Inception (A Origem): mas que porra de filme é esse?

Thiago Rocha Kiwi

por
em às | Cultura e arte, Resenhas


Nota do editor: se você vê apenas um filme onde tem um filme, pode ler esse post tranquilo, não tem spoilers. Porém, se você também acha que muitos filmes não são apenas filmes, então vá para o cinema sem ler nada antes.

Estreia hoje nos cinemas do Brasil A Origem (Inception), escrito, produzido e dirigido por Christopher Nolan. Tive a chance de assistir A Origem há três semanas e, para mim, é um daqueles filmes históricos, daqueles que marcam uma era. Se Cidade das Sombras, Matrix, eXistenZ e Avatar trouxeram à tona a possibilidade de viver em um mundo não-real, o novo longa brinca com a ideia de viver e compartilhar sonhos.

Primeiro, vale ressaltar que Nolan escreveu o filme muito antes de dirigir suas duas mais famosas produções, Batman Begins e O Cavaleiro das Trevas. Mas, quando apresentou seu roteiro para a Warner Bros. em 2001, sentiu que ainda não estava preparado para dirigir uma obra como A Origem, e usou esses dois primeiros filmes para ganhar experiência com grandes produções.


Link YouTube

Uma coisa é certa: o treinamento de Nolan valeu à pena. Com fantásticos efeitos especiais, mas sem a necessidade do 3D, o diretor constrói um mundo de sonhos dentro do qual seus personagens são especialistas em viajar. O líder do grupo é Dom Cobb, vivido por Leonardo DiCaprio, um tipo de espião especializado em invadir a mente de pessoas para roubar informações secretas.

Cobb vive como foragido das autoridades americanas desde que foi acusado da morte de sua mulher. Entretanto, um poderoso empresário oferece a ele a chance de ter sua ficha criminal limpa desde que ele aceite uma última missão: ao invés de retirar uma informação, ele agora teria que implantar uma ideia na mente de um homem. E é a isso que a palavra “Inception” se refere, à inserção de um pensamento na mente. Agora, não me perguntem de onde tiraram o nome “A Origem”, porque eu também não faço ideia.

Não quero contar toda a história aqui, mas aconselho que uma lida na sinopse antes ou depois da sua sessão vai ajudar a compreender melhor o que se passa no filme, já que a maioria das pessoas com quem conversei, inclusive eu, saíram um pouco confusas da sala do cinema.

Um dos pontos responsáveis por essa confusão é a capacidade que Cobb tem de viajar entre as camadas de sonho. Basicamente, os personagens sonham enquanto estão sonhando e, assim, atingem os lugares mais secretos da mente humana, podendo arquitetar um falso mundo, cheio de objetos impossíveis.

Não estranhe se, sonhando, você encontrar uma dessas. | Versão de M. C. Escher para a clássica escada impossível.

Toda a história pareceria fantasia demais se não tivesse a base científica estudada por Nolan durante a pré-produção. Aparentemente, já existem técnicas usadas para implantar uma ideia na mente de uma pessoa ou mesmo guias com os quais você pode aprender a controlar seus sonhos.

O certo é que, depois de A Origem, você vai se perguntar ao menos uma vez:

“É tudo isso que vemos e parecemos nada além de um sonho dentro de um sonho?” –Edgar Allan Poe

* Vai rolar uma longa resenha aqui no PapodeHomem em breve. Assista logo para poder depois participar da discussão.

Thiago Rocha Kiwi

É nosso correspondente em Londres. Jornalista, nascido e criado na selva paulistana, gosta das oportunidades desafiadoras. Apaixonado por informação e conhecimento, enxerga o trabalho como uma forma de evolução e a internet como revolução. No Twitter, @thiagokiwi.


Outros artigos escritos por


SEPARAMOS MAIS TEXTOS PARA VOCÊ CONTINUAR LENDO




O texto acima não representa a opinião do PapodeHomem. Conheça a visão e a essência por trás do que fazemos. Queremos uma discussão de alto nível. Antes de comentar, leia nossas boas práticas. Caso deseje enviar um texto e se tornar um autor, venha por aqui.


  • Caio Cobra

    Às vezes, eu, nos meus devaneios de janela de ônibus fico pensando nos sonhos e no que vemos neles. Tenho pra mim que só lembramos da parte mais lúcida dos sonhos, mesmo achando que só sonhamos loucura quando acordamos. O resto nós esquecemos porque nossa mente deve ir pra lugares tão inconcebivelmente incoerentes que não seria saudável lembrar deles enquanto estamos acordados.Só pelo filme brincar com a idéia dos sonhos, já me interessa. Leonardo DiCaprio já provou mais de uma vez que é um puta ator, o que atrai mais minha atenção. E agora tem uma resenha quentinha no PdH, vai ser melhor que “ir ver o filme do Pelé”.Boa!

  • http://queropegartodas.com Elguerrero

    ..estou doido pra assistir esse filme. Quando vi o trailer tbem lembrei de Cidade Dos Sonhos (David Linch), Cidade das Sombras, Matrix.Será que vai falar um pouco sobre D’javu ? eu já tive vários D’javu com alguma coisa que eu sonhei… não acredito muito no lado místico da coisa… mas as vezes os D’javus me assusta um pouco…

  • @glauberdm

    Thiago,

    Muito bom. Estou acompanhando os anúncios e depois de seu post, estou com ansiedade de assistir ao filme. Após esse comentário, vou garantir meu ingresso e conferir :) .

    Um trecho interessante de seu post é: “..Aparentemente, já existem técnicas usadas para implantar uma ideia na mente de uma pessoa ou mesmo guias com os quais você pode aprender a controlar seus sonhos. …” . Sou formado em Computação e trabalho com pesquisas em Computação Natural focada no comportamento coletivo inteligente, mas por curiosidade (hobb) e uma possível tentativa de aplicar algo aos estudos, a PNL – Programação Neuro Linguistica – uma técnica de “implantar” idéias ou como alguns preferem chamar de neuroses, creio que o filme deva utilizar isto e isso me fez ficar tão interessado no filme.

    Bem, após conferir vou dar meu comentário referente ao filme. Sendo de Nolan, acho que vou me surpreender mais uma vez. Cavaleiro das Trevas foi a melhor forma que encontrei de explicar Teoria dos Jogos (parte de meus estudos) para quem me perguntas o que era, no filme, trata-se da situação das duas barcas, duas bombas e, ninguém se comunica, típico dilema do prisioneiro.

    Abraço, até mais.

  • Pingback: Tweets that mention Inception (A Origem): mas que porra de filme é esse? | Papo de Homem – Lifestyle Magazine -- Topsy.com

  • http://twitter.com/_Dsuisso Davi Suisso

    Bom texto.
    Acho que vou assisti hoje.

  • http://twitter.com/Samitcha Samia

    So far é um dos melhores trailers que eu já vi. Valeu a dica.

  • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

    Fala Thiago!

    Cara, eu achei INCEPTION algo simplesmente perfeito, com o único problema de ser didático demais.

    Vou escrever sobre ele aqui, mas antes quero que muitos vejam para poder participar do papo.

    Sobre seu texto:

    O nome “A origem” remete à origem de uma ideia, ou seja, é um jeito mais raso de explicar o que é “Inception”, que na verdade é uma mistura de inserir com conceber, fazer nascer, inseminar, caso contrário seria “Insertion”. Tem um outro significado mais profundo também, mas esse seria spoiler.

    Sonhos lúcidos existem há eras. WAKING LIFE é outro filme que explora esse universo, mas lá o bicho pega de outro jeito: o ponto não é o sonho lúcido, mas a noção de bardo (http://en.wikipedia.org/wiki/Bardo). Não entre nesse link se não viu WAKING LIFE ainda.

    INCEPTION apenas começa com a ideia de sonho lúcido. Essa possibilidade é sua premissa, é só o começo. O lance todo é como ele usa o filme como um experimento para foder com nossa própria mente. E disso não dá pra falar, só assistindo pra passar pelo meta-processo de Inception que o filme faz com quem está no cinema.

    Por isso estou recomendando que as pessoas não baixem.

    INCEPTION é o filme que eu queria ter visto quando eu tinha uns 17 anos. Quem já teve sonhos lúcidos vai sacar muitas coisas. Quem já usou algum alucinógeno vai entender outras. Quem já meditou vai sacar bastante coisa. Enfim, o filme dá muito espaço para entendermos como a mente opera e qual é a natureza da realidade, qual o tecido desse mundo misterioso em que vivemos.

    E você, pretende ver de novo?

    Fiquei impressionado com algumas críticas rasas. Como li no Twitter, não sei onde, é difícil falar mal de INCEPTION sem parecer burro. ;-) Pois é. Olha esse texto no Omelete, por exemplo: http://www.omelete.com.br/cinema/critica-origem/

    O Nolan, de fato, fez um filme para pessoas inteligentes. Ele até facilitou, explicou demais, não precisava tanto. E eu não acho que tem de ser brilhante pra entender. Longe disso. Basta ir aberto, sem tanta vontade de ficar interpretando e entendendo tudo dentro de sua própria realidade.

    INCEPTION é muito mais do que pensamos que ele é. Assim como acontece com Waking Life e outros grandes filmes sobre a natureza da mente e do universo. É muito mais porque sempre achamos que é só um filme. Mas, para nosso assombro, não é. Não é só um filme.

    Abraço.

    • http://fazeroquenouk.wordpress.com Kiwi

      Concordo contigo, Gitti.

      Inception é perfeito. Perfeito como filme e como universo. Mas não o achei tão didático assim. Talvez ele seja para quem já tenha estudado, filosofia, psicologia ou conheça os conceitos de sonhos, mas achei que todas as explicações dadas são importantes para o entendimento do grande público. Tem coisas que acontecem no final que eu nunca teria sacado se não fossem os comentários sobre como as coisas funcionam na nossa mente feitos no começo do filme.

      Lembro que um amigo me disse pra eu nem me preocupar em assitir, já que era complicado demais. Em contrapartida, também li que Nolan não usou de todos os conceitos com extrema exatidão para não deixar o filme mais subjetivo e complicado ainda. Então imagino que existam muitos outros tópicos a serem abordados em um próximo texto sobre Inception.

      Ainda não acho que nome Origem é o melhor. Mas também não daria pra ser A Inserção, ou A Incepção. Mas isso é só um detalhe.

      Vou tentar assistir mais uma vez neste fim de semana e aí vamos ver a onde os debates sobre Inception nos levam.

      Abraço

  • http://twitter.com/fanfa Lucio Fanfa

    O nome desse filme era uma das palavras mais comentadas nos últimos dias no Twitter, finalmente entendi o porque. Valeu pela dica!

  • http://fazeroquenouk.wordpress.com Kiwi

    Pois é Elguerrero,
    O filme tem, sim, alguns elementos que lembram Matrix e Cidade das Sombras.
    Agora, sobre a questão do déjà vu, não quero estragar surpresas. Por que vc não comenta sua opinião aqui assim que assistir ao filme?
    Grande abraço!

  • bizareli

    Verei este domingo. As resenhas têm sido muito positivas.
    Valeu pela dica!

  • http://twitter.com/Carolbandrade Carolina Andrade

    Já estava curiosa para ver o filme, com o texto do Kiwi e o comentário do Gitti estou mais curiosa ainda. Acho interessante a forma como vocês escrevem, não tem cara de crítica, ainda mais avisando para uns lerem ou não o que vocês têm para falar. Eu li, mas depois que assistir, eu volto!
    Carolina Andrade ( http://www.gatosnacama.blogspot.com )

  • http://twitter.com/hatus_cordeiro Hatus Cordeiro

    Vou ver hoje…. estou esperando muito do filme. A noite passo aqui e escrevo sobre.

  • http://www.mundounderground.com.br/ denial

    Quero muito ver este filme

  • http://www.facebook.com/people/Lucas-Searom/100001385371567 Lucas Searom

    Esse filme vai ser mto interessante vou assistir depois de amanhã… As técnicas que você falou no post, são igualmente interessantes, eu comecei a fazer pesquisas sobre o sonho lúcido e, posteriormente, sobre viagens astrais a uns dois meses, descobri muita coisa interessante. Agora eu tenho muito mais sonhos lúcidos que antes, recomendo pra galera ai, é realmente interessante.

  • http://twitter.com/negobama Lucas Bezerra

    Assisti ontem na estréia… PQP!!! Muito bom, uma obra prima. Eu, particularmente, curto assuntos neurológicos e ainda tem toda a trama.

    Trilha sonora DO CARALHO!!! Simplesmente foda.

  • Ewaldy Marengo

    Só pra constar, Inception não é inserção
    No wiktionary está assim: “the creation or beggining of something”… a criação ou começo de algo…

    Logo o título, A Origem, condiz com o nome original do filme.

  • Dudu

    Eu já ouvi falar em Programação Neuro Linguistica mas não sei está certo. Seria por exemplo se no caso de estabelecer uma meta, vc chega perto de cumprir mas, mesmo assim na tentativa seguinte vc estabelece uma meta maior e consegue cumprir a que vc primeiro estabeleceu, apenas por sugestão? Complicado exemplificar mas como nem sei se está certo…haha

  • http://politicaspublicasecidadania.wordpress.com/ Wagner Menke

    “E é a isso que a palavra “Inception” se refere, à inserção de um pensamento na mente. Agora, não me perguntem de onde tiraram o nome “A Origem”, porque eu também não faço ideia.”

    Bom, pelo menos nego livrou a gente de títulos como “Uma Viagem Muito Louca” ou “O Viajante dos Sonhos do Barulho”.

    Tsc, tsc, tsc… nossos tradutores sempre acham que podem melhorar o título dos filmes.

  • Rodrigosmc_

    Eita, pena que só fui ler esse texto do Thiago agora, acabei de voltar do cinema e assisti ao filme SALT com a Angelina Jolie. Nem sabia do que se tratava esse A Origem – o cartaz tambem não ajudava em nada, nem o nome dos atores tinha. kkk

    Fica pra próxima…

  • Victor Lage

    Eu vi hoje o filme, sem palavras para descrevê-lo. Melhor filme de ficção científica desde Matrix, com certeza, ainda nos faz pensar um bocado.

  • Mister M

    Acabei de assistir. INCRÍVEL ! Mas a expectativa que criei antes de assistir incomodou um pouco. Mas mesmo assim… filme fantástico!

  • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

    É por isso que é importante ler PapodeHomem todo dia, digo, conhecer os diretores. Não podemos deixar passar filmes com o Christopher Nolan. ;-)

    Aliás, veja MEMENTO (“Amnésia” aqui), dele também. Sensacional. http://www.imdb.com/title/tt0209144/

  • http://www.facebook.com/people/Edson-Costa-de-Souza/100001333436460 Edson Costa de Souza

    Depois do que vi no trailer não posso deixar esse filme fora do meu historico de filmes incríveis…

  • http://perfeitoimperfeito.wordpress.com/ Alexandre Melo

    Espetacular. Obra-prima. Explosão da mente.

    É necessário digerir a quantidade de informação e tudo o que esse “filme” tem a nos oferecer. Filme? Como o Gustavo disse, é muito mais do que isso.

    Coloquei um pouco mais de palavras no meu blog ( http://perfeitoimperfeito.wordpress.com/2010/08… ) , mas ainda não o digeri por completo. Com certeza assistirei de novo para absorver mais do que o Christopher Nolan nos oferece nesta obra-prima. Filme para marcar uma geração.

  • http://twitter.com/zoccoli zoccoli

    Vi o filme hoje e fui ao cinema tentando saber o mínimo possível do filme, fiquei feliz de não ter lido esse texto antes do filme, pois, a meu ver, estragaria algumas surpresas.. Achei muito bom, dá margens a muitas hipóteses, teorias, dúvidas, enfim, um filme para se ver com amigos e ficar discutindo sobre vários aspectos dele durante horas.

  • Dr Health

    Acabei de ver… Que filme doido!!!

    Sinistro, um dos poucos que não consegui desgrudar o olho da tela em momento algum!!

  • Alison

    Caralho!!! Simplesmente, foda.

    Esse filme alterou alguma coisa na minha mente. Ainda estou com uma sensação estranha. Essa noite, por exemplo, tive 3 sonhos nítidos e acordei logo em seguida, lembrando perfeitamente de todos os detalhes.

    Realmente, algo mudou depois de ver o filme.
    Pretendo ver de novo. Só que no formato IMAX.

  • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

    Sim, por isso disse que “INCEPTION” é o que o filme faz com a gente.

  • http://www.facebook.com/people/Luciano-Piccoli/100000318162886 Luciano Piccoli

    Vi o filme ontem e achei fodástico. Resolvi ver logo antes que aparecessem os primeiros spoilers (como nos comentários dessa crítica do Omelete que o Guitti relacionou) ou comentários em reuniões com amigos.
    Outro filme que utiliza esse tipo de “invasão” é A Cela, com a J.Lo (que já vale uma olhada rsrs). O filme não prima pela qualidade, mas a idéia tem uma sacada boa e tem uns efetios maneiros tbm. O link com a sinopse: http://www.interfilmes.com/filme_12860_A.Cela-(
    Abraços e no aguardo do texto do Guitti.

  • baggio

    eu gostei do filme…mto bom!!!

  • Bacurin

    gostei do filme.. mas não gostei da cena final do totem do cobb.

  • Bru1

    Estava ansiosa pra assistir.. sexta não deu, fui no sábado..
    Bom, eu já imaginava que seria algo complexo, dava pra sentir.. mas superou minhas expectativas..fiquei confusa co tantos sonhos dentro de sonhos, viajei com todos aqueles efeitos, refleti sobre a realidade, a mente, possibilidades, discuti, me instigou.. não cheguei a uma conclusão, apenas a vários questionamentos.. vou aguardar a discussão.. enquanto isso vou digerindo..

  • http://twitter.com/caiotorno Caio Torno

    Nunca vai chegar à complexidade de Matrix, porque é didático demais no início. Com o passar do filme, aí sim, começa a dar margem para várias interpretações.

  • Elvesblack

    Simplesmente fantástico, Nolan definitivamente entrou no hall dos grandes diretores, gostaria muito de comentar o final do filme sobre o que acontece “sonho ou realidade” eu tenho certeza que é sonho! mas seria desagradável alguém ler sem ter assistido ainda.

  • Ralfie

    Vi esse filme no fds… Não sabia do que se tratava, não tinha lido sinopse, não tinha visto trailler… mas quando vi quem era o diretor, decidi assistir (até pq, as outras opções, não eram tão boas assim… rs). No início, fiquei viajando, super perdida… ao decorrer do filme, tudo foi ficando bem claro! Simplesmente adorei o filme, inclusive já tive sonhos dentro de sonhos e sei que a reação é exatamente aquela, você acorda sem saber se foi real ou se era sonho!
    Muito boa também a forma como eles conseguiram implantar a idéia na mente do herdeiro lá! Envolveu todo um estudo comportamental e psicológico…
    O que me deixou com “a pulga”, foi o final! Como não mostrou se o amuleto parou, pode ser que haja um segundo filme né?
    Nolan, deve usar uns entorpecentes… maior viagem! E mesmo assim, muito bom!

    • Sidneymartins92

      @Guest, não só você mas muitos ficaram em dúvida se o pião, caiu ou não caiu. Mas numa entrevista com o ator Michael Caine, ele disse que sempre está no mundo real, e nunca nos sonhos.

  • elaine

    Desculpa pessoal…
    Vi o filme e desgostei desde post logo que vi ele citando
    ” Agora, não me perguntem de onde tiraram o nome “A Origem”, porque eu também não faço ideia.”

    Nolan deixou muito claro a que se refere a origem e achei a tradução do nome, embora não a melhor, bem pertinente.

  • Julio Fagundes

    hahahaha verdade!

  • Rapha.

    Também acho…

    [SPOILER] …que a camada mais superficial, a “realidade” aparenta ser apenas mais uma das camadas de sonhos.

    São esses detalhes que fazem um Grande Filme produzido por um igual Grande Diretor, já que é lógico que essa é uma dúvida fica em aberto. Em suma, sensacional.

    Bebe da mesma fonte de Matrix mas consegue ser bem mais verossímil, no questionamento da realidade.

  • Alison

    Não lembro qual mestre citou isso aqui:

    “Não compreendemos que a nossa mente é um sonhador, e que as nossas experiências na vida são o sonho que ele criou.

    Como não temos a mínima idéia de estar sonhando, levamos a vida muito a sério e frequentemente nos sentimos impotentes quando as coisas não saem como desejamos.

    Por meio da prática espiritual, podemos, pelo menos, criar sonhos felizes. Em algum momento, poderemos de fato acordar.”

  • http://www.facebook.com/cristianoalveslima Cristiano Alves Lima

    Muito bom, A Origem é um filme que dará o que falar, assim como Matrix, é um filme que deixará muita gente pensando.
    Suspeito que vão começar até estudar mais sobre o sonho e seus mistérios.

    Filme nota 10, já está minha filmoteca de filmes favoritos.

    :]

  • http://twitter.com/lucaschivi Lucas Schievenin

    Sonho lúcido existe e é praticado por milhares de pessoas a muuuitos anos!
    Comecei no meio deste ano a praticar e é maravilhoso!

    Até agora tive 16 sonhos lúcidos todos magníficos que me proporcionaram experiências espetaculares!

    Fico muito feliz de ver um filme que está se tornando tão popular falar sobre isso.
    Espero que algum dia seja uma técnica utilizada por grande parte da sociedade, já que é extremamente benéfica a quem usa bem dela.

  • Lucased

    Quem não assistiu não continue lendo esse comentário
    1 – Realmente o comentário sobre as vuvuzelas que eu li no Omelete estragou um pouco o filme. O filme é inteiro é vuvuzelado: http://ryanpitts.com/projects/inceptionator/#

    2- Achei o elenco muito fraco. Decepcionante. O Di Caprio não me confesse nesse tipo de papel. Ele simplesmente parece um cara normal e habilidoso. Não parece nada perturbado. Muito longe de um John Aderton (Tom Cruise em Minority Report), por exemplo: http://www.youtube.com/watch?v=4j_QBD6hw2M
    Ellen Page?? Juno? Quem chamou ela pra ser arquiteta? Quando eu vi o trailer achei que ela seria perseguida, vítima. Jamais pensei nela como arquiteta da coisa. Ela foi muito bem. Quase convenceu, mas com aquela carinha bonitinha e inocente tava dificil de engolir.

    3 – O filme não é sério. Tem uma cara de suspense mas cenas absurdas-cômicas, ou sei lá! Exemplo1: o cara sonhar com a neve já foi um pouco demais pra mim. Mas piorou quando o outro entrou no sonho e falou: “Porra, tinha que sonhar com neve??” Aí foi bem zuado!
    Exemplo2: quando a estagiária invadiu o sonho do Di Caprio e ainda ficou passeando dentro do sonho dele, logo achei que o Di Caprio iria castiga-la com pelo menos uns bons bofetes. Mas nada disso. Meninha foi folgada e o bonzão da história simplesmente indiferente (??).
    Exemplo3: eles tinham que inserir a idéia por motivos industriais? Tá, é uma indústria mundial de energia e tal mas mesmo assim ainda achei raso. Ou então foi o Japinha que fez parecer raso.

    Apesar disso, eu já curtia muito a idéia. O sonho realmente revela muito coisa do nosso sub-consciente e se conseguirmos prestar atenção e lembrar deles, seria como uma viagem para dentro de nós mesmos. O lance de criar uma origem “uma idéia” ou fazer a inserção, acho bem aplicável.
    Já ouvi falar várias técnicas para tal.

    Desconsiderando meu lado chato-crítico, eu curti o filme. Acaba sendo um filme comercialmente legal, cool. Só isso. Acho difícil chegar aos pés do sucesso de Matrix.

    Abraços

  • Caio Cobra

    NÃO LEIA SE NÃO VIU O FILME

    Boas críticas, boas críticas =)

    Com algumas concordo, mas tenho contra argumentos pra algumas. O DiCaprio é um bom ator e é indiscutível, só não dá pra todo filme dele ser uma obra-prima de atuação, o cara tem seus altos e baixos. Eu defendo a atuação dele, achei ótima. Só que não era um filme mto exigente em termos de interpretação como era exigente em termos de entendimento e envolvimento com a estória.
    Quanto a carinha da Ellen Page, sei lá, achei tua crítica meio… Sem critério. A carinha bonitinha dela não convenceu? Isso pq vc deve estar com Juno na cabeça, mas ela fez uns outros filmes bons e sérios, como o da menina que é torturada pela mãe adotiva. É um bom filme e vc vai encarar a atriz com outros olhos, eu a admiro pelo talento.

    Quanto à neve, não foi o cara que sonhou com aquilo, foi a arquiteta que fez. Todas as camadas do sonho foram feitas por ela. Já a piadinha do cara sobre neve realmente não encaixou legal.

    Não achei nada “cômico” o Di Caprio não “ter dado uns bofetes” nela quando invadiu o sonho dele. Na verdade, pelo que eu percebi ele não ligou muito pq aquilo estava entalado e ele precisava compartilhar com alguém, por isso nem fez muito esforço pra repelir a enxerida.

    E quanto a inserir a idéia por motivos industriais, não senti que foi bem isso. Foi mais pra simbolizar o fato dele ter de seguir um caminho diferente do pai, não só no trabalho como na vida num todo. Ele deve ter mudado completamente depois daquilo… Além de dividir a empresa, óbvio, vai dar um rumo completamente diferente a vida dele.

    “O filme não é sério” – Discordo sumariamente!

    E concordo que Matrix é um filme dos caralhos, mas se você olhar com esses olhos críticos também vai achar coisas a serem pichadas! Aguardo tua resposta, tava me coçando pra debater esse filme com alguém aqui do PdH!

  • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

    Caio, teremos uma longa resenha de INCEPTION por aqui. Ou melhor, um ensaio sobre o universo do filme. Só estou dando um tempo pra galera assistir antes.

  • Caio Cobra

    Opa, pode me considerar participante ativo. Aliás, acho que qualquer um que tenha visto o filme tem algo a dizer. É impossível ficar quieto com um mind blower desses.

  • Lucas

    Caio,
    Tbem acho DiCAprio um bom ator. Só achei que ele é melhor em filmes como Prenda-me se for Capaz, Titanic, Infiltrados. Pra mim, poderia ser essa a oportunidade dele deixar de ser o engomadinho de sempre. Mas ele continuou o mesmo (não que seja culpa dele.. nunca saberemos onde termina as instruções do diretor e começa a interpretação do ator). Esse filme eu esperava algo mais sombrio e doentio.
    Você diz: “não era um filme mto exigente em termos de interpretação”. Pow, o cara praticamente levou a própria mulher ao suicídio. E ficou com muito remorso. Ele tinha a obrigação de ser doentio, sombrio. Quando você fala que não foi um filme exigente demonstra o quanto o personagem dele poderia ser mais profundo.
    Quando eu falei o “filme não é sério”, é porque fiquei imaginando como o Poderoso Chefão reagiria se alguém entrasse no sonho dele, entende. Poderoso Chefão sim é filme sério.
    Ou seja, quando digo sério não quero dizer filme engraçado ou com falta de graça. Mas sim um filme coerente no sentido personagem -> reação.
    Juro que mesmo meus olhos críticos tentaram pichar Matrix.. mas eles não funcionaram… claro que estou falando de Matrix 1. Matrix 2 e 3 não alcançam a nota mínima para entrarem em qualquer tipo de discussão. Pra você sentir o quanto posso ser chato mesmo quando o assunto é Matrix. Hehe

    Abraço

  • Anisquis

    Putz! Leo está estupendo nesse filme, ainda ficam lembrando de Titanic, afff Ilha do Medo, então, ele arassa, esse ano é dele!!

  • Anisquis

    Cara vc é diretor por acaso? Tu não entende bulufas de interpretação. Di Caprio está sombrio e inigmático na medida certa, foi uma aposta alta e ele venceu, ainda mais depois de ter interpretado tão brilhantemente em Shutter Island, não poderia utilizar o mesmo recurso de loucura, remorso não é loucura. Em Titatinc sim, sua interpretação beirava ao rídiculo, agora ele já merece um oscar, sim senhor.

  • Lucased

    Anisquis, não sou diretor não. Apenas fiquei decepcionado com a carinha comercial que quiseram colocar pra esse filme com um enredo tão interessante.
    O Espantalho e o Coringa eram muito mais assustadores e menos comerciais. Então eu esperava mais. Batman nem fez muito sucesso mas achei mais respeitoso e com atuações bem mais vibrantes.
    obs: vou apreciar sua resposta, mas esse foi meu último comentário aqui
    Abraços

  • http://fromvictorwithlove.com/diario Victor Lee

    Sinceramente, vi o filme ontem e achei uma merda.

  • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

    Alguma crítica em especial, Victor?

  • http://fromvictorwithlove.com/diario Victor Lee

    Difícil explicar o motivo exato, por isso a crítica nao foi construtiva. Achei chato, muito chavão e referências cansativas aos outros filmes que mencionaram aqui nos comments.

    Desde os primeiros tempos de Freddy Krueger rola essa a dinâmica entre narrador e espectador com “te peguei” brincando entre sonhos e momentos despertos. Uma coisa que reparei é que quem costuma elogiar o filme tem um certo orgulho do tipo “Ah, eu entendi todas as sacadas o filme e por isso sou foda” – nao me recordo de títulos específicos, mas tem pelo menos uma meia duzia de outros que usam esse apelo.

  • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

    Saquei. É, consigo ver o filme por esse prisma também.

    Ao mesmo tempo, estou no outro time, esse que citou, dos orgulhosos. ;-)

    O universo de referências é gigante: Paprika (que ainda não vi), eXistenZ (viu?), Waking LIfe, Cidade das Sombras…

  • Lucased

    Tem um filme chamado Cidade dos Sonhos: http://www.youtube.com/watch?v=S6H9nQbws04

    foi o filme mais fiel a sonhos que eu já vi. Usa esse apelo de “quem entendeu se orgulha” mas muito mais evidente. E sem contar que 80% do filme foi feito para não ser entendido e cada um tirar sua própria conclusão.

    O mais dá hora é que essa a própria conclusão acaba revelando a própria pessoa que assistiu. E isso que eu acho que acontece nos sonhos. As emoções são tão nítidas que camuflam o cenário difusos, mal feitos e as coisas deconexas.
    David Linch até escreveu um guia com 10 dicas para assistir o filme.
    Eu li as dicas, assisti denovo, achei muito mais dahora e ainda vi vários negos na internet explicando o filme. Explicado fica muito fácil ! Mas, além do filme ser memorável ainda é divertido por esse lado!

    vou tentar algumas das suas referencias.. eu só assisti Cidade das Sombras que você falou…

    só pra não passar sem nenhuma crítica: falaram de Amnesia aqui. Eu achei uma droga. Principalmente porque no proprio DVD já com a versão na ordem certa. Ou seja, sem o problema da cronologia, o filme é bem meia boca.

    Abrcs

  • Gall

    Eu adorei o filme, mas eu gostaria de saber o nome dos atores que fizeram esse filme alé do leonardo :D

  • http://twitter.com/Mu_uka Muкα̲α s2′

    Melhor filme de 2010. Talvez, o melhor da década. Esse filme nos faz refletir, tipo, sem palavras. Leonardo Dicaprio, tem uma atuação magistral.

    Esse filme é uma Obra-Prima.

    Recomendo !

  • Raphaela

    Um dos mais íncriveis que já assisti.

    Em todos os lugares que leio comentários sobre o filme, a pergunta da maioria é: O final do filme foi um sonho ou a realidade?

    Vou explicar o meu pensar..
    O que era sonho? O que era realidade?
    A Mal realmente morreu porque ela achava que estava vivendo em um sonho e só a morte faria ela acordar,ou seja,viver exatamente a realidade.
    Mais no meu entendimento o limbo é um vazio e só vai pra lá é quem acredita que lá é a realidade,por isso ficam presas,ou seja,se vc estiver no limbo e achar que aquilo é a realidade irá ficar anos,mas se for convicto e achar que é um sonho irá sair de lá,e é ai que tá,isso não vai acontecer por que vai pra lá já não sabe distinguir sonho de realidade!
    Na verdade o Cobb foi quem fez isso tudo,fez a Mal achar que aquilo que ela vivia não era real,e foi daí que ela procurava meios de tentar “acordar”.
    No final,antes do Limbo,que está ela,Cobb e Ariadne,a Mal tenta convencer Cobb que o que ele está vivendo é um sonho,mas ele dessa vez fala que ele tem que esquecer ela,ele precisa esquecer,pois sonhando era a única forma de estarem juntos e dpois ele aparece no limbo sem ela,ou seja,ela era só uma lembrança.
    E Cobb volta sim,eu acredito que sim,porque o pião fica girando,balança mais não cai,e outra coisa se o pião aparece é porque é realidade porque nem sempre ele aparece nos sonhos…assim estou entendendo eu!
    Ah e mais..no final o avô das criança encontra com Cobb,certo? e o leva para seus filhos,se isso é sonho porque o velho tá na cena? sendo que ele não entrou nos sonhos! e quando ele apareceu no filme foi qdo Cobb pediu ajuda pra achar uma arquiteta e essa cena era realidade.
    Logo,é realidade sim o final!

  • http://twitter.com/maicololiveira maicololiveira

    Para os fãs do filme, saiu um aplicativo para iPhone, iPod e iPad gratuito: http://bit.ly/fjGa0H

  • Alan Costa

    Não acredito que o filme seja baseado na realidade fora de um sonho.

    Não vi em nenhum momento o TOTEM de Cobb. O peão que ele utiliza durante todo o filme é aquele utilizado por Mal. Em nenhum momento do filme é apresentado o verdadeiro elo dele com a realidade.

    Além disso, o filme começa mostrando o encontro no limbo com Saito. Não há começo dessa relação. Como num sonho todos são alçados a outro lugar e em circunstância completamente onírica.

    No final do filme o peão, na verdade o totem de Mal, permenece girando mas como a tentar livrar-se do julgo que lhe foi imposto. Cambaleia e tenta forçar a existência de uma realidade que não é verdadeira.

    As crianças e suas vestes idênticas ao longo de todo o filme somente corroboram isso.

    Entendo que o filme é um sonho!!!

    Vale dizer que no final dos créditos começa a tocar a música que dá o comando para o retorno. A famosa “Non, Je Ne Regrette Rien” (Não, Eu não lamento nada!) convida a todos a acordarem após cerca de 2h30 de sono REM. Um sonho lúcido de cada espectador.

  • http://www.facebook.com/people/Marcelo-Xavier-Soares/732038404 Marcelo Xavier Soares

    well, o menininho vestia roupa bem parecida, ja a menina está com vestimentas diferentes, apesar do vermelho predominar… Eu fico pensando o seguinte, se no final tudo indica-se somente outro sonho, eu me sentiria um palhaço vendo 2:30h de sonho ¬¬

  • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

    Marcelo, se as experiências não contam e o que conta é a segurança de estar vivendo algo sólido, real, concreto, não onírico, então se prepare para se sentir um palhaço diante da própria vida.

    Não temos como afirmar com certeza de que não estamos sonhando.

    Abraço.

  • CARLOS

    Missão dificílima essa do Nolan , fazer de um tema complexo um sucesso , ele andou
    na corda bamba do começo ao fim do filme e se saiu muito bem,filme foi de Cris Nolan
    to dentro.

  • Pingback: Nox News

Papo de homem recomenda

Assine o Papo de homem

Curta o PdH no Facebook
  • 5453 artigos
  • 657299 comentários
  • leitores online