justamente esse: levantar o tema e trazer comentários ricos como o seu à tona, que não teriam sido possíveis sem o artigo, não é mesmo? Democracia é isso: alguém fala, outro discorda e todos seguem aprendendo.

      Se quisermos avançar juntos, não adianta apenas apontar o dedo. É preciso reconhecer que há todo um grupo de pessoas que veem o mundo de modos restritos e é preciso oferecer uma visão mais ampla que integre as visões conflitantes. Ou seja, é nossa tarefa construir esse mundo mais amplo. Estamos todos no mesmo barco.

      Sinta-se à vontade para escrever outro texto detalhado sobre o tema. Se ele sair com coerência e boa qualidade, não hesitaremos em publicá-lo.

      Abraço.

  • WBM

    É meio difícil discutir movimentos sociais com a aristocracia paulista não é mesmo? Ainda mais quando se apíam numa revista semanal que não tem credibilidade alguma e é motivo de piada em cursos de jornalismos.

    Provavelmente o nosso colega engenheiro não deve ter estudado o processo histórico de formação social do Brasil e não sabe que, depois do fim da escravidão muita gente saiu do campo com uma mão na frente e outra atrás.

    Atualmente, cerca de 3% do total das propriedades rurais do país são latifúndios, ou seja, tem mais de mil hectares e ocupam 56,7% das terras agriculturáveis – de acordo com o Atlas Fundiário do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Em outras palavras, a área ocupada pelos estados de São Paulo e Paraná juntos está nas mãos dos 300 maiores proprietários rurais, enquanto 4,8 milhões de famílias estão à espera de chão para plantar (e assim não morrer de fome…)

    Mas o colega do charuto na boca não sabia disso não é mesmo? Aliás ele também se esqueceu de mencionar que a invasão na hidrelétrica foi motivada por conta da falta de indenização para as famílias que foram removidas do local para viabilizar a construção da usina. Porque você não mencionou isso no seu texto em caro colega? É isso que o Papo de Homem considera ser homem? Empurrar uma mensagem da elite preconceituosa para seus leitores sem lhes passar informações suficientes para proporcionar um mínimo de reflexão?

    Parabéns ao PdH. Vocês agora conseguiram adentrar o reservado salão dos empresários paulistas de mídia que se divertem criminalizando movimentos sociais sem a mínima análise de suas causas, que adoram cultivar o ódio a governos como o de Hugo Chaves, que devem achar também que os programas de transferência de renda não passam de Bolsa-Esmola ou Bolsa-Vagabundo, e por aí vai… lamentável. Se isso é ser homem pra vocês, é lamentável.

  • WBM

    É meio difícil discutir movimentos sociais com a aristocracia paulista não é mesmo? Ainda mais quando se apíam numa revista semanal que não tem credibilidade alguma e é motivo de piada em cursos de jornalismos.

    Provavelmente o nosso colega engenheiro não deve ter estudado o processo histórico de formação social do Brasil e não sabe que, depois do fim da escravidão muita gente saiu do campo com uma mão na frente e outra atrás.

    Atualmente, cerca de 3% do total das propriedades rurais do país são latifúndios, ou seja, tem mais de mil hectares e ocupam 56,7% das terras agriculturáveis – de acordo com o Atlas Fundiário do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Em outras palavras, a área ocupada pelos estados de São Paulo e Paraná juntos está nas mãos dos 300 maiores proprietários rurais, enquanto 4,8 milhões de famílias estão à espera de chão para plantar (e assim não morrer de fome…)

    Mas o colega do charuto na boca não sabia disso não é mesmo? Aliás ele também se esqueceu de mencionar que a invasão na hidrelétrica foi motivada por conta da falta de indenização para as famílias que foram removidas do local para viabilizar a construção da usina. Porque você não mencionou isso no seu texto em caro colega? É isso que o Papo de Homem considera ser homem? Empurrar uma mensagem da elite preconceituosa para seus leitores sem lhes passar informações suficientes para proporcionar um mínimo de reflexão?

    Parabéns ao PdH. Vocês agora conseguiram adentrar o reservado salão dos empresários paulistas de mídia que se divertem criminalizando movimentos sociais sem a mínima análise de suas causas, que adoram cultivar o ódio a governos como o de Hugo Chaves, que devem achar também que os programas de transferência de renda não passam de Bolsa-Esmola ou Bolsa-Vagabundo, e por aí vai… lamentável. Se isso é ser homem pra vocês, é lamentável.

  • WBM

    É meio difícil discutir movimentos sociais com a aristocracia paulista não é mesmo? Ainda mais quando se apíam numa revista semanal que não tem credibilidade alguma e é motivo de piada em cursos de jornalismos.

    Provavelmente o nosso colega engenheiro não deve ter estudado o processo histórico de formação social do Brasil e não sabe que, depois do fim da escravidão muita gente saiu do campo com uma mão na frente e outra atrás.

    Atualmente, cerca de 3% do total das propriedades rurais do país são latifúndios, ou seja, tem mais de mil hectares e ocupam 56,7% das terras agriculturáveis – de acordo com o Atlas Fundiário do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Em outras palavras, a área ocupada pelos estados de São Paulo e Paraná juntos está nas mãos dos 300 maiores proprietários rurais, enquanto 4,8 milhões de famílias estão à espera de chão para plantar (e assim não morrer de fome…)

    Mas o colega do charuto na boca não sabia disso não é mesmo? Aliás ele também se esqueceu de mencionar que a invasão na hidrelétrica foi motivada por conta da falta de indenização para as famílias que foram removidas do local para viabilizar a construção da usina. Porque você não mencionou isso no seu texto em caro colega? É isso que o Papo de Homem considera ser homem? Empurrar uma mensagem da elite preconceituosa para seus leitores sem lhes passar informações suficientes para proporcionar um mínimo de reflexão?

    Parabéns ao PdH. Vocês agora conseguiram adentrar o reservado salão dos empresários paulistas de mídia que se divertem criminalizando movimentos sociais sem a mínima análise de suas causas, que adoram cultivar o ódio a governos como o de Hugo Chaves, que devem achar também que os programas de transferência de renda não passam de Bolsa-Esmola ou Bolsa-Vagabundo, e por aí vai… lamentável. Se isso é ser homem pra vocês, é lamentável.

  • WBM

    É meio difícil discutir movimentos sociais com a aristocracia paulista não é mesmo? Ainda mais quando se apíam numa revista semanal que não tem credibilidade alguma e é motivo de piada em cursos de jornalismos.

    Provavelmente o nosso colega engenheiro não deve ter estudado o processo histórico de formação social do Brasil e não sabe que, depois do fim da escravidão muita gente saiu do campo com uma mão na frente e outra atrás.

    Atualmente, cerca de 3% do total das propriedades rurais do país são latifúndios, ou seja, tem mais de mil hectares e ocupam 56,7% das terras agriculturáveis – de acordo com o Atlas Fundiário do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Em outras palavras, a área ocupada pelos estados de São Paulo e Paraná juntos está nas mãos dos 300 maiores proprietários rurais, enquanto 4,8 milhões de famílias estão à espera de chão para plantar (e assim não morrer de fome…)

    Mas o colega do charuto na boca não sabia disso não é mesmo? Aliás ele também se esqueceu de mencionar que a invasão na hidrelétrica foi motivada por conta da falta de indenização para as famílias que foram removidas do local para viabilizar a construção da usina. Porque você não mencionou isso no seu texto em caro colega? É isso que o Papo de Homem considera ser homem? Empurrar uma mensagem da elite preconceituosa para seus leitores sem lhes passar informações suficientes para proporcionar um mínimo de reflexão?

    Parabéns ao PdH. Vocês agora conseguiram adentrar o reservado salão dos empresários paulistas de mídia que se divertem criminalizando movimentos sociais sem a mínima análise de suas causas, que adoram cultivar o ódio a governos como o de Hugo Chaves, que devem achar também que os programas de transferência de renda não passam de Bolsa-Esmola ou Bolsa-Vagabundo, e por aí vai… lamentável. Se isso é ser homem pra vocês, é lamentável.

  • WBM

    É meio difícil discutir movimentos sociais com a aristocracia paulista não é mesmo? Ainda mais quando se apíam numa revista semanal que não tem credibilidade alguma e é motivo de piada em cursos de jornalismos.

    Provavelmente o nosso colega engenheiro não deve ter estudado o processo histórico de formação social do Brasil e não sabe que, depois do fim da escravidão muita gente saiu do campo com uma mão na frente e outra atrás.

    Atualmente, cerca de 3% do total das propriedades rurais do país são latifúndios, ou seja, tem mais de mil hectares e ocupam 56,7% das terras agriculturáveis – de acordo com o Atlas Fundiário do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Em outras palavras, a área ocupada pelos estados de São Paulo e Paraná juntos está nas mãos dos 300 maiores proprietários rurais, enquanto 4,8 milhões de famílias estão à espera de chão para plantar (e assim não morrer de fome…)

    Mas o colega do charuto na boca não sabia disso não é mesmo? Aliás ele também se esqueceu de mencionar que a invasão na hidrelétrica foi motivada por conta da falta de indenização para as famílias que foram removidas do local para viabilizar a construção da usina. Porque você não mencionou isso no seu texto em caro colega? É isso que o Papo de Homem considera ser homem? Empurrar uma mensagem da elite preconceituosa para seus leitores sem lhes passar informações suficientes para proporcionar um mínimo de reflexão?

    Parabéns ao PdH. Vocês agora conseguiram adentrar o reservado salão dos empresários paulistas de mídia que se divertem criminalizando movimentos sociais sem a mínima análise de suas causas, que adoram cultivar o ódio a governos como o de Hugo Chaves, que devem achar também que os programas de transferência de renda não passam de Bolsa-Esmola ou Bolsa-Vagabundo, e por aí vai… lamentável. Se isso é ser homem pra vocês, é lamentável.

    • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

      WBM,

      Excelente comentário.

      Lembro que o texto reflete a visão do autor, não do site PapodeHomem como um todo. Eu, por exemplo, como comentei acima, vejo a coisa de um modo diferente e concordo relativamente com o que apontou.

      O objetivo é justamente esse: levantar o tema e trazer comentários ricos como o seu à tona, que não teriam sido possíveis sem o artigo, não é mesmo? Democracia é isso: alguém fala, outro discorda e todos seguem aprendendo.

      Se quisermos avançar juntos, não adianta apenas apontar o dedo. É preciso reconhecer que há todo um grupo de pessoas que veem o mundo de modos restritos e é preciso oferecer uma visão mais ampla que integre as visões conflitantes. Ou seja, é nossa tarefa construir esse mundo mais amplo. Estamos todos no mesmo barco.

      Sinta-se à vontade para escrever outro texto detalhado sobre o tema. Se ele sair com coerência e boa qualidade, não hesitaremos em publicá-lo.

      Abraço.

  • Gabriel Almeida

    #6 – Gustavo Gitti

    Falou o que eu queria dizer, é dessa forma que interpreto.

    Quanto ao texto, achei fraco.

  • Gabriel Almeida

    #6 – Gustavo Gitti

    Falou o que eu queria dizer, é dessa forma que interpreto.

    Quanto ao texto, achei fraco.

  • Gabriel Almeida

    #6 – Gustavo Gitti

    Falou o que eu queria dizer, é dessa forma que interpreto.

    Quanto ao texto, achei fraco.

  • Gabriel Almeida

    #6 – Gustavo Gitti

    Falou o que eu queria dizer, é dessa forma que interpreto.

    Quanto ao texto, achei fraco.

  • Gabriel Almeida

    #6 – Gustavo Gitti

    Falou o que eu queria dizer, é dessa forma que interpreto.

    Quanto ao texto, achei fraco.

  • Gabriel Almeida

    #6 – Gustavo Gitti

    Falou o que eu queria dizer, é dessa forma que interpreto.

    Quanto ao texto, achei fraco.

  • http://www.twitter.com/dscorzoni Danilo Scorzoni Ré

    Acredito no que o Seba e o Gustavo disseram… não acredito em bem ou mal ou mesmo pontos de vista diferentes. Esses acontecimentos são reflexos de coisas que já vem acontecendo a muito tempo atrás, que é a própria exclusão social.
    Ninguém reivindica uma coisa à toa…
    Mas também não defendo esses atos criminosos… não é a forma correta de se fazer isso (será que existe uma forma correta?).
    Abraços

  • http://www.twitter.com/dscorzoni Danilo Scorzoni Ré

    Acredito no que o Seba e o Gustavo disseram… não acredito em bem ou mal ou mesmo pontos de vista diferentes. Esses acontecimentos são reflexos de coisas que já vem acontecendo a muito tempo atrás, que é a própria exclusão social.
    Ninguém reivindica uma coisa à toa…
    Mas também não defendo esses atos criminosos… não é a forma correta de se fazer isso (será que existe uma forma correta?).
    Abraços

  • http://www.twitter.com/dscorzoni Danilo Scorzoni Ré

    Acredito no que o Seba e o Gustavo disseram… não acredito em bem ou mal ou mesmo pontos de vista diferentes. Esses acontecimentos são reflexos de coisas que já vem acontecendo a muito tempo atrás, que é a própria exclusão social.
    Ninguém reivindica uma coisa à toa…
    Mas também não defendo esses atos criminosos… não é a forma correta de se fazer isso (será que existe uma forma correta?).
    Abraços

  • http://www.twitter.com/dscorzoni Danilo Scorzoni Ré

    Acredito no que o Seba e o Gustavo disseram… não acredito em bem ou mal ou mesmo pontos de vista diferentes. Esses acontecimentos são reflexos de coisas que já vem acontecendo a muito tempo atrás, que é a própria exclusão social.
    Ninguém reivindica uma coisa à toa…
    Mas também não defendo esses atos criminosos… não é a forma correta de se fazer isso (será que existe uma forma correta?).
    Abraços

  • http://www.twitter.com/dscorzoni Danilo Scorzoni Ré

    Acredito no que o Seba e o Gustavo disseram… não acredito em bem ou mal ou mesmo pontos de vista diferentes. Esses acontecimentos são reflexos de coisas que já vem acontecendo a muito tempo atrás, que é a própria exclusão social.
    Ninguém reivindica uma coisa à toa…
    Mas também não defendo esses atos criminosos… não é a forma correta de se fazer isso (será que existe uma forma correta?).
    Abraços

  • http://www.twitter.com/dscorzoni Danilo Scorzoni Ré

    Acredito no que o Seba e o Gustavo disseram… não acredito em bem ou mal ou mesmo pontos de vista diferentes. Esses acontecimentos são reflexos de coisas que já vem acontecendo a muito tempo atrás, que é a própria exclusão social.
    Ninguém reivindica uma coisa à toa…
    Mas também não defendo esses atos criminosos… não é a forma correta de se fazer isso (será que existe uma forma correta?).
    Abraços

  • Rafael Aguiar

    Bom artigo. Mas perde a credibilidade citando a Veja no final. [2]

  • Rafael Aguiar

    Bom artigo. Mas perde a credibilidade citando a Veja no final. [2]

  • Rafael Aguiar

    Bom artigo. Mas perde a credibilidade citando a Veja no final. [2]

  • Rafael Aguiar

    Bom artigo. Mas perde a credibilidade citando a Veja no final. [2]

  • Rafael Aguiar

    Bom artigo. Mas perde a credibilidade citando a Veja no final. [2]

  • Rafael Aguiar

    Bom artigo. Mas perde a credibilidade citando a Veja no final. [2]

  • WBM

    Ok Gitti, você tem razão. Peço desculpas pelo meu modo de expressão com relação ao site, mas a mantenho com relação ao autor.

    Abraços

  • WBM

    Ok Gitti, você tem razão. Peço desculpas pelo meu modo de expressão com relação ao site, mas a mantenho com relação ao autor.

    Abraços

  • WBM

    Ok Gitti, você tem razão. Peço desculpas pelo meu modo de expressão com relação ao site, mas a mantenho com relação ao autor.

    Abraços

  • WBM

    Ok Gitti, você tem razão. Peço desculpas pelo meu modo de expressão com relação ao site, mas a mantenho com relação ao autor.

    Abraços

  • WBM

    Ok Gitti, você tem razão. Peço desculpas pelo meu modo de expressão com relação ao site, mas a mantenho com relação ao autor.

    Abraços

  • WBM

    Ok Gitti, você tem razão. Peço desculpas pelo meu modo de expressão com relação ao site, mas a mantenho com relação ao autor.

    Abraços

  • Seba

    Gustavo Gitti, pessoas como você que fazem o sucesso do PdH e seus artigos fazem isso acontecer. O dono deste artigo, reverte o efeito q vc causa.

    O [b]WBM[/b] explicitou com ótima argumentação, simplificando (brilhantemente) o que acontece no país.

    Esse artigo ficou tendencioso ao extremo. Transparece, aos leitores “leigos” sobre o tema, que toda essas manifestações e atos, buscam à todo custo destruir as fontes energéticas brasileiras para que o país não mais “funcione” e “desenvolva”… somente esse é o objetivo? O que vem logo em seguida a esses fatos é um “por que?” seguido de respostas negligenciadas pelo autor Rodrigo Almeida.

    Tomara que ele traga o terceiro artigo mostrando as reais razões de tanta “desordem” e “vandalismo”, os quais ele tanto se refere. No entanto, dessa vez, de maneira eloquente. Vai vê ele descubra q os motivos não eram corta a eletricidade que alimenta seu computador (O que não seria tão ruim, diante de tamanha bobagem nunca antes vista aqui no PdH).

  • Seba

    Gustavo Gitti, pessoas como você que fazem o sucesso do PdH e seus artigos fazem isso acontecer. O dono deste artigo, reverte o efeito q vc causa.

    O [b]WBM[/b] explicitou com ótima argumentação, simplificando (brilhantemente) o que acontece no país.

    Esse artigo ficou tendencioso ao extremo. Transparece, aos leitores “leigos” sobre o tema, que toda essas manifestações e atos, buscam à todo custo destruir as fontes energéticas brasileiras para que o país não mais “funcione” e “desenvolva”… somente esse é o objetivo? O que vem logo em seguida a esses fatos é um “por que?” seguido de respostas negligenciadas pelo autor Rodrigo Almeida.

    Tomara que ele traga o terceiro artigo mostrando as reais razões de tanta “desordem” e “vandalismo”, os quais ele tanto se refere. No entanto, dessa vez, de maneira eloquente. Vai vê ele descubra q os motivos não eram corta a eletricidade que alimenta seu computador (O que não seria tão ruim, diante de tamanha bobagem nunca antes vista aqui no PdH).

  • Seba

    Gustavo Gitti, pessoas como você que fazem o sucesso do PdH e seus artigos fazem isso acontecer. O dono deste artigo, reverte o efeito q vc causa.

    O [b]WBM[/b] explicitou com ótima argumentação, simplificando (brilhantemente) o que acontece no país.

    Esse artigo ficou tendencioso ao extremo. Transparece, aos leitores “leigos” sobre o tema, que toda essas manifestações e atos, buscam à todo custo destruir as fontes energéticas brasileiras para que o país não mais “funcione” e “desenvolva”… somente esse é o objetivo? O que vem logo em seguida a esses fatos é um “por que?” seguido de respostas negligenciadas pelo autor Rodrigo Almeida.

    Tomara que ele traga o terceiro artigo mostrando as reais razões de tanta “desordem” e “vandalismo”, os quais ele tanto se refere. No entanto, dessa vez, de maneira eloquente. Vai vê ele descubra q os motivos não eram corta a eletricidade que alimenta seu computador (O que não seria tão ruim, diante de tamanha bobagem nunca antes vista aqui no PdH).

  • Seba

    Gustavo Gitti, pessoas como você que fazem o sucesso do PdH e seus artigos fazem isso acontecer. O dono deste artigo, reverte o efeito q vc causa.

    O [b]WBM[/b] explicitou com ótima argumentação, simplificando (brilhantemente) o que acontece no país.

    Esse artigo ficou tendencioso ao extremo. Transparece, aos leitores “leigos” sobre o tema, que toda essas manifestações e atos, buscam à todo custo destruir as fontes energéticas brasileiras para que o país não mais “funcione” e “desenvolva”… somente esse é o objetivo? O que vem logo em seguida a esses fatos é um “por que?” seguido de respostas negligenciadas pelo autor Rodrigo Almeida.

    Tomara que ele traga o terceiro artigo mostrando as reais razões de tanta “desordem” e “vandalismo”, os quais ele tanto se refere. No entanto, dessa vez, de maneira eloquente. Vai vê ele descubra q os motivos não eram corta a eletricidade que alimenta seu computador (O que não seria tão ruim, diante de tamanha bobagem nunca antes vista aqui no PdH).

  • Seba

    Gustavo Gitti, pessoas como você que fazem o sucesso do PdH e seus artigos fazem isso acontecer. O dono deste artigo, reverte o efeito q vc causa.

    O [b]WBM[/b] explicitou com ótima argumentação, simplificando (brilhantemente) o que acontece no país.

    Esse artigo ficou tendencioso ao extremo. Transparece, aos leitores “leigos” sobre o tema, que toda essas manifestações e atos, buscam à todo custo destruir as fontes energéticas brasileiras para que o país não mais “funcione” e “desenvolva”… somente esse é o objetivo? O que vem logo em seguida a esses fatos é um “por que?” seguido de respostas negligenciadas pelo autor Rodrigo Almeida.

    Tomara que ele traga o terceiro artigo mostrando as reais razões de tanta “desordem” e “vandalismo”, os quais ele tanto se refere. No entanto, dessa vez, de maneira eloquente. Vai vê ele descubra q os motivos não eram corta a eletricidade que alimenta seu computador (O que não seria tão ruim, diante de tamanha bobagem nunca antes vista aqui no PdH).

  • André K.

    Gostei muito de ler sobre esses eventos e lembrar o que estes ditos movimentos sociais têm feito ultimamente.

    Aos que criticaram citação da revista Veja, desqualificar o argumento para qualificar o seu é simplesmente ridículo. O jornalismo da revista como um todo pode ser polarizado e tudo o mais, mas não se pode negar a análise de dados feita por eles.

    Em relação a origem do MST, ser dada como causa do fim da escravidão… meu amigo, isso é mais ridículo ainda. É como culpar o Brasil de hoje pelos estragos feitos por Portugal. Lembre-se que gerações de imigrantes vieram depois, e também com condições precárias, muitos num estado de pobreza. E hoje, muitos dos descendentes destes são grandes pessoas e saem por aí invadindo terras.

    Concordo com o que foi falado sobre o problema dos latifúndios no Brasil, mas isso não é justificativa pra se causar problemas a população como um todo. Sou de SC, onde os latifúndios são mínimos, mas ainda assim, o MST – já no governo Lula – invadiu e depredou uma fazenda pertence a faculdade estadual de veterinária, comprometendo diversos estudos que eram feitos lá. Isso tem algo relacionado com diminuição dos latifúndios? Não, isso é apenas vandalismo, e deveria ser punido como tal.

    Minha opinião é: o MST pode até assassinar pessoas, mas sob as asas do governo, nada lhe acontece, e ainda recebe dinheiro para isso.

  • André K.

    Gostei muito de ler sobre esses eventos e lembrar o que estes ditos movimentos sociais têm feito ultimamente.

    Aos que criticaram citação da revista Veja, desqualificar o argumento para qualificar o seu é simplesmente ridículo. O jornalismo da revista como um todo pode ser polarizado e tudo o mais, mas não se pode negar a análise de dados feita por eles.

    Em relação a origem do MST, ser dada como causa do fim da escravidão… meu amigo, isso é mais ridículo ainda. É como culpar o Brasil de hoje pelos estragos feitos por Portugal. Lembre-se que gerações de imigrantes vieram depois, e também com condições precárias, muitos num estado de pobreza. E hoje, muitos dos descendentes destes são grandes pessoas e saem por aí invadindo terras.

    Concordo com o que foi falado sobre o problema dos latifúndios no Brasil, mas isso não é justificativa pra se causar problemas a população como um todo. Sou de SC, onde os latifúndios são mínimos, mas ainda assim, o MST – já no governo Lula – invadiu e depredou uma fazenda pertence a faculdade estadual de veterinária, comprometendo diversos estudos que eram feitos lá. Isso tem algo relacionado com diminuição dos latifúndios? Não, isso é apenas vandalismo, e deveria ser punido como tal.

    Minha opinião é: o MST pode até assassinar pessoas, mas sob as asas do governo, nada lhe acontece, e ainda recebe dinheiro para isso.

  • André K.

    Gostei muito de ler sobre esses eventos e lembrar o que estes ditos movimentos sociais têm feito ultimamente.

    Aos que criticaram citação da revista Veja, desqualificar o argumento para qualificar o seu é simplesmente ridículo. O jornalismo da revista como um todo pode ser polarizado e tudo o mais, mas não se pode negar a análise de dados feita por eles.

    Em relação a origem do MST, ser dada como causa do fim da escravidão… meu amigo, isso é mais ridículo ainda. É como culpar o Brasil de hoje pelos estragos feitos por Portugal. Lembre-se que gerações de imigrantes vieram depois, e também com condições precárias, muitos num estado de pobreza. E hoje, muitos dos descendentes destes são grandes pessoas e saem por aí invadindo terras.

    Concordo com o que foi falado sobre o problema dos latifúndios no Brasil, mas isso não é justificativa pra se causar problemas a população como um todo. Sou de SC, onde os latifúndios são mínimos, mas ainda assim, o MST – já no governo Lula – invadiu e depredou uma fazenda pertence a faculdade estadual de veterinária, comprometendo diversos estudos que eram feitos lá. Isso tem algo relacionado com diminuição dos latifúndios? Não, isso é apenas vandalismo, e deveria ser punido como tal.

    Minha opinião é: o MST pode até assassinar pessoas, mas sob as asas do governo, nada lhe acontece, e ainda recebe dinheiro para isso.

  • André K.

    Gostei muito de ler sobre esses eventos e lembrar o que estes ditos movimentos sociais têm feito ultimamente.

    Aos que criticaram citação da revista Veja, desqualificar o argumento para qualificar o seu é simplesmente ridículo. O jornalismo da revista como um todo pode ser polarizado e tudo o mais, mas não se pode negar a análise de dados feita por eles.

    Em relação a origem do MST, ser dada como causa do fim da escravidão… meu amigo, isso é mais ridículo ainda. É como culpar o Brasil de hoje pelos estragos feitos por Portugal. Lembre-se que gerações de imigrantes vieram depois, e também com condições precárias, muitos num estado de pobreza. E hoje, muitos dos descendentes destes são grandes pessoas e saem por aí invadindo terras.

    Concordo com o que foi falado sobre o problema dos latifúndios no Brasil, mas isso não é justificativa pra se causar problemas a população como um todo. Sou de SC, onde os latifúndios são mínimos, mas ainda assim, o MST – já no governo Lula – invadiu e depredou uma fazenda pertence a faculdade estadual de veterinária, comprometendo diversos estudos que eram feitos lá. Isso tem algo relacionado com diminuição dos latifúndios? Não, isso é apenas vandalismo, e deveria ser punido como tal.

    Minha opinião é: o MST pode até assassinar pessoas, mas sob as asas do governo, nada lhe acontece, e ainda recebe dinheiro para isso.

  • André K.

    Gostei muito de ler sobre esses eventos e lembrar o que estes ditos movimentos sociais têm feito ultimamente.

    Aos que criticaram citação da revista Veja, desqualificar o argumento para qualificar o seu é simplesmente ridículo. O jornalismo da revista como um todo pode ser polarizado e tudo o mais, mas não se pode negar a análise de dados feita por eles.

    Em relação a origem do MST, ser dada como causa do fim da escravidão… meu amigo, isso é mais ridículo ainda. É como culpar o Brasil de hoje pelos estragos feitos por Portugal. Lembre-se que gerações de imigrantes vieram depois, e também com condições precárias, muitos num estado de pobreza. E hoje, muitos dos descendentes destes são grandes pessoas e saem por aí invadindo terras.

    Concordo com o que foi falado sobre o problema dos latifúndios no Brasil, mas isso não é justificativa pra se causar problemas a população como um todo. Sou de SC, onde os latifúndios são mínimos, mas ainda assim, o MST – já no governo Lula – invadiu e depredou uma fazenda pertence a faculdade estadual de veterinária, comprometendo diversos estudos que eram feitos lá. Isso tem algo relacionado com diminuição dos latifúndios? Não, isso é apenas vandalismo, e deveria ser punido como tal.

    Minha opinião é: o MST pode até assassinar pessoas, mas sob as asas do governo, nada lhe acontece, e ainda recebe dinheiro para isso.

  • André K.

    Gostei muito de ler sobre esses eventos e lembrar o que estes ditos movimentos sociais têm feito ultimamente.

    Aos que criticaram citação da revista Veja, desqualificar o argumento para qualificar o seu é simplesmente ridículo. O jornalismo da revista como um todo pode ser polarizado e tudo o mais, mas não se pode negar a análise de dados feita por eles.

    Em relação a origem do MST, ser dada como causa do fim da escravidão… meu amigo, isso é mais ridículo ainda. É como culpar o Brasil de hoje pelos estragos feitos por Portugal. Lembre-se que gerações de imigrantes vieram depois, e também com condições precárias, muitos num estado de pobreza. E hoje, muitos dos descendentes destes são grandes pessoas e saem por aí invadindo terras.

    Concordo com o que foi falado sobre o problema dos latifúndios no Brasil, mas isso não é justificativa pra se causar problemas a população como um todo. Sou de SC, onde os latifúndios são mínimos, mas ainda assim, o MST – já no governo Lula – invadiu e depredou uma fazenda pertence a faculdade estadual de veterinária, comprometendo diversos estudos que eram feitos lá. Isso tem algo relacionado com diminuição dos latifúndios? Não, isso é apenas vandalismo, e deveria ser punido como tal.

    Minha opinião é: o MST pode até assassinar pessoas, mas sob as asas do governo, nada lhe acontece, e ainda recebe dinheiro para isso.

  • André K.

    E hoje, muitos dos descendentes destes são grandes pessoas e NÃO** saem por aí invadindo terras.

  • André K.

    E hoje, muitos dos descendentes destes são grandes pessoas e NÃO** saem por aí invadindo terras.

  • André K.

    E hoje, muitos dos descendentes destes são grandes pessoas e NÃO** saem por aí invadindo terras.

  • André K.

    E hoje, muitos dos descendentes destes são grandes pessoas e NÃO** saem por aí invadindo terras.

  • André K.

    E hoje, muitos dos descendentes destes são grandes pessoas e NÃO** saem por aí invadindo terras.

  • André K.

    E hoje, muitos dos descendentes destes são grandes pessoas e NÃO** saem por aí invadindo terras.

  • http://www.andre.wideway.com.br/ Andre Mantovani

    “Entre 2003 e 2007, as ONGs captaram 20 milhões de reais não informados à Receita Federal. As quatro entidades receberam 43 milhões de reais em convênios com o governo federal de 2003 a 2007.”
    E onde fica a função social dos movimentos sociais? “Brasil, um país de todos”, pra ouvir na televisão e ler nas propagandas do governo.
    Atitudes criminosas, que com certeza prejudicam o país todo.
    Obviamente, “É meio difícil discutir movimentos sociais com a aristocracia paulista não é mesmo?” (#6, WBM).
    Infelizmente, sempre a cultura triste de levar vantagem: se se [todos: politicos, movimentos sociais {que nao deixam de ser politicos}] e população) contentassem em apenas melhorar a sociedade, seria bem melhor.
    Excelente artigo!

  • http://www.andre.wideway.com.br/ Andre Mantovani

    “Entre 2003 e 2007, as ONGs captaram 20 milhões de reais não informados à Receita Federal. As quatro entidades receberam 43 milhões de reais em convênios com o governo federal de 2003 a 2007.”
    E onde fica a função social dos movimentos sociais? “Brasil, um país de todos”, pra ouvir na televisão e ler nas propagandas do governo.
    Atitudes criminosas, que com certeza prejudicam o país todo.
    Obviamente, “É meio difícil discutir movimentos sociais com a aristocracia paulista não é mesmo?” (#6, WBM).
    Infelizmente, sempre a cultura triste de levar vantagem: se se [todos: politicos, movimentos sociais {que nao deixam de ser politicos}] e população) contentassem em apenas melhorar a sociedade, seria bem melhor.
    Excelente artigo!

  • http://www.andre.wideway.com.br/ Andre Mantovani

    “Entre 2003 e 2007, as ONGs captaram 20 milhões de reais não informados à Receita Federal. As quatro entidades receberam 43 milhões de reais em convênios com o governo federal de 2003 a 2007.”
    E onde fica a função social dos movimentos sociais? “Brasil, um país de todos”, pra ouvir na televisão e ler nas propagandas do governo.
    Atitudes criminosas, que com certeza prejudicam o país todo.
    Obviamente, “É meio difícil discutir movimentos sociais com a aristocracia paulista não é mesmo?” (#6, WBM).
    Infelizmente, sempre a cultura triste de levar vantagem: se se [todos: politicos, movimentos sociais {que nao deixam de ser politicos}] e população) contentassem em apenas melhorar a sociedade, seria bem melhor.
    Excelente artigo!

  • http://www.andre.wideway.com.br/ Andre Mantovani

    “Entre 2003 e 2007, as ONGs captaram 20 milhões de reais não informados à Receita Federal. As quatro entidades receberam 43 milhões de reais em convênios com o governo federal de 2003 a 2007.”
    E onde fica a função social dos movimentos sociais? “Brasil, um país de todos”, pra ouvir na televisão e ler nas propagandas do governo.
    Atitudes criminosas, que com certeza prejudicam o país todo.
    Obviamente, “É meio difícil discutir movimentos sociais com a aristocracia paulista não é mesmo?” (#6, WBM).
    Infelizmente, sempre a cultura triste de levar vantagem: se se [todos: politicos, movimentos sociais {que nao deixam de ser politicos}] e população) contentassem em apenas melhorar a sociedade, seria bem melhor.
    Excelente artigo!

  • Bruno Cavalcanti

    #7 – Gustavo Gitti

    Acredito que a maioria que participa desses movimentos apenas desejam um pouco de terra para trabalharem e tirarem dela seu sustento, mas essa minoria que cria o caos e deturpa a imagem dos trabalhadores rurais honestos é a que está nas manchetes e fazem valer seus interesses.

  • Bruno Cavalcanti

    #7 – Gustavo Gitti

    Acredito que a maioria que participa desses movimentos apenas desejam um pouco de terra para trabalharem e tirarem dela seu sustento, mas essa minoria que cria o caos e deturpa a imagem dos trabalhadores rurais honestos é a que está nas manchetes e fazem valer seus interesses.

  • Bruno Cavalcanti

    #7 – Gustavo Gitti

    Acredito que a maioria que participa desses movimentos apenas desejam um pouco de terra para trabalharem e tirarem dela seu sustento, mas essa minoria que cria o caos e deturpa a imagem dos trabalhadores rurais honestos é a que está nas manchetes e fazem valer seus interesses.

  • Bruno Cavalcanti

    #7 – Gustavo Gitti

    Acredito que a maioria que participa desses movimentos apenas desejam um pouco de terra para trabalharem e tirarem dela seu sustento, mas essa minoria que cria o caos e deturpa a imagem dos trabalhadores rurais honestos é a que está nas manchetes e fazem valer seus interesses.

  • Bruno Cavalcanti

    #7 – Gustavo Gitti

    Acredito que a maioria que participa desses movimentos apenas desejam um pouco de terra para trabalharem e tirarem dela seu sustento, mas essa minoria que cria o caos e deturpa a imagem dos trabalhadores rurais honestos é a que está nas manchetes e fazem valer seus interesses.

  • http://www.andre.wideway.com.br Andre Mantovani

    “Entre 2003 e 2007, as ONGs captaram 20 milhões de reais não informados à Receita Federal. As quatro entidades receberam 43 milhões de reais em convênios com o governo federal de 2003 a 2007.”
    E onde fica a função social dos movimentos sociais? “Brasil, um país de todos”, pra ouvir na televisão e ler nas propagandas do governo.
    Atitudes criminosas, que com certeza prejudicam o país todo.
    Obviamente, “É meio difícil discutir movimentos sociais com a aristocracia paulista não é mesmo?” (#6, WBM).
    Infelizmente, sempre a cultura triste de levar vantagem: se se [todos: politicos, movimentos sociais {que nao deixam de ser politicos}] e população) contentassem em apenas melhorar a sociedade, seria bem melhor.
    Excelente artigo!

  • Bruno Cavalcanti

    #7 – Gustavo Gitti

    Acredito que a maioria que participa desses movimentos apenas desejam um pouco de terra para trabalharem e tirarem dela seu sustento, mas essa minoria que cria o caos e deturpa a imagem dos trabalhadores rurais honestos é a que está nas manchetes e fazem valer seus interesses.

  • Edu

    Bom artigo cara. Não concordo com sua opinião pessoal mas tenho que tirar meu chapeu pra quem sabe argumentar. Não aguento ignorancia nem de esquerdistas nem de direitistas.Só toma cuidado com as suas fontes: vc se queima citando a Veja. Mas análise muito boa, parabéns

  • Edu

    Bom artigo cara. Não concordo com sua opinião pessoal mas tenho que tirar meu chapeu pra quem sabe argumentar. Não aguento ignorancia nem de esquerdistas nem de direitistas.Só toma cuidado com as suas fontes: vc se queima citando a Veja. Mas análise muito boa, parabéns

  • Edu

    Bom artigo cara. Não concordo com sua opinião pessoal mas tenho que tirar meu chapeu pra quem sabe argumentar. Não aguento ignorancia nem de esquerdistas nem de direitistas.Só toma cuidado com as suas fontes: vc se queima citando a Veja. Mas análise muito boa, parabéns

  • Edu

    Bom artigo cara. Não concordo com sua opinião pessoal mas tenho que tirar meu chapeu pra quem sabe argumentar. Não aguento ignorancia nem de esquerdistas nem de direitistas.Só toma cuidado com as suas fontes: vc se queima citando a Veja. Mas análise muito boa, parabéns

  • Edu

    Bom artigo cara. Não concordo com sua opinião pessoal mas tenho que tirar meu chapeu pra quem sabe argumentar. Não aguento ignorancia nem de esquerdistas nem de direitistas.Só toma cuidado com as suas fontes: vc se queima citando a Veja. Mas análise muito boa, parabéns

  • Edu

    Bom artigo cara. Não concordo com sua opinião pessoal mas tenho que tirar meu chapeu pra quem sabe argumentar. Não aguento ignorancia nem de esquerdistas nem de direitistas.Só toma cuidado com as suas fontes: vc se queima citando a Veja. Mas análise muito boa, parabéns

  • Gustavo

    e ainda tem que se avaliar que o MST, hoje em dia, nada mais é que um movimento politico liderado por pessoas que ganham dinheiro do governo e usam os que realmente lutam por uma terra em atos de vandalismo, os quais no final das contas, só beneficiam os líderes do MST…

  • Gustavo

    e ainda tem que se avaliar que o MST, hoje em dia, nada mais é que um movimento politico liderado por pessoas que ganham dinheiro do governo e usam os que realmente lutam por uma terra em atos de vandalismo, os quais no final das contas, só beneficiam os líderes do MST…

  • Gustavo

    e ainda tem que se avaliar que o MST, hoje em dia, nada mais é que um movimento politico liderado por pessoas que ganham dinheiro do governo e usam os que realmente lutam por uma terra em atos de vandalismo, os quais no final das contas, só beneficiam os líderes do MST…

  • Gustavo

    e ainda tem que se avaliar que o MST, hoje em dia, nada mais é que um movimento politico liderado por pessoas que ganham dinheiro do governo e usam os que realmente lutam por uma terra em atos de vandalismo, os quais no final das contas, só beneficiam os líderes do MST…

  • Gustavo

    e ainda tem que se avaliar que o MST, hoje em dia, nada mais é que um movimento politico liderado por pessoas que ganham dinheiro do governo e usam os que realmente lutam por uma terra em atos de vandalismo, os quais no final das contas, só beneficiam os líderes do MST…

  • Gustavo

    e ainda tem que se avaliar que o MST, hoje em dia, nada mais é que um movimento politico liderado por pessoas que ganham dinheiro do governo e usam os que realmente lutam por uma terra em atos de vandalismo, os quais no final das contas, só beneficiam os líderes do MST…

  • Seba

    André K…

    1) Continuem lendo VEJA. Não deve ser tão ruim em ser alienado, num mundo desses que vivemos;

    2) A origem do MST e outros movimentos sociais (sabia que existe inúmeros movimentos além do MST?), ligados a questão da terra, estão totalmente ligados a História do pais, que, por acaso oh!, tem haver com Portugal… a estrutura fundiária brasileira parte das “Capitanias Hereditárias”: GRANDES porções de terras dadas pelo rei português (da época?) a POUCOS membros de confiança da sua corte no período colonial (Será que mudou muito, a distribuição de terras, durante todo esse tempo?);

    3) Se vc fala da safra de imigrantes (século XIX para XX), saiba que foi uma ação das oligarquias políticas conservadoras, de forma deliberada e preconceituosa para um “braqueamento” da população; já que a população mestiça e negra eram tidas como as piores em qualificações físicas e intelectuais possíveis.
    Os Europeus bem sucedidos hoje, só vieram por causa das ofertas de emprego nos centros urbano-industriais da região Sudeste e no processo de povoamento da região Sul. Algo também chamado de BENEFICIAMENTO! Os “arruaceiros” dos telejornais e das VEJA’s, em vasta maioria, são os desentendes dos esquecidos negros e mestiços, neste passado escravocrata, não distante.

    4) Até mesmo na “Veja” deve-se encontrar os dados referentes a população e garanto, sem precisar olha-los, que o número de imigrantes (1850-1930), sejam superiores aos mestiços e negros brasileiros. Parece que esqueceu dos anos anteriores a essa imigração ou vc acha que existiam lupa-lupas que foram pra fábrica de chocolate e que reforma agrária é uma moda tão recente quanto o Twitter? Ou melhor ainda, você acha que os “arianos latinos” são a maioria no Brasil e podemos implantar o Nazismo?

    5) O Brasil é um país construído por imigrantes, caro tolo colega. Ou será que foram os indígenas, com todo o respeito q receberam e recebem até hoje? Quantos amigos índios vc tem na comodidade da sua vidinha medíocre? Você mora trancado numa reserva bonitinha dada pela FUNAI? Teve uma casa por anos e ela foi inundada por uma hidrelétrica, ficando vc no relento, sem eira nem beira? Ou mora num luxuoso acampamento de camponeses do MST, por exemplo?
    Se não, deveria procurar e se assombrar com a vida que essas pessoas levam e muitas delas, há séculos, lutam LEGALMENTE em vão. Só sendo escultadas, sim, através de arruaças e depredações. E julgadas, sempre, vândalas e criminosas por mentes afundadas nó ócio da reflexão e apreciadoras de mídias sensacionalistas, elitistas e superficiais.

  • Seba

    André K…

    1) Continuem lendo VEJA. Não deve ser tão ruim em ser alienado, num mundo desses que vivemos;

    2) A origem do MST e outros movimentos sociais (sabia que existe inúmeros movimentos além do MST?), ligados a questão da terra, estão totalmente ligados a História do pais, que, por acaso oh!, tem haver com Portugal… a estrutura fundiária brasileira parte das “Capitanias Hereditárias”: GRANDES porções de terras dadas pelo rei português (da época?) a POUCOS membros de confiança da sua corte no período colonial (Será que mudou muito, a distribuição de terras, durante todo esse tempo?);

    3) Se vc fala da safra de imigrantes (século XIX para XX), saiba que foi uma ação das oligarquias políticas conservadoras, de forma deliberada e preconceituosa para um “braqueamento” da população; já que a população mestiça e negra eram tidas como as piores em qualificações físicas e intelectuais possíveis.
    Os Europeus bem sucedidos hoje, só vieram por causa das ofertas de emprego nos centros urbano-industriais da região Sudeste e no processo de povoamento da região Sul. Algo também chamado de BENEFICIAMENTO! Os “arruaceiros” dos telejornais e das VEJA’s, em vasta maioria, são os desentendes dos esquecidos negros e mestiços, neste passado escravocrata, não distante.

    4) Até mesmo na “Veja” deve-se encontrar os dados referentes a população e garanto, sem precisar olha-los, que o número de imigrantes (1850-1930), sejam superiores aos mestiços e negros brasileiros. Parece que esqueceu dos anos anteriores a essa imigração ou vc acha que existiam lupa-lupas que foram pra fábrica de chocolate e que reforma agrária é uma moda tão recente quanto o Twitter? Ou melhor ainda, você acha que os “arianos latinos” são a maioria no Brasil e podemos implantar o Nazismo?

    5) O Brasil é um país construído por imigrantes, caro tolo colega. Ou será que foram os indígenas, com todo o respeito q receberam e recebem até hoje? Quantos amigos índios vc tem na comodidade da sua vidinha medíocre? Você mora trancado numa reserva bonitinha dada pela FUNAI? Teve uma casa por anos e ela foi inundada por uma hidrelétrica, ficando vc no relento, sem eira nem beira? Ou mora num luxuoso acampamento de camponeses do MST, por exemplo?
    Se não, deveria procurar e se assombrar com a vida que essas pessoas levam e muitas delas, há séculos, lutam LEGALMENTE em vão. Só sendo escultadas, sim, através de arruaças e depredações. E julgadas, sempre, vândalas e criminosas por mentes afundadas nó ócio da reflexão e apreciadoras de mídias sensacionalistas, elitistas e superficiais.

  • Seba

    André K…

    1) Continuem lendo VEJA. Não deve ser tão ruim em ser alienado, num mundo desses que vivemos;

    2) A origem do MST e outros movimentos sociais (sabia que existe inúmeros movimentos além do MST?), ligados a questão da terra, estão totalmente ligados a História do pais, que, por acaso oh!, tem haver com Portugal… a estrutura fundiária brasileira parte das “Capitanias Hereditárias”: GRANDES porções de terras dadas pelo rei português (da época?) a POUCOS membros de confiança da sua corte no período colonial (Será que mudou muito, a distribuição de terras, durante todo esse tempo?);

    3) Se vc fala da safra de imigrantes (século XIX para XX), saiba que foi uma ação das oligarquias políticas conservadoras, de forma deliberada e preconceituosa para um “braqueamento” da população; já que a população mestiça e negra eram tidas como as piores em qualificações físicas e intelectuais possíveis.
    Os Europeus bem sucedidos hoje, só vieram por causa das ofertas de emprego nos centros urbano-industriais da região Sudeste e no processo de povoamento da região Sul. Algo também chamado de BENEFICIAMENTO! Os “arruaceiros” dos telejornais e das VEJA’s, em vasta maioria, são os desentendes dos esquecidos negros e mestiços, neste passado escravocrata, não distante.

    4) Até mesmo na “Veja” deve-se encontrar os dados referentes a população e garanto, sem precisar olha-los, que o número de imigrantes (1850-1930), sejam superiores aos mestiços e negros brasileiros. Parece que esqueceu dos anos anteriores a essa imigração ou vc acha que existiam lupa-lupas que foram pra fábrica de chocolate e que reforma agrária é uma moda tão recente quanto o Twitter? Ou melhor ainda, você acha que os “arianos latinos” são a maioria no Brasil e podemos implantar o Nazismo?

    5) O Brasil é um país construído por imigrantes, caro tolo colega. Ou será que foram os indígenas, com todo o respeito q receberam e recebem até hoje? Quantos amigos índios vc tem na comodidade da sua vidinha medíocre? Você mora trancado numa reserva bonitinha dada pela FUNAI? Teve uma casa por anos e ela foi inundada por uma hidrelétrica, ficando vc no relento, sem eira nem beira? Ou mora num luxuoso acampamento de camponeses do MST, por exemplo?
    Se não, deveria procurar e se assombrar com a vida que essas pessoas levam e muitas delas, há séculos, lutam LEGALMENTE em vão. Só sendo escultadas, sim, através de arruaças e depredações. E julgadas, sempre, vândalas e criminosas por mentes afundadas nó ócio da reflexão e apreciadoras de mídias sensacionalistas, elitistas e superficiais.

  • Seba

    André K…

    1) Continuem lendo VEJA. Não deve ser tão ruim em ser alienado, num mundo desses que vivemos;

    2) A origem do MST e outros movimentos sociais (sabia que existe inúmeros movimentos além do MST?), ligados a questão da terra, estão totalmente ligados a História do pais, que, por acaso oh!, tem haver com Portugal… a estrutura fundiária brasileira parte das “Capitanias Hereditárias”: GRANDES porções de terras dadas pelo rei português (da época?) a POUCOS membros de confiança da sua corte no período colonial (Será que mudou muito, a distribuição de terras, durante todo esse tempo?);

    3) Se vc fala da safra de imigrantes (século XIX para XX), saiba que foi uma ação das oligarquias políticas conservadoras, de forma deliberada e preconceituosa para um “braqueamento” da população; já que a população mestiça e negra eram tidas como as piores em qualificações físicas e intelectuais possíveis.
    Os Europeus bem sucedidos hoje, só vieram por causa das ofertas de emprego nos centros urbano-industriais da região Sudeste e no processo de povoamento da região Sul. Algo também chamado de BENEFICIAMENTO! Os “arruaceiros” dos telejornais e das VEJA’s, em vasta maioria, são os desentendes dos esquecidos negros e mestiços, neste passado escravocrata, não distante.

    4) Até mesmo na “Veja” deve-se encontrar os dados referentes a população e garanto, sem precisar olha-los, que o número de imigrantes (1850-1930), sejam superiores aos mestiços e negros brasileiros. Parece que esqueceu dos anos anteriores a essa imigração ou vc acha que existiam lupa-lupas que foram pra fábrica de chocolate e que reforma agrária é uma moda tão recente quanto o Twitter? Ou melhor ainda, você acha que os “arianos latinos” são a maioria no Brasil e podemos implantar o Nazismo?

    5) O Brasil é um país construído por imigrantes, caro tolo colega. Ou será que foram os indígenas, com todo o respeito q receberam e recebem até hoje? Quantos amigos índios vc tem na comodidade da sua vidinha medíocre? Você mora trancado numa reserva bonitinha dada pela FUNAI? Teve uma casa por anos e ela foi inundada por uma hidrelétrica, ficando vc no relento, sem eira nem beira? Ou mora num luxuoso acampamento de camponeses do MST, por exemplo?
    Se não, deveria procurar e se assombrar com a vida que essas pessoas levam e muitas delas, há séculos, lutam LEGALMENTE em vão. Só sendo escultadas, sim, através de arruaças e depredações. E julgadas, sempre, vândalas e criminosas por mentes afundadas nó ócio da reflexão e apreciadoras de mídias sensacionalistas, elitistas e superficiais.

  • Seba

    André K…

    1) Continuem lendo VEJA. Não deve ser tão ruim em ser alienado, num mundo desses que vivemos;

    2) A origem do MST e outros movimentos sociais (sabia que existe inúmeros movimentos além do MST?), ligados a questão da terra, estão totalmente ligados a História do pais, que, por acaso oh!, tem haver com Portugal… a estrutura fundiária brasileira parte das “Capitanias Hereditárias”: GRANDES porções de terras dadas pelo rei português (da época?) a POUCOS membros de confiança da sua corte no período colonial (Será que mudou muito, a distribuição de terras, durante todo esse tempo?);

    3) Se vc fala da safra de imigrantes (século XIX para XX), saiba que foi uma ação das oligarquias políticas conservadoras, de forma deliberada e preconceituosa para um “braqueamento” da população; já que a população mestiça e negra eram tidas como as piores em qualificações físicas e intelectuais possíveis.
    Os Europeus bem sucedidos hoje, só vieram por causa das ofertas de emprego nos centros urbano-industriais da região Sudeste e no processo de povoamento da região Sul. Algo também chamado de BENEFICIAMENTO! Os “arruaceiros” dos telejornais e das VEJA’s, em vasta maioria, são os desentendes dos esquecidos negros e mestiços, neste passado escravocrata, não distante.

    4) Até mesmo na “Veja” deve-se encontrar os dados referentes a população e garanto, sem precisar olha-los, que o número de imigrantes (1850-1930), sejam superiores aos mestiços e negros brasileiros. Parece que esqueceu dos anos anteriores a essa imigração ou vc acha que existiam lupa-lupas que foram pra fábrica de chocolate e que reforma agrária é uma moda tão recente quanto o Twitter? Ou melhor ainda, você acha que os “arianos latinos” são a maioria no Brasil e podemos implantar o Nazismo?

    5) O Brasil é um país construído por imigrantes, caro tolo colega. Ou será que foram os indígenas, com todo o respeito q receberam e recebem até hoje? Quantos amigos índios vc tem na comodidade da sua vidinha medíocre? Você mora trancado numa reserva bonitinha dada pela FUNAI? Teve uma casa por anos e ela foi inundada por uma hidrelétrica, ficando vc no relento, sem eira nem beira? Ou mora num luxuoso acampamento de camponeses do MST, por exemplo?
    Se não, deveria procurar e se assombrar com a vida que essas pessoas levam e muitas delas, há séculos, lutam LEGALMENTE em vão. Só sendo escultadas, sim, através de arruaças e depredações. E julgadas, sempre, vândalas e criminosas por mentes afundadas nó ócio da reflexão e apreciadoras de mídias sensacionalistas, elitistas e superficiais.

  • Seba

    André K…

    1) Continuem lendo VEJA. Não deve ser tão ruim em ser alienado, num mundo desses que vivemos;

    2) A origem do MST e outros movimentos sociais (sabia que existe inúmeros movimentos além do MST?), ligados a questão da terra, estão totalmente ligados a História do pais, que, por acaso oh!, tem haver com Portugal… a estrutura fundiária brasileira parte das “Capitanias Hereditárias”: GRANDES porções de terras dadas pelo rei português (da época?) a POUCOS membros de confiança da sua corte no período colonial (Será que mudou muito, a distribuição de terras, durante todo esse tempo?);

    3) Se vc fala da safra de imigrantes (século XIX para XX), saiba que foi uma ação das oligarquias políticas conservadoras, de forma deliberada e preconceituosa para um “braqueamento” da população; já que a população mestiça e negra eram tidas como as piores em qualificações físicas e intelectuais possíveis.
    Os Europeus bem sucedidos hoje, só vieram por causa das ofertas de emprego nos centros urbano-industriais da região Sudeste e no processo de povoamento da região Sul. Algo também chamado de BENEFICIAMENTO! Os “arruaceiros” dos telejornais e das VEJA’s, em vasta maioria, são os desentendes dos esquecidos negros e mestiços, neste passado escravocrata, não distante.

    4) Até mesmo na “Veja” deve-se encontrar os dados referentes a população e garanto, sem precisar olha-los, que o número de imigrantes (1850-1930), sejam superiores aos mestiços e negros brasileiros. Parece que esqueceu dos anos anteriores a essa imigração ou vc acha que existiam lupa-lupas que foram pra fábrica de chocolate e que reforma agrária é uma moda tão recente quanto o Twitter? Ou melhor ainda, você acha que os “arianos latinos” são a maioria no Brasil e podemos implantar o Nazismo?

    5) O Brasil é um país construído por imigrantes, caro tolo colega. Ou será que foram os indígenas, com todo o respeito q receberam e recebem até hoje? Quantos amigos índios vc tem na comodidade da sua vidinha medíocre? Você mora trancado numa reserva bonitinha dada pela FUNAI? Teve uma casa por anos e ela foi inundada por uma hidrelétrica, ficando vc no relento, sem eira nem beira? Ou mora num luxuoso acampamento de camponeses do MST, por exemplo?
    Se não, deveria procurar e se assombrar com a vida que essas pessoas levam e muitas delas, há séculos, lutam LEGALMENTE em vão. Só sendo escultadas, sim, através de arruaças e depredações. E julgadas, sempre, vândalas e criminosas por mentes afundadas nó ócio da reflexão e apreciadoras de mídias sensacionalistas, elitistas e superficiais.

  • Alex

    Tem que mandar prender todas esses manifestantes de classe média-alta: http://www.estadao.com.br/noticias/geral,moradores-de-atibaia-abrem-comportas-de-usina,503994,0.htm

  • Alex

    Tem que mandar prender todas esses manifestantes de classe média-alta: http://www.estadao.com.br/noticias/geral,moradores-de-atibaia-abrem-comportas-de-usina,503994,0.htm

  • Alex

    Tem que mandar prender todas esses manifestantes de classe média-alta: http://www.estadao.com.br/noticias/geral,moradores-de-atibaia-abrem-comportas-de-usina,503994,0.htm

  • Alex

    Tem que mandar prender todas esses manifestantes de classe média-alta: http://www.estadao.com.br/noticias/geral,moradores-de-atibaia-abrem-comportas-de-usina,503994,0.htm

  • Alex

    Tem que mandar prender todas esses manifestantes de classe média-alta: http://www.estadao.com.br/noticias/geral,moradores-de-atibaia-abrem-comportas-de-usina,503994,0.htm

  • Alex

    Tem que mandar prender todas esses manifestantes de classe média-alta: http://www.estadao.com.br/noticias/geral,moradores-de-atibaia-abrem-comportas-de-usina,503994,0.htm

  • Giou

    André K.

    - Não só o fim da escravidão legal, mas o processo de expansão agrícola por meio de latifúndios, foram, dentre outros fatores, os responsáveis pelos problemas no campo que, com o tempo, culminou na organização dos trabalhadores sem-terra em um movimento estruturado.

    - O MST começou justamente no “Sul Maravilha”, que recebeu um enorme fluxo de imigração italiana e alemã, apoiado pela Pastoral da Terra, ligada à Igreja Católica.

    - A análise da Veja é tendenciosa sim, isso é público e notório. É só observar o tom das reportagens em relação as de outras revistas e mídias informativas de grande circulação.

  • Giou

    André K.

    - Não só o fim da escravidão legal, mas o processo de expansão agrícola por meio de latifúndios, foram, dentre outros fatores, os responsáveis pelos problemas no campo que, com o tempo, culminou na organização dos trabalhadores sem-terra em um movimento estruturado.

    - O MST começou justamente no “Sul Maravilha”, que recebeu um enorme fluxo de imigração italiana e alemã, apoiado pela Pastoral da Terra, ligada à Igreja Católica.

    - A análise da Veja é tendenciosa sim, isso é público e notório. É só observar o tom das reportagens em relação as de outras revistas e mídias informativas de grande circulação.

  • Giou

    André K.

    - Não só o fim da escravidão legal, mas o processo de expansão agrícola por meio de latifúndios, foram, dentre outros fatores, os responsáveis pelos problemas no campo que, com o tempo, culminou na organização dos trabalhadores sem-terra em um movimento estruturado.

    - O MST começou justamente no “Sul Maravilha”, que recebeu um enorme fluxo de imigração italiana e alemã, apoiado pela Pastoral da Terra, ligada à Igreja Católica.

    - A análise da Veja é tendenciosa sim, isso é público e notório. É só observar o tom das reportagens em relação as de outras revistas e mídias informativas de grande circulação.

  • Giou

    André K.

    - Não só o fim da escravidão legal, mas o processo de expansão agrícola por meio de latifúndios, foram, dentre outros fatores, os responsáveis pelos problemas no campo que, com o tempo, culminou na organização dos trabalhadores sem-terra em um movimento estruturado.

    - O MST começou justamente no “Sul Maravilha”, que recebeu um enorme fluxo de imigração italiana e alemã, apoiado pela Pastoral da Terra, ligada à Igreja Católica.

    - A análise da Veja é tendenciosa sim, isso é público e notório. É só observar o tom das reportagens em relação as de outras revistas e mídias informativas de grande circulação.

  • Giou

    André K.

    - Não só o fim da escravidão legal, mas o processo de expansão agrícola por meio de latifúndios, foram, dentre outros fatores, os responsáveis pelos problemas no campo que, com o tempo, culminou na organização dos trabalhadores sem-terra em um movimento estruturado.

    - O MST começou justamente no “Sul Maravilha”, que recebeu um enorme fluxo de imigração italiana e alemã, apoiado pela Pastoral da Terra, ligada à Igreja Católica.

    - A análise da Veja é tendenciosa sim, isso é público e notório. É só observar o tom das reportagens em relação as de outras revistas e mídias informativas de grande circulação.

  • Giou

    André K.

    - Não só o fim da escravidão legal, mas o processo de expansão agrícola por meio de latifúndios, foram, dentre outros fatores, os responsáveis pelos problemas no campo que, com o tempo, culminou na organização dos trabalhadores sem-terra em um movimento estruturado.

    - O MST começou justamente no “Sul Maravilha”, que recebeu um enorme fluxo de imigração italiana e alemã, apoiado pela Pastoral da Terra, ligada à Igreja Católica.

    - A análise da Veja é tendenciosa sim, isso é público e notório. É só observar o tom das reportagens em relação as de outras revistas e mídias informativas de grande circulação.

  • Lamego

    Por acaso pessoas que buscam igualdade, possibilidade de exercer seus direitos em plenitude, têm algum direito de impor seus ideiais pela força ou pela depredação do que é de todos?
    Do mesmo modo que nosso colega #6 – WBM cita a perda de credibilidade do autor, Rodrigo Almeida, ao citar a Veja, ele perde completamente sua credibilidade com seu último parágrafo. Imagino que ele não tenha olhos para quem é Chavez, nunca tenha vivido na Venezuela ou em países vizinhos constantemente ofendidos e ameaçados por suas sandices. Se ele quer defender a bela intenção do socialismo, que não recorra a recursos como a repressão, a privação da liberdade de imprensa e de opinião.

    Quando defendemos algo, nosso trabalho deve ser de debate, de convencimento e de flexibilidade para perceber as fraquezas de nossas intenções ante novas possibilidades para resolução de um problema comum. É algo como a parte sã do debate aqui criado, não se baseando em preconceitos de direita ou de esquerda, não se fundamentando na tentativa de imposição de princípios e ideiais.

    O problema da sociedade brasileira, com seus pseudo-movimentos sociais é a fraqueza ante a corrupção, é aceitar como legítimos e pacíficos movimentos sociais que se financiam com dinheiro de fontes excusas, que incitam a destruição e desordem para defender seus objetivos particulares e não tentam aproximar seus interesses aos de TODA uma nação.

    Enquanto existirem os radicais, os vândalos e os que se cegam diante da corrupção contanto que sejam direta ou indiretamente favorecidos, este país continuará com os mesmos grandes problemas com suas pequenas e falsas soluções.

  • Lamego

    Por acaso pessoas que buscam igualdade, possibilidade de exercer seus direitos em plenitude, têm algum direito de impor seus ideiais pela força ou pela depredação do que é de todos?
    Do mesmo modo que nosso colega #6 – WBM cita a perda de credibilidade do autor, Rodrigo Almeida, ao citar a Veja, ele perde completamente sua credibilidade com seu último parágrafo. Imagino que ele não tenha olhos para quem é Chavez, nunca tenha vivido na Venezuela ou em países vizinhos constantemente ofendidos e ameaçados por suas sandices. Se ele quer defender a bela intenção do socialismo, que não recorra a recursos como a repressão, a privação da liberdade de imprensa e de opinião.

    Quando defendemos algo, nosso trabalho deve ser de debate, de convencimento e de flexibilidade para perceber as fraquezas de nossas intenções ante novas possibilidades para resolução de um problema comum. É algo como a parte sã do debate aqui criado, não se baseando em preconceitos de direita ou de esquerda, não se fundamentando na tentativa de imposição de princípios e ideiais.

    O problema da sociedade brasileira, com seus pseudo-movimentos sociais é a fraqueza ante a corrupção, é aceitar como legítimos e pacíficos movimentos sociais que se financiam com dinheiro de fontes excusas, que incitam a destruição e desordem para defender seus objetivos particulares e não tentam aproximar seus interesses aos de TODA uma nação.

    Enquanto existirem os radicais, os vândalos e os que se cegam diante da corrupção contanto que sejam direta ou indiretamente favorecidos, este país continuará com os mesmos grandes problemas com suas pequenas e falsas soluções.

  • Lamego

    Por acaso pessoas que buscam igualdade, possibilidade de exercer seus direitos em plenitude, têm algum direito de impor seus ideiais pela força ou pela depredação do que é de todos?
    Do mesmo modo que nosso colega #6 – WBM cita a perda de credibilidade do autor, Rodrigo Almeida, ao citar a Veja, ele perde completamente sua credibilidade com seu último parágrafo. Imagino que ele não tenha olhos para quem é Chavez, nunca tenha vivido na Venezuela ou em países vizinhos constantemente ofendidos e ameaçados por suas sandices. Se ele quer defender a bela intenção do socialismo, que não recorra a recursos como a repressão, a privação da liberdade de imprensa e de opinião.

    Quando defendemos algo, nosso trabalho deve ser de debate, de convencimento e de flexibilidade para perceber as fraquezas de nossas intenções ante novas possibilidades para resolução de um problema comum. É algo como a parte sã do debate aqui criado, não se baseando em preconceitos de direita ou de esquerda, não se fundamentando na tentativa de imposição de princípios e ideiais.

    O problema da sociedade brasileira, com seus pseudo-movimentos sociais é a fraqueza ante a corrupção, é aceitar como legítimos e pacíficos movimentos sociais que se financiam com dinheiro de fontes excusas, que incitam a destruição e desordem para defender seus objetivos particulares e não tentam aproximar seus interesses aos de TODA uma nação.

    Enquanto existirem os radicais, os vândalos e os que se cegam diante da corrupção contanto que sejam direta ou indiretamente favorecidos, este país continuará com os mesmos grandes problemas com suas pequenas e falsas soluções.

  • Lamego

    Por acaso pessoas que buscam igualdade, possibilidade de exercer seus direitos em plenitude, têm algum direito de impor seus ideiais pela força ou pela depredação do que é de todos?
    Do mesmo modo que nosso colega #6 – WBM cita a perda de credibilidade do autor, Rodrigo Almeida, ao citar a Veja, ele perde completamente sua credibilidade com seu último parágrafo. Imagino que ele não tenha olhos para quem é Chavez, nunca tenha vivido na Venezuela ou em países vizinhos constantemente ofendidos e ameaçados por suas sandices. Se ele quer defender a bela intenção do socialismo, que não recorra a recursos como a repressão, a privação da liberdade de imprensa e de opinião.

    Quando defendemos algo, nosso trabalho deve ser de debate, de convencimento e de flexibilidade para perceber as fraquezas de nossas intenções ante novas possibilidades para resolução de um problema comum. É algo como a parte sã do debate aqui criado, não se baseando em preconceitos de direita ou de esquerda, não se fundamentando na tentativa de imposição de princípios e ideiais.

    O problema da sociedade brasileira, com seus pseudo-movimentos sociais é a fraqueza ante a corrupção, é aceitar como legítimos e pacíficos movimentos sociais que se financiam com dinheiro de fontes excusas, que incitam a destruição e desordem para defender seus objetivos particulares e não tentam aproximar seus interesses aos de TODA uma nação.

    Enquanto existirem os radicais, os vândalos e os que se cegam diante da corrupção contanto que sejam direta ou indiretamente favorecidos, este país continuará com os mesmos grandes problemas com suas pequenas e falsas soluções.

  • Lamego

    Por acaso pessoas que buscam igualdade, possibilidade de exercer seus direitos em plenitude, têm algum direito de impor seus ideiais pela força ou pela depredação do que é de todos?
    Do mesmo modo que nosso colega #6 – WBM cita a perda de credibilidade do autor, Rodrigo Almeida, ao citar a Veja, ele perde completamente sua credibilidade com seu último parágrafo. Imagino que ele não tenha olhos para quem é Chavez, nunca tenha vivido na Venezuela ou em países vizinhos constantemente ofendidos e ameaçados por suas sandices. Se ele quer defender a bela intenção do socialismo, que não recorra a recursos como a repressão, a privação da liberdade de imprensa e de opinião.

    Quando defendemos algo, nosso trabalho deve ser de debate, de convencimento e de flexibilidade para perceber as fraquezas de nossas intenções ante novas possibilidades para resolução de um problema comum. É algo como a parte sã do debate aqui criado, não se baseando em preconceitos de direita ou de esquerda, não se fundamentando na tentativa de imposição de princípios e ideiais.

    O problema da sociedade brasileira, com seus pseudo-movimentos sociais é a fraqueza ante a corrupção, é aceitar como legítimos e pacíficos movimentos sociais que se financiam com dinheiro de fontes excusas, que incitam a destruição e desordem para defender seus objetivos particulares e não tentam aproximar seus interesses aos de TODA uma nação.

    Enquanto existirem os radicais, os vândalos e os que se cegam diante da corrupção contanto que sejam direta ou indiretamente favorecidos, este país continuará com os mesmos grandes problemas com suas pequenas e falsas soluções.

  • Lamego

    Por acaso pessoas que buscam igualdade, possibilidade de exercer seus direitos em plenitude, têm algum direito de impor seus ideiais pela força ou pela depredação do que é de todos?
    Do mesmo modo que nosso colega #6 – WBM cita a perda de credibilidade do autor, Rodrigo Almeida, ao citar a Veja, ele perde completamente sua credibilidade com seu último parágrafo. Imagino que ele não tenha olhos para quem é Chavez, nunca tenha vivido na Venezuela ou em países vizinhos constantemente ofendidos e ameaçados por suas sandices. Se ele quer defender a bela intenção do socialismo, que não recorra a recursos como a repressão, a privação da liberdade de imprensa e de opinião.

    Quando defendemos algo, nosso trabalho deve ser de debate, de convencimento e de flexibilidade para perceber as fraquezas de nossas intenções ante novas possibilidades para resolução de um problema comum. É algo como a parte sã do debate aqui criado, não se baseando em preconceitos de direita ou de esquerda, não se fundamentando na tentativa de imposição de princípios e ideiais.

    O problema da sociedade brasileira, com seus pseudo-movimentos sociais é a fraqueza ante a corrupção, é aceitar como legítimos e pacíficos movimentos sociais que se financiam com dinheiro de fontes excusas, que incitam a destruição e desordem para defender seus objetivos particulares e não tentam aproximar seus interesses aos de TODA uma nação.

    Enquanto existirem os radicais, os vândalos e os que se cegam diante da corrupção contanto que sejam direta ou indiretamente favorecidos, este país continuará com os mesmos grandes problemas com suas pequenas e falsas soluções.

  • Frederico Salume

    Essa série de artigos do Rodrigo se mostrou extremamente imparcial, com uma análise tendenciosa e conspiratória dos fatos, que aconteceram, evidentemente. Vai lá que é um artigo de opinião e que o autor considera “imparcialidade” um mito, mas textos assim excluem outras formas de considerar a situação. O autor tem a sua opinião, mas é recomendável que apresente outros pontos contrários e os contra-argumente. Isso é o mínimo que um artigo que trata de um tema tão complexo deveria ter, pois parece mais um folhetim partidário.

    O título, por si só, invoca uma conspiração desnecessária e paranóica. Uma ação de vandalismo coordenada e “finita” pode ser considerada um ato de terrorismo, mas se diversos movimentos sociais realmente quisessem aterrorizar, o Brasil descambaria numa greve geral, o que é relativamente difícil no Brasil. OS atos de terror, por pior que sejam, tem origens e motivações e são atos de protesto; e elas já foram esmiuçadas acima pelo Seba e pelo WBM. São 500 anos de histórias e de uma processo progressivo de exclusão social que não podem ser esquecidos.

    Outro ponto: a crise institucional. Se é para falar de conspiração, não é nada melhor para se analisar do que a influência política e social da mídia nas pessoas, através de grandes empresas de comunicação. E isso fica fácil de ser visto com notícias, à época, que anunciavam uma crise institucional. Passou longe de crise institucional. Como disse acima, se fosse crise mesmo teria um cenário pior e progressivo.

    Sugestão: analisar o processo histórico no Brasil e entender porque acontecem tantos protestos.

  • Frederico Salume

    Essa série de artigos do Rodrigo se mostrou extremamente imparcial, com uma análise tendenciosa e conspiratória dos fatos, que aconteceram, evidentemente. Vai lá que é um artigo de opinião e que o autor considera “imparcialidade” um mito, mas textos assim excluem outras formas de considerar a situação. O autor tem a sua opinião, mas é recomendável que apresente outros pontos contrários e os contra-argumente. Isso é o mínimo que um artigo que trata de um tema tão complexo deveria ter, pois parece mais um folhetim partidário.

    O título, por si só, invoca uma conspiração desnecessária e paranóica. Uma ação de vandalismo coordenada e “finita” pode ser considerada um ato de terrorismo, mas se diversos movimentos sociais realmente quisessem aterrorizar, o Brasil descambaria numa greve geral, o que é relativamente difícil no Brasil. OS atos de terror, por pior que sejam, tem origens e motivações e são atos de protesto; e elas já foram esmiuçadas acima pelo Seba e pelo WBM. São 500 anos de histórias e de uma processo progressivo de exclusão social que não podem ser esquecidos.

    Outro ponto: a crise institucional. Se é para falar de conspiração, não é nada melhor para se analisar do que a influência política e social da mídia nas pessoas, através de grandes empresas de comunicação. E isso fica fácil de ser visto com notícias, à época, que anunciavam uma crise institucional. Passou longe de crise institucional. Como disse acima, se fosse crise mesmo teria um cenário pior e progressivo.

    Sugestão: analisar o processo histórico no Brasil e entender porque acontecem tantos protestos.

  • Frederico Salume

    Essa série de artigos do Rodrigo se mostrou extremamente imparcial, com uma análise tendenciosa e conspiratória dos fatos, que aconteceram, evidentemente. Vai lá que é um artigo de opinião e que o autor considera “imparcialidade” um mito, mas textos assim excluem outras formas de considerar a situação. O autor tem a sua opinião, mas é recomendável que apresente outros pontos contrários e os contra-argumente. Isso é o mínimo que um artigo que trata de um tema tão complexo deveria ter, pois parece mais um folhetim partidário.

    O título, por si só, invoca uma conspiração desnecessária e paranóica. Uma ação de vandalismo coordenada e “finita” pode ser considerada um ato de terrorismo, mas se diversos movimentos sociais realmente quisessem aterrorizar, o Brasil descambaria numa greve geral, o que é relativamente difícil no Brasil. OS atos de terror, por pior que sejam, tem origens e motivações e são atos de protesto; e elas já foram esmiuçadas acima pelo Seba e pelo WBM. São 500 anos de histórias e de uma processo progressivo de exclusão social que não podem ser esquecidos.

    Outro ponto: a crise institucional. Se é para falar de conspiração, não é nada melhor para se analisar do que a influência política e social da mídia nas pessoas, através de grandes empresas de comunicação. E isso fica fácil de ser visto com notícias, à época, que anunciavam uma crise institucional. Passou longe de crise institucional. Como disse acima, se fosse crise mesmo teria um cenário pior e progressivo.

    Sugestão: analisar o processo histórico no Brasil e entender porque acontecem tantos protestos.

  • Frederico Salume

    Essa série de artigos do Rodrigo se mostrou extremamente imparcial, com uma análise tendenciosa e conspiratória dos fatos, que aconteceram, evidentemente. Vai lá que é um artigo de opinião e que o autor considera “imparcialidade” um mito, mas textos assim excluem outras formas de considerar a situação. O autor tem a sua opinião, mas é recomendável que apresente outros pontos contrários e os contra-argumente. Isso é o mínimo que um artigo que trata de um tema tão complexo deveria ter, pois parece mais um folhetim partidário.

    O título, por si só, invoca uma conspiração desnecessária e paranóica. Uma ação de vandalismo coordenada e “finita” pode ser considerada um ato de terrorismo, mas se diversos movimentos sociais realmente quisessem aterrorizar, o Brasil descambaria numa greve geral, o que é relativamente difícil no Brasil. OS atos de terror, por pior que sejam, tem origens e motivações e são atos de protesto; e elas já foram esmiuçadas acima pelo Seba e pelo WBM. São 500 anos de histórias e de uma processo progressivo de exclusão social que não podem ser esquecidos.

    Outro ponto: a crise institucional. Se é para falar de conspiração, não é nada melhor para se analisar do que a influência política e social da mídia nas pessoas, através de grandes empresas de comunicação. E isso fica fácil de ser visto com notícias, à época, que anunciavam uma crise institucional. Passou longe de crise institucional. Como disse acima, se fosse crise mesmo teria um cenário pior e progressivo.

    Sugestão: analisar o processo histórico no Brasil e entender porque acontecem tantos protestos.

  • Frederico Salume

    Essa série de artigos do Rodrigo se mostrou extremamente imparcial, com uma análise tendenciosa e conspiratória dos fatos, que aconteceram, evidentemente. Vai lá que é um artigo de opinião e que o autor considera “imparcialidade” um mito, mas textos assim excluem outras formas de considerar a situação. O autor tem a sua opinião, mas é recomendável que apresente outros pontos contrários e os contra-argumente. Isso é o mínimo que um artigo que trata de um tema tão complexo deveria ter, pois parece mais um folhetim partidário.

    O título, por si só, invoca uma conspiração desnecessária e paranóica. Uma ação de vandalismo coordenada e “finita” pode ser considerada um ato de terrorismo, mas se diversos movimentos sociais realmente quisessem aterrorizar, o Brasil descambaria numa greve geral, o que é relativamente difícil no Brasil. OS atos de terror, por pior que sejam, tem origens e motivações e são atos de protesto; e elas já foram esmiuçadas acima pelo Seba e pelo WBM. São 500 anos de histórias e de uma processo progressivo de exclusão social que não podem ser esquecidos.

    Outro ponto: a crise institucional. Se é para falar de conspiração, não é nada melhor para se analisar do que a influência política e social da mídia nas pessoas, através de grandes empresas de comunicação. E isso fica fácil de ser visto com notícias, à época, que anunciavam uma crise institucional. Passou longe de crise institucional. Como disse acima, se fosse crise mesmo teria um cenário pior e progressivo.

    Sugestão: analisar o processo histórico no Brasil e entender porque acontecem tantos protestos.

  • Frederico Salume

    Essa série de artigos do Rodrigo se mostrou extremamente imparcial, com uma análise tendenciosa e conspiratória dos fatos, que aconteceram, evidentemente. Vai lá que é um artigo de opinião e que o autor considera “imparcialidade” um mito, mas textos assim excluem outras formas de considerar a situação. O autor tem a sua opinião, mas é recomendável que apresente outros pontos contrários e os contra-argumente. Isso é o mínimo que um artigo que trata de um tema tão complexo deveria ter, pois parece mais um folhetim partidário.

    O título, por si só, invoca uma conspiração desnecessária e paranóica. Uma ação de vandalismo coordenada e “finita” pode ser considerada um ato de terrorismo, mas se diversos movimentos sociais realmente quisessem aterrorizar, o Brasil descambaria numa greve geral, o que é relativamente difícil no Brasil. OS atos de terror, por pior que sejam, tem origens e motivações e são atos de protesto; e elas já foram esmiuçadas acima pelo Seba e pelo WBM. São 500 anos de histórias e de uma processo progressivo de exclusão social que não podem ser esquecidos.

    Outro ponto: a crise institucional. Se é para falar de conspiração, não é nada melhor para se analisar do que a influência política e social da mídia nas pessoas, através de grandes empresas de comunicação. E isso fica fácil de ser visto com notícias, à época, que anunciavam uma crise institucional. Passou longe de crise institucional. Como disse acima, se fosse crise mesmo teria um cenário pior e progressivo.

    Sugestão: analisar o processo histórico no Brasil e entender porque acontecem tantos protestos.

  • Frederico Salume

    Essa série de artigos do Rodrigo se mostrou extremamente imparcial, com uma análise tendenciosa e conspiratória dos fatos, que aconteceram, evidentemente. Vai lá que é um artigo de opinião e que o autor considera “imparcialidade” um mito, mas textos assim excluem outras formas de considerar a situação. O autor tem a sua opinião, mas é recomendável que apresente outros pontos contrários e os contra-argumente. Isso é o mínimo que um artigo que trata de um tema tão complexo deveria ter, pois parece mais um folhetim partidário.

    O título, por si só, invoca uma conspiração desnecessária e paranóica. Uma ação de vandalismo coordenada e “finita” pode ser considerada um ato de terrorismo, mas se diversos movimentos sociais realmente quisessem aterrorizar, o Brasil descambaria numa greve geral, o que é relativamente difícil no Brasil. OS atos de terror, por pior que sejam, tem origens e motivações e são atos de protesto; e elas já foram esmiuçadas acima pelo Seba e pelo WBM. São 500 anos de histórias e de uma processo progressivo de exclusão social que não podem ser esquecidos.

    Outro ponto: a crise institucional. Se é para falar de conspiração, não é nada melhor para se analisar do que a influência política e social da mídia nas pessoas, através de grandes empresas de comunicação. E isso fica fácil de ser visto com notícias, à época, que anunciavam uma crise institucional. Passou longe de crise institucional. Como disse acima, se fosse crise mesmo teria um cenário pior e progressivo.

    Sugestão: analisar o processo histórico no Brasil e entender porque acontecem tantos protestos.

  • Frederico Salume

    Ah, as fontes e citações. Usar a Veja e o Arnaldo Jabour para corroborar sua opinião foi o fim da picada.

    Procure alguns trabalhos de pesquisadores e cientistas sociais que é melhor.

  • Frederico Salume

    Ah, as fontes e citações. Usar a Veja e o Arnaldo Jabour para corroborar sua opinião foi o fim da picada.

    Procure alguns trabalhos de pesquisadores e cientistas sociais que é melhor.

  • Frederico Salume

    Ah, as fontes e citações. Usar a Veja e o Arnaldo Jabour para corroborar sua opinião foi o fim da picada.

    Procure alguns trabalhos de pesquisadores e cientistas sociais que é melhor.

  • Frederico Salume

    Ah, as fontes e citações. Usar a Veja e o Arnaldo Jabour para corroborar sua opinião foi o fim da picada.

    Procure alguns trabalhos de pesquisadores e cientistas sociais que é melhor.

  • Frederico Salume

    Ah, as fontes e citações. Usar a Veja e o Arnaldo Jabour para corroborar sua opinião foi o fim da picada.

    Procure alguns trabalhos de pesquisadores e cientistas sociais que é melhor.

  • Frederico Salume

    Ah, as fontes e citações. Usar a Veja e o Arnaldo Jabour para corroborar sua opinião foi o fim da picada.

    Procure alguns trabalhos de pesquisadores e cientistas sociais que é melhor.

  • Frederico Salume

    Ah, as fontes e citações. Usar a Veja e o Arnaldo Jabour para corroborar sua opinião foi o fim da picada.

    Procure alguns trabalhos de pesquisadores e cientistas sociais que é melhor.

  • Diga

    Nesse contexto em que estamos, não há um lado totalmente correto ou totalmente errado. A verdade é que o povo tem o direito de protestar, desde que esse direito não ultrapasse os direitos dos outros. O que está acontecendo é que os líderes fazem desse povo (que está buscando os seus direitos) marionetes para seus desígnios totalmente políticos.
    Há escolas que formam esses militantes desde criança. Os ensinando a protestar, a buscar seus direitos acima de tudo, etc. Estão formando fanáticos para seus planos políticos; essa é a triste verdade.
    Mas essas pessoas não tem a culpa. Não creio que se deva punir severamente os militantes, e sim seus respectivos líderes manipuladores de mentes.

  • Diga

    Nesse contexto em que estamos, não há um lado totalmente correto ou totalmente errado. A verdade é que o povo tem o direito de protestar, desde que esse direito não ultrapasse os direitos dos outros. O que está acontecendo é que os líderes fazem desse povo (que está buscando os seus direitos) marionetes para seus desígnios totalmente políticos.
    Há escolas que formam esses militantes desde criança. Os ensinando a protestar, a buscar seus direitos acima de tudo, etc. Estão formando fanáticos para seus planos políticos; essa é a triste verdade.
    Mas essas pessoas não tem a culpa. Não creio que se deva punir severamente os militantes, e sim seus respectivos líderes manipuladores de mentes.

  • Diga

    Nesse contexto em que estamos, não há um lado totalmente correto ou totalmente errado. A verdade é que o povo tem o direito de protestar, desde que esse direito não ultrapasse os direitos dos outros. O que está acontecendo é que os líderes fazem desse povo (que está buscando os seus direitos) marionetes para seus desígnios totalmente políticos.
    Há escolas que formam esses militantes desde criança. Os ensinando a protestar, a buscar seus direitos acima de tudo, etc. Estão formando fanáticos para seus planos políticos; essa é a triste verdade.
    Mas essas pessoas não tem a culpa. Não creio que se deva punir severamente os militantes, e sim seus respectivos líderes manipuladores de mentes.

  • Diga

    Nesse contexto em que estamos, não há um lado totalmente correto ou totalmente errado. A verdade é que o povo tem o direito de protestar, desde que esse direito não ultrapasse os direitos dos outros. O que está acontecendo é que os líderes fazem desse povo (que está buscando os seus direitos) marionetes para seus desígnios totalmente políticos.
    Há escolas que formam esses militantes desde criança. Os ensinando a protestar, a buscar seus direitos acima de tudo, etc. Estão formando fanáticos para seus planos políticos; essa é a triste verdade.
    Mas essas pessoas não tem a culpa. Não creio que se deva punir severamente os militantes, e sim seus respectivos líderes manipuladores de mentes.

  • Diga

    Nesse contexto em que estamos, não há um lado totalmente correto ou totalmente errado. A verdade é que o povo tem o direito de protestar, desde que esse direito não ultrapasse os direitos dos outros. O que está acontecendo é que os líderes fazem desse povo (que está buscando os seus direitos) marionetes para seus desígnios totalmente políticos.
    Há escolas que formam esses militantes desde criança. Os ensinando a protestar, a buscar seus direitos acima de tudo, etc. Estão formando fanáticos para seus planos políticos; essa é a triste verdade.
    Mas essas pessoas não tem a culpa. Não creio que se deva punir severamente os militantes, e sim seus respectivos líderes manipuladores de mentes.

  • Lucas

    Tipo de texto que não estou acostumado a ver no PdH, mas deveria ter maior enfoque aqui, SIM!
    A política brasileira só é de tamanha estagnação pelo próprio desisteresse e ignorância do povo. Acreditar que vivemos numa democracia com “poucos” roubos é exagero. Já passou da hora de abrirmos os olhos, todos, e lutar por um país melhor! Porque temos condição de melhorar!

  • Lucas

    Tipo de texto que não estou acostumado a ver no PdH, mas deveria ter maior enfoque aqui, SIM!
    A política brasileira só é de tamanha estagnação pelo próprio desisteresse e ignorância do povo. Acreditar que vivemos numa democracia com “poucos” roubos é exagero. Já passou da hora de abrirmos os olhos, todos, e lutar por um país melhor! Porque temos condição de melhorar!

  • Lucas

    Tipo de texto que não estou acostumado a ver no PdH, mas deveria ter maior enfoque aqui, SIM!
    A política brasileira só é de tamanha estagnação pelo próprio desisteresse e ignorância do povo. Acreditar que vivemos numa democracia com “poucos” roubos é exagero. Já passou da hora de abrirmos os olhos, todos, e lutar por um país melhor! Porque temos condição de melhorar!

  • Lucas

    Tipo de texto que não estou acostumado a ver no PdH, mas deveria ter maior enfoque aqui, SIM!
    A política brasileira só é de tamanha estagnação pelo próprio desisteresse e ignorância do povo. Acreditar que vivemos numa democracia com “poucos” roubos é exagero. Já passou da hora de abrirmos os olhos, todos, e lutar por um país melhor! Porque temos condição de melhorar!

  • Lucas

    Tipo de texto que não estou acostumado a ver no PdH, mas deveria ter maior enfoque aqui, SIM!
    A política brasileira só é de tamanha estagnação pelo próprio desisteresse e ignorância do povo. Acreditar que vivemos numa democracia com “poucos” roubos é exagero. Já passou da hora de abrirmos os olhos, todos, e lutar por um país melhor! Porque temos condição de melhorar!

  • Lucas

    #6 – WBM

    Seu comentário é pertinente, mas a forma como trata o autor e a sua própria visão preconceituosa das pessoas que retratam este tipo de assunto, tiram o enfoque inicial, que seria avaliar exatamente os problemas e as consequências dos movimentos sociais.. ao menos em meu modo de ver.

    Tente tornar sua arrogância quanto a “aristocracia paulista” em crescimento pessoal e intelectual, que como o próprio seba diz, é parte de toda uma construção historica-social…

  • Lucas

    #6 – WBM

    Seu comentário é pertinente, mas a forma como trata o autor e a sua própria visão preconceituosa das pessoas que retratam este tipo de assunto, tiram o enfoque inicial, que seria avaliar exatamente os problemas e as consequências dos movimentos sociais.. ao menos em meu modo de ver.

    Tente tornar sua arrogância quanto a “aristocracia paulista” em crescimento pessoal e intelectual, que como o próprio seba diz, é parte de toda uma construção historica-social…

  • Lucas

    #6 – WBM

    Seu comentário é pertinente, mas a forma como trata o autor e a sua própria visão preconceituosa das pessoas que retratam este tipo de assunto, tiram o enfoque inicial, que seria avaliar exatamente os problemas e as consequências dos movimentos sociais.. ao menos em meu modo de ver.

    Tente tornar sua arrogância quanto a “aristocracia paulista” em crescimento pessoal e intelectual, que como o próprio seba diz, é parte de toda uma construção historica-social…

  • Lucas

    #6 – WBM

    Seu comentário é pertinente, mas a forma como trata o autor e a sua própria visão preconceituosa das pessoas que retratam este tipo de assunto, tiram o enfoque inicial, que seria avaliar exatamente os problemas e as consequências dos movimentos sociais.. ao menos em meu modo de ver.

    Tente tornar sua arrogância quanto a “aristocracia paulista” em crescimento pessoal e intelectual, que como o próprio seba diz, é parte de toda uma construção historica-social…

  • Lucas

    #6 – WBM

    Seu comentário é pertinente, mas a forma como trata o autor e a sua própria visão preconceituosa das pessoas que retratam este tipo de assunto, tiram o enfoque inicial, que seria avaliar exatamente os problemas e as consequências dos movimentos sociais.. ao menos em meu modo de ver.

    Tente tornar sua arrogância quanto a “aristocracia paulista” em crescimento pessoal e intelectual, que como o próprio seba diz, é parte de toda uma construção historica-social…

  • Eliab

    esses grupos com o passar do tempo vem perdendo seus ideais, e por trás d tdo isso ha mta gente se aproveitando da situação e ganhando mta grana em cima daqles q estao lah fora recebendo cacetadas d policiais, esses são apenas uns pobres coitados sendo usados….

  • Eliab

    esses grupos com o passar do tempo vem perdendo seus ideais, e por trás d tdo isso ha mta gente se aproveitando da situação e ganhando mta grana em cima daqles q estao lah fora recebendo cacetadas d policiais, esses são apenas uns pobres coitados sendo usados….

  • Eliab

    esses grupos com o passar do tempo vem perdendo seus ideais, e por trás d tdo isso ha mta gente se aproveitando da situação e ganhando mta grana em cima daqles q estao lah fora recebendo cacetadas d policiais, esses são apenas uns pobres coitados sendo usados….

  • Eliab

    esses grupos com o passar do tempo vem perdendo seus ideais, e por trás d tdo isso ha mta gente se aproveitando da situação e ganhando mta grana em cima daqles q estao lah fora recebendo cacetadas d policiais, esses são apenas uns pobres coitados sendo usados….

  • Eliab

    esses grupos com o passar do tempo vem perdendo seus ideais, e por trás d tdo isso ha mta gente se aproveitando da situação e ganhando mta grana em cima daqles q estao lah fora recebendo cacetadas d policiais, esses são apenas uns pobres coitados sendo usados….

  • Luiz Philipe

    Meus caros,

    Vocês vivem no País das Maravilhas??? Acreditam mesmo que há jornalismo imparcial? Nenhum jornalista, e como um deles posso garantir, é imparcial. Cada palavra que escolhemos, pessoa que entrevistamos, fotos ou vídeos que publicamos e informações que colocamos ou deixamos de fora de uma notícia ou artigo revela uma parcialidade. E ela está diretamente atrelada à opinião e linha política de uma única pessoal: o dono do veículo/jornal. A Veja é, em geral, criticada por pessoas que tem tendências políticas de esquerda, ao passo que a Carta Capital é criticada pelos direitistas.

    Para quem não conhece a história da imprensa, Veja, Istoé e Carta Capital são o que são hoje graças a um homem: o jornalista Mino Carta. Ele foi editor-chefe das duas primeiras e fez delas as maiores do país com um brilhantismo empreendedor e técnico único. Cansado de ter que atender a vontade dos donos, em detrimento do que ele acredita ser certo, resolveu fundar (ser dono) da Carta Capital. Felizmente ele define muito bem a posição da revista nos temas que aborda: é de esquerda (“10 motivos para votar em Lula”), é contra o desarmamento (“7 razões para votar não”) etc. Diferente de Veja e Folha de S.Paulo que se dizem imparciais para acobertar o direitismo-aristocrata-ultraconservador deles e assim influenciar ideologicamente a opinião publica de forma velada.

    Quer ser uma pessoa bem informada? Leia Veja e Carta Capital, assim você saberá a “verdade” dos fatos segundo a ótica da direita e da esquerda desse País e, assim, formará a sua idéia de verdade de você conforme as sua convicções.

    Como diz o repórter especial da Rede Globo, Carlos Dorneles, “Deus é inocente, a imprensa não”! Alias, sugiro o livro de mesmo nome e autor. Ele revela a unilateralidade da imprensa, não só brasileira, mas mundial, como ela vende ideologias, publica fatos não comprovados e criminaliza religiões, povos (aqui podemos incluir também os movimentos sociais que não estão no livro mas sofrem do meus esquema).

    Voltando ao cerne do artigo do Rodrigo, esses mesmos movimentos sociais que estão sendo criminalizados pelo autor e por alguns leitores aqui do PdH também foram responsáveis pelo fim do governo militar (que uns chamam de contra-revolução e outros de golpe de estado, depende da linha política de quem escreve sobre os anos de chumbo).

    Agora nos resta perguntar, qual é de fato a luta deles? Até onde eles estão ou não a serviço dos interesses do Planalto? Temos de lembrar que a direita brasileira não sabe fazer oposição e, por isso, está desesperada em chamar a atenção em ano eleitoral, fazendo de qualquer greve uma ameaça nacional para tentar desestabilizar o governo. Estão em um desespero tão ridículo que pegarão o caso deles no governo do Distrito Federal (mensalão do DEM-DF) para mostrar que diferente do governo federal (PT) eles punem os culpados. E o que conseguiram? Uma desestabilização tão forte do Democratas do DF que mancham a imagem do partido país a fora, acabando com as possibilidades de reeleição no DF, e de políticos que tinham conforto nas urna mas que agora dificilmente de elegerão. Aliás, a coisa ficou tão feia para o DEM que se quer terão a vice-presidência na chapa do PSDB.

    Por outro lado, o PT aparelhou tanto o Estado com mais de 40 mil cargos de confiança que a militância inteira está desesperada para eleger a ministra Dilma e, assim, se manterem nas tetas do governo. Esse mesmo PT fará uso dos movimentos sociais não só para se manter no governo como também para mostrar que “somente eles” sabem lidar/negociar com esses movimentos sociais.

    Parabéns ao Rodrigo Almeida, ele fez o que acredito ser o objetivo do PdH: ir além de mulheres, cerveja e futebol e provocar o debate irrestrito entre os leitores (mesmo que isso custe tantas críticas). Ter saco-roxo é expor a opinião sem se preocupar com as pedras que serão atiradas no telhado de vidro.

  • Luiz Philipe

    Meus caros,

    Vocês vivem no País das Maravilhas??? Acreditam mesmo que há jornalismo imparcial? Nenhum jornalista, e como um deles posso garantir, é imparcial. Cada palavra que escolhemos, pessoa que entrevistamos, fotos ou vídeos que publicamos e informações que colocamos ou deixamos de fora de uma notícia ou artigo revela uma parcialidade. E ela está diretamente atrelada à opinião e linha política de uma única pessoal: o dono do veículo/jornal. A Veja é, em geral, criticada por pessoas que tem tendências políticas de esquerda, ao passo que a Carta Capital é criticada pelos direitistas.

    Para quem não conhece a história da imprensa, Veja, Istoé e Carta Capital são o que são hoje graças a um homem: o jornalista Mino Carta. Ele foi editor-chefe das duas primeiras e fez delas as maiores do país com um brilhantismo empreendedor e técnico único. Cansado de ter que atender a vontade dos donos, em detrimento do que ele acredita ser certo, resolveu fundar (ser dono) da Carta Capital. Felizmente ele define muito bem a posição da revista nos temas que aborda: é de esquerda (“10 motivos para votar em Lula”), é contra o desarmamento (“7 razões para votar não”) etc. Diferente de Veja e Folha de S.Paulo que se dizem imparciais para acobertar o direitismo-aristocrata-ultraconservador deles e assim influenciar ideologicamente a opinião publica de forma velada.

    Quer ser uma pessoa bem informada? Leia Veja e Carta Capital, assim você saberá a “verdade” dos fatos segundo a ótica da direita e da esquerda desse País e, assim, formará a sua idéia de verdade de você conforme as sua convicções.

    Como diz o repórter especial da Rede Globo, Carlos Dorneles, “Deus é inocente, a imprensa não”! Alias, sugiro o livro de mesmo nome e autor. Ele revela a unilateralidade da imprensa, não só brasileira, mas mundial, como ela vende ideologias, publica fatos não comprovados e criminaliza religiões, povos (aqui podemos incluir também os movimentos sociais que não estão no livro mas sofrem do meus esquema).

    Voltando ao cerne do artigo do Rodrigo, esses mesmos movimentos sociais que estão sendo criminalizados pelo autor e por alguns leitores aqui do PdH também foram responsáveis pelo fim do governo militar (que uns chamam de contra-revolução e outros de golpe de estado, depende da linha política de quem escreve sobre os anos de chumbo).

    Agora nos resta perguntar, qual é de fato a luta deles? Até onde eles estão ou não a serviço dos interesses do Planalto? Temos de lembrar que a direita brasileira não sabe fazer oposição e, por isso, está desesperada em chamar a atenção em ano eleitoral, fazendo de qualquer greve uma ameaça nacional para tentar desestabilizar o governo. Estão em um desespero tão ridículo que pegarão o caso deles no governo do Distrito Federal (mensalão do DEM-DF) para mostrar que diferente do governo federal (PT) eles punem os culpados. E o que conseguiram? Uma desestabilização tão forte do Democratas do DF que mancham a imagem do partido país a fora, acabando com as possibilidades de reeleição no DF, e de políticos que tinham conforto nas urna mas que agora dificilmente de elegerão. Aliás, a coisa ficou tão feia para o DEM que se quer terão a vice-presidência na chapa do PSDB.

    Por outro lado, o PT aparelhou tanto o Estado com mais de 40 mil cargos de confiança que a militância inteira está desesperada para eleger a ministra Dilma e, assim, se manterem nas tetas do governo. Esse mesmo PT fará uso dos movimentos sociais não só para se manter no governo como também para mostrar que “somente eles” sabem lidar/negociar com esses movimentos sociais.

    Parabéns ao Rodrigo Almeida, ele fez o que acredito ser o objetivo do PdH: ir além de mulheres, cerveja e futebol e provocar o debate irrestrito entre os leitores (mesmo que isso custe tantas críticas). Ter saco-roxo é expor a opinião sem se preocupar com as pedras que serão atiradas no telhado de vidro.

  • Luiz Philipe

    Meus caros,

    Vocês vivem no País das Maravilhas??? Acreditam mesmo que há jornalismo imparcial? Nenhum jornalista, e como um deles posso garantir, é imparcial. Cada palavra que escolhemos, pessoa que entrevistamos, fotos ou vídeos que publicamos e informações que colocamos ou deixamos de fora de uma notícia ou artigo revela uma parcialidade. E ela está diretamente atrelada à opinião e linha política de uma única pessoal: o dono do veículo/jornal. A Veja é, em geral, criticada por pessoas que tem tendências políticas de esquerda, ao passo que a Carta Capital é criticada pelos direitistas.

    Para quem não conhece a história da imprensa, Veja, Istoé e Carta Capital são o que são hoje graças a um homem: o jornalista Mino Carta. Ele foi editor-chefe das duas primeiras e fez delas as maiores do país com um brilhantismo empreendedor e técnico único. Cansado de ter que atender a vontade dos donos, em detrimento do que ele acredita ser certo, resolveu fundar (ser dono) da Carta Capital. Felizmente ele define muito bem a posição da revista nos temas que aborda: é de esquerda (“10 motivos para votar em Lula”), é contra o desarmamento (“7 razões para votar não”) etc. Diferente de Veja e Folha de S.Paulo que se dizem imparciais para acobertar o direitismo-aristocrata-ultraconservador deles e assim influenciar ideologicamente a opinião publica de forma velada.

    Quer ser uma pessoa bem informada? Leia Veja e Carta Capital, assim você saberá a “verdade” dos fatos segundo a ótica da direita e da esquerda desse País e, assim, formará a sua idéia de verdade de você conforme as sua convicções.

    Como diz o repórter especial da Rede Globo, Carlos Dorneles, “Deus é inocente, a imprensa não”! Alias, sugiro o livro de mesmo nome e autor. Ele revela a unilateralidade da imprensa, não só brasileira, mas mundial, como ela vende ideologias, publica fatos não comprovados e criminaliza religiões, povos (aqui podemos incluir também os movimentos sociais que não estão no livro mas sofrem do meus esquema).

    Voltando ao cerne do artigo do Rodrigo, esses mesmos movimentos sociais que estão sendo criminalizados pelo autor e por alguns leitores aqui do PdH também foram responsáveis pelo fim do governo militar (que uns chamam de contra-revolução e outros de golpe de estado, depende da linha política de quem escreve sobre os anos de chumbo).

    Agora nos resta perguntar, qual é de fato a luta deles? Até onde eles estão ou não a serviço dos interesses do Planalto? Temos de lembrar que a direita brasileira não sabe fazer oposição e, por isso, está desesperada em chamar a atenção em ano eleitoral, fazendo de qualquer greve uma ameaça nacional para tentar desestabilizar o governo. Estão em um desespero tão ridículo que pegarão o caso deles no governo do Distrito Federal (mensalão do DEM-DF) para mostrar que diferente do governo federal (PT) eles punem os culpados. E o que conseguiram? Uma desestabilização tão forte do Democratas do DF que mancham a imagem do partido país a fora, acabando com as possibilidades de reeleição no DF, e de políticos que tinham conforto nas urna mas que agora dificilmente de elegerão. Aliás, a coisa ficou tão feia para o DEM que se quer terão a vice-presidência na chapa do PSDB.

    Por outro lado, o PT aparelhou tanto o Estado com mais de 40 mil cargos de confiança que a militância inteira está desesperada para eleger a ministra Dilma e, assim, se manterem nas tetas do governo. Esse mesmo PT fará uso dos movimentos sociais não só para se manter no governo como também para mostrar que “somente eles” sabem lidar/negociar com esses movimentos sociais.

    Parabéns ao Rodrigo Almeida, ele fez o que acredito ser o objetivo do PdH: ir além de mulheres, cerveja e futebol e provocar o debate irrestrito entre os leitores (mesmo que isso custe tantas críticas). Ter saco-roxo é expor a opinião sem se preocupar com as pedras que serão atiradas no telhado de vidro.

  • Luiz Philipe

    Meus caros,

    Vocês vivem no País das Maravilhas??? Acreditam mesmo que há jornalismo imparcial? Nenhum jornalista, e como um deles posso garantir, é imparcial. Cada palavra que escolhemos, pessoa que entrevistamos, fotos ou vídeos que publicamos e informações que colocamos ou deixamos de fora de uma notícia ou artigo revela uma parcialidade. E ela está diretamente atrelada à opinião e linha política de uma única pessoal: o dono do veículo/jornal. A Veja é, em geral, criticada por pessoas que tem tendências políticas de esquerda, ao passo que a Carta Capital é criticada pelos direitistas.

    Para quem não conhece a história da imprensa, Veja, Istoé e Carta Capital são o que são hoje graças a um homem: o jornalista Mino Carta. Ele foi editor-chefe das duas primeiras e fez delas as maiores do país com um brilhantismo empreendedor e técnico único. Cansado de ter que atender a vontade dos donos, em detrimento do que ele acredita ser certo, resolveu fundar (ser dono) da Carta Capital. Felizmente ele define muito bem a posição da revista nos temas que aborda: é de esquerda (“10 motivos para votar em Lula”), é contra o desarmamento (“7 razões para votar não”) etc. Diferente de Veja e Folha de S.Paulo que se dizem imparciais para acobertar o direitismo-aristocrata-ultraconservador deles e assim influenciar ideologicamente a opinião publica de forma velada.

    Quer ser uma pessoa bem informada? Leia Veja e Carta Capital, assim você saberá a “verdade” dos fatos segundo a ótica da direita e da esquerda desse País e, assim, formará a sua idéia de verdade de você conforme as sua convicções.

    Como diz o repórter especial da Rede Globo, Carlos Dorneles, “Deus é inocente, a imprensa não”! Alias, sugiro o livro de mesmo nome e autor. Ele revela a unilateralidade da imprensa, não só brasileira, mas mundial, como ela vende ideologias, publica fatos não comprovados e criminaliza religiões, povos (aqui podemos incluir também os movimentos sociais que não estão no livro mas sofrem do meus esquema).

    Voltando ao cerne do artigo do Rodrigo, esses mesmos movimentos sociais que estão sendo criminalizados pelo autor e por alguns leitores aqui do PdH também foram responsáveis pelo fim do governo militar (que uns chamam de contra-revolução e outros de golpe de estado, depende da linha política de quem escreve sobre os anos de chumbo).

    Agora nos resta perguntar, qual é de fato a luta deles? Até onde eles estão ou não a serviço dos interesses do Planalto? Temos de lembrar que a direita brasileira não sabe fazer oposição e, por isso, está desesperada em chamar a atenção em ano eleitoral, fazendo de qualquer greve uma ameaça nacional para tentar desestabilizar o governo. Estão em um desespero tão ridículo que pegarão o caso deles no governo do Distrito Federal (mensalão do DEM-DF) para mostrar que diferente do governo federal (PT) eles punem os culpados. E o que conseguiram? Uma desestabilização tão forte do Democratas do DF que mancham a imagem do partido país a fora, acabando com as possibilidades de reeleição no DF, e de políticos que tinham conforto nas urna mas que agora dificilmente de elegerão. Aliás, a coisa ficou tão feia para o DEM que se quer terão a vice-presidência na chapa do PSDB.

    Por outro lado, o PT aparelhou tanto o Estado com mais de 40 mil cargos de confiança que a militância inteira está desesperada para eleger a ministra Dilma e, assim, se manterem nas tetas do governo. Esse mesmo PT fará uso dos movimentos sociais não só para se manter no governo como também para mostrar que “somente eles” sabem lidar/negociar com esses movimentos sociais.

    Parabéns ao Rodrigo Almeida, ele fez o que acredito ser o objetivo do PdH: ir além de mulheres, cerveja e futebol e provocar o debate irrestrito entre os leitores (mesmo que isso custe tantas críticas). Ter saco-roxo é expor a opinião sem se preocupar com as pedras que serão atiradas no telhado de vidro.

  • Mohammad Severino

    Jabor é um dos grandes estandartes da imprensa jagunça demotucanalha.
    Nada que esse sujeitinho desprezível diz pode ser levado a sério.

  • Mohammad Severino

    Jabor é um dos grandes estandartes da imprensa jagunça demotucanalha.
    Nada que esse sujeitinho desprezível diz pode ser levado a sério.

  • Mohammad Severino

    Jabor é um dos grandes estandartes da imprensa jagunça demotucanalha.
    Nada que esse sujeitinho desprezível diz pode ser levado a sério.

  • Mohammad Severino

    Jabor é um dos grandes estandartes da imprensa jagunça demotucanalha.
    Nada que esse sujeitinho desprezível diz pode ser levado a sério.

  • João Marco

    Eu acho engraçado, as pessoas falando que o texto não pode ser levado a sério porque a fonte é a veja, sinceramente eu gostaria de saber quais são suas fontes, seus vizinhos ?
    A Globo é governista sempre, a veja e a folha são tucanas, até ai nenhuma novidade. Agora, excluir os fatos é algo naif.
    Eles invadiram a usina, eles recebem muito dinheiro e não prestam contas, eles invadem terras produtivas e por fim são esses os fatos.
    O MST sempre foi um movimento tosco, que não tinha dinheiro, mas o governo Lula o transformou em um grupo rico, e agora eles podem se tornar uma nova FARC que irá dá uma tremenda dor de cabeça aos próximos governos.
    Quanto ao argumento do Gustavo eu discordo ao que se refere que a culpa é de todos, a culpa é de quem apronta (MST), e a culpa é de quem passa a mão na cabeça (executivo,judiciario). Como uma criança mimada que quebra o vidro de casa, o mst, merece apanhar (no mínimo ser preso) e assim aprender uma grande lição na vida de um homem, não conseguimos nada no grito e no choro, e sim na luta diária, no suor do trabalho, no esforço e na cotenção de gastos. Mas no final todo mundo quer tudo de mão beijada…
    E não, não existem várias váriaveis, existe o certo e o errado e ponto. Que cada um seja homem de assumir seus erros…

  • João Marco

    Eu acho engraçado, as pessoas falando que o texto não pode ser levado a sério porque a fonte é a veja, sinceramente eu gostaria de saber quais são suas fontes, seus vizinhos ?
    A Globo é governista sempre, a veja e a folha são tucanas, até ai nenhuma novidade. Agora, excluir os fatos é algo naif.
    Eles invadiram a usina, eles recebem muito dinheiro e não prestam contas, eles invadem terras produtivas e por fim são esses os fatos.
    O MST sempre foi um movimento tosco, que não tinha dinheiro, mas o governo Lula o transformou em um grupo rico, e agora eles podem se tornar uma nova FARC que irá dá uma tremenda dor de cabeça aos próximos governos.
    Quanto ao argumento do Gustavo eu discordo ao que se refere que a culpa é de todos, a culpa é de quem apronta (MST), e a culpa é de quem passa a mão na cabeça (executivo,judiciario). Como uma criança mimada que quebra o vidro de casa, o mst, merece apanhar (no mínimo ser preso) e assim aprender uma grande lição na vida de um homem, não conseguimos nada no grito e no choro, e sim na luta diária, no suor do trabalho, no esforço e na cotenção de gastos. Mas no final todo mundo quer tudo de mão beijada…
    E não, não existem várias váriaveis, existe o certo e o errado e ponto. Que cada um seja homem de assumir seus erros…

  • João Marco

    Eu acho engraçado, as pessoas falando que o texto não pode ser levado a sério porque a fonte é a veja, sinceramente eu gostaria de saber quais são suas fontes, seus vizinhos ?
    A Globo é governista sempre, a veja e a folha são tucanas, até ai nenhuma novidade. Agora, excluir os fatos é algo naif.
    Eles invadiram a usina, eles recebem muito dinheiro e não prestam contas, eles invadem terras produtivas e por fim são esses os fatos.
    O MST sempre foi um movimento tosco, que não tinha dinheiro, mas o governo Lula o transformou em um grupo rico, e agora eles podem se tornar uma nova FARC que irá dá uma tremenda dor de cabeça aos próximos governos.
    Quanto ao argumento do Gustavo eu discordo ao que se refere que a culpa é de todos, a culpa é de quem apronta (MST), e a culpa é de quem passa a mão na cabeça (executivo,judiciario). Como uma criança mimada que quebra o vidro de casa, o mst, merece apanhar (no mínimo ser preso) e assim aprender uma grande lição na vida de um homem, não conseguimos nada no grito e no choro, e sim na luta diária, no suor do trabalho, no esforço e na cotenção de gastos. Mas no final todo mundo quer tudo de mão beijada…
    E não, não existem várias váriaveis, existe o certo e o errado e ponto. Que cada um seja homem de assumir seus erros…

  • João Marco

    Eu acho engraçado, as pessoas falando que o texto não pode ser levado a sério porque a fonte é a veja, sinceramente eu gostaria de saber quais são suas fontes, seus vizinhos ?
    A Globo é governista sempre, a veja e a folha são tucanas, até ai nenhuma novidade. Agora, excluir os fatos é algo naif.
    Eles invadiram a usina, eles recebem muito dinheiro e não prestam contas, eles invadem terras produtivas e por fim são esses os fatos.
    O MST sempre foi um movimento tosco, que não tinha dinheiro, mas o governo Lula o transformou em um grupo rico, e agora eles podem se tornar uma nova FARC que irá dá uma tremenda dor de cabeça aos próximos governos.
    Quanto ao argumento do Gustavo eu discordo ao que se refere que a culpa é de todos, a culpa é de quem apronta (MST), e a culpa é de quem passa a mão na cabeça (executivo,judiciario). Como uma criança mimada que quebra o vidro de casa, o mst, merece apanhar (no mínimo ser preso) e assim aprender uma grande lição na vida de um homem, não conseguimos nada no grito e no choro, e sim na luta diária, no suor do trabalho, no esforço e na cotenção de gastos. Mas no final todo mundo quer tudo de mão beijada…
    E não, não existem várias váriaveis, existe o certo e o errado e ponto. Que cada um seja homem de assumir seus erros…

  • Ricardo

    A estória até que é divertida, mas o vídeo é fake…

  • Ricardo

    A estória até que é divertida, mas o vídeo é fake…

  • Ricardo

    A estória até que é divertida, mas o vídeo é fake…

  • Ricardo

    A estória até que é divertida, mas o vídeo é fake…

  • Jefferson

    Pelo o que eu entendi, o MST recebe milhões de reais todos os anos e a maioria deles continua na miséria. Acho que tá óbvio que essas instituições de ajuda ao MST tem corrupção forte no meio, e que qualquer ajuda enviada pra eles vai cair na mão de quem não deve.

  • Jefferson

    Pelo o que eu entendi, o MST recebe milhões de reais todos os anos e a maioria deles continua na miséria. Acho que tá óbvio que essas instituições de ajuda ao MST tem corrupção forte no meio, e que qualquer ajuda enviada pra eles vai cair na mão de quem não deve.

  • Jefferson

    Pelo o que eu entendi, o MST recebe milhões de reais todos os anos e a maioria deles continua na miséria. Acho que tá óbvio que essas instituições de ajuda ao MST tem corrupção forte no meio, e que qualquer ajuda enviada pra eles vai cair na mão de quem não deve.

  • Jefferson

    Pelo o que eu entendi, o MST recebe milhões de reais todos os anos e a maioria deles continua na miséria. Acho que tá óbvio que essas instituições de ajuda ao MST tem corrupção forte no meio, e que qualquer ajuda enviada pra eles vai cair na mão de quem não deve.

  • Marcão, macho-alpha++

    Veja, Arnaldo Jabour, Arthur Vigílio, Folha de São Paulo são os representantes da direita mais raivosa do país. Buscam constantemente uma criminalização dos movimentos sociais e sim, eles desmoralizaram o texto.

    Chamar de terrorismo é uma falácia total. Todo governo é para o povo, mas se o governo não o atende, ele está no direito de remover o governo. E acredite, muita gente não está satisfeita. Especialmente os milhões de pobres e miseráveis. Se a única maneira de mostrar isso é parando o Brasil, que assim seja. A democracia é a ditadura da maioria, uma porcaria, mas no momento o melhor.

    O Brasil é um grande cassino financeiro para o resto do globo. O povo é endividado sem ser consultado para que investidores tragam seu dinheiro especulativo, e tirem a qualquer momento, sem ajudar a produção e isso é uma imundice que todos os governos nos últimos, sei lá, 50 anos aceitam, apóiam e se beneficiam. Uma minoria dominando a maioria, e isso não acaba bem.

    Enfim, texto totalmente superficial sobre algo muito mais profundo que simplesmente “terroristas param o Brasil”.

    Att

    Marcão, macho-alpha++

  • Marcão, macho-alpha++

    Veja, Arnaldo Jabour, Arthur Vigílio, Folha de São Paulo são os representantes da direita mais raivosa do país. Buscam constantemente uma criminalização dos movimentos sociais e sim, eles desmoralizaram o texto.

    Chamar de terrorismo é uma falácia total. Todo governo é para o povo, mas se o governo não o atende, ele está no direito de remover o governo. E acredite, muita gente não está satisfeita. Especialmente os milhões de pobres e miseráveis. Se a única maneira de mostrar isso é parando o Brasil, que assim seja. A democracia é a ditadura da maioria, uma porcaria, mas no momento o melhor.

    O Brasil é um grande cassino financeiro para o resto do globo. O povo é endividado sem ser consultado para que investidores tragam seu dinheiro especulativo, e tirem a qualquer momento, sem ajudar a produção e isso é uma imundice que todos os governos nos últimos, sei lá, 50 anos aceitam, apóiam e se beneficiam. Uma minoria dominando a maioria, e isso não acaba bem.

    Enfim, texto totalmente superficial sobre algo muito mais profundo que simplesmente “terroristas param o Brasil”.

    Att

    Marcão, macho-alpha++

  • Marcão, macho-alpha++

    Veja, Arnaldo Jabour, Arthur Vigílio, Folha de São Paulo são os representantes da direita mais raivosa do país. Buscam constantemente uma criminalização dos movimentos sociais e sim, eles desmoralizaram o texto.

    Chamar de terrorismo é uma falácia total. Todo governo é para o povo, mas se o governo não o atende, ele está no direito de remover o governo. E acredite, muita gente não está satisfeita. Especialmente os milhões de pobres e miseráveis. Se a única maneira de mostrar isso é parando o Brasil, que assim seja. A democracia é a ditadura da maioria, uma porcaria, mas no momento o melhor.

    O Brasil é um grande cassino financeiro para o resto do globo. O povo é endividado sem ser consultado para que investidores tragam seu dinheiro especulativo, e tirem a qualquer momento, sem ajudar a produção e isso é uma imundice que todos os governos nos últimos, sei lá, 50 anos aceitam, apóiam e se beneficiam. Uma minoria dominando a maioria, e isso não acaba bem.

    Enfim, texto totalmente superficial sobre algo muito mais profundo que simplesmente “terroristas param o Brasil”.

    Att

    Marcão, macho-alpha++

  • Marcão, macho-alpha++

    Veja, Arnaldo Jabour, Arthur Vigílio, Folha de São Paulo são os representantes da direita mais raivosa do país. Buscam constantemente uma criminalização dos movimentos sociais e sim, eles desmoralizaram o texto.

    Chamar de terrorismo é uma falácia total. Todo governo é para o povo, mas se o governo não o atende, ele está no direito de remover o governo. E acredite, muita gente não está satisfeita. Especialmente os milhões de pobres e miseráveis. Se a única maneira de mostrar isso é parando o Brasil, que assim seja. A democracia é a ditadura da maioria, uma porcaria, mas no momento o melhor.

    O Brasil é um grande cassino financeiro para o resto do globo. O povo é endividado sem ser consultado para que investidores tragam seu dinheiro especulativo, e tirem a qualquer momento, sem ajudar a produção e isso é uma imundice que todos os governos nos últimos, sei lá, 50 anos aceitam, apóiam e se beneficiam. Uma minoria dominando a maioria, e isso não acaba bem.

    Enfim, texto totalmente superficial sobre algo muito mais profundo que simplesmente “terroristas param o Brasil”.

    Att

    Marcão, macho-alpha++

  • Angelo Reale

    Ler este artigo e todos os comentários me deixa decepcionado com a humanidade.
    Acho que não tenho lido muitas coisas boas ultimamente.
    E acho também que eu não estou só.

    Hoje é domingo e eu acabo de lançar um comentário para perder-se numa rede infinitamente complexa chamada internet.

    Uma simples conjectura me enche de esperanças.

  • Angelo Reale

    Ler este artigo e todos os comentários me deixa decepcionado com a humanidade.
    Acho que não tenho lido muitas coisas boas ultimamente.
    E acho também que eu não estou só.

    Hoje é domingo e eu acabo de lançar um comentário para perder-se numa rede infinitamente complexa chamada internet.

    Uma simples conjectura me enche de esperanças.

  • Angelo Reale

    Ler este artigo e todos os comentários me deixa decepcionado com a humanidade.
    Acho que não tenho lido muitas coisas boas ultimamente.
    E acho também que eu não estou só.

    Hoje é domingo e eu acabo de lançar um comentário para perder-se numa rede infinitamente complexa chamada internet.

    Uma simples conjectura me enche de esperanças.

  • Angelo Reale

    Ler este artigo e todos os comentários me deixa decepcionado com a humanidade.
    Acho que não tenho lido muitas coisas boas ultimamente.
    E acho também que eu não estou só.

    Hoje é domingo e eu acabo de lançar um comentário para perder-se numa rede infinitamente complexa chamada internet.

    Uma simples conjectura me enche de esperanças.

  • luiz

    Bem reacionário seu artigo, meu caro…então os movimentos sociais vão derrubar o Estado, com a ajuda do PT, como vc deixa subentendido e nós viraremos uma República Chavista, rsrs???Muito simplória sua abordagem sobre um tema tão complexo…a única coisa que eu concordo com vc é de que as leis vigentes no Pais sejam cumpridas, não importa quem faça a merda, seja MST ou va la o que…de resto, um artigo que parece escrito por algum quatrocentão paulistano preocupado pelo “caos” causado pelas reivindicações daquela subraça mestiça que só serve como mão de obra…parabéns ,vc realmente tem uma perfeita compreensão do processo histórico…nada como ser aqueles 10% da população que detêm a renda nacional…pra que mudar o status quo, né…time que ta ganhando não se mexe e danem-se os outros,afinal aqui é capitalismo,hehe…
    abs

  • luiz

    Bem reacionário seu artigo, meu caro…então os movimentos sociais vão derrubar o Estado, com a ajuda do PT, como vc deixa subentendido e nós viraremos uma República Chavista, rsrs???Muito simplória sua abordagem sobre um tema tão complexo…a única coisa que eu concordo com vc é de que as leis vigentes no Pais sejam cumpridas, não importa quem faça a merda, seja MST ou va la o que…de resto, um artigo que parece escrito por algum quatrocentão paulistano preocupado pelo “caos” causado pelas reivindicações daquela subraça mestiça que só serve como mão de obra…parabéns ,vc realmente tem uma perfeita compreensão do processo histórico…nada como ser aqueles 10% da população que detêm a renda nacional…pra que mudar o status quo, né…time que ta ganhando não se mexe e danem-se os outros,afinal aqui é capitalismo,hehe…
    abs

  • luiz

    Bem reacionário seu artigo, meu caro…então os movimentos sociais vão derrubar o Estado, com a ajuda do PT, como vc deixa subentendido e nós viraremos uma República Chavista, rsrs???Muito simplória sua abordagem sobre um tema tão complexo…a única coisa que eu concordo com vc é de que as leis vigentes no Pais sejam cumpridas, não importa quem faça a merda, seja MST ou va la o que…de resto, um artigo que parece escrito por algum quatrocentão paulistano preocupado pelo “caos” causado pelas reivindicações daquela subraça mestiça que só serve como mão de obra…parabéns ,vc realmente tem uma perfeita compreensão do processo histórico…nada como ser aqueles 10% da população que detêm a renda nacional…pra que mudar o status quo, né…time que ta ganhando não se mexe e danem-se os outros,afinal aqui é capitalismo,hehe…
    abs

  • luiz

    Bem reacionário seu artigo, meu caro…então os movimentos sociais vão derrubar o Estado, com a ajuda do PT, como vc deixa subentendido e nós viraremos uma República Chavista, rsrs???Muito simplória sua abordagem sobre um tema tão complexo…a única coisa que eu concordo com vc é de que as leis vigentes no Pais sejam cumpridas, não importa quem faça a merda, seja MST ou va la o que…de resto, um artigo que parece escrito por algum quatrocentão paulistano preocupado pelo “caos” causado pelas reivindicações daquela subraça mestiça que só serve como mão de obra…parabéns ,vc realmente tem uma perfeita compreensão do processo histórico…nada como ser aqueles 10% da população que detêm a renda nacional…pra que mudar o status quo, né…time que ta ganhando não se mexe e danem-se os outros,afinal aqui é capitalismo,hehe…
    abs

  • Luiz Manoel

    Pelo que me lembro, a Veja apoiou o Lula em 2002. Senão apoiou eu fiquei doido memso….

    Falar que o MST está no direito de fazer o que faz é simplesmente rasgar a cosntituição federal.

    Se eles achavam que os governos militares e da”direita” eram ruins, o que falar do governo atual que nada fez pra resolver o problema, a não ser manter a situação problemática para uso em futuras campanhas…

    Tenso…

  • Luiz Manoel

    Pelo que me lembro, a Veja apoiou o Lula em 2002. Senão apoiou eu fiquei doido memso….

    Falar que o MST está no direito de fazer o que faz é simplesmente rasgar a cosntituição federal.

    Se eles achavam que os governos militares e da”direita” eram ruins, o que falar do governo atual que nada fez pra resolver o problema, a não ser manter a situação problemática para uso em futuras campanhas…

    Tenso…

  • Luiz Manoel

    Pelo que me lembro, a Veja apoiou o Lula em 2002. Senão apoiou eu fiquei doido memso….

    Falar que o MST está no direito de fazer o que faz é simplesmente rasgar a cosntituição federal.

    Se eles achavam que os governos militares e da”direita” eram ruins, o que falar do governo atual que nada fez pra resolver o problema, a não ser manter a situação problemática para uso em futuras campanhas…

    Tenso…

  • Luiz Manoel

    Pelo que me lembro, a Veja apoiou o Lula em 2002. Senão apoiou eu fiquei doido memso….

    Falar que o MST está no direito de fazer o que faz é simplesmente rasgar a cosntituição federal.

    Se eles achavam que os governos militares e da”direita” eram ruins, o que falar do governo atual que nada fez pra resolver o problema, a não ser manter a situação problemática para uso em futuras campanhas…

    Tenso…

  • Dr Health

    Rodrigo, da próxima vez baseie-se no vermelho.org e na Carta Capital, para “evitar as críticas” [/ironic]

  • Dr Health

    Rodrigo, da próxima vez baseie-se no vermelho.org e na Carta Capital, para “evitar as críticas” [/ironic]

  • Dr Health

    Rodrigo, da próxima vez baseie-se no vermelho.org e na Carta Capital, para “evitar as críticas” [/ironic]

  • Dr Health

    Rodrigo, da próxima vez baseie-se no vermelho.org e na Carta Capital, para “evitar as críticas” [/ironic]

  • http://www.google.com.br/ Político Honesto

    A questão do país não PT, não é MST, não é DEM, não é Dilma, cadê a democracia? Falamos de jornais/revistas que mostram o que é de interesse, temos várias CPI’s que só acabam em pizza, sai governo e entra governo e a corrupção continua. Não adianta defender partido pois a corrupção está impregnada na sociedade, é a famosa política do pão e circo. Vamos ver se em 2010 todo mundo vote nulo, façamos igual a argentina, vamos correr atrás do prejuízo pois este Brasil ainda é colônia.
    Tem castelo, tem mensalão, dinheiro na cueca, e muita pizza!

  • http://www.google.com.br/ Político Honesto

    A questão do país não PT, não é MST, não é DEM, não é Dilma, cadê a democracia? Falamos de jornais/revistas que mostram o que é de interesse, temos várias CPI’s que só acabam em pizza, sai governo e entra governo e a corrupção continua. Não adianta defender partido pois a corrupção está impregnada na sociedade, é a famosa política do pão e circo. Vamos ver se em 2010 todo mundo vote nulo, façamos igual a argentina, vamos correr atrás do prejuízo pois este Brasil ainda é colônia.
    Tem castelo, tem mensalão, dinheiro na cueca, e muita pizza!

  • http://www.google.com.br/ Político Honesto

    A questão do país não PT, não é MST, não é DEM, não é Dilma, cadê a democracia? Falamos de jornais/revistas que mostram o que é de interesse, temos várias CPI’s que só acabam em pizza, sai governo e entra governo e a corrupção continua. Não adianta defender partido pois a corrupção está impregnada na sociedade, é a famosa política do pão e circo. Vamos ver se em 2010 todo mundo vote nulo, façamos igual a argentina, vamos correr atrás do prejuízo pois este Brasil ainda é colônia.
    Tem castelo, tem mensalão, dinheiro na cueca, e muita pizza!

  • http://www.google.com.br Político Honesto

    A questão do país não PT, não é MST, não é DEM, não é Dilma, cadê a democracia? Falamos de jornais/revistas que mostram o que é de interesse, temos várias CPI’s que só acabam em pizza, sai governo e entra governo e a corrupção continua. Não adianta defender partido pois a corrupção está impregnada na sociedade, é a famosa política do pão e circo. Vamos ver se em 2010 todo mundo vote nulo, façamos igual a argentina, vamos correr atrás do prejuízo pois este Brasil ainda é colônia.
    Tem castelo, tem mensalão, dinheiro na cueca, e muita pizza!

  • Diga

    O povo tem o direito de retirar o governo vigente do poder. É nessa idéia que esses movimentos se agarram. Porém, para remover um governo, é preciso que a maioria da população de um país esteja disposta a lutar por isso, ir para as ruas e protestar, fazer sua mensagem ser ouvida.
    Acontece que eles sabem que não têm o apoio do povo brasileiro. Eles são minoria. Sendo assim, para que a mensagem e reivindicações deles sejam ouvidas, só lhes resta apelar para a ignorância. Depredando, inclusive, patrimônios importantes para povo. Estão numa linha tênue entre o que é protesto e terrorismo.
    Tomara que desse movimento não saia outro grupo mais radical ainda (FARC, alguém?); o que não seria difícil, pelo andar da carruagem.

  • Diga

    O povo tem o direito de retirar o governo vigente do poder. É nessa idéia que esses movimentos se agarram. Porém, para remover um governo, é preciso que a maioria da população de um país esteja disposta a lutar por isso, ir para as ruas e protestar, fazer sua mensagem ser ouvida.
    Acontece que eles sabem que não têm o apoio do povo brasileiro. Eles são minoria. Sendo assim, para que a mensagem e reivindicações deles sejam ouvidas, só lhes resta apelar para a ignorância. Depredando, inclusive, patrimônios importantes para povo. Estão numa linha tênue entre o que é protesto e terrorismo.
    Tomara que desse movimento não saia outro grupo mais radical ainda (FARC, alguém?); o que não seria difícil, pelo andar da carruagem.

  • Diga

    O povo tem o direito de retirar o governo vigente do poder. É nessa idéia que esses movimentos se agarram. Porém, para remover um governo, é preciso que a maioria da população de um país esteja disposta a lutar por isso, ir para as ruas e protestar, fazer sua mensagem ser ouvida.
    Acontece que eles sabem que não têm o apoio do povo brasileiro. Eles são minoria. Sendo assim, para que a mensagem e reivindicações deles sejam ouvidas, só lhes resta apelar para a ignorância. Depredando, inclusive, patrimônios importantes para povo. Estão numa linha tênue entre o que é protesto e terrorismo.
    Tomara que desse movimento não saia outro grupo mais radical ainda (FARC, alguém?); o que não seria difícil, pelo andar da carruagem.

  • Diga

    O povo tem o direito de retirar o governo vigente do poder. É nessa idéia que esses movimentos se agarram. Porém, para remover um governo, é preciso que a maioria da população de um país esteja disposta a lutar por isso, ir para as ruas e protestar, fazer sua mensagem ser ouvida.
    Acontece que eles sabem que não têm o apoio do povo brasileiro. Eles são minoria. Sendo assim, para que a mensagem e reivindicações deles sejam ouvidas, só lhes resta apelar para a ignorância. Depredando, inclusive, patrimônios importantes para povo. Estão numa linha tênue entre o que é protesto e terrorismo.
    Tomara que desse movimento não saia outro grupo mais radical ainda (FARC, alguém?); o que não seria difícil, pelo andar da carruagem.

  • Leandro

    Incauto Luiz Manoel,
    Pode ficar tranquilo que você não está doido, não.
    Só é desinformado, mas isso se resolve procurando se informar em vez de bancar o orador/escritor de boteco, a exemplo do que fez o autor deste texto maniqueista e unidimensional, bem ao gosto de quem está no quentinho de sua casa e não entende como é que “aquela ralé feia, suja e malvada” se atreve a reivindicar algo por meio de vias legítimas e eficazes para chamar a atenção às suas justíssimas causas.

  • Leandro

    Incauto Luiz Manoel,
    Pode ficar tranquilo que você não está doido, não.
    Só é desinformado, mas isso se resolve procurando se informar em vez de bancar o orador/escritor de boteco, a exemplo do que fez o autor deste texto maniqueista e unidimensional, bem ao gosto de quem está no quentinho de sua casa e não entende como é que “aquela ralé feia, suja e malvada” se atreve a reivindicar algo por meio de vias legítimas e eficazes para chamar a atenção às suas justíssimas causas.

  • Leandro

    Incauto Luiz Manoel,
    Pode ficar tranquilo que você não está doido, não.
    Só é desinformado, mas isso se resolve procurando se informar em vez de bancar o orador/escritor de boteco, a exemplo do que fez o autor deste texto maniqueista e unidimensional, bem ao gosto de quem está no quentinho de sua casa e não entende como é que “aquela ralé feia, suja e malvada” se atreve a reivindicar algo por meio de vias legítimas e eficazes para chamar a atenção às suas justíssimas causas.

  • Leandro

    Incauto Luiz Manoel,
    Pode ficar tranquilo que você não está doido, não.
    Só é desinformado, mas isso se resolve procurando se informar em vez de bancar o orador/escritor de boteco, a exemplo do que fez o autor deste texto maniqueista e unidimensional, bem ao gosto de quem está no quentinho de sua casa e não entende como é que “aquela ralé feia, suja e malvada” se atreve a reivindicar algo por meio de vias legítimas e eficazes para chamar a atenção às suas justíssimas causas.

  • Marcus

    E foi com “reações indignadas de cidadãos de bem”, como a do douto autor desta brilhante peça jornalística, que começou o golpe de 1964.

    Será que o culto apreciador de motores potentes (!!!) já ouviu falar da “Marcha da Família com Deus pela Liberdade”, que a classe média paulista fez para demonstrar resistência ao avaço comunista (leia-se: movimentos sociais) e que nos afundaram em mais de duas décadas de ditadura militar e repressão política?

    Um merda como esse deveria tentar ler ao menos um livro de História do Brasil antes de escreverem tanta baboseira. E para o site: uma vergonha!!!

  • Marcus

    E foi com “reações indignadas de cidadãos de bem”, como a do douto autor desta brilhante peça jornalística, que começou o golpe de 1964.

    Será que o culto apreciador de motores potentes (!!!) já ouviu falar da “Marcha da Família com Deus pela Liberdade”, que a classe média paulista fez para demonstrar resistência ao avaço comunista (leia-se: movimentos sociais) e que nos afundaram em mais de duas décadas de ditadura militar e repressão política?

    Um merda como esse deveria tentar ler ao menos um livro de História do Brasil antes de escreverem tanta baboseira. E para o site: uma vergonha!!!

  • Marcus

    E foi com “reações indignadas de cidadãos de bem”, como a do douto autor desta brilhante peça jornalística, que começou o golpe de 1964.

    Será que o culto apreciador de motores potentes (!!!) já ouviu falar da “Marcha da Família com Deus pela Liberdade”, que a classe média paulista fez para demonstrar resistência ao avaço comunista (leia-se: movimentos sociais) e que nos afundaram em mais de duas décadas de ditadura militar e repressão política?

    Um merda como esse deveria tentar ler ao menos um livro de História do Brasil antes de escreverem tanta baboseira. E para o site: uma vergonha!!!

  • Marcus

    E foi com “reações indignadas de cidadãos de bem”, como a do douto autor desta brilhante peça jornalística, que começou o golpe de 1964.

    Será que o culto apreciador de motores potentes (!!!) já ouviu falar da “Marcha da Família com Deus pela Liberdade”, que a classe média paulista fez para demonstrar resistência ao avaço comunista (leia-se: movimentos sociais) e que nos afundaram em mais de duas décadas de ditadura militar e repressão política?

    Um merda como esse deveria tentar ler ao menos um livro de História do Brasil antes de escreverem tanta baboseira. E para o site: uma vergonha!!!

  • Bruno

    Artigo de uma profundidade tamanha, que deixa minhas canelas em sopa.

    Pena o PdH (é o erro de muitos blogs dito de “variedades”) se enveredar em assuntos um pouco mais “complicados” de se abordar, à exemplo o debate dos movimetos sociais no Brasil.

    O resultado: textos de má qualidade, que se resumem à uma coleta esparsa de informações, e com uma conclusão de dois ou mais parágrafos, nada mais que puras ilações do autor.

    Mas por fim, temos um saldo positivo: o sr. Rodrigo Almeidar se demonstra apto a se candidatar assessor da senadora Kátia Abreu (aquela que tentou abrir uma CPI por causa de uma matéria da Veja). Boa Sorte! Aposto que o salário não é dos piores.

  • Bruno

    Artigo de uma profundidade tamanha, que deixa minhas canelas em sopa.

    Pena o PdH (é o erro de muitos blogs dito de “variedades”) se enveredar em assuntos um pouco mais “complicados” de se abordar, à exemplo o debate dos movimetos sociais no Brasil.

    O resultado: textos de má qualidade, que se resumem à uma coleta esparsa de informações, e com uma conclusão de dois ou mais parágrafos, nada mais que puras ilações do autor.

    Mas por fim, temos um saldo positivo: o sr. Rodrigo Almeidar se demonstra apto a se candidatar assessor da senadora Kátia Abreu (aquela que tentou abrir uma CPI por causa de uma matéria da Veja). Boa Sorte! Aposto que o salário não é dos piores.

  • Bruno

    Artigo de uma profundidade tamanha, que deixa minhas canelas em sopa.

    Pena o PdH (é o erro de muitos blogs dito de “variedades”) se enveredar em assuntos um pouco mais “complicados” de se abordar, à exemplo o debate dos movimetos sociais no Brasil.

    O resultado: textos de má qualidade, que se resumem à uma coleta esparsa de informações, e com uma conclusão de dois ou mais parágrafos, nada mais que puras ilações do autor.

    Mas por fim, temos um saldo positivo: o sr. Rodrigo Almeidar se demonstra apto a se candidatar assessor da senadora Kátia Abreu (aquela que tentou abrir uma CPI por causa de uma matéria da Veja). Boa Sorte! Aposto que o salário não é dos piores.

  • Bruno

    Artigo de uma profundidade tamanha, que deixa minhas canelas em sopa.

    Pena o PdH (é o erro de muitos blogs dito de “variedades”) se enveredar em assuntos um pouco mais “complicados” de se abordar, à exemplo o debate dos movimetos sociais no Brasil.

    O resultado: textos de má qualidade, que se resumem à uma coleta esparsa de informações, e com uma conclusão de dois ou mais parágrafos, nada mais que puras ilações do autor.

    Mas por fim, temos um saldo positivo: o sr. Rodrigo Almeidar se demonstra apto a se candidatar assessor da senadora Kátia Abreu (aquela que tentou abrir uma CPI por causa de uma matéria da Veja). Boa Sorte! Aposto que o salário não é dos piores.

  • Pingback: Tweets that mention O dia em que o Brasil quase parou – Parte 2 | Papo de Homem – Lifestyle Magazine -- Topsy.com

  • Bruno Cabral

    Cuidado com o q vc publica. Vc só esta ecoando o q a velha mídia reproduz. E lembre-se os comentários Jabor foram que deram origem a sigla PIG (partido da imprensa golpista). Não seja apenas um ecoador pesquise melhor e olhe bem para que lado vc vai, pois o PIG esta cada vez mais em declínio.

  • Bruno Cabral

    Cuidado com o q vc publica. Vc só esta ecoando o q a velha mídia reproduz. E lembre-se os comentários Jabor foram que deram origem a sigla PIG (partido da imprensa golpista). Não seja apenas um ecoador pesquise melhor e olhe bem para que lado vc vai, pois o PIG esta cada vez mais em declínio.

  • Bruno Cabral

    Cuidado com o q vc publica. Vc só esta ecoando o q a velha mídia reproduz. E lembre-se os comentários Jabor foram que deram origem a sigla PIG (partido da imprensa golpista). Não seja apenas um ecoador pesquise melhor e olhe bem para que lado vc vai, pois o PIG esta cada vez mais em declínio.

  • Bruno Cabral

    Cuidado com o q vc publica. Vc só esta ecoando o q a velha mídia reproduz. E lembre-se os comentários Jabor foram que deram origem a sigla PIG (partido da imprensa golpista). Não seja apenas um ecoador pesquise melhor e olhe bem para que lado vc vai, pois o PIG esta cada vez mais em declínio.

  • http://brasileirototal.blogspot.com/ Alex Rusenhack

    Prezados amigos,

    Venho declarar minha gratidão pela publicação deste artigo. Porque é sim tendencioso, polarizado, e esta condição foi capaz de gerar um potencial energético para a movimentação das idéias. Isto é, causou o desequilíbrio no meio, o como enunciado por Le Chatelier, em resumo: O meio perturbado tende ao equilíbrio. A evolução está justamente neste fato, porque o equilíbrio pode se dar em um estado de maior estabilidade.

    Quero dizer com toda esta filosofia, que a preguiça mental foi deixada de lado. Somos agora obrigados a pensar, refletir, sobre o conteúdo aqui abordado. É uma grande oportunidade para criar-mos, juntos, uma solução para tais problemas. E funciona assim a democracia.

    Porém, agora que sabemos disto, não nos cabe ficar julgando com os nossos achismos, também polarizados. Nos cabe fazer uma simples pergunta:

    O que fazemos de concreto para mudar esta realidade?

    Não respondam aqui, respondam internamente, reflitam. Mas saibam que não dá para viver apenas no mundo de Platão, o mundo das idéias. Mas o mundo de Sócrates é totalmente toleravel, porque é o trabalho na realidade, rumo a expansão para a verdade plena.

  • http://brasileirototal.blogspot.com Alex Rusenhack

    Prezados amigos,

    Venho declarar minha gratidão pela publicação deste artigo. Porque é sim tendencioso, polarizado, e esta condição foi capaz de gerar um potencial energético para a movimentação das idéias. Isto é, causou o desequilíbrio no meio, o como enunciado por Le Chatelier, em resumo: O meio perturbado tende ao equilíbrio. A evolução está justamente neste fato, porque o equilíbrio pode se dar em um estado de maior estabilidade.

    Quero dizer com toda esta filosofia, que a preguiça mental foi deixada de lado. Somos agora obrigados a pensar, refletir, sobre o conteúdo aqui abordado. É uma grande oportunidade para criar-mos, juntos, uma solução para tais problemas. E funciona assim a democracia.

    Porém, agora que sabemos disto, não nos cabe ficar julgando com os nossos achismos, também polarizados. Nos cabe fazer uma simples pergunta:

    O que fazemos de concreto para mudar esta realidade?

    Não respondam aqui, respondam internamente, reflitam. Mas saibam que não dá para viver apenas no mundo de Platão, o mundo das idéias. Mas o mundo de Sócrates é totalmente toleravel, porque é o trabalho na realidade, rumo a expansão para a verdade plena.

  • Manuel Radaelli

    #32 – João Marco

    “não existem várias váriaveis, existe o certo e o errado e ponto.”
    quem determina o certo e o errado? é quem cria as leis? mas peraí .. quem cria as leis? LoL

    “Que cada um seja homem de assumir seus erros…”

    Resumindo: “não há certo ou errado, apenas a conseqüência dos seus atos”. Afinal de contas, sempre haverá uma maioria (as vezes em questão de poder, as vezes em questão de números mesmo) impondo o que é certo ou errado e outra minoria que acha que o padrão certo/errado é outra coisa, mas no final das contas sempre haverão as conseqüências!

    #35 – Marcão, macho-alpha++

    “O Brasil é um grande cassino financeiro para o resto do globo. O povo é endividado sem ser consultado para que investidores tragam seu dinheiro especulativo, e tirem a qualquer momento” …

    disse tudo … até lembrei de uma música: http://letras.terra.com.br/cazuza/7246/

    No final das contas, tudo acaba em um jogo de interesses onde aquele(s) que souber(em) jogar melhor, saem com seus interresses alcançados. A China impede empresas de permearem seus territórios e impõe barreiras a muita coisa, ainda … mas ,ainda assim, há muitos cidadãos chineses que são esquecidos em seus trabalhos “escravos” ou, até mesmo se levar para o lado dos esportes: quem ainda não viu as crianças sendo forçadas a rigorosos treinos físicos para as olimpiadas?

    Retomando meu ponto de vista: tudo é questão de interesse! Sempre haverá alguém descontente com algo, sempre haverá uma “Veja” na direita e uma “Carta Capital” do outro lado. Mas acredito que há um jeito de fazer com que todo mundo, mesmo não gostando de algo, ao invés de puxar a corrente pro seu lado, empurre para um BEM COMUM. Um ótimo exemplo é um país vizinho muito parecido ao nosso, o Chile: era colônia exploradora, após a independencia passou para uma elite latifundiária, passou por trancos e barrancos com uma ditadura militar a là pinochet e outras tantas agruras, hoje está entre os países com melhor IDH da América Latina, é um país de certa estabilidade e seus políticos mesmo sendo de direita, de centro ou esquerda aparentemente trabalham em cooperação para o bem comum.

    Há casos de corrupção por lá também, e sempre haverá, mas a resposta há corrupção não é como aqui no Brasil (“Chile é líder em combate à corrupção na América Latina” – http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u588026.shtml e “Corrupção no Brasil” – http://www.overmundo.com.br/overblog/a-corrupcao-no-brasil)… o que faz com que lá haja muito mais GOVERNABILIDADE (quando um país é mais fácil de governar, notariamente não significa que há um maior percentual populacional contente com o “status” em vigor?) do que aqui.

    Agora, ainda comparando os dois haverá os mais incautos que dirão que mesmo assim o Brasil é melhor, porque cresceu mais economicamente (http://pedalaoposicao.blogspot.com/2006/04/o-pib-brasil-e-amrica-latina.html). Mas parem um pouco, peguem um mapa mundi e vejam o tamanho do Brasil e o tamanho do Chile, informem-se sobre qual a possível produtividade de um e o de outro, com quanto a carga tributária contribui para o PIB em um e em outro (http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2009/05/090519_cepal_mc_ac.shtml) e tantas outras variáveis. Eu concluo que o Brasil realmente cresceu e isso é bom, claro!(http://dialogospoliticos.wordpress.com/2009/07/13/participacao-do-pib-do-brasil-na-al-deve-crescer/) … mas qual a capacidade ele teria de crescer se ele não tivesse tanta riqueza populacional, territorial, natural, mineral e tantas outras? Uma hora essa riqueza poderá findar e talvez um discurso de que a economia do país cresceu não será mais possível para mascarar o que acontece em outras áreas tão ou mais importantes que a economia.

    Enfim, acredito que a corrupção que vem fazendo com que quando alguém está descontente de algo fique de bico fechado por lucro próprio é o que está levando o Brasil ao rumo que se segue (inclua tanto a sonegação do IR como as meias de dinheiro). Temos que mudar isso e é possível (http://www.wharton.universia.net/index.cfm?fa=viewArticle&id=1000&language=portuguese), mas não será da noite pro dia e também não será quebrando infraestruras que beneficiam o bem-estar geral da população, talvez nem mesmo o seja, optando por um ou outro político (caso ambos sejam ruins), mas temos que lançar mão das melhores capacidades que o ser humano pode possuir: a adaptabilidade e a sabedoria, utilizando-as a nosso favor para perceber o que é melhor e para aguentar o tranco enquanto o potencial vira algo REAL.

    E no final, não esqueçam: jamais descancem sobre os louros conquistados.

  • Manuel Radaelli

    #32 – João Marco

    “não existem várias váriaveis, existe o certo e o errado e ponto.”
    quem determina o certo e o errado? é quem cria as leis? mas peraí .. quem cria as leis? LoL

    “Que cada um seja homem de assumir seus erros…”

    Resumindo: “não há certo ou errado, apenas a conseqüência dos seus atos”. Afinal de contas, sempre haverá uma maioria (as vezes em questão de poder, as vezes em questão de números mesmo) impondo o que é certo ou errado e outra minoria que acha que o padrão certo/errado é outra coisa, mas no final das contas sempre haverão as conseqüências!

    #35 – Marcão, macho-alpha++

    “O Brasil é um grande cassino financeiro para o resto do globo. O povo é endividado sem ser consultado para que investidores tragam seu dinheiro especulativo, e tirem a qualquer momento” …

    disse tudo … até lembrei de uma música: http://letras.terra.com.br/cazuza/7246/

    No final das contas, tudo acaba em um jogo de interesses onde aquele(s) que souber(em) jogar melhor, saem com seus interresses alcançados. A China impede empresas de permearem seus territórios e impõe barreiras a muita coisa, ainda … mas ,ainda assim, há muitos cidadãos chineses que são esquecidos em seus trabalhos “escravos” ou, até mesmo se levar para o lado dos esportes: quem ainda não viu as crianças sendo forçadas a rigorosos treinos físicos para as olimpiadas?

    Retomando meu ponto de vista: tudo é questão de interesse! Sempre haverá alguém descontente com algo, sempre haverá uma “Veja” na direita e uma “Carta Capital” do outro lado. Mas acredito que há um jeito de fazer com que todo mundo, mesmo não gostando de algo, ao invés de puxar a corrente pro seu lado, empurre para um BEM COMUM. Um ótimo exemplo é um país vizinho muito parecido ao nosso, o Chile: era colônia exploradora, após a independencia passou para uma elite latifundiária, passou por trancos e barrancos com uma ditadura militar a là pinochet e outras tantas agruras, hoje está entre os países com melhor IDH da América Latina, é um país de certa estabilidade e seus políticos mesmo sendo de direita, de centro ou esquerda aparentemente trabalham em cooperação para o bem comum.

    Há casos de corrupção por lá também, e sempre haverá, mas a resposta há corrupção não é como aqui no Brasil (“Chile é líder em combate à corrupção na América Latina” – http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u588026.shtml e “Corrupção no Brasil” – http://www.overmundo.com.br/overblog/a-corrupcao-no-brasil)… o que faz com que lá haja muito mais GOVERNABILIDADE (quando um país é mais fácil de governar, notariamente não significa que há um maior percentual populacional contente com o “status” em vigor?) do que aqui.

    Agora, ainda comparando os dois haverá os mais incautos que dirão que mesmo assim o Brasil é melhor, porque cresceu mais economicamente (http://pedalaoposicao.blogspot.com/2006/04/o-pib-brasil-e-amrica-latina.html). Mas parem um pouco, peguem um mapa mundi e vejam o tamanho do Brasil e o tamanho do Chile, informem-se sobre qual a possível produtividade de um e o de outro, com quanto a carga tributária contribui para o PIB em um e em outro (http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2009/05/090519_cepal_mc_ac.shtml) e tantas outras variáveis. Eu concluo que o Brasil realmente cresceu e isso é bom, claro!(http://dialogospoliticos.wordpress.com/2009/07/13/participacao-do-pib-do-brasil-na-al-deve-crescer/) … mas qual a capacidade ele teria de crescer se ele não tivesse tanta riqueza populacional, territorial, natural, mineral e tantas outras? Uma hora essa riqueza poderá findar e talvez um discurso de que a economia do país cresceu não será mais possível para mascarar o que acontece em outras áreas tão ou mais importantes que a economia.

    Enfim, acredito que a corrupção que vem fazendo com que quando alguém está descontente de algo fique de bico fechado por lucro próprio é o que está levando o Brasil ao rumo que se segue (inclua tanto a sonegação do IR como as meias de dinheiro). Temos que mudar isso e é possível (http://www.wharton.universia.net/index.cfm?fa=viewArticle&id=1000&language=portuguese), mas não será da noite pro dia e também não será quebrando infraestruras que beneficiam o bem-estar geral da população, talvez nem mesmo o seja, optando por um ou outro político (caso ambos sejam ruins), mas temos que lançar mão das melhores capacidades que o ser humano pode possuir: a adaptabilidade e a sabedoria, utilizando-as a nosso favor para perceber o que é melhor e para aguentar o tranco enquanto o potencial vira algo REAL.

    E no final, não esqueçam: jamais descancem sobre os louros conquistados.

  • James Snorkel Julius

    Gostei muito do artigo e da forma como ele levanta a questão e gera discussão.

    Embora ele levante a bola, nenhum texto, por melhor q seja o escritor, será capaz de cortar e encerrar o assunto e muito menos de expor todos os lados e possíveis visões.

    O tema é muito complexo e se o autor tentasse agradar gregos e troianos com certeza o texto ficaria horrível.

    Aos que têm opinião contrária, que escrevam um texto mostrando o outro lado da moeda, o lado anti-veja, que mostra algum bom motivo para esses atos.

    Eu ficaria imensamente feliz em entender o que motiva isso tudo porque eu só enxergo ignorância, desordem e vandalismo (ao invés de me chamar de cego e me ofender, por favor, me abra os olhos ao outro lado ).

  • James Snorkel Julius

    Gostei muito do artigo e da forma como ele levanta a questão e gera discussão.

    Embora ele levante a bola, nenhum texto, por melhor q seja o escritor, será capaz de cortar e encerrar o assunto e muito menos de expor todos os lados e possíveis visões.

    O tema é muito complexo e se o autor tentasse agradar gregos e troianos com certeza o texto ficaria horrível.

    Aos que têm opinião contrária, que escrevam um texto mostrando o outro lado da moeda, o lado anti-veja, que mostra algum bom motivo para esses atos.

    Eu ficaria imensamente feliz em entender o que motiva isso tudo porque eu só enxergo ignorância, desordem e vandalismo (ao invés de me chamar de cego e me ofender, por favor, me abra os olhos ao outro lado ).

  • Bruno Cabral

    Caro James Snorkel Julius. Falar mal da veja é fácil. Digite no google (o caso veja). O texto é do jornalista Nassif amplamente divulgado no mundo acadêmico e é da um perfil do que representa a revista Veja. Meu caro saia dessa Matix da velha mídia.

  • Bruno Cabral

    Caro James Snorkel Julius. Falar mal da veja é fácil. Digite no google (o caso veja). O texto é do jornalista Nassif amplamente divulgado no mundo acadêmico e é da um perfil do que representa a revista Veja. Meu caro saia dessa Matix da velha mídia.

  • Marcus

    @ #48 – James Snorkel Julius:

    Discordo de você quanto ao artigo, que entendo ser péssimo e pernicioso, ainda mais em um país ainda não formado politicamente como o Brasil. Mas concordo que o contraponto deveria ser feito com explicações sobre o porque desses atos que para nós – em sua maioria classe média urbana – parecem tão absurdos.

    Então vou te contar: esses movimentos sociais são pura “ignorância, desordem e vandalismo” porque é assim que a mídia quer que você os veja. Você é exposto a informações tendenciosas, incompletas e falsas, com o intuito exatamente de que você chegue a essa conclusão por si mesmo. A mídia não vai te dizer o que pensar. Ela vai expor os fatos de uma forma que você não tenha alternativa senão concluir da forma que a interessa. E o que é pior: você vai achar que chegou a essa conclusão por si mesmo. Como diz o ditado: “O maior truque do Diabo foi fazer todos acreditarem que ele não existe”.

    Quer saber como são os movimentos sociais: vá a um acampamento de sem-terra. Visite uma pastoral da CNBB. Veja se quem lá estão são desordeiros ou pessoas desprovidas de tudo, lutando por um mínimo de dignidade e justiça nesse país.

    Aí você pergunta: mas porque não o fazem de forma ordeira, sem invasões e quebra-quebra. E eu respondo: porque na história do mundo os capitalistas e donos do poder jamais cederam sem que a pressão se tornasse insustentável. Ora, você acha mesmo que alguém consegue algo de um Estado elitista e desigual como o nosso pedindo por favor? Por favor…

    A luta de classes não é nova. Marx já alertava há 150 anos. O que hoje parece direito óbvio, como o voto universal e o direito de greve, nasceu da luta de classes – e pode ter certeza que aqueles que lutaram por direitos tão fundamentais foram também tachados como “baderneiros” em seu tempo.

    Quer mais um exemplo: aposto que seu pai (ou avô, dependendo da sua idade), já leu ou viu alguém ler um jornal durante a ditadura militar e dizer: “ainda bem que a polícia desce o cacete nesses baderneiros da UNE”. Pois não é que foram justamente esses “baderneiros” os mártires da liberdade que hoje desfrutamos? Sem contar os que sobreviveram e viraram políticos respeitados, como o próprio José Serra, ex-presidente da UNE (nota: não que isso melhore minha opinião sobre ele).

    Quer um exemplo recente: todo mundo ficou estupefato quando viu integrantes do MST destruindo laranjais em uma fazenda dita “privada” no interior de São Paulo. Até eu me indignei e soltei o meu “que absurdo” junto com o Boris Casoy (eca!). Mas a história que a mídia – protetora dos interesses capitalistas e financiada por eles – não conta é, justamente, que aquelas terras foram GRILADAS pela Cutrale. Isso mesmo que você leu: aquelas terras são da União. Então o que se poderia ter dito, se alguém se desse ao trabalho de ouvir o lado dos manifestantes, é que ali se praticava um ato patriótico de retomada do patrimônio público das mãos de uma multinacional usurpadora. Mas, ao invés disso, apenas mostram “ignorância, desordem e vandalismo”.

    Antes que esse texto fique longo demais, quero dizer apenas que todo movimento social sempre gerará uma resposta muito mais violenta, onde o que se agride é a verdade e a imparcialidade.

    Cumpre-nos tentar entender a verdade para não servir de massa de manobra da elite.

  • Marcus

    @ #48 – James Snorkel Julius:

    Discordo de você quanto ao artigo, que entendo ser péssimo e pernicioso, ainda mais em um país ainda não formado politicamente como o Brasil. Mas concordo que o contraponto deveria ser feito com explicações sobre o porque desses atos que para nós – em sua maioria classe média urbana – parecem tão absurdos.

    Então vou te contar: esses movimentos sociais são pura “ignorância, desordem e vandalismo” porque é assim que a mídia quer que você os veja. Você é exposto a informações tendenciosas, incompletas e falsas, com o intuito exatamente de que você chegue a essa conclusão por si mesmo. A mídia não vai te dizer o que pensar. Ela vai expor os fatos de uma forma que você não tenha alternativa senão concluir da forma que a interessa. E o que é pior: você vai achar que chegou a essa conclusão por si mesmo. Como diz o ditado: “O maior truque do Diabo foi fazer todos acreditarem que ele não existe”.

    Quer saber como são os movimentos sociais: vá a um acampamento de sem-terra. Visite uma pastoral da CNBB. Veja se quem lá estão são desordeiros ou pessoas desprovidas de tudo, lutando por um mínimo de dignidade e justiça nesse país.

    Aí você pergunta: mas porque não o fazem de forma ordeira, sem invasões e quebra-quebra. E eu respondo: porque na história do mundo os capitalistas e donos do poder jamais cederam sem que a pressão se tornasse insustentável. Ora, você acha mesmo que alguém consegue algo de um Estado elitista e desigual como o nosso pedindo por favor? Por favor…

    A luta de classes não é nova. Marx já alertava há 150 anos. O que hoje parece direito óbvio, como o voto universal e o direito de greve, nasceu da luta de classes – e pode ter certeza que aqueles que lutaram por direitos tão fundamentais foram também tachados como “baderneiros” em seu tempo.

    Quer mais um exemplo: aposto que seu pai (ou avô, dependendo da sua idade), já leu ou viu alguém ler um jornal durante a ditadura militar e dizer: “ainda bem que a polícia desce o cacete nesses baderneiros da UNE”. Pois não é que foram justamente esses “baderneiros” os mártires da liberdade que hoje desfrutamos? Sem contar os que sobreviveram e viraram políticos respeitados, como o próprio José Serra, ex-presidente da UNE (nota: não que isso melhore minha opinião sobre ele).

    Quer um exemplo recente: todo mundo ficou estupefato quando viu integrantes do MST destruindo laranjais em uma fazenda dita “privada” no interior de São Paulo. Até eu me indignei e soltei o meu “que absurdo” junto com o Boris Casoy (eca!). Mas a história que a mídia – protetora dos interesses capitalistas e financiada por eles – não conta é, justamente, que aquelas terras foram GRILADAS pela Cutrale. Isso mesmo que você leu: aquelas terras são da União. Então o que se poderia ter dito, se alguém se desse ao trabalho de ouvir o lado dos manifestantes, é que ali se praticava um ato patriótico de retomada do patrimônio público das mãos de uma multinacional usurpadora. Mas, ao invés disso, apenas mostram “ignorância, desordem e vandalismo”.

    Antes que esse texto fique longo demais, quero dizer apenas que todo movimento social sempre gerará uma resposta muito mais violenta, onde o que se agride é a verdade e a imparcialidade.

    Cumpre-nos tentar entender a verdade para não servir de massa de manobra da elite.

  • Marcão, macho-alpha++

    @47 – Alex,

    é exatamente essa a idéia: expor a opinião e nos obrigar a refletir. O autor tem todo o direito de se colocar à direita no espectro político e defender suas idéias.

    Nosso papel é revelar o contraditório, e não atacá-lo por suas opiniões.

    O problema com as publicações noticiosas selecionadas é que elas ENGANAM o leitor, se dizendo imparciais ou apenas informativas, quando isso não é verdade. O vermelho.org, a Carta Capital, citadas pelo Dr. Health, são explícitas na sua posição esquerdista, ou seja, informam com o viés, com o filtro esquerista, o que quer que isso signifique no século XXI.

    O MST, com suas ações ousadas e agressivas força um diálogo com a sociedade e o poder estabelecido muito proveitoso, pois como os comentários indicam, muitos não estão satisfeitos com as políticas centro-esquerdas moderadas do governo atual.

    Att

    Marcão, macho-alpha++

  • Marcão, macho-alpha++

    @47 – Alex,

    é exatamente essa a idéia: expor a opinião e nos obrigar a refletir. O autor tem todo o direito de se colocar à direita no espectro político e defender suas idéias.

    Nosso papel é revelar o contraditório, e não atacá-lo por suas opiniões.

    O problema com as publicações noticiosas selecionadas é que elas ENGANAM o leitor, se dizendo imparciais ou apenas informativas, quando isso não é verdade. O vermelho.org, a Carta Capital, citadas pelo Dr. Health, são explícitas na sua posição esquerdista, ou seja, informam com o viés, com o filtro esquerista, o que quer que isso signifique no século XXI.

    O MST, com suas ações ousadas e agressivas força um diálogo com a sociedade e o poder estabelecido muito proveitoso, pois como os comentários indicam, muitos não estão satisfeitos com as políticas centro-esquerdas moderadas do governo atual.

    Att

    Marcão, macho-alpha++

  • WBM

    #14 – André K. – Afirmei que o fim da escravatura no Brasil é a origem da problematica envolvendo a reforma agrária, objetivo mor perseguido pelo MST. Isso me permite afirmar que, sim, a origem do MST tem relações fortes com o fim da escravatura no Brasil.
    Leia Sérgio Buarque de Holanda, Gilberto Freire, Luis Fernando Abrúcio e Raimundo Faoro e você saberá o que estou falando. Aliás, leia Guilherme Delgado também, ótimo pesquisador sobre o tema reforma agrária.
    Infelizmente acabei revelando aqui um preconceito meu sobre o que chamei de “aristocracia paulista”. Acontece que sempre que vejo uma manifestação ciminalizando movimentos sociais, ela vem de setores da elite paulista. Infelizmente….
    Por fim, também não tenho apreço pelo governo de Hugo Chavez, apenas o citei porque ele vem junto no “pacote” de temas aborados por Veja e suas equivalentes de forma superficial e extremamente tendenciosa.

    Abs a todos.

  • WBM

    #14 – André K. – Afirmei que o fim da escravatura no Brasil é a origem da problematica envolvendo a reforma agrária, objetivo mor perseguido pelo MST. Isso me permite afirmar que, sim, a origem do MST tem relações fortes com o fim da escravatura no Brasil.
    Leia Sérgio Buarque de Holanda, Gilberto Freire, Luis Fernando Abrúcio e Raimundo Faoro e você saberá o que estou falando. Aliás, leia Guilherme Delgado também, ótimo pesquisador sobre o tema reforma agrária.
    Infelizmente acabei revelando aqui um preconceito meu sobre o que chamei de “aristocracia paulista”. Acontece que sempre que vejo uma manifestação ciminalizando movimentos sociais, ela vem de setores da elite paulista. Infelizmente….
    Por fim, também não tenho apreço pelo governo de Hugo Chavez, apenas o citei porque ele vem junto no “pacote” de temas aborados por Veja e suas equivalentes de forma superficial e extremamente tendenciosa.

    Abs a todos.

  • Rodrigo Almeida

    Bem pessoal,
    infelizmente eu não tenho tempo para responder os comentários um a um agora, mas assim que der volto e os leio com um pouco mais de calma.

    Eu vou ignorar críticas diretas (até de paulistano aristocrata fui chamado hehehe) e comentários sem nenhum tipo de embasamento pois esse é o resultado natural de expor sua opinião à respeito de qualquer tema polêmico em um espaço aberto como a Internet.

    Quando à comentários qualificados daqueles que já são leitores fiéis do PdH, antes de tudo, acredito que independente de quais sejam as reivindicações, baderna e atividades criminosas não são a resposta. Possuímos uma constituição e aqueles que não concordam com ela deveriam lutar para modificá-la através de vias legais. Existem muitos canais para isso, basta saber usar o sistema ao invés de querer resolver o problema com uma foice na mão.
    Muitos brasileiros já possuíram êxito nesse sentido. Crime é crime e deve ser punido a rigor. Isso vale tanto para políticos direitistas quanto esquerdistas assim como qualquer tipo de organização privada.

    Invadir propriedade alheia é crime. Invadir propriedade federal é crime maior ainda. Invadir propriedade federal que integra nossa infraestrutura energética – parafraseando Armando Félix do Gabinete de Segurança Institucional – é um ataque às instituições brasileiras. Fez bem o Exército em retomar a Usina com rapidez.
    Como brasileiro, quero viver em um país ordeiro e sempre apoiarei o uso do aparelho estatal para garantir a lei a ordem.

    Aos que desejam engrenar uma discussão saudável e expor seus pontos de vista contrários aos meu, é esse o intuito do espaço. Abraço!

  • http://http//www.rodrigocastilhos.com/blog Rodrigo Almeida

    Bem pessoal,
    infelizmente eu não tenho tempo para responder os comentários um a um agora, mas assim que der volto e os leio com um pouco mais de calma.

    Eu vou ignorar críticas diretas (até de paulistano aristocrata fui chamado hehehe) e comentários sem nenhum tipo de embasamento pois esse é o resultado natural de expor sua opinião à respeito de qualquer tema polêmico em um espaço aberto como a Internet.

    Quando à comentários qualificados daqueles que já são leitores fiéis do PdH, antes de tudo, acredito que independente de quais sejam as reivindicações, baderna e atividades criminosas não são a resposta. Possuímos uma constituição e aqueles que não concordam com ela deveriam lutar para modificá-la através de vias legais. Existem muitos canais para isso, basta saber usar o sistema ao invés de querer resolver o problema com uma foice na mão.
    Muitos brasileiros já possuíram êxito nesse sentido. Crime é crime e deve ser punido a rigor. Isso vale tanto para políticos direitistas quanto esquerdistas assim como qualquer tipo de organização privada.

    Invadir propriedade alheia é crime. Invadir propriedade federal é crime maior ainda. Invadir propriedade federal que integra nossa infraestrutura energética – parafraseando Armando Félix do Gabinete de Segurança Institucional – é um ataque às instituições brasileiras. Fez bem o Exército em retomar a Usina com rapidez.
    Como brasileiro, quero viver em um país ordeiro e sempre apoiarei o uso do aparelho estatal para garantir a lei a ordem.

    Aos que desejam engrenar uma discussão saudável e expor seus pontos de vista contrários aos meu, é esse o intuito do espaço. Abraço!

  • http://rodrigosantiago.wordpress.com/ Rodrigo Santiago

    Xará, se os burgueses da revolução francesa fossem esperar pelas “maneiras legais”, ainda estaríamos vivendo sob o absolutismo.

    Enfim, posso não concordar com algo dos movimentos sociais, e você tem o direito de ter a opinião que tem, claro, país livre, liberdade de expressão e tal.

    Agora dizer que estamos sob ataque? Você por acaso é maluco? Discipulo do Olavo de Carvalho? Acredita, também, que estamos vivendo um complô comunista no Brasil? Dizer que o Brasil está sob ataque é alarmismo puro e uma falácia absurda. Está aprendendo bem com seu folhetim semanal.

    “Como brasileiro, quero viver em um país ordeiro e sempre apoiarei o uso do aparelho estatal para garantir a lei a ordem.”

    Isso significa mesmo durante uma ditadura militar? Sei que você (espero), provavelmente, não apóia uma ditadura ou governo autoritário, mas viu como “apoiar o aparelho estatal para garantir a lei e a ordem” não quer dizer nada? A lei nem sempre é justa, a ordem nem sempre é “ordem”. Acreditar piamente nas “instituições”, sem questioná-las é viver como lacaio do aparato criado pelos homens para os homens, e que muitas vezes viramos escravos.

    No mais, se o site quer ser considerado mesmo um site plural, e não ser identificado como um “site de direita”, acho que poderia também publicar artigos que mostrem a outra visão, porque, frequentemente, o que vejo são artigos que mostram uma visão conservadora. Altamente conservadora.

  • http://rodrigosantiago.wordpress.com Rodrigo Santiago

    Xará, se os burgueses da revolução francesa fossem esperar pelas “maneiras legais”, ainda estaríamos vivendo sob o absolutismo.

    Enfim, posso não concordar com algo dos movimentos sociais, e você tem o direito de ter a opinião que tem, claro, país livre, liberdade de expressão e tal.

    Agora dizer que estamos sob ataque? Você por acaso é maluco? Discipulo do Olavo de Carvalho? Acredita, também, que estamos vivendo um complô comunista no Brasil? Dizer que o Brasil está sob ataque é alarmismo puro e uma falácia absurda. Está aprendendo bem com seu folhetim semanal.

    “Como brasileiro, quero viver em um país ordeiro e sempre apoiarei o uso do aparelho estatal para garantir a lei a ordem.”

    Isso significa mesmo durante uma ditadura militar? Sei que você (espero), provavelmente, não apóia uma ditadura ou governo autoritário, mas viu como “apoiar o aparelho estatal para garantir a lei e a ordem” não quer dizer nada? A lei nem sempre é justa, a ordem nem sempre é “ordem”. Acreditar piamente nas “instituições”, sem questioná-las é viver como lacaio do aparato criado pelos homens para os homens, e que muitas vezes viramos escravos.

    No mais, se o site quer ser considerado mesmo um site plural, e não ser identificado como um “site de direita”, acho que poderia também publicar artigos que mostrem a outra visão, porque, frequentemente, o que vejo são artigos que mostram uma visão conservadora. Altamente conservadora.

  • Bruno

    Pesso licença para reproduzir aqui um artigo que publiquei no jornal de minha cidade:

    O MST e o preconceito contra os movimentos sociais

    Recentemente, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra virou manchete de inúmeros veículos da imprensa, após invasão ocorrida em 28 de setembro, nas terras da CUTRALE, conhecida empresa brasileira do ramo de produtos cítricos.

    Tal invasão foi duramente criticada pela mídia, mormente pela derrubada de cerca de 3 mil pés de laranja, para a instalação de barracas destinadas ao abrigo dos manifestantes.

    E no afã de se criticar o MST e seus integrantes, boa parte da imprensa foi incisiva em atacar o Movimento ruralista, com os mais pesados argumentos, como, por exemplo, que os Sem Terra agem exclusivamente na ilegalidade; que suas invasões são destinadas à balburdia e depredação de patrimônio; e até mesmo que o grande objetivo dos Sem Terra, a Reforma Agrária, é obsoleto.

    E a cena final deste “espetáculo”, arquitetado por alguns setores mais reacionários de nossa imprensa, foi o surgimento da “CPI da Terra”, concebida pela senadora Kátia Abreu (DEM) e destinada à apuração de possível repasse de verbas Federais para o MST.

    Contudo, não se viu tanto empenho da mídia em noticiar os motivos da invasão do Sem Terra nas terras da CUTRALE, nem mesmo sobre o “berço” da citada CPI.

    Não se leu nos jornais, por exemplo, que as terras em que se instalou a CUTRALE pertencem à União, e que fortes são os indícios de que a empresa adquiriu as terras com práticas de grilagem.

    Não se assistiu nos noticiários que a “CPI da Terra”, além de fundada quase que exclusivamente em matérias jornalísticas; foi instaurada, curiosamente, logo após o Governo Federal ter anunciado a atualização do Índice de Produtividade da terra, índice este destinado à aferição da produção agrícola da terra, e que possibilitará a disponibilização de mais áreas para o assentamento de famílias.

    E a despeito das ações “violentas” do Movimento, igualmente não se teve notícia que, só até agosto deste ano, foram contabilizados 16 assassinatos de trabalhadores rurais integrantes de movimentos ruralistas.

    O triste de tudo isso, é perceber que existem numerosos setores de nossa política e sociedade, duramente empenhados em desacreditar o poder de transformação que recai sobre os movimentos sociais.

    Quando uma nação nega a legitimidade de tais movimentos, está negando, também, a possibilidade de uma sociedade mais igualitária, além de se negar a própria história.

    Negar o valor dos movimentos sociais, é negar o movimento das sufragistas norte-americanas, que enfrentaram uma sociedade machista e violenta pelo direito ao voto feminino; é negar todo o ocorrido na Revolução Industrial, onde tantos trabalhadores lutaram e morreram por condições mais dignas e humanas de se trabalhar; é negar as “Diretas Já”, onde nossa nação batalhou a duras penas para que tivéssemos o direito de eleger democraticamente nossos governantes.

    É necessário que os “fantasmas” que cercam o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra sejam desmistificados. Diferentemente do que tentam apresentar, a Reforma Agrária não se trata de uma “revolução camponesa” aos moldes chineses. Não!

    A Reforma Agrária não é apenas o objetivo do MST e de tantos outros movimentos ruralistas, mas também do próprio Estado Brasileiro. Portanto, o que chamam de “revolução”, nada mais é do que ver respeitada a Lei.

    Mas isso, não sou eu quem diz. Não são os Sem Terra quem dizem.

    É, apenas, a nossa Constituição.

  • Bruno

    Pesso licença para reproduzir aqui um artigo que publiquei no jornal de minha cidade:

    O MST e o preconceito contra os movimentos sociais

    Recentemente, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra virou manchete de inúmeros veículos da imprensa, após invasão ocorrida em 28 de setembro, nas terras da CUTRALE, conhecida empresa brasileira do ramo de produtos cítricos.

    Tal invasão foi duramente criticada pela mídia, mormente pela derrubada de cerca de 3 mil pés de laranja, para a instalação de barracas destinadas ao abrigo dos manifestantes.

    E no afã de se criticar o MST e seus integrantes, boa parte da imprensa foi incisiva em atacar o Movimento ruralista, com os mais pesados argumentos, como, por exemplo, que os Sem Terra agem exclusivamente na ilegalidade; que suas invasões são destinadas à balburdia e depredação de patrimônio; e até mesmo que o grande objetivo dos Sem Terra, a Reforma Agrária, é obsoleto.

    E a cena final deste “espetáculo”, arquitetado por alguns setores mais reacionários de nossa imprensa, foi o surgimento da “CPI da Terra”, concebida pela senadora Kátia Abreu (DEM) e destinada à apuração de possível repasse de verbas Federais para o MST.

    Contudo, não se viu tanto empenho da mídia em noticiar os motivos da invasão do Sem Terra nas terras da CUTRALE, nem mesmo sobre o “berço” da citada CPI.

    Não se leu nos jornais, por exemplo, que as terras em que se instalou a CUTRALE pertencem à União, e que fortes são os indícios de que a empresa adquiriu as terras com práticas de grilagem.

    Não se assistiu nos noticiários que a “CPI da Terra”, além de fundada quase que exclusivamente em matérias jornalísticas; foi instaurada, curiosamente, logo após o Governo Federal ter anunciado a atualização do Índice de Produtividade da terra, índice este destinado à aferição da produção agrícola da terra, e que possibilitará a disponibilização de mais áreas para o assentamento de famílias.

    E a despeito das ações “violentas” do Movimento, igualmente não se teve notícia que, só até agosto deste ano, foram contabilizados 16 assassinatos de trabalhadores rurais integrantes de movimentos ruralistas.

    O triste de tudo isso, é perceber que existem numerosos setores de nossa política e sociedade, duramente empenhados em desacreditar o poder de transformação que recai sobre os movimentos sociais.

    Quando uma nação nega a legitimidade de tais movimentos, está negando, também, a possibilidade de uma sociedade mais igualitária, além de se negar a própria história.

    Negar o valor dos movimentos sociais, é negar o movimento das sufragistas norte-americanas, que enfrentaram uma sociedade machista e violenta pelo direito ao voto feminino; é negar todo o ocorrido na Revolução Industrial, onde tantos trabalhadores lutaram e morreram por condições mais dignas e humanas de se trabalhar; é negar as “Diretas Já”, onde nossa nação batalhou a duras penas para que tivéssemos o direito de eleger democraticamente nossos governantes.

    É necessário que os “fantasmas” que cercam o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra sejam desmistificados. Diferentemente do que tentam apresentar, a Reforma Agrária não se trata de uma “revolução camponesa” aos moldes chineses. Não!

    A Reforma Agrária não é apenas o objetivo do MST e de tantos outros movimentos ruralistas, mas também do próprio Estado Brasileiro. Portanto, o que chamam de “revolução”, nada mais é do que ver respeitada a Lei.

    Mas isso, não sou eu quem diz. Não são os Sem Terra quem dizem.

    É, apenas, a nossa Constituição.

  • Luiz

    Cara, respeito sua opinião e das outras pessoas, porém, os textos me parecem remeter a uma situação de caos e guerra civil inexistentes no país e digo mais, com intuito de fomentar um desejo de um golpe para tomada de poder do atual governo, já que grande parte das fontes vem de veículos que compõem o PiG.
    Claro que se deve ter opinião, mas espero sinceramente que o PdH não venha compor o PiG…
    Abraços!

  • Luiz

    Cara, respeito sua opinião e das outras pessoas, porém, os textos me parecem remeter a uma situação de caos e guerra civil inexistentes no país e digo mais, com intuito de fomentar um desejo de um golpe para tomada de poder do atual governo, já que grande parte das fontes vem de veículos que compõem o PiG.
    Claro que se deve ter opinião, mas espero sinceramente que o PdH não venha compor o PiG…
    Abraços!

  • Paulo de Tarso

    “País Ordeiro”: País que acomoda as injustiças sociais, dando segurança para que os privilegiados não sejam tocados pelas mãs sujas dos miseráveis e excluídos.

  • Paulo de Tarso

    “País Ordeiro”: País que acomoda as injustiças sociais, dando segurança para que os privilegiados não sejam tocados pelas mãs sujas dos miseráveis e excluídos.

  • Paulo de Tarso

    Se os direitos sociais fossem aplicados no Brasil sem que os movimentos sociais tivessem que apelar ações contundentes de pressão, aí poder-se-ia dizer que há um exagero na conduta desses movimentos. Mas se o Brasil teima em por “ordem”, em dar “ordem”, em acomodar as injustiças sociais, em garantir apenas os direitos dos que detém meios materiais privilegiados, então quais os meios outros que poderiam ser usados?

    Quem acredita no puro poder do voto, em um sistema magnificamente programado para reproduzir as desigualdades sociais e preservar os privilégios de poucos?

  • Paulo de Tarso

    Se os direitos sociais fossem aplicados no Brasil sem que os movimentos sociais tivessem que apelar ações contundentes de pressão, aí poder-se-ia dizer que há um exagero na conduta desses movimentos. Mas se o Brasil teima em por “ordem”, em dar “ordem”, em acomodar as injustiças sociais, em garantir apenas os direitos dos que detém meios materiais privilegiados, então quais os meios outros que poderiam ser usados?

    Quem acredita no puro poder do voto, em um sistema magnificamente programado para reproduzir as desigualdades sociais e preservar os privilégios de poucos?

  • Bruno

    Mas não explica o que eles queriam, tanto q os carinhas do planalto se propuseram a conversar com os líderes desses movimentos. Acho estranho movimentos estudantis estarem no meio… enfim…

  • Bruno

    Mas não explica o que eles queriam, tanto q os carinhas do planalto se propuseram a conversar com os líderes desses movimentos. Acho estranho movimentos estudantis estarem no meio… enfim…

  • L. Leite

    “se os burgueses da revolução francesa fossem esperar pelas “maneiras legais”, ainda estaríamos vivendo sob o absolutismo.”

    Uma simples respostinha que desmoronou completamente com o comentário do autor. embora este esteja certo sobre ataque à instituições nacionais. Como muitos falaram aí em cima, ninguém tá atacando só pra vandalizar. Se alguém aqui acha que é assim, então é um burguesinho da elite branca leitor da veja. Todas estas ações se inserem num contexto que deve ser compreendido antes de emitir um juízo de valor. O autor e aqueles que concordam com ele, infelizmente, não fizeram isso.

    Abraços.

  • L. Leite

    “se os burgueses da revolução francesa fossem esperar pelas “maneiras legais”, ainda estaríamos vivendo sob o absolutismo.”

    Uma simples respostinha que desmoronou completamente com o comentário do autor. embora este esteja certo sobre ataque à instituições nacionais. Como muitos falaram aí em cima, ninguém tá atacando só pra vandalizar. Se alguém aqui acha que é assim, então é um burguesinho da elite branca leitor da veja. Todas estas ações se inserem num contexto que deve ser compreendido antes de emitir um juízo de valor. O autor e aqueles que concordam com ele, infelizmente, não fizeram isso.

    Abraços.

  • Carvalho

    Fico impressionado com o patrulhamento esquerdista que toma conta da Internet. Até esse momento foram 58 comentários, fiz uma divisão simples:

    A favor – 12
    Pseudo a favor – 13
    Contra – 22
    Neutro/fora do assunto – 9

    Chamei de “Pseudo a favor” os comentários que elogiam para em seguida colocar um “mas” e então revelar sua cara real. Ou seja, foi só o PDH colocar o pé de leve nessa questão de movimentos sociais que sofreu um ataque dos vermelhos, com mais de 50% contra, em geral com argumentos rasos ( o melhor coment foi do Dr. Health.)

    A esmagadora maioria dos jornalistas, e portanto da mídia é de esquerda. Dizer portanto que existe uma “grande mídia de direita” é ridículo.

    A Folha é tucana? Mesmo que fosse, o PSDB é um partido de centro-esquerda, nunca de direita.

    A Veja, a Globo, o Estado, a Folha e outros grandes veículos construíram sua história com CREDIBILIDADE. São anos e anos trabalhando duro. Montando estruturas imensas, buscando reportagens, acertando e errando como todo mundo. Daí a dizer que são irrelevantes é um pouco demais pro meu estômago.

    Se eu for acreditar em algum veículo, vai ser em um desses, e não em algum blog ou site de alguém que acaba de aparecer.

    São tantas as bobagens nos comentários que dá preguiça. Pois as pessoas que querem desafiar o sistema acabam caindo em outro. Justificar os crimes cometidos pelo MST com as capitanias hereditárias? Defender Marx depois da derrocada da URSS e todos os países do leste europeu?

    A maioria aqui é jovem, e jovens são em geral trangressores. Eu mesmo já cantei muitas vezes ” Polícia para quem precisa? ” em shows com muita raiva.

    Mas um dia você cresce, se casa e mora na sua casa com suas 2 filhas pequenas. Numa noite você escuta um barulho no andar de baixo. Nessa hora você liga pra polícia apavorado. E não consigo descrever aqui em palavras o alívio que é ver aquele carro preto-branco-cinza-e-vermelho chegando pra te salvar.

    As leis e a constituição servem para nos proteger a todos. Às vezes de nós mesmos. A tolerância com quem desobedece às leis está na raiz da corrupção e impunidade que assola o Brasil. Tolerar invasões do MST ou violência da polícia é a mesma coisa.

  • Carvalho

    Fico impressionado com o patrulhamento esquerdista que toma conta da Internet. Até esse momento foram 58 comentários, fiz uma divisão simples:

    A favor – 12
    Pseudo a favor – 13
    Contra – 22
    Neutro/fora do assunto – 9

    Chamei de “Pseudo a favor” os comentários que elogiam para em seguida colocar um “mas” e então revelar sua cara real. Ou seja, foi só o PDH colocar o pé de leve nessa questão de movimentos sociais que sofreu um ataque dos vermelhos, com mais de 50% contra, em geral com argumentos rasos ( o melhor coment foi do Dr. Health.)

    A esmagadora maioria dos jornalistas, e portanto da mídia é de esquerda. Dizer portanto que existe uma “grande mídia de direita” é ridículo.

    A Folha é tucana? Mesmo que fosse, o PSDB é um partido de centro-esquerda, nunca de direita.

    A Veja, a Globo, o Estado, a Folha e outros grandes veículos construíram sua história com CREDIBILIDADE. São anos e anos trabalhando duro. Montando estruturas imensas, buscando reportagens, acertando e errando como todo mundo. Daí a dizer que são irrelevantes é um pouco demais pro meu estômago.

    Se eu for acreditar em algum veículo, vai ser em um desses, e não em algum blog ou site de alguém que acaba de aparecer.

    São tantas as bobagens nos comentários que dá preguiça. Pois as pessoas que querem desafiar o sistema acabam caindo em outro. Justificar os crimes cometidos pelo MST com as capitanias hereditárias? Defender Marx depois da derrocada da URSS e todos os países do leste europeu?

    A maioria aqui é jovem, e jovens são em geral trangressores. Eu mesmo já cantei muitas vezes ” Polícia para quem precisa? ” em shows com muita raiva.

    Mas um dia você cresce, se casa e mora na sua casa com suas 2 filhas pequenas. Numa noite você escuta um barulho no andar de baixo. Nessa hora você liga pra polícia apavorado. E não consigo descrever aqui em palavras o alívio que é ver aquele carro preto-branco-cinza-e-vermelho chegando pra te salvar.

    As leis e a constituição servem para nos proteger a todos. Às vezes de nós mesmos. A tolerância com quem desobedece às leis está na raiz da corrupção e impunidade que assola o Brasil. Tolerar invasões do MST ou violência da polícia é a mesma coisa.

  • Marcus

    @ #60 – Carvalho

    Hahaha… Carvalho, você deveria ser comediante. Seu comentário é uma piada!!! Hahaha…

  • Marcus

    @ #60 – Carvalho

    Hahaha… Carvalho, você deveria ser comediante. Seu comentário é uma piada!!! Hahaha…

  • WBM

    #52 – Rodrigo Almeida (Autor) – “(…) basta saber usar o sistema ao invés de querer resolver o problema com uma foice na mão.”

    Rodrigão, deixa eu te mostrar uma coisa.
    1º – Os ciodadãos dos Estados Unidos, França, e outros países de primeiro mundo pegaram em armas para fazer valer seus direitos e hoje são o que são.

    2º – Constituição Federal de 1988, art. 5, inciso XXIV – “a lei estabelecerá o procedimento para desapropriação por necessidade ou utilidade pública, ou por interesse social, mediante justa e prévia indenização em dinheiro, ressalvados os casos previstos nesta Constituição;” – Por um acaso foi o motivo para o MST invadir a usina! Negociar a indenização, que maliciosamente você omitiu no seu texto.

    Art. 184. “Compete à União desapropriar por interesse social, para fins de reforma agrária, o imóvel rural que não esteja cumprindo sua função social, mediante prévia e justa indenização em títulos da dívida agrária, com cláusula de preservação do valor real, resgatáveis no prazo de até vinte anos, a partir do segundo ano de sua emissão, e cuja utilização será definida em lei.” – POR UM ACASO VOCÊ VÊ A REFORMA AGRÁRIA ACONTECENDO NO BRASIL??? Talvez você não conheça de perto como funciona a justiça no Pará e como ela funciona no resto do Brasil.

    Meu camarada, se você parar pra observar, existe um LOBBY imenso a favor da criminalização para atingir movimentos sociais (digo isso porque nunca vi, por exemplo, a Veja citar as conquistas e as ações sociais dos movimentos sociais) justamente para preservar os interesses, e as terras, dos grandes latifundiários. Se fala em punir os responsáveis que invadiram a fazenda da grileira Cutrale, mas não se vê o mesmo empenho em punir os assassinos do massacre de Eldorado dos Carajás, que culminou com a morte de 19 sem-terras e ainda hoje ninguém foi julgado.

    Ou seja, você, juntamente com caras como o Dr. Health, são vítimas fácieis desse lobby poderoso que corre nos meios de comunicação tradicionais (Veja, Folha de S. Paulo, Rede Globo) porque não procurar se informar dos motivos reais dos movimentos sociais nem de suas conquistas para o país. Acabam servindo de “indignados úteis” a uma causa que desconhecem. E aí depois vêm até a internet compartilhar toda a sua “indignação”…

  • WBM

    #52 – Rodrigo Almeida (Autor) – “(…) basta saber usar o sistema ao invés de querer resolver o problema com uma foice na mão.”

    Rodrigão, deixa eu te mostrar uma coisa.
    1º – Os ciodadãos dos Estados Unidos, França, e outros países de primeiro mundo pegaram em armas para fazer valer seus direitos e hoje são o que são.

    2º – Constituição Federal de 1988, art. 5, inciso XXIV – “a lei estabelecerá o procedimento para desapropriação por necessidade ou utilidade pública, ou por interesse social, mediante justa e prévia indenização em dinheiro, ressalvados os casos previstos nesta Constituição;” – Por um acaso foi o motivo para o MST invadir a usina! Negociar a indenização, que maliciosamente você omitiu no seu texto.

    Art. 184. “Compete à União desapropriar por interesse social, para fins de reforma agrária, o imóvel rural que não esteja cumprindo sua função social, mediante prévia e justa indenização em títulos da dívida agrária, com cláusula de preservação do valor real, resgatáveis no prazo de até vinte anos, a partir do segundo ano de sua emissão, e cuja utilização será definida em lei.” – POR UM ACASO VOCÊ VÊ A REFORMA AGRÁRIA ACONTECENDO NO BRASIL??? Talvez você não conheça de perto como funciona a justiça no Pará e como ela funciona no resto do Brasil.

    Meu camarada, se você parar pra observar, existe um LOBBY imenso a favor da criminalização para atingir movimentos sociais (digo isso porque nunca vi, por exemplo, a Veja citar as conquistas e as ações sociais dos movimentos sociais) justamente para preservar os interesses, e as terras, dos grandes latifundiários. Se fala em punir os responsáveis que invadiram a fazenda da grileira Cutrale, mas não se vê o mesmo empenho em punir os assassinos do massacre de Eldorado dos Carajás, que culminou com a morte de 19 sem-terras e ainda hoje ninguém foi julgado.

    Ou seja, você, juntamente com caras como o Dr. Health, são vítimas fácieis desse lobby poderoso que corre nos meios de comunicação tradicionais (Veja, Folha de S. Paulo, Rede Globo) porque não procurar se informar dos motivos reais dos movimentos sociais nem de suas conquistas para o país. Acabam servindo de “indignados úteis” a uma causa que desconhecem. E aí depois vêm até a internet compartilhar toda a sua “indignação”…

  • Bruno Z. da Silva

    sobre o comentário do #60 – Carvalho, eu ri…

    “A Veja, a Globo, o Estado, a Folha e outros grandes veículos construíram sua história com CREDIBILIDADE. São anos e anos trabalhando duro. Montando estruturas imensas, buscando reportagens, acertando e errando como todo mundo. Daí a dizer que são irrelevantes é um pouco demais pro meu estômago.

    Ele deve estar falando daquele mesma credibilidade de quem emprestava carros para os torturadores na Ditadura (no caso da Folha), ou de quem editou simplesmente um debate político inteiro, e mereceu até um documentário por isso (no caso da Globo).

    ahhhh…volte a jogar tíbia vai, cara-pálida!!!

  • Bruno Z. da Silva

    sobre o comentário do #60 – Carvalho, eu ri…

    “A Veja, a Globo, o Estado, a Folha e outros grandes veículos construíram sua história com CREDIBILIDADE. São anos e anos trabalhando duro. Montando estruturas imensas, buscando reportagens, acertando e errando como todo mundo. Daí a dizer que são irrelevantes é um pouco demais pro meu estômago.

    Ele deve estar falando daquele mesma credibilidade de quem emprestava carros para os torturadores na Ditadura (no caso da Folha), ou de quem editou simplesmente um debate político inteiro, e mereceu até um documentário por isso (no caso da Globo).

    ahhhh…volte a jogar tíbia vai, cara-pálida!!!

  • Manuel T. B. Radaelli

    #32 – João Marco

    “não existem várias váriaveis, existe o certo e o errado e ponto.”
    quem determina o certo e o errado? é quem cria as leis? mas peraí .. quem cria as leis? LoL

    “Que cada um seja homem de assumir seus erros…”

    Resumindo: “não há certo ou errado, apenas a conseqüência dos seus atos”. Afinal de contas, sempre haverá uma maioria (as vezes em questão de poder, as vezes em questão de números mesmo) impondo o que é certo ou errado e outra minoria que acha que o padrão certo/errado é outra coisa, mas no final das contas sempre haverão as conseqüências!

    #35 – Marcão, macho-alpha++

    “O Brasil é um grande cassino financeiro para o resto do globo. O povo é endividado sem ser consultado para que investidores tragam seu dinheiro especulativo, e tirem a qualquer momento” …

    disse tudo … até lembrei de uma música: http://letras.terra.com.br/cazuza/7246/

    No final das contas, tudo acaba em um jogo de interesses onde aquele(s) que souber(em) jogar melhor, saem com seus interresses alcançados. A China impede empresas de permearem seus territórios e impõe barreiras a muita coisa, ainda … mas ,ainda assim, há muitos cidadãos chineses que são esquecidos em seus trabalhos “escravos” ou, até mesmo se levar para o lado dos esportes: quem ainda não viu as crianças sendo forçadas a rigorosos treinos físicos para as olimpiadas?

    Retomando meu ponto de vista: tudo é questão de interesse! Sempre haverá alguém descontente com algo, sempre haverá uma “Veja” na direita e uma “Carta Capital” do outro lado. Mas acredito que há um jeito de fazer com que todo mundo, mesmo não gostando de algo, ao invés de puxar a corrente pro seu lado, empurre para um BEM COMUM. Um ótimo exemplo é um país vizinho muito parecido ao nosso, o Chile: era colônia exploradora, após a independencia passou para uma elite latifundiária, passou por trancos e barrancos com uma ditadura militar a là pinochet e outras tantas agruras, hoje está entre os países com melhor IDH da América Latina, é um país de certa estabilidade e seus políticos mesmo sendo de direita, de centro ou esquerda aparentemente trabalham em cooperação para o bem comum.

    Há casos de corrupção por lá também, e sempre haverá, mas a resposta há corrupção não é como aqui no Brasil (“Chile é líder em combate à corrupção na América Latina” – http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u588026.shtml e “Corrupção no Brasil” – http://www.overmundo.com.br/overblog/a-corrupcao-no-brasil)… o que faz com que lá haja muito mais GOVERNABILIDADE (quando um país é mais fácil de governar, notariamente não significa que há um maior percentual populacional contente com o “status” em vigor?) do que aqui.

    Agora, ainda comparando os dois haverá os mais incautos que dirão que mesmo assim o Brasil é melhor, porque cresceu mais economicamente (http://pedalaoposicao.blogspot.com/2006/04/o-pib-brasil-e-amrica-latina.html). Mas parem um pouco, peguem um mapa mundi e vejam o tamanho do Brasil e o tamanho do Chile, informem-se sobre qual a possível produtividade de um e o de outro, com quanto a carga tributária contribui para o PIB em um e em outro (http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2009/05/090519_cepal_mc_ac.shtml) e tantas outras variáveis. Eu concluo que o Brasil realmente cresceu e isso é bom, claro!(http://dialogospoliticos.wordpress.com/2009/07/13/participacao-do-pib-do-brasil-na-al-deve-crescer/) … mas qual a capacidade ele teria de crescer se ele não tivesse tanta riqueza populacional, territorial, natural, mineral e tantas outras? Uma hora essa riqueza poderá findar e talvez um discurso de que a economia do país cresceu não será mais possível para mascarar o que acontece em outras áreas tão ou mais importantes que a economia.

    Enfim, acredito que a corrupção que vem fazendo com que quando alguém está descontente de algo fique de bico fechado por lucro próprio é o que está levando o Brasil ao rumo que se segue (inclua tanto a sonegação do IR como as meias de dinheiro). Temos que mudar isso e é possível (http://www.wharton.universia.net/index.cfm?fa=viewArticle&id=1000&language=portuguese), mas não será da noite pro dia e também não será quebrando infraestruras que beneficiam o bem-estar geral da população, talvez nem mesmo o seja, optando por um ou outro político (caso ambos sejam ruins), mas temos que lançar mão das melhores capacidades que o ser humano pode possuir: a adaptabilidade e a sabedoria, utilizando-as a nosso favor para perceber o que é melhor e para aguentar o tranco enquanto o potencial vira algo REAL.

    E no final, não esqueçam: jamais durmam sobre os louros até então conquistados.

  • Manuel T. B. Radaelli

    #32 – João Marco

    “não existem várias váriaveis, existe o certo e o errado e ponto.”
    quem determina o certo e o errado? é quem cria as leis? mas peraí .. quem cria as leis? LoL

    “Que cada um seja homem de assumir seus erros…”

    Resumindo: “não há certo ou errado, apenas a conseqüência dos seus atos”. Afinal de contas, sempre haverá uma maioria (as vezes em questão de poder, as vezes em questão de números mesmo) impondo o que é certo ou errado e outra minoria que acha que o padrão certo/errado é outra coisa, mas no final das contas sempre haverão as conseqüências!

    #35 – Marcão, macho-alpha++

    “O Brasil é um grande cassino financeiro para o resto do globo. O povo é endividado sem ser consultado para que investidores tragam seu dinheiro especulativo, e tirem a qualquer momento” …

    disse tudo … até lembrei de uma música: http://letras.terra.com.br/cazuza/7246/

    No final das contas, tudo acaba em um jogo de interesses onde aquele(s) que souber(em) jogar melhor, saem com seus interresses alcançados. A China impede empresas de permearem seus territórios e impõe barreiras a muita coisa, ainda … mas ,ainda assim, há muitos cidadãos chineses que são esquecidos em seus trabalhos “escravos” ou, até mesmo se levar para o lado dos esportes: quem ainda não viu as crianças sendo forçadas a rigorosos treinos físicos para as olimpiadas?

    Retomando meu ponto de vista: tudo é questão de interesse! Sempre haverá alguém descontente com algo, sempre haverá uma “Veja” na direita e uma “Carta Capital” do outro lado. Mas acredito que há um jeito de fazer com que todo mundo, mesmo não gostando de algo, ao invés de puxar a corrente pro seu lado, empurre para um BEM COMUM. Um ótimo exemplo é um país vizinho muito parecido ao nosso, o Chile: era colônia exploradora, após a independencia passou para uma elite latifundiária, passou por trancos e barrancos com uma ditadura militar a là pinochet e outras tantas agruras, hoje está entre os países com melhor IDH da América Latina, é um país de certa estabilidade e seus políticos mesmo sendo de direita, de centro ou esquerda aparentemente trabalham em cooperação para o bem comum.

    Há casos de corrupção por lá também, e sempre haverá, mas a resposta há corrupção não é como aqui no Brasil (“Chile é líder em combate à corrupção na América Latina” – http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u588026.shtml e “Corrupção no Brasil” – http://www.overmundo.com.br/overblog/a-corrupcao-no-brasil)… o que faz com que lá haja muito mais GOVERNABILIDADE (quando um país é mais fácil de governar, notariamente não significa que há um maior percentual populacional contente com o “status” em vigor?) do que aqui.

    Agora, ainda comparando os dois haverá os mais incautos que dirão que mesmo assim o Brasil é melhor, porque cresceu mais economicamente (http://pedalaoposicao.blogspot.com/2006/04/o-pib-brasil-e-amrica-latina.html). Mas parem um pouco, peguem um mapa mundi e vejam o tamanho do Brasil e o tamanho do Chile, informem-se sobre qual a possível produtividade de um e o de outro, com quanto a carga tributária contribui para o PIB em um e em outro (http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2009/05/090519_cepal_mc_ac.shtml) e tantas outras variáveis. Eu concluo que o Brasil realmente cresceu e isso é bom, claro!(http://dialogospoliticos.wordpress.com/2009/07/13/participacao-do-pib-do-brasil-na-al-deve-crescer/) … mas qual a capacidade ele teria de crescer se ele não tivesse tanta riqueza populacional, territorial, natural, mineral e tantas outras? Uma hora essa riqueza poderá findar e talvez um discurso de que a economia do país cresceu não será mais possível para mascarar o que acontece em outras áreas tão ou mais importantes que a economia.

    Enfim, acredito que a corrupção que vem fazendo com que quando alguém está descontente de algo fique de bico fechado por lucro próprio é o que está levando o Brasil ao rumo que se segue (inclua tanto a sonegação do IR como as meias de dinheiro). Temos que mudar isso e é possível (http://www.wharton.universia.net/index.cfm?fa=viewArticle&id=1000&language=portuguese), mas não será da noite pro dia e também não será quebrando infraestruras que beneficiam o bem-estar geral da população, talvez nem mesmo o seja, optando por um ou outro político (caso ambos sejam ruins), mas temos que lançar mão das melhores capacidades que o ser humano pode possuir: a adaptabilidade e a sabedoria, utilizando-as a nosso favor para perceber o que é melhor e para aguentar o tranco enquanto o potencial vira algo REAL.

    E no final, não esqueçam: jamais durmam sobre os louros até então conquistados.

  • WBM

    #56 – Paulo de Tarso

    #57 – Paulo de Tarso

    Hehehehe… o mais curioso é que no post no Dr. Health sobre Cuba e Hugo Chavez eu quebrei o pau com o Paulo de Tarso, mas agora eu concordo com ele plenamente!

  • WBM

    #56 – Paulo de Tarso

    #57 – Paulo de Tarso

    Hehehehe… o mais curioso é que no post no Dr. Health sobre Cuba e Hugo Chavez eu quebrei o pau com o Paulo de Tarso, mas agora eu concordo com ele plenamente!

  • Ronigres

    Resumindo:
    Poderosos > Muito Dinheiro > Muitas Terras > MST > Direitos > Conflitos > Imprensa > Poderosos.
    Quem tem grana e poder faz a mídia.

  • Ronigres

    Resumindo:
    Poderosos > Muito Dinheiro > Muitas Terras > MST > Direitos > Conflitos > Imprensa > Poderosos.
    Quem tem grana e poder faz a mídia.

  • Dr Health

    “Ou seja, você, juntamente com caras como o Dr. Health, são vítimas fácieis desse lobby poderoso que corre nos meios de comunicação tradicionais (Veja, Folha de S. Paulo, Rede Globo) porque não procurar se informar dos motivos reais dos movimentos sociais nem de suas conquistas para o país. Acabam servindo de “indignados úteis” a uma causa que desconhecem. E aí depois vêm até a internet compartilhar toda a sua “indignação”…”

    Que cuti cuti, que bunitinhoooooo, que fófi, ele me mencionou!!! Ganhei o dia.

    Não se preocupe comigo. Eu tô MUITO bem de vida, canalize suas energias para os mais necessitados.

  • Dr Health

    “Ou seja, você, juntamente com caras como o Dr. Health, são vítimas fácieis desse lobby poderoso que corre nos meios de comunicação tradicionais (Veja, Folha de S. Paulo, Rede Globo) porque não procurar se informar dos motivos reais dos movimentos sociais nem de suas conquistas para o país. Acabam servindo de “indignados úteis” a uma causa que desconhecem. E aí depois vêm até a internet compartilhar toda a sua “indignação”…”

    Que cuti cuti, que bunitinhoooooo, que fófi, ele me mencionou!!! Ganhei o dia.

    Não se preocupe comigo. Eu tô MUITO bem de vida, canalize suas energias para os mais necessitados.

  • alexandre zamboni

    Boa tarde amigos leitores e editores do PdH, gostei do decorrências provocadas pelos artigos do Rodrigo Almeida, abrem um canal de debate sobre coisas importantes, eu acho isto muito bom!

    Quando li a primeira parte, lembrei-me de vários episódios que aconteceram, procurei e encontrei no portal do PCdoB uma detalhada relação das manifestações que aconteceram naquele dia e postei um comentário aqui, contribuindo com o debate. Não foi um movimento isolado, foram centenas de milhares de manifestantes que provocaram ações, marchas, passeatas, ocupações, debates etc.

    Curioso esperei o Rodrigo publicar a parte 2. E fiquei um pouco decepcionado.

    A posição do autor é de um patrulhamento carregado de ódio, mas, enfim, é a posição dele:
    “…conivência do governo brasileiro para com essas organizações criminosas … Quando iremos declarar guerra e reagir às investidas dessas organizações criminosas, auto-proclamadas movimentos sociais, …”

    Só posso discordar, e discordo porque minhas referências sobre a história do Brasil não são outras.

    Eu tive a oportunidade de conhecer o Nelson Werneck Sodré, e li vários de seus livros os mais tocantes: Formação Histórica do Brasil e Ideologia do Colonialismo.
    Também apareceu na minha vida Caio Prado Junior, com suas publicações: Formação do Brasil Contemporâneo e Dialética do Conhecimento, entre outros. Mais tarde li o que pude sobre o período recente da ditadura militar ( aliás a Folha de SP chama de ditabranda, por que será??) sobre os milicos o Élio Gaspari publicou dois volumes ótimos, Ditadura Escancalhada e Ditadura Envergonhada, se querem saber sobre tortura e corrupção?? Leiam o Élio!

    Calma amigos não estou me achando. Apenas dizendo que minhas referencias sobre nosso país está baseada praticamente nestes grandes pensadores, o Nelson Werneck e o Caio Prado, que foram importantes intelectuais que nos mostram com profundidade como a nossa sociedade foi se transformando de economia feudalista colonial para escravocrata, a passagem para um período de servidão, economia imperial, a expansão da oligarquia cafeeira e seu declínio durante a republica, as novas forças industriais com o fortalecimento do capitalismo e sua aliança com o imperialismo.

    Nosso desenvolvimento foi excluindo e marginalizando milhões de brasileiros, mestiços, negros ex-escravos, pequenos colonos, meieiros, os pobres do campo e das cidades, os índios e os imigrantes. Atualmente são os trabalhadores e operários industriais, rurais, as minorias, as mulheres, os negros…é só ver as estatísticas salariais!

    Isto não é opinião minha, isto tudo é fato!!!

    O Brasil é um país altamente discricionário, nossa distribuição de riquesa, patrimônio e renda é um absurdo, a propriedade da terra é das mais concentradas do mundo, nunca tivemos qualquer tipo de reforma agrária. Nosso capitalismo é o mais selvagem que se tem notícia, e isto também é fato e não teorias. A ironia é que o estudo e a formação universitária sempre foi coisa da elite, dos mais ricos…os doutores!!!

    Durante todo o tempo da nossa história, desde o início da Cia das Indias Ocidentais até a invasão da Crutale, sempre existiu resistência, as revoltas foram inúmeras, farrapos, inconfidentes, cabanos, houve levantes em Pernambuco, na Bahia, em São Paulo, Minas, Rio Grande do Sul. As grandes revoluções, constitucionalista, separatista, federalista, as ligas camponesas, a coluna Prestes, os movimentos sociais do começo dos anos 60. A resistência na ditadura militar, as grandes greves do ABC e os recentes movimentos sociais que se reorganizaram. Esta semana tivemos um evento de reflexão e debate que foi o Forum Social Mundial, que se reuniu em Porto Alegre e Salvador.

    É a luta de classes!!!

    Assim que ela se manifesta, é constante, permanente e como dizia K. Marx: o motor das sociedades humanas.
    Independe da nossa vontade, são fatores econômicos objetivos que determinam as posições de classe, e mais importante, a classe que detêm o poder econômico detêm também o poder político. Por isso existe um confundimento sobre de que lado está cada partido em determinado momento.

    Para terminar, estou ficando chato!

    Marx não criou um modelo de sociedade a ser seguido, sua teoria econômica é uma ferramenta de análise do papel das classes sociais e suas relações econômicas em determinado momento histórico, os marxistas não criaram o mundo eles apenas tentam explicá-lo!!!

    um grande abraço para todos
    alexandre

  • alexandre zamboni

    Boa tarde amigos leitores e editores do PdH, gostei do decorrências provocadas pelos artigos do Rodrigo Almeida, abrem um canal de debate sobre coisas importantes, eu acho isto muito bom!

    Quando li a primeira parte, lembrei-me de vários episódios que aconteceram, procurei e encontrei no portal do PCdoB uma detalhada relação das manifestações que aconteceram naquele dia e postei um comentário aqui, contribuindo com o debate. Não foi um movimento isolado, foram centenas de milhares de manifestantes que provocaram ações, marchas, passeatas, ocupações, debates etc.

    Curioso esperei o Rodrigo publicar a parte 2. E fiquei um pouco decepcionado.

    A posição do autor é de um patrulhamento carregado de ódio, mas, enfim, é a posição dele:
    “…conivência do governo brasileiro para com essas organizações criminosas … Quando iremos declarar guerra e reagir às investidas dessas organizações criminosas, auto-proclamadas movimentos sociais, …”

    Só posso discordar, e discordo porque minhas referências sobre a história do Brasil não são outras.

    Eu tive a oportunidade de conhecer o Nelson Werneck Sodré, e li vários de seus livros os mais tocantes: Formação Histórica do Brasil e Ideologia do Colonialismo.
    Também apareceu na minha vida Caio Prado Junior, com suas publicações: Formação do Brasil Contemporâneo e Dialética do Conhecimento, entre outros. Mais tarde li o que pude sobre o período recente da ditadura militar ( aliás a Folha de SP chama de ditabranda, por que será??) sobre os milicos o Élio Gaspari publicou dois volumes ótimos, Ditadura Escancalhada e Ditadura Envergonhada, se querem saber sobre tortura e corrupção?? Leiam o Élio!

    Calma amigos não estou me achando. Apenas dizendo que minhas referencias sobre nosso país está baseada praticamente nestes grandes pensadores, o Nelson Werneck e o Caio Prado, que foram importantes intelectuais que nos mostram com profundidade como a nossa sociedade foi se transformando de economia feudalista colonial para escravocrata, a passagem para um período de servidão, economia imperial, a expansão da oligarquia cafeeira e seu declínio durante a republica, as novas forças industriais com o fortalecimento do capitalismo e sua aliança com o imperialismo.

    Nosso desenvolvimento foi excluindo e marginalizando milhões de brasileiros, mestiços, negros ex-escravos, pequenos colonos, meieiros, os pobres do campo e das cidades, os índios e os imigrantes. Atualmente são os trabalhadores e operários industriais, rurais, as minorias, as mulheres, os negros…é só ver as estatísticas salariais!

    Isto não é opinião minha, isto tudo é fato!!!

    O Brasil é um país altamente discricionário, nossa distribuição de riquesa, patrimônio e renda é um absurdo, a propriedade da terra é das mais concentradas do mundo, nunca tivemos qualquer tipo de reforma agrária. Nosso capitalismo é o mais selvagem que se tem notícia, e isto também é fato e não teorias. A ironia é que o estudo e a formação universitária sempre foi coisa da elite, dos mais ricos…os doutores!!!

    Durante todo o tempo da nossa história, desde o início da Cia das Indias Ocidentais até a invasão da Crutale, sempre existiu resistência, as revoltas foram inúmeras, farrapos, inconfidentes, cabanos, houve levantes em Pernambuco, na Bahia, em São Paulo, Minas, Rio Grande do Sul. As grandes revoluções, constitucionalista, separatista, federalista, as ligas camponesas, a coluna Prestes, os movimentos sociais do começo dos anos 60. A resistência na ditadura militar, as grandes greves do ABC e os recentes movimentos sociais que se reorganizaram. Esta semana tivemos um evento de reflexão e debate que foi o Forum Social Mundial, que se reuniu em Porto Alegre e Salvador.

    É a luta de classes!!!

    Assim que ela se manifesta, é constante, permanente e como dizia K. Marx: o motor das sociedades humanas.
    Independe da nossa vontade, são fatores econômicos objetivos que determinam as posições de classe, e mais importante, a classe que detêm o poder econômico detêm também o poder político. Por isso existe um confundimento sobre de que lado está cada partido em determinado momento.

    Para terminar, estou ficando chato!

    Marx não criou um modelo de sociedade a ser seguido, sua teoria econômica é uma ferramenta de análise do papel das classes sociais e suas relações econômicas em determinado momento histórico, os marxistas não criaram o mundo eles apenas tentam explicá-lo!!!

    um grande abraço para todos
    alexandre

  • Diga

    Li todos os comentários. Até passei a ver os movimentos sociais com menos convencionalismo por causa destes. Essa é a vantagem de um blog. A apresentação dos conceitos e opiniões dos leitores.
    Posso até concordar com o motivo que leva à invasão de uma usina. Mas a cena dos manifestantes fuçando nos painéis de controle me passou uma idéia de inconsequência. Algo totalmente desnecessário.
    Moro no Pará. Conheço militantes, conheço anarquistas (favor não confundir com baderneiros e pregadores do caos) e mesmo assim nunca fui a favor de ações que gerassem qualquer tipo de violência. Logicamente, todas essas ações são executadas por vários motivos honestos e, infelizmente, de pretextos também. Mas não quero desmerecer a luta desse povo. Só acho que o ideal destes nunca será o de um país. Pois, apesar das diferenças e injustiças sociais, nosso país está passando por um momento de estabilidade (não, eu não votei no Lula). E toda essa idéia ou ilusão de ordem é quebrada quando há esse tipo de reivindicação. As pessoas têm medo do MST. Medo dos excluídos. Medo da barbárie. Os meios de comunicação também não ajudam a atenuar esse medo, pois estão igualmente amedrontados. E esse medo é transferido a todos nós, que vemos esse povo como uma doença que deve ser exterminada para que voltemos a ter a nossa paz.
    Infelizmente, eles são a minoria excluída de um país e nunca serão ouvidos pelo governo. As leis que regem a desapropriação de terras, por exemplo, sempre foram injustas. Há casos que o Estado indeniza apenas o beneficiamento da terra; algo absurdo para uma pessoa que tem apenas uma casinha de palha.

  • Diga

    Li todos os comentários. Até passei a ver os movimentos sociais com menos convencionalismo por causa destes. Essa é a vantagem de um blog. A apresentação dos conceitos e opiniões dos leitores.
    Posso até concordar com o motivo que leva à invasão de uma usina. Mas a cena dos manifestantes fuçando nos painéis de controle me passou uma idéia de inconsequência. Algo totalmente desnecessário.
    Moro no Pará. Conheço militantes, conheço anarquistas (favor não confundir com baderneiros e pregadores do caos) e mesmo assim nunca fui a favor de ações que gerassem qualquer tipo de violência. Logicamente, todas essas ações são executadas por vários motivos honestos e, infelizmente, de pretextos também. Mas não quero desmerecer a luta desse povo. Só acho que o ideal destes nunca será o de um país. Pois, apesar das diferenças e injustiças sociais, nosso país está passando por um momento de estabilidade (não, eu não votei no Lula). E toda essa idéia ou ilusão de ordem é quebrada quando há esse tipo de reivindicação. As pessoas têm medo do MST. Medo dos excluídos. Medo da barbárie. Os meios de comunicação também não ajudam a atenuar esse medo, pois estão igualmente amedrontados. E esse medo é transferido a todos nós, que vemos esse povo como uma doença que deve ser exterminada para que voltemos a ter a nossa paz.
    Infelizmente, eles são a minoria excluída de um país e nunca serão ouvidos pelo governo. As leis que regem a desapropriação de terras, por exemplo, sempre foram injustas. Há casos que o Estado indeniza apenas o beneficiamento da terra; algo absurdo para uma pessoa que tem apenas uma casinha de palha.

  • pablo

    Oi Pessoal,

    Será que nosso caro: “Engenheiro, apaixonado pela vida e por qualquer coisa com um motor potente, é um nostálgico entusiasta por muitas daquelas boas coisas que já não mais se fazem como antigamente.” conseguiria escrever um texto analizando a Satiagraha?

    abraços,

  • pablo

    Oi Pessoal,

    Será que nosso caro: “Engenheiro, apaixonado pela vida e por qualquer coisa com um motor potente, é um nostálgico entusiasta por muitas daquelas boas coisas que já não mais se fazem como antigamente.” conseguiria escrever um texto analizando a Satiagraha?

    abraços,

  • Marcus

    @ #69 – Dr Health

    Mas que mané. Isso demonstra bem o nível desse pessoal. Quando interpelados, dizem “eu estou MUITO bem de vida”. Ou seja: “pouco valem as opiniões em contrário pois eu tenho dinheiro, e isso que importa”. É a clássica visão da elite. Uma variação do “sabe com quem você está falando?”. Simplesmente podre.

    O problema, Rodrigos e Dr. Healths da vida, é que vocês estão sozinhos. Como devem ter notado pelos comentários, o Brasil não é mais formado por uma imensa parcela de pobres submissos e manobráveis pela elite. As pessoas têm se politizado e não acreditam mais nas suas estruturas de poder e na sua mídia corrupta. Vocês estão em extinção… Bye…

  • Marcus

    @ #69 – Dr Health

    Mas que mané. Isso demonstra bem o nível desse pessoal. Quando interpelados, dizem “eu estou MUITO bem de vida”. Ou seja: “pouco valem as opiniões em contrário pois eu tenho dinheiro, e isso que importa”. É a clássica visão da elite. Uma variação do “sabe com quem você está falando?”. Simplesmente podre.

    O problema, Rodrigos e Dr. Healths da vida, é que vocês estão sozinhos. Como devem ter notado pelos comentários, o Brasil não é mais formado por uma imensa parcela de pobres submissos e manobráveis pela elite. As pessoas têm se politizado e não acreditam mais nas suas estruturas de poder e na sua mídia corrupta. Vocês estão em extinção… Bye…

  • Dr Health

    bla bla bla, patati patatá

    Uaaaah, que tédio!

  • Dr Health

    bla bla bla, patati patatá

    Uaaaah, que tédio!

  • Marcus

    And I rest my case!

  • Marcus

    And I rest my case!

  • Carvalho

    Atualização das estatísitcas do #62, após mais 13 comentários:

    Contra – passou de 22 pra 30
    Pseudo – de 13 pra 15
    Neutro – de 9 pra 10
    A favor – de 12 pra 14 – dá-lhe Dr. Health…

    Acho que isso em boa parte vem do fato que é chato pra caramba discutir com esquerdistas. Pouca gente tem paciência, e com isso eles vão tomando espaços. Tem um exemplo disso logo acima.

    O que o MST e outros grupelhos fazem é se organizar para impor na marra o ponto de vista deles ( minoria) sobre o dos outros ( maioria).

    Quando eu estava na faculdade teve o impeachment do Collor.
    Até hoje ouço falar dos cara-pintadas que tomaram as ruas, os estudantes que ajudaram a derrubar o Collor. O que rolava na verdade, é que a galera ia pra passeata por causa da pegação…é isso mesmo, era uma “micareta política” !!!

    A esmagadora maioria do movimento estudantil que eu tive contato era de bandidos. Gente que não hesita em usar métodos escusos pra ganhar uma eleição, tomar o poder, inclusive depredando uma usina.

    EU paguei por aquela usina. MEUS impostos, MEU trabalho pagou por aquilo. E se uns vagabundos quiserem destruir, quero mais é que a polícia que EU pago tirem eles de lá.

    Agora podem bater à vontade meus queridos amigos vermelhos…

  • Carvalho

    Atualização das estatísitcas do #62, após mais 13 comentários:

    Contra – passou de 22 pra 30
    Pseudo – de 13 pra 15
    Neutro – de 9 pra 10
    A favor – de 12 pra 14 – dá-lhe Dr. Health…

    Acho que isso em boa parte vem do fato que é chato pra caramba discutir com esquerdistas. Pouca gente tem paciência, e com isso eles vão tomando espaços. Tem um exemplo disso logo acima.

    O que o MST e outros grupelhos fazem é se organizar para impor na marra o ponto de vista deles ( minoria) sobre o dos outros ( maioria).

    Quando eu estava na faculdade teve o impeachment do Collor.
    Até hoje ouço falar dos cara-pintadas que tomaram as ruas, os estudantes que ajudaram a derrubar o Collor. O que rolava na verdade, é que a galera ia pra passeata por causa da pegação…é isso mesmo, era uma “micareta política” !!!

    A esmagadora maioria do movimento estudantil que eu tive contato era de bandidos. Gente que não hesita em usar métodos escusos pra ganhar uma eleição, tomar o poder, inclusive depredando uma usina.

    EU paguei por aquela usina. MEUS impostos, MEU trabalho pagou por aquilo. E se uns vagabundos quiserem destruir, quero mais é que a polícia que EU pago tirem eles de lá.

    Agora podem bater à vontade meus queridos amigos vermelhos…

  • Dr Health

    Eu lembro da galera dos “movimentos estudantis” da minha faculdade, os que iam protestar na reitoria, etc.

    NENHUM deles se formou com a turma de origem. Devem seguir o exemplo do atual presidente da UNE, um marmanjo de quase 30 anos com 200 faculdades não terminadas.

    Estudar e trabalhar que é bom, ninguém quer!!!

    Mas não os culpo, enveredar para o mundo dos conchavos políticos deve ser beeem melhor. Burro é quem estuda e trabalha!

    PS: É tão fofinho ver os esquerdopatas e suas ironias “sagazes”… Vcs me matam de rir.

  • Dr Health

    Eu lembro da galera dos “movimentos estudantis” da minha faculdade, os que iam protestar na reitoria, etc.

    NENHUM deles se formou com a turma de origem. Devem seguir o exemplo do atual presidente da UNE, um marmanjo de quase 30 anos com 200 faculdades não terminadas.

    Estudar e trabalhar que é bom, ninguém quer!!!

    Mas não os culpo, enveredar para o mundo dos conchavos políticos deve ser beeem melhor. Burro é quem estuda e trabalha!

    PS: É tão fofinho ver os esquerdopatas e suas ironias “sagazes”… Vcs me matam de rir.

  • http://rodrigosantiago.wordpress.com/ Rodrigo Santiago

    @Olavo de Carvalho:

    “Acho que isso em boa parte vem do fato que é chato pra caramba discutir com esquerdistas. Pouca gente tem paciência, e com isso eles vão tomando espaços. Tem um exemplo disso logo acima.”

    A discussão que vi acima foi muitos comentários “esquerdistas” com forte embasamento sendo esculachados pelos “direitistas” com “patati patatá” uau, grande aumento da discussão. Ou seja, cadê o argumento? E o SEU argumento contrário aos comentários “esquerdistas” é de que há um patrulhamento? Po, quer discordar, discorde, mas discorde com eloquencia, e não com “meu deus, há um patrulhamento, CORRÃO”

    Ninguém quer impor seu ponto de vista, as pessoas querem ter um modo de vida minimamente digno. Conheça o Brasil de norte a sul e vamos ver se continua com a mesma opinião.

  • http://rodrigosantiago.wordpress.com Rodrigo Santiago

    @Olavo de Carvalho:

    “Acho que isso em boa parte vem do fato que é chato pra caramba discutir com esquerdistas. Pouca gente tem paciência, e com isso eles vão tomando espaços. Tem um exemplo disso logo acima.”

    A discussão que vi acima foi muitos comentários “esquerdistas” com forte embasamento sendo esculachados pelos “direitistas” com “patati patatá” uau, grande aumento da discussão. Ou seja, cadê o argumento? E o SEU argumento contrário aos comentários “esquerdistas” é de que há um patrulhamento? Po, quer discordar, discorde, mas discorde com eloquencia, e não com “meu deus, há um patrulhamento, CORRÃO”

    Ninguém quer impor seu ponto de vista, as pessoas querem ter um modo de vida minimamente digno. Conheça o Brasil de norte a sul e vamos ver se continua com a mesma opinião.

  • http://rodrigosantiago.wordpress.com/ Rodrigo Santiago

    @Dr. Health

    Mas movimento estudantil não é só de esquerda não. Aqui na UFSC o movimento estudantil de direita ganhou eleições do DCE algumas vezes.

    E sim, conheço muitos “direitistas” que enveredam pelo mesmo caminho, 200 faculdades não terminadas, etc etc…

    Porém, também não sou lá muito simpático ao movimento estudantil. E concordo que é trampolim para a vida política.

  • http://rodrigosantiago.wordpress.com Rodrigo Santiago

    @Dr. Health

    Mas movimento estudantil não é só de esquerda não. Aqui na UFSC o movimento estudantil de direita ganhou eleições do DCE algumas vezes.

    E sim, conheço muitos “direitistas” que enveredam pelo mesmo caminho, 200 faculdades não terminadas, etc etc…

    Porém, também não sou lá muito simpático ao movimento estudantil. E concordo que é trampolim para a vida política.

  • WBM

    #78 – Rodrigo Santiago

    Pois é camarada. É realmente mais fácil apelar pro maniqueismo, dizer que quem defende movimentos sociais é esquerdopata, do que ler Caio Prado, Nelson Werneck Sodré, Raimunod Faoro e Gilberto Freire e descobrir o origem e os motivos dos movimentos.
    É mais fácil chegar em casa e ligar a TV na Globo e ver imagens do MST depredando 0,3% do terreno da Cutrale.
    E aí, quando vai discutir com quem estuda chega e fica usando falácias pra fazer gracinha pra quem pensa igual (que ao que parece se trata de uma minoria). A ponto de insinuar que eu havia relacionado capitanias hereditárias à origem do movimento sem-terra… tsssss (tapa na testa!)

    Parabéns ao colega #70 – alexandre zamboni. Você contou a historinha que eu fiquei com preguiça de contar.

    POR FIM, FICA AQUI UMA CRÍTICA AO SITE: Seria interessante o PdH promover artigos de gente mais qualificada para falar de certos assuntos. Dá pra ver que existem comentaristas muito bem estudados quando o assunto é política pública participando aqui no site.

    Porque, em relação aos tradicionais colaboradores que aqui se manifestaram, é melhor que fiquem apenas com os motores e com as doenças mesmo…

  • WBM

    #78 – Rodrigo Santiago

    Pois é camarada. É realmente mais fácil apelar pro maniqueismo, dizer que quem defende movimentos sociais é esquerdopata, do que ler Caio Prado, Nelson Werneck Sodré, Raimunod Faoro e Gilberto Freire e descobrir o origem e os motivos dos movimentos.
    É mais fácil chegar em casa e ligar a TV na Globo e ver imagens do MST depredando 0,3% do terreno da Cutrale.
    E aí, quando vai discutir com quem estuda chega e fica usando falácias pra fazer gracinha pra quem pensa igual (que ao que parece se trata de uma minoria). A ponto de insinuar que eu havia relacionado capitanias hereditárias à origem do movimento sem-terra… tsssss (tapa na testa!)

    Parabéns ao colega #70 – alexandre zamboni. Você contou a historinha que eu fiquei com preguiça de contar.

    POR FIM, FICA AQUI UMA CRÍTICA AO SITE: Seria interessante o PdH promover artigos de gente mais qualificada para falar de certos assuntos. Dá pra ver que existem comentaristas muito bem estudados quando o assunto é política pública participando aqui no site.

    Porque, em relação aos tradicionais colaboradores que aqui se manifestaram, é melhor que fiquem apenas com os motores e com as doenças mesmo…

  • Marcus

    Mas vão discordar como, se eles só lêem a Veja? O que esse pessoal tem de entender é que eles não sabem patavina de geopolítica e de história, bem como não tem cultura e profundidade intelectual suficiente para formar opiniões críticas bem fundamentadas sobre qualquer assunto. Aí partem para o ataque do tipo “vagabundos, que não querem estudar”. Acham que quem não seguiu o padrão “formar-ganhar dinheiro-formar patrimônio-rir de pobre-tirar férias na Disney” é porque não pode ou não consegue…

    Meu amigo, me formei na segunda melhor Faculdade de Direito do país e sou advogado de empresas de tamanho considerável. Não apoio os movimentos sociais porque preciso ou porque quero viver disso. Apóio porque, ao contrário de vocês, penso tanto no bem comum quanto na minha vida privada.

    Assim, não basta para mim que meu filho durma bem em seu quarto lindo e decorado, como alguém disse por aí. Me preocupo com aquelas pessoas que cujos filhos não tem um mínimo de segurança social e consigo me colocar na posição deles, mesmo que provavelmente jamais vá passar por situação parecida.

    Se vocês lessem Norberto Bobbio (quem? tá participando do BBB?), saberiam que a diferença primordial entre Direita e Esquerda está justamente no foco do bem-estar particular e do bem-estar comum. Vocês estão ainda na fase anal, como crianças onde tudo é pra mim (eu pago, eu tenho, eu quero, eu exijo…) enquanto nós, da esquerda, vemos a coisa como um todo, sendo que só nos sentiremos bem quando houver um mínimo de justiça social, mesmo que nossas vidas privadas sejam tão perfeitas quanto as da novela das oito (estou facilitando para vocês, ok?).

    Depois vocês não entendem porque são minoria e porque sua opinião já não interessa a ninguém…

  • Marcus

    Mas vão discordar como, se eles só lêem a Veja? O que esse pessoal tem de entender é que eles não sabem patavina de geopolítica e de história, bem como não tem cultura e profundidade intelectual suficiente para formar opiniões críticas bem fundamentadas sobre qualquer assunto. Aí partem para o ataque do tipo “vagabundos, que não querem estudar”. Acham que quem não seguiu o padrão “formar-ganhar dinheiro-formar patrimônio-rir de pobre-tirar férias na Disney” é porque não pode ou não consegue…

    Meu amigo, me formei na segunda melhor Faculdade de Direito do país e sou advogado de empresas de tamanho considerável. Não apoio os movimentos sociais porque preciso ou porque quero viver disso. Apóio porque, ao contrário de vocês, penso tanto no bem comum quanto na minha vida privada.

    Assim, não basta para mim que meu filho durma bem em seu quarto lindo e decorado, como alguém disse por aí. Me preocupo com aquelas pessoas que cujos filhos não tem um mínimo de segurança social e consigo me colocar na posição deles, mesmo que provavelmente jamais vá passar por situação parecida.

    Se vocês lessem Norberto Bobbio (quem? tá participando do BBB?), saberiam que a diferença primordial entre Direita e Esquerda está justamente no foco do bem-estar particular e do bem-estar comum. Vocês estão ainda na fase anal, como crianças onde tudo é pra mim (eu pago, eu tenho, eu quero, eu exijo…) enquanto nós, da esquerda, vemos a coisa como um todo, sendo que só nos sentiremos bem quando houver um mínimo de justiça social, mesmo que nossas vidas privadas sejam tão perfeitas quanto as da novela das oito (estou facilitando para vocês, ok?).

    Depois vocês não entendem porque são minoria e porque sua opinião já não interessa a ninguém…

  • Dr Health

    Um desses líderes estudantis da época dos cara-pintadas, no final das contas acabou virando prefeito de uma cidade aqui do Rio.

    No hospital que eu trabalhava nessa cidade, havia uma UTI pronta pro cara, de sobreaviso. Isso porque era comum ele ter piripaques de tanto cheirar cocaína.

    Eu vi essa UTI. Era um brinco perto daquela reservada para o povão…

  • Dr Health

    Um desses líderes estudantis da época dos cara-pintadas, no final das contas acabou virando prefeito de uma cidade aqui do Rio.

    No hospital que eu trabalhava nessa cidade, havia uma UTI pronta pro cara, de sobreaviso. Isso porque era comum ele ter piripaques de tanto cheirar cocaína.

    Eu vi essa UTI. Era um brinco perto daquela reservada para o povão…

  • Dr Health

    “Porque, em relação aos tradicionais colaboradores que aqui se manifestaram, é melhor que fiquem apenas com os motores e com as doenças mesmo…”

    Cara, isso só me estimula a escrever mais sobre o assunto!!!

    Prepare-se!!! I´ll be back!!

  • Dr Health

    “Porque, em relação aos tradicionais colaboradores que aqui se manifestaram, é melhor que fiquem apenas com os motores e com as doenças mesmo…”

    Cara, isso só me estimula a escrever mais sobre o assunto!!!

    Prepare-se!!! I´ll be back!!

  • WBM

    Ok Dr. Manda bala! Continuarei a ler todos os seus artigos sobre saúde, que por sinal são ótimos!

  • WBM

    Ok Dr. Manda bala! Continuarei a ler todos os seus artigos sobre saúde, que por sinal são ótimos!

  • Marcus

    “Prepare-se!!! I´ll be back!!”

    Cara, você é muito infantil. Age como uma criança mimada, incapaz de formular um único argumento com algum fundamento e sem piadinhas.

    Você é médico mesmo? Sério? Não é à toa que a saúde do país vai de mal a pior…

  • Marcus

    “Prepare-se!!! I´ll be back!!”

    Cara, você é muito infantil. Age como uma criança mimada, incapaz de formular um único argumento com algum fundamento e sem piadinhas.

    Você é médico mesmo? Sério? Não é à toa que a saúde do país vai de mal a pior…

  • Dr Health

    Hehehe, se vcs soubessem que não sou tão radical de direita assim e que acredito que no fundo há uma boa intenção nos movimentos sociais, apesar de condenar o uso da violência. E seria ingenuidade demais achar que a Veja só diz a verdade e não é tendenciosa.

    Mas é que irritar esquerdistas é um hobby, no qual sou muito competente!! Num guento, num guento, num guento!!

    Ver vocês dando ataque de perereca e revoltados é divertido demais! Se fosse esporte olímpico, eu era medalha de ouro!

    Xinguem aqui abaixo:

    _________________________________

  • Dr Health

    Hehehe, se vcs soubessem que não sou tão radical de direita assim e que acredito que no fundo há uma boa intenção nos movimentos sociais, apesar de condenar o uso da violência. E seria ingenuidade demais achar que a Veja só diz a verdade e não é tendenciosa.

    Mas é que irritar esquerdistas é um hobby, no qual sou muito competente!! Num guento, num guento, num guento!!

    Ver vocês dando ataque de perereca e revoltados é divertido demais! Se fosse esporte olímpico, eu era medalha de ouro!

    Xinguem aqui abaixo:

    _________________________________

  • http://rodrigosantiago.wordpress.com/ Rodrigo Santiago

    Pois é, caro Dr.

    Mas o fato do cara ter uma ambulância prontinha não era por ele ser do movimento estudantil, ou por ser de esquerda… mas por ser prefeito da cidade.

    Essas situação não são exclusivas de direita ou esquerda. Criticar todo um movimento (estudantil, esquerda, direita etc) por causa dessa situação particular é um tanto simplório e superficial.

    E WBM, agora eles vão dizer que a academia é “vermelha”. Que há patrulhamento etc. LOL.

  • http://rodrigosantiago.wordpress.com Rodrigo Santiago

    Pois é, caro Dr.

    Mas o fato do cara ter uma ambulância prontinha não era por ele ser do movimento estudantil, ou por ser de esquerda… mas por ser prefeito da cidade.

    Essas situação não são exclusivas de direita ou esquerda. Criticar todo um movimento (estudantil, esquerda, direita etc) por causa dessa situação particular é um tanto simplório e superficial.

    E WBM, agora eles vão dizer que a academia é “vermelha”. Que há patrulhamento etc. LOL.

  • http://papodehomem.com.br/ Guilherme Nascimento Valadares

    Pessoal, a discussão no campo das ideias está pra lá de proveitosa.

    O comentário do #70 – alexandre zamboni, por ex, está bem bacana.

    Especialmente para uma certa faixa de público que não consome mais jornais impressos nem televisisos, e muito certamente nem estava sabendo/lembrado de nada disso.

    Vamos manter assim, se virar troca de farpas perde o foco total.

  • http://papodehomem.com.br Guilherme Nascimento Valadares

    Pessoal, a discussão no campo das ideias está pra lá de proveitosa.

    O comentário do #70 – alexandre zamboni, por ex, está bem bacana.

    Especialmente para uma certa faixa de público que não consome mais jornais impressos nem televisisos, e muito certamente nem estava sabendo/lembrado de nada disso.

    Vamos manter assim, se virar troca de farpas perde o foco total.

  • Diga

    Vamos contar até dez aí, pessoal. Vamos evitar os rótulos. Essa coisa de postar que “fulano é um isso e aquilo” só prejudica.

  • Diga

    Vamos contar até dez aí, pessoal. Vamos evitar os rótulos. Essa coisa de postar que “fulano é um isso e aquilo” só prejudica.

  • Dr Health

    Marcus, sou sim. Formado pela UFRJ e residência médica em traumato-ortopedia pela UFRJ, pós graduado em Medicina do Trabalho e especialista em Cirurgia do Joelho. Perdi a conta de quantas pessoas já operei e botei pra andar de novo.

    Mas agora só atendo particular. Quer dizer, faço um trabalho social aqui na PdH, respondendo a leitores e postando textos sobre Medicina. consultoria de graça!! Viu como ajudo a quem precisa ao invés de ficar só na ideologia? E você, o que está fazendo?

    Não precisa agradecer.

    E realmente, depois do seu comentário, tô indo me jogar da ponte.. Oh meodeos!!

    Mas foi divertido ver você irritado. Have a nice day…

  • Dr Health

    Marcus, sou sim. Formado pela UFRJ e residência médica em traumato-ortopedia pela UFRJ, pós graduado em Medicina do Trabalho e especialista em Cirurgia do Joelho. Perdi a conta de quantas pessoas já operei e botei pra andar de novo.

    Mas agora só atendo particular. Quer dizer, faço um trabalho social aqui na PdH, respondendo a leitores e postando textos sobre Medicina. consultoria de graça!! Viu como ajudo a quem precisa ao invés de ficar só na ideologia? E você, o que está fazendo?

    Não precisa agradecer.

    E realmente, depois do seu comentário, tô indo me jogar da ponte.. Oh meodeos!!

    Mas foi divertido ver você irritado. Have a nice day…

  • Frederico Salume

    Dr Health, tomara que seja brincadeira mesmo, porque a infantilidade foi intensa, sem argumento nenhum, só falácia.

    E pra quem não sabe, o movimento estudantil surgiu na direita, porque era a faixa social que tinha acesso às universidades (e até hj, em alguns cursos, é assim).

    A questão não é ser direita ou esquerda, é ter bom senso e analisar a coisa pelo todo.

  • Frederico Salume

    Dr Health, tomara que seja brincadeira mesmo, porque a infantilidade foi intensa, sem argumento nenhum, só falácia.

    E pra quem não sabe, o movimento estudantil surgiu na direita, porque era a faixa social que tinha acesso às universidades (e até hj, em alguns cursos, é assim).

    A questão não é ser direita ou esquerda, é ter bom senso e analisar a coisa pelo todo.

  • Marcão, macho-alpha++

    @Olavo de Carvalho

    eu achei interessante teu comentário:
    “EU paguei por aquela usina. MEUS impostos, MEU trabalho pagou por aquilo. E se uns vagabundos quiserem destruir, quero mais é que a polícia que EU pago tirem eles de lá.”
    >>Você se revolta assim quando descobre que o Presidente do Banco Central quer aumentar os juros (a taxa SELIC) que no fundo vai pegar os NOSSOS impostos e pagar para investidores que estão apostando a curto prazo no país (e não em investimento produtivo)? A economia brasileira quase não sofreu numa crise global e ele já quer aumentar novamente!!! São mais de 200 bilhões por ano ROUBADOS do povo brasileiro. E o Sr. Lula nunca fez nada pra mudar isso. Você não se revolta em ser assaltado assim?

    Outro ponto interessante:
    “O que o MST e outros grupelhos fazem é se organizar para impor na marra o ponto de vista deles ( minoria) sobre o dos outros ( maioria).”
    >>Não sei se você sabe, mas a esquerda é a maioria do país. O Presidente Lula foi eleito duas vezes, portanto, tem a MAIORIA do apoio da população. Inclusive no momento ele goza de uma popularidade em torno de 80%. E não apenas entre os dependentes de algum auxílio, mas mesmo entre nós, classe média alta, ele tem boa avaliação.
    O problema é que alguns no país (direita) são minoria e acham que são maioria.
    Os MÉTODOS do MST podem parecer exagerados, mas lembre-se que após 8 anos, o Presidente Lula abandonou muita promessas e compromissos em prol de uma governabilidade e de eleger A sucessora. Não tem como chamar a atenção se não for dessa maneira.

    Att

    Marcão, macho-alpha++

  • Marcão, macho-alpha++

    @Olavo de Carvalho

    eu achei interessante teu comentário:
    “EU paguei por aquela usina. MEUS impostos, MEU trabalho pagou por aquilo. E se uns vagabundos quiserem destruir, quero mais é que a polícia que EU pago tirem eles de lá.”
    >>Você se revolta assim quando descobre que o Presidente do Banco Central quer aumentar os juros (a taxa SELIC) que no fundo vai pegar os NOSSOS impostos e pagar para investidores que estão apostando a curto prazo no país (e não em investimento produtivo)? A economia brasileira quase não sofreu numa crise global e ele já quer aumentar novamente!!! São mais de 200 bilhões por ano ROUBADOS do povo brasileiro. E o Sr. Lula nunca fez nada pra mudar isso. Você não se revolta em ser assaltado assim?

    Outro ponto interessante:
    “O que o MST e outros grupelhos fazem é se organizar para impor na marra o ponto de vista deles ( minoria) sobre o dos outros ( maioria).”
    >>Não sei se você sabe, mas a esquerda é a maioria do país. O Presidente Lula foi eleito duas vezes, portanto, tem a MAIORIA do apoio da população. Inclusive no momento ele goza de uma popularidade em torno de 80%. E não apenas entre os dependentes de algum auxílio, mas mesmo entre nós, classe média alta, ele tem boa avaliação.
    O problema é que alguns no país (direita) são minoria e acham que são maioria.
    Os MÉTODOS do MST podem parecer exagerados, mas lembre-se que após 8 anos, o Presidente Lula abandonou muita promessas e compromissos em prol de uma governabilidade e de eleger A sucessora. Não tem como chamar a atenção se não for dessa maneira.

    Att

    Marcão, macho-alpha++

  • WBM

    Pois bem galera, já que o Doutor citou aqui a formação profissional dele, gostaria também de citar a minha: sou auditor da Controladoria-Geral da União, mestre em Políticas Públicas e Desenvolvimento e entusiasta de políticas públicas no nosso querido Brasil.
    Gostaria de me colocar à disposição do site para escrever artigos sobre cidadania, orçamento público, controle social e outros assuntos atinentes à minha área.
    Assim, acredito que, assim com o Maurício, poderia ajudar a elevar o nível do debate sobre política e cidadania aqui no PdH, colaborando para a formação de Homens de verdade.
    Se eu escrever algum texto partidário, peço que vocês desçam a lenha sem dó.
    O que você acha Guilherme?

  • WBM

    Pois bem galera, já que o Doutor citou aqui a formação profissional dele, gostaria também de citar a minha: sou auditor da Controladoria-Geral da União, mestre em Políticas Públicas e Desenvolvimento e entusiasta de políticas públicas no nosso querido Brasil.
    Gostaria de me colocar à disposição do site para escrever artigos sobre cidadania, orçamento público, controle social e outros assuntos atinentes à minha área.
    Assim, acredito que, assim com o Maurício, poderia ajudar a elevar o nível do debate sobre política e cidadania aqui no PdH, colaborando para a formação de Homens de verdade.
    Se eu escrever algum texto partidário, peço que vocês desçam a lenha sem dó.
    O que você acha Guilherme?

  • Diga

    @ #92 – Marcão, macho-alpha++
    Nem sempre o aumento da taxa de juros é algo maléfico para a economia. Mas essa discussão é para outra ocasião.
    ——————————-

    Supondo que cada um aqui fosse “o cara”, e fosse um ser privilegiado com o poder de prevenir que a usina fosse tomada, e supondo que não houvesse presidente, polícia ou exército para impedir essa invasão.
    O que cada um faria? Abandonava a usina nas mãos dos manifestantes ou impediria a tomada?
    Eu concordo com a reivindicação deles; porém, logicamente, uma vez que se dá liberdade para invadir, coisa boa não sai. Existem muitos manifestantes, e alguns poucos vão mais pra ignorância do que muitos outros (se é que me entendem).
    Minha opinião é paradoxal mesmo. Concordo com a invasão, contanto que tenha alguém para tirá-los de lá e restaurar a ordem. Rsrs! Chamou a atenção e “pronto”. E se o governo não proporcionar justiça, que invadam novamente!
    Concluindo, contanto que sempre haja a democracia, é bom que existam os “direitistas” e os “esquerdistas”.

  • Diga

    @ #92 – Marcão, macho-alpha++
    Nem sempre o aumento da taxa de juros é algo maléfico para a economia. Mas essa discussão é para outra ocasião.
    ——————————-

    Supondo que cada um aqui fosse “o cara”, e fosse um ser privilegiado com o poder de prevenir que a usina fosse tomada, e supondo que não houvesse presidente, polícia ou exército para impedir essa invasão.
    O que cada um faria? Abandonava a usina nas mãos dos manifestantes ou impediria a tomada?
    Eu concordo com a reivindicação deles; porém, logicamente, uma vez que se dá liberdade para invadir, coisa boa não sai. Existem muitos manifestantes, e alguns poucos vão mais pra ignorância do que muitos outros (se é que me entendem).
    Minha opinião é paradoxal mesmo. Concordo com a invasão, contanto que tenha alguém para tirá-los de lá e restaurar a ordem. Rsrs! Chamou a atenção e “pronto”. E se o governo não proporcionar justiça, que invadam novamente!
    Concluindo, contanto que sempre haja a democracia, é bom que existam os “direitistas” e os “esquerdistas”.

  • Bafana Bafana

    Pera aí caro Rodrigo Almeida (Autor),
    “Existem muitos canais para isso, basta saber usar o sistema ao invés de querer resolver o problema com uma foice na mão.”
    Vc considera que esses canais são acessiveis a quem?
    Àquele cidadão que nunca teve acesso a escola, nem à saúde, que não tem condições de arrumar um trabalho digno e que o único veículo de informação a que ele tem acesso é o Jornal da Globo?
    Entendo que vc tenha sua opinião sobre o assunto, e respeito… mas tenho que concordar que esse artigo foi muito infeliz. Globo e Veja? Vc só pode estar brincando com os leitores do site…
    Agora me espantei com o Dr Health, que como desmonstrou em seus comentários, é um rapaz muito educado (vale até salientar que é “Formado pela UFRJ e residência médica em traumato-ortopedia pela UFRJ, pós graduado em Medicina do Trabalho e especialista em Cirurgia do Joelho”). Estou realmente impressionado!!! (rs)
    “Perdi a conta de quantas pessoas já operei e botei pra andar de novo. Mas agora só atendo particular. Quer dizer, faço um trabalho social aqui na PdH, respondendo a leitores e postando textos sobre Medicina. consultoria de graça!! Viu como ajudo a quem precisa ao invés de ficar só na ideologia? E você, o que está fazendo?”
    Estou aqui pensando como é que eu nunca me toquei da importância do trabalho social que vc desenvolve aqui… talvez pq nunca li nenhum post seu. Mas pela “educação” e “inteligencia” com que vc se referiu aos leitores e respondeu os comentários, eu só fico com a certeza de que não perdi meu tempo. E nem vou perder…
    Acho que o site só perdeu com essa publicação e perdeu mais ainda com os comentários infelizes de “alguns” colaboradores.

  • Bafana Bafana

    Pera aí caro Rodrigo Almeida (Autor),
    “Existem muitos canais para isso, basta saber usar o sistema ao invés de querer resolver o problema com uma foice na mão.”
    Vc considera que esses canais são acessiveis a quem?
    Àquele cidadão que nunca teve acesso a escola, nem à saúde, que não tem condições de arrumar um trabalho digno e que o único veículo de informação a que ele tem acesso é o Jornal da Globo?
    Entendo que vc tenha sua opinião sobre o assunto, e respeito… mas tenho que concordar que esse artigo foi muito infeliz. Globo e Veja? Vc só pode estar brincando com os leitores do site…
    Agora me espantei com o Dr Health, que como desmonstrou em seus comentários, é um rapaz muito educado (vale até salientar que é “Formado pela UFRJ e residência médica em traumato-ortopedia pela UFRJ, pós graduado em Medicina do Trabalho e especialista em Cirurgia do Joelho”). Estou realmente impressionado!!! (rs)
    “Perdi a conta de quantas pessoas já operei e botei pra andar de novo. Mas agora só atendo particular. Quer dizer, faço um trabalho social aqui na PdH, respondendo a leitores e postando textos sobre Medicina. consultoria de graça!! Viu como ajudo a quem precisa ao invés de ficar só na ideologia? E você, o que está fazendo?”
    Estou aqui pensando como é que eu nunca me toquei da importância do trabalho social que vc desenvolve aqui… talvez pq nunca li nenhum post seu. Mas pela “educação” e “inteligencia” com que vc se referiu aos leitores e respondeu os comentários, eu só fico com a certeza de que não perdi meu tempo. E nem vou perder…
    Acho que o site só perdeu com essa publicação e perdeu mais ainda com os comentários infelizes de “alguns” colaboradores.

  • Pingback: O melhor da semana PdH (1 a 7/2) | Papo de Homem – Lifestyle Magazine

  • Marcão, macho-alpha++

    #94 – Diga,

    “Nem sempre o aumento da taxa de juros é algo maléfico para a economia. Mas essa discussão é para outra ocasião.”
    >>Cara, dinheiro é algo maléfico pra humanidade. Dentro do contexto limitado, excludente, injusto e cruel do capitalismo, é uma ferramenta como qualquer outra, com prós e contras. Agora, no meio de uma crise mundial que ainda nem acabou, o presidente do Bank of Boston, que faz bico no BACEN, querer aumentar punindo os que vivem de importar/exportar, capital produtivo e etc é uma vergonha total e absoluta.
    Acho que como todo mundo já sabe, sou extremamente extremista :D

    O Caos é meu Deus e a força que eu acredito.

    Att

    Marcão, macho-alpha++

  • Marcão, macho-alpha++

    #94 – Diga,

    “Nem sempre o aumento da taxa de juros é algo maléfico para a economia. Mas essa discussão é para outra ocasião.”
    >>Cara, dinheiro é algo maléfico pra humanidade. Dentro do contexto limitado, excludente, injusto e cruel do capitalismo, é uma ferramenta como qualquer outra, com prós e contras. Agora, no meio de uma crise mundial que ainda nem acabou, o presidente do Bank of Boston, que faz bico no BACEN, querer aumentar punindo os que vivem de importar/exportar, capital produtivo e etc é uma vergonha total e absoluta.
    Acho que como todo mundo já sabe, sou extremamente extremista :D

    O Caos é meu Deus e a força que eu acredito.

    Att

    Marcão, macho-alpha++

  • Carlos lacerda

    Paranóia lacerdista detected!

  • Carlos lacerda

    Paranóia lacerdista detected!

Papo de homem recomenda

Assine o Papo de homem

Curta o PdH no Facebook
  • 5364 artigos
  • 654449 comentários
  • leitores online