Gimlet: Dr. Drinks ensina a ficar bêbado com classe

Junior WM

por
em às | Bebida, Dr. Drinks


Sempre prezamos aqui pelo consumo responsável de álcool e pela contemplação do espírito de um drink. Porém, hoje ensinaremos aos maiores de 18 anos, que não são mais meninos, a enfiar o pé na jaca com classe.

Pois é, a condição de bêbado pode ser administrada e até contribuir para seu sucesso, como explico mais abaixo.


Link YouTube | Playlist completa com todas as 32 receitas do Dr. Drinks

Origem do drink

Sabe o que significa Gimlet? Verruma. Uma ferramenta muito antiga que foi substituída pela furadeira nos tempos modernos.

No final do século XIX, General Sir Thomas D. Gimlette (sacou?), médico da marinha inglesa, servia este drink como forma de induzir seus convidados a ingerirem suco de limão, importante fonte de vitamina C, cuja deficiência facilita o aparecimento do escorbuto, doença que ainda assombrava o mundo na época. Dessa forma amigável, o suco de limão “penetrava” no pessoal.


Vamos combinar que existem metáforas bem mais interessantes para penetração, não acha?

Receita do Gimlet ao estilo Dr. Drinks

Para fazer o drink favorito do detetive particular Philip Marlowe, personagem de todos os romances policiais de Raymond Chandler (e do próprio autor), você precisará de:

  • Uma taça de matini
  • Gelo
  • Gin
  • Suco de limão espremido na hora
  • Simple syrup (xarope de açúcar)

Adicione gelo à coqueteleira, 2 doses de gin (a receita clássica é em onças, então 2oz = 60mL) , suco de meio limão (25mL) e 5mL de simple syrup. Bate até gelar a parede da coqueteleira e sirva o drink coado sem gelo algum na taça de Martini previamente gelada.

Os mais puristas recomendam fazer o drink mexido, mas sinceramente prefiro que alguns martinis sejam batidos, pois no caso de estar usando uma base muito forte, o aspecto aerado proporcionado pela batida na coqueteleira deixa o drink mais leve.


Gimlet, direto da bancada de gravação, antes do Gitti meter a mão

A bebedeira é também um estado de espírito

Se gosta de Blade Runner e L.A. Cidade Proibida, se é fã de Tarantino ou ainda se curte de filmes noir como os de Billy Wilder e John Huston (o pai da Anglelica Houston, a Mortiça Adams original), saiba que todos eles foram influenciados por um bêbado de grande valor: Raymond Chandler.

O cara era de um profissionalismo invejável, a ponto da Paramount Pictures por em produção A Dália Azul antes mesmo de ele ter começado a escrever o roteiro. Chandler dizia que “um homem deve ficar bêbado ao menos duas vezes por ano apenas por princípio”, então quem sou eu pra dizer que não.

Duas semanas após começarem as gravações do filme, Raymond estava sofrendo de um grave bloqueio criativo para escrever o desfecho da história. Na época, era um alcoólatra em recuperação e já estava sóbrio há algum tempo, então negociou com o produtor do filme uma completa recaída para que pudesse furar o bloqueio.

Eis um pedacinho do resultado:


Link YouTube | Repare na taça perto do rapaz bem alinhado e adivinhe que drink é!

Bêbado com classe

Exceto os abstêmios que leem minha coluna, os quais agradeço imensamente por lerem mesmo sem eu postar tantas receitas sem álcool assim, duvido que a maioria que lê esse post nesse momento nunca tenha perdido a mão na bebida e junto com ela a noção e, obviamente, o copo.

Normalmente ao ficarmos bêbados somos imediatamente reprovados pela sociedade hipócrita e pseudo-moralista que vivemos. Por quê? Porque o pensamento que rege a conduta comportamental do meio em que vivemos diz que não podemos ser fracos, não podemos errar, temos de ter um bom emprego, salário, construir carreira e mais uma série de baboseiras que no fundo querem dizer: seja apenas melhor que seus pais e vá além de onde eles foram.


Link YouTube | Cena inicial de “Trainspotting”: afinal, quem decide o rumo de sua vida?

Achei pertinente falar de Chindler neste post, pois ele foi a prova viva de que mesmo bêbado um homem pode ter muito valor, afinal quando ele teve a recaída autorizada para acabar de escrever o roteiro de A Dália Azul, a Paramount disponibilizou equipe médica 24 horas, seis secretárias e limosines para que ele tivesse as melhores condições possíveis para trabalhar.

A câmera escura

Chindler segurou muito bem sua onda mesmo mantendo-se bêbado por dias a fio e escreveu assim um grande clássico do cinema dos anos 40. Isso é um exemplo de que mesmo bêbado um homem (ou mulher, lógico) deve ter responsabilidade e honrar seus compromissos, segurar sua onda. Por isso não acredito muito em desculpas esfarrapadas de embriaguez para justificar determinadas atitudes.

Quando falo em beber com responsabilidade, não falo em beber pra não ficar bêbado, mas falo em beber e ter responsabilidade por seus atos, de ter coragem de admitir seus desvios de caráter mais sombrios que o álcool ajudou a liberar. Ser você mesmo e ter coragem para admitir isso.

A bebida é como um estúdio fotográfico. É a câmera escura de nós mesmos. A cada dose ela vai nos revelando até que chega uma hora que somos totalmente nós mesmos.

E aí, o que você faz nessa hora? Cai bêbado? Chora pela amada(o) que se foi? Perde totalmente a noção da realidade e de si mesmo e deixa a vida rolar? Ou consegue preservar o pouco de dignidade que o álcool não levou embora?

Baladinha Smirnoff Black

Essa noite fui na balada The Kichten: House and Rock. Animal! Promovida por Smirnoff Black no Cartel Club, a proposta é misturar um DJ de house fazendo live PA com músicos de rock (esta noite), Back house (semana que vem) e Samba-eletro-house daqui duas semanas. Gente bonita e 3 drinks exclusivos de Smirnoff nº55 (a Black).

Seja o Dr. Drinks por um dia!

Mandem fotos ou vídeos dos drinks que vocês têm criado. Semana que vem sai o post só com receitas de leitores. Quero muito dividir com nossa comunidade o que vocês andam aprontando. Não percam tempo, mandem logo!

Como sempre, eis meus contatos: @juniorwm no Twitter e drdrinks@papodehomem.com.br.

Junior WM

Um grande apreciador de história e histórias. Vive a vida de forma que seja lembrada como honrada e humana. Ama os prazeres da vida e sua família. Escreve sobre passar pelo mundo com dignidade e alegria. Contribui com a revolução digital por acreditar em seu caráter humanitário e num mundo melhor.


Outros artigos escritos por


SEPARAMOS MAIS TEXTOS PARA VOCÊ CONTINUAR LENDO




O texto acima não representa a opinião do PapodeHomem. Conheça a visão e a essência por trás do que fazemos. Queremos uma discussão de alto nível. Antes de comentar, leia nossas boas práticas. Caso deseje enviar um texto e se tornar um autor, venha por aqui.


  • Pingback: Tweets that mention Gimlet: Dr. Drinks ensina a ficar bêbado com classe | Papo de Homem – Lifestyle Magazine -- Topsy.com

  • Lucas Beccon

    Beber é uma arte, aprendi isso com os posts do Dr. Drinks. Aprendi com o tempo que de um dia pra outro não se consegue beber a mesma quantidade de bebida, depende muito do estado de espírito e do estado físico da pessoa. Sobre esse post de hoje, digo que conheço várias pessoas que se dizem descontroladas quando bebem, eu só perdi o controle uma única vez, na qual quase fui parar no hospital (bebi o que sabia que eu não poderia beber no dia), geralmente a bebida só me deixa tonto, não altera em nada meu comportamento, a não ser que ao invés de pensar, eu falo e ajo, mas nada muito além disso, depois de tanta bebida barata que já tomei na minha vida, estou começando a beber procurando apreciar a bebida, não mais ficar bebado

  • tonyharion

    Ótimo post Dr.!
    Só uma coisa, posso te mandar uma garrafa de Gin de presente? Sério!
    Essa garrafa de Seagers tá me incomodando a alguns posts…
    Até entendo que muita gente não vai dar um upgrade no gin direto e que esse é o mais econômico, mas Seager é difícil demais… Não vale a pena nem pelo custo/benefício.
    Abs.
    @tonyharion_br

  • thiago_tgo90

    Parece ser muito bom!

    [Observação ordinaria:Puta letra feia a sua. Tava bebado ou você escreve com o pé? :)]

  • http://www.facebook.com/people/Claudio-H-Castro-Silva/751473430 Cláudio H Castro Silva

    Otima coluna como sempre!!! O gin apesar de forte, é uma das minhas bebidas favoritas. A respeito do post, concordo que o álcool não é nenhuma desculpa pelo nosso comportamento fora do contrato social. Não acredito que consumi-lo vai de alguma forma abstrair nosso comportamento para algo que nossa consciência não fundo não queira fazer,felizmente conseguir mais coisas na minha vida estando bêbado do que são, e nunca o fato de beber torno minha vida mais difícil ou menos interessante, ao contrário, sempre permitiu me socializar e ser mais sincero com a vida!!!

    No mais obrigado novamente pelo post e abraços!!!

  • slaship

    Bom, eu não faço vídeos masss pode-se dizer que eu fico bêbado com classe bommmm as vezes acontece uns imprevistos, realmente eu bêbado pego mais mulher em uma noite do que estando sóbrio rs, não sou muito de sair mas todas as vezes que saí e comecei a beber peguei mais de 3 mulheres numa noite, é algo interessante, eu consigo manter um diálogo inacreditável rsrs , lembro que peguei uma mulher chamada Cristina começando um assunto sobre linux,não lembro como as coisas iniciaram mas ela se interessou e isso foi bizarro e eu chapadão e na mesma noite peguei uma mulher casada acompanhada do marido , bom fui zuado no dia seguinte pois ela não parecia ser tão linda …

    Bom eu estava bêbado né e de algum modo me senti totalmente atraído por ela , armei um esquema de ir ao banheiro e ela ia logo dpois e era ai que eu dava uns amassos nela , agora a minha pior derrota estando bebado foi estar voltando com os amigos pra casa a pé , parar para mijar e acabar dormindo em pé escorado na parede por 5 min . Ahhhh sim, teve um amigo meu que estando bêbado foi detido pq tentou tirar o pneu de outro carro para por no dele e disse para o policial que o pegou em flagrante que estava pegando emprestado m/ esse foi o capeão da nossa turma rsrs, isso eu não presenciei mas foi contado .

  • http://www.papodehomem.com.br/ Guilherme Nascimento Valadares

    Essa noite fui na balada The Kichten: House and Rock. Animal! Promovida por Smirnoff Black no Cartel Club, a proposta é misturar um DJ de house fazendo live PA com músicos de rock (esta noite), Back house (semana que vem) e Samba-eletro-house daqui duas semanas. Gente bonita e 3 drinks exclusivos de Smirnoff nº55 (a Black).

    //

    Hmm, esse parágrafo me dá a impressão de que vc viajou no tempo.

    Afinal, não é noite ainda.

    E vc JÁ foi na balada?

    Fuck, *preciso* desse drink novo!

  • http://twitter.com/juniorwm juniorwm

    Fantástico seu comentário Lucas, sinal de que nosso trabalho está dando frutos! Parabéns pela mudança de postura!

    Copo cheio pra você!

  • http://twitter.com/juniorwm juniorwm

    Opa Tony, qualquer presente é muito bem vindo, rs.

    Como nossa proposta é tornar a cultura de drinks acessível a todos, temos sempre que pensar nas pessoas que moram afastadas dos grandes centros onde a distribuição ou o preço das bebidas não ajuda muito.

    Já que ofereceu, Tanqueray ou Bombay Saphire, ok? hahahahahaha

    Vê-se que você já tem um senso crítico mais apurado e poderá contribuir muito mais conosco!

    Abrax e obrigado pela contribuição.

  • http://twitter.com/juniorwm juniorwm

    Nem um, nem outro Thiago, é que quando surgem os lampejos criativos eu psicografo mesmo, a mão não responde à velocidade do pensamento, aí dá nisso!

    Ainda bem que tenho outras habilidades né, se fosse calígrafo morria de fome, hahahaha.

  • http://twitter.com/juniorwm juniorwm

    Obrigado por sua contribuição Cláudio!

    Bom encontrar gente que bebe e segura a onda!

  • http://twitter.com/juniorwm juniorwm

    Nada amigo, é que cheguei da balada e complementei o artigo! A balada foi ontem mesmo e o Sr. perdeu!

  • http://www.papodehomem.com.br/ Guilherme Nascimento Valadares

    Ouvi dizer que foi festa de arromba, hein.

    uahuauhauhauhhua

  • Alexandre_Melo

    Parabéns por mais um ótimo post, Dr. Drinks.

    Sempre acreditei que muitas pessoas usam o álcool como o “advogado do diabo”, fazendo e acontecendo depois que está bêbado e jogando a culpa no derivado da cana.

    Para mim isso é uma tremenda bobagem e covardia, já que “enchi a cara” em algumas oportunidades para ver se perdia o controle, mas isso não aconteceu (só os reflexos do corpo que obviamente são atingidos). Estava completamente consciente de qualquer atitude depois do excesso do álcool no corpo, portanto, quem usa essa desculpa para fazer aquilo que sempre quis e não teve coragem, que tenha o saco roxo e seja homem de verdade para assumir suas escolhas e atitudes.

  • pablofernandes

    Realmente essa letra não é das melhores. hahaha

    Muito bom o vídeo. A iluminação ficou muito boa nesse.

    E senti falta de uma coisa: sensacional.

  • alexandrezamboni

    Mais um p/ minha coleção!! obrigado.

    Beber com classe e manter a linha (respeito pelos camaradas e pelas minas) mesmo depois de mergulhar num tonel de cachaça, mostra se o cara tem ou não firmeza de carater!!
    Meu avô era fabricante de cachaça no interior de MG, fabricava a Cachaça Vitória. Em nossa família sempre rolou muita bebida, naturalmente. Meu pai me ensinou que só não podemos beber o juízo, procedendo assim teremos uma vida de alegria e convívio com amigos e família, quem bebe o juízo só faz merda, destroi tudo e todos ao seu redor. Acho que me acostumei assim, mesmo pra lá de caixa-prego sempre mantenho o norte! Como um instinto de sobrevivencia, provavel.
    Aprendi também que se voce estiver alto e tiver vontade de falar “as verdades” para alguém, espere até amanhã, e fale/faça o que tiver de ser dito ou feito de cara limpa, consciente e franco.
    Essa máxima “in vino vertas” é comportamento de que perdeu as rédias e já não sabe bem o que deve falar, então abre a torneira….achando que por ser sua verdade esta redimido. Não é bem assim, primeiro pq a verdade depende, ela não é absoluta.

    bom findi pra tod@s

    AZ

  • http://twitter.com/juniorwm juniorwm

    Boa Alexandre, sua posição é o que gostamos de ver em nossos leitores: homens responsáveis pelo que fazem, saco-roxismo na veia!

  • Pingback: Aprenda sobre: – Manual das Encalhadas

  • Rubens Sampaio

    Muito bom.
    Só acho que a trilha sonora dos vídeos poderia dar uma mudada. hehe Tá muito repetitiva.

    Um dica: poderiam usar alguma coisa do guitarrista inglês Guthrie Govan.

    Segue o link para dois vídeos dele:
    http://www.youtube.com/watch?v=-yPEewaalik
    http://www.youtube.com/watch?v=tEpst3W6KD8

    As músicas são do disco Erotic Cakes.

  • http://twitter.com/leo_matoso Leonardo Matoso

    Mais um post show, Doctor!! Sugeri pelo twitter e retifico por aqui: faça um post ensinando aos leitores os preparo do Maracujack!
    Abs

  • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

    Rubens, já enviamos sua sugestão para o Gus Fune, que edita os vídeos do Dr. Drinks.

  • ricardomaciel

    Dr, sempre que posso dou uma passada no papodehomem pra ver as suas colunas, mas esses dias fiquei pensando, “porque não vem um cd junto com o livro que ele disse que vai lançar?” Seria uma boa vir um dvd com todos os vídeos do youtube junto com o livro, não? Não sei se já falaram isso ae, não tenho estado mais tão presente assim por aqui, por falta de tempo :D
    Abraço

  • tonyharion

    Concordo com a proposta e acho mto bacana!
    Comentei acima por que procurar ingredientes raros e fazer meus próprios ingredientes são algumas das coisas mais gratificante na coquetelaria pra mim.
    Continue com o ótimo trabalho!
    Abrax.

  • http://twitter.com/juniorwm juniorwm

    Apareça mais então Ricardo!

    Respondendo à sua dúvida: sim, o livro virá com dvd encartado com todos os episódios do Dr. Drinks!

    Abrax

  • kelvin

    Eu com meus apenas 18 anos, confesso que já bebi bastante. nada de se espantar, mas eu gosto de experimentar os diversos gostos de cada bebida. Sou fascinado pelas diferenças de cada bebida.

    Esse negocio de beber e perder o controle, é complicado. Porque quando você bebe, fica desinibido. Quanto mais bebe, mais perde o senso e a crítica. Ou seja, acaba fazendo coisas que poderiam não ter sido feitas.

    Eu particularmente não me afeto mais tanto com o álcool, e sempre sei tudo que eu faço. Mas quando eu estava começando, bebia apenas pra ficar “doidão”, algumas vezes eu não lembro o que aconteceu. Ou seja, realmente eu perdi a linha. Foram poucas vezes, umas 4, mas aconteceram, sim.

  • ricardomaciel

    Agora que estou fazendo um curso e trampando está complicadissimo acessar a internet no meio da semana, mas todos os finais de semana dou uma passada aqui no site :D
    Que ótima noticia sobre o livro, irei separar uma grana logo, quero ser um dos primeiros a comprar, se tiver uma semana de autógrafo aqui no Rio, irei faltar o trampo pra ir :D

  • André

    Fala Jr. belezinha?!
    o “Simple Sirup” que vc fala, é a base açucarada pra vários fins, inclusive para a fabricação de refrigerantes, licores e outras bebidas doces(cherry drynk`s e bla bla bla)…
    de repente, pra quebrar um pouco do doce dele, seria legal adicionar um pouco de ácido cítrico, ou se vc não tiver isso disponível, coloque uma colher de suco de limão recém espremido durante o preparo no fogão… ==> o xarope vai ficar com um gosto mais agradável, não tanto com aquele gosto de cana-de-açúcar.

  • Pingback: Manual das Encalhadas » Blog Archive » Aprenda sobre:

  • Diego Torres

    Descobri esse site faz pocos dias… mais estou adorando os drinks que estou vendo aqui!

  • Vivicostapinto

    Cara, esse texto resume tudo que eu penso com relação ao alcool e seus efeitos! =)

  • Vivicostapinto

    Cara, esse texto resume tudo que eu penso com relação ao alcool e seus efeitos! =)

  • Pedro

    Este tema que estão comentando é muito subjetivo, além do mais ninguém é dono da da verdade. Se na opinião de vocês o álcool estimula as pessoas a fazerem coisas que elas já queriam fazer, isso é verdade só pra vocês, que fique bem claro isso, pois como não é possível comprovar tal efeito e também não é possível comprovar o contrário ninguém aqui pode registrar seu ponto de vista como verídico. Somente podem registrar seu ponto de vista como “achismo”. No meu “achismo” já parei quase que totalmente com o álcool, pois tive acidentes traumáticos ao volante e por muito pouco não matei inocentes por efeito dele dentre as várias outras ocasiões em que vomitei durante 4 dias seguidos a ponto de sobreviver à base soro no hospital por muitas vezes. Enfim, só tive ensejos decepicionantes com o álcool. Hoje em dia comprometo a saúde do meu fígado somente com suplementos de academia. hehehe. Minha opinião. Pedro.

    • Jacinto

      Foda-se

Papo de homem recomenda

Assine o Papo de homem

Curta o PdH no Facebook
  • 5364 artigos
  • 654436 comentários
  • leitores online