A usina hidrelétrica de Belo Monte será um desastre ambiental?

Danilo Scorzoni Ré

por
em às | Artigos e ensaios, Mundo


Conforme já disse em outro texto aqui no PdH, o termo sustentabilidade tem um significado muito profundo quando pensamos no desenvolvimento da sociedade. Em meio a tantos usos equivocados, nunca é ruim reforçar: uma atividade só é sustentável se for socialmente justa, ambientalmente correta e economicamente viável.

À primeira vista é um conceito bem simples, mas só no olhar embaçado dos leigos. Vou dar apenas um exemplo sobre o “ambientalmente correto” que é mais próximo à minha área de atuação.

Sustentabilidade é utopia?

Vejamos o caso da exploração madeireira: você usa a madeira para muitas coisas, desde a construção civil, móveis, até o papel higiênico de todo dia. Como existe madeira prontamente disponível na natureza para extração e você deve imaginar: “Se eu cortar apenas uma árvore, não acredito que vou causar um impacto ambiental muito grande”.

Antes de falarmos da usina que será construída aí, foque em apenas uma árvore.

Eu paro nesse pensamento e analiso apenas dois pontos dos muitos que existem:

1. Não é só você que vai precisar de madeira, logo, muitas árvores terão de ser cortadas para suprir toda a demanda da população sobre esse recurso.

2. Mesmo que só se cortasse uma árvore, você poderia estar comprometendo toda uma leva de seres vivos que possuem estreitas ligações com essa árvore que você cortou, levando a perdas genéticas e de biodiversidade.

Continuando a linha de pensamento, constatamos então que não devemos extrair a madeira da natureza e sim plantar árvores para produzir essa madeira, assim como fazemos com os alimentos. Nessa fase vêm as plantações de eucalipto e de pinheiros, que servem para produzir grande parte da madeira que consumimos. Esse é um bom modelo de uma atividade produtiva sustentável, pois gera lucro para o investidor (ou dono da empresa que produz a madeira), gera empregos para as pessoas que trabalham nessas plantações e nos processos de transformação da madeira e protege o meio ambiente de maneira geral.

Porém, mesmo assim, esses três pilares da sustentabilidade ainda continuam ameaçados da mesma forma:

  • Se o preço da madeira despencar, o lucro não estará garantido.
  • Se a empresa não respeitar as leis de trabalho, a justiça social estará comprometida.
  • Se a empresa não cumprir as leis ambientais (e não fazer muito além do que elas pedem), o meio ambiente se desequilibrará. Vale lembrar que uma plantação homogênea, de apenas uma espécie de árvore, está longe de ser ambientalmente equilibrada.

Começamos a perceber que a sustentabilidade é um conceito complexo, quase utópico. Nos meus cinco anos de faculdade de Engenharia Florestal constatei que o desenvolvimento sustentável é um objetivo utópico que talvez nunca seja atingido, pois qualquer atividade do homem (e eu digo qualquer mesmo) causa um certo impacto negativo ao meio ambiente, escalas e magnitudes maiores ou menores.

Apesar da sustentabilidade ser um conceito moderno, os seus pilares estão sempre em constante conflito, uma vez que se pode aumentar o lucro em detrimento da justiça social e do meio ambiente equilibrado. Com isso em mente, veja só o que está acontecendo no IBAMA nesses últimos dias.

Belo Monte: um projeto vergonhoso

O IBAMA, órgão do governo federal responsável por emitir as licenças ambientais de empreendimentos que causam grandes impactos ambientais, está sofrendo pressões muito fortes por conta de empresas que se beneficiarão com os lucros da usina hidrelétrica de Belo Monte, a ser construída no rio Xingu, no Pará.

Protesto do Greenpeace no dia do leilão da usina: três toneladas de estrume para simbolizar o que será o belo monte...

É um problema um pouco antigo que causou a renúncia de Abelardo Bayma (agora ex-presidente do IBAMA), Roberto Messias (seu antecessor) e até a renúncia de Marina Silva ao cargo de Ministra do Meio Ambiente.

Não é por acaso que o IBAMA não está querendo emitir a licença ambiental para a instalação do complexo de hidrelétricas do Belo Monte. Para você ter uma idéia, o Instituto de Engenharia de São Paulo classifica o projeto de construção e operação da usina de Belo Monte como “vergonhoso”. Boa coisa não é.


Link YouTube | Entenda todo o drama nesse vídeo produzido pelo pessoal do Xingu Vivo para Sempre (parte 2 aqui)

Não há informações precisas:

  • o custo varia de R$ 7 bilhões a R$ 30 bilhões;
  • não se sabe exatamente quanto de energia a usina gerará nas épocas de cheias e secas do rio Xingu;
  • fala-se sobre uma escavação de um canal maior que o do Panamá nesta obra;
  • não se sabe quantas famílias indígenas da região terão de ser resgatadas e alocadas em outros locais (de 20 mil a 80 mil pessoas).

O IBAMA poderia emitir a licença para a instalação da usina mediante um conjunto de condicionantes, “tarefas” que os empreendedores terão de cumprir para assegurar um impacto ambiental e social mínimo às áreas de construção do projeto. No caso desta usina, das 63 condicionantes impostas pelo IBAMA, muitas não estão sendo cumpridas segundo o Ministério Público Federal (já são dez ações judiciais em torno do projeto).


Link YouTube | Reconstituição da construção da usina de Itaipu. Observe a complexidade do problema das perspectivas econômica, social e ambiental.

Caro leitor, eis um exemplo clássico de como essa história toda de sustentabilidade é tratada em nosso país, onde se vende a ideia de que as hidrelétricas são as mais novas maravilhas do mundo moderno quando se pensa em meio ambiente. Claro, a hidroeletricidade é uma forma de obtenção de energia limpa muito melhor às vilãs termoelétricas geradoras de toneladas de gás carbônico, mas também causam um impacto ambiental como qualquer outra atividade humana.

O aspecto central nessa história toda é como as pessoas tratam o meio ambiente como uma mera trilha ao lucro. Quando o meio ambiente representa uma ameaça ao lucro, ao invés de buscar alternativas “mais sustentáveis”, prefere-se ficar com o lucro e atropelar o meio ambiente. O mesmo se faz com o pilar social e a tendência de mecanização e robotização de processos, dispensando a contratação de pessoas para aumentar ainda mais o lucro.

Fábricas vazias e automatizadas: um desafio para a sustentabilidade.

A falta de vontade política por parte dos governantes também é outro aspecto absurdo. Segundo um estudo da Unicamp/WWF, o consumo atual de energia no país poderia ser reduzido à metade se fossem investidos recursos em conservação, eficiência enérgica, redução das perdas nas linhas de transmissão e reaproveitamento de antigas usinas geradoras, que estão desativadas, evitando essas novas obras de proporções estratosféricas que chamam a atenção das mídias e, consequentemente, atraem votos.

A nomeação do novo presidente do IBAMA, realizada pela presidente Dilma Rousseff, definirá os rumos dessa obra. Com a pressão que as empresas estão colocando em cima do IBAMA, não acho que coisa boa vai vir.

Petição para Dilma Rousseff

A Avaaz está com uma petição de emergência para que Dilma indique alguém que seja contra esses interesses econômicos que pressionam o IBAMA atualmente. Se você acha a causa importante e quiser participar, assine a petição.

Em defesa dessa sustentabilidade utópica, trago aqui o debate como um modo de fazermos nosso melhor para vivê-la, mesmo sabendo que talvez nunca cheguemos lá. Você também está fazendo sua parte ou já desanimou com todo o sistema?

Seguimos o papo nos comentários.

Danilo Scorzoni Ré

Engenheiro Florestal, amante da natureza e de ecoturismo. Apesar de ambientalista, não gosta de eco-chato e ainda acredita na capacidade do ser humano em promover um futuro melhor. É @dscorzoni no Twitter.


Outros artigos escritos por


SEPARAMOS MAIS TEXTOS PARA VOCÊ CONTINUAR LENDO




O texto acima não representa a opinião do PapodeHomem. Conheça a visão e a essência por trás do que fazemos. Queremos uma discussão de alto nível. Antes de comentar, leia nossas boas práticas. Caso deseje enviar um texto e se tornar um autor, venha por aqui.


  • Guilherme

    O Título já começa mal, já que um Desastre Natural é aquele que ocorre sem interferência do homem, e uma barragem no meio do rio não tem nada de Natural.

    • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

      Ué, mas não tem “natural” no título, Guilherme. Está escrito “ambiental”. Considera que desastres ambientais não podem ter causa humana, é isso?

      • Guilherme

        Desconsidere Gitti, eu jurava que tinha lido Naturais, desastres Ambientais podem sim ser causados por Humanos, o Título está certíssimo.

  • http://www.facebook.com/people/Marcelo-Perini-Moojen/1804800909 Marcelo Perini Moojen

    Sustentabilidade só existe de verdade no estilo de vida dos povos indígenas. Claro, existem algumas exceções, mas “sustentabilidade” no mundo contemporâneo é muito mais marketing do que qualquer outra coisa.

  • Anônimo

    Primeira coisa ser fiz foi jogar a TV fora ou simplesmente deixa-lá sem antena , para assisstir só a dvds.Com isso me livrei de um monte de informação inútil , parei de perde tempo e deixa de ser atacada por propagandas das grandes marcas.
    O próximo passo é tentar se livrar de TODA comida largamente industrializada . Comprar comida de pequenos produtores da minha região ou comida orgânica é o passo mais importante para manter a
    biodiversidade e ter um ecossistema equilibrado ao meu ponto de vista.

    Compra uma bicicleta . Deixe seu carro

    • Caio Veras Serejo

      Para com isso cara… é um caminho mais devastador ainda… a cultura orgânica pode ser mais saudável individualmente, mas é menos produtiva do que usa agrotóxicos ou modificações genéticas, logo, se todos só comecem transgênicos haveria necessidade de expansão sas áreas plantadas.
      As coisas não são tão simples, infelizmente!

      • http://twitter.com/adalbertoBCP Adalberto Pereira

        Pelo visto vc n saca nada d produto orgânico… produto orgânico é muito mais do que plantado “naturalmente” sem agrotóxicos ou modificações genéticas, ele tem de ser sustentável, e não agredir o meio ambiente e tudo mais….

      • André Abou

        É bonito falar que tem que ser sustentável. Mas como?

      • http://twitter.com/adalbertoBCP Adalberto Pereira

        Pelo visto vc n saca nada d produto orgânico… produto orgânico é muito mais do que plantado “naturalmente” sem agrotóxicos ou modificações genéticas, ele tem de ser sustentável, e não agredir o meio ambiente e tudo mais….

      • FelipeBgood

        Voce falou sobre o Estudo prévio realizado para avaliar os diferentes impactos e tudo mais senao o empreendimento nao é viável…
        Amigo, entenda que este estudo pode ser totalmente direcionado de forma a se fazer viável o empreendimento. Nao acredite em tudo que ouve ou vê na TV. Há de ter o próprio discernimento para questionar autoridades que disponibilizam licenças e outorgas, pois elas são tão ou mais leigas quanto eu ou você. São pessoas que ocupam cargos políticos, sujeitas à inumeras pressoes ($$$) de construtoras e empreiteiras interessadas em construir a usina a qualquer custo.
        E você fala em empregos, geraçao de Renda?? A vida para o Índio é mais do que um emprego para ele poder consumir suas coisinhas.. A vida para o Índio é o Rio!! 

  • http://www.facebook.com/people/Daniel-Jaloretto-da-Silva/688647368 Daniel Jaloretto da Silva

    Olá!
    Também sou um Engenheiro Florestal, formado ano passado. Quero dizer que gosto dos seus artigos aqui do PdH e dizer que este foi um dos que gostei muito.
    É importante que as duvidas quanto a “sustentabilidade” sejam esclarecidas para todo mundo e este artigo veio muito a calhar. Digo que também sou um apoiador do Avaaz e esta petição deve ser levada a público.
    A usina de Belo Monte, se for levada em prol de algumas empresas que vêem nela um meio de obter mais lucro sem respeitar os outros pilares da sustentabilidade, será um enorme desastre.
    No mais, continue com artigos assim.
    Daniel.

  • Pedro Henrique

    Antes de mais nada, gostaria de contribuir com este artigo que saiu na folha no ano passado:

    http://www.eagora.org.br/arquivo/belo-monte-a-floresta-e-a-arvore

  • Pedro Henrique

    Não acho que a usina em cima deva ser questionada. Como o texto da folha expoe, a área afetada pela construção da usina é uma parcela centesimal de toda a floresta, e ainda mais: é equivalente a uma área desmatada a cada DOIS dias! E não é nem um pouco trivial investir em eficiência energética, os frutos de investimentos assim são a longo prazo (oque não os invalida). Portanto, esta usina é válida sim.

    Agora, eu sou contra este projeto apresentado (se é que está aassim). Se as especificações não estão precisas, deve haver um estudo mais aprofundado da região e do produto que se deseja, é claro.

    Quanto às pessoas que se preocupam com a floresta: Belo Monte não é a vilã nesta história. Os vilões são as pessoas que extraem madeira da floresta (todo dia!), os latifundiários que também desmatam, os traficantes que utilizam desta proteção natural. Esses vilões estão há muito anos fazendo oque bem entendem da floresta e são um mal muito maior do que a usina, pois só trazem prejuízo para a sociedade.

    • Paul

      A situação é pior: a usina é o vilão sim, e o impacto vai ser agravado pela migração de dezenas de milhares (estimativas vão até 100.000) de pessoas à área, em busco de emprego. Não é realista esperar que todos eles ficam direitinho dentra de Altamira ou outras vilas da região: vai ter uma pressão enorme em cima da floresta da região. E como sabemos, as autoridades não tem nem a vontade nem a capacidade de fiscalizar toda essa gente. Então, o desmatamento vai aumentar, a pesca predatório vai aumentar, sem falar de todas as demais mazelas sociais que um contingente deste tamanho trará à região. Faça uma busca no google sobre a situação na região da construção de St. Antônio e Jirau: um aumento na violência, no fluxo de drogas, na prostituição, no tráfico de pessoas (mulheres e menores). Sem falar dos serviços sociais totalmente inadequadas (saúde em primeiro lugar).
      Paul

    • Victor

      Bem, leia http://www.correiocidadania.com.br/content/view/4750/57 e vc vai perceber como o editorialista da Folha foi canalha! A área desmatada diariamente é 1/26 do que ele informou, só pra começo de conversa. Tem muita grana e interesses envolvidos, a sustentabilidade e necessidade real da obra são critérios absolutamentes secundários pros grandes políticos que participam das tomadas de decisões…

    • Victor

      Bem, leia http://www.correiocidadania.com.br/content/view/4750/57 e vc vai perceber como o editorialista da Folha foi canalha! A área desmatada diariamente é 1/26 do que ele informou, só pra começo de conversa. Tem muita grana e interesses envolvidos, a sustentabilidade e necessidade real da obra são critérios absolutamentes secundários pros grandes políticos que participam das tomadas de decisões…

    • Victor

      Bem, leia http://www.correiocidadania.com.br/content/view/4750/57 e vc vai perceber como o editorialista da Folha foi canalha! A área desmatada diariamente é 1/26 do que ele informou, só pra começo de conversa. Tem muita grana e interesses envolvidos, a sustentabilidade e necessidade real da obra são critérios absolutamentes secundários pros grandes políticos que participam das tomadas de decisões…

    • Thaís

      Ui, li a Folha e acredito cegamente no que ela disse. ¬¬

  • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

    Valeu, Danilo!

    Não estava sabendo dos detalhes disso. Fiquei impressionado com o primeiro vídeo.

    To assinando a petição agora.

    Abraço.

  • Pingback: Tweets that mention Papo de Homem – Lifestyle Magazine -- Topsy.com

  • Luis Rangel

    Realmente esse projeto do Avaaz é muito bom… mas esse é o menor dos problemas que essa região da amazônia enfrenta. Só sabe disso quem já morou, ou ainda mora lá. É um absurdo conviver com um dos sistemas políticos mais rídiculos do país! No caso do Pará por exemplo, muitos dos prefeitos eleitos nas cidades do interior foram grandes grileiros nos anos 80 e 90. E muitos ainda são!
    Quem mora lá sabe o que é ver todo dia caminhões transportando madeira ilegal em plena luz do dia..

  • http://twitter.com/fab_monard Fabrício Monard

    Sou paraense e posso dizer com toda a certeza: o maior problem ambiental que enfrentamos é a extração criminosa de madeira. Se esse problema fosse ao menos um pouco combatido todo esse burburinho em torno de Belo Monte poderia ser minimizado.
    Como o texto fala, também concordo que sustentabilidade é uma certa utopia. Mas podemos começar batalhar por isso se atacarmos os VERDADEIROS problemas.

  • http://twitter.com/fab_monard Fabrício Monard

    Sou paraense e posso dizer com toda a certeza: o maior problem ambiental que enfrentamos é a extração criminosa de madeira. Se esse problema fosse ao menos um pouco combatido todo esse burburinho em torno de Belo Monte poderia ser minimizado.
    Como o texto fala, também concordo que sustentabilidade é uma certa utopia. Mas podemos começar batalhar por isso se atacarmos os VERDADEIROS problemas.

  • http://twitter.com/dscorzoni Danilo Scorzoni Ré

    Paul, isso que você disse é muito importante. Onde o “desenvolvimento” chega na Amazônia, a destruição vem junto. É só dar uma olhada ao longo das rodovias que cortam a floresta (no Google Earth, por exemplo) e constatar o desmatamento em forma de “espinha de peixe” que chamamos. Portanto, onde há acesso e também energia há desmatamento. As causas são as mais complexas possíveis, indo desde a falta de alternativa dos moradores de lá, passando pela falta de fiscalização e pela ganância do homem. Não acho que vale a pena estender a discussão a esse ponto.

  • http://twitter.com/dscorzoni Danilo Scorzoni Ré

    Paul, isso que você disse é muito importante. Onde o “desenvolvimento” chega na Amazônia, a destruição vem junto. É só dar uma olhada ao longo das rodovias que cortam a floresta (no Google Earth, por exemplo) e constatar o desmatamento em forma de “espinha de peixe” que chamamos. Portanto, onde há acesso e também energia há desmatamento. As causas são as mais complexas possíveis, indo desde a falta de alternativa dos moradores de lá, passando pela falta de fiscalização e pela ganância do homem. Não acho que vale a pena estender a discussão a esse ponto.

    • Caio Veras Serejo

      Bom, que a usina vai causar danos à floresta, isso é inegável, mas normalmente há um estudo de caso detalhado que leva em conta todos os custos ambientais, sociais e econômicos envolvidos, desde as áreas alagadas a expansão urbana na área, o deslocamento das tribos indígenas, das clareiras formadas pelas estradas, o custo financeiro da obra, o efeito da represa do rio sobre as cidades que se localizam depois da represa entre outros fatores. Para que a obra seja viável, esses custos devem ser menores do que os benefícios gerados, que seriam a receita financeira, talvez uma atividade de pesca mais desenvolvida devido ao alagamento de maiores áreas, empregos gerados, maior segurança energética, entre outros fatores…
      Infelizmente, não há como nós leigos, especularmos sobre essa questão… O que nos resta fazer é cobrar e pressionar para que todas as estimativas sejam feitas com responsabilidade e seriedade, afim de que se possa fazer uma avaliação acertada da viabilidade ou não da construção da hidrelétrica.

  • http://twitter.com/vendramine Elton Joel Vendramin

    Li numa coluna da Miriam Leitão que a usina de Belo Monte terá capacidade instalada de 11 mil Mwatts, sendo a média de 4 mil Mwatts, podendo chegar a apenas mil Mwatts nos períodos de seca. Será mesmo que a usina é uma boa ideia?

  • http://twitter.com/vendramine Elton Joel Vendramin

    Li numa coluna da Miriam Leitão que a usina de Belo Monte terá capacidade instalada de 11 mil Mwatts, sendo a média de 4 mil Mwatts, podendo chegar a apenas mil Mwatts nos períodos de seca. Será mesmo que a usina é uma boa ideia?

  • http://twitter.com/vendramine Elton Joel Vendramin

    Li numa coluna da Miriam Leitão que a usina de Belo Monte terá capacidade instalada de 11 mil Mwatts, sendo a média de 4 mil Mwatts, podendo chegar a apenas mil Mwatts nos períodos de seca. Será mesmo que a usina é uma boa ideia?

  • Magnooliveira1968

    O grande problema dessa discussão é que não existem informações técnicas isentas confiaveis, pois uma decisão desse porte não deve ser baseado em ideologias e interresses de ambos os lados. os grandes projetos em uma sociedade amadurecida, são estudos minuciosamente para não haver o benefício de uma minoria como acontece no Brasil. Pergunte a qualquer empresário desse páis se investiria seu dinheiro sem saber se haveria retorno. E pergunte aos ambiemtalistas se quando eles compram alguma coisa, eles deixam de utilizar uma parte daquilo que compraram. A verdade é que todos querem aparecer

    • http://nao2nao1.com.br/ Gustavo Gitti

      Também acho. Dei uma pesquisada e parece que ninguém tem dados precisos de tudo o que precisamos saber pra decidir.

      • Lilla

        “Parece que ninguém tem dados precisos de tudo o que precisamos saber para decidir”.O que não nos impede de usar ponderação e bom senso para saber qual é o meio correto que gere menos impactos negativos numa perspectiva abrangente. Eu já havia assinado essa petição antes mesmo do post, através do feed da Avaaz no meu e-mail. Mais interessante ainda, seria vocês terem também um texto de um metereologista que falasse sobre os impactos desta construção e suas possíveis influências na alteração climática do país, o pessoal ficaria chocado.

      • Lilla

        “Parece que ninguém tem dados precisos de tudo o que precisamos saber para decidir”.O que não nos impede de usar ponderação e bom senso para saber qual é o meio correto que gere menos impactos negativos numa perspectiva abrangente. Eu já havia assinado essa petição antes mesmo do post, através do feed da Avaaz no meu e-mail. Mais interessante ainda, seria vocês terem também um texto de um metereologista que falasse sobre os impactos desta construção e suas possíveis influências na alteração climática do país, o pessoal ficaria chocado.

  • Rossoni

    Danilo, achei o teu artigo bem confuso e com muitas arestas, muito disso devido a complexidade do tema. Logo no inicio tu fala sobre cortar UMA árvore, o que causaria danos a formas de vida nela existentes, em seguida cita que a plantação de eucaliptos é uma forma sustentável que pode ser bem administrada, ok, mas nesses eucaliptos não teríamos ninhos de pássaros, pequenos insetos, e outros?
    O tema pode ter inúmeros pontos de vista. Quanto a usina de Belo Monte, o que seria melhor? Construir centenas de pequenas usinas para demandas locais ou esta obra de mega proporção? Qual seria o impacto destas alternativas? No fim teríamos quantos peixes dizimados? Quantos animais mortos? Quantas fam[ilias realocadas? Este estudo eu ainda não vi.
    Por isso que neste caso de Belo Monte eu creio que o tema ainda não foi totalmente esgotado, mesmo que seja constatado que esta é a melhor opção.

    Abraço

  • Anônimo

    Impressionante o jogo de forças rolando nisso tudo!
    É estranho se pensarmos que a humanidade, que já deu passos importantes na ciência e tecnologia ainda busque saídas invasivas e rudimentares como Belo Monte.
    O projeto poderia até ser o supra-sumo de engenharia, mas é agressivo, arriscado e vergonhoso, diante das outras possibilidades que podemos explorar.
    TANTO DINHEIRO, tecnologia e etc gastos para ir procurar água em marte, tirar fotos das montanhas da lua e, onde estão as soluções e o comprometimento com a nossa casa, o nosso planeta azul??

    Vocês leram sobre os planos do governo para energia eólica?

    “Atualmente, as usinas eólicas instaladas somam 930 MW espalhados por 50 parques. As hidrelétricas, principal fonte de geração do país, têm 110.000 MW instalados”

    link: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/855129-energia-eolica-deve-crescer-320-nesta-decada-no-brasil-preve-governo.shtml

    Está tudo apenas engatinhando, mas se a ganância que vemos em Belo Monte fosse transmutada em comprometimento por novas saídas, certamente teríamos resultados mais rápidos.

  • Cazzobrasilia

    então.. eu trabalho no Ibama… na áera de licenciamento ambiental federal… já trabalhei com hidreletricas.. e com apenas seis emses de ibama eu era o responsavel pela euiqpe que acompanhava a maior obra do PAC da época (que era a Usina de Estreito – divisa do maranhão com Tocantins)…
    Vcs naõ tem idéia do que rola no setor.. da perssão dos empreendedores, do governo, da sociedade civil, do ministério público…..O que posso dizer é que Belo Monte realmente não é legal…nenhum presidente quer assinar as licenças… mas daqui a pouco acham um que assina…

  • Cazzobrasilia

    Outra hora comento melhor esse tema.. to acabando um parecer aqui e vai rolar uma multa por terraplanagem sem autorização do Ibama.. risos

  • Pedro Henrique

    Depois de tudo dito até aqui, a minha posição permanece a mesma:

    Acredito que implantação de uma usina em si no local não é completamente inviável. Contudo, é óbvio que o projeto atual não atende a sustentabilidade e muito menos está sendo feito para garantir um bom futuro da matriz energética brasileira. Mas isso não exclui a opção de um projeto descente que condiz com os recursos disponíveis e com as necessidades a curto prazo.

    Um ponto: Implantar energia eólica é muito mais difícil do que parece, e além de não ser totalmente limpa é muito cara.

    Outro ponto: Investir em tecnologia não é trivial. Novas idéias não caem do céu, muito menos investidores dispostos a realizá-las.

    Mais um: Se houvesse esforços para lutar contra o desmatamento em si, uma área muito maior de floresta seria preservada do que a area da nova usina.

    Enfim, são poucos dados concretos e muita especulação. Diante do cenário atual, ainda fico com a construção de uma nova usina.

    • FelipeBgood

      Depois de tudo dito aqui, e por tudo que já vi na vida, minhas idéias nao se alteram pelo que a Globo diz.

      Um ponto: Venha para a Alemanha e verás como é tao dificil implantar Energia Eólica… tem mais do que mato, onde há uma fazenda e ventos, há energia Eólica, e solar. Basta ter vontade política e tenho certeza podem sair muitas Usinas Eólicas. E em que ponto exatamente a Energia Eólica nao é totalmente limpa amigo??? E se implantar uma turbina eólica nao é fácil… construir um Canal do Panamá no meio da Amazônia é???

      Outro: Investir em Tecnologia depende do Investimento Estatal em pequisa, que no Brasil é pífio 1,0% do PIB, assim há de se recorrer à importaçao de Energia, tornando muito mais caro e também nos sujeitando à condiçao eterna de país agrário. Esse investidor há de ser o Governo.

      Novas tecnologias de geraçao de Energia já existem, precisam ser aperfeiçoadas e estudadas. Biomassa, Geraçao a partir de algas, verdadeiramente o futuro. Sem contar Solar e Eólica às quais o Brasil tem um potencial indiscutível. Solar em todo semi-árido nordestino e boa parte do centro oeste e sudeste. E Eólico em toda uma faixa que vai do RN ao RS em diversos pontos.

      Entenda, o BNDES e em todo o país há uma fortíssima Pressao política exercida pelas 5 maiores contrutoras do Brasil, e que sao responsáveis por grandes construçoes, Rodoanel em Sao Paulo, qualquer estrada de maior porte aí será uma delas que vencerá o edital, e é de grande interesse à elas que seja de fato construída Belo Monte. O BNDES em mútuo acordo despeja uma grana violenta, surge uma hidrelétrica, e alguns empresários felizes. Sao elas Andrade Gutierrez, Odebrecht, Camargo Correa, Queiroz Galvao e OAS.
      Se no fundo Belo Monte nao representasse muito lucro pra esse pessoal e pros investidores do consórcio, não veríamos Eike Batista, grupo Bertin entre outros interessados em participar.. Empresa privada tem um objetivo claro: LUCRO!! Senao nem entravam nessa..

      Sao de fato poucos Dados concretos a respeito disso tudo. O que se sabe de fato é, temos muitas outras opçoes mais viáveis, economicamente, ambientalmente e socialmente. E também que: Contruir uma usina hidrelétrica na maior Planície do mundo é muita ignorância.

      Por isso não mudo minha opnião: Belo Monte e qualquer Hidrelétrica na Amazônia é Cagada!! E muita má vontade e influências, essa sim malignas para a construçao da Usina.

  • Leo

    Sei que os impactos de Belo Monte vão causar danos porem ninguem reclama do crescimento que o Brasil teve nos ultimos anos, ninguem reclama de seu melhor salário e de seu maior poder de compra. Isso aconteceu porque a economia do Brasil melhorou, mais empregos, mais dinheiro girando. Agora vale lembrar que para que qualquer coisa que você compre uma multidão foi responsavel para que ele chegasse até suas mãos. Energia elétrica é algo que o homem não consegue mais viver sem ela, sem ela não terá nem agua na sua casa. Já é de conhecimento que energia é um problema atualmente no Brasil. Belo Monte ao meu ver é sim uma boa alternativa, as questões de impacto ambiental existem em qualquer solução proposta. Exemplo, instale turbinas eólicas ou captadores de energia solar, a área necessária para gerar a energia produzida por uma hidrelétrica é mto mto maior e mais cara, dai um dia as cidades crescem, você vai expandir e Opa, tem uam fazenda de ventiladores aqui do lado!
    Falar de sustentabilidade enquanto esta em sua casa na frente do ventilador/ar condicionado na internet é facil, agora imagine se você realmente levasse sustentabilidade a sério? Você nao estaria nem aqui lendo o Papo de homem, afinal quanto de poluição essa sua conecção esta gerando?

    • http://twitter.com/dscorzoni Danilo Scorzoni Ré

      Leo, e se essa poluição gerada enquanto eu estou lendo e escrevendo para o Papo de Homem fosse neutralizada de alguma forma? Isso também é sustentabilidade.

      A verdade é que é bem difícil de falar sobre meio ambiente sem entrar em extremismos. Energia elétrica é fundamental e faz parte da evolução do homem moderno, portanto, é preciso gerá-la. De que forma? Pode ser hidrelétrica? Pode sim… mas o projeto precisa ser coerente, preciso, seguir às riscas todas as exigências e recomendações para um mínimo impacto.

      Não é só porque precisamos de energia elétrica que ela deve ser gerada de qualquer forma e sem responsabilidade. Da mesma forma como precisamos de dinheiro para nos sustentar e não saímos por aí assaltando bancos.

      Abraço.

  • Leo

    Sei que os impactos de Belo Monte vão causar danos porem ninguem reclama do crescimento que o Brasil teve nos ultimos anos, ninguem reclama de seu melhor salário e de seu maior poder de compra. Isso aconteceu porque a economia do Brasil melhorou, mais empregos, mais dinheiro girando. Agora vale lembrar que para que qualquer coisa que você compre uma multidão foi responsavel para que ele chegasse até suas mãos. Energia elétrica é algo que o homem não consegue mais viver sem ela, sem ela não terá nem agua na sua casa. Já é de conhecimento que energia é um problema atualmente no Brasil. Belo Monte ao meu ver é sim uma boa alternativa, as questões de impacto ambiental existem em qualquer solução proposta. Exemplo, instale turbinas eólicas ou captadores de energia solar, a área necessária para gerar a energia produzida por uma hidrelétrica é mto mto maior e mais cara, dai um dia as cidades crescem, você vai expandir e Opa, tem uam fazenda de ventiladores aqui do lado!
    Falar de sustentabilidade enquanto esta em sua casa na frente do ventilador/ar condicionado na internet é facil, agora imagine se você realmente levasse sustentabilidade a sério? Você nao estaria nem aqui lendo o Papo de homem, afinal quanto de poluição essa sua conecção esta gerando?

  • Dr Health

    “O mesmo se faz com o pilar social e a tendência de mecanização e robotização de processos, dispensando a contratação de pessoas para aumentar ainda mais o lucro.”

    Olhando por outro lado as máquinas deixam a produção além de maior, mais eficiente, pois erram menos. Também evita os acidentes e lesões crônicas, justamente por não colocar os trabalhadores fazendo os movimentos solicitados/repetitivos (Porque a tal produção industrial é uma “máquina” (aspas irônicas) de ferrar seres humanos, eu é que sei).

    Me lembra um pouco quando os postos de gasolina tentaram implementar o sistema self-service aqui no Brasil, como é nos EUA (acho que ainda é). O sindicato dos frentistas embarreirou, e a profissão se manteve por “necessidade social”. Interessante.

    E sempre serão necessárias pessoas para fazer a manutenção, programação e supervisão das máquinas.

    Quem me dera um robô pudesse me substituir num plantão 24h!!!

  • Cazzobrasilia

    Opa.. voltei… então… o que posso dizer sem entrar em detalhes técnicos a esse respeito..
    os técnicos do Ibama não deram parecer favoravel a Belo Monte… o MPF (Ministerio Publico Federal) ja entrou com várias ações contra obra ou partes dela… as condicionantes da Licença Prévia ainda não foram atendidas e mesmo assim o empreendedor já está pedindo a Licença de Instalação… os técnicos do Ibama não se sentem seguros com os dados atuais sobre os reais impactos dessa obra monumental… Já tivemos a troca de presidentes e de varios diretores por conta dessa pepino (ninguem quer assumir essa bagaça)… quem assinar vai ter de responder depois por isso.. mesmo que não seja mais presidente ou diretor do Ibama… existem sim outras maneiras de gerar, melhor ou reaproveitar o potencial energetico brasileiro sem Belo Monte… a grana envolvida é realmente fabulosa… as pressões políticas e econômicas são fabulossas também… enfim… eu não assinaria um parecer ou uma licença pra Belo Monte…

  • Cazzobrasilia

    Opa.. voltei… então… o que posso dizer sem entrar em detalhes técnicos a esse respeito..
    os técnicos do Ibama não deram parecer favoravel a Belo Monte… o MPF (Ministerio Publico Federal) ja entrou com várias ações contra obra ou partes dela… as condicionantes da Licença Prévia ainda não foram atendidas e mesmo assim o empreendedor já está pedindo a Licença de Instalação… os técnicos do Ibama não se sentem seguros com os dados atuais sobre os reais impactos dessa obra monumental… Já tivemos a troca de presidentes e de varios diretores por conta dessa pepino (ninguem quer assumir essa bagaça)… quem assinar vai ter de responder depois por isso.. mesmo que não seja mais presidente ou diretor do Ibama… existem sim outras maneiras de gerar, melhor ou reaproveitar o potencial energetico brasileiro sem Belo Monte… a grana envolvida é realmente fabulosa… as pressões políticas e econômicas são fabulossas também… enfim… eu não assinaria um parecer ou uma licença pra Belo Monte…

  • Cazzobrasilia

    “O mesmo se faz com o pilar social e a tendência de mecanização e robotização de processos, dispensando a contratação de pessoas para aumentar ainda mais o lucro.”
    esse é outro assunto que precisa cada vez mais ser discutido.. máquinas são e serão cada vez mais utilizadas… é um caminho sem volta… a cada máquina criada vc tem um novo tipo de emprego gerado (manutenção das máquinas, programação, fabricação, etc…)
    Houve esse emsmo medo quando da revolução industrial… e hoje vemos que as máquinas fazem cada vez mais parte do cotidiano da humanidade e mesmo assim não faltam empregos… na verdade faltam pessoas capazes de operar ou trabalhar juntamente com essas máquinas…
    e os trabalhos manuais ou artesanais estão se tornando cada vez mais valorizados…

  • Cazzobrasilia

    “O mesmo se faz com o pilar social e a tendência de mecanização e robotização de processos, dispensando a contratação de pessoas para aumentar ainda mais o lucro.”
    esse é outro assunto que precisa cada vez mais ser discutido.. máquinas são e serão cada vez mais utilizadas… é um caminho sem volta… a cada máquina criada vc tem um novo tipo de emprego gerado (manutenção das máquinas, programação, fabricação, etc…)
    Houve esse emsmo medo quando da revolução industrial… e hoje vemos que as máquinas fazem cada vez mais parte do cotidiano da humanidade e mesmo assim não faltam empregos… na verdade faltam pessoas capazes de operar ou trabalhar juntamente com essas máquinas…
    e os trabalhos manuais ou artesanais estão se tornando cada vez mais valorizados…

  • Thiago Lucena

    Penso que este é um caso bastante complexo. Por um lado temos uma necessidade de energia, por outro o medo do impacto gerado pela construção da usina.

    As alternativas a hidrelétrica não são tão viáveis, termoelétricas poluem demais, usinas nucleares são mais “limpas” mas se der algo errado… As eólicas são mais viáveis de serem construidas no Nordeste, o que aumentaria muito o custo.

    Acho que o problema não é a construção da usina, mas sim como ela tem sido conduzida, então o ponto seria a cobrança de uma condução responsável do projeto, que haja uma facilidade para acompanhar o que estiver acontecendo por todos os interessados, que se avaliem com maior precisão os impactos e o que se pode fazer para minimiza-los.

    Enfim, na minha opinião, existe uma necessidade e até onde eu vi a construção da hidreétrica é a solução mais viável, desde que seja conduzida corretamente.

    • Anônimo

      Necessidade de energia nessa escala no NORTE? Aonde você vive?
      Vc sabia por acaso que as perdas de energia para transportar essa energia para o sudeste são absurdas???ou vc acha que não existem perdas em se transportar por 5mil km energia elétrica??
      Não tem demanda NENHUMA para isso…

      • Thiago Lucena

        Mas a região Norte é a que mais cresce no país, e com projeção pra manter esse ritmo pelos proximos anos. Só dar uma olhadinha no google que se encontra materias assim: http://exame.abril.com.br/revista-exame/edicoes/0980/noticias/a-espera-de-prosperidade?page=1&slug_name=a-espera-de-prosperidade

        O custo da energia foi justamente o argumento que usei para falar da inviabilidade de usarmos o potencial do nordeste para este abastecimento.

        Se o projeto for conduzido corretamente (incluindo as condicionantes do ibama) o impacto ambiental não parece tão catastrofico quanto se fala.

        Me preocupa mais é o complexo portuário de Suape, no Nordeste talvez ganhe sua terceira termoelétrica e quase ninguém falar disso (além de não terem feito muita coisa sobre o impacto causado pela construção do complexo).

  • Thiago Lucena

    Penso que este é um caso bastante complexo. Por um lado temos uma necessidade de energia, por outro o medo do impacto gerado pela construção da usina.

    As alternativas a hidrelétrica não são tão viáveis, termoelétricas poluem demais, usinas nucleares são mais “limpas” mas se der algo errado… As eólicas são mais viáveis de serem construidas no Nordeste, o que aumentaria muito o custo.

    Acho que o problema não é a construção da usina, mas sim como ela tem sido conduzida, então o ponto seria a cobrança de uma condução responsável do projeto, que haja uma facilidade para acompanhar o que estiver acontecendo por todos os interessados, que se avaliem com maior precisão os impactos e o que se pode fazer para minimiza-los.

    Enfim, na minha opinião, existe uma necessidade e até onde eu vi a construção da hidreétrica é a solução mais viável, desde que seja conduzida corretamente.

  • Edegar

    A questão da sustentabilidade é muito complexa. Provavelmente utópica mesmo. Precisamos da energia, precisamos melhorar a forma como usamos a energia e, principalmente, precisamos melhorar a forma como a energia é obtida. E qual é a prioridade? Tudo! Tudo é urgente pois tudo tem sido deixado para depois. Mas enfim, no caso específico de Belo Monte, o que mais joga contra sua construção é a falta de transparência, de dados concretos, de estudos sérios e bem elaborados. Sem isso, simplesmente não dá para dizer se a construção é viável ou não. O resto é tudo especulação. Assim sendo, até que se façam estudos sérios e imparciais que atestem sua viabilidade, sou contra.

  • Edegar

    A questão da sustentabilidade é muito complexa. Provavelmente utópica mesmo. Precisamos da energia, precisamos melhorar a forma como usamos a energia e, principalmente, precisamos melhorar a forma como a energia é obtida. E qual é a prioridade? Tudo! Tudo é urgente pois tudo tem sido deixado para depois. Mas enfim, no caso específico de Belo Monte, o que mais joga contra sua construção é a falta de transparência, de dados concretos, de estudos sérios e bem elaborados. Sem isso, simplesmente não dá para dizer se a construção é viável ou não. O resto é tudo especulação. Assim sendo, até que se façam estudos sérios e imparciais que atestem sua viabilidade, sou contra.

  • Animaignea

    Não há dados precisos porque essa obra vai tomar mordidas de todos os cantos. Na época do paz, muitos anos atrás aqui em sampa, uma placa interna de hospital (pq todos foram pseudo-reformados) chegava a custar dois mil reias (agora, pensem no valor do dinheiro naquela época, porque mesmo hoje, dois mil reais numa placa é um absurdo.).
    E creio que vamos ver outros grandes nomes sairem do Ibama, até entrar um laranja infeliz que aprove esse projeto.

    A politica do partido que vem segurando nossa presidencia, a alguns anos, é fazer obras gigantescas, alardea-las e colocar a culpa de tudo o que da errado nas gestões anteriores (vide dilma colocando a culpa do desastre do rio, depois de oito anos de lula, nos governos anteriores aos do PT http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/dilma+culpa+desleixo+e+isenta+governo+lula/n1237947135497.html).

    Foi mal, mas eu não consigo separar política desse tipo de atitude do governo. A alguns anos atrás fizeram uma reserva gigantesca pros nativos e expulsaram toda a população restante do território demarcado (teve caso de CASAL ser separado por essa doideira na época. O que o governo federal não entende é que os nativos querem respeito). Agora, querem enfiar na goela Brasileira esse projeto. Penso que isso é quase subir num palanque e gritar “ordem, progresso, emprego, viva o vermelho”

  • Animaignea

    Não há dados precisos porque essa obra vai tomar mordidas de todos os cantos. Na época do paz, muitos anos atrás aqui em sampa, uma placa interna de hospital (pq todos foram pseudo-reformados) chegava a custar dois mil reias (agora, pensem no valor do dinheiro naquela época, porque mesmo hoje, dois mil reais numa placa é um absurdo.).
    E creio que vamos ver outros grandes nomes sairem do Ibama, até entrar um laranja infeliz que aprove esse projeto.

    A politica do partido que vem segurando nossa presidencia, a alguns anos, é fazer obras gigantescas, alardea-las e colocar a culpa de tudo o que da errado nas gestões anteriores (vide dilma colocando a culpa do desastre do rio, depois de oito anos de lula, nos governos anteriores aos do PT http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/dilma+culpa+desleixo+e+isenta+governo+lula/n1237947135497.html).

    Foi mal, mas eu não consigo separar política desse tipo de atitude do governo. A alguns anos atrás fizeram uma reserva gigantesca pros nativos e expulsaram toda a população restante do território demarcado (teve caso de CASAL ser separado por essa doideira na época. O que o governo federal não entende é que os nativos querem respeito). Agora, querem enfiar na goela Brasileira esse projeto. Penso que isso é quase subir num palanque e gritar “ordem, progresso, emprego, viva o vermelho”

  • Guilherme

    Leiam os livros do Leonardo Boff sobre sustentabilidade. Desde o começo dos anos 90 ele já falava sobre isso: a sustentabilidade não comercial, absolutamente diferente da atual, engolida pelo sistema de lucro empresarial. Era inteiramente baseada na ética, na interação com outros seres vivos… muito interessante.

  • Guilherme

    Leiam os livros do Leonardo Boff sobre sustentabilidade. Desde o começo dos anos 90 ele já falava sobre isso: a sustentabilidade não comercial, absolutamente diferente da atual, engolida pelo sistema de lucro empresarial. Era inteiramente baseada na ética, na interação com outros seres vivos… muito interessante.

  • http://twitter.com/adalbertoBCP Adalberto Pereira

    Bem, todo mundo sabe o pais que vivemos! De longe a construção dessa usina eh a melhor opção, ja vi até documentário no canal Discovery Channel, comentado esse absurdo que vai ser se for realmente feito essa usina. Existem outros meios muito melhores! A questão toda é que as grande empresas e tudo mais além da corrupção por traz disso tudo ta falando mais forte! Para mim o ideal é buscar novas alternativas.

  • André Abou

    Pessoal, ok alagar é ruim. Mas como fazer? Sério! Ninguém tem uma resposta prática. É fácil dizer que as empresas são vilãs e que o governo apenas obedece a incentivos escusos. Mas qual a solução? Usinas eólicas não geram a mesma quantidade de energia que uma hidrelétrica. Placas solares idem. Apoio iniciativas como essas e acho que elas devem ser usadas em maior escala para reduzir a pressão sobre as hidrelétricas.

    Por outro lado, este site, estes comentários só estão aqui por causa da eletricidade. E a demanda por ela só aumenta. Os monitores e teclados que usamos para ler e digitar estas palavras foram fabricados na Zona Franca de Manaus (a maioria). As fábricas precisam de energia! E nós não paramos de comprar nossos apetrechos tecnológicos.

    Meu ponto é: quanto mais migramos para o digital, maior a demanda de energia. E enquanto não houver a fusão a frio, coisas desse tipo terão de ocorrer. Ou nos habituamos a viver entre apagões… O problema é mais complicado do que simplesmente a área que será desmatada.

    O que acho mais grave e mais deplorável é que as pessoas se mobilizam horrores para esse tipo de causa, mas onde estão quando vemos coisas como isso (desculpem, mas não posso usar encurtadores daqui): http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/46768_DIVIDAS+DE+CAMPANHA+SERAO+PAGAS+COM+DINHEIRO+PUBLICO

    Esse tipo de coisa deve ser atacada com muito mais veemência. É uma incongruência reclamarmos do governo quando o assunto é Belo Monte, mas não fazermos uma petiçãozinha sequer para combater a impáfia da política. Se achamos que a atitude política deve ser melhor, briguemos pelo que é mais relevante no bolso deles.

    Para os que não concordam com o governo, acho que ações pró-meio-ambiente virão quando os políticos forem melhores. E a necessidade de uma usina dessa só deixará de existir se nós mesmos formos criativos.

    • Anônimo

      Zona franca de manaus…isso é outra palhaçada. vc acha que la tem alguem que consegue fabricar alguma coisa mais complicada que um barco? Se nem aqui no sudeste temos…e estamos a séculos luz da amazonia.
      Me desculpe, mas isso é pra ingles e bobo ver. Na ZF de manaus não se produz NADA. só se monta o que vem de fora, pra pagar menos imposto. outra palhaçada que devia ter acabado a aaaaanos

  • http://twitter.com/FabianoCampos FabianoCampos

    Gente, Mercado Livre de Energia Elétrica, alguém já ouviu falar? Trabalho há pouco mais de 3 anos com esse mercado, cujo objetivo é apresentar uma nova opção de aquisição de energia – a energia renovável. Ou seja, proveniente de pequenas centrais hidrelétricas (PCH – Com potência de 1MW a 30MW) ou de centrais térmicas (UTE – Queima de bagaço de cana, casca de arroz, cavaco de madeira ou lixo orgânico). Infelizmente, esse mercado só existe para as indústrias no Brasil, mas no exterior (Alemanha, por ex.) o consumidor residencial já pode adquirir energia assim e ainda de outros países da Europa como se fosse um cartão pré pago de celular.

    Por que estou falando tudo isso? Porque a construção de uma PCH custa em torno de 5 a 15 milhões de reais e causa um impacto ambiental extremamente ínfimo perto de uma Belo Monte ou qualquer UHE (Usina Hidrelétrica, maiores que 30MW). Ou seja, construir 10 pequenas usinas ao invés de 1 enorme é melhor pra todo mundo e mais barato. Agora, porque isso não acontece? Política, centralizações de poder e corrupção. As dificuldades para licenças ambientais e aprovações do Ibama, Aneel e ONS são verdadeiras batalhas. E o que nos resta? Construir uma p** de uma mega usina e nos gabar por ter o maior sistema energético de fonte hídrica do mundo. Viva. Somos totais e completos dependentes de uma única fonte energética e ainda com esperanças centralizadas em meia dúzia de usinas. Alguns podem falar que temos eólicas saindo e solares em projeto. O mundo é capitalista e estas duas fontes são economicamente inviáveis por um longo prazo no Brasil. Há estudos que atestam que uma placa de captação solar impacta tão forte o meio ambiente para sua construção, que durante todo o seu tempo de vida ela nunca vai conseguir suprir.

    TUDO AQUI é muito mais complicado do que parece.

    • http://www.facebook.com/people/Roberto-Sarti-Cortes/100000377769856 Roberto Sarti Côrtes

      É aí que você se engana…

      Já trabalhei como projetista de usinas hidrelétricas, principalmente de PCHs e posso dizer que elas são uma alternativa CARA e ambientalmente mais danosa do que grandes reservatórios. Vamos aos fatos:

      1 – Não sei de onde você tirou esses preços de usina. Eu participei de 4 estudos de inventário hidrelétrico e 3 projetos básicos de PCHs nos últimos 2 anos e o que eu tenho visto são um preço em média de R$ 40.000.000,00 para usinas de 10MW, com uma variação de R$ 1.500.000,00 para cada MW adicional. Isso, considerando um coeficiente de capacidade (fk) de 0,55 a 0,60 (que normalmente é visto nesse tipo de projeto), um custo de R$ 100 a 150,00 R$/MWh, muito superiores aos R$ 83,00/MWh de Belo Monte. Fora que a área de reservatório / quantidade de energia gerada em média é superior ao de grandes aproveitamentos. Além disso, os impactos na ictiofauna (área em que minha noiva é especialista) podem ser mais danosos já que PCHs normalmente são alocadas, em cascata, em rios menores, afluentes de rios maiores e servem de berçários estes. Ao represar tais berçarios você gerá um impacto enorme na quantidade e diversidade de espécies em rios maiores. Além disso, uma sequencia de PCHs acaba com a população de peixes no rio. Se considerarmos que cada PCH tenha, por exemplo, uma escada de peixes com eficiência de 80%, após a terceira PCH a quantidade de peixes que passam pelo rio no sentido jusante – montante caíria pela metade.

      Particularmente, conheci vários profissionais que trabalharam com o projeto de Belo Monte e em seu EIA. São todos profissionais gabaritados de altíssimo nível técnico. A usina não foi projetada por políticos ou amadores. A questão é que tem que colocar no papel que existem interesses políticos, sociais e (pasmem) ambientais a favor para a construção da usina. Afinal, o que seria melhor, para gerar a capacidade média anual, quantos km² de madeira deveriam ser queimados? Quantas toneladas de CO2 proveninente de combustíveis fósseis seria necessária para gerar tal energia? Quantos hectares seriam necessários de usinas eólicas ou solares para gerar a mesma capacidade? (provavelmente, uma área muito maior que o reservatório da usina de Belo Monte, com certeza).

      Belo Monte tem problemas? Tem, assim como todo empreendimento dessa característica tem. Existem outras alternativas de geração de energia? Sim, mas isso não torna Belo Monte inviável, principalmente se pensarmos na questão da demanda crescente, custos de geração e impacto que também é causado pelas outras fontes.

  • Robson Rogerio

    Segue um relato interessante sobre o assunto para agregar mais informações ao debate: http://goo.gl/nzeQO

  • http://muitapimenta.com Francis Rosário

    Eu não ligo nenhum pouco para esse papo de sustentabilidade, mas sou contra Belo Monte pelo simples fato dela não ser economicamente viável.

    O projeto está orçado em 30 bilhões, mas certamente com os desvios e tudo mais vai chega nos 100 bilhões.

    Enquanto isso a FAB não recebe nem 10 bilhões para compra dos novos caças.

  • Anônimo

    o que é sustentabilidade para vocês? Acho que esse é o primeiro grande problema. Tanto se fala, mas tenho certeza que 99% das pessoas não sabem o que é sustentabilidade…

    Nós somos “sustentáveis”? Os animais são “sustentáveis”? devemos morar em uma bolha para sermos sustentáveis? o que é sustentabilidade afinal????
    e a natureza? E o que é perda genética? os dinossauros foram uma perda genética?
    Acho que estamos discutindo coisas muito a frente de nossos conceitos….uma coisa de cada vez ne?

  • http://twitter.com/TabaCruzFilho Tabaquara Cruz Filho

    Sabe, parece bobagem quando não prestamos atenção. O mundo a nossa volta torna tudo tão cômodo que não percebemos o impacto que criamos na natureza. Sendo que nós fazemos parte da natureza.

    E é vendo esse e outros projetos que eu passo a me questionar por que diabos o Brasil não investe em energia sustentável (tal como a heólica) mais seriamente? Certamente esse investimento também traria muito lucro!

    Ser sustentável é utópico? Beleza, mas as pessoas com poder poderiam lembrar que lucro não é só colocar dinheiro no bolso, mas sim investir pra não ter que desembolsar futuramente pra reparar os danos causados hoje.

    Dá sim pra economizar na grana ao passo que ajudamos na diminuição do impacto ambiental!

  • Neilor

    Pedro Henrique, poupe-nos de sua cegueira quanto aos FATOS:

    A ineficiencia dessa usina é descumunal. – isso já é motivo suficiente para se pensar em alternativas.
    O projeto tem muitos dados ausentes. – isso é muito preocupante! é dar carta branca a construção absurdamente fora dos padrões!

    O link que você postou é extremamente tendencioso, assim como suas idéias! Leia o link que o Paul postou!

    O link da Folha é totalmente superficial e cheio de erros!

  • Pedrohenrique Alc

    Eu acho extremamente engraçado os discurssos extremista dessas ONG’s, de certo ponto é positivo pois acabam servindo para chamar a atenção da sociedade para as causas ambientais, mais em grande parte não passam de mentiras, verdades distorcidas ou meia verdade.
    Prova disso é o caso das empresas plantadoras de Eucalyptus. sempre existe aquele velho blá blá blá de que seca o solo, prejudicial, usam areas desmatadas…..
    To estagiando em uma agora, Veracel, e vejo o quanto os boatos se diferem da verdade, respeitando a risca a legislação florestal, como poucas empresas do agronégocio fazem, pra dizer a verdade só quem respeita essa porra de legislação, são justamente as empresas florestais …..
    Entaum companheiros podem abordar mais profundamente, que concerteza voçês vão achar dados concretos e coerentes da construção desta usina, e provavelmente se sair, vão rir futuramente das especulações de hoje.
    Ao invés de ficar sentados em uma sala com ar-condicionado leptop e bebedouro ligado, usando energia de “qualquer hidroelétrica” que desapropriou, inundou causou grandes impactos como a de belo monte, convido esses ambientalistasde merda, a calçar a porra de uma bota, colocar a desgraça de uma parneira e cair pro mato, pra pode fazer o estudo de impacto ambiental e propor algo melhor cambada de filhos da puta. vão suar o cú na floresta pra ver se é bom. né não né ??? é melhor ficar em algum modulo de faculdade pagando de intelectual e esculhabando que vai e bota pra fazer.

    • http://twitter.com/dscorzoni Danilo Scorzoni Ré

      O Pedrohenrique, que bela maneira de debater a sua hein. Você, por um acaso, faz isso que está propondo mesmo? Não devo satisfação das minhas atividades diárias a ninguém, mas se um dia você vier me acompanhar nas atividades de campo do meu projeto de pesquisa, vai querer rapidinho voltar pro conforto do ar-condicionado da empresa que você estagia.

      Sobre as plantações de Eucalyptus, não se esqueça que respeitar a legislação não é suficiente para ter um meio ambiente equilibrado. Se você acha que as grandes empresas florestais, apesar de respeitarem todas as leis ambientais, estão interessadas em proteger o meio ambiente então você está redondamente enganado. Sobre o impacto ambiental dessas plantações, você deveria ler alguns artigos científicos, tem muita coisa boa produzida, tanto favorável como desfavorável ao eucalipto. Bons estudos.

    • http://twitter.com/dscorzoni Danilo Scorzoni Ré

      O Pedrohenrique, que bela maneira de debater a sua hein. Você, por um acaso, faz isso que está propondo mesmo? Não devo satisfação das minhas atividades diárias a ninguém, mas se um dia você vier me acompanhar nas atividades de campo do meu projeto de pesquisa, vai querer rapidinho voltar pro conforto do ar-condicionado da empresa que você estagia.

      Sobre as plantações de Eucalyptus, não se esqueça que respeitar a legislação não é suficiente para ter um meio ambiente equilibrado. Se você acha que as grandes empresas florestais, apesar de respeitarem todas as leis ambientais, estão interessadas em proteger o meio ambiente então você está redondamente enganado. Sobre o impacto ambiental dessas plantações, você deveria ler alguns artigos científicos, tem muita coisa boa produzida, tanto favorável como desfavorável ao eucalipto. Bons estudos.

    • Tantofaz

      Muito antes de você sentir o cheiro de um eucalipto já tinha muito “ambientalista de merda” de perneira suando o cú na floresta e no meio do mato pra proteger o meio ambiente, e se hoje ainda temos um pouco, é graças a estes que suam o cú de perneira, e também aos de escritório.

      Uma pergunta, quem protege mais o ambiente? Chico mendes com uma bala, com o cú suado e de perneira, morto na floresta, ou um mero prefeito, no ár condicionado tomando água de bebedor, que decreta uma unidade de conservação em sua área de jurisdição?

      Não desmereça o trabalho de escritório, nem o de campo.

      Ass: Eng. Florestal que conhece campo e escritório. =D

      OBS: Belo texto Danilo!

  • Cazzobrasilia

    Vc tá certissimo.. são realmente todo profissionais do maior gabarito.. o problema é quando trazem uma equipe de 20 pessoas pra convencer o IBAMA de que o que eles querem fazer é o certo… usando o nome a e a fama desses profissionais pra tentar impor uma aura de respeitabilidade ou coisa parecida…

  • karina

    Oi Danilo! ótimo texto, já tinha assinado a petição da Avaaz, o seu texto só veio corroborar com a minha noção do que está sendo feito e do que realmente precisamos que seja feito. Obrigada!

  • http://twitter.com/FabianoCampos FabianoCampos

    Ótimos argumentos e falha minha ao valor da PCH. Os valores que citei seriam viáveis para construção de CGH’s.

    Agora falar em R$ 83,00MWh de uma energia convencional e comparar com energias incentivadas com descontos de 50%, 100% em encargos TUSD, não faz sentido. Duas aplicações diferentes e com limitações para quem pode consumir. Energia convencional é aplicável apenas para indústrias que possuem 3MW de demanda contratada, caso contrário, ela é obrigada a consumidor energia renovável no Mercado Livre. Ou seja, uma Belo Monte abastece o residencial e a menor parcela de indústrias que possuímos no país. Bilhões de reais pra isso. Justifica?!

    O Noroeste do nosso país é alimentado com óleo diesel! Todas as gigantes de Manaus são abastecidas a óleo! O Sistema Interligado Nacional está em passos de tartaruga conseguindo agora chegar no Acre, mas tem muito chão pela frente.

    Nós vivemos em um país onde um dos maiores problemas energéticos que nós temos é o chuveiro elétrico! Agora explica para uma indústria que opera no país o motivo dela pagar 3x mais caro pela energia das 17:00 às 22:00. Eu sei que aqui chegamos a o que tem de mais polêmico de Belo Monte que são os seus custos exorbitantes, mas se estamos falando em sustentabilidade, Belo Monte é sustentável? Como diz o post, utópico.

  • Marcus V.

    Já havia assinado a petição, sou totalmente contra Belo Monte.

    Gostaria de lembrar que por trás de uma construção tão cara estão os interesses de construtoras que financiaram as candidaturas de vários políticos eleitos.

  • Anônimo

    Para mim Usina hidrelétrica é uma forma razoável de produzir energia, exceto pela área inundada (e o que é inundado) o prejuízo é pequeno. Logo sou a favor de usinas com boa relação entre a produção e o que é inundado. Sou contra projetos enormes também, tudo fica mais complexo e a auditoria mais difícil. DIZEM (não sou especialista) que a produtividade de Belo Monte é mínima pela área inundada e só se justifica pela megalomania do governo.
    Eu acredito que a estratégia mais razoável é a de pequenas usinas (o que reduz também os custos e riscos de transmissão) de tipos diferentes (para prevenir as sazonalidades) exceto nuclear já que as que temos são um enorme exemplo de desperdício. Um governo colocar tantos ovos numa mesma cesta quase sempre é um fracasso retumbante.

  • Pingback: Tweets that mention Papo de Homem – Lifestyle Magazine -- Topsy.com

  • http://twitter.com/hell_ribeiro Helem Ribeiro

    Confesso que era favorável à Belo Monte, mas, conforme me informo, mais eu vejo a sandice que é este projeto.
    Também sou do Pará, e meus pais, que são envolvidos em ONGs aqui, comentam muito sobre a questão de Belo Monte. Ouvi de minha mãe que muitos dos índios estão ameaçando/cogitando praticar suicídio coletivo quando as obras iniciarem, já que, para eles, não há sentido viver se não for naquela região, que contém aspectos sagrados segundo as tradições deles. As populações ribeirinhas também estão fortemente preocupadas, é tocante ver o quanto eles são ligados, respeitam e amam a floresta.

    Mudando um pouco de assunto, mas acho que tem a ver com o tema. Há poucas alternativas econômicas atualmente na região, e há também muita pobreza e miséria, o que é um prato cheio pra exploração ilegal de madeira e a derrubada da floresta para o surgimento de fazendas griladas de gado e soja. Concordo que a Amazônia precisa ser preservada, mas deixar a floresta em pé e intocada é uma ilusão. A meu ver, creio que seja importantíssimo investir em ciência e tecnologia na região, estudar os compostos existentes na floresta e a biodiversidade da região de forma a descobrir novos produtos e fomentar a exploração verdadeiramente sustentável destes, respeitando não só o saber, mas as populações tradicionais como um todo, compartilhando igualmente com estes os dividendos oriundos desta exploração e etc. Mas isso tudo requer investimentos sérios em educação, e os nossos índices são os piores do Brasil, que já apresenta indicadores precários.

    Amo meu Pará, mas fico muito preocupada com o futuro dele. Vivemos num faroeste e teimamos em não vê-lo.

  • Gilbertodeuba

    O Brasil precisa desta usina. Lembram do apagão de novembro/2009 ? A linha branca de eletrodomésticos está sendo vendido a rodo em todo país. Temos que ser pragmáticos. è um mal necessário. Eu duvido que alguém desligue o ar condicionado ou o PC para economizar energia.O racionamento de 2000 derrubou a popularidade de FHC. O assunto é sério ! Precisamos de Belo Monte. Em casos de racionamentos/apagões seremos os primeiros a reclamarem. Belo Monte Já !!!

  • Pedrohenrique Alc

    Caro danilo,

    Quanto a sua atividade diária não tenho nada haver com isso, também nem faço idéia do seu projeto e o quanto de trabalho que ele te proporciona.
    Quanto ao “voltar pro conforto do ar-condicionado”, eu convido a você vir aqui no sul da Bahia, me ajudar a demarcar áreas de preservação permanente, identificar nascentes, demarcar invasões de plantio em áreas protegidas, legalizar áreas de reserva, nesse calor de 35°, e só alguns mil hectares para serem feitos. Projetim de pesquisa é melhor né ???uhsuahsuahsa . Sério to precisando de ajuda mesmo.

    “Se você acha que as grandes empresas florestais, apesar de respeitarem todas as leis ambientais, estão interessadas em proteger o meio ambiente então você está redondamente enganado”.
    Em nenhum momento disse que elas estão interessadas em proteger o meio ambiente, só disse que as grandes produtoras de eucalyptus, estão entre as raríssimas que seguem o código florestal a risca, e a risca mesmo. Se o motivo for certificação, não importa o que importa é que cumpre.

    E quanto aos artigos que você me indicou, agradeço e lerei sim, já li muitos. E como você escreve ai pra PHD, poderia puxar a polêmica do eucalyptus em algum texto, queria saber sua opinião e a da galera.
    Bons estudos.

  • Pedrohenrique Alc

    Caro danilo,

    Quanto a sua atividade diária não tenho nada haver com isso, também nem faço idéia do seu projeto e o quanto de trabalho que ele te proporciona.
    Quanto ao “voltar pro conforto do ar-condicionado”, eu convido a você vir aqui no sul da Bahia, me ajudar a demarcar áreas de preservação permanente, identificar nascentes, demarcar invasões de plantio em áreas protegidas, legalizar áreas de reserva, nesse calor de 35°, e só alguns mil hectares para serem feitos. Projetim de pesquisa é melhor né ???uhsuahsuahsa . Sério to precisando de ajuda mesmo.

    “Se você acha que as grandes empresas florestais, apesar de respeitarem todas as leis ambientais, estão interessadas em proteger o meio ambiente então você está redondamente enganado”.
    Em nenhum momento disse que elas estão interessadas em proteger o meio ambiente, só disse que as grandes produtoras de eucalyptus, estão entre as raríssimas que seguem o código florestal a risca, e a risca mesmo. Se o motivo for certificação, não importa o que importa é que cumpre.

    E quanto aos artigos que você me indicou, agradeço e lerei sim, já li muitos. E como você escreve ai pra PHD, poderia puxar a polêmica do eucalyptus em algum texto, queria saber sua opinião e a da galera.
    Bons estudos.

    • http://twitter.com/dscorzoni Danilo Scorzoni Ré

      Olá Pedro, você vai fazer mil hectares de levantamento sozinho? hehehehe. Agora que o tom da conversa está mais cordial, dá pra conversar direito sim… Já pensei em levantar a questão do eucalipto, mas acho que é um assunto muito técnico e específico para o PdH. Mas sou favorável às plantações de eucalipto e Pinus sim… elas diminuem extremamente a pressão sobre as espécies nativas. Claro que se deve ter muito critério e não fazer cagada como fizeram nos plantios na década de 70/80, com plantios muito adensados e sem adubação, onde se criou o estigma de que eucalipto seca o solo e td mais…

      Ciência, meu caro, Ciência!! hehehehe, por isso que faço mestrado.
      Abraço!

    • http://twitter.com/dscorzoni Danilo Scorzoni Ré

      Ah, e mais uma coisa…
      Quando eu terminar minha coleta de dados por aqui, se tiver em pé essa proposta aí de eu ir pra Bahia te ajudar é só avisar!

  • Pecoraro 2010

    Tudo tem o seu lado negativo e positivo, mas nesse caso o negativo prevaleceu .
    É triste, ver como o homem destrói o seu próprio ambiente. E o pior de tudo que a tendência é piorar .
    =/ Lamentável

  • http://www.facebook.com/people/Cleber-Eilert/100000891174385 Cleber Eilert

    Uma instituição que está batendo nesse assunto, de forma intermitente, é a Amzaon Watch.
    A índia Juruna, integrante desta ONG que em 2010 faturou US$ 1 milhão em doações, é a típica menina propaganda norte americana: jovem, bonita (muito bonita, MESMO!) com dentes brancos e sobressalentes que mais parecem os teclados de um piano, vestida apenas com um cocar de penas e uma cinta que deixa a mostra seu lindo corpo, parcialmente coberto por uma tanga.
    Ela viaja pelo menos três vezes ao ano aos USA, para jantares e amoços na sede da ONG, em San Francisco/Califórnia.
    O discurso: PARE BELOMONTE!
    Sou a favor da construção desta usina, mas com uma garota propaganda destas eu até já repensei minha opinião.
    Imaginem o que não se passa na cabeça de um gringo quando se depara com este lindo exemplar da cultura indígena amazonense. 

  • Jane

    Nunca serei a favor da destruição de florestas para construção de usina, pois, existem métodos alternativos de captação de energia. Será que a Dilma não sabe disso, ou tem prazer em destruir vidas?

  • Gabriela

    otimo documentário!

  • http://www.facebook.com/cassio.cardoso.94 Cássio Cardoso

    Belo monte será construída nem que seja na marra !!
    O real interesse das ONGS estrangeiras, é não deixar o Brasil desenvolver a região Norte, e fatiar praticamente todo o Norte do Brasil, riquíssimo em minérios, para os índios TI, ou melhor, para os seus tutores anglo-americanos.
    NO BRASIL, DO BRASIL, PARA O BRASIL: BELO MONTE 100% NACIONAL !!!

  • carloslins

    o gente voce tem que ser mais inteligente mais infomado nao se deixa levar por sentimento emotivo de pesoas allhenada no norte do brasil as pesoas que vive ai sao desimformada com relacao ao futuro do brasil e se deixa levar por ideias de de pesoas de onges internacionais que vem para o brasil com intuito de criticar nosso desenvolvimento eles tem seus paiz no tamanho de nossos municipios e ja desmataro ah miuto tempo e quando acontesce desastre ecologico la nos nem ficamos sabendo e mas quando qualquer coisa acontece aqui eles estao pronto para criticar e nos muito enguinorante que somos les acompanhamos criticando nosso propio paiz ah bem pouco tempo sito o esempro que acomteceu na europa que estourou uma berregem com residuo de de grande fabrica e comtaminou varias cidade varios poço de pretrolio pegaro fogo goufo maxico de uma compania dos estadoa unidoa otra na alem]nha a bem pouca tempo sao unumeras e noa nem se damos comta do acontecido o brasil como um paiz pro dutor de materia prima pois e nassa area que ele tem que competir e mas tarde na area tecnilogica os indio brasileiro estao dominado por estas unumara ong internacionais poie sao pesoas facil de enganar o brasil tem muita areas de terra produtiva e estas tem que ser uzada para a agrucultura pois e nossa mais da metade do territorio brasileiro esta em mato ainda ni norte a populacao esta desformada e uma presa facil para grande ong que nao queren nasso desenvolvimento póis esse paizes nao socialista vive se lucros e demanda de mercado somos todos capitalista e por isso nao interesa o desenvolvimentos para eles que ja se desenvolveron a usina de belo monte e necessario e e importantiscimos para todo nos brasileiro sao minhas palavras disculpe por algos

  • Gabrielle Nascimento

    Bom até aonde eu entendi é que Belo Monte e uma ameça pra nos paraenses..
    Entao para nao nois perdemos nosso tempo com preuculpaçoes ambientais, VOCES AI PAREM DE QUERER CONSTRUIR ESSA USINA HIDRELETRICA por que so vamos ter problemas nas nossa vidas… Emvez de gasta 30 bilhoes em dinheiro com a Usina gastem com que e necessario A EDUCAÇÃO, SAUDE, etc.. Para nois adolecentes do mundo todo isso sim vai ser a melhor coisa que voces ai ja fizerao pra nois.
    Entao eu só contra a contruçao de BELO MONTE..
    Nosso rio ira ser desaparece aos poucos tudo vai sumir com a contruçao: PEIXES, AGUA, FLORESTA, ANIMAIS… ETC…
    Deixem o RIO XINGU em paz…

Papo de homem recomenda

Assine o Papo de homem

Curta o PdH no Facebook
  • 5533 artigos
  • 661568 comentários
  • leitores online